Você está na página 1de 8

Linguagem e Comunicação

Leia a tirinha da Mafalda e responda as perguntas abaixo:

1. Mafalda, ao encontrar Manolito, o indaga a respeito do que lia. Que seção do jornal, provavelmente, o
personagem estava lendo?
2. A tirinha é construída a partir de uma ambiguidade. Que palavra ativa esse duplo sentido?
3. A fala de Manolito no último quadrinho surpreende Mafalda. Por quê?
4. Qual a conclusão a que se pode chegar a partir da leitura da tirinha?

Comunicação é o processo pelo qual ocorre interação entre dois ou mais seres, utilizando-se linguagem como
instrumento.

A comunicação não é, necessariamente, humana, pois outros animais mantêm um certo grau de interação,
como os golfinhos, as baleias e as abelhas, por exemplo. No entanto, a comunicação humana se caracteriza por um
conjunto de fatores que a diferencia da comunicação entre os demais animais, como a propriedade de ressignificar
elementos, ter um sistema completo de informações, apresentar uma variabilidade na mensagem etc.

Linguagem é um processo de comunicação que permite a interação entre as pessoas.

A linguagem é uma atividade que revela aspectos históricos, sociais e culturais nas representações de mundo
que constrói. É por meio da linguagem que o ser humano organiza e dá forma às suas experiências. Seu uso ocorre
na interação social e pressupõe a existência de interlocutores.
A linguagem pode ser de dois tipos: linguagem verbal, que tem por base a palavra, seja na forma escrita,
seja na falada, e linguagem não verbal. São exemplo de linguagens não verbal a pintura, a música, a dança, as placas
de trânsito, os sistemas gestuais etc. É comum também fazer referência a um terceiro tipo de linguagem, a
linguagem mista, que reúnem várias linguagens, como os quadrinhos, o cinema, a televisão etc.
Existem ainda outros tipos de linguagem, como a linguagem digital, responsável por armazenar e distribuir
informação por mídia eletrônica, a linguagem de programação, método utilizado para repassar informações ao
computador, entre outras.

5. Na tirinha de Maurício de Sousa, Cebolinha sai em disparada após ver Cascão chorar. A princípio, como se entende
essa ação?
1
6. Qual a surpresa no último quadro? De que deriva essa surpresa?
7. Por que Cebolinha teria adotado tal medida?
8. Como se pode chegar a essas conclusões?

Autor: Tacho
Linguagem não verbal Linguagem mista

A linguagem serve, portanto, para que ocorra a interação entre os indivíduos. No momento da comunicação,
estes são chamados de interlocutores, já que são coparticipantes de um processo comunicativo. O indivíduo que
utiliza a linguagem para manifestar um pensamento é o locutor, enquanto que o que recebe a linguagem é o
locutário. Essa classificação estanque não traduz perfeitamente a comunicação, visto que, a partir do momento que
o locutário toma o turno da conversação, passa a ser o locutor, enquanto aquele de detinha a “palavra” passa a
locutário.
É importante frisar que o significado é construído ao longo da comunicação. Nunca é dado pelo texto. Cabe
ao interlocutor receber a informação, compreendê-la e atribuir significado compatível a elas. Por exemplo, dois
sujeitos de nacionalidades diferentes e que falem línguas diferentes têm muita dificuldade em se comunicar; ou os
casos de mal entendidos são gerados por uma falha na significação da mensagem.

Colocando em prática

9. Na propaganda ao lado, que tipo de


linguagem é utilizada? Justifique sua resposta.
A) comente a forma da gota de sangue com a
temática da propaganda.
B) A sequência “bom coração” ativa uma
ambiguidade semântica. Relate-a.
C) Qual o objetivo da propaganda?

Na tira da Mafalda, vista acima, os personagens interagem por meio da linguagem verbal, no caso,
manifestada na língua portuguesa. Mas o que é uma língua? Será constituída apenas de palavras, ou seja, de seu
léxico? Vejamos a primeira fala de Mafalda:

2
(a) O que tem nesse recorte de jornal, Manolito?

Observe outras possíveis organizações das palavras no enunciado:

(b) O que tem nesse Manolito de jornal, recorte?


(c) Nesse recorte, o que tem, Manolito, de jornal?
(d) O que tem de jornal nesse recorte, Manolito?

Observando esses dados, percebe-se que todas as palavras fazem parte da Língua Portuguesa. Entretanto,
apenas o primeiro enunciado (frase (a)) é possível em português, visto que indica o sentido pretendido. Para ter o
domínio da língua, é preciso, logo, que se conheçam suas regras de combinação de palavras na sentença e os
sentidos subjacentes ao material linguístico.

Língua é um sistema de representação socialmente construído, constituído por signos linguísticos e leis
combinatórias.

Brasil de 180 línguas Babel das línguas

No mundo existem aproximadamente 2700 línguas e 7 mil dialetos.


As três línguas com o maior número de falantes são o mandarim, falado
Além do português, há no na China, o hindi, falado na Índia, e o inglês, falado nos Estados Unidos,
Brasil aproximadamente 180 na Inglaterra e em várias partes do mundo.
línguas indígenas, faladas por 225
etnias. Dessas línguas, 110 são O português ocupa o 7° lugar e é falado por cerca de 200 milhões de
consideradas em extinção, pelo pessoas em quatro continentes, e no Brasil estão quase 90% dos seus
fato de serem faladas por menos falantes.
de 500 pessoas.
O documentário Língua - Vidas em português (2001), de Victor
Estima-se que, em 1500, cerca Lopes, mostra como se dá o uso da língua portuguesa em várias partes
de 6milhões de índios falavam do mundo.
1078 idiomas. Hoje, a população
A língua pertence a todos os membros de uma comunidade; por
indígena brasileira chega a no
isso faz parte do patrimônio social e cultural de cada coletividade. Como
máximo entre 440 mil e 500 mil
ela é resultado histórico de uma convenção, um único indivíduo,
indivíduos. Atribui-se o
isoladamente, não é capaz de criá-la ou modificá-la. A fala e a escrita,
desaparecimento das línguas
entretanto, são usos individuais da língua. Ainda assim, não deixam de
indígenas às pressões políticas do
ser sociais, pois, sempre que falamos e escrevemos, levamos em conta
colonizador e, posteriormente, às
quem é o interlocutor e qual é a situação em que estamos nos
necessidades de sobrevivência
comunicando.
das populações indígenas.
Nem a língua nem a fala são imutáveis. A língua evolui,
transformando-se historicamente. Por exemplo, algumas palavras
(Fonte: Revista Língua perdem ou ganham fonemas (sons); outras deixam de ser utilizadas;
Portuguesa, nº 26) novas palavras surgem, de acordo com as necessidades, entre elas os
empréstimos de outras línguas com as quais a comunidade mantém
contato. A fala também se modifica, conforme a história pessoal de cada
indivíduo, sua formação escolar e cultural, as influências que ele recebe
do grupo social a que pertence, suas intenções etc.

(Fonte: Português Linguagens 1, William R. Cereja e Thereza Cochar,


p.53)

3
Código Emoticons: códigos de sentimentos

Código é uma convenção estabelecida por um grupo de Nas comunicações orais, além das palavras,
pessoas ou por uma comunidade. Por meio de códigos são dispomos de muitos outros recursos para nos
construídas e transmitidas mensagens com rapidez. Por essa razão, expressar: gestos, movimentos, expressão
é comum encontrarmos códigos na rua, no trânsito, em facial, entonação, pausas etc. Na linguagem
rodoviárias, aeroportos, shopping centers etc. São códigos os sinais
escrita, entretanto, essas possibilidades são
de trânsito, os símbolos, o código Morse, as buzinas dos
mais restritas e limitam-se a recursos como o
automóveis, as indicações de caixas em bancos ou de vagas em
estacionamentos reservadas para idosos etc. negrito, as letras maiúsculas ou o itálico etc.

Nas mensagens eletrônicas da Internet, porém,


Código é um conjunto de sinais convencionados socialmente para a
construção e transmissão de mensagens. encontrou-se um meio de introduzir as
emoções no texto escrito: os emoticons.
Na tira lida na abertura do capítulo, as personagens se
comunicam fazendo uso da língua portuguesa. Como fruto de uma Os emoticons são códigos visuais que se
convenção social, as línguas não deixam de ser também, em certo integram à linguagem de base verbal da
sentido, um código, no caso um código verbal. Contudo, as línguas Internet.
diferem dos códigos comuns, pois resultam de um processo social e
histórico mais complexo e dinâmico, com transformações Eis alguns dos emoticons mais utilizados:
permanentes.
:) e :D (sorriso e sorriso largo)

;-) (piscadinha)
O Signo linguístico
:( e :- (tristeza)
As linguagens utilizadas pelos seres humanos pressupõem
conhecimento, por parte de seus usuários, do valor simbólico dos :* e :-* (beijo)
seus signos. A cor verde nos sinais de trânsito, por exemplo, tem
um valor simbólico que os habitantes das cidades devem conhecer: :-/ (preocupado)
significa autorização para prosseguir. Se não houvesse acordo com
relação a esse valor, ou seja, se não fosse possível aos usuários de Fonte: Português Linguagens 1, William R.
uma mesma linguagem identificar aquilo a que determinado signo Cereja e Thereza Cochar, p.54)
faz referência, qualquer interação através da atividade da
linguagem ficaria prejudicada, pois não haveria comunicação
possível.

O signo linguístico é uma unidade de


significação que possui dupla face:

1) o significante (o suporte para uma ideia, isto


é, a sequência de sons que se combinam para
formar palavras);

2) o significado (a própria ideia ou conteúdo


intelectual).

Colocando em prática

4
Colocando em prática
12. A tira nos mostra Hagar e Helga, marido e mulher, conversando.

a) Qual é o ponto central nos três primeiros quadrinhos?


b) Considerando a situação, qual teria sido a intenção de Helga ao declarar “estou grávida”?
c) Hagar compreendeu a intenção de Helga? Como ele reagiu e por quê?
d) Apesar de utilizarem o mesmo código, a comunicação transcorreu satisfatoriamente nesse caso? Por quê?
e) Que tipo de linguagem é utilizada na tira? Explique.

Elementos da comunicação

O linguista russo Roman Jakobson propôs,


em 1969, um modelo explicativo para o processo de
comunicação verbal baseado em seis fatores: o
remetente (emissor de signos) que, em relação com
o destinatário (receptor de signos), envia-lhe uma
mensagem, por um canal (língua oral, língua escrita,
TV, etc). A mensagem é expressa através de um
código compartilhado pelo emissor e pelo receptor e
faz referência a um contexto (o elemento conceitual
a ser designado).
Segundo a TEORIA DA COMUNICAÇÃO, toda
mensagem tem uma finalidade predominante, que
pode ser a transmissão de uma informação, O
estabelecimento puro e simples de uma relação
comunicativa, a expressão de emoções, e assim por
diante. O conjunto dessas finalidades tem sido entendido sob o rótulo geral de FUNÇÕES DA LINGUAGEM.

Funções da Linguagem

1. REFERENCIAL – também chamada de Cognitiva, Informativa ou Denotativa privilegia o contexto impessoal (na
terceira pessoa). O emissor tem a intenção de informar sem envolvimentos passionais, constituindo-se, assim, na
linguagem das redações argumentativas (concursos e vestibulares), das narrações não fictícias e das descrições
objetivas.
Está presente também em teses científicas, em textos jornalísticos, em redações oficiais e comerciais. Exemplo:

Há anos os biólogos sabem que as borboletas tropicais, em sua migração anual desde a costa caribenha do Panamá
até o oceano Pacífico, orientam-se conforme o ângulo pelo qual os raios do sol incidem no horizonte. Mas como elas
se localizam nos trópicos, onde o sol fica um longo tempo a pino? O biólogo Robert Srygley desconfiou que as
borboletas poderiam usar como referência o campo magnético da Terra, como fazemos com uma bússola. [...]
KAUFMANN, Carol. National Geographic Brasil, p. 16, maio 2006. (Fragmento).
5
2. EMOTIVA – essa função tem a ênfase centrada no emissor (texto em primeira pessoa), em suas emoções e
atitudes. Também chamada Expressiva é representada por interjeições adjetivas e agressão verbal (insultos, injúrias)
e signos de pontuação – exclamações e reticências. As canções populares, os cordéis, as novelas, as poesias
pertencem a essa unidade linguística funcional. Predominam verbos na primeira pessoa. Exemplos:
a) “É gente humilde que vontade (eu sinto) de chorar.” (Chico Buarque)
b) “Todos os dias quando (eu) acordo, / (eu) não tenho mais o tempo que passou.” (Legião Urbana)
c) “Não adianta nem tentar me esquecer…” (Roberto Carlos e Erasmo Carlos)

3. CONATIVA – também denominada Apelativa, busca mobilizar a atenção do


receptor, produzindo evocação, ordem, apelo. Pode ser Imperativa, característica da
propaganda. Exemplo --------->

“Eu ligo o rádio 4. FÁTICA – a ênfase é centrada no canal a fim de que


se mantenha a conexão entre os falantes. Frases
e blá – blá curtas. Exemplos: “Bom dia!” – “Oi!” – “Alô!”
Obs.: Embora característica da linguagem oral, na
BIá-bIá-bIá-bIá música popular também aparece:

Eu te amo.” (Lobão) 5. POÉTICA – Quando o objetivo da mensagem é chamar a atenção para a própria
mensagem, sugerindo que ela é o resultado de um trabalho de elaboração feito sobre
——————————- sua forma, diz-se que a função predominante é a poética. Essa função confere ênfase
à mensagem.
“Blá-blá-blá.-blá A função poética é marcada por uma maior liberdade no uso das palavras,
exploradas mais pelo seu potencial em evocar imagens e produziu efeitos sonoros.
blá-blá-blá-blá-blá Nesses casos, há um trabalho com os próprios signos, cujo objetivo é provocar algum
efeito de sentido no receptor.
Ti-ti-ti-ti
Das utopias
Ti-ti-ti-ti-ti
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Tá tudo muito bom, bom!
Que tristes os caminhos, se não fora
ATámágica presença
tudo muito bem,das estrelas!
QUINTANA, Mário. Nova antologia poética. 7. ed. São Paulo: Globo, 1998. p. 108.
bem!” (Blitz)
A função poética também pode se manifestar nos jogos de linguagem, na propaganda e mesmo em textos
em prosa.

6. METALINGUÍSTICA – é a função dicionarizada ou imaginativa que visa à tradução do código. É a mensagem que
fala de sua própria produção discursiva. Um livro que vira filme, uma pintura que mostra o artista executando a tela,
uma poesia revelando o próprio ato de escrever constituem exemplos de metalinguagem. Exemplos:
1) Imaginativa:
“O homem é uma ilha cercada de mediocridade por todos os lados.”
2) Dicionarizada:
Ilha s.f. extensão de terra firme cercada de modo durável por água doce ou salgada em toda a sua periferia.
HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

Obs.: É importante ressaltar que uma mesma mensagem pode ter diferentes funções.

6
Colocando em prática

12. Os trechos abaixo foram extraídos de um livro infantil chamado Mania de explicação. Leia-os atentamente e
identifique as funções da linguagem neles presentes, justificando sua resposta.

Solidão é uma ilha com saudade de barco. [...]


Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
FALCÃO, Adriana. Mania de explicação. São Paulo: Salamandra, 2001. p. 17, 27.

13. agora, observe as seguintes definições e responda:

solidão [...] estado de quem se acha ou se sente desacompanhado ou só; isolamento [...]
vontade [...] faculdade que tem o ser humano de querer, de escolher, de livremente praticar ou deixar de praticar
certos atos [...]
HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 2602, 2882.

a) Qual é a função da linguagem predominante nessas definições? Por quê?


b) Compare as definições de solidão e vontade no livro e no dicionário e explique as diferenças entre elas com base
nas funções da linguagem.

14. Leia a tira abaixo e responda:

a) Há, na tira, o uso da função metalinguística? Explique.


b) Em geral, com que objetivo é utilizada a pergunta "Como vai?”
c) Pela explicação dada no último quadrinho, pode-se concluir que o tio da personagem não se comporta da forma
esperada ao responder a essa pergunta. Explique por quê.

15. Leia este anúncio:

INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL. HÁ DEZ ANOS LUTANDO PARA QUE O DESENVOLVIMENTO VALORIZE A DIVERSIDADE
DE NOSSOS POVOS E NOSSOS AMBIENTES. SOCIOAMBIENTAL SE ESCREVE JUNTO.

15.1. Como é comum nos anúncios publicitários, texto verbal e imagem se complementam na construção da
mensagem. Observe a imagem do anúncio.

7
a) O que são as peças que estão enfileiradas e em pé?
b) Em que as peças do anúncio são diferentes das que normalmente conhecemos?
c) As peças estão colocadas simetricamente num plano. O que ocorreria, caso uma dessas peças caísse?

15.2. Abaixo das peças, lemos o enunciado "Equilíbrio socioambiental. Pense antes de mexer".

a) Que relação esse enunciado tem com a imagem?


b) Levante hipóteses: Por que o anunciante teria escolhido peças de um jogo para sugerir a frágil situação do
equilíbrio socioambiental?

15.3. Observe as figuras que estão gravadas nas peças do dominó.

a) Que outros elementos há, além de animais, aves e peixes?


b) Levante hipóteses: Por que o homem branco também foi considerado pelo anúncio como uma peça do jogo?

15.4. Na parte inferior do anúncio se lê: "socioambiental se escreve junto". Esse enunciado apresenta uma
ambiguidade.

a) Quais são os sentidos que ele apresenta?


b) Verifique no dicionário a grafia da palavra socioambiental. No anúncio, a palavra foi escrita adequadamente?

15.5. Observe o anúncio quanto às funções de linguagem.

a) Que funções de linguagem podem ser identificadas no texto?


b) Considerando a finalidade do anúncio, responda: Qual a função de linguagem predominante?