Você está na página 1de 45

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS


DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

CQ 049
FÍSICO QUÍMICA IV

Aula 1.2
Condução eletrolítica - Condutividade molar, Lei da Migração independente dos
íons, Eletrólitos fortes (Lei de Kohlrausch) e fracos – Determinação
condutométrica de pKa, pKw e Kps. Titulação condutométrica.

Profa. Regina Maria Queiroz de Mello


www.quimica.ufpr.br/paginas/regina-mello/
Condução Eletrolítica

• Fenômeno mais complexo que a passagem de corrente


através de um metal mas ela também segue a lei de Ohm.

• Como cátions e ânions possuem MASSA considerável, o


fenômeno envolve também transporte de massa.

• Além disso, cátions e ânions transportam frações diferentes de


corrente.

Medida da resistência elétrica da solução

condutívímetro
1 d
k
 R A efetiva
k
R

constante d
da célula () 
A efetiva


d

Aefetiva k   k.R
R
Instrumentação – Ponte de Wheatstone

+
-
• Para medidas
num condutor
eletrônico, é
usada corrente
contínua.

• Para medidas de
soluções, é
usada corrente
alternada e a
resistência R2 é
variável.
• A célula de condutividade é composta por:
– 2 eletrodos de platina platinizados ( área efetiva)
– corrente alternada da ordem de kHz: evita a polarização dos eletrodos e
eletrólise

• A constante da célula () é determinada pela medida da resistência da célula


quando imersa em solução de condutividade conhecida.
– Ex.: solução 0,02000 mol.L-1 de KCl possui condutividade de 2,768 mS.cm-1 a
25 oC.

Ex.: A condutividade do KCL a 0,1 mol.L-1 é de 1,1639 S.m-1. Numa célula de


condutividade, a resistência da solução foi de 32,0 . Nessa mesma célula,
uma solução de NaOH a 0,0200 mol.L-1 apresentou resistência de 38,0 .
Calcule a condutividade desta solução.
  k .R
  k .R  1,1639S .m .32,0
1

k1 R1  k 2 R2
  37,2448m 1
OU
1,1639S .m 1.32,0  k 2 .38,0
37,2448m 1
k   0,980S .m 1 
R 38,0 k2   0,980S .m 1
R
Condutividade molar (m)
Como a condutividade de uma solução depende do no de íons presentes, usa-
se a condutividade molar.

k c = concentração
m 
c Unidade: S.m-1 / (mol.m-3) = S.m2.mol-1
Cuidado com a transformação:
mol/L para mol/m3 e mol/L para mol/cm3

Ex.: A condutividade molar do KCl 0,100 mol.L-1 é 129 S.cm2.mol-1. A resistência da


solução, medida numa célula de condutividade, foi de 28,44 . Qual a constante
da célula? Na mesma célula, contendo NaOH 0,0500 mol.L-1, a resistência foi de
31,60 . Calcule a condutividade molar do NaOH nessa concentração.
k   m .c 
k NaOH 
k  129S.cm2 .mol 1.1.10  4 mol.cm3 R
0,367cm1
k  1,29 x10 2 S.cm1 k NaOH   0,0116S.cm1
31,60
  k.R  1,29 x10 2 S.cm1.28,44
k 0,0116S.cm1 1
m    232S.cm 2
.mol
  0,367cm1 c 5 x10 5 mol.cm3
Dependência entre m e concentração
Foi verificado
experimentalmente
que a
condutividade
molar varia com eletrólito forte
a concentração do
eletrólito.

eletrólito fraco
(a) Eletrólitos fortes

• São totalmente ionizados em solução.


• Friedrich Kohlrausch (séc. XIX)  mostrou a validade
da seguinte expressão:

 m    c
o
m
1/ 2 Lei de Kohlrausch
eletrólitos fortes

onde:

  condutividade molar a diluição infinita (ou limite)


o
m

  constante empírica que depende da estequiometria


do eletrólito
• Kohlrausch também demonstrou que:

     
o
m
o

o
Lei da migração
independente
dos íons

válida para eletrólitos fortes e fracos!!!

onde:
+ e _ = atomicidade de cátions e ânions, respectivamente
+ e _ = condutividade iônica de cátions e ânions, respectivamente
Símbolo o significa diluição infinita
Dados de condutividade molar (S.cm2.mol-1) a 25oC

Dados de condutividade iônica molar (S.cm2.mol-1) a 25o C


Por que o íon H3O+ tem condutividade
iônica molar tão alta?
Porque o H3O+ não precisa migrar, ele pode
simplesmente transferir seu próton à
molécula de água. Efeito similar ocorre com
o OH-:

H+
H3O+ + H2O = H2O + H3O+
H+
H2O + OH- = OH- + H2O

IMPORTANTE! A lei da migração


independente permite o cálculo da
condutividade molar a diluição infinita de
um composto a partir dos valores de
condutividade molar a diluição infinita de
outros compostos.
Ex.: mo (HAc) = mo (NaAc) + mo (HCl) - mo (NaCl)
13/27
Ex.: Calcule a mo do cloreto de bário. Dados em mS.m2.mol-1:
 (Ba2+) = 12,72;  (Cl-) = 7,63;  (K+) = 7,35 e  (SO42-) = 16,00

om   o   o


om  1x12,72  2x7,73  27,98mS.m2 .mol 1

Ex.: Calcule a condutividade molar limite do ácido acético. Expresse o


resultado em mS.m2.mol–1. Dados em S.cm2.mol–1:
mo (HCl) = 426,0; mo (NaAc) = 91,0; mo (NaCl) = 126,5

om (HAc )  om (NaAc )  om (HCl)  om (NaCl)


om (HAc )  91,0  426,0  126,5  390,5S.cm2 .mol 1
om (HAc )  390,5 x103 mSx10  4 m2 xmol1  39,05mS.m2 .mol 1
Ex.: As resistências de diversas soluções aquosas de NaCl, preparadas por
diluições sucessivas de uma amostra inicial, foram medidas numa célula com
constante de célula de 0,2063 cm-1. Os seguintes valores foram obtidos:

C x 104 / mol.L-1 5,0 10,0 50,0 100 200 500


R/ 3314 1669 342,1 174,1 89,08 37,14

Responda os itens (a) e (b) usando unidades do SI.

a)Verifique se os dados estão de acordo com a Lei de Kohlrausch e


determine a condutividade molar limite.

b) Para uma solução de NaI 0,010 mol.L-1, considere o valor do coeficiente


angular obtido no item anterior e calcule a condutividade molar, a
condutividade e a resistência da célula.
Dados/ mS.m2.mol-1:
 (Na+) = 5,01 e  (I-) = 7,68
(a)  m  om  c1/ 2
k   / R  20,63m 1 / 3314  0,006225S.m 1

 m  k / c  0,006225S.m1 / 0,5mol.m3  0,01245S.m2 .mol 1

c/mol.m-3 R/ k/S.m-1 m/S.m2.mol-1 c1/2/(mol.m-3)1/2


0,5 3314 0,006225 0,01245 0,70711
1 1669 0,01236 0,01236 1,00000
5 342,1 0,06030 0,01206 2,23607
10 174,1 0,1185 0,01185 3,16228
20 89,08 0,2316 0,01158 4,47214
50 37,14 0,5555 0,01111 7,07107

eixo y eixo x
Equation y = a + b*x
0,0126 Adj. R-Square 0,99279
Value Standard Error
0,0124 B Intercept 0,01256 3,03904E-5
B Slope -2,10237E-4 8,00393E-6
0,0122

0,0120

-1
m / S.m .mol
0,0118

2 0,0116

0,0114

0,0112

0,0110
0 1 2 3 4 5 6 7 8
1/2 -3 1/2
c / (mol.m )

(a) Obedece a lei pq r2 foi (b) Λ mo (NaI)  1x5,01  1x7,68  12,69mS.m 2.mol 1
próximo a 1. c1/ 2  3,162
mo = 12,56 mS.m2.mol-1
Λ m  Λ mo  2,10 x10  4 c1/ 2
Λ m  12,69 x10 -3  2,10 x10 - 4 x3,162  12,03mS.m2 .mol -1
k  Λ m.c  120,3mS.m 1
R  θ/k  20,63m 1/120,3 x10 3 S.m 1  171,5Ω
(b) Eletrólitos fracos

c .c
Ex.: ácido fraco K
c(1   )
HA H3O+ + A-
c 2
início c   Ka 
variação -c +c +c 1 
equilíbrio c - c c c
a = (b/bo) (será visto depois)
para eletrólitos fracos 1
(b / b o ) 2
Ka  K é adimensional !!!!
1
Onde bo = 1 mol.kg-1
Como K é constante em uma dada temperatura,
o grau de dissociação aumenta com a diminuição da concentração (diluição)
Como a m depende do número de íons em solução, portanto, ela depende
do grau de ionização () do eletrólito.
k
Λm  c diss  c. c  c diss/
c
k. Λ
Λm   Λ mo .   mo
c diss Λm

Medindo-se m de uma solução de um ácido fraco, podemos determinar o grau


de ionização e o Ka (ou pKa).
Raciocínio análogo vale para base fraca.
Ex.: A condutividade molar do HAc a 0,0100 mol.L-1 é 1,65 mS.m2.mol-1.
Determinar o grau de ionização e o pKa do ácido.
Dado: mo (HAc) = 39,05 mS.m2.mol-1

m 1,65mS.m2 .mol 1
 o  1
 0,042253  0,0423
 m 39,05mS.m .mol
2

(b / bo ) 2 (0,0100mol.kg1 / 1mol.kg1 )0,0422535 2


Ka  
1  1  0,0422535
K a    pKa  4,73
Ex.: Calcule a condutividade molar, a condutividade e a resistência de uma
solução de ácido acético 0,040 mol.L-1.
Dado: pka = 4,72 cte de célula = 0,206 cm-1 mo = 390,5 Scm2mol–1

(b / bo ) 2
Ka 
1   m  om .  390,5.0,022
5 0,040. 2  m  8,59Scm2 mol 1
1,91x10 
1 
1   1 (aproximação)
1,91x10 5
 
2
  0,022
0,040
Verificando a aproximação: 1-0,022=0,978 OK!

kc.Λ m  0,040 x10 3 mol.cm 3.8,59Scm2 mol  1


k  3,44 x10  4 Scm 1
θ 0,206cm1
R  4 1
 599Ω
k 3,44 x10 Scm
O mesmo procedimento é usado para determinar o pKw como mostra o
exercício a seguir.
Ex.: A condutividade de uma água bastante pura é 5,5 x 10-8 S.cm-1. Qual seria a
resistência apresentada por essa água num condutivímetro de constante de
célula 0,2063 cm-1? Qual o pkw dessa água?
Dado / S.cm2.mol–1:  (H+) = 349,8  (OH-) = 197,6
Kw = (b/bo)2.2

H2O + H2O H3O+ + OH-


(b/bo). (b/bo).
R   / k  3,75 x10 6 
0m  1.349,8  1.197,6  547,4S.cm2 .mol 1
bH2O  1000g /(18g.mol 1.1kg)  55,5mol.kg1
c H2O  55,5mol.L1
 m  k / c  5,5.10 8 S.cm1 / 0,0555mol.cm3  9,91.10 7 S.cm2 .mol 1
   m / 0m  1,8.10 9
K w  (b / bo )2 . 2  55,5 2.(1,8.10 9 )2  9,98.10 15
pK w  14,0
Para maior precisão, deve-se usar o método gráfico.
Da expressão:

(b / bo ) 2 1 .(b / bo )
Ka  podemos escrever:  1
1   Ka

m
Como:  o temos que:
m

1 1  m .(b / bo ) eixo x
 o 
m  K a ( om )2
m

eixo y
eixo y eixo x

1 1  m .(b / b o )
 o 
m m K a (om ) 2

(b/bo)
Ex.: As condutividades molares do ácido acético em diferentes concentrações
são:
m (Scm mol )
2 -1 49,50 35,67 25,60
c (mol L-1) 9,88x10-4 19,76x10-4 39,52x10-4

Sabendo-se que as condutividades iônicas do H+ e acetato são,


respectivamente, 349,8 e 40,7 Scm2mol-1 , calcule: (a) o grau de ionização (b) a
constante de ionização (c) calcule a  mo através de um gráfico adequado e
compare com o valor tabelado
1
(a) Λ o
m  1x 349,8  1x 40 ,7  390,5 S.cm 2
.mol
Λ
  mo log o 101268 2 00913 3 00655
Λm

(b)
1/m m*(b/bo)
0,02020 4,89E-02
0,02803 7,05E-02
0,03906 1,01E-01
1 1  m .(b / bo )
 o 
m m K a ( om )2
y  0,00258  0,36076 x
om  1/ 0,00257  387,6 S.cm2 .mol 1
valor tabelado  390,5 S.cm2 .mol 1
Erro  0,7%

1 1  m .(b / bo )
 o 
m m K a ( om )2
1
 0,36076
K a (m )
o 2

1 5
ka   1,82 x10
0,36076 x390,5 2
(c) Determinação do Kps
É mais uma aplicação das medidas de condutividade uma vez que, para sais
pouco solúveis, a condutividade molar do composto é praticamente igual à
condutividade molar à diluição infinita (ou condutividade molar limite)
 m ( sal )  om ( sal )
O método consiste em medir a condutividade de uma solução saturada do sal,
subtrair a condutividade do solvente, calcular a concentração dos íons e a
partir daí, o Kps.
k
m 
k
Então: c o
Como:
c m

 (b / bo )
vi
para sais pouco solúveis: K ps 
i

K ps   x i onde x  (b / bo )
v
OU:
i
bo  1 mol.kg1  1 mol.L1
Ex.: Bi2S3 → 2Bi3+ + 3S2-
K ps  (2x )2  (3 x )3  108 x 5
2x 3x
Ex.: Quando água de condutividade 1,12 x 10-6 S.cm–1 foi saturada com
BaSO4, o valor lido foi de 4,63 x 10-6 -1.cm–1 . Qual é a solubilidade e o Kps
do sulfato de bário?
Dado:  (Ba 2+) = 127,2 e  (SO4 2-) = 160,0 S.cm2.mol-1.

om (BaSO 4 )  1 x 127,2  1 x 160,0


om (BaSO 4 )  287,2 S.cm2 .mol -1

k solução  k água 3,51x10 6 S.cm1


c 
om 287,2S.cm2 .mol 1
c  1,22x10 8 mol.cm3  1,22x10 5 mol.kg1

K ps   (b / b )  x  x
o vi

K ps  1,22x10 5.1,22x10 5  1,49 x10 10


Titulação condutométrica
Nesse caso, o condutivímetro não precisa estar calibrado, porque o que
importa é a variação da condutividade e não seu valor.

Exemplos de casos onde a titulação condutométrica pode ser


usada:
(a) Ácido forte + Base forte:
(b) Ácido fraco + Base forte:

HCl + NaOH

HAc + NaOH
(c) Ácido forte + Base fraca (e) Ácido fraco e ácido forte + Base
forte
(d) Ácido fraco + Base fraca Ex.: vinagre contaminado com
HCl

HCl + NH4OH

HAc + NH4OH

condutividade

V1
V2
V1 = neutralização de HCl
V2 = neutralização de HCl e HAc Volume de titulante adicionado
(f) Algumas reações de precipitação
- Quando todos os produtos formados são insolúveis. Ex.:
Mg2+(aq) + SO42-(aq) + Ba2+(aq) + 2OH-(aq) BaSO4(s) + Mg(OH)2(s)

- Quando cátions (ou ânions) possuem condutividade iônica semelhante. Ex.:


K+(aq) + Cl-(aq) + Ag+(aq) + NO3-(aq) → AgCl(s) + K+(aq) + NO3-(aq)

MgSO4 + Ba(OH)2
condutividade

KCl + AgNO3 ((Cl-)  (NO3-)

Volume de titulante adicionado


Ex.: Na titulação condutométrica de 50,0 mL de HCl 0,0100 mol.L-1 com
NaOH foram obtidos os seguintes dados de condutividade da solução, já
descontados o valor da condutividade da água destilada.

Volume gasto Condutividade (a) Faça um gráfico adequado explicando


/ mL /10-3 S.cm-1
0,0 4,08
as inflexões e a inclinação da curva
1,0 3,41 obtida.
2,0 2,78 (b) Qual a concentração real do NaOH
3,0 2,14 utilizado?
4,0 1,56
5,0 0,99
6,0 1,30 4,5

7,0 1,66 4,0


8,0 2,02
3,5

(a) No início há diminuição progressiva 3,0

da [H+], com consequente diminuição


-1
k / mS.cm
2,5

da condutividade. Após o ponto de 2,0

equivalência há aumento progressivo 1,5

da [OH-] com consequente aumento da 1,0

condutividade. 0,5
-1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
(b) c = 0,100 mol.L-1 V (mL)
EXERCÍCIOS
1) Calcule a mo do sulfato de potássio .
Dados em ms.m2.mol-1:  (K+) = 7,35 e  (SO42-) = 16,00
(R.: 30,70 mS.m2.mol-1)

2) Calcule a condutividade molar limite do do AgCl. Expresse o resultado em


mS.m2.mol–1. Dados em S.cm2.mol–1:
mo (AgNO3) = 133,4 mo (KCl) = 149,9 mo (KNO3) = 145,0
(R.: 13,83 mS.m2.mol-1)

3) A condutividade molar do ácido propiônico a 8,8839 x 10–3 mol.L-1 é


14,903 S.cm2.mol–1. Qual o grau de ionização do ácido? Qual o ka?
Dado: mo = 385,54 S.cm2.mol–1
(R.: 0,038655 1,3808x10-5)
4) Através dos dados abaixo obtidos para o C3H7COOH(ácido
butírico), calcule o valor do Ka pelo método gráfico

Concentração /mol.L-1 k x 105(S.cm-1)


0,0005 4,10
0,001 6,05
0,005 14,24
0,010 20,49
0,020 29,35
0,050 47,20
0,1 67,65

(R.: 8,9x10-5)
5) As resistências de soluções de HA e HB foram medidas num
condutivímetro cuja constante de célula é 0,2063 cm-1. Os seguintes
valores de resistência da solução obtidos foram:

C / mol.L-1 R (solução de R (solução de


HA) /  HB) / 
0,010 174,1 1274
0,0010 1669 4242

Sabendo-se que se trata de uma solução de um ácido fraco e de


um ácido forte, responda:
a) Qual é o eletrólito fraco? b) Qual o valor da mo para o HA?
c) Qual o valor da mo para HB? d) Qual o valor do pka para o
ácido fraco?

(R.: HB ; 12,60 mS.m2.mol-1 ; 34,88 mS.m2.mol-1; 4,65)


6) A condutividade de uma solução de cloreto de prata é de 1,887 x 10-6
S.cm-1. Suponha que a condutividade da água utilizada seja desprezível e
calcule o Kps desse sal. Dado:mo = 138,3 S.cm2 .mol–1
(R.: 1,86 x 10-10)

7) Calcule o Kps do Ni(OH)2 sabendo-se que foi utilizada água destilada,


cuja condutividade é de 0,2 S.cm-1 e a seguir dissolveu-se o sal. A
solução saturada de hidróxido de níquel apresentou condutividade de
1,74S cm-1. Dado: mo (Ni(OH)2) = 298,3 S.cm2.mol-1
(R.: 5,50 x 10-16)
8) Na titulação condutométrica de 50,00 mL de uma mistura de HAc
e HCl com NaOH 0,0982 mol.L-1 foram obtidos
dados de condutividade da solução versus volume de base
adicionada conforme o gráfico:

3,0

2,5 a) Explique as inflexões e a


2,0
inclinação da curva obtida.
-1
k / S.cm

1,5
b) Qual a concentração real do
1,0
do HCl? E do HAc?
0,5
-1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
Volume de NaOH / mL

Resp.: (b) 6,00 mmol.L-1 e 4,52 mmol.L-1


Resolução dos exercícios

1) Calcule a mo do sulfato de potássio .


Dados em ms.m2.mol-1:  (K+) = 7,35 e  (SO42-) = 16,00
om   o   o
om  2x7,35  1x16,00  30,70mS.m2 .mol 1

2) Calcule a condutividade molar limite do do AgCl. Expresse o resultado em


mS.m2.mol–1. Dados em S.cm2.mol–1:
mo (AgNO3) = 133,4 mo (KCl) = 149,9 mo (KNO3) = 145,0
(R.: 13,83 mS.m2.mol-1)

om (AgCl)  om (AgNO3 )  om (KCl)  om (KNO3 )


om (AgCl)  133,4  149,9  145,0  138,3 S.cm 2 .mol1
om (HAc)  138,3x103 mSx104 m 2 .mol1  13,83 mS.m 2 .mol1
3) A condutividade molar do ácido propiônico a 8,8839 x 10–3 mol.L-1 é 14,903
S.cm2.mol–1. Qual o grau de ionização do ácido? Qual o ka?
Dado: mo = 385,54 S.cm2.mol–1

 m 14,903S.cm2 .mol 1
 o  1
 0,038655
 m 385,54S.cm .mol
2

(b / bo ) 2 (8,8839 x10 3 mol.kg1 / 1mol.kg1 )0,038655 2


Ka  
1  1  0,038655
K a  1,3808x10 -5
4) Através dos dados abaixo obtidos para o C3H7COOH(ácido butírico),
calcule o valor do Ka pelo método gráfico
Concentração /mol.L-1 k x 105(S.cm-1)
0,0005 4,10
0,001 6,05
0,005 14,24
0,010 20,49
0,020 29,35
0,050 47,20
0,1 67,65

k/S.m-1 c/mol.m-3 m/S.m2.mol-1 1/m m.(b/bo)


0,0041 0,5 0,0082 121,9512 4,10E-06
0,00605 1 0,00605 165,2893 6,05E-06
0,01424 5 0,00285 351,1236 1,42E-05
0,02049 10 0,00205 488,043 2,05E-05
0,02935 20 0,00147 681,431 2,94E-05
0,0472 50 9,44E-04 1059,322 4,72E-05
0,06765 100 6,77E-04 1478,197 6,77E-05
Equation y = a + b*x
1800 Adj. R-Square 0,9996
Value Standard Error
B Intercept 43,74336 5,9948
1500 B Slope 2,13542E7 173564,21022

1 1  m .(b / b o )
1200  o 
m m K a (om ) 2
m /.m .mol

900
-2
-1

600

300

0
0,00000 0,00002 0,00004 0,00006 0,00008
o 2 -1
m(b/b )/S.m .mol

y  43,74  2,135 x107 x 1


 2,135 x10 7
K a (m )
o 2
om  1/ 43,74  0,0229S.m2 .mol 1
1 5
om  22,9mS.m .mol 2 1 ka   8,93 x10
(0,0229)2 x2,135 x107
5) As resistências de soluções de HA e HB foram medidas num
condutivímetro cuja constante de célula é 0,2063 cm-1. Os seguintes
valores de resistência da solução obtidos foram:
C / mol.L-1 R (solução de HA) / R (solução de HB) /
 
0,010 174,1 1274
0,0010 1669 4242

Sabendo-se que se trata de uma solução de um ácido fraco e de um


ácido forte, responda:
a) Qual é o eletrólito fraco? b) Qual o valor da mo para o HA?
c) Qual o valor da mo para HB? d) Qual o valor do pka para o ácido
fraco?

(a) HB (Maior resistência c/mol.m-3 m(HA) / S.m2.mol-1 m(HB) / S.m2.mol-1


em mesma concentração)
10,0 0,01185 0,001619
1,00 0,01236 0,004863
c1/2 m
(b) HA (forte)  m  om  c1/ 2 3,162 0,01185
1 0,01236
coef ang = Δy/ Δx =-5,1x10-4/2,162 = -2,26x10-4
coef. linear  0,01236 = 2,26x10-4 .1-b  b = 1,26x10-
2

mo = 12,60 mS.m2.mol-1


m (b/bo) 1/m
(c) HB (fraco) 1 1  .(b / b ) o
 o  m o 2 1,619 x 10-5 617,7
m m K a ( m )
4,863x10-6 205,6

coef ang = 412,1 / 1,1327x10-5= 36382095,88

coef. linear (b)  205,6 = 36382095,8x4,863x10-6 + b

b = 28,67  mo = 34,88 mS.m2.mol-1


1 1  .(b / b o
)
(d)  o  m o 2
m m K a (m )
1
 
K a (m )
o 2

1 5
ka   2,26 x10
(0,03488 )2 x 
pka  4,65

6) A condutividade de uma solução de cloreto de prata é de 1,887 x 10-6 S.cm-1.


Suponha que a condutividade da água utilizada seja desprezível e calcule o Kps
desse sal. Dado:mo = 138,3 S.cm2 .mol–1

k solução  k água 1,887 x196 S.cm 1


c 
mo
138,3S.cm 2 .mol1
c  1,36x108 mol.cm 3  1,36x105 mol.kg 1

K ps   (bi / b o )
vi

K ps  1,36 x10 5.1,36 x10 5  1,86 x10 10


7) Calcule o Kps do Ni(OH)2 sabendo-se que foi utilizada água destilada, cuja
condutividade é de 0,20 S.cm-1 e a seguir dissolveu-se o sal. A solução
saturada de hidróxido de níquel apresentou condutividade de 1,74S cm-1.
Dado: mo (Ni(OH)2) = 298,3 S.cm2.mol-1

k solução  k água (1,74  0,20)S.cm 1


c 
mo
298,3S.cm 2 .mol1
c  5,16x109 mol.cm 3  5,16x106 mol.kg 1

Ni(OH)2(s)Ni2+(aq) + 2OH-(aq)
(b/bo) (2b/bo)

K ps   (b / b o )
vi

K ps  5,16x106.(2 x 5,16x106 ) 2  4(5,16x106 )3  5,50x1016


8) Na titulação condutométrica de 50,00 mL de uma mistura de HAc e HCl
com NaOH 0,0982 mol.L-1 foram obtidos
dados de condutividade da solução versus volume de base adicionada
conforme o gráfico:

3,0
a) Explique as inflexões e a inclinação da curva
2,5
obtida.
Início até 3,0 mL: [H+] logo k
De 3,0 a 5,0 mL: [íons] logo ligeiro da k
2,0
-1
k / S.cm

Após 5,0 mL: [OH-] logo k


1,5

1,0

0,5
-1 0 1 2 3 4 5 6 7
Volume de NaOH / mL
8 9 10 11
b) Qual a concentração real do do HCl? E do HAc?

nHCl  nNaOH  0,0982mol. L-1x3,00x10-3 L  2,946 x10 4 mol


CHCl  n / V  2,946 x10 4 mol / 50,00 x10 3 L  5,89 x10 3 mol.L-1  5,89mmol.L-1
nHAc  nNaOH  0,0982mol. L-1x(5,3 - 3,0)x10-3 L  2,2586 x10 4 mol
CHAc  n / V  2,2596 x10 4 mol / 50,00 x10 3 L  4,52x10 3 mol.L-1  4,52mmol.L-1