Você está na página 1de 4

SISTEMA DA QUALIDADE

PES - Procedimento de Execução de Serviço

PROCESSO:
IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N°
EXECUÇÃO DE ARMADURAS PARA PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO
PES 02 01 1/4

1 OBJETIVO
Estabelecer padrão técnico para execução de armaduras para produção de estruturas de concreto, compreendendo as condições para
início do serviço, o corte, a dobragem e a montagem para produção de estruturas de concreto, visando atender aos requisitos técnicos,
de prazo e de custos requeridos pela empresa, contribuindo para a gradativa redução de perdas dos materiais e o aumento da
produtividade da mão de obra.

2 DOCUMENTO DE REFERÊNCIA
 Projeto Arquitetônico com especificação técnicas.
 Projeto Estrutural.
 Projeto de Instalações: ________________________
 FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos.
 NR 18 - Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho: Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da
Construção.
 NR 35 - Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho: Trabalho em Altura.
3 MATERIAIS E EQUIPAMENTOS
3.1 Equipamentos e Ferramentas
 Aspersor de água
 Betoneira
 Colher de pedreiro
 Desempenadeira de madeira ou PVC
 Enxada
 Equipamentos de slump test (cone e a haste metálica)
 Gabaritos metálicos ou de madeira
 Giricas
 Grua ou bomba
 Guincho
 Latas e/ou baldes
 Lona plástica
 Mangueira
 Martelo de borracha
 Mestras metálicas
 Moldes para corpos-de-prova
 Nível alemão ou aparelho de nível a laser
 Régua vibratória
3.2 Materiais
 Aditivos e/ou adições
 Aglomerados (graúdos ou miúdos);
 Água;
SISTEMA DA QUALIDADE
PES - Procedimento de Execução de Serviço

PROCESSO:
IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N°
EXECUÇÃO DE ARMADURAS PARA PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO
PES 02 01 2/4

 Cimento Portland.

3.3 E.P.I – Equipamento de Proteção Individual


 Avental de PVC
 Bota de segurança;
 Capa de chuva.
 Capacete;
 Cinto de segurança;
 Luva de PVC ou látex;
 Luva de raspa;
 Óculos de segurança;
 Protetor auricular;
 Protetor solar;
 Respiradores;
3.4 E.P.C – Equipamento de Proteção Coletiva
 Bandeja de proteção
 Fechamento provisório resistente para as aberturas no piso (viabilizar circulação de giricas e pessoas)
 Linha de vida
 Proteções de periferia (conforme NR 18)
 Sinalização na obra
 Sistema de iluminação noturna (em casos de concretagem noturna)
 Tela de proteção
 PROTETOR DE FERRO DE ARRANQUE
4 METODO EXECUTIVO

4.1 CONDIÇÕES PARA INÍCIO DO SERVIÇO


 Executado o canteiro de obra;
 Os materiais como treliça, bobinas, guinchos devem estar em condições adequadas na obra;
 Os equipamentos e /ou ferramentas de produção devem estar em condições adequadas de uso;

 Elementos estruturais como fundação e pilares devem estar executados.

4.2 SEQUÊNCIA EXECUTIVA (PASSO A PASSO)


 Produção e/ou Recebimento do concreto
 Transporte do concreto
 Lançamento do concreto;
 Adensamento do concreto
 Cura do concreto

4.3 SISTEMAS PARA ACOMPANHAMENTO E CONTROLE - FVS


SISTEMA DA QUALIDADE
PES - Procedimento de Execução de Serviço

PROCESSO:
IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N°
EXECUÇÃO DE ARMADURAS PARA PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO
PES 02 01 3/4

ETAPAS DE VERIFICAÇÃO:

Nº Verificação Metodologia de avaliação


1 Condições para - Especificar o traço do concreto;
o início da - Os profissionais deves estar devidamente treinados;
execução do - Verificar as formas, armaduras, gabaritos para rebaixo.
serviço - Verificar o posicionamento das passagens de instalações;
- Certificar-se da limpeza das formas;
- Conferir a exata altura das mestras;
- Certificar-sbe do abastecimento de água e energia no local;
- Efeitos de reserva, disponibilidade do pessoal e equipamentos devem ser conferidos com pelo menos duas
horas de antecedencia;
- Planejar a composição de uma equipe de apoio
- Conferir a instalação das proteções de periferia, conforme disposições da NR 18;
- Checar os equipamentos de proteção coletiva e a disponibilidade dos EPIs;
- Assegurar-se da capacidade de resistencia dos pavimentos inferiores antes da liberação da concretagem. (fator
água/cimento)
- Os pilares devem ter pés tamponados entre a forma e o gastalho, evitando assim, o escorrimento da nata de
concreto;
- Desobstruir as áreas de acesso, facilitando o transporte de concreto, equipamentos e o tráfego de pessoas e
máquinas.
2 Produção do - Colocar a quantidade total das britas na betoneira, com eventuais aditivos em pó;
concreto - Adicionar aproximadamente 70% da água, com eventuais aditivos;
- Colocar a quantidade total de cimento;
- Colocar a quantidade total de areia;
- Adicionar o restante da água, com eventuais aditivos líquidos;
- Misturar até que o concreto esteja homogênea;
- Desligar a betoneira e realizar o ensaio de abatimento de tronco de cone (slump test);
- Modelagem dos Corpos de Prova.
Para concreto usinado: horário de saída da usina; horário de chegada na obra; início da descarga; numeração do
lacre; resistência (fck do pedido compra = fck da nota fiscal); coleta dos corpos de prova (granulometria);
Abatimento (slump test); Término da descarga.
3 Transporte do - Verificar o funcionamento do sistema de transporte com pelo menos duas horas de antecedência ao
concreto recebimento do concreto.
4 Lançamento do - Encharcar as formas antes do lançamento do concreto para evitar a contaminação decorrente de eventuais
concreto depositos de materiais ou poeira;
- Atentar para a distribuição de forma homogênea do concreto no lançamento;
- Organizar uma equipe de apoio (carpinteiro, eletricista, armador);
- O concreto deve ser lançado logo após o batimento;
- A altura de lançamento não deve exceder dois metros de distancia, para não causar desagregação de
concreto;
- Quando a altura do lançamento for muito elevada, no caso de pilares, utilizam-se anteparos ou funil, para
evitar a desagregação do concreto;
- No caso de lançamento em pilares, as camadas de concreto devem ser vibradas, quando atingirem o
comprimento da agulha do vibrador
- Para lançamento em lajes o concreto deve ser sarrafeado com uma régua de alumínio;
- Nas lajes em balanço, as mestras devem ser retiradas logo após o sarrafeamento.
5 Adensamento - Verificar se a agulha do vibrador está correta para o melhor rendimento;
do concreto - Averiguar o tempo de imersão da agulha no concreto, que deve ser em torno de 15 segundos;
- Verificar a espessura da camada de concretagem.
6 Cura do - Verificar o constante umedecimento das peças nos três primeiros dias;
concreto
SISTEMA DA QUALIDADE
PES - Procedimento de Execução de Serviço

PROCESSO:
IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA N°
EXECUÇÃO DE ARMADURAS PARA PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO
PES 02 01 4/4

FVS-FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO

Elaborado / revisado por: Aprovado para uso:

Antônio José Assis Nascimento


Antônio Paulo da Silva Nascimento
Antônio Pedro da Assis Nascimento
Antônio Pedro da Assis Nascimento
Cesar Camargo Assis Nascimento
Maria Antônia Assis Nascimento
Odete Maria de Nazaré da Silva
Zeno Pedro da Assis Nascimento
_________________________
Odete Maria de Nazaré da Silva 01/07/2016 _________________________ 01/07/2016
Data Paulo Márcio da Silva Aranha Data