Você está na página 1de 52

Regras gerais de ortografia

Prof.ª Me. Luciana Uhren

Emprego de X e CH

Uso do X

Após um ditongo: caixa, frouxo, peixe;

Exceção: recauchutar.

Após a sílaba inicial en: enxada, enxame, enxaqueca;

Exceção: palavras iniciadas por CH que recebem o prefixo en: cheio – encher, enchente, enchimento.

Após a sílaba inicial me: mexer, mexicano, mexerica;

Exceção: mecha.

Palavras de origem indígena, africana: abacaxi, orixá, xavante.

Uso do CH

Nas seguintes palavras:

Bochecha, cachimbo, chalé, chuchu, cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha, salsicha, pechincha

Emprego do G e J

Uso do G

Nos

substantivos

terminados

em

viagem, origem, ferrugem;

Exceção: pajem.

-agem,

-igem,

-ugem:

barragem,

Nas palavras terminadas em:-ágio, -égio, -ígio, -ógio, úgio: estágio,

régio, prestígio, relógio, refúgio;

Nas palavras derivadas de outras grafadas com G: gesso – engessar; massagem – massagista;

Nas seguintes palavras: algema, auge, bege, gengiva, hegemonia, monge, herege

Uso do J

Nas formas dos verbos terminados em: -jar ou –jear:

Arranjar: arranjo, arranje, arranjem; /Despejar: despejo, despeje, despejem;

Enferrujar: enferruje, enferrujem; /Viajar: viajo, viaje, viajem (3ª pessoal do

plural);

Gorjear: gorjeio, gorjeie.

Nas palavras de origem africana, tupi, árabe: biju, jiboia, manjericão, canjica;

Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j: laranja – laranjeira; loja – lojista; jeito – ajeitar; cereja – cerejeira.

Nas seguintes palavras: berinjela, cafajeste, jejum, traje

Emprego de S e Z

Uso do S

Nas palavras derivadas de outras que já apresentam S no radical: análise – analisar; catálise – catalisador; liso – alisar.

Nos sufixos –ês e –esa ao indicarem título, nacionalidade ou origem: burguês – burguesa; inglês – inglesa; chinês – chinesa;

Nos sufixos formadores de adjetivos –ense, -oso, -osa: catarinense, forense, amoroso, amorosa, teimoso, teimosa, gostoso, gostosa;

Nos sufixos –esa, -isa, -ose: poetisa, profetisa, metamorfose, virose;

Após ditongos: coisa, pouso, lousa, náusea;

Nas formas dos verbos por e querer: pus, pusemos, quis, quisemos, repus.

Uso do Z

Nas palavras derivadas de outras que apresentam Z no radical: vazio – esvaziar; cruz – cruzeiro; razão – razoável;

Nos sufixos –ez, -eza ao formarem substantivos derivados de adjetivos:

Limpo – limpeza; nobre – nobreza; inválido – invalidez; surdo – surdez;

Nos sufixos –izar ao formar verbos e –ização ao formar substantivos:

civilizar – civilização; hospitalizar – hospitalização; indenizar – indenização;

Nos derivados em –zal, -zeiro, -zinho, -zinha: cafezal, cafezinho, cinzeiro;

Nos seguintes vocábulos: azar, azeite, catequizar, cicatriz, proeza, vizinho, bazar, buzina, amizade

Existem palavras em que o uso do S ou do Z alteram o significado

Coser: costurar / Cozer: cozinhar Traz ( verbo trazer) / Trás (parte posterior) Nós (pronome 1ª pessoa do plural) / Noz (fruto)

Exercícios

(UFPR)

Assinale

a

vocábulos: 1. desli

A) z - z - s – s

B) z - s - z – z

C) s - z - s - s

D) s - s - z - s

E) z - z - s - z

alternativa

e;

2. vi

correspondente

inho;

3. atravé

;

à

grafia

4. empre

correta

a

dos

Emprego de S, Ç, X e dos Dígrafos Sc, Sç, Ss, Xc, Xs

Uso do S

Nos substantivos derivados de verbos terminados em "andir","ender", "verter" e "pelir”

Exemplos:

Expandir – expansão

Pretender – pretensão / estender – extensão / suspender – suspensão

Verter – versão / converter – conversão

Repelir – repulsão / expelir – expulsão

Uso do Ç

Nos substantivos derivados dos verbos "ter" e "torcer"

Exemplos:

Ater – atenção / deter – detenção

Contorcer – contorção / torcer – torção / distorcer – distorção

/ manter – manutenção

Uso do X

Em alguns casos, a letra X soa como Ss

Exemplos:

Auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto, trouxe

Uso do Sc

Nos termos eruditos

Exemplos:

Acréscimo, ascensorista, consciência, descender, discente, fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, miscível, plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender etc.

Uso do Sç

Na conjugação de alguns verbos

Exemplos:

Nascer – nao, naa Crescer – creo, crea Descer – deo, dea

Uso do Ss

Nos substantivos derivados de verbos terminados em "gredir", "mitir", "ceder" e "cutir"

Exemplos:

Agredir – agressão / progredir – progressão Ceder – cessão / exceder – excesso Discutir – discussão / repercutir – repercussão Transmitir – transmissão / demitir – demissão

Uso do Xc e Xs

Em dígrafos que soam como Ss

Exemplos:

Exceção, excêntrico, excedente, excepcional, exsudar

suar, transpirar

Observações sobre o uso da letra X

1) O X pode representar os seguintes fonemas:

/ch/ - xarope, vexame /cs/ - axila, nexo /z/ - exame, exílio /ss/ - máximo, próximo /s/ - texto, extenso

2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci- Exemplos: excelente, excitar

Emprego das letras E e I

Uso da letra E

1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar

Exemplos:

Magoar – magoe, magoes

Continuar – continue, continues

2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior)

Exemplos: antebraço, antecipar

3) Nos seguintes vocábulos: cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico, orquídea etc.

Uso da letra I

1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir

Exemplos:

Cair – cai / doer – dói / influir – influi

2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra)

Exemplos:

Anticristo, antitetânico

3) Nos seguintes vocábulos: aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio etc.

Emprego das letras O e U

O / U

A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de algumas palavras. Veja os exemplos:

comprimento (extensão) e cumprimento (saudação, realização)

soar (emitir som) e suar (transpirar)

Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume, moleque.

Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua

Observações

Sessão, seção e cessão

Dependendo do modo como se escreve, as palavras ganham outros significados, embora tenham o mesmo som (homófonas):

Sessão: derivado do latim sessio, que significa "sentar-se" ou "cadeira". Refere-se ao espaço de tempo no qual acontece uma reunião, uma assembleia. Também pode ser utilizado para falar de uma sessão de cinema, de uma sessão de psicoterapia ou de uma sessão de fotos, que não são reuniões, mas atividades específicas que são realizadas em um determinado intervalo de tempo.

Seção: provém do termo em latim sectio, que significa "corte". Está relacionada, portanto, com o ato de dividir, separar, repartir. Nas repartições públicas, seção é cada uma das partes em que se subdivide cada departamento. É também cada uma das partes em que se divide uma publicação escrita. Ainda pode designar o local onde votam determinados eleitores, como por exemplo a seção de voto.

Cessão: A palavra é derivada do verbo ceder. Trata-se de uma doação, atribuição ou transmissão de bens ou direitos para outrem. Este termo é utilizado no sentido de transferir, para algo ou alguém, bens ou o direito de posse sobre alguma coisa, por exemplo. Sendo também usual no contexto de permissão para licença ou outorga. Exemplo: “A cessão para o começo das obras foi finalmente entregue”.

28

Mal / mau

Mal: origem na palavra latina male. Contrário de bem. Ex.:

Não fale mal de seus amigos. Você me fez um grande mal. Ele foi mal na prova do concurso público.

Mau: origem na palavra latina malu. Contrário de bom. Ex.:

Eduardo é um mau aluno. Ele seguiu por maus caminhos. Fumar é um mau hábito.

Conserto / concerto

Também são palavras homófonas (mesmo som, escrita diferente):

Conserto: O verbo “consertar” equivale a “restaurar”, “reparar”. O substantivo “conserto” significa, portanto, o ato ou efeito de consertar e, por isso, deve ser escrito com S quando expressar o sentido de “reparo” ou “remendo”. Ex.: O conserto do celular ficará muito caro.

Concerto: o substantivo “concerto” é usado principalmente para indicar sessões musicais. Ex.: A Orquestra Sinfônica de Brasília fez um concerto especial no fim de semana.

Palavras homófonas

Mesma pronúncia com escrita e significados diferentes:

Acento (sinal gráfico) / assento (cadeira, lugar para sentar); Alto (comprido, elevado) / auto (automóvel, referente a si próprio); Caçar (perseguir, capturar) / cassar (anular, invalidar); Cinto (acessório para calças) / sinto (verbo sentir); Senso (sentido) / censo (levantamento estatístico); Tachado (classificado, considerado) / taxado (tributado, tabelado); Trás (local posterior) / traz (verbo trazer).

Parônimos

Palavras escritas ou pronunciadas de forma parecida, mas com significados diferentes:

Absorver (sorver) / absolver (inocentar); Aferir (avaliar) / auferir (obter); Cumprimento (saudação) / comprimento (tamanho, grandeza); Delatar (denunciar) / dilatar (alargar, estender); Discriminar (diferenciar, segregar) / descriminar (descriminalizar, inocentar); Iminente (imediato) / eminente (elevado, superior); Retificar (corrigir) / ratificar (confirmar); Tráfego (trânsito) / tráfico (comércio clandestino).

Exercícios

1) Levando em consideração o contexto atribuído pelos enunciados, empregue corretamente um dos termos propostos pelas alternativas entre parênteses.

a –

adversário. (cheque/xeque)

b – O visitante pôs a viagem. (cela/sela)

c –

O

atacante

aproveitou

No

presídio,

todos

os

a

jogada

distraída

e

deu

o

no

no cavalo, despediu-se de todos e seguiu

ocupantes

foram

trocados

de

(cela/sela)

d – O filme a que assisti pertence à

das dez. (seção/sessão/cessão)

2) Assinale o item em que a palavra destacada está incorretamente

aplicada:

a) Trouxeram-me um ramalhete de flores fragrantes.

b) A justiça infligiu pena merecida aos desordeiros.

c) Promoveram uma festa beneficiente para a creche.

d) Devemos ser fieis aos cumprimentos do dever.

e) A cessão de terras compete ao Estado.

3)

Marque a opção que melhor completa as frases abaixo:

 

a)

O prazo já estava

 

( proscrito - prescrito ).

b)

Ao

sair do

barco,

o

assaltante foi

preso

em

(flagrante

-

fragrante).

c) A ditadura

muitos políticos de oposição; (caçou - cassou).

d)

Quando foi realizado o último

? (censo - senso).

e)

A polícia federal combate o

de cocaína (tráfego-tráfico).

f)

No

Brasil

é vedada a

racial; embora haja quem a pratique

(discriminação-descriminação).

g) Nunca o encontro na

em que trabalha (sessão - seção).

Regras de acentuação

Vida em condomínio

Alugar a garagem de prédio é permitido?

De acordo como novo Código Civil Art. 1.338 , o condômino poderá alugar sua vaga de garagem para qualquer pessoa. Entretanto, deverá observar uma ordem de preferência: em primeiro lugar, quem reside ou ocupa uma unidade no edifício; e em segundo lugar, o próprio condomínio.

Somente se não houver interesse dos beneficiados pela ordem de preferência, o dono da vaga poderá locar a área para pessoas não residentes no edifício.

Para evitar problemas, é importante a assinatura de um contrato de locação.

Vida em condomínio

Quando o condomínio deve aprovar obras?

O condômino pode fazer obras na sua unidade privativa, desde que não comprometa a segurança da edificação.

Porém, não poderá mudar o padrão estético das fachadas, que consiste nas quatro faces do edifício, bem como nas esquadrilhas das janelas e nas cores das varandas.

A mudança do revestimento geral da fachada e colocação de vidros ou aparelhos de ar-condicionado são até possíveis, desde que obedecidos determinados critérios técnicos e as normas estabelecidas na convenção.

Mas é necessário observar que as eventuais obras em coberturas devem preceder a estudo personalizado, porque podem alterar, inclusive, a fração ideal da unidade.

Direito administrativo

Justiça Gratuita

O Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos. É a Defensoria Pública que exercerá a função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a orientação jurídica e a defesa, em todos os graus, dos necessitados. A assistência judiciária abrange não o direito do cidadão "pobre" em ter um advogado do Estado, mas também quaisquer despesas, custas processuais e honorários de peritos até o final do litígio. Esse benefício é válido para todas as pessoas que estiverem amparadas judicialmente pelos benefícios da assistência judiciária, não importando se seu advogado é defensor público do Estado ou particular.

Direito administrativo

sinalização de trânsito pode gerar indenização

O órgão de trânsito que se responsabiliza pela colocação de sinais, conservação das vias e visualização da sinalização é responsável por danos causados em decorrência do funcionamento deficiente do serviço, podendo até mesmo ser condenado ao pagamento de indenização pelos danos materiais e morais sofridos em decorrência de acidente de trânsito por sinalização em via pública. A indenização poderá ser arcada até mesmo pelo Poder Público municipal, estadual ou federal, pois será sempre destes a obrigação de prestar esses serviços nas suas respectivas áreas de competência, mesmo que sejam delegados a alguma empresa, através de concessão ou permissão.

Palavras grifadas

PRÉDIO – É – CÓDIGO – PODERÁ – DEVERÁ – PREFERÊNCIA – EDIFÍCIO – PRÓPRIO – CONDOMÍNIO – PORÉM – CONDÔMINO – ESTÉTICO – ATÉ – POSSÍVEIS – CRITÉRIOS – TÉCNICOS – NECESSÁRIO – PRESTARÁ – ASSITÊNCIA – JURÍDICA – INSUFICIÊNCIA –

PÚBLICO (A) – EXERCERÁ – JUDICIÁRIA – SÓ – TAMBÉM – HONORÁRIOS – LITÍGIO – BENEFÍCIO(S) – VÁLIDO – MÁ – TRÂNSITO – ÓRGÃO – RESPONSÁVEL – DECORRÊNCIA – SERÁ – ÁREAS – COMPETÊNCIA – ATRAVÉS

Regras de acentuação

1) Proparoxítonas (antepenúltima sílaba tônica)

Todas são acentuadas.

DIGO – CONMINO – ESTICO – TÉCNICOS – JUDICA – BLICO(A) – LIDO – TRÂNSITO

2) Paroxítonas (penúltima sílaba tônica) São acentuadas as terminadas em:

TERMINAÇÃO

EXEMPLO

L

Responvel

N

PÓLEN

R

CARÁTER

PS

BÍCEPS

X

TÓRAX

US

VÍRUS, ÔNUS

I, IS

LÁPIS

OM, ONS

ÍONS

UM, UNS

ÁLBUM, ÁLBUNS

Ã(S), ÃO(S)

ÓRFÃ, órgão

DITONGO SEGUIDO OU NÃO DE S

Prédio, preferência, edicio, próprio, posveis, cririos, necesrios, assistência, insuficiência, judiciária, honorios, ligio, decorrência, áreas, competência 46

3) Oxítonas (última sílaba tônica) São acentuadas as terminadas em:

TERMINAÇÃO

EXEMPLO

A(s)

Pode, deve, presta, exerce, má, se

E(s)

É, através, a

O(s)

Só

Em, ens (com duas sílabas ou mais)

Também, porém

Ditongos abertos (seguidos ou não de S)

HERÓI, VÉU, CHAPÉU

Exercícios

1) Qual é a regra de acentuação para as seguintes palavras:

“específico", "fotógrafo", "trânsito", "estético"?

A) Todas as palavras são terminadas em vogais, por isso devem

ser acentuadas.

B) Todas as palavras são proparoxítonas.

C) Todas as palavras são paroxítonas.

D) Nenhuma das alternativas corresponde às regras.

2) Assinale a alternativa que tenha palavras com a mesma

regra de acentuação da palavra "réis":

A) Café, pés, sabiá, jiló.

B) Má, sabiá, jacaré, alguém.

C) Céu, véu, robô, pés, má.

D) Dói, véu, céu, sóis.

3) Assinale a alternativa que tenha palavras com a mesma

regra de acentuação:

A) Pá, compôs, herói, vácuo, sótão, estética.

B) Louvável, álbum, revólver, táxi, éden.

C) Repórter, louvável, álbum, fotógrafo, farmácia.

D) Sabiá, jiló, café, sótão, órfão, órgão.

4) Assinale as palavras que estão corretamente acentuadas:

A) Saída, hífen, café, herói, asteroide.

B) Maracujá, farmácia, véu, pá, má.

C) Troféu, cordel, papel, céu, jacaré.

D) Dominó, faísca, baiuca, boia. E) Todas as alternativas estão acentuadas corretamente.