Você está na página 1de 97

PROGRAMA DE

HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS

Brasília, DF Nuno Rodrigo Madeira


Julho, 2017 Embrapa Hortaliças
DEFINIÇÕES

PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO-CONVENCIONAIS (PANC):


Espécies que ainda não receberam a devida atenção por parte da
comunidade técnico-científica e da sociedade como um todo, acarretando
em seu desuso ou consumo localizado, regional e/ou sazonal.

HORTALIÇAS PANC: Espécies olerícolas que fazem parte do


grupo maior de PANC.

HORTALIÇAS TRADICIONAIS: Espécies olerícolas que apresentam


vínculo com tradições culinárias regionais e são mantidas por populações
tradicionais, distribuição limitada e que não possuem cadeia produtiva
estabelecida.
CARACTERÍSTICAS DAS HORTALIÇAS PANC

• Apresentam distribuição limitada;


• são muitas vezes mantidas por populações tradicionais;
• exercem influência na alimentação e na cultura locais;
• em geral, não estão organizadas em “cadeias produtivas”;
• pouco interesse por parte das empresas de insumos (sementes,
agroquímicos e fertilizantes);
• são notavelmente rústicas, muitas vezes espontâneas;
• são pouco exigentes em fertilidade;
• apresentam características nutracêuticas interessantes;
• carecem de ações de pesquisa e desenvolvimento.
CARACTERÍSTICAS DAS HORTALIÇAS PANC

• Apresentam ampla adaptabilidade, com grande resiliência;


• são notavelmente rústicas, pouco afetadas por pragas;
• são pouco exigentes em fertilidade;
• são facilmente multiplicadas, muitas vezes espontâneas;
• são altamente produtivas;
• tem enorme potencial de dar resposta às mudanças climáticas;
• são muito interessantes em agricultura urbana, jardim produtivo;
• apresentam características nutracêuticas interessantes;
• possuem paladar diferenciado, muito valorizado pela gastronomia;
• carecem de ações de pesquisa e desenvolvimento.
PROJETO 1
“CONSERVAÇÃO DE COLEÇÃO DE GERMOPLASMA DE HORTALIÇAS
NÃO CONVENCIONAIS”

PROJETO 2
“AVALIAÇÃO AGRONÔMICA, CARACTERIZAÇÃO NUTRICIONAL E
ESTUDO DA VIDA ÚTIL DE HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS”

ATIVIDADES em 2 projetos de Transferência de Tecnologias

OJETIVOS:
- Manter coleção de hortaliças tradicionais e fazer uso da mesma.
- Contribuir para a melhoria da dieta local nas comunidades trabalhadas.
- Oportunizar alternativas de renda para as comunidades envolvidas.
ATIVIDADES

- Conservação Ex-situ, On farm, como a Coleção Base.

- Implantação de campos de multiplicação (unidades de observação e espaços


didáticos) em diversos locais, sempre em espaços coletivos e em parceria com a
extensão rural;

- Eventos (dias de campo, oficinas) para promoção do cultivo e consumo;

- Publicações sobre Hortaliças Tradicionais;

- Pesquisa permanente nos campos de multiplicação.

PARCEIROS
Outras Uds Embrapa, Emater-DF, MAPA, Emater-MG, UFV, UFLA, Epamig,
Oscip APTA, IFG, IFAM, Emater-PR, Quinta da Videira, Epagri, UNEMAT,
CATI, APTA, Asproeste, SerrAcima, Faz. Canaã, Asbon-Três Marias-MG,
Organs. de agricultores, Guardiões de sementes, ...
BANCO DE GERMOPLASMA DE HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS
EMBRAPA HORTALIÇAS Dioscorea

Maranta

Xanthosoma
BANCO DE GERMOPLASMA DE HORTALIÇAS NÃO-CONVENCIONAIS
BANCO DE GERMOPLASMA DE HORTALIÇAS NÃO-CONVENCIONAIS (CONT.)
Mario Joãozinho
Nuno
Layane
Daniela
Mario
Kleyson Neide
IMPLANTAÇÃO DE CAMPO EM TRÊS MARIAS
OUTUBRO DE 2008, 11 ESPÉCIES

Georgeton
Roberto e Ana Lúcia Emater-MG

Magno
D. Laura

DIA DE CAMPO - TRÊS MARIAS - MAIO DE 2009


CURSO – PRUDENTE DE MORAIS (EPAMIG)
JULHO DE 2009
SEMINÁRIO E DIA DE CAMPO EM VARZELÂNDIA - MG

Georgeton
Emater-MG

Tininha
Ana Lúcia Emater-MG
Ana Lúcia Georgeton
Noel Asbon Lygia Bortolini Emater-MG
Emater-MG MAPA Marinalva
Epamig

IMPLANTAÇÃO DE CAMPO EM JUIZ DE FORA - MG


VALIDAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE RECEITAS EM BAMBUÍ -2010
Tininha e Ana Lúcia

Ana Lúcia Tininha


Agrobrasília, PADDF-DF – junho de 2012, mais de 3 mil visitantes
Assentamento Três Conquistas, Paranoá-DF – Dona Dione / Roberta
Assentamento União Flor da Serra, Planaltina de Goiás, GO
Dona Rosi / Rogério

Dantas
Emater-DF

Paula
Assentamento Canaã

Flavão
SAF no Sítio Semente

Juã Natália
Vinícius
Asproeste – Lago Oeste-DF
Visitas frequentes

Neide Botrel – Embrapa


Pós-colheita

Cleiton Doss
S.A. Dion.Cerq.

Frank Mangan – UMA / E.U.A.


RESGATE DE CULTIVOS
ESQUECIDOS

AGRIFAM 2012
FEIRA DA
AGRICULTURA
MANGARITO FAMILIAR
AGOSTO 2012
LENÇOIS PAULISTA
PUBLICAÇÕES (RESUMOS)

MADEIRA, N.R.; SILVEIRA, G.S.R.;


MASCARENHAS, M.H.T.; BORTOLINI, L.O.F.
Rescue of non-conventional vegetable crops in
Minas Gerais state, Brazil. In: IHC, Lisbon, Port.,
ISHS. 2010.
LIMA, M.F.; MADEIRA, N.R.; INOUE-NAGATA,
A.K. The first report of the occurrence of
begomoviruses in a cucurbit species in Brazil.
In: AMERICAM PHYTOPATHOLOGICAL
SOCIETY, Providence, RI-USA: APS. 2012.
Suppl.
AMARAL-LOPES, A.C.; MADEIRA, N.R.;
NASCIMENTO, W.M. Traditional vegetables:
preliminary studies on seeds of Vinegar
(Hibiscus sabdariffae L.). In: SEST, Brasília,
Brazil: ISHS. 2012.
MADEIRA, N.R.; GUEDES, I.; DOSS, C.R.
Produção de acessos de mangarito em função
do tamanho de mudas e níveis de adubação
fosfatada. In: CBO, Salvador, ABH. 2012.
PUBLICAÇÕES

Manual de Hortaliças Não-convencionais


(sistema de produção e características nutricionais)
Disponível em: www.abcsem.com.br/docs/manual_hortalicas_web.pdf

Cartilhas sobre Hortaliças Não-convencionais


(bancos comunitários e receitas)
Disponível em: www.abcsem.com.br/docs/cartilha hortalicas.pdf
Manual de Produção de Hortaliças Tradicionais
Madeira et al., 2014

Valdely Kinupp
IFAM

Plantas Alimentícias Não Convencionais no Brasil: guia de


identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas
Kinupp e Lorenzi, 2015
Alimentos Regionais Brasileiros Plantas para o Futuro - Região Sul
Min. Saúde, 2015 Min. Meio Ambiente, 2015

Guia Alimentar para a População Brasileira


Min. Saúde, 2015
HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS
E AGRICULTURA URBANA

Algumas são ornamentais (jardins)


Outras são crecas vivas
Muitas são perenes
Pode ser em quintais individuais, áreas coletivas, espaços
públicos ou hortas urbanas institucionais.
Facilidade de cultivo, baixo uso de insumos, resistência a
estresses e baixo custo de produção.
Eduardo Feniman
Casa da Videira Casa da Videira – Curitiba-PR

 4 t/ano de comida em 300m2


 reciclagem de 30 t/ano de resíduos orgânicos

Claudio Oliver
Casa da Videira
HORTA URBANA NO MAPA

Jardim produtivo
Coord.: Rogério Dias
Sete Lagoas, MG
Programa Horta Comunitária
Desde 1982
300 famílias
Lotes de 360 a 400m2 / família
Ass.Técn. Emater-MG, Pronaf
Azedinha, Almeirão, OPN, etc.
HORTALIÇAS TRADICIONAIS
INHAME-CARÁ (CARÁ) – Dioscoreae cayanensis
INHAME-CARÁ –
Dioscoreae trifida
INHAME ROXO (CARÁ) – Dioscoreae alata
CARÁ-MOELA – Dioscoreae bulbifera
INHAME - Colocasia esculenta
Jandir Gratieri
Apisbes
ARARUTA – Maranta arundinaceae
ARARUTÃO – Canna edulis

No Peru e Bolívia, ACHIRA, consumido cozido


TAIOBA – Xanthosoma taioba

No Haiti, consumido bolinho frito chamado ACRÁ


MANGARITO – Xanthosoma riedelianum
MANGARITO – Xanthosoma riedelianum
VINAGREIRA – Hibiscus sabdariffae
VINAGREIRA ROXA – Hibiscus acetosella
VINAGREIRA “FLOR DE VELUDO” – Hibiscus cannabinus
ORA-PRO-NÓBIS
– Pereskia aculeata
PRODUÇÃO DE PROTEÍNA VEGETAL PARA
INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA

A Proteios Nutrição Funcional produz concentrado de Pereskia em SP


Expansão para 200 agricultores no PR como alternativa ao fumo
Parceria Proteios – Embrapa para Manejo Fitotécnico ---- CT 156
Cultivo de Ora-pro-nóbis em plantio adensado sob manejo
de colheitas sucessivas – Circular Técnica 156
Maço de Ora-pro-nóbis
ORA-PRO-NÓBIS DE ÁRVORE
Pereskia grandifolia
ORA-PRO-NÓBIS AMAZÔNICO – Pereskia bleo
MORINGA – Moringa oleifera
BERTALHA – Basella alba
ORA-PRO-NÓBIS SEM
ESPINHO ou
BERTALHA-CORAÇÃO –
Anredera cordifolia
ALMEIRÃO – Lactuca canadensis
AZEDINHA - Rumex acetosa
PEIXINHO - Stachys bizantina
CAPUCHINHA - Tropaeolum majus
JAMBU - Spilanthes acmella, S. oleracea
CHICÓRIA-DO-PARÁ –
Eryngium foetidum

COENTRÃO -
E. campestris
SERRALHA -
Sonchus oleracea
SERRALHA-DE-RAMA – Sonchus spp.
CARURU - Amaranthus spp.
AMARANTO - Amaranthus cruentus
BELDROEGA -
Portulaca oleracea
MAJOR-GOMES ou CARIRU - Talinum spp.
ESPINAFRE AMAZÔNICO – Alternanthera sessilis
CAPIÇOVA - Erechtites valerianifolius
FISÁLIS – Physalis pubescens, P. maculata
PHYSALIS ou CAMAPU – Physalis pubescens, P. peruvianum

Coord.: Raphael Melo


Testados diferentes conduções (2 e 3 hastes) e 4 acessos
Produção de 1.250 kg/há em 4 meses. 2 hastes pela facilidade
MURICATO – Solanum muricatum
TAMARILHO –
Solanum betaceum
CUBIU –
Solanum sessiliflorum
JURUBEBA –
Solanum scuticim
MAXIXE-DO-REINO – Cyclanthera pedata
QUIABO-DE-METRO –
Trichosantes Cucumerina
MINI-PEPINO – Coccinia grandis PEPINÍCULO – Melothria pendula
CROÁ – Sicana odorifera
GILA –
Cucurbita ficifolia
JACATUPÉ – Pachirrizus tuberosus
FEIJÃO-ALADO – Lablab purpureus

FEIJÃO-MANGALÔ –
Lablab purpureus
BATATA-CREM – Armoracia rusticana
ARIÁ –
Calathea allouia
JUNÇA – Cyperus esculentus
CHUFA – Cyperus esculentus

Tabuleiros sistematizados com irrigação

Levado pelos árabes para Europa,


Existe um conselho regulador
que assegura a qualidade de origem
da chufa de Valencia.

Colheita mecanizada

Tecnologia pós-colheita
MANDIOQUINHA-SALSA ou
BATATA-BAROA -
Arracacia xanthorrhiza

Página 88
CONSIDERAÇÕES FINAIS

As Hortaliças PANC podem trazer grande contribuição para a melhoria na


Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional pela: simplicidade de
cultivo, grande adaptabilidade e rusticidade e características
nutracêuticas.

As Hortaliças PANC representam uma Oportunidade em termos de


“Produto Local”, diferenciado, em tempos de revalorização do tradicional.

Além dos Sistemas Produtivos Intensivos, baseados na produtividade


crescente e na dependência por insumos externos, surgem novas
oportunidades, novos movimentos: Sistemas Agroecológicos, SAFs,
Agricultura Urbana, Hortas Perenes, Recampenização, Economia
Solidária, Slow Food e Territórios dos Alimentos, Tecnologias Sociais, ...
I Encontro Nacional de
Hortaliças Não Convencionais
( I HortPANC )

1º de junho - Seminário
Univ.Corp.Correios (L4 Norte)
Investimento: R$ 80,00

2 de junho – Dia de campo


Embrapa Hortaliças (Ponte Alta)
Investimento: R$ 40,00

Inscrições:
www.embrapa.br/hortaliças/hortpanc
CONSIDERAÇÕES FINAIS

As Hortaliças PANC podem trazer grande contribuição para a

melhoria na Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional

pela: simplicidade de cultivo, grande adaptabilidade e

rusticidade e características nutracêuticas.

As Hortaliças PANC representam uma Oportunidade em

termos de “Produto Local”, diferenciado, em tempos de

revalorização do tradicional.
MUITO OBRIGADO!

Nuno Rodrigo Madeira


Embrapa Hortaliças, C.P. 218, CEP 70275-970, Brasília–DF
nuno.madeira@embrapa.br- (61) 3385-9044