Você está na página 1de 8

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

Definição

Conjunto de obras e instalações destinadas a propiciar a coleta, transporte, tratamento e disposição final das águas residuárias da comunidade, de uma forma adequada do ponto de vista sanitário.

Caracterização Quantidade e Qualitativa de Esgotos

esgotos domésticos águas de infiltração efluentes industriais

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS

Sistemas individuais: são adotados normalmente para o atendimento unifamiliar e é constituído por uma fossa séptica e um dispositivo de infiltração no solo que poderá ser um poço negro (sumidouro) ou outro dispositivo de irrigação sub-superficial (valas).

Para que estes sistemas funcionem satisfatoriamente:

as habitações tem que ser esparsas (lotes grandes com elevada percentagem de área livre) o solo deverá apresentar boas condições de infiltração, o lençol freático deve estar em uma profundidade adequada para não haver risco de contaminação por microorganismos transmissores de doenças (microorganismos patogênicos).

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS Sistemas individuais:
SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS
SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS
Sistemas individuais:

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS

Sistemas coletivos: são adotados para o atendimento de uma comunidade e são constituídos de canalizações que recebem os esgotos para transportar adequadamente ao destino final.

O atendimento de uma comunidade, como por exemplo: uma vila ou um loteamento, poderá ser feita com uma fossa séptica coletiva que terá também a função de tratamento dos esgotos, desde que exista área disponível e que as características do solo e de nível de lençol subterrâneo permitam a infiltração dos esgotos sem riscos de contaminação.

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS Sistemas coletivos:
SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS
SISTEMAS DE COLETA E TRANSPORTE DE ESGOTOS
Sistemas coletivos:

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

SISTEMAS DE COLETA COLETIVOS E TRANSPORTE DE ESGOTOS

SISTEMA UNITÁRIO (COMBINADO). Este sistema coleta os esgotos juntamente com as águas pluviais e normalmente não é utilizado por exigir investimentos iniciais maiores, devidos principalmente ao grande diâmetro das canalizações.

Inconvenientes:

problemas em regiões onde as precipitações são muito intensas (regiões tropicais); poluição dos corpos receptores porque os sistemas de tratamento não podem ser dimensionados para tratar toda a vazão (vazão dos esgotos e vazão da chuva), logo, uma parcela destes esgotos, em períodos críticos, extravasa para o corpo receptor sem tratamento; problemas de mau cheiro em certas partes do sistema (bocas de lobo).

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

SISTEMAS DE COLETA COLETIVOS E TRANSPORTE DE ESGOTOS

SISTEMA SEPARADOR O sistema separador tem o objetivo de coletar exclusivamente os esgotos sanitários e apresentam como grande vantagem o reduzido custo (canalizações de menor diâmetro), o que já justifica o seu emprego. Vantagens:

o afastamento das águas pluviais em separado - vários lançamentos ao longo dos cursos de água, evitando-se o transporte das águas pluviais a longa distância; possibilidade de planejamento das obras para a execução em etapas, de acordo com a sua importância e as disponibilidades econômicas da comunidade; permite o emprego de vários materiais para as tubulações de esgotos (tubos de cerâmica, tubos de concreto, tubos de PVC, tubos de ferro fundido).

SISTEMA DE ESGOTOS SANITÁRIOS

SISTEMAS DE COLETA COLETIVOS E TRANSPORTE DE ESGOTOS

Os sistemas normalmente não são totalmente separadores, pois no próprio conceito de esgoto sanitário já estão incluídas parcelas de esgoto industrial (admissível a tratamento juntamente com o esgoto doméstico), águas de infiltração e a contribuição pluvial parasitária (proveniente do encaminhamento acidental ou clandestino das águas pluviais).

Em princípio as águas pluviais não deveriam chegar aos coletores de sistemas separadores, mas na prática isto ocorre devido a defeitos nas instalações e ligações clandestinas (lançamento de águas de chuva nos sistemas de esgotos), mas estas ligações clandestinas deverão ser fiscalizadas e controladas porque poderão dificultam as operações dos sistemas.

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

VAZÃO DOMÉSTICA Estimativa da vazão base no consumo de água – Quota Per Capita (QPC) Valores padrões de geração de esgotos

Vazões mínimas, médias e máximas Hidráulica Processo

 
 

Valores típicos da QPC para ligações domiciliares

Porte

População (hab.)

QPC (L/hab.d)

Povoado rural

< 5.000

090 - 140

Vila

5.000 – 10.000

100 - 160

Cidade pequena

10.000 – 50.000

110 - 180

Cidade média

50.000 – 250.000

120 - 220

 

Cidade grande

> 250.000

150 - 300

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Consumo de água típico de alguns estabelecimentos comerciais

ESTABELECIMENTO

UNIDADE

Faixa de Vazão (L/unid.d)

Aeroporto

Passageiro

8-15

Alojamento

Residente

80-150

Banheiro público

Usuário

10-25

Bar

Freguês

5-15

Cinema/teatro

Assento

2-10

Escritório

Empregado

30-70

Hotel

Hóspede

100-200

Empregado

30-50

Industria (esgotos sanit. apenas)

Empregado

50-80

Lanchonete

Freguês

4-20

Lavanderia-comercial

Máquina

2.000-4.000

Lavanderia-automática

Máquina

1.500-2.500

Loja

Banheiro

1.000-2.000

Empregado

30-50

Loja de departamento

Banheiro Empregado m 2 de área

1.600-2.400

30-50

5-12

Posto de gasolina

Veículo servido

25-50

Banheiro Empregado m 2 de área 1.600-2.400 30-50 5-12 Posto de gasolina Veículo servido 25-50

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Consumo de água típico de alguns estabelecimentos comerciais

   

Faixa de

ESTABELECIMENTO

UNIDADE

Vazão

(L/unid.d)

Clinica de repouso

Residente

200-450

Empregado

20-60

Escola -com lanchonete, ginásio, chuveiros -com lanchonete, sem ginásio e chuveiros -sem lanchonete, ginásio e chuveiros

Estudante

50-100

Estudante

40-80

Estudante

20-60

Hospital

Leito

300-1000

Empregado

20-60

Prisão

Detento

200-500

Empregado

20-60

Restaurante

Refeição

15-30

Shopping center

Empregado m 2 de área

30-50

4-10

20-60 Restaurante Refeição 15-30 Shopping center Empregado m 2 de área 30-50 4-10

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

VAZÃO DOMÉSTICA

Fatores de Influência no Consumo de Água

Fator de influência

Comentário

Clima

Porte da comunidade

Condições econômica

Grau de industrialização

Pressão da água

Perdas dos sistemas

Medição do consumo

Custo da água

Climas mais quentes e secos (+)

Cidades maiores (+)

Melhor nível econômico (+)

Localidades mais industrializadas (+)

Elevada pressão induz a maiores gastos (+)

Necessidade de maior produção de água (+)

Inibição do consumo (-)

Custo mais elevado reduz o consumo (-)

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS VAZÃO DOMÉSTICA Cálculo da vazão doméstica - Coeficiente de
CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS
ESGOTOS SANITÁRIOS
VAZÃO DOMÉSTICA
Cálculo da vazão doméstica - Coeficiente de Retorno (R)
Relação com o consumo de água 60 – 100 %
Valor usual 80 % ou R = 0,80
Pop . QPC . R
3
Q
(m
/ d)
dmédia =
1000
Pop . QPC . R
(L / s)
Q dmédia =
86400
Cálculo da vazão doméstica – Norma ABNT - NBR7229 (1993)
Padrão socio-econômico:
Baixo:
100 L/dia.hab
Geração de
Médio:
130 L/dia.hab
esgotos
Alto:
160 L/dia.hab
CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS VAZÃO DOMÉSTICA Variações de vazão - Vazões máxima e
CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS
ESGOTOS SANITÁRIOS
VAZÃO DOMÉSTICA
Variações de vazão - Vazões
máxima e mínima
Coeficientes de variação de vazão
K1 = 1,2 (coef. do dia de maior consumo)
K2 = 1,5 (coef. Da hora de maior
consumo)
⇒Variações ao
longo
do
dia
(variações horárias)
⇒Variações ao longo da semana
(variações diárias)
⇒Variações ao
longo
do
ano
K3 = 0,5 (coef. Da hora de menor
consumo
(variações sazonais)
Q dmax = Q dmédio .K1.K2 = 1,80. Q dmédio
Q dmin = Q dmédio .K3 = 0,5. Q dmédio

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

VAZÃO DE INFILTRAÇÃO Origem Tubos defeituosos, conexões, juntas ou paredes de poços de visitas

Fatores Influentes Extensão da rede coletora Área servida Tipo de solo Profundidade do lençol freático Topografia Densidade populacional

Estimativa da Vazão de infiltração 0,3 – 0,5 L/s.km Vazão máxima: considerar a vazão média Vazão mínima: desconsiderar a vazão de infiltração

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

VAZÃO INDUSTRIAL

Esta vazão é função do tipo e porte da indústria, processo, grau de reciclagem da água, existência de pré-tratamento.

Avaliação adequada da vazão Dados específicos de cada indústria

de pré-tratamento. Avaliação adequada da vazão Dados específicos de cada indústria Maior segurança da estimativa

Maior segurança da estimativa

CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

EXEMPLO:

Calcular a vazão média, mínima e máxima de uma comunidade com as seguintes características:

População: 1200 habitantes (60 % baixo; 40 % médio)

EXERCÍCIO:

1 – Estimar a vazão de esgoto de um hotel com uma

capacidade de 80 hospedes e que necessitará de uma equipe de 15 pessoas para o funcionamento.

2 - Calcular a vazão média, mínima e máxima de uma

comunidade com as seguintes características:

População: 16245 habitantes (75 % baixo; 20 % médio; 5 % alto) Comprimento da rede: 12575 metros.

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

 

COMPOSIÇÃO Função dos usos a qual a água é submetida e forma com que são exercidos.

Variação com o clima Situação social e econômica Hábitos da população

Água: 98 – 99,9 % Sólidos: 2 – 0,1 %

ÁGUA

Esgoto
Esgoto

SÓLIDOS

ÁGUA Esgoto SÓLIDOS POLUIÇÃO

POLUIÇÃO

 

Orgânicos

  Orgânicos TRATAMENTO

TRATAMENTO

Inorgânicos

Suspensos

 

Dissolvidos

Microrganismos

 

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Físicas dos Esgotos Domésticos

Parâmetro

Descrição

Temperatura

-Ligeiramente superior à da água de abastecimento -Variação conforme as estações (mais estável ar) -Influência na atividade microbiana -Influência na solubilidade dos gases -Influência na viscosidade do líquido

Cor

-Esgoto fresco: ligeiramente cinza -Esgoto séptico: cinza escuro ao preto

Odor

-Esgoto fresco: odor oleoso, relativamente desagradável -Esgoto séptico: odor fétido, devido ao H 2 S e outros -Despejos industriais: odores característicos

Turbidez

-Causada por uma grande variedade de SS -Esgotos mais frescos ou mais concentrados (+)

característicos Turbidez - Causada por uma grande variedade de SS - Esgotos mais frescos ou mais

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Químicas dos Esgotos Domésticos

 

Parâmetro

Descrição

Sólidos totais

Orgânicos e inorgânicos: suspenso e dissolvidos; sedimentáveis

Em suspensão

-Fração dos sólidos orgânicos e inorgânicos que não são filtráveis -Componentes minerais inertes dos sólidos em suspensão -Componentes orgânicos dos sólidos em suspensão

-Fixos

-Voláteis

Dissolvidos

-Fração dos sólidos orgânicos e inorgânicos que são filtráveis -Componentes minerais inertes dos sólidos dissolvidos -Componentes orgânicos dos sólidos dissolvidos

-Fixos

-Voláteis

Sedimentáveis

-Fração dos sólidos orgânicos e inorgânicos que sedimentam em 1 hora no cone Imhoff.

Matéria Orgânica

Mistura heterogênea de diversos compostos orgânicos: proteínas, carboidratos e lipídios

DBO 5

-Está associada a fração biodegradável dos componentes orgânicos carbonàceos. Medida do oxigênio consumido após 5 dias pelos microrganismos na estabilização bioquímica da matéria orgânica

DQO

-Representa a quantidade de oxigênio requerida para estabilizar quimicamente a matéria orgânica carbonácea. Utiliza fortes agentes oxidantes em condições ácidas

DBO u

-Representa o consumo total de oxigênio, ao final de vários dias, requeridos pelos microrganismos para a estabilização bioquímica

o consumo total de oxigênio, ao final de vários dias, requeridos pelos microrganismos para a estabilização

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Químicas dos Esgotos Domésticos

 

Parâmetro

Descrição

Nitrogênio Total

Inclui o nitrogênio orgânico e amônia (NTK), nitrito e nitrato.

Nitrogênio orgânico

-Nitrogênio na forma de proteínas, aminoácidos e uréia.

Amônia

-Produzida como primeiro estágio da decomposição do N orgânico

Nitrito

-Estágio intermediário da oxidação da amônia.

Nitrato

- Produto final da oxidação da amônia.

Fósforo Total

Forma orgânica e inorgânica.

Fósforo orgânico

-Combinado á matéria orgânica

Fósforo inorgânico

-Ortofosfato e polifosfatos.

 

pH

Indicador das características ácidas ou básicas do esgoto.

Alcalinidade

Indicador da capacitade tampão do meio ( resistência às variações do pH). Devido a presença de bicarbonatos, carnonatos e íon hidroxila.

Cloretos

Proveniente da água de abastecimento e dos dejetos humanos.

Óleos e graxas

Fração da matéria orgânica solúvel em hexanos

da água de abastecimento e dos dejetos humanos. Óleos e graxas Fração da matéria orgânica solúvel

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Biológicas dos Esgotos Domésticos

Microrganismos

Descrição

Bactérias

-Organismos protistas unicelulares -Apresentam-se em várias formas e tamanhos -São os principais responsáveis pela estabilização da matéria orgânica

Fungos

-Organismos aeróbios, multicelulares, não fotossintéticos, heterotróficos -Também de grande importância na decomposição da MO -Podem crescer em condição de baixo pH.

Protozoários

-Organismos unicelulares sem parede celular -A maioria é aeróbia ou facultativa -Alimentam-se de bactérias, algas e outros microrganismos -São essenciais no tratamento biológico para a manutenção de um equilíbrio entre os diversos grupos -Alguns são patogênicos

Vírus

-Organismos parasitas, formados pela associação de material genético (DNA ou RNA) e uma carapaça proteíca -Causam doenças e podem ser de difícil remoção no tratamento da água ou esgoto

Helmintos

-Animais superiores -Ovos de helmintos presentes nos esgotos podem causar doenças

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Biológicas dos Esgotos Domésticos

Indicadores de Contaminação Fecal

Difícil detecção dos agentes patogênicos em uma amostra d’água em razão das suas baixas concentrações (virus, bactéria, etc)

Organismos indicadores de contaminação fecal.

Não são necessariamente patogênicos

Indicação da contaminação da água por fezes humanas ou animais de sangue quente

Potencialidade da água para transmitir doenças

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Principais Características Biológicas dos Esgotos Domésticos

Organismos utilizados – Bactérias do Grupo Coliformes Grande número nas fezes humanas (10 10 a 10 11 células por dia) Grande número apenas nas fezes humanas e animais de sangue quente Resistência aproximadamente similar à maioria das bactérias patogênicas intestinais Técnicas de detecção são rápidas e econômicas

Principais Indicadores de Contaminação Fecal Coliformes totais Coliformes fecais Estreptococos fecais

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

Características Químicas dos Esgotos Domésticos

Parâmetro

CPC (g/hab.d)

Concentração (mg/L)

Faixa

Típico

Faixa

Típico

Sólidos totais

120–220

180

700–1350

1000

Em suspensão

35–70

60

200–450

400

-Fixos

7–14

10

40–100

80

-Voláteis

25–60

50

165–350

320

Dissolvidos

85–150

120

500–900

700

-Fixos

50–90

70

300–550

400

-Voláteis

35–60

50

200–350

300

Sedimentáveis

10–20

15

Matéria Orgânica

 

DBO 5

40–60

50

200–500

350

DQO

80–130

100

400–800

700

DBO u

60–90

75

350–600

500

200–500 350 • DQO 80–130 100 400–800 700 • DBO u 60–90 75 350–600 500

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

 

Características Químicas dos Esgotos Domésticos

 

Parâmetro

CPC (g/hab.d)

Concentração (mg/L)

 

Faixa

Típico

Faixa

Típico

Nitrogênio total

 

6,0–112,0

8,0

35–70

50

Nitrogênio orgânico

2,5–5,0

3,5

15–30

20

Amônia

3,5–7,0

4,5

20–40

30

Nitrito

0

0

0

0

Nitrato

0,0–0,5

0

0–2

0

Fósforo

 

1,0–4,5

2,5

5–25

14

Fósforo orgânico

0,3–1,5

0,8

2–8

4

Fósforo inorgânico

0,7–3,0

1,7

4–17

10

pH

6,7–7,5

7,0

Alcalinidade (mgCaCO

3

/L)

20–30

25

20–50

35

Cloretos

 

4–8

6

20–50

35

Óleos e graxas

 

10–30

20

55–170

110

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

 

Microorganismos presentes nos Esgotos Domésticos

Microorganismo

CPC (org/hab.d)

Concentração (org/100 mL)

Bactérias totais

10

12 –10 13

10

9 –10 10

Coliformes totais

10

9 –10 12

10

6 –10 9

Coliformes fecais

10

8 –10 11

10

5 –10 8

Estreptococos fecais

10

8 –10 9

10

5 –10 6

Cistos

de

<10 6

 

<10 3

protozoários

Ovos de helmintos

<10 6

 

<10 3

Vírus

10

5 –10 7

10

2 -10 4

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

RELAÇÕES DIMENSIONAIS ENTRE CARGA E CONCENTRAÇÃO

Carga per capita (CPC) Representa a contribuição de cada indivíduo (expressa em termos de massa do poluente) por unidade de tempo. EX: Contribuição per capita de DBO é 54 g/dia.hab Carga Poluidora (CP) Corresponde a quantidade de poluente (massa) por unidade de tempo. carga = população x carga per capita carga = concentração x vazão EX: CP = 120 kg/dia Concentração (C) corresponde a quantidade de poluente (massa) por unidade de volume.

EX:

concentração = carga/vazão concentração = carga per capita/quota per capita

EX: C = 200 mg/L (g/m 3 )

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

EXEMPLO 1: Os habitantes de uma cidade geram uma carga per capita de DBO de 54 g/hab.d, e uma contribuição per capita de esgotos de 180 L/hab.d. Calcular a concentração de DBO nos esgotos. EXEMPLO 2: Calcular a carga de nitrogênio total afluente a uma ETE, sendo dados:

Concentração de nitrogênio= 45 mg/L Vazão: 50 L/s EXEMPLO 3: Qual a carga poluidora diária e “per capita” para o esgoto doméstico de uma cidade, admitindo-se os seguintes dados:

População: 10.000 habitantes Contribuição per capita de esgoto: 160 L/hab.dia Concentração de DBO: 300 mg/L (g/m³) EXEMPLO 4: Qual a carga poluidora diária e “per capita” do esgoto doméstico de uma cidade, admitindo-se os seguintes dados; População: 50.000 habitantes padrão alto: 20 % padrão médio: 30 % padrão baixo: 50 % Concentração de DBO no esgoto: 300 mg/L (g/m³)

CARACTERIZAÇÃO QUALITATIVA DOS ESGOTOS SANITÁRIOS

EQUIVALENTE POPULACIONAL (EP) Equivalência entre o potencial poluidor de uma indústria (comumente em termos de matéria orgânica) e uma determinada população, a qual produz essa mesma carga poluidora. Geralmente utiliza-se CPC = 54 g DBO/hab.d EXEMPLO 5: Calcular o equivalente populacional de uma indústria que possui os seguintes dados:

Vazão de efluentes: 120 m 3 /d Concentração de DBO: 2000 mg/L EXEMPLO 6: Calcular o equivalente populacional de uma indústria que possui os seguintes dados:

Vazão de efluentes: 5 L/s (considere que a indústria opere um processo contínuo) Concentração de DBO: 3200 g/m 3