Você está na página 1de 27

FICHAMENTO

A função do fichamento é colocar à


disposição do pesquisador, de forma
organizada e seletiva, um conjunto de
informações de obras já consultadas,
imprescindíveis para a elaboração de
trabalhos acadêmicos.

(RODRIGUES et al., 2010, p. 41).


ALTERNATIVAS DO FICHAMENTO

 Recomendada pela Associação Brasileira


de Normas Técnicas (ABNT), que são as
fichas;

 Podeser feita em cadernos A/Z, onde


serão registrados os fichamentos;

 Arquivo do computador.
(RODRIGUES et al., 2010, p. 42).
ORGANIZAÇÃO DO FICHAMENTO

 Asinformações transcritas podem ser


colocadas em um único lado ou nos dois
lados da ficha, desde que permita a
visualização e organização das
informações.

É um critério particular e depende do


indivíduo ou de quem a solicita
(RODRIGUES et al., 2010, p. 42).
Anverso
C
a
b
e
ç 1
a
SOBRENOME, Nome. Título do livro: subtítulo (se houver). Local: Editora, ano. Total
l
h
de páginas.
o
CORPO

R DA
E
F
E FICHA
R
Ê
N
C
I
A

Rodapé
Reverso

CORPO

DA

FICHA
F Localização: Origem do livro
E
C
H
A
Indicação: Para quem serve?
M
E
N Nome do aluno Curso e Período
T
O

Rodapé
CA 3 cm
BE
ÇA
LH 1
ASSUNTO
O

SOBRENOME, Nome. Título do livro: subtítulo (se houver). Local: Editora, ano.
Total de páginas.

3 cm 2 cm

CORPO DA
Fonte 12 e
espaço 1,5 de
FICHA
entrelinhas
com letra Arial
ou Times New
Roman.

2 cm
3 cm

CORPO DA
3 cm
FICHA
2 cm

FE
C
H
A Localização: Origem do livro
M Indicação: Para quem serve?
E Nome do aluno Curso e Período
NT
O

2 cm
ORGANIZAÇÃO
TIPOS DE FICHAS

 Esquema;  Glosa;

 Citações;  Sínteses Pessoais;


 Resumo  Bibliográfica;
(conteúdo);  Esboço;
 Comentário  De Leitura;
(analítica);  Monográfica;
 Apontamentos;
ESQUEMA
 Diagramação do conteúdo de uma obra ou
parte dela.
Bibliográfica

Tipos Documental

De Campo
Pesquisa
Científica
Experimental
Abordagem
Quantitativa

Qualitativa
CITAÇÕES
 Menção no texto de uma fonte de outra autoria
(ABNT NBR10520).
MOREIRA, Daniel Augusto. O método fenomenológico na
pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

A observação participante é conceituada como sendo


“uma estratégia de campo que combina ao mesmo
tempo a participação ativa com os sujeitos, a
observação intensiva em ambientes naturais,
entrevistas abertas informais e análise documental” (p.
52).
RESUMO (CONTEÚD0)
 Objetiva a difusão das informações contidas
em livros, monografias, artigos, relatórios e
outros, servindo para apresentar as ideias
centrais, secundárias e os pormenores
importantes de um texto;

 Deve ser elaborado em parágrafo único e


conter a seguinte estrutura: referência
bibliográfica e conteúdo do resumo.
COMENTÁRIO (ANALÍTICA)
 Expõe as principais ideias do texto,
ressaltando: finalidade, problema,
metodologia, argumentos, demonstrações,
resultados e conclusões;

 É mais amplo e deve atender suficientemente


ao leitor, não existindo a necessidade de voltar
ao texto original para o entendimento do
assunto;
COMENTÁRIO (ANALÍTICA)

 Deve ser elaborada em parágrafo único e


apresentar a seguinte estrutura: referência
bibliográfica, conteúdo do resumo e palavras-
chave.

 Permite opiniões e comentários do autor do


resumo.
APONTAMENTOS
 Utilizada para a elaboração do resumo por
capítulo, com a identificação dos respectivos
títulos.

 Objetiva apresentar o conteúdo da obra em


sua totalidade;

 Deve contemplar a linguagem impessoal e ser


escrita na forma de parágrafo único para cada
capítulo resumido.
Exemplo de Apontamentos:
 Introdução (Capítulo no. 1)
 Apresenta o tema e sua delimitação, bem como a
problemática investigada, considerando os seus
antecedentes e a situação atual, os objetivos
almejados com a investigação, as questões que
nortearam a pesquisa e a metodologia em termos
teóricos e práticos. Também foi enaltecida a
importância dos documentos pesquisados, em
especial os Testamentos “post mortem” e
Inventários de Sergipe, pertencentes ao Arquivo
Judiciário de Estado de Sergipe (AJES), datados de
1780 a 1850.
Exemplo de Apontamentos:
 Organização do Espaço Rural e a Agricultura
Familiar em Sergipe entre 1780 e 1850 (Capítulo
no. 2)
 Discute o tema com base no referencial teórico da
pesquisa, considerando os conceitos-chave e as
categorias de análise que o compõem. Em sua
abordagem, destaca a Região do Cotinguiba e a
agricultura familiar local, fazendo um paralelo
entre os aspectos sociais, políticos e econômicos
a partir do contexto histórico e geográfico da
época.
GLOSA
 Elaborada na forma de minidicionário,
com palavras científicas e termos
técnicos, observando a ordem alfabética.
 Exemplo:

 Capela de Missas: cinquenta missas


celebradas a partir do primeiro dia do
falecimento até o quinquagésimo dia do
sepultamento (REIS, 1991).
SÍNTESES PESSOAIS
 Ficha
livre, elaborada conforme a
necessidade do autor do fichamento.

 Deve conter o cabeçalho e o fechamento,


da mesma forma que os demais tipos de
fichas.
BIBLIOGRÁFICA

 Apresenta os aspectos qualitativos do


assunto (conteúdo) e os quantitativos
(itens que podem ser contados na obra
ou parte dela);

 Nela, também devem ser mencionados


ilustrações, exemplos e exercícios de
qualquer tipo ou natureza, desde que
constem na obra ou parte dela.
ESBOÇO
 Contempla a apresentação das ideias
centrais da obra ou parte dela, página a
página ou grupos de páginas;

 No caso de grupos de páginas, utilizar


intervalos regulares.

 Usarlinha vertical na margem esquerda,


deixando dois centímetros de espaço
antes das ideias centrais.
Exemplo de Esboço:
N Cabeçalho
ú 25 Ideia Central da página
m
e 26 Ideia Central da página
r
o 27

d 28
a
s 29

P 30
á
gi 31
n
a 32
s
Rodapé
DE LEITURA
 É a mais completa e subdivide-se em:

 RESUMO (apresentação do assunto abordado);


 CITAÇÕES (reprodução textual de frase ou
parágrafo de um ou mais autores);
 COMENTÁRIO (avaliação crítica);

 IDEAÇÃO (novas ideias).


MONOGRÁFICA
 Possui a mesma subdivisão da ficha de leitura
com o acréscimo dos itens: Introdução (antes do
resumo) e conclusão (após ideação).
 INTRODUÇÃO: assunto, tema, problema,
objetivos, hipóteses ou questões norteadoras e
metodologia.
 CONCLUSÃO: Considerações e reflexões
alcançadas com o estudo ou pesquisa;
confirmação ou negação das hipóteses de
trabalho.
REFERÊNCIAS
 HÜHNE, Leda Miranda. (Org.). Metodologia científica: caderno de
textos e técnicas. 7.ed. Rio de Janeiro: Agir, 1997.

 LAKATOS, E.M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia


científica. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1991.

 LAKATOS, E.M.;MARCONI, M. de A. Metodologia científica. São Paulo:


Atlas, 1986.

 RODRIGUES, Auro de Jesus et al. Metodologia científica.3. ed. rev.


Ampl. Aracaju : UNIT, 2010. (Série bibliográfica Unit ; v. 1).

 SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico:


diretrizes para o trabalho científico-didático na universidade. 5.ed.
São Paulo: Cortez & Moraes, 1980.