Você está na página 1de 16

Universidade de São Paulo – USP

Escola de Engenharia de São Carlos – EESC


Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação – SEL

Exercício de Simulação Computacional Nº 01

Código da Disciplina: SEL0301


Prof. Dr. Mário Oleskovicz
Estagiário PAE: André Luís da Silva Pessoa

Aluno: Natália dos Santos Ribeiro


Nº USP: 9269667

São Carlos
0
2017

SUMÁRIO

1. ENUNCIADO ..................................................................................................... 2

2. DESENHO DO CIRCUITO ..................................................................................... 2

3. RESOLUÇÃO TEÓRICA ........................................................................................ 3

4. RESOLUÇÃO ATRAVÉS DA SIMULAÇÃO .............................................................. 9

4.1 ARQUIVO DE ENTRADA ................................................................................ 9

4.2 ARQUIVO DE SAÍDA .................................................................................. 11

5. ANÁLISE DOS RESULTADOS ............................................................................. 13

1
1) ENUNCIADO
Calcule i(t) para t > 0. Em seguida resolva o problema utilizando o SPICE.

2) DESENHO DO CIRCUITO

Figura 1 – Desenho do circuito

3) RESOLUÇÃO TEÓRICA
Conforme solicitado calculou-se i(t) para o tempo t>0 do circuito abaixo:

Figura2 – Circuito à ser analisado

2
Para calculo da corrente I(t) para t>0 é necessário a seguinte analise para
resolução:

I) Analise para o intervalo de tempo -∞ até 0-

Considerações para tempo t<0:

- Chave aberta para tempo t<0;


- Fonte de alimentação degrau vale 0 para t>0 e vale 1 para t<0; portanto para
tempo t<0 a fonte valerá 1*139 = 139V;
- Considera-se que o circuito está em Regime permanente em corrente continua,
ou seja, capacitor comporta-se como circuito aberto e o indutor como curto circuito.

Figura 3 – Circuito para t<0 (chave aberta)

Ficamos então com dois circuitos, após inserir as considerações necessárias, que serão
apresentados abaixo:

3
Figura 4 – circuito 1 Figura 5 – circuito 2

Dos circuitos acima podemos concluir as duas condições iniciais necessárias


para resolução do problema, sendo:

I) IL(0-) = IL (0) = IL(0+) = 16,7 A

II) Vc(0-) = Vc(0) = Vc(0+) = 69,5 V

𝑉𝑡∗20
Pois pelo principio do divisor de tensão temos que Vc = 20+20= 69,5 [v] , sendo

Vt=139V

4
II) Analise para o intervalo de tempo t>0

Considerações para tempo t>0:

- Chave fechada para tempo t>0;


- Fonte de alimentação degrau vale 0 para t>0 e vale 1 para t<0; portanto para
tempo t>0 a fonte valerá 0*139 = 0V;
- Considera-se que a corrente do circuito será composta pela parcela natural e pela
parcela forçada: I(t) = In + If. Sendo In calculado sem a presença de fontes e If
calculado com o tempo tendendo ao infinito e o circuito em Regime permanente em
corrente continua, ou seja, capacitor comporta-se como circuito aberto e o indutor
como curto circuito.

Figura 6 – Circuito para t>0 (chave fechada)

Sendo I(t) = In + If, teremos:

5
A) Parcela forçada (If)

A parcela forçada é calculada assumindo o tempo tendendo a infinito. Portanto


o circuito está Regime permanente-corrente continua, ou seja, capacitor comporta-
se como circuito aberto e o indutor como curto circuito.

Figura 7 – representação do circuito para parcela forçada

Portanto a parcela forçada da corrente será If = 16,7(A)

B) Parcela natural (In)

A parcela natural da corrente é calculada com o circuito sem fontes, ou seja, as


fontes de correntes se transformam em um circuito aberto e as fontes de tensão
são curto – circuitadas.

Figura 8 – representação do circuito para a parcela natural

6
O circuito analisado para a parcela natural é o RLC paralelo livre, que será
calculado através da seguinte expressão:

𝐼𝑛(𝑡) = 𝐴1 ∗ 𝑒 𝑠1∗𝑡 + 𝐴2 ∗ 𝑒 𝑠2∗𝑡


sendo A1 e A2 constantes que serão calculadas e S1 e S2 dados pela formula
abaixo:

𝑆1, 𝑆2 = −𝛼 +⁄
− √𝛼 2 − 𝑊 2

1 1
As constantes 𝛼 𝑒 𝑊 são dadas por: 𝛼 = 2𝑅𝐶 𝑒 𝑊 =
√𝐿𝐶

Para o circuito em analise temos que R = 10Ω, L = 20H e C = 8mF. Os valores de α


e W são respectivamente 6,25 e 2,5
E substituindo na equação acima temos que S1 = -0,5218 e S2 = -11,97.

Temos que 𝐼𝑛(𝑡 ) = 𝐴1 ∗ 𝑒 −0,52∗𝑡 + 𝐴2 ∗ 𝑒 −11,97∗𝑡

E a corrente I(t) para t>0 será

𝐼 (𝑡) = 𝐴1 ∗ 𝑒 −0,52∗𝑡 + 𝐴2 ∗ 𝑒 −11,97∗𝑡 + 16,7

III) Determinação das constantes A1 e A2

As constantes são determinadas a partir das condições iniciais do problema, que são:

I) IL(0-) = IL (0) = IL(0+) = 16,7 A

II) Vc(0-) = Vc(0) = Vc(0+) = 69,5 V

7
De I temos que em t=0 e substituindo na equação da corrente que:
16,7 = 𝐴1 + 𝐴2 + 16,7. Ou seja A1+A2=0(I).
De II temos que a tensão inicial no capacitor é 69,5V, como o indutor está em
paralelo com o capacitor, temos que Vc=Vl. Portanto Vc(0+)=Vl(0+)=69,5V.
𝜕𝑖 ∂i
A partir da equação 𝑉 = 𝐿 ∗ 𝜕𝑡 , temos que 69,5 = 20*∂t.
Derivando a equação da corrente em função do tempo e substituindo na equação acima
obtemos:
69,5 = 20 ∗ (−0,5218 ∗ 𝐴1𝑒 −0,52∗𝑡 − 11,97 ∗ 𝐴2𝑒 −11,97∗𝑡 )

Para o instante de tempo t=0 obtemos a segunda equação para determinação das
constantes:3,475 = −0,5218𝐴1 − 11,97𝐴2 (II).
Resolvendo o sistema linear com as equações I e II chegamos ao valor de A1 e A2.
Sendo A1=0,3034 e A2= -0,3034.

Por fim determinamos o valor da corrente I(t) para t>0 que será

𝐼 (𝑡) = 0,3034 ∗ 𝑒 −0,52∗𝑡 − 0,3034 ∗ 𝑒 −11,97∗𝑡 + 16,7 [𝐴]

8
4) RESOLUÇÃO ATRAVÉS DA SIMULAÇÃO

Para descrever o circuito do exercício apresentado na figura 1, os nós foram numerados e


os componentes do circuito identificados conforme ilustra a figura abaixo:

Figura 9 – identificação de nós e elementos do circuito no arquivo de descrição do SPICE

A seguir são fornecidos os arquivos de entrada para o exercício em questão, juntamente


com o exercício de saída.

4.1) ARQUIVO DE ENTRADA

Nome : Natália dos Santos Ribeiro Nº USP: 9269667


Matéria : SEL0301 : CIRCUITOS ELÉTRICOS
Profsessor : Mario Oleskovicz
PAE :

9
Trabalho : Exercício de Simulação Computacional Nº 01 * * Exercício 01 * * *
***************************************************************************************************

DESCRIÇÃO ELEMENTOS PASSIVOS

RESISTORES
R1 1 0 20
R2 1 0 20Ω

CAPACITOR
C1 1 0 8mF

INDUTOR
L1 1 0 20H

PROGRAMA SIMULADO NO SPICE

exercicio1_nat

I_1 0 1 DC 16.7
L_1 1 0 20
R_1 1 0 20
C_1 1 0 8m
R_2 1 0 20

.IC I(L_1)=16.7
.IC V(1,0)=69.5

.tran .05 1 uic


.plot tran I(L_1)

.end

10
4.2) ARQUIVO DE SAÍDA

**** 04/13/17 10:25:37 *********** Evaluation PSpice (Nov 1999) **************

exercicio1_nat

**********************************CIRCUIT DESCRIPTION***************************************

I_1 0 1 DC 16.7
L_1 1 0 20
R_1 1 0 20
C_1 1 0 8m
R_2 1 0 20

.IC I(L_1)=16.7
.IC V(1,0)=69.5

.tran .05 1 uic


.plot tran I(L_1)

.end

**** 04/13/17 10:25:37 *********** Evaluation PSpice (Nov 1999) **************

exercicio1_nat

**** TRANSIENT ANALYSIS TEMPERATURE = 27.000 DEG C******

11
JOB CONCLUDED

TOTAL JOB TIME 0.00

12
5) ANALISE DE RESULTADOS

Para facilitar a análise das grandezas obtidas na resolução teórica e pela


simulação no SPICE, elas foram reescritas na tabela abaixo.

De acordo com a tabela acima, pode-se concluir que tanto na resolução teórica os
valores teóricos calculados para o valor I(t)>0 quanto na descrição do circuito no SPICE
com os resultados foram os mesmos, ou seja, a simulação é real

13
Baseado nos valores da tabela acima e utilizando de um programa gráfico têm-se
os seguintes gráficos a seguir:

Figura 10 – Gráfico gerado pelo programa DESMOS da função teórica i(t)

Figura 11 – Gráfico e tabela gerados pela simulação do circuito no programa SPICE

14
Portanto, pode-se concluir que os valores calculados na teoria estão corretos e
foram iguais ao resultado obtido pelo SPICE, como esperado.

15

Você também pode gostar