Você está na página 1de 4

A Purificação Andar na Luz (1 João 1:7)

"Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e
o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" 1 João 1:7.

Introdução

Partimos para a última parte do nosso estudo sobre a purificação dos pecados. Hoje falaremos sobre
andar na Luz, o último passo para a nossa purificação. No texto anterior nós verificamos que, apesar
da carne ser fraca, o Espírito já está pronto. Assim a continuação deste estudo se debruçará na
seguinte pergunta: além de vigiar e orar o que, na prática, pode nos ajudar a Andar na Luz para
aperfeiçoar ainda mais a nossa purificação? E mais: o que é, de fato, andar na Luz? Se você ainda
não leu as demais partes deste estudo veja no final desta página a lista com todas as partes.

Luz e Trevas

"Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e
não há nele treva nenhuma" 1 João 1:5.

Antes de continuar no estudo propriamente dito é necessário que se entenda a diferença entre Luz e
Trevas. A palavra de Deus retrata desde o inicio esta parábola acerca da Luz de Deus em
contraponto às trevas. Conforme vemos nas leis da física a luz é aquilo que é proveniente das
estrelas no universo como o nosso sol, por exemplo. As trevas, por outro lado, não são uma força
como é o caso da luz. As trevas são apenas a ausência da luz. Quando falamos sobre Luz e Trevas
na palavra de Deus este princípio tende a se repetir. Deus é luz e como luz nele não pode existir
trevas, assim como é impossível que exista trevas no nosso Sol. Não é possível que a origem da Luz
possua trevas, pois as trevas não fazem parte da sua natureza, que é luminosa. É por isso que João
nos ensina que Deus é Luz e que nele não há trevas. Se usarmos o exemplo do universo, mais uma
vez, podemos dizer que Deus é o Sol. Conhecemos o Sol e sabemos que dele provém a nossa luz.
As trevas, por outro lado, não tem uma fonte específica nem uma força motriz. Elas são unicamente a
ausência da luz do Sol.

Ao contrário do que se pensa as trevas não se tratam de uma força maligna contrária a Deus, porque
ninguém pode contender contra Deus. As trevas são apenas a união daquilo que não se submete a
vontade de Deus. É por isso que onde há Luz não pode haver trevas. E é por isso que os espíritos
malignos não podem resistir ao Espírito Santo. Houve uma situação em que Jesus foi à terra dos
Gadarenos e havia ali um homem endemoninhado que vivia nos sepulcros. Este homem veio a Jesus
e disse: "Que temos nós contigo, ó Filho de Deus! Vieste aqui atormentar-nos antes do
tempo?" Mateus 8:29. E disse ainda: "Então, os demônios lhe rogavam: Se nos expeles, manda-
nos para a manada de porcos" Mateus 8:31. Veja que não houve discussão. Jesus, que era a plena
Luz de Deus na terra, resplandeceu sobre aqueles espíritos que nada puderam fazer senão sair
daquele homem. Assim entendemos que as trevas não possuem força ou poder provenientes deles
mesmos. Tudo está sob o poder absoluto e soberano de um Deus que é a plena luz do nosso
universo.

A comunhão

"Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e
o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" 1 João 1:7.

Quando estamos em trevas nossa primeira atitude é nos afastar da comunhão do irmãos. Por não
existir possibilidade do pecado ser atraído pela Luz é certo que a comunhão será abalada. Assim
vemos aqui um belo termômetro. Se não estamos sedentos por comunhão pode ser que estamos em
trevas ou que temos dado lugar às nossas concupiscências e pecados. O maior exemplo quando
falamos destas coisas é o exemplo de Adão e Eva no Jardim do Éden. Quando eles perceberam que
estavam nus e ouviram o Senhor, que caminhava no Jardim, logo se esconderam. A Luz brilha e
resplandece sobre os nossos pecados e a primeira atitude que tomamos é nos esconder.

Entretanto, a comunhão também pode nos indicar que estamos na Luz. Se o nosso coração é
desejoso em receber o que Deus tem dado na vida do meu irmão e também está desejoso de
compartilhar o que Deus tem colocado em meu coração, com toda humildade e mansidão, é certo que
temos andado na Luz. Todo aquele que anda na Luz se aproxima de Deus e dos seus filhos e não é
possível que ande sozinho ou afastado da comunhão dos santos. Por mais que possam existir
dificuldades o seu desejo será estar entre aqueles que invocam o nome do nosso Senhor Jesus.

A confissão dos pecados

"Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade
não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os
pecados e nos purificar de toda injustiça" 1 João 1:8-9.

Uma das grandes realidades do homem é o pecado. Entender do que ele se trata é vital para o
cristão. Uma das grandes verdades descritas neste trecho de 1 João é que ainda que andemos na luz
ainda teremos algum pecado em nossa vida. Andar na Luz não significa estar completamente livre do
pecado, mas estar livre do seu jugo, do seu domínio. É por isso que João nos diz que "se dissermos
que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós".
É importante entender essa realidade e assumir que temos pecado. Este é o primeiro passo para nos
livrar dele.

Em seguida João nos ensina o antídoto do pecado: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é
fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça". A confissão dos
pecados é forma mais perfeita de nos livrar dos pecados. Não existe possibilidade do crente viver a
vida na luz sem confissão constante dos pecados, porque todos nós pecamos constantemente. É
muito bom entender estas cosias, pois percebemos que a nossa perfeição não está ligada a nunca
mais errar, mas em saber que nós podemos nos achegar ao trono da graça. Alguém permanece na
Luz não porque não erra mais, mas porque constantemente está se achegando ao trono da graça
para se purificar. Este é o grande principio e a grande chave para permanecermos na Luz. Não se
trata de se purificar para se achegar a Deus, mas se achegar a Deus para se purificar. É a santidade
de Deus que enche a nossa vida de santidade. É a Luz de Deus que nos livra das trevas, pois as
trevas não podem vencê-la.

O Advogado

"Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar,
temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo" 1 João 2:1.

Talvez possa soar um tanto quanto libertino o fato de apenas confessar os nossos pecados, porém é
bom lembrar que assim agiremos se estamos na Luz. Se estamos em trevas devemos, antes de mais
nada, de nos achegar à Luz de Deus. João também nos escreve estas coisas não para continuarmos
nos pecado indiscriminadamente confessando quando cometemos pecado. O evangelho é
exatamente a luta contra a natureza pecaminosa e o pecado. E se pensamos que basta-nos
confessar e poderemos continuar fazendo aquilo que bem entendemos, então nós não somos filhos
do Deus vivo. Certamente a nossa mente não está no alto.

João também nos ensina que se andamos na Luz, caminhando em santidade, e alguém vier a pecar,
podemos ter a certeza de que temos um advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. Ele é a nossa
justificação, ainda que viermos a pecar. É claro, o ideal é não pecar. Mas como vimos anteriormente,
quem é aquele que pode dizer que não tem pecado? Mesmo os pastores mais ungidos e os profetas
mais usados por Deus pecam todos os dias, assim como cada um de nós. A forma de sair de uma vez
da religião é entender que eu sou, definitivamente, mal em todo o meu proceder. Porém, dou glórias a
Jesus, o meu Senhor. Ele é o meu advogado junto ao Pai. É perto Dele que devemos correr e nos
esconder. É ele que irá nos purificar, pois ele é a própria Luz de Deus que revela a pureza e
santidade de Jeová, o Deus eterno e imutável. Não mais eu, mas Cristo em mim.

Por isso devemos nos achegar constantemente ao nosso advogado. Devemos habitar nos seus átrios
cada vez mais próximos do seu trono para o calor do Sol queime toda a impureza da nossa vida. Que
a força e santidade dessa luz penetre o mais profundo da nossa alma e que sejamos puros, assim
como Ele é puro.

Andar na Luz

"Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque
o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é
agradável ao Senhor. E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém,
reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas,
quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é
luz" Efésios 5:8-13.

Quando nos arrependemos e mudamos a nossa vida sendo limpos pela palavra de Deus voltamos a
nossa vida para a Luz. Porém ainda é necessário andar na luz ou como filhos da luz como diz o texto.
Andar na luz, como explica este texto de Efésios, é frutificar conforme a luz em toda bondade, justiça
e verdade. Se estamos na luz, logo fugiremos do pecado e ele tenderá a ser menos frequente em
nossas vidas. A nossa natureza começa a se fazer conforme a natureza divina e eu sou renovado no
espírito da minha mente. Este processo de transformação vai se aperfeiçoando na medida em que eu
ando na luz.

Andar na luz é um dos grandes desafios que vemos no Evangelho. A realidade é que é muito difícil se
afastar das trevas para permanecer na luz do Senhor. Mas se andamos na luz iremos nos purificar
com grande naturalidade, porque a nossa natureza será transformada. Andar na luz é a grande
diferença que existe entre o nosso tempo e o tempo dos profetas. Hoje nós temos o Espírito Santo
que nos ajuda a permanecer constantemente no Espírito e a andar na luz. Este mesmo espírito
testifica ao nosso espírito quando pecamos e precisamos nos achegar a Deus em humilhação
confessando os nossos pecados para que eu seja curado.

É por isso que devemos vigiar e orar para não cair em tentação. Se vigiarmos e orarmos
constantemente, será impossível cair em tentação, pois estaremos sempre no espírito vivendo
debaixo da luz de Deus. Se tampouco buscamos andar na luz nós iremos nos achegar a Deus,
confessar os nossos pecados e seremos libertos de toda impureza. Quanto mais permitirmos que o
Espírito viva na nossa vida, mais as trevas deixaram de fazer parte em nossa mente e coração, pois
as trevas não podem resistir a luz do Espírito.

Por fim, andar em Espírito fará com que a nossa purificação seja completa e perfeita: "[...] andai no
Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne" Gálatas 5:16.