Você está na página 1de 4

1

Prática 1 pH e Soluções–tampão

1- INTRODUÇÃO:
Para determinar o pH de uma solução, podemos usar certos compostos que tem
capacidade de mudar de cor em função da [H+]. Essa mudança pode acontecer
em um pH diferente para cada composto. Esses compostos são conhecidos
como indicadores ácido-base e são na verdade, ácidos fracos que mudam de
cor se estão protonados ou desprotonados. Essa mudança de cor vai acontecer
em uma região próxima ao seu pKa.
A dissociação de um indicador ácido (Hln) em forma simplificada é a
seguinte:
hIn In- + H+
(ácido cor A) (base cor B)

A adição de ácido à solução de indicador aumenta a concentração de H +,


reprime a dissociação do indicador e há predominância da cor da forma ácida. A
adição de base diminui a concentração de H+, a equação se desloca para a
direita, produzindo mais indicador ionizado (In-) e predominância da cor básica.
A cor do indicador é, portanto, uma função do pH da solução.
Para determinar o pH de uma solução, adicionam-se algumas gotas de
solução de um dos indicadores mencionados e compara-se a cor desenvolvida
com a cor de uma série de tampões de pH conhecido e contendo a mesma
quantidade de indicador.
Os indicadores universais são misturas de vários indicadores, a fim de
abranger um intervalo mais amplo de pH.
Os papéis indicadores são impregnados de um indicador ou de indicadores
e são usados para determinação aproximada do pH.
O método potenciométrico é mais preciso para a determinação do pH. Usa-
se, geralmente, o aparelho chamado potenciômetro, que consiste de um eletrodo
de vidro, um eletrodo de calomelano e um sistema para medida de voltagem. O
potencial é dado pelo eletrodo de calomelano (cloreto mercuroso em contato com
solução saturada de KCl). O eletrodo de vidro compõe-se de um bulbo de vidro
especial HCl 0,1mol/L em contato com o eletrodo metálico. Quando o eletrodo
de vidro é imerso em uma solução de concentração de H+ desconhecida, cria-se
um potencial entre as soluções interna e externa. Como a voltagem do eletrodo
de calomelano é constante, a diferença de potencial entre os dois eletrodos é
diretamente relacionada com a concentração de H+ da solução desconhecida.
Em sistemas biológicos, as soluções-tampão são essenciais para manter o
pH. Muito compostos podem formar soluções tampão, como H2PO4-/HPO42- e
H2CO3/HCO3-. Embora os aminoácidos apresentem grupos ionizáveis, como
COOH e NH3+, os pKas desses grupos estão fora da região de pH do meio celular
2

(entre 6,9 e 7,4); o único aminoácido com capacidade tamponante nessa região
é a histidina, pois o pKa de seu grupo lateral é 6,0.

2- OBJETIVO GERAL:
• Verifica fatores que influenciam a variação de pH em soluções diferentes
2.1- OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
a) Preparar uma solução tampão
b) Preparar o indicador universal
c) Entender como funciona um tampão

3- MATERIAIS E REAGENTES
• Tubos de ensaio
• Água destilada;
• Tampão fosfato 0,1M pH 7,0.
• Indicador universal
• NaOH 0,1mol/L
• HCl 0,1 mol/L
• Pipetas;

4- PROCEDIMENTO:
4.1- Escala-padrão de pH

1o Preparar uma bateria de 8 tubos e identifica-los com os valores de pH (de 3


a 10)
2o Colocar em cada tubo 1 mL de cada solução tampão
3o Adicionar 5 gotas do indicador universal.
4o Adicionar 5 mL de água destilada
4.2- Determinação do pH e verificação dos fatores que
influenciam o pH:
1o Preparar uma bateria de 4 tubos e identifica-los como A, B, C e D.
2o Adicionar 5 gotas de indicador em cada tubo
3o Adicionar 5 mL da solução A nos tubos A e C.
4o Adicionar 1 mL da solução B + 4 mL de água nos tubos B e D
3

5o Verificar o pH das soluções nos tubos, comparando com a escala


padrão e anotar o resultado na tabela de resultados
6º Adicionar 2 gotas de NaOH 0,1mol/L nos tubos A e B. Verificar o pH e
anotar.
7º Soprar o ar expirado (com cuidado) por 15 segundos no tubo A e por
1 minuto no tubo B. Verificar o pH e anotar.
8º Adicionar duas gotas de HCl 0,1mol/L nos tubos C e D e anotar o
resultado do pH na tabela.
9º Continuar a adição de HCl ao tubo D, gota a gota, até obter a cor do
tubo C. Anotar na tabela o número de gotas adicionadas ao tubo D até
obter a coloração do tubo C.

5- RESULTADOS E DISCUSSÃO:

Tubos Amostra pH
Solução A
A + 2 gotas de NaOH 0,1mol/L
Ar expirado por 15 segundos
Solução B
B + 2 gotas de NaOH 0,1mol/L
+ ar expirado por 1 minuto
C Solução A
+ 2 gotas de HCl 0,1mol/L
Solução B
D + 2 gotas de HCl 0,1 mol/L
No de gotas___p/ obter o pH do tubo C

6- EXERCÍCIOS:

1- Qual solução é um tampão A ou B? Como você chegou a esta


conclusão?
2- Você dispõe de duas substâncias A e B) conforme indicado abaixo:
Substância (A): ácido acético (CH3COOH) (pKa=4,76)
Substância (B): ácido fosfórico (H3PO4) (pka1=2,14;pka2=6,86 e
pka3= 12,4)
A) Escreva a equação de dissociação para cada pKa
B) Qual delas você escolheria para preparar uma solução tampão.
Justifique sua resposta.
3- Explique como funciona a manutenção do pH por uma solução-
tampão.
4

7- REFERÊNCIAS:

Bioquímica:aulas práticas/Universidade Federal do Paraná,


Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular; Carmen Lúcia de
Oliveira Petkowicz et al. 7 ed.- Curitiba: Ed. UFPR, 2007.

Fundamentos teóricos e práticos em bioquímica/ editores: José Raul


Costernas, Osmar Monte, Wagner Ricardo Montor – São Paulo: Editora
Atheneu, 2011.

Práticas de Bioquímica/ autores: Andréa de Oliveira Barros Ribon et al.


Organização: José Humberto Queiroz.-Viçosa, MG; Ed.UVF, 2007.