Você está na página 1de 20

Apoio ao ensino-aprendizagem através de sistema gerador

de simulados para multiplataformas


Vinícius Dias de Souza; Joselice Ferreira Lima; Hélder Seixas Lima

Núcleo de Informática – Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG)


Januária – MG – Brasil
vds.tads@gmail.com; joselice.f.lima@gmail.com; helderseixas@gmail.com
Abstract. The simulations can be understood as a teaching-learning tool and
are used in companies and educational institutions to test and evaluate the
knowledge in exams in different areas. In this work we present a customizable
tool that allows the creation of simulations for web and Android platform,
besides facilitating the work of those who propose to create a simulation.
Users can perform any available simulation, which can be a standard or
custom simulation. In tests with students who performed the National Student
Performance Exam (Enade), the tool obtained satisfactory results that proved
the system viability, thus contributing to a better performance of the students.
Resumo. Os simulados podem ser compreendidos como uma ferramenta de
ensino-aprendizagem e são utilizados nas empresas e instituições
educacionais para testar e avaliar os conhecimentos em exames de diversas
áreas. Neste artigo o objetivo é apresentar uma ferramenta customizável que
possibilita a criação de simulados para web e plataforma Android. O método
adotado foi a revisão de literatura que subsidiou a criação do texto e a
análise de trabalhos correlatos. Como resultado tem-se a ferramenta que
possibilita aos usuários criar e realizar quaisquer simulados disponíveis,
podendo ser um simulado padrão ou personalizado. Em testes com alunos que
realizaram o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), a
ferramenta obteve resultados satisfatórios que comprovaram a viabilidade do
sistema contribuindo assim, para um melhor desempenho dos alunos.

1. Introdução
A Tecnologia da Informação (TI) tem sido explorada como um recurso tecnológico
fundamental à disposição das organizações, onde as informações podem ser
interligadas, coletadas, armazenadas e disseminadas. Em Tibúrcio et al. (2013) tratando-
se de TI relata que: “o uso e a exploração dos recursos tecnológicos são cada vez mais
intuitivos, porém, a mesma facilidade não é observada em termos de gestão e controle
dos componentes tecnológicos que estão relacionados ao negócio”.
Com avanços da TI é possível potencializar tarefas que outrora somente era
possível de forma manual. Em outras palavras, trabalhar com processos manuais é
perder eficiência em tarefas que seriam realizadas com menores índices de erros e
agilidade por um software específico.
A evolução tecnológica e a facilidade de acesso cada vez maior às informações
diminuiu o interesse dos alunos pelos conteúdos aplicados nas escolas. A falta de
interesse por alguns conteúdos é de notório conhecimento dos educandos com isso o
rendimento e o desenvolvimento nas matérias tem diminuído com o passar do tempo,
uma das soluções propostas para reverter esse problema, é a utilização de softwares
educativos, pois segundo Possolli (2012) “softwares educativos usados na educação,
torna-se cada vez mais um amplificador de potencialidades na capacitação e
aperfeiçoamento de alunos, professores e das próprias instituições de ensino”.
Na área educacional os recursos dos sistemas de informações têm provocado
diversas mudanças, não se limitando então ao trabalho realizado somente dentro da sala
de aula. Para Maia (2003) “a mudança pode ser percebida desde o escopo, o conteúdo e
o oferecimento do ensino a distância”, relacionada diretamente com a capacidade de
representar e transmitir informação. Essa evolução e a incorporação do uso de novas
tecnologias se apoiam nos recursos didáticos que são os inúmeros materiais e meios
utilizados tanto para os professores quanto para os alunos para assim facilitar a obtenção
de novos conhecimentos.
A utilização de sistemas da informação nesse cenário torna-se importante, pois o
uso adequado é capaz de processar uma enorme quantidade de dados simultaneamente,
permitindo assim, a disponibilização das informações de maneira confiável. Além disso,
com a ampliação do acesso os dispositivos móveis em todo o mundo, além de
apresentar múltiplas possibilidades para a aprendizagem, carrega consigo os recursos de
mobilidade e portabilidade.
Um dos recursos utilizados nas empresas e instituições educacionais para testar e
avaliar os conhecimentos em exames de determinadas áreas é a realização de simulados.
Os simulados podem ser compreendidos como uma ferramenta de ensino-aprendizagem.
Em geral, os simulados são elaborados por grupos de professores e escolas que
oferecem esse recurso para que seus estudantes se preparem para os exames a serem
realizados.
O simulado não é a garantia da aprovação, pois sua função principal é apontar ao
estudante seus pontos fortes, bem como suas dificuldades. Perceber as dificuldades ao
fazer o simulado é muito melhor que descobri-las quando no momento do exame oficial,
sem falar na possibilidade de familiarização com o exame e capacidade de treinar o
autocontrole (Rodrigues, 2011).
A elaboração, aplicação e correção de um simulado possui um certo nível de
complexidade, pois é preciso criar uma base de questões com uma boa qualidade, gerar
um simulado que aborde todas as áreas demandadas, fornecer o simulado aos
interessados e por fim corrigir e avaliar os resultados.
Entretanto, os simulados tempos atrás somente era possível via impressão em
papel e respostas marcadas à mão. Hoje, com a utilização de sistemas da informação é
possível que se crie soluções customizadas para realizar as mesmas funções com
agilidade, qualidade, minimização de erros em relação à realização dos processos
manuais e alcance do público.
Percebe-se que empresas oferecem produtos tecnologicamente avançados com
cores, som, animação, entre outros, mas, ainda assim, existe uma carência de
ferramentas que permitem a criação de simulados online com versão para aplicativos
para ser adaptada de acordo com seu propósito.
Nos últimos anos, aplicativos que auxiliam na criação de simulados – do simples
ao sofisticado – sofreram diversas modificações, a fim de conseguir atender as
exigências de usuários e empresas. Aplicativos eficientes, com opções de textos
personalizados, alternância de tipos de perguntas (múltipla escolha, verdadeiro ou falso,
entre outros.), exibição de pontuação final, controle de dados e os que podem ser
enviados por meio de dispositivos móveis pela web ou via mídias sociais, são os mais
requisitados.
Diante do exposto, o objetivo desse artigo é apresentar uma ferramenta
customizável que possibilita a criação de simulados para a plataforma web e para a
plataforma Android com banco de questões colaborativas, além de facilitar o trabalho de
quem se propõe a criar um simulado.
Entende-se que a existência de um sistema gerador de simulados além de
facilitar o trabalho de que se propõe a criar, também é de extrema importância para o
IFNMG, tanto para professores quanto para alunos. Dessa forma, o simulado online
auxilia os docentes a criarem simulados, preparando os discentes para futuros exames
que serão aplicados.

Em testes aplicados com ferramenta aos alunos do curso de Bacharelado em


Administração de Empresas do IFNMG Campus Januária que prestaram o Exame
Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), obteve resultados que comprovou a
viabilidade do sistema ao obter o feedback dos alunos confirmando a sua eficácia,
contribuindo para aumentar os índices de desempenho em exame.
A importância da ferramenta está em ser um multiplataforma contribuindo desde
à redução de custos operacionais e administrativos até a maior segurança do acesso à
informação. Pretende-se alcançar com o sistema gerador de simulados para web e
plataforma Android melhor tomada de decisões e redução do tempo de execução das
atividades

O artigo está estruturado a partir desta Introdução em que se apresenta o


contexto e o problema, na segunda seção apresenta-se a Revisão de Literatura em que
aborda as Ferramentas Digitais, Plataformas Digitais e os Trabalhos Correlatos com os
sistemas para criação de simulados. Na terceira seção tem a Metodologia utilizada para
o desenvolvimento. Na quarta seção mostra os Resultados Obtidos e a sua Análise e,
finalmente as Considerações Finais.

2. Revisão da Literatura
A criação de aplicativos educativos torna-se interessante e motiva os estudantes de
diferentes áreas, vindo a contribuir com seu processo de aprendizagem.
Ferramentas educacionais são softwares que visam favorecer os processos de
ensino-aprendizagem. Para que isso seja possível, é necessário que o software possua
características fundamentais, Frescki (2008) defende que: deve ser fácil de utilizar e de
compreender, favorecer a assimilação dos conteúdos, conter aspectos motivacionais que
despertem e mantenham a atenção, conquistando assim, o interesse dos usuários.
“Entretanto, para que um software seja utilizado com finalidade
educacional ou em atividades curriculares, é necessário que sua
qualidade, interface e pertinência pedagógica sejam previamente
avaliadas de modo a atender às áreas de aplicação a que se
destina e, principalmente, satisfazer às necessidades dos usuários
(LUCENA, 2002) ”.
Essas ferramentas, dos mais variados tipos e aplicações, têm sido objeto de
pesquisas na atualidade, seja para buscar a melhoria e eficácia como para aperfeiçoar o
processo produtivo de novos produtos.
Desde que o computador foi inventado, sua participação no auxílio do ensino
aprendizagem tem sido crescente e muito utilizada, para Valente (1995) o computador
pode ser usado na educação através de software do tipo tutoriais, exercício, jogos,
simulação, multimídia ou software de aplicação geral.
As tecnologias digitais hoje são muitas, acessíveis, instantâneas e podem ser utilizadas para
aprender em qualquer lugar, tempo e de múltiplas formas. O que faz a diferença não são os
aplicativos, mas estarem nas mãos de educadores, gestores (e estudantes) com uma mente aberta
e criativa, capaz de encantar, de fazer sonhar, de inspirar. Professores interessantes desenham
atividades interessantes, gravam vídeos atraentes. Professores afetivos conseguem comunicar-se
de forma acolhedora com seus estudantes através de qualquer aplicativo, plataforma ou rede
social. MORAN (2007).
O uso dos recursos tecnológicos na educação é que estimula o interesse dos
alunos, expande os conhecimentos, estimula o trabalho colaborativo e permite que o
aluno seja o personagem principal no processo de aprendizagem.
Por isso, apresenta-se nessa seção os conceitos de ferramentas digitais e
plataformas existentes.

2.1 Ferramentas Digitais


As ferramentas digitais quando bem utilizadas podem potencializar a formação do
conhecimento dos alunos, como também facilitar o trabalho do professor fazendo com
que suas aulas sejam mais dinâmicas.
Entende-se por ferramentas digitais tudo aquilo que permite a comunicação entre
o homem e aparelhos tecnológicos (ex: tablet, celular, smartphones, entre outros) seja
para uso pessoal, profissional ou educacional em milésimos de segundos.
Lima (2016) afirma que “para a garantia de eficácia do conhecimento e o uso
coerente de ferramentas digitais, é necessário que se tenha um mínimo de noções
básicas sobre informática”. Com isso, facilitaria a comunicação com o mundo da
tecnologia, que a cada dia está mais presente no nosso dia a dia.
O acesso a ferramentas digitais não traz somente facilidades, mas também
provoca mudanças nos métodos de ensino-aprendizagem. E, integrada ao conteúdo de
qualquer disciplina, possibilita um ensino diferenciado às necessidades educacionais dos
alunos. Isso se dá através da tecnologia da informação que possibilita aos estudantes o
aprendizado no seu ritmo e aprofundamento os estudos em assuntos de seu maior
interesse.
As ferramentas digitais, tais como: teleconferência, videoconferência, chat,
correios eletrônicos (e-mails), entre outras, podem ser comercializados, isto é, pagar
uma taxa fixa ou mensal para usá-las ou gratuitas. Mas de fato essas são excelentes que
você pode utilizar no desenvolvimento do seu trabalho e alcançar grandes resultados,
conforme afirma Lima (2016).

2.2 Plataformas Digitais


As tecnologias desenvolvidas para comunicação ampliaram as formas de comunicação e
disseminação do conhecimento por diversas plataformas. É fato, que a geração atual já
vem ao mundo conectada nas diversas plataformas de comunicação, incluindo os
dispositivos móveis.
Entende-se por tecnologia móvel equipamentos como o celular, smartphone e
tablet, conectando usuários aumentando assim, o acesso à informação e permitindo a
interatividade com os outros. Deste modo, o usuário tem a comunicação em suas mãos,
podendo usufruir de conteúdos e informações de qualquer lugar de modo imediato.
Balan (2013) afirma:
“A Internet se fortalece com o meio mais democrático neste
processo graças a facilidade de acesso às plataformas digitais
conectadas em rede com capacidades crescentes tanto nos
processos de armazenamento, manipulação e distribuição quanto
nas facilidades de publicação. ”
Plataformas digitais são um modelo de negócio que estimula e possibilitam a
interação de pelo menos duas partes de grupos de usuários, que ficam agregados e em
contato um com o outro.
As plataformas digitais quanto à multiplicidade de funções vão desde a
prestação de serviços (Uber, Airbnb) e venda de produtos (Amazon), até a realização de
pagamentos (Paypal), investimentos (Funders Club), networking social (Facebook,
LinkedIn, Tinder, Twitter), comunicação (Whatsapp, Skype, Snapchat, Dropbox), entre
outros (Santos, 2017).

2.3 Sistemas para criação de simulados


Para o desenvolvimento de sistema gerador de simulados online para web e plataforma
Android, pesquisou-se a existência de outras soluções para o mesmo fim na Internet.
Assim, foram encontrados: o Simple Survey, o Quiz Master Next e os formulários
Google.
Abaixo segue um quadro comparativo das funcionalidades existentes nos
sistemas correlatos e no trabalho desenvolvido:
Tabela 1. Quadro comparativo de funcionalidades

Funcionalidade Simple Quiz Master Formulários Sistema proposto


Survey Next Google neste trabalho
Banco de Não possui área Não possui área Não possui área Possui banco de
questões para para colaboração. para colaboração. questões
colaborativas colaboração. colaborativas.
Personalização Não é permitido Não é permitido Permite Permite a
da interface nenhuma nenhuma personalização da personalização da
personalização. personalização. interface. interface.
Multiplataformas Possui versão Possui versão Possui versão web Possui versão web
web responsivo. web responsivo. responsivo. responsivo e
gerador de
aplicativo Android
Gratuidade Versão gratuita Versão gratuita é Totalmente Totalmente
é muito muito limitada. gratuito. gratuito.
limitada.

Na tabela pode-se observar que existem aplicações que executam parte das
funções que foram requisitadas pelos alunos, mas nenhuma delas possuem um conjunto
de funcionalidades que atendem totalmente a necessidade de quem se propõe a criar um
simulado
O diferencial do trabalho desenvolvido em relação aos encontrados está na
disponibilidade do banco de questões colaborativas e na multiplataformas (versão web
responsivo e gerador de aplicativos), ao final apresenta a análise das respostas e sua
performance.

3. Metodologia
A metodologia para o desenvolvimento deste artigo, quanto à natureza
classifica-se como pesquisa aplicada com o objetivo de obter um produto (Jung, 2004);
quanto aos objetivos é exploratória onde busca testar novas possibilidades e quanto aos
procedimentos é bibliográfica pois utilizou-se de artigos científicos e livros (Waslawick,
2014).
A metodologia de desenvolvimento da ferramenta, dividiu-se em 3 fases, a saber:

3.1 Fase 1 - Revisão Bibliográfica


Na primeira etapa, executou-se a revisão bibliográfica em que foram pesquisados
conceitos relevantes e tecnologias utilizadas na implementação do software, a realização
dessas pesquisas deu-se através da Internet, por sites de procura como o Google, Google
Acadêmico, SCIELO e pelo livro “Android Para Programadores: uma Abordagem
Baseada em Aplicativos”, de Paul J. Deitel. Como resultado das tais pesquisas foi
realizado no primeiro momento as análises de trabalhos correlatos, apresentado na seção
de sistemas para criação de simulados, com o intuito de justificar a viabilidade do
trabalho proposto. As pesquisas comprovaram a existência de algumas ferramentas,
entretanto, nenhuma multiplataforma. Diante desse conhecimento foi possível propor
uma solução mais adequada e evoluída do que as atuais.
No segundo momento foi realizado estudos das tecnologias que foram utilizadas
e sequencialmente estudas. Entre os estudos foi compreendido sobre: informática na
educação, plataforma web e Android, linguagem PHP, Banco de dados MySQL e
frameworks.
Com a primeira etapa finalizada, dedicou-se esforços para realizar o
levantamento de requisitos.

3.2 Fase 2 - Levantamento de Requisitos


Para a realização do levantamento dos requisitos, entrevistaram-se os alunos do curso de
Bacharelado em Administração de Empresas do IFNMG Campus Januária, com o
objetivo de identificar os requisitos exigidos pelo sistema gerador online de simulados
para web e plataforma Android e, os objetivos esperados. Entre os diversos requisitos
coletados, acolhemos os mais fundamentais e em comum entre os alunos, com isso
planejamos o sistema com base neles, conseguindo unir a tecnologia a necessidade dos
alunos.
Levando em consideração que o sistema foi desenvolvido para auxiliar
principalmente docentes e discentes do IFNMG-Campus Januária, foi extremamente
importante durante todo o processo de desenvolvimento, a participação dos alunos do
curso de Bacharelado em Administração de Empresas do IFNMG. Todas as
informações necessárias para o levantamento de requisitos só foram possíveis através de
entrevistas.
O resultado obtido pode ser visualizado na Figura 1, que apresenta o diagrama
de contexto, que pode ser visto também como uma versão especializada do DFD
(Sotille, 2015).

Figura 1. Diagrama de contexto


Conforme mostra a figura, no sistema existirá três tipos de usuários: o
colaborador, o usuário final e o administrador, que possuirá maiores privilégios. Abaixo
na Tabela 2 é descrita as funcionalidades do sistema web separadas por cada tipo de
usuário e na seção 4 toda a sua descrição.
Tabela 2. Quadro de funcionalidades
Funcionalidade Tipo de usuário
Cadastrar Administrador / Colaborador
Fazer login Administrador / Colaborador
Criar simulados Administrador / Colaborador
Editar simulados Administrador
Gerar aplicativos Administrador
Divulgar simulados Administrador
Convidar colaborador Administrador
Sugerir questões Administrador / Colaborador
Avaliar viabilidade de questões Administrador
Compartilhar Administrador / Colaborador / Usuário Final
Realizar simulados Administrador / Colaborador / Usuário Final
Ver histórico de simulados Administrador / Colaborador / Usuário Final

Com a segunda etapa finalizada, o próximo passo foi especificar e desenvolver o


sistema gerador de simulados online para web e para plataforma Android.

3.3 Fase 3 - Desenvolvimento do Sistema


Esta etapa caracteriza-se pelo desenvolvimento do sistema gerador de simulados online
para web e para plataforma Android, do qual foi utilizado o critério de utilizar somente
tecnologias open source e uma hospedagem com valor mais acessível, a fim de reduzir
os custos de desenvolvimento e suporte do sistema.
Para a gestão no desenvolvimento deste trabalho utilizou-se dos conceitos da
metodologia ágil Scrum voltada para gestão e planejamento de projetos de software,
possuindo desenvolvimento iterativo e incremental e o seu ciclo (sprint) dura entre duas
e quatro semanas (Scrum, 2018).
A comunicação entre o Sistema web e o Aplicativo é feita através da utilização
do Web Service. Para Cerami (2002) o Web Service é um serviço que visa permitir a
comunicação entre duas aplicações através de uma interface bem definida.
Para desenvolvimento do sistema gerador de simulados online para web foi
utilizado a linguagem de programação PHP. Segundo The PHP Group (2015) o PHP é
uma linguagem de programação de ampla utilização, interpretada e pode ser mesclada
dentro do código HTML.
Para armazenar os dados do sistema, foi utilizado o banco MYSQL, que é
definido como um SGBD que utiliza da linguagem SQL.
Outras tecnologias não menos importantes são os frameworks: um conjunto de
inúmeras funcionalidades devidamente implementadas, testadas e prontas para serem
utilizadas na construção de softwares. Para desenvolvimento do sistema gerador de
simulados online para web foi o framework CodeIgniter e o Bootstrap. O CodeIgniter é
um framework em PHP que traz consigo um kit de ferramentas simples e elegante para
criação de aplicações web com recursos completos. E, o Bootstrap é um framework em
HTML e CSS, que possui bibliotecas em JavaScript, e é utilizado para
desenvolvimento FrontEnd.
Para desenvolvimento do sistema de simulados online para plataforma Android
utilizou-se a ferramenta Android Studio juntamente com o pacote de desenvolvimento
SDK Tools. O Android Studio é o ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) para o
desenvolvimento de aplicativos Android e é baseado no IntelliJ IDEA oferecendo
modelo expandido para Serviços do Google e vários tipos de dispositivos. Editor de
layout completo com suporte para edição temas (Google Developers, 2018).

4. Visão do Sistema Gerador de Simulados Online para Web


O sistema gerador de simulados é uma ferramenta customizável que possibilita a criação
de simulados para web e plataforma Android. Os usuários podem realizar quaisquer
simulados disponíveis para fins de aprendizagem pessoal, pode-se utilizar de um
simulado padrão ou simulado personalizado. Além disso, é possível compartilhar, ver
históricos e sugerir questões para composição de simulados, respeitando sempre os
níveis de autorização. No gerador de simulados os dados foram estruturados de acordo
com os padrões de troca de informações na web e foram produzidos e armazenados de
maneira que possam ser consultados e reutilizados.
A página principal do sistema web é apresentada na figura 2.
Figura 2. Página principal

Na página principal do sistema, apresentado na figura 2, é possível verificar os


simulados existentes através da caixa de pesquisa, na qual o usuário pode pesquisar e
tomar conhecimento dos simulados já disponíveis no sistema, para assim decidir se vai
criar o seu próprio simulado ou realizar algum simulado já pronto.
Os usuários que tem interesse podem se cadastrar no sistema, nessa
funcionalidade é possível criar e manter seu próprio cadastro para efetuar login no
sistema.
No ato do cadastro serão necessários os seguintes dados pessoais: e-mail, Nome
completo, Data de Nascimento, Telefone, Cidade e estado da residência. Após o se
cadastrar o usuário será logado no sistema automaticamente.
O usuário pode editar seus dados pessoais clicando no símbolo de uma
engrenagem, juntamente com o seu nome.

No sistema, os usuários podem criar simulados, nessa funcionalidade é possível


criar o seu próprio simulado, para isso é preciso fornecer um identificador que será
usado para compartilhar o simulado, Nome do simulado, Descrição do simulado, um
ícone que será usado para o simulado web e para o aplicativo, uma cor para o fundo do
sistema e uma cor para o painel do sistema, após cadastrado um simulado, o usuário
passa a ser administrador do seu próprio simulado. Será possível a criação de vários
simulados com uma mesma conta. Além disso, os usuários que se propuserem em
colaborar com o banco de questões poderão sugerir questões para os simulados
cadastrados, para isso ele deve ter acesso mínimo a nível de colaborador e ser
adicionado pelo administrador para ser um colaborador, logo após, ele deve escolher
para qual simulado ele irá inserir as questões. No cadastro de questões, conforme a
figura 3, ele fornece os seguintes dados (a pergunta da questão, caso tenha imagem,
forneça, as alternativas da questão, a alternativa correta e a área da questão), feito isso
basta clicar em cadastrar e a questão será enviada para o administrador avaliar a
viabilidade da questão enviada.

Figura 3. Sugestão de questões

O sistema permite aos usuários as opções de realizar e compartilhar os simulados. Para


realizar simulados, conforme é apresentado na figura 4, o usuário deve escolher entre
dois modos de resolução (simulado padrão e simulado personalizado). Ao escolher o
simulado padrão, o usuário escolhe somente o nome simulado, logo após é gerado um
simulado contendo 10 questões para poder resolver. Ao escolher o simulado
personalizado, o usuário deve definir o nome do simulado ao qual ele deseja resolver, as
áreas das questões, e a quantidade de questões.
Contem 10 questões
abrangendo todas as áreas
O usuário definirá a quantidade
e a área das questões

Figura 4. Gerador simulados web

Conforme a figura 5, Logo em seguida é listado as questões de maneira aleatória para que o
usuário possa realizar o simulado, ao final da resolução possui um botão “ver resultado” que
fará a correção das questões respondidas pelo usuário.

O usuário responde as questões


e clica em “ver resultado”

Figura 5. Listagem questões web


Ao ter clicado em “ver resultado” é apresentada uma tela, conforme a figura 6, contendo
as questões respondidas pelo usuário, apontando as respostas que o usuário errou e o
número de questões que o usuário acertou.

O usuário tem conhecimento de quais


questões acertou e quais errou.

Figura 6. Correção questões web

O administrador do simulado tem a opção de convidar colaboradores, que


consiste em convidar pessoas para efetuarem o cadastro no sistema e assim colaborar
com questões para o simulado.

Somente o administrador é responsável para avaliar a viabilidade de questões


colaboradas, definindo se as questões são aptas para fazer parte do seu banco de
questões ou se elas não são aptas. Ele poderá aceitar, recusar ou modificar as questões.

O sistema tem o diferencial de gerar aplicativos. Nessa funcionalidade o Administrador


pode gerar a versão do seu simulado para plataforma Android, nessa versão contém o
ícone e as cores que o administrador definiu no ato de criação do simulado e o próprio.
Na figura 7 é apresentada a tela de resolução de questões do simulado em versão
para Android. Nessa tela estão dispostas as questões, basta o usuário clicar na resposta
que julgar correta que o aplicativo irá armazenar a resposta e avançar para a próxima.
Figura 7. Opções de resposta

Figura 8. Visão geral do sistema.

Na figura 8 é apresentado a visão geral do sistema. No sistema está presente um


banco de questões colaborativo que conterá as questões cadastradas em todos os
simulados, esse banco é alimentado pelos colaboradores. As questões submetidas pelos
colaboradores são analisadas pelos administradores e estes julgam as questões como
aptas ou inaptas para o seu simulado. Ao final de todo o processo de submissão e
analise de questões é disponibilizado para os usuários finais a opção de realizar o
simulado (Web ou Android), a opção web é realizado via navegador, já a opção Android
é realizado o simulado via aplicativo no qual o usuário irá instalar o aplicativo no seu
smartphone e esse terá uma comunicação com o banco de questões através de um
webservice, contendo assim, as questões do simulado em seu aparelho mobile.

4.1 Análise de Resultados


O sucesso de um software é alcançado a partir de processos de testes, uma das
atividades fundamentais para fornecer qualidade do produto. Os testes permitem que
erros sejam descobertos antecipadamente, para não implicar em altos custos
futuramente ao desenvolvedor, além de obter um melhor retorno do software.
Os testes e a coleta de dados foram realizados a partir da aplicação do
questionário composto por questões referentes ao sistema gerador de simulados online
para web. O questionário foi apresentado e respondido por 10 alunos do curso de
Bacharelado em Administração de Empresas do IFNMG Campus Januária, o mesmo foi
aplicado criteriosamente, tal técnica apresenta elevada confiabilidade nas informações
coletadas.
Para avaliar a usabilidade do sistema, foi utilizado os critérios de Nielsen (2000)
que apresenta cinco atributos da usabilidade: facilidade de aprendizado; eficiência de
uso; facilidade de memorização; baixa taxa de erros, e satisfação subjetiva.
Para um melhor entendimento, a seguir na Tabela 3 contém as questões
abordadas e as referidas respostas em porcentagem (%).
As questões foram elaboradas de forma que suas respostas ajudam a melhorar o sistema,
trazendo assim um sistema que atenda a necessidade dos usuários e tenha uma
credibilidade, para com isso colaborar no processo de ensino aprendizagem dos alunos e
usuários do sistema.
Tabela 3. Questões
Respostas
Questões Alternativas
(em %)
Ruim 0%
Regular 20 %
Q. 1 – Como você avalia a rapidez do sistema?
Boa 60 %
Ótima 20 %
Ruim 0%
Regular 10 %
Q. 2 – Como você avalia a usabilidade do sistema?
Boa 70 %
Ótima 20 %
Ruim 0%
Regular 0%
Q. 3 – Como você avalia a ideia (finalidade) do sistema?
Boa 20 %
Ótima 80 %
Nota 7 0%
Q. 4 – Qual a sua nota para o auxílio do sistema na Nota 8 40 %
aprendizagem? Nota 9 50 %
Nota 10 10 %
Não 0%
Q. 5 – Você usaria esse sistema em sua empresa / Talvez 10 %
instituição? Sim 40 %
Sim, com certeza 50 %
Ruim 0%
Q. 6 – Como você avalia o sistema no quesito Regular 0%
multiplataforma? Bom 10 %
Ótimo 90 %
Não 0%
Q. 7 – O sistema ajudou a melhorar o seu desempenho nas Talvez 0%
matérias do curso? Sim 50 %
Sim, com certeza 40 %
Não 0%
Q. 8 – O sistema ajudou a melhorar o seu desempenho na Talvez 0%
prova do ENADE? Sim 50 %
Sim, com certeza 40 %

Na primeira questão abordada no questionário é versado sobre o tema da rapidez


do sistema, em que 60% avaliaram ela como boa, com isso foi possível avaliar se as
tecnologias utilizadas no sistema, atenderam as necessidades dos usuários do sistema,
pois uma má utilização de tecnologia acarreta em diversas falhas, entre elas a lentidão
do sistema, causando inconveniência para o usuário que utiliza o sistema.
A segunda questão possui um assunto que deve ser levado em consideração no
ato de desenvolver o sistema, pois uma má usabilidade do sistema causa aos usuários
um certo cansaço e desconforto, por esse motivo foi usado os atributos da usabilidade
segundo Nielsen (2000) no qual teve um estudo da melhor posição, cores e imagens que
contém o sistema, obtendo assim a disposição do usuário. Como resultado dessa questão
70% dos usuários consideraram a usabilidade como boa, 20% como ótima e apenas 10
como regular.
A questão de número 3 apresenta um tópico essencial para a o sistema, pois se a
ideia do sistema não for útil para os usuários não há necessidade de se criar o software.
Com essa questão obtivemos um dos melhores resultados entres as questões abordadas.
No questionário podemos observar que 80% dos usuários aprovam a ideia (finalidade)
do sistema, ou seja, é um software que os alunos almejavam, e com isso os alunos a
tiveram um melhor rendimento na questão de ensino aprendizagem.
A questão de número 4 envolve um tema complexo e de bastante interesse por
parte de docentes e discentes, pois o uso das tecnologias para auxiliar os processos de
ensino aprendizagem tem sido explorado cada vez mais, contudo não basta criar o
software na área educacional, é preciso avaliar se o sistema realmente proporciona uma
melhora no processo de ensino aprendizagem, e nessa questão foi possível enxergar um
ganho bem significativo, pois a maioria concebeu quase a nota máxima para este
quesito. Com isso pode-se entender que o sistema atende aos requisitos de ensino
aprendizagem.
Na questão de número 5 obtemos a importância do sistema questionando se os
usuários aplicariam o simulado na sua instituição ou empresa, e 50% das pessoas
responderam que aplicariam com toda certeza, 40% responderam sim e apenas 10%
responderam que talvez aplicariam, com isso podemos ver a credibilidade do sistema,
pois se o usuário não tivesse interesse no sistema, ele não iria colocá-lo em sua empresa.
O tema versado na questão de número 6 é um tema muito importante pois o
crescimento do número de smartphone vem aumentando ao longo dos anos, sendo
assim, um sistema que seja multiplataforma irá atender a todos os tipos de usuários,
existem pessoas que preferem usar aplicativos em seu aparelho mobile, assim como
existem pessoas que preferem usar o sistema em seu computador pessoal. O sistema
desenvolvido no artigo em questão permite ao usuário escolher em qual aparelho ele
deseja utilizar, proporcionando uma praticidade e conforto a mais se comparado ao
desktop. Com isso facilita a utilização do sistema em diversos ambientes. Essa foi a
questão que obtivemos o melhor resultado entre todas aplicadas, pois conforme a
tabela 3, 90% das pessoas avaliaram esse quesito como ótimo e 10% como bom, ou
seja, é um requisito que os usuários consideram muito importante.

A partir dos dados coletados, é possível afirmar que o sistema online para web
consegue atender a demanda de pessoas que precisarão passar por exames na sua vida
profissional e acadêmica em processos seletivos ou avaliações de cursos.
Como mostra a tabela o sistema conseguiu atingir altos índices de aceitação nos
aspectos de rapidez, usabilidade, finalidade, auxílio na aprendizagem.
5. Considerações Finais
Os simulados podem ser compreendidos como uma ferramenta de ensino-
aprendizagem. É importante que hajam disponíveis no mercado softwares educativos de
qualidade, para apoiar educadores no processo de ensino.
Em geral, o processo de elaboração, aplicação e correção dos mesmos, possui um nível
de complexidade, pois é preciso criar uma base de questões com uma boa qualidade,
gerar um simulado que aborde todas as áreas demandadas, fornecer o simulado aos
interessados e por fim corrigir e avaliar os resultados.
Nesse sentido, para atender a demanda de pessoas que precisarão passar por exames na
sua vida profissional e acadêmica em processos seletivos ou avaliações de cursos,
desenvolveu-se o sistema gerador de simulados online para web e plataforma Android.
Com a utilização da ferramenta customizável é possível a criação de simulados para
web e plataforma Android, além de promover novas formas de exposição de
informações e todos os benefícios que é esperado por um sistema multiplataforma. Os
usuários poderão realizar quaisquer simulados disponíveis, podendo ser um simulado
padrão ou personalizado.
Agradecimentos
Agradeço primeiramente a Deus por ter me concebido coragem e animo para
alcançar meu objetivo. Ao Instituto Federal do Norte de minas Gerais pela experiência e
oportunidade de colocar em pratica os conhecimentos obtidos ao longo desse período.
Aos professores que se esforçam todos os dias para trazer um conhecimento mais a
fundo das matérias abordadas no curso, em especial a professora Joselice Ferreira Lima,
que me ensinou a dedicar desde o mais simples exercício até o mais elaborado trabalho
do curso, ao professor Helder Seixas Lima pela paciência, dedicação e sabedoria.
Agradeço aos meus familiares, namorada e amigos que me ajudaram e deram força para
começar e terminar essa jornada. Por fim agradeço a todas as pessoas que contribuíram
para esse trabalho de conclusão de curso.
Referências
Balan, Willians Cerozzi. "Plataformas digitais: uma nova forma de ver TV”. Porto
Alegre, Buqui, 2013.
Cerami, Ethan. Web services essentials: distributed applications with XML-RPC,
SOAP, UDDI & WSDL. O’Reilly Media, Incorporated, 2002.
Frescki, Franciele Buss. “Avaliação da Qualidade de Softwares Educacionais para o
Ensino de Álgebra”. Cascavel. 2008. Disponível em: <
http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEM
ATIC A/Monografia_Fran.pdf>. Acesso em: 22/03/2015.
Google Developers. Android Developers, 2018. Disponível em:
<https://developer.android.com/studio/intro/index.html?hl=pt-br>. Acesso em:
12/01/2018.
Jung, Carlos F. (2004). “Metodologia para Pesquisa e Desenvolvimento: aplicada a
novas tecnologias, produtos e processos.” Excel Books.
Lima, Maria Jose Pereira. “Ferramentas Digitais”. 2016. Disponível em:
<https://ferramentasdigitais2.blogspot.com.br/2016/07/o-que-sao-ferramentas-
digitais.html>. Acesso em: 04/01/2018.
Lucena, Marisa. “Diretrizes para a capacitação do professor na área de tecnologia
educacional: critérios para a avaliação de software educacional”. Rio de Janeiro:
PUC-Rio, 2002.
Maia, Marta de Campos. “O uso da tecnologia da informação para a educação a
distância no ensino superior”, 2003. Disponível em:
<http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2463/74603.pdf?seque
nce=2>. Acesso em: 16/01/2018.

Moran, Jose. “Tecnologias digitais para uma aprendizagem ativa e inovadora”,


2007. Disponível em: < http://www2.eca.usp.br/moran/wp-
content/uploads/2017/11/tecnologias_moran.pdf>. Acesso em: 05/04/2018.
NIELSEN, J. Why you only need to test with 5 users, 2000. Disponível em:
<https://www.nngroup.com/articles/why-you-only-need-to-test-with-5-users>.
Acesso em: 07/04/2018.
POSSOLLI Vesce Gabriela E. “Softwares Educacionais”. Disponível em: <
https://www.infoescola.com/informatica/softwares-educacionais/>. Acesso em:
31/03/2018.
Rodrigues, Marla. “Simulados”, 2011. Disponível em:
<http://www.alunosonline.com.br/vestibular/simulados.html.>. Acesso em:
16/01/2018.
Santos, Matheus. “Saiba o que são as plataformas digitais e como elas ajudam seu
negócio”, 2017. Disponível em: <https://secaoweb.com.br/blog/plataformas-
digitais/> . Acesso em: 10/01/2018.
Scrum, 2018. Disponível em: <http://www.desenvolvimentoagil.com.br/scrum/>.
Acesso em: 10/01/2018.
Sotille, Mauro. 2015. “Diagramas de Contexto”. Disponível em:
<http://dicasgp.pmtech.com.br/diagramas-de-contexto/>. Acesso em: 11/01/2018.
The PHP Group, PHP (2018). Disponível em: <http://br.php.net> . Acesso em:
12/01/2018.
Tibúrcio, A. M. C. C.; Molinaro, L. F. R.; Lima, E. A. (2013) “Estruturas, processos e
mecanismos de governança de TI”.
VALENTE, 1. A. Por Quê o Computador na Educação. Em lA. Valente (org.).
Computadores e Conhecimento: repensando a educação (pp. 24-44). Campinas, SP
Vendruscolo, F.; Dias, J. A.; Bernardi, G. and Cassal, M. L. (2010). “Escola TRI-
Legal-Um Ambiente Virtual como Ferramenta de Apoio ao Ensino
Fundamental através de Jogos Educacionais” Colabor@-A Revista Digital da
CVA-RICESU, 3(9).
Wazlawick, Raul S. (2009). “Metodologia de Pesquisa para Ciência da
Computação”. Rio de Janeiro: Elsevier 6a reimpressão.