Você está na página 1de 2

4 RESULTADOS E DISCUSSÕES

Nesta seção vamos apresentar as reações e os cálculos envolvidos na


prática de volumetria de precipitação.

4.1 REAÇÕES

4.1.1 Padronização da solução de nitrato de prata (AgNO3)

NaCl + AgNO3 → AgCl  + NaNO3

Para a padronização da solução de nitrato de prata (AgNO3) utilizamos


uma solução de cloreto de sódio (NaCl) 0,1 mol ∙ L−1, padrão primário. Na
titulação do cloreto foram gastos, em média, 4,85 mL da solução de nitrato de
prata (AgNO3). Neste procedimento foi utilizado cromato de potássio que reage
com o nitrato da seguinte forma:

K 2 CrO4 + 2 AgNO3 → Ag 2 CrO4  + 2 KNO3

A solução no erlenmeyer passou da cor amarela, do cromato de


potássio, para castanho, do cromato de prata.

4.1.2 Determinação do teor de NaCl em Soro Fisiológico

NaCl + AgNO3 → AgCl  + NaNO3

Para a determinação do teor de NaCl em Soro Fisiológico, utilizamos a


solução de nitrato de prata padronizada anteriormente. Nesta titulação foram
gastos, em média, um volume de 7,3 mL de AgNO3.

4.2 CÁLCULOS

4.2.1 Cálculos necessários para preparar cada solução

Para preparar 100 mL de AgNO3 0,1 mol ∙ L−1: m(AgNO3) = M x MM x V(L) =


0,1 mol ∙ L−1 x 169,87 g ∙ mol−1 x 0,1 L = 1,6987 g.

Para preparar 50,0 mL de NaCl 0,1 mol ∙ L−1 : m(NaCl) = M x MM x V(L) = 0,1
mol ∙ L−1 x 58,5 g ∙ mol−1 x 0,05 L = 0,2925 g.

4.2.2 Cálculo da padronização do nitrato de prata (AgNO3)

Para este cálculo temos os seguintes dados:

 V(NaCl) = 5,0 mL = 5,0 ∙ 10−3 L;


 M(NaCl) = 0,1 mol ∙ L−1 ;
 V(AgNO3 ) = 4,85 mL = 4,85 ∙ 10−3 L (média entre os valores 5,0 mL e 4,7
mL).

n(NaCl) = 0,1 mol ∙ L−1 ∙ 4,85 ∙ 10−3 L = 4,85 ∙ 10−4 mols

4,85 ∙ 10−4 mols


M(AgNO3 ) = = 0,097 mol ∙ L−1
5,0 ∙ 10−3 L

A concentração do nitrato de prata calculada é muito próxima a da


solução preparada, que nos mostra que houve poucos erros durante o preparo
da solução e pouca perda de matéria no seu armazenamento, visto que a
diferença foi apenas de 3%.

4.2.3 Cálculo para a determinação do teor de NaCl em Soro Fisiológico

Para o cálculo deste procedimento temos os seguintes dados:

 V(Soro Fisiológico) = 5,0 mL = 5,0 ∙ 10−3 L;


 M(AgNO3 ) = 0,097 mol ∙ L−1 ;
 V(AgNO3 ) = 7,3 mL = 7,3 ∙ 10−3 L (média entre os volumes 7,2 mL e 7,4
mL).

n(AgNO3 ) = 0,097 mol ∙ L−1 ∙ 7,3 ∙ 10−3 L = 7,1 ∙ 10−4 mols

7,1 ∙ 10−4 mols


M(NaCl) = = 0,142 mol ∙ L−1
5,0 ∙ 10−3 L

O Soro fisiológico é uma solução isotônica em relação aos líquidos


corporais que contem 0,9%, em massa, de NaCl em água destilada, ou seja,
cada 100mL da solução aquosa contém 0,9 gramas do sal. Para compararmos
o resultado encontrado em nossa análise com a literatura, precisamos calcular
a massa de NaCl em 100 mL de solução a partir da concentração do sal
calculada.

m(NaCl) = M x MM x V(L) = 0,142 mol ∙ L−1 x 58,5 g ∙ mol−1 x 0,1 L = 0,8285 g

A massa de cloreto de sódio calculada foi bem próxima ao valor


encontrado no rótulo do produto. A diferença foi apenas de 7,9 % entre o valor
encontrado experimentalmente e o valor informado pelo fabricante.