Você está na página 1de 7

COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

Potencial de Expansão de Alguns Solos Compactados


Paulo Cesar Burgos
Universidade do Estado da Bahia-UNEB, Universidade Federal da Bahia-UFBA, Salvador, Brasil,
pburgos@uneb.br, pburgos@ufba.br

RESUMO: Consiste o trabalho em um estudo de laboratório para avaliar o potencial de expansão de


alguns solos compactados, empregando alguns métodos indiretos e um método direto, para essa
finalidade. Os métodos indiretos fazem uso de parâmetros rotineiramente determinados em ensaios
convencionais de laboratório. Enquanto, o método direto se baseia na medida da tensão que é
necessária para impedir a sua variação volumétrica. Os resultados obtidos pela aplicação dos
métodos indiretos para uma estimativa preliminar do potencial de expansão mostraram o caráter
expansivo desses solos, corroborando com os resultados encontrados pelo emprego do método
direto.

PALAVRAS-CHAVE: Solo Tropical, Potencial de Expansão, Argilas, Laboratório.

1 INTRODUÇÃO provocados por solos expansivos em diversos


tipos de obras civis, atingiu no ano de 1987 a
Os estudos correspondentes ao comportamento cifra de aproximadamente 9 bilhões de dólares.
dos solos expansivos têm revelado que o Este trabalho apresenta resultados de um
comportamento desses materiais é muito estudo laboratorial, compreendendo ensaios de
complexo, sendo essa complexidade oriunda de caracterização, compactação e tensão de
diversos fatores, envolvendo a influência da expansão, complementado pela aplicação de
estrutura, mineralogia, envolvimento de alguns métodos indiretos para estimar
processos físico-químicos que são de difícil preliminarmente o comportamento expansivo
quantificação, dentre outros. de solos compactados.
Na atualidade, existem diversos métodos que
tem por finalidade identificar argilas
potencialmente expansivas, sendo esses 2 CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS
classificados em métodos indiretos e métodos
diretos. Os métodos indiretos empregam índices Para a realização dos ensaios foram escolhidos
físicos, limites de consistência, parâmetros três solos de textura fina, sendo esses
associados a granulometria e composição da provenientes do município de Camaçari – BA.
fração argila. Enquanto, os métodos diretos A cidade de Camaçari está localizada a uma
fazem uso da medida da expansão induzida ao latitude 12º41’51” sul e a uma longitude
solo, ou na tensão necessária para impedir sua 38º19’27” oeste, estando a uma altitude média
variação volumétrica em ensaios do tipo de 36 metros em relação ao nível do mar. Com
edométrico (Silva 2005). área territorial de 762,745 km², dista cerca de
Quando ocorre a expansão de um solo de 41 km da capital Salvador, sendo parte da RMS
fundação, normalmente surgem danos (Região Metropolitana de Salvador) limitando-
estruturais nas obras civis assentadas sobre esse se ao norte com Mata de São João, ao sul com
material, sendo as estruturas mais leves, aquelas Lauro de Freitas, ao sudoeste com Simões
em que os danos se manifestam com maior Filho, a oeste com Dias d’Ávila e a leste com o
magnitude, consequentemente, os custos Oceano Atlântico. Situa-se na Bacia Sedimentar
correspondentes aos serviços de recuperação do Recôncavo Baiano Norte. O município
são bastante expressivos. De acordo com Jones abriga o Polo Petroquímico de Camaçari, um
e Jones (1987) e Day (1999) nos Estados Pólo Automobilístico, recém construído, se
Unidos, o custo anual associado a danos constituindo em um importantíssimo centro

1
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

industrial. classificado como inativo, enquanto, os solos


AM-B (At=0,92) e AM-C (At=0,83) como de
atividade normal. Nota-se que os valores
2.1 Caracterização Convencional encontrados de peso específico dos sólidos são
semelhantes para esses solos. A Tabela 3 ilustra
A fim de se obter a caracterização dos solos em os valores do índice de atividade de Skempton
estudo, foram realizados ensaios de (1953) e de peso específico dos sólidos:
granulometria conjunta, peso específico dos
sólidos, limite de liquidez e limite de Tabela 3. Índice de Atividade e Peso Específico dos
plasticidade. Esses ensaios seguiram as Sólidos.
Solo At γs
orientações das normas técnicas da ABNT,
(kN/m3)
NBR-7181, NBR-6508, NBR-6459 e NBR- AM A 0,63 26,2
7180, respectivamente. AM B 0,92 26,4
Encontra-se na Tabela 1 um resumo da AM C 0,83 26,3
granulometria dos solos estudados, enquanto, a
Tabela 2 apresenta os valores de limite de
liquidez, limite de plasticidade, índice de A Figura 1 ilustra as curvas granulométricas
plasticidade e a classificação geotécnica dos solos estudados e a Figura 2 mostra o
correspondente ao Unified Soil Classification posicionamento desses na Carta de Plasticidade:
System (U.S.C.S.):

Tabela 1. Granulometria.
Solo Pedregulho Areia Silte Argila
(%) (%) (%) (%)
AM A 7 10 42 41
AM B 1 9 51 39
AM C 2 9 24 65

Tabela 2. Limites de Liquidez e Plasticidade, Índice de


Plasticidade e Classificação Geotécnica.
Solo WL WP IP USCS
(%) (%) (%)
AM A 59 33 26 MH
AM B 69 33 36 CH
AM C 92 38 54 CH
Figura 1. Curvas Granulométricas.

Pelo Sistema U.S.C.S. o solo identificado


como AM-A foi classificado como silte de alta
compressibilidade (MH), enquanto, os solos
AM-B e AM-C como argila de alta
compressibilidade (CH), sendo esses materiais
solos de granulometria fina.
Os resultados obtidos dos ensaios de Limites
de Atterberg indicaram valores de limite de
liquidez superior a 50% e índice de plasticidade
variando entre 26% a 54%, revelando que esses
solos possuem alta plasticidade.
Em termos de atividade mineralógica,
Figura 2. Carta de Plasticidade.
representada pelo índice de atividade (At) de 2.2 Compactação
Skempton (1953) o solo AM-A (At=0,63) foi

2
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

A determinação da curva de compactação, na Merwe (1964), Daksanamurthy e Raman


energia do Proctor Normal, seguiu o (1973), Chen (1983) e Chen (1988) critérios
procedimento da norma da ABNT, NBR – esses que são baseados em parâmetros obtidos
7182. dos ensaios convencionais de caracterização de
A Tabela 4 apresenta os parâmetros de solos, comumente realizados nos laboratórios,
compactação e os correspondentes índices de logo, de fácil aplicação.
vazios e grau de saturação: As Tabelas 5 e 6, respectivamente,
apresentam a classificação do potencial de
Tabela 4. Parâmetros de Compactação. expansão de solos em função do índice de
Solo γd max wot e Sr plasticidade (IP) e do limite de liquidez (WL) de
(kN/m3) (%) (%)
acordo com os critérios de Seed et al. (1962),
AM A 15,8 20,0 0,658 81,08
AM B 15,2 24,3 0,737 88,68
Daksanamurthy e Raman (1973) e Chen (1983):
AM C 14,7 25,2 0,789 85,72
Tabela 5. Classificação do Grau do Potencial de
Expansão em função do Índice de Plasticidade.
Potencial de Expansão Seed et al (1962)
Os ensaios de compactação do tipo Proctor Baixo IP<10
Normal revelaram peso específico seco máximo Médio 10≤IP≤20
variando entre 14,7 kN/m3 a 15,8 kN/m3 e teor Alto 20<IP≤35
de umidade ótimo entre 25,2 % a 20,0 %, Muito Alto IP>35
conforme ilustra a Tabela 3, parâmetros esses
coerentes com as percentagens de solo passante
na #200, para cada uma dessas amostras, ao Tabela 6. Classificação do Grau do Potencial de
Expansão em função do Limite de Liquidez.
tempo que o maior teor de umidade ótimo e Potencial de Chen Daksanamurthy e Raman
menor peso específico seco máximo são Expansão (1983) (1973)
correspondentes ao solo AM-C, que possui Baixo WL<30 20≤WL≤35
maior percentagem de argila, tendo esse solo Médio 30≤WL≤40 35<WL≤50
em sua composição granulométrica 24 % da Alto 40<WL≤60 50<WL≤70
Muito Alto WL>60 WL>70
fração silte e 65 % da fração argila.

3 POTENCIAL DE EXPANSÃO A seguir são apresentados os critérios de


Seed et al. (1962) e de Chen (1988) para o
A literatura correlata apresenta diversos cálculo da previsão do potencial de expansão
métodos para a identificação e classificação de (S) em solos compactados.
solos potencialmente expansivos, com o A proposta de Seed et al. (1962) apresentada
objetivo de avaliar preliminarmente o potencial a seguir para estimar o potencial de expansão
de expansão, a partir de parâmetros geotécnicos (S), expresso em percentagem, tem como base o
que são rotineiramente determinados nos índice de plasticidade (IP) e outras duas
laboratórios de Mecânica dos Solos. constantes. Emprega corpo de prova
Santos e Marinho (1990) reportam que em compactado na energia do Proctor Normal,
algumas situações, torna-se quase que moldado no teor de umidade ótimo, com
imperativa a utilização de materiais expansivos sobrecarga de 6,9 kPa, sendo o corpo de prova
para a viabilização econômica da obra, cabendo confinado lateralmente. A equação 1 segundo
ao projeto a função de estabelecer o seu os autores citados acima, é aplicável para solos
emprego criterioso de forma a não comprometer que contenham um teor de argila no intervalo
o bom funcionamento da obra. entre 8% e 65%:
Com o objetivo de se avaliar
preliminarmente o potencial de expansão dos S = 60K(IP)2,44 (1)
solos em estudo, foi empregado os critérios
propostos por Seed et al. (1962), Van der Onde:
K = 3,6x10-5 e IP = Índice de Plasticidade (%).

3
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

Os valores do potencial de expansão (S)


A proposta de Chen (1988) para a estimativa estimados pela aplicação das propostas de Seed
do potencial de expansão (S), expresso em et al. (1962) e Chen (1988) se revelaram
percentagem, calculado pela equação 2, faz uso coerentes, ao tempo que os valores de S obtidos
do índice de plasticidade (IP) e de três pelo critério de Chen (1988) foram inferiores
constantes, sendo o corpo de prova compactado aqueles encontrados pelo critério de Seed et al
na energia do Proctor Normal, no teor de (1962) mostrando, assim, a influência do valor
umidade ótimo, com sobrecarga de 48 kPa e de sobrecarga.
com corpo de prova confinado lateralmente: Pelo critério de Van der Merwe (1964) o
solo identificado como AM-A se posicionou na
S = BeA(IP) área de material de alto potencial de expansão,
(2) enquanto, os solos AM-B e AM-C se
posicionaram em área de material de muito alto
Onde: potencial de expansão (Figura 3). Pelo critério
B = 0,2558, e = 2,718 e A = 0,0838. de Seed et al. (1962) que mostrado na Figura 4,
pode-se verificar que o solo AM-A e AM-B se
Pode-se observar que os métodos indiretos posicionaram em área de potencial de expansão
descritos e propostos por Seed et al. (1962) e alto, já o solo AM-C, em área de potencial de
Chen (1988), fazem uso de corpos de prova expansão muito alto.
compactados, fato relevante para a finalidade
dessa pesquisa. A Tabela 7 mostra a
classificação do grau do potencial de expansão
(S) conforme Carter e Bentley (1991) e Seed et
al. (1962):

Tabela 7. Grau do Potencial de Expansão (S).


Potencial de Expansão (S) Grau
(%)
0 a 1,5 Baixo
1,5 a 5,0 Médio
5,0 a 25,0 Alto
>25,0 Muito Alto

Figura 3. Carta de Van der Merwe.


Os resultados obtidos pelas propostas de
Seed et al. (1962) e Chen (1988), calculados
pelas equações 1 e 2, respectivamente, para
uma estimativa preliminar do potencial de
expansão (S) desses solos no estado
compactado são apresentados na Tabela 8:

Tabela 8. Estimativa Preliminar do Potencial de


Expansão (S).
Solo Seed et al Chen
(1962) (1988)
AM A S=6,1%(Alto) S=2,2%(Médio)
AM B S=13,5%(Alto) S=5,2%(Alto)
AM C S=36,4%(Muito Alto) S=23,6%(Alto)
Figura 4. Carta de Seed et al.

A carta de Holtz e Kovacs (1981) baseada no


limite de liquidez e no peso específico seco de

4
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

campo (Figura 5) confirma o comportamento profundidade de 2 metros, em relação ao nível


expansivo desses solos: do terreno. Os resultados dos ensaios de tensão
de expansão para as amostras do tipo
indeformada são ilustrados na Tabela 10:

Tabela 10. Resultados dos Ensaios de Tensão de


Expansão (Amostra Indeformada).
Solo γd w e T. Exp.
(kN/m3) (%) (kPa)
AM A 15,7 23,23 0,669 52,4
AM B 15,1 28,22 0,753 73,9
AM C 14,4 30,28 0,831 38,9

A partir desses resultados, nota-se que os


solos em análise se manifestaram com valores
de tensão de expansão bem superiores no estado
Figura 5. Carta de Holtz e Kovacs.
compactado em comparação ao estado de
estrutura original de campo, o que remete a
A partir da aplicação do método direto,
cuidados que devem ser tomados para a
realizaram-se ensaios de tensão de expansão em
utilização de solos potencialmente expansivos
corpos de prova compactados na energia do
como materiais de empréstimos. A literatura
Proctor Normal. Fez-se uso de célula
correlata apresenta muitos métodos que visam a
edométrica, onde o corpo de prova foi impedido
estabilização de solos potencialmente
de expandir, ou seja, a volume constante, após
expansivos, dentre esses, citamos a
esse ser submergido, sendo medida a força
estabilização química, a mistura com solos
necessária para evitar a variação de altura do
inertes e compactação no ramo úmido com
mesmo, em prensa automatizada. A Tabela 9
redução de peso específico. A diferença entre os
apresenta os resultados desses ensaios para os
valores encontrados de tensão de expansão para
três solos:
as amostras ensaiadas no estado compactado e
Tabela 9. Resultados dos Ensaios de Tensão de Expansão
no estado natural (amostra indeformada) é
(Amostra Compactada). função da ocorrência da estrutura cimentada
Solo γd ∆w G.C. T. Exp. natural, fato esse que é governado pela gênese
(kN/m3) (%) (%) (kPa) dos solos.
AM A 15,7 -0,6 99,4 217,5
AM B 15,2 +0,1 100,0 150,0
AM C 14,7 0,0 100,0 174,3
4 ANÁLISE DOS RESULTADOS

Aplicando o Unified Soil Classification


Nota-se o caráter expansivo desses solos no System (U.S.C.S.) a esses solos, nota-se a
estado compactado, o que evidencia a predominância de materiais finos, sendo o solo
necessidade de se conduzir investigações AM-A um silte inorgânico micáceo e elástico
geotécnicas, que devem ser norteadas a partir de de alta compressibilidade (MH), enquanto, os
uma estimativa preliminar do potencial de outros dois solos, AM-B e AM-C,
expansão de solos, com base nos resultados dos respectivamente, foram classificados como
ensaios de caracterização. argila de alta compressibilidade (CH), sendo
Adicionalmente, com o intuito de se verificar que todos esses materiais se revelaram com de
a influência da estrutura dos solos nos estados alta plasticidade. Na Carta de Plasticidade esses
compactado e natural, foi realizada uma solos se posicionaram quase que sobre a Linha
campanha de ensaios de tensão de expansão A, que separa os materiais predominantemente
com o uso de amostras do tipo indeformada, siltosos dos materiais predominantemente
obtidas a partir da escavação de três poços, com

5
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

argilosos. Considerando a atividade proposta de Seed et al. (1962) que considera


mineralógica a partir da proposta de Skempton sobrecarga de 6,9 kPa, os solos AM-A e AM-B
(1953) o solo AM-A foi classificado como foram classificados como de alto potencial de
inativo, enquanto, os outros dois solos AM-B e expansão, enquanto, o solo AM-C foi
AM-C, respectivamente, foram classificados classificado como de muito alto potencial de
como de atividade normal. Sendo que os expansão. Adotando a proposta de Chen (1988)
valores numéricos do índice de atividade (At) que utiliza sobrecarga de 48 kPa vimos que o
encontrados para esses solos são característicos solo AM-A foi classificado como de médio
de argilomineral do grupo da ilita, de acordo potencial de expansão, sendo, os solos AM-B e
com os limites apresentados por Carter e AM-C, de alto potencial de expansão. A partir
Bentley (1991) e Mitchell (1993). dos resultados calculados do potencial de
Aplicando a esses solos a proposta de expansão (S) por esses dois critérios, pode-se
Ignatius (1981) que sugere o emprego do índice observar que os valores de Chen (1988) são
de laterização (L) para distinguir os solos de menores em relação aqueles obtidos pela
“comportamento laterítico” dos solos de proposta de Seed et al. (1962), evidenciando a
“comportamento saprolítico”, mediante cálculo influência da sobrecarga, que é maior no
da inclinação do ramo seco da curva de critério de Chen (1988), que indicou menores
compactação, na energia do Proctor Normal, em valores do potencial de expansão (S).
que o autor definiu que os solos de Empregando o método direto, ou seja, pela
“comportamento laterítico” se manifestam com condução de ensaios para determinação da
índice de laterização (L) maior que 0,30. Por tensão de expansão em amostras compactadas
este critério o Solo AM-A apresentou L=0,17, o no teor de umidade ótimo do Proctor Normal,
Solo AM-B se manifestou com L=0,09 e o solo os resultados revelaram que esses solos são
AM-C indicou L=0,15, valores estes expansivos, onde a tensão de expansão
característicos de solos saprolíticos, ou seja, de encontrada para o solo AM-A foi 217,5 kPa,
“comportamento não laterítico”, em que há na enquanto, o solo AM-B se manifestou com
fração argila predominância de argilominerais 150,0 kPa e o solo AM-C com 174,3 kPa.
dos grupos da ilita e montmorilonita, ou seja, do Complementarmente, foram realizados ensaios
tipo 2:1. laboratoriais para se conhecer a tensão de
As propostas de Van der Merwe (1964), expansão em amostras do tipo indeformada
Seed et al. (1962), Daksanamurthy e Raman desses solos, correspondentes a estrutura
(1973), Chen (1983) e Chen (1988) original de campo, onde os resultados obtidos
desenvolvidos para estimar preliminarmente o para esse parâmetro foram bem inferiores
potencial de expansão de solos com base em aqueles correspondentes aos solos
parâmetros oriundos dos ensaios de compactados, conforme mostra a Tabela 10,
caracterização convencional se mostraram onde a cimentação existente na estrutura
concordantes em sua grande maioria, original dos solos apresenta-se como
evidenciando a importância de empregarmos os responsável por esse comportamento.
métodos indiretos disponíveis na literatura
correlata na fase inicial de estudos de projetos
que venham a utilizar materiais saprolíticos, 5 CONCLUSÕES
permitindo, assim, a elaboração de um plano de
investigações geotécnicas de forma mais Para o universo de solos estudados, temos que:
eficiente.
Comentando, ainda, sobre os métodos O índice de atividade (At) de Skempton
indiretos de estimativa do potencial de (1953) não foi eficiente, pois classificou solos
expansão de solos, porém, considerando, agora de comportamento expansivo como de grau
os dois critérios que consideram a estrutura do inativo e grau normal.
solo no estado compactado e com atuação de O índice de laterização (L) proposto por
sobrecarga, temos que pela aplicação da Ignatius (1981) indicou o comportamento não

6
COBRAMSEG 2010: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. © 2010 ABMS.

laterítico desses solos, revelando o Companies. New York.


comportamento expansivo desses solos, sendo, Holtz, R. D. e Kovacs, W. D. (1981). An Intoduction to
Geotechnical Engineering, Prentice-Hall, 733 p.
portanto, uma ferramenta auxiliar de fácil Ignatius, S.G. (1991). Solos Tropicais: Proposta de
utilização e eficiente. Índice Classificatório, Solos e Rochas, Vol. 14, p. 89-
As propostas de Van der Merwe (1964), 93.
Seed et al. (1962), Daksanamurthy e Raman Jones, D. E. e Jones, K. A. (1987) Treating Expansive
(1973) e Chen (1983) concebidas para avaliar Soils, Civil Engineering Magazine, ASCE, Vol. 57,
No. 8, August.
de forma preliminar o potencial de expansão de Mitchell, J.K. (1993). Fundamentals of Soil Behavior,
solos com base nos resultados de limite de Second Edition, New York, Jonh Wiley & Sons, Inc.,
liquidez, índice de plasticidade e teor de argila 437 p.
se revelaram concordantes. Visto que a Santos, N.B. e Marinho, F.A.M. (1990). Características
classificação do grau do potencial de expansão Geotécnicas de Solos Expansivos Compactados, IX
Congresso Brasileiro de Mecânica dos Solos e
por todos esses critérios indicaram para o solo Fundações , Salvador, Brasil, Vol. 2, p. 163-177.
AM-A grau alto e para o solo AM-C grau muito Seed, H. B.; Woordward, R. J. e Lundgran, R. (1962)
alto. O solo AM-B foi classificado por três Prediction of Swelling Potential of Compacted Clays,
critérios como de grau muito alto e apenas por Proceedings ASCE Journal of Soil Mechanics and
um único critério, como de grau alto, revelando Foundation Division, 88: 107-131.
Silva, J. M J. (2005) Geotecnia no Nordeste, Ed.
significativa correlação entre essas quatro
Universitária-UFPE, p. 397-418.
propostas correspondentes aos métodos Skempton, A. W. (1953) The Colloidal Activity of Clays,
indiretos. Proceedings of 3rd International Conference on Soil
Tratando, ainda, dos métodos indiretos de Mechanics and Foundation Engineering, Zurich, Vol.
estimativa do potencial de expansão (S), porém, 1, p. 57-61.
Van der Merwe, D.H. (1964). Prediction of heave from
utilizando os dois critérios que consideram a
the plasticity index and percentage clay fraction of
estrutura do solo no estado compactado e com soils, Civil Enginner in South Africa, 6: 103-107.
atuação de sobrecarga, vimos que os solos se
revelaram potencialmente expansivos, sendo os
valores do potencial de expansão (S) obtidos
pelo critério de Chen (1988) menores em
comparação com aqueles obtidos pela aplicação
do critério de Seed et al. (1962) que emprega
menor sobrecarga, o que está coerente.
A aplicação do método direto, pela condução
dos ensaios de tensão de expansão em amostras
compactadas no teor de umidade ótimo, energia
do Proctor Normal, confirmou o caráter
expansivo desses solos.

REFERÊNCIAS

Carter, M. e Bentley, S. P. (1991) Correlations of Soil


Properties, London, 130 p.
Chen, F. H. (1983) Foundation on Expansive Soils,
Elsevier Scientific Publishing Co., New York, USA.
Chen, F. H. (1988) Foundation on Expansive Soils,
Development in Geotechnical Engineering,, No. 12,
Elsevier, Amsterdam, 280 p.
Daksanamurthy, V e Raman, V. (1973) A Simple Method
of Idententiyng an Expansive Soil, Soil and
Foundation, Japanese Society of Soil Mechanic and
Foundation Engineering, Vol. 13 (1), p. 97-104.
Day, R. W. (1999) Geotechnical and Foundation
Engineering: Design and Construction. McGraw-Hill