Você está na página 1de 6

OS CINCOS NÍVEIS DA LIDERANÇA

Todo líder deve buscar um crescimento contínuo em sua jornada. O líder que para de crescer,
logo deixará de ser líder. As pessoas não querem seguir líderes que pararam de crescer. O líder
precisa avaliar, constantemente, em qual nível de liderança ele está. O mestre na arte da
liderança John Maxuell, fala em seus livros sobre cinco níveis da liderança. Eu,
particularmente, acredito que precisamos avaliar em qual nível nós estamos e lutar para
chegarmos ao topo da liderança se quisermos fazer algo relevante.

1 – O Nível da Posição

O Nível mais baixo de liderança de qualquer pessoa está fundamentado em um título ou na


descrição de um cargo. Se as pessoas seguem um líder apenas porque ele é o chefe ou o líder
do grupo, então ele é um líder posicional. As pessoas o seguem apenas porque têm (ou acham
que têm) que segui-lo. A melhor maneira de avaliar se você é um líder posicional é pedir às
pessoas que o sigam além das fronteiras de sua autoridade estabelecida. Se elas não o
seguirem, então você está no nível 1 da liderança.

Toda liderança começa no nível posicional. Mas a liderança que permanece neste nível por
muito tempo, vai enfraquecendo ao invés de se fortalecer. Um líder que deseja que as pessoas
o sigam simplesmente porque ele é o “chefe”, logo perderá o respeito de seus liderados.

2 – O Nível da Permissão

O próximo nível de liderança está baseado nos relacionamentos entre o líder e seus
subordinados. A medida que os seguidores confiam e gostam de seu líder, eles começam a
segui-lo por que querem fazê-lo. Este foi o caso de Débora. Ela se tornou juíza pelo fato do
povo respeitá-la. A partir do relato das Escrituras que diz que as pessoas vinham a ela,
sabemos que ela tinha permissão de influenciá-los.

Quando você recebe a permissão do povo para ser seu líder, todo o processo de liderança
torna-se agradável a todo mundo. Mas os relacionamentos positivos sozinhos não são fortes o
suficiente para criar uma liderança duradoura. Para começar a colher os frutos da liderança
positiva, você precisa ir para o próximo nível.
3 – O Nível da Produção

No nível da produção, a influência é sedimentada e o respeito aumentado por causa daquilo


que o líder e os subordinados alcançam juntos. As pessoas começam a segui-lo por causa
daquilo que o líder fez pela equipe ou pela organização. O sucesso de Débora, como juíza, foi o
benefício realizado em prol de todas as pessoas.

Todo o mundo gosta de resultados. As pessoas apreciam de maneira especial os resultados


quando experimentam o sucesso em conjunto. Se você atingir esse nível, tanto sua equipe,
quanto você mesmo, poderão atingir muitos objetivos. Porém, é preciso cumprir o passo
seguinte para experimentar impactos capazes de causar mudanças de vida.

4 – O Nível do Desenvolvimento de pessoas

O Maior chamado que um líder pode ter é o de ajudar pessoas a se desenvolverem de modo
que alcancem o seu potencial. Os melhores líderes ajudam outros líderes a alcançarem seu
potencial. Foi isso que Débora fez. Ela ajudou Baraque a alcançar o proposito que Deus
estabelecera para ele. Um líder que chega ao nível de desenvolvimento de pessoas, muda o
seu foco, saindo da preocupação de inspirar e conduzir seguidores, para o desenvolvimento e
liderança de outros líderes. Ao se tornar um desenvolvedor de pessoas, seu maior esforço dá-
se na direção de produzir sua liderança em outras pessoas e ajudá-las a alcançar o seu
potencial. O tempo que você gasta com as pessoas é um investimento. Como resultado, elas o
respeitam não apenas por aquilo que você fez pelo time, mas também pelo que fez a elas em
nível pessoal.

5 – O Nível da respeitabilidade

O quinto e mais alto nível de liderança é a respeitabilidade. É o nível em que o respeito alcança
o seu ponto máximo. Um líder que passa sua vida desenvolvendo pessoas e organizações
causa tamanho impacto por um longo período de tempo que as pessoas o seguem por causa
de quem ele é e do que ele representa. Ele é o melhor dos melhores.

O PODER DE UM LÍDER APAIXONADO

É a paixão que nos leva a assumir riscos, a ir além do esperado e a fazer além do necessário
para atingirmos um objetivo. A Paixão é o que dá ignição a unção. Na verdade, a paixão é o
estopim da unção. Unção e paixão formam uma combinação explosiva. É impossível termos
uma liderança efetiva sem paixão, pois é ela que produz superação. Ela é o primeiro passo
para qualquer realização relevante, porque sem ela, não temos determinação e nem
perseverança para superar os obstáculos. A paixão é a chave para líderes que querem alcançar
resultados de Excelência.

O poder de Deus é liberado quando pessoas apaixonadas se levantam para servi-Lo. Se


quisermos ser líderes bem sucedidos, é preciso cultivarmos a paixão em nossas vidas. O que
faz a diferença em um líder que cresce, que alcança resultados positivos e é frutífero é a
paixão que ele tem pela liderança que ele exerce.

A paixão é atraída quando dentro do líder começa a nascer uma visão. A visão que o líder tem
é o ponto de partida para a paixão começar a nascer. Todo líder apaixonado corre para
alcançar uma visão que foi gerada dentro dele.

Quais as características de um líder apaixonado?

1. O Líder apaixonado é determinado

O Líder determinado não desiste enquanto ele não conquista a sua visão. Ele bate na porta
insistentemente até que a porta se abra ele nunca desiste no meio do caminho. O seu alvo é
chegar até o final! E, para isso, ele vai colocar toda sua disposição e energia em ação para
chegar lá.

2. O Líder apaixonado é intenso

O Líder apaixonado deve viver a sua visão com intensidade e com fervor mais do que os seus
liderados vivem. Mais do que palavras, as pessoas seguem o exemplo. A intensidade do Líder
faz com que ele arrebanhe multidões para segui-lo e para somar na realização de sua visão.

3. O Líder apaixonado é perseverante

O Líder apaixonado persiste em ir à busca da realização de sua visão. A perseverança é o que o


impede de desistir ainda que tenha sofrido derrotas na sua caminhada. A perseverança faz o
Líder aprender com cada derrota que experimentou, continuando a caminhada com mais
experiência e motivação para alcançar o seu objetivo.

4. O Líder apaixonado é alegre

O Líder apaixonado é alegre e caminha em busca da realização da visão com alegria e


satisfação. Ele nunca vê suas tarefas como peso. Tudo o que ele faz, faz com alegria. É essa
alegria do líder apaixonado que contagia outras pessoas e as motiva a fazer parte da equipe e
a trabalhar somando para realização de sua visão.

5. O Líder apaixonado é motivador

O líder apaixonado é motivador. Motivador com os seus seguidores e também motivador


consigo mesmo. A motivação alimenta a energia do Líder e de seus seguidores para enfrentar
e superar os desafios no meio da caminhada. A motivação torna possível a realização do que
deve ser realizado.

6. O Líder apaixonado é sonhador

O Líder apaixonado é um sonhador. Por detrás de grandes líderes existem homens


sonhadores. Grandes realizações de grandes líderes só foram possíveis por causa de seus
sonhos.

“Os sonhos são as sementes das realizações” (Neil B. Wiseman)

A paixão é o primeiro passo para a realização de qualquer coisa que seja realmente relevante.
Busque ser um Líder Apaixonado, alimente essa visão que Deus plantou dentro de você e deixe
ela se transformar em uma verdadeira Paixão.

O LÍDER QUE VENCE E SUPERA DESAFIOS


Todo líder tem desafios em sua vida. Ninguém nasce sem eles. Eles não desaparecem quando a
pessoa recebe um título, alcança uma posição ou é investida de poder. A questão não são os
desafios que existem na vida do líder mas sim o que vai fazer com eles.

Davi foi um líder que se deparou com vários desafios em sua trajetória, ele enfrentou desafios
dentro de sua casa, no grupo de relacionamentos o qual fazia parte e também com o seu líder;
Porém Davi superou todos esses desafios e se tornou um Líder de grande Sucesso.

1. O Primeiro desafiou de Davi foi dentro de sua própria casa

Quando pediram a Jessé, seu pai, que reunisse todos os filhos para que Samuel pudesse
escolher o próximo rei de Israel, Davi não foi convidado. Seu pai o desprezou e o depreciou.

Seus irmãos fizeram a mesma coisa. Quando Davi foi visita-los no campo de batalhas, o
desprezo deles foi evidente. Ao responder aos desafios blasfemos de Golias, seus irmãos
insultaram o pequeno Davi e o mandaram voltar para casa. A sua própria família não via
nenhuma capacidade sobre sua ele. Porém Davi não deixou um espírito de auto-piedade
tomar conta de sua vida, mais acreditou que ele poderia fazer a diferença mesmo que sua
família não acreditasse nele.

2. O Segundo desafio de Davi foi com o seu Líder

Saul estava constantemente tentando inibir a liderança e a eficiência de Davi. Ao se oferecer


para lutar contra Golias, Saul lhe disse: “Contra o filisteu não poderás ir para pelejar com ele;
pois tu és ainda moço, e ele, guerreiro desde a sua mocidade” (I Samuel 17:33). Então, tentou
colocar uma pesada armadura nos ombros do menino. Mais tarde, Saul declarou que Davi era
seu inimigo. Saul tentou mata-lo diversas vezes por vários anos. Porém isso não impediu Davi
de continuar trabalhando com excelência no reinado de Saul e sendo fiel e leal a ele. Mesmo
diante de tudo isso, Davi superou o desafio da perseguição e continuou sendo um dos maiores
guerreiros do Exercito de Saul.

3. O Terceiro desafio de Davi foi o seu histórico


Saul vinha de uma família boa e poderosa. Seu pai era descrito como “Quis, filho de Abiel, filho
de Zeror, filho de Becorate, fio de Afias, Benjaminita, homem de bens” (I Samuel 9:1). Sem
duvidas possuía muitas terras, era líder em sua tribo e comandante militar nos tempos de
guerra. Davi, por outro lado, vinha de uma família de pastores pobres. Ele é descrito com “filho
de Jessé, o Belemita” um homem sem linhagem importante ou posição de poder. E Davi não
era o filho mais velho. Era o oitavo, o caçula da família.

Mais ainda sim Davi valorizou suas pequenas vitórias e com essas vitórias ele foi criando um
histórico que para ele era importante, esse histórico fez ele sair da vitória de um urso e de um
leão para encarar um novo desafio: Derrubar o gigante do exercito filisteu.

4. O Quarto desafio de Davi foi a sua juventude e inexperiência

Davi era apenas um Menino quando foi ungido por Samuel, não sendo líder de nada ou de
ninguém, a não ser de ovelhas. Quando se ofereceu para lutar om Golias, foi considerado
“ainda moço” e inexperiente em batalhas. Vez por outras as pessoas o subestimavam e o
desrespeitavam por essas razões. Porém Davi colocava a sua confiança não na experiência
mais no Deus vivo de Israel.

Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém
eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens
afrontado.

1 Samuel 17:45

Supere todos os seus desafios e seja o Líder de Sucesso que Deus quer que você seja.