Você está na página 1de 26

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Departamento Eng. Mecânica - Contagem

ELETROTECNICA

Circuito RL Série
ESTUDAR O CAPITULO 13 DO LIVRO TEXTO

Prof. EDGARD TORRES

1
Circuito RL Série
Circuito puramente indutivo
Circuito RL Série
Potência Ativa, Reativa e Aparente

2
Circuito puramente indutivo
 Conceito sobre intensidade de campo magnético:
 Nas duas bobinas abaixo nota-se que o número de espiras e a corrente
que as atravessa é a mesma.
 O comprimento das linhas de indução em cada caso é diferente, ou
seja, o comprimento do circuito magnético é diferente.
 No solenóide mais curto obtém-se maior intensidade de campo indutor
porque há maior concentração de corrente e espiras por unidade de
comprimento do circuito magnético.
 Sabe-se que o campo magnético é oriundo da corrente, no entanto, a
geometria do condutor vai determinar se o poder de magnetização que
esta corrente produz será intenso ou não.

3
Circuito puramente indutivo
 Conceito sobre indutância:
 Considere um circuito formado por um solenóide alimentado por um
gerador que fornece corrente contínua, a qual origina um campo
magnético, cujas linhas de indução são linhas fechadas que se
concatenam (atravessam) com o solenóide.

4
Circuito puramente indutivo
 Conceito sobre indutância:
 Símbolo:

 Fatores que influenciam a indutância:


 . A.N 2
L
l

 L = indutância em henry ( H ) ou em mili henry ( mH )


 μ = permeabilidade do meio em henry/metro ( H/m )
 A = área da bobina em metro quadrado ( m² )
 N = número de espiras
 l = comprimento da bobina em metro ( m )
5
Circuito puramente indutivo

 . A.N 2
L
l

6
Circuito puramente indutivo
 Conceito sobre indutância:
No indutor, a queda de tensão é diretamente proporcional à variação da
corrente, tendo a indutância como oposição à variação da corrente.
 A relação da tensão e corrente no indutor é expressa por:

i di
v  L.  L.
t dt

L = V / di/dt,
ou 1 H = 1 V / 1 A / 1 seg.
1 henry permite uma indução de 1 volt quando a corrente varia de 1
Ampere por segundo
7
Circuito puramente indutivo
 Associação em série de indutância:

LT = L1 + L2 + ... + Ln
 Associação em paralelo de indutância:

1 1 1 1 L1 xL2
   ...  Ou LT 
LT L1 L2 Ln L1  L2

8
Circuito puramente indutivo
 Exercício – Calcular a indutância equivalente do circuito abaixo:

9
Circuito puramente indutivo
 Reatância indutiva (XL):

XL = 2.π.f.L = ω.L
Sendo:
XL a reatância indutiva em Ω
f a frequência em Hz
L a indutância em Henry
ω a velocidade angular em rad/s

10
Circuito puramente indutivo

No resistor, a queda de tensão é diretamente proporcional à corrente


V = R x I, tendo a resistência como oposição à corrente.
Potência:
P = V.I ou P = I2.R ou P = V2/R, em WATT (W)

No indutor, a queda de tensão é diretamente proporcional à corrente


V = XL x I, tendo a indutância como oposição à corrente.
Potência:
Q=V.I ou Q=I2. XL ou Q=V2/XL em Volt-Ampere-Reativo (VAr).
11
Circuito puramente indutivo
 Defasagem:
 O indutor não possui proporcionalidade entre valores instantâneos de
tensão e corrente.
 A tensão é proporcional à taxa de variação da corrente.

I  I M .sen(t )
V  VM .sen(t  90 O )

 A corrente e a tensão em um indutor estão defasadas de 900 E, com a


tensão em avanço, ou com a corrente em atraso, que é a mesma coisa.

12
Circuito puramente indutivo
Circuito puramente resistivo Circuito puramente indutivo

I  I M .sen(t ) I  I M .sen(t )
13
V  VM .sen(t ) V  VM .sen(t  90 O )
Circuito puramente indutivo
 Exercício 1 - Calcular a corrente no circuito abaixo:

Resposta: I = 1,06 A

 Exercício 2 - Calcular a indutância da bobina do circuito abaixo:

Resposta: L = 1,33 H

14
Circuito RL Série
 Observe o circuito abaixo:

 Onde VR é a tensão no resistor e VL é a tensão no indutor.


Lei de Kirchhoff das tensões ao circuito:

Lembrando que as tensões não podem ser somadas


algebricamente, devido às defasagens.

15
Circuito RL Série
 Diagrama dos fasores correspondentes às quedas de tensão, com a
corrente no referencial:

 “V” é um fasor que representa a tensão aplicada ao conjunto.


 “V” tem módulo igual ao valor eficaz dessa tensão e está adiantado de
um ângulo φ em relação à corrente.
 A corrente em um circuito RL se atrasa de um ângulo φ (entre 00 e
900) em relação à tensão.

16
Circuito RL Série
 Pelo Teorema de Pitágoras, tem-se:

 Pela trigonometria, tem-se:

17
Circuito RL Série
 DIAGRAMA DE OPOSIÇÕES: IMPEDÂNCIA
 Considerando o diagrama fasorial das tensões, divide-se cada tensão
considerada pela corrente, que é comum aos elementos (pois estão em
série):

 Com isso tem-se:

18
Circuito RL Série
 “Z” é chamada de Impedância
 Corresponde à oposição que ele oferece à circulação da corrente.
 Sua unidade é o ohm (Ω).
 Pelo Teorema de Pitágoras, tem-se:

 Pela Trigonometria, tem-se:

 Pela Lei de Ohm, tem-se:


19
Circuito RL Série
 Exemplo: Calcular a corrente e as quedas de tensão do circuito

20
Circuito RL Série
 Exercício 1: Uma bobina (RL série) alimentada por 110V em 60Hz
solicita uma corrente de 5A que se atrasa de 300 em relação a tensão
da fonte. Quais são a resistência e a indutância da bobina?
 Exercício 2: Um indutor de 200mH e um resistor em série solicitam
600mA de uma fonte de 120V em 100Hz. Determine o valor da
impedância, da resistência do resistor e do ângulo de fase.
 Exercício 3: O circuito representado abaixo é o modelo de duas
bobinas ligadas em série. Dados: R1=10Ω, R2=5 Ω, L1=12,5mH,
L2=50mH, V=125V, f=50 Hz. Pede-se: a) Z1, Z2; b) I; c) V1, V2; d)
VR1, VR2, VL1, VL2.

21
Potências Ativa, Reativa e Aparente
 Potência Ativa (P): é a potência que realiza Trabalho, de fato. A
unidade é o Watt (W).
 Potência Reativa (Q): é a potência consumida por reatâncias
(indutivas ou capacitivas) no armazenamento de energia, magnética ou
elétrica, para o devido funcionamento do sistema elétrico. A unidade é
o Volt-Ampère reativo (VAr).
 Potência Aparente (S): é a potência total fornecida pela fonte. A
unidade é o Volt-Ampère (VA).

22
Potências Ativa, Reativa e Aparente
 Relação do Triângulo:

S S 2  P2  Q2
Q

S  P2  Q2

S  V .I [VA] P  V .I .COS [W ] Q  V .I .SEN [VAr ]


 Fator de potência (FP):
P
FP  COS 
S 23
Potências Ativa, Reativa e Aparente
 Exemplo: Calcular as potências ativa, reativa e aparente

24
Potências Ativa, Reativa e Aparente
 Exercício 1:
 Uma determinada carga é energizada com uma tensão de 127 volts e
esta carga absorve uma potência ativa de 100 W com um fator de
potência de 0,92. Determine:
a) Potência reativa
b) Potência aparente
c) Corrente elétrica
d) Ângulo da carga

25
Potências Ativa, Reativa e Aparente
 Exercício 2 – Observe o circuito abaixo e calcule:

a) reatância indutiva; h) potência aparente;


b) queda de tensão no indutor; i) tensão aplicada ao circuito;
c) corrente; j) montar o diagrama fasorial;
d) resistência; k) montar o triângulo de potências.
e) impedância;
f) potência ativa;
g) potência reativa; 26