Você está na página 1de 54

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

I

INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL

ISS01

CH: 60h

Ementa:

O que é o Serviço Social. O que faz o assistente social. Breve contextualização do surgimento da profissão. A compreensão do significado social da profissão atualmente. O projeto ético-político profissional contemporâneo. A Lei que regulamenta a profissão. Os órgãos de representação da categoria profissional. As demandas atuais da profissão e os campos de intervenção – mercado de trabalho do assistente social.

Bibliografia Básica:

 

ESTEVÃO, Ana Maria Ramos. O que é serviço social. São Paulo: Brasiliense,

1984.

GENTILLI, Raquel de Matos Lopes. Representações e práticas: identidade e processo de trabalho no serviço social. São Paulo:Veras, 1998.

IAMAMOTO, Marilda Vilella. Projeto profissional, espaços ocupacionais e trabalho do assistente social na atualidade. in: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Atribuições privativas do (a) assistente social em questão. Brasília: CFESS, 2002.

Bibliografia Complementar:

 

BRASIL. Lei º 8.662, de 07 de Junho de 1993, Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

LOPES, Josefa Batista. Objeto e especifidade do serviço social. São Paulo:

Cortez,1978.

 

Fase:

Disciplina:

 

Código:

Créd. 04

I

 

SOCIOLOGIA

SOC01

CH: 60h

Ementa:

 

O olhar sociológico. A história do surgimento da Sociologia: do Renascimento à Revolução industrial. A retomada do pensamento especulativo até o triunfo da ciência. As obras inspiradoras do pensamento sociológico. O positivismo (incluindo o darwinismo social ). A Sociologia clássica: Marx, Durkhein e Weber. Cultura e ideologia. Contribuição atual da sociologia do desenvolvimento. Questões da Sociologia Contemporânea.

Bibliografia Básica:

 

COSTA, C. Sociologia – Introdução à ciência da sociedade. 2.ed. São Paulo: Moderna, 1997.

GIDDENS, Anthony. Política, sociologia e teoria social – encontros com o pensamento social clássico e contemporâneo. Tradução de Cibele Saliba Rizek – São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

 

Sociologia.

4. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

 

GUARESCHI, Pedrinho. Sociologia crítica: alternativas de mudança. Porto Alegre, Mundo Jovem, 1998.

Bibliografia Complementar:

 

LAKATOS, E.M. Introdução à Sociologia. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

MILLS. C. Wrigth. A Imaginação Sociológica. 6. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

OLIVEIRA, P. S. Introdução à Sociologia. 2. ed. São Paulo: Ática, 2000.

TOMAZI, Nelson Dacio. Iniciação à sociologia. São Paulo, Atual, 2000. 2. ed.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

I

 

PORTUGUÊS

POR01

CH: 60h

Ementa:

 

Coesão e coerência textual. Argumentação. Teoria da Comunicação.

Bibliografia Básica:

 

BARTHES, Roland. O prazer do texto. 5 ed. São Paulo: Perspectiva, 1999.

CANDIDA, V. G. Como analisar narrativas. 7 ed. São Paulo: Ática, 1999.

CHALHUB, Samira. Funções da linguagem. 9 ed. São Paulo: Ática, 1999.

FARACO, Carlos A. e TEZZA, C. Oficina de texto. Curitiba: OFF-CIR, 1998.

FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática,

1991.

GUIMARÃES, E. A articulação do texto. 8 ed. São Paulo: Ática, 2000.

Bibliografia Complementar:

 

CAMPEDELLI, S. Y: & SOUZA, J. B. Produção de textos da linguagem.São Paulo: Saraiva, 1998.

COSTE, D. et al. O texto, leitura e escrita. Campinas: Pontes, 1988.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 02

I

METODOLOGIA CIENTÍFICA

MCI01

CH: 30h

Ementa:

Conceito e concepção de ciência. Conceituação de Metodologia Científica. Necessidade da produção científica na Universidade. Passos do encaminhamento e da elaboração de projetos.

Bibliografia Básica:

 

DALBELLO, Liliane: GRÜTZMANN, André. Normalização para trabalhos acadêmicos da Universidade do Contestado-UnC. Caçador: 2008.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. SP: Atlas,

2002.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI. Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007

Bibliografia Complementar:

 

BEBBER, Guerino e MARTINELL0, Darci. Metodologia científica. 3 ed. Caçador: Universidade do Contestado, 2002.

FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

Fase:

Disciplina:

 

Código:

 

Créd. 04

I

FILOSOFIA

 

FIL21

CH: 60h

Ementa:

 

Homem um ser no mundo; Concepção do que é filosofia; Mito e ciência; Filosofia na linha do tempo, Clássica, Medieval, Moderna e Contemporânea com seus principais pensadores; Desdobramento da filosofia – Ética. Lógica. Metafísica/Ontologia, Política, Estética, Física; Correntes filosóficas e suas influências.

Bibliografia Básica:

 

ARISTÓTELES. Política. Tradução do grego, introdução e notas de Mário da Gama KURY. 3ª ed. Brasília: UNB, 1997. 317p. ISBN: 85230001109

CHAUI, M. Introdução à História da Filosofia. São Paulo. Companhia das Letras, 2005.

GAARDER, J. O mundo de Sofia. São Paulo. Companhia das letras, 1997.

MONDIN, Batista. Curso de Filosofia. 12 º ed. São Paulo. Paulus, 2003.

Bibliografia Complementar:

 

ARANHA, Maria. et.al Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo. Moderna Ltda, 1995.

ARENDT,

H.

A

condição

humana.10.

ed.

Rio

de

Janeiro:

Forense

Universitária, 2000.

 

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. COLEÇÃO PENSADORES, 1973.

BUZZI, A. Filosofia para principiantes. Petrópolis. Vozes, 2001.

 

CHAUI, Marilena. Introdução à história da filosofia. 2. ed. São Paulo. Companhia das Letras, 2002.

MONDIN, Batista. Curso de Filosofia. 12 . ed. São Paulo. Paulus, 2003.

PRÉ-SOCÁTICOS. Vida e Obra. São Paulo. Editora Nova Cultura, 2000.

REALE, Miguel. Filosofia do Direito. 12 ed. São Paulo : Saraiva, 1987.

SELVAGGI. Filosofias do mundo. Cosmologia filosófica. São Paulo. Loyola,

1988.

SINGER. P. Ética Prática. São Paulo. Martins Fontes, 1998.

 

VÁZQUEZ, A. Ética. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1999;

 

Fase:

Disciplina: FILOSOFIA POLÍTICA

Código:

Créd. 04

I

FPL01

CH: 60h

Ementa:

O pensamento clássico da filosofia política, a partir da leitura e interpretação dos textos clássicos.

Bibliografia Básica:

 

ARISTÓTELES. Política. (Trad.: M.G. Kury). Brasília: EdUNB, 1985.

ARISTÓTELES. Política. [M. da Gama Kury]. Brasília: EDUNB, 1985.

MacINTYRE, A. Justiça de quem? Qual racionalidade? (Trad. M.P. Marques:

Whose justice? Which rationality?). São Paulo: Loyola, 1991.

 

PLATÃO. A república. [Ma. H. da Rocha Pereira: Platonis Opera, T. IV]. 8. ed., Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

Bibliografia Complementar:

 

PLATÃO. Górgias. São Paulo: DFEL, 1986.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. [Trad. A.M. Parreira: Paideia, die Formung des griechischen Meschen]. São Paulo: Martins Fontes, Brasília: UnB, 1989.

ROSS, D. Aristóteles. [L.F.B.S.S. Teixeira: Aristotle]. Lisboa: D. Quixote,

1987.

TUCÍDIDES. História da guerra do Peloponeso. [Trad. M. da Gama Kury]. Brasília: UDUNB, 1987.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

II

 

ÉTICA

ETI21

CH: 60h

Ementa:

 

Compreender o fenômeno do "ethos": o significado "ethos" e a construção da ética; Analisar as estruturas da racionalidade ética: subjetividade, intersubjetividade e objetividade do agir moral; Identificar e problematizar as matrizes da ética: da antiguidade à contemporaneidade (Aristóteles, Kant, Habermas e Levinas).

Bibliografia Básica:

 

ARISTÒTELES. Ética a Nicômaco. São Paulo: Abril Cultural, 1973 (Col. Os Pensadores).

COSTA, Marcos Roberto N. A Ética Medieval Face aos Desafios da Contemporaneidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

KANT, I. Crítica da Razão Prática. Trad. Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

VAZ, H.C.L. Escritos de Filosofia IV. Introdução à Ética Filosófica I. São Paulo: Loyola, 1999.

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

 

II

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS TEÓRICOS - METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL I

FHT01

CH: 60h

Ementa:

 

Constituição e desenvolvimento da profissão nos quadros da expansão do capitalismo no cenário mundial e brasileiro. A dinâmica sóciopolítica e econômica da realidade brasileira nas décadas de 1930 e 1940. As tendências

de análise e as interpretações do serviço social sobre sua intervenção e sobre

a

realidade social nas décadas de 1930 e 1940. Referenciais orientadores do

pensamento (aspectos teórico-metodológicos) e da ação (aspectos interventivos) do Serviço Social brasileiro: Década de 1930: Doutrina Social da

Igreja; Ideário franco-belga de ação social; Pensamento de São Tomás de Aquino (tomismo e neotomismo). Década de 1940: Teoria Social Positivista (funcionalismo, estruturalismo; sistemismo).

Bibliografia Básica:

 

IAMAMOTO, Marilda Villela. Relações sociais e serviço social no Brasil. São Paulo: Cortez, 1993.

MARTINELLI, Maria Lucia. Serviço social: Identidade e alienação. 5 ed.São Paulo: Cortez, 1997.

VIEIRA, Balbina. Metodologia do Serviço Social. Rio de Janeiro: Agir, 1982.

Bibliografia Complementar:

 

ALVES, Arlete. Serviço social no Brasil: a ideologia de uma década. São Paulo: Cortez, 1987.

CASTELL, Robert. As transformações da questão social: uma crônica ao salário. Trad.D Poleti. Petrópolis: Vozes,1998.

DANTAS, José Lucena. Perspectivas do funcionalismo e seus desdobramentos no serviço social. Cadernos ABESS, São Paulo, n. 4, p. 37-63, jul. 1995.

FERREIRA, Maria Nin. Um modelo genérico para o serviço social: teoria da prática. Rio de Janeiro: Agir, 1981.

VIEIRA, Ana Cristina de Souza. Serviço social e positivismo. Serviço Social

e

Sociedade, São Paulo, n. 24, p. 70-82, ago. 1987.

 

VIEIRA, Ana Cristina de Souza. Serviço social e positivismo. Serviço Social

e

Sociedade, São Paulo, n. 24, p. 70-82, ago. 1987.

 

Fase:

Disciplina:

 

Código:

 

Créd. 04

II

PLANEJAMENTO EM SERVIÇO SOCIAL I

PLS21

CH: 60h

Ementa:

 

Diferentes concepções de planejamento. Por que, para que e para quem planejar. O Serviço Social brasileiro perante o Planejamento Social. Planejamento enquanto processo lógico, político e administrativo. Planejamento Social nas políticas públicas e privadas. O Planejamento tradicional, Planejamento situacional e Planejamento estratégico participativo. Fases metodológicas do Planejamento. Concepções de plano, programa e projeto.

Bibliografia Básica:

 

CORNELLY,

Seno.

Planejamento

participativo.

Rio

de

Janeiro:

CBCISS,1988.

 

GANDIN, Danilo. Prática do planejamento participativo: na educação e em outros instituições, grupos e movimentos dos campos cultural, social, político, religioso, governamental. Petrópolis: Vozes. 1994.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Planejamento Estratégico:

conceitos, metodologias e práticas. São Paulo: Atlas. 1997.

 

BAPTISTA, Myriam V. Planejamento Social. São Paulo: Veras. 2001.

 

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

II

 

PSICOLOGIA SOCIAL

PSO01

CH: 60h

Ementa:

 

Estudo dos fenômenos de interação, integração, ajustamento e desajustamentos do indivíduo no grupo e na sociedade. Processos de dinâmica de grupo.

Bibliografia Básica:

 

FROMM, Erich. A crise da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

MAISONNEUVE, Jean. Psicologia social. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

McDAVID, John W. Psicologia e comportamento social. Rio de Janeiro:

Interferência, 1980.

 

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

II

 

ECONOMIA POLÍTICA

ECP01

CH: 60h

Ementa:

 

A economia política. A economia política clássica, subentendendo-se a economia pré- moderna, os mercantilistas, os fisiocratas, os economistas clássicos [Smith, Ricardo e Malthus. Karl Marx e a crítica da economia política: a mercadoria, a mais valia e o processo de acumulação capitalista. A economia neoclássica. A economia keynesiana.

Bibliografia Básica:

 

KEYNES,J.M. A teoria geral do emprego, dos juros e da moeda. São Paulo: Nova

Cultural.1985.

 

SMITH, Adam. A riqueza das nações: investigação sobre a sua natureza e suas causas. São Paulo: Nova Cultural. 1985

RICARDO, David. Teoria, valor e trabalho. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MARX, Karl. O capital: crítica a economia política. São Paulo: Abril cultural. 2002

Bibliografia Complementar:

 

BACHA, Edmar. Introdução à macroeconomia: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

BRUM, Argemiro J., Desenvolvimento econômico brasileiro. 15 ed., Rio de janeiro, Vozes: 1995.

GASTALDI, J. Petrelli, Elementos da economia política. 18 ed., São Paulo: Saraiva,

2003.

GOLVÊAS, Ernane. Brasil: economia aberta ou fechada. 3 ed., Rio de Janeiro:

APEC, 1982.

 

HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. 21ª ed., Rio de Janeiro: LTC,

1996

HALL, Robert E., Macroeconomia. 3 ed., Rio de Janeiro: Campus, 1995.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

II

TRABALHO SOCIABILIDADE E SERVIÇO SOCIAL

TSS01

CH: 60h

Ementa:

A relação homem x natureza. Concepção de trabalho em Hegel, Marx. O processo evolutivo do trabalho. Os modos de produção constituídos na sociedade: escravismo, feudalismo e capitalismo. Trabalho alienado e processo de trabalho. Trabalho e relações sociais na sociedade contemporânea. Teleologia. Divisão social do trabalho e sua crise na sociedade capitalista. Produção social e valor. Trabalho e cooperação: o trabalho coletivo. O significado do Serviço Social na divisão socio-técnica do trabalho. O Serviço Social diante das transformações no mundo do Trabalho. O Serviço Social como trabalho.

Bibliografia Básica:

 

GENTILLI, Raquel de Matos Lopes. Representações e Práticas: identidade e processo de trabalho no serviço social. São Paulo:Veras, 1998.

IAMAMOTO, M.V. Renovação e Conservadorismo no Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1992.

LESSA, Sergio. O processo de produção/reprodução social: trabalho e sociabilidade. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 2: Reprodução social, trabalho e serviço social. Brasília: UnB/CEAD, 1999, p. 19-33.

Bibliografia Complementar:

 

ANTUNES, R. Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do Trabalho.

ARANHA, Maria Lucia de A, MARTINS, Maria Helena P. Filosofando:

introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 1986.

 

KOWARIC, L. Trabalho e vadiagem: a origem do trabalho livre no Brasil.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS TEÓRICOS - METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL II

FHT02

CH: 60h

Ementa:

A dinâmica sóciopolítica e econômica da realidade brasileira nas décadas de

1950 e 1960. As tendências de análise e as interpretações do serviço social

sobre sua intervenção e sobre a realidade social nas décadas de 1950 e 1960.

Referenciais orientadores do pensamento (aspectos teórico-metodológicos) e

da ação (aspectos interventivos) do Serviço Social brasileiro: Década de 1950:

desenvolvimentismo e desenvolvimento de comunidade. Década de 1960:

Movimento de Reconceituação na América Latina e no Brasil; vertentes que

emergiram do movimento de reconceituação (modernizadora; reatualização do

conservadorismo e de ruptura). Reflexões sobre os Seminários de Araxá,

Teresópolis, Sumaré e Alto da Boa Vista.

 

Bibliografia Básica:

 

CENTRO BRASILEIRO DE COOPERAÇÃO E INTECÂMBIO DE SERVIÇOS SOCIAIS (CBCISS). Teorização do Serviço Social: Seminários de Araxá, Teresópolis e Sumaré. Rio de Janeiro: Agir, 1986

VIEIRA, Balbina O. História do serviço social: contribuição para a construção de uma teoria. Rio de Janeiro: Agir, 1989.

NETTO, José Paulo. Ditadura e Serviço Social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 1991

Bibliografia Complementar:

 

AMMANN, Safira B. Ideologia do desenvolvimento de comunidade no Brasil. São Paulo: Cortez, 1991.

CARVALHO, Raul, IAMAMOTO, Marilda. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de uma interpretação histórica metodológica. São Paulo: Cortez, 1993.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

CIÊNCIA POLÍTICA

CPO11

CH: 60

Ementa:

 

Relação Estado – Sociedade, reconhecimento de seus elementos constitutivos e os regimes que lhe dão forma. Dinâmica dos processos de participação e exclusão política e crises que levam à mudança das estruturas políticas.

 

Bibliografia Básica:

 

ACCIOLI, Wilson. Teoria geral do Estado. Rio de Janeiro: Forense.

AZAMBUJA, Darcy. Teoria geral do Estado. Porto Alegre: Globo.

BOBBIO, Norberto. Estado, governo e sociedade: por uma teoria geral e política. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

& MATTEUCI, Nicola & PASQUALINO, Gianfranco. Dicionário de política. Brasil: UnB.

CHATELETT, François, et al. História das idéias políticas. Rio de Janeiro: Zahar.

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

FORMAÇÃO

SÓCIO-HISTÓRICA

DO

FSB01

CH: 60h

BRASIL

Ementa:

 

A herança colonial. Patrimonialismo. Instauração e colapso do Estado Novo. Urbanização. Caráter do desenvolvimento capitalista nacional: periodização do processo de industrialização brasileira. Industrialização e surgimento de novos sujeitos políticos. Nacionalismo e desenvolvimentismo. O período pós 1964 e seus desdobramentos. Transição democrática e o neoliberalismo. A inserção dependente no sistema capitalista mundial e a globalização.

Bibliografia Básica:

 

JÚNIOR, Caio Prado. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo:

Editora Brasiliense, 1992.

 
 

História econômica do Brasil. São Paulo:Editora Brasiliense, 1977.

MALAGUTI, Manuel L.; CALCANHOLO,Reinaldo A.;CALCANHOLO,Marcelo. (org). Neoliberalismo: a tragédia do nosso tempo.São Paulo: Cortez, 2000

Bibliografia Complementar:

 

BAUMAN, Zigmund. Em busca da política. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

BOBBIO, Norberto. Dicionário de política. Brasília: Editora da UnB, 1991.

CHAUÍ, Marilena. Brasil mito fundador e sociedade autoritária. Editora Fundação Perseu Abramo. 2000.

FREITAS, Marcos Cezar de (Org.) História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997.

FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA. Ética [2 v.], São Paulo, TV Cultura, vídeo.

GUNNEL, John G. Teoria política. Brasília: Editora da UnB, 1981.

 

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: USU Ed. Universitária, 1996.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. Em defesa da política. São Paulo: Editora Senac, 2001 [Série Livre Pensar].

PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. Reforma do Estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: FGV, 1998.

PRATTA, Marco Antonio. Mestres, santos e pecadores. São Carlos: Ed.

Rima, 2002.

SOARES,Laura Tavares. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. São Paulo:Cortez.2000

VIEIRA, José Ribas. Introdução à teoria do Estado. Porto Alegre: Síntese,

1999.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

 

ANTROPOLOGIA

ANT01

CH: 60h

Ementa:

 

Concepção de antropologia e seu objeto. Imaginário e representações sociais. Cultura popular. Religião. Identidade e expressões culturais regionais. Família e suas transformações. Questões de gênero e violência urbana.

Bibliografia Básica:

 

ANTUNES, Ricardo. O sentido do trabalho – ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo Editorial, 1999.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura – um conceito antropológico. 12 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1999.

MARCONI, Marina de Andrade, PRESSOTTO,Zélia Maria Neves. Introdução à antropologia. São Paulo: Atlas, 1986.

Bibliografia Complementar:

 

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. Rio de Janeiro: Editora Ática, 2000.

 

BOURDIEU, Pierre. Contrafogos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1998.

CAVALCANTI, Bereneci. Beleza, limpeza, ordem e progresso: a questão de higiene na cidade do Rio de Janeiro no final do século XIX. Revista do Rio de Janeiro. UFF, Departamento de História. V.1, n 1, Niterói, 1985, p. 95-104.

DAMATTA, Roberto. Você tem cultura? Explorações - ensaios de sociologia interpretativa. Rio de Janeiro: Rocco,1986, p. 121-128.

 

O que faz o Brasil, Brasil? 12 ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

Carnavais, malandros e heróis – para uma sociologia do dilema brasileiro. 6 ed. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1997.

 

A Casa & Rua. 4 ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S. A.,

1991.

ENGELS, Frederic. A origem da família, da propriedade e do Estado. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 1997.

FORRESTIER, Viviane. O horror econômico. São Paulo: Editora Unesp,

1997.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. 5 ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 1992.

ORTIZ,

Brasiliense, 1998.

Renato.

Mundialização

e

cultura.

3

ed.

São

Paulo:

Editora

RIBEIRO, Darcy. Os brasileiros – livro I – teoria do Brasil. Petrópolis/RJ:

Editora Vozes Ltda, 1983.

O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. Petrópolis:

Editora Vozes Ltda, 1983.

SARTI, Cíntia. A família como espelho: um estudo sobre a moral dos pobres. São Paulo:Cortez, 2003.

STRAUSS, Levi. Raça e história. In. Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1983, p. 51-93.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores,

1979.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

PLANEJAMENTO EM SERVIÇO SOCIAL II

PLS22

CH: 60h

Ementa:

Como elaborar o diagnóstico social. Etapas da elaboração de plano, programa e projeto na área social com atividades práticas. A cotação orçamentária como base do planejamento na definição de políticas públicas com enfoque nos conselhos municipais.

Bibliografia Básica:

 

GANDIN, Danilo. Prática do planejamento participativo: na educação e em outros instituições, grupos e movimentos dos campos cultural, social, político, religioso, governamental. Petrópolis:RJ:Vozes. 1994.

BAPTISTA, Mirian. Planejamento Social: intencionalidade e instrumentação. São Paulo: Veras, 2003.

OLIVEIRA, Mariângela de Paiva. Diagnóstico institucional participativo.(2003). Disponível em: http://institutofonte.org.br/. Acesso em: 21 jul. 2008.

Bibliografia Complementar:

 

FALEIROS, Vicente de Paula. Metodologia do diagnóstico social. Brasília:

Ed. Brasília, 1971

 

NOGUEIRA, Vera. Curso de Capacitação; formação profissional, um projeto de atualização. Módulo ll. Planejamento e Políticas Sociais. CRESS/SC.( apostila ). 1998.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

III

SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA SOCIAL I

SPS01

CH: 60h

Ementa:

Política social: o que é e como se faz. Principais abordagens teóricas e funções da

política social. Natureza e desenvolvimento das Políticas Sociais no Brasil. As

políticas sociais após a Constituição de 1988: organização, princípios, diretrizes,

financiamento e gestão. Políticas Setoriais e por segmentos diferenciação e

contextualização na realidade Brasileira.

 

Bibliografia Básica:

 

BEHRING, Elaine R. Principais abordagens teóricas da política social e da cidadania. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em serviço social e política social, Módulo 3: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB/CEAD, 2000, p.20-40.

FALEIROS, Vicente. O que é política social. 5.Ed. São Paulo: Brasiliense, 1991. (Coleção Primeiros Passos Nº168).

GOHN, Maria da Glória. Conselhos Gestores e participação sociopolítica. São Paulo: Cortez, 2003.

Bibliografia Complementar:

 

ANDERSON, Perry et.al. Pós Neoliberalismo: As Políticas Sociais E O Estado Democrático. São Paulo: Paz E Terra, 1995

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988.

 

CUNHA, Rosani Evangelista da. O financiamento da política social no Brasil. In:

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em serviço social e política social, Módulo 3: política social, Brasília: UNB/CEAD, 2000

DAGNINO, E. Sociedade civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil: limites e possibilidades. In: DAGNINO, E. Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002, p. 17- 45.

 

Natureza e desenvolvimento das políticas sociais no Brasil. In:

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA.

Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em serviço social e política social, Módulo 3: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB/CEAD, 2000, p. 41-56.

BRAVO, M. I S. e PEREIRA, P. A. P. Política social e democracia. São Paulo:

Cortez; Rio de janeiro: UERJ, 2001, p. 25-42

STEIN, Rosa Helena. Implementação de políticas sociais e descentralização político-administrativa. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância.Capacitação em serviço social e política social, Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB/CEAD, 2000.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 02

III

ÉTICA EM SERVIÇO SOCIAL

ESS31

CH: 30h

Ementa:

Natureza da ética profissional. Os projetos societários e os projetos de categorias profissionais. Os códigos de ética dos assistentes sociais brasileiros e seu significado político. O projeto ético da profissão e sua implicância na ontologia da profissão. As questões éticas atuais e o cotidiano profissional.

Bibliografia Básica:

 

BARROCO, Maria Lucia Silva, Ética e serviço social: fundamentos ontológicos. – São Paulo: Cortez, 2001.

BRASIL. Código de Ética do Assistente social e Lei 8662 de 07.07.93. CFESS,

1993.

Códigos de Ética dos Assistentes Sociais de: 1947, 1965, 1975, 1986 e 1993.

SA, Antonio Lopes de. Ética profissional. 3 ed. Ver. Amp. São Paulo:Atlas, 2000.

Bibliografia Complementar:

 

BONETTI, Dilséa Adeodata (Org), [et al.]. Serviço Social e Ética – convite a uma nova práxis. 2 ed, São Paulo: Cortez Editora, 1996 (textos de: Carlos Simões, Marilda Vilela Iamamoto, Maria Lucia Silva Barroco, Cristina M. Brites et all)

BRITES, Cristina Maria; Sales Mione Apolinário, Ética e práxis profissional. – Brasília, DF: CFESS, 2000.

TERRA, Sylvia. Ética e instrumentos processuais. Brasília: CFESS, 2000.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

IV

FUNDAMENTOS

HISTÓRICOS

TEÓRICOS

-

FHT03

CH: 60h

METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL III

Ementa:

A dinâmica sóciopolítica e econômica da realidade brasileira nas décadas de 1970 e

1980. As tendências de análise e as interpretações do serviço social sobre sua

intervenção e sobre a realidade social nas décadas de 1970 e 1980. Referenciais

orientadores do pensamento (aspectos teórico-metodológicos) e da ação (aspectos

interventivos) do Serviço Social brasileiro: Década de 1970: Fenomenologia e Serviço

Social no Brasil (conceitos fundamentais na Fenomenologia, o método

fenomenológico, a aproximação do Serviço Social à Fenomenologia, o

posicionamento fenomenológico no Serviço Social); Primeiras Aproximações do SS

com o Marxismo (O método BH). Década de 1980: Aproximação efetiva do serviço

social com a Teoria Social de Marx: Relações sociais e serviço social no Brasil.

Bibliografia Básica:

 

DARTIGUES, André. O que é fenomenologia. São Paulo: Moraes, 1992.

 

IAMAMOTO, Marilda. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórica metodológica. São Paulo: Cortez, 1993.

NETTO, José Paulo. Ditadura e Serviço Social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 1991.

LIMA, Boris Aléxis. Contribuição à metodologia do serviço social. 2. ed. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

Bibliografia Complementar:

 

LIMA, Boris Aléxis. Contribuição à metodologia do serviço social. 2. ed. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

PAVÃO, Ana Maria Braz. O princípio da autodeterminação no serviço social:

visão fenomenológica. São Paulo: Cortez, 1988.

 

SILVA E SILVA, Maria Ozanira (Coord.). O serviço social e o popular: resgate teórico-metodológico do projeto profissional de ruptura. São Paulo: Cortez,

1995.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução a Pesquisa e Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

I

SERVIÇO

SOCIAL

E

PROCESSOS

DE

SSP01

CH: 60h

TRABALHO I

 

Ementa:

 

Processos de trabalho do serviço social. A instrumentalidade do serviço social. O entendimento dos objetos de intervenção histórica da abordagem individual, grupal e coletiva, na visão tradicional e clássica do Serviço Social. A construção e o uso de instrumentos técnico-operativos: visita domiciliar, entrevista, encaminhamento, levantamento socioeconômico, observação, análise de conjuntura. Documentos:

roteiros de entrevista e de questionário, relatórios.

 

Bibliografia Básica:

 

GUERRA, Yolanda. A instrumentalidade do serviço social. São Paulo: Cortez,

1995

SOUZA, Herbert José de. Como se faz análise de conjuntura. 11 ed. Petrópolis:

Vozes, 1991

 

Souza, Maria Luiza. Desenvolvimento de comunidade e participação. São Paulo:

Cortez, 1999.

 

Bibliografia Complementar:

 

AMARO, Sarita. Visita domiciliar: guia para uma abordagem complexa. Porto Alegre; AGE, 2003.

KISNERMANN, Natálio. Introdução ao trabalho social. SP:Moraes. 1983

FALEIROS, Vicente de Paulo. Estratégias em serviço social. São Paulo: Cortez,

1997

GENTILLI, Raquel. Representações e práticas – identidade e processo de trabalho no serviço social. São Paulo, Veras Editora: 1998.

RODRIGUES, Maria Lucia. O trabalho com grupos e serviço social. SP: Moraes.

1983.

SARMENTO, Helder B. M. Serviço Social, das tradicionais formas de regulação sócio-política ao redimensionamento de suas funções sociais. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília:

UnB/CEAD, 2000, p. 97-110.

 

VIEIRA, Balbina Otoni. Serviço Social: processos e técnicas. RJ: Agir. 1988.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

IV

 

ESTATÍSTICA

EST11

CH: 60h

Ementa:

Organização e apresentação de dados estatísticos. Distribuição de Freqüência. Medidas de Posição ou Tendência Central. Medidas de Dispersão ou Variabilidade. Noções de probabilidade. Principais distribuições de probabilidade. Noções de técnicas de amostragem. Construção e uso de números índices. Séries temporais. Análise de regressão. Análise de correlação

Bibliografia Básica:

 

BARBETTA, Pedro. Alberto. Estatística aplicada as ciências Contábeis. 3 Ed., Florianópolis: UFSC, 1999.

BUNCHAFT, Guenia. Estatística sem mistérios. 2 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

FREUND, John. Estatística a administração e contabilidade. 9 ed. Porto Alegre:

Bookmann, 2000

 

NAZARETH, Helenalda. Curso básico de estatística. 12 ed . SP: Ática, 2003.

Bibliografia Complementar:

 

CRESPO, Antônio Arnot. Estatística fácil. 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2000.

DOWNING, Douglas; CLARK, Jeffrey. Estatística Aplicada. SP: Saraiva, 1998.

FONSECA, Jairo Siman da & MARTINS, Gilberto de Andrade. Curso de estatística. São Paulo: Atlas, 1996

LAPPONI, Juan Carlos. Estatística usando Excel. SP: Lapponi treinamento, 2000.

MOORE, David. A estatística básica e sua prática. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora Ltda., 2000.

SILVA, Nilza Nunes da. Amostragem probabilística : Um curso introdutório. São Paulo : Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

IV

ESTÁGIO

CURRICULAR

SUPERVISIONADO

ESS21

CH: 60h

OBRIGATÓRIO I

Ementa:

 

Introdução à supervisão da prática profissional. Discussão sobre a regulamentação do estágio curricular. Processo de supervisão. Orientações e acompanhamento dos estágios – proposta pedagógica – estágio de observação participante. Reflexões sobre os trabalhos dos estagiários e identificação de estratégias e objetivos da intervenção no estágio. Reflexões sobre a ética profissional em relação aos usuários, à prática profissional e às instituições. Recomendações sobre a elaboração dos relatórios de estágio, diário de campo. Interatividade com instituições e supervisores institucionais.

Bibliografia Básica:

 

BURIOLA, Marta A. F. O estágio supervisionado. São Paulo: Cortez, 1995.

 

Supervisão em serviço social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

 

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Curso de Serviço Social. Regulamento de Estágio Supervisionado. Campus de Canoinhas, Curitibanos e Caçador: UnC, fev., 2006.

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova o Regulamento Geral de Estágios Curriculares Supervisionados Obrigatórios da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/secretaria/legisla/ordenamento/reso_CONSEPE_053_2005.pdf

Acesso em: 28 jul. 2006.

 

Bibliografia Complementar:

 

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução n.º 273, de 13 de março de 1993. Institui o Código de Ética do Assistente Social e dá outras providências. In: In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia e KOUMROUYAN, Elza. Um novo olhar para a questão dos instrumentais técnico-operativos em serviço social. Serviço social e sociedade. São Paulo, n. 45, p. 137-141, Agosto. 1994.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

IV

METODOLOGIA DA PESQUISA

MPE01

CH: 60h

Ementa:

Elaboração e desenvolvimento de Projeto de Pesquisa. Análise e interpretação dos dados obtidos. Apresentação formal dos produtos da Pesquisa.

Bibliografia Básica:

 

BEUREN, Ilse Maria, et. Al. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

DALBELLO, Liliane: GRÜTZMANN, André. Normalização para trabalhos acadêmicos da Universidade do Contestado UnC. Caçador: 2008.

MARCONI, Marina de Andrade: LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de Pesquisa. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

Bibliografia Complementar:

 

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. SP: Atlas, 2002.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI. Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia Científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho cientifico. São Paulo, SP:

Cortez, 2002.

 

THIOLLENT, Michel. Metodologia de pesquisa-ação. São Paulo, SP: Cortez, 2003

YIN, Robert K. Estudo do caso: planejamento e métodos. Porto Alegre, RS:

Bookmam, 2003

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

IV

SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA SOCIAL II

SPS02

CH: 60h

Ementa:

Contextualização da política de Seguridade Social no Brasil. Evolução histórica das políticas de previdência e saúde. A Reforma Sanitária e a construção do Sistema Único de Saúde. A operacionalização do SUS (Normas Operacionais Básicas e Pactos da Saúde). O assistente social como profissional de saúde. A política da Previdência social e o espaço do assistente social neste contexto.

Bibliografia Básica:

 

BRAVO, Maria Inês de Souza. As políticas brasileiras de Seguridade Social:

saúde. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 3: Política Social. Brasília: UnB/CEAD, 2000,

p.103-115.

CARTAXO, Ana Maria Baima. Estratégias de sobrevivência: a previdência social. São Paulo - SP: Cortez, 1995.

COHN, Amélia e ELIAS, Paulo Eduardo. Saúde no Brasil: políticas e organização de serviços. São Paulo: Cortez, 1998.

Bibliografia Complementar:

 

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. In:

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. LEI Nº 8.212, DE 24 DE JULHO DE 1991 - Dispõe sobre a organização da Seguridade Social, institui Plano de Custeio, e dá outras providências. In:

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991 - Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos

de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde/NOB-SUS 96. Brasília: Ministério da Saúde, 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Apoio à Descentralização. Coordenação-Geral de Apoio à Gestão Descentralizada.

Diretrizes operacionais dos Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília: MS, 2006. 76 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

V

FUNDAMENTOS

HISTÓRICOS

TEÓRICOS

-

FHT04

CH: 60h

METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL IV

Ementa:

A dinâmica sóciopolítica e econômica da realidade brasileira nas décadas de 1990 e 2000. As tendências de análise e as interpretações do serviço social sobre sua intervenção e sobre a realidade social nas décadas de 1990 e 2000. Referenciais orientadores do pensamento (aspectos teórico-metodológicos) e da ação (aspectos interventivos) do Serviço Social brasileiro: Aprofundamento da interlocução do serviço social com o marxismo. Década de 1990: Marx: apresentação do conjunto de sua obra e conceitos fundamentais; o método em Marx; o marxismo na atualidade – críticas e revisões. Marxismo e serviço social no Brasil; a aproximação do Serviço Social à tradição marxista e a reflexão produzida pelo serviço social, com resgate da inspiração marxiana; o método em Marx e o serviço social). A crise dos modelos analíticos (explicativos) no âmbito das Ciências Sociais e o surgimento do Pensamento Pós-Moderno.

Bibliografia Básica:

 

QUINTANEIRO, Tânia; OLIVEIRA, Márcia G. Karl Marx. In: QUINTANEIRO, Tânia; OLIVEIRA, Márcia G. e BARBOSA, Maria Lígia. Um toque de clássicos: Durkheim, Marx e Weber. Belo Horizonte: UFMG, 1995, p 63-101.

SIMIONATTO, Ivete. As expressões ideoculturais da crise capitalista na atualidade. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 1: Crise contemporânea, questão social e Serviço Social. Brasília:UNB/CEAD, 1999, p.77-90.

YAZBEK, Maria Carmelita. Os Fundamentos do Serviço Social na Contemporaneidade. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB/CEAD, 2000, p. 20-34.

Bibliografia Complementar:

 

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. 2. ed. São Paulo. Atlas, 1987.

HARNECKER, Marta. Os Conceitos elementares do materialismo histórico. 2. ed. São Paulo: Global, 1983.

SILVA

E SILVA, Maria Ozanira (Coord.). O serviço social e o popular: resgate

teórico-metodológico do projeto profissional de ruptura. São Paulo: Cortez,

1995.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da Economia Política. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1983

O Capital. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã [ I Feuerbach]. 10.ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

NETTO, José Paulo. O Serviço Social e a tradição marxista. Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n.30, abr. 1989.

Notas sobre o marxismo e Serviço Social, suas relações no Brasil e a questão do seu ensino. Cadernos ABESS, São Paulo, n.4. 1ª reimpressão. p.76-96, jul. 1995.

RODRIGUES, João Antônio. A questão do método na Teoria Social de Marx e o Serviço Social. In: INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS – Divisão Serviço Social. Construindo o Serviço Social. Bauru, n.6, p. 111-156, maio, 2000.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

V

SERVIÇO

SOCIAL

E

PROCESSO

DE

SSP02

CH: 60h

TRABALHO II

 

Ementa:

 

Preparo para os instrumentos usados na abordagem direta da população, que demanda o trabalho profissional: organização de campanhas (contatos, parcerias e patrocínios), reunião, mobilização, estudo social, parecer social, perícia social. Documentos: atas, rotinas administrativas (arquivamento, banco de dados, dossiê).

Bibliografia Básica:

 

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL – CFESS (org.). O estudo social em perícias, laudos e pareceres técnicos: contribuição ao debate no judiciário, penitenciário e na previdência social. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SARMENTO, Helder B. M. Serviço Social, das tradicionais formas de regulação sócio-política ao redimensionamento de suas funções sociais. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília:

UnB/CEAD, 2000, p. 97-110.

 

SOUZA, Maria Lúcia. Desenvolvimento de comunidade e participação. São Paulo:

Cortez, 1999.

 

Bibliografia Complementar:

 

DAL PIZZOL, Alcebir. Estudo social ou perícia social? um estudo teórico-prático na justiça catarinense. Florianópolis: Insular, 2005.

FREITAS, Douglas Phillips & FREITAS, Karinne. Perícia Social: o assistente social e os efeitos da perícia no judiciário. Florianópolis: OAB/SC Editora, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia. A nova identidade profissional. Serviço Social do Hospitalar [Revista da Coordenadoria de Atividades do Serviço Social do Hospital de Clínicas – FMUSP]. São Paulo, v.4, n. 1, 1997.

SILVA, Maria Lúcia Lopes. Um novo fazer profissional. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL; ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 4: O

trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: UnB/CEAD, 2000, p. 112-

124.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

V

SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA SOCIAL III

SPS03

CH: 60h

Ementa:

Contextualização histórica da assistência social. Trajetória da política pública de Assistência Social: CFB/88, LOAS, PNAS/SUAS. Normas Operacionais Básicas:

operacionalização, gestão e recursos humanos. A prática do assistente social na política de assistência social.

Bibliografia Básica:

 

RAICHELIS, Raquel. Esfera pública e Conselhos de Assistência Social:

caminhos da construção democrática.São Paulo: Cortez,1998.

 

SPOSATI, Aldaíza. et. al. A assistência na trajetória das políticas sociais brasileiras. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

YASBEK, Maria Carmelita. Política de Assistência Social: Uma trajetória de Avanços e Desafios. In: Cadernos ABONG;ANAS. São Paulo: ABONG, nov.2001,p.

39-54.

OLIVEIRA, Heloisa. Assistência Social: do discurso do Estado a prática do Serviço Social. Florianópolis: UFSC.1996.

Bibliografia Complementar:

 

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Política Nacional de Assistência Social – PNAS/2004. Brasília: SNAS, 2004.

BRASIL. Ministério da Previdência e Assistência Social. Secretaria de Estado de Assistência Social. Sistema Descentralizado e Participativo da Assistência Social. 2.ed. Brasília: SEAS, 2002.

BRASIL. Ministério da Previdência e Assistência Social. Secretaria de Assistência Social. Norma Operacional Básica da Assistência Social: disciplina a descentralização político-administrativa da Assistência Social, o financiamento e a relação entre os três níveis de governo. Brasília: MPAS, 1998.

BRASIL. Lei nº 8.742, de 07 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e da outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Brasília: Senado Federal, l988.

 

FERREIRA, Ivanete S. B. As políticas brasileiras de Seguridade Social:

assistência social. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL;

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Educação Aberta, Continuada à Distância. Capacitação em Serviço Social e Política Social, Módulo 3: Política Social. Brasília:

UnB/CEAD, 2000.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 08

V

ESTÁGIO

CURRICULAR

SUPERVISIONADO

ESS22

CH: 120h

OBRIGATÓRIO II

Ementa:

 

Estágio de intervenção. Elaboração do Plano de Estágio. Orientações e acompanhamento dos estágios (reuniões e visitas institucionais). Reflexões sobre a prática de estágio. A relação do estágio com o projeto de investigação. Recomendações sobre a elaboração dos relatórios de estágio.

Bibliografia Básica:

 

BURIOLA, Marta A. F. O estágio supervisionado. São Paulo: Cortez, 1995.

 

Supervisão em serviço social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

 

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Curso de Serviço Social. Regulamento de Estágio Supervisionado. Campus de Canoinhas, Curitibanos e Caçador: UnC, fev., 2006.

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova o Regulamento Geral de Estágios Curriculares Supervisionados Obrigatórios da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/secretaria/legisla/ordenamento/reso_CONSEPE_053_2005.pdf

Acesso em: 28 jul. 2006.

 

Bibliografia Complementar:

 

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução n.º 273, de 13 de março de 1993. Institui o Código de Ética do Assistente Social e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia e KOUMROUYAN, Elza. Um novo olhar para a questão dos instrumentais técnico-operativos em serviço social. Serviço social e sociedade. São Paulo, n. 45, p. 137-141, Agosto. 1994.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

V

PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL

PSS21

CH: 60h

Ementa:

Construção e execução de projeto de pesquisa em serviço social. Elaboração da análise e interpretação dos dados de pesquisa. Relatório e apresentação em seminário coletivo, dos resultados de pesquisa.

Bibliografia Básica:

 

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa:

planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação dos dados. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MINAYO, Maria Cecília (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo:

Atlas, 1999.

Bibliografia Complementar:

 

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo:

Atlas,2002.

 

Métodos e técnicas da pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas,1999.

LUNA, Sérgio. Planejamento de pesquisa: uma introdução: elementos para uma análise metodológica. São Paulo: EDUC, 2003

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VI

SERVIÇO

SOCIAL

E

PROCESSO

DE

SSP03

CH: 60h

TRABALHO III

 

Ementa:

 

Preparo para os instrumentos usados na abordagem direta da população, que demanda o trabalho profissional: organização de eventos como fóruns, conferência, seminários, palestras. Documentos: resolução, edital, moção, regimento, estatutos, regulamento; processo eleitoral (conselhos, comissões, concursos, diretorias); procedimentos on-line.

Bibliografia Básica:

 

Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG). Manual de fundos públicos: controle social e acesso aos recursos públicos. São Paulo: Ed. Fundação Peirópolis, 2002.

GOHN, Maria da Glória. Conselhos Gestores e participação sociopolítica. São Paulo: Cortez, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia e KOUMROUYAN, Elza. Um novo olhar para a questão dos instrumentais técnico-operativos em serviço social. Serviço social e sociedade. São Paulo, nº 45, p. 137-141, Agosto/1994.

Bibliografia Complementar:

 

BARBOSA, Maria Nazaré Lins & OLIVEIRA, Carolina Felippe. Manual de ONGS:

guia prático de orientação jurídica. 3. ed. atual. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2002.

MONTENEGRO, Thereza. O que é ONG. São Paulo: Brasiliense, 1994. 98p. (Coleção Primeiros Passos).

SZAZI, Eduardo. Terceiro Setor: regulação no Brasil. 3. ed. São Paulo: Ed. Fundação Peirópolis, 2003.

TEIXEIRA, E. O local e o global: limites e desafios da participação cidadã. São Paulo: Cortez, 2001.

TENÓRIO, Fernando Guilherme (org.). Gestão de OnG: principais funções gerenciais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1999.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VI

FUNDAMENTOS

HISTÓRICOS

TEÓRICOS

-

FHT05

CH: 60h

METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL V

Ementa:

A realidade brasileira na atualidade e as representações e repercussões no Serviço Social com a emergência de paradigmas. A aproximação com as teorias pós- modernas que permitem a análise da realidade social e a sua aplicabilidade no Serviço Social. Explicitação das teorias de Antony Giddens, Hannah Arendt, Pierre Bourdieu, Michel Foucault, Juergen Habermas, Edgard Morin, Boaventura de Souza Santos, Eric Hobsbawm, E.P. Thompson, entre outros.

Bibliografia Básica:

 

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

GIDDENS, Anthony. Política, sociologia e teoria social: encontros com o pensamento social clássico e contemporâneo São Paulo: UNESP, 1998.

Bibliografia Complementar:

 

FOUCALT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro; Graal, 2001.

 

HABERMAS, Jürgen O discurso filosófico da modernidade: doze lições. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

HOBSBAWN, Eric. A era dos extremos: o breve século XX: 1914 – 1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo:

Cortez, 2002.

 
 

Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

SANTOS, Boaventura de Souza. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência; para um novo senso comum, a ciência. São Paulo:

Cortez, 2007.

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VI

SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA SOCIAL IV

SPS04

CH: 60h

Ementa:

Aspectos históricos da proteção à infância e à adolescência no Brasil. O Estatuto da Criança e do Adolescente e o sistema de garantia de direitos: serviços, programas e projetos de proteção social, Conselhos de Direitos, Conselhos Tutelares. A intervenção do Serviço Social na política da criança e do adolescente. A política social setorial da educação e suas particularidades na garantia de direitos sociais. Instrumentos legais. A prática do assistente social na política de educação.

Bibliografia Básica:

 

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Guanabara, 1981.

Rio de Janeiro, Editora

RIZZINI, Irma. Assistência à infância no Brasil: uma análise de sua construção. Rio de Janeiro, EDUSU-CESPI/USU, 1993.

RIZZINI Irene. A criança e a lei no Brasil: revisitando a história (1822-2000). 2ª ed., Brasília, DF: Unicef; Rio de Janeiro: USU/Universitária, 2002.

ABONG/FÓRUM DCA. (org.) Crianças, adolescentes e violência: subsídios à IV Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Brasília:

ABONG/FÓRUM DCA, (Cadernos Abong nº 29).

 

Bibliografia Complementar:

 

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da criança e do adolescente e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações:

direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

 

CORRAZA. Sandra Mara. História da Infância sem fim. Ijui: Ed. UNIJUI, 2000.

FALEIROS. V.p.; FALEIROS. E. T.(coord) Circuitos e curtos-circuitos:

atendimento, defesas e responsabilização do abuso sexual contra crianças e adolescentes. São Paulo: Veras, 2001 (núcleo de pesquisa: 7)

MOTTI, Ângelo; SILVA, Edson (Coordenadores) Uma década de direitos: Estatuto da Criança e do Adolescente: Avaliando resultados e projetando o futuro. Campo Grande: UFMS, 2001.

SARAIVA. João Batista Costa. Adolescente em conflito com a lei da indiferença à proteção integral: uma abordagem sobre a responsabilidade penal juvenil. Porto Alegre: Livraria dos Advogados, 2003

Legislação vigente sobre as políticas sociais por segmento e setoriais da educação, trabalho, pessoas portadoras de deficiência, agrária, habitação e previdência social.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 08

VI

ESTÁGIO

CURRICULAR

SUPERVISIONADO

ESS23

CH: 120h

OBRIGATÓRIO III

Ementa:

 

Orientações e acompanhamento dos estágios. Reflexões sobre o papel da profissão na sociedade, as expressões das questões sociais, a realidade institucional, as políticas que norteiam a realidade dos usuários. Recomendações sobre a elaboração dos relatórios de estágio. Interatividade com supervisores institucionais.

Bibliografia Básica:

 

BURIOLA, Marta A. F. O estágio supervisionado. São Paulo: Cortez, 1995.

 

Supervisão em serviço social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

 

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Curso de Serviço Social. Regulamento de Estágio Supervisionado. Campus de Canoinhas, Curitibanos e Caçador: UnC, fev., 2006.

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova o Regulamento Geral de Estágios Curriculares Supervisionados Obrigatórios da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/secretaria/legisla/ordenamento/reso_CONSEPE_053_2005.pdf

Acesso em: 28 jul. 2006.

 

Bibliografia Complementar:

 

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução n.º 273, de 13 de março de 1993. Institui o Código de Ética do Assistente Social e dá outras providências. In: In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia e KOUMROUYAN, Elza. Um novo olhar para a questão dos instrumentais técnico-operativos em serviço social. Serviço social e sociedade. São Paulo, n. 45, p. 137-141, Agosto. 1994.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VI

PLANEJAMENTO

E

AVALIAÇÃO

DE

PAP41

CH: 60h

PROGRAMAS E PROJETOS SOCIAIS

Ementa:

Concepção de avaliação de programas e projetos pelo serviço social. Os atores envolvidos na avaliação. Tipos de avaliação. As interfaces com o planejamento social. Instrumentos utilizados na avaliação. Monitoramento e indicadores sociais. O procedimento metodológico da avaliação.

Bibliografia Básica:

 

COHEN, Ernesto; FRANCO, Rolando. Avaliação de projetos sociais. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2002.

MELLO RICO, Elizabety. Avaliação de Políticas Sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998.

JANNUZZI, Paulo Martino. Indicadores sociais do Brasil. Campinas: Alínea, 2001.

Bibliografia Complementar:

 

AGUILAR, Maria José, ANDER-EGG, Ezequiel. Avaliação de programas e projetos sociais. Rio de Janeiro: Vozes, 1994

BIERREMBACK, Maria Inês. Política e Planejamento Social no Brasil. São Paulo:

Cortes, 1982

 

FERREIRA, Francisco. Planejamento Sim e Não. Porto Alegre: Paz e Terra, 1983.

 

Planejamento Social: intencionalidade e instrumentação. São Paulo:

Veras, 2000.

 

RABELO, Edmar. Avaliação: novos tempos, novas práticas. Rio de Janeiro:

Vozes, 1999.

 

Fase:

Disciplina: ECONOMIA SOLIDÁRIA

Código:

Créd. 02

VI

ESD11

CH: 30h

Ementa:

Os diversos modos de produção: Primitivo; Asiático; Escravista; Feudal; Capitalista e Socialista. Histórico do Cooperativismo e do Associativismo. O conceito de Solidariedade. Economia racionalidade e eficácia; Alcances e limites do econômico; O problema conceitual da economia social; a economia social no marco das mutações contemporâneas. Reestruturação tecnológicas e os impasses da mundialização/globalização. A emergência das redes de sócia-economia solidária e populares e sua dinâmica paradoxal. Economia Solidária e possíveis contribuições ao desenvolvimento regional.

Bibliografia Básica:

 

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social, RJ, Vozes,1998.

FREIRE, Paulo. Globalização ética e solidariedade. In DOWBOR, Ladislau;

IANNI, Octávio e RESENDE, Edgar A. Desafios da globalização. Rio de Janeiro:

Vozes, 1997.

 

HOBSBAWM, Eric - Mundos do trabalho: novos estudos sobre história operária. RJ, Paz e Terra, 1987.

Bibliografia Complementar:

 

ANTEAG. Autogestão: Construindo uma nova cultura nas relações de trabalho. SP: Anteag,1999.

 

Autogestão e economia solidária – uma nova metodologia. SP, Anteag,

2004.

GAIGER, Luiz Inácio (Org.). Formas de combate e de resistência à pobreza. São Leopoldo: UNISINOS, 1996.

BRAVERMAN, Harry - Trabalho e capital monopolista. RJ, Zahar, 1981.

CORAGGIO, José Luis. Desenvolvimento humano e educação. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, 1996.

KRUPPA, Sonia Maria Portella e SINGER, Paul. “A SENAES e a Economia Solidária – democracia e participação ampliando as exigências de novas tecnologias sociais”, In Tecnologia Social. Uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro, 2004, p.86-101.

LISBOA, A. A economia popular como horizonte para as sociedades sem rumo. Tempo e Presença, n. 288, p. 14-17, 1996.

POCHMANN, M. (org). Desenvolvimento, trabalho e solidariedade. SP:Cortez,

2002.

RAZETO, L. Economia de solidariedade e organização popular. In: GADOTTI, M., GUTIERREZ, F. (Orgs.) Educação comunitária e economia popular. São Paulo:

Cortez, 1993.

SANTOS, Boaventura Sousa. Produzir para viver. Os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

MELLO, Sylvia Leser de. Economia popular e solidária: transformações das relações de trabalho na realidade brasileira. Florianópolis: Abrapso, 2001.

MELLO, Sylvia Leser de. (org.) Economia solidária e autogestão – Encontros Internacionais. São Paulo, PW / NESOL-USP/ ITCP-USP, 2005.

SINGER, Helena. República de Crianças: sobre experiências escolares de resistência. São Paulo: Hucitec/FAPESP, 1997.

SINGER, Paul. Introdução à economia solidária, 2002.

O Brasil na crise. Editora Perspectiva, São Paulo, 1999.

Globalização e desemprego. Editora Perspectiva, São Paulo, 1998.

TRAGTENBERG, Maurício. Sobre educação, política e sindicalismo, 2 ed. São Paulo : Cortez Editora/Autores

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão - RJ, Paz e Terra, 1979.

YUNUS, Muhammad. O banqueiro dos pobres. São Paulo: Editora Ática, 1997.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 08

VII

ESTÁGIO

CURRICULAR

SUPERVISIONADO

ESS24

CH: 120h

OBRIGATÓRIO IV

Ementa:

 

Avaliação dos produtos do estágio e relação ao projeto ético-político profissional do Serviço Social. Seminários de apresentação dos estágios para acadêmicos de fases anteriores. Recomendações sobre a elaboração dos relatórios de estágio. Interatividade com supervisores institucionais.

Bibliografia Básica:

 

BURIOLA, Marta A. F. O estágio supervisionado. São Paulo: Cortez, 1995.

 

Supervisão em serviço social. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

 

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Curso de Serviço Social. Regulamento de Estágio Supervisionado. Campus de Canoinhas, Curitibanos e Caçador: UnC, fev., 2006.

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova o Regulamento Geral de Estágios Curriculares Supervisionados Obrigatórios da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/secretaria/legisla/ordenamento/reso_CONSEPE_053_2005.pdf

Acesso em: 28 jul. 2006.

 

Bibliografia Complementar:

 

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução n.º 273, de 13 de março de 1993. Institui o Código de Ética do Assistente Social e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

MARTINELLI, Maria Lúcia e KOUMROUYAN, Elza. Um novo olhar para a questão dos instrumentais técnico-operativos em serviço social. Serviço social e sociedade. São Paulo, n. 45, p. 137-141, Agosto. 1994.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VII

NORMAS E PLANEJAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NPT21

CH: 60h

Ementa:

Reflexão temática para elaboração do TCC. Normas regimentais para sua elaboração. Construção dos projetos de TCC.

Bibliografia Básica:

 

LUNA, Sérgio. Planejamento de pesquisa: uma introdução: elementos para uma análise metodológica. São Paulo: EDUC, 2003

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO – CAMPUS CANOINHAS, Curso de Serviço Social. Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso. Canoinhas: Curso de Serviço Social, 2008.

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova o Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão de Curso da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/secretaria/legisla/ordenamento/reso_CONSEPE_053_2005.pdf

Acesso em: 28 jul. 2006.

 

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE). Resolução UnC – CONSEPE. Aprova a Normalização para apresentação de trabalhos acadêmicos da UnC. Disponível em:

http://www.cni.unc.br/pesquisa/materiais

 

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VII

SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA SOCIAL V

SPS05

CH: 60h

Ementa:

O

envelhecimento da população brasileira e suas implicações na concepção de

cidadania do idoso. A Política Nacional do Idoso. O Estatuto do Idoso. A discussão

do

direito à diversidade na garantia dos direitos da pessoa com deficiência. A Política

Nacional da Pessoa Portadora de Deficiência e a construção do Estatuto da Pessoa com Deficiência. A intervenção do assistente social na viabilização dos direitos do idoso e da pessoa com deficiência.

Bibliografia Básica:

 

BRASIL. Lei nº 3.842, de 04 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o conselho nacional do idoso e dá outras providências. In:

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

BRASIL. Lei nº 10.741 de 01 de outubro de 2003. Dispõe sobre o estatuto do idoso e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL

– 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS,

2003.

BRASIL. Lei nº 7.853 de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio as pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para integração da Pessoa Portadora de Deficiência (CORDE), institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. In: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL – 11ª REGIAO. Coletânea de Legislações: direitos de cidadania. Curitiba: CRESS, 2003.

Bibliografia Complementar:

 

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (oms). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: OPAS, 2005.

SERVIÇO SOCIAL & SOCIEDADE [Revista quadrimensal Cortez Editora]. São Paulo, n.75, 2003.

Anais do Seminário Internacional: mínimos de cidadania e benefícios a idosos e pessoas deficientes; Brasil, França e Portugal Seminário Internacional (1 : São Paulo : 23 - 24 de maio de 2002) São Paulo - SP: FAPESP, 2002.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VII

SERVIÇO SOCIAL EM ORGANIZAÇÕES

SSO41

CH: 60h

Ementa:

A natureza das organizações. As organizações na atualidade. Concepções de responsabilidade social. Estratégias e instrumentos de execução da responsabilidade social. Estratégias de atendimento das necessidades sociais do trabalhador e sua família. Clima organizacional. Atuação do assistente social nos processos de clima organizacional e responsabilidade social.

Bibliografia Básica:

 

CHANLAT, Jean F. O indivíduo nas organizações: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 1999.

FREIRE, Lúcia. Serviço social organizacional. São Paulo: Cortez, 1983.

INSTITUTO ETHOS, Responsabilidade social nas empresas. Primeiros Passos. São Paulo.Setembro. 1998

Bibliografia Complementar:

 

KARKOTI, Gilson. Responsabilidade social: uma contribuição à gestão transformadora das organizações. Petrópolis: Vozes. 2004

MENDONÇA, L. C. Participação na organização. uma introdução aos seus fundamentos. Conceitos e formas. São Paulo: Atlas, 1987.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos. São Paulo: Atlas, 1988.

 

RESENDE, Enio. RH em tempo real: conceitos e ferramentas modernas para a gestão de RH. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VII

DIREITO E LEGISLAÇÃO SOCIAL

DLE02

CH: 60h

Ementa:

As instituições de Direito no Brasil. Direito e garantias fundamentais da cidadania. Organização do Estado e dos poderes. A Constituição Federal e o direito social. Direito de família. A legislação social: CLT, LOAS, ECA. LOS, Estatuto do Idoso.

Bibliografia Básica:

 

BRASIL, Constituição Federal / 88, 37ed. São Paulo: Ed. Saraiva, 2005.

 
 

Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº 8.069 de 13.07.l990.

Código Civil Brasileiro, Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002.

COLETÂNEA DE LEIS – CRESS – PR. Maio. 2006

 

Bibliografia Complementar:

 

ALBERGARIA, Jason, Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente. 2 ed, Rio de Janeiro. Ed.Aide, l991.

CARRION, Valentin, Comentários à Consolidação das Leis do Trabalho, CLT, 30 ed. São Paulo: SARAIVA, 2005.

D’ANDREA,Giuliano. Noções de Direito da Criança e do Adolescente. Ed. OAB/SC

DELMANTO, Celso, Código penal brasileiro comentado. 6.ed Rio de Janeiro:

Ed.RENOVAR, ,2002.

 

Fase:

Disciplina:

 

Código:

 

Créd. 10

VIII

TRABALHO

DE

CONCLUSÃO

DE

CURSO

-

TSE41

CH: 150h

TCC

 

Ementa:

 

Delimitação do contexto da pesquisa. Formulação da situação crítica da pesquisa. Construção de hipóteses. Delineamento da pesquisa. Coleta de dados. Análise e interpretação de dados/resultados. Redação e Apresentação do trabalho científico.

Bibliografia Básica:

 

ABNT

Associação

brasileira

de

normas

técnicas.

Brasília:

<http://www.abnt.org.br>

 

LUNA, Sérgio. Planejamento de pesquisa: uma introdução: elementos para uma análise metodológica. São Paulo: EDUC, 2003

DALBELLO, Liliane: GRÜTZMANN, André. (ORG) Normalização para trabalhos acadêmicos da Universidade do Contestado UnC. Caçador: 2008.

Bibliografia Complementar:

 

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

VIII

MOVIMENTOS SOCIAIS E TERCEIRO SETOR

MST11

CH: 60h

Ementa:

A questão social e os movimentos no contexto social brasileiro. O terceiro setor e legitimação das causas dos movimentos sociais. Legislação do terceiro setor. Terceiro setor e políticas sociais públicas. Serviço social e o terceiro setor. Planejamento e organização do processo de gestão. Controle do processo de gestão.

Bibliografia Básica:

 

CAMARGO, Mariângela et al. Gestão do terceiro setor no Brasil. São Paulo:

Futura, 2001.

 

FERNANDES, Ruben César. O que é terceiro setor. In: EVELYN BERG, Iasche, 3º setor: desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Gife, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos movimentos sociais. São Paulo: Loyola, 2000.

Bibliografia Complementar:

 

GOMES, Josir Simeone; JOAN M. Amat. Controle de gestão. São Paulo: Atlas,

1999.

MEREGE, Luis Carlos; BARBOSA, Maria N. L. 3º setor: reflexão sobre o marco legal. Rio de janeiro: FGV, 1998.

RIBEIRO, Idalea. Movimentos sociais em tempos de globalização em Santa Catarina. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2005.

SZAZI, Eduardo. Terceiro Setor: regulação no Brasil. SP: Petrópolis. 2000.

TENORIO, Fernando. Gestão social: uma perspectiva conceitual. Rio de Janeiro:

Fundação Getúlio Vargas, 1998.

 

Gestão social: metodologia e casos. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1998.

 

(org) Gestão de ONG´s: Principais funções gerenciais. Rio de Janeiro:

Fundação Getúlio Vargas, 1997.

 

Fase:

 

Disciplina:

 

Código:

Créd. 02

VIII

 

HISTÓRIA DO CONTESTADO

HCO01

 

CH: 30h

Ementa:

 

Formação histórica da região. Características culturais: ocupação e construção do espaço. Etnias e características dos habitantes desta terra. O conflito do contestado e o significado no contexto nacional e internacional.

Bibliografia Básica:

 

AURAS, Marli. Guerra do contestado: a organização da irmandade cabocla. Florianópolis, Ed. UFSC/Cortez, 1984.

BERRADET, Jean Claude. Guerra camponesa no contestado. Coleção Passado e Presente. São Paulo: Global Editora, 1979.

THOMÉ, Nilson. Sangue, suor e lágrimas no chão contestado. Caçador, Ed. Incon,

1992

Bibliografia Complementar:

 

CABRAL, Osvaldo Rodrigues. História de Santa Catarina. São Paulo. Ed. Laudes, 2a ed., 1970.

CABRAL, Osvaldo Rodrigues. João Maria: interpretação da campanha do contestado. São Paulo, Ed. Nacional, 1960.

EHLKE,

Cyro.

A

conquista

do

planalto

catarinense.

Rio

de

Janeiro,

Ed.

Laudes/Udesc, 1973.

 

FELIPE, Euclides José. O monge ou profeta São João Maria. Florianópolis, Boletim da Comissão Catarinense de Folclores, 1950

LEMOS, Alfredo de Oliveira. A história dos fanáticos em Santa Catarina e parte da minha vida naqueles tempos. (com notas de LEMOS, Zélia de Andrade). Passo Fundo, Ed. Pe. Berthier, 1986.

TOKARSKI, Fernando. Cronografia do Contestado: apontamentos históricos da região do Contestado e do sul paranaense. Florianópolis: Governo do Estado – Ioesc, 2002.

Fase:

Disciplina:

Código:

Créd. 04

LIBRAS

LIB01

CH: 60h

Ementa:

Histórico e legislação; A linguagem de sinais; Alfabeto em Libras; Estrutura lingüística das Libras; Aquisição da linguagem pela criança surda; Introdução a gramática de Libras

Bibliografia Básica:

 

BOTELHO, Paula. Segredos e silêncios na educação de surdos. Belo Horizonte:

Autêntica, 1998.

 

CALDAS, Beatriz F. Narrativas em LSCB: um estudo sobre referência. Dissertação de Mestrado em Lingüística. Rio de Janeiro: UFRJ, 1992.

CORDE. Declaração de Salamanca e linhas de ação. Brasília: Independência,

1994.

Bibliografia Complementar:

 

FARIAS, Carla Valéria e Souza. Atos de Fala: O pedido em língua brasileira de sinais. Dissertação de Mestrado em Lingüística. Rio de Janeiro. UFRJ, 1995.

FELIPE, T. A. Introdução À Gramática de LIBRAS - Rio de Janeiro: 1997.

FERREIRA BRITO & LANGEVIN, R. Negacão em uma Língua de Sinais Brasileira. Revista Delta, Vol. 10, nº 2:309-327, PUC/SP, São Paulo, 1994 .

KARNOPP, Lodenir Becker. Aquisição do parâmetro. Configuração de mão na língua brasileira dos sinais (LIBRAS): estudo sobre quatro crianças surdas, filhas de pais surdos. Dissertação de Mestrado em Letras. PUCRS. Porto Alegre,

1994.

MAZZOTA, Marcos J.S. Educação especial no Brasil; história e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1996.

QUADROS, R.M. Educação de surdos - aquisição da linguagem. Porto Alegre:

Artes Médicas 1996.

 

QUADROS, R. M. As categorias vazias pronominais: uma análise alternativa com base na LIBRAS e reflexos no processo de aquisição. Dissertação de Mestrado. PUCRS. Porto Alegre. (1995) ( Aquisição da Linguagem em crianças surdas) - 1996.

SANTA CATARINA. Proposta Curricular de Santa Catarina. Formação docente para a Educação Infantil e Séries Iniciais. Florianópolis – SC: COGEN,1998.

SANTA CATARINA. Proposta Curricular de Santa Catarina. Temas Multidisciplinares. Florianópolis - SC: COGEN, 1998.