Você está na página 1de 26

Cada vez mais as empresas e a tecnologia exigem da empresa

e de seus gestores uma tomada de decisão quanto a busca por


novos mercados, o desenvolvimento de novos produtos e a
conquista do consumidor.

Diante de todas essas necessidades e exigências de mercado


Seu Gestor, proprietário de uma empresa de marcenaria no
ramo de móveis planejados, negócio familiar que vem
passando de geração em geração, percebeu que está num
momento de mudança e que precisa desenvolver novas formas
de se comunicar com os clientes, cada vez mais exigentes.

Cheio de ideias e não sabendo por onde começar ao certo,


pois sabia que se tomasse uma decisão errada poderia colocar
em risco os negócios da família, decidiu conversar com seu
colaborador Agnaldo Projetcus.

Ao iniciar a conversa com o colaborador Seu Gestor foi


questionado quanto a definição de projeto, sem saber ao certo
o que se compreende por um projeto, apesar de sempre achar
que realiza um projeto ao fechar um novo contrato para a
realização de uma festa infantil, Seu Gestor colocou-se a ouvir
o que Agnaldo Projectus tinha a falar.

Num primeiro momento era necessário entender o que é um


projeto, assim:
Fonte: https://tatibarreto.files.wordpress.com/2014/12/o-que-c3a9-
projeto.png

Agnaldo percebeu a necessidade de aplicar ao Seu Gestor


cada um dos fatores envolvidos na definição de projeto.

Assim, ao falar de “esforço temporário” estamos falando num


empreendimento que não é repetitivo, caso tenha uma duração
contínua estamos falando em uma atividade funcional ou
programa. Esse esforço temporário possui começo, meio e fim
assim podemos dizer que as atividades podem ser
apresentadas por um cronograma a ser desenvolvido e
gerenciado.

Trata-se de um empreendimento, uma vez que é composto de


atividades interligadas e realizadas de acordo com o escopo
desenhado pelo cliente para a criação de um produto ou
serviço, atendendo a requisitos específicos.

Outro fator essencial é que o produto ou o serviço seja


exclusivo, ainda não comercializado pela empresa, a partir de
sua concepção e aprovação passará a ser produzido e
comercializado pela empresa, no caso de um serviço será
executado.

Ainda falando em projetos Agnaldo ainda explicou que o


projeto pode ser dividido em cinco processos, a saber:

1. Iniciação: constitui o momento inicial do projeto no qual os


envolvidos passam a compreender o que é o projeto, com a
identificação das necessidades ou da oportunidade e há a
identificação do problema. Neste momento é comum fazer uma
estimativa dos esforços, recursos, estimativas de custos e
prazos.

2. Planejamento: neste momento há a abertura do project


charter ou a ideia do projeto, a qual apresenta:

 Justificativa do projeto: descrição básica da necessidade


ou da oportunidade e os benefícios na sua resolução, com
a apresentação dos pontos forte e fracos do
desenvolvimento do projeto;
 Descrição do projeto: descrição da solução para a
oportunidade ou necessidade;
 Entregáveis: breve descrição do escopo do projeto:
 Estimativa de custos e tempo: descrição do tempo e valor
estimado.
3. Execução: prática de todas as atividades planejadas visando
o cumprimento dos prazos, atividades, custos e qualidade.

4. Controle e Monitoramento: controle do projeto, com a


realização de possíveis ajustes, sem a modificação do escopo
do projeto.

5. Encerramento: consiste no encerramento do projeto, com o


encerramento dos contratos e da criação do relatório das lições
aprendidas (erros e acertos ocorridos no decorrer do projeto).
Fonte: http://brunobuenomg.blogspot.com.br/2014/05/escritorios-de-
projetos.html

As fases do projeto ocorrem de modo interativo, sendo que


cada uma delas apresenta um início e fim, com interferências
claras de uma fase em outra.

Seu Gestor estava fascinado com a quantidade de informações


obtivas nessa conversa, embora Agnaldo Projetctus deixou
claro que ainda havia muito a aprender sobre Gestão de
Projeto.

O relógio anuncia 6h e Agnaldo precisa ir para a Faculdade


para aprender mais sobre o tema, mas deixa ao Seu Gestor a
seguinte pergunta:

- Como se chama as pessoas interessadas em um projeto? E


quais as três variáveis importantes para o projeto, as que são
consideradas seu tripé?

Link:

Vídeo sobre Gerenciamento de Projetos


https://www.youtube.com/watch?v=9mCQORwPY-A

Tese sobre Gerenciamento de Projetos

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-26062004-
161221/publico/Dissertacao_Leandro_Patah_2.pdf

Livro sobre gerenciamento de projetos

file:///C:/Users/Danylo/Downloads/6096_trp.pdf

Site do PMI Brasil com informações sobre projetos e seu


gerenciamento:

https://brasil.pmi.org/brazil/AboutUS/WhatIsProjectManagement.aspx

Resumo:

Vimos que ao falarmos de projeto estamos levando em conta


uma série de variáveis que devem ser conhecidas pelo gestor
da empresa e pelas pessoas envolvidas no projeto evitando
assim equívocos e desperdício de dinheiro e tempo da
empresa. Cabe ao projeto o desenvolvimento de um produto
exclusivo em tempo determinado e de acordo com os custos
pré-orçados visando o atendimento da necessidade do cliente.

Referências Bibliográficas:

KEELLING, Ralph; BRANCO, Renato H. F. Gestão de Projetos:


Uma abordagem Global. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MAXIMIANO, Antonio Caser Amaru. Administração de Projetos:


Como Transformar Ideias em Resultados. 4ª. edição. São
Paulo: Atlas, 2010.

MENEZES, Luís César de Moura. Gestão de Projetos. 2ª.


edição. São Paulo: Atlas, 2008.
ROLDÃO, Victor Sequeira. Gestão de Projetos: Uma Perspectiva
Integrada. 1ª ed. São Carlos: UFSCAR – Universidade Federal
de São Carlos, 2004.

VALERIANO, Dalton. Moderno Gerenciamento de Projetos. São


Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005

Ao chegar na empresa no dia seguinte Agnaldo Projectus


encontra Seu Gestor na busca das perguntas deixadas no dia
anterior. Antes mesmo do bom dia Agnaldo passou a
responder as questões.

Os interessados no projeto são chamados de stakeholders, são


da alta gerência com interesse no projeto. Cabe a ele a busca
por recursos financeiros para o projeto e a condução das
negociações visando o bom andamento do projeto. Entre as
outras figuras temos o Gerente de Projetos que é o
responsável pela gestão do projeto e a sua condução.

Quanto às variáveis importantes para o projeto Agnaldo


Projectus apresentou o figura abaixo:

Fonte: http://projetoseti.com.br/tripla-restricao-sextupla-restricao-
quem-e-quem/

O escopo consiste na descrição detalhada do projeto do


produto ou serviço que se está idealizando, neste momento
deve-se apresentar o que não será feito também. Por exemplo
o Seu Gestor desenvolve móveis planejados, assim cabe a ele
e sua empresa o desenvolvimento dos móveis de acordo com a
necessidade do cliente e a disponibilidade de local a serem
instalados os móveis, não cabe a sua empresa as adequações
hidráulicas ou elétricas. Quanto ao tempo refere-se ao
cronograma temporal que estrutura passo a passo as fases e
atividades do projeto, abaixo temos um exemplo simples:

Fonte: http://www.elirodrigues.com/serie-como-fazer-um-
cronograma/parte-6-como-fazer-um-cronograma-no-excel/

Já o custo consiste na orçamentação para a realização do


projeto, se houver qualquer alteração do escopo ou as
atividades forem realizadas em atraso, impactando o
cronograma fará reflexo no custo aumentando-o.

Todos esses fatores fazem reflexo na qualidade do projeto,


podemos pensar nas seguintes colocações abaixo:

Um BOM serviço BARATO não será RÁPIDO

Um BOM serviço RÁPIDO não será BARATO

Um serviço RÁPIDO e BARATO não será BOM

Fonte: http://projetoseti.com.br/tripla-restricao-sextupla-restricao-
quem-e-quem/

Outra novidade trazida pelo Agnaldo Projectus ao Seu Gestor


foi o termo EAP (Estrutura Analítica do Projeto) ou em inglês
WBS - Work Breakdown Structure, a qual consiste em uma
ferramenta primária na qual o projeto é decomposto em parte
menores, o que possibilita sua melhor visualização e quais são
as entregas, ou como é conhecido em inglês deliverables, para
que assim o projeto possa se realizar. Consiste, na maior parte
do tempo, na base para o planejamento do projeto.
Fonte: http://www.euax.com.br/2010/10/eap-em-projetos-e-dificil-
somente-ate-entender-como-usar/

Seu Gestor quis saber de Agnaldo se ao iniciar um projeto, se


este não poderia ser alterado, pensou na mudança de ideias do
cliente ou até mesmo uma restrição antes desconhecida pelos
envolvidos no processo. Para sua surpresa Agnaldo Projectus
informou ao Seu Gestor que um projeto deverá ter um Sistema
de Controle de Mudanças – SCM, que é constituído pela
documentação das modificações e aprovações das mudanças.

Agnaldo aproveitou a preocupação do Seu Gestor e


apresentou as possíveis causas de fracassos e sucessos do
projeto:

Principais causas de fracasso:

o Metas e objetivos mal estabelecidos;

o Atividades excessivas e pouco tempo para realizá-las;

o Estimativas financeiras insuficientes ou inconsistentes;

o Dados do projeto insuficientes ou até mesmo inadequados;

o Gestão de controle do projeto inadequado;

o Projeto sem gerente de projeto ou com gerentes demais;

o Opinião pública desfavorável;

o Ineficiência no emprego de recursos do projeto;

o Falta de dedicação e comprometimento dos membros da


equipe.

Causas de sucesso:
o Acompanhamento adequado dos envolvidos e da alta
gestão;

o Planejamento efetivo;

o Autoridade e responsabilidade delegadas;

o Planejamento efetivo e eficaz de contingências;

o Alto comprometimento do cliente e envolvidos com o


projeto;

o Eficiente sistema de monitoração, avaliação e controle no


uso de recursos do projeto.

Uma longa tarde de conceitos e novas ferramentas causavam


maior entusiasmo ao Seu Gestor pois não apenas compreendia
mais sobre Gestão de Projetos como também sobre o seu
empreendimento e como estava pronto para o novo desafio
proposto por Agnaldo Projectus; conhecer as nove áreas de
gerenciamento de um projeto.

Situação Problema:

A EAP constitui uma ferramenta essencial para organizar e


auxiliar na definição total do escopo, visto que possibilita uma
visão geral do projeto e das atividades a serem realizadas em
cada uma das etapas o que possibilita o melhor planejamento e
monitoramento do projeto.

Quanto a situação problema do artigo em questão trata da


reforma e ampliação de um estádio de futebol, o Estádio
Nacional de Brasília visando atingir a capacidade de 70.000
lugares.

A importância da EAP para o projeto em questão visava


garantir que todas as atividades fossem abrangidas e as
entregas realizadas de acordo com o cronograma bem como o
atendimento das necessidades diagnosticas e apontadas no
escopo.
Fonte: http://conic-semesp.org.br/anais/files/2013/trabalho-
1000014224.pdf

Questão:

01. O Guia PMBOK® descreve a natureza dos processos de


gerenciamento de projetos em termos da integração entre os
processos, suas interações e seus objetivos. Os processos de
gerenciamento de projetos são agrupados em cinco processos,
a saber:

1. Processos de iniciação.

2. Processos de planejamento.

3. Processos de execução.

4. Processos de monitoramento e controle.

5. Processos de encerramento.

( ) processos necessários para definir o escopo do projeto,


refinar os objetivos e definir a linha de ação necessária para
alcançar os objetivos para os quais o projeto foi criado;

( ) processos realizados para executar o trabalho definido no


plano de gerenciamento do projeto para satisfazer as
especificações do projeto;
( ) processos exigidos para acompanhar, analisar e controlar o
progresso e desempenho do projeto, identificar quaisquer
áreas nas quais serão necessárias mudanças no plano, e
iniciar as mudanças correspondentes;
( ) processos executados para finalizar todas as atividades de
todos os grupos de processos, visando encerrar formalmente o
projeto ou fase;
( ) processos executados para definir um novo projeto ou uma
nova fase de um projeto existente através da obtenção de
autorização para iniciar o projeto ou fase.
Associação correta entre cada um dos processos de
gerenciamento de projetos é:

a) 3, 2, 5, 1 e 4;

b) 2, 3, 4, 5 e 1;

c) 3, 2, 4, 1 e 5;

d) 2, 3, 5, 4 e 1;

e) 3, 2, 1, 5 e 4.

Correta letra: B

02. Considere as seguintes assertivas sobre a Estrutura


Analítica do Projeto (EAP), prevista no processo "Criar a EAP",
no PMBOK, 5ª Edição:

I. A EAP descreve como o projeto será executado, controlado,


monitorado e encerrado. A Estrutura Analítica do Projeto é
composta de vários planos auxiliares, como, por exemplo, o
Plano de Gerenciamento de Custos, o Plano de Gerenciamento
de Riscos, o Plano de Gerenciamento da Qualidade e o Plano
de Gerenciamento das Comunicações, dentre outros.

II. A EAP é elaborada no grupo de processos de


gerenciamento de projetos chamado de "Monitoramento e
Controle".

III. As versões aprovadas de uma EAP, de seu dicionário


associado, juntamente com a especificação de escopo do
projeto, permite obter, como saída, a linha de base do escopo.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.
c) Apenas III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III

Correta letra: C

Link:

Vídeo sobre criação do EAP – Estrutura Analítica do Projeto

https://www.youtube.com/watch?v=TS9eciG-Ddw

Exemplos de EAP

https://www.youtube.com/watch?v=36Q70jLkmxw

Texto sobre a criação e importância da EAP

http://www.bitavel.com/portal/fotos/ar_eap_7034.pdf

Livro sobre gerenciamento de projetos

file:///C:/Users/Danylo/Downloads/6096_trp.pdf

Site sobre EAP e sua criação

http://projetoseti.com.br/criar-a-estrutura-analitica-do-projeto-eap/

Resumo:

Ao falarmos de Gestão de Projetos é necessário conhecer as


pessoas envolvidas na gestão e ferramentas que possibilitem
uma melhor dinâmica de gerenciamento, uma delas a EPA –
Estrutura Analítica do Projeto ou em inglês WBS - Work
Breakdown Structure.
Referências Bibliográficas:

KEELLING, Ralph; BRANCO, Renato H. F. Gestão de Projetos:


Uma abordagem Global. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MAXIMIANO, Antonio Caser Amaru. Administração de Projetos:


Como Transformar Ideias em Resultados. 4ª. edição. São
Paulo: Atlas, 2010.

MENEZES, Luís César de Moura. Gestão de Projetos. 2ª.


edição. São Paulo: Atlas, 2008.

ROLDÃO, Victor Sequeira. Gestão de Projetos: Uma Perspectiva


Integrada. 1ª ed. São Carlos: UFSCAR – Universidade Federal
de São Carlos, 2004.

VALERIANO, Dalton. Moderno Gerenciamento de Projetos. São


Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005

Um novo dia de descoberta raia para o Seu Gestor com a


ajuda de seu colaborador Agnaldo Projectus, conhecer e
compreender as nove áreas para o gerenciamento de projetos.

De acordo com o PMBOOK do Instituto de Gestão de Projeto


há nove áreas de conhecimento que são essenciais para o
Gerenciamento de um projeto, são elas:
Fonte: http://www.mhavila.com.br/topicos/gestao/pmbok.html

Seu Gestor quis conhecer cada uma dessas áreas mais a


fundo, assim temos:

Gestão de Escopo

Seu Gestor já conhecia este conceito, embora Agnaldus quis


trazer à tona um conceito formal;

O escopo é refere-se às características do produto ou serviço, isto é,


as suas especificações funcionais e técnicas, as quais constituem a
base para a administração da qualidade do projeto (MAXIMIANO,
2010).

O escopo é constituído de duas etapas; a declaração e o


detalhamento, a primeira, suscinta, consiste em uma
configuração inicial do produto que será fornecido. Já a
segunda, detalhamento, é a relação minuciosa do produto que
será fornecido e a lista de entregáveis, os
chamados deliverables.

Todos esses conceitos já eram conhecidos pelo Seu Gestor,


estava ansioso para conhecer os demais.
Gestão de Tempo

O gerenciamento do tempo consiste na gestão, sincronização e


sequenciamento das atividades demarcando as devidas
estimativas de duração de cada uma das atividades.

Para isso utiliza algumas ferramentas, a saber:

 Diagrama de dependência: resumo das atividades com a


apresentação da atividade e sequenciamento resumido,
ajuda a visualizar as decisões a serem tomadas e as
restrições para que assim pode ser montado o cronograma;
 Cronograma: representação gráfica que apresenta a
demonstração das atividades a longo do tempo do projeto;
 Diagramas de redes: consistem na diagramação de
precedência com informações das atividades e caminho
crítico, o qual consistem ao caminho mais longo que
abrange a primeira e última atividade.
 Gráfico de Gantt: ou como é conhecido gráfico de barras,
consiste na demonstração gráfica da atividade e
sequenciamento.

Fonte: https://tiemfoco.wordpress.com/tag/ms-project/
Gestão de Custo

Cabe a está área de gestão assegurar que os custos orçados


sejam cumpridos por meio da orçamentação e o controle dos
custos.

Gestão de Qualidade

Pode-se compreender a qualidade como o conjunto de


características ou especificações que um produto ou serviço
devem apresentar para atender as necessidades, implícitas ou
explicitas, do consumidor.

Quanto a área qualidade no gerenciamento de projeto é


responsável que as características e especificações (requisitos)
atinjam o desempenho esperado pelo cliente, definidos no
escopo do projeto.

Além do atendimento das característica almejadas pelos


clientes a qualidade também deve atender a questões
ambientas, com a avaliação dos impactos econômicos e
sociais.

Para que possa garantir a qualidade deve-se estruturar um


sistema da qualidade que compreenda elementos como
padrões, procedimentos de análise, responsabilidades
definidas, testes e simulações e a documentação por meio de
manuais.

Gestão de RH

Consiste na administração das pessoas envolvidas no


processo visando a manutenção de todos os envolvidos no
projeto, identificando as atribuições, funções e as devidas
vinculações do pessoal no projeto. Para isso a ferramenta
utilizada é a Matriz de Responsabilidade.

Gestão de Comunicação

Consiste na disseminação das informações à equipe de


projetos afim de que os envolvidos conheçam seus papeis e
bem como seja desenvolvida toda a documentação do projeto
para projetos futuros e lições aprendidas.

Gestão de Riscos

dministrar os riscos em um projeto consiste em antecipar a


ocorrência de problemas, com as possíveis respostas e
monitorar e controlar a incidências desses na execução do
projeto.

Pode-se compreender o risco como condições prováveis a


ocorrer, tal compromete a entrega ou até mesmo todo o
projeto. Podem ser organizados e analisados por meio de
ferramentas, uma dela o Diagrama de Ishikawa ou Diagrama
da Espinha de Peixe.

As respostas possíveis ao risco são:

 Prevenção: consiste em prevenir ou evitar a incidência do


risco;
 Mitigação: consiste em reduzir o impacto ou a
probabilidade de ocorrência do risco;
 Transferência: mudança do foco da responsabilidade para
alguém que assuma
 Aceitação: consiste em simplesmente aceitar o risco sem
evita-lo;
 Compartilhamento: é a busca por dividir o risco com os
parceiros do projeto;
 Previsão de reserva no orçamento: consiste em ter uma
reserva para o caso de mitigação (MAXIMIANO, 2010)
Gestão de Aquisição

Esta área é responsável pelo levantamento das necessidades,


com as devidas qualidades, modalidades, onde e quando,
definição efetiva dos fornecedores visando assegurar o
cumprimento de prazos e valores,

Gestão de Integração
A esta área cabe a identificação, definição, combinação,
unificação e coordenação do processo e atividades do
gerenciamento do projeto, visando gerenciar com sucesso as
expectativas das partes interessadas e atender os requisitos.

Questão:

01. De acordo com os conceitos estudados em Gestão de


Projetos, analise as afirmações abaixo:

I. O principal objetivo do Guia PMBOK é identificar o


subconjunto do conjunto de conhecimentos em gerenciamento
de projetos que é amplamente reconhecido como boa prática.

II. O PMBOK não fornece uma descrição detalhada do conjunto


de conhecimentos, mas sim uma visão geral, sendo que boa
prática significa que existe um acordo geral de que a aplicação
correta dessas habilidades, ferramentas e técnicas pode
aumentar as chances de sucesso de uma ampla série de
projetos diferentes.

III. Criar a Estrutura Analítica do Projeto (EAP) faz parte da


área de conhecimento Gerenciamento do Escopo do Projeto.

IV. Gerenciamento das Comunicações do Projeto e


Gerenciamento de Aquisições do Projeto são áreas de
conhecimento do PMBOK.

a) I, II, III e IV.

b) I e III, somente.

c) II e III, somente.

d) I, II e IV, somente.

e) II, III e IV, somente.


Correta letra: A

02. A metodologia do Project Management Body Of


Knowledge (PMBOK), desenvolvida pelo Project Management
Institute (PMI), destaca que, para um projeto obter bom
desempenho, faz-se necessária a compreensão de um
conjunto de áreas de conhecimento relacionadas à gestão de
projetos. Considere as áreas de conhecimento numeradas a
seguir e as finalidades de cada uma delas, relacione as
colunas e assinale a alternativa com a sequência correta.

1. Escopo.

2. Comunicação.

3. Integração.

4. Qualidade.

( ) Suprir as informações necessárias para o gerenciamento do


projeto e sua documentação.

( ) Garantir a inserção de todos os trabalhos necessários para


completar o projeto.

( ) Planejar, garantir e controlar a qualidade do produto do


projeto.

( ) Identificar, combinar e coordenar as ações essenciais do


projeto.

( ) Garantir a geração, coleta, armazenagem e distribuição das


informações sobre o projeto.

( ) Atender às necessidades propostas pelo projeto.

( ) Refere-se ao produto do projeto – os entregáveis.


a) 2 – 4 – 3 – 3 – 4 – 1 – 4.

b) 1 – 1 – 3 – 1 – 2 – 2 – 4.

c) 3 – 4 – 1 – 2 – 4 – 2 – 3.

d) 1 – 2 – 2 – 1 – 1 – 3 – 4.

e) 2 – 1 – 4 – 3 – 2 – 4 – 1.

Correta letra: E

Fonte: https://books.google.com.br/books?hl=pt-
BR&lr=&id=Xe3yFG_81_UC&oi=fnd&pg=PA7&dq=gest%C3%A3o
+de+projetos&ots=tKRfhi9jRO&sig=Ntf94Pr-
KDqnOea17TZMAdwUFEI#v=onepage&q=gest%C3%A3o%20de%2
0projetos&f=false

A obra permite ao aluno conhecer a metodologia da Gestão de


Projetos, afim de possibilitar o emprego da metodologia e das
ferramentas visando o desenvolvimento de produtos ou
serviços exclusivo, garantindo a satisfação do cliente e o
cumprimento do escopo. A abordagem das nove áreas que
abordam sobre o gerenciamento de projeto possibilitam
compreender a importância e aplicação no gerenciamento de
projetos com o desenvolvimento de planos eficazes, foco nas
entregas, comunicação, gestão da equipe e análise de riscos.

Link:

Vídeo sobre Gerenciamento de Tempo – Desenvolvimento do


cronograma

https://www.youtube.com/watch?v=2D5afWVdanA
O vídeo apresenta de forma assertiva as ferramentas utilizadas
para a o gerenciamento do tempo de um projeto e o
desenvolvimento de um cronograma, atribuindo as atividades e
suas prioridades.

Vídeo sobre Gerenciamento de Riscos - Análise Qualitativa dos


Riscos

https://www.youtube.com/watch?v=ZJGaRTdEwJ0

O vídeo trata sobre a área de Gerenciamento de Riscos quanto


a análise qualitativa dos riscos, a qual trata da avaliação do
projeto quanto a exposição a riscos, analise e reflexos deste
últimos no projeto.

Vídeo sobre Gerenciamento de Riscos – Planejamento das


Respostas aos Riscos

https://www.youtube.com/watch?v=m1s41oaKePY

Ao falar em Gerenciamento de Riscos é necessário ao gestor


do projeto o planejamento das respostas aos possíveis riscos
que o projeto possa enfrentar, visando o cumprimento do
escopo.

Artigos científicos:

O artigo aborda a metodologia e a forma da implantação do


gerenciamento de projetos em uma situação real afim de
possibilitar uma melhor visão entre a teoria e a prática,
verificando os reais problemas e a estruturação de um modelo
de gerenciamento de projeto voltado a atender as
necessidades e a realidade da empresa e a garantia ao
desenvolvimento do escopo de projeto nas condições
estabelecidas e analisadas inicialmente.

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
530X2012000300002&lang=pt

Cabe ao artigo apresentar de forma assertiva os principais


problemas enfrentados pelo gerenciamento de projetos quanto
a concepção, desenvolvimento e a gestão do projeto, em
especial, abordando áreas do gerenciamento de projeto tais
como a gestão de risco, comunicação e recursos humanos.

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
530X2010000100014&lang=pt

Resumo:

Ao falar sobre gerenciamento de projetos devemos ter em


mente as nove áreas que está inseridas na gestão de projetos,
suas concepções e aplibações para que possa-se ter um
resultado efetivo.

Referências Bibliográficas:

KEELLING, Ralph; BRANCO, Renato H. F. Gestão de Projetos:


Uma abordagem Global. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MAXIMIANO, Antonio Caser Amaru. Administração de Projetos:


Como Transformar Ideias em Resultados. 4ª. edição. São
Paulo: Atlas, 2010.

MENEZES, Luís César de Moura. Gestão de Projetos. 2ª.


edição. São Paulo: Atlas, 2008.

ROLDÃO, Victor Sequeira. Gestão de Projetos: Uma Perspectiva


Integrada. 1ª ed. São Carlos: UFSCAR – Universidade Federal
de São Carlos, 2004.
VALERIANO, Dalton. Moderno Gerenciamento de Projetos. São
Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005