Você está na página 1de 5

"DISCURSOS SOBRE CURRÍCULO"— Transcrição da apresentação:

1 DISCURSOS SOBRE CURRÍCULO


Profª Dra. Marize Peixoto da Silva FigueiredoUERJ/Faculdade de Educação
da Baixada FluminenseMAIO/2016

2 SENTIDOS HEGEMÔNICOS DE CURÍCULO


SEGUNDO LOPES E MACEDO (2011)“A IDEIA DE ORGANIZAÇÃO,
PRÉVIA OU NÃO, DE EXPERIÊNCIAS/SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM
REALIZADA POR DOCENTES/REDES DE ENSINO DE FORMA A LEVAR
A CABO UM PROCESSO EDUCATIVO” (P. 19)ASSOCIAÇÃO ENTRE O
TERMO CURRÍCULO E A IDEIA DE UNIVERSALIDADE, PLANEJAMENTO
OU SEQUENCIAÇÃO OU ORGANIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA
EDUCACIONALGRADE CURRICULAR; LISTAGEM DE DISCIPLINAS;
CONJUNTO DE EMENTAS; PLANOS DE ENSINO; EXPERIÊNCIAS
PROPOSTAS E DESENVOLVIDAS PELOS ALUNOS

3 SENTIDOS HEGEMÔNICOS DE CURRÍCULO


PRESSUPOSTOSCARÁTER DISCURSIVO DO SOCIALTAIS SENTIDOS
NÃO EXPLICITAM O CURRÍCULO NA SUA ESSÊNCIA;SENTIDOS EM
DISPUTA - SE CONSTITUEM E SE HEGEMONIZAM POR SEREM A
RESPOSTA A ALGO QUE ENTENDEMOS SER O “NÃO SER” DO
CURRÍCULO EM DADO CONTEXTO HISTÓRICO E QUE AGREGA O
MAIOR NÚMERO DE DEMANDAS;SÃO, PORTANTO, CONTINGENTES E
PROVISÓRIOS – É PRECISO ANALISAR O CONTEXTO DE SUA
PRODUÇÃO

4 DUAS POSSIBILIDADES DE RESPOSTA: O EFICIENTISMO E O


PROGRESSIVISMO SOCIAL
O CONTEXTO DE CONSTITUIÇÃO DESSES DISCURSOS (SEGUNDA
METADE DO SÉCULO XIX)EDUCAÇÃO JESUÍTICA NORMATIZADA
PELA RATIO STUDIORUM (SÉC. XVI)ESTUDOS DESENVOLVIDOS EM 3
MODALIDADES DE CURRÍCULO: TEOLÓGICO; FILOSÓFICO;
HUMANISTA (RETÓRICA; HUMANIDADES; GRAMÁTICA SUPERIOR,
MÉDIA E INFERIOR)FORMAÇÃO INTELECTUAL CLÁSSICA VINCULADA
À FORMAÇÃO MORAL.

5 DUAS POSSIBILIDADES DE RESPOSTA: O EFICIENTISMO E O


PROGRESSIVISMO SOCIAL
DEMANDAS PELA INDUSTRIALIZAÇÃOFUNÇÃO DA ESCOLA E DO
CURRÍCULO: RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS SOCIAIS GERADOS
PELAS MUDANÇAS ECONÔMICAS DA SOCIEDADE - CONTROLE
SOCIALNECESSIDADE DE QUE OS CONTEÚDOS E EXPERIÊNCIAS
ESCOLARES SEJAM ÚTEISVÁRIAS TENTATIVAS DE RESPOSTA A
ESSA QUESTÃO POR DIFERENTES TEORIAS
CURRICULARES;PREOCUPAÇÃO COM A ADMINISTRAÇÃO DO
COTIDIANO DA SALA DE AULADEFINIÇÃO DE CURRÍCULO – PLANO
FORMAL DAS ATIVIDADES E EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E DE
APRENDIZAGEMCARÁTER PRESCRITIVO DO CURRÍCULO –
SEPARAÇÃO ENTRE CONCEPÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

6 EFICIENTISMO SOCIAL EUA - INÍCIO DO SÉCULO XX


RÁPIDA URBANIZAÇÃO E NECESSIDADE DE TRABALHADORES PARA
ATUAR NO CRESCENTE SETOR INDUSTRIALAUMENTO DAS
DEMANDAS POR ESCOLARIZAÇÃO – FORMAR O JOVEM PARA
PARTICIPAÇÃO NA VIDA POLÍTICA E ECONÔMICACONTEXTO
TEÓRICO - COMPORTAMENTALISMO NA PSICOLOGIA E TAYLORISMO
NA ADMINISTRAÇÃOESCOLA E CURRÍCULO – INSTRUMENTOS DE
CONTROLE SOCIAL

7 PRESSUPOSTOS DO DISCURSO EFICIENTISTA


O CURRÍCULO CIENTÍFICOTRAZ CONCEITOS DO CAMPO DA
ADMINISTRAÇÃO - EFICÁCIA, EFICIÊNCIA E ECONOMIAFRANKLIN
JOHN BOBBIT (1918)A ESCOLA E O CURRÍCULO DEVEM PREPARAR O
ALUNO PARA ATUAR NA VIDA ECONOMICAMENTE
ATIVAFORMULAÇÃO DO CURRÍCULO POR ESPECIALISTASDEFINIÇÃO
DE TAREFAS E OBJETIVOS CENTRAIS ELENCADOS POR SEU VALOR
PARA A FORMAÇÃO DE PESSOAS QUE ATENDAM ÀS EXIGÊNCIAS DA
SOCIEDADE

8 PRESSUPOSTOS DO PROGRESSIVISMO SOCIAL


OPÕE-SE AO EFICIENTISMOCONTEXTO DE DESIGUALDADE SOCIAL,
GERADA PELA SOCIEDADE URBANA INDUSTRIALDEMANDA PELA
CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE HARMÔNICA E
DEMOCRÁTICAEDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE FORMAÇÃO DE
INDIVÍDUOS QUE ATUEM NA MUDANÇA SOCIAL

9 PRESSUPOSTOS DO PROGRESSIVISMO SOCIAL


JOHN DEWEYFOCO DO CURRÍCULO É A CRIANÇA E SEUS
INTERESSES E NÃO A PREPARAÇÃO PARA A VIDA
ADULTAAPRENDIZAGEM COMO PROCESSO CONTÍNUO – O VALOR
IMEDIATO DAS EXPERIÊNCIAS CURRICULARES COMO PRINCÍPIO DA
ORGANIZAÇÃO CURRICULAROUTRO FOCO DO CURRÍCULO É A
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS SOCIAISAS ATIVIDADES ESCOLARES
POSSIBILITAM: O CONTATO COM PROBLEMAS SOCIAIS, A
OPORTUNIDADE DE AÇÃO DEMOCRÁTICA E COOPERATIVA, A
AQUISIÇÃO DE HABILIDADES E ESTÍMULO À CRIATIVIDADEOS
CONTEÚDOS CURRICULARES – ASSUNTOS RELACIONADOS A
PROBLEMAS DE SAÚDE, CIDADANIA E MEIOS DE COMUNICAÇÃO –
SÃO FONTE PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
10 A RACIONALIDADE TYLERIANA
TENTATIVA DE ARTICULAÇÃO ENTRE AS ABORDAGENS TÉCNICAS
DO EFICIENTISMO E DO PROGRESSIVISMOPERSPECTIVA
HEGEMÔNICA DE CURRICULO POR MAIS DE 20 ANOS NO BRASIL E
NOS EUAO MODELO DE RALPH TYLERMATRIZ
COMPORTAMENTALCENTRADO EM OBJETIVOS DE ENSINO QUE VÃO
ORIENTAR A SELEÇÃO DAS EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM E
SUA ORGANIZAÇÃO PARA A EFICIÊNCIA DO PROCESSO DE
ENSINOAVALIAÇÃO DO CURRÍCULO

11 TEORIAS CRÍTICAS TEORIAS DA CORRESPONDÊNCIA OU DA


REPRODUÇÃO
CONTEXTO – ANOS 1970CRÍTICA ÀS ABORDAGENS CIENTÍFICAS
PELA CONCEPÇÃO DE ESCOLA E DE CURRÍCULO COMO APARATOS
DE CONTROLE SOCIALPERSPECTIVAS MECANICISTAS COM
NUANCES – ENTRE A CORRESPONDÊNCIA TOTAL E AS RELAÇÕES
DIALÉTICAS ENTRE A BASE ECONÔMICA E A
SUPERESTRUTURAPRODUÇÕES TEÓRICAS NO CAMPO DA
SOCIOLOGIA

12 TEORIAS CRÍTICASRELAÇÕES DE TOTAL DETERMINAÇÃO ENTRE


A ECONOMIA E A EDUCAÇÃOLOUIS ALTHUSSERESCOLA COMO
APARELHO IDEOLÓGICO DO ESTADO CONTRIBUI PARA A
MANUTENÇÃO DA ESTRUTURA DE CLASSESFORMAÇÃO DE MÃO DE
OBRA E DIFUSÃO DA IDEOLOGIA DOMINANTECHRISTIAN BAUDELOT
E ROGER ESTABLETSISTEMA ESCOLAR ATUA NA REPRODUÇÃO DA
DIFERENÇA SOCIAL, POIS NÃO GARANTE OPORTUNIDADE A TODOS

13 TEORIAS CRÍTICASRELAÇÕES DE TOTAL DETERMINAÇÃO ENTRE


A ECONOMIA E A EDUCAÇÃOSAMUEL BOWLES E HERBERT
GINTISCORRESPONDÊNCIA ENTRE AS RELAÇÕES SOCIAIS DE
PRODUÇÃO E AS RELAÇÕES SOCIAIS DE EDUCAÇÃO -
REPRODUÇÃO DAS DESIGUALDADES HIERÁRQUICAS PRÓPRIAS DO
MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA;FORMAÇÃO DE PERFIS
ADEQUADOS AO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA;DISCURSO
MERITOCRÁTICO E INDIVIDUALISTA

14 TEORIAS CRÍTICASRELAÇÕES MENOS DETERMINISTAS ENTRE A


ESTRUTURA SOCIAL E O INDIVÍDUOPIERRE BOURDIEU E JEAN
CLAUDE PASSERONAS RELAÇÕES ENTRE AS CONDIÇÕES
ESTRUTURAIS EM QUE O INDIVÍDUO SE CONSTITUI E QUE TENDEM A
SE REPRODUZIR ATRAVÉS DE SUAS AÇÕES SÃO DINÂMICAS, NÃO
ESTANDO PREVIAMENTE DETERMINADASAS RELAÇÕES DO SUJEITO
COM A CULTURA ESCOLAR É MARCADA PELA POSSE DO CAPITAL
CULTURAL DOMINANTE

15 TEORIAS CRÍTICASRELAÇÕES MENOS DETERMINISTAS ENTRE A


ESTRUTURA SOCIAL E O INDIVÍDUOPIERRE BOURDIEU E JEAN
CLAUDE PASSERONA ESCOLA CONVERTE AS HIERARQUIAS SOCIAIS
EM HIERARQUIAS ESCOLARES, APRESENTADAS COMO PRODUTOS
DO DOM OU DO MÉRITO DOS INDIVÍDUOSA ESCOLA REPRODUZ AS
DESIGUALDADES SOCIAIS, ATRIBUINDO ÀS RELAÇÕES SOCIAIS
NEUTRALIDADE E LEGITIMIDADE

16 TEORIAS CRÍTICAS NOVA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO –


MICHAEL YOUNG
CRÍTICA AO PAPEL DE REPRODUÇÃO SOCIAL DA ESCOLAATRAVÉS
DO CURRÍCULO, A ESCOLA REPRODUZ A DIFERENCIAÇÃO SOCIAL -
FOCO NOS INTERESSES ENVOLVIDOS NA SELEÇÃO E NA
ORGANIZAÇÃO DOS CONHECIMENTOS
ESCOLARESDETERMINAÇÕES DE CLASSE NA ELABORAÇÃO
CURRICULARCURRÍCULO CONTRIBUI PARA A LEGITIMAÇÃO DE
DETERMINADAS CULTURAS, GRUPOS SOCIAIS E CONHECIMENTOS

17 TEORIAS CRÍTICAS MICHAEL APPLE


RETOMADA DOS CONCEITOS DE HEGEMONIA E IDEOLOGIA PARA
ANÁLISE DA REPRODUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS PELA
ESCOLAA ESCOLA CONTRIBUI PARA A MANUTENÇÃO DO CONTROLE
SOCIAL ATRAVÉS DA MANUTENÇÃO DA DESIGUALDADE NA
DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL CULTURAL

18 TEORIAS CRÍTICAS MICHAEL APPLE


COMO O CURRÍCULO RECRIA A HEGEMONIA IDEOLÓGICA DE
DETERMINADOS GRUPOS?POR QUE ALGUNS ASPECTOS DA
CULTURA SÃO ENSINADOS COMO SE REPRESENTASSEM A
TOTALIDADE SOCIAL?A DIMENSÃO DO PODER E AS
DESIGUALDADES SOCIAIS NAS ESCOLHAS
CURRICULARESCURRÍCULO É ESPAÇO DE DISPUTAS

19 FENOMENOLOGIACRÍTICA ÀS ABORDAGENS TÉCNICAS E AO


ASPECTO PRESCRITIVO DO CURRÍCULOCRÍTICA À ÊNFASE NA
DIMENSÃO SOCIAL E AO DETERMINISMO DA ESTRUTURA SOCIAL
NAS PERSPECTIVAS CRÍTICASPAULO FREIREPOSSIBILIDADE DA
EDUCAÇÃO SE CONTRAPOR À REPRODUÇÃODIMENSÃO INTERATIVA
DA EDUCAÇÃO E DO CURRÍCULO – INTEGRAR O MUNDO DA VIDA
DOS SUJEITOS ÀS DECISÕES CURRICULARESCURRÍCULO FORMAL E
CURRÍCULO VIVIDO
20 PÓS-ESTRUTURALISMO PRESSUPOSTOS
REJEIÇÃO AO REALISMO - O PAPEL DA LINGUAGEM NA
CONSTITUIÇÃO DO SOCIAL. A CONSTRUÇÃO DISCURSIVA DO
CURRÍCULO E DO CONHECIMENTO COMO ATO DE PODER –
HEGEMONIZAÇÃO DE SENTIDOSTRADIÇÕES CURRICULARES SÃO
DISCURSOS QUE SE HEGEMONIZARAM – A CRIAÇÃO DE SENTIDOS
SOBRE O QUE É CURRÍCULOCURRÍCULO É PRÁTICA DISCURSIVA –
PRÁTICA DE PODER; PRÁTICA DE SIGNIFICAÇÃO

21 PÓS-ESTRUTURALISMO CURRÍCULO COMO TEXTO CONSTRÓI


REALIDADE;
PROJETA IDENTIDADE; DISCURSO PRODUZIDO NA INTERSECÇÃO
ENTRE DIFERENTES DISCURSOS SOCIAIS E CULTURAIS – REITERA E
RECRIA SENTIDOSPROLIFERAÇÃO E ADIAMENTO DE
SENTIDOSSENTIDOS POSSÍVEIS/ SENTIDOS EXPULSOS

22 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ANDRADE, F. R., VARES, S. F. O “Princípio de Correspondência” em
Samuel Bowles e Hebert Gintes: uma reflexão em torno da relação
educação- trabalho. Revista da Faculdade de Educação. ano VIII, n.14,
Jul./Dez Disponível em: 39.pdf. Acesso em: 17/05/2016.KLIEBARD, H. M.
Burocracia e teoria de currículo. Currículo sem Fronteiras, v.11, n.2, pp.5-
22, Jul/Dez 2011LOPES, A.C, MACEDO, E. Teorias de Currículo. SÃO
PAULO: CORTEZ, 2011.NOGUEIRA, C. M. M., NOGUEIRA, M. A. A
Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu: limites e contribuições.
Educação & Sociedade, ano XXIII, n. 78, Abril/2002.