Você está na página 1de 15

O ÚNICO

DEUS
VERDADEIRO
Um estudo bíblico da doutrina de Deus

Paul David Washer


Lição 1:
Um só Deus

1.1. Deus é único


O testemunho das escrituras é que há um só Deus verdadeiro. A crença em somente um
Deus é monoteísmo [ grego: mono = um, único + theos = deus ]. A crença em mais que um Deus
é politéismo [ grego: poly = muitos ]. A fé cristã é monoteísta.

1.1.1. Em Deuteronômio 6.4 se encontra uma das declarações mais importante de toda a
Escritura. Vejamos o que nos afirma esta declaração:

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR ”

NOTA: Há um só Deus. É importante entender que a palavra “único” provém do termo hebraico
echad, que se refere a uma unidade mais que a uma pessoa. Por exemplo, em Gênesis 2.24
lemos, “serão ( o homem e a mulher) uma só carne”, como também, em Esdras 3.1, “ajuntou-se
o povo, como um só homem”. Essa verdade terá uma grande importância na nossa segunda lição,
quando aprenderemos que o único Deus verdadeiro existe com uma trindade: o Pai, o Filho e o
Espírito Santo.

1.1.2. Vejamos as seguintes Escrituras acerca de Deus. Existem outros deuses além ou à parte do
Deus das escrituras?

Por isso, hoje, saberás e refletirás no teu coração que só o SENHOR é Deus
em cima no céu e embaixo na terra; nenhum outro há ( Dt 4.39 )

Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, o meu servo a quem escolhi;
para que o saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus
nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá ( Is 43.10)

Porque assim diz o SENHOR, que criou os céus, o Deus que formou a terra,
que a fez e a estabeleceu; que não a criou para ser um caos, mas para ser habitada:
Eu sou o SENHOR, e não há outro (Is 45.18)

1.1.3. A partir das seguintes passagens bíblicas, veja como devem viver os homens à luz da
verdade de que o Deus das Escrituras é o único Deus verdadeiro.
Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem
semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas
águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o
SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à
terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil
gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.( Ex 20. 3-6)

Chegando um dos escribas, tendo ouvido a discussão entre eles, vendo como Jesus
lhes houvera respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o principal de todos os
mandamentos? Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso
Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de
toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força.( Mc 12. 28-30)
1.2. Deus é uma Trindade
A palavra “trindade” provém do termo latino trinitas, que significa “três em um”. As
Escrituras afirmam que o Deus verdadeiro existe como uma trindade: o Pai, o Filho, e o Espírito
Santo. Eles são três pessoas distintas que são distinguidas uma da outra, compartilham a mesma
natureza ou essência divina e relacionam entre si em um companheirismo inquebrantável. É
importante saber que o termo “trindade” não se encontra nas Escrituras, foi empregado pela
primeira vez por Tertuliano, um dos pais da Igreja primitiva, para descobrir o que Bíblia ensina
acerca da natureza trinitária de Deus.

1.2.1.Como cristãos, confessamos abertamente que a Trindade é um mistério inalcançável pelo


entendimento humano, porém não podemos negar a Trindade porque é um claro ensinamento das
Escrituras. A mesma Bíblia que declara que Deus é único, também se refere a três pessoas como
Deus:

a) Como se chama o Pai em 1 Coríntios 8.6?


(i) _______, o _______ (veja também João 6.27; 1Pedro 1.2).

b) Como se chama o Filho nas seguintes passagens?


(i) O Verbo (i.e. o Filho de Deus – v.14) era ______ ( João 1.1).
(ii) _________ meu e ________ meu (João 20.28).
(iii) O qual, sendo em ________ de Deus, não teve por usurpação o ser igual a ______(Fp 2.6).
(iv) Nosso grande _______ e ___________ Jesus Cristo (Tito 2.13).
(v) O qual é sobre todos, ______ bendito eternamente (Romanos 9.5).
(vi) A __________ do ______ invisível (Colossenses 1.15).
(vii) Nele habita corporalmente toda a ____________ da ____________ (Colossenses 2.9).
(viii) Teu trono, ó _______ (Hebreus 1.8).

b) Como se chama o Espírito Santo nos seguintes trechos bíblicos?


(i) Atos 5.3,4:
No versículo 3, Ananias mentiu ao _________ ________.
No versículo 4, Pedro diz que Ananias mentiu a _______.
(ii) 1 Coríntios 3.16 e 6.19:
Em 1 Coríntios 3.16, os crentes são chamados de templo de _______.
Em 1 Coríntios 6.19, os crentes são chamados de templo do __________ ________.
(iii) Em Romanos 8.9, o Espírito Santo é chamado:
O ___________. É uma pessoa verdadeira, distinta do Pai e do Filho.
O ___________ de ______. Deus Pai e o Espírito Santo são um.
O ___________ de _______. Deus Filho e o Espírito são um.
1.2.2. Em Mateus 28.19 se encontra uma declaração que se usa em cada batismo cristão, como
foi mandado pelo Senhor Jesus Cristo. Esta declaração é um maravilhoso exemplo da unidade e
trindade de Deus:
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo
É importante notar que o “nome” está no singular ainda que se refira a três pessoas
diferentes. O texto não diz nos nomes do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, antes diz no Nome
porque os Três são Um.

1.2.3. A visão trinitária de Deus que encontramos em Mateus 28.19 se encontra em toda
Escritura. Leia 2Coríntios 13.14 e depois preencha os espaços em branco:
(a) A graça do Senhor __________.
(b) O amor de _________.
(c) A comunhão do ___________ ___________ seja com todos vós.

NOTA: Tal estrutura literária denota uma igualdade absoluta. É importante notar-se que o Filho é
mencionado antes do Pai. Seria blasfêmia mencionar ao Filho e o Espírito na mesma frase com o
Pai se não fossem iguais com Ele (veja também: 1Co 12. 4-6; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2).

1.2.4. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são de uma só essência divina e vivem em perfeita
igualdade e unidade, porém ao mesmo tempo são três pessoas distintas e não simplesmente uma
pessoa que se revela de três maneiras diferentes. Nas seguintes referências, esta verdade é
demonstrada claramente:

a) Marcos 1.9-11:
O __________ é batizado (v.9).
O __________ desce (v.10).
O __________ fala dos céus (v.11).

b) João 14.16,17:
O __________ ora ao Pai (v.16).
O __________ dá o Espírito Santo (v.16,17).
O __________ mora com e estará no crente (v.17).

NOTA: Por estes simples textos das escrituras fica claro que o Pai, o Filho, e o Espírito Santo são
três pessoas distintas. Deus não é três pessoas independentes ou três deuses diferentes; tampouco
Deus é uma só pessoa que põe três máscaras diferentes ou que simplesmente se revela de três
formas diferentes. O Deus das Escrituras existe em três pessoas distintas e iguais que são um em
natureza ou essência divina, e que se relacionam um com o outro em perfeita igualdade e
unidade.

1.2.5. Embora o Pai, o Filho e o Espírito Santo sejam iguais e existam em perfeita unidade, com
frequência levam a cabo diferentes funções e se manifestam de maneiras diferentes. O que ensina
a Bíblia acerca dessa verdade? Preencha os espaços em branco com a resposta correta que se
encontra em cada texto:
a) O _________ é o Deus invisível que nenhum homem já viu (João 1.18).
b) O _________ é o Deus encarnado e a revelação perfeita do Pai (João 1.14,18;14.9).
c) O ___________________ é Deus vivendo dentro do cristão (Romanos 8.9; João 14.16,17,23).
RESUMO
Dos textos bíblicos que temos estudado podemos afirmar as seguintes verdades acerca de Deus:
1. Deus é Único. Não existem três diferentes Deuses na Trindade – esta é uma heresia chamada
triteísmo.
2. Deus é Três. Há um Deus que existe em três pessoas: o Pai, o Filho, e o Espírito Santo.
3. As Três Pessoas da Trindade são verdadeira e distintas Pessoas. A Trindade não é uma só
pessoa que põe três diferentes máscaras ou que se revela de três diferentes formas – esta é uma
heresia chamada modalismo.
4. As Três Pessoas da Trindade são perfeitamente Iguais. O Filho não é menos que o Pai, e o
Espírito não é menos que o Filho.
5. As Três Pessoas da Trindade podem manifestar-se de diferentes maneiras e podem levar a
cabo diferentes funções. Nenhum homem tem visto o Pai; o Filho se fez carne e habitou com os
homens; o Espírito Santo habita em cada crente em Cristo.
6. As Escrituras afirmam duas verdades importantes: Deus é Uno e Deus é Trino. Embora não
possamos compreender como isso é possível, é necessário crer e ensinar cada verdade com igual
convicção. Uma heresia (i.e. falsa doutrina) sucede quando afirmamos uma verdade e negamos a
outra, ou quando enfatizamos mais uma verdade que a outra. Devemos afirmar toda verdade com
igualdade e evitar todo extremo.
7. O mistério da Trindade não é uma razão para negá-la. Alguns dizem que não podem crer no
que não podem entender, ou se algo não se pode explicar então não pode ser verdade. Se
aplicarmos esta lógica à Bíblia ou ainda à nossa própria existência, nos deixaria muito pouco em
que crer. Até as verdades mais simples das Escrituras e da existência humana vão muito mais
além que o nosso entendimento. Não cremos porque podemos entender tudo perfeitamente, mas
porque é a verdade – o testemunho das Escrituras.
8. A maioria das ilustrações que se usam para explicar a Trindade não são adequadas. Com
frequência, os estudantes das Escrituras usam várias ilustrações para explicar a Trindade.
Lamentavelmente, com frequência, essas ilustrações fazem mais dano do que nada. Por exemplo,
às vezes a Trindade é comparada com a água que existe em três formas diferentes: líquido, gelo e
vapor. Tal ilustração é uma distorção da Trindade, pois sugere que Deus é uma pessoa que
assume três diferentes formas – uma heresia chamada modalismo. É melhor simplesmente
afirmar que Deus é uno e trino, sem dar explicações que são inadequadas ou até heréticas.
Lição 2:
Deus é Espírito
2.1. Deus é Espírito
Deus não é material ou físico (ou seja, Ele não tem um corpo físico). Duas implicações
dessa verdade são: (1) Deus não se limita às restrições físicas que são comuns entre os homens, e
(2) Deus não é visível e, portanto, não deve ser degradado com imagens feitas por homens. Às
vezes as Escrituras fala de Deus como se ele possuísse um corpo físico. Há referências de seus
braços, costas, respiração, orelhas, olhos, rosto, pés, dedos dos pés, etc. Como podemos explicar
estas referências, à luz da verdade que Deus é espírito? Na teologia, essas referências são
consideradas expressões antropomórficas[grego: Anthropos = homem + morphé = forma].Em
outras palavras, Deus simplesmente utiliza recursos humanos para transmitir a verdade sobre si
mesmo, de uma forma que os homens possam entender. Exemplo: A Bíblia fala sobre as "asas"
de Deus e seu povo citando "sob a sombra de suas asas" (Êxodo 19.4, Rute 02.12, Salmo 17.8,
36.7, 57.1, 61.4, 63.7; 91.4). Seria absurdo interpretar essas declarações literalmente.

2.1.1. Como é que as Escrituras descrevem a Deus em João 4.24? Deus é ______________.

2.1.2. Segundo o texto a seguir, como devemos viver à luz da verdade que Deus é Espírito?
a. Devemos adorar sinceramente a Deus (João 4.24).

Nota: A referência à adoração a Deus "em espírito" tem duas implicações possíveis: (1) Nós
adoramos a Deus com todo o nosso ser, sincera e profundamente. (2) Nós adoramos a Deus no
poder do Espírito Santo e sob sua direção. A referência à adoração "em verdade" também tem
duas implicações possíveis: (1) Devemos adorar a Deus com sinceridade e com integridade. (2)
Devemos adorar a Deus em verdade – ou seja, em conformidade com a vontade de Deus
revelada nas Escrituras.
b. Devemos evitar associar Deus a um edifício religioso, ou atribuir a Deus as limitações
humana (Atos 17:24-25).

2.1.3. Como é que as Escrituras descrevem Deus em Hebreus 11:27?


a. O _______________________.
Nota: Se Deus é invisível, como podemos explicar as passagens onde parece que Ele se revela
de forma visível? Para responder, precisamos primeiro entender dois princípios de interpretação
bíblica: primeiro, a Bíblia não se contradiz. Em segundo lugar, passagens da Escritura que são
difíceis de interpretar, com certeza devem ser interpretadas à luz de outras passagens cuja
interpretação é clara. As Escrituras afirmam claramente que Deus é invisível, portanto, as
aparições "visíveis" de Deus nas Escrituras (exceto a encarnação do Filho de Deus) devem ser
interpretadas como visões – representações simbólica de uma realidade espiritual. Ezequiel nos
diz (1.1) que “os céus se abriram” e viu “Visões de Deus”. No versículo 28, o profeta resume
essas visões como "uma visão da semelhança da glória do Senhor". Em Daniel 7.9-15, Daniel
tem uma visão simbólica de Deus Pai como o "Ancião de dias". Em Lucas 3.22, João Batista tem
uma visão dos céus se abrindo e do Espírito Santo descendo com a aparência de uma pomba (o
simbolismo é óbvio).[Cp. Is 6.1 com Jo 12.41]

2.1.4. Veja a seguir o que as Escrituras tem a dizer sobre Deus e, especialmente, sobre sua
invisibilidade:
“Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus,
seja honra e glória para todo o sempre. Amém”(I Timóteo 1.17)
“aquele que possui, ele só, a imortalidade, e habita em luz inacessível; a quem nenhum dos
homens tem visto nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém”(I Timóteo 6.16)

2.1.5. Veja, de acordo com Deuteronômio 4.11-16, como devemos viver em razão da
invisibilidade de Deus.

2.1.6. Deus é imaterial (i.e., Espírito) e invisível. Então, como podemos conhecer esse Deus?
Segundo as referências a seguir, como Deus se revelou aos homens?
a. Nas palavras de Jesus em João 6.46: "Quem tem visto o Pai?

b. Se ninguém viu Deus, o Pai, senão o Filho, como se tem feito conhecido a si mesmo o Pai aos
homens? Como podemos entender quem é Deus? Quem pode explicar tais coisas? O que João
1.18 nos ensina?

c. Nas passagens a seguir, porque Jesus é o único qualificado para revelar Deus, o Pai, para os
homens?Colossenses 1:15,João 14:9.

d. Veja, a partir de 2Co 4.6 e Hb1.3, Cristo como Única expressão do Deus Invisível.
Lição 3:
Deus é Grande e Perfeito

3.1. Deus é Grande


Há um só Deus e só Ele é grande. Todos os outros seres e coisas são totalmente
dependentes Sua bondade e força. Se este for o caso para os mais conceituados homens e até
mesmo os anjos, como podemos atribuir grandeza a um ser ou alguma outra coisa além de
Deus? Como o Criador infinito e auto-existente, Ele é infinitamente mais exaltado do que Sua
criação dependente e finita. O arcanjo mais forte não é mais semelhante a Deus do que a menor
larva. Deus é incomparável. Para os crentes, essa verdade é extremamente importante. Não
existem grandes homens e mulheres de Deus nas Escrituras ou na história da Igreja, só homens e
mulheres fracas, pecadores e infiéis de um Deus poderoso e misericordiosíssimo.
1 - Como Deus é descrito nas Escrituras a seguir?
a. O Senhor é Deus _____________ e Rei ______________ acima de todos os deuses (Sl 95:3).
b. ______________ Deus e digno de ser_________________ (Daniel 9:4).A palavra "temido"
vem da palavra hebraica Yare' , que significa "temer, reverenciar, ou assustar-se". Mesmo o
menor revelação da grandeza e santidade de Deus inspira temor, reverência, e terror na maior e
mais esplêndida de Suas criaturas. Deus é grande e, portanto, Ele é digno da maior reverência.
c. Deus está vestido de _______________ e _____________ (Salmo 104:1). O esplendor e
majestade de Deus não são coisas externas com as quais ele se veste, mas são parte de Seu
próprio ser. Ao contrário dos homens, Deus não precisa acrescentar algo a Si mesmo para fazer-
se mais grande ou formoso. Sua grandeza e beleza são perfeitas.

2 - Como você descreve a grandeza de Deus no Salmo 145:3?


a. Sua grandeza é __________________. A palavra se refere ao que está além de pesquisa ou
exploração - algo que não se pode medir ou aprofundar. Seria muito mais fácil contar cada grão
de areia em todas as praias e desertos do mundo, ou o número de todas as estrelas no espaço do
que medir a grandeza de Deus.

3 – Confira o que os seguintes textos das Escrituras dizem a respeito da grandeza de Deus e
como contrastam o único Deus verdadeiro com todos os demais falsos deuses:

“O teu caminho, ó Deus, é em santidade; que deus é grande como o nosso Deus?”(Sl 77.13)
“Entre os deuses nenhum há semelhante a ti, Senhor, nem há obras como as tuas”(Sl 86.8)

“Porque o Senhor é Deus grande, e Rei grande acima de todos os deuses”(Sl 95.3)

“Porque eu conheço que o Senhor é grande


e que o nosso Senhor está acima de todos os deuses”(Sl 135.5)

4 - Segundo as passagens a seguir, veja como deve ser a nossa atitude e nossa resposta à
grandeza de Deus e como devemos viver em função da sua grandeza insondável.

“Porque proclamarei o nome do Senhor; engrandecei o nosso Deus”(Dt 32.3)

“Grandes são as obras do Senhor,


e para serem estudadas por todos os que nelas se comprazem”(Sl 111.2)

“Todos os reis da terra de louvarão, ó Senhor, quando ouvirem as palavras da tua boca;
e cantarão os caminhos do Senhor, pois grande é a glória do Senhor”(Sl 138.5)

3.2. Deus é Perfeito


As Escrituras nos ensinam que Deus é perfeito, completo, não falta nada para sua pessoa
e obra. Deus não é só moralmente perfeito, mas é perfeito em todos os aspectos de quem Ele é e
o que faz. Não há possibilidade de defeito em Deus. A perfeição de Deus tem muitas e
importantes implicações para nós: (1) assegura-nos que Deus não muda. Ele não pode melhorar
porque é perfeito, e Ele não pode diminuir porque deixaria de ser Deus; (2) nos assegura que
Deus é digno de nossa confiança absoluta.

3.2.1. As obras de Deus são perfeitas


Deus é perfeito em cada aspecto de seu caráter. As obras de Deus, sendo uma extensão do
seu caráter, também são perfeitas. As implicações desta verdade são enormes e devem produzir
em nós uma confiança que prevalecerá contra as dúvidas mais grandes as provas mais difíceis.
Tudo o que Deus tem feito e fará no universo e em nós é perfeito.

1 – Veja o que as Escrituras nos ensinam sobre a perfeição das obras de Deus nas seguintes
passagens: Deuteronômio 32:3-4; Salmo 18:30-31; Salmo 111:7-8; Eclesiastes 3:14.
2 - Deus não opera somente em Sua criação, mas Ele trabalha principalmente em Seu povo. Cada
cristão é uma obra de Deus. O Deus de toda a criação está a trabalhar na vida de cada
cristão. Seu trabalho é perfeito e será cumprido sem falhas. Esta verdade vai além do que a
mente humana pode compreender - o Deus perfeito está fazendo um trabalho perfeito para nós
tornar perfeitos. Veja o que as Escrituras a seguir ensinam-nos sobre esta verdade e como
devemos responder a ela: Efésios 2:10; Filipenses 2:12-13; Filipenses 1:6; Salmo 92:4; Salmo
107:22.

3.2.2 A vontade de Deus é perfeita


A vontade de Deus é perfeita porque é baseada em seu caráter. As implicações desta
verdade são tremendas. O propósito e o plano de Deus para nós é digno de nossa absoluta
confiança. Nunca devemos nos apoiar em nosso próprio entendimento ou buscar fazer o que é
certo aos nossos próprios olhos sem consultar Deus. Pelo contrário, devemos confiar em Deus e
obedecer à Sua Palavra (ou seja, as Escrituras).

1 - Como é descrita a vontade de Deus em Romanos 12:2?


a._______________. A palavra se refere ao que é bom, honesto, agradável e útil, algo que
promove o nosso bem-estar espiritual e resulta em prazer e alegria.
b._______________. A palavra se refere ao que é aceitável, aprovado e complacência.
c._______________. A palavra se refere ao que é completo sem faltar nada.
d. Como esta descrição nos motiva a viver uma vida de obediência conforme o critério ou
vontade de Deus? Veja também Mt 6.9-10; Sl 40.8; Ef 6.6.

2 - Uma das verdades mais importantes do cristianismo é que a vontade de Deus é revelada
principalmente através da Palavra de Deus (isto é, as Escrituras). A Palavra de Deus é perfeita
porque Deus é seu Autor e Preservador. Veja o que nos ensina a Bíblia sobre esta verdade nas
seguintes referências: Sl 19.7-9; 2Tm 3.16,17. Veja também qual deve ser nossa resposta a essa
verdade: Sl 119.47,128,129,167; 2Tm 2.15.
Lição 4: Deus é Eterno,
Auto-Existente e Imutável

4.1. Deus é eterno


Um dos atributos mais incríveis de Deus e um dos muitos que o distinguem da criação
é Sua existência eterna - Ele é sem começo e sem fim. Não houve tempo quando ele não existia e
nunca haverá um momento em que sua existência cessará. Ele é antes de todas as coisas e
permanecerá quando todas as coisas houverem passado. A eternidade de Deus não é
simplesmente que ele tem sido e terá um número infinito de anos, mas ele é sobre o tempo e a
idade, sempre existindo e nunca mudando. Nenhuma outra pessoa ou criatura compartilha desse
atributo com Ele. Somos por um momento, mas Ele é para sempre. Fomos causados por Ele, mas
Ele não foi causado por alguém. Nós dependemos dEle para a nossa existência, mas Ele não
depende de ninguém. Nossa existência terrena passa como uma ampulheta, mas ele
permanece. Ele era Deus, é Deus, e Deus será para sempre.
1 - Nas Escrituras, o nome de uma pessoa tem uma grande importância na medida em que revela
algo de seu caráter. Quais são os nomes dados a Deus nas Escrituras a seguir e o que eles nos
ensinam sobre Sua eternidade?
a. Eu ________ o que ________ (Êxodo 3:14). A idéia comunicada nesta declaração é que a
existência é um atributo da própria natureza de Deus. Diferentemente do homem Deus não tem
que decidir ou esforçar-se para existir. Ele simplesmente é.
b. ____________ Deus (Isaías 40:28). A palavra pode ser traduzida como "sem fim". No que diz
respeito Deus, a palavra não se refere apenas ao futuro, mas também do passado. Deus não só
permanece para sempre, mas sempre existiu.
c. O _____________ de __________ (Daniel 7:9). Quando usado com referência ao homem, a
frase normalmente denota a ansiedade e fraqueza da mente e do corpo. Quando usado para se
referir a Deus, a expressão denota a grandeza, esplendor, poder e sabedoria Dele, que era antes
da fundação do mundo e vai continuar quando o mundo deixa de existir.
d. O ____________ e o_____________ (Apocalipse 1:8). A primeira e a última letra do alfabeto
grego. É uma maneira colorida para comunicar que Deus é o primeiro e o último (ver Isaías
44:6). Ele é antes de todas as coisas e continuará a ser quando tudo deixar de existir.

2 - Tendo considerado os nomes de Deus que falam da Sua natureza eterna, agora considere
algumas das declarações mais importantes nas Escrituras e o que podemos aprender com os
seguintes textos sobre a natureza eterna de Deus, seu relacionamento com sua criação e como
mostram a sua grandeza:
“Eis que Deus é grande, e nós não o conhecemos,
e o número dos seus anos não se pode esquadrinhar”(Jó 36:26)

“Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o mundo,


sim, de eternidade a eternidade tu és Deus” (Salmo 90:2)

“Mas o Senhor é o verdadeiro Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno, ao seu furor estremece a
terra, e as nações não podem suportar a sua indignação” (Je 10:10)
“O teu reino é um reino eterno; o teu domínio dura por todas as gerações” (Sl 145:13)

“Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.
Confiai sempre no Senhor; porque o Senhor Deus é uma rocha eterna” (Is 26:3,4)

Veja também Sl 90:4; 2Pe 3:8; Sl 45:6; Is 40:6-8; Dt 33.27; Sl 48.14

3 – Veja como deve ser nossa resposta a realidade da eternidade de Deus:


“Bendito seja o Senhor Deus de Israel, de eternidade a eternidade.
Então todo o povo disse: Amém! e louvou ao Senhor” (1Cr 16:36)

“Mas ao fim daqueles dias eu, Nabucodonozor, levantei ao céu os meus olhos,
e voltou a mim o meu entendimento, e eu bendisse o Altíssimo, e louvei,
e glorifiquei ao que vive para sempre; porque o seu domínio é um domínio sempiterno,
e o seu reino é de geração em geração”(Dn 4:34)

“Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus,


seja honra e glória para todo o sempre. Amém” (1Tm 1:17)

4.2. Deus é Auto-Existente


Uma das verdades que nos infunde mais reverência e humildade diante de Deus é que Ele
é absolutamente livre de necessidade ou dependência. Sua existência, o cumprimento da Sua
vontade e Sua felicidade não depende de alguém ou alguma coisa fora de si mesmo. Ele é o
único ser que é verdadeiramente Auto-existente, Auto-sustentador, Auto-suficiente, Independente
e Livre. Todos outros seres derivam sua vida e bem-estar de Deus, mas tudo o que Deus precisa
para existir em perfeita felicidade reside em Si mesmo. A Deus nada falta, não tem necessidade e
não depende de ninguém. Ensinar, ou até mesmo sugerir que Deus fez o homem porque ele se
sentia sozinho ou incompleto, é absurdo e até mesmo blasfêmia. A criação não é resultado de
uma necessidade em Deus, mas o resultado da Sua plenitude ou abundância. Ensinar que Deus
precisa da nossa ajuda para gerenciar Sua criação ou a Sua vontade é igualmente absurdo e
blasfemo. Ele não criou porque tinha uma necessidade, mas porque ele queria revelar a
superabundância da Sua perfeição, glória e bondade.

1 - Nas Escrituras, o nome tem uma grande importância na medida em que muitas vezes revela
algo sobre caráter de uma pessoa. Como Deus chama a si mesmo em Êxodo 3:14? O que nos
comunica sobre sua auto-suficiência?
Eu ________ Quem ________ (Êxodo 3:14). O nome demonstra que a existência de Deus não
foi causada ou dependente de qualquer coisa ou pessoa fora de Si mesmo. A natureza de Deus é
existir e, assim, Ele simplesmente "é" sem esforço. Deus não tem alguma necessidade para
suprir, algo vago para preencher, ou algum propósito que requeira a ajuda de outro. Em
1Coríntios 15:10, Paulo disse algo que é verdade para todos os homens, "pela graça de Deus sou
o que sou". Só Deus é capaz de declarar: "Eu sou quem eu sou, em virtude da minha própria
perfeição e poder".

2 – Veja o que as seguintes Escrituras ensinam sobre Auto-existência, Auto-suficiência e


plenitude Deus e como mostram Sua grandeza: Salmo 36:9; João 5:26.

Nota: A vida ou a existência de Deus não provem de pessoa ou coisa alguma fora de si
mesmo. Ele é vida. O existir é parte de Sua própria natureza. A existência de todos os demais -
visíveis ou invisíveis, animados ou inanimados - depende dele. Só Deus é verdadeiramente livre
de necessidade ou dependência.

3 - Auto-suficiência de Deus é uma declaração de Sua infinita grandeza e lugar exaltado sobre
sua criação. Tudo depende Dele para a sua própria existência, mas Ele não depende de
ninguém. Em Atos 17:22-31 se encontra o sermão do Apóstolo Paulo aos filósofos de
Atenas. Nos versículos 24-25, ele fala contra a idolatria por meio de três importantes declarações
sobre o único Deus verdadeiro. O que ensinam estas declarações sobre a auto-suficiência de
Deus e seu relacionamento com sua criação?
a. Deus não habita em templos feitos por mãos (v.24).
b. Deus não é servido por mãos humanas (v.25).
c. Deus não precisa de nada (v.25).

4. Para concluir nosso estudo da auto-suficiência de Deus considere o Salmo 50:8-15. O que nos
ensina sobre a Auto-suficiência de Deus e nosso relacionamento com Ele? Será que Deus precisa
de algum nós? O que Deus quer de seu povo?

4.3. Deus é Imutável


A palavra "imutável" vem da palavra latina immutabilis [ im = não + mutabilis
= mutável]. Outras palavras tais como imutável, constante e fiel também nos ajudam a entender
esse atributo divino. A imutabilidade de Deus significa que Ele nunca muda em Seus atributos ou
conselhos. Deus não crescer, evoluir, ou melhor, porque ele é perfeito. Ele não pode diminuir,
deteriorar, ou retroceder, porque não mais seria Deus. O que Deus é, Ele sempre foi e será para
sempre. Ele não muda de opinião nem cancelar um de seus decretos com outro. Ele cumpre todas
as Suas promessas e ameaças. Este verdade é uma grande consolação, visto que a possibilidade
de que um Deus poderoso de repente se torne um ser maligno ou anule a Sua promessa é
absolutamente terrível. A imutabilidade de Deus é um de Seus atributos mais importantes,
porque garante que Ele e Sua Palavra são o mesmo ontem, hoje e para sempre. Ele é o único
constante no universo, o único Ser digno de confiança absoluta.
1. Nas Escrituras, o nome de uma pessoa é muitas vezes descrito como de grande importância
por revelar algo de seu caráter. Veja os nomes dados a Deus nas Escrituras que nos ensinam
sobre a Sua imutabilidade:
a) a. Eu Sou o que Sou (Êxodo 3:14). O nome vem do verbo hebraico hayah , que significa "ser"
ou "existir". Não só denota a natureza eterna e auto-existente de Deus, mas também denota sua
imutabilidade. Ele não só "sempre é", mas também "sempre é o mesmo."
b. A Rocha (Deuteronômio 32:4). Esse nome não precisa de muita explicação. Não há muitas
coisas na criação, que são mais permanentes e imutáveis que a pedra, rocha e as montanhas. É
um conforto saber que até esta metáfora é limitada. Quando todas as rochas desta terra forem
transformadas em pó, Deus será o mesmo.

2. Tendo considerado os nomes de Deus que falam de sua imutabilidade, agora consideraremos
algumas das declarações mais importantes feitas na Escritura. O que ensinam sobre a natureza
imutável de Deus e seu relacionamento com sua criação? Como mostram a sua grandeza?
a)Salmo 102:25-27:

b)Malaquias 3:6:

c)Hebreus 13:8:

d)Tiago 1:17:

3. Tendo considerado as muitas passagens que falam da imutabilidade da natureza Deus, agora
consideraremos as passagens que falam especificamente sobre a imutabilidade de Sua Palavra e
Conselho. O que os seguintes trechos das Escrituras ensinam sobre a Sua imutabilidade? O que
nós ensinam sobre o relacionamento de Deus com sua criação, especialmente com os homens?
a)I Samuel 15:29:

b)Números 23:19:

c)Salmo 33:11:

Nota: Em I Samuel 15:29, as Escrituras declaram que Deus não é homem para se arrepender ".
Por esta passagem e outras, é claro ver que a imutabilidade de Deus se estende mesmo até seus
conselhos e vontade. Ele é perfeito em sabedoria e por isso não erra no que decreta. Ele é todo
poderoso e por isso é capaz de realizar tudo o que tem decidido. Mas como podemos conciliar
esse ensino com as outras passagens que parecem ensinar o contrário? Em Gênesis 6.6, Deus se
arrependeu de ter criado o homem. Em Êxodo 32:9-14, Deus se arrependeu do mal que Ele disse
que iria fazer ao seu povo. Finalmente, em Jonas 3:10, Deus se arrependeu do mal que ele disse
que levaria a cabo na cidade de Nínive. Será que as Escrituras contradizem? Deus muda de
opinião? A resposta não é tão complexa e misteriosa como se poderia pensar. As Escrituras
ensinam claramente que as perfeições, propósitos e promessas de Deus são imutáveis, mas isso
não significa que a relação com a Sua criação e disposição com ela não pode mudar. Gênesis 6:6
simplesmente se refere à reação do Deus santo ao pecado do homem e sua decisão de "apagar o
os homens da face da terra "- v.7 (como em I Samuel 15:11, 26). Em Êxodo 32:9-14, Deus
mudou de idéia "a respeito da destruição de Israel como uma resposta misericordiosa a oração de
Moisés (um clamor que Moisés fez em oração, implorando a graça e o poder de Deus). Em Jonas
3.4-10, Deus simplesmente "arrepende-se" de destruir Nínive, quando Nínive “se arrependeu” de
seu pecado. Essas passagens são para nos lembrar que a imutabilidade de Deus não significa
imobilidade. Ele nunca muda, mas ele não é estático, apático, ou não envolvido com sua
criação. Ele é dinâmico e interage com Sua criação. Ele é sempre o mesmo, mas seu
relacionamento e trato com os homens mutáveis variará segundo o comportamento deles diante
dEle (Jeremias 18:7-10, Ezequiel 18:21-24). Esta não é uma contradição de sua imutabilidade,
mas prova do mesmo. Ele sempre vai responder às ações dos homens de uma forma consistente
com seus atributos imutáveis.

4. É importante compreender que a imutabilidade de Deus não depende apenas de sua perfeição,
mas também do seu poder. Deus não seria imutável, se existisse um ser ou poder superior a si
mesmo, que pudesse controlar ou manipulá-lo. O que as Escrituras ensinam sobre a soberania e o
poder de Deus? Existe alguma criatura ou coisa que pode mudar a Deus? Veja Isaías 14:24;
Isaías 46:9-10; Daniel 4:34-35.