Você está na página 1de 14

Actividade Subactividade

Abertura de cavidades na superfície para


montagem da tubulação

Instalação da subestação eléctrica


Instalação do complexo tecnológico

Construção da estação de bombeamento


e tratamento da água

Perfuração

Desenvolvimento de poços

Revestimento

Injecção de solventes

Criação de Sumps Bombeamento

Alargamento das crateras

Injecção do solvente

Bombeamento da solução salina


Extração
Extração

Cristalização

Controlo com SONAR

Monitoramento das cavidades Controlo com salmoura

Controlo com fluidos acessórios


Risco
Perigo
Baixo Médio Alto

Poeiras
x
Ruído
x
Curto cirtcuito
x

Choques eléctricos
x
Vazamento da água bombeada
x
Contaminação da água
x
Entupimento da tubulação
x
Ruídos
x
Poeiras
x
Vibrações
x
Projecção de detritos
x
Corrosão
x
Infiltração
x
Contaminação do lençol freático e dos
aquíferos x
Entupimento do poço de produção com
materiais insolúveis x
Corrosão do material de revestimento do
poço x
Deformação da geometria do poço
x
Contaminação do lençol freático e dos
aquíferos x
Entupimento do poço de produção com
materiais insolúveis x
Corrosão do material de revestimento do
poço x
Evaporação
x
Altas temperaturas
x
Subsidência
x
Subsidência
x
Dissolução da camada impermeável x

Subsidência
x
Acção correctiva/preventiva

Uso amortecedor de ruído.

instalar dispositivos de proteção contra descargas electricas (sobrecorrente e sobretensão).


Uso de EPI's, soterramento dos cabos de condução de corrente, sinalização quanto ao perigo
de choque elétrico, restrição de acesso a pessoas não autorizadas, as instalações devem
possuir proteção e identificação dos circuitos bem como o tipo de tensão.
Uso de tubulação apropriada para o efeito e controle dos limites de pressão da água
bombeada.

Uso de sulfatos para a purificação da água.

Instalação de filtros nos centros de captação.


Equipamentos com amortecedor de ruído e uso de sistemas hidráulicos de perfuração em
detrimento dos sistemas pneumáticos.

Injecção de água e uso de coletors de poeiras.

Uso de brocas de extensão.


Utilização de lama como fluido de limpeza do furo e regular a velocidade de avanço da
perfuração.

Pevestir as paredes do poço de produção com zircão.


Aplicação do sistema de congelamento do terreno (paredes cut-off) e instalação de
pisómetros.
Revestimento das paredes do poço com aço carbono, uso de paredes cut-off da superfície até
ao nível do lençol freático e construção de parede impermeável nas laterais do poço.

Colocação de filtros na boca do poço de produção.


Uso de químicos para reforçar o revestimento dos poços e ainda revestimento do interior do
poço de produção com zircão.

Injecção adequada e padronizada do fluídos solventes.

Uso de água(H2O) na sua forma natural como solvente.


Alternância de poços na injecção e bombeamento da solução salina e ainda uso de filtros na
boca dos poços de produção.

Uso de químicos para reforçar o revestimento dos poços


Confinamento dos centros de cristalização.
Redução do tempo de exposição dos trabalhadores e uso de vestuário apropriado para estas
condições de operação.
Uso e eco-sonda para determinar o volume, direção preferencial da dissolução, forma e
maior diâmetro da cavidade gerada pela extracção.

Injecção de soluções para reforço da paredes da cavidade contra dissoluções.

Injecção de soluções estabilizadas que não possam corroer a camada impermeável do sump.

Injecção de fluidos para reforçar a pressão interna da cavidade.


Mon

Parâmetro a controlar Método de controlo

Concentração da poeira Bomba de amostragem ou gravimetros(NIOSH 0500)

Eficiência do amortecedor de ruído Nível de ruído e pressão acústica.

Medição e regulamentação da intensidade da corrente


Intensidade da corrente electrica.
Existência e uso de placas de
sinalização de perigo de choque Verificação da existência de placas de sinalização de
electrico. perigo.

pressão de água Uso de piosômeros

qualidade de água controlo de pH


quantidade de resíduos ou detritos
que podem existir na tobulação mudança de filtros e check in do paper line
Eficiência do amortecedor de ruído Nível de ruído e pressão acústica.

Concentração da poeira Bomba de amostragem ou gravimetros(NIOSH 0500)

Desgaste da borracha Nivel de desgaste da borracha


pressão do fluido de limpeza do
furo Uso de lamas

desgaste do metal de revistimento Nivel de desgaste do revistimento


Deformação do poço de extração e
da estrutura da caverna Nivel de vindas de aguas subterrâneo
Deformação ou instabilidade do
sump Nivel de contaminação dos aquíferos

Entupimento dos poços de extração Injeção de solventes de uma forma regular

desgaste do metal de revistimento Nivel de desgaste do revistimento


Comportamento dos poços durante
a extração Nível de instabilidade dos poços
qualidade de água usada para a
extraçãa Nivel de contaminação dos aquíferos
Entupimento dos poços de Injeção da solução e bombeamento alternadamente
extração/produção em todos poços
Nivel de desgaste do revistimento e a geometria dos
desgaste do metal de revistimento poços
Estocagem do volume de material consoante o espaço
Volume do material por cristalizar disponível

Contração de doenças ocupacionais Tempo de exposição ao sol dos trabalhadores


Geometria da cavidade e dos Uso de eco-sondas para medir as cavidades e a
pilares resistência dos pilares
Medir a temperatura e concetração
das bareiras Uso de termômetros

Impermealibiidade do sump Uso de soluções estabilizantes


Medir a pressão interna das
cavidades Uso de Barômetros
Monitoramento

Critério de aceitação Frequência

Teor de sílica inferior a 5%, 5mg/m³ ou 800P/cm³. (Decreto n°. 61/2006 de 26


Semanal
de Dezembro).
A propagação do ruído não deverá ser superior a 85dB (A) ou 200Pa para
Mensal
pressão acústica. (Decreto n°. 61/2006 de 26 de Dezembro).
Alta Tensão (AT) - tensão superior a 1000 volts em corrente alternada ou
1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra (NR10). Mensal

Devidamente visível a 300m ( ISO 200) Trimestral


Uso de piosômeros com grandes capacidades de detectar as maiores vindas de
águas subterrâneas Diariamente
Concentração mínima exigida = 0,2 mg/l de cloro residual e Faixa
recomendada de pH na água é de 6,0 a 9,5. Diariamente

aceita-se os detritos com uma glanumetria muito infima que podemm diariamente
A propagação do ruído não deverá ser superior a 85dB (A) ou 200Pa para
pressão acústica. (Decreto n°. 61/2006 de 26 de Dezembro). Mensal
Teor de sílica inferior a 5%, 5mg/m³ ou 800P/cm³. (Decreto n°. 61/2006 de 26
de Dezembro). Semanal
Uma borracha deverá durar no mínimo 60 dias de operação em tractores de
esteiras. (Caterpillar Handbook) Bimestral

A lama deve estar no estado aquoso de acordo com Iso 14001 por Furo
O material de revistimento(metal/aço) deverá durar no mínimo 3 meses de
operação com grossura de 5cm Trimestral
Os piosômeros devem ser instalados nas paredes dos poços e nas frentes de
extração segundo o Decreto n°. 61/2006 de 26 de Dezembro Semanal
Os piosômeros devem ser instalados na base do sump (Decreto n°. 61/2006
de 26 de Dezembro) Trimestral

Os filtros devem ter uma abertura no `minimo de 0.25cm Diariamente


O material de revistimento(metal/aço) deverá durar no mínimo 3-4 meses de
operação com grossura de 5cm Trimestral

Aceita-se a dissolução até 02% (Decreto n°. 61/2006 de 26 de Dezembro) Trimestral

o Plano do revistimento deve conter todas etapas necessárias Diariamente

Estrategia de bombeamento alternada com uso de filtros adequadoas Por Hora

Materiais resistentes e que possam reduzir os custos Trimestral


Plano detalhado consoante a escala de produção Semanal

O plano deve conter no mínimo direitos de SST Diariamente

Resistencia do material no minimo 2 anos Mensal

Aceita-se as temperaturas acima de 25°c no interior da lavra Trimestral

Aceita-se a dissolução até 02% (Decreto n°. 61/2006 de 26 de Dezembro) Mensal

Aceitação da pressãa no minimo 4.5Pa Trimestral


Responsabilidade
Interior
Exterior
Interna Externa

Team lider

Super visor do turno Entidades resp.SS

Super visor do turno Entidades resp.SS

Super visor do turno

Team lider

Téc.SS

Team lider

Super visor do turno Entidade resp.SS

Team lider

Téc.SS

Team lider

Super visor do turno Téc.SS

Super visor do turno

Super visor do turno Téc.SS

Team lider

Super visor do turno Téc.SS

Téc.SS

Super visor do turno

Super visor do turno

Super visor do turno Téc.SS


Super visor do turno

Team lider Entidade resp.SS

Super visor do turno Téc.SS

Super visor do turno

Super visor do turno

Téc.SS
Registo

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção
Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção

Relatório de Inspecção