Você está na página 1de 6

MINISTÉRIO DA DEFESA

EXÉRCITO BRASILEIRO
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA
(Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho/1792)

VISÃO GERAL SOBRE ALGUNS SENSORES ELÉTRICOS

Rayan do Lago e Silva Coelho

Professor Jacy Montenegro Magalhães Neto

Rio de Janeiro
Março de 2017
1. MAP E MAF

O sensor MAP é um sensor de pressão do coletor de admissão, que tem como função
transformar sua leitura manométrica para uma saída de sinal elétrico. A importância desse
equipamento se dá para o cálculo de massa de ar admitida que será enviada para o pistão.
Analisando um MAP analógico, tem-se o seguinte sistema:

A incidência de pressão no dispositivo promove a deformação do diafragma em cujas


superfícies são acoplados resistores com propriedades piezo-resistivas, e a alteração da
resistência elétrica desses resistores possibilita a inferência de um sinal elétrico que culmina
no cálculo da pressão incidente.
No contexto do veículo automotor, o MAP é disposto no cofre do motor, ligado ao coletor de
admissão por uma mangueira que em geral tem medida próxima aos 30 cm.
Um emprego alternativo para esse sensor seria o uso para monitoramento de pressão de gás
para instalações residenciais, com a proposta de verificar se o fornecimento do combustível
está de forma segura e apropriada.

O sensor MAF é um sensor que tem a proposta de aferir a quantidade de ar que está sendo
admitida pelo motor, transmitindo um sinal de tensão ou de frequência variável em função do
ar que atravessa o dispositivo. Considerando um MAF com fio quente, tem-se a seguinte
representação:

O fio aquecido é mantido a uma temperatura com constante diferença em relação ao ar


passante, que para o sensor analisado é de 100˚C, e a alteração das propriedades do circuito
elétrico para manter fixa essa diferença térmica se traduzem na leitura da quantidade de ar que
será admitida pelo motor. Um fio de compensação é responsável pela leitura da temperatura do
ar. Para evitar erros de leitura por acúmulo de partículas depositadas, o fio quente é submetido
a um aquecimento extra que precede o desligamento do sistema.
Um emprego alternativo para esse sensor seria o de medir o volume de ar entrante em um duto
de ar condicionado, para verificar se o funcionamento do ventilador do dispositivo está em
conformidade com o esperado.

2. SONDA LAMBDA

A sonda lambda é um sensor veicular responsável por medir a concentração de gás oxigênio
liberada pela exaustão dos gases pelo motor, cujo funcionamento é baseado na polarização de
uma membrana semipermeável. O dispositivo é composto por duas câmaras para gás, uma
delas ocupada por ar ambiente e outra pelos gases saídos do motor, sendo esses dois espaços
separados por uma cerâmica de dióxido de zircônio e óxido de ítrio com permeabilidade
exclusiva para íons de oxigênio.
A medida da diferença de potencial induzida entre os eletrodos na membrana, utilizando a
equação de Nernst, leva à obtenção de lambda, que é a relação entre a concentração de gás
oxigênio na saída do motor e na atmosfera.
Um uso alternativo para o sensor é verificar a proporção entre ar e combustível da queima de
um forno industrial, de forma a conseguir tornar o processo o mais eficiente possível.

3. CEBOLINHA DE ÁGUA E ÓLEO

São termômetros que traduzem temperatura de partes do motor em impulso elétrico


característico. Podem binariamente abrir ou fechar um circuito elétrico causando, por exemplo,
o acionamento e o desligamento da ventoinha do radiador, ou podem conseguir aferir
temperaturas dentro de uma faixa. Para medida de temperatura de motor são empregados
termistores, resistores com grande variação de resistência mediante variação térmica.
Comumente imerso em líquido, esse sensor tem sua estrutura dentro de uma capsula de
proteção.
Um emprego alternativo para esse sensor é monitorar o processo de destilação de bebidas
alcoólicas para garantir a ausência de metanol no produto final, tendo em vista que essa
substância é altamente nociva e pode causar cegueira e morte.
REFERÊNCIAS

[1]<http://www.mte-thomson.com.br/site/wp-content/uploads/2014/10/SENSOR-MAP.pdf>
Acesso em 10 de março de 2017.

[2]<http://www.mte-thomson.com.br/site/wp-content/uploads/2014/10/SENSOR-MAF.pdf>
Acesso em 10 de março de 2017.

[3]<http://www.mte-thomson.com.br/site/wp-content/uploads/2014/08/InfTecnica-PLUG-
Portugues-11.jpg> Acesso em 12 de março de 2017.

[4]<http://blog.ciclo.eng.br/entenda-um-pouco-mais-sobre-sonda-lambda-2/> Acesso em 11
de março de 2017.