Você está na página 1de 8

Linha editorial: Pesquisa Científica

Evasão no ensino superior


Ana Márcia Soecki (FCSGN) 1
Alex Zopeletto da Silva2
Sueli Sanches3
Hidelvani Nunes Silva4
Ana Paula Ferreira de Almeida5
Teresinha Solange Soecki de Souza6
Ethiane Agnoletto7
Robson Cavalin Rodrigues8

Resumo: O presente estudo tem como foco principal a evasão no ensino superior. Tendo
como objetivo, descrever as principais causas da evasão no primeiro semestre do ensino
superior. Assim, o presente artigo buscará também compreender as características dos
ingressantes do primeiro semestre dos cursos do ensino superior. A evasão é resultante de
vários fatores que atingem tanto estudantes em IES públicas como privadas, para que haja um
esclarecimento da evasão dos universitários. Através dos programas de ajuda do Governo, no
Brasil cresce de forma acelerada a procura pela formação de curso de graduação, que está
sendo de fácil acesso para as todas as classes sociais e diversos públicos, e ainda assim
percebe-se um o aumento da evasão, tanto nas IES públicas e particulares. A pesquisa foi por
meio de bibliografias e sites. Observou-se que as principais causas da evasão são: os
problemas financeiros, familiar e o ensino médio de baixa qualidade entre outros. Fica claro
que os gestores das IES precisam organizar estratégias institucionais, uma delas, melhorando
o sistema de monitoria para os alunos com dificuldades de aprendizagem logo no início do
primeiro semestre, e assim provavelmente haverá uma tentativa para a redução dessa evasão.

Palavras chaves: Evasão, Desempenho Acadêmico, Ensino Superior.

1
Licenciada em Pedagogia pela FCSGN - Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte –MT em 2013.
E-mail:anamsm94@hotmail.com
2
Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Brasil (2014) mestre em Saúde
Coletiva pela Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Brasil (2017). azopeletto@yahoo.com.br
3
Licenciada em Química pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Arapongas - Paraná (1984)
ssanches.quimica@hotmail.com
4
Graduação em fisioterapia. faculdade de ciências Sociais Aplicadas de Sinop, FACISAS, Brasil.
nego_hidel@hotmail.com
5
Possui graduação em Agronomia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2009).E-
mail: ana.engagro@hotmail.com
6
Cursando Pedagogia na Faculdade de Ciências Socias de Guarantã do Norte-MT (FCSGN)
Solangela94@hotmail.com
7
Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Geociências, da Universidade Estadual de Campinas (2013). E-
mail: ethigta@gmail.com
8
Mestre em Física pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL, Pelotas-RS, 2014). E-mail:
robsonufpel@gmail.com.

V.7,N.1(2018) Página 32
Abstract: The present study focuses on avoidance in higher education. With the objective of
describing the main causes of dropout in the first semester of higher education. Thus, the
present article will also seek to understand the characteristics of the students entering the first
semester of higher education courses. The evasion is the result of several factors that reach
both students in public and private HEIs, so that there is a clarification of the students'
evasion. Through the Government's aid programs, in Brazil, the demand for undergraduate
education is growing fast, which is being easily accessible to all social classes and publics,

and yet there is an increase in evasion , both in public and private HEIs. The research was
done through bibliographies and websites. It was observed that the main causes of the evasion
are: the financial problems, familiar and low-quality secondary education among others. It is
clear that IES managers need to organize institutional strategies, one of them, improving the
monitoring system for students with learning difficulties early in the first semester, and so
there will probably be an attempt to reduce such evasion.

Keyword: Cientific Article; Human Resources.

1. INTRODUÇÃO

Sabe-se da importância da educação, para o desenvolvimento de uma sociedade. Com seu


desenvolvimento social, há uma evolução humana, econômica e principalmente intelectual. O
desenvolvimento socioeconômico está ligado a educação de um país, para isso é necessário
que haja um planejamento com estratégias nas IES (Instituições de Ensino Superior), para que
os acadêmicos alcem seus objetivos com a conclusão do curso.

A evasão é um dos problemas que afligem as instituições de ensino superior (IES) em geral
(SILVA FILHO. 2007). Percebe-se que houve um aumento considerável de instituições de
ensino superior, porém um dos grandes problemas que vem preocupando essas IES é a evasão
que acontece já no primeiro semestre. Este estudo tem como objetivo descrever as principais
causas da evasão no primeiro semestre do ensino superior.

O tema evasão é resultante de vários fatores que atingem tanto estudantes em IES públicas e
privadas. Assim, o presente artigo buscará também compreender as características dos
ingressantes do primeiro semestre dos cursos do ensino superior. Para que haja um
esclarecimento sobre a evasão dos universitários, que estão tendo mais oportunidade de
acesso, e de públicos variados e diversas classes sociais, porém, mesmo assim é visível o
aumento da evasão, tanto nas IES públicas e particulares. Pode se tratar de várias causas com
motivos diversos, não apenas o reflexo do ensino básico e fundamental. No Brasil vem

V.7,N.1(2018) Página 33
crescendo consideravelmente a procura pela formação de curso de graduação e, devido aos
programas de ajuda do Governo, facilitando o acesso de professores e alunos à educação
superior melhorando a qualidade de ensino das instituições federais.

Veremos alguns programas do governo, que auxiliam para o ingresso no ensino superior:
FIES, o objetivo do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) é
financiar um curso de graduação na educação superior para estudantes que não possuem
recursos próprios para custear sua formação. Os alunos devem estar matriculados nas
instituições particulares para candidatar-se ao Fies, que são cadastradas no programa e ainda
precisam passar pela avaliação do MEC que deve ser sempre positiva. (MEC, 2014).

ProUni, é O Programa Universidade para Todos (ProUni) foi criado em 2004, pela Lei nº
11.096/2005. Através do ProUni é concedido bolsas de estudos que pode ser integral ou
parcial a estudantes de cursos de graduação específicas ou de cursos sequenciais de formação
específica, sempre em instituições privadas de educação superior. Quem adere ao programa
recebe isenção de tributos (MEC, 2014). A evasão representa para as famílias e acadêmicos a
não realização de um sonho algo incompleto, e até mesmo como desperdício de tempo e
dinheiro jogado fora. Dependente de recursos intelectuais a sociedade, se preocupa com essa
situação. Tinto (2007) reforça que, ao longo dos anos, é importante a integração e
envolvimento dos acadêmicos, ficando, principalmente no primeiro ano do curso. O autor
também acredita que devem ser organizadas intervenções para uma boa adaptação, tanto no
ambiente, como no apoio pedagógico para acadêmicos com dificuldades de aprendizagem
onde essas ações são necessárias por parte das IES, sendo necessário inovações nos processos
em sala de aula podem ser primordiais para a não evasão dos alunos.

Segundo informações do MEC (1996) pode ser identificado três fatores que ocasionam a
evasão: fatores internos a instituições, externos as instituições e individuais dos alunos. Para
Schargel e Smink (2002) sobre os problemas da evasão do ensino superior brasileiro as causas
da evasão que são podem ser psicológicas, sociológicas, organizacionais, interacionais e as
econômicas.

V.7,N.1(2018) Página 34
A metodologia utilizada para descrever as principais causas da evasão do ensino superior no
primeiro semestre para fins acadêmicos, foi descritiva. Sendo utilizada uma ampla consulta de
material bibliográfico em livros e artigos de diferentes autores relevantes.

2. EVASÃO NO ENSINO SUPERIOR

Houve uma grande oferta de cursos em todo o Brasil, provocando uma procura acima do
normal às vagas ofertadas, porém algumas instituições não se preocuparam com problemas
que poderiam ocorrer devido a essa grande procura, principalmente em como a manter esses
alunos. Com o passar do tempo foram acontecendo várias mudanças, e a preocupação em
reter esses alunos que já estavam ali e como atrair novos candidatos para próximos
vestibulares, foi ocorrendo então, uma verdadeira disputa na busca por novos alunos, através
da mídia. Porém essa conquista por novos alunos está ficando cada vez mais cara. A evasão
dos alunos tornou-se ainda mais freqüente. Sobre isso, Lopes (2006, p. 172) afirma:

Muito se faz para conquistar novos alunos, mas muito pouco esforço tem sido feito no sentido
de reter ou aumentar o nível de satisfação de seus atuais [....] A manutenção dos seus alunos é,
cada vez mais, uma preocupação compartilhada. As taxas de evasão crescem na medida em
que crescem as ofertas de novos cursos e novas instituições. Neste novo cenário e com as
primeiras turmas formadas, a preocupação com a retenção de alunos termina por fazer grande
diferença no eixo final destas instituições.

Com a evasão, as IES estão percebendo que algo deve ser feito, para os alunos permanecerem,
pois os alunos estão deixando as mesmas, Kotler e Fox (1994) afirmam que reter alunos já
matriculados é tão Importante quanto atraí-los e matriculá-los. Afirmam ainda que aluno pode
abandonar ou reduzir as disciplinas, quando não estiver satisfeito com o curso.

2.1 Conceito de Evasão

O conceito que o Ministério da Educação (MEC) definiu “é a saída definitiva do curso de


origem sem conclusão, ou a diferença entre ingressantes e concluintes, após uma geração
completa” (BRASIL / MEC, 1997, p. 19). A confirmação da evasão só possível quando com a
finalização do curso. A evasão pode ser caracterizada da seguinte forma: Evasão de curso, é
quando o estudante desiste do curso superior por diversas situações como: abandono (deixa de
matricular-se), desistência (oficial), reprovação ou transferência (mudança de curso), exclusão

V.7,N.1(2018) Página 35
por norma institucional; ou trancamento da matrícula. Evasão da instituição, acontece quando
o estudante desiste do curso em que está matriculado; Evasão do sistema, acontece quando o
estudante de forma definitiva abandona o ensino superior.

A reprovação entende-se como desempenho insuficiente do aluno no final do período letivo


onde é analisado a média e a frequência mínima exigida pela IES se for constatada a
reprovação o aluno deverá cursar novamente a mesma disciplina.

2.2 Principais causas da evasão no ensino superior

Para Tinto (1975), quando se fala sobre a integração do sistema acadêmico da IES com seus
alunos, esta pode ser medida em termos de desempenhos – de notas/conceitos e
desenvolvimento intelectual – durante o período em que o aluno permanece na faculdade.

Ambos os desempenhos contêm elementos estruturais e normativos, mas o desempenho


relacionado às notas do aluno relaciona-se, de maneira mais direta, com a incidência de
alguns padrões explícitos do sistema acadêmico e o desenvolvimento intelectual aborda,
principalmente, a identificação pessoal com as normas desse sistema, valendo salientar que,
conforme afirma Adachi (2009): O desempenho de notas constitui uma forma extrínseca de
considerar a participação da pessoa na faculdade. Assim, por um lado, uma pessoa pode se
utilizar de uma grande quantidade de recursos para o futuro educacional e obter a mobilidade
na carreira. Por outro lado, o desenvolvimento intelectual representa uma parte integral e mais

intrínseca do desenvolvimento pessoal e acadêmico dos indivíduos. (ADACHI, 2009, p. 44)


Dessa maneira, podemos diferenciar evasões que acontecem por desligamento acadêmico
daquelas que se dão de maneira espontânea. Tinto (1975) afirma que os indivíduos cujas
ações resultam em evasões espontâneas ou voluntárias apresentam, de maneira geral, índices
de desempenho melhores, ao passo que os que motivam desligamentos institucionais
apresentam notas mais baixas.

Alguns estudos realizados por Schargel e Smink (2002), foi possível verificar cinco categorias
de causas da evasão: as psicológicas, as sociológicas, as organizacionais, as interacionais e as
econômicas.

V.7,N.1(2018) Página 36
As causas psicológicas, são resultados individuais como, rebeldia, imaturidade, já a
sociológica percebe-se que não pode ser visto como um fato isolado. As organizacionais
identificam os resultados sobre a taxa de evasão das instituições. As categorias interacionais
medem a conduta do aluno. A categoria econômica, talvez seja a principal, em instituições
particulares pois irá depender dos fatores institucionais e individuais. A dificuldade em se
adaptar à vida universitária, muitas vezes, requer, certas mudanças, como a de cidade, a
adaptação a novas organizações de trabalho acadêmico, as metodologias de ensino, todos
podem ser fatores contribuintes para a evasão. Segundo Gaioso (2006 p. 32), o aluno
proveniente de famílias da classe média que muda com mais facilidade de curso e não teme
concorrer em outro vestibular, não percebe os prejuízos financeiro dos pais, nas IES privadas
sem conclusão; ou deixando vagas ociosas nas universidades.

As causas encontradas pelas segundo as pesquisas de Gaioso (2006), na visão dos diretores
educacionais são: a falta de orientação vocacional e desconhecimento da metodologia do
curso, alunos ainda jovens para escolher a carreira e ainda sem orientação vocacional acabam
escolhendo por vontade dos pais e parentes, sem conhecer suas próprias habilidades,
inscrevem-se em cursos de menos concorrência. Esses fatores levam muitos alunos
desinteressados e desmotivados, acabam desistindo nos dois primeiros semestre letivos; outra
causa é a deficiência da educação básica, e outros que frequentaram a EJA (Educação de
Jovens e Adultos), A baixa qualidade do ensino médio, de fato, é um dos fatores que
ocasionam a evasão no ensino superior. Esse problema contribui para que muitos alunos, ao
iniciarem as aulas na faculdade, começam a sentir grandes dificuldades nas matérias pois
exigem um aprofundamento de aprendizagem que não tiveram no ensino médio.

Encontrar estudantes que tenham tido pouco ou nenhum embasamento durante o ensino
médio é muito comum, onde o conteúdo passado pelo professor sofre uma defasagem. Por
isso, é necessário que se invista em programas de nivelamento, que irão auxiliar para o
conhecimento básico das disciplinas que serão indispensáveis para a sequência do curso, pois
os estudantes ingressam no ensino superior despreparados, com dificuldades de leitura e
escrita através do ENADE (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), fica possível
entender os resultados obtidos, para poder trabalhar as dificuldades de aprendizagem,
apresentados na avaliação e assim melhorar. O aluno ingressa na faculdade pelo vestibular
classificatório, sem preparação e sem noção do que é um curso superior. Quando o aluno
percebe que não este preparado, acaba abandonando o curso. A busca de herança profissional,
V.7,N.1(2018) Página 37
aqueles que escolhem a mesma profissão dos pais para perpetuar a herança profissional.
Alguns alunos quando tem contato com as disciplinas específicas, percebem a grande
responsabilidade e, muitos desistem. Mudança de endereço, por motivo de trabalho, tanto
deles mesmos como de seus pais. Problemas financeiros, é a principal causa de evasão do
ensino superior. Os alunos param de estudar em devido ao acumulo da mensalidade não
conseguindo quitar as mesmas. Horário de trabalho incompatível com o de estudo, sendo mais
percebido nos cursos diurnos. Concorrência entre as IES privadas, grandes apelos são
lançados para atrair novos clientes, com concessão parcial de bolsas, descontos especiais,
gerando melhores oportunidades para o cliente e opções de escolha. Nas causas mostradas por
Gaioso (2006), através da visão dos alunos percebeu-se que não há causas isoladas para
evasão, um motivo se associa a outro.

Os alunos responsabilizam as IES e as condições socioeconômicas e depois assumem a falta


de aptidão, habilidade ou interesse pela carreira escolhida. Evidenciou-se, no entanto as
dificuldades financeiras e os elevados custos da educação superior: a falta de orientação
vocacional e imaturidade, reprovações sucessivas, problemas financeiros, falta de
perspectivas de trabalho, ausência de laços afetivos na universidade. Gaioso (2006 p. 60)
descreve: Um número elevado de entrevistados destacou a falta que sentiam em ter grupos de
amigos para estudar, trocar idéias e assim diminuir suas ansiedades. Se faz necessário laços
afetivos, principalmente em sala de aula, para que haja uma interação, pois várias atividades
são desenvolvidas em grupos.

3. CONCLUSÃO

Este estudo buscou descrever as principais causas da evasão no primeiro semestre do ensino
superior. Fica claro que as principais causas de evasão no ensino superior brasileiro estão
relacionadas a diversas causas que estão ligadas, como a incompatibilidade de horário de
trabalho com estudos, de adaptação, problemas financeiros, de família, ensino médio de baixa
qualidade, falta de organização das IES, para atender esses alunos com dificuldades, entre
outros.

Para amenizar a evasão é importante que sejam nomeados professores que tenham afinidade
com os alunos, para o acompanhamento dos mesmos, acompanhar o desempenho e a
frequência dos acadêmicos, acompanhando e sanando suas dificuldades, analisar a grade

V.7,N.1(2018) Página 38
curricular cuidando entre as disciplinas de teoria e prática, elaborar projetos que envolva os
alunos com a comunidade. A qualidade de serviços prestados por todos os seguimentos
também é importante. O contato do aluno com a instituição deve estar sempre ligado, e bem
conduzidos pela administração da IES. Portanto, as IES privadas, devem priorizar
investimento para a manutenção da qualidade, em prestação de serviço e na motivação para a
permanecia dos alunos, assim na redução da taxa de evasão das IES, recuperar um cliente
perdido é bem mais difícil que manter sua permanência, deve portanto haver estratégias
desenvolvidas pelas instituições. Portanto deve se dar prioridade na manutenção e captação
dos alunos que já estão matriculados e principalmente na satisfação desses clientes.

REFERÊNCIAS

ARLLEN, J.| Evasão de Alunos |http://www.resultadoenade.com/6-fatores-que-influenciam-a-evasao-escolar-


no-ensino-superior. Disponível em: Acesso em:08/12/2017.

ADACHI, A. A. C. T.; PEIXOTO, M. C. L.. Evasão e Evadidos nos Cursos de Graduação da Universidade
Federal de Minas Gerais. 2009. 214p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação,
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

GAIOSO, Natalicia Pacheco de Lacerda. O Fenômeno da Evasão Escolar na Educação Superior no Brasil.
Unesco, 2006. Disponível em: www.iesalc.unesco.org.ve/programas/Deserción/Informe. Acesso em 08/12/2017.

KOTLER, P.; FOX, Karen, F. A. Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo : Atlas, 1994.

LOPES, Lilá Reis. O Marketing nas IES privadas da Bahia: um estudo sobre o nível de conhecimento e
potencialidades de uso do marketing, e sobre as aspirações e necessidades dos estudantes candidatos.2006.
172 f. Dissertações (Mestrado em Administração). Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

MEC. Diplomação, retenção e evasão nos cursos de graduação em instituições de ensino superior públicas.
Avaliação: Revista de rede de avaliação institucional da educação superior. Campinas, v. 1, n. 2, p. 55-65, dez.
1996.

SCHARGEL, F. P; SMINK, J. Estratégias para Auxiliar o Problema de Evasão Escolar. Rio de Janeiro:
Dunya, 2002.

SILVA FILHO, R. L. L. et al. A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de pesquisa. São Paulo, v. 37,
n. 132, p.641-659, 08/12/2017.

TINTO, V. Dropout from Higher Education: A Theoretical Synthesis of Recent Research. Washington, Review
of Educational Research, v. 45, n. 1, p. 89-125, inverno, 1975. Disponível em: Acesso em: 08/12/2017.

V.7,N.1(2018) Página 39