Você está na página 1de 23

UNIP

UNIVERSIDADE PAULISTA
CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM LOGÍSTICA

TIAGO FRANCISCO DE ASSIS RA: 1618300


WILLIAN ANDRE GIL RA: 1608872
ANA PAULA SIMÕES DOS SANTOS RA: 1602301
MÔNICA THALIA PAULINO RA: 1654531
MARIO SERGIO DA SILVA RA: 1645072
BARBARA NABIS LOPES RA: 1659376

IBIÁ ALIMENTOS
PIM V

SÃO PAULO - SP
2017
TIAGO FRANCISCO DE ASSIS RA: 1618300
WILLIAN ANDRE GIL RA: 1608872
ANA PAULA SIMÕES DOS SANTOS RA: 1602301
MÔNICA THALIA PAULINO RA: 1654531
MARIO SERGIO DA SILVA RA: 1645072
BARBARA NABIS LOPES RA: 1659376

IBIÁ ALIMENTOS
PIM V

Trabalho de PIM V (Projeto Integrado


Multidisciplinar) apresentado à Universidade Paulista
(UNIP) como requisito parcial para a obtenção título de
GESTOR DE LOGÍSTICA nas disciplinas: Centro de
Distribuição, Matemática Financeira e Movimentação e
Armazenagem.
Orientador: Prof. ALTAIR SILVA

SÃO PAULO - SP
2017
RESUMO

O presente trabalho objetiva apresentar a Logística como estratégia para tornar a


empresa mais eficiente e eficaz, pois atualmente o grande objetivo das empresas é
minimizar custos e principalmente melhorar a eficiência no atendimento ao cliente. Um
fator determinante para se atingir esses objetivos é através das ferramentas da
Logística. Com o intuito de explanar de forma mais clara o referido setor, através de
levantamentos de pesquisas bibliográficas, documentais e eletrônicas, visando
apresentar os seus conceitos e suas ferramentas de apoio para otimizar as operações,
redução de custo e seus reflexos positivos no lucro do empresário. Com base em
pesquisa eletrônica, adotou-se a seguinte afirmação: a missão da Logística consiste
em colocar os produtos ou serviços certos no lugar certo, no momento certo, nas
condições desejadas e ao menor custo possível. Desta forma, a Ibiá Alimentos que
trabalha com as ferramentas de apoio da Logística para tornar mais eficiente e eficaz,
gera baixos custos de produtos e consequentemente aumento na satisfação dos
clientes quanto a preço, a disponibilidade e a entrega.

Palavras-chave: Centro De Distribuição, Armazenagem. Matemática Financeira.


ABSTRACT

This paper aims to present Logistics as a strategy to make the company more
efficient and effective, since currently the main objective of companies is to minimize
costs and mainly improve efficiency in customer service. A key factor in achieving
these goals is through the tools of Logistics. With the purpose of explaining the sector
more clearly, through surveys of bibliographical, documentary and electronic research,
aiming to present its concepts and its support tools to optimize operations, cost
reduction and its positive effects on the entrepreneur's profit . Based on electronic
research, the following statement was adopted: Logistics's mission is to put the right
products or services in the right place at the right time, under the right conditions and
at the lowest possible cost. In this way, Ibiá Alimentos, which works with the support
tools of Logistics to make it more efficient and effective, generates low product costs
and consequently increase customer satisfaction with price, availability and delivery.

Keywords: Distribution center. Storage. Financial math.


Sumário
1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................................. 1

1.1. DESCRIÇÃO DA EMPRESA ...................................................................................................................... 2

1.2. PORTE DA EMPRESA E TIPO DE NEGÓCIO .................................................................................................. 2

1.2.1. Principais produtos ................................................................................................................ 2

1.2.2. Posicionamento da empresa no mercado ............................................................................. 2

1.2.3. Principais concorrentes ......................................................................................................... 2

1.2.4. Área de atuação da empresa ................................................................................................ 2

1.3. ORGANOGRAMA ................................................................................................................................. 3

2. CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO- ESTRATÉGIA DE LOCALIZAÇÃO ............................................................ 4

2.1. CD É ESTRATÉGICO PARA A EMPRESA ...................................................................................................... 4

2.1.1. Como que o CD auxilia no cumprimento da missão e objetivos da empresa ......................... 4

2.1.2. Operador logístico .................................................................................................................. 4

2.1.3. Critérios utilizados para a seleção de operadores logísticos e serviços contratados ............. 5

2.1.4. Critérios para utilizar o cross -docking ................................................................................... 5

2.2. OPERAÇÃO DE RECEBIMENTO ................................................................................................................ 5

2.3. OPERAÇÃO DE ARMAZENAGEM .............................................................................................................. 6

2.4. OPERAÇÃO DE EXPEDIÇÃO .................................................................................................................... 6

2.5. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO ...................................................................................................................... 6

2.6. GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS PARA RECEBIMENTO E EXPEDIÇÃO................................................................. 7

2.6.1. Recebimento .......................................................................................................................... 7

2.6.2. Expedição .............................................................................................................................. 7


3. MATEMATICA FINACEIRA. .............................................................................................................. 8

3.1. SISTEMA PRICE ................................................................................................................................... 8

3.1.1. Análise de financiamento da compra de um caminhão-tabela price. ................................... 8

3.2. SISTEMA SAC..................................................................................................................................... 9

3.2.1. Analise de financiamento da compra de um caminhão –via BDS- Tabela SAC ...................... 9

3.3. ANÁLISE MATEMÁTICA NA CONTABILIDADE, RECURSOS HUMANOS, CONTROLE DE MATERIAIS E MARKETING. ....... 10

3.3.1. Contabilidade ....................................................................................................................... 10

3.3.2. Recursos Humanos ............................................................................................................... 11

3.3.3. Controle de materiais ........................................................................................................... 11

3.3.4. Marketing ............................................................................................................................ 11

4. MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM .............................................................................................12

4.1. MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS SENSÍVEIS ............................................................................................. 12

4.2. EQUIPAMENTOS USADOS NA MOVIMENTAÇÃO ........................................................................................ 12

4.3. TIPOS DE EMBALAGENS DE RECEBIMENTO E EXPEDIÇÃO............................................................................. 13

4.3.1. Recebimento ........................................................................................................................ 13

4.3.2 Expedição .............................................................................................................................. 13

4.4. PROCESSO DE UTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS .......................................................................................... 13

4.5. TECNOLOGIA UTILIZADA NA MOVIMENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DE MATERIAIS (RFID – COLETOS DE CÓDIGO DE


BARRAS) .............................................................................................................................................................. 14

4.6. UTILIZAÇÃO DO FIFO OU PEPS ........................................................................................................... 14

5. CONCLUSÃO ..................................................................................................................................15

6.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS .......................................................................................................16


LISTA DE FIGURAS:

Figura 1 - ORGANOGRAMA ............................................................................ 3

Figura 2 - CD .................................................................................................. 13
1

1. INTRODUÇÃO

O objetivo e analisar atuação da IBIÁ no mercado e suas principais estratégias


logísticas e a utilização de seus recursos e tecnologias na localização, armazenagem
e centro distribuição. A entrevista com os setores de logística, e controle operacional
tiveram o objetivo de levantar informações do processo e acompanhamento na pratica
organizacional e estrutural da empresa entrevistada.
Uma empresa em absoluta expansão em seu setor atua em quase todas as
cidades do estado de Goiás abrangendo ainda algumas cidades dos estados de Mato
Grosso e Tocantins. A marca foi fundada por volta de 1967 na pequena cidade de
IBIÁ-MG e Em 1996 houve a implantação da marca em Goiás localizada na Av.
Anhanguera. Hoje conta com três unidades dentro da cidade de Goiânia além de um
centro de distribuição, onde além do empacotamento de marcas próprias também
comercializa mais de 2000 itens de secos e molhados, e com um contingente de 300
colaboradores diretos e 140 colaboradores indiretos tais como RCAS.
2

1.1. Descrição da empresa

Ibiá Ind. E Com. De Alimentos Ltda.. A marca foi fundada por volta de 1967 na
pequena cidade de IBIÁ-MG e Em 1996 houve a implantação da marca em Goiás
localizada na Av. Anhanguera. Hoje conta com três unidades dentro da cidade de
Goiânia além de um centro de distribuição, onde além do empacotamento de marcas
próprias também comercializa mais de 2500 itens de secos e molhados.

1.2. Porte da empresa e tipo de negócio

E uma empresa de grande porte, voltada para o mercado de atacadista e


varejista com produtos de marca própria e enumeras variedades de produtos de
terceiros.

1.2.1. Principais produtos

Os seus principais produtos são os de marca própria, porém o carro chefe da


empresa é a açúcar.

1.2.2. Posicionamento da empresa no mercado

Hoje a Ibiá Indústria e Comercio de Alimentos Ltda. Esta entre as 10 maiores


empresa no ramo de atacado e varejo no estado de Goiás, porém com o crescimento
previsto para o setor, o objetivo da empresa e ficar entre as cinco maiores no estado.

1.2.3. Principais concorrentes

Os principais concorrentes da empresa no estado são JC – Jorge Costa, Mega


Log., Real Atacadista, Armazém Goiás, Rio Vermelho Atacadista.

1.2.4. Área de atuação da empresa

A empresa atua com três lojas em Goiânia para atender toda a cidade de
Goiânia e região metropolitana, em 80% do estado de Goiás em algumas cidades do
Mato Grosso, Tocantins, Distrito Federal e Bahia.
3

A Ibiá investe cada vez mais no aperfeiçoamento e profissionalismo de sua


logística, hoje a empresa conta com o sistema WMS (Warehouse Management
System – Sistema de Gerenciamento de Armazém) que permite a montagem de
cargas de forma muito mais rápida e eficiente, contam também com uma frota própria
de caminhões que é constantemente renovada e ampliada além de novas instalações
muito mais espaçosas e funcionais, com isso a logística ganhou em velocidade e
precisão para o melhor atendimento de nossos clientes.

1.3. Organograma

Figura 1 - ORGANOGRAMA

Fonte: http://dpgestao.com.br/tpl/planos/prj-ibia.pdf
4

2. CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO- ESTRATÉGIA DE LOCALIZAÇÃO

2.1. CD é estratégico para a empresa

O CD é estratégico devido sua localização onde foi utilizado o método de centro


de gravidade levando em consideração distâncias, faturamento e custos de fretes dos
principais fornecedores e clientes. Além de ser próprio e permitir a redução de custos,
agilizarem a entrega de pedidos, melhorarem o uso dos recursos, cumprir com o
tempo de entrega acordado com os clientes e a precisão no atendimento.
De acordo com Corrêa (2012, p.390), a decisão da localização deve ser sempre
avaliada cuidadosamente e periodicamente reavaliada pelos gerentes.

2.1.1. Como que o CD auxilia no cumprimento da missão e objetivos da


empresa

Auxilia em vários fatores tais como; redução do custo de transporte, liberação


de espaço nas lojas, redução de mão-de-obra nas filiais para o recebimento e
conferência de mercadorias. Também pode agregar valor aos produtos e a operações
que podem ser consolidações de cargas e Cross Docking, melhor atendimento ao
cliente devido à maior rapidez de atendimento devido à melhor localização.
Para Calazans (2001), “O objetivo dos CD é manter estoque a fim de suprir a
cadeia logística e atender aos clientes de forma rápida e eficiente, melhorando os
níveis de serviços e a imagem da empresa no mercado”

2.1.2. Operador logístico

A empresa não utiliza operador logístico, pois a empresa conta com um CD


(centro de distribuição) próprio o que auxilia na redução de custos, e conta também
com uma frota de 65 caminhões e 10 bi trem para entrega e buscar açúcar na usina
reduzindo os custos de matéria prima e transporte.
Conforme Moura (2002), a principal finalidade dos CDs consiste em oferecer
melhores níveis de serviço ao cliente, através da redução do lead time (tempo de
ressuprimento) pela disponibilidade dos produtos o mais próximo do ponto de venda,
na localização geográfica junto ao principal mercado consumidor, oferecendo
condições para agilizar o atendimento dos pedidos.
5

2.1.3. Critérios utilizados para a seleção de operadores logísticos e


serviços contratados

Segundo o livro texto “Operador Logístico trabalha três atividade essenciais na


logística: controle de estoques da empresa, armazenamento de mercadoria e garantia
de um transporte eficiente e seguro”.
Por possuir uma estrutura própria capaz de suprir as necessidades logísticas à
empresa não usa critérios e nem utilizas serviços prestados por operadores logísticos.
Pois além de fazer as suas entregas com sua frota, tem um departamento logístico
onde conta com um gerente (Vanilcio Reis) logístico que faz todo o planejamento
estratégico para operação.

2.1.4. Critérios para utilizar o cross -docking

Os critérios para a utilização do Cross – Docking e o padrão onde o produto


fica menos de 48 horas no CD, evitando custos de armazenagem onde envolve vários
fornecedores como, por exemplo, o fornecedor Comigo ex. ao chegar à empresa, o
óleo de soja Comigo já é transferidos automaticamente em veículos menores entre as
três filiais em Goiânia.

2.2. Operação de recebimento

O motorista chega à empresa estaciona no pátio externo, entrega a NF na


portaria e aguarda a chamada, a portaria checa o se tem pedido, se não tiver será
enviado ao comprador para emitir o pedido, depois digita a NF no Winthor na
rotina1301e faz a importação para o WMS na rotina 1757 é gerado um documento de
descarga cega (BONUS).
Chama o motorista e entrega o documento para descarga e autorização de
entrada, que entrega o bônus para o conferente e que confere o produto na presença
do motorista anotando as quantidades e data de validade, entregando o bônus para o
supervisor de deposito que checa as quantidades no sistema nas rotinas 1710 (gestão
de conferencia) e 1711 (digitar conferencia), se não bater a quantidade outro
conferente confere normalmente se realmente faltar liga para o fornecedor e solicita a
autorização e emite a NF de devolução, assina o bônus e libera o motorista para a
portaria assinar o canhoto e liberá-lo para ir embora.
6

2.3. Operação de armazenagem

Após realizar a gestão de conferencia de entrada na rotina 1710:

➢ O supervisor de deposito irá gerar um endereçamento automático na


rotina 1704.
➢ Emite as criticas para tratar na rotina 1701 – cadastro de dados logísticos,
➢ Imprime as O.S e etiquetas na rotina 1706 – emitir ordem de serviços,
➢ Inicia as ordens na rotina 1740 – iniciar ordem de serviço e executa o
processo manual, E finaliza na rotina 1755 – finalizar ordem de serviço
assim termina o processo de armazenagem.

2.4. Operação de expedição

Começa a operação de expedição nas vendas que emite os pedidos para


avaliação de crédito dos clientes chaves, especiais e sem limites e clientes com limites,
credito libera os pedidos e processa a remessa para roteirização no Winthor na rotina
901 (montagem de carrega).

➢ O roteirizador monta as cargas e libera para mesa responsável pelo


WMS na rotina 1757 gerar WMS
➢ Emitir as O.S de serviço na rotina 1706 emitir ordem de serviço.
➢ Separador recebe as ordens de serviços.

Com descrição dos endereços e produtos com quantidades e coloca no paletes


e envia para o Box onde o conferente recebe o paletes e confere o numero da O.S,
produtos e encaminha para mesa operadora do WMS finalizar as O.S, se as
quantidades não conferem manda outro conferir os itens em divergência,
permanecendo a pendência efetua o rateio e manda para o faturamento emitir as
notas fiscais e as boletas de cobrança, onde são conferidas todas as documentações
e libera o motorista para viajar.

2.5. Canais de distribuição

A empresa utiliza vários canais de distribuição, pois compra da indústria e


vende para grandes consumidores, pequenos consumidores e vende no varejo
7

através de suas filiais, potencializando e ampliando ainda mais a disponibilidade de


seus produtos e facilitando o acesso ao consumidor.

2.6. Gerenciamento de veículos para recebimento e expedição

2.6.1. Recebimento

O recebimento de mercadoria possui um fluxograma e um procedimento


operacional que é divulgado a todos fornecedores onde contempla horários de
recebimento de notas fiscais, e horários de recebimento de mercadorias, capacidade
diária de descarga e processo de senha de ordem de chegada.
Poderia ser por horário agendo, mas não é o que dificulta o controle diário de
descarga, porem deve ser programado a partir do setor compra o recebimento dos
fornecedores a fim de facilitar o acesso e o descongestionamento de fornecedores
para descarga e não por ordem de chegada.

2.6.2. Expedição

Os veículos para expedição e gerenciado pelo setor de transporte da empresa


que possui um sistema de monitoramento via AUTOTRAC de modo que localiza a
posição do mesmo, se este vazio ou carregado, com este controle em mãos quando
setor de montagem de cargas repassa para o setor de transporte um relatório
contendo peso, destino, quantidades de entregas e volume do carregamento o setor
de transporte envia os veículos ao CD para serem carregados
A fim de agilizar o processo a integração dos setores de transportes e setor de
carregamento e crucial para o desenvolvimento da operação e agilidade de entrega
ao cliente atendendo a missão logística.
8

3. MATEMATICA FINACEIRA.

A matemática financeira é tida como o ramo da matemática que se ocupa do


estudo do valor do dinheiro ao longo do tempo. Seu campo de aplicação são as
operações financeiras, como tais as de empréstimo, financiamento, aplicação e
investimento. Seu principal objetivo é fornecer instrumentos matemáticos (fórmulas,
tabelas, gráficos, diagramas) que permitam a análise e a comparação de operações
financeiras e a tomada de decisão quanto a elas.
Santos (2005 p.112) referem-se à importância da matemática financeira,
considerando-a como:
Um importante instrumento para a realização de cálculos necessários para a
realização consciente de uma compra a prazo, na contratação de empréstimos,
financiamentos, no pedido de descontos, pagamento de juros e realização de
poupança e investimentos e o principal: usar estes conhecimentos para planejar a
própria vida e superar, em parte, a condição de exploração imposta por aqueles que
dominam este saber essencial.
O sucesso de uma empresa depende de vários fatores, porém, para o fracasso
de uma organização, podemos mencionar como sendo um dos fatores, a má utilização
e aplicação das técnicas presentes nos conceitos de finanças.
Juros, capital, saldo, pagamento, parcela são todos termos comumente usados
nessa área. Cada um tem sua aplicação exata.

3.1. Sistema price

A empresa comprou um caminhão da marca Scania P270 para melhorar a sua


operação, fez um financiamento de 550.540,00 para pode comprar e colocar toda a
estrutura do caminhão em dias (Baú, 2º tanque de combustível, registro no DETRAN,
etc..) e parcelou em 10 prestações com juros de 7,30%. Segue a tabela price.

3.1.1. Análise de financiamento da compra de um caminhão-tabela price.

VALOR: 550.540,00
TAXA: 7,30%
NR PARCELAS: 10
9

Valor da Prestação R$ 79.475,03

Nº. Prestação Juros Amortização Saldo Devedor

0 0,00 0,00 0,00 550540,00

1 79475,03 40189,42 39285,61 511254,39

2 79475,03 37321,57 42153,46 469100,94

3 79475,03 34244,37 45230,66 423870,28

4 79475,03 30942,53 48532,50 375337,78

5 79475,03 27399,66 52075,37 323262,42

6 79475,03 23598,16 55876,87 267385,55

7 79475,03 19519,14 59955,88 207429,66

8 79475,03 15142,37 64332,66 143097,00

9 79475,03 10446,08 69028,95 74068,06

10 79475,03 5406,97 74068,06 0,00

TOTAL 794750,26 244210,26 550540,00 0,00

3.2. Sistema SAC

3.2.1. Analise de financiamento da compra de um caminhão –via BDS-


Tabela SAC

VALOR 550.540,00
TAXA 7,30%
NR PARCELAS 10

Valor da 1ª Prestação R$ 58.296,03

Valor da Última Prestação R$ 55.378,20


10

Nº. Prestação Juros Amortização Saldo Devedor

0 0,00 0,00 0,00 550.540,00

1 58.296,03 3.242,03 55.054,00 495.486,00

2 57.971,82 2.917,82 55.054,00 440.432,00

3 57.647,62 2.593,62 55.054,00 385.378,00

4 57.323,42 2.269,42 55.054,00 330.324,00

5 56.999,22 1.945,22 55.054,00 275.270,00

6 56.675,01 1.621,01 55.054,00 220.216,00

7 56.350,81 1.296,81 55.054,00 165.162,00

8 56.026,61 972,61 55.054,00 110.108,00

9 55.702,41 648,41 55.054,00 55.054,00

10 55.378,20 324,20 55.054,00 0,00

TOTAL 568.371,14 17.831,14 550.540,00 0,00

3.3. Análise matemática na contabilidade, recursos humanos, controle de


materiais e marketing.

3.3.1. Contabilidade

O gestor de controle utiliza a matemática para acompanhar a contabilidade na


solvência e rotatividade: solvência na liquidez corrente, seca e total. Na rotatividade
de PMR (Prazo Médio de Recebimento), PMP (Prazo Médio de Pagamento), PME
(Prazo Médio de Estocagem), CCC (Ciclo Conversão de Caixa), Embit, Margem Bruta,
Margem Operacional, Margem Liquida e ROE – Retorno sobre Patrimônio Liquido.
11

3.3.2. Recursos Humanos

O gestor de controle utiliza a matemática financeira para calcular os indicadores


de desempenho que podem ser medidos por números, para medir crescimento da
folha, variação/evolução salarial, custo de benefícios, encargos sociais, entre outros.
A Matemática Financeira é ferramenta para qualquer obra.

3.3.3. Controle de materiais

Utiliza a matemática financeira na área de controle com relatórios ABC e


medidas de acurácia de estoques uma vez que se e muito importante ter um nível de
acurácia aproximadamente em 100% para medir a lucratividade da empresa e o giro
de seus estoques.

3.3.4. Marketing

A empresa não utiliza matemática financeira na área de marketing.


12

4. MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

De acordo com CHRISTOPHER (2007) apud FERNANDES e CORREIA (2012)


a missão do gerenciamento logístico é planejar e coordenar todas as atividades
necessárias a atingir os níveis desejados de qualidade e de serviços prestados ao
menor custo possível.

Para Kobayashi (2000) logística é um processo dirigido estrategicamente para


transferência e armazenagem de materiais, componentes e produtos acabados, com
início nos fornecedores, passando pelas empresas, até os consumidores.
A logística pode ser o diferencial competitivo das empresas, pois aquelas que
têm uma boa estrutura e utilizam a logística como estratégia empresarial consegue
obter melhores resultados perante o mercado. Administração Logística deve adotar
procedimentos relacionados à produção, armazenamento, distribuição, transporte e
manutenção de estoques, considerando as conseqüências que estas terão nos
demais procedimentos da empresa, buscando o bom desempenho da organização
em todas as suas ações.

4.1. Movimentação de materiais sensíveis

Os materiais que oferecem perigo de contaminação, tóxico ou inflamáveis tais


como soda e água sanitária são armazenadas em áreas separadas de alimentos,
possuem endereçamento e controle de lotes e validade e são separados por categoria.
Já os materiais que representa os materiais sensíveis são armazenados em um
almoxarifado onde somente uma pessoa por turno e os supervisores tem acesso ao
local e são transportados em uma caixa plástica separados das outras mercadorias.

4.2. Equipamentos usados na movimentação

Os equipamentos utilizados na movimentação são: duas empilhadeiras a gás


GLP com capacidade para levantar 2.500kg, vinte e oito paleteiras manuais, duas
empilhadeiras elétricas pantográficas e duas transpaleteiras elétrica sendo uma com
o garfo longo com capacidade para dois paletes e uma com o grafo menor com
capacidade para somente um palete, segue figuras ilustrativas
13

Figura 2 - CD

Fonte: http://www.ibianet.com.br/empresa/estrutura

4.3. Tipos de embalagens de recebimento e expedição

4.3.1. Recebimento

Por trabalhar com uma variedade muito grande de produtos na empresa


trabalha, com embalagens de papelão, filme plástico, sacos plásticos, big beg para
armazenar açúcar a granel.

4.3.2 Expedição

Na expedição não e muito diferente do recebimento, porém na expedição


trabalha com produtos como display, unidades, paletes e materiais sensíveis utilizam
– se embalagens como; plástico filme, caixas de plástico, caixas de papelão sacos
plásticos e etc.

4.4. Processo de utilização das embalagens

As embalagens quando chegam no CD são utilizadas em paletes e


armazenadas em porta – paletes de acordo com o endereçamento sugerido pelo
14

sistema WMS - WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEMS, na expedição se os


produtos forem expedidos em unidades ou pacotes, são colocados em caixas
plásticas para carregamento e as embalagens vazias como caixas e fardos são
enviadas ao setor de reciclagem onde são prensadas e enfardadas para venda a
empresas de reciclagem.

4.5. Tecnologia utilizada na movimentação e localização de materiais


(RFID – Coletos de código de barras)

A empresa utiliza o sistema chamado WMS - WAREHOUSE MANAGEMENT


SYSTEMS, de gerenciamento e controle de estoque onde este sistema auxilia nas
movimentações localizando endereços disponíveis para locação de novos produtos,
não utiliza o sistema de coletor de código de barras, mas e o próximo passo a ser
implantado é RFID – COLETOR DE CODIGO DE BARRAS, já que o programa da PC
– Sistemas. Utilizado na organização têm um suporte para este tipo de tecnologia.

4.6. Utilização do FIFO ou PEPS

O sistema operacional utilizado na empresa se encarrega de controlar as datas


de validades dos produtos, mantendo um shelf life de 70% quando chega a este
numero, emite uma critica para os setores responsáveis, avisando sobre o produto
que se aproxima do vencimento.
O sistema conta também com os dados do FIFO/FEFO dando prioridade na
saída dos produtos que vence primeiro, ao emitir uma O.S de abastecimento
preventivo o sistema busca o paletes com a data de vencimento mais próxima e
manda abaixa fazendo com que os produtos que chegam primeiro sejam os que saiam
primeiro. Pois a empresa compra de vários fornecedores e corre o risco de que vença
alguns produtos, por isso o controle de validade no recebimento e rígido.
15

5. CONCLUSÃO

Hoje o grupo IBIÁ vive um novo patamar logístico com um centro de distribuição
próprio que ajuda a empresa no cumprimento de seus objetivos. Possui uma estrutura
capaz de atender as necessidades logísticas, e uma capacidade de atendimento aos
seus clientes ampliados, com equipamentos e implementação de estratégias no
armazenamento e expedição.
A empresa usa um dos softwares dos mais avançados na área logística visando
facilitar o acesso fácil e uma rápida localização de seus produtos e controle do FIFO
- First In, First Out, dessa maneira facilita o acompanhamento e controle do seu
estoque, tudo isso em tempo real.
Porem, par que consiga alcançar seus objetivos ela precisa transformar os
recursos tecnológicos implantando a tecnologia RFID. E manter a linha de
atendimento ao cliente sem comprometer a distribuição e qualidade da entrega
ampliando a sua capacidade de armazenamento e controle.
16

6.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CALAZANS, F. Centro de Distribuição. Análise Setorial Gazeta Mercantil. São


Paulo, 2011.

CHRISTOPHER, M. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos:


criando redes que agregam valor. 2 ed. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

MOURA, R. A. (2002) Administração de Armazéns. Instituto IMAM

KOBAYASHI, Shun'ichi. Renovação da logística: como definir as estratégias de


distribuição física global. 1.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

SANTOS, Giovana Lavínia da Cunha. Educação financeira: a matemática


financeira sob nova perspectiva. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação para
a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2005.

http://www.unipvirtual.com.br/material/2011/tecnologico/cent_distri_estrat_local/unid_
1.pdf ACESSO EM 22/03/2017

http://www.ibianet.com.br/empresa/quem-somos ACESSO EM 22/03/2017

http://www.scielo.br/revistas/prod/v15n1/n1a08.htm ACESSO EM 22/03/2017