Você está na página 1de 26

Vade Mecum

Tributário
Constituição Federal
Código Tributário Nacional
Novo Código de Processo Civil
Legislação Correlata
Súmulas

Organização:

Josiane Minardi
Eduardo Sabbag

8ª edição
revisada, ampliada e atualizada
Recife – PE

2017
CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL
CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL

177
ÍNDICE SISTEMÁTICO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL

ÍNDICE SISTEMÁTICO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL

DISPOSIÇÃO PRELIMINAR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 1º

LIVRO PRIMEIRO – SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 2º a 95

TÍTULO I – DISPOSIÇÕES GERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 2º a 5º

TÍTULO II – COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .arts. 6º a 15


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 6º a 8º
Capítulo II – Limitações Da Competência Tributária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 9º a 15
Seção I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 9º a 11
Seção II – Disposições Especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 12 a 15

TÍTULO III – IMPOSTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 16 a 76


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 16 a 18
Capítulo II – Impostos Sobre o Comércio Exterior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 19 a 28
Seção I – Imposto Sobre a Importação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 19 a 22
Seção II – Imposto Sobre a Exportação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 23 a 28

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL


Capítulo III – Impostos Sobre o Patrimônio e a Renda. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 29 a 45
Seção I – Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 29 a 31
Seção II – Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 32 a 34
Seção III – Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis e de direitos a eles relativos . . . . . . . . . . . . . . arts. 35 a 42
Seção IV – Imposto Sobre a Renda e Proventos de qualquer natureza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 43 a 45
Capítulo IV – Impostos Sobre a Produção e a Circulação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 46 a 73
Seção I – Imposto Sobre Produtos Industrializados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 46 a 51
Seção II – Impostos Estadual Sobre Operações Relativas à Circulação de
Mercadorias (Revogado pelo Dec-lei nº 406/1968) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 52 a 58
Seção III – Imposto Municipal Sobre Operações Relativas à Circulação de
Mercadorias (Revogado pelo Ato Complementar nº 31/1966). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 59 a 62
Seção IV – Impostos Sobre Operações De Crédito, Câmbio e Seguro e
Sobre Operações Relativas a Títulos e Valores Mobiliários. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 63 a 67
Seção V – Imposto Sobre Serviços de Transporte e Comunicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 68 a 70
Capítulo V – Impostos Especiais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 74 a 76
Seção I – Imposto Sobre Operações Relativas a Combustíveis, Lubrificantes,
Energia Elétrica e Minerais do País. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 74 e 75
Seção II – Impostos Extraordinários . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 76

TÍTULO IV – TAXAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 77 a 80

TÍTULO V – CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 81 e 82

TÍTULO VI – DISTRIBUIÇÕES DE RECEITAS TRIBUTÁRIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 83 a 95


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 83 e 84
Capítulo II – Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural e Sobre a Renda e
Proventos de Qualquer Natureza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .art. 85
Capítulo III – Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 86 a 94
Seção I – Constituição dos Fundos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 86 e 87

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 179


Seção II – Critério de Distribuição do Fundo de Participação dos Estados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 88 a 90
Seção III – Critério de Distribuição do Fundo de Participação dos Municípios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 91
Seção IV – Cálculo e Pagamento das Quotas Estaduais e Municipais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 92 e 93
Seção V – Comprovação da Aplicação das Quotas Estaduais e Municipais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .art. 94
Capítulo IV – Imposto Sobre Operações Relativas a Combustíveis, Lubrificantes,
Energia Elétrica e Minerais do País. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .art. 95

TÍTULO I – LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 96 a 112


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 96 a 100
Seção I – Disposição Preliminar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .art. 96
Seção II – Leis, Tratados e Convenções Internacionais e Decretos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 97 a 99
Seção III – Normas Complementares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .art. 100
Capítulo II – Vigência da Legislação Tributária. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 101 a 104
Capítulo III – Aplicação da Legislação Tributária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 105 e 106
Capítulo IV – Interpretação e Integração da Legislação Tributária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 107 a 112

TÍTULO II – OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 113 a 138


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 113
Capítulo II – Fato Gerador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 114 a 118
Capítulo III – Sujeito Ativo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 119 e 120
Capítulo IV – Sujeito Passivo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 121 a 127
Seção I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 121 a 123
Seção II – Solidariedade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 124 e 125
Seção III – Capacidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 126
Seção IV – Domicílio Tributário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 127
Capítulo V – Responsabilidade Tributária. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 128 a 138
Seção I – Disposição Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 128
Seção II – Responsabilidade dos Sucessores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 129 a 133
Seção III – Responsabilidade de Terceiros. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 134 e 135
Seção IV – Responsabilidade por Infrações. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 136 a 138

TÍTULO III – CRÉDITO TRIBUTÁRIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 139 a 193


Capítulo I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 139 a 141
Capítulo II – Constituição de Crédito Tributário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 142 a 150
Seção I – Lançamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 142 a 146
Seção II – Modalidades de Lançamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 147 a 150
Capítulo III – Suspensão do Crédito Tributário. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 151 a 155
Seção I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 151
Seção II – Moratória. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 152 a 155
Capítulo IV – Extinção do Crédito Tributário. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 156 a 174
Seção I – Modalidades de Extinção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 156
Seção II – Pagamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 157 a 164
Seção III – Pagamento Indevido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 165 a 169
Seção IV – Demais Modalidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 170 a 174
Capítulo V – Exclusão de Crédito Tributário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 175 a 182
Seção I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . art. 175

180 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


ÍNDICE SISTEMÁTICO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL

Seção II – Isenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 176 a 179


Seção III – Anistia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 180 a 182
Capítulo VI – Garantias e Privilégios do Crédito Tributário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 183 a 193
Seção I – Disposições Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 183 a 185
Seção II – Preferências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 186 a 193

TÍTULO IV – ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 194 a 208


Capítulo I – Fiscalização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 194 a 200
Capítulo II – Dívida Ativa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 201 a 204
Capítulo III – Certidões Negativas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 205 a 208

DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . arts. 209 a 218

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 181


ART. 1º

CÓDIGO TRIBUTÁRIO ART. 4º. A natureza jurídica específica do tributo é deter-


minada pelo fato gerador da respectiva obrigação, sendo
NACIONAL irrelevantes para qualificá-la:
` CTN: arts. 97, III, 114 a 118.

LEI Nº 5.172, DE 25 DE I – a denominação e demais características formais ado-


tadas pela lei;
OUTUBRO DE 1966 ` CTN: art. 97, III.

Dispõe sobre o Sistema Nacional e institui II – a destinação legal do produto da sua arrecadação.
normas gerais de direito tributário aplicá- ` CF: art. 167, IV.
veis à União, Estados e Municípios. ` CTN: arts. 97, IV, e 114 a 118.

` O art. 7º do Ato Complementar 36/1967 dispõe: “Lei 5.172, ART. 5º. Os tributos são impostos, taxas e contribuições
de 25 de outubro de 1966, e alterações posteriores passa a
de melhoria.
denominar-se ‘Código Tributário Nacional’ “.
` Súmula nº 418 do STF.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso
` Súmula nº 353 do STJ.
Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:
` CF: arts. 145, 146, III, a, 148 a 149-A, 153 a 156, 177, § 4º, 195,
§ 6º, e 212, § 5º.
Disposição Preliminar ` ADCT: art. 56.
` CTN: arts. 16 e ss., 77 e ss., 81 e ss.
ART. 1º. Esta Lei regula, com fundamento na Emenda
Constitucional nº 18, de 1º de dezembro de 1965, o sis-
tema tributário nacional e estabelece, com fundamento Título II.
no artigo 5º, inciso XV, alínea b, da Constituição Federal, COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
as normas gerais de direito tributário aplicáveis à União,
aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, sem
prejuízo da respectiva legislação complementar, supletiva Capítulo I.
ou regulamentar. DISPOSIÇÕES GERAIS
` Este dispositivo refere-se à CF de 1946, que corresponde ao
art. 146 da Constituição atual. ART. 6º. A atribuição constitucional de competência tribu-
tária compreende a competência legislativa plena, ressal-
vadas as limitações contidas na Constituição Federal, nas
Livro Primeiro. Constituições dos Estados e nas Leis Orgânicas do Distrito
SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Federal e dos Municípios, e observado o disposto nesta Lei.
` CF: arts. 145 a 162. ` CF: arts. 24; 30; 145, caput e § 1º; 150 a 152.

Parágrafo único. Os tributos cuja receita seja distribuída,


Título I. no todo ou em parte, a outras pessoas jurídicas de direito
DISPOSIÇÕES GERAIS público pertencerá à competência legislativa daquela a que
tenham sido atribuídos.
ART. 2º. O sistema tributário nacional é regido pelo disposto ` Súmulas nº 69 e 578 do STF.
na Emenda Constitucional nº 18, de 1º de dezembro de ` CF: arts. 146, I e II, 150; 153, § 5º; 154 a 162.
1965, em leis complementares, em resoluções do Senado
Federal e, nos limites das respectivas competências, em ART. 7º. A competência tributária é indelegável, salvo
leis federais, nas Constituições e em leis estaduais, e em atribuição das funções de arrecadar ou fiscalizar tributos,
leis municipais. ou de executar leis, serviços, atos ou decisões adminis-
` CF: art. 5º, § 2º, e 145 a 162. trativas em matéria tributária, conferida por uma pessoa
` CTN: art. 96. jurídica de direito público a outra, nos termos do § 3º do
` Lei nº 4.320, de 17-3-1964, que estatui Normas Gerais de Direito artigo 18 da Constituição.
Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços ` O art. 7º refere-se a artigo da CF de 1946.
da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal.
` Súmula nº 69 do STF.
ART. 3º. Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, ` CF: arts. 37, XXII; 145; 148 a 149-A; e 153 a 156.
em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não ` Lei Complementar nº 123, de 14-12-2006, arts. 33, § 1º, e 41,
constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de
mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Pequeno Porte.
` Súmulas nº 545 e 666 do STF. § 1º. A atribuição compreende as garantias e os privilégios
` Súmula nº 353 do STJ. processuais que competem à pessoa jurídica de direito
` CF: arts. 145, § 1º, e 150, II. público que a conferir.
` CTN: arts. 97, 118, I, e 142. ` Súmula nº 483 do STJ.
` CC: arts. 186 a 188. ` CTN: arts. 183 a 193.

182 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL – LEI Nº 5.172, DE 25 DE OUTUBRO DE 1966 ART. 13

§ 2º. A atribuição pode ser revogada, a qualquer tempo, ` CF: arts. 150, VI, c, §§ 1º, 2º e 4º, e 195, § 7º.
por ato unilateral da pessoa jurídica de direito público que ` CTN: art. 14, § 2º.
a tenha conferido.
d) papel destinado exclusivamente à impressão de jornais,
§ 3º. Não constitui delegação de competência o come- periódicos e livros.
timento, a pessoas de direito privado, do encargo ou da ` Súmulas nº 657 e 662 do STF.
função de arrecadar tributos.
` CF: arts. 150, VI, d, §§ 1º a 4º.
` Súmula nº 396 do STJ.
` Lei nº  11.945, de 4-6-2009, art. 1º, que altera a Legislação
` CF: art. 150, § 6º. Tributária Federal.
` CTN: art. 119.
§ 1º. O disposto no inciso IV não exclui a atribuição, por lei,
às entidades nele referidas, da condição de responsáveis
ART. 8º. O não-exercício da competência tributária não a pelos tributos que lhes caiba reter na fonte, e não as dis-
defere a pessoa jurídica de direito público diversa daquela
pensa da prática de atos, previstos em lei, assecuratórios
a que a Constituição a tenha atribuído.
do cumprimento de obrigações tributárias por terceiros.
` CF: art. 155, § 2º, XII, g.
` CTN: arts. 12, 13, par. ún., 14, § 1º, e 128.
` Lei Complementar nº 101, de 4-5-2000, art. 11, que estabelece
normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade § 2º. O disposto na alínea a do inciso IV aplica-se, exclu-
na gestão fiscal. sivamente, aos serviços próprios das pessoas jurídicas
de direito público a que se refere este artigo, e inerentes
aos seus objetivos.
Capítulo II.
` CF: art. 150, VI, a e § 2º.
LIMITAÇÕES DA COMPETÊNCIA ` CTN: art. 12.
TRIBUTÁRIA
` CF: art. 150 a 152. ART. 10. É vedado à União instituir tributo que não seja
uniforme em todo o território nacional, ou que importe
Seção I. distinção ou preferência em favor de determinado Estado

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL


ou Município.
DISPOSIÇÕES GERAIS
` CF: arts. 19, III, 150, II, e 151, I.
ART. 9º. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal
e aos Municípios: ART. 11. É vedado aos Estados, ao Distrito Federal e aos
Municípios estabelecer diferença tributária entre bens de
I – instituir ou majorar tributos sem que a lei o estabeleça, qualquer natureza, em razão da sua procedência ou do
ressalvado, quanto à majoração, o disposto nos artigos seu destino.
21, 26 e 65; ` Súmula nº 591 do STF.
` CF: arts. 5º, II, 150, I, e 153, §§ 1º e 4º; 155, § 4º, IV, “c”, e 177,
` CF: art. 152.
§ 4º, I, “b”.
` CTN: art. 97, I e II. Seção II.
II – cobrar imposto sobre o patrimônio e a renda com base DISPOSIÇÕES ESPECIAIS
em lei posterior à data inicial do exercício financeiro a que
corresponda; ART. 12. O disposto na alínea a do inciso IV do artigo 9º,
` CF: art. 150, III. observado o disposto nos seus §§ 1º e 2º, é extensivo às
` CTN: arts. 106 e 144, § 1º. autarquias criadas pela União, pelos Estados, pelo Distrito
Federal ou pelos Municípios, tão-somente no que se refere
III – estabelecer limitações ao tráfego, no território nacional, ao patrimônio, à renda ou aos serviços vinculados às suas
de pessoas ou mercadorias, por meio de tributos interes- finalidades essenciais, ou delas decorrentes.
taduais ou intermunicipais;
` Súmulas nº 73, 74, 75, 336 e 583 do STF.
` CF: arts. 5º, XV, 150, V, e 155, II.
` CF: arts. 37, XIX, e 150, §§ 2º e 3º.
IV – cobrar imposto sobre:
` Súmula nº 591 do STF. ART. 13. O disposto na alínea a do inciso IV do artigo 9º
não se aplica aos serviços públicos concedidos, cujo trata-
a) o patrimônio, a renda ou os serviços uns dos outros; mento tributário é estabelecido pelo poder concedente, no
` CF: arts. 150, VI, a, e §§ 2º e 3º. que se refere aos tributos de sua competência, ressalvado
` CTN: arts. § 2º deste artigo; 12 e 13. o que dispõe o parágrafo único.
b) templos de qualquer culto; ` Súmulas nº 77 e 78 do STF.

` CF: arts. 19, I, e 150, VI, b, e § 4º. ` CF: arts. 150, § 3º, e 173, § 1º.

c) o patrimônio, a renda ou serviços dos partidos políticos, Parágrafo único. Mediante lei especial e tendo em vista o
inclusive suas fundações, das entidades sindicais dos tra- interesse comum, a União pode instituir isenção de tributos
balhadores, das instituições de educação e de assistência federais, estaduais e municipais para os serviços públicos
social, sem fins lucrativos, observados os requisitos fixados que conceder, observado o disposto no § 1º do artigo 9º.
na Seção II deste Capítulo; (Redação dada pela LC nº 104, ` Súmulas n. nº 77 a 79 e 81 do STF.
de 10.1.2001) ` CF: arts. 150, §§ 3º, 6º, 151, III; e 173, § 2º.
` Súmulas nº 724 e 730 do STF. ` CTN: art. 152, I, b.

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 183


ÍNDICE ALFABÉTICO-REMISSIVO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL –C–

ÍNDICE ALFABÉTICO- f
f
imposto sobre a transmissão de bens imóveis: art. 38
imposto sobre exportação: arts. 24 e 25
-REMISSIVO DO CÓDIGO f imposto sobre importação: arts. 20 e 21
f imposto sobre operações de crédito, câmbio e seguro: art. 64

TRIBUTÁRIO NACIONAL f imposto sobre produtos industrializados: art. 47

–C–
–A–
CALAMIDADE PÚBLICA
AÇÃO ANULATÓRIA f art. 15, II
f art. 169
CAPACIDADE TRIBUTÁRIA
AÇÃO DE COBRANÇA DE CREDITO TRIBUTÁRIO f art. 126
f art. 174
CERTIDÕES NEGATIVAS
ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA f arts. 205 a 208
f arts. 194 a 208 f dispensa de prova de quitação de tributos: art. 207
f certidões negativas: arts. 205 a 208 f expedida com dolo ou fraude: art. 208
f dispensa de prova de quitação de tributos: art. 207 f prova de quitação de tributo: arts. 205 e 206
f fiscalização: arts. 194 a 200
f informações à autoridade administrativa: art. 197 CITAÇÃO PESSOAL DO DEVEDOR
f livros obrigatórios: art. 195, par. ún. f art. 174, par. ún.
f presunção de liquidez e certeza da dívida regularmente ins-
crita: art. 204 COBRANÇA DE IMPOSTO SOBRE O PATRIMÔNIO E A RENDA
f art. 9º, II
ADQUIRENTE DE BENS
f art. 131, I COISA JULGADA
f art. 156, X
ALIENAÇÃO FRAUDULENTA DE BENS
COMISSÁRIO DE CONCORDATA

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL


f art. 185
f art. 134, V
ALÍQUOTA
f advalorem: art. 20, II
COMPENSAÇÃO DE CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS
f art. 170
f alteração: art. 21
f convênio para estabelecimento de: art. 213
COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
f fixação: art. 97, IV
f arts. 6º a 15
f imposto sobre a transmissão de bens imóveis: art. 39
f disposições especiais: arts. 12 a 14
f empréstimos compulsórios: art. 15
ANALOGIA
f indelegabilidade: art. 7º
f art. 108
f limitações: arts. 9º a 15
ANISTIA FISCAL f não exercício: art. 8º
f arts. 180 a 182
CONCORDATA
APLICAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA f cobrança judicial de crédito tributário: art. 187
f arts. 105 e 106 f concessão: art. 191

ARREMATANTE DE PRODUTOS APREENDIDOS OU ABAN- CONCORDATÁRIO


DONADOS f arts. 134, V, e 135, I
f art. 22, II
CONCURSO
ATOS f credores: art. 187
f preferência: art. 187, par. ún.
f administrativos: art. 103, I
f jurídicos condicionais: art. 117
CONDIÇÃO
f normativos: art. 100, I
f resolutória: art. 117, II
f suspensiva: art. 117, I
–B– CÔNJUGE MEEIRO
f art. 131, II
BANCO DO BRASIL
f crédito ao Fundo de Participação dos Estados e dos Municí- CONSIGNAÇÃO JUDICIAL DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO
pios: art. 87 f art. 164
f prazo para creditar aos Estados: art. 93, § 2º
CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA
BANCOS f arts. 81 e 82
f obrigação de prestar informações sobre os bens, negócios ou
atividades de terceiros: art. 197, II CONTRIBUINTE
f exclusão de responsabilidade pelo crédito tributário: art. 128
BASE DE CÁLCULO DE TRIBUTO f imposto de exportação: art. 27
f atualização do valor monetário respectivo: art. 100, par. ún. f imposto de importação: art. 22
f atualização não constitui majoração de tributo: art. 97, § 2º f imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana: art. 34
f fixação da alíquota exclusivamente por lei: art. 97, IV f imposto sobre a propriedade territorial rural: art. 31
f imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana: art. 33 f imposto sobre operações de crédito, câmbio e seguro: art. 66
f imposto sobre a propriedade territorial rural: art. 30 f imposto sobre produtos industrializados: art. 51

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 213


–D–

f imposto sobre serviços de transportes e comunicações: art. 70 f critério de distribuição do Fundo de Participação dos Estados:
f notificação; contribuição de melhoria: art. 82, § 2º art. 88
f responsabilidade solidária: arts. 134 e 135 f produto da arrecadação do imposto sobre a propriedade
f sujeito passivo da obrigação principal: art. 121, par. ún., I territorial rural: art. 85
f produto de arrecadação do imposto sobre operações relativas
CONVERSÃO DO DEPÓSITO EM RENDA a combustíveis: art. 95
f art. 156, VI
DÍVIDA ATIVA TRIBUTÁRIA
CREDITO TRIBUTÁRIO f arts. 201 a 204
f arts. 139 a 193 f causas de nulidade da inscrição: art. 203
f ação de cobrança: art. 174 f definição: art. 201
f anistia: arts. 180 a 182 f regularmente inscrita: art. 204
f cobrança de juros de mora: art. 155 f termo de inscrição: art. 202
f cobrança judicial: art. 187
f compensação: arts. 170 e 170-A DOMICÍLIO TRIBUTÁRIO
f concordata: art. 191 f art. 127
f consignação judicial: art. 164
f constituição: arts. 142 a 150
f desconto pela antecipação do pagamento: art. 160, par. ún. –E–
f disposições gerais: arts. 139 a 141
f extinção de pagamento: arts. 157 a 164 ELEIÇÃO DE DOMICÍLIO TRIBUTÁRIO
f extinção do direito de constituir: art. 173 f art. 127
f extinção mediante transação: art. 171
f forma de pagamento: art. 162 EMPREGADOS
f formas de exclusão: arts. 175 a 182 f art. 135, II
f garantias e privilégios: arts. 183 a 193
f interrupção da prescrição: art. 174, par. ún. EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO
f isenção decorrente de lei: art. 176 f art. 15
f isenção ou remissão: art. 125, II
f juros de mora e penalidades: art. 161 EQUIDADE
f lançamento: arts. 142 a 150 f emprego pela autoridade competente: art. 108, IV
f local de pagamento: art. 159 f não dispensa o pagamento do tributo devido: art. 108, § 2º
f modalidades de extinção: arts. 156 a 174
f moratória: arts. 152 a 155-A ERRO
f natureza da obrigação principal: art. 139 f retificação da declaração do sujeito passivo: art. 147, § lº
f pagamento preferencial: arts. 188 a 190 f retificação de oficio: art. 147, § 2º
f preferências: arts. 186 a 193 f revisão do lançamento: art. 149, IV
f prova de quitação: arts. 191 a 193
f remissão total ou parcial: art. 172
ESPÓLIO
f art. 131, III
f restituição do tributo: art. 167
f retroatividade do lançamento: art. 144
ESTABELECIMENTO COMERCIAL
f suspensão: arts. 151 a 155-A
f art. 133
f transação: art. 171
ESTADOS FEDERADOS
CURADORES f arrecadação de impostos de competência da União: art. 84
f art. 134, II
f competência no imposto sobre transmissão de imóveis: art. 35
f convênios com a União: art. 83

–D– f distribuição: art. 85, II

EXPORTAÇÃO
DECADÊNCIA f art. 23
f art. 156, V
EXTRATERRITORIALIDADE DA LEI ESTADUAL
DECISÃO JUDICIAL PASSADA EM JULGADO f art. 102
f art. 156, X

DE CUJUS –F–
f art. 131, II

DEPÓSITO INTEGRAL DO CREDITO TRIBUTÁRIO FALÊNCIA


f art. 151, II f art. 187

DESCONTO PELA ANTECIPAÇÃO DO PAGAMENTO FATO GERADOR


f art. 160, par. ún. f atos perfeitos e acabados: art. 117
f caracterização: art. 116
DESEMBARAÇO ADUANEIRO f definições legais: arts. 114, 115 e 118
f art. 46, I f interpretação da definição legal: art. 118
f obrigação acessória: art. 115
DIFERENÇA TRIBUTÁRIA ENTRE BENS DE QUALQUER NA- f obrigação principal: art. 114
TUREZA
f art. 11 FILHOS MENORES
f art. 134, I
DISTRIBUIÇÃO DE RECEITAS TRIBUTÁRIAS
f arts. 83 e 84 FISCALIZAÇÃO
f constituição dos Fundos de Participação: art. 86 f arts. 194 a 200

214 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


ÍNDICE ALFABÉTICO-REMISSIVO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL –I–

f abrangência legal: art. 194, par. ún. IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE PREDIAL E TERRITORIAL
f assistência mútua pelas Fazendas Públicas: art. 199 URBANA
f competência regulada na legislação tributária: art. 194 f arts. 32 a 34
f diligências: art. 196 f base de cálculo: art. 33
f obrigação da prestação de informações sobre bens: art. 197 f competência dos Municípios: art. 32
f requisição de força pública em caso de embaraço ou desa- f zona urbana: art. 32, §§ 1º e 2º
cato: art. 200
f sigilo de informações: art. 198 IMPOSTO SOBRE A RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER
NATUREZA
FRAUDE f arts. 43 a 45
f extinção do crédito tributário: art. 150, § 4º f base de cálculo: art. 44
f revisão do lançamento: art. 149, VII f competência da União: art. 43
f sujeito passivo ou de terceiro: art. 154, par. ún. f contribuinte: art. 45, par. ún.
f fato gerador: art. 43
FUNDO DE COMERCIO f incidência: art. 43, §§ 1º e 2º
f art. 133
IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO DE BENS IMOVEIS E DE
FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS E MUNICÍPIOS DIREITOS A ELES RELATIVOS
f arts. 86 a 94 f arts. 35 a 42
f cálculo e pagamento das quotas Estaduais e Municipais: arts. f alíquota; aplicação: art. 39
92 e 93 f base de cálculo: art. 38
f critério de distribuição dos Estados: arts. 88 a 90
f competência dos Estados: arts. 35 e 41
f critério de distribuição dos Municípios: art. 91
f contribuinte: art. 42
f estabelecimento do fator representativo da população: art. 89
f dedução do montante do art. 40
f estabelecimento do fator representativo do inverso da renda
f fato gerador: art. 35
percapita: art. 90
f incidência: art. 37
f não incidência; casos: art. 36

–G– f transmissões causa mortis: art. 35, par. ún.

IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES DE CRÉDITO, CÂMBIO E

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL


GUERRA EXTERNA SEGURO E SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS A TÍTULOS E
f instituição de empréstimo compulsório pela União: art. 15, I VALORES MOBILIÁRIOS
f instituição de impostos extraordinários pela União: art. 76 f arts. 63 a 67
f alteração de alíquotas; finalidade: art. 65
f base de cálculo: art. 64
–I– f competência da União: art. 63
f contribuinte: art. 66
IMÓVEIS f fato gerador: art. 63
f art. 35 f receita líquida; destinação: art. 67

IMPOSTO IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS A COMBUSTÍVEIS.


f arts. 16 a 76 LUBRIFICANTES, ENERGIA ELÉTRICA E MINERAIS DO PAIS
f cobrança; vedação: art. 9º, II e IV f arts. 74 e 75
f componentes do sistema tributário nacional: art. 17 f competência da União: art. 74
f conceito legal: art. 16 f energia elétrica equiparada a produto industrializado: art. 74, § 1º
f especiais: arts. 74 a 76 f fato gerador: art. 74
f espécie de tributo: art. 5º f incidência: art. 74, § 2º
f exportação: arts. 23 a 28
f extraordinários: art. 76 IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS
f importação: arts. 19 a 22 f arts. 46 a 51
f patrimônio e a renda: arts. 29 a 45 f base de cálculo: art. 47
f produtos industrializados: arts. 46 a 51 f competência da União: art. 46
f propriedade predial e territorial urbana: arts. 32 a 34 f conceito de produto industrializado: art. 46, par. ún.
f propriedade territorial rural: arts. 29 a 31 f contribuinte: art. 51
f serviços de transportes e comunicações: arts. 68 a 70 f fato gerador: art. 46
f transmissão de bens imóveis e de direitos a eles relativos: f não cumulatividade: art. 49
arts. 35 a 42 f seletividade: art. 48

IMPOSTO SOBRE A EXPORTAÇÃO IMPOSTO SOBRE PROPRIEDADE TERRITORIAL RURAL


f arts. 23 a 28 f arts. 29 a 31
f base de cálculo: arts. 24 e 25 f base de cálculo: art. 30
f competência da União: art. 23 f competência da União: art. 29
f contribuinte: art. 27 f contribuinte: art. 31
f fato gerador: art. 23 f fato gerador: art. 29
f finalidade da alteração das alíquotas: art. 26
f receita liquida: art. 28 IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE TRANSPORTES E COMU-
NICAÇÕES
IMPOSTO SOBRE A IMPORTAÇÃO: f arts. 68 a 70
f arts. 19 a 22 f base de cálculo: art. 69
f alteração das alíquotas: art. 21 f competência da União: art. 68
f base de cálculo: art. 20 f contribuinte: art. 70
f competência da União: art. 19
f contribuinte: art. 22 IMUNIDADE TRIBUTÁRIA
f fato gerador: art. 19 f art. 9º, IV

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 215


–J–

INTEGRAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA MORATÓRIA


f analogia: art. 108, I f arts. 152 a 155-A
f dispensa do pagamento do tributo devido: art. 108, § 2º f abrangência: art. 154
f equidade: art. 108, IV f concessão de caráter geral ou individual: art. 152, I e II
f tributo não previsto em lei; exigência: art. 108, § 1º f individual: arts. 153, II e 155
f parcelamento: art. 155-A
INTERPRETAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA
f arts. 107 a 112 MUNICÍPIOS
f interpretação favorável ao acusado: art. II2 f competência para o imposto sobre a propriedade predial e
f interpretação literal: art. III territorial urbana: art. 32
f normas aplicáveis: art. 107 f concurso de preferência: art. 187, par. ún., III
f convênios com a União: art. 83
INVENTARIANTE f fato gerador de suas taxas: art. 77
f art. 134, IV f participação no imposto sobre a propriedade territorial
f rural: arts. 29 e 85, I
ISENÇÃO
f arts. 176 a 179
f efetivação: art. 179 –N–
f revogação ou modificação: art. 178
f tributos aos quais não se aplicará: art. 177 NÃO INCIDÊNCIA DO IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE
IMOVEIS
f art. 36
–J–
NOTA FISCAL DE MODELO ESPECIAL
JUROS DE MORA f art. 50
f art. 161

–O–
–L–
OBRAS PÚBLICAS
LANÇAMENTO f art. 81
f alteração: art. 145
f conceito legal: art. 142 OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA
f constituição do crédito tributário: art. 142 f acessória: arts. 113, § 2º e 115
f homologação: art. 150 f conversão em principal da obrigação acessória: art. 113, § 3º
f modalidades: arts. 147 a 150 f domicílio tributário: art. 127

f responsabilidade funcional: art. 142, par. ún. f espécies: art. 113

f retroatividade: art. 144 f principal: arts. 113, § 1º e 114


f sujeito ativo: arts. 119 e 120
LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA f sujeito passivo: arts. 121 a 125
f arts. 96 a 112
f âmbito da expressão: art. 96
f aplicação a ato ou lato pretérito: art. 106 –P–
f aplicação imediata: art. 105
f competência: art. 97 PAGAMENTO
f decretos: art. 99 f arts. 157 a 169
f interpretação literal: art. III f acréscimo de juros de mora: art. 161
f interpretação: arts. 107 e 108 f antecipação: arts. 150, § 1º e 156, VII
f normas complementares: art. 100 f consignação judicial da importância do crédito tributário: art. 164
f princípios gerais de direito privado: art. 109 f crédito não Importa presunção de pagamento: art. 158
f que define infrações ou comi na penalidades: art. 112 f desconto em caso de antecipação: art. 160, par. ún.

f tratados e convenções; abrangência: art. 98 f extinção do crédito tributário: art. 156, I

f vedação à alteração de definição: art. 110 f formas de: art. 162 .

f vigência no espaço e no tempo: arts. 101 a 104 f imposição de penalidade: art. 157
f indevido: art. 165
LEILOEIROS f juros de mora: art. 161
f art. 197, IV f local para efetuar: art. 159
f não fixação do tempo: art. 160
LIMINAR EM MANDADO DE SEGURANÇA f prescrição do direito de pleitear restituição: art. 168
f art. 151, IV f regras de imputação: art. 163
f restituição total ou parcial do tributo: art. 167
LIQUIDEZ DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO f restituição-negada: art. 169
f art. 201, par. ún.
PAPEL DESTINADO A PUBLICAÇÕES
f art. 9º, IV, d
–M–
PESSOAS JURÍDICAS
MANDADO DE SEGURANÇA f aquisição de fundo de comércio ou estabelecimento: art. 133
f art. 151, IV f domicílio tributário no direito privado: art. 127, II
f domicilio tributário no direito público: art. 127, III
MASSA FALIDA f sub-rogação em caso de desmembramento: art. 120
f art. 134, V f sujeito ativo da obrigação de direito público: art. 119

216 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


ÍNDICE ALFABÉTICO-REMISSIVO DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL –T–

PESSOAS NATURAIS f infrações da legislação; exclusão: art. 138


f art. 127, I, e § 1º f pessoa jurídica de direito privado resultante de fusão, transfor-
mação ou incorporação: art. 132
PODER AQUISITIVO f solidária: art. 134
f art. 15, III f sucessores: arts. 129 a 133
f terceiros: arts. 128, 134 e 135
PODER DE POLICIA
f art. 78 RESTITUIÇÃO
f ação anulatória que a denegar: art. 169
POSSE DE BEM IMÓVEL f prazo: art. 168
f art. 32
RETIFICAÇÃO DE OFICIO
PRAZO f art. 147, §§ 1º e 2º
f contagem: art. 210
f fornecimento de certidões negativas: art. 205, par. ún. RETROATIVIDADE DA LEI TRIBUTARIA
f imposto extraordinário na iminência ou em caso de guerra f art. 106
externa: art. 76
f início e vencimento restritos a dia de expediente normal: art. REVISÃO DE OFICIO DO LANÇAMENTO
210, par. ún. f art. 149
f pleitear restituição de tributo: art. 168

PREPOSTOS –S–
f art. 135, II
SEGREDO PROFISSIONAL
PRESCRIÇÃO f art. 197, par. ún.
f ação de cobrança do crédito tributário: art. 174
f extinção do crédito tributário: art. 156, V SIMULAÇÃO
f interrupção; casos: arts. 174, par. ún. e 125, III f art. 155, I, e par. ún.

PRESUNÇÃO DE FRAUDE SINDICO DE FALÊNCIA

CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL


f art. 185 f art. 134, V, e par. ún.

PRINCÍPIOS GERAIS DE DIREITO SISTEMA TRIBUTARIO NACIONAL


f arts. 108, II e III e 109 f art. 17

PRODUTO INDUSTRIALIZADO SÓCIOS


f art. 46, par. ún. f art. 134, VII e par. ún.

PROPRIEDADE IMÓVEL SOLIDARIEDADE


f arts. 29 e 32 f arts. 124 e 125
f efeitos: art. 125
PROTESTO JUDICIAL f pessoas obrigadas: art. 124
f art. 174, par. ún., II
SUB-ROGAÇÃO
f art. 120
–Q–
SUCESSORES
QUITAÇÃO DE TRIBUTOS f art. 131, II
f art. 191
SUJEITO ATIVO DA OBRIGAÇÃO TRIBUTARIA
f art. 119
–R– SUJEITO PASSIVO DA OBRIGAÇÃO TRIBUTARIA
f capacidade tributária: art. 126
REFORMA DE DECISÃO CONDENATORIA f convenções particulares relativas à responsabilidade pelo
f art. 165, III
pagamento de tributos: art. 123
f dolo, fraude ou simulação: art. 149, VII
REMISSÃO
f efetuação de lançamento com base em sua declaração: art. 147
f art. 156, IV
f obrigação acessória: art. 122
RESCISÃO DE DECISÃO CONDENATORIA f obrigação principal: art. 121
f art. 165, III f obrigação solidária: arts. 124 e 125

RESGATE NO EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO SUSPENSÃO DA EXIGIBILIDADE DO CRÉDITO TRIBUTARIO


f art. 15, par. ún. f art. 151

RESPONSABILIDADE TRIBUTARIA
f arts. 128 a 138 –T–
f aquisição de fundo de comércio ou estabelecimento comercial,
industrial ou profissional: art. 133 TAXA
f atos praticados com excesso de poderes ou infração de lei: f arts. 77 a 80
art. 135 f base de cálculo e fato gerador: art. 77, par. ún.
f crédito tributário: art. 130 f cobradas pela União, Estados, Distrito Federal ou Municípios:
f definição dos responsáveis pessoais: art. 131 art. 77
f infrações da legislação: arts. 136 a 138 f espécie de tributo: art. 5º

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 217


ART. 218

f instituição e cobrança: art. 80


f poder de polícia: art. 78
f serviços públicos: art. 79

TEMPLOS
f art. 9º, IV, b

TRANSAÇÃO
f art. 156, III

TRIBUTO
f conceito legal: art. 3º
f diferença tributária entre bens de qualquer natureza: art. 11
f espécies: art. 5º
f instituição pela União: art. 10
f interestadual ou intermunicipal: art. 9º, III
f majoração: art. 9º, I
f natureza jurídica específica: art. 4º

TUTORES
f art. 134, II

–U–
UNIÃO
f competência para concessão de moratória: art. 152, I, b
f competência referente ao imposto de exportação: art. 23
f competência referente ao imposto de importação: art. 19
f competência referente ao imposto sobre a propriedade
f competência referente ao imposto sobre operações de
f competência referente ao imposto sobre produtos industria-
lizados: art. 46
f crédito, câmbio e seguro: art. 63
f distribuição de impostos aos Estados, Distrito Federal e Mu-
nicípios: art. 85, I e II
f impostos extraordinários: art. 76
f instituição de empréstimos compulsórios: art. 15
f territorial rural: art. 29

–V –
VALOR FUNDIÁRIO
f art. 30

VALOR VENAL DE IMÓVEL


f art. 33

–Z–
ZONA URBANA
f art. 32, § 1º

218 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


SÚMULAS

SÚMULAS

1681
SÚMULAS VINCULANTES

SÚMULAS VINCULANTES 11. Só é lícito o uso de algemas em casos de resistência


e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade
` CF: art. 103-A. física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros,
` Lei nº 11.417, de 19-12-2006, dispõe sobre súmulas vinculantes. justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de
responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da
1. Ofende a garantia constitucional do ato jurídico perfeito autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual
a decisão que, sem ponderar as circunstâncias do caso a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do
concreto, desconsidera a validez e a eficácia de acordo Estado.
constante de termo de adesão instituído pela lei comple-
mentar nº 110/2001. 12. A cobrança de taxa de matrícula nas universidades
públicas viola o disposto no art. 206, IV, da Constituição
` CF: art. 5º, XXXVI.
Federal.
` Lei Complementar nº 110, de 29-06-2001, Institui contribuições
sociais, autoriza créditos de complementos de atualização mo- 13. A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente
netária em contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro
de Serviço – FGTS. grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor
da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção,
2. É inconstitucional a lei ou ato normativo estadual ou
chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em
distrital que disponha sobre sistemas de consórcios e
comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada
sorteios, inclusive bingos e loterias.
na administração pública direta e indireta em qualquer dos
` CF: art. 22, XX. Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
3. Nos processos perante o tribunal de contas da união Municípios, compreendido o ajuste mediante designações
asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando recíprocas, viola a Constituição Federal.
da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato 14. É direito do defensor, no interesse do representado, ter
administrativo que beneficie o interessado, excetuada a acesso amplo aos elementos de prova que, já documen-
apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de tados em procedimento investigatório realizado por órgão
aposentadoria, reforma e pensão. com competência de polícia judiciária, digam respeito ao
` CF: arts. 5º, LV e 71, III. exercício do direito de defesa.
` Lei nº 9.784, de 29-01-1999, art. 2º, dispõe sobre processo
15. O cálculo de gratificações e outras vantagens do ser-
administrativo federal.
vidor público não incide sobre o abono utilizado para se
4. Salvo nos casos previstos na Constituição, o salário atingir o salário mínimo.
mínimo não pode ser usado como indexador de base de
16. Os artigos 7º, IV, e 39, § 3º (redação da EC 19/98), da
cálculo de vantagem de servidor público ou de empregado,
Constituição, referem-se ao total da remuneração percebida
nem ser substituído por decisão judicial.
pelo servidor público.
5. A falta de defesa técnica por advogado no processo
17. Durante o período previsto no parágrafo 1º do artigo
administrativo disciplinar não ofende a constituição.
100 da Constituição, não incidem juros de mora sobre os
` CF: art. 5º, LV. precatórios que nele sejam pagos.
6. Não viola a Constituição o estabelecimento de remune- 18. A dissolução da sociedade ou do vínculo conjugal, no
ração inferior ao salário mínimo para as praças prestadoras curso do mandato, não afasta a inelegibilidade prevista no
de serviço militar inicial. § 7º do artigo 14 da Constituição Federal.
7. A norma do § 3º do art. 192 da Constituição, revogada 19. A taxa cobrada exclusivamente em razão dos serviços
pela emenda constitucional Nº  40/2003, que limitava a públicos de coleta, remoção e tratamento ou destinação
taxa de juros reais a 12% ao ano, tinha sua aplicação de lixo ou resíduos provenientes de imóveis, não viola o
condicionada à edição de lei complementar. artigo 145, II, da Constituição Federal.
8. São inconstitucionais o parágrafo único do artigo 5º 20. A gratificação de desempenho de atividade técnico-ad-
do decreto-lei nº 1.569/1977 e os artigos 45 e 46 da lei ministrativa – Gdata, instituída pela lei nº 10.404/2002, deve
nº 8.212/1991, que tratam de prescrição e decadência de ser deferida aos inativos nos valores correspondentes a 37,5
crédito tributário. (trinta e sete vírgula cinco) pontos no período de fevereiro a
` CF: art. 146, III, b. maio de 2002, e, nos termos do artigo 5º, parágrafo único,
` CTN: arts. 173 e 174. da Lei nº 10.404/2002, no período de junho de 2002 até a
conclusão dos efeitos do último ciclo de avaliação a que
` Lei nº 6.830, 22-09-1980: art. 2º, § 3º, dispõe sobre execuções
fiscais. se refere o artigo 1º da medida provisória nº 198/2004, a
partir da qual passa a ser de 60 (sessenta) pontos.
9. O disposto no artigo 127 da Lei nº 7.210/1984 (Lei de ` CF: art. 40, § 8º.
SÚMULAS

Execução Penal) foi recebido pela ordem constitucional


vigente, e não se lhe aplica o limite temporal previsto no 21. É inconstitucional a exigência de depósito ou arrola-
caput do artigo 58. mento prévios de dinheiro ou bens para admissibilidade
de recurso administrativo.
10. Viola a cláusula de reserva de plenário (CF, artigo 97)
` CF: art. 5º, XXXIV, a e LV.
a decisão de órgão fracionário de Tribunal que, embora
não declare expressamente a inconstitucionalidade de lei 22. A Justiça do Trabalho é competente para processar
ou ato normativo do poder público, afasta sua incidência, e julgar as ações de indenização por danos morais e pa-
no todo ou em parte. trimoniais decorrentes de acidente de trabalho propostas

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 1683


por empregado contra empregador, inclusive aquelas que 34. A Gratificação de Desempenho de Atividade de Se-
ainda não possuíam sentença de mérito em primeiro grau guridade Social e do Trabalho – GDASST, instituída pela
quando da promulgação da Emenda Constitucional nº 45/04. Lei 10.483/2002, deve ser estendida aos inativos no valor
correspondente a 60 (sessenta) pontos, desde o advento da
23. A Justiça do Trabalho é competente para processar e
Medida Provisória 198/2004, convertida na Lei 10.971/2004,
julgar ação possessória ajuizada em decorrência do exercício
quando tais inativos façam jus à paridade constitucional
do direito de greve pelos trabalhadores da iniciativa privada.
(EC 20/1998, 41/2003 e 47/2005).
24. Não se tipifica crime material contra a ordem tributária,
35. A homologação da transação penal prevista no artigo
previsto no art. 1º, incisos I a IV, da Lei nº 8.137/90, antes
76 da Lei 9.099/1995 não faz coisa julgada material e, des-
do lançamento definitivo do tributo.
cumpridas suas cláusulas, retoma-se a situação anterior,
` CF: art. 5º, LV.
possibilitando-se ao Ministério Público a continuidade da
` CTN: art. 142, caput. persecução penal mediante oferecimento de denúncia ou
` Lei nº  8.137, de 27-12-1990, dispõe sobre crimes contra a requisição de inquérito policial.
ordem tributária.
36. Compete à Justiça Federal comum processar e julgar
` Lei nº 9.430, de 27-12-1997: art. 83, dispõe sobre legislação
tributária federal, contribuindo para a seguridade social e pro- civil denunciado pelos crimes de falsificação e de uso
cesso administrativo de consulta. de documento falso quando se tratar de falsificação da
Caderneta de Inscrição e Registro (CIR) ou de Carteira de
` Lei nº 10.684, de 31-5-2003, dispõe sobre parcelamento de
débitos junto à Secretaria da Receita Federal, à PGFN e ao INSS. Habilitação de Amador (CHA), ainda que expedidas pela
Marinha do Brasil.
25. É ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que
seja a modalidade do depósito. 37. Não cabe ao Poder Judiciário, que não tem função
legislativa, aumentar vencimentos de servidores públicos
` Súmulas do STJ: 304, 305, 419 e 439.
sob o fundamento de isonomia.
` CF: art. 5º, LXVII e § 2º.
38. É competente o município para fixar o horário de fun-
26. Para efeito de progressão de regime no cumprimento cionamento de estabelecimento comercial.
de pena por crime hediondo, ou equiparado, o juízo da
execução observará a inconstitucionalidade do art. 2º da 39. Compete privativamente à União legislar sobre venci-
Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, sem prejuízo de avaliar mentos dos membros das polícias civil e militar e do corpo
se o condenado preenche, ou não, os requisitos objetivos e de bombeiros militar do distrito federal.
subjetivos do benefício, podendo determinar, para tal fim, de
modo fundamentado, a realização de exame criminológico. 40. A contribuição confederativa de que trata o art. 8º,
IV, da Constituição Federal, só é exigível dos filiados ao
27. Compete à Justiça estadual julgar causas entre con- sindicato respectivo.
sumidor e concessionária de serviço público de telefonia,
quando a ANATEL não seja litisconsorte passiva necessária, 41. O serviço de iluminação pública não pode ser remu-
assistente, nem opoente. nerado mediante taxa.

28. É inconstitucional a exigência de depósito prévio como 42. É inconstitucional a vinculação do reajuste de venci-
requisito de admissibilidade de ação judicial na qual se mentos de servidores estaduais ou municipais a índices
pretenda discutir a exigibilidade de crédito tributário federais de correção monetária.
` Súmula do STJ: 112. 43. É inconstitucional toda modalidade de provimento que
` CF: art. 5º, XXXV. propicie ao servidor investir-se, sem prévia aprovação em
concurso público destinado ao seu provimento, em cargo
29. É constitucional a adoção, no cálculo do valor de taxa,
que não integra a carreira na qual anteriormente investido.
de um ou mais elementos da base de cálculo própria de
determinado imposto, desde que não haja integral identidade 44. Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a
entre uma base e outra. habilitação de candidato a cargo público.
` CF: art. 145, § 2º.
45. A competência constitucional do Tribunal do Júri preva-
31. É inconstitucional a incidência do imposto sobre serviços lece sobre o foro por prerrogativa de função estabelecido
de qualquer natureza – ISS sobre operações de locação exclusivamente pela Constituição Estadual.
de bens móveis.
46. A definição dos crimes de responsabilidade e o estabe-
` CF: art. 156, III. lecimento das respectivas normas de processo e julgamento
` Lei Complementar nº 116, de 31-07-2003, dispõe sobre ISS. são de competência legislativa privativa da União.
32. O ICMS não incide sobre alienação de salvados de 47. Os honorários advocatícios incluídos na condenação
sinistro pelas seguradoras. ou destacados do montante principal devido ao credor
` CF: art. 153, V. consubstanciam verba de natureza alimentar cuja satisfa-
` Lei Complementar nº  87, de 13-09-1996: art. 3º, IX, dispõe ção ocorrerá com a expedição de precatório ou requisição
sobre o ICMS. de pequeno valor, observada ordem especial restrita aos
créditos dessa natureza.
33. Aplicam-se ao servidor público, no que couber, as regras
do regime geral da previdência social sobre aposentadoria 48. Na entrada de mercadoria importada do exterior, é
especial de que trata o artigo 40, § 4º, inciso III da Consti- legítima a cobrança do ICMS por ocasião do desembaraço
tuição Federal, até a edição de lei complementar específica. aduaneiro.

1684 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


SÚMULAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL – STF

49. Ofende o princípio da livre concorrência lei municipal 9. Para o acesso de auditores ao Superior Tribunal Militar,
que impede a instalação de estabelecimentos comerciais só concorrem os de segunda entrância.
do mesmo ramo em determinada área.
10. O tempo de serviço militar conta-se para efeito de dis-
50. Norma legal que altera o prazo de recolhimento de obri- ponibilidade e aposentadoria do servidor público estadual.
gação tributária não se sujeita ao princípio da anterioridade.
11. A vitaliciedade não impede a extinção do cargo, ficando
51. O reajuste de 28,86%, concedido aos servidores mili- o funcionário em disponibilidade, com todos os vencimentos.
tares pelas Leis 8622/1993 e 8627/1993, estende-se aos
servidores civis do poder executivo, observadas as eventuais 12. A vitaliciedade do professor catedrático não impede o
compensações decorrentes dos reajustes diferenciados desdobramento da cátedra.
concedidos pelos mesmos diplomas legais. 13. A equiparação de extranumerário a funcionário efetivo,
52. Ainda quando alugado a terceiros, permanece imune determinada pela L. 2.284, de 9.8.54, não envolve reestru-
ao IPTU o imóvel pertencente a qualquer das entidades turação, não compreendendo, portanto, os vencimentos.
referidas pelo art. 150, VI, “c”, da Constituição Federal, 14. Não é admissível, por ato administrativo, restringir, em
desde que o valor dos aluguéis seja aplicado nas atividades
razão da idade, inscrição em concurso para cargo público.
para as quais tais entidades foram constituídas.
15. Dentro do prazo de validade do concurso, o candidato
53. A competência da Justiça do Trabalho prevista no art.
aprovado tem o direito à nomeação, quando o cargo for
114, VIII, da Constituição Federal alcança a execução de
preenchido sem observância da classificação.
ofício das contribuições previdenciárias relativas ao objeto
da condenação constante das sentenças que proferir e 16. Funcionário nomeado por concurso tem direito à posse.
acordos por ela homologados.
17. A nomeação de funcionário sem concurso pode ser
54. A medida provisória não apreciada pelo congresso desfeita antes da posse.
nacional podia, até a Emenda Constitucional 32/2001, ser
reeditada dentro do seu prazo de eficácia de trinta dias, 18. Pela falta residual, não compreendida na absolvição
mantidos os efeitos de lei desde a primeira edição. pelo juízo criminal, é admissível a punição administrativa
do servidor público.
55. O direito ao auxílio-alimentação não se estende aos
servidores inativos. 19. É inadmissível segunda punição de servidor público,
baseada no mesmo processo em que se fundou a primeira.
56. A falta de estabelecimento penal adequado não au-
toriza a manutenção do condenado em regime prisional 20. É necessário processo administrativo com ampla defe-
mais gravoso, devendo-se observar, nessa hipótese, os sa, para demissão de funcionário admitido por concurso.
parâmetros fixados no RE 641.320/RS.
21. Funcionário em estágio probatório não pode ser exone-
rado nem demitido sem inquérito ou sem as formalidades
legais de apuração de sua capacidade.
22. O estágio probatório não protege o funcionário contra
SÚMULAS DO SUPREMO a extinção do cargo.
TRIBUNAL FEDERAL – STF 23. Verificados os pressupostos legais para o licenciamento
da obra, não o impede a declaração de utilidade pública
1. É vedada a expulsão de estrangeiro casado com para desapropriação do imóvel, mas o valor da obra não
Brasileira, ou que tenha filho Brasileiro, dependente da se incluirá na indenização, quando a desapropriação for
economia paterna. efetivada.
2. Concede-se liberdade vigiada ao extraditando que estiver 24. Funcionário interino substituto é demissível, mesmo
prêso por prazo superior a sessenta dias. antes de cessar a causa da substituição.
3. A imunidade concedida a deputados estaduais é restrita 25. A nomeação a termo não impede a livre demissão pelo
à Justiça do Estado. (SUPERADA) presidente da república, de ocupante de cargo dirigente
4. Não perde a imunidade parlamentar o congressista de autarquia.
nomeado Ministro de Estado. (CANCELADA) 26. Os servidores do Instituto de Aposentadoria e Pensões
5. A sanção do projeto supre a falta de iniciativa do Poder dos Industriários não podem acumular a sua gratificação
Executivo. bienal com o adicional de tempo de serviço previsto no
Estatuto dos Funcionários Civis da União.
6. A revogação ou anulação, pelo Poder Executivo, de apo-
sentadoria, ou qualquer outro ato aprovado pelo Tribunal de 27. Os servidores públicos não têm vencimentos irredutíveis,
SÚMULAS

Contas, não produz efeitos antes de aprovada por aquêle prerrogativa dos membros do Poder Judiciário e dos que
Tribunal, ressalvada a competência revisora do Judiciário. lhes são equiparados.

7. Sem prejuízo de recurso para o Congresso, não é exe- 28. O estabelecimento bancário é responsável pelo paga-
qüível contrato administrativo a que o Tribunal de Contas mento de cheque falso, ressalvadas as hipóteses de culpa
houver negado registro. exclusiva ou concorrente do correntista.
8. Diretor de sociedade de economia mista pode ser des- 29. Gratificação devida a servidores do “sistema fazendário”
tituído no curso do mandato. não se estende aos dos Tribunais de Contas.

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 1685


30. Servidores de coletorias não têm direito à percentagem 51. Militar não tem direito a mais de duas promoções na pas-
pela cobrança de contribuições destinadas à Petrobrás. sagem para a inatividade, ainda que por motivos diversos.

31. Para aplicação da L. 1741, de 22.11.52, soma-se o tempo 52. A promoção de militar, vinculada à inatividade, pode
de serviço ininterrupto em mais de um cargo em comissão. ser feita, quando couber, a pôsto inexistente no quadro.

32. Para aplicação da L. 1741, de 22.11.52, soma-se o 53. A promoção de professor militar, vinculada à sua reforma,
tempo de serviço ininterrupto em cargo em comissão e pode ser feita, quando couber, a pôsto inexistente no quadro.
em função gratificada. 54. A reserva ativa do magistério militar não confere van-
33. A L. 1.741, de 22.11.52, é aplicável às autarquias tagens vinculadas à efetiva passagem para a inatividade.
federais. 55. Militar da reserva está sujeito à pena disciplinar.
34. No Estado de São Paulo, funcionário eleito vereador 56. Militar reformado não está sujeito à pena disciplinar.
fica licenciado por toda a duração do mandato.
57. Militar inativo não tem direito ao uso do uniforme fora
35. Em caso de acidente do trabalho ou de transporte, a dos casos previstos em lei ou regulamento.
concubina tem direito de ser indenizada pela morte do amá-
sio, se entre eles não havia impedimento para o matrimônio. 58. É válida a exigência de média superior a quatro para
aprovação em estabelecimento de ensino superior, con-
36. Servidor vitalício está sujeito à aposentadoria compul- soante o respectivo regimento.
sória, em razão da idade.
59. Imigrante pode trazer, sem licença prévia, automóvel
37. Não tem direito de se aposentar pelo Tesouro Nacional que lhe pertença desde mais de seis meses antes do seu
o servidor que não satisfizer as condições estabelecidas na embarque para o Brasil.
legislação do serviço público federal, ainda que aposentado
pela respectiva instituição previdenciária, com direito, em 60. Não pode o estrangeiro trazer automóvel quando não
comprovada a transferência definitiva de sua residência
tese, a duas aposentadorias.
para o Brasil.
38. Reclassificação posterior à aposentadoria não aproveita
61. Brasileiro domiciliado no estrangeiro, que se transfere
ao servidor aposentado.
definitivamente para o Brasil, pode trazer automóvel licen-
39. À falta de lei, funcionário em disponibilidade não pode ciado em seu nome há mais de seis meses.
exigir, judicialmente, o seu aproveitamento, que fica su-
62. Não basta a simples estada no estrangeiro por mais de
bordinado ao critério de conveniência da administração.
seis meses, para dar direito à trazida de automóvel com
40. A elevação da entrância da comarca não promove fundamento em transferência de residência.
automaticamente o juiz, mas não interrompe o exercício 63. É indispensável, para trazida de automóvel, a prova do
de suas funções na mesma comarca. licenciamento há mais de seis meses no país de origem.
41. Juízes preparadores ou substitutos não têm direito aos 64. É permitido trazer do estrangeiro, como bagagem,
vencimentos da atividade fora dos períodos de exercício. objetos de uso pessoal e doméstico, desde que, por sua
42. É legítima a equiparação de juízes do Tribunal de Contas, quantidade e natureza, não induzam finalidade comercial.
em direitos e garantias, aos membros do Poder Judiciário. 65. A cláusula de aluguel progressivo anterior à L. 3.494,
de 19.12.58, continua em vigor em caso de prorrogação
43. Não contraria a Constituição Federal o art. 61 da Cons-
legal ou convencional da locação.
tituição de São Paulo, que equiparou os vencimentos do
Ministério Público aos da magistratura. 66. É legítima a cobrança do tributo que houver sido aumen-
tado após o orçamento, mas antes do início do respectivo
44. O exercício do cargo pelo prazo determinado na L.
exercício financeiro.
1.341, de 30.1.51, art. 91, dá preferência para a nomeação
interina de Procurador da República. 67. É inconstitucional a cobrança do tributo que houver
sido criado ou aumentado no mesmo exercício financeiro.
45. A estabilidade dos substitutos do Ministério Público
Militar não confere direito aos vencimentos da atividade 68. É legítima a cobrança, pelos municípios, no exercício de
fora dos períodos de exercício. 1961, de tributo estadual, regularmente criado ou aumen-
tado, e que lhes foi transferido pela emenda constitucional
46. Desmembramento de serventia de justiça não viola o 5, de 21/11/1961.
princípio de vitaliciedade do serventuário.
69. A constituição estadual não pode estabelecer limite
47. Reitor de universidade não é livremente demissível pelo para o aumento de tributos municipais.
Presidente da República durante o prazo de sua investidura.
70. É inadmissível a interdição de estabelecimento como
48. É legítimo o rodízio de docentes livres na substituição meio coercitivo para cobrança de tributo.
do professor catedrático. ` Súmulas nº 323 e 547 do STF.
49. A cláusula de inalienabilidade inclui a incomunicabili- ` CF: arts. 5º, XXII e 170.
dade dos bens.
71. Embora pago indevidamente, não cabe restituição de
50. A lei pode estabelecer condições para a demissão de tributo indireto. (SEM VIGÊNCIA)
extranumerário. ` Súmula nº 546 do STF.

1686 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


SÚMULAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL – STF

72. No julgamento de questão constitucional, vinculada a 91. A incidência do imposto único não isenta o comerciante
decisão do tribunal superior eleitoral, não estão impedidos de combustíveis do imposto de indústrias e profissões.
os ministros do supremo tribunal federal que ali tenham (SEM EFICÁCIA)
funcionado no mesmo processo, ou no processo originário.
92. É constitucional o art. 100, II, da lei 4563, de 20/2/1957,
73. A imunidade das autarquias, implicitamente contida do município de recife, que faz variar o imposto de licença
no art. 31, v, “a”, da constituição federal, abrange tributos em função do aumento do capital do contribuinte. (SEM
estaduais e municipais. EFICÁCIA)
` CF: art. 150, VI, §§ 2º e 3º.
93. Não está isenta do imposto de renda a atividade pro-
74. O imóvel transcrito em nome de autarquia, embora objeto fissional do arquiteto.
de promessa de venda a particulares, continua imune de
impostos locais. (SEM VIGÊNCIA) 94. É competente a autoridade alfandegária para o des-
` Súmulas nº 73 e 583 do STF. conto, na fonte, do imposto de renda correspondente às
comissões dos despachantes aduaneiros.
75. Sendo vendedora uma autarquia, a sua imunidade fiscal
não compreende o imposto de transmissão “inter vivos”, 95. Para cálculo do imposto de lucro extraordinário, in-
que é encargo do comprador. cluem-se no capital as reservas do ano-base, apuradas
em balanço.
76. As sociedades de economia mista não estão protegidas
pela imunidade fiscal do art. 31, v, “a”, constituição federal. 96. O imposto de lucro imobiliário incide sobre a venda de
` CF: art. 173, § 2º. imóvel da meação do cônjuge sobrevivente, ainda que aberta
a sucessão antes da vigência da lei 3470, de 28/11/58.
77. Está isenta de impostos federais a aquisição de bens
pela rede ferroviária federal. 97. É devida a alíquota anterior do imposto de lucro imobi-
liário, quando a promessa de venda houver sido celebrada
78. Estão isentas de impostos locais as empresas de energia antes da vigência da lei que a tiver elevado.
elétrica, no que respeita às suas atividades específicas.
(SEM VIGÊNCIA) 98. Sendo o imóvel alienado na vigência da lei 3470, de
28/11/1958, ainda que adquirido por herança, usucapião
79. O Banco do Brasil não tem isenção de tributos locais.
ou a título gratuito, é devido o imposto de lucro imobiliário.
80. Para a retomada de prédio situado fora do domicílio do (SEM EFICÁCIA)
locador exige-se a prova da necessidade.
99. Não é devido o imposto de lucro imobiliário, quando
` Súmula nº 483 do STF.
a alienação de imóvel adquirido por herança, ou a título
81. As cooperativas não gozam de isenção de impostos gratuito, tiver sido anterior à vigência da lei 3470, de
locais, com fundamento na constituição e nas leis federais. 28/11/1958. (SEM EFICÁCIA)

82. São inconstitucionais o imposto de cessão e a taxa sobre 100. Não é devido o imposto de lucro imobiliário, quando
inscrição de promessa de venda de imóvel, substitutivos a alienação de imóvel, adquirido por usucapião, tiver sido
do imposto de transmissão, por incidirem sobre ato que anterior à vigência da lei 3470, de 28/11/1958.
não transfere o domínio.
101. O mandado de segurança não substitui a ação popular.
83. Os ágios de importação incluem-se no valor dos artigos
importados para incidência do imposto de consumo. 102. É devido o imposto federal do selo pela incorporação de
reservas, em reavaliação de ativo, ainda que realizada antes
84. Não estão isentos do imposto de consumo os produtos da vigência da lei 3519, de 30/12/1958. (SEM EFICÁCIA)
importados pelas cooperativas.
` Lei nº 5.143, de 20-10-1966: art. 15, dispõe sobre IOF.
85. Não estão sujeitos ao imposto de consumo os bens
103. É devido o imposto federal do selo na simples reava-
de uso pessoal e doméstico trazidos, como bagagem,
liação de ativo, realizada posteriormente à vigência da lei
do exterior.
3519, de 30/12/1958. (SEM EFICÁCIA)
86. Não está sujeito ao imposto de consumo automóvel ` Lei nº 5.143, de 20-10-1966: art. 15, dispõe sobre IOF.
usado, trazido do exterior pelo proprietário.
104. Não é devido o imposto federal do selo na simples
87. Somente no que não colidirem com a lei 3244, de reavaliação de ativo anterior à vigência da lei 3519, de
14/8/1957, são aplicáveis acordos tarifários anteriores. 30/12/1958. (SEM EFICÁCIA)
88. É válida a majoração da tarifa alfandegária, resultante ` Lei nº 5.143, de 20-10-1966: art. 15, dispõe sobre IOF.
da lei 3244, de 14/8/1957, que modificou o acordo geral
sobre tarifas aduaneiras e comércio (GATT), aprovado pela 105. Salvo se tiver havido premeditação, o suicídio do
SÚMULAS

lei 313, de 30/7/1948. segurado no período contratual de carência não exime o


segurador do pagamento do seguro.
89. Estão isentas do imposto de importação frutas impor-
tadas da argentina, do chile, da Espanha e de Portugal, 106. É legítima a cobrança de selo sobre registro de auto-
enquanto vigentes os respectivos acordos comerciais. móveis, na conformidade da legislação estadual.

90. É legítima a lei local que faça incidir o imposto de in- 107. É inconstitucional o imposto de selo de 3%, “ad valo-
dústrias e profissões com base no movimento econômico rem”, do paraná, quanto aos produtos remetidos para fora
do contribuinte. do estado. (SEM EFICÁCIA)

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 1687


717. Não impede a progressão de regime de execução da 732. É constitucional a cobrança da contribuição do
pena, fixada em sentença não transitada em julgado, o fato salário-educação, seja sob a carta de 1969, seja sob a
de o réu se encontrar em prisão especial. Constituição Federal de 1988, e no regime da lei 9424/1996.
718. A opinião do julgador sobre a gravidade em abstrato 733. Não cabe recurso extraordinário contra decisão pro-
do crime não constitui motivação idônea para a imposi- ferida no processamento de precatórios.
ção de regime mais severo do que o permitido segundo ` CF: art. 100, § 2º.
a pena aplicada.
734. Não cabe reclamação quando já houver transitado
719. A imposição do regime de cumprimento mais severo em julgado o ato judicial que se alega tenha desrespeitado
do que a pena aplicada permitir exige motivação idônea. decisão do Supremo Tribunal Federal.
720. O art. 309 do Código de Trânsito Brasileiro, que recla- 735. Não cabe recurso extraordinário contra acórdão que
ma decorra do fato perigo de dano, derrogou o art. 32 da defere medida liminar.
Lei das Contravenções Penais no tocante à direção sem
habilitação em vias terrestres. 736. Compete à Justiça do Trabalho julgar as ações que
tenham como causa de pedir o descumprimento de nor-
721. A competência constitucional do Tribunal do Júri pre- mas trabalhistas relativas à segurança, higiene e saúde
valece sobre o foro por prerrogativa de função estabelecido dos trabalhadores.
exclusivamente pela Constituição estadual.
722. São da competência legislativa da União a definição
dos crimes de responsabilidade e o estabelecimento das
respectivas normas de processo e julgamento.
SÚMULAS DO SUPERIOR
723. Não se admite a suspensão condicional do proces-
so por crime continuado, se a soma da pena mínima da TRIBUNAL DE JUSTIÇA – STJ
infração mais grave com o aumento mínimo de um sexto
1. O foro do domicílio ou da residência do alimentando é o
for superior a um ano.
competente para a ação de investigação de paternidade,
724. Ainda quando alugado a terceiros, permanece imune quando cumulada com a de alimentos.
ao IPTU o imóvel pertencente a qualquer das entidades
2. Não cabe o habeas data (CF, art. 5, LXXII, letra “a”) se
referidas pelo art. 150, VI, “c”, da constituição, desde que
o valor dos aluguéis seja aplicado nas atividades essenciais não houve recusa de informações por parte da autoridade
de tais entidades. administrativa.
` CF: art. 150, § 4º. 3. Compete ao Tribunal Regional Federal dirimir conflito
de competência verificado, na respectiva Região, entre
725. É constitucional o § 2º do art. 6º da lei 8024/1990, Juiz Federal e Juiz Estadual investido de jurisdição federal.
resultante da conversão da medida provisória 168/1990,
` CF: art. 108, I, e.
que fixou o BTN fiscal como índice de correção monetária
aplicável aos depósitos bloqueados pelo plano Collor I. 4. Compete a Justiça Estadual julgar causa decorrente do
726. Para efeito de aposentadoria especial de professores, processo eleitoral sindical.
não se computa o tempo de serviço prestado fora da sala 5. A simples interpretação de cláusula contratual não enseja
de aula. Recurso Especial.
727. Não pode o magistrado deixar de encaminhar ao Su- 6. Compete a Justiça Comum Estadual processar e julgar
premo Tribunal Federal o agravo de instrumento interposto delito decorrente de acidente de trânsito envolvendo viatura
da decisão que não admite recurso extraordinário, ainda de polícia militar, salvo se autor e vítima forem policiais
que referente a causa instaurada no âmbito dos juizados militares em situação de atividade.
especiais.
7. A pretensão de simples reexame de prova não enseja
728. É de três dias o prazo para a interposição de recurso Recurso Especial.
extraordinário contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral,
contado, quando for o caso, a partir da publicação do acór- 8. Aplica-se a correção monetária aos créditos habilita-
dão, na própria sessão de julgamento, nos termos do art. dos em concordata preventiva, salvo durante o período
12 da Lei 6.055/74, que não foi revogado pela Lei 8.950/94. compreendido entre as datas de vigência da Lei 7.274, de
10.12.84, e do Decreto-lei 2.283, de 27.02.86.
729. A decisão na ADC-4 não se aplica à antecipação de
` Lei nº 11.101, de 9-2-2005, dispõe sobre recuperação e falência
tutela em causa de natureza previdenciária. de empresas.
730. A imunidade tributária conferida a instituições de 9. A exigência da prisão provisória, para apelar, não ofende
assistência social sem fins lucrativos pelo art. 150, VI, “c”, a garantia constitucional da presunção de inocência.
da constituição, somente alcança as entidades fechadas
de previdência social privada se não houver contribuição 10. Instalada a Junta de Conciliação e Julgamento, cessa
dos beneficiários. a competência do juiz de direito em matéria trabalhista,
inclusive para a execução das sentenças por ele proferidas.
731. Para fim da competência originária do Supremo
Tribunal Federal, é de interesse geral da magistratura a 11. A presença da União ou de qualquer de seus entes, na
questão de saber se, em face da LOMAN, os juízes têm ação de usucapião especial, não afasta a competência do
direito à licença-prêmio. foro da situação do imóvel.

1706 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


SÚMULAS DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA – STJ

12. Em desapropriação, são cumuláveis juros compensa- 32. Compete a Justiça Federal processar justificações
tórios e moratórios. judiciais destinadas a instruir pedidos perante entidades
que nela tem exclusividade de foro, ressalvada a aplicação
13. A divergência entre julgados do mesmo Tribunal não
do art. 15, II da Lei 5010/66.
enseja Recurso Especial.
33. A incompetência relativa não pode ser declarada de
14. Arbitrados os honorários advocatícios em percentual
ofício.
sobre o valor da causa, a correção monetária incide a partir
do respectivo ajuizamento. 34. Compete a Justiça Estadual processar e julgar causa
15. Compete a Justiça Estadual processar e julgar os litígios relativa a mensalidade escolar, cobrada por estabelecimento
decorrentes de acidente do trabalho. particular de ensino.

16. A legislação ordinária sobre crédito rural não veda a 35. Incide correção monetária sobre as prestações pagas,
incidência da correção monetária. quando de sua restituição, em virtude da retirada ou exclusão
do participante de plano de consórcio.
17. Quando o falso se exaure no estelionato, sem mais
potencialidade lesiva, é por este absorvido. 36. A correção monetária integra o valor da restituição, em
caso de adiantamento de câmbio, requerida em concordata
18. A sentença concessiva do perdão judicial é declarató- ou falência.
ria da extinção da punibilidade, não subsistindo qualquer
` Lei nº 11.101, de 9-2-2005, dispõe sobre recuperação e falência
efeito condenatório. de empresas.
19. A fixação do horário bancário, para atendimento ao
37. São cumuláveis as indenizações por dano material e
público, é da competência da União.
dano moral oriundos do mesmo fato.
` Lei nº 4.595, de 31-12-1964: art. 4º, VIII, dispõe sobre Sistema
Financeiro Nacional. 38. Compete a Justiça Estadual Comum, na vigência da
Constituição de 1988, o processo por contravenção penal,
20. A mercadoria importada de país signatário do GATT
ainda que praticada em detrimento de bens, serviços ou
é isenta do ICM, quando contemplado com esse favor o
interesse da União ou de suas entidades.
similar nacional.
` CTN: art. 98. 39. Prescreve em vinte anos a ação para haver indenização,
por Responsabilidade civil, de sociedade de economia mista.
21. Pronunciado o réu, fica superada a alegação do
constrangimento ilegal da prisão por excesso de prazo 40. Para obtenção dos benefícios de saída temporária e
na instrução. trabalho externo, considera-se o tempo de cumprimento
da pena no regime fechado.
22. Não há conflito de competência entre o Tribunal de
Justiça e Tribunal de Alçada do mesmo Estado-membro. 41. O Superior Tribunal de Justiça não tem competência para
processar e julgar, originariamente, mandado de segurança
23. O Banco Central do Brasil é parte legítima nas ações
contra ato de outros Tribunais ou dos respectivos órgãos.
fundadas na resolução 1154, de 1986.
24. Aplica-se ao crime de estelionato, em que figure como 42. Compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar
vítima entidade autárquica da previdência social, a qualifi- as causas cíveis em que é parte sociedade de economia
cadora do § 3º, do art. 171 do Código Penal. mista e os crimes praticados em seu detrimento.
` Súmulas nº 251, 508, 517 e 556 do STF.
25. Nas ações da Lei de Falências o prazo para a interpo-
` CF: art. 109, I e IV.
sição de recurso conta-se da intimação da parte.
43. Incide correção monetária sobre dívida por ato ilícito a
26. O avalista do título de crédito vinculado a contrato de
partir da data do efetivo prejuízo.
mútuo também responde pelas obrigações pactuadas,
quando no contrato figurar como devedor solidário. 44. A definição, em ato regulamentar, de grau mínimo de
27. Pode a execução fundar-se em mais de um título ex- disacusia, não exclui, por si só, a concessão do benefício
trajudicial relativos ao mesmo negócio. previdenciário.

28. O contrato de alienação fiduciária em garantia pode ter 45. No reexame necessário, é defeso, ao Tribunal, agravar
por objeto bem que já integrava o patrimônio do devedor. a condenação imposta à Fazenda Pública.

29. No pagamento em juízo para elidir falência, são devidos 46. Na execução por carta, os embargos do devedor
correção monetária, juros e honorários de advogado. serão decididos no juízo deprecante, salvo se versarem
` Lei nº 11.101, de 9-2-2005: art. 98, par. ún., dispõe sobre recu- unicamente vícios ou defeitos da penhora, avaliação ou
peração e falência das empresas. alienação dos bens.
SÚMULAS

` Lei 6.830, de 22-9-1980: art. 20, dispõe sobre execuções fiscais.


30. A comissão de permanência e a correção monetária
são inacumuláveis. 47. Compete a Justiça Militar processar e julgar crime
` Súmula nº 472 do STJ. cometido por militar contra civil, com emprego de arma
pertencente a corporação, mesmo não estando em serviço.
31. A aquisição, pelo segurado, de mais de um imóvel
financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação, situados 48. Compete ao juízo do local da obtenção da vantagem
na mesma localidade, não exime a seguradora da obrigação ilícita processar e julgar crime de estelionato cometido
de pagamento dos seguros. mediante falsificação de cheque.

JOSIANE MINARDI, EDUARDO SABBAG 1707


49. Na exportação de café em grão, não se inclui na base 69. Na desapropriação direta, os juros compensatórios são
de cálculo do ICM a quota de contribuição, a que e refere devidos desde a antecipada imissão na posse e, na desa-
o art. 2º do decreto-lei 2.295, de 21.11.86. (SEM EFICÁCIA) propriação indireta, a partir da efetiva ocupação do imóvel.
` CF: art. 155, § 2º, X, a.
70. Os juros moratórios, na desapropriação direta ou indi-
50. O adicional de tarifa portuária incide apenas nas opera- reta, contam-se desde o transito em julgado da sentença.
ções realizadas com mercadorias importadas ou exportadas,
71. O bacalhau importado de pais signatário do GATT e
objeto do comercio de navegação de longo curso.
isento do ICM.
51. A punição do intermediador, no jogo do bicho, inde-
pende da identificação do “apostador” ou do “banqueiro”. 72. A comprovação da mora é imprescindível à busca e
apreensão do bem alienado fiduciariamente.
52. Encerrada a instrução criminal, fica superada a alegação
de constrangimento por excesso de prazo. 73. A utilização de papel moeda grosseiramente falsificado
configura, em tese, o crime de estelionato, da competência
53. Compete a Justiça Comum Estadual processar e jul- da Justiça Estadual.
gar civil acusado de prática de crime contra instituições
militares estaduais. 74. Para efeitos penais, o reconhecimento da menoridade
do réu requer prova por documento hábil.
54. Os juros moratórios fluem a partir do evento danoso,
em caso de responsabilidade extracontratual. 75. Compete a Justiça Comum Estadual processar e julgar
o policial militar por crime de promover ou facilitar a fuga
55. Tribunal regional federal não e competente para julgar de preso de estabelecimento penal.
recurso de decisão proferida por juiz estadual não investido
de jurisdição federal. 76. A falta de registro do compromisso de compra e venda
` CF: art. 108, II. de imóvel não dispensa a prévia interpelação para constituir
em mora o devedor.
56. Na desapropriação para instituir servidão administrativa
são devidos os juros compensatórios pela limitação de uso 77. A caixa econômica federal e parte ilegítima para figurar
da propriedade. no polo passivo das ações relativas as contribuições para
o fundo PIS/PASEP.
57. Compete a Justiça Comum Estadual processar e julgar
ação de cumprimento fundada em acordo ou convenção 78. Compete a Justiça Militar processar e julgar policial de
coletiva não homologados pela Justiça do Trabalho. corporação estadual, ainda que o delito tenha sido praticado
em outra unidade federativa.
58. Proposta a execução fiscal, a posterior mudança de
domicilio do executado não desloca a competência já fixada. 79. Os bancos comerciais não estão sujeitos a registro nos
Conselhos Regionais de Economia.
59. Não há conflito de competência se já existe sentença
com transito em julgado, proferida por um dos juízos 80. A taxa de melhoramento dos portos não se inclui na
conflitantes. base de cálculo do ICMS.
60. É nula a obrigação cambial assumida por procurador 81. Não se concede fiança quando, em concurso material,
do mutuário vinculado ao mutuante, no exclusivo interesse a soma das penas mínimas cominadas for superior a dois
deste. anos de reclusão.
61. O seguro de vida cobre o suicídio não premeditado. 82. Compete a Justiça Federal, excluídas as reclamações
62. Compete a Justiça Estadual processar e julgar o crime trabalhistas, processar e julgar os feitos relativos à movi-
de falsa anotação na carteira de trabalho e previdência mentação do FGTS.
social, atribuído a empresa privada.
83. Não se conhece do Recurso Especial pela divergência,
63. São devidos direitos autorais pela retransmissão ra- quando a orientação do Tribunal se firmou no mesmo sentido
diofônica de músicas em estabelecimentos comerciais. da decisão recorrida.

64. Não constitui constrangimento ilegal o excesso de 84. É admissível a oposição de embargos de terceiro fun-
prazo na instrução, provocado pela defesa. dados em alegação de posse advinda do compromisso de
compra e venda de imóvel, ainda que desprovido do registro.
65. O cancelamento, previsto no art. 29 do decreto-lei
2.303, de 21.11.86, não alcança os débitos previdenciários. 85. Nas relações jurídicas de trato sucessivo em que a
fazenda pública figure como devedora, quando não tiver
66. Compete a justiça federal processar e julgar execução
sido negado o próprio direito reclamado, a prescrição atinge
fiscal promovida por conselho de fiscalização profissional.
apenas as prestações vencidas antes do quinquênio anterior
` CF: art. 109, I.
a propositura da ação.
67. Na desapropriação, cabe a atualização monetária,
86. Cabe recurso especial contra acórdão proferido no
ainda que por mais de uma vez, independente do decur-
julgamento de agravo de instrumento.
so de prazo superior a um ano entre o cálculo e o efetivo
pagamento da indenização. 87. A isenção do ICMS relativa a rações balanceadas para
` Súmula nº 561 do STF. animais abrange o concentrado e o suplemento.

68. A parcela relativa ao ICM inclui-se na base de cálculo 88. São admissíveis embargos infringentes em processo
do PIS. falimentar.

1708 EDITORA ARMADOR | VADE MECUM TRIBUTÁRIO | 8ª EDIÇÃO


ÍNDICE ALFABÉTICO-REMISSIVO GERAL
ÍNDICE
ALFABÉTICO-REMISSIVO
GERAL

1725