Você está na página 1de 7

LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO ALTIMÉTRICO:

NIVELAMENTO COM MANGUEIRA, GEOMÉTRICO SIMPLES E


COM LASER ROTATIVO

(27/09 e 10/11/2017)

Grupo 4 – Prática 2

Disciplina: Topografia

Curso: Engenharia Civil

Docente: Dr. Artur Pantoja Marques

Discentes: RA:

Giuliana Yukie Nakahara 162054378

Jacó Wesley Lima da Cruz 162054912

Larissa Mayumi Narihisa Fusuma 162054751

Pedro Fernando Cunha Eugenio 162054831

Rafael Murbak 162053509

Ilha Solteira – SP

27 de novembro de 2017
Sumário

I–
Introdução................................................................................................................2

II –
Objetivo..................................................................................................................2

III –
Materiais................................................................................................................2

IV –
Procedimentos......................................................................................................4

IV –
Resultados............................................................................................................5

V–
Discussão.............................................................................................................9

VI –
Conclusão..........................................................................................................10

VII – Referências
Bibliográficas......................................................................................................10

VIII –
Anexos...............................................................................................................11

1
I – Introdução

Na topometria topográfica a altimetria trata da representação de um território,


ou seja, cuida da reprodução de uma área como se esta fosse cortada por um plano
vertical, onde seriam marcados pontos do terreno a partir de um plano horizontal de
referência (datum).

Conhecendo-se um valor de referência inicial, podemos calcular as outras


cotas ou altitudes. Tais métodos são denominados nivelamento, que nos permite
determinar os desníveis. O nivelamento topográfico pode ser feito de três maneiras
distintas: nível de mangueira, método geométrico simples e nivelamento com o uso
do laser rotativo.

II – Objetivo

Realizar o levantamento altimétrico de pontos em um terreno e determinar o


desnível de uma área com três métodos distintos e compará-los. Além disso,
apresentar uma planta com representação.

III – Materiais

Os materiais utilizados foram:

 Cardeneta de campo;
 Trena de aço – 3m;
 Tripé;
 Mangueira de nível;
 Mira;
 Baliza;
 Nível de cantoneira;
 Nível NK05 (wild) precisão 5mm/km;
 Rugby 55 (LEICA) precisão 5mm/100m;
 Sensor de nível.

2
IV – Procedimentos

IV.I. Nivelamento Hidrostático


i) Primeiramente, preencheu-se a mangueira com água até que não houvesse
nenhuma bolha ao longo desta;
ii) Posicionou-se a mira no ponto de referência de nível (RN) e a baliza em um ponto
entre o RN e o ponto 4, pois a mangueira não possui comprimento o suficiente para
se obter uma medida direta;
iii) A mangueira foi colocada na mira na posição de 1.0m, e a altura do menisco da
sua outra extremidade foi marcada com o canetão na baliza;
iv) Em seguida, colocou-se a mira no ponto 4 e fez-se o mesmo procedimento, porém
fixando o nível da água da mangueira na marcação feita anteriormente. Após isso,
anotou-se a altura da água na mira, sendo esta a cota do ponto;
v) Repetiu-se o mesmo procedimento para todos os pontos restantes.

IV.II. Geométrico Simples


i) Contou-se os passos entre o RN e o ponto a ser trabalhado (ponto 4), para assim
demarcar o ponto médio, onde se estacionará o Nível K05;
ii) Tomou-se as leituras dos fios superior, inferior e médio da ré (RN) e da vante (ponto
4), e com a finalidade de verificar se a posição da estação é válida, calculou-se a
diferença entre as distâncias horizontais, a qual deverá ser menor que 2m;
iii) Com o intuito de minimizar o erro, deslocou-se o Nível para um outro ponto médio
e repetiu-se as leituras;
iv) O mesmo foi feito para todos os pontos restantes, no qual a medição foi feita
sempre em relação ao RN.

IV.III. Laser Rotativo


i) O docente ligou o Rugby 55, no qual emite um laser rotativo que varre todo o
terreno;
ii) Marcou-se a localização do laser na mira com o auxílio do sensor de laser em
todos os pontos.

V – Resultados

V.I. Nivelamento Hidrostático

Para esse procedimento, adotou-se como cota do ponto do nível de referência


inicial de 10m e altura de 1m, tendo uma cota de bandeira de 11,00m, sendo este
um valor fixo.

Assim os dados estão dispostos na Tabela 1.

Tabela 1 – Apresentação dos dados do Nivelamento Hidrostático

Cota da bandeira Cota do ponto Desnível


Ponto Altura (m)
(m) (m) (m)
RN 1,000 11,000 10 0
4 1,185 11,000 9,815 0,185
1 1,168 11,000 9,832 0,168
3
2 0,865 11,000 10,135 -0,135
3 0,953 11,000 10,047 -0,047
5 0,735 11,000 10,265 -0,265
Fonte: Elaborado pelos próprios autores.

V.II. Nivelamento Geométrico Simples

Para esse procedimento, considerou-se o valor da constante k como 100 e a


cota definitiva do ponto da primeira visada como 10m.

Assim, os dados estão dispostos na Tabela 2.

Tabela 2 – Apresentação dos dados para o Nivelamento Geométrico Simples

Estadimetria Leitura Mira - FM Cotas


Distância
Ponto FS Vante Altura do
Horizontal
visado Ré Instrumento Provisória Aj. Definitiva
(Fs-FI)*k
FI INT MUD
1,205
RN 4,5 1,182 11,182 10
1,160
1,259
4 5,2 1,232 9,950 - 0,0255 9,9245
1,207
1,301
4 5,2 1,275 11,275
1,249
1,247
RN 4,7 1,224 10,051 - 0,051 10
1,200
1,392
RN 11,9 1,332 11,332
1,273
1,422
1 9,8 1,372 9,960 - 0,0215 9,9385
1,324
1,423
1 10,5 1,370 11,370
1,318
1,318
RN 11,2 1,327 10,043 - 0,043 10
1,271
1,418
RN 13,3 1,351 11,351
1,285
1,174
2 13,6 1,105 10,246 + 0,122 10,368
1,038
1,235
2 13,5 1,168 11,168
1,100
1,478
RN 12,9 1,412 9,756 + 0,244 10
1,349
1,202
RN 9,2 1,159 11,159
1,110
1,051
3 9,1 1,005 10,154 + 0,08 10,234
0,960
1,068
3 9,0 1,012 11,012
0,978
RN 1,219 9,0 1,172 9,840 + 0,16 10

4
1,129
1,487
RN 8,1 1,397 11,397
1,356
1,083
5 8,1 1,042 10,355 + 0,176 10,531
1,002
1,081
5 8,4 1,038 11,038
0,997
1,430
RN 7,9 1,390 9,648 + 0,352 10
1,351
Fonte: Elaborado pelos próprios autores.

V.III. Nivelamento do Laser Rotativo

Para esse procedimento, considerou-se o valor da cota de bandeira fixa de


11,00m.

Assim, os dados estão dispostos na Tabela 3.

Tabela 3 – Apresentação dos dados para o Nivelamento do Laser Rotativo

Altura Cota do ponto


Ponto Cota da bandeira (m)
(m) (m)
RN 1,092 11,000 9,908
4 1,145 11,000 9,855
1 0,744 11,000 10,256
2 1,137 11,000 9,863
3 0,945 11,000 10,055
5 0,850 11,000 10,150
Fonte: Elaborado pelos próprios autores.

VI – Discussão

VII – Conclusão

Com a prática realizada, podemos aprender alguns tipos de nivelamentos:


hidrostático, geométrico simples e laser rotativo. Ao longo do experimento foi
possível observar que o nivelamento com mangueira é melhor aplicado à lugares
pequenos onde não é necessário utilizar vários pontos auxiliares até o ponto
escolhido, sendo esse o de menor precisão dos resultados, já que não houve uma
compensação dos erros. Para pontos distantes, é mais viável utilizar o nível
geométrico, pois sua medição é menos trabalhosa quando comparada ao nível com
mangueira e mais preciso, uma vez que houve uma compensação dos erros das

5
cotas provisórias, obtendo-se assim as cotas definitivas. Portanto o objetivo da
prática foi alcançado, dado que os membros do grupo aprenderam a realizar os tipos
de nivelamentos e diferenciá-los , tal como manusear os equipamentos necessários
para a realização deles.

VIII – Referências Bibliográficas

http://www.topografiacom.eng.br/nivelamento-topografico. Acesso em: 23 de


novembro de 2017.

IX – Anexos