Você está na página 1de 28

Aula 12

Direito Processual do Trabalho para TRT-MG (Analista Judiciário - Área Jud e Of Just
Avaliador)

Professor: Bruno Klippel


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

1. QUESTÕES COMENTADAS SOBRE O TEMA:

1 - Q420506 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. Considerando que o juiz não se pode eximir de
sentenciar sob a alegação de lacuna na lei, nos casos omissos, o direito
processual comum será fonte subsidiária do direito processual do
trabalho, independentemente da existência de incompatibilidades entre
esses ramos do direito.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A identificação do erro é bem simples: o direito
processual comum somente pode ser fonte subsidiária do processo do trabalho
se houver lacuna e compatibilidade entre os ramos do direito, conforme art.
769 da CLT, abaixo transcrito:

“Art. 769 - Nos casos omissos, o direito processual comum será


fonte subsidiária do direito processual do trabalho, exceto naquilo
em que for incompatível com as normas deste Título”.

2 - Q420507 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. A ampla liberdade conferida aos magistrados
trabalhistas na direção do processo, com poder de determinar qualquer
diligência necessária ao esclarecimento da causa, deriva do princípio da
busca da verdade real, que é aplicado no direito processual do trabalho.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. O art. 765 da CLT dispõe sobre a atuação do
Magistrado no sentido de determinar as provas a serem produzidas, no sentido
de se chegar à verdade real, princípio importante do direito processual do
trabalho. Vejamos:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 2 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

“Art. 765 - Os Juízos e Tribunais do Trabalho terão ampla liberdade


na direção do processo e velarão pelo andamento rápido das
causas, podendo determinar qualquer diligência necessária ao
esclarecimento delas”.

3 - Q420508 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. O princípio da imparcialidade do juiz não é
aplicável ao processo do trabalho, uma vez que a justiça laboral possui
caráter tutelar que visa à proteção do trabalhador, hipossuficiente em
face do seu empregador.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. Um dos princípios aplicados ao processo do trabalho,
assim como os demais ramos processuais (penal, civil, etc) é a imparcialidade
do julgador, que não pode se valer da sua atuação para favorecer autor ou réu.
O Juiz não pode ser suspeito ou impedido, sob pena da decisão ser nula, passível
inclusive de ação rescisória, na hipótese de impedimento. Mesmo que o processo
do trabalho seja informado pelo princípio da proteção, que reconhece a
hipossuficiência do trabalhador, a imparcialidade do Juiz deve ser mantida.

4 - Q420509 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Segundo o Superior Tribunal de Justiça (STJ), a justiça do trabalho é
incompetente para julgar ação de honorários entre cliente e advogado.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está perfeita, em conformidade com a
Súmula nº 363 do STJ que diz ser da justiça comum a competência para julgar

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 3 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
as ações de cobrança de honorários de profissional liberal, como por exemplo, os
honorários do Advogado. Vejamos o entendimento sumulado:

“Compete à Justiça estadual processar e julgar a ação de cobrança


ajuizada por profissional liberal contra cliente”.

5 - Q420510 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Conforme o entendimento do TST, a competência da justiça do trabalho
relativa à execução das contribuições previdenciárias limita-se às
sentenças condenatórias em pecúnia que proferir e aos valores, objeto de
acordo homologado, que integrem o salário de contribuição.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está de acordo com a Súmula nº 368, I
do TST, que limite a competência da Justiça do Trabalho à execução das
contribuições previdenciárias incidentes sobre sentenças condenatórias.
Vejamos:
“A Justiça do Trabalho é competente para determinar o
recolhimento das contribuições fiscais. A competência da Justiça do
Trabalho, quanto à execução das contribuições previdenciárias,
limita-se às sentenças condenatórias em pecúnia que proferir e aos
valores, objeto de acordo homologado, que integrem o salário de
contribuição”.

6 - Q420511 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho. De
acordo com o entendimento do TST, as organizações ou organismos
internacionais gozam de imunidade absoluta de jurisdição quando

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 4 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
amparados por norma internacional incorporada ao ordenamento jurídico
brasileiro. Entretanto, caso haja renúncia expressa à cláusula de
imunidade jurisdicional, prevalecerá a jurisdição brasileira.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está em conformidade com a OJ nº 416
da SDI-1 do TST, que traz a redação utilizada pelo CESPE/Unb na questão sob
comento.

“As organizações ou organismos internacionais gozam de


imunidade absoluta de jurisdição quando amparados por norma
internacional incorporada ao ordena- mento jurídico brasileiro, não
se lhes aplicando a regra do Direito Consuetudinário relativa à
natureza dos atos praticados. Excepcionalmente, prevalecerá a
jurisdição brasileira na hipótese de renúncia expressa à cláusula de
imunidade jurisdicional”.

7 - Q420512 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Compete à justiça federal julgar as ações que tenham como causa de
pedir o descumprimento de normas trabalhistas relativas à segurança,
higiene e saúde dos trabalhadores.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação está em desacordo com a Súmula nº
736 do STF, que diz ser da competência da Justiça do Trabalho, por critério
material, analisar as demandas que envolvem as normas de segurança, higiene
e saúde dos trabalhadores, conforme transcrição a seguir:

“Compete à justiça do trabalho julgar as ações que tenham como


causa de pedir o descumprimento de normas trabalhistas relativas
à segurança, higiene e saúde dos trabalhadores”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 5 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

8 - Q420513 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca das partes, dos procuradores, da representação, do litisconsórcio
e do jus postulandi no processo do trabalho, julgue o próximo item.
Se o Ministério Público do Trabalho (MPT) propuser ação anulatória de
cláusula convencional firmada entre os sindicatos das respectivas
categorias econômica e profissional, haverá, nesse caso, litisconsórcio
passivo necessário, já que ambos os sindicatos integrarão o polo passivo
da demanda.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. Se a cláusula a ser anulada decorre de uma convenção
entre dois sindicatos, ambos devem ser incluídos no polo passivo da ação
anulatória, pois possuem, em tese, interesse na manutenção da cláusula e não
podem sofrer prejuízo sem antes serem ouvidos. Assim, a formação do
litisconsórcio será necessária, com a inclusão obrigatória dos sindicatos. Logo, a
informação do CESPE/Unb está correta: litisconsórcio passivo necessário.
Caso não haja a inclusão dos litisconsortes, será aplicado o art. 48 do CPC que
determina a extinção do feito:

“Art. 47. Há litisconsórcio necessário, quando, por disposição de lei


ou pela natureza da relação jurídica, o juiz tiver de decidir a lide de
modo uniforme para todas as partes; caso em que a eficácia da
sentença dependerá da citação de todos os litisconsortes no
processo. Parágrafo único. O juiz ordenará ao autor que
promova a citação de todos os litisconsortes necessários,
dentro do prazo que assinar, sob pena de declarar extinto o
processo”.

9 - Q420514 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca das partes, dos procuradores, da representação, do litisconsórcio
e do jus postulandi no processo do trabalho, julgue o próximo item. No
direito processual trabalhista, a capacidade civil plena do empregado de

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 6 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
ser parte e estar em juízo sem necessidade de assistência ou
representação ocorre a partir dos dezesseis anos de idade.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A capacidade civil é regida pelo Código Civil, que
afirma ser capaz aquele que possuir, pelo menos, 18 anos. O fato de ser
permitido o trabalhado a menores de idade, com pelo menos 16 anos, não faz
com que os mesmos sejam civilmente capazes, necessidade de assistência de
seus representantes. Aplica-se aqui o art. 8º do CPC:

“Art. 8º Os incapazes serão representados ou assistidos por seus


pais, tutores ou curadores, na forma da lei civil”.

10 - Q420517 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. Pelo princípio do
prejuízo ou da transcendência, que norteia o sistema de nulidade
processual trabalhista, somente haverá nulidade quando houver
manifesto prejuízo processual aos litigantes.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. O princípio do prejuízo ou transcendência,
extremamente importante para os concursos trabalhistas, destaca que somente
há nulidade quando houver prejuízo, já que o próprio conceito de nulidade é
encarado como o erro de forma + prejuízo. Se não houve prejuízo, não há
nulidade, mesmo que a forma não tenha sido respeitada. Tal regra pode ser
encontrada no art. 794 da CLT, a seguir transcrito:

“Art. 794 - Nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do


Trabalho só haverá nulidade quando resultar dos atos inquinados
manifesto prejuízo às partes litigantes”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 7 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
11 - Q420518 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista
Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. O procedimento
sumaríssimo na justiça do trabalho aplica-se às ações plúrimas, desde
que o valor total dos pedidos para cada reclamante não exceda a
quarenta vezes o valor do salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. Para fins de verificação da competência do rito
sumaríssimo, temos que verificar o valor total dos pedidos formulados por
todos os litisconsortes e não cada pedido formulado pela parte. A análise
é, portanto, global e não individual. Se a soma dos pedidos dos litisconsortes for
superior a 40 salários mínimos, nos moldes do art. 852-A do CPC o rito a ser
adotado será o ordinário. Vejamos:

“Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a


quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento da
reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.
Parágrafo único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as
demandas em que é parte a Administração Pública direta,
autárquica e fundacional”.

12 - Q420519 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. É comum, no
âmbito laboral, a utilização, pelas partes, do chamado protesto nos autos,
em que o litigante já registra na ata de audiência a nulidade relativa ou
absoluta, visando evitar a convalidação do ato. Entretanto, caso o juiz não
conceda a palavra para consignação dos protestos, deverá a parte arguir
a nulidade nas razões finais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 8 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. Não há necessidade de arguir em “protesto nos
autos” a nulidade absoluta, pois a mesma não convalesce, ou seja, não deixa de
existir. Este é o erro da questão, quando diz sobre a possibilidade de
convalescimento caso não arguido o vício. A nulidade absoluta pode ser arguida
a qualquer momento, sendo reconhecida, inclusive, pelo Magistrado de ofício.

13 - Q420520 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. Conforme
entendimento pacificado pelo TST, considera-se prequestionada a questão
jurídica invocada no recurso principal sobre a qual se omita o tribunal, a
despeito dos embargos de declaração, de pronunciar tese.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está em conformidade com a Súmula
297, III do TST, que trata do prequestionamento ficto ou presumido, que
ocorre quando a parte alega a omissão em embargos de declaração e o Tribunal
continua omisso. A matéria é considerada prequestionada da mesma forma.
Vejamos:
“III. Considera-se prequestionada a questão jurídica invocada no
recurso principal sobre a qual se omite o Tribunal de pronunciar
tese, não obstante opostos embargos de declaração”.

14 - Q420521 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. No juízo
de admissibilidade dos recursos trabalhistas, o despacho exarado pelo
juízo a quo não vincula o juízo ad quem, podendo este conhecer de um
recurso que não tenha sido conhecido pelo juízo a quo.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está perfeita. Não há vinculação entre
os juízos de admissibilidade realizados pelos juízos a quo e ad quem. Mesmo
que o juízo a quo (vara do trabalho, por exemplo) inadmita o recurso, poderá o

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 9 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
ad quem (tribunal) conhecer do recurso, caso haja a interposição de outra
medida cabível (agravo de instrumento). Caso a Vara do Trabalho conheça do
recurso, poderá o TRT inadmitir, o que demonstra a total ausência de vinculação
entre os juízos, o que faz com que esteja correta a assertiva do CESPE/Unb.

15 - Q420522 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. A regra
do direito processual comum segundo a qual, quando os litisconsortes
tiverem diferentes procuradores, o prazo de recurso será contado em
dobro deve ser aplicada, conforme o TST, no processo do trabalho.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A jurisprudência do TST entenda pela inaplicabilidade
dos prazos em dobro quando há litisconsortes com diferentes procuradores
(Advogados), instituto previsto no art. 191 do CPC. Segundo a OJ nº 310 da
SDI-1 do TST, a aplicação do instituto previsto no CPC colide com as ideias de
celeridade e economia do processo trabalhista. Vejamos:

“A regra contida no art. 191 do CPC é inaplicável ao processo do


trabalho, em decorrência da sua incompatibilidade com o princípio
da celeridade inerente ao processo trabalhista”.

16 - Q420523 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca do MPT e da execução no direito processual do trabalho, julgue o
item subsecutivo. Em execução trabalhista, o TST não admite a penhora
sobre a renda mensal ou o faturamento da empresa, uma vez que esse
expediente, independentemente do percentual confiscado, comprometeria
o desenvolvimento regular de suas atividades.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A penhora sobre percentual do faturamento da
empresa é possível de acordo com a jurisprudência do TST, tomando-se cuidado
apenas como o percentual, que deve ser razoável, de forma a não impedir a

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 10 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
continuidade dos negócios da empresa. Assim, a informação do CESPE/Unb está
errada por diz “independentemente do percentual confiscado”. Vejamos a OJ nº
93 da SDI-2 do TST:

“É admissível a penhora sobre a renda mensal ou faturamento de


empresa, limi- tada a determinado percentual, desde que não
comprometa o desenvolvimento regular de suas atividades”.

17 - Q420525 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
)vAcerca do MPT e da execução no direito processual do trabalho, julgue o
item subsecutivo. Segundo a CLT, o termo de compromisso de
ajustamento de conduta firmado perante os auditores fiscais do Ministério
do Trabalho e Emprego é considerado título executivo extrajudicial.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. O temo de compromisso de ajustamento de conduta
somente pode ser firmado perante o Ministério Público do Trabalho (MPT) e não
perante o Ministério do Trabalho e Emprego. O art. 876 da CLT deixa clara a
informação. Vejamos:

“Art. 876 - As decisões passadas em julgado ou das quais não


tenha havido recurso com efeito suspensivo; os acordos, quando
não cumpridos; os termos de ajuste de conduta firmados
perante o Ministério Público do Trabalho e os termos de
conciliação firmados perante as Comissões de Conciliação Prévia
serão executada pela forma estabelecida neste Capítulo”.

18 - Q420526 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Conforme jurisprudência consolidada do TST, não é cabível
mandado de segurança para cassar liminar concedida em ação civil
pública.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 11 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação conflita com a OJ nº 58 da SDI-2 do
TST, que foi cancelada em decorrência da sua transformação na Súmula nº 414
do TST, que deixa claro o cabimento do mandado de segurança contra
decisão liminar proferida pela justiça do trabalho, haja vista a ausência de
previsão legal para a interposição de qualquer recurso. Vejamos o inciso II da
Súmula nº 414 do TST:

“II - No caso da tutela antecipada (ou liminar) ser concedida antes


da sentença, cabe a impetração do mandado de segurança, em
face da inexistência de recurso próprio”.

19 - Q420527 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Celebrada a conciliação judicial, os autos transitam em
julgado para as partes no momento da homologação do acordo, podendo
este ser atacado somente por meio de ação anulatória.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação do CESPE/Unb começa correta, no
sentido de que o acordo homologado transita em julgado no momento da
homologação, o que está de acordo com a Súmula nº 100, V do TST, abaixo
transcrita:

“V - O acordo homologado judicialmente tem força de decisão


irrecorrível, na forma do art. 831 da CLT. Assim sendo, o termo
conciliatório transita em julga- do na data da sua homologação
judicial”.

O erro da assertiva está em dizer que cabe ação anulatória, quando o


entendimento do TST é no sentido de ser cabível a ação rescisória, de
acordo com a Súmula nº 259 do TST, abaixo transcrita:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 12 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
“Só por ação rescisória é impugnável o termo de conciliação
previsto no parágrafo único do art. 831 da CLT”.

20 - Q420528 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Segundo entendimento do TST, havendo recurso ordinário
em ação rescisória, o depósito recursal será exigível apenas e tão
somente quando o pedido for julgado procedente e redundar na imposição
de condenação em dinheiro.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está de acordo com a Súmula nº 99 do
TST, que diz da realização do depósito recursal apenas quando houver
condenação ao pagamento de pecúnia, ou seja, dinheiro. Vejamos:

“Havendo recurso ordinário em sede de rescisória, o depósito


recursal só é exigível quando for julgado procedente o pedido e
imposta condenação em pecúnia, devendo este ser efetuado no
prazo recursal, no limite e nos termos da legislação vigente, sob
pena de deserção”.

21 - Q420529 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Julgue o item subsequente , relativo ao dissídio coletivo no direito
processual do trabalho. Conforme entendimento do TST, contra pessoa
jurídica de direito público que mantenha empregados, cabe dissídio
coletivo exclusivamente para apreciação de cláusulas de natureza social.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está em conformidade com a OJ nº 5 da
SDC/TST, que foi alterada em 2012, para possibilitar o cabimento de dissídio
coletivo em face de entes públicos. Vejamos:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 13 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
“Em face de pessoa jurídica de direito público que mantenha
empregados, cabe dissídio coletivo exclusivamente para apreciação
de cláusulas de natureza soci- al. Inteligência da Convenção n.º
151 da Organização Internacional do Trabalho, ratificada pelo
Decreto Legislativo n.º 206/2010”.

22 - Q420530 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Julgue o item subsequente, relativo ao dissídio coletivo no direito
processual do trabalho. A sentença normativa proferida no dissídio
coletivo, por não ter natureza condenatória, não comporta execução,
ensejando ação de cumprimento.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. Realmente não cabe execução da sentença normativa,
haja vista que a natureza jurídica daquele é constitutiva ou declaratória. A
sentença normativa não é condenatória, o que impede a execução. Assim,
caberá a ação de cumprimento, que é uma ação de conhecimento em que se
demonstrará o descumprimento das normas criadas por meio da sentença
normativa, que trará, por fim, a condenação ao pagamento de determinada
quantia. A Súmula nº 246 do TST, sempre importante para concursos, será
transcrita a seguir:

“É dispensável o trânsito em julgado da sentença normativa para a


propositura da ação de cumprimento”.

23 - Q361663 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Meios de prova; Atos, termos e prazos
processuais. Vícios dos atos processuais. Provas no processo do trabalho;
) Em relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens a seguir.
No processo trabalhista, a contradita consiste na denúncia, pela parte
interessada, dos motivos que impedem ou tornam suspeito o depoimento
da testemunha, e o momento processual oportuno de a parte oferecer a
contradita da testemunha ocorre logo após a qualificação desta, antes de
o depoente ser compromissado.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 14 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está totalmente correta, conforme art.
414, §1º do CPC. A contradita é a informação de que a testemunha é incapaz,
impedida ou suspeita. É realizada na audiência, após a qualificação e antes de
ser tomado o compromisso da mesma. Vejamos o dispositivo mencionado:

“§ 1o É lícito à parte contraditar a testemunha, argüindo-lhe a


incapacidade, o impedimento ou a suspeição. Se a testemunha
negar os fatos que Ihe são imputados, a parte poderá provar a
contradita com documentos ou com testemunhas, até três,
apresentada no ato e inquiridas em separado. Sendo provados ou
confessados os fatos, o juiz dispensará a testemunha, ou Ihe
tomará o depoimento, observando o disposto no art. 405, § 4 o”.

24 - Q361664 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Utilização das provas nos diferentes
procedimentos ; Atos, termos e prazos processuais. Vícios dos atos
processuais. Provas no processo do trabalho; ) Dada a celeridade, que
fundamenta o procedimento sumaríssimo, a CLT não admite o
deferimento e a realização de prova técnica pericial.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. Apesar da celeridade inata ao rito sumaríssimo,
previsto no art. 852-A e seguintes da CLT, é cabível a produção da prova
pericial, já que não há norma impedindo a produção daquela. O art. 852-H, §4º
da CLT trata sobre a possibilidade de sua realização, da seguinte forma:

“§ 4º Somente quando a prova do fato o exigir, ou for legalmente


imposta, será deferida prova técnica, incumbindo ao juiz, desde
logo, fixar o prazo, o objeto da perícia e nomear perito”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 15 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

25 - Q361665 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Audiência. Conciliação. Resposta do
reclamado. Razões finais Audiências; Dissídio individual e dissídio
coletivo; ) No processo do trabalho, o reclamante que der causa a dois
arquivamentos seguidos de reclamação trabalhista em face de seu não
comparecimento à audiência fica definitivamente impossibilitado de
exercer novamente o direito de reclamar perante a justiça do trabalho, se
a nova ação envolver o mesmo reclamante, reclamado e objeto.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação está errada, pois diz que o reclamante
não poderá em definitivo exercer novamente o direito de reclamar
perante a Justiça do Trabalho, demonstrando que a perempção seria
definitiva, o que conflita com o art. 731/732 da CLT que diz ser provisória a
pena, de apenas 6 (seis) meses. Vejamos:

“Art. 731 - Aquele que, tendo apresentado ao distribuidor


reclamação verbal, não se apresentar, no prazo estabelecido no
parágrafo único do art. 786, à Junta ou Juízo para fazê-lo tomar
por termo, incorrerá na pena de perda, pelo prazo de 6 (seis)
meses, do direito de reclamar perante a Justiça do Trabalho”.

“Art. 732 - Na mesma pena do artigo anterior incorrerá o


reclamante que, por 2 (duas) vezes seguidas, der causa ao
arquivamento de que trata o art. 844”.

26 - Q361667 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Partes, procuradores, representação,
substituição processual e litisconsórcio. Conciliação e sentença; Mandato
tácito; ) Consoante entendimento do TST, é válido o substabelecimento
de advogado investido de mandato tácito, que se configura com o
comparecimento do advogado e da parte em audiência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 16 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. O Advogado investido de mandato tácito, que decorre
do comparecimento do mesmo em audiência, não permite o
substabelecimento, conforme OJ nº 200 da SDI-1 do TST:

“É inválido o substabelecimento de advogado investido de mandato


tácito”.

27 - Q361668 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Execução trabalhista; Penhora.
Expropriação e suas modalidades;) Acerca de recursos, execução
trabalhista e dissídio coletivo, julgue os itens seguintes. Realizada a hasta
pública na execução, o bem deverá ser vendido ao interessado que
ofertar o maior lance, e o arrematante deverá garantir o lance com sinal
correspondente a 10% do valor inicialmente orçado.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação está errada, já que conflita com o §2º
do art. 888 da CLT, que diz ser de 20% o valor do sinal a ser pago pelo
arrematante, conforme transcrição a seguir:

“Art. 888 - Concluída a avaliação, dentro de dez dias, contados da


data da nomeação do avaliador, seguir-se-á a arrematação, que
será anunciada por edital afixado na sede do juízo ou tribunal e
publicado no jornal local, se houver, com a antecedência de vinte
(20) dias. § 1º A arrematação far-se-á em dia, hora e lugar
anunciados e os bens serão vendidos pelo maior lance, tendo o
exeqüente preferência para a adjudicação. § 2º O arrematante
deverá garantir o lance com o sinal correspondente a 20%
(vinte por cento) do seu valor”.

28 - Q361669 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Dissídio coletivo e modalidades ; Ação
rescisória; Dissídio individual e dissídio coletivo; Ações especiais no
processo trabalhista; ) A sentença normativa proferida posteriormente à

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 17 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
sentença rescindenda é considerada documento novo para fins de
rescisão de sentença de mérito transitada em julgado.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está ERRADA. A informação está equivocada, já que a sentença
normativa proferida posteriormente não é considerada documento novo nos
termos da Súmula nº 402 do TST, abaixo transcrita:

“Documento novo é o cronologicamente velho, já existente ao


tempo da decisão rescindenda, mas ignorado pelo interessado ou
de impossível utilização, à época, no processo. Não é documento
novo apto a viabilizar a desconstituição de julgado: a)
sentença normativa proferida ou transitada em julgado
posteriormente à sentença rescindenda; b) sentença
normativa preexistente à sentença rescindenda, mas não exibida
no processo principal, em virtude de negligência da parte, quando
podia e deveria louvar-se de documento já existente e não
ignorado quando emitida a decisão rescindenda”.

29 - Q361670 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Sistema recursal trabalhista;
Pressupostos extrínsecos e intrínsecos; ) Segundo entendimento
consolidado do TST, recurso sem assinatura deve ser considerado
inexistente. Será considerado válido o apelo se assinado, ao menos, na
petição de apresentação ou nas razões recursais.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está de acordo com a OJ nº 120 da SDI-1
do TST, que trata do tema: se não houver assinatura em qualquer petição, o
recurso será inexistente. Se tiver assinatura em uma das petições, o recurso é
válido. Vejamos:

“O recurso sem assinatura será tido por inexistente. Será


considerado válido o apelo assinado, ao menos, na petição de
apresentação ou nas razões recursais”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 18 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

30 - Q361671 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência da Justiça do Trabalho;
Competência em razão da matéria; Sistema recursal trabalhista;
Recurso ordinário; ) cabível recurso ordinário caso o juiz declare a
incompetência absoluta em razão da matéria da justiça do trabalho e
determine a remessa dos autos à justiça comum.

COMENTÁRIOS:
A assertiva está CERTA. A informação está de acordo com o art. 799, §2º da
CLT, que trata do reconhecimento da incompetência absoluta da justiça do
trabalho, como decisão interlocutória da qual cabe recurso ordinário. Vejamos:

“Art. 799 - Nas causas da jurisdição da Justiça do Trabalho,


somente podem ser opostas, com suspensão do feito, as exceções
de suspeição ou incompetência. § 1º - As demais exceções serão
alegadas como matéria de defesa. § 2º - Das decisões sobre
exceções de suspeição e incompetência, salvo, quanto a
estas, se terminativas do feito, não caberá recurso,
podendo, no entanto, as partes alegá-las novamente no
recurso que couber da decisão final”.

2. LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q420506 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. Considerando que o juiz não se pode eximir de
sentenciar sob a alegação de lacuna na lei, nos casos omissos, o direito
processual comum será fonte subsidiária do direito processual do
trabalho, independentemente da existência de incompatibilidades entre
esses ramos do direito.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 19 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

2 - Q420507 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. A ampla liberdade conferida aos magistrados
trabalhistas na direção do processo, com poder de determinar qualquer
diligência necessária ao esclarecimento da causa, deriva do princípio da
busca da verdade real, que é aplicado no direito processual do trabalho.

3 - Q420508 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Em relação aos princípios e às fontes do direito processual do trabalho,
julgue o item a seguir. O princípio da imparcialidade do juiz não é
aplicável ao processo do trabalho, uma vez que a justiça laboral possui
caráter tutelar que visa à proteção do trabalhador, hipossuficiente em
face do seu empregador.

4 - Q420509 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Segundo o Superior Tribunal de Justiça (STJ), a justiça do trabalho é
incompetente para julgar ação de honorários entre cliente e advogado.

5 - Q420510 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Conforme o entendimento do TST, a competência da justiça do trabalho
relativa à execução das contribuições previdenciárias limita-se às
sentenças condenatórias em pecúnia que proferir e aos valores, objeto de
acordo homologado, que integrem o salário de contribuição.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 20 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

6 - Q420511 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho. De
acordo com o entendimento do TST, as organizações ou organismos
internacionais gozam de imunidade absoluta de jurisdição quando
amparados por norma internacional incorporada ao ordenamento jurídico
brasileiro. Entretanto, caso haja renúncia expressa à cláusula de
imunidade jurisdicional, prevalecerá a jurisdição brasileira.

7 - Q420512 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) No que se refere à competência e à jurisdição da justiça do trabalho,
julgue o item subsequente. Nesse sentido, considere que a sigla TST,
sempre que empregada, se refere ao Tribunal Superior do Trabalho.
Compete à justiça federal julgar as ações que tenham como causa de
pedir o descumprimento de normas trabalhistas relativas à segurança,
higiene e saúde dos trabalhadores.

8 - Q420513 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca das partes, dos procuradores, da representação, do litisconsórcio
e do jus postulandi no processo do trabalho, julgue o próximo item.
Se o Ministério Público do Trabalho (MPT) propuser ação anulatória de
cláusula convencional firmada entre os sindicatos das respectivas
categorias econômica e profissional, haverá, nesse caso, litisconsórcio
passivo necessário, já que ambos os sindicatos integrarão o polo passivo
da demanda.

9 - Q420514 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca das partes, dos procuradores, da representação, do litisconsórcio

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 21 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
e do jus postulandi no processo do trabalho, julgue o próximo item. No
direito processual trabalhista, a capacidade civil plena do empregado de
ser parte e estar em juízo sem necessidade de assistência ou
representação ocorre a partir dos dezesseis anos de idade.

10 - Q420517 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. Pelo princípio do
prejuízo ou da transcendência, que norteia o sistema de nulidade
processual trabalhista, somente haverá nulidade quando houver
manifesto prejuízo processual aos litigantes.

11 - Q420518 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. O procedimento
sumaríssimo na justiça do trabalho aplica-se às ações plúrimas, desde
que o valor total dos pedidos para cada reclamante não exceda a
quarenta vezes o valor do salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação.

12 - Q420519 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito dos vícios do ato processual e do procedimento sumaríssimo
no processo do trabalho, julgue o item que se seguem. É comum, no
âmbito laboral, a utilização, pelas partes, do chamado protesto nos autos,
em que o litigante já registra na ata de audiência a nulidade relativa ou
absoluta, visando evitar a convalidação do ato. Entretanto, caso o juiz não
conceda a palavra para consignação dos protestos, deverá a parte arguir
a nulidade nas razões finais.

13 - Q420520 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 22 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. Conforme
entendimento pacificado pelo TST, considera-se prequestionada a questão
jurídica invocada no recurso principal sobre a qual se omita o tribunal, a
despeito dos embargos de declaração, de pronunciar tese.

14 - Q420521 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. No juízo
de admissibilidade dos recursos trabalhistas, o despacho exarado pelo
juízo a quo não vincula o juízo ad quem, podendo este conhecer de um
recurso que não tenha sido conhecido pelo juízo a quo.

15 - Q420522 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Com relação aos recursos trabalhistas, julgue o seguinte item. A regra
do direito processual comum segundo a qual, quando os litisconsortes
tiverem diferentes procuradores, o prazo de recurso será contado em
dobro deve ser aplicada, conforme o TST, no processo do trabalho.

16 - Q420523 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Acerca do MPT e da execução no direito processual do trabalho, julgue o
item subsecutivo. Em execução trabalhista, o TST não admite a penhora
sobre a renda mensal ou o faturamento da empresa, uma vez que esse
expediente, independentemente do percentual confiscado, comprometeria
o desenvolvimento regular de suas atividades.

17 - Q420525 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
)vAcerca do MPT e da execução no direito processual do trabalho, julgue o
item subsecutivo. Segundo a CLT, o termo de compromisso de
ajustamento de conduta firmado perante os auditores fiscais do Ministério
do Trabalho e Emprego é considerado título executivo extrajudicial.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 23 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

18 - Q420526 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Conforme jurisprudência consolidada do TST, não é cabível
mandado de segurança para cassar liminar concedida em ação civil
pública.

19 - Q420527 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Celebrada a conciliação judicial, os autos transitam em
julgado para as partes no momento da homologação do acordo, podendo
este ser atacado somente por meio de ação anulatória.

20 - Q420528 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) A respeito das ações civis admissíveis no processo do trabalho, julgue o
item a seguir. Segundo entendimento do TST, havendo recurso ordinário
em ação rescisória, o depósito recursal será exigível apenas e tão
somente quando o pedido for julgado procedente e redundar na imposição
de condenação em dinheiro.

21 - Q420529 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Julgue o item subsequente , relativo ao dissídio coletivo no direito
processual do trabalho. Conforme entendimento do TST, contra pessoa
jurídica de direito público que mantenha empregados, cabe dissídio
coletivo exclusivamente para apreciação de cláusulas de natureza social.

22 - Q420530 ( Prova: CESPE - 2014 - Câmara dos Deputados - Analista


Legislativo - Consultor Legislativo Área V / Direito Processual do Trabalho
) Julgue o item subsequente, relativo ao dissídio coletivo no direito
processual do trabalho. A sentença normativa proferida no dissídio

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 24 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
coletivo, por não ter natureza condenatória, não comporta execução,
ensejando ação de cumprimento.

23 - Q361663 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Meios de prova; Atos, termos e prazos
processuais. Vícios dos atos processuais. Provas no processo do trabalho;
) Em relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens a seguir.
No processo trabalhista, a contradita consiste na denúncia, pela parte
interessada, dos motivos que impedem ou tornam suspeito o depoimento
da testemunha, e o momento processual oportuno de a parte oferecer a
contradita da testemunha ocorre logo após a qualificação desta, antes de
o depoente ser compromissado.

24 - Q361664 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Utilização das provas nos diferentes
procedimentos ; Atos, termos e prazos processuais. Vícios dos atos
processuais. Provas no processo do trabalho; ) Dada a celeridade, que
fundamenta o procedimento sumaríssimo, a CLT não admite o
deferimento e a realização de prova técnica pericial.

25 - Q361665 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Audiência. Conciliação. Resposta do
reclamado. Razões finais Audiências; Dissídio individual e dissídio
coletivo; ) No processo do trabalho, o reclamante que der causa a dois
arquivamentos seguidos de reclamação trabalhista em face de seu não
comparecimento à audiência fica definitivamente impossibilitado de
exercer novamente o direito de reclamar perante a justiça do trabalho, se
a nova ação envolver o mesmo reclamante, reclamado e objeto.

26 - Q361667 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Partes, procuradores, representação,
substituição processual e litisconsórcio. Conciliação e sentença; Mandato
tácito; ) Consoante entendimento do TST, é válido o substabelecimento
de advogado investido de mandato tácito, que se configura com o

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 25 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra
comparecimento do advogado e da parte em audiência.

27 - Q361668 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Execução trabalhista; Penhora.
Expropriação e suas modalidades;) Acerca de recursos, execução
trabalhista e dissídio coletivo, julgue os itens seguintes. Realizada a hasta
pública na execução, o bem deverá ser vendido ao interessado que
ofertar o maior lance, e o arrematante deverá garantir o lance com sinal
correspondente a 10% do valor inicialmente orçado.

28 - Q361669 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Dissídio coletivo e modalidades ; Ação
rescisória; Dissídio individual e dissídio coletivo; Ações especiais no
processo trabalhista; ) A sentença normativa proferida posteriormente à
sentença rescindenda é considerada documento novo para fins de
rescisão de sentença de mérito transitada em julgado.

29 - Q361670 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Sistema recursal trabalhista;
Pressupostos extrínsecos e intrínsecos; ) Segundo entendimento
consolidado do TST, recurso sem assinatura deve ser considerado
inexistente. Será considerado válido o apelo se assinado, ao menos, na
petição de apresentação ou nas razões recursais.

30 - Q361671 ( Prova: CESPE - 2014 - PGE-BA - Procurador do Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência da Justiça do Trabalho;
Competência em razão da matéria; Sistema recursal trabalhista;
Recurso ordinário; ) cabível recurso ordinário caso o juiz declare a
incompetência absoluta em razão da matéria da justiça do trabalho e
determine a remessa dos autos à justiça comum.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 26 de 27


Teoria e questões de Processo do Trabalho para TRT/MG –
Questões CESPE/2014
Prof. Bruno Klippel – Aula Extra

3. GABARITOS:

1. ERRADA 2. CERTA 3. ERRADA 4. CERTA 5. CERTA


6. CERTA 7. ERRADA 8. CERTA 9. ERRADA 10. CERTA
11. ERRADA 12. ERRADA 13. CERTA 14. CERTA 15. ERRADA
16. ERRADA 17. ERRADA 18. ERRADA 19. ERRADA 20. CERTA
21. CERTA 22. CERTA 23. CERTA 24. ERRADA 25. ERRADA
26. ERRADA 27. ERRADA 28. ERRADA 29. CERTA 30. CERTA

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 27 de 27