Você está na página 1de 4

27/04/2017

MOBILIDADE URBANA

1 2

TEXTO I O tempo da indústria não é o mesmo


Mobilidade urbana exige ações conjuntas
da burocracia estatal. Trata-se de um
A ligação direta entre a fabricação de veículos e os mecanismo mais profundo, estratificado,
engarrafamentos nas grandes cidades parece realmente
não estar muito clara para os governantes. Apesar de concorrendo com um setor extremamente
debates, cúpulas e grupos de discussão existirem ágil – a verdade com que a indústria tende
especialmente para buscar uma solução ao tema, não se vê a oferecer bens de serviços é sempre maior
tratamento especial para o trânsito. Produção de veículos e
mobilidade urbana não podem andar em mãos contrárias. do que a capacidade do governo de
No entanto, para que esse organismo complexo funcione é absorver. É preciso lançar mão de todas as
preciso planejamento, educação e conscientização. O ferramentas disponíveis ao gerenciamento
cenário é desleal se compararmos a publicidade produzida do setor de trânsito: tecnologia,
pelas indústrias de carros com as campanhas educativas e
de estímulos aos meios alternativos de transporte. fiscalização, leis e educação.

3 4

TEXTO II
Como convencer cada motorista a deixar A mobilidade urbana é uma das prioridades
seu carro em casa e pegar um ônibus se o da pauta de planejamento das cidades modernas.
sistema não oferece a ele condições básicas Os gestores públicos precisam enfrentar o desafio
de circulação? A indústria destina milhões às de apresentar soluções para o tráfego de 3,5
campanhas de marketing, tudo para manter o milhões de novos veículos que, a cada ano,
passam a circular pelas vias urbanas do país, além
consumidor fiel e alimentar a ideia de querer da frota atual de 75 milhões. A Lei 12.587/12,
ter um carro é sinônimo de status. No trânsito conhecida como Lei da Mobilidade Urbana,
não existe apenas o motorista ou o ciclista ou o determina aos municípios a tarefa de planejar e
pedestre. É um projeto global, com todas as executar a política de mobilidade urbana. O
suas partes extremamente interligadas. Resta- planejamento urbano, já estabelecido como
nos apenas ser otimistas quanto ao futuro, sem diretriz pelo Estatuto da Cidade (Lei 10.257/01), é
dúvida, nebuloso em termo de trânsito.” instrumento fundamental necessário para o
(Estado de Minas, 17 de junho de 2013. p.12. Opinião)
crescimento sustentável das cidades brasileiras.
5 6

1
27/04/2017

A Política Nacional de Mobilidade Urbana passou a


TEXTO III
exigir que os municípios com população acima de 20 mil
habitantes, além de outros, elaborem e apresentem plano de
mobilidade urbana, com a intenção de planejar o
crescimento das cidades de forma ordenada. A Lei determina
que estes planos priorizem o modo de transporte não
motorizado e os serviços de transporte público coletivo. Além
disso, a legislação determina à União prestar assistência
técnica e financeira aos entes federados e contribuir para a
capacitação de pessoas para atender a esta política pública.
O Ministério das Cidades, por meio da Secretaria Nacional de
Transporte e da Mobilidade Urbana, é um parceiro dos
gestores públicos no desempenho desta tarefa. A construção
de um Brasil melhor dependerá, sem dúvida, do
desenvolvimento de políticas públicas para melhorar a
qualidade de vida da população brasileira.
Disponív el em : ht t p://w ww.cidades.gov .br

7 8

TEXTO IV
Com base na leitura dos textos motivadores e nos
conhecimentos construídos ao longo de sua formação,
redija um texto dissertativo-argumentativo em norma culta
escrita da língua portuguesa sobre o tema : mobilidade
urbana no século XXI – o ir e vir em questão na sociedade
brasileira apresentando experiência ou proposta de ação
social efetiva. Selecione, organize, relacione, de forma
coerente e coesa, argumentos e fatos para a defesa de
seu ponto de vista.

9 10

PLANO TEXTUAL INTRODUÇÃO


1º PASSO : LEITURA ATENTA DA PROPOSTA;

2º PASSO : ELABORAÇÃO DA TESE : CONTEXTUALIZAÇÃO


+
O número exorbitante de carros nas ruas e, além
disso, o pouco investimento em transportes públicos REFERÊNCIA AO TEMA
dificultam o direito constitucional de ir e vir no país.
+
TESE
11 12

2
27/04/2017

REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL PRODUTIVO


3º PASSO : ELABORAÇÃO DA INTRODUÇÃO  REFERÊNCIA LITERÁRIA :
 Referência histórica : Machado de Assis mostra como o simples
A predominância do modal rodoviário em fato de andar de bonde podia revelar as
território nacional deve-se ao modelo implantado transformações que a cidade sofria ao se
na década de 50 por Juscelino kubitschek, que modernizar. Escrita no final do século XIX, a
promoveu a adoção do modelo rodoviarista por crônica “Instruções” narra a vida pública e
meio da construção, da ampliação e do urbana a partir de uma nova forma de
melhoramento de rodovias. JK utilizou esse modelo locomoção. Na atualidade, apesar da
para incentivar e viabilizar a urbanização e a implantação de bondes modernos, os
instalação de indústrias automobilísticas no Brasil.
Contudo, na atualidade, tal forma de problemas quanto à mobilidade urbana
desenvolvimento inviabiliza a mobilidade urbana. prejudicam o desenvolvimento do país.

13 14

 REFERÊNCIA POR MEIO DE LETRA DE MÚSICA DESENVOLVIMENTO


A canção “Trem das Onze” de Adoniran Barbosa
narra de maneira primorosa como o trem era presente
na vida do povo em épocas passadas. Hoje, ao RETOMADA DA TESE
contrário do que descreve a música, tal meio de
transporte apresenta-se, para muitos, somente em +
parques de diversão (trem-fantasma) ou brinquedos de
criança. O transporte ferroviário tornou-se obsoleto, algo
COMPROVAÇÃO DA TESE
que não poderia ter ocorrido num país como o Brasil, ( ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS )
onde tal sistema apresenta vantagens que o colocam
como prioritário para suprir os problemas decorrentes +
da inoperância dos transportes públicos e do CONCLUSÃO
exorbitante número de carros nas vias urbanas.
( Texto nota acima da mídia – UNICAMP – ADAPTADO ).
(PROPOSTA DE INTERVENÇÃO –
15
FACULTATIVA) 16

4º PASSO : ELABORAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ( Retomada da TESE ) DESENVOLVIMENTO 02 – Comprove a tese : a consequência


– Comprove a tese : o transporte público brasileiro, em da má atuação dos transportes públicos, do pouco
maioria, encontra-se em estágio degradante ( descreva-o investimento em transportes alternativos (bicicleta), do
/ enfatize a dependência do modal rodoviário – ônibus-, incentivo para a compra do carro próprio (mídia e
em detrimento de outros meios/ cite as manifestações de
redução do Imposto sobre Produtos Industrializados ( IPI
2013).Para a população brasileira, o tempo é estimado em
uma hora e meia de desperdício entre o ir e vir de casa ) : o exorbitante número de veículos nas vias públicas ).
para o trabalho na maioria das grandes cidades, de  O atraso na mobilidade urbana nas cidades
acordo com o IBGE. brasileiras em relação a outros países.
Estratégias Argumentativas – CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS; E.A 03 - COMPARAÇÃO;
RESULTADO DE PESQUISA; CAUSA E CONSEQUÊNCIA.
EXEMPLO.

17 18

3
27/04/2017

CONCLUSÃO CONCLUSÃO
4º PASSO: ELABORAÇÃO DO PARÁGRAFO DE CONLUSÃO.
 Maior investimento em metrovias e ferrovias por meio de
REAFIRMAÇÃO DA TESE parceria pública e privada (PPP);
+
 (PPP) Implantação de mais Veículos Leves sobre Trilhos
APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA ( S ) DE (VLTs) e BRTs, ou seja, ônibus de trânsito rápido;
INTERVENÇÃO
+  O governo estadual aliado ao municipal devem
FINALIZAÇÃO promover a ampliação de ciclovias e ciclofaixas, assim
como promover por meio do barateamento do valor das
19 bicicletas, a utilização desse modal. 20

CONCLUSÃO
 Reforma urbana através da efetivação da Lei
de Mobilidade Urbana (objetivos melhorar a
acessibilidade e a mobilidade das pessoas e
cargas nos municípios e integrar os diferentes
modos de transporte ). A legislação, que
institui as diretrizes da Política Nacional de
Mobilidade Urbana, foi sancionada em 2012
MOBILIDADE URBANA
e dá prioridade a meios de transporte não
motorizados e ao serviço público coletivo,
além da integração entre os modos e
serviços de transporte urbano.

21 22