Você está na página 1de 123

MANUAL

DE
EVANGELIS
MO
Aprendendo a
ganhar almas
para Cristo

MANUAL DE
EVANGELISMO
Aprendendo a ganhar almas para Cristo

Todos os direitos reservados. Copyright © 1990 para a língua portuguesa da Casa


Publicadora das Assembleias de Deus. Aprovado pelo Conselho de Doutrina.
Prepara!o dos srcinais" Daniele Pereira #evis!o" $leber Cru% Capa e pro&eto
gr'(co" )duardo *ou%a )ditora!o" +arlon *oares
CDD" ,--  )vangeli%a!o /*" 23,-401,9,
Para maiores in5orma6es sobre livros7 revistas7 peri8dicos e os ltimos
lanamentos da CPAD7 visite nosso site"http"::;;;.cpad.com.br
As cita6es bíblicas 5oram e<traídas da vers!o Almeida #evista e Corrigida7
edi!o de 19937 da *ociedade íblica do rasil7 salvo indica!o em contr'rio.
Casa Publicadora das Assembleias de Deus
Cai<a Postal 441
,0001 9=07 #io de >aneiro7 #>7 rasil
1=a )di!o ,00=
PALAVRA DO AUTOR
osso pe?ueno livro7 Evangelismo Pessoal, editado em 19207 surgiu da
necessidade urgente de material para atender @ implanta!o da )*T)AD) 
)scola Teol8gica das Assembleias de Deus no rasil.
)mbora
resumida7n!oprodu%iu
passasse os
de um esboo7 pois
resultados apresentava
esperados. o assuntoplenamente
*entimonos de 5orma
recompensados pela boa impress!o ?ue nos 5oi transmitida pelos ?ue o leram. )m
192,7 visando ampliar as matBrias do livro7 procedemos a uma mudana radical
na apresenta!o dos assuntos da edi!o anterior7 bem como acrescentamos
muitos outros ?ue &ulgamos ser necess'rios ao conhecimento dos leitores.
+udamos7 inclusive7 o nome do livro7 ?ue passou a intitularse Manual de
Evangelismo, pela abrangncia dos assuntos apresentados. ovamente 5omos
grati(cados pela boa impress!o dos ?ue o leram7 reetida pelo nmero de
edi6es publicadas.
Aproveitando a oportunidade da nova 5ormata!o do livro7 novamente
procedemos a outra revis!o ?uase geral7 n!o somente apresentando outros
assuntos re5erentes a esse importante tema7 mas tambBm dando n5ase7 de
maneira di5erente7 aos ?ue &' constavam na revis!o anterior7 ob&etivando 5acilitar
a compreens!o dos leitores. As matBrias relacionadas com doutrinas herBticas
5oram suprimidas7 e7 em seu lugar7 5oram introdu%idos diversos gr'(cos alusivos a
algumas matBrias7 com a (nalidade de visuali%ar melhor o assunto.
E<al' esta obra7 ?ue em nenhuma oportunidade tivemos pretens!o de apresentar
como um compndio completo sobre o assunto7 possa tornarse um motivo de
bn!os para todos os crentes7 principalmente para a?ueles ?ue est!o empe
nhados na gloriosa tare5a de ganhar almas para o *enhor >esus.
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 9

1 POR QUE EVANGELIZAR 11

2 COMO EVANGELIZAR 18

3 ONDE EVANGELIZAR 22

4 QUEM PODE EVANGELIZAR 24

5 QUALIFICAÇÕES PARA QUEM VAI EVANGELIZAR 26

6 QUANDO EVANGELIZAR 30

7 TEXTOS APROPRIADOS PARA EVANGELIZAR 31

8 EVANGELIZAR PELO TESTEMUNO PESSOAL E COLETIVO 33

! SE O CRENTE NÃO EVANGELIZAR 34

"# MANEIRA DE LEVAR AS ALMAS A DECISÃO 35

"" O CUIDADO DO GANADOR D! ALMAS P!LOS NOVOS CONV!RTIDOS 36

"2 DESAFIO PARA EVANGELIZAR 38

"3 TIPOS DE PESSOAS ENCONTRADAS PELO GANADOR DE ALMAS 86


"4 OUTROS TIPOS DE PESSOAS 98

"5 EVANGELIZAÇÃO DE CRIANÇAS 121

"6 A O$RA MISSION%RIA 125

"7 O GALARDÃO DO GANADOR DE ALMAS 132

INTRODU"#O

E assunto ?ue abordamos re5erese @ miss!o mais sublime ?ue est' reservada
para a /gre&a do *enhor a?ui na terra  evangeli%ar o mundo. Pela sua
pro5undidade e importFncia para o povo de Deus7 a matBria merecia aprecia!o
mais pro5undaG porBm7 devido @ carncia de espao7 est' resumida e apresenta os
aspectos mais interessantes. Hocali%amos diversas 5ases re5erentes ao trabalho do
ganhador de almas7 desde sua prepara!o atB o momento em ?ue a alma
evangeli%ada B salva por >esus. )m seguida7 observamos ?ue a miss!o do
ganhador de almas n!o termina aí7 mas continua no cuidado com o novo
convertido nos seus primeiros passos na 5B7 atB ?ue se (rme no *enhor.
De maneira muito especial7 B en5ati%ado o grande desa(o para a sublime obra de
evangeli%ar.
Ima boa parte do estudo mostra como o ganhador de almas deve proceder para
alcanar os ?ue costumam desculparse para n!o aceitarem a mensagem do
evangelho.
Tudo isso 5a% parte do estudo para a prepara!o do ganhador de almas7 a (m de
?ue possa atingir os pecadores com as oas ovas. ) ainda dedicado um grande
espao sobre a maneira como 5alar com os cat8licos7 &udeus7 ateus7 praticantes de
religi6es orientais e tambBm com os ?ue se desviaram do san to caminho. A obra
(caria incompleta
trabalho se enela
mission'rio n!o 5osse incluído
a evangeli%a!o e abordado
de crianasG esta7 de maneira especial
principalmente o
atravBs
da escola dominical. Hinali%amos o estudo apontando o galard!o do ganhador de
almas7 para estímulo dos ?ue se dedicam @ con?uista dos perdidos.
)speramos ?ue este humilde estudo venha tra%er a todos os leitores edi(ca!o e
despertamento espiritual7 conscienti%ando os da grande tare5a ?ue nos B imposta
pelo *enhor da seara. )ste ensino B resultado de ora!o e de medita!o na
Palavra de Deus7 e das e<perincias ?ue por )le nos 5oram concedidas.
1 POR QUE EVANGELIZAR

)ntre tantas outras ra%6es7 o crente deve evangeli%ar devido"

I& AO GRANDE PROP'SITO DA VIDA DO SENOR (ESUS )(* 3&"6+


)le J...veio buscar e salvar o ?ue se havia perdidoK LMc 19. 10N. Todo o seu
ministBrio 5oi dedicado @ con?uista das almas L>o O.4ON7 pois )le as via como
ovelhas ?ue n!o tm pastorK7 desgarradas e errantes L+t 9.4-N7 como doentes
necessitados de mBdico L+t 9.1,N. Por esta ra%!o7 )le as ensinava e curava L+t
9.43N7 e<pulsava demQnios LMc O.4374-N7 ressuscitava mortos L>o 11.O,OON. E seu
amor pelas almas era t!o grande L+c 10.,1G Mc 19.O1N ?ue7 para compr'las para
Deus LAp 3.9N7 )le viveu uma vida de obedincia atB a morte LHp ,.2N7 dando
voluntariamente a sua pr8pria vida como preo de resgate delas L)5 1.=N7 5a%endo
se pecado por elas L, Co 3.,1N7 para libert'las do pecado L>o 2.4,4-N7 das
potestades das trevas LCl 1.14N7 da ira de Deus L>o 4.4-G #m 3.9N7 do medo da
morte LRb ,.1ON e do medo da condena!o L>o 3.,OG #m 2.1NG para torn'las
(lhos de DeusK L>o 1.1,N e idQneas ... para participar da herana dos santos na
lu%K LCl 1.1,N.

II$ , IMPORT-NCIA DO TRA$ALO A N'S CONFIADO


Deus nos deu o ministBrio da reconcilia!o e tambBm pQs em n8s a palavra da
reconcilia!o7 de sorte ?ue somos embai<adores da parte de Cristo L, Co 3.12
,0N.
A importFncia do trabalho ?ue Deus con(ou @ /gre&a B t!o grande ?ue7
biblicamente7 B descrito como"
"& U. ./01/.0*  * S0* 0* 1 )M %&$'()%*+ M, '-$'./'&0
E *enhor nos ordenou pregar o evangelho 7 pois )le ?uer ?ue a sua mensagem
atin&a toda criatura L+c 1-.13N7 todas as nações L+t ,2.19N7 todo o mundo L+c
1-.13N7 todas as aldeias L+t 9.43N7 todo lugar LAt 1=.40N. )le ... amou o mundo...K
L>o 4.1-N e ?uer ?ue J... homens de toda tribo7 e língua7 e povo7 e na!oK LAp 3.9N
...venham a arrependerseJ L,Pe 4.9N ... se salvem e venham ao conhecimento
da verdadeK L1Tm ,.ON.
Todos os crentes7 sem e<ce!o7 receberam esta incumbncia do *enhor L1Pe ,.9G
+t 10.2N. Alguns receberam a determina!o de comear a trabalhar de
madrugada, outros na terceira hora, isto B7 @s 9 horasG outros , perto da hora
sexta, ou se&a7 entre 11 e 1, horasG e outros perto da hora undécima, isto B7
5altando apenas 1 hora para terminar o dia  os &udeus contavam o período
diurno das - horas da manh! @s - horas da tarde  L+t ,0.1-N.
2& U./ *9:;/<=* 1 * 1* />?*
... me B imposta esta obriga!oG e ai de mim se n!o anunciar o evangelhoK L1Co
9.1-N. )sse te<to
ou 5orado7 e sim n!o
?ue7signi(ca ?ue ode
por se tratar crente deva pregar do
uma testemunha a Palavra
*enhor constrangido
>esus LAt 1.2N7
5oi convidado para testi(car da sua salva!o LAt ,-.,,N7 a (m de ?ue os ?ue
ouvirem seu testemunho possam saber a ra%!o da esperana ?ue h' nele L1Pe
4.13N. *omente o crente pode a(rmar com convic!o ?uem ele era7 ?uem ele B7 e
?uem ele ser'7 ou se&a" era um perdido pecador L#m 4.,4N7 candidato @ morte
eterna L#m -.,4G Ap ,1.2N e @ condena!o Ldo 3.,ON" porBm7 ho&e7 B um pecador
remido LTt ,.1ON7 libertado por >esus L>o 2.4ONG e. no 5uturo7 estar' eternamente
na presena do *enhor L1Ts O.1=N7 nos cBus LHp 4.,0N7 possuindo um corpo
imortal e incorruptível L1 Co 13.313ON.
3& U. 1? 1 *1* @0
Con&urote7 pois7 diante de Deus7 e do *enhor >esus... ?ue pregues a PalavraK L,
Tm O.17,N. Diante de um mundo t!o necessitado da salva!o em Cristo7 o +estre
nos di%" ... dailhes v8s de comerK L+t 1O.1-NG ... Hilho7 vai trabalhar ho&e na
minha vinhaK L+t ,1.,2N" ... de graa recebestes7 de graa daiK L+t 10.2N.
4& U. :?:>B;:* 1 @/1/ />?* )M "#&32+
Im dos maiores privilBgios do crente B poder cooperar com Deus L+c 1-.,0N
neste mister de ganhar almas para o seu #eino. Sue satis5a!o Sue alegria Sue
e<ulta!o B saber ?ue alguBm ho&e B crente ou ?ue alguBm ?ue &' partiu para a
gloria est' salvo por?ue n8s o ganhamos para Cristo Paulo tinha esta e<perincia
com os irm!os de TessalQnica L1Ts ,.197,0N7 pois os havia ganho para Cristo L1Ts
,.=11N. E mesmo ele podia di%er a respeito de Tito LTt 1.ON e de EnBsimo LHm
10N.
Sue privilBgio glorioso B pregar a Palavra7 pois 5omos escolhidos por Deus para
este trabalho L>o 13.19N7 e )le ...pQs em n8s a palavra da reconcilia!o. De sorte
?ue somos embai<adores da parte de Cristo...K L, Co 3.197,0N. Portanto7 5aamos
&us a este grande privilBgio7 levando a mensagem da cru% para as almas perdidas7
arrebatandoas do 5ogo da condena!o L>d ,4N.
5& U./ *0/9:>:1/1 1 @/1/ @0 )"T. 2&4+
*e ...tu n!o 5alares7 para desviar o ímpio do seu caminho7 morrer' esse ímpio na
sua ini?uidade7 mas o seu sangue eu o demandarei da tua m!oK L)% 44.2N.
E *enhor nos salvou para anunciarmos as suas virtudes L1Pe ,.9N7 isto B7 para
pregarmos ...o evangelho a toda criaturaK L+c 1-.13N7 dando7 assim7 de graa o
?ue de graa recebemos L+t 10.2N. *e ho&e somos salvos B por?ue alguBm sentiu
o peso da responsabilidade de nos 5alar do amor de Deus e nos anunciou o
evangelho.
L#m 4.,4N7 ?ueSuando comeamos
est'vamos a pensar
destinados ?ue outrora
@ matana Bramos pecadores
LPv ,O.1171,N7 isto B7 aoperdidos
lago de
5ogo do in5erno LAp ,0.1O713N7 onde iríamos padecer eternamente L,Ts ,.4N7 isto B
motivo de despertamento para reali%armos a miss!o para a ?ual 5omos chamados7
e ai de n8s se n!o anunciarmos o evangelho7 pois a n8s ... B imposta essa obriga
!o...K L1Co 9.1-N.
Deus nos tem dado diversos talentos para esse trabalho LMc 19.1,714N e )le
espera ?ue 5aamos a obra7 pois7 sendo longFnimo7 n!o ?uer ... ?ue alguns se
percam7 sen!o ?ue todos venham a arrependerseK L,Pe 4.9N. )le ... ?uer ?ue to
dos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdadeK L1Tm ,.ON.
Portanto7 amado irm!o ou irm! em Cristo7 ... !o temas mas 5ala e n!o te calesK7
pois Deus tem ... muito povo nesta cidadeK LAt 12.9710N.
6& U. 1/* // * ;/0/1* 1 />./
Es ?ue semeiam em l'grimas segar!o com alegria. A?uele ?ue leva a preciosa
semente7 andando e chorando7 voltar'7 sem dvida7 com alegria7 tra%endo
consigo os seus molhosK L*/ 1,-.37-N.
As di(culdades muitas ve%es s!o grandes e constituem um desa(o para n8s LAt
14.21,G 1=.4,4ON7 mas vale a pena en5rent'las para achar a ovelha desgarrada
do rebanho L+t 12.1,714N. Es vencedores desse desa(o sentir!o grande go%o por
ver as almas salvas LMc 13.37-G Hp O.1N.
7& U./ *?/1  .* / 0// 1 D
E crente B descrito na íbliacomotendo a nature%a divina (2Pe 1.O1N7 ou
se&a7 ... o mesmo sentimento ?ue houve tambBm em Cristo >esusK LHp ,.3N7 a
mente de Cristo L1Co ,.1-N7 a vida de Cristo LCl 4.4N. ) ?ual B a nature%a divinaU
V certamente o amor L1Tm O.2N7 o amor pelas almas L>o O.4OG 10.1371-N.
E amor de Deus est' derramado em nosso cora!o pelo )spírito *anto ?ue nos
5oi dadoK L#m 3.3N e nos leva a ter grande amor pelas almas perdidas L#m 9.14"
1 0.14N. ) imbuído deste amor ?ue o ganhador de almas chega a 5a%erse tudo
para todos7 para7 por todos os meios7 chegar a salvar algunsK L1Co 9.19,4N.
Portanto7 a maior prova de ?ue possuímos a nature%a de Deus B ?ue ?ueremos
ganhar almas para )le7 ainda ?ue para tal tenhamos de colocar em risco a nossa
pr8pria vida LAt ,0.,4.,ON. E *enhor >esus n!o hesitou em dar sua pr8pria vida
para nos salvar L>o 10.131=N.
8& U./ 1?:1/ 1 *1* @0 )R. "& "4"5+
#ealmente7 o ?ue o *enhor 5e% na nossa vida B motivo de muita gratid!o. Suando
nos lembramos de nossa situa!o pecaminosa7 sem Deus7 sem pa%7 sem
segurana7 dominados pelo pecado e por *atan's7 e do (m triste ?ue nos estava
reservado na eternidade7 isto B ra%!o su(ciente para empregarmos todos os
nossos es5oros a (m de levarmos outras pessoas a >esus7 as ?uais7 @ semelhana
da nossa situa!o de outrora7 est!o palmilhando os mesmos caminhos tortuosos.
A ninguBm devais coisa alguma7 a n!o ser o amor...K L#m 14.2N. E trabalho de
ganhar almas constituise numa dívida a pagar. Suando permanecíamos no
pecado7 tínhamos uma dívida enorme e est'vamos sem condi6es de pag'la7 mas
tudo 5oi perdoado por Deus L+t 12.,4,=G Cl ,.1ON7 portanto7 agora nenhuma
condena!o h' para os ?ue est!o em Cristo >esus...K L#m 2.1N. E<al' possamos
levar a mensagem da cru% ao perdido7 para sua salva!o7 pois7 5a%endo assim7
estaremos dando de graa o ?ue de graa recebemos L+t 10.2N7 e a dívida vai
sendo paga
!& U. :0/> 1  *.* />?*
Toda pessoa salva ?uer levar alguBm a Cristo. We&amos alguns e<emplos"

Depois9.1. A mulher
de salva samaritana
por >esus7 &unto ao poo de >ac87 5oi impelida a ir @ cidade de
*amaria e pregar a Palavra di%endo" Winde e vede um homem ?ue me disse tudo
?uanto tenho 5eitoG porventura7 n!o B este o CristoUK L>o O.,9N Es homens
atenderam ao seu convite e 5oram ter com >esus L>o O.40N. ) muitos mais creram
nele7 por causa da sua palavra. ) di%iam @ mulher" >' n!o B pelo ?ue disseste ?ue
n8s cremos7 por?ue n8s mesmos o temos ouvido e sabemos ?ue este B
verdadeiramente o Cristo7 o *alvador do mundoK L>o O.O17O,N.
9.,. Zaqueu
Depois de salvo7 teve um interesse incomum pelo seu pr8<imo LMc 19.279N.
9.4. André
Depois de ter tido um encontro com >esus7 pregou as oas ovas para seu irm!o
*im!o Pedro e levouo a >esus L>o 1.49O,N.
9.O. ilipe
Depois do maravilhoso encontro com o +estre L>o 1.O4N7 logo anunciou a
mensagem para atanael7 di%endo" ... Ravemos achado a?uele de ?uem +oisBs
escreveu na Mei e de ?uem escreveram os Pro5etas" >esus de a%arB7 (lho de
>osBK L>o 1.O3N7 e o levou a Cristo L>o 1.O-7O=N.
9.3. ! endemoninhado gadareno
Depois de libertado radicalm ente por >esus7 recebeu a incumbncia de ir pregar
para sua 5amília as maravilhas ?ue o *enhor lhe dissera" ... ) ele 5oi apregoando
por toda a cidade ?u!o grandes coisas >esus lhe tinha 5eitoK LMc 2.49N.
9.-. ! leproso
Depois de (car totalmente curado por >esus7 ainda ?ue lhe 5osse solicitado
silncio com rela!o ao milagre ocorrido7 n!o pQde conterse perante tal
maravilha e7 tendo saído dali7 ... comeou a apregoar muitas coisas e a divulgar
o ?ue aconteceraK L+c 1.OO7O3N.
Trabalhai e orai
a seara e na vinha do *enhor
+eu dese&o B orar7 e ocupado ?uero estar
"im, na vinha do "enhor# LRino nX 113 da Rarpa Crist!N
"#& U./ 0@:1/1 1* 9/:.* 0* E:* S/0*
+as recebereis a virtude do )spírito *anto7 ?ue h' de vir sobre v8sG e sermeeis
testemunhas tanto em >erusalBm como em toda a >udeia e *amaria e atB aos
con(ns da terraK LAt 1.2N. Antes de receberem o batismo no )spírito *anto7 os
discípulos estavam trancados no lugar onde se reuniram com medo dos &udeus L>o
,0.19N. TambBm estavam despreocupados com a incumbncia ?ue lhes 5ora dada
de pregar a Palavra L>o ,1.4N. +as7 ?uando receberam o poder do )spírito LAt ,.1
ON7 o ?uadro modi(couse totalmente"
10.1. Eles que, estavam assentados (At 2#2$, %caram de pé (At 2#&'$#
10.,. As portas, que até ento estavam )echadas (*o 2+#&$, a-riram.se e
eles sa/ram 0s ruas, 0s praças, 0s sinagogas, a pregar a Palavra#
10.4. Pedro, que chegara a negar vergonhosamente o Mestre (1c 22#'.
32$, agora podia pregar com coragem e autoridade (At 2#&'$#
#ealmente7 o batismo no )spírito *anto capacita o crente para o glorioso trabalho
de ganhar almas7 pois possibilita pregar com autoridade LAt O.147,07,9741744N e
graa LAt O.44N. Suando o ganhador de almas estiver e?uipado com esta 5er
ramenta celestial L,Co 10.O73N haver' muitas convers6es como 5ruto de seu
trabalho LAt 11.,,,ON. E mandamento bíblico neste sentido B" ... encheivos do
)spírito *antoK L)5 3.12N.

J... "Como
"& A @*0na?uele
crer!o 1:<=* /de/?uem
* @n!o
@:.ouviramU
0* 1/ I)
;como
/ ouvir!o7 se n!o h' ?uem
pregueUJ L#m 10.1ON V7 ouvindo a Palavra de Deus ?ue o pecador tem condi6es
de crer7 pois
a 5B B pelo ouvir7 e o ouvir pela palavra de DeusK L#m
10.1=N . este sentido7 a íblia revela algo maravilhoso em )%e?uiel 4=.111.
E pro5eta havia contemplado7 em sua vis!o7 um grande vale de ossos secos.
)m seguida7 como resultado da palavra ?ue estava sendo anunciada7 cada
osso comeou a &untarse ao seu ossoG vieram os nervosG cresceu a carne7
mas ainda n!o tinham vida. PorBm7 ?uando Deus soprou o espírito7 eles
viveram7 colocaramse em pB7 5ormando7 as sim7 um grande e<Brcito.
#ealmente7 ?uando o pecador ouve a Palavra de Deus7 comea a ter a
possibilidade de crer. We&amos alguns e<emplos disso"
&&#&# ! eunuco LAt 2.,=44N
Ys ve%es7 o pecador pode atB possuir uma íblia7 mas B necess'rio ?ue alguBm
lhe e<pli?ue a respeito da salva!o7 pois a íblia B um mistBrio de Deus L+t
1-.1=N. E eunuco mencionado B um e<emplo disso" )le via&ava no seu carro lendo
o livro do pro5eta /saías7 mas n!o entendia o signi(cado do ?ue liaG somente
?uando Hilipe7 a partir desta escritura7 lhe anunciou a >esus LAt 2.43N7 B ?ue ele
creu no *enhor e 5oi bati%ado.
&&#2# ! paral/tico de 4etesda (*o #&.&$
)sse homem estava en5ermo havia 42 anos7 deitado numa cama7 e esperava ?ue7
?uando o an&o agitasse a 'gua do tan?ue7 ele pudesse descer para ser curado.
PorBm7 ?uando as 'guas eram agitadas7 outra pessoa7 certamente au<iliada por
alguBm7 era colocada no tan?ue7 sendo curada instantaneamente. Sue desilus!o
para este paralítico7 pois teria ?ue esperar mais um certo tempo. Certamente este
homem n!o tinha mais nenhuma esperanaG porBm >esus chegou ali7 viu a ai!o
dele e lhe 5alou. A palavra dita por >esus chegou ao seu cora!oG ele ad?uiriu 5B e7
em seguida7 >esus o curou" a 5B vem pelo ouvir.
&&#5# A casa de 6ornélio (At &+#'2.'7$
Suando Pedro pregou a Palavra na casa de CornBlio7 todos ouviram7 creram7
5oram salvos7 e atB bati%ados no )spírito *anto.
Portanto7 vamos pregar a Palavra L,Tm O.,N7 ... ?uer ouam ?uer dei<em de
ouvir...K L)% ,.=N. Certamente alguns ouvir!o LAt 1=.4,4ON7 o ?ue proporcionar' o
crescimento da /gre&a LAt ,.O1G O.OG 9.41N.

III$ AO FATO DE QUE SOMENTE O EVANGELO DE CRISTO TEM PODER


PARA A SALVAÇÃO DO MUNDO
E evangelho B o poder de Deus para a salva!o de todo a?uele ?ue cr L#m 1.1-N.
E crente n!o prega ?uest6es loucas7 genealogias7 contendas e debates acerca da
lei7 por?ue s!o coisas inteis e v!s LTt 4.9N. Tampouco prega ... preceitos e
doutrinas dos homensG as ?uais tm7 na verdade7 alguma aparncia de sabedoria7
em devo!o volunt'ria7 humildade e em disciplina do corpo7 mas n!o s!o de valor
algum7 sen!o para a satis5a!o da carneK LCl ,.,,7,4N. TambBm n!o prega a si
mesmo L,Co O.3N. A prega!o do ganhador de almas B ...>esus Cristo7 e este
cruci(cadoK L1Co ,.,N.
E dever do pescador de almas n!o B pregar uma religi!o7 pois delas o mundo est'
cheio7 e7 no entanto7 os ?ue pro5essam ter sua religi!o continuam no pecado7 no
vício7 na misBria. Suando ?ueremos eliminar uma 'rvore7 n!o vamos cortar lhe
os galhos7 pois7 com o tempo7 tudo nasce novamente. Para elimin'la de uma ve%
por todas7 precisamos arranc'la da terra com toda a rai%. As religi6es procuram
cortar os galhos,
>esus7 ?uando ensinando
aceito conceitos
pelo pecador7 temhumanos7 (loso(as.
o poder de arrancarPorBm7 o evangelho
do cora!o humanode
a
'rvore chamada pecado com toda a sua rai% L#m 1.1-N.
Para cessar o e5eito7 precisamos eliminar a causaG do contr'rio7 o e5eito
continuar'. As religi6es procuram tratar dos e5eitosG porBm7 o evangelho de
Cristo trata da causa de todos os males da humanidade7 ?ue B o pecado7
arrancandoo do cora!o e puri(cando radicalmente o pecador. *omente a
mensagem da cru% tem o poder de penetrar ... atB @ divis!o da alma7 e do
espírito7 e das &untas e medulas7 e B apta para discernir os pensamentos e
inten6es do cora!oK LRb O.1,N. Es ?ue recebem essa mensagem recebem a vida
e a incorrup!o pelo evangelho L,Tm 1.10N7 pelo ?ual ser!o salvos L)5 1.14N.

IV& , SITUAÇÃO ESPIRITUAL D OS P ERDIDOS


+uito grande B o clamor dos perdidos" ... Passa @ +acedQnia e a&udanosK LAt
1-.9N
E mundo est' no maligno L1 >o 3.19N. Com a entrada do pecado7 *atan's tornou
se o deus deste sBculo L,Co O.ON e o príncipe deste mundo L>o 1O.40G 1-.11N. E
pecador est' preso nos laos do Diabo L,Tm ,.,-N e B dominado pelo príncipe
das potestades do ar7 do espírito ?ue7 agora7 opera nos (lhos da desobedinciaK
L)5 ,.,N. Dominado totalmente por *atan's7 o pecador est' entregue a toda sorte
de pr'ticas desagrad'veis aos olhos de Deus" 5a% a vontade da carne e dos
pensamentos L)5 ,.4NG B dominado pelas concupiscncias do seu cora!o L#m
1.,ON e pelas pai<6es in5ames L#m 1.,-N. Es pecadores est!o entregues a um
sentimento perverso7 para 5a%erem coisas ?ue n!o convmG estando cheios de
toda ini?uidade7 prostitui!o7 malícia7 avare%a7 maldadeG cheios de inve&a7
homicídio7 contenda7 engano7 malignidadeG sendo murmuradores7 detratores7
aborrecedores de Deus7 in&uriadores7 soberbos7 presunosos7 inventores de
males7 desobedientes aos pais e @s m!esG nBscios7 in(Bis nos contratos7 sem
a5ei!o natural7 irreconcili'veisG sem miseric8rdia L#m 1.,241N.
) devido a essa situa!o ca8tica em ?ue se encontram os pecadores ?ue o
*enhor7 ?ue n!o pode suportar o mal LRc 1.14N7 &' tem determinado o castigo dos
?ue se recusarem a receber a graa de Deus L,Pe ,.O9N. PorBm7 os ?ue creem
s!o libertos dessa gera!o perversa e passam a ser propriedade de Deus7 pois
5oram comprados do mundo com o sangue de >esus LAp 3.9N.) os ?ue s!o de
Cristo cruci(caram a carne com as suas pai<6es e concupiscnciasK LZl 3.,ON7 e7
assim7 podem viver ... neste presente sBculo uma vida s8bria7 e &usta e piamenteG
aguardando a bemaventurada esperana e o aparecimento da gl8ria do grande
Deus e nosso *enhor >esus CristoK LTt ,.1,714N7 o ?ual nos levar' deste mundo
para a sua gloriosa mans!o nos cBus L>o 1O.14N.
A situa!o do pecador B t!o crítica7 ?ue7 biblicamente7 podemos apresent'lo das
seguintes maneiras"
1. 6om a 4/-lia na mo, sem entend8.la, e esperando que alguém lhe ensine
... Como poderei entender se alguBm me n!o ensinarUK LAt 2.41N *omente o
crente poder' ensinar L1 >o ,.,07,1N.
,. 6om )ome, sem ter o que comer, esperando que alguém lhe d8 do po
espiritual
Es discípulos de >esus lhe disseram" ... E lugar B deserto7 e o dia &' est' muito
adiantadoG despedeos7 para ?ue v!o aos campos e aldeias circunvi%inhas e
comprem p!o para si7 por?ue n!o tm o ?ue comerK L+c -.4374-N. PorBm7 >esus
disselhes" ... Dailhes v8s de comer...K L+c -.4=N. *omente o crente tem o
verdadeiro p!o dos cBus para alimentar o pecador L>o -.43N.
4. 6a/do
! pecado temnadespo9ado
estrada, como morto,
o pecador esperando
dos seus bensque alguém oL#m
espirituais a9ude
4.,4N7 dei<ando
o caído na estrada da vida7 meio mortoK LMc 10.4043N. Pela vida do pecador &'
tem passado o l evita Lv. 4,N7 uma (gura das (loso(as humanasG tambBm &' tem
passado o sacerdote Lv. 41N7 uma (gura dos milh6es de religi6es e<istentes.
PorBm7 o homem continua caído7 despo&ado e meio morto. A nica pessoa ?ue
pQde socorrer o moribundo da estrada 5oi o bom samaritano ?ue B7
primeiramente7 uma (gura do *enhor7 mas ?ue tambBm B uma (gura do crente
salvo7 ?ue para e5etuar esse trabalho tem em suas m!os os recursos do a%eite
LgraaN7 vinho LpalavraN e dinheiro LdonsN.
O. :o charco de lodo, sem poder sair, esperando que alguém o retire
Tiroume de um lago horrível7 de um charco de lodo... L*/ O0.,N. E pecador est'
atolado no lodo LpecadoN7 preso pelos laos do Diabo L,Tm ,.,-N e impossibilitado
de sair pelos seus pr8prios es5oros L>o 2.4ON. *omente o crente7 ?ue &' est' com
os seus pBs (rmados na rocha L*/ O0.,N7 poder' a&ud'lo a sair da?uele horrível
lugar para a rocha da nossa salva!o  Cristo L)5 ,.,07,1N. Ao aceitar a >esus
como *alvador7 o pecador B tirado da potestade das trevas para o #eino do Hilho
do seu amor LCl 1.14N7 das trevas para a lu% L1Pe ,.9N.
3. ;odeado de )ogo, sem poder sair, esperando que alguém o salve
! pecador est' rodeado pelo 5ogo da condena!o e n!o tem condi6es de sair
so%inho. +as7 como o crente &' saiu da mesma condi!o L>o 3.,OG #m 2.1N7 o
*enhor con(oulhe a urgente tare5a de salvar alguns7 arrebatandoos do 5ogo L>d
,4N.
-. 1evado para a matança, sem poder sair, esperando que alguém o livre
Es perdidos est!o destinados @ morte e est!o sendo levados para a matana LPv
,O.11N. Deus ?uer ?ue todo crente n!o ignore essa terrível condi!o dos
pecadores LPv ,O.1,N7 por isso os incumbiu da reali%a!o do importante trabalho
de retir'los dessa situa!o LPv ,O.11N.
=. Mordido pela serpente, prestes a morrer, esperando que alguém lhe d8 o
remédio necess<rio
Todos os homens 5oram mordidos por uma serpente venenosa chamada pecado
L#m 4.,4G 1 >o 1.2NG como conse?uncia7 s!o candidatos @ morte eterna L#m -.,4G
Ap ,1.2N. *omente o crente tem o verdadeiro remBdio para o pecado  Cristo. E
veneno do pecado B e<tirpado da vida do ser humano ?uando este cr em >esus
L>o 1.=79N.
2. A -eira do poço da cura, doente, esperando que alguém o a9ude
...!o tenho homem algum ?ue7 ?uando a 'gua B agitada7 me colo?ue no
tan?ue...K L>o 3.=N. E pecador est' com a en5ermidade do pecado L/s 1.-NG por si
mesmo7 n!o pode chegar ao tan?ue Lsalva!oN. *omente o crente poder' 5a%er
este trabalho LMc 1O.,,7,4N.
9. Perdido e so)rendo, na eternidade, pedindo para que alguém pregue para
os vivos
#ogote7 pois7 8 pai7 ?ue o mandes @ casa de meu pai7 pois tenho cinco irm!os7
para ?ue lhes d testemunho7 a (m de ?ue n!o venham tambBm para este lugar
de tormentoK LMc
1-.,=7,2N . Como B comovente a situa!o deste rico ?ue havia partido para
a eternidade sem salva!o )stava agora atormentado nas chamas Lv. ,ON.
Diante do pedido acima7 5oilhe dito da impossibilidade de alguBm sair de
onde ele estava7 isto B7 do Rades7 para a terra7 a (m de testi(car para seus
irm!os. TambBm lhe 5oi dito ?ue este trabalho B 5eito pelos ?ue est!o na
terra. A responsabilidade de pregar a Palavra 5oi con(ada aos crentes L,Tm
O.,N.
e7 ao *e o pecador
partir crer ir'
desta vida7 em go%ar
>esus7das
ser'delícias
salvo edo
livre da condena!o
paraíso L>o,4.O4G
celestial LMc 3.,ON
,Co 1,.OG Hp 1.,1,4G 4.,07,1N.
10. "em re)=gio, esperando alguém cuidar da sua alma
Elhei para a minha direita e viG mas n!o havia ?uem me conhecesseG re5gio me
5altouG ninguBm cuidou da minha almaK L*/ 1O,.ON.
E pecador est' @ espera de alguBm ?ue possa cuidar da sua alma. )sta miss!o 5oi
con(ada aos crentes.

V& AO FATO DE QUE O MUNDO H UMA SEARA MADURA PARA A COLEITA


... Mevantai os vossos olhos e vede as terras7 ?ue &' est!o brancas para a cei5aK
L>o O.43N. E mundo B uma seara muito grande L+t 9.4=N e o crente B a pessoa
enviada pelo *enhor para reali%ar a cei5a L>o O.42NG os ?ue s!o obedientes
receber!o grande galard !o L>o O.4-N. Ainda ?ue no início possa haver grandes
di(culdades haver'7 contudo7 grande alegria por ocasi!o da cei5a L/s 9.4G */
1,-.37-N. Portanto7 n8s7 os ganhadores de almas7 ouamos com aten!o a vo% do
*enhor ?ue nos est' di%endo" Manai a 5oice7 por?ue &' est' madura a seara...K
L>l 4.14N.

VI AO FATO DE QUE A SALVAÇÃO H UM $ANQUETE PARA TODOS OS


OMENS
A salva!o B comparada a uma 5esta. Mibertos da escravid!o do )gito7 os
israelitas celebrariam uma 5esta no deserto L[< 3.1N. Suando o pecador dei<a a
escravid!o do pecado7 tem início uma verdadeira 5esta em sua alma7 pois o &usto
tem um ban?uete contínuoK LPv 13.13N7 e o *enhor sempre lhe prepara uma
mesa 5arta7 mesmo ?ue este&a rodeado pelos seus inimigos L*/ ,4.3N. Suando o
(lho pr8digo voltou para a casa paterna7 seu pai preparoulhe uma grande 5esta
de recep!o LMc 13.,O7,3N. Assim tambBm7 ?uando o pecador vem para Deus7
entrar' no grande ban?uete da salva!o para o ?ual 5oi convidado LMc 1O.,17,,N.
esta 5esta e<istem os mais e<celentes pratosK para a alma humana" salvaço,
cura, graça de >eus, alegria, pa?, go?o, -atismo no Espirito "anto, renovaço
espiritual, dons espirituais e revelações, mas somente os regenerados poder!o
participar deles L1Co 3.2N.
E crente n!o deve ser egoísta7 mas dar de graa o ?ue de graa recebeu L+t
10.2N7 pois o *enhor o constituiu como mensageiro do convite para todos
participarem da 5esta" *ai depressa pelas ruas e bairros da cidade e tra%e a?ui
os pobres7 e os alei&ados7 e os mancos7 e os cegos. *ai pelos caminhos e atalhos e
5oraos a entrar7 para ?ue a minha casa se enchaK LMc 1O.,17,4G At 12.9710N.

VII AO FATO DE QUE PREGAR O EVANGELO SIGNIFICA


- Arrancar as almas do 5ogo da condena!o L>d ,4NG
- Arrancar as almas da boca do le!o L*atan'sN LAm 4.1,NG
- >ogar o salvavidas divino para o n'u5rago no mar da perdi!o LCl 1.14NG
- Despertar o ?ue dorme no barco da descrena7 prestes a cair no abismo da
condena!o L)5 3.1OG ,Tm ,.,-NG
- +ostrar a doena LpecadoN7 mas apontar o remBdio LCristoN Lm ,1.O9NG
- +ostrar a nude% espiritual do pecador7 mas indicarlhe a roupa ?ue veste a
alma LMc 2.,=43NG
- +ostrar ao pecador ?ue ele est' morto em pecados7 mas pode receber a
vida espiritual L)5 ,.13NG
- +ostrar ?ue o homem est' no caminho errado e indicarlhe o caminho
certo LPv 1O.1,G >o 1O.-N.

VIII , SITUAÇÃO CRJTICA MUNDIAL


unca o mundo esteve numa situa!o t!o ca8tica como na atualidade. )mbora no
plano cientí(co o homem tenha 5eito grandes progressos7 cumprindo a pro5ecia
bíblica de Daniel 1,.O7 o mesmo n!o ocorreu em outros aspectos ?ue envolvem o
homem7 principalmente no espiritual. )mbora algumas doutrinas humanas
ensinem ?ue o homem est' se aper5eioando cada ve% mais no plano espiritual7 a
verdade bíblica B ?ue os homens est!o indo de mal para pior7 enganando e sendo
enganadosK L,Tm 4.14N. *!o tantos os aspectos negativos ?ue caracteri%am o
cotidiano do homem ?ue7 por um lado7 n8s crist!os temos muito a lamentar pelo
?ue vemos e ri?uíssimas
proporciona ouvimos L,Pe 4.=72NG por outro
oportunidades para alado7 porBm7 tal
reali%a!o do situa!o
trabalho nos
de
evangeli%a!o. +uitas ve%es o homem tornase mais acessível @ mensagem do
evangelho ?uando se v cercado de diversos problemas" ... onde o pecado
abundou7 superabundou a graaK L#m 3.,0G ve&a tambBm Mc O.12N. We&amos
alguns desses aspectos negativos"
"& C:
1.1. 6rise moral
Div8rcio LZn -.17,G 12.,0NG pervers!o se<ual L#m
1.,=7,2N G orgia L,Tm 4.ONG pornogra(a L+t 3.,2NG drogas L1Co 4.1-71=N.
1.,. 6rise social
Wiolncia LZn -.11714G Rc 1.4NG 5omes e agelos LMc ,1.11G Ap -.2NG 5alta de
moradiaG 5alta de recursos para educa!oG etc.
1.4. 6rise econ@mica
/na!oG desempregoG concordatasG 5alncias.
1.O. 6rise pol/tica
Zuerras L+t ,O.-7=G Mc ,1.9710NG altos investimentos em armamentosG
instabilidadeG inde(ni6esG escFndalos.
1.3. 6rise religiosa
Dissemina!o de seitas e grupos religiosos. E mundo &' conta com milhares de
religi6es. a Bpoca em ?ue >esus estava e<ercendo seu ministBrio terreno &'
havia muitas religi6es7 e 5oi a respeito delas ?ue o +estre disse" Todos ?uantos
vieram antes de mim s!o ladr6es e salteadores...K L>o 10.2N.
2& D*0</ ) M 24 &7+
A/D*7 cFncer7 dengue7 contamina!o radioativa7 en5ermidades psicossom'ticas.
)nvolvido pelas circunstFncias acima mencionadas7 o homem pranteia e se
murcha L/s ,O.O2N7 proporcionando assim uma porta aberta para ?ue o ganhador
de almas LAp 4.2N testi(?ue para o pecador a respeito de >esus7 o nico ?ue pode
comunicar a verdadeira pa% L>o 1O.,=N.

I1 , LI$ERDADE TOTAL PARA PREGAR O EVANGELO


Pregando o #eino de Deus e ensinando com toda a liberdade as coisas
pertencentes ao *enhor >esus Cristo7 sem impedimento algumK LAt ,2.41N.
)mbora o regime governamental em algumas na6es di(culte a prega!o do
evangelho7 devemos nos lembrar de ?ue esta proibi!o n!o e<iste na maioria dos
países. As elas
antes ?ue portas est!o abertas
se 5echem LAp 4.2N. Devemos trabalhar de maneira urgente7
L>o 9.ON.
E<al' n8s7 brasileiros7 possamos aproveitar a total liberdade ?ue temos em nossa
p'tria para a dissemina!o do evangelho. Devemos sempre agradecer ao *enhor
por isto e n!o dei<ar a Palavra de Deus presa L,Tm ,.9N7 mas ?ue ela J... tenha
livre curso e se&a glori(cada...K L,Ts 4.1N7 por?ue no rasil o *enhor nos abriu
uma porta grande e e(ca% L1Co 1-.9G ,Co ,.1,N.
2 COMO EVANGELIZAR
Podemos alcanar as almas das seguintes maneiras"

I APRESENTANDO A MENSAGEM DE MANEIRA APROPRIADA


"& MB*1* 1:*
AtravBs de perguntas LAt 2.4043N"
Woc est' bem com DeusUK
Woc &' recebeu a >esus como seu *alvador e *enhorUK Woc &' est' perdoado
de todos os seus pecadosUK
)m ?ual eternidade voc estar' ap8s a morteUK
Woc &' tem a certe%a de vida eternaUK
*egundo o in5ormativo *unday *chool TimesK7 o *enhor >esus 5e% 13O perguntas
durante o seu ministBrio. We&amos algumas" +ateus 1-.14713G ,1.O0G +arcos 4.1
3G 10.12G 10.43O0G Mucas ,.O-G 10.4-G >o!o ,1.131=.
2& MB*1* :01:*
Aproveitando circunstFncias ocasionais como" situa!o mundial @ lu% das
pro5ecias7 comunismo7 guerra atQmica7 terremotos7 acidentes7 cat'stro5es7
doenas7 epidemias7 progresso da cincia7 mortes7 política7 crises pessoais7
crimes7 di(culdades7 etc.
E ap8stolo Pedro aproveitou a circunstFncia da cura do co<o para pregar LAt 4.1
,-N. E ap8stolo Paulo aproveitou o 5ato de o povo de Atenas ser supersticioso7
para anunciar a Palavra LAt 1=.134ON.
3& MB*1* 1/ >://
Itili%ando literatura relacionada7 ob&etiva e de acordo com a idade da pessoa ?ue
se pretende evangeli%ar. Por e<emplo7 podemos utili%ar 5olhetos7 cartas7
prospectos e &ornais evangBlicos7 principalmente em ocasi6es oportunas como
atal7 Hinados7 *emana *antaK7 *emana da P'tria7 Corpus ChristiK7 Carnaval7
etc.
)ste mBtodo surte grande e5eito ?uando7 alBm de entregarmos a literatura para o
pecador7 tambBm lhe 5alamos alguma coisa a respeito do seu contedo7 para
despertar na pessoa a curiosidade e o dese&o de ler. ) tambBm importante ?ue
ha&a na literatura um carimbo 5ornecendo o endereo da igre&a7 e o hor'rio dos
cultos7 caso tal pessoa ?ueira 5a%er uma visita ou enviar alguma correspondncia.
4& MB*1* 1:?*
O.1. :icodemos L>o 4.1,1N
Abordando a maior necessidade do pecador.
O.,. Mulher samaritana L>o O.1O,N
)n5ati%ando algo melhor para a vida do pecador.
O.4. :atanael L>o 1.O330N
Abordando peculiaridades da vida da?uele com ?uem 5alamos.

II APRESENTANDO A MENSAGEM DE MANEIRA APROPRIADA


"& A*K:./ 1/ */ 0* >/0* .   0 @*0/.
)<emplos"
1.1. *esus pediu <gua 0 mulher samaritana, que )ora tir<.la do poço (*o
'#$#
1.,. ilipe perguntou ao eunuco se ele entendia o que estava lendo (At
7#5+$#
1.4. Ao doutor da lei, *esus perguntouB CDue est< escrito na lei 6omo
l8sF (1c &+#23$
1.O. ! apGstolo Paulo ensinouB
Por?ue7 sendo livre para com todos7 (%me servo de todos7 para ganhar ainda
mais. ) (%me como &udeu para os &udeus7 para ganhar os &udeusG para os ?ue
est!o debai<o da lei7 como se estivera debai<o da lei7 para ganhar os ?ue est!o
debai<o da lei. Para os ?ue est!o sem lei7 como se estivera sem lei Ln!o estando
sem lei para com Deus7 mas debai<o da lei de CristoN7 para ganhar os ?ue est!o
sem lei. Hi%me como 5raco para os 5racos7 para ganhar os 5racos. Hi%me tudo
para todos7 para7 por todos os meios7 chegar a salvar algunsK L1 Co 9.19,,N.
2& S /0@:**
>esus disse @ mulher samaritana" Disseste bemK L>o O.1=N.
3& U/ * /*
Para detectar a necessidade e saber apro<imarse das almas L1 Co 9.19,,N.
4& F/>/ @*. @*0?:@<=*
O.1. >isse o apGstolo PauloB
J... h' de acontecer assim como a mim me 5oi ditoK LAt
,=.,3N G
... eu sei em ?uem tenho crido e estou certo de ?ue B poderoso para guardar o
meu dep8sito atB @?uele DiaK L,Tm
'$'%0$
O.,. >isse o ex.cego, curado por *esusB H### uma coisa sei, e é que, havendo
eu sido cego, agora ve9oF (*o #2$#
O.4. >isse *GB C###eu sei que o meu ;edentor vive###F (*G &#2$#
5& N0@/ 1:@:
) ao servo do *enhor n!o convBm contender7 mas7 sim7 ser manso para com
todos7 apto para ensinar7 so5redorG instruindo com mansid!o os ?ue resistem7 a
ver se7 porventura7 Deus lhes dar' arrependimento para conhecerem a verdadeK
L,Tm ,.,O,3N.
6& S *::?*
)<pressarse de maneira a n!o dei<ar dvida.
... Cr no *enhor >esus Cristo e ser's salvo7 tu e a tua casaK LAt 1-.41N.
J... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7 creres
?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvoK L#m 10.9N.
7& U/ /91*:/
... E ?ue ganha almas s'bio BK LPv 11.40N. Es s'bios7 pois7 resplandecer!o como
o resplendor do (rmamentoG e os ?ue a muitos ensinam a &ustia re5ulgir!o como
as estrelas sempre e eternamenteK LDn 1,.4N.
Devemos usar a sabedoria divina"
- na apro<ima!o das pessoas L#m 10.9NG
- nas palavras a pronunciar L+t 10.1-NG
- nos mBtodos a utili%ar LTg 1.37-N.
8& D/ 0/ /* S0*  00@/  :;/
) em nenhum outro h' salva!o7 por?ue tambBm debai<o do cBu nenhum outro
nome h' dado entre os homens7 pelo ?ue devamos ser salvosK LAt O.1,N.
Disselhe >esus" )u sou o caminho7 e a verdade7 e a vidaG ninguBm vem ao Pai
sen!o por mimK L>o 1O.-N.
o di'logo travado entre >esus e a mulher samaritana vemos um e<emplo claro
de ?ue a n5ase do ganhador de almas deve ser dada ao *enhor >esus7 e nunca @
igre&a7 a uma religi!o ou a um lugar L>o O.,0,9N.
!& T @*0@:.0* 1/ P/>/?/ 1 D
Procura apresentarte a Deus aprovado7 como obreiro ?ue n!o tem de ?ue se
envergonhar7 ?ue mane&a bem a Palavra da verdadeK L,Tm ,.13N.
) ?ue7 desde a tua meninice7 sabes as sagradas letras7 ?ue podem 5a%erte s'bio
para a salva!o7 pela 5B ?ue h' em Cristo >esusK L,Tm 4.13N.

"& T ?:1/ ?:*:*/ )R. "2&"2+


Por?ue todo o ?ue B nascido de Deus vence o mundoG e esta B a vit8ria ?ue
vence o mundo" a nossa 5BK L1 >o 3.ON. >' estou cruci(cado com CristoG e vivo7
n!o mais eu7 mas Cristo vive em mimG e a vida ?ue agora vivo na carne vivoa na
5B do Hilho de Deus7 o ?ual me amou e se entregou a si mesmo por mimK LZl
,.,0N.
2& F/ * 1:/; 0:@*  />:@/ * . B1:* )M@ "#& "72"+
... Haltate uma coisa" vai7 e vende tudo ?uanto tens7 e d' o aos pobres7 e ter's
um tesouro no cBuG e vem e seguemeK L+c 10.,1N.
3& T ?/0</
Pela manh!7 semeia a tua semente e7 @ tarde7 n!o retires tua m!o7 por?ue tu n!o
sabes ?ual prosperar'G se esta7 se a?uela ou se ambas igualmente ser!o boasK
L)c 11.-NG ... )is ?ue o lavrador espera o precioso 5ruto da terra7 aguardandoo
com pacincia7 atB ?ue receba a chuva tempor! e serQdiaK LTg 3.=N.
"3& D01 */>.0 1* E:* S/0* )A "&8+
E )spírito *anto capacita7 unge e dirige a ?uem e ?uando 5alar. a dependncia
do )spírito o ganhador de almas 5alar' na hora certa7 no lugar certo7 para a
pessoa certa7 com a mensagem certa7 e o ?ue B mais importante  com o
resultado certo.
"4& E0/:/ / ./:* 0@:1/1 )(* 3&"3+
A necessidade do novo nascimento ... a?uele ?ue n!o nascer de novo n!o pode
ver o #eino de DeusK L>o 4.4NG
J... a?uele ?ue n!o nascer da 'gua e do )spírito n!o pode entrar no #eino de
DeusK L>o 4.3N.

III COOPERANDO DE DIVERSAS MANEIRAS


"& O/01*
1.1. Por quem est< )a?endo este tra-alho (E) 3#&I 6l '#5I 2 Js 5#&$#
1.,. Para que >eus desperte outros para )a?er esta o-ra (Mt #57$#
1.4. Para >eus a-rir o coraço dos pecadores (At &3#&'I ;m &+#&$#
1.O. Para >eus %rmar os novos convertidos (&6o 5#3I &Js 2#.&&$#
2& C*0:9:01*
E crente n!o somente deve evangeli%ar7 mas tambBm contribuir (nanceiramente
para ?ue outros o 5aam. As contribui6es do crente7 atravBs dos dí%imos e
o5ertas L,Co 9.-11G 1Co 9.=1OG +l 4.10N7 sempre constituíram a base para a obra
de evangeli%a!o.
evangelhoK Deus As
L1Co 9.1ON. ordenou" ...aos ?ue
contribui6es anunciam
permitem ?ueoobreiros
evangelho7 ?ueenviados
se&am vivam do
para abrirem trabalhos em outros lugares LHp O.1-12G ,Co 11.279N. Sue grande
privilBgio B saber ?ue nossa contribui!o B trans5ormada em subsídios para
ganhar almas para Deus
3& P*/;/01*   /9/>*
Itili%andose de todas as maneiras e lugares possíveis7 de modo ?ue esta sublime
tare5a desperte em todos os crentes uma conscienti%a!o de sua
responsabilidade7 ?ue resulte na elabora!o de estratBgias para alcanar as
almas perdidas.
"& E0?:/01* @* *010@:/
Todo trabalho em prol da obra de evangeli%a!o B de suma importFncia. )mbora
essa tare5a possa parecer insigni(cante7 ela representa um dos sustent'culos
para a mobili%a!o da igre&a na evangeli%a!o. )m nosso corpo 5ísico e<istem
8rg!os ?ue n!o vemos7 mas sem eles o corpo n!o pode 5uncionar corretamente L1
Co 1,.,,7,4N.
A igre&a tem necessidade de uma pessoa respons'vel pela reali%a!o desta tare5a.
Por essa pessoa7 cartas e 5olhetos ser!o enviados aos descrentes e novos
convertidos7 convidandoos para as reuni6es da igre&a7 e ser' mantida
correspondncia com mission'rios7 etc.
2& E/>/01* @//  /:K/ />:?/
)sse trabalho7 desde ?ue autori%ado pelas autoridades competentes7 representa
tambBm um dos sustent'culos para a divulga!o da obra de evangeli%a!o ?ue se
pretende reali%ar. *e a indstria e o comBrcio lanam m!o deste importante
recurso para divulga!o e propaganda de seus produtos e vantagens7 por ?ue a
igre&a tambBm n!o pode 5a%loU ... Hi%me tudo para todos7 para7 por todos os
meios7 chegar a salvar algunsK L1 Co 9.,,N.
3& I0@0:?/01* *   /.  /9/>*
Todo incentivo deve ser dado aos ?ue est!o reali%ando esta tare5a a (m de ?ue
continuem arrancando as almas do poder do pecado. )sse incentivo pode ser 5eito
das seguintes maneiras"
- admoestandoos a continuarem L,Tm O.3NG
- orando por eles L,Ts 4.1NG

-
7& contribuindo
I0@0:?/01*para sua manuten!o
*  0=* / . /LHp O.1-12N.
/ .   /9/>*
/sso pode ser 5eito conscienti%ando tais pessoas de ?ue"
=.1. Jodo crente )oi chamado para este tra-alho (&Pe 2#$#
=.,. "G o crente poder< )a?er esta o-ra LAt ,-.1-N.
=.4. ! crente )oi salvo para servir a >eus (&Js &#$#
=.O. :a Kgre9a Primitiva todos cooperavam na o-ra#
We&a os e<emplos dos crentes de >erusalBm LAtos 2.1OG 11.19,4NG Hilipos LHp 1.3N
e em TessalQnica L1 Ts 1.=9N.
=.3. E um privilégio poder cooperar com >eus (26o #&,2+$#
=.-. >eus co-rar< do crente a no.reali?aço desse tra-alho (E? 55#,7$#
8& E>/9*/01*  > @:*0/01* >:// /*:/1/
mas cada um tem de Deus o seu pr8prio dom...K L1Co =.=N. Deus tem colocado na
igre&a pessoas dotadas de dons7 con5orme a sua multi5orme graa L1Pe O.10N.
)<istem pessoas na igre&a com capacidade de elaborar literatura com mensagens
bíblicas ob&etivas7 visando a alcanar o cora!o do pecador. E<al' o *enhor
levante muitos crentes para tal trabalho7 dandolhes a inspira!o necess'ria
Eutra tare5a importante B selecionar 5olhetos7 de modo ?ue7 ao ser reali%ada sua
distribui!o7 levemos em conta se a mensagem B compatível com a pessoa ?ue vai
receblo7 a sua idade e circunstFncia pela ?ual est' envolvida. E 5olheto tambBm
deve ser escolhido de acordo com a data comemorativa7 por e<emplo" Hinados7
*emana *antaK7 *emana da /ndependncia7 Carnaval7 etc. Wer tambBm se 5oi
colocado o carimbo da igre&a indicando o endereo e dias de culto.
T/1:01* >0;/  1:/>*
!o obstante o progresso cientí(co do mundo atual7 ainda e<istem regi6es cu&os
habitantes precisam ser alcanados. o entanto7 B preciso ?ue tenham em suas
m!os a mensagem bíblica em suas pr8prias línguas e dialetos. )is a?ui um impor
tante trabalho ?ue Deus reservou @?ueles a ?uem )le chamou e preparou. A
ordem de >esus para n8s B ?ue preguemos o evangelho a todas as na6es L+c
14.10N7 todas as aldeias L+t 9.43N7 em todo o mundo L+c 1-.13N.

3 ONDE EVANGELIZAR
Disse >esus" ... sermeeis testemunhas tanto em >erusalBm como em toda a
>udBia e *amaria e atB aos con(ns da terraK LAt 1.2N. Com base nesse te<to
bíblico7 podemos identi(car e situar o campo do ganhador de almas nos seguintes
lugares"

I& (ERUSALHM PARA O CRENTE EM PARTICULAR


- A casa onde reside  evangeli%a!o de 5amiliares.
- A rua onde mora  evangeli%a!o de vi%inhos.
- E transporte ?ue utili%a  evangeli%a!o de passageiros.
- E local onde trabalha  evangeli%a!o de companheiros.
- A escola onde estuda  evangeli%a!o de colegas.
- E local onde 5a% suas compras  evangeli%a!o de conhecidos.
- E templo onde congrega  evangeli%a!o de visitantes.

-
etc. As visitas ?ue 5a%  evangeli%a!o de parentes7 colegas7

II& (ERUSALHM (UDHIA E SAMARIA PARA A IGRE(A LOCAL


- E bairro onde se locali%a  evangeli%a!o por todas as ruas e casas.
- A cidade onde se situa  evangeli%a!o visando a atingir todos os bairros e
vilas.
- Es locais circunvi%inhos  evangeli%a!o de bairros7 vilas7 povoados7 etc.
- Es locais de aglomera!o  evangeli%a!o nas 5eiras livres7 cemitBrios7
praas de esportes7 teatros7 e<posi6es7 (las de Qnibus7 metrQ7 praas
pblicas7 etc.
- Es estabelecimentos de ensino  evangeli%a!o nas universidades7
escolas7 etc.
- As casas de sade  evangeli%a!o em hospitais7 asilos7 casas de
recupera!o7 sanat8rios7 etc.
- Es locais de divers!o  evangeli%a!o em clubes7 cinemas7 teatros7
est'dios7 restaurantes7 etc.
- Presídios e casas de deten!o  evangeli%a!o dos encarcerados.
- #eligi6es e seitas  evangeli%a!o de espíritas7 adeptos de seitas orientais7
m8rmons7 testemunhasde&eov'7 etc.
- Zrupos Btnicos diversos  evangeli%a!o de &aponeses7 coreanos7 &udeus7
indígenas7 etc.
- Es desviados  evangeli%a!o para tra%los de volta @ casa paterna.
- Es grupos abastados  evangeli%a!o dessa classe de pessoas t!o carentes
espiritualmente ?uanto os menos 5avorecidos.
- \reas carentes de nossa p'tria  evangeli%a!o de regi6es carentes como"
ordeste Lsert!o da ahia7 Cear'7 Piauí7 etc.N7 orte LAma%onas7 #ondQnia7
etc.N7 *udeste Lgrande parte de +inas Zerais e )spírito *antoN7 etc.
-
III$ 2CONFINS DA TERRA PARA A IGRE(A UNIVERSAL
Todo o mundo L+c 1-.13N
Todas as na6es L+t ,2.19N
Toda criatura L+c 1-.13N
Todas as gentes e raas L+c 14.10N
Todas as aldeias L+t 9.43N
)m todo lugar LAt 1=.40N
Con(ns da terra LAt 1.2N
IV$ RESUMINDO O CRENTE PODE GANAR ALMAS
- em sua casa L1 Tm 3.2NG - no plpitoG
- entre 5amiliares LMc 2.49NG - entre vi%inhosG
- entre colegas L>o 1.O1O3NG - pelos &ornaisG
- nas condu6es LAt 2.,=41NG - nos r'diosG
- nas praas LAt 1=.1=G ,0.,0NG - atravBs da televis!oG
- de casa em casa LAt ,0.,0NG - pelo tele5oneG
- em todo lugar LAt 1=.40NG - nos restaurantesG
- nas pris6es LHm 10NG - nas 5eiras livresG
- nos hospitais L+t ,3.4-749NG - nas escolasG
- nas visitas LAt ,2.210NG - por meio de cartasG
- @ beira de rios LAt 1-.1413NG - por meio de 5olhetosG
- nos navios LAt ,=.,1,3NG - nos cultosG
- nos or5anatos L+c 10.1471ONG - nas e<posi6esG
- nos bairros e aldeias LMc - nas viagensG
1O.,1NG - nos cemitBriosG
- nas reparti6es pblicas L+c
- nas (las de QnibusG
,.1ONG
- nas ruasG - com adesivosG

- na vida comercialG - com 5ai<as e carta%es


LoutdoorNG
- na escola dominicalG
- orandoG
- nas campanhas evangelísticasG
- contribuindoG
- nas cru%adas evangelísticasG
- vivendo o ?ue prega.
- por meio de roupas com
mensagens bíblicasG
- E campo do ganhador de almas B o mundo L>o O.43G Mc 2.O13N.
-
-

-
-

-
-

-
-

- 4 QUEM PODE EVANGELIZAR


-
- I AN(OS NÃO PODEM
- Es an&os ?ueriam pregar o evangelho L1Pe 1.1,N7 porBm Deus reservou esta
tare5a para os salvos. !o tendo corpo como o nosso7 os an&os7 ?ue s!o
espíritos LRb 1.1ON7 n!o podem pregar ?ue >esus os salvou7 curou7 livrou da
tenta!o e do perigoG mas n8s7 os salvos7 podemos tudo isso7 pois temos
tido essas e<perincias em nossa vida.
-
- II TODOS OS SALVOS O$REIROS OU NÃO FORAM CAMADOS
PARA ESSE TRA$ALO
"& O9:*
- We&a os e<emplos de"
- Paulo L1 Co 9.19,,NG Pedro LAt 10.4O743NG )stv!o LAt =.1-0N e Hilipe LAt
2.O14N.
2& C0 . ; />
- +as os ?ue andavam dispersos iam por toda parte anunciando a palavraK
LAt 2.1ONG n!o anunciando a ninguBm a palavra sen!o somente aos &udeusK
LAt 11.19,1N.
3& F*.* @/./1* // / //
- A íblia apresenta o crente como sendo uma pessoa chamada L1Pe ,.9N7
escolhida L>o 13.1-N7 admoestada a 5a%er esta obra L*/ 1,-.-N7 e?uipada com
recursos celestiais L,Co 10.O73N7 colocada a par do perigo ?ue ronda o
pecador L#m -.,4N e constituída por Deus L)% 44.=N para reali%ar este
trabalho. A tare5a B"
4.1. Kmportante
- Pois trata de livrar os ?ue est!o destinados @ morte e os ?ue s!o levados @
matana LPv ,O.11N.
4.,. "u-lime
- Pois o crente B colocado na posi!o de cooperador de Deus L1Pe 4.9N7 para
ser pescador de homens L+t O.19N.
4.4. Espiritual
- Pois7 como cidad!o do #eino de Deus7 o crente 5oi constituído embai<ador
da parte de Cristo L,Co 3.,0N7 para pregar ... o #eino de Deus...K LAt
,2.41N.
4.O. Lrgente
- Pois ... a noite vem7 ?uando ninguBm pode trabalharK L>o 9.ON.
- S*.0 * @0 *1 / / *9/
- E an&o disse a CornBlio" J...manda chamar a *im!o... )le te dir' o ?ue deves
5a%erK LAt 10.37-NG ... de graa recebestes7 de graa daiK L+t 10.2N. J... Dai
lhes v8s de comer...K LMc 9.14N 5oi a ordem de >esus aos seus discípulos com
rela!o @ multid!o ?ue estava 5aminta. *8 o crente tem alguma coisa para
dar LAt 4.-N. Es descrentes precisam ser a&udadosG os an&os nada podem
5a%er devido a sua condi!o de espíritos LRb 1.1ON e tambBm por?ue n!o
lhes 5oi dada essa tare5a L1Pe 1.1,N. +as o salvo tem plena condi!o de
pregar7 pois est' e<perimentando diariamente o e5eito da salva!o da sua
alma no tríplice aspecto apresentado pela íblia"
O.1. "alvaço no passado, isto B7 salva!o da pena do pecado L#m -.,4N.
O.,. "alvaço no presente, ou se&a7 salva!o do poder do pecado L#m
-.1ON.
O.4. "alvaço no )uturo, a saber7 salva!o do corpo do pecado L1Co 13.3,
3ON e tambBm da ira de Deus7 ?ue um dia ser' derramada sobre todos os
habitantes da terra7 no período chamado de Zrande Tribula!o L1Ts 1.10N.
- Portanto7 somente o crente pode a(rmar com grande convic!o ?uem ele
era7 ?uem ele B7 e ?uem ele ser'. *omente uma pessoa dotada de tal
certe%a e esperana B ?ue pode ganhar almas. >' o poeta do hino 94 da
nossa Rarpa Crist! escreveu"
- Suantos h' perdidos7 sem a salva!o
- Suantos ?ue precisam de consola!o
- Como Cristo os ama7 5'los entender7
- Pois s8 tu7 8 crente7 o poder's 5a%er.K
- 5& O /.* 1 C:* @*0/0; * @0 / ;/0/ />./
- A íblia descreve o amor de Deus com as seguintes e<press6es" ... Deus
amou o mundo de tal maneira...K L>o 4.1-NG Wede ?u!o grande caridade nos
tem concedido o Pai...K L1 >o 4.1NG ...A?uele ?ue nos ama e em seu sangue
nos lavou dos nossos pecadosK LAp 1.3N. #ealmente7 o crist!o &' conhece
parte do amor de Cristo7 ?ue e<cede todo entendimento L)5 4.12719N7 e &'
teve sobe&amente a prova deste amor em sua vida7 por?ue Cristo7 estando
n8s ainda 5racos7 morreu a seu tempo pelos ímpiosK L#m 3.-N7 e tambBm
Deus prova o seu amor para conosco em ?ue Cristo morreu por n8s7 sendo
n8s ainda pecadoresK L#m 3.2N.
- E amor de Deus7 derramado em nossos cora6es pelo )spírito *anto ?ue
nos 5oi dado L#m 3.9N7 nos impulsiona poderosamente a levar as oas ovas
aos perdidos. Assim7 o ganhador de almas n!o teme pris6es nem
tribula6es LAt 3.O1N7 nem mesmo a morte LAt ,1.14N7 pois em nada tem a
sua vida por preciosa7 contanto ?ue cumpra com alegria a sua carreira de
testi(car do evangelho da graa de Deus LAt ,0.,47,ON. E amor de Cristo7
?ue est' em n8s7 n!o B limitado a um pe?ueno rol de pessoas7 como
5amiliares7 parentes e amigos LMc -.4,744N. E amor do crist!o n!o tem
limites" amamos a Deus L+c 1,.4044N7 ao nosso pr8<imo L+c 1,.41N e atB
mesmo aos nossos inimigos L#m 14.10N.
- Constrangidos pelo amor de Cristo7 os ganhadores de almas podem di%er"
... n!o podemos dei<ar de 5alar o ?ue temos visto e ouvidoK LAt O.,0N.
-

-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

- 5 QUALIFICAÇÕES PARA QUEM VAI EVANGELIZAR


-
- +encionamos abai<o algumas das condi6es necess'rias para ser um

pr8spero ganhador de almas"


-
- I SER CONVERTIDO
- ) tu7 ?uando te converteres7 con(rma teus irm!osK LMc ,,.4,N.... e grande
nmero creu e se converteu...K LAt 1 1.,1N.
-
- II TER $OM TESTEMUNO
- ConvBm7 tambBm7 ?ue tenha bom testemunho dos ?ue est!o de 5ora7 para
?ue n!o caia em a5ronta e no lao do diaboK L1Tm 4.=N.
-

- III TER CONECIMENTO PESSOAL DO SALVADOR


- 8s di%emos o ?ue sabemos e testi(camos o ?ue vimos...K L>o
4.11N.Por?ue h's de ser sua testemunha para com todos os homens do ?ue
tens visto e ouvidoK LAt ,,.13N.... o ?ue ouvimos7 o ?ue vimos com os
nossos olhos7 o ?ue temos contemplado7 e as nossas m!os tocaram na
Palavra da vida... o ?ue vimos e ouvimos7 isso vos anunciamosK L1 >o 1.174N.
-
- IV TER ARDENTE AMOR PELAS ALMAS
- ... Hi%me tudo para todos7 para7 por todos os meios7 chegar a salvar
algunsK L1Co 9.,,N. Consideremos"
"& O /.* 0* @*/<=* 1 D
- Por?ue Deus amou o mundo de tal maneira ?ue deu o seu Hilho unignito7
para ?ue todo a?uele ?ue nele cr n!o perea7 mas tenha a vida eternaK L>o
4.1-N.
2& O /.* 0* @*/<=* 1 (
- )7 vendo a multid!o7 teve grande compai<!o deles7 por?ue andavam

desgarrados
We&amos" e errantes como ovelhas ?ue n!o tm pastorK L+t 9.4-N.
- amor ao leproso L+c 1.O1NG
- amor aos cegos L+t ,0.4ONG
- amor @ viva de aim LMc =.14NG
- amor a >erusalBm L+t ,4.4=NG
- amor @s multid6es L+t 1O.1OG 13.4,N.
3& O /.* 0* @*/<=* 1* /*>*
- ) os ap8stolos davam7 com grande poder7 testemunho da ressurrei!o do
*enhor >esus7 e em todos eles havia abundante graaK LAt O.44N. We&amos"
- o amor de Paulo LAt ,0.,4G ,1.14G #m 9.14G 10.1G 1Co 9.1-,4NG
- o amor de Pedro e >o!o LAt 4.12G O.17,72712,1N.
4& O /.* 0* @*/<=* 1* 1:@*0*
- )7 descendo Hilipe @ cidade de *amaria7 lhes pregava a CristoK LAt 2.3NG )
apedre&aram a )stv!o7 ?ue em invoca!o di%ia" *enhor >esus7 recebe o
meu espírito. )7 pondose de &oelhos7 clamou com grande vo%" *enhor7 n!o
lhes imputes este pecado. )7 tendo dito isto7 adormeceuK LAt =.397-0N.
5& O /.* 0* @*/<=* 1/ I;/
- +as os ?ue andavam dispersos iam por toda parte anunciando a palavraK
LAt 2.ONG ) os ?ue 5oram dispersos pela persegui!o ?ue sucedeu por causa
de )stv!o caminharam atB @ Henícia7 Chipre e Antio?uia7 n!o anunciando a
ninguBm a palavra sen!o somente aos &udeusK LAt 11.19N
- 6& O /.* 0* @*/<=* 1 />;0 ?* 1 D 0/ ::/
- Agora7 dei<emme consumir por DeusK  Renri?ue +artyn.

- D'me a )sc8cia ou morrereiK >ohn $no<.


- *e n!o ?ueres darme almas7 retira a minhaK  ]hite(eld. Pai7 d'me
estas almas ou eu morroK  Ryde.
-
- V TER PROFUNDO AMOR A (ESUS
- Por?ue eu estou pronto n!o s8 a ser ligado7 mas ainda a morrer em
>erusalBm pelo nome do *enhor >esusK LAt ,1.14NG rego%i&andose de terem
sido &ulgados dignos de padecer a5ronta pelo nome de >esusK LAt 3.O1NG
Assim ?ue7 sabendo o temor ?ue se deve ao *enhor7 persuadimos os
homens @ 5B...K L,Co 3.11NG Por?ue o amor de Cristo nos constrange...K
L,Co 3.1ON.
-
- VI TER CONECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS
- Procura apresentarte a Deus aprovado7 como obreiro ?ue n!o tem de ?ue
se envergonhar7 ?ue mane&a bem a palavra da verdadeK L,Tm ,.13NG )nt!o7
Hilipe7 abrindo a boca e comeando nesta )scritura7 lhe anunciou a >esusK
LAt 2.43N.
- E conhecimento da Palavra de Deus B um dos re?uisitos importantes do
ganhador de almas. )le deve ser instruído na Palavra L1Tm O.-N7 saber as
*agradas )scrituras L,Tm 4.1-N e guard'las no cora!o L*/ 119.11N. E
conhecimento nos torna 5ortes7 pois nos capacita a utili%ar no tempo certo a
espada do )spírito7 ?ue B a Palavra de Deus L)5 -.1=N7 de modo ?ue
possamos vencer os ata?ues de *atan's L+t O.111N. )sse conhecimento
nos tra% recrea!o L*l 119.1-1=N7 alegria L*l 119.111N7 renova o nosso
cora!o L*l 119.10=71O9N e nos desperta para louvarmos ao *enhor L*/
119.=N. Devemos conhecer toda a íblia7 pois Toda )scritura... B
proveitosa...K L,Tm 4.1-N7 e tudo ?ue 5oi escrito o 5oi para nosso ensino L#m
13.ON. Suando o crente tiver esse conhecimento7 ser' ... poderoso nas
)scriturasK LAt 12.,ON e tambBm na sua miss!o de ganhar almas L,Tm O.,N.
)nt!o7 como conse?uncia7 os resultados ser!o os mais e<traordin'rios L/s
33.11G Rb O.1,N7 pois os pecadores n!o poder!o resistir ao poder da Palavra
LAt -.10N. *omente ?uando possuir conhecimento da Palavra B ?ue o
ganhador de almas poder' lev'las a >esus7 ... mostrando pelas )scrituras
?ue ^)le B_ o CristoK LAt 12.,2N.
-
- VII TER CONVICÇÃO DA SALVAÇÃO )R. 8&"6 (* 6&6!+
- E crente tem convic!o de sua salva!o. *abe ?ue tem a vida eterna L>o
4.4-G 3.,OG -.O=G 1 >o 3.11N. *abe ?ue 5oi salvo L,Tm 1.9G Tt 4.3N. *abe ?ue
seus pecados 5oram perdoados LAp 1.3N. *abe ?ue n!o est' mais debai<o da
condena!o L#m 2.1N7 nem da ira L>o 4.4-N7 nem do temor da morte LRb
,.1O713N7 nem do domínio de *atan's L)5 ,.,N7 nem da vontade da carne e
dos seus pr8prios pensamentos L)5 ,.4N. *abe em ?uem tem crido L,Tm
1.1,N. *abe ?ue B (lho de Deus L1 >o 4.,N7 ?ue passou da morte para a vida
L1 >o 4.1ON7 ?ue B da verdade L1 >o 1.19N7 ?ue B de Deus L1 >o O.-N e ?ue
Deus est' em sua vida L1>o 4.,ON. *abe tambBm ?ue ser' arrebatado ao cBu
L1Ts O.1=N7 ?ue ver' >esus e ser' semelhante a )le L1 >o 4.,N7 e ?ue estar'
para sempre com o *enhor nos cBus L1Ts O.1=N7 onde tambBm seu nome &'
est' escrito LMc 10.,0N. *omente ?uem tem a certe%a de tudo isso B ?ue
poder' 5a%er alguma coisa em prol das almas perdidas.
-
- VIII SER CEIO DO ESPJRITO SANTO )Z@ 4&6+
- *er cheio do )spírito *anto B de suma importFncia para o ganhador de
almas7 devido"
- Ao 5ato de ?ue o )spírito *anto capacita o crente *omente )le"
- convence do pecado L>o 1-.211NG
- revela a verdade @ mente e ao cora!o L>o 1-.14NG
- revela Cristo ao cora!o L>o 1-.1ONG
- regenera o pecador LTt 4.3=NG
- opera o novo nascimento L>o 4.32NG
- testi(ca da salva!o L1 >o 4.,OG 3.211N.
"& A* /* 1  * E :* S/0* // * @0
- guiandoo em toda a verdade L>o 1-.14NG
- ensinandoo o ?ue 5alar LMc 1,.1,NG
- lembrandoo da Palavra L>o 1O.,-NG
- a&udandoo nas 5ra?ue%as L#m 2.,-G ,Co 4.37-NG
- a&udandoo a orar como convBm L)5 -.12G #m 2.,-NG
- dandolhe autoridade para 5alar LAt O.44NG
- capacitandoo a 5alar com convic!o LAt ,.4-42N.

2& A* /* 1  * E:* S/0* 0* 1::;


- a sermos dedicados @ ora!oG
- a termos 5B para sermos guiadosG
- a sermos operantes e 5rutí5erosG
- a conhecermos a sua vo%.
- V necess'rio obedincia para des5rutarmos da presena do )spírito *anto
LAt 3.4,N. *omente assim receberemos a dire!o de Deus para o trabalho7
como ocorreu com Hilipe LAt 2.,27,9743N e com Pedro LAt 10.19N.
-
- I1 VIVER O QUE PREGA
- Tu7 pois7 ?ue ensinas a outro7 n!o te ensinas a ti mesmoU Tu7 ?ue pregas
?ue n!o se deve 5urtar7 5urtasU Tu7 ?ue di%es ?ue n!o se deve adulterar7
adlterasU Tu7 ?ue abominas os ídolos7 cometes sacrilBgioUK L#m ,.,17,,N.
-
- 1 SER IRREPREENSJVEL PARA NÃO FICAR REPROVADO
- Antes7 sub&ugo o meu corpo e o redu%o @ servid!o7 para ?ue7 pregando aos
outros7 eu mesmo n!o venha de alguma maneira a (car reprovadoK L1Co
9.,=N. Como 5onte turva e manancial corrupto7 assim B o &usto ?ue cai
diante do ímpioK LPv ,3.,-N. Portanto7 ... puri(caivos7 v8s ?ue levais os
utensílios do *enhorK L/s 3,.11N.
-
- 1I SER EXEMPLO PARA GANAR ALMAS SEM PREGAR
- Pelo porte de suas mulheres se&am os maridos ganhos sem palavra L1Pe
4.17,N. )<emplos"
"& E>:

- ...
homem)is ?ue tenho L,#s
de DeusK observado
O.9N. ?ue este ?ue passa sempre por n8s B um santo
2& A9/=*
- ...príncipe de Deus Bs no meio de n8sK LZn ,4.-N. Pelo seu porte o crente
e<ercer' inuncia sobre os ?ue est!o ao seu redor7 pois"
1.1. Passa a ser respeitado
- Rerodes temia a >o!o7 sabendo ?ue era var!o &usto e santoG e guardavao
com segurana e 5a%ia muitas coisas7 atendendoo7 e de boa vontade o
ouviaK L+c -.,0N.
1.,. Passa a ter um -om nome
- +ais digno de ser escolhido B o bom nome do ?ue as muitas ri?ue%as...K
LPv ,,.1N.
1.4. Passa a ter -oa )ama
- ... a boa 5ama engorda os ossosK LPv 13.40N.
1.O. Passa a ser considerado
- ... Sue os homens nos considerem como ministros de Cristo...K L1 Co O.1N.
1.3. Passa a ser estimado
- ... o povo tinhaos em grande estimaK LAt 3.14N.

-
- XII SER VASO SANTIFICADO
- De sorte ?ue7 se alguBm se puri(car destas coisas7 ser' vaso para honra7
santi(cado e idQneo para uso do *enhor e preparado para toda boa obraK L,
Tm ,.,1N. ?ue cada um saiba possuir o seu vaso em santi(ca!o e honraK
L1 Ts O.ON. *omente depois de ser santi(cado B ?ue o crente ter' condi6es
de pregar aos outros L*/ 31.=710714G /s 3,.11G )5 O.1N.

-
- XIII TER A PALAVRA DE DEUS NO CORAÇÃO
- ...do ?ue h' em abundFncia no cora!o7 disso 5ala a bocaK L+t 1,.4ONG E
homem bom7 do bom tesouro do seu cora!o7 tira o bem...K LMc -.O3NG ... A
palavra est' &unto de ti7 na tua boca e no teu cora!oG esta B a palavra da
5B7 ?ue pregamosK L#m 10.2N.
-
- 1IV TER SA$EDORIA
- ... o ?ue ganha almas s'bio BK LPv 11.40NG A sabedoria B a coisa principalG
ad?uire7 pois7 a sabedoria...K LPv O.=NG ... os ?ue a muitos ensinam a &ustia
re5ulgir!o como as estrelas7 sempre e eternamenteK LDn 1,.4N.
-
- 1V SER CRENTE DE ORAÇÃO
- E ensino da íblia B ?ue o crente deve orar sempre e nunca des5alecerK
LMc 12.1N. >esus nos mandou orar e vigiar L+t ,-.O1N7 e )le mesmo tambBm
nos deu o e<emplo para permanecermos em ora!o7 pois orando"
- 5oi cheio do )spírito *anto LMc 4.,17,,NG
- 5oi trans(gurado LMc 9.,243NG
- recebeu virtude para 5a%er sinais e milagres LMc 3.131=G -.1,19NG
- seu ministBrio 5oi con(rmado L+t 1O.197,0G >o
- 11.O7O0OON.
- Es homens de Deus no Antigo Testamento viviam em ora!o"
- Abra!o LZn 1,.=72G 14.12NG
- +oisBs L[< 2.1,G 9.,9744G 1O.13NG
- )lias LTg 3.1=712NG
- Daniel LDn ,.1=,4G -.10G 9.1ON.
- Do mesmo modo7 os homens de Deus no ovo Testamento estavam sempre
em ora!o" )stv!o LAt =.397-0N7 Pedro LAt 10.9N e Paulo LHp 1.OG 1Ts 1.,G
,Tm 1.4N.
- As igre&as tambBm viviam em ora!o LAt 1.1OG O.,O41G 1,.3N.
- Suando o ganhador de almas vive uma vida de ora!o7 o seu trabalho tem
<ito. Paulo orava pelas almas L#m 10.1N. Suando oramos pelas almas7 elas
vm ao nosso encontro7 seus cora6es (cam atentos @s palavras ?ue lhes
anunciamos e s!o salvas LAt 1-.1413N. Suando oramos7 Deus nos d' uma
vis!o das almas ?ue precisam ser evangeli%adas LAt 10.9,0G 1-.9N. Erando7
podemos interceder pelas almas perdidas LZn 12.,444N e7 como resultado7
algumas ser!o salvas pelo *enhor LZn 19.,9N. Erai sem cessarK L1Ts 3.1=N.

-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-
-
- 6 QUANDO EVANGELIZAR
-
- A íblia di% ?ue ...h' tempo para todo o prop8sito debai<o do cBuK L)c
4.1NG mas7 ?uando se trata de ganhar almas o crente deve testi(car"
- / AGORA
- ... eis a?ui agora o tempo aceit'vel7 eis a?ui agora o dia da salva!oK L, Co
-.,N.
- II A TEMPO E FORA DE TEMPO
- Con&urote7 pois7 diante de Deus e do *enhor >esus Cristo... ?ue pregues a
palavra7 instes a tempo e 5ora de tempo...K L,Tm O.17,N.
- III QUER OUÇAM QUER DEIXEM DE OUVIR
- Suando da prega!o da Palavra de Deus7 teremos as mais diversas atitudes
dos ?ue nos ouvem" uns (car!o irritados LAt =.3ON e tapar!o os ouvidos LAt
=.3=NG alguns escarnecer!o e dei<ar!o a decis!o para um outro dia LAt
1=.4,G ,O.,3NG outros nos ter!o por loucos LAt ,-.,ON7 mas alguns crer!o LAt
1=.4ON. Portanto7 o ganhador de almas deve e<ecutar a sua tare5a pregando
a todos7 ?uer ouam ?uer dei<em de ouvir L)% ,.=N.
- IV DE MADRUGADA )M 2#&"+
- V DE MANÃ )*/ @:/  ! */+ )M 2#&3+
- VI NA ORA DO ALMOÇO )*/ K/  0*0/  "2  "5 */+ )M
2#&5+
- VII , TARDE )*/ 01B@:./  "7 */+ )M 2#&6+
- VIII , NOITE )A "6&2!33+
- IX O(E
- Ro&e7 se ouvirdes a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb 4.13N.
... eis a?ui agora o dia da salva!oK L, Co -.,N7 pelas seguintes ra%6es"
"& A 9?:1/1 1/ ?:1/ ./ 0/ L*/ 90.101,G )c 1,.1G )5 4.1-N
2& A //<=* @*0/0 1 S//0 )M "3&25+
- *e n!o pregarmos o evangelho7 os pecadores n!o poder!o ser salvos e o
/nimigo manter'7 assim7 o homem preso em seus laos L,Tm ,.,-N.
3& A /:1/ 1* @ /1* // / 0:1/1 / />  .*. 0* )L@
"2&"!2#+
- Ap8s a morte n!o haver' mais possibilidade de salva!o7 por?ue depois
dela seguese o &uí%o LRb 9.,=N. Duas eternidades distintas aguardam o
homem ap8s a morte" vida eterna para os ?ue crerem7 e vergonha e
despre%o eterno para os descrentes LDn 1,.,N. Como7 pois7 escapar' o
pecador7 se n!o atentar para uma t!o grande salva!oU LRb ,.4N
4& A .:=* 1* E:* S/0*
- E Consolador n!o contender' para sempre com o homem LZn -.4G ver
tambBm >o 1-.=1ON.
5& A 1:*0:9:>:1/1 1/ ;/</ 1 D

- A porta da graa
o momento em ?ueainda
ser'est' aberta
5echada L+tLRb 10.197,0G
,3.10N7 assim+t =.14NG
como porBm7
a porta da chegar'
arca o
5oi por Deus LZn =.1-N. TambBm a porta ?ue condu% o homem ao cBu L>o
10.9N ser' um dia 5echada por Deus7 e ninguBm &amais poder' abrila LAp
4.=N.
6& A /0*./<=* *:@:/1/ >* E:*
- A salva!o B uma mudana ?ue o *enhor 5a% na vida do pecador L, Co
3.1=NG portanto7 B uma obra gloriosa ?ue )le ?uer dar ao ser humano ho&e.
- 1 ENQUANTO H DIA
- Suem observa o vento nunca semear'7 e o ?ue olha para as nuvens nunca
segar'K L)c 11.ON. E ganhador de almas deve aproveitar todos os momentos
e circunstFncias para evangeli%ar ... en?uanto B diaG a noite vem7 ?uando
ninguBm pode trabalharK L>o 9.ON.
-

- 7 TEXTOS APROPRIADOS PARA EVANGELIZAR


-
- +encionamos abai<o alguns te<tos bíblicos b'sicos ?ue o ganhador de
almas precisa saber para ter <ito em sua miss!o"
"& T*1* =*  @/1*
- L/s 34.-G -O.-G #m 4.,4N
2& C*00@:/ 1/ :0@1>:1/1  1/ :<=* / C:*
- L>o 4.1274-G ,Ts 1.=9G Rb ,.4G 10.,27,9N
3& O @/1*  0:1*
- LPv 1O.1,G /s 3.,9G +t ,1.O1G At 1=.41G #m -.,4G Ap ,0.13N
4& A 9*/ *9/ 0=* />?/.
- L>o -.,9G #m 4.197,0G Zl ,.1-G 4.11G )5 ,.279N
5& O /.* 1 D  / *?:=* // 0*/ />?/<= *
- L>o 4.1-G #m 3.2G ,Co 3.127197,1G 1Pe ,.,OG 1 >o 4.1-N
6& N@:1/1 1 /01:.0*
- L/s 33.=G Mc 14.4G At ,.42749G 4.19G 1=.40N
7& ( C:* B * 0:@* @/.:0*
- L>o 4.4-G 10.9G 1O.-G At O.1,G 1Tm ,.3N
8& C*.* @9 / (
- L>o 1.1,G #m 10.9710G Ap 4.,0N
!& A ?:1/ 0/ B @ 9:1/ /01*  /@:/ / ( @* .* S/>?/1*
- L>o 4.1-G 1 >o 3.1114N
"# & C*.* ( //;/ 0** @/1*
- L/s 34.3G #m 3.-2G )5 1.=G 1 >o O.10N
""& F*.* >/?/1* 1* @/1* >* :./@>/1* /0; 1 (
- L#m 3.9G 1Pe 1.12719G 1 >o 1.=9G Ap ,,.1ON
"2 & S*.0 ( *1 1*/ @/1*
- L+t 1.,1G Mc =.O=7O2G At 3.41G )5 O.4,G Cl 1.1ON
"3 & A 0@:1/1 1/ B //  />?*
- LAt 10.O4G 1-.41G #m 4.,37,2G 3.1N
"4& A @/ 1  (  *0* // @9 * *..
- L+t 11.,2G >o -.4=G #m 10.14G Ap ,,.1=N
"5& A 0@:1/1 1/ @*0?=*  1* 0*?* 0/@:.0*
- L>o 4.47372G ,Co 3.1=N
"6& A 0@:1/1 1 @*0/ / C:* @*.* S/>?/1*
- L+t 10.4,G #m 10.9710N
"7 & A ;/0</ 1/ 0*/ />?/<=*
- L>o 3.,OG At 10.O4G 14.49G #m 2.1-G 1 >o 3.10N
"8 & O @0 B ;/1/1* * D
- L/s O1.10G 1 Co 10.14G ,Tm 1.1,G 1Pe 1.3G >d ,ON
"! & A :0:/<=* 1/ E@:/
- L>o 1=.1=G 1Ts ,.14G ,Tm 4.1-G ,Pe 1.,07,1N
2#& A @*01:<=* 1* *.. . ( B / 1 1:1*
- L*/ 31.3G /s 34.-G Mc 19.10G #m 4.1071,7,4N
2" & A 0@:1/1 1 0/ / :;/
- LMc ,.O,O9G At ,.O,7OO7O-G Rb 10.,3G 1 >o 1.4N
22& A 0@:1/1 1 00@:/ / />;./ @*:/
- L)c 3.10G +t -.44G +c 2.4-74=G Mc 1-.,3G 1 Co 1.12G Hp 4.=9G 1Tm -.10G 1 >o
,.13N
-
-

-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-
-
-
-

- 8 EVANGELIZAR PELO TESTEMUNO PESSOAL E


COLETIVO
-
- )m 5un!o do nmero de pessoas a ?uem dirigir a mensagem de salva!o7 o
crente pode testi(car"
- I TESTEMUNO PESSOAL
"& EK.>* 1 (
- icodemos L>o 4.1,1NG
- a mulher de *amaria L>o O.-407497O,NG
- o paralítico do tan?ue de etesda L>o 3.113NG
- o mal5eitor da cru% LMc ,4.O,7O4N.
2& O* K .>*
- Hilipe LAt 2.40O0NG
-  AndrB L>o 1.O0NG
- Hilipe Lap8stoloN L>o 1.O3N.
- II TESTEMUNO COLETIVO
"& EK.>* 1 (
- L+t O.,3G 3.17,G 14.,N
2& O* K .>*
- Paulo LAt 1=.1-4ONG
- Pedro LAt ,.1O4-G O.21,G 10.4OO4NG
- Hilipe LAt 2.32NG
- )stv!o LAt =.134N.
-

- ! SE O CRENTE NÃO EVANGELIZAR


-

-
- *e a ordem de >esus para o crente pregar o evangelho n!o 5or cumprida7
Deus poder' permitirlhe circunstFncias adversas. We&amos alguns
e<emplos"
"& O />.:/
- Com o silncio (?uei como mudoG calavame mesmo acerca do bemG mas a

minha
salmo7 dor se /dntico
(cou agravouK5ato
L*/ tambBm
49.,N. )m ?ue situa!o
ocorreu di5ícil Davi7
com >eremias o autor desse
L>r ,0.279N.
2& O :.=* 1* >* 1:;*
- Suando o (lho pr8digo voltou para o lar paterno7 houve grande alegria por
parte de todos da casa de seu pai LMc 13. ,O7,3N. PorBm7 o irm!o do pr8digo
n!o se interessou pelo bemestar de seu irm!o caula7 ?ue havia voltado
depois de longo tempo de ausncia" (cou magoado7 aborrecido LMc 13.,3
4,N. Es ?ue n!o se interessam pelas almas perdidas est!o 5adados a chegar
@ situa!o do irm!o do (lho pr8digo.
3& O /@1*  * >?:/
- Algumas pessoas se desviam de suas obriga6es7 tal ?ual o levita e o
sacerdote da Par'bola do om *amaritano7 ?ue dei<aram de usar de
miseric8rdia para com o homem caído na estrada LMc 10.4174,N. E ?ue
tapa o seu ouvido ao clamor do pobre tambBm clamar' e n!o ser' atendidoK
LPv ,1.14N7 da mesma 5orma A?uele7 pois7 ?ue sabe 5a%er o bem e o n!o 5a%
comete pecadoK LTg O.1=N.
4& P;:<W
- Persegui6es poder!o vir ?uando dei<amos de cumprir a ordem do *enhor
para pregar. >esus havia dito aos discípulos ?ue7 ap8s receberem o batismo
no )spírito *anto7 deveriam pregar tanto em >erusalBm como em toda a
>udBia e *amaria e atB aos con(ns da terraK LAt 1.2N. PorBm7 depois de
terem recebido a promessa7 eles somente se ocuparam da cidade de
>erusalBm7 ?ue se encheu da doutrina LAt 3.,2N. )n?uanto isso7 outros
lugares esperavam pela Palavra7 e Deus permitiu uma persegui!o ?ue
espalhou os discípulos de modo ?ue 5oram pregar em outras partes LAt 2.ON.
5& P*?/<W
- Deus tambBm poder' permitir prova6es se sua ordem n!o 5or atendida.
>onas recebeu a incumbncia de ir pregar na cidade de ínive L>n 1.,N7
porBm desobedeceu e 5oi para T'rsis7 tentando 5ugir da presena de Deus
L>n 1.4N. Suando >onas estava no barco7 um grande temporal se levantou e
ameaou o navio de nau5ragar. *omente depois ?ue ele con5essou ser a
causa de tudo e7 em conse?`ncia7 5oi lanado ao mar7 B ?ue a tormenta
cessou. Deus providenciou um grande pei<e ?ue tragou o pro5eta7 ... e
esteve >onas trs dias e trs noites nas entranhas do pei<eK L>n 1.1=N.
*omente depois ?ue orou e con5essou sua 5alta B ?ue Deus o tirou de t!o
incQmoda e angustiosa situa!o L>n ,.110N. Ravendo novamente recebido a
determina!o de pregar em ínive7 obedeceu L>n 4.14N. Tudo poderia ser
evitado se ele tivesse atendido7 na primeira ve%7 a ordem do *enhor.
6& O* .:*
- *e os crentes n!o pregarem7 Deus poder' usar outros meios para despertar
os homens" para ala!o7 Deus usou uma &umenta ?ue (lou Lm ,,.,,40NG
para o carcereiro de Hilipos7 )le usou um terremoto LAt 1-.,-NG para Pedro7
um galo L+t ,-.=O7=3N. Deus ?uer usar o seu povo para pregar o evangelhoG
portanto7 ... tocai a trombeta na terraK L>r O.3N
-
-
-
-
-

- "# MANEIRA DE LEVAR AS ALMAS A DECISÃO


-
- )ste B o ponto decisivo e ?ue re?uer do crente um cuidado todo especial.
!o B su(ciente apenas 5alar7 mas insistir na aceita!o de Cristo L1 Co 9.1=
,,N. Devese mostrar ao pecador ?ue ele est' diante da mais importante
decis!o ?ue um homem pode 5a%er  aceitar a >esus LDt 40.1319G>s
,O.13G>o 3.,ON  e ?ue esta decis!o B inadi'vel L, Co -.,G Rb 4.=72G
O.=N . E ganhador de almas deve proceder da seguinte 5orma"
"& E@*> / */ @*. . 1/ />/
- Para isto B indispens'vel a dire!o do )spírito *anto.

2& D@:1: / ./0 :/ 1 / >/


- *e em particular LAt 12.,-N ou publicamente LAt ,0.,0NG se com cortesia
L,Tm ,.,O7,3N ou com e<orta!o LAt ,.O0N.
3& F/>/  .
- com uma vida de muita ora!o L#m 10.1G )5 -.12,0NG
- sem pressa LPv ,9.,0G /s ,2.1-NG
- de maneira ?ue a pessoa possa compreender Le 2.21,G +t 14.19G 1Co
,.1ON.
4& M*/ 
- o homem B pecador L/s -O.-G #m 4.,4G 1 >o 1.2NG
- o homem est' condenado pelo pecado L>o 4.12G #m -.,4NG
- Deus enviou >esus para salvar o pecador L>o 4.1-71=NG
- as boas obras n!o podem salvar L#m 4.,0G Zl ,.1-G )5 ,.279NG
- s8 >esus B o mediador entre Deus e os homens L>o 1O.-G At O.1,G 1Tm ,.3NG
- s8 >esus pode salvar L+t 1.,1G>o 3.,OG Rb =.,3NG
- a vida eterna est' somente em >esus L1 >o 3.117,0N.
5& D:K/ @>/ *  // @ 9 / ?:1/  0/ B @:* @9 /
( )(* 5&24 "#&"# " (* 5&"2+
6& D.*0/  @9 / ( @*.* S/>?/1*
- B . /* 1 @*/<=* 1*  @ )A 8&37 R. "#&"#+
7& U/ *1/ / / @*0?:@<=*  .*/   /01* * *.. @ *
S0* 1*/ *1* *  @/1* )I 43&25 "T. "&"5+
8& I0@: / @/ 1/ /> ?/<=* )(* 5& 24 "#&28 3# A "#&43 2C* 5&"7
2T. "&"2+
!& F:0/>.0 @*. .:* /*  /91*:/ 1 D @*0?:1/ *
@/1* / /@:/ / ( @*.* S/>?/1*  /* ..* .*
- (car orando no )spírito L>d ,0,,NG
- esperar ?ue a semente germine LTg 3.=NG
- vigiar L+t 14.19N.
"#& C/* / */ / @: / (  */ @*.  >/ / 0/01*/ /*
S0*
- Ys ve%es7 as circunstFncias ou o local podem n!o permitir uma ora!o em
vo% audível. esse caso7 devese orar em vo% bai<a ou no )spírito7 pois o
valor B o mesmo.
""& C/* /  */ 0 =* / @: / (  *@1 1   /> . *1*   /
*/  /9/ // :@/ > */ ? )"T. 4&"6+
- V sempre bom veri(car se a causa de a pessoa n!o aceitar a >esus n!o 5oi
5alha nossa. Contudo7 n!o se dei<e abater7 mas prossiga na importante
tare5a7 pois pode ser ?ue a semente germine em outra ocasi!o L)c 11.1-N.
- "" O CUIDADO DO GANADOR D! ALMAS P!LOS
NOVOS CONV!RTIDOS
-
-
- !o podemos abandonar os novos convertidos @ sua pr8pria sorte7 mas
regar a semente brotada L1 Co 4.-N. Para tal7 devemos proceder do seguinte
modo"
"& V:@/ / *01:1/1 1 / @*0? :@<=* )(*
1.1,G Ap 4.,0N
- Dei<ar o novo convertido ler as passagens bíblicas7 o ?ue trar' grande
edi(ca!o para ele L)5 -.1=G Rb O.1,N.
- A verdadeira convic!o B essencial @ opera!o do )spírito *anto L>o 1-.2N.
2& A@*0>/ 0* 0:1* 1 *9 ./ ?1/1:/ @*.0:@/<=* 

-
/01:.0*
1>o 1.=9N )(* 3&36 (* "7&!
3& N=* *.0 */ @*. * 0*?* @*0?:1* ./ 1:K/  >
K  :* @*/<=* 1:/0 1 D )A !"" R. "2&"2+
- Podem ser 5eitas perguntas ap8s a ora!o para conhecer a posi!o do novo
convertido LAt ,,.1-N.
4& T / @/ 1  * K * 0*?* @*0 ?:1* // . >;/ 1
;/0</ )R. 8&"6 " (* 3&24 4&"5+
5& A1/ * 0*?* @*0?:1* / /01/ 0* @/.:0* 1* S0* )SI
""!&""#5 (* 8&3"32 "5&"7 " (* "&7!+
6& I0: * 0*?* @*0?:1* / > / $9>:/ LAt 1= .11G At ,0.4,G , Tm 4.14
1=G 1 Pe ,.,N
7& F/>/ *9 / 0@: 1/1 1 */ <=* )C> 4&2 " T 
- 3.1=N
8& I0: * 0*?* @*0? :1* / 0=*  /0/ 1 * @>* )A 2&42 9
"#&25+
!& E0/:/ /* 0*?* @*0?:1* / 0@:1/1 1 />/ 1 C:* /
** )M "#&3233 R. "#&!"#+
"#
""&& F
F/>
/>/
/ *
*9
9* /9/
:
*.*
.0/
/ ;
1*/9/)M
:.28
* &"
0*! E
M@"6& "6S
: * + /0* )A
2&383! E "&"3+
"2 & I0: * 0*?* @*0?:1* 1*: 1 9/:/1* / 0=* 
/0/ 1/ C:/ 1* S0* )" C* "#&"6
- ''$%3/340
- "3& A0/ * 0*?* @*0?:1* /* :.=* 0/ :;/  /* /* *
1::;0 )A !&2628+ "4& C*0*>/ * K*/ @*0*. * @/* )"T
2&"""3+
"5& C*>*@/ >:// /1?> 0/ .=* 1 * 0 *?* @*0?:1*
- Avis'lo dos perigos das seitas herBticas LCl ,.12,4G 1Tm O.14G ,Tm 4.19G
,Pe ,.14N.
"6& F/ . / @*./0/.0* @* 0/0 1 . *1* / @*0@
 * 0*?* @*0?:1* />.0  . 0/ R*@/ 1* SB@>* 
C:* )"P 2&46+
- Es procedimentos acima s!o de suma importFncia7 pois h' muitas pessoas
?ue depois de levadas a Cristo s!o realmente es?uecidas pelos crentes. Daí
a ra%!o de7 @s ve%es7 (carem 5racas7 sem estímulo e sem condi6es de
vencer.
- Mevar uma pessoa a Cristo B um importante trabalho7 mas tambBm B de
grande importFncia a&udar os novos na 5B. )les precisam de um conselho
amigo7 de uma 5orte m!o ?ue os sustente. A e<perincia tem demonstrado
?ue7 em regra7 a pessoa mais indicada para a&udar o novo convertido B
a?uele ?ue o levou a Cristo. Eutros conselhos7 alBm dos assinalados7 pode
r!o ser teis. V claro ?ue o ganhador de almas go%ar' da dire!o do
)spírito *anto para dar o conselho certo7 na hora certa7 para a pessoa
certa7 no lugar certo7 da maneira certa e para um resultado certo.
- Sue o *enhor nos a&ude a ter em mente este aspecto t!o importante a (m
de ?ue as almas ?ue ganharmos se&am 5rutos ?ue permaneam LAt ,.OOO=G
O.4,N. +ostraremos abai<o um modelo de (cha ?ue a igre&a deve ter em
seus ar?uivos para 5a%er um acompanhamento minucioso das visitas aos
novos convertidos e seu desenvolvimento"
- H#)T)
-
- NOVOS CONVERTIDOS  DADOS PESSOAIS
-
- V
E
R
S
O
-
- V
I
S
I
T
A
S

EFETUADAS  RESULTADOS
- D)*C#/E - #)*IMTAD
E*
- AM)Z#) - - -

- D)*A/+ADE - - -

- E D)*)>A +A/* - - -


W/*/TA
- E SI)# - - -
CET/IA#
- D)*)>A EIT#A - - -
W/*/TA
- >\ )*T\ H#)S. - - -
CIMTE*
- SI)# *)# AT/ADE - - -

- DATA - - -

- #)*PE*\W)M - - -

-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-

- "2 DESAFIO PARA EVANGELIZAR


-
- E crescimento da popula!o versus o crescimento da /gre&a B um dos
desa(os ?ue deve impulsionar o povo de Deus para a reali%a!o desta
importante tare5a.
- I CRESCIMENTO ATUAL
- E índice de crescimento da /gre&a est' muito a?uBm do ?ue ela deveria ter
atingido7 ou se&a7 a /gre&a n!o est' acompanhando o índice de crescimento
da popula!o. Tomando como base de nossa an'lise o ?ue ocorre na grande
*!o Paulo  cu&a popula!o atB 1922 era da ordem de 1O milh6es de habi 
tantes e onde e<iste grande nmero de igre&as evangBlicas7 bem como os
mais diversos meios de divulga!o da Palavra7 aliados @ plena liberdade de
evangeli%a!o  podemos tirar as conclus6es abai<o7 reetidas nos gr'(cos
demonstrativos ?ue seguem nas pr8<imas p'ginas. LEs nmeros
correspondem ao ano de 1922N
"& C@:.0* 1::* 1/ * >/<=* 0/ ;/01 S= * P/>*

2& ascem7
N.*em 1mBdia7 9,0 pessoas
*1/por
/ dia na grande *!o:@/
Paulo.
-
..9*  1 : ;/ ?/0;B>
- Apro<imadamente um milh!o de crentes7 em todas as denomina6es.
Portanto7 o nmero de crentes representa =7, da popula!o.
3& C@:.0* 1::* 1/ :;/
- Ima pes?uisa indicou ?ue a mBdia de pessoas ?ue s!o ganhas para Cristo e
?ue chegam ao batismo em 'guas7 condi!o para se tornarem membros da
igre&a7 B de 073 crente por ms em cada congrega!o7 ou se&a7 cada
congrega!o precisa trabalhar , meses para ganhar uma pessoa em
condi6es de lev'la ao batismo em 'guas. Tomando como base a mBdia
acima e considerando o nmero de congrega6es evangBlicas e<istentes7
teremos apro<imadamente 100 pessoas ?ue se tornam membros da igre&a7
por dia.
4& C*0@>W
- Pelos dados acima7 ?ue s!o estimativos7 e tomando como base um ms de
40 dias7 concluímos ?ue"
- A cada dia dei<amos de ganhar 2,0 pessoas L9,0  100  2,0N das ?ue
nasceram no determinado dia.

- 14.000.000N.
Ainda 5altam ser ganhos 14 milh6es de pessoas L1O.000.000  1.000.000 

-
-  *egundo este índice de crescimento7 atB o ano ,000 dei<amos de ganhar
apro<imadamente 1-.100.000 pessoas L1=.-00.000  1.300.000 
1-.100.000N. Wer gr'(co ao lado"
- Como pode ser visto no gr'(co ao lado7 a cada ano a igre&a vai se
distanciando mais da popula!o.
- Ro&e
pessoas!o
pornecess'rios apro<imadamente
dia L1.000.000" 100  10.000N.10 mil crentes para ganhar uma
- *e reetirmos a situa!o acima considerando o territ8rio brasileiro7 cu&a
popula!o era de 1O3 milh6es de habitantes atB 19227 teremos as seguintes
conclus6es7 com base nas estimativas de novembro de 1922"
- A cada dia dei<amos de ganhar =.=00 pessoas L2.=00 
1.1  =.=00N7 das ?ue nasceram no determinado dia.
- Ainda 5altam ser ganhos 1,=.000.000 pessoas L1O3.000.000 12.000.000 
1,=.000.000N.
- De acordo com este índice de crescimento7 atB o ano ,000 dei<amos de
ganhar apro<imadamente 1-0.=00.000 pessoas
1124.100.1  ,,.O00.000  1-0.=00.000G ver os gr'(cos abai<oN.
- I GR%FICOS DEMONSTRATIVOS
"& C@:.0* 1::*  *>/<=* 5ers6s I;/
-

-
-
2& C@:.0* 1::*  *>/<=* 5ers6s I;/ *./01* @*.* 9/ /
P/9*>/ 1* S./1* LMc 2.O13N
- Desafo para Evangelizar 83
- essa par'bola7 das ?uatro sementes ?ue 5oram lanadas na terra7 apenas
uma germinou e deu 5rutos7 ou se&a7 apenas ,3 deram resultado. *e a

/gre&a estivesse cumprindo plenamente a ordem de >esus de pregar o


evangelho7 deveríamos ter no rasil o seguinte crescimento di'rio das
igre&as7 baseado na re5erida par'bola"
-
-
-
- Para atingir este ob&etivo7 as igre&as deveriam trabalhar ,7, ve%es maisG isto
sem contar os 1,= milh6es de pessoas ?ue ainda n!o 5oram evangeli%adas.
3& P*>/<=* . "!88 5ers6s 0.* 1 ..9* 1/ :;/
-

-
4& P*>
/<=*

5ers6s 0.* 1 ..9* 1/ :;/ 0* /0* 2###


-
-
-
5& G@* 1.*0/:?* 1/ *<=* 1 @@:.0* 1/ *>/<=*
5ers6s @@:.0* 1/ I;/ /B * /0* 2### @*0:1/01* / /K/
//> 1 @@:.0*
- II CRESCIMENTO NA IGRE(A
PRIMITIVA
- Considerando ?ue na?uela Bpoca a /gre&a
n!o dispunha dos meios de divulga!o
como os ?ue temos ho&e7 podemos a(rmar
?ue seu crescimento 5oi espantoso7 pois7
em apro<imadamente -0 anos7
praticamente todo o mundo conhecido
na?ueles dias 5oi evangeli%ado.
- We&amos alguns te<tos bíblicos ?ue
reetem tal crescimento"
- Atos 1.1,1O  os ap8stolos Atos 1.13 
?uase 1,0 pessoas
- Atos ,.O1  ?uase 4 mil pessoas
- Atos ,.O=  todos os dias almas eram
salvas
- Atos O.O  ?uase 3 mil almas
- Atos 3.1O  a multid!o crescia cada ve% mais
- Atos 3.,2  >erusalBm 5oi evangeli%ada
- Atos -.1  crescia o nmero dos discípulos
- Atos -.=  multiplicase muito o nmero dos discípulos
- Atos 2.1O  *amaria evangeli%ada
- Atos 9.41  igre&as se multiplicavam em toda a >udBia7 Zalileia e *amaria
- Atos 9.43  todos os habitantes de Mida e *arona salvos
- Atos 9.O,  muitos salvos em >ope
- Atos 11.19  evangeli%a!o na Henícia7 Chipre e Antio?uia
- Atos 11.,07,1  grande nmero de salvos em Antio?uia
- Atos 11.,O  muitos 5oram salvos em Antio?uia
- Atos 1,.,O  o nmero dos discípulos crescia e se multiplicava
- Atos 1O.1  uma grande multid!o 5oi salva em /cQnio
- Atos 1-.3  as igre&as cresciam em nmero
- Atos 1=.O  grande multid!o cresceu em TessalQnica
Desafo para Evangelizar 83

- - Atos 1=.1,  muitos salvos em erBia


- Atos 12.10  muitos salvos em Corinto
- Atos 19.10  todos os habitantes da \sia ouviram a Palavra
- Atos ,1.,0  milhares de &udeus creram
-
- /// CRESCIMENTO POR MULTIPLICAÇÃO
- Tomemos como base o crescimento ocorrido na /gre&a Primitiva7 con5orme
mostrado na se!o anterior. Podemos imaginar ?ual seria o crescimento da
/gre&a7 reetido atravBs dos nmeros indicados abai<o7 se utili%'ssemos o
mesmo mBtodo da?uela igre&a. Todos seriam evangeli%ados7 ainda ?ue nem
todos cressem. ) claro ?ue os dados abai<o s!o hipotBticos7 mas n!o
impossíveis de serem atingidos. *e cada pessoa ?ue ouvisse as novas do
evangelho transmitisse diariamente a outras essa mensagem7 o ob&etivo
abai<o seria alcanado . )<emplo" uma pessoa ?ue evangeli%a outra pessoa
corresponde a duas pessoas. Duas pessoas ?ue evangeli%am outras duas
correspondem a ?uatro. ) nesta progress!o aritmBtica chegaremos @ ci5ra
de 2.329.911.33,. We&amos"
- 1X dia  1 f 1  ,
- ,a dia  , f ,  O
- 4a dia  O f O  2
- Oa dia  2 f 2  1-
- 3a dia  1- f 1-  4,
- -a dia  4, f 4,  -O
- =a dia  -O f -O  1,2
- 2a dia  1,2 f 1,2  ,3-
- 9a dia  ,3- f ,3-  31,
- 10a dia  31, f 31,  1.0,O
- 11a dia  1.0,O f 1.0,O  ,.0O2
- 1,a dia  ,.0O2 f ,.0O2  O.09-
- 14a dia  O.09- f O.09-  2.19,
- 1Oa dia  2.19, f 2.19,  1-.42O
- 13a dia  1-.42Of 1-.42O  4,.=-2
- 1-a dia  4,.=-2f 4,.=-2  -3.34-
- 1=a dia  -3.34-f -3.34-  141.0=,
- 12adia 141.0=,f141.0=, ,-,.1OO
- 19a dia  ,-,.1OO f ,-,.1OO  3,O.,22 ,0a dia  3,O.,22 f 3,O.,22 
1.0O2.3=- ,1a dia  1.0O2.3=- f 1.0O2.3=-  ,.09=.13, ,,a dia 
,.09=.13, f ,.09=.13,  O.19O.40O ,4a dia  O.19O.40O f O.19O.40O 
2.422.-02 ,Oa dia  2.422.-02 f 2.422.-02  1-.===.,1- ,3a dia 
1-.===.,1- f 1-.===.,1-  44.33O.O4, ,-a dia  44.33O.O4, f 44.33O.O4,
 -=.102.2-O ,= dia  -=.102.2-O f -=.102.2-O  14O.,1=.=,2 ,2a dia 
14O.,1=.=,2 f 14O.,1=.=,2  ,-2.O43.O3- ,9a dia  ,-2.O43.O3- f
,-2.O43.O3-  34-.2-9.O=, 40a dia  34-.2=0.91, f 34-.2=0.91, 
1.0=4.=O1.2,O 41a dia  1.0=4.=O1.2,Of 1.0=4.=O1.2,O  ,.1O=O24.-O2
4,a dia  ,.1O=.O24.-O2 f ,.1O=.O24.-O2  O.,9O.9-=.,9- 44a dia 
O.,9O.9-=.,9- f O.,9O.9-=.,9-  2.329.94O.39,
- C*0@>W
- Toda a grande *!o Paulo L1O milh6es de habitantesN seria evangeli%ada em
,O dias.
- Todo o rasil L1O3 milh6es de habitantesN seria evangeli%ado em ,2 dias.
- Todo o mundo L3 bilh6es de habitantesN seria evangeli%ado em 44 dias.
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
- Desafo para Evangelizar 83
-
-

-
-
-
-
-
-
-
-
-

- "3 TIPOS DE PESSOAS ENCONTRADAS PELO


GANADOR DE ALMAS
-
- A tendncia do homem B ?uerer escusarse diante do convite LMc 1O.1-,OG
At 1=.4,G ,O.,3G ,-.,O40N.
- I AOS QUE PERMANECEM INDIFERENTES , VIDA ESPIRITUAL
"& M*/  *1* =* @/1*
- Por?ue todos pecaram e destituídos est!o da gl8ria de DeusK L#m 4.,4N.

- Todos n8s andamos desgarrados como ovelhasG cada um se desviava pelo


seu caminho...K L/s 34.-N.
- !o h' um &usto7 nem um se?uerK L#m 4.10N.
- Por?ue o sal'rio do pecado B a morte7 mas o dom gratuito de Deus B a vida
eterna7 por Cristo >esus7 nosso *enhorK L#m -.,4N.
- *e dissermos ?ue n!o temos pecado7 enganamonos a n8s mesmos7 e n!o
h' verdade em n8sK L1 >o 1.2N.
- *e dissermos ?ue n!o pecamos7 5a%emo lo mentiroso7 e a sua palavra n!o
est' em n8sK L1 >o 1.10N.
"& M*/  *1* 0@:/. 1* S/>?/1*
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna7 mas a?uele ?ue n!o cr no
Hilho n!o ver' a vida7 mas a ira de Deus sobre ele permaneceK L>o 4.4-N.
- ...se n!o crerdes ?ue eu sou7 morrereis em vossos pecadosK L>o 2.,ON.
- ... todo a?uele ?ue comete pecado B servo do pecadoK L>o 2.4ON.
- Por?ue o sal'rio do pecado B a morte7 mas o dom gratuito de Deus B a vida
eterna7 por Cristo >esus7 nosso *enhorK L#m -.,4N.
- ... ?uando se mani5estar o *enhor >esus desde o cBu7 com os an&os do seu
poder7 como labaredas de 5ogo7 tomando vingana dos ?ue n!o conhecem a
Deus e dos ?ue n!o obedecem ao evangelho de nosso *enhor >esus CristoG
os ?uais7 por castigo7 padecer!o eterna perdi!o...K L,Ts 1.=9N.
- ) a?uele ?ue n!o 5oi achado escrito no livro da vida 5oi lanado no lago de
5ogoK LAp ,0.13N.
- como escaparemos n8s7 se n!o atentarmos para uma t!o grande
salva!o...K LRb ,.4N.
- Suem cr nele n!o B condenadoG mas ?uem n!o cr &' est' condenado...K
L>o 4.12N.
3& M*/ *  * S0 * (  >* @/1*
- Werdadeiramente7 ele tomou sobre si as nossas en5ermidades e as nossas

dores levou sobre siG e n8s o reputamos por aito7 5erido de Deus e
oprimido. +as ele 5oi 5erido pelas nossas transgress6es e moído pelas
nossas ini?uidadesG o casti go ?ue nos tra% a pa% estava sobre ele7 e7 pelas
suas pisaduras7 5omos sarados. Todos n8s andamos desgarrados como
ovelhasG cada um se desviava pelo seu caminho7 mas o *enhor 5e% cair
sobre ele a ini?`idade de n8s todos. )le 5oi oprimido7 mas n!o abriu a bocaG
como um cordeiro7 5oi levado ao matadouro e7 como a ovelha muda perante
os seus tos?uiadores7 ele n!o abriu a boca... Todavia7 ao *enhor agradou
molo7 5a%endoo en5ermar...K L/s 34.O10N.
- ... Cristo padeceu uma ve% pelos pecados7 o &usto pelos in&ustos7 para
levarnos a Deus...K L1Pe 4.12N.
- Mevando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro7 para
?ue7 mortos para os pecados7 pudBssemos viver para a &ustiaG e pelas suas
5eridas 5ostes saradosK L1Pe ,.,ON.
- A?uele ?ue n!o conheceu pecado7 o 5e% pecado por n8sG para ?ue7 nele7
5Qssemos 5eitos &ustia de DeusK L,Co 3.,1N.
4& M*/  :/ / C:* >?/  @*010/<=*
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna7 mas a?uele ?ue n!o cr no
Hilho n!o ver' a vida7 mas a ira de Deus sobre ele permaneceK L>o 4.4-N.
- a verdade7 na verdade vos digo ?ue ?uem ouve a minha palavra e cr
na?uele ?ue me enviou tem a vida eterna e n!o entrar' em condena!o7
mas passou da morte para a vidaK L>o 3.,ON.
- ...se n!o crerdes ?ue eu sou7 morrereis em vossos pecadosK L>o 2.,ON.
- Suem cr nele n!o B condenadoG mas ?uem n!o cr &' est' condenado...K
L>o 4.12N.
5& M*/  / ** 0:1/1 1   />?* B /;*/
- eis a?uiDesafo
agora o Evangelizar
para 83da salva!oK L,Co
tempo aceit'vel7 eis a?ui agora o dia
-.,N.
- ... escolhei ho&e a ?uem sirvais...K L>s ,O.13N.
- +as Deus lhe disse" Mouco7 esta noite te pedir!o a tua alma7 e o ?ue tens
preparado para
amanh!...K LPv ?uem ser'UK LMc 1,.,0N !o presumas do dia de
,=.1N.
- ... Ro&e7 se ouvirdes a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb
4.13G O.=N.
- Membrate do teu Criador nos dias da tua mocidade...K L)c 1,.1N.
- ... !o contender' o meu )spírito para sempre com o homem...K LZn -.4N.
- +encionar a hist8ria do rico e M'%aro LMc 1-.1941N.
-
- II AOS QUE ESTÃO ANSIOSOS PELA SALVAÇÃO
- "& M*/  *1* =* @/1*
- Por?ue todos pecaram e destituídos est!o da gl8ria de DeusK L#m4.,4N.
- ... !o h' um &usto7 nem um se?uerK L#m 4.10N.
- +as todos n8s somos como o imundo...K L/s -O.-N.
- *e dissermos ?ue n!o temos pecado7 enganamonos a n8s mesmos7 e n!o
h' verdade em n8sK L1 >o 1.2N.
2& M*/  ( .*  >* @/1* // />? >*
- ... Cristo padeceu uma ve% pelos pecados7 o &usto pelos in&ustos7 para
levarnos a Deus...K L1 Pe 4.12N.
- A?uele ?ue n!o conheceu pecado7 o 5e% pecado por n8sG para ?ue7 nele7
5Qssemos 5eitos &ustia de DeusK L,Co 3.,1N.
- ...o *enhor 5e% cair sobre ele a ini?uidade de n8s todosK L/s 34.-N.
"& M*/   ( *1 />?/ * @/1*
- ... )u sou o caminho7 e a verdade7 e a vida. inguBm vem ao Pai sen!o por
mimK L>o 1O.-N.
- )u sou a portaG se alguBm entrar por mim7 salvarse'...K L>o 10.9N.
- Por?ue h' um s8 Deus e um s8 mediador entre Deus e os homens7 >esus
Cristo7 homemK L1Tm ,.3N.
- ) em nenhum outro h' salva!o7 por?ue tambBm debai<o do cBu nenhum
outro nome h'7 dado entre os homens7 pelo ?ual devamos ser salvosK LAt
O.1,N.
- ... se alguBm pecar7 temos um Advogado para com o Pai7 >esus Cristo7 o
>usto. ) ele B a propicia!o pelos nossos pecados e n!o somente pelos
nossos7 mas tambBm pelos de todo o mundoK L1 >o ,.17,N.
2& M*/ / 0@ :1/1 1 @ . (  //  / >?*
- ... para ?ue todo a?uele ?ue nele cr n!o perea7 mas tenha a vida eternaK
L>o 4.1-N.
- ... Cr no *enhor >esus Cristo e ser's salvo7 tu e a tua casaK LAt 1-.41N.
- ... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvoK L#m 1I.9N.
3& M*/ / 0@ :1/1 1 /@:/ / ( 9 >:@/.0
- ... ?ual?uer ?ue me con5essar diante dos homens7 eu o con5essarei diante
de meu Pai7 ?ue est' nos cBusK L+t 10.4,N.
- *e7 com tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7 creres...
ser's salvoK L#m 10.9N.
- ... todo a?uele ?ue invocar o nome do *enhor ser' salvoK LAt ,.,1N.
- ... n!o te envergonhes do testemunho de nosso *enhor...K L,Tm 1.2N.
- Por?uanto ?ual?uer ?ue7 entre esta gera!o adltera e pecadora7 se
envergonhar de mim e das minhas palavras7 tambBm o Hilho do Romem se
envergonhar' dele7 ?uando vier na gl8ria de seu Pai7 com os santos an&osK
L+c 2.42N.
4& M*/  * S0* 1*/ *1* * @/1*
- ... ainda ?ue os vossos pecados se&am como a escarlata7 eles se tornar!o
brancos como a neveG ainda ?ue se&am vermelhos como o carmesim7 se
tornar!o como a branca l!K L/s 1.12N.
- )u7 eu mesmo7 sou o ?ue apaga as tuas transgress6es por amor de mim e
dos teus pecados me n!o lembroK L/s O4.,3N.
- Des5ao as tuas transgress6es como a nBvoa7 e os teus pecados7 como a
nuvem...K L/s OO.,,N.
- Suanto est' longe o Eriente do Ecidente7 assim a5asta de n8s as nossas
transgress6esK L*/ 104.1,N.
- ) disse a ela" Es teus pecados te s!o perdoadosK LMc =.O2N.
5& M*/  * S0* /;/1/ ./ 1@:=* 1* *..  
*0* // @9>*
- ... o ?ue vem a mim de maneira nenhuma o lanarei 5oraK L>o -.4=N.
- Winde a mim7 todos os ?ue estais cansados e oprimidos7 e eu vos aliviareiK
L+t 11.,2N.
- Chegaivos a Deus7 e ele se chegar' a v8s...K LTg O.2N.
- ) o )spírito e a esposa di%em" Wem...K LAp ,,.1=N.
- III OS QUE ENCONTRAM DIFICULDADES EM CRER E OS QUE
ACAM IMPOSSJVEL A SALVAÇÃO
- Alega6es desse grupo e te<tos ?ue os re5utam"
"& S* @/1* 1./:
- +ostrar ?ue >esus veio para salvar os pecadores"
- Por?ue o Hilho do Romem veio buscar e salvar o ?ue se havia perdidoK LMc
19.10N.
- Desafo
... Cristo >esus Evangelizar
paraveio 83
ao mundo7 para salvar os pecadores...K L1Tm 1.13N.
- Portanto7 pode tambBm salvar per5eitamente os ?ue por ele se chegam a
Deus...K LRb =.,3N.
- Dei<e o ímpio o seu caminho7 e o homem maligno7 os seus pensamentos e
se converta
por?ue ao *enhor7
grandioso ?ue se compadecer'
B em perdoarK L/s 33.=N. deleG torne para o nosso Deus7
- Por?ue Cristo7 estando n8s ainda 5racos7 morreu a seu tempo pelos ímpios.
Por?ue apenas alguBm morrer' por um &ustoG pois poder' ser ?ue pelo bom
alguBm ouse morrer. +as Deus prova o seu amor para conosco em ?ue
Cristo morreu por n8s7 sendo n8s ainda pecadoresK L#m 3.-2N.
- ...eu n!o vim para chamar os &ustos7 mas os pecadores7 ao
arrependimentoK L+t 9.14N.
- ... ainda ?ue os vossos pecados se&am como a escarlata7 eles se tornar!o
brancos como a neve...K L/s 1.12N.
2& A@*  D 0=* .  @9& R@:* 0=*  /@ :*
- Itili%ar os seguintes te<tos para re5utar"
- ... o ?ue vem a mim de maneira nenhuma o lanarei 5oraK L>o -.4=N.
- ) o )spírito e a esposa di%em" Wem... ) ?uem tem sede venhaG e ?uem
?uiser tome de graa da 'gua da vidaK LAp
- ,,.1=N.
- )u7 eu mesmo7 sou o ?ue apaga as tuas transgress6es...K L/s O4.,3N.
- ... n!o tenho pra%er na morte do ímpio...K L)% 44.11N.
- ... ainda ?ue os vossos pecados se&am como a escarlata7 eles se tornar!o
brancos como a neve...K L/s 1.12N.
- ...todos os ?ue nele creem receber!o o perd!o dos pecados pelo seu nomeK
LAt 10.O4N.
3& A@*  0* @*.:1* @/1* :.1*?:
- +ostrar ?ue isso di% respeito @?uele ?ue7 mesmo sabendo ?ue a obra B uma
opera!o do )spírito *anto7 a apresenta como se 5osse uma obra do Diabo
L+t 1,.4174,N.
- E ganhador de almas deve ter um tato especial para detectar se a alma
para a ?ual estiver pregando realmente incorreu em tal pecado ou se n!o
passa de uma das artimanhas de *atan's7 ?ue ?uer impedila de ser salva.
E 5ato de a pessoa estar interessada em sua salva!o7 atB mesmo
arrependida7 B uma prova de ?ue n!o cometeu o pecado mencionado7 pois
a?ueles ?ue o cometem n!o sentem ?ual?uer interesse pela salva!o7 nem
mesmo est!o arrependidos de seu procedimentoG o )spírito *anto a5astou
se de suas vidas LRb 10.,9N.
4& H /1 1./: //  @ 
- Itili%ar os seguintes te<tos para re5utar"
- ... eis a?ui agora o tempo aceit'vel7 eis a?ui agora o dia da salva!oK L,Co
-.,N.
- E *enhor... B longFmmo para conosco7 n!o ?uerendo ?ue alguns se
percam7 sen!o ?ue todos venham a arrepender seK L,Pe 4.9N.
- J... o ?ue vem a mim de maneira nenhuma o lanarei 5oraK L>o -.4=N.
- ... se ouvirdes ho&e a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb
4.=72N.
- Suando estiveres em angstia7 e todas estas coisas te alcanarem7 ent!o7
no (m de dias7 te virar's para o *enhor7 teu Deus7 e ouvir's a sua vo%K LDt
O.40N.
- E )spírito e a esposa di%em" Wem ) ?uem ouve diga" Wem ) ?uem tem
sede venhaG e ?uem ?uiser tome de graa da 'gua da vidaK LAp ,,.1=N.
- Citar como e<emplo o te<to de Mucas ,4.497O47 no ?ual um dos mal5eitores
?ue estava pendurado na cru%7 ao lado de >esus7 creu no *enhor e 5oi salvo.
- IV OS QUE SE (ULGAM FRACOS DEMAIS
- Alega6es desse grupo e te<tos ?ue as re5utam"
"& N=* *1: ?/ 0 @/.:0*& N=* *1: ./0@
.  . *0/ . @0
- +ostrar ?ue n8s n!o somos guardados por n8s mesmos7 mas sim pelo
*enhor"
- ... mediante a 5B7 estais guardados na virtude de Deus7 para a salva!oK
L1Pe 1.3N.
- ... por?ue eu sei em ?uem tenho crido e estou certo de ?ue B poderoso
para guardar o meu dep8sito atB @?uele DiaK L,Tm 1.1,N.
- Era7 @?uele ?ue B poderoso para vos guardar de tropear e apresentarvos
irrepreensíveis7 com alegria7 perante a sua gl8riaK L>d ,ON.
- As minhas ovelhas ouvem a minha vo%... e nunca h!o de perecer7 e
ninguBm as arrebatar' das minhas m!osK L>o 10.,=7,2N.
- (el B Deus7 ?ue vos n!o dei<ar' tentar acima do ?ue podeisG antes7 com a
tenta!o dar' tambBm o escape7 para ?ue a possais suportarK L1Co 10.14N.
- n!o temas7 por?ue eu sou contigoG n!o te assombres7 por?ue eu sou o teu
DeusG eu te es5oro7 e te a&udo7 e te sustento com a destra da minha &ustiaK
L/s O1.10N.
- +as (el B o *enhor7 ?ue vos con5ortar' e guardar' do malignoK L,Ts 4.4N.
- ... estar' (rme7 por?ue poderoso B Deus para o (rmarK L#m 1O.ON.
2& S* .:* /@*
- +ostrar ?ue o poder de Deus se aper5eioa na 5ra?ue%a7 e ?ue o *enhor nos
5ortalece e nos a&uda em nossas 5ra?ue%as7 5a%endonos triun5ar"
- ...o meu poder se aper5eioa na 5ra?ue%a... Por?ue ?uando estou 5raco7
ent!o7 sou 5orteK L,Co 1,.9710N.
- Posso todas as coisas na?uele ?ue me 5ortaleceK LHp O.14N.
- ... (el B Deus7 ?ue vos n!o dei<ar' tentar acima do ?ue podeisG antes7 com
Desafo para Evangelizar 83
a tenta!o dar' tambBm o escape7 para ?ue a possais suportarK L1Co
10.14N.
- ... o *enhor o sustBm com a sua m!oK L*l 4=.,ON.
- Era7 @?uele ?ue B poderoso para vos guardar de tropear e apresentarvos
irrepreensíveis7 com alegria7 perante a sua gl8riaK L>d ,ON.
- Portanto7 pode tambBm salvar per5eitamente os ?ue por ele se chegam a
Deus...K LRb =.,3N.
- ) Deus B poderoso para tornar abundante em v8s toda graa...K L,Co 9.2N.
- ...da 5ra?ue%a tiraram 5oras...K LRb 11.4ON.
3& E /:01 / 0=* 1:K: / ?:1/ @/. :0*/& N=* *1 : /9/0 1*0/ *
. 9:* ./
- +ostrar ?ue tais h'bitos levar!o o homem @ condena!o7 mas ?ue Cristo
pode libert'lo completamente de todo o pecado. Por?ue o sal'rio do
pecado B a morte...K L#m -.,4N. ...tudo o ?ue o homem semear7 isso
tambBm cei5ar'K LZ1
- -.=N.
- ... por todas estas coisas te trar' Deus a &uí%oK L)c 11.9N. ... n!o sabeis
v8s ?ue a ami%ade do mundo B inimi%ade contra DeusUK LTg O.ON.
- Por?ue a inclina!o da carne B morteG mas a inclina!o do )spírito B vida e
pa%K L#m 2.-N.
- !o presumas do dia de amanh!7 por?ue n!o sabes o ?ue produ%ir' o diaK
LPv ,=.1N.
- +as Deus lhe disse" Mouco7 esta noite te pedir!o a tua alma7 e o ?ue tens
preparado para ?uem ser'UK LMc 1,.,0N Posso todas as coisas na?uele ?ue
me 5ortaleceK LHp O.14N7 conhecereis a verdade7 e a verdade vos libertar'K
L>o 2.4,N. ... se alguBm est' em Cristo7 nova criatura B" as coisas velhas &'
passaramG eis ?ue tudo se 5e% novoK L,Co 3.1=N.
4& N=* ** *. @*. .:0/ /.:/1
- +ostrar a necessidade de o pecador tomar uma posi!o de(nida diante de
Deus e o perigo de n!o se decidir.
- Anda com os s'bios e ser's s'bio7 mas o companheiro dos tolos ser'
aigidoK LPv 14.,0N.
- !o vos enganeis" as m's conversa6es corrompem os bons costumesK
L1Co 13.44N.
- !o tenhas inve&a dos homens malignos7 nem dese&es estar com elesK LPv
,O.1N.
- Hilho meu7 se os pecadores7 com blandícias7 te ?uiserem tentar7 n!o
consintas... n!o te ponhas a caminho com elesG desvia o teu pB das suas
veredasK LPv 1.1013N.
- emaventurado o var!o ?ue n!o anda segundo o conselho dos ímpios7
nem se detBm no caminho dos pecadores7 nem se assenta na roda dos
escarnecedoresK L*/ 1.1N.
- E receio do homem armar' laos7 mas o ?ue con(a no *enhor ser' posto
em alto retiroK LPv ,9.,3N.
- ... n!o sabeis v8s ?ue a ami%ade do mundo B inimi%ade contra DeusUK LTg
O.ON
5& A ?:1/ 1 @0 B .:* 1:@:>
3.1. Mostrar o engano dessa a%rmaço citando os textosB
- Es seus caminhos s!o caminhos de delícias7 e todas as suas veredas7 pa%K
LPv 4.1=N.
- Por?ue o meu &ugo B suave7 e o meu 5ardo B leveK L+t
- 11.40N.
- ...na tua presena h' abundFncia de alegrias...K L*/ 1-.11N.
- ... os seus mandamentos n!o s!o pesadosK L1 >o 3.4N.
- por?ue B coisa agrad'vel ?ue alguBm7 por causa da conscincia para com
Deus7 so5ra agravos7 padecendo in&ustamenteK L1Pe ,.19N.
- ... para ?ue e<perimenteis ?ual se&a a boa7 agrad'vel e per5eita vontade de
DeusK L#m 1,.,N.
- ...a piedade para tudo B proveitosa7 tendo a promessa da vida presente e
da ?ue h' de virK L1Tm O.2N.
3.,. Mostrar que a vida pecaminosa é que é di)/cilB
- ... o caminho dos prevaricadores B 'speroK LPv 14.13N.
- +as os homens maus e enganadores ir!o de mal para pior7 enganando e
sendo enganadosK L,Tm 4.14N.
6& P@:* *0/. .>* //  . @0
- +ostrar ?ue o homem n!o pode &usti(carse a si mesmo7 mas ?ue deve ir a
>esus do &eito ?ue se encontra7 pois somente )le poder' salv'lo.
- Por?ue eu n!o vim para chamar os &ustos7 mas os pecadores7 ao
arrependimentoK L+t 9.14N.
- Mevantarmeei7 e irei ter com meu pai7 e dirlheei" Pai7 pe?uei contra o
cBu e perante ti...K LMc 13.12,ON.
- Por?ue pela graa sois salvos7 por meio da 5BG e isso n!o vem de v8sG B
dom de Deus. !o vem das obras7 para ?ue ninguBm se glorieK L)5 ,.279N.
- ... o ?ue vem a mim de maneira nenhuma o lanarei 5oraK L>o -.4=N.
- +as buscai primeiro o #eino de Deus7 e a sua &ustia7 e todas essas coisas
vos ser!o acrescentadasK L+t -.44N.
- LWer ainda os seguintes te<tos" A Par'bola da Evelha Perdida  Mc 13.1= e
A Par'bola da Dracma Perdida  Mc 13.210.N
-
- V OS Desafo
QUE COLOCAM
para EvangelizarOS INTERESSES PESSOAIS 83 EM PRIMEIRO
LUGAR
- Alega6es e te<tos ?ue as re5utam"
"& P1: . 0;@:* * .;*  . * 0/ @0
- +ostrar ?ue as coisas divinas7 bem como a salva!o da alma7 devem ocupar
o primeiro lugar na vida. E servo de Deus tem a promessa de bn!os
materiais tambBm.
- Pois ?ue aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua
almaUK L+c 2.4-N
- +as Deus lhe disse" Mouco7 esta noite te pedir!o a tua alma7 e o ?ue tens
preparado para ?uem ser'UK LMc 1,.,0N
- ... Decerto7 vosso Pai celestial bem sabe ?ue necessitais de todas essas
coisasG mas buscai primeiro o #eino de Deus7 e a sua &ustia7 e todas estas
coisas vos ser!o acrescentadasK L+t
-.4,744N . 
- ...a piedade para tudo B proveitosa7 tendo a promessa da vida presente e
da ?ue h' de virK L1Tm O.2N.
- LWer tambBm os seguintes te<tos" +t 1-.,O,=G +c 10.,440G Mc 1-.,O,-.N
2& T:  1:K/ .:/  @*:/ //  @0& T :  00@: /
 1:?W .01/0/
- +ostrar ?ue crer em Cristo n!o implica dei<ar as coisas boas e louv'veis7 e
sim as coisas m's ?ue levam o homem @ perdi!o e ruína.
- Pois ?ue aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua
almaUK L+c 2.4-N
- !o ameis o mundo7 nem o ?ue no mundo h'... o mundo passa7 e a sua
concupiscnciaG mas a?uele ?ue 5a% a vontade de Deus permanece para
sempreK L1 >o ,.131=N.
- ... n!o sabeis v8s ?ue a ami%ade do mundo B inimi%ade contra DeusUK LTg
O.ON
- !o ameis o mundo7 nem o ?ue no mundo h'. *e alguBm ama o mundo7 o

amor do Pai n!o est' neleK L1 >o ,.13N.


- Por?ue o amor do dinheiro B a rai% de toda espBcie de males...K L1Tm
-.10N.
- Por?ue o ?ue semeia na sua carne da carne cei5ar' a corrup!oG mas o ?ue
semeia no )spírito do )spírito cei5ar' a vida eternaK LZ1 -.2N.
- +as o ?ue para mim era ganho reputeio perda por Cristo. )7 na verdade7
tenho tambBm por perda todas as coisas7 pela e<celncia do conhecimento
de Cristo...K LHp 4.=72N.
- LWer ainda os te<tos" Mc 1,.1-,1G 1O.44G Tt ,.1,.N
3& T0* @:* 1* . /.:; * :0@B1>*
- +ostrar ?ue a vida crist! B vida sem receio de nada7 a n!o ser de pecar
contra Deus. ) muito melhor ser amigo de Deus e agradarlhe7 para um dia
poder morar eternamente com )le na gl8ria7 do ?ue ser condescendente
por temor dos homens e ter7 por um pouco de tempo7 o go%o do pecado LRb
11.,O,=N.
- E receio do homem armar' laos7 mas o ?ue con(a no *enhor ser' posto
em alto retiroK LPv ,9.,3N.
- !o tenhas inve&a dos homens malignos7 nem dese&es estar com eles7
por?ue o seu cora!o medita a rapina7 e os seus l'bios 5alam
maliciosamenteK LPv ,O.17,N.
- !o vos enganeis" as m's conversa6es corrompem os bons costumesK
L1Co 13.44N.
- Por?ue Deus n!o nos deu o espírito de temor...K L,Tm 1.=N. a caridade7
n!o h' temorG antes7 a per5eita caridade lana 5ora o temorG por?ue o temor
tem consigo a pena7 e o ?ue teme n!o B per5eito em caridadeK L1 >o O.12N.
- ) tambBm todos os ?ue piamente ?uerem viver em Cristo >esus padecer!o
persegui6esK L,Tm 4.1,N.
- ...as ai6es deste tempo presente n!o s!o para comparar com a gl8ria
?ue em n8s h' de ser reveladaK L#m 2.12N.
- Por?ue ?ue gl8ria ser' essa7 se7 pecando7 sois esbo5eteados e so5reisU +as7
se 5a%endo o bem7 sois aigidos e o so5reis7 isso B agrad'vel a DeusK L1 Pe
,.,07,1N.
- ... por muitas tribula6es nos importa entrar no #eino de DeusK LAt 1O.,,N.
- bemaventurados sois v8s ?uando vos in&uriarem7 e perseguirem7 e7
mentindo7 disserem todo o mal contra v8s7 por minha causa... por?ue assim
perseguiram os pro5etas ?ue 5oram antes de v8sK L+t 3.1171,N.
- se so5rermos7 tambBm com ele reinaremosG se o negarmos7 tambBm ele nos
negar'K L,Tm ,.1,N.
- Pois ?ue aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua
almaUK L+c 2.4-N
"& S: ;:1*  . *0/ @0& O /.:;* //=* / .
;:

- +ostrar ?ue odecrente


nos separam n!o
Cristo7 pertence
pois a este
nada s!o mundo e ?ue
se comparadas as persegui6es
@ gl8ria n!o
de Deus ?ue
um dia ser' revelada em n8s. Es crist!os encaram a persegui!o atB como
um privilBgio de so5rer por amor de >esus.
- Suem nos separar' do amor de CristoU A tribula!o7 ou a angstia7 ou a
persegui!o7 ou a 5ome7 ou a nude%7 ou o perigo7 ou a espadaU... +as em
todas estas coisas somos mais do ?ue vencedores7 por a?uele ?ue nos
amou. Por?ue estou certo de ?ue nem a morte7 nem a vida7 nem os an&os7
nem os principados7 nem as potestades7 nem o presente7 nem o porvir7 nem
a altura7 nem a pro5undidade7 nem alguma outra criatura nos poder'
separar do amor de Deus7 ?ue est' em Cristo >esus7 nosso *enhorK L#m
2.4349N
- ... )7 chamando os ap8stolos e tendoos aoitado7 mandaram ?ue n!o
5alassem no nome de >esus e os dei<aram ir. #etiraramse7 pois7 da presena
do conselho7 rego%i&andose de terem sido &ulgados dignos de padecer
a5rontaDesafo para Evangelizar
pelo nome de >esusK LAt 3.O07O1N. 83
- *e o mundo vos aborrece7 sabei ?ue7 primeiro do ?ue a v8s7 me aborreceu
a mim. *e v8s 58sseis do mundo7 o mundo amaria o ?ue era seu7 mas7
por?ue n!o sois do mundo7 antes eu vos escolhi do mundo7 por isso B ?ue o
mundo vos aborreceK L>o 13.12719N.
- ...as ai6es deste tempo presente n!o s!o para comparar com a gl8ria
?ue em n8s h' de ser reveladaK L#m 2.12N.
- ...se 5a%endo o bem7 sois aigidos e o so5reis7 isso B agrad'vel a Deus...
pois tambBm Cristo padeceu por n8s...K L1 Pe ,.,07,1N.
- mas7 se padece como crist!o7 n!o se envergonheG antes7 glori(?ue a Deus
nesta parteK L1Pe O.1-N.
- ... n!o sabeis v8s ?ue a ami%ade do mundo B inimi%ade contra DeusU...K LTg
O.ON.
- se so5rermos7 tambBm com ele reinaremosG se o negamos7 tambBm ele nos
negar'K L,Tm ,.1,N.
- bemaventurados os ?ue so5rem persegui!o por causa da &ustia7 por?ue
deles B o #eino dos cBusK L+t 3.10N.
-
- VI OS QUE ENCONTRAM DIFICULDADES EM CRER
- Alega6es e te<tos ?ue as re5utam"
"& M @*/<=* B 1* 1./:
- +ostrar ?ue este 5ato n!o deve causar desespero7 pois ?uando o pecador
aceita a >esus7 seu cora!o B mudado.
- ) vos darei um cora!o novo e porei dentro de v8s um espírito novoG e
tirarei o cora!o de pedra da vossa carne e vos darei um cora!o de carneK
L)% 4-.,-N.
- ...Porei as minhas leis em seu cora!o e as escreverei em seus
entendimentos...K LRb 10.1-N.

2& ...Deus
E 0=* lhe mudou
0/1/o cora!o em outro...K L1*m 10.-79N.
-
:0*
- +ostrar ?ue somente pode sentir algo di5erente na sua vida a?uele ?ue
primeiro cr. E sentimento B conse?`ncia da decis!o de aceitar a >esus.
Suando o pecador crer7 sentir' ?ue"
,.1. "eus pecados so perdoados (At &+#'5$#
,.,. oi li-erto de tudo (*o 7#52$#
,.4. Agora é %lho de >eus L>o 1.1,G 1 >o 4.,N.
,.O. A alegria dos céus é uma realidade (*o &3#22$#
,.3. Passou da morte para a vida (*o #2'$#
,.-. Achou o caminho da vida (>t 5+#&,&$#
,.=. Jem certe?a da vida eterna (*o &+#27$#
,.2. "eu nome est< escrito nos céus (1c &+#2+$#
,.9. :asceu de novo L>o 4.473G 1Pe 1.,4N.
2#&+# Agora é uma nova criatura (26o #&$#
-
3& E 0=* ** @
- Es ?ue 5a%em esta a(rma!o7 em regra7 s!o pessoas ?ue n!o ?uerem dei<ar
o pecado. +ostrar ?ue Deus pede do pecador o abandono do pecado e a
crena na obra redentora de >esus para alcanar a salva!o.
- Como podeis v8s crer7 recebendo honra uns dos outros e n!o buscando a
honra ?ue vem s8 de DeusUK L>o 3.OON
- Dei<e o ímpio o seu caminho7 e o homem maligno7 os seus pensamentos e
se converta ao *enhor7 ?ue se compadecer' deleG torne para o nosso Deus7
por?ue grandioso B em perdoarK L/s 33.=N.
4& E 0=* : @*.* @
- +ostrar ?ue crer signi(ca aceitar a >esus como nico e su(ciente *alvador7
arrependerse7 ser convertido7 nascer de novo7 acreditar ?ue a nica
e<igncia ?ue Deus 5a% B reconhecermos ?ue )le B a verdade. ... ?uem
ouve a minha palavra e cr na?uele ?ue me enviou tem a vida eterna...K L>o
3.,ON.
- +as a todos ?uantos o receberam deulhes o poder de serem 5eitos (lhos
de Deus" aos ?ue creem no seu nomeK L>o 1&1,+&
- ... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvoK L#m 10.9N.
- ...a?uele ?ue nele cr n!o perea7 mas tenha a vida eternaK L>o 4.1-N.
- Arrependeivos7 pois7 e converteivos7 para ?ue se&am apagados os vossos
pecados...K LAt 4.19N.
- ...se n!o vos converterdes... de modo algum entrarei s no #eino dos cBusK
L+t 12.4N.
- J... a?uele ?ue n!o nascer da 'gua e do )spírito n!o pode entrar no #eino
de DeusK L>o 4.3N.
5& N=* @*0:;* 0@*0/ ( .9*/ * *@
- +ostrar ?ue somente ?uando o pecador abre todo o seu cora!o para >esus
B ?ue poder' ach'lo.
- ) buscarmeeis e me achareis ?uando me buscardes de todo o vosso
cora!oK L>r ,9.14N.
- )nt!o7 dali7 buscar's ao *enhor7 teu Deus7 e o achar's7 ?uando o buscares
de todo o teu cora!o e de toda a tua almaK LDt O.,9N.
- ... e com toda a sua vontade o buscaram7 e o acharam...K L, Cr 13.13N.
- +ostrar tambBm ?ue Deus est' @ procura de adoradores ?ue o adorem em
espírito e verdade L>o O.,47,ON7 e ?ue os busca como 5oram buscadas a
ovelha e a dracma perdidas das par'bolas narradas por >esus em Mucas
13.110.
- Portanto7 se de um lado o homem di% ?ue ?uer chegar a Deus7 de outro7
Deus ?uer chegarse tambBm a ele. +ostrar ?ue nesse caso a iniciativa
pertence ao homem LMc 13.1=,0G Tg O.2N. ... ?uem busca achaG e a ?uem
Desafo para Evangelizar
bate7 abrirselhe'K LMc 11.10N. 83

-
- VII OS QUE ALIMENTAM FALSAS ESPERANÇAS E OS QUE
CONFIAM EM SUAS O$RAS
- Alega6es e te<tos ?ue as re5utam"
"& E /<* *1* * 9.  **
- +ostrar ?ue7 embora se&a esta uma atitude ?ue todo ser humano deve ter7
n!o B levada em conta com rela!o @ salva!o da alma. *8 >esus pode
salvar.
- Todos a?ueles7 pois7 ?ue s!o das obras da lei est!o debai<o da maldi!oG
por?ue escrito est'" +aldito todo a?uele ?ue n!o permanecer em todas as
coisas ?ue est!o escritas no livro da lei7 para 5a%lasK LZl 4.10N.
- *abendo ?ue o homem n!o B &usti(cado pelas obras da lei7 mas pela 5B em
>esus Cristo7 temos tambBm crido em >esus Cristo7 para sermos &usti(cados
pela 5B de Cristo e n!o pelas obras da lei7 por?uanto pelas obras da lei
nenhuma carne ser' &usti(cadaK LZ1 ,.1-N.
- Por?ue ?ual?uer ?ue guardar toda a lei e tropear em um s8 ponto tornou
se culpado de todosK LTg ,.10N.
"& F/<* ./: 9. 1*   ./>
- +ostrar ?ue Deus n!o olha simplesmente para a aparncia do homem7 e
sim para o cora!o. Ainda ?ue 5a%er o bem se&a uma atitude louv'vel7
devemos mostrar ?ue essa alega!o n!o impede ninguBm de (car numa
posi!o delicada diante de Deus.
- ... mas Deus conhece o vosso cora!o7 por?ue o ?ue entre os homens B
elevado perante Deus B abomina!oK LMc
- 1-.13N.
- ... Deus h' de &ulgar os segredos dos homens7 por >esus Cristo...K L#m
,.1-N.
- ... o *enhor n!o v como v o homem. Pois o homem v o ?ue est' diante
dos
te<toolhos7 porBm
de Mucas o *enhor
12.91O7 olha para
re5erente a ...o uns
cora!oK L1*m 1-.=N.
?ue con(avam em Wer ainda o
si mesmos7
crendo ?ue eram &ustos...K LMc 12.9N.
2& N=* * @/1*& S* 9*. 1./:
- +ostrar o engano em ?ue incorrem ao 5a%erem essa a(rma!o e ?ue todos
os homens7 sem e<ce!o7 s!o pecadores.
- *e dissermos ?ue n!o temos pecado7 enganamonos a n8s mesmos7 e n!o
h' verdade em n8sK L1 >o 1.2N.
-
- +as todos n8s somos como o imundo7 e todas as nossas &ustias7 como
trapos de imundícia...K L/s -O.-N.
- Por?ue todos pecaram e destituídos est!o da gl8ria de DeusK L#m 4.,4N.
- E *enhor olhou desde os cBus para os (lhos dos homens7 para ver se havia
algum ?ue tivesse entendimento e buscasse a Deus. Desviaramse todos e
&untamente se (%eram imundosG n!o h' ?uem 5aa o bem7 n!o h' se?uer
umK L*/ 1O.,74N.
- a verdade7 ?ue n!o h' homem &usto sobre a terra7 ?ue 5aa o bem e
nunca pe?ueK L)c =.,0N.
- )is ?ue em ini?uidade 5ui 5ormado7 e em pecado me concebeu minha m!eK
L*/ 31.3N.
- ...!o h' um &usto7 nem um se?uer... !o h' ?uem 5aa o bem7 n!o h' nem
um s8K L#m 4.101,N.
- LWer os te<tos de Mc 3.2 e >o 2.111N.
-
- VIII OS QUE ACAM QUE DEUS H $OM DEMAIS PARA CONDENAR
- Proceder da seguinte maneira com esse grupo e utili%ar os seguintes te<tos"
"& M*/  . ( 0 /.* @*010/1*
- Suem cr nele n!o B condenadoG mas ?uem n!o cr &' est' condenado7
por?uanto n!o cr no nome do unignito Hilho de DeusK L>o 4.12N.
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna7 mas a?uele ?ue n!o cr no
Hilho n!o ver' a vida7 mas a ira de Deus sobre ele permaneceK L>o 4.4-N.
2& M*/  / 9*01/ 1 1 D 0=* 1 @>/ 0** @/1* ./
0* >?/ /* /01:.0*
- Eu despre%as tu as ri?ue%as da sua benignidade7 e pacincia7 e
longanimidade7 ignorando ?ue a benignidade de Deus te leva ao
arrependimentoUK L#m ,.ON
- !o erreis" Deus n!o se dei<a escarnecerG por?ue tudo o ?ue o homem
semear7 isso tambBm cei5ar'. Por?ue o ?ue semeia na sua carne da carne
cei5ar' a corrup!oG mas o ?ue semeia no )spírito do )spírito cei5ar' a vida
eternaK LZl -.=72N.
3& M*/  D 0=* @* 010/ * *.0 B   @* 010/. / :
..* * @/. /@:/ / C:*
- ) n!o ?uereis vir a mim para terdes vidaK L>o 3.O0N.
- ...Wivo eu7 di% o *enhor >eov'7 ?ue n!o tenho pra%er na morte do ímpio7
mas em ?ue o ímpio se converta do seu caminho e vivaG converteivos7
converteivos dos vossos maus caminhosG pois por ?ue ra%!o morrereis7 8
casa de /sraelUK L)% 44.11N
- ...se n!o crerdes ?ue eu sou7 morrereis em vossos pecadosK L>o 2.,ON.
4& M*/  * *.. @  0=*  /01
- ... se vos n!o arrependerdes7 todos de igual modo perecereisK LMc 14.4N.
- Por?ue a inclina!o da carne B morte...K L#m 2.-N.
- ... n!o ?uerendo ?ue alguns se percam7 sen!o ?ue todos venham a
arrependerseK L,Pe 4.9N.
Desafo para Evangelizar 83
- Arrependeivos7 pois7 e converteivos7 para ?ue se&am apagados os vossos
pecados7 e venham7 assim7 os tempos do re5rigBrio pela presena do
*enhorK LAt 4.19N.
5& M*/  D * 1  : 0 : *  1: K/. 1 @ 9 / (
// . />?* 1* @/1*
- Por?ue7 se Deus n!o perdoou aos an&os ?ue pecaram7 mas7 havendoos
lanado no in5erno... e n!o perdoou ao mundo antigo7 mas guardou a oB7
pregoeiro da &ustia7 com mais sete pessoas7 ao tra%er o dilvio sobre o
mundo dos ímpiosG e condenou @ subvers!o as cidades de *odoma e
Zomorra7 redu%indoas a cin%a e pondoas para e<emplo aos ?ue vivessem
impiamente... Assim7 sabe o *enhor livrar da tenta!o os piedosos e
reservar os in&ustos para o Dia de >uí%o7 para serem castigadosK L,Pe ,.O9N.
- ... ?uando se mani5estar o *enhor >esus desde o cBu7 com os an&os do seu
poder7 como labaredas de 5ogo7 tomando vingana dos ?ue n!o conhecem a
Deus e dos ?ue n!o obedecem ao evangelho de nosso *enhor >esus CristoG
os ?uais7 por castigo7 padecer!o eterna perdi!o7 ante a 5ace do *enhor e a
gl8ria do seu poderK L,Ts 1.=9N.
-
- I1 OS QUE PROCURAM SER CRENTES
- Alega6es e te<tos ?ue as re5utam"
"& E* . *</01* //  @0
- +ostrar ?ue o ?ue salva o pecador n!o B o es5orarse7 e sim a 5B em Cristo
e em sua obra redentora na cru%"
- ... Cr no *enhor >esus Cristo e ser's salvo7 tu e a tua casaK LAt 1-.41N.
- Por?ue pela graa sois salvos7 por meio da 5BG e isso n!o vem de v8sG B
dom de Deus. !o vem das obras7 para ?ue ninguBm se glorieK L)5 ,.279N.
- a?uele ?ue cr em mim tem a vida eternaK L>o -.O=N.
- ...A obra de Deus B esta" ?ue creiais na?uele ?ue ele enviouK L>o -.,9N.
- Isar neste caso o mBtodo de perguntas. >esus usou esse mBtodo em seu
trabalho L>otambBm
9.ON. Hilipe 1.42G 4.1,N7
usavae continua a utili%'lo
esse mBtodo mesmoDi%er
LAt 2.,943N. estando no cBu LAt
o seguinte @
pessoa a ?uem pretende evangeli%ar"
1.1. :Gs somos salvos no por experimentar, mas por crer
- ... para ?ue todo a?uele ?ue nele cr n!o perea7 mas tenha a vida eternaK
L>o 4.1-N.
- ... se7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvoK L#m 10.9N.
1.,. "omente 6risto é o "alvador
- )u sou a portaG se alguBm entrar por mim7 salvarse'...K L>o 10.9N.
- ... )u sou o caminho7 e a verdade7 e a vida. inguBm vem ao Pai sen!o por
mimK L>o 1O.-N.
- ) em nenhum outro h' salva!o7 por?ue tambBm debai<o do cBu nenhum
outro nome h'7 dado entre os homens7 pelo ?ual devamos ser salvosK LAt
O.1,N.
2& E* /01* * .>*  **
- +ostrar ?ue a salva!o n!o depende de obras e sim da graa de Deus. A
melhor coisa ?ue o homem pode 5a%er B crer em >esus para ter a vida
eterna.
- *abendo ?ue o homem n!o B &usti(cado pelas obras da lei7 mas pela 5B em
>esus Cristo7 temos tambBm crido em >esus Cristo7 para sermos &usti(cados
pela 5B de Cristo e n!o pelas obras da lei...K LZl ,.1-N.
- Por?ue ?ual?uer ?ue guardar toda a lei e tropear em um s8 ponto tornou
se culpado de todosK LTg ,.10N.
- ...se vos n!o arrependerdes7 todos de igual modo perecereisK LMc 14.473N.
- eu n!o vim chamar os &ustos7 mas sim os pecadoresK L+c ,.1=N.
- ...se a vossa &ustia n!o e<ceder a dos escribas e 5ariseus7 de modo
nenhum entrareis no #eino dos cBusK L+t 3.,0N.
- sendo &usti(cados gratuitamente pela sua graa7 pela reden!o ?ue h' em
Cristo >esusK L#m 4.,ON.
3& E * =* 9*. @*.* />  ?=*  :;/
- Para esse grupo7 mostrar os seguintes aspectos do plano de Deus para a
salva!o do homem"
4.1. A salvaço é um dom rece-ido pela )é
- ... o dom gratuito de Deus B a vida eterna7 por Cristo >esus7 nosso *enhorK
L#m -.,4N.
4.,. A vida eterna est< somente em *esus
- Deus nos deu a vida eternaG e esta vida est' em seu Hilho. Suem tem o
Hilho tem a vidaG ?uem n!o tem o Hilho de Deus n!o tem a vidaK L1 >o
3.1171,N.
- ) vos vivi(cou7 estando v8s mortos em o5ensas e pecadosK L)5 ,.1N.
4.4. As -oas o-ras no salvam
- *abendo ?ue o homem n!o B &usti(cado pelas obras da lei7 mas pela 5B em
>esus Cristo7 temos tambBm crido em >esus Cristo7 para sermos &usti(cados
pela 5B de Cristo e n!o pelas obras da lei...K LZl ,.1-N.
- +as todos n8s somos como o imundo7 e todas as nossas &ustias como o
trapo da imundícia...K L/s -O.-N.
- n!o pelas obras de &ustia ?ue houvBssemos 5eito7 mas7 segundo a sua
miseric8rdia7 nos salvou...K LTt 4.3N.
4.O. ! homem é pecador
- Por?ue todos pecaram e destituídos est!o da gl8ria de DeusK L#m 4.,4N.
- como est' escrito" !o h' um &usto7 nem um se?uer. !o h' ninguBm ?ue
entendaG n!o h' ninguBm ?ue bus?ue a DeusK L#m 4.10711N.
- *e dissermos ?ue n!o temos pecado7 enganamonos a n8s mesmos7 e n!o
h' verdade em n8sK L1 >o 1.2N.
4& N=* :.* /para
Desafo 0*Evangelizar
 @:* 83
- +ostrar os seguintes aspectos para este grupo"
O.1. ! ser humano )a? concepções erradas com relaço 0 salvaçoB C<
caminho que parece direito ao homem, mas o seu
- (m s!o os caminhos da morteK LPv 1-.,3N.
O.,. E necess<rio que o homem creia con)orme ensinam os preceitos
-/-licos
- Suem cr em mim7 como di% a )scritura7 rios de 'gua viva correr!o do seu
ventreK L>o =.42N.
O.4. Para ser salvo e necess<rio crer em *esus
- ...todos os ?ue nele crem receber!o o perd!o dos pecados pelo seu nomeK
LAt 10.O4N.
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna...K L>o 4.4-N.
O.O. !s que no cr8em em *esus sero condenados
- Suem cr nele n!o B condenadoG mas ?uem n!o cr &' est' condenado7
por?uanto n!o cr no nome do unignito Hilho de DeusK L>o 4.12N.
- ...se n!o crerdes ?ue eu sou7 morrereis em vossos pecadosK L>o 2.,ON.

-
- 1 OS QUE SENTEM QUE SÃO SALVOS
- Alega!o e te<tos ?ue a re5utam"
"& S:0*. />?*
- R' caminho ?ue ao homem parece direito7 mas o (m dele s!o os caminhos
da morteK LPv 1O.1,N.
- )nganoso B o cora!o7 mais do ?ue todas as coisas7 e perversoG ?uem o
conhecer'UK L>r 1=.9N
- Era7 sem 5B B impossível agradarlhe7 por?ue B necess'rio ?ue a?uele ?ue
se apro<ima de Deus creia ?ue ele e<iste...K LRb 11.-N.
- +ostrar ?ue a certe%a da salva!o B para a?ueles ?ue aceitaram a >esus
como *alvador.
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna...K L>o 4.4-N.
- Portanto7 agora7 nenhuma condena!o h' para os ?ue est!o em Cristo
>esus...K L#m 2.1N.
- ...se alguBm est' em Cristo7 nova criatura B...K L,Co 3.1=N.
- ... se7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvoK L#m 10.9N.
- LWer ainda a Par'bola do Hariseu e do Publicano em Mc 12.91O.N
-
- 1I OS QUE ACAM QUE DE QUALQUER MANEIRA SERÃO SALVOS
- +ostrar ?ue n!o B de ?ual?uer maneira ?ue o homem ser' salvo. R'
re?uisitos a serem preenchidos"
- !o sabeis ?ue os in&ustos n!o h!o de herdar o #eino de DeusUK L1Co -.9N
- *e sabeis ?ue ele B &usto7 sabeis ?ue todo a?uele ?ue pratica a &ustia B
nascido deleK L1 >o ,.,9N.

- Suem
DeusUK BL1?ue vence o mundo7 sen!o a?uele ?ue cr ?ue >esus B o Hilho de
>o 3.3N
- As alega6es desse grupo e os te<tos ?ue as re5utam"
"& E 0* / .:0/ >:;:=*  * 9. @*. >/
- +ostrar as características de um crist!o verdadeiro LAt ,-.,3,9N7 ou se&a7
uma pessoa ?ue"
1.1. Achou o caminho da vida LDt 40.13719G /s 40.,1G 34.-N.
1.,. Estava nu espiritualmente e )oi vestida com a 9ustiça de 6risto (Nn
5#2&I Ks 3+#&+I 1c 7#2.5$#
1.4. Estava nas trevas espiritualmente, mas agora veio para a lu? (6l
&#&5I &Pe 2#$#
1.O. Passou da morte espiritual para a vida (1c &#52I E) 2#&.$#
1.3. Jem a certe?a da vida eternaL>o 3.,OG 1,.,O7,3G 10.,2G 1=.,N.
- 1.- >' tem o nome escrito no livro da vida L[< 4,.4,G Mc 10.,0G Ap ,0.13G

,1.,=N.
1.=. :asceu de novo L>o 4.473G #m -.OG 1Pe 1.,4N.
1.2. oi li-erto de tudo através de *esus (*o 7#5&,52$B
- dos vícios" bebidas7 cigarros7 t8<icos LDn -.ONG
- do medo" morte7 eternidade7 &uí%o LRb ,.1OG 1 >o O.12NG
1.9. Das vaidades" L1Co 11.31-G 1Tm ,.9710G 1Pe 4.47ON. Jem a direço de
>eus em tudo (;m 7#&'$
- !o B dirigido por hor8scopo L+? ,.3N7 conselho de ímpios L*/ 1.1N ou por
seu pr8prio cora!o L>r 1=.9N7 mas pela Palavra de Deus L*/ 119.103N7 pela
ora!o L>r 41.9N7 pelo )spírito *anto L#m 2.1ON7 pelo ministBrio constituído
pelo *enhor L)5 O.111ON7 por sonhos L+t ,.1,714719N e por vis6es LAt
12.9710N.
1.10. :o é atingido por nenhuma o-ra malignaB

- Praga7
91.10N. 5eitiaria7 mausolhados7 assombra6es L[< 2.,1,4G m ,,.1,G */
1.11. Passou de criatura de >eus a %lho de >eus (Mc &3#&I *o &#&2I & *o
5#&,2$#
2& E 0=*  @:* /@:/ / ( 
- +ostrar ?ue sem essa decis!o o homem n!o poder' ser salvo.
- e acontecer' ?ue todo a?uele ?ue invocar o nome do *enhor ser' salvoK
LAt ,.,1N.
- Portanto7 ?ual?uer ?ue me con5essar diante dos homens7 eu o con5essarei
diante de meu Pai7 ?ue est' nos cBus...K L+t
- 10.4,744N.
- ... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
Desafo para Evangelizar 83
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvo...K L#m 10.9710N.
- +as a todos ?uantos o receberam deulhes o poder de serem 5eitos (lhos
de Deus" aos ?ue crem no seu nomeK L>o 1.1,N.
3& N=* @:* :  :;/

- +ostrar ?ue a igre&a


manter comunh!o unsBcom
ondeososoutros.
salvos se renem para cultuar a Deus e
- ) perseveravam na doutrina dos ap8stolos7 e na comunh!o7 e no partir do
p!o7 e nas ora6esK LAt ,.O,N.
- )7 perseverando unFnimes todos os dias no templo...K LAt ,.O-N.
- n!o dei<ando a nossa congrega!o7 como B costume de alguns...K LRb
10.,3N.
- Alegreime ?uando me disseram" Wamos @ Casa do *enhorK L*/ 1,,.1N
- LWer ainda o te<to de , Cr =.1371-G 1 >o 1.4.N
4& E * ..9* 1 ./ : ;/
O.1. Mostrar que isso no é garantia de vida eterna se no houver )rutos
da salvaço
- Con5essam ?ue conhecem a Deus7 mas negamno com as obras...K LTt
1.1-N.
- J... ?ue aproveita se alguBm disser ?ue tem 5B e n!o tiver as obrasU
Porventura7 a 5B pode salv'loUK LTg ,.1ON
- ...a?uele ?ue n!o nascer de novo n!o pode ver o #eino de DeusK L>o 4.4N.
- *egui a pa% com todos e a santi(ca!o7 sem a ?ual ninguBm ver' o
*enhorK LRb 1,.1ON.
O.,. Mostrar que a salvaço é pela graça de >eus
- Por?ue pela graa sois salvos7 por meio da 5BG e isso n!o vem de v8sG B
dom de Deus. !o vem das obras7 para ?ue ninguBm se glorieK L)5 ,.279N.
- LWer ainda os te<tos" +t 10.4,G 12.4G Mc 1O.11G ,Tm 1.9G 1 >o 4.,1.N
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

-
-
-
-
-
-

- "4 OUTROS TIPOS DE PESSOAS


Desafo para Evangelizar 83
-
- OS QUE DUVIDAM
"& A*  1?:1 /. * 1@*0 @. / @*:/ :: /: .*/
 / @/ 1/ ?:1/ 0/ B ./ />:1/1 0 // * 

-
@. . (
)stas coisas vos escrevi7 para ?ue saibais ?ue tendes a vida eterna e para
?ue creiais no nome do Hilho de DeusK L1 >o
- 3.14N.
- ... ?uem ouve a minha palavra e cr na?uele ?ue me enviou tem a vida
eterna e n!o entrar' em condena!o7 mas passou da morte para a vidaK L>o
3.,ON.
- A?uele ?ue cr no Hilho tem a vida eterna...K L>o 4.4-N.
- +as a todos ?uantos o receberam deulhes o poder de serem 5eitos (lhos
de Deus" aos ?ue crem no seu nomeK L>o
- '$'%0$
- ... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvo...K L#m 10.9710N.
- Portanto7 ?ual?uer ?ue me con5essar diante dos homens7 eu o con5essarei
diante de meu Pai7 ?ue est' nos cBus...K L+t
- 10.4,744N.
- ?ue nos salvou e chamou com uma santa voca!o...K L, Tm 1.9N.
2& O  1?:1/. * @// 1* @/1*
- +ostrar ?ue ?uando o pecador con5essa e dei<a o seu pecado recebe o
perd!o de Deus.
- E ?ue encobre as suas transgress6es nunca prosperar'G mas o ?ue as
con5essa e dei<a alcanar' miseric8rdiaK LPv ,2.14N.
- Dei<e o ímpio o seu caminho7 e o homem maligno7 os seus pensamentos e
se converta ao *enhor7 ?ue se compadecer' deleG torne para o nosso Deus7
por?ue grandioso B em perdoarK L/s 33.=N.
- ... Con5esseite o meu pecado e a minha maldade n!o encobriG di%ia eu"
Con5essarei ao *enhor as minhas transgress6esG e tu perdoaste a maldade
do meu pecadoK L*/ 4,.13N.
3& O  1?:1/.  * @0 * /. ./0@  *
- +ostrar ?ue"
5#&#! homem por si nada pode )a?er
- ...E homem n!o pode receber coisa alguma7 se lhe n!o 5or dada do cBuK L>o
4.,=N.
- ... sem mim nada podereis 5a%erK L>o 13.3N.
5#2# ! "enhor é capa? de nos guardar do mal
- C### B poderoso para guardar o meu dep8sito atB @?uele DiaK L,Tm 1.1,N.
- ... mediante a 5B7 estais guardado s na virtude de Deus7 para a salva!o...K
L1Pe 1.3N.
- ... @?uele ?ue B poderoso para vos guardar de tropear e apresentarvos
irrepreensíveis7 com alegria7 perante a sua gl8riaK L>d ,ON.
5#5# Para ser guardado é necess<rio que ha9a )é
- ... mediante a 5B7 estais guardados...K L1Pe 1.3N.
- Como guardaste a palavra da minha pacincia7 tambBm eu te guardarei da
hora da tenta!o ?ue h' de vir sobre todo o mundo7 para tentar os ?ue
habitam na terraK LAp 4.10N.
4& O  1?:1/. 1/ K:0@:/ 1 D
- +ostrar as evidncias ?ue provam a sua e<istncia"
O.1. < um sG >eus
- todavia7 para n8s h' um s8 Deus7 o Pai7 de ?uem B tudo e para ?uem n8s
vivemosG e um s8 *enhor7 >esus Cristo7 pelo ?ual s!o todas as coisas7 e n8s
por eleK L1 Co 2.-N.
O.,. Pela crença universal em um ser supremo (At &#25.2$#
O.4. Pela consci8ncia humana
- ... testi(cando &untamente a sua conscincia e os seus pensamentos ?uer

Pela criaço
O.O.acusandoos7 ?uer de5endendoosK L#m ,.1O713N.
- Es cBus mani5estam a gl8ria de Deus e o (rmamento anuncia a obra das
suas m!os...K L*/ 19.1N.
- o princípio7 criou Deus os cBus e a terraK LZn 1.1N.
- por?uanto o ?ue de Deus se pode conhecer neles se mani5esta7 por?ue
Deus lho mani5estou. Por?ue as suas coisas invisíveis... se veem pelas
coisas ?ue est!o criadas...K L#m 1.19,,N.
O.3. Pela sua revelaço O a 4/-lia
- J... 5alou Deus todas estas palavras...K L[< ,0.1N.
O.-. Pela pessoa de *esus 6risto, seu ilho
- o ?ual B imagem do Deus invisível...K LCl 1.13N.
- E ?ual7 sendo o resplendor da sua gl8ria7 e a e<pressa imagem da sua
pessoa...K LRb 1.4N.
- Deus nunca 5oi visto por alguBm. E Hilho unignito7 ?ue est' no seio do
Pai7 este o 5e% conhecerK L>o 1.12N.
O.=. Pela experi8ncia pessoal da salvaço
- ?ue7 na?uele tempo7 est'veis sem Cristo... e sem Deus no mundo. +as7
agora7 em Cristo >esus7 v8s7 ?ue antes est'veis longe7 &' pelo sangue de
Cristo chegastes pertoK L)5 ,.1,714N.
- ... Deus enviou aos nossos cora6es o )spírito de seu Hilho7 ?ue clama"
Aba7 PaiK LZl O.-N.
- ... Pai nosso7 ?ue est's nos cBus...K L+t -.9N.
O.2. Pelo a-surdoB um desenho sem que ha9a um desenhista, um relGgio
semDesafo
relo9oeiro, uma criaço sem o criador#
para Evangelizar 83
O.9. Pelos argumentos histGricos# A revelaço da exist8ncia de >eus pelos
)atos histGricos
- +as Deus B o &ui%G a um abate e a outro e<altaK L*/ =3.=N.
- ... ele remove os reis e estabelece os reis...K LDn ,.,1N.
- ...atB ?ue conheceu ?ue Deus7 o Altíssimo7 tem domínio sobre os reinos dos
homens e a ?uem ?uer constitui sobre elesK LDn 3.,1N.
O.10. Pelos seus milagres
- E Dilvio LZn =.1=,ONG a con5us!o das línguas LZn 11.-9NG
- a destrui!o de *odoma e Zomorra LZn 19.,O7,3NG os milagres de +oisBs no
)gito L[< 10.17,G 11.10G 1,.40741NG o nascimento virginal de Cristo L+t 1.,0
,3NG as multiplica6es de p!es L>o -.1014NG a ressurrei!o de M'%aro L>o
11.42OONG a ressurrei!o de Cristo L>o ,0.12N.
5& O  1?:1/.  / $9>:/ / P/>/?/ 1 D
- +ostrar algumas provas da inspira!o divina da íblia"
3.1. Muitas ve?es *esus citou )atos ocorridos no Antigo Jestamento A
criaço de Ado e Eva (Mt &#&.3$I o >il=vio (Mt
- ,O.4=49NG o pro5eta >onas L+t 1,.O0NG M8 e sua esposa LMc 1=.,27,9NG o
pro5eta Daniel L+t ,O.13NG Davi7 o reipro5eta L+c 1,.4-N. Algumas ve%es7
>esus perguntou a seus ouvintes se eles n!o conheciam as )scrituras L+t
,1.O,G ,,.,941N.
3.,. !s apGstolos tam-ém mencionavam as EscriturasB
- Pedro LAt 1.1-G ,.1-,1G 1Pe 1.10711NG
- Paulo L,Tm 4.1371-N.
3.4. Existem aproximadamente &+ citações do Antigo Jestamento no
:ovo
3.O. 6umprimento das pro)ecias# Entre muitas, citamosB
- nascimento virginal de >esus L/s =.1OG +t 1.,4NG
- nascimento na cidade de elBm L+? 3.,G +t ,.1-NG
- a mortandade de crianas L>r 41.13G +t ,.1=712NG
- a trai!o de >udas L*/ O1.9G +t ,-.O=O9NG
- a morte de >esus L/s 34.11,G +t ,=.4,3-NG
- a ressurrei!o de >esus LEs -.,G +t 1-.,1G ,2.-10NG
- a descida do )spírito *anto L>l ,.,27,9G At ,.1-71=N.
- 3.3. Palavras do "enhor *esus L>o 4.4OG =.1-G 1,.O9730G 14.,0G 1O.,-G 1=.2N.
- Eutras ra%6es ?ue provam ser a íblia a Palavra de Deus"
- superioridade sobre os demais livros L-est.sellerNG
- seu contedo e sua inuncia nos demais livrosG
- indestrutibilidade  as persegui6es de nada adiantaramG
- sua atualidade constante  sempre novaG
- o poder nela contido para salva!o L#m 1.1-G Rb O.1,NG
- a nossa e<perincia L*/ 119.911G Pv -.,47,OG >o 13.4NG
- a íblia n!o contBm contradi6esG
- a con(rma!o da ar?ueologiaG
- muitas de suas a(rma6es tm sido cienti(camente provadasG
- cumprimento atual das pro5eciasG
- a íblia B o livro ?ue abrange eternidade a eternidadeG
- a íblia B in5alível em suas promessas.
- LWer ainda os seguintes te<tos" +t 3.12G ,O.43G +c 1-.1371-G Mc ,O.OOG 1 Co
1.12G , Co O.4-G Rb 10.,27,9N.
6& O  1?:1/. 1/ ?:1/ /
- +ostrar a e<istncia de uma vida 5utura ap8s a morte e ?ue somente em
vida B ?ue o homem decide ?ual ser' seu 5uturo" salvo ou perdido para
sempre. Halar sobre"
-.1. E céu
- a casa de meu Pai h' muitas moradas...K L>o 1O.,74N.
- ...Deus n!o se envergonha deles7 de se chamar seu Deus7 por?ue &' lhes
preparou uma cidadeK LRb 11.1-N.
- Por?ue n!o temos a?ui cidade permanente7 mas buscamos a 5uturaK LRb
14.1ON.
- Por?ue esperava a cidade ?ue tem 5undamentos7 da ?ual o artí(ce e
construtor B DeusK LRb 11.10N.
- ) eu7 >o!o7 vi a *anta Cidade7 a nova >erusalBm7 ?ue de Deus descia do
cBu...K LAp ,1.,N.
- temos de Deus um edi5ício7 uma casa n!o 5eita por m!os7 eterna7 nos cBusK
L,Co 3.1N.
- ...As coisas ?ue o olho n!o viu7 e o ouvido n!o ouviu7 e n!o subiram ao
cora!o do homem s!o as ?ue Deus preparou para os ?ue o amamK L1Co
,.9N.
- LWer ainda os te<tos" */ ,4.-G +t -.,1G ,Co 3.2G ,Pe 4.14G Ap 4.1,G 3.14G
=.1-71=.N
-.1. ! in)erno
- ) lugar de"
-.,.1. Castigo
- ) ir!o estes para o tormento eterno...K L+t ,3.O-N.
- ...Como escapareis da condena!o do in5ernoUK L+t ,4.44N
- Es ímpios ser!o lanados no in5erno...K L*/ 9.1=N.
- ...temei7 antes7 a?uele ?ue pode 5a%er perecer no in5erno a alma e o corpoK
L+t 10.,2N.
Desafo para Evangelizar 83
-.,.,. Trevas e<teriores
- ... lanaio nas trevas e<terioresG ali7 haver' pranto e ranger de dentesK
L+t ,,.14N.
- Manai7 pois7 o servo intil nas trevas e<teriores...K L+t ,3.40N.

-.,.4. *o5rimento
- ... ser' rBu do 5ogo do in5ernoK L+t 3.,,N.
- ... B melhor ?ue se perca um dos teus membros do ?ue todo o teu corpo
se&a lanado no in5ernoK L+t 3.,9740N.
- ... melhor te B entrar na vida co<o ou alei&ado do ?ue7 tendo duas m!os ou
dois pBs7 seres lanado no 5ogo eternoK L+t 12.2N.
- ... ser' atormentado com 5ogo e en<o5re... os ?ue adoram a besta e a sua
imagem e a?uele ?ue receber o sinal do seu nomeK LAp 1O.10711N.
-.,.O. Castigo eterno
- ...Apartaivos de mim7 malditos7 para o 5ogo eterno7 preparado para o
diabo e seus an&osK L+t ,3.O1N.
- ) ir!o estes para o tormento eterno...K L+t ,3.O-N.

- Sual?uer7 porBm7 ?ue blas5emar contra o )spírito *anto7 nunca obter'


perd!o7 mas ser' rBu do eterno &uí%oK L+c 4.,9N.
- LWer ainda os te<tos" Pv 13.,OG +t 11.,4G Mc 1-.,-G ,Pe ,.O14G Ap ,1.2.N
-.4. A vida na eternidade é to real como a vida aqui na terra
- Com a morte7 n!o termina tudoG antes7 comea a eternidade com Deus ou
sem )le.
- )7 como aos homens est' ordenado morrerem uma ve%7 vindo7 depois
disso7 o &uí%oK LRb 9.,=N.
- ...) aconteceu ?ue o mendigo morreu e 5oi levado pelos an&os para o seio
de Abra!oG e morreu tambBm o rico e 5oi sepultado. )7 no Rades7 ergueu os
olhos7 estando em tormentos7 e viu ao longe Abra!o e M'%aro7 no seu seio...K
LMc 1-.19,-N.
- e o p8 volte @ terra7 como o era7 e o espírito volte a Deus7 ?ue o deuK L)c
1,.=N.
- ...vi debai<o do altar as almas dos ?ue 5oram mortos por amor da palavra
de Deus e por amor do testemunho ?ue deram. ) clamavam com grande
vo%...K LAp -.911N.
-.O. Alguns aspectos relacionados com a eternidade invis/velB
-.O.1. Suando o homem morre7 seu espírito e sua alma entram na
eternidade LTg ,.,-NG o corpo volta ao p8 L)c 1,.=NG
-.O.,. E espírito e a al ma do homem (car!o aguardando a ressurrei!o do
corpo7 no lugar correspondente @ rela!o ?ue tinha com Deus na sua vida
terrestre7 ou se&a"
-  o espírito dos crentes ir' para o Paraíso Lno Antigo Testame nto chamado
seio de Abra!oK  Mc 1-.,-N7 para estar com o *enhor LMc ,4.O4G ,Co 3.2NG
-  o espírito dos n!ocrentes ir' para o Rades7 ?ue B um lugar de tormento e
angstia7 para ali aguardar a ressurrei!o e o &ulgamento LMc 1-.1941N.
-.O.4. Todos os salvos e perdidos h!o de ressuscitar L1Co 13.3,N. A
ressurrei!o ser' em duas etapas7 isto B7 primeiro a dos crentes e depois a
dos n!ocrentes LDn 1,.,G >o 3.,2G At
- ,O.13N.
- a ressurrei!o dos crentes ser' na vinda de >esus7 ?uando ... os ?ue
morreram em Cristo ressuscitar!o primeiroK L1 Ts
- O.1-71=N.
- o mesmo instante7 os ?ue estiverem vivos ser!o trans5ormados e
arrebatados por )le7 e ir!o encontr'lo nas nuvensG
- a ressurrei!o dos descrentes ser' ap8s o +ilnio7 ?uando todos os
mortos7 desde Caim7 ressuscitar!o com corpos imortais7 mas n!o
glori(cados7 para aparecerem no >uí%o Hinal7 diante do trono branco L+t
1,.O1G At 1=.41G Ap ,0.1113N.
7& O  0=* . @/ 1/ />?/<=*
- +ostrar ?ue ao aceitar a >esus como *alvador o homem passa a ter certe%a

da salva!o. Isar os te<tos"


- )stas coisas vos escrevi7 para ?ue saibais ?ue tendes a vida eterna...K L1 >o
3.14N.
- 8s sabemos ?ue passamos da morte para a vida...K L1 >o
- 4.1ON.
- ...todos os ?ue nele creem receber!o o perd!o dos pecados pelo seu nomeK
LAt 10.O4N.
- ...por ele B &usti(cado todo a?uele ?ue cr...K LAt 14.49N.
- ... ?uem ouve a minha palavra e cr na?uele ?ue me enviou tem a vida
eterna7 e n!o entrar' em condena!o7 mas passou da morte para a vidaK L>o
3.,ON.
- ... a?uele ?ue cr em mim tem a vida eternaK L>o -.O=N.
- ... eu sei em ?uem tenho crido e estou certo de ?ue B poderoso para
guardar o meu dep8sito atB @?uele DiaK L,Tm 1.1,N.
- Des5ao as tuas transgress6es como a nBvoa7 e os teus pecados7 como a
nuvem...K L/s OO.,,N.
- )u7 eu mesmo7 sou o ?ue apaga as tuas transgress6es por amor de mim e
dos teus pecados me n!o lembroK L/s O4.,3N. LWer ainda os te<tos" #m 2.1
1-G ,Co 3.1=.N
8& O  1?:1/. 1/ 1:?:01/1 1 C:*
- +ostrar os seguintes aspectos ?ue provam a divindade do Hilho de Deus"
2.1. Ele é >eus L/s 9.-G Rb 1.2G 1 >o 3.,0N.
2.,. Ele é Eterno L/s 9.-G >o 1.1G Cl 1.1=N.
2.4. Ele é !nipresente L+t 12.,0G ,2.,0G ,Co 14.ON.
2.O. Ele é !nisciente L+c ,.2G >o ,.,OG O.1-19G -.-OG Cl ,.4N.
Desafo para Evangelizar
2.3. Ele é !nipotente L+t ,2.12G 1Tm -.1O713N. 83
2.-. Ele é Kmut<vel LRb 14.2G 1.1,N.
2.=. >eve ser adorado L+t ,2.971=G Mc ,O.3,G Rb 1.-N.
2.2. Ele )oi chamado de >eusB
- pelos an&os L+t 1.,4G Mc 1.43NG
- pelos ap8stolos" Pedro L+t 1-.1-NG Paulo L#m 9.3NG *oo L>o 14ONG
- por )le pr8prio L>o 1.12G 1,.O3G 1O.9G Ap ,,.14N.
- II OS INCRHDULOS
- Es incrBdulos podem ser divididos em dois grandes grupos" os %ombadores
e os ?ue s!o sinceros.
"& O *.9/1*
- Caracteri%amse por %ombarem das coisas de Deus.
- A esse grupo devemos mostrar os seguintes te<tos"
- Por?ue a palavra da cru% B loucura para os ?ue perecemG mas para n8s7
?ue somos salvos7 B o poder de DeusK L1Co 1.12N.
- Era7 o homem natural n!o compreende as coisas do )spírito de Deus7
por?ue lhe parecem loucuraG e n!o pode entendlas7 por?ue elas se
discernem espiritualmenteK L1Co ,.1ON.
- Disseram os nBscios no seu cora!o" !o h' Deus...K L*/ 1O.1N.
- Por causa do seu orgulho7 o ímpio n!o investigaG todas as suas cogita6es
s!o" !o h' DeusK L*/ 10.ON.
- LWer ainda" >o 3.OOG ,Ts 1.=72G ,.101,.N
2& O  =* :0@*
- *!o pessoas sinceras7 mas ?ue se encontram cegas pela incredulidade.
+ostrar os te<tos"
- *e alguBm ?uiser 5a%er a vontade dele7 pela mesma doutrina7 conhecer' se
ela B de Deus ou se eu 5alo de mim mesmoK L>o =.1=N.
- E segredo do *enhor B para os ?ue o temem...K L*/ ,3.1ON. J... se creres7

ver's a gl8ria de DeusK L>o 11.O0N.


- J... n8s temos crido e conhecido ?ue tu Bs o Cristo7 o Hilho de DeusK L>o
-.-9N.
- ...*e n!o ouvem a +oisBs e aos Pro5etas7 tampouco acreditar!o7 ainda ?ue
algum dos mortos ressusciteK LMc 1-.41N.
- Era7 o homem natural n!o compreende as coisas do )spírito de Deus7
por?ue lhe parecem loucuraG e n!o pode entendlas7 por?ue elas se
discernem espiritualmenteK L1Co ,.1ON.
- ) a condena!o B esta" Sue a lu% veio ao mundo7 e os homens amaram
mais as trevas do ?ue a lu%7 por?ue as suas obras eram m'sK L>o 4.197,0N.
- LWer ainda" >o -.O0G =.1=G ,0.,O,9741G At ,-.9,0G 1Co 14.1171,.N
-
- III OS QUE SE QUEIXAM
- Constituemse em diversos grupos. We&amos"
- '$ O   :K/. 1 D
- *!o a?ueles ?ue acham ?ue Deus B in&usto e cruel. +ostrar os te<tos"
- +as7 8 homem7 ?uem Bs tu7 ?ue a Deus rBplicasU Porventura7 a coisa
5ormada dir' ao ?ue a 5ormou" Por ?ue me (%este assimU...K L#m 9.,07,1N.
- Porventura7 o contender contra o Todopoderoso B ensinarUK L>8 O0.,N
- ...Wivo eu7 di% o *enhor >eov'7 ?ue n!o tenho pra%er na morte do ímpio7
mas em ?ue o ímpio se converta do seu caminho e vivaG converteivos7
converteivos dos vossos maus caminhosG pois por ?ue ra%!o morrereis7 8
casa de /sraelUK L)% 44.11N
- Por?ue os meus pensamentos n!o s!o os vossos pensamentos7 nem os
vossos caminhos7 os meus caminhos7 di% o *enhor...K L/s 33.210N.
- Por?ue isto B bom e agrad'vel diante de Deus7 nosso *alvador7 ?ue ?uer
?ue todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdadeK

-
L1Tm
) n!o,.47ON.
?uereis vir a mim para terdes vidaK L>o 3.O0N.
- ... Su!o insond'veis s!o os seus &uí%os7 e ?u!o inescrut'veis7 os seus
caminhos Por?ue ?uem compreendeu o intento do *enhorU Eu ?uem 5oi
seu conselheiroUK L#m
- 11.4474ON
- LWer ainda os te<tos" +t ,,.,9G ,4.4=G Rb 1,.37=710711.N
"& O    :K/. 1/ $ 9>:/
- A(rmam ?ue a íblia tem contradi6es7 ?ue n!o B a Palavra de Deus7 ?ue B
como ?ual?uer outro livro7 etc. #egra geral7 s!o pessoas ?ue pouco ou nada
conhecem da íblia. +ostrar os te<tos"
- Era7 o homem natural n!o compreende as coisas do )spírito de Deus7
por?ue lhe parecem loucuraG e n!o pode entendlas7 por?ue elas se
discernem espiritualmenteK L1Co ,.1ON.
- Por?ue a palavra da cru% B loucura para os ?ue perecemG mas para n8s7
?ue somos salvos7 B o poder de DeusK L1Co 1.12N.
- ... o deus deste sBculo cegou os entendimentos dos incrBdulos7 para ?ue
n!o lhes resplandea a lu% do evangelho da gl8ria de Cristo7 ?ue B a
imagem de DeusK L,Co O.ON.
- E segredo do *enhor B para os ?ue o temem...K L*/ ,3.1ON. ... nenhum dos
ímpios entender'7 mas os s'bios entender!oK LDn 1,.10N.
- *e alguBm ?uiser 5a%er a vontade dele7 pela mesma doutrina7 conhecer' se
ela B de Deus ou se eu 5alo de mim mesmoK L>o =.1=N.
- por?ue a pro5ecia nunca 5oi produ%ida por vontade de homem algum7 mas
os homens santos de Deus 5alaram inspirados pelo )spírito *antoK L,Pe
1.,1N. Desafo para Evangelizar 83
- ... ocultaste estas coisas aos s'bios e instruídos e as revelaste aos
pe?ueninosK L+t 11.O4N.
- LWer ainda os te<tos" >o 4.12G 2.,1,OG 1-.279G #m 11.4474OG ,Ts 1.=72G Rb
,.4G Ap ,0.13.N
- 3& O   :K/. 1* >/0* 1/ />?/<=*
- A(rmam ?ue Deus poderia prover um outro meio ?ue n!o 5osse o da morte
de >esus na cru%.
- A esse grupo7 mostrar os seguintes te<tos"
- Por?ue os meus pensamentos n!o s!o os vossos pensamentos7 nem os
vossos caminhos7 os meus caminhos7 di% o *enhor...K L/s 33.210N.
- +as7 8 homem7 ?uem Bs tu ?ue a Deus rBplicasU Porventura a coisa
5ormada diria ao ?ue a 5ormou" Por ?ue me (%este assimUK L#m 9.,0N
- Su!o insond'veis s!o os seus &uí%os7 e ?u!o inescrut'veis7 os seus
caminhos Por?ue ?uem compreendeu o intento do *enhorU Eu ?uem 5oi
seu conselheiroUK L#m 11.4474ON
4& O   :K/. 1* @0 1:01*  .:* :@:/ 0/
:;/
- Proceder da seguinte maneira"
O.1. Para os que se queixam de algum crente, mostrar a responsa-ilidade
do homem perante >eus, independentemente do comportamento de
alguém da igre9a# Esse comportamento ser< 9ulgado por >eus#
- Portanto7 Bs inescus'vel ?uando &ulgas7 8 homem7 ?uem ?uer ?ue se&as7
por?ue te condenas a ti mesmo na?uilo em ?ue &ulgas a outroG pois tu7 ?ue
&ulgas7 5a%es o mesmoK L#m ,.1N.
- !o &ulgueis7 para ?ue n!o se&ais &ulgados... ) por ?ue reparas tu no
argueiro ?ue est' no olho do teu irm!o e n!o vs a trave ?ue est' no teu
olhoU...K L+t =.13N.
- LWer ainda >o ,1.,17,,.N
O.,. Mostrar que, em-ora tenha so)rido algum dano por alguém CcrenteF,
isto no)e?
no lhe pode ser motivo de desculpa para no se chegar a >eus, que
mal#
- Isar os te<tos"
- Assim di% o *enhor" Sue in&ustia acharam vossos pais em mim7 para se
a5astarem de mim7 indo ap8s a vaidade7 e tornandose levianosUK L>r ,.3N
- +as ele 5oi 5erido pelas nossas transgress6es e moído pelas nossas
ini?uidadesG o castigo ?ue nos tra% a pa% estava sobre ele7 e7 pelas suas
pisaduras7 5omos saradosK L/s 34.-N.
- +as Deus prova o seu amor para conosco em ?ue Cristo morreu por n8s7
sendo n8s ainda pecadoresK L#m 3.2N.
,.1. Admitir que h< alguns que no esto verdadeiramente convertidos
(Mt &7#5I 1c 22#52I *o &5#&+I At &&#2&$#
,.,. Prosseguir distinguindo cristos verdadei ros de )alsos cristos (x
&2#57I :m &&#'I Mt &5#2'.5+$#
,.4. Argumentar que o )ato de haver )alsos cristos somente prova o valor
dos cristos genu/nos (&6o &&#&$#
2#'# >espertar a atenço do pecador para o "alvador (Ks '#22I Mt
&&#27,2I *o &+#I &'#3$#
-
- IV OS QUE TRANSFEREM SUA DECISÃO
- Alega6es e te<tos ?ue as re5utam"
"& Q* / ./:& A:01/ 0* .:* .*
- +ostrar a instabilidade da vida humana usando os te<tos" uscai ao
*enhor en?uanto se pode achar7 invocaio en?uanto est' pertoK L/s 33.-N.
- E homem ?ue muitas ve%es repreendido endurece a cervi% ser'
?uebrantado de repente sem ?ue ha&a curaK LPv ,9.1N.
- !o presumas do dia de amanh!7 por?ue n!o sabes o ?ue produ%ir' o diaK
LPv ,=.1N.
- ... !o contender' o meu )spírito para sempre com o homem...K LZn -.4N.

- ... escolhei ho&e a ?uem sirvais...K L>s ,O.13N.


- Ro&e7 se ouvirdes a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb 4.13N.
- ... eis a?ui agora o tempo aceit'vel7 eis a?ui agora o dia da salva!oK L,Co
-.,N.
2& A:01/ 0* .: / @*:/ / /& P@:* /@ / . 0; @:*&
D*: . *0/: @0
- +ostrar ?ue as coisas divinas devem ocupar o primeiro lugar na vida.
- +as buscai primeiro o #eino de Deus7 e a sua &ustia7 e todas essas coisas
vos ser!o acrescentadas. !o vos in?uieteis7 pois7 pelo dia de amanh!7
por?ue o dia de amanh! cuidar' de si mesmo. asta a cada dia o seu malK
L+t -.4474ON.
- !o presumas do dia de amanh!7 por?ue n!o sabes o ?ue produ%ir' o diaK
LPv ,=.1N.
- uscai ao *enhor en?uanto se pode achar7 invocaio en?uanto est' pertoK
L/s 33.-N.
- )ia7 agora7 v8s ?ue di%eis" Ro&e ou amanh!7 iremos a tal cidade7 e l'
passaremos um ano7 e contrataremos7 e ganharemos. Digovos ?ue n!o
sabeis o ?ue acontecer' amanh!...K LTg O.1413N.
- LWer a Par'bola do #ico /nsensato  Mc 1,.1-,1 e a Par'bola das De%
Wirgens  +t ,3.114.N
3& A:01/ * .:* .*<*
- +ostrar ?ue a oportunidade da salva!o B en?uanto o homem est' com vida

- e ?ue o ser moo


Membrate do teun!o B garantia
Criador de muitos
nos dias anos de vida.L)c 1,.1N.
da tua mocidade...K
- ... eis a?ui agora o tempo aceit'vel7 eis a?ui agora o dia da salva!oK L,Co
-.,N.
- e direi @ minha alma" alma7 tens em dep8sito muitos bens7 para muitos
anosG descansa7 come7 bebe e 5olga. +as Deus lhe disse" Mouco7 esta noite
te pedir!o a tua alma7 e o ?ue tens preparado para ?uem ser'U...K LMc
1,.1-,1N
- ... !o contender' o meu )spírito para sempre com o homem...K LZn -.4N.
- ... Ro&e7 se ouvirdes a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb
4.13N.
- uscai ao *enhor en?uanto se pode achar7 invocaio en?uanto est' pertoK
L/s 33.-N.
- ... escolhei ho&e a ?uem sirvais...K L>s ,O.13N.
- !o presumas do dia de amanh!7 por?ue n!o sabes o ?ue produ%ir' o diaK
LPv ,=.1N.
- +as buscai primeiro o #eino de Deus7 e a sua &ustia7 e todas essas coisas
vos ser!o acrescentadasK L+t -.44N.
2& E* /01*& Q/01* D :  /@:/:
,.1. Mostrar que >eus quer salvar o homem agora
- ... eis a?ui agora o tempo aceit'vel7 eis a?ui o dia da salva!oK L,Co -.,N.
- ... ho&e me convBm pousar em tua casaK LMc 19.3N.
- ... Ro&e7 se ouvirdes a sua vo%7 n!o endureais o vosso cora!o...K LRb
4.13N.
- +as Deus... anuncia agora a todos os homens7 em todo o lugar7 ?ue se
arrependamK LAt 1=.40741N.
- Por?ue isto B bom e agrad'vel diante de Deus7 nosso *alvador7 ?ue ?uer
?ue todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdadeK
L1Tm
,.,. ,.ON.
Mostrar que quando o homem ouve a Palavra de >eus, %ca numa
encru?ilhadaB aceitar ou re9eitar
- Alguns trans5erem a decis!o LAt 1=.4,G ,O.,3NG outros n!o aceitam L+t
1,.40G 1Co -.9N. +as Deus espera ?ue7 diante dos dois caminhos
apresentados7 o homem decida pelo da salva!o LDt 40.1371-G +t =.1471OG
Mc 14.,ON. Caso contr'rio7 poder' perder a oportunidade de salvarse LZn
-.4G /s 33.-G Rb 4.14713N.
-
- V OS O$STINADOS
- Ebstinar" teimar7 insistir numa ideia7 num erro ou culpa. Suando da
prega!o da Palavra de Deus7 o grupo dos obstinados @s ve%es se torna atB
agressivo. *uas desculpas e as re5uta6es bíblicas"
"& N=* *  . /> 0:*
- +ostrar os seguintes te<tos"
- Por?ue o sal'rio do pecado B a morte7 mas o dom gratuito de Deus B a vida
eterna7 por Cristo >esus7 nosso *enhorK L#m -.,4N.
- E homem ?ue muitas ve%es repreendido endurece a cervi% ser'
?uebrantado de repente sem ?ue ha&a curaK LPv ,9.1N.
- Suem crer e 5or bati%ado ser' salvoG mas ?uem n!o crer ser' condenadoK
L+c 1-.1-N.
- Suebrantando alguBm a lei de +oisBs7 morre sem miseric8rdia7 s8 pela
palavra de duas ou trs testemunhas. De ?uanto maior castigo cuidais v8s
ser' &ulgado merecedor a?uele ?ue pisar o Hilho de Deus7 e tiver por
pro5ano o sangue do testamento7 com ?ue 5oi santi(cado7 e (%er agravo ao
)spírito da graaUK LRb 10.,27,9N
2& E 0=* ** 1*/
- +ostrar ?ue B indispens'vel perdoar7 por?ue7 do contr'rio7 n!o ser!o
perdoados. Deus dar' graa para se tomar essa atitude.
- *e7 porBm7 n!o perdoardes aos homens as suas o5ensas7 tambBm vosso Pai
vos n!o perdoar' as vossas o5ensasK L+t
- -.13N.
- Antes7 sede uns para com os outros benignos7 misericordiosos7 perdoando
vos uns aos outros7 como tambBm Deus vos perdoou em CristoK L)5 O.4,N.
- Posso todas as coisas na?uele ?ue me 5ortaleceK LHp O.14N.
- ) vos darei um cora!o novo e porei dentro de v8s um espírito novoG e
tirarei o cora!o de pedra da vossa carne e vos darei um cora!o de carneK
L)% 4-.,-N.
- LWer a Par'bola do Credor /ncompassivo  +t 12.,343.N
- 3& E /.* 1./: * / 1* .01*
- +ostrar a necessidade de abandonar o mundo de pecado para agradar a
Deus.
- Pois ?ue aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua
almaUK L+c 2.4-N
- Assim7 pois7 ?ual?uer de v8s ?ue n!o renuncia a tudo ?uanto tem n!o pode
ser meu discípuloK LMc 1O.44N.
- ... ?ual?uer ?ue ?uiser ser amigo do mundo constituise inimigo de DeusK
LTg O.ON.
- !o ameis o mundo7 nem o ?ue no mundo h'. *e alguBm ama o mundo7 o
amor do Pai n!o est' nele... ) o mundo passa7 e a sua concupiscnciaG mas
a?uele ?ue 5a% a vontade de Deus permanece para sempreK L1 >o ,.131=N.
- ...os cuidados deste mundo e a sedu!o das ri?ue%as su5ocam a palavra7 e

-
(ca in5rutí5eraK
ecessidade L+t 14.,,N.
padecer' o ?ue ama os pra%eres...K LPv ,1.1=N.
- Por?ue o ?ue semeia na sua carne da carne cei5ar' a corrup!oG mas o ?ue
semeia no )spírito do )spírito cei5ar' a vida eternaK LZl -.2N.
4& N=* @*0<* @*.* ./> *  /:@*
- +ostrar os seguintes te<tos"
- E ?ue encobre as suas transgress6es nunca prosperar'G mas o ?ue as
con5essa e dei<a alcanar' miseric8rdiaK LPv
- ,2.14N.
- *e7 como Ad!o7 encobri as minhas transgress6es7 ocultando o meu delito
no meu seio7 trema eu perante uma grande multid!o7 e o despre%o das
5amílias me apavore7 e eu me cale7 e n!o saia da portaK L>8 41.4474ON.
- Dei<e o ímpio
se converta o seu caminho7
ao *enhor7 e o homem maligno7
?ue se compadecer' os seus
deleG torne parapensamentos e
o nosso Deus7
por?ue grandioso B em perdoarK L/s 33.=N.
5& N=* * / .:0/ @*0=* 1 B 9>:@/.0
- +ostrar ?ue os ?ue n!o ?uerem 5a%er isso correm grande perigo.
- PorBm7 grande B a bn!o para a?ueles ?ue con5essam publicamente a
>esus como seu *alvador.
- Portanto7 ?ual?uer ?ue me con5essar diante dos homens7 eu o con5essarei
diante de meu Pai7 ?ue est' nos cBus. +as ?ual?uer ?ue me negar diante
dos homens7 eu o negarei tambBm diante de meu Pai7 ?ue est' nos cBusK
L+t 10.4,744N.
- ... *e7 com a tua boca7 con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7
creres ?ue Deus o ressuscitou dos mortos7 ser's salvo. Wisto ?ue com o
cora!o se cr para a &ustia7 e com a boca se 5a% con(ss!o para a
salva!oK L#m 10.9710N.
- Apesar de tudo7 atB muitos dos principais creram neleG mas n!o o

con5essavam
Por?ue amavampor mais
causaa dos 5ariseus7
gl8ria para n!o
dos homens do serem e<pulsos
?ue a gl8ria de da sinagoga.
DeusK L>o
1,.O,7O4N.
- Portanto7 n!o te envergonhes do testemunho de nosso *enhor...K L,Tm
1.2N.
6& EK:. /0/ >: ;:W 0* .01*  *1/ 1: .  ?1/1 :/
- este caso7 mostrar a di5erena entre Cristo e as religi6es"
-.1. 6risto salva L+t 1.,1G >o 4.1-71274-G At O.1,G 1Tm ,.3N.
-.,. ;eligiões no salvam L/s 1.101OG Am 3.,1,4G Cl ,.,0G ,Tm 4.19G ,Pe
,.110N.
7& Q* ;: . :* @/.:0*
- +ostrar o perigo de seguir o pr8prio caminho com os seguintes te<tos"
- R' caminho ?ue ao homem parece direito7 mas o (m dele s!o os caminhos
da morteK LPv 1O.1,N.
- Por?ue os meus pensamentos n!o s!o os vossos pensamentos7 nem os
vossos caminhos7 os meus caminhos7 di% o *enhor. Por?ue7 assim como os
cBus s!o mais altos do ?ue a terra7 assim s!o os meus caminhos mais altos
do ?ue os vossos caminhos7 e os meus pensamentos7 mais altos do ?ue os
vossos pensamentosK L/s 33.279N.
- ... anda pelos caminhos do teu cora!o e pela vista dos teus olhosG sabe7
porBm7 ?ue por todas essas coisas te trar' Deus a &uí%oK L)c 11.9N.
8& N=* /@:* 0. :* / C:*
- +ostrar ?ue a neutralidade n!o B aceita por Deus. Suem n!o B comigo B
contra mimG e ?uem comigo n!o a&unta espalhaK L+t 1,.40N.
- Assim7 por?ue Bs morno e n!o Bs 5rio nem ?uente7 vomitarteei da minha
bocaK LAp 4.1-N.
- ...te tenho proposto a vida e a morte7 a bn!o e a maldi!oG escolhe7 pois7
a vida7 para ?ue vivas7 tu e a tua sementeK LDt 40.19N.
- )scolhi o caminho da verdadeG propusme seguir os teus &uí%osK L*/
119.40N.
- ... AtB ?uando co<eareis entre dois pensamentosU...K L1#s 12.,1N.
- ...a vossa palavra se&a sim7 sim e n!o7 n!o7 para ?ue n!o caiais em
condena!oK LTg 3.1,N.
-
- VI OS DESVIADOS
- )<istem dois grupos de desviados"
- Es ?ue n!o dese&am voltar a >esus. +ostrarlhes os seguintes te<tos" L, Cr
44.14G Pv 1O.1OG Pv ,1.1-G /s 1.12G O4.,3G >r ,.3714719G Mc 13.141=N.
- Es ?ue est!o dese&osos de voltar a >esus. +ostrarlhes os seguintes te<tos"
LDt O.,241G , Cr 1O.OG 13.OG 44.1971,714G /s O4.,,,OG >r 4.1,7147,,G Mc
13.1O,ON.
"& O ;/0/1* 1 />./ 1?  :.:* 1:/;0*:@/ / @// 1/ 1/

- )<istem diversas
Alguns (cam causas
indecisos na?ue
horapodem ter para
de voltar levado uma com
>esus7 pessoa a desviarse.
receio de ter uma
nova ?ueda. Eutros imaginam7 inclusive7 n!o haver mais oportunidade de
voltar. Causas prov'veis"
1.1. Alguns tiveram apenas uma )é nas coisas de >eus
- A verdadeira 5B consiste em receber a Cristo de cora!o L#m 10.9710N.
- Ima verdadeira crena7 apenas de mente7 n!o pode salvarG s8 a 5B
verdadeira salva LRb O.,G 11.-N.
1.,. é sem ra/?es
- Ys ve%es7 a pessoa n!o sente em sua vida a segurana de uma conscincia
puri(cada L1Tm 1.19N.
- E homem B aceito diante de Deus n!o por si mesmo7 mas atravBs do
*alvador >esus LMc 2.O-G )5 ,.14N.

é -aseada em opiniões ou sentimentos humanos pode srcinar


1.1.queda
- +as7 ?uando o homem (ca debai<o do sangue de >esus7 obtBm vit8ria LRb
9.,-G Ap 1,.11N.
1.,. >escuido de cumprir as v<rias determinações do "enhor
- ) necess'rio ?ue ha&a uma posi!o de(nida na obedincia @s coisas do
*enhor. /sto envolve vontade e a5ei!o natural pelas coisas de cima L+t
-.44G Cl 4.17,G 1Pe ,.,N.
- Ima 5alha nisso poder' levar o homem a uma ?ueda L,Co 2.3N.
1.4. 6onvicço super%cial do pecado
- ) verdade ?ue isto B uma obra do )spírito *anto7 mas en?uanto o pecador
n!o sentir pro5undamente seus pecados e misBrias7 n!o clamar' a Deus e7
conse?uentemente7 n!o poder' e<perimentar em vida a e(c'cia do sangue
de >esus7 ?ue tira o pecado do mundoK L>o 1.,9G 1 >o 1.=N.
1.O. :o se ter entregado totalmente ao "enhor *esus
- Suando h' entrega total7 a convers!o tornase realidade
- L#m -.1471-G 1,.1N.
1.3. Jer deixado de con)essar a 6risto diante dos homens
- A convic!o da nossa salva!o (ca (rme e a nossa 5B 5ortalecida ?uando
con5essamos a Cristo diante dos outros L+t 3.1O1-G Mc -.42G Hp ,.13N.
Con5essar a >esus com a bocaK B uma das e<igncias de Deus L*/ 21.10G At
12.9G #m 10.9N.
1.-. :eglig8ncia na leitura e na meditaço da 4/-lia L*/ 119.9
1-7O27=279971O2G Mc O.OG )5 -.1=G 1Tm O.1413N.
1.9. :eglig8ncia na vida de oraço LMc 11.314G #m 1,.1,G )5 -.12G 1Ts
3.1=G 1Pe O.=N.
1.10. Aus8ncia nos cultos na igre9a L*/ 1,,.1G At ,.O,O=G Rb 10.,3G 1 >o
1.=N.
1.11. >escuido de viver uma vida cheia do Esp/rito "anto (Zc '#3I At &#7I
;m &2#&&I E) #&7$#
2& F:0/>.0 / 1:/; 0*:@/ / @// * ;/0/1*  1 />./ 1? 
,.1. Mostrar ao desviado que o "enhor est< pronto para rece-8.lo de
volta L, Cr =.1OG */ 104.1,G /s 1.12G O4.,3G OO.,,G >r 4.1,7147,,G ,9.11
14G Es 1O.1OG Mc 13.11,ON.
,.,. Mostrar que a igre9a est< com as portas a-ertas para rece-er os
%lhos prGdigos e que os irmos se alegraro muito com o seu regresso
(1c &#25,2'I At 7#3.7I Jg #&,2+I Ap 2#$#
,.4. >i?er ao desviado que o "enhor o renovar< e o a-ençoar<
grandemente ("K &#7I 1c &#22.2'$#
,.O. >iante do dese9o do desviado em voltar, orar com ele (Jg #&,2+$#
,.3. Acompanhar o desviado 0 igre9a, a%m de que se sinta mais 0 vontade
(N& 3#&,2$#
,.-. Apresent<.lo ao pastor da igre9a ou ao dirigente local para que se9a
reintegrado na comunho dos santos# 6omparar & 6or/ntios #&.,&5
com 2 6or/ntios 2#3.&+#
,.=. 6ontinuar a9udando no que )or poss/vel até que o %lho que est<
retornando %rme.se nos caminhos do "enhor (Ks '&#3I N& 3#&,2$#
- OS ILUDIDOS  COMO LEV%LOS A (ESUS
"& O @/>:@*
- A grande maioria das pessoas com ?uem o ganhador de almas ter' de
tratar constituise de pessoas ?ue se di%em cat8licas. )ste grupo religioso
se divide em dois tipos di5erentes" o cat8lico praticante e o nominal.
)mbora suas respostas geralmente se&am da mesma nature%a7 as rea6es
?ue e<perimentam s!o bem diversas.
- Es cat8licos nominais constituem a maior parte desse grupo. *!o a?ueles
?ue n!o se preocupam muito com a religi!o7 casamse na igre&aK7
promovem o bati%ado de seus (lhos e7 de ve% em ?uando7 assistem @ missa7
ou se&a7 v!o @ igre&a somente para cumprir um dever social. Apesar disso7
consideramse cat8licos e religiosos.
- Es cat8licos praticantes s!o a?ueles ?ue cumprem (elmente as e<igncias
de sua igre&a. Com algumas e<ce6es7 s!o pessoas sinceras e com tendncia
@ pr'tica de atos piedosos.
- Tanto os cat8licos praticantes como os nominais s!o pessoas ?ue dei<am
transparecer uma intran?uilidade na alma ?ue sua crena n!o pode
solucionar7 bem como uma incerte%a em rela!o @ vida 5utura. A 5alta do
Cristo vivo em suas vidas B a ra%!o disso. E ganhador de almas encontrar'
neste grupo religioso um campo promissor para lanar a preciosa semente
e7 mais tarde7 recolher os 5rutos.
- Suando da evangeli%a!o de um cat8lico7 o ganhador de almas deve estar
preparado para responder @s desculpas e a(rma6es ?ue geralmente
ouvir'7 principalmente dos cat8licos praticantes. We&amos algumas"
1.1. "ou -ati?ado
- +ostre ?ue o batismo n!o tem nenhum valor se n!o tiver sido conse?`ncia
da 5B em >esus. E ensino da íblia B primeiramente crer e depois ser
bati%ado Lver +c 1-.1-G At ,.427O1G 1-.4144N. Devese observar7 porBm7
?ue o batismo sem o crer verdadeiramente em >esus n!o implica ?ue a
pessoa se&a salva. Da mesma 5orma7 o 5ato de n!o ter tido oportunidade de
se bati%ar n!o signi(ca ?ue n!o tenha alcanado a salva!o LMc ,4.O,7O4N.
E batismo de crianas n!o tem signi(cado algum na Palavra de Deus pois7
devido @ sua tenra idade e estado de inocncia7 as crianas n!o tm
condi6es de crer para serem bati%adas. Todos os batismos mencionados na
íblia re5eremse a pessoas adultas7 como >esus LMc 4.,1,4N e o eunuco LAt
2.4-74=N. E outro 5ato B ?ue o batismo mencionado B sempre por imers!o
L+t 4.141=G At 2.4-N.
- E ganhador de almas deve mostrar ?ue o signi(cado do batismo B
sepultamento L#m -.43N e uma demonstra!o pblica da 5B ?ue tem no
cora!o. Portanto7 o batismo B para pessoas ?ue morreram para os
pra%eres7 deleites7 etc. *omente ?uem morreu est' &usti(cado do pecado
L#m -.,4N. Portanto7 o batismo B para os salvos7 e n!o para salvar.
- A salva!o est' em crer em >esus L>o 4.1-N.
1.,. 6umpro %elmente todos os deveres religiosos mondados pela igre9a
- E ganhador de almas deve observar o relato da íblia no ?ue di% respeito a
algumas pessoas religiosas. )las cumpriam seus deveres para com sua
religi!oG no entanto7 n!o estavam salvas. E centuri!o CornBlio B um
e<emplo bem claro a esse respeito. )le era piedoso e temente a Deus7 com
toda a sua casa7 o ?ual 5a%ia muitas esmolas ao povo e7 de contínuo7 orava a
DeusK LAt 10.,N. o entanto n!o estava salvo LAt 10.4-O4N. Hoi salvo
somente ?uando Pedro 5aloulhe de >esus LAt 10.OOO2G 11.1ON.
- Eutro e<emplo bem patente B o moo rico ?ue se di%ia cumpridor dos seus
deveres para com a religi!o L+t 19.1-,0N e n!o se sentia salvo L+t 19.1-N.
- A salva!o n!o vem pelo cumprimento dos deveres religiosos7 mas pela 5B
em Cristo L)5 ,.279N. Suando perguntaram a >esus o ?ue deveria ser 5eito
para e<ecutar as obras de Deus7 )le respondeu" A obra de Deus B esta" ?ue
creiais na?uele ?ue ele enviouK L>o -.,9N. n!o pelas obras de &ustia ?ue
houvBssemos 5eito7 mas7 segundo a sua miseric8rdia7 nos salvouK LTt 4.3N.
- +as7 @?uele ?ue n!o pratica7 porBm cr na?uele ?ue &usti(ca o ímpio7 a
sua 5B lhe B imputada como &ustiaK L#m O.3N.
1.4. Eu sigo a religio de meus pais
- *egundo o ensino da íblia7 cada um de n8s dar' conta de si mesmo a
DeusK L#m 1O.1,N. A alma ?ue pecar7 essa morrer'G o (lho n!o levar' a
maldade do pai7 nem o pai levar' a maldade do (lhoK L)% 12.,0N. Cada
pessoa B respons'vel por si mesma diante de Deus. Cada um B pecador L#m
4.,4NG cada um precisa abrir a porta do cora!o LAp 4.,0NG cada um precisa
nascer de novo L>o 4.4=N para ?ue se&a salvo L>o 4.1-N. De maneira ?ue
cada um de n8s dar' conta de si mesmo a DeusK L#m 1O.1,N.
- +ostre ?ue ?uando >esus veio a este mundo &' havia muitos religiosos. A
respeito deles7 disse >esus" Todos ?uantos vieram antes de mim s!o
ladr6es e salteadores...K L>o 10.2N. >esus n!o veio tra%er mais uma religi!oG
)le veio buscar e salvar o ?ue se havia perdidoK LMc 19.10N7 salvar o
mundo L>o 4.1=N7 tra%endo vida abundante a todo pecador ?ue crer L>o
10.10N. E evangelho n!o B propriamente uma religi!o7 mas o poder de
Deus para salva!o de todo a?uele ?ue crK L#m 1.1-N.
- Portanto7 o ganhador de almas deve en5ati%ar ?ue a salva!o n!o depende
de cumprir ou seguir uma religi!o7 nem mesmo da opini!o dos pais a
respeito. E evangelho coloca uma linha de separa!o entre salvos e n!o
salvos7 mesmo entre os membros de uma 5amília L+t 10.43N. Suem ama o
pai ou a m!e mais do ?ue a mim n!o B digno de mim...K L+t 10.4=N.
1.O. Q necess<rio seguir as religiões dos antepassados
- ... )rrais7 n!o conhecendo as )scrituras7 nem o poder de DeusK L+t ,,.,9N.
- #ealmente7 guardar as tradi6es B ignorar o ensino das )scrituras.
- >esus disse" em invalidais o mandamento de Deus para guardardes a
vossa tradi!oK L+c =.9N. Es ?ue s!o salvos e<aminam tudo pelas )scrituras
para ver se as coisas realmente s!o como as tradi6es di%em ser LAt
1=.1171,N7 pois s!o resgatados da v! maneira de viver ?ue por tradi!o
receberam de seus pais L1 Pe 1.12N. A íblia ensina o perigo de guardar as
tradi6es como mandamentos espirituais LZl 1.1OG Cl ,.2G Rb 14.19N.
- Portanto7 o ganhador de almas deve en5ati%ar ?ue a nica regra de 5B B a
Palavra de Deus LZl -.1-N.
1.3. Joda religio é -oa
- +ostre ?ue para entrar no cBu s8 e<iste uma porta7 ?ue B >esus L>o 1O.-N.
)le B o nico nome dado entre os homens pelo ?ual devamos ser salvos LAt
O.1,N.
- *em >esus o homem &' est' condenado L>o 4.12NG a ira de Deus est' sobre
ele L>o 4.4-N. *e o homem n!o aceitar a >esus7 partir' perdido para a
eternidade LMc 1-.,-N e estar' perdido para sempre LAp ,0.1113N.
- Eutro argumento ?ue deve ser usado B o de ProvBrbios 1O.1," R' caminho
?ue ao homem parece direito7 mas o (m dele s!o os caminhos da morteK.
- +ostre ?ue todos s!o pecadores L#m 4.,4G 1 >o 1.210N e ?ue se as religi6es
5ossem boas7 >esus n!o precisaria vir a este mundo dar a sua vida por n8s
na cru%. A sua morte seria sem signi(ca!o LZl ,.,1N. +as graas a Deus
?ue )le veio7 morreu pelos nossos pecados7 ressuscitou para nossa
&usti(ca!o
propicia!o L#m
pelosO.,3N e agora
nossos est' L1
pecadosK assentado
>o ,.,N. @ direita de Deus Pai como a
- E ganhador de almas deve en5ati%ar ?ue a salva!o n!o depende da
observFncia de uma religi!o inventada pelo homem7 mas sim pela aceita!o
do plano de Deus para a salva!o do homem7 o ?ual implica crer cm >esus
para ser salvo L>o 4.1312N.
1.1. A 4/-lia é muito di)/cil
- ) 5ato ?ue o homem natural n!o compreende as coisas do )spírito de
Deus7 por?ue lhe parecem loucura7 e n!o pode entendlas7 por?ue elas se
discernem espiritualmente. +as o ?ue B espiritual discerne bem tudo7 e ele
de ninguBm B discernido L1Co ,.1O713N. A íblia B a Palavra de Deus e 5oi
inspirada pelo )spírito *anto L,Pe 1.,1N. Para o homem descrente7 a
revela!o bíblica est' encoberta L,Co O.47ON7 pois o seu sentimento est'
endurecido L,Co 4.1O1-N. PorBm7 ?uando o homem se converte7 seus olhos
s!o desvendados para compreendla L*/ 119.12N e receber a revela!o de
seus maravilhosos ensinos L+t 11.,37,-N. ) 5a%endo a vontade de Deus ?ue
(camos sabendo se a íblia realmente B a revela!o da vontade de Deus
para com os homens L>o =.1=N. *8 B possível conhecer depois de crer L>o
-.-9G 1Tm ,.ON. Portanto7 crendo em >esus o homem poder' entender as
verdades bíblicas.
1.,. Eu tam-ém creio em *esus
- #ealmente7 ?uase todos os homens creem em Deus e em Cristo de algum
modo.
- Alguns creem em >esus como um grande (l8so5o7 mestre ou um dos
pro5etas L+t 1-.1471ON. AtB o Diabo cr em Deus LTg ,.19N.
- PorBm7 n!o basta crer ?ue >esus e<istiu7 5e% grandes milagres7 ?ue )le B o
Hilho de Deus7 ?ue morreu e ressuscitou. A bemaventurana n!o est'
propriamente no saber e sim no 5a%er LMc 14.1=N.
- HB te8rica ou intelectual n!o resolve7 e sim a 5B ?ue con5essa e aceita ao
*enhor >esus como nico e su(ciente *alvador. J...*e7 com a tua boca7
con5essares ao *enhor >esus e7 em teu cora!o7 creres ?ue Deus o
ressuscitou dos mortos7 ser's salvo. Wisto ?ue com o cora!o se cr para
&ustia7 e com a boca se 5a% con(ss!o para a salva!oK L#m 10.9710N.
- Crer signi(ca aceit'lo L>o O.O,G 9.42N7 receblo L>o 1.1,N7 seguilo L+t
10.42N e guardar a sua Palavra L>o 1O.,4N.
- E ganhador de almas deve en5ati%ar esse aspecto t!o importante no tocante
ao signi(cado de crer em >esus.
1.2. A sua 4/-lia é )alsa
- *e solicitarmos a indica!o de ?ual parte da íblia B 5alsa7 certamen te n!o
haver' uma resposta da?uele ?ue estivermos evangeli%ando.
- A alega!o de ?ue na íblia cat8lica e<istem mais livros do ?ue na íblia
protestanteK n!o procede. asta a(rmar ?ue os livros ?ue n!o constam no
Antigo Testamento da íblia protestanteK s!o tambBm os livros ?ue n!o
constam na íblia Rebraica7 de onde s!o copiadas as íblias. *!o livros
ap8cri5os7 isto B7 livros sem inspira!o divina.
- E ganhador de almas deve7 de pre5erncia7 usar uma íblia cat8lica para

pregar a um cat8lico. /sto evitar' entrar nesse assunto ?ue B muito e<tenso
para e<plicar ao pecador no momento. AlBm disso7 os livros ap8cri5os n!o
5alam de salva!o e muitas ve%es s!o uma maneira de o inimigo das almas
ganhar tempo para segur'las em seu domínio L>o 2.4ON. Ise de sabedoria
LPv 11.40N7 adotando o mesmo mBtodo do ap8stolo Paulo7 ou se&a7
apro<imandose do pecador da maneira como ele entende L1Co 9.19,4N.
1.9. Eu )aço con%sso de pecado ao sacerdote
- E ensino da íblia repele por completo tal a(rma!o"
1.9.1. Devemos con5essar os nossos pecados somente a Deus
- *e con5essarmos os nossos pecados7 ele B (el e &usto para nos perdoar os
pecados e nos puri(car de toda in&ustiaK L1 >o 1.3N.
- Perdoanos as nossas dívidas7 assim como n8s perdoamos aos nossos
devedoresK L+t -.1,N.
- Con5esseite o meu pecado e a minha maldade n!o encobri...K L*/ 4,.3N.
1.,.1. *omente Deus pode perdoar pecados
- ... Suem pode perdoar pecados7 sen!o DeusUK L+c ,.=N
- ...o Hilho do Romem tem na terra autoridade para perdoar pecados...K L+t
-.9N.
- Por isso7 te digo ?ue os seus muitos pecados lhe s!o perdoados...K LMc
=.O=N.
- ...se alguBm pecar7 temos um Advogado para com o Pai7 >esus Cristo7 o
>usto. ) ele B a propicia!o pelos nossos pecados e n!o somente pelos
nossos7 mas tambBm pelos de todo o mundoK L1 >o ,.17,N.
1.,.,. Para o homem7 somente devemos con5essar o ?ue (%emos para
obten!o do seu perd!o
- ...assim como n8s perdoamos aos nossos devedoresK L+t
- -.1,N.
- e7 se pecar contra ti sete ve%es no dia e sete ve%es no dia vier ter contigo7
di%endo" Arrependome7 perdoalheK LMc 1=.ON.
- ... deveis7 antes7 perdoarlhe e consol'lo...K L,Co ,.=N.
- ... perdoandovos uns aos outros...K LCl 4.14N.
- A con(ss!o auricular B uma blas5mia7 pois coloca o homem  pecador e
cheio de erros  no lugar ?ue pertence somente a Deus. E homem n!o tem
condi6es de absolver o pecador da condena!o ?ue o espera. *omente o
*enhor >esus tem poder para tal.
- Portanto7 o ganhador de almas deve e<por com grande n5ase esse assunto
@ alma ?ue estiver evangeli%ando.
1.4. Maria é a nossa intercessora no céu# Ela é me de >eus
- E 5ato de Deus ter escolhido +aria para ser m!e de nosso *enhor >esus
Cristo B motivo para n8s a estimarmos7 honrandoa como padr!o da
maternidade. PorBm7 com rela!o @ adora!o7 somente devemos prest'la a
Deus7 pois o *enhor disse en5aticamente ...Ao *enhor7 teu Deus7 adorar's e
s8 a ele servir'sK L+t O.10N. )m nenhuma parte das )scrituras encontramos
uma re5erncia se?uer ?ue nos ensine a cultuar +aria. )<istem7 isso sim7
muitos te<tos bíblicos ?ue contrariam 5rontalmente esta heresia praticada
pelos cat8licos. We&amos algumas re5erncias bíblicas a esse respeito"
1.4.1. Es magos adoraram a >esus e n!o +aria L+t ,.11N.
1.4.,. A pr8pria +aria con5essou ?ue era pecadora e ?ue necessitava
de salva!o LMc 1.O-O9N.
1.4.4. A pr8pria +aria disse com rela!o a >esus" Ha%ei tudo ?uanto
ele vos disserK L>o ,.3N.
1.4.O. A ltima re5erncia bíblica a +aria est' em Atos 1.1O.
- *e ela realmente tosse intercessora7 por ?ue a íblia silenciaria totalmente
a seu respeitoU
1.4.3. *empre ?ue a íblia menciona >esus e +aria &unt os7 >esus B
mencionado primeiro.
1.4.-. Suando a íblia 5ala do me diador en tre Deus e os homens7
apenas7 e t!osomente7 >esus B mencionado L1Tm ,.37-G Rb 2.-G 9.13G
1 >o 1.,N. !o h' nenhuma re5erncia a +aria.
1.4.=. >esus B o nico e su(ciente *alvador LAt O.1,G Rb =.,3G 10.1=N.
1.4.2. !o consta na íblia7 em nenhuma ocasi!o7 ?ue +aria tivesse
inuenciado as atitudes de >esus para com os homens.
- a ocasi!o em ?ue >esus7 ainda menino7 visitou o Templo LMc ,.O27O9NG na
5esta de casamento @ ?ual >esus compareceu em Can' da ZalilBia L>o ,.47ONG
?uando >esus pregava L+t 1,.O-30G +c 4.4143N.
1.4.9. Suando disseram a >esus emaventurado o ventre ?ue te
trou<e e os peitos em ?ue mamasteK7 )le respondeu" Antes7 bem
aventurados os ?ue ouvem a palavra de Deus e a guardamK LMc
11.,=7,2N.
- Portanto7 o ganhador de almas deve empenharse ao m'<imo para
esclarecer esta verdade gloriosa @?ueles ?ue estiverem presos por este
conceito errQneo.
- +uitas outras a(rma6es herBticas ou desculpas s!o 5eitas pelos cat8licos
?uando da prega!o do evangelho a eles. *eria muito e<tensa uma
considera!o minuciosa a respeito delasG apenas para esclarecimento ou
curiosidade7 porBm7 mencionaremos um resumo de suas principais
heresias7 sem
respeito em umentrar
manualno de
mBrito da ?uest!o. E leitor encontrar' e<plica!o a
Reresiologia.
- A missa - A virgindade perpBtua de
- A igre&a romana B a nica +aria
verdadeira - A assun!o de +aria
- A in5alibilidade do papa - E celibato
- Pedro  o primeiro papa - As 5ormas de culto
- Pedro  pedra 5undamental da - As relí?uias
igre&a - Es santos
- Purgat8rio
- Es an&os
- As indulgncias
- As imagens
- E ros'rio
- E &e&um
- E sacramento
- E sacerdote
- Transubstancia!o
- E altar
- E culto
- Era!o aos mortos
- A imaculada concei!o
- Era!o pelos mortos
2& O/ :/
3& As testemunhasde&eov'
- Es espíritas
- Es m8rmons
- Es sabatistas
4& E pre%ado leitor dever' ler a matBria de Reresiologia ?ue consta no livro -
da cole!o pertencente ao ensino teol8gico da )*T)AD). E re5erido livro7
no ?ual tivemos uma participa!o especial sobre sabatismo7 B de autoria do
pr. >osB ApolQnio da *ilva. ele s!o abordadas as seitas acima mencionadas
e B dado um en5o?ue todo especial @s re5uta6es bíblicas a essas a(rma6es
herBticas.
5& Suando
ganhadorda de evangeli%a!o de munido
almas deve estar pessoasdos
pertencentes @s seitasespirituais
seguintes re?uisitos acima7 o
para ter <ito em sua miss!o"
,.1. Mane9ar -em a palavra da verdade (2Jm 2#&$
6& Deve estar preparado para poder retrucar suas a(rma6es.
,.,. Duando estiver )alando, %que orando em esp/rito
7& Deve instruir com mansid!o os ?ue resistem7 a ver se7 porventura7 Deus
lhes dar' arrependimento para conhecerem a verdadeK L,Tm ,.,37,-N.
,.1. :unca ridiculari?e seus )alsos ensinos ou critique seus )undadores,
pois pouco resultado advir< disso
8& A n5ase do ganhador de almas deve ser a obra de Cristo e seu valor
glorioso ?uando da aplica!o na vida humana.
,.,. Mostre que o homem é pecador L/s 34.-G -O.-G #m 4.,4G 1 >o 1.10N.
,.4. Mostre que no céu sG entraro os salvos por *esus (Ap 2&#7,2I
!& ,,.1ON.
,.O. ale so-re o perdo dos pecados mediante a aceitaço de 6risto (Mt
&#2&I 1c #'7.+I At 2#2&I ;m 7#&I &+#&5I Jg2#2'$#
,.3. ale so-re a certe?a de salvaço para os que crerem em *esus (*o
#2'I ;m #&I 3#25I 2Jm &#&2I & Pe &#5I & *o 5#2$#
,.-. Mostre que sG é poss/vel adquirir a salvaço enquanto o homem
estiver nesta vida
"#& A salva!o s8 pode ser ad?uirida en?uanto o homem estiver em sua
personalidade íntegra7 isto B7 espírito7 alma e corpo LMc 3.,OG ,Co -.,G Rb
4.=72N.
,.=. ale a respeito do 9u/?o a que sero su-metidos (At &#5+,5&I Ap
2+#&$#
,.2. 1em-re.se de que as pessoas pertencentes a essas seitas so pessoas
sem a graça de >eus
""& *!o almas perdidas com as ?uais devemos nos empenhar ao m'<imo
no sentido de ganh'las para Cristo. E ganhador de almas deve evitar
de5ender o nome da sua igre&a ou denomina!o religiosa. A n5ase deve ser
t!osomente na obra de >esus para garantia do perd!o dos pecados7 certe%a
de vida eterna7 nome escrito nos cBus7 etc. Concentrese nisso.
,.11. Joda discusso deve ser evitada L,Tm ,.,47,OG Tt 4.9710N
"2& E *enhor orientar' o ganhador de almas para utili%ar a mensagem
correta e oportuna ?ue poder' surtir e5eito no cora!o de ?uem est' sendo
evangeli%ado.
"3& D*:0/ * :0/:  @ *.* ?/0;>:/ *  1 :?* ; *
"4& E leitor deve ter observado ?ue s!o muitas as heresias ligadas @s
doutrinas orientais. Algumas delas 5a%em a(rma6es ?ue n!o passam de
aberra6es7 suposi6es7 atB mesmo blas5mia da s! doutrina revelada na
Palavra de Deus. E grupo de seitas orientais B grande. AlBm das ?ue 5oram
5ocali%adas na re5erida apostila7 podemos citar" hinduísmo7 taoísmo7
<intoísmo7 bahaísmo7 igre&a messiFnica mundial7 hare rishna e moon La
igre&a da uni(ca!oN7 as ?uais n!o 5oram a?ui abordadas7 pois a (nalidade
deste livro B dar n5ase @ evangeli%a!o das almas7 e n!o propriamente
discorrer sobre a matBria de Reresiologia. As heresias das seitas e religi6es
5alsas a?ui mencionadas s!o apenas para orientar o ganhador de almas
sobre as crenas de seus adeptos7 a (m de saber como lhes 5alar a Palavra.
"5& Zrande parte dessas pessoas s!o orientais a?ui radicados ou seus
descendentes. PorBm7 alguns desses grupos tm alcanado muitos outros
prosBlitos.
"6& )ste B um vasto campo7 onde o ganhador de almas deve lanar a
preciosa semente do evangelho. )m regra geral7 os povos de origem
oriental7 assim como seus descendentes7 s!o um tanto 5echados para uma
palestra sobre as coisas de Deus. As tradi6es7 os costumes e as doutrinas
nas ?uais 5oram criados os prendem de modo a n!o ser muito 5'cil
apro<imarse deles. Alguns deles7 ao ouvirem a mensagem de Deus7 pode
r!o atB (car indecisos com rela!o a aceit'la7 talve% temendo repres'lias
da 5amília ou amigos. PorBm7 o ganhador de almas sempre deve ter em
mente ?ue s!o almas perdidas e preciosas pelas ?uais deve es5orarse para
lev'las a Cristo.
"7& Suando da prega!o da Palavra de Deus a essas pessoas7 o ganhador
de almas deve sempre estar munido das seguintes armas"
1.O. Amor pelas almas LAt ,1.14G #m 9.14N.
1.3. 6onvicço de que so almas perdidas (Pv 2'#&&,&2$#
1.-. Aproximar.se delas de modo a cativ<.las (2Jm 2#2',2$#
1.=.(At 6onhecimento
&#&.5'$# da doutrina que pro)essam para sa-er como lhes )alar
1.2. 6onhecimento da Palavra de >eus para aplic<.la na hora oportuna
(2Jm 2#&I 5#&.&$#
1.9. !rar su%cientemente pelas almas
"8& Antes de 5alar7 ?uando estiver 5alando e depois de 5alar L#m 10.1G )5
-.12,0N.
1.10. Procure sempre dar 8n)ase a *esus e nunca 0 igre9a (*o '#2+2I At
'#&2$#
1.11. :unca discutir doutrinas ou criticar suas crenças (2Jm 2#2',2$#
1.1,. "empre que a ocasio )or oportuna, d8 o seu testemunho de )é em
*esus (At &5#&.''$#
1.14. Este9a munido de leitura evangélica apropriada na l/ngua deles
"!& )les s!o um tanto 5echados para uma palestra7 porBm7 um 5olheto
bíblico na sua língua de srcem poder' despertarlhes curiosidade. Talve%
n!o o leiam no momento em ?ue receberem7 mas provavelmente o 5ar!o em
outro lugar7 ?uando estiverem so%inhos.
2#&
2"& VIII OS ATEUS
22& E ateísmo n!o B propriamente uma religi!o7 mas uma (loso(a
negativa da e<istncia de Deus. Tratase de uma doutrina materialista ?ue
pro5essa n!o crer e n!o necessitar de Deus. E ateu7 portanto7 vive apenas
em 5un!o das coisas materiais.
23& Es ateus dividemse em duas classes" os te8ricos e os praticantes ou
militantes.
24& )mbora aparentemente se&a um grupo di5ícil de evangeli%ar7 devemos
ter em mente ?ue7 n!o obstante sua (loso(a7 poder!o ser salvos por >esus.
25& Diante da Palavra de Deus inspirada L,Tm 4.1-N7 ?ue penetra atB a
divis!o da alma e do espírito LRb O.1,N7 di(cilmente haver' cora!o t!o
duro ?ue possa resistir ao apelo da 5B em Deus L>r ,4.,9N.
26& E ganhador de almas deve estar munido de argumentos e7 sobretudo7
da sabedoria e un!o de Deus para lev'los a Cristo. *uas principais
desculpas s!o as seguintes"
"& D 0=* K:
27& Deus e<iste e B um 5ato incontest'vel. )mbora n!o e<ista por parte da
íblia uma preocupa!o em provar a e<istncia de Deus7 ela comea e
termina 5alando n)le7 dei<ando evidente a sua e<istncia. )le B a srcem de
tudoG governa e sustenta todas as coisas. *omente aceitando sua e<istncia
como um 5ato consumado B ?ue teremos e<plica!o para tudo o ?ue nos
cerca ou ocorre7 pois tudo est' sob o controle de Deus.
28& Proceda da seguinte maneira"
2!& +ostre ?ue por causa do seu orgulho7 o ímpio n!o investigaG todas as
suas cogita6es s!o" !o h' DeusK L*/ 10.1N7 e ?ue somente o nBscio B
?uem di% no seu cora!o ?ue n!o h' Deus L*/ 1O.1N.
3#& Prossiga mencionando as evidncias da e<istncia de Deus.
2& A;.0* /@:*0/>  @0</ 0:?/> . .   .*
,.1. ! homem é um ser religioso
3"& ) um 5ato ?ue7 em todos os tempos7 em todas as terras e tribos7 os
homens sempre acreditaram em uma divindade LAt 1=.1-41N.
,.,. Jodos os homens, mesmo os mais selvagens, praticam uma religio
qualquer
Em-ora
,.4.esp/ritos dos se9am maneiras
antepassados e o humanas, os sacri)/cios
culto 0s )orças o)erecidos
da nature?a, aos
montanhas,
mar, sol, lua, estrelas, etc# v8m provarB
- a aceita!o da e<istncia de um ser supremo como dominador de tudoG
- o sentimento de dependncia deste ser supremoG
- a segurana e a 5elicidade ?ue pretendem encontrar nas rela6es com este
ser.
3& A @*0@:0@:/ )R. 2&"4"5+
32& Suando o homem 5a% o bem7 sua conscincia o aprovaG ao 5a%er o mal7
sua conscincia o condena.
33& De onde teria vindo a conscinciaU *8 pode ser do Criador. A nature%a
moral do homem indica ?ue o seu Criador tambBm B um ser moral.
34& ossa conscincia nos a(rma ?ue somos mais do ?ue matBria e ?ue
somos di5erentes dos animais.
4& A @:/<=*
35& o princípio7 criou Deus os cBus e a terraK LZn 1.1N. os cBus
mani5estam a gl8ria de Deus e o (rmamento anuncia a obra das suas m!osK
L*/ 19.1N.
36& A cria!o atesta a e<istncia de um criador L#m 1.,0N.
37& Es ateus a(rmam ?ue Deus B a nature%a7 porBm devemos en5ati%ar
?ue"
O.1 #A criaço no é o criador, assim como o poema no é o poeta, a arte
no é o artista, a m=sica no é o m=sico, etc#
O., #A experi8ncia e a o-servaço demonstram que a vida procede de
uma outra vida existente
O.4. Judo o que h< no mundo )oi criado por >eus
38& ) )le ?uem d' a todos a respira!o7 a vida e todas as coisas. )le
vivemos7 nos movemos e e<istimos LAt 1=.,O,=N.
5& A $9>:/
3!& A Palavra de Deus revela claramente a e<istncia de Deus. )la
comea e termina 5alando de Deus. )ncontramos na íblia
apro<imadamente 4.200 e<press6es Assim di% o *enhorK.
4#& Caso o ateu venha a negar a inspira!o divina da íblia7 mencione as
ra%6es abai<o7 as ?uais atestam a sua inspira!o"
3.1. "uperioridade so-re os demais livros (C-est.sellerF permanente$
3.,. "eu conte=do pro)undo promovendo inRu8ncia nos demais livros
3.4. "ua indestruti-ilidade diante das v<rias perseguições
3.O. "ua atualidade constante
3.3. ! poder nela contido para salvaço (;m &#&3I '#&2$
3.-. :enhuma contradiço
4"& A Academia Hrancesa7 em 12-17 publicou uma lista de 31 5atos
cientí(cos nos ?uais di%ia ?ue a íblia estava errada. Ro&e7 nenhum
da?ueles 5atos continua em pB7 e a íblia continua sempre a mesma.
3.=. 6on%rmaço de seus relatos pela arqueologia
3.2. Seracidade comprovada cienti%camente
3.9. 6umprimento real das pro)ecias
3.10. Preservaço divina
3.11. 1ivro que a-range de eternidade a eternidade
3.1,. ! milagre de sua srcem
6&
42& ( * F:>veio
>esus * 1ao
 D  para revelar Deus aos homens LMc
mundo
10.,,N . ... Suem me v a mim v o PaiK L>o 1O.9N. >esus B a imagem do Deus
invisível LCl 1.13G Rb 1.4N. >esus 5alou de Deus7 o Pai7 muitas ve%es.
7& EK:0@:/ */>  />?/<=*
43& A salva!o trans5orma o homem7 5a%endoo apro<imarse de Deus L)5
,.14N7 a ter a pa% de Deus L#m 3.1N7 a sentir comunh!o com Deus L1 >o 1.4N7
de modo ?ue passamos a ser (lhos de Deus L1 >o 4.,N7 com liberdade de
cham'lo de nosso Pai L+t -.9N.
8& D* 1;0:*
44& ada aconteceu ou acontece por acaso" a e<istncia do rel8gio prova
a e<istncia do 5abricante7 o desenho prova a e<istncia do artista7 etc.
45 & !& D/ @// // * :*
46& Todo a?uele ?ue reete seriamente sobre o universo reconhece uma
sBrie de causas e e5eitos na nature%aG cada e5eito sendo7 por sua ve%7 a
causa de outro e5eito. Por e<emplo" a lu% numa lFmpada B causada pela
eletricidadeG esta B causada pela 5ric!o de certos metais e dínamo ou
rota!o de ím!sG esta rota!o B causada por uma ?ueda d'gua no rioG o rio
B causado pelas chuvas ?ue caem das nuvensG as nuvens s!o causadas pela
evapora!o da 'gua dos mares7 lagos7 rios e de sobre toda a super5ície da
terraG e esta evapora!o B causada pelo calor do sol ?ue Deus 5e% ser a
grande 5onte de energia e 5ora para este mundo.
47& E 5ato de admitirmos ?ue cada e5eito tem sua causa7 logicamente7 nos
obriga a conceber uma causa prim'ria7 por?ue sem a primeira causa n!o
pode haver o primeiro e5eito. A causa prim'ria B Deus.
48& E 5ato de n!o poder e<plicar a srcem da causa prim'ria n!o B ra%!o
su(ciente para negar a sua e<istncia.
"# & E 0 =* ?* / D * : * 0=* @:*
4!& Diante deste argumento7 o ganhador de almas deve mostrar ?ue
e<iste uma sBrie de coisas em cu&a e<istncia o homem cr7 sem7 contudo7
poder contempl'las.
5#& *e as ra%6es de uma pessoa n!o crer em Deus estiver no 5ato de n!o
poder ver a Deus7 ent!o esta ra%!o n!o e<iste. We&amos alguns e<emplos"
5"& A 5ome e<iste e ninguBm pode vla7 apalp'la7 e nem saber a sua cor
ou 5orma. o entanto7 a 5ome e<iste e n8s a sentimos. /gualmente n8s7 os
crentes7 sentimos a presena de Deus7 embora n!o possamos vlo L1 Pe
1.2N.
52& 8s n!o vemos a dor7 nem sabemos de ?ue matBria se comp6e7 mas
sentimos o seu e5eito. Poder' alguBm negar a e<istncia da dor somente
pelo 5ato de n!o poder vlaU De modo algum. Assim tambBm n8s7 os
crentes7 n!o vemos a Deus L>o
1.12N 7 mas sentimos e cremos na sua e<istncia LRb 11.-N.
53& 8s tambBm sentimos o vento e n!o podemos vlo7 e nem saber
donde vem7 nem para onde vaiK L>o 4.2N. o entanto7 ele assopra onde ?uer
e ouvimos a sua vo%. *abemos ?ue a e<istncia do vento B uma realidade7
assim como a e<istncia de Deus tambBm o B. !o o vemos7 mas podemos
ouvir a sua vo% L>o 10.,=N7 ?ue B mansa e delicadaK L1 #s 19.1,N.
54& E 5rio tambBm e<iste e n!o podemos vlo7 apalp'lo e nem saber a
sua 5orma ou cor.
55& E calor B outra coisa ?ue tambBm n!o podemos ver7 mas o sentimos e
sabemos de sua e<istncia.
56&muitasA ve%es
saudade7
a sua?uantas ve%es o
mani5esta!o. n!oentanto7
temos n!o
sentido saudadesU
podemos vla. *entimos
57& A eletricidade7 esta 5ora ?ue 5a% movimentar grandes m'?uinas e
iluminar cidades7 ?uem &' pQde vlaU E 5ato de n!o poder contempl'la
anular' a sua e<istnciaU De maneira nenhuma.
58& Eutra ilustra!o interessante B a?uele garoto ?ue em pinavaK a sua
pipa LpapagaioN" o brin?uedo &' galgava as alturas e n!o podia mais ser
visto a olho nu. Im cidad!o ?ue passava7 vendo o garoto olhar para cima7
(cou curioso e indagou a ra%!o de tal atitude7 ao ?ue o menino respondeu"
— )stou empinando minha pipa.
— !o estou vendo nada  respondeu perple<o o cidad!o.
— )u tambBm n!o posso ver agora7 mas posso sentila em minhas m!os
atravBs da linha  respondeu o garoto7 ?ue ainda completou" Wenha a?ui7
segure nessa linha e o senhor tambBm sentir'.
5!& )mbora simples7 a ilustra!o acima retrata e<atamente o ?ue se passa
com o ateu7 ?ue nega a e<istncia de Deus pelo 5ato de n!o poder vloG
mas n8s7 os crentes7 o sentimos bem perto atravBs da linhaK da 5B.
6#& A incredulidade do homem n!o ani?uilar' a (delidade de Deus L#m
4.ON.
6"& E cego pode negar a e<istncia de uma sBrie de coisas por?ue n!o
tem vis!o. E surdo pode negar a e<istncia dos diversos sons7 como
cFnticos e msicas7 por?ue n!o ouve. +as o 5ato de n!o ver ou ouvir anula a
e<istncia destas coisasU De modo algum. Assim procedem o cego e o surdo
espiritual.
62& )m dias nublados alguBm poder' a(rmar a n!o e<istncia do sol. )sta
nega!o n!o altera em nada a sua e<istncia7 pois ele continua a brilhar
acima das nuvens. Ainda ?ue o ateu negue a e<istncia de Deus7 )le
continua e<istindo.
63& E ateu B materialista. Precisa primeiramente ver para depois crer.
+as no plano de Deus B necess'rio ?ue o homem primeiro creia para
depois ver L>o 11.O0N. Por isso n8s cremos ?ue Deus e<iste LRb 11.-N7 e
temos crido e conhecidoK ?uem B >esus L>o -.-9N. E crist!o est' atento
para as coisas ?ue se n!o vemK L, Co
O.12N e (ca (rme7 como vendo o invisívelK LRb 11.,=N7 pois s!o as coisas
?ue o olho n!o viu... ?ue Deus preparou para os ?ue o amamK L1Co ,.9N.
)sta B a bemaventurana do crist!o L>o ,0.,9N.
64& +uitas ve%es o ateu procura argumentar ?ue os cientistas negam a
e<istncia de Deus7 o ?ue n!o B verdade. )mbora alguns tenham negado a
sua e<istncia7 muitos outros tm crido piamente no Criador. We&amos
alguns"
- a astronomia e matem'tica  e;ton.
- a geologia  De!o ucland7 Rugh +iller7 Dr. Pye *mith7 *ir #oderic
+urchison7 >oan ]. Da;se e outros.
- a ?uímica e eletricidade  Haraday e +arconi.
- as letras  *amuel >ohnson.
- a mecFnica  Dr. >orge *tevenson.
"" & T1* B ./B:/  1* /@/9/ 0/ .*
65& Diante desta a(rma!o 5eita por um ateu7 use os seguintes
argumentos contidos na Palavra de Deus.
66& )mbora o homem se&a dotado de um corpo 5ormado do p8 da terra
LZn ,.=G 4.19N7 tambBm B composto da parte imaterial chamada alma e
espírito )"Ts 3.,4G 9 4&1,N7 os ?uais continuam e<istindo ap8s a morte LMc
1-.,440G Ap -.9N.
67& a íblia7 a morte nunca signi(ca e<tin!o e sim separa!o7 isto B7 na
hora da morte a alma e o espírito separamse do corpo L1#s 1=.,1G Mc 2.33G
Tg ,.,-N7 passando ent!o a ter destinos di5erentes7 de acordo com a posi!o
?ue cada um tinha diante de Deus7 ?uando vivo7 ou se&a" a alma e o espírito
do crente ir!o para o Paraíso7 no Antigo Testamento chamado seio de
Abra!oK LMc 1-.,-N7 para estar com o *enhor LMc ,4.O4G , Co 3.2G 1,.,74N. E
corpo do crente na?uela ocasi!o ser' um corpo trans5ormado7 incorruptível
e imortal L1 Co 13.3134N7 e assim estaremos sempre com o *enhor L1Ts
O.1=N.
68& A alma e o espírito dos descrentes ir!o para o Rades7 ?ue B um lugar
de tormento e angstia7 para ali aguardarem a ressurrei!o e o &ulgamento
LMc 1-.1941N7 o ?ue se dar' ap8s o +ilnio. a?uela ocasi!o7 os incrBdulos
ressuscitar!o com os corpos ?ue estavam a?ui na terra7 para
comparecerem ao &ulgamento diante do trono branco L+t 10.,2G At 1=.41G
Ap ,0.1113N.
6!& E ser humano B di5erente de todas as demais coisas criadas. )mbora
os animais possuam alma7 esta B terrena7 ou se&a7 vive somente en?uanto
durar o corpo L)c 4.,1N. A alma do homem B de ?ualidade di5erente7 sendo
vivi(cada pelo espírito. Mogo7 e<iste alma humana e alma animal. A
inteligncia dos animais B de instinto7 ao passo ?ue a do homem B oriunda
da ra%!o. Es animais nascem7 vivem e morrem. E homem nasce7 vive e con
tinua e<istindo ap8s a morte L)c 1,.=G Rb 9.,=N.
7#&
7" & I X O S ( UD EU S
72& Suando da evangeli%a!o de um &udeu7 o ganhador de almas deve
estar ciente do seguinte"
"& H ./ // 1:@:>
- Devido @s tradi6es nas ?uais o &udeu B criado desde a in5Fncia.
- Devido @ concep!o &udaica em rela!o @ 5B crist!7 especialmente sobre o

-
car'ter
Por?uemessiFnico de nosso
o &udeu invocar' as *enhor >esus
tradi6es dos Cristo.
rabinos e suas interpreta6es do
Antigo Testamento.
- Por?ue ter' de pagar um alto preo para receber a Cristo. Tal atitude
poder' signi(car completo desligamento de sua 5amília e amigos íntimos.
Portanto7 ele ter' receio do despre%o ou apatia dos seus.
2& A .>* ./0 :/ 1 ?/ 0;>:/ . 1 B / * .B* 1* @**
73& +Btodos errados somente tender!o a aumentar o pre&uí%o e a
oposi!o ?ue o evangeli%ador encontrar'.
74& Midar com o ovo Testamento n!o a&udar' a evangeli%a!o de um
&udeu7 a n!o ser em circunstFncias e<traordin'rias. E ganhador de almas
dever' usar o Antigo Testamento ?uando 5alar com um &udeu.
75& o mBtodo do ap8stolo Paulo7 con5orme relatado em 1 Coríntios 9.,07
trs li6es podem ser observadas em rela!o @ sua maneira de atingir as
almas"
- a pai<!o divina como a motiva!o principal L#m 9.14NG
- sua vida de ora!o incessante para a salva!o do seu pr8prio povo L#m
10.1NG
- sua adaptabilidade L1Co 9.,0N.
76& E evangeli%ador dever' seguir o mesmo mBtodo.
77 & 3& O ?/0;>:/1* @:/>.0 :0/1*  =* 9.
@1:1*
78& Im &udeu praticante certamente saber' a hist8ria de seu pr8prio
povo7 &untamente com suas tradi6es e particular interpreta!o das
)scrituras.
7!& )vangeli%adores especialmente treinados com rela!o a estes
aspectos7 e com outros &' apresentados neste estudo7 ter!o a e<pectativa de
bn!os sobre o seu ministBrio pessoal com os &udeus.
8#
O.1.& 4& O provar
Para * @*que
* 1*esus
/ Eé@o:Messias
/ 1* A0:;* T/
prometido, .as
use 0seguintes
*
passagensB
8"& /saías 34  0 car'ter messiFnico de >esus B re&eitado pelos &udeus7
principalmente pelos aspectos de sua humilha!o e so5rimento. PorBm7 este
capítulo pode ser usado para provar de maneira conclusiva ?ue o +essias
seria mani5estado como um +essias so5redor7 ?ue seria despre%ado e
re&eitadoK7 indignoK7 aitoK7 oprimidoK e moídoK. )le tambBm seria 5e
rido pelas nossas transgress6esK.
82& *almos ,, e -97 e outras passagens reconhecidamente messiFnicas7
como Daniel 9.,O,-  compare com /saías 34 para mostrar ?ue o +essias
&' veio para so5rer e para ser tiradoK ou cortadoK.
83& *almos 112.,,,O re5erese @ pedra re&eitada. )sta re5erncia serve
para indicar a revela!o do Antigo Testamento com rela!o aos , caminhos
do +essias" o primeiro7 para ser despre%ado e re&eitadoG o segundo7 para
reinar em triun5o.
O.,. Para mostrar o dom/nio do Messias
- Ise passagens como" *almos ,.=G 110.1G /saías 9.,.
- DeuteronQmio -.O ser' indubitavelmente uma boa re5erncia para mostrar
?ue a palavra Elohim, mencionada no versículo em apreo7 para n8s B
plural. A palavra hebraica Echad, tradu%ida como um, B a mesma em
Znesis ,.,O7 onde Ad!o e )va7 n!o obstante serem duas pessoas7 s!o
mencionados como sendo uma carneK. Eutras re5erncias ?ue podem ser
usadas neste aspecto s!o as seguintes" Znesis 1.,-G 4.,,G 11.=G /saías -.2G
>eremias 10.10.
O.4. Mostre que o Messias viria antes do ano +
84& /sso B indicado e pode ser concluído pela pro5ecia de Znesis O9.10.
85& E cetro n!o se apartar' de >ud'. PorBm7 ?uando o general romano
Tito invadiu >erusalBm7 cumpriuse a pro5ecia de Mucas ,1.,0,O e ent!o os
&udeus 5oram levados cativos para todas as na6es.
86& 5& P :0@:/: 1 @>/   * ;/0/1* 1 / >./  @9 1
. 1
3.1. :Gs, os 9udeus, no podemos crer em tr8s deuses
87& Diante desta desculpa7 mencione o seguinte"
- Es crentes cultuam um nico Deus L1Co 2.-G 1Tm ,.3N.
- E Deus em ?uem n8s cremos B composto de trs pessoas LZn 1.,-G 4.,,G
11.=G /s -.2N7 ou se&a7 o Pai7 o Hilho e o )spírito *anto.
- A palavra Elohim B usada em Znesis 1.17 e em muitas outras passagens
do Antigo Testamento7 para e<pressar pluralidade de pessoas. Portanto7
todas as ve%es ?ue um &udeu pronunciar Elohim est' di%endo DeusesK.
- A palavra Echad LnicoN7 re5erente a Deus em DeuteronQmio -.O7 indica
uma unidade composta. )sta unidade B 5ormada pelas trs pessoas divinas.
- As trs pessoas divinas s!o mencionadas no Antigo Testamento" o Pai L/s
-4.1-G +l ,.10NG o Hilho L*/ O3G-=G /s
11. 17,G O2.1-G -1.1NG o )spírito *anto LZn 1.,G /s 11.17,G O2.1-G -1.1N.
- Prenncios da Trindade s!o indicados no Antigo Testamento Lver tríplice

3.,. >eus bn!o


no pode emter
m -.,O,-%lho
nenhum e tríplice do<ologia em /s -.4N.
88& Cite as re5erncias abai<o"
8!& ...Tu Bs meu HilhoG eu ho&e te gereiK L*/ ,.=N.
!#& Por?ue um menino nos nasceu7 um (lho se nos deuG e o principado
est' sobre os seus ombros7 e o seu nome ser' +aravilhoso Conselheiro7
Deus Horte7 Pai da )ternidade7 Príncipe da Pa%K L/s 9.-N.
!"& ... e ?ual B o nome de seu (lho...UK LPv 40.ON
3.4. ! Messias no é >eus
!2& Ise as seguintes passagens"
!3& E seu nome ser'" ... Deus Horte...K L/s 9.-N.
!4& )is ?ue vm dias7 di% o *enhor7 em ?ue levantarei a Davi um #enovo
&ustoG sendo rei7 reinar'7 e prosperar'... e este ser' o nome com ?ue o
nomear!o" E *enhor7 >ustia ossaK L>r ,4.37-N.
!5& ) tu7 elBm )5rata7 posto ?ue pe?uena entre milhares de >ud'7 de ti
me sair' o ?ue ser' *enhor em /srael7 e cu&as srcens s!o desde os tempos
antigos7 desde os dias da eternidadeK L+? 3.,N.
3.O. :o podemos crer em um nascimento virginal
!6& Ise as seguintes re5erncias"
!7& ...eis ?ue uma virgem conceber'7 e dar' @ lu% um (lho7 e ser' o seu
nome )manuelK L/s =.1ON.
!8& +ostre ?ue o +essias nasceu de uma virgem para cumprir a
promessa mencionada em Znesis 4.13 e /saías 9.-.
3.3. ! homem no herda uma nature?a de pecado
!!& Ise as seguintes re5erncias"
"##& Todos os sucessores de Ad!o caíram LZn 3.4G -.3N.
"#"&  E cora!o do homem B corrupto L*/ -2.12G >r 1=.9710N.
"#2& Todos deliberadamente se desviaram L/s 34.-N.
"#3& Todos se (%eram imundos L*/ 1O.,74G /s -O.-N.
3.-. A salvaço se o-tém somente por o-ras
"#4& Cite as passagens"
"#5& Abra!o 5oi &usti(cado pela 5B LZn 13.-N.
- emaventurados os ?ue crem L*/ ,.1171,N.
- *alva!o pelas obras B um caminho enganoso LPv 1O.1,N.
- E sangue do cordeiro garantia liberta!o L[< 1,.14N7 e >esus B o Cordeiro
prometido LZn ,,.2N.
- Desde ?ue a lei 5oi dada por Deus n!o houve ?uem a cumprisse L*/ 1O.,74N.
Portanto7 ?uerer ser &usti(cado pelas obras da lei B (car debai<o da
maldi!o LDt ,=.,-N.
3.=. "e eu crer em *esus, os amigos passaro a me perseguir
"#6& +encione as passagens abai<o"
"#7& E receio do homem armar' laos7 mas o ?ue con(a no *enhor ser'
posto em alto retiroK LPv ,9.,3N.
"#8& emaventurado o var!o ?ue n!o anda segundo o conselho dos
ímpios7 nem se detBm no caminho dos pecadores7 nem se assenta na roda
dos escarnecedores. Antes7 tem o seu pra%er na lei do *enhor7 e na sua lei
medita de dia e de noiteK L*/ 1.17,N.
3.2. :o posso deixar as minhas ami?ades
"#!& Ise as seguintes re5erncias"
""#& Hilho desvia
consintas... meu7 se os pecadores7
o teu pB das suascom blandícias7
veredasK te ?uiserem tentar7 n!o
LPv 1.1013N.
"""& A alma 5arta pisa o 5avo de mel7 mas @ alma 5aminta todo amargo B
doceK LPv ,=.=N.
""2& !o tenhas inve&a dos homens malignos7 nem dese&es estar com
elesK LPv ,O.1N.
""3& E receio do homem armar' laos...K LPv ,9.,3N.
""4& ... o companheiro dos tolos ser' aigidoK LPv 14.,0N.
""5& emaventurado o var!o ?ue n!o anda segundo o conselho dos
ímpios...K L*/ 1.17,N.
3.9. >eus é -om demais para condenar Ser as re)er8nciasB
- Deus n!o tem pra%er na morte do ímpio L)% 12.,94,N.
- *omente a convers!o livrar' o homem da condena!o L)% 44.11N.
- Deus condenou a gera!o antediluviana LZn -.3=N.
- Deus condenou as cidades de *odoma e Zomorra LZn 19.,O7,3N.
- E homem ?ue n!o se converter ser' condenado L*/ =.1,N.
- Es maus atos do homem o levar!o @ condena!o L>r ,.19N.
3.10. :o é poss/vel ter certe?a da salvaço Lse as passagens a-aixoB
- Deus est' pronto a des5a%er todas as transgress6es L/s
""6& OO.,,N.
- Deus est' pronto a apagar os pecados e n!o se lembrar mais deles L/s
O4.,3N.
- Pode perdoar os piores pecados L/s 1.12N.
- V uma bemaventurana concedida por Deus ao homem L*/ 4,.1N.
- Para ter o perd!o dos pecados B necess'rio uma convers!o total a Deus L/s
33.=N7 acompanhada de con(ss!o L*/ 4,.3N e humilha!o L, Cr =.1ON.
6& M*  * N*?* T/.0* B =* :0:/1* /0* * A0:;*
""7& )<istem apro<imadamente 910 cita6es do Antigo Testamento no
ovo"
""8& +ateus  91 +arcos  O1 Mucas  -0 >o!o  OO Atos  --
""!& #omanos 42=
O Colossenses 1 e1 ,e Tessalonicenses
, Coríntios  -- Z'latas
 4 1 e , Tim8teo
1= )5Bsios  10
 10 Hilipenses
Rebreus  110
Tiago  ,0 1 e , Pedro  4= >udas  9 Apocalipse  ,40
"2#& >esus citou muitos 5atos mencionados no Antigo Testamento. )is
algumas re5erncias7 entre outras"
- Cria!o de Ad!o e )va L+t 19.O-N
- Dilvio L+t ,O.4=49N
"2"& >onas L+t 1,.O0N
- +oisBs L>o 4.1O1-N
- M8 e sua esposa LMc 1=.,27,9N
- Daniel L+t ,O.13N
- Davi L+c 1,.4-N
"22& A íblia registra apro<imadamente 1.200 palavras pro5eridas pelo
*enhor >esus7 das ?uais 120 s!o cita6es das )scrituras.
"23& Es ap8stolos tambBm mencionavam sempre as )scrituras. We&amos
alguns e<emplos"
- Pedro LAt 1.1-G ,.1-,1G 1Pe O.11N.
- Paulo L,Tm 4.1371-N. )<istem apro<imadamente ,0, cita6es em suas
epístolas.
"24& +ostre a inspira!o do ovo Testamento pelo cumprimento das
pro5ecias do Antigo. We&amos algumas relacionadas com o *enhor >esus"
- E lugar do nascimento L+? 3.,G +t ,.1N.
- *eu nascimento atravBs de uma virgem L/s =.1OG +t 1.12,3N.
- *ua condi!o de Hilho de Davi L,*m =.1-G +t 1.1N.
- *ua entrada triun5al em >erusalBm Lc 9.9G +t ,1.1-N.
- *eria traído por um discípulo L*/ O1.9G +c 1O.10711N7 o ?ual o venderia por
40 moedas Lc 11.1,G +t ,-.,3N. Ap8s a devolu!o7 o dinheiro seria para a
compra do campo de um oleiro Lc 11.1,714G +t ,=.310N.
"25& >esus seria &ulgado L*/ -9.O1,G Mc ,4.1.10N7 porBm (caria calado L/s
34.-7=G
3.1G +t +t ,-.-4NG seria cuspido L/s 30.-G +t ,-.-=N e 5erido no rosto L+?
,=.40N.
"26& >esus seria cruci(cado L*/ ,,.1-G c 1,.10G >o 19.1=,3N &unto com os
mal5eitores L/s 34.1,G +t ,=.42NG oraria pelos seus cruci(cadores L/s 34.1,G
Mc ,4.4ONG vinagre serlheia o5erecido L*/ -9.1,G +t ,=.,ONG morto7 o seu
lado seria transpassado com uma lana Lc 1,.10G >o 19.O-N.
"27& >esus seria sepultado entre os ricos L/s 34.9G +t ,=.3=-0N. 
"28& >esus ressuscitaria e ascenderia aos cBus L*/ 1-.10G ,O.=G Es -.,G Mc
,O.11,N.
"2!& >esus teria um ministBrio de milagres L/s 43.3G +t 9.43G >o 3.39N.
"3#& As palavras do *enhor >esus em rela!o @ inspira!o do ovo
Testamento.
"3"& Wer >o!o 4.4OG =.1-G 1,.O9730G 14.,0G 1O.107,-G 1=.1=,0.
"32&
"33&
"34&
"35&
"36&
"37&
"38&
"3!&
"4#&
"4"&
"42&
"43&
"44&
"45&
"46&
"47&
"48&
"4!&
"5#&
"5"&
"52&
"53&
"54&
"55&
"56&
"57&
"58&
"5!&
"6#&
"6"&
"62&
"63&
"64&
"65&
"66&
"67&
"68&
"6!&
"7#&
"7"&
"72&
"73&
"74& "5 EVANGELIZAÇÃO DE CRIANÇAS
"75&
"76& E assunto ?ue passaremos a estudar B um dos mais importantes
mencionados na íblia  a evangeli%a!o de crianas.
"77& Zeralmente7 ?uando se ouve 5alar em evangeli%a!o7 a primeira coisa
?ue nos ocorre B ganhar a mocidade e os adultos para Cristo. As ve%es as
crianas (cam es?uecidas. )mbora para alguns o assunto possa n!o
parecer t!o importante7 veri(camos ?ue evangeli%ar crianas B lanar a
semente num campo muito 5Brtil7 onde os 5rutos ser!o e<traordin'rios.
"78& As estatísticas indicam ?ue a maior parte da popula!o do rasil B
constituída de &ovens e crianas. As estatísticas tambBm mostram ?ue a
maior parte dos marginais tem menos de ,3 anos.
"7!& Tais in5orma6es devem chamar a nossa aten!o. Alguma coisa est'
dei<ando de ser 5eita. Certamente7 a maior parte desses &ovens n!o teve a
5elicidade de encontrar alguBm ?ue os orientasse a respeito do verdadeiro
Deus e da importFncia de temer a )le ?uando ainda crianas. Ro&e est!o
entregues a toda sorte de maus costumes7 vícios7 etc.7 causando sBrios
problemas @ sociedade e atB mesmo @s autoridades7 ?ue veem o nmero de
dependentes ?uímicos aumentar dia a dia7 paralelamente ao aumento do
tr'(co de drogas.
"8#& )is aí um vasto campo para o ganhador de almas. Sue a sua
preocupa!o n!o (?ue voltada t!osomente para os adultos. E valor das
almas B o mesmo7 tanto para os adultos como para as crianas.
"8"&
/. POR QUE EVANGELIZAR CRIANÇAS
1. A @:/0</ 1 * =* * *.0 1 /./0=
"82& *er!o os 5uturos presidentes7 governadores7 deputados7 senadores7
etc.7 a condu%ir o destino da na!o. *er!o pastores7 presbíteros7 di'conos7
etc.7 ?ue no 5uturo estar!o liderando o rebanho do *enhor. E ?ue n8s lhes
ensinarmos na in5Fncia ser' de grande utilidade no 5uturo.
"83& E ensino da íblia B bem claro nesse sentido. )m ProvBrbios ,,.-
lemos" /nstrui o menino no caminho em ?ue deve andar7 e7 atB ?uando
envelhecer7 n!o se desviar' deleK. #ealmente7 a criana ensinada nos
caminhos do *enhor ter' um padr!o de conduta e<emplar. Hicar' sempre
convicta de ?ue tudo depende de DeusG de ?ue a ora!o B um 5ator
indispens'vel para manter a comunh!o com )le e obter s'bia dire!o para
a vidaG de ?ue a nossa vida a?ui B e5mera e passageiraG de ?ue a certe%a
de salva!o e a eternidade s!o realidades indiscutíveis. A criana educada
na doutrina e admoesta!o do *enhorK L)5 -.ON ter' uma base moral e
espiritual s8lida7 inabal'vel7 ?uando adulta. ) de homens e mulheres assim
?ue o mundo carece. ) de homens e mulheres assim ?ue as nossas igre&as
precisam.
"84& *!o eles ?ue e<ercer!o grande inuncia na sociedade7 ho&e
corrompida pelos maus costumes7 vícios7 drogas7 5alta de pudor7 etc.
"85& a íblia encontramos grandes her8is da 5B7 ?ue desde o bero 5oram
ensinados nas verdades eternas e7 ?uando adultos7 5oram verdadeiros vasos
de bn!os nas m!os de Deus. We&amos alguns"
1.1. Moisés
"86&
,.9N Desde
. +ais pe?ueno
tarde7 5oirecebeu ensinamentos
levado para o pa l'cio de
de sua m!esendo
Hara87 L[< adotado pela
(lha de Hara8 L[< ,.10N. Suando adulto7 recusou ser chamado (lho da (lha
de Hara8K LRb 11.,ON7 isto B7 recusou a posi!o de 5uturo governador7 bem
como os tesouros do )gitoK LRb 11.,-N. )scolheu7 antes7 ser maltratado
com o povo de Deus do ?ue7 por um pouco de tempo7 ter o go%o do pecadoK
LRb 11.,3N e (cou (rme neste prop8sito como vendo o invisívelK LRb
11.,=N. Donde lhe veio toda esta convic!o e (rme%aU Certamente dos
ensinamentos recebidos de sua m!e7 ?uando criana.
1.,. "amuel
"87& Como resultado do voto ?ue (%era7 Ana concebeu *amuel L1*m 1.,0
,=N. Ap8s ser desmamado7 sua m!e o levou para a Casa de Deus e ali o
dei<ou para servilo L1*m 1.,2N. )m sua &uventude pQde ouvir a vo% de Deus
L1 *m 4.210N7 e o *enhor era com ele7 e nenhuma de todas as suas
palavras dei<ou de cair em terraK L1 *m 4.19N. Hoi um dos maiores &ui%es
?ue /srael &' teve7 e consta da rela!o dos her8is da 5B LRb 11.4,744N.
Donde veio a 5ora ?ue o impulsionou durante toda a sua vidaU Certamente
muita inuncia ele recebeu ?uando ainda era pe?ueno.
"88& +anual de )vangelismo
"8!& 1=-
1.4. JimGteo
"!#& Desde a sua meninice ele &' sabia as sagradas letrasK L,Tm 4.13N7
?ue havia aprendido de sua m!e )unice e esta7 por sua ve%7 de sua m!e7
M8ide L,Tm 1.3N. Tinha bom testemunho LAt 1-.17,N. Teve uma atua!o
muito grande nas viagens mission'rias do ap8stolo Paulo LAt 1-.17,G 1=.13G
19.,,N7 bem como em diversas igre&as L#m 1-.,1G 1Co O.1=G Hp ,.19G 1Ts
4.,N. Hoi um dos grandes instrumentos de Deus nos dias da /gre&a Primitiva.
Certamente o ?ue ouvira ?uando criana davalhe uma s8lida coragem para
en5rentar a dura pele&a da propaga!o das oas ovas de salva!o.
1.O. >avi
"!"& Desde sua &uventude &' servia a Deus7 agradandoo a ponto de ser
escolhido para ser o rei de /srael L1*m 1-.1N. Hoi ungido L*l 29.,0N e usado
por Deus de uma maneira t!o poderosa como poucos o 5oram7 e tornouse
um dos maiores reis de /srael.
"!2& ) um tipo de nosso *enhor >esus Cristo. Sual teria sido o segredo de
tantas vit8rias por ele alcanadasU Deus era com ele desde sua &uventude
L1*m 1-.1412N.
israelita ensinavaCertamente aprendeu
a lei do *enhor a seusa(lhos
servilo
LDtdesde
-.-7=N.criana7 pois o pai
1.3. >aniel e seus companheiros ananias, Misael e A?arias
"!3& Suando crianas7 haviam sido ensinados na maneira correta de servir
a Deus.
"!4& Suando 5oram levados cativos para a abilQnia7 5oilhes o5erecido
comer do man&ar do rei. PorBm7 Daniel assentou no seu cora!o n!o se
contaminar com a por!o do man&ar do rei...K LDn 1.2N7 por?ue havia
aprendido ?ue a lei de Deus proibia comer tais comidas7 pois eram
o5erecidas aos deuses de abilQnia LDt 4,.4=742G */ 10-.,2G 1O1.OG Es 9.4N.
Por isso7 ele dominou suas necessidades vitais comendo verduras e bebendo
'gua LDn 1.1,N.
"!5& Suando 5oram ameaados de serem lanados na 5ornalha de 5ogo
ardente7 caso n!o se prostrassem diante da grande imagem ?ue o rei havia
mandado erigir7 os trs moos se recusaram7 e Deus os guardou de uma
maneira poderosa LDn 4.1,,3N.
"!6& )les haviam aprendido na lei de Deus a proibi!o de prostrarse
diante de imagens L[< ,0.O73G ,4.,ON.
"!7& Donde teriam vindo tais convic6es7 a ponto de esses moos
colocarem suas vidas em risco7 mas n!o ultrapassarem os ensinos bíblicosU
Suando crianas7 haviam aprendido a lei de Deus e isto lhes dava uma
certe%a inabal'vel da presena de Deus com eles. !o temiam nada. Sue
maravilha
,. A @:/0</ B *:1*/ 1 . @*/<=*  /:01/ 0=* *: *@/1*
@*. *  B ./ 0 .01*
"!8& A casa ainda n!o 5oi manchada nem dani(cada. ) em campo assim
?ue >esus deve ser introdu%ido. Suando >esus e<pirou na cru%7 5oi colocado
em um sepulcro novo7 em ?ue ainda ninguBm havia sido postoK L>o 19.O1N.
Antes ?ue *atan's venha usar a casa7 colocando nela a sua ne5asta
mobíliaK como prostitui!o7 impure%a7 lascívia7 idolatria7 5eitiaria7
inimi%ade7 por(as7 emula6es7 iras7 pele&as7 dissens6es7 heresias7 inve&as7
homicídios7 bebedices e glutonariasK LZl 3.19,1N7 sim7 antes de o /nimigo
trabalhar7 n8s devemos levar >esus a esses cora6es t!o tenros7 ?ue ainda
n!o tm condi6es de discernir entre o bem e o mal.
"!!& E dese&o do /nimigo B matarK as crianas espiritualmente7 mas
vamos livr'las de suas m!os7 assim como procederam as parteiras no )gito
L[< 1.1-,0N. Antes ?ue se&am atingidas pelo maligno7 vamos escondlas
no lugar mais seguro ?ue e<isteK L*/ 91.1G Rb 11.,4N.
4. V/.* ;/0>/
2##& Antes ?ue elas venham a ser entregues @ sua pr8pria sorte e cresam
com ideias errQneas sobre Deus7 devido @ inuncia de colegas mal
in5ormados ou de seitas e 5alsas religi6es ?ue ho&e in5estam o mundo com
suas heresias. ) curioso notar como os adeptos de tais grupos religiosos
empregam grande es5oro no sentido de con?uistar as crianas para seus
movimentos herBticos7 ensinandolhes conceitos errados ?ue se chocam
com a s! doutrina. /n5eli%es s!o essas crianas.
2#"& Desde cedo nas veredas tortuosas7 envolvidas em pr'ticas
demoníacas7 algumas sendo atB sacri(cadas L,#s ,4.10G , Cr ,2.4N. Eutras7
tm suas personalidades de5ormadas pelo ?ue aprenderam. Suem poder'
salv'las desta situa!o a ?ue est!o presasU Suem poder' ensinarlhes o
verdadeiro caminhoU *omente os salvos. +uitas ve%es7 no olhar inocente de
uma
?uer criana
conhecerenvolvida pelo)mal7
a verdade. vemosdacomo
o clamor alma?ue a splica
pelo p!oK ede alguBm
pelo ?ue
pei<eK
verdadeiro7 porBm est!o recebendo pedra por p!o e serpente por pei<e L+t
=.10.11N. ) o ?ue as 5alsas doutrinas est!o 5a%endo com seus adeptosG entre
eles7 as crianas.
2#2& #ealmente7 e<iste uma disputa entre os 5alsi(cadores da doutrina e os
salvos por >esus na con?uista das crianasG porBm a?ueles n!o est!o
preocupados com o bemestar espiritual das crianas. )les n!o se
incomodar!o se elas perecerem espiritualmente.
2#3& +as os salvos tm sentimento e amor de Deus nos cora6es7 e seu
alvo B ?ue as crianas vivam e n!o morramG o comportamento dos salvos B
idntico ao da verdadeira m!e L1#s 4.1-,=N.
2#4& As doutrinas 5alsas ?uerem dar veneno @s crianas7 porBm7 vamos
levarlhes a 5arinhaK da Palavra de Deus e o veneno cessar' L,#s O.42O1N.
Devemos chegar antes
2#5& 4& A @:/0</ B ./ Y* 0*?/
2#6& R' ores novas e velhas. Suando uma criana B salva7 uma vida toda
B salva. Suando um anci!o B salvo7 apenas uma alma B salva7 pois ?ue a
vida &' 5oi gasta7 corroída tal ?ual as ores velhas7 murchas7 com as pBtalas
prestes a cair. Sue diria alguBm ao receber de presente um ramo de ores
murchasU Certamente agradeceria7 porBm (caria muito mais grato se lhe
tivessem dado um ramo de ores novas7 viosas e 5rescas.
2#7& Assim7 tambBm Cristo merece o melhor.
2#8& 5& S  0= * 0 :0/.* / P/ >/?/ 1  D    @: /0< /  >/ : =*
/01 1:0 0/ @*>/ 0:?:1/1 @&
2#!& /n5eli%mente7 um grande grupo de pro5essores B materialista e
procura incutir na mente dos alunos uma sBrie de conceitos errados a
respeito da e<istncia de Deus7 da cria!o do universo de acordo com o
conceito da evolu!o7 e da nega!o de muitos 5atos e milagres registrados
na íblia *agrada. Portanto7 vamos chegar primeiro7 antes ?ue o cora!o da
criana (?ue como a semente caída ao pB do caminhoK L+t 14.O19N7 isto B7
pisada pelas ideias errQneas dos homens7 por suas v!s (loso(as7 etc.
6& A @*>:/ B @/  @:/ 1 *
2"#& Mana o teu p!o sobre as 'guas7 por?ue7 depois de muitos dias7 o
achar'sK L)c 11.1N.
2""& Todo o tempo ?ue empregamos para evangeli%ar uma criana nunca
ser' perdido7 pois partindo de um princípio sadio7 elas continuar!o assim
por toda a vida.
2"2& Para mudar o mundo B necess'rio mudar os homensK7 disse alguBm.
2"3& +as pouco adiantar' concentrar os es5oros somente nos adultos7 no
sentido de ?ue se&am trans5ormados. ) necess'rio concentrar todos os
es5oros na base do edi5ício. )di5ício bem construído resiste por sBculos. De
igual modo7 a educa!o7 principalmente o conhecimento de Deus7 deve
comear na in5Fncia para ?ue o edi5ício espiritualK se&a resistente.
2"4&
II& EVANGELIZAÇÃO NO LAR
2"5& E ensino da Palavra de Deus deve comear no lar.
2"6& +as7 se alguBm n!o tem cuidado dos seus e principalmente dos da
sua 5amília7 negou a 5B e B pior ?ue o in(elK L1Tm 3.2N.
2"7& #ealmente7 B no lar ?ue a criana deve ter seu primeiro contato com
os ensinamentos bíblicos7 atravBs de seus pais LDt -.-7=N.
2"8& Hoi atravBs do ensino de pais piedosos e tementes a Deus ?ue alguns
homens 5oram grandemente usados por Deus como *amuel7 Tim8teo7
+oisBs7 etc.
2"!& /n5eli%mente7 em alguns lares isso n!o acontece. Es (lhos crescem
completamente alheios @s coisas espirituais e7 ?uando adultos7 n!o
produ%em bons 5rutos. Es (lhos de )li s!o um e<emplo disso L1*m ,.1,N.
22#& Wivemos numa Bpoca em ?ue e<istem pais obedientes e (lhos
mand6es. Sue Deus nos guarde
22"& a vida de >esus temos grandes e<emplos" )le era submisso a seus
pais LMc ,.31N e aprendeu a obedecer LRb 3.2N.
222& A vontade de Deus B ?ue todos da casa se&am salvos LAt 1-.41N.
223& Suando /srael estava no )gito7 Hara8 ?ueria ?ue s8 os homens
saíssem para servir ao *enhor L[< 10.=N7 porBm +oisBs retrucou" Ravemos
de ir com nossos meninos e com os nossos velhosG com os nossos (lhos7 e
com as nossas (lhas...K L[< 10.9N. *im7 todos devem sair do )gito7 isto B7 do
mundo de pecado7 inclusive as crianas.
224&
III& EVANGELIZAÇÃO DE CRIANÇAS NA ESCOLA DOMINICAL
225& AtravBs da escola dominical a criana tem mais condi6es de
aprender a Palavra de Deus.
226& Desde os dias de +oisBs7 lemos a respeito de reuni6es nas ?uais o
povo7 inclusive as crianas7 devia comparecer para ouvir os ensinamentos
sagrados LDt 4171,714G e 2.114G 1,.O4N.
1. E0:0/ @:/0</ B ./ 1/ // ./: ;/:@/0 * >/
- n!o tm malícia L1Co 1O.,0NG
- ouvem com aten!o os ensinos ministradosG
- tm uma simplicidade incomumG
- s!o humildesG
- &amais es?uecem os ensinosG
- s!o curiosas e aprendem 5a%endo perguntasG
- aprendem imitando. ) uma das características das crianas. Portanto7 bons
e<emplos ser!o imitadosG
- saltar!o de pra%erK na presena de Deus LMc 1.O1N.
,. C*.* />/ @*. / @:/0</
- Ise uma linguagem acessível a suas mentes.
- Itili%e (guras bíblicas para obter melhores resultados no ensino.
- Desperte o interesse delas pela aula atravBs das hist8rias bíblicas.
- Haa perguntas com o ob&etivo de en5ati%ar o ensino.
- E ensino deve ser regadoK com ora!o e preparo bíblico.
4. C*.* >?/ @:/0</  @*>/ 1*.:0:@/>
- As crianas salvas e 5re?uentadoras assíduas da escola dominical poder!o
5a%er um grande trabalho nesse sentido7 convidando as crianas n!o
crentes a virem @ igre&a tambBm.
- Es pais devem es5orarse para tra%las @ igre&a LDt -.-7=N. E templo B o
lugar do ensino e da bn!o. >esus7 ainda pe?ueno7 5oi levado por seus pais
ao Templo LMc ,.,=N7 para com )le procederem de acordo com a Mei.
Suando menino7 tambBm 5oi levado ao Templo nos dias da Hesta da P'scoa
LMc ,.O,N.
227& *e&am as crianas de colo ou n!o7 seus pais devem es5orarse para
tra%las @ casa de Deus a (m de ouvirem os santos ensinamentos.
228& 4& C*.* :0@0:?>/
22!& R' diversas maneiras de incentivarmos as crianas a virem @ casa de
Deus.
23#& '#&# Através do coro in)antil
23"& Crianas gostam de cantar7 e o seu louvor B o mais per5eito L*/ 2.,N
O.,. >e ve? em quando, convide.as para testi%car e pregar (Pv 2+#&&$
O.4. >ependendo do caso, leve.as nas visitas
O.O. 1eve.as ao culto ao ar livre
O.3. >eixe.as recitar poesias (principalmente nas datas comemorativas$
O.-. Ensine m=sica a elas
232& As crianas s!o os msicos e coristas de amanh!.
O.=. Promova concursos de perguntas -/-licas
O.2. Promova cultos de oraço com a participaço delas (At &2#&5$#
233& Todos os es5oros devem ser 5eitos para ?ue n!o venhamos a impedi
las de se chegarem ao *enhor L+t 19.1OG +c 10.1ON. Devemos regar a
semente do evangelho ?ue est' no cora!o delas L1 Co 4.-N.
234& Sue Deus levante irm!os e irm!s dotados de talentos tanto para
trabalhar com crianas salvas ?uanto para ganhar as ainda n!o salvas.
235&
236&
237&
238&
23!& "6 A O$RA MISSION%RIA
24#&
24"& ) este evangelho ser' pregado em todo o mundoK B realmente uma
pro5ecia. unca em toda a hist8ria da cristandade houve tanto es5oro
mission'rio como nos ltimos tempos. +ission'rios tm sido enviados para
todas as partes do mundo. As ondas radio5Qnicas levam o evangelho atB
onde a presena de mission'rios B proibida. A íblia &' est' tradu%ida em
mais de ,.000 línguas e dialetos7 mas o *enhor da seara continua
chamando cei5eiros para esta t!o importante tare5a.
242& Como ouvir!o se n!o h' ?uem pregueUK L#m 10.1O1=N )is aí a ra%!o
de enviarmos
salva!o mais Sue
L#m 10.13N. mission'rios
Deus nos para anunciarem
d a sua graa7 paraas?ue
oas ovaster
possamos dea
vis!o mission'ria e nos apresentarmos diante d)le7 na?uele dia7 di%endo"
)isme a?ui com os (lhos ?ue tu me deste LRb ,.14N.
I& O M UNDO H O C AMPO M ISSION%RIO ) M "3&38+ "& O @ /.* 0=*
B * .>*
243& Ainda ?ue obtenhamos algumas convers6es em nossas igre&as7
devemos sempre ter em mente ?ue ela B Casa de ora!o L+t ,1.1,714N e de
ensino LAt 3.,1N. E e<emplo de >esus B bem claro neste aspecto em +ateus
9.437 ?ue registra ?ue )le percorria todas as cidades e aldeias. A /gre&a
Primitiva anunciava as oas ovas tambBm pelas casas LAt 3.O,N.
244& Portanto7 ainda ?ue o templo se&a o local onde o povo de Deus se
rene para cultu'lo7 n!o B o campo mission'rio.
,. O @/.* 0=* B */ :;/ )2 C* "#&"6+
245& E verdadeiro crescimento da igre&a B decorrente das almas ?ue7
arrependidas7
pessoas salvas aceitam
?ue vmadegraa deigre&as
outras Deus LAt 9.41N. sua
tra%endo !ocarta
B o resultado de E
de mudana.
mission'rio n!o deve pescar no a?u'rioK alheio7 mas sim no alto mar.
4. O @/.* B * .01* )M "3 38+
246& A vis!o da /gre&a deve ser mission'ria. We&amos algumas re5erncias
bíblicas"
247& Todas as sinagogas L+t O.,4G 9.43NG todas as aldeias L+t 9.43NG todas
as na6es L+t ,2.19G Mc ,O.O=NG todo o mundo L+t ,O.1OG +c 1-.13NG os
con(ns da terra LAt 1.2NG os limites da terra L*/ ,,.,=NG as e<tremidades da
terra L/s O9.-NG todos os homens em todo lugar LAt 1=.40N.
II& VISÃO MISSION%RIA  A SALVAÇÃO DE TODOS OS OMENS
248& E convite da salva!o destinase a todos os tipos de pessoas7 de
?ual?uer credo7 cor7 raa7 religi!o7 cultura e posi!o social7 em todos os
lugares.
24!& A vis!o espiritual B o supremo segredo para ?uem dese&a ganhar
almas para Cristo. >esus ordenou aos seus discípulos ?ue levantassem seus
olhos L>o O.43N. )le mesmo viu ?ue a multid!o era como ovelhas ?ue n!o
tm pastorK L+t 9.4-N.
"& V:=* / .>:/1/
25#& ... e sermeeis testemunhas tanto em >erusalBm como em toda a
>udBia e *amariaK LAt 1.2N B o trabalho reali%ado em casa7 na escola7 no
trabalho7 na rua7 nas praas7 com os vi%inhos7 etc. )ssa B a nossa
>erusalBm.
25"& E mission'rio deve comear por >erusalBm. Ima ve% reali%ado seu
trabalho ali7 ele pode partir para a >udBia e *amaria7 isto B7 sua vis!o
comea a ampliarse para evangeli%ar pessoas e cidades distantes.
252& Hinalmente sua vis!o atinge a plenitude e ele comea a ter dese&o de
evangeli%ar ... atB aos con(ns da terraK LAt 1.2N.
2& N/ ?:=* .: :*0:/ *1* * *.0 = * :0@>1*
253& We&amos algumas re5erncias bíblicas nesse sentido"
254& ...pregai o evangelho a toda criaturaK L+c 1-.13N.
255& Por?ue Deus amou o mundo de tal maneira ?ue deu o seu Hilho
unignito7 para ?ue todo a?uele ?ue nele cr n!o perea7 mas tenha a vida
eternaK L>o 4.1-N.
256& ^Deus_ ?uer ?ue todos se salvemK L1 Tm ,.ON.
257& Por?ue a graa de Deus se h' mani5estado7 tra%endo salva!o a
todos os homensK LTt ,.11N.
258& n!o ?uerendo ?ue alguns se percam7 sen!o ?ue todos venham a
arrependerseK L,Pe 4.9N.
25!& ...por?ue 5oste morto e com o teu sangue compraste para Deus
homens de toda tribo7 e língua7 e povo7 e na!oK LAp 3.9N.
26#& E nmero da?ueles ?ue ainda n!o ouviram 5alar nada sobre o
evangelho B muito grande. Sue Deus nos desperte para esta grande tare5a.
26"&
III& DESPERTAMENTO MISSION%RIO  AS ALMAS SOMENTE
PODERÃO CRER DEPOIS DE OUVIREM A PALAVRA )R. "#&"""4+
262& os versículos supracitados encontramos ?uatro palavras chave"
crer7 ouvir7 opregar7
Ebservamos enviar. E mission'rio pregaG o povo ouve e cr.
seguinte"
"& E0/0* * *.. 0=* @  1:1* )(* 3&"836+
2& O *.. /1 : B /01* *? / P/>/?/ 1 D )R. "#&"7+
263& 4. A 5B @*.0:@/ />?/<=* /* *.. LAt 1-.40741G #m 3.1G )5 ,.2N
O. A B @*.0:@/ :@/ 90<=* 1* @B @*.* @/ 9/:.* 0*
E:* S/0* @& )M@ "6&"7"8 E 2&"3+
264& Deus opera pela sua Palavra. Suando o mission'rio comea a 5alar7 o
)spírito do *enhor 5a% uma obra gloriosa na vida dos ouvintes L)% 4=.9G At
,.O07O1G O.ON. Suando Hilipe pregou a Palavra para o eunuco da rainha
Candace7 ele decidiuse por Cristo LAt 2.434=N. Suando Pedro pregou na
casa de CornBlio7 todos receberam a Cristo em seus cora6es LAt 10.O,O2N.
265&
IV& DESPERTAMENTO PARA O ENVIO DE MISSION%RIOS  O
$RADO DOS PERDIDOS
266&
267& ...
osPassa @ +acedQnia
países ?ue n!o etma&udanosK LAt 1-.9N.
o evangelho7 as almas perdidas est!o
clamando para ?ue alguBm se&a enviado para livr'las da angstia7 da
ai!o e do caminho da perdi!o.
268& Sue Deus nos d ouvidos para ouvir o clamor das almas angustiadas
pelo pecado Sue possamos levarlhes a solu!o atravBs das oas ovas de
Cristo Sue o nosso espírito se comova ao vermos os povos t!o entregues @
idolatria LAt 1=.1-N7 como ovelhas ?ue n!o tm pastorK L+t 9.4-N. )is
alguns e<emplos desse clamor"
"& A>;0 =* @> /./01* ..* @*. / $ 9>:/ 0/ .=*
26!& ... Como poderei entender7 se alguBm me n!o ensinarU ) rogou a
Hilipe ?ue subisse e com ele se assentasseK LAt 2.41N. E mission'rio tem o
ensino corretoG por isso >esus o comissionou L+t ,2.19N.
2& O .01*   /.:0*  @> /./01* >* =*  ::/>  />:.0/
/ />./ )(* 6&3"35+
27#& >esus est' di%endo ao mission'rio" ... dailhes v8s de comerK L+t
1O.1-N.
27"&
272& 4. E pecador est' pobre7 destituído de ?ual?uer valor espiritual7 como
perd!o e trans5orma!o
273& )le est' esperando receber do mission'rio alguma coisaK LAt 4.,3N.
E mission'rio tem alguma coisa para dar7 pois de graa recebeu e de graa
deve dar L+t 10.2N.
1. E n!ocrente est' caí do na estra da do pecado 7 esperando ?ue alguBm o
socorra
274& E levitaK e o sacerdoteK Lreligi6es e (loso(asN passaram pela sua
vida e nada puderam 5a%er em seu bene5ício. E mission'rio Lo bom
samaritanoN B esse alguBm ?ue pode a&udar7 pois leva em sua bagagem o
vinho e o a%eite La Palavra de Deus inspirada  ,Tm 4.1-N para tratar as
5eridas causadas pelo pecado L/s 1.37-N. PorBm o trabalho do mission'rio
n!o termina aí. )le deve continuar velando pela alma salva7 %elando por ela7
levando a carga LZl -.,N7 suportando a 5ra?ue%a dos 5racosK L#m 13.1N e os
levando no seu regaoK L/s O0.11N.
275& E mission'rio n!o deve es?uecer de lev'los para a estalagemK
Ligre&aN7 onde o hospedeiroK Lo *enhorN &' preparou a mesaK LPv 9.,N.
276& ConvBm notar ?ue na par'bola registrada em Mucas 10.404=7 o bom
samaritano era um estrangeiro Lv. 44N7 assim como o mission'rio B um
estrangeiro nos países para onde Deus o manda.
,. E pecador B a?uela pessoa ?ue est' no char co de lodo sem con di6es de
sair por si pr8pria L*/
277& O0.17,N
278& Suanto mais ele se es5ora para sair7 mais a5unda no lodo. Tal uma
mosca ao cair numa teia de aranha" ?uanto mais bate as asas7 mais (ca
presa. Assim B o pecador pois7 sem Deus7 nada pode 5a%er L>o 4.,=N.
27!& V necess'rio ?ue alguBm o tire de l'7 e esse alguBm B o mission'rio7
cu&os pBs &' est!o bem (rmados na rocha Lsalva!oN.
28#& *eu trabalho ser' lanar a cordaK da Palavra de Deus. Suem
segurar na cordaK7 isto B7 ?uem crer no *enhor >esus7 ser' liberto e salvo
L>o 4.1-71=N.
4. destruído
E pecadorporest' rodeado
ele L#m -.,4N pelo 5ogo do pecado e n!o demorar' a ser
28"& )le est' clamando por socorro7 e o mission'rio B a?uele ?ue tem
condi6es de tir'lo dessa situa!o atravBs da Palavra de Deus L>d ,4N e do
nome de >esus7 ?ue liberta o homem de tudo L>o 2.4,N.
O. E n!ocrente B a?uela pessoa ?ue caiu no mar deste mundo
282& Pode a5ogarse L1Tm 1.19N e ser tragado pela serpente e pelo drag!o
?ue est' no marK L/s ,=.1N. E pecador clama por socorro L+t 1O.40N.
AlguBm precisa &ogar o salvavidasK para este homem7 e esse alguBm B o
mission'rio7 ?ue tem o salvavidasK da graa LTt ,.11N7 o ?ual salva o
homem do perigo L)5 ,.279N.
3. E pecador B a?uela pessoa ?ue est' no barc o ?ue desce a corr ente do rio
do pecado L)5 , .,N
283& A velocidade B acelerada7 e o barco &' prestes a cair na cachoeira da
condena!o. )sse homem n!o sabe nadar e grita pelo socorro de alguBm
?ue est' na margem. )sse alguBm B o mission'rio7 ?ue deve &ogar para o
pecador a cordaK da Palavra. *e o pecador segurar a cordaK7 isto B7 se
crer em >esus como seu *alvador7 ser' tirado da?uela situa!o t!o
incQmoda e angustiante L>o 10.,=,9N.
284& 9. E pecador B a?uela pessoa ?ue 5oi mordida pela serpente
venenosaK LpecadoN
285& Acabar' morrendo em breve L>o 2.,OG #m -.,4N. )ste homem est'
prestes a morrer e procura tomar algum remBdio ?ue conhece ou sobre o
?ual &' ouviu 5alar Lboas obrasG outros mediadores alBm de >esusG etc.N. +as
nada resolve7 ele continua piorando L,Tnr 4.14N7 e suplica ?ue alguBm lhe
d o remBdio certo. *omente o mission'rio tem esse remBdioK7 ?ue B >esus
L>o 4.1O1=N.
10. E mission'rio tem a pa% L+t 10.1,714N para o pecador ?ue clama por
pa% na alma L/s 3=.,07,1N
11. 0 mission'rio tem a 'gua da vida L>o O.1471OG -.43N para dar ao
pecador ?ue est' sedento L>o O.14N por?ue tem bebido 'gua de cisternas
rotas7 ?ue n!o retm as 'guasK L>r ,.14N
286& Pelas re5erncias acima7 observamos ?ue o clamor dos perdidos B
grande. Pre%ado irm!o7 voc est' escutandoU E assunto se reveste de uma
seriedade muito grande. Ere a Deus para nos atender nesta necessidade
Wamos a&ud'los7 como alguBm tambBm nos a&udou ?uando ainda n!o
Bramos salvos. Trabalhemos7 pois7 de modo ?ue ninguBm possa di%er
na?uele dia" )u n!o sabiaK7 unca ninguBm me 5alou de >esusK ou *e eu
tivesse ouvido7 teria acreditadoK. Sue Deus nos a&ude7 e ?ue possamos
obedecer ao seu /de por todo o mundoK L+c 1-.13N.
287&
V$ A E#A +/**/E\#/A ) E* P)#/ZE* SI) A A+)AA+
288& Alguns perigos ameaam a obra mission'ria7 e B necess'rio ?ue a
/gre&a este&a atenta a esse assunto. We&amos"
"& As religi6es 5alsas
28!& Zrupos como o catolicismo7 o sabatismo7 as testemunhas de >eov'7 o
espiritismo7 o maometismo e outros orientais7 etc. est!o crescendo em
nmero de adeptos de uma maneira assustadora. E mission'rio ter' ?ue se
de5rontar com tais grupos7 cu&a sementeira B ne5asta. +as o homem
enviado por Deus n!o teme os empecilhos7 pois sabe ?ue tem a miss!o de
trabalhar no meio de lobosK L+t 10.1-N7 mesmo ?ue sua mensagem venha
a ser re&eitada e criticada por alguns LAt 1-.,0,OG 19.4ON.
2!#& E mission'rio deve ter em mente ?ue o evangelho B o poder de Deus
para salva!o de todo a?uele ?ue crK L#m 1.1-N. Suando os pecadores
aceitarem a >esus7 suas vidas ser!o trans5ormadas L,Co 4.12NG essa
trans5orma!o 5ar' com ?ue as pessoas ao seu redor ve&amK ?ue Deus est'
verdadeiramente com eles L1Co 1O.,4,3N7 e ?ue n!o se trata de uma nova
religi!oK7 mas sim do resultado de um encontro com o homem chamado
>esusK L>o 9.11N. )les (car!o curiosos e7 se crerem7 tambBm ser!o salvos L>o
O.,9749O,N e acabar!o ?ueimando seus livros de doutrinas erradas LAt
19.12719N.
2& O 0/@:*0/>:.*
2!"& *ua (loso(a B a?uela e<pressada por" A \5rica para os a5ricanosK7 A
Argentina para os argentinosK7 Portugal para os portuguesesK7 etc. )m tais
países7 todo e ?ual?uer estrangeiro B suspeito.
2!2& ) o nacionalismo propagado nos cora6es. V claro ?ue atB os
mission'rios ser!o
regionalismo ou considerados
o bairrismo tm sidoindese&'veis.
a causa deEempecilhos
nacionalismo7
para ao
prega!o do evangelho LMc 9.3134G >o O.9N. )nviemos mission'rios
en?uanto a porta est' aberta LAp 4.2N.
2!3&
VI& A IGRE(A E A O$RA MISSION%RIA
2!4& Deve haver7 por parte da igre&a7 uma preocupa!o ?uanto aos diversos
aspectos sobre o assunto. We&amos alguns"
1. Deve ser um assunto mencionado constante mente nas reuni6es da igre&a
LAt 1O.,-7,=G 1=.14G ,1.12719N
2!5& E relato do ?ue Deus est' 5a%endo atravBs dos mission'rios trar'
grande incentivo @ igre&a ?uanto @ obra mission'ria.
,. A igre&a deve orar para ?ue Deus levante missi on'rios L+t 9.4=742N
2!6& Suando a igre&a est' orando7 Deus levanta homens e mulheres para
este t!o importante trabalho LAt 14.,4N.
4. A igre&a deve enviar os chamados LAt 14.14G 13.O07O1G #m 10.13N
O. A igre&a deve sustenta r o mission'rio (nancei ramente L+t 10.10G 1Co 9.O
1OG 1Tm 3.1=712N
3. A igre&a deve orar pelo mission'rio LAt 1O.,4,=G 13.O0G )5 -.12719G Cl
O.4G,Ts 4.1N
-. E mission'rio deve mandar relat8ri os do trabalho ?ue est' sendo e5etuado
LAt 1O.,=G 13.4ON
1. A igre&a deve investir parte de seus recursos (nanceiros na obra
mission'ria
2!7& A promessa de Deus para os ?ue 5a%em assim B in5alível. Alguns h'
?ue espalham7 e ainda se lhes acrescenta maisG e outros7 ?ue retm mais do
?ue B &usto7 mas B para a sua perda. A alma generosa engordar'7 e o ?ue
regar tambBm ser' regadoK LPv 11.,O7,3N.
2!8& )st' provado ?ue as igre&as mission'rias s!o pr8speras7 pois ao
darem7 elas recebem de volta abundantemente. E segredo para receber B
dar LMc -.42N.
=. A igre&a n!o deve desanimar pelo 5ato de algu ns países esta rem com as
portas 5echadas para o evangelho
2!!& Eutros continuam ainda com as portas abertas7 e a igre&a deve
transpQlas atB ?ue
14.O33,G 1O.4=G Deus abra as outras. Wer o e<emplo de Paulo em Atos
1O.,07,1.
3##&
VII& E +/**/E\#/E
"& O .::*0:*  / @/./1/ // / *9/
3#"& ) necess'rio convic!o pro5unda da chamada de Deus LAt ,-.1312G
Zl 1.1371-N para n!o ser desobedienteK @ vis!o celestial LAt ,-.19N7 mas
5a%er a obra dum evangelistaK L,Tm
O.3N 7 cumprindo seu ministBrio. Com essa convic!o inabal'vel7 o
mission'rio tem condi6es de en5rentar n!o somente os so5rimentos ?ue
vir!o L1Co O.914N7 mas atB a morrer pelo nome do *enhor >esusK LAt
,1.14N.
3#2& *!o os homens com esta certe%a ?ue 5a%em o trabalho de Deus na
terra LAt 3.,27,9N7 pois eles n!o tm suas vidas por preciosas7 contanto ?ue
cumpram com alegria sua carreira e o ministBrio ?ue receberam do *enhor

,. >esus LAt ,0.,47,ON.


O .::*0:*  / @/ 1 / />?/<=*
3#3& *omente com pro5unda certe%a de salva!o B ?ue haver' sucesso no
trabalho L,Tm 1.11.1,N. E seu testemunho ser' de grande convic!o L>o
9.,3G 1 >o 4.,74N7 e isso resultar' na salva!o da?ueles ?ue o ouvem L>o
O.,9749O,N7 pois tambBm receber!o o testemunho do )spírito *anto
testi(cando com o espírito deles ?ue agora s!o (lhos de Deus L#m
2.1=N.CriG por isso7 5alei. 8s cremos tambBmG por isso7 tambBm 5alamosK
L,Co O.14N.
40O. 3& O .::*0:*  / P/>/?/ 1 D
3#5& E obreiro deve mane&ar bem a palavra da verdade L,Tm ,.13N para
poder cumprir o ide7 ensinai...K L+t ,2.19N de >esus. As almas s!o ganhas
pelo ensino da Palavra7 e o ensinador deve anunciar todo o conselho de
DeusK LAt ,0.,=N7 pois a 5B vem pelo ouvir7 e o ouvir pela palavra de DeusK
L#m 10.1=N. Pregando a Palavra divinamente inspiradaK7 o ensinador ter'
<ito no seu trabalho L,Tm 4.1-N. E ap8stolo Paulo conhecia bem a Palavra
L1Co 11.,4G ,Pe 4.1371-N7 e 5oi ensinandoa ?ue levou muitas almas a >esus
LAt 11.,37,-G 13.43G 12.11G 19.210G ,2.41N.
O. O .::*0:*  / */<=*
3#6& A chamada e a separa!o para o campo comea com ora!o LAt 14.1
4N. A vida do mission'rio deve ser caracteri%ada pela ora!o constante ao
*enhor LAt -.OG 10.9N. Erando7 as maravilhas ocorrer!o LAt ,.O,7O4N.
Erando7 Deus 5ar' milagres LAt 4.1-N. Erando7 o )spírito *anto ser'
derramado LAt O.,O41N. Erando7 haver' bastante graa na prega!o LAt
O.44N. E ensino da íblia B vigiar e orar em todo o tempo LMc ,1.4-G )5
-.12N7 perseverar em ora!o L#m 1,.1,G Cl O.,N7 e orar sem cessar L1Ts
3.1=N.
3#7& V atravBs da ora!o ?ue o pregador recebe a mensagem ?ue
convence L>o 1-.210G ,Co 1.11G )5 -.12719G Cl O.4N7 e assim pode vencer a
batalha contra o mal LDn 10.1,7147,07,1N. Wer [<odo 1=.21O.
5& O .::*0:*  * *1 1* E:* S/0*
3#8& E crescimento da obra de Deus n!o depende da capacidade humana
 ainda ?ue isso possa a&udar nalguma coisa 7 mas sim do poder do
)spírito *anto Lc O.-N.
3#!& Suando o mission'rio estiver cheio do )spírito *anto7 a prega!o ser'
com grande poderK LAt O.44N7 seus ouvintes n!o poder!o resistir ao
espírito
*enhor7 com ?ue ele 5alar
aumentando LAt ,.4=G
o nmero -.2710N. Assim7
de discípulos muita
de >esus LAtgente se unir'
11.,O,-N. E ao
mundo est' cansado de ouvir 5alar de religi!o7 e ?uer ouvir uma mensagem
nova LAt 1=.19NG essa mensagem B o evangelho pregado por alguBm cheio
do )spírito *anto. V isso ?ue tra% resultados concretos. E pregador cheio
do )spírito *anto n!o teme 5alar toda a verdade LAt =.3133NG nada o deter'7
pois 5alar' a mensagem de Deus LAt O.,0G 3.,=,97O17O,G 1O.19,=NG haver'
a con(rma!o de ?ue ele precisa L+c 1-.,0G At O.,944G At 1O.4N. Dessa
maneira7 a /gre&a se torna respeitada e conceituada aos olhos dos ?ue est!o
de 5ora7 pois atB os inimigos reconhecer!o ?ue Deus est' no meio do seu
povo LAt 3.1114G 2.,OG 9.37-G 14.1,G 19.1=N. Para ser testemunha e(ca% B
necess'rio primeiro ser cheio do )spírito LAt 1.2N7 o ?ue7 ali's7 B um
mandamento divino L)5 3.2N. emaventurados s!o os pregadores ?ue est!o
cheios do )spírito *anto LCl 1.9710N7 pois suas armas s!o poderosas em
Deus7 para destrui!o das 5ortale%asK L,Co 10.ON.
6& O .::*0:*  / 1:<=* 1 D // * @/.*
3"#& Es passos do homem s!o dirigidos pelo *enhorG o homem7 pois7 como
entender' seu caminhoUK LPv ,0.,OG >r 10.,4N
3""& Deus tem um plano preparado para cada um L)5 ,.10N7 e B nesse plano
?ue devemos estar.
3"2& Precisamos7 portanto7 ?ue o *enhor nos diri&a7 pois essa B uma
promessa para os ?ue temem L*/ ,3.1,N. A dire!o de Deus envolve todos
os aspectos da vida do obreiro L*/ 1O4.2N7 n!o s8 na vida material LZn
,O.10,=G +t ,1.1OG ,-.1=19N7 mas tambBm na vida espiritual7
especialmente no trabalho do *enhor. Hilipe B um e<emplo not'vel de como
Deus dirige o obreiro para o lugar onde deve trabalhar. )le 5oi dirigido para
pregar em *amaria LAt 2.314N7 na estrada LAt 2.,-42N7 em A%oto e
CesarBia LAt 2.O0N. E mesmo aconteceu com Pedro7 ?uando CornBlio o
recebeu LAt 10.197,07,3O3N.
3"3& Deus nos dirige pela ora!o L>r 41.9N7 pela Palavra L*/ 119.103N7 pelo
)spírito *anto L#m 2.1ON7 pelo ministBrio por ele constituído na igre&a L)5
O.111ON7 por vis!o LAt 12.9N7 por sonhos L+t 1.,0G ,.1,7147197,,N. E
mission'rio s8 deve sair ?uando Deus der o sinal L[< 44.13G 1 Cr 1O.13N.
2. O .::*0:*  / / 00@:/
3"4& E <ito no trabalho mission'rio depende da renncia total" renncia
de si mesmo L+t 1-.,ONG renncia do con5orto do lar L,Co 11.,4,2NG
renunciar a tudo ?uanto temK LMc 1O.44N.
3"5& a renncia do obreiro estar' a bn!o de Deus sobre sua vida L+c
10.,9740N. Algumas ve%es B necess'rio renunciar atB a convivncia com
5amiliares para poder atender @ ordem de >esus para pregar o evangelho
LMc 9.39-,N.
3"6& E obreiro deve estar desprendido de tudo a (m de agradar @?uele
?ue o alistou para a guerraK L,Tm ,.ON.
9. O .::*0:*  * @*0@:.0* 1* @/.* .::*0:*
3"7& E mission'rio precisa de alguns conhecimentos a respeito do país
para o ?ual sente a chamada de Deus.
& A l/ngua
3"8& !o conhecendo a língua7 n!o entender' ninguBm e tambBm n!o ser'
entendido. Paulo conhecia a língua do povo a ?uem ele dirigia a mensagem
de Deus LAt ,1.4=G ,,.,N.
2 !s costumes
3"!& ! conhecimento
mensagem de Deus de dos
umacostumes do povo
maneira ?ue permitir'
o ob&etivo ao obreiro
principal levar a
se&a atingido
L,Co 11.-N. A mensagem de Paulo aos atenienses B um e<emplo claro LAt
1=.,,41N.
5 As tradições
32#& )mbora e<istam tradi6es 5amiliares e nacionais ?ue nada tm a ver
com a nossa 5B7 e<istem algumas ?ue se constituem em regras espirituais
?ue impedem os homens de obedecer a Deus7 pois s!o perigosas e podem
causar atB mesmo a perdi!o eterna LAm ,.OG +c =.9G Cl ,.2N. Suando o
pecador aceita a >esus7 B libertado das v!s tradi6es L1Pe 1.12N.
' As leis do pa/s
32"& Cada país tem leis especí(cas ?ue precisam ser observadas7 e o
mission'rio deve ter em mente esse 5ato. A íblia ensina a obedincia @s
leis constituídas" ... Dai7 pois7 a CBsar o ?ue B de CBsarK L+t ,,.,1NG Pedro
pagou o tributo L+t 1=.,O,=NG Paulo orientou os crist!os sobre as rela6es
do crente com o governo7 en5ati%ando ?ue os governantes s!o ministros de
Deus L#m 14.1=N7 em 5avor dos ?uais devemos orar L1 Tm ,.14NG *u&eitai
vos7 pois7 a toda ordena!o humana...K L1Pe ,.14.12N.
3 As religiões existentes no pa/s
322& E conhecimento das religi6es e<istentes 5ar' com ?ue o mission'rio
saiba como apro<imarse dos ?ue est!o presos por elas. )sse B o mBtodo de
Paulo registrado em 1 Coríntios 9.,0,4. )le 5e%se como &udeu para os
&udeus7 para ganhar os &udeusG para os ?ue est!o debai<o da lei7 como se
estivera debai<o da lei7 para ganhar os ?ue est!o debai<o da lei. Para os
?ue est!o sem lei7 como se estivera sem lei Ln!o estando sem lei para com
Deus7 mas debai<o da lei de CristoN7 para ganhar os ?ue est!o sem lei...
como 5raco para os 5racos7 para ganhar os 5racos... de tudo para todos7
para7 por todos os meios7 chegar a salvar algunsK. We&a outros e<emplos
nesse sentido em Atos 1=.19,4G ,4.19G ,-.,=. unca se dei<e vencer pela
tenta!o de acreditar ?ue a religi!o praticada pelo povo B boa.
4,4. !& O .::*0:*  * /.* >/ />./&
324& E amor pelas almas B a 5ora ?ue impulsiona o mission'rio na sua
tare5a. Chega a ser a sua comidaK L>o O.4,N. A íblia 5ala sobre o amor
pelas almas atravBs" do amor de Deus L*/ 2-.13G /s -4.9G >o 4.1-NG do amor
de >esus L+t 9.4-G 1O.1OG 13.4,G ,0.4OG ,4.4=G +c 1.O1G Mc =.14NG do amor
dos ap8stolos LAt -.1OG #m 9.14G 10.1G 1Co 9.1-NG do amor da /gre&a LAt
2.OG 11.197,0N.
325& E amor pelas almas B o resultado de uma comunh!o íntima com Deus
L1 >o O.197,0N7 bem como do conhecimento da perdi!o do pecador L#m
-.,4N7 tudo aliado @ pro5unda convic!o ?ue os obreiros tm de sua pr8pria
salva!o. E amor natural est' limitado apenas @?ueles ?ue est!o pr8<imos
de n8s L+t 3.O-7O=N. +as o amor de Deus ?ue est' derramado em n8s L#m
3.3N nos leva a amar a Deus acima de tudo L+t ,,.4=742N7 aos nossos irm!os
L1 >o 3.17,N e a todos7 inclusive aos nossos inimigos L+t 3.OOG #m 1,.,0N. E
amor vence tudo L1Co 14.12N.
10. O .::*0:*  / B&
326& E mission'rio deve ter uma 5B inabal'vel para obter <ito no seu
trabalho  o combate contra as trevas7 a (m de levar a lu% do evangelho
aos perdidosG deve ter o mesmo Fnimo pela 5B do evangelhoK LHp 1.,=N.
*omente os pregadores cheios de 5B podem encora&ar os seus ouvintes LAt
1O.,0,,N7 e<ortandoos nesse sentido LHp ,.17,N. E obreiro ?ue con(a em
Deus n!o desanima
pois considera isso diante
um bomdos combateK
obst'culosL,Tm
?ue tiver
O.=N. de transpor
*ua L,CoB O.279N7
con(ana t!o
grande ?ue os gigantesK ?ue surgirem a sua 5rente ser!o lanados por
terra pelo *enhor Lrn 1O.279G 1*m 1=.O37O-N. )mbora as ondasK do
mundo ?ueiram provocar o nau5r'gio do nosso barcoK7 o *enhor haver' de
repreender os ventos e o marK L+t 2.,-7,=N7 e logo haver' bonana. *ua
con(ana B t!o grande no *enhor7 ?ue ele sabe ?ue nada nos poder'
separar do amor de Cristo7 nem a tribula!o7 nem a angstia7 nem
persegui6es7 nem 5ome7 nem a nude%7 nem o perigo7 e nem a espada L#m
2.43N. Heli%es s!o tais obreiros7 pois o *enhor cooperar' com eles no seu
trabalho L+c 1-.,0N7 n!o os dei<ando nem os desamparando LRb 14.3N.
11. O .::*0:*  / @*0?:@<=* 1  . ( * *.. 
1:1*
327& )sse B um 5ator indispens'vel @?uele ?ue se prop6e reali%ar um
trabalho para Deus. A convic!o de ?ue do pecador est' perdido sem >esus
deve estar sempre viva no seu cora!o. #ealmente a íblia nos ensina ?ue o
homem" &' nasce no pecado L*/ 31.3NG B um perdido LPv ,O.1171,G Mc 19.10NG
est' debai<o da ira de Deus L>o 4.4-NG &' est' condenado L>o 4.12NG B um
servo do pecado L>o 2.4ONG e7 se n!o crer em >esus7 morrer' no pecado L>o
2.,ON7 (cando perdido para todo o sempre7 sem possibilidade de alterar este
estado ap8s a morte LRb 9.,=N7 pois sua alma e espírito7 logo ap8s a morte7
entrar!o em so5rimento no Rades LMc 1-.1941N. Hinalmente7 ressuscitar'
um dia7 no corpo em ?ue estava a?ui na terra7 isto B7 com os mesmos
de5eitos ?ue eventualmente possuía7 e comparecer' perante o &uí%o do
grande trono branco7 onde receber' a sentena de sua condena!o LAp
,0.1113N7 (cando em so5rimento e separa!o eterna de Deus.
328& Ima ree<!o pro5unda nesse assunto t!o sBrio7 aliado @ medita!o na
certe%a de salva!o o5erecida gratuitamente por Deus L)% 44.11G #m -.,4G
1Tm ,.3N7 trar' ao obreiro uma 5ora ?ue o impulsionar' ao trabalho
evangelístico.
1,. O .::*0:*  * .* 1 ./00@:/ 0* / // *01 *:
0?:/1*
32!& Como &' 5oi dito em capítulos anteriores7 o obreiro ?ue tem convic!o
da chamada divina anda na dire!o de DeusG est' disposto a ir aonde Deus
?uiser7 na hora ?ue )le ?uiser7 do &eito ?ue )le ?uiser7 5a%er o ?ue )le
?uiser e permanecer no local indicado o tempo ?ue )le ?uiser. Ao sair de
sua p'tria7 o mission'rio n!o sabe se um dia voltar' a ela. *ua vida est'
agora @ disposi!o do +estre7 e n)le est' toda a sua dependncia. Atr's de
si (cou sua 5amília7 sua p'tria7 seus amigos e sua igre&a7 ?ue o sustenta
moral7 (nanceira e espiritualmente.
33#& E tempo de sua permanncia est' nas m!os de Deus. Alguns (cam
pouco tempo7 outros passam toda a vida no país ao ?ual 5oram enviados.
/n5eli%mente7 alguns voltam logo por n!o terem chamada divina. Suando
indagados sobre o por?u de sua volta7 alegam os mais diversos problemas
como a n!oadapta!o da 5amília no lugar7 o clima7 os costumes7 o regime7
etc. Suem B o culpado nesse casoU DeusU De modo algum. Porventura Deus
n!o B o *enhor ?ue conhece todas as coisas em todos os lugaresU Claro ?ue
sim. )le conhece todos os detalhes do clima7 do regime7 dos costumes7 etc.
Suando Deus manda7 )le supre tudo LMc 1,.,3,9N7 pois tem o homem certo
para o lugar certo. Deus n!o comete e?uívocos. A ra%!o desse 5racasso B
?ue
muitoalguns sentem
di5erente LRbapenas uma emo!o7
3.ON. Alguns e n!o a
h' ?ue acham chamada
atB divina7
bonito ser o ?uede
chamado B
mission'rio e ?uerem irG porBm7 s8 os chamados devem ir7 pois a obra
mission'ria n!o B 5a%er turismo7 e sim levar a mensagem de Deus a tempo
e 5ora de tempoK L,Tm O.,N7 ?uer ouam ?uer dei<em de ouvirK L)% ,.=N.
)sse B o ministBrio da?uele ?ue se prop6e evangeli%ar L,Tm O.3N.
"3& O .::*0:*  / *./<=* 1 *9:* >*@/:
33"& Ima das preocupa6es do mission'rio deve ser a 5orma!o de
obreiros locais. +uitas ve%es7 o obreiro comea o trabalho so%inho ou
acompanhado de sua 5amília.
332& ) claro ?ue Deus con(rmar' o trabalho do obreiro ?ue B chamado
para esta tare5a dando crescimento @ sua obra. PorBm7 se o mission'rio n!o
5ormar novos obreiros7 o trabalho n!o ter' crescimento con5orme o padr!o
bíblico. AlBm de o obreiro se desgastar demasiadamente sem necessidade7
o crescimento do trabalho ser' lento.
333& E ap8stolo Paulo sempre tinha em mente a 5orma!o de obreiros para
dar continuidade ao trabalho por ele iniciado LAt 1O.,4G ,0.1=N7 alBm de
orientar outros a 5a%erem o mesmo L,Tm ,.,G Tt 1.3N.
334& E trabalho de Deus B 5eito em e?uipe L+t 10.1N. We&a ProvBrbios
11.1OG ,O.-G )clesiastes O.91,.Deus cooperar' ?uando isso ocorrer7 dando
@ igre&a homens chamados7 ?ue compor!o o ministBrio de cooperadores
L1Co 1,.,0,2G )5 O.1114N.
335&
VIII& E +/**/E\#/E ) E* +)/E* D) )WAZ)M/A#
336& Diversos s!o os meios de ?ue o mission'rio disp6e para a propaga!o
das oas ovas. We&amos alguns"
1. Transporte
337& Avi6es7 navios7 trens7 Qnibus7 carros7 barcos7 bicicletas7 motocicletas7
helic8pteros7 animais7 etc.
,. Miteratura
338& íblia7 livros7 5olhetos7 panetos7 etc.
4. +eios de comunica!o
33!& #'dio7 televis!o7 tele5one7 gravadores7 alto5alantes7 etc.
34#&
34"&
342&
343&
344&
345& "7 O GALARDÃO DO GANADOR DE ALMAS
346&
347& este ltimo capítulo do nosso livro7 estudaremos a recompensa ?ue
est' reservada ao ganhador de almas para o #eino de Deus.
348& /sso ocorrer' perante o Tribunal de Cristo7 logo ap8s o arrebatamento
da /gre&a" Portanto7 meus amados irm!os7 sede (rmes e constantes7
sempre abundantes na obra do *enhor7 pois o vosso trabalho n!o B v!o no
*enhorK L1Co 13.32N.

34!&
I& RAZÕES PE LAS QU AIS DE US R ECOMPENSAR% O GA NADOR
DE ALMAS
"& E> B ;/>/1*/1* 1*  * 9@/. )9 ""&6+  :0@:/>.0 1*
 :0@1. >/ />./
35#& L#m 10.1N
,. )le n!o B in&usto para se es?uecer das nossas obras LRb -.10N
35"& Deus contempla todos os moradores da terra e todas as suas obras L*/
44.1413N7 e tudo B registrado nos cBus LAp ,0.1,N.
4. )le prometeu recompensar L*/ -,.1,N
352& Deus in5alivelmente cumprir' sua promessa7 pois B (el LRb 10.,4N e
n!o B homem7 para ?ue mintaG nem (lho de homem7 para ?ue se
arrependaK Lm ,4.19N. Zraas a Deus7 pois )le vela pelas suas palavras
para as cumprir L>r 1.1,N.
353&
II& O GANADOR DE ALMAS RECE$E $NÇÃOS TAM$HM NESTA
VIDA
1. Erando secretamente para a salva!o de almas )M 6&6+
,. Contribuindo secretamente para a propaga!o do evangelho L+t -.ON
4. >e&uando secretamente para encontrar 5oras em Deus para vencer as
barreiras e pregar a Palavra L+t -.1=712N
O. #ecebendo a alegria pelo trabalho ?ue est' reali%ando para Deus L*/
1,-.37-N
3. *endo regado7 por?ue est' regando LPv 11.,3N
-. *endo abenoado em tudo7 pois sua conscincia est' tran?uila pelo 5ato de
n!o estar retendo o trigoK Las oas ovasN do povo Ldos pecadoresN LPv
11.,-N
=.
III& O GANADOR DE ALMAS E AS PROMESSAS DE RECOMPENSA
354& E ganhador de almas B a?uele ?ue"
1. Planta a boa semente da Palavra de Deus no co ra!o dos pecadores L)c
11.-G Mc 2.11G 1Co 4 =N
,. #ega a boa semente da Palavra nos cora6es ?ue a recebem L1Co 4=N7 atB
?ue ela cresa L)c 11.-N
4. usca
O. a Deus7
*o5re por >esu suplicando
s7 mas n!o pelas
dei<a almas perdidas
de reali LAt =.-0N
%ar a obra do *enhor LAt 3.O17O,G
,1.1,714N
3. Cei5a7 pois as terras &' est!o brancas para a cei 5a L>o O.4-N
-. H > 0/ */ 1/ 0/<=* )T; "&"2+
355& +esmo assim7 continua preocupado com as almas L1Ts 4.O73N e
permanece (el atB mesmo diante da morte. Portanto7 por sua (delidade7
Deus lhe dar' a coroa da vida LTg 1.1,G Ap ,.10N.
356& Pre%ado irm!o7 vamos trabalhar en?uanto B dia7 pois a noite vem7
?uando ninguBm pode trabalharK L>o 9.ON. Mana o teu p!o sobre as 'guas7
por?ue7 depois de muitos dias7 o achar'sK L)c 11.1N. Wamos pregar a tempo
e 5ora de tempoK L,Tm O.,NG 5a%er a obra de um evangelista e cumprir o
nosso ministBrio L,Tm O.3N. As possíveis ai6es ?ue possamos so5rer n!o
s!o para comparar com a gl8ria ?ue em n8s h' de ser reveladaK L#m 2.12N.
emaventurado a?uele servo a ?uem o *enhor7 ?uando vier7 achar
5a%endo assimK LMc 1,.O4N.
357&
358&
35!&

4-0. O A6tor
36"& 7oi ministro do e5angelho) ,on8eren,ista) arti,6lista e
es,ritor de li9:es ;<;li,as) al=m de ,oordenador do pro>eto
D=,ada da Colheita) lan9ado pela CGAD? em '((*$
362& ! 7 8 8 5 2 6 3 # "2 ! #
363& !7885263#"2!#
364. IS$N 85263#"2!2