Você está na página 1de 17

Rotinas de Pessoal

Contrato de Trabalho
Ciências Contábeis

Escola de Gestão e Negícios


Campus Mossoró
1. Contrato de Trabalho
“Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia
na tua vida.” (Confúcio)
Contrato de Trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

O Contrato de Trabalho pode ser


tácito ou expresso, por
escrito ou de forma verbal.
Quanto ao prazo de duração pode
ser por tempo determinado ou
indeterminado.

É o ato jurídico que retrata a relação de emprego.


Gera direitos e obrigações para as partes envolvidas
(empregado e empregador) desde o momento da sua
celebração.

Caracteriza-se pela vontade das partes!


Contrato de Trabalho por prazo Determinado
Legislação e Rotinas Trabalhistas

O Contrato de Trabalho pode ser por prazo determinado ou indeterminado. Será por
PRAZO DETERMINADO o contrato celebrado com data final definida.

Na rescisão desse tipo de contrato não há que se falar em Aviso-prévio ou Multa


Rescisória do FGTS.

Porém, o contrato por prazo determinado não depende exclusivamente da vontade das
partes. Para a sua celebração é necessária a verificação de algumas circunstâncias que o
autorizem. São elas:

 Serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo;


 Execução de atividades empresariais de caráter transitório (atividade não habitual da
empresa); e
 Contrato de experiência.

Terá duração de, no máximo:


a) 2 anos; ou
b) 90 dias, se contrato de experiência.
Contrato de Trabalho por prazo Determinado
Legislação e Rotinas Trabalhistas

PRORROGAÇÃO (art. 451 da CLT)


É permitida somente uma prorrogação, desse modo firmado um contrato por
prazo determinado é possível prorrogá-lo apenas uma vez, desde que a soma do
contrato original com a prorrogação não ultrapasse 2 anos.

No caso dos contratos de experiência, admite-se também uma só prorrogação,


e, neste caso, a soma dos dois períodos não pode ser maior que 90 dias.

O contrato de trabalho por prazo determinado que for prorrogado (tácita ou


expressamente) mais de uma vez será automaticamente convertido em
contrato por prazo indeterminado.

SUCESSÃO (art. 452 da CLT)


Todo contrato que suceder, dentro de 6 meses, a outro por prazo determinado,
será considerado por prazo indeterminado.

06/04/2018 5
Contrato de Trabalho por prazo Determinado
Legislação e Rotinas Trabalhistas

EXEMPLOS DE PRORROGAÇÃO

No contrato por prazo No contrato de experiência:


determinado:
1) Contrato de experiência = 45 dias
1) Contrato original = 1 ano Prorrogação = 45 dias
Prorrogação = 1 ano Total = 90 dias.
Total = 2 anos.
2) Contrato de experiência = 30 dias
2) Contrato original = 6 meses Prorrogação = 30 dias
Prorrogação = 18 meses Total = 60 dias.
Total = 24 meses.
3) Contrato de experiência = 30 dias
3) Contrato original = 20 meses Prorrogação = 60 dias
Prorrogação = 4 meses Total = 90 dias.
Total = 24 meses.

06/04/2018 6
Contrato de Trabalho por prazo Determinado
Legislação e Rotinas Trabalhistas

RESCISÃO ANTECIPADA – INDENIZAÇÃO (arts. 479 a 481 da CLT)


Na rescisão sem justa causa do contrato por prazo determinado, antes de seu término,
caberá indenização. Caso a rescisão seja promovida pelo empregador, este pagará ao
empregado, a título de indenização, metade daquilo que o empregado receberia até o
final do contrato. Se a rescisão for de iniciativa do empregado, poderá a empresa cobrar
do empregado os eventuais prejuízos advindos da demissão, não podendo a referida
indenização ser superior àquela que o empregado receberia se estivesse sendo demitido.

CLAÚSULA ASSECURATÓRIA
Aos contratos por prazo determinado, que contiverem cláusula
assecuratória do direito recíproco de rescisão antes de expirado o
termo ajustado, aplicam-se, caso seja exercido tal direito por qualquer
das partes, os direitos que regem a rescisão dos contratos por prazo
indeterminado; cabendo, inclusive aviso prévio.
Contrato de Trabalho por prazo Indeterminado
Legislação e Rotinas Trabalhistas

Para o Contrato por prazo indeterminado não existe período de vigência preestabelecido.
Quando acaba a vigência do contrato de experiência, não havendo a dispensa por parte do
empregador, nem o desejo de ser dispensado, por parte do empregado, o contrato de
experiência transforma-se em contrato por tempo indeterminado automaticamente.
2. Contratos Especiais de Trabalho
Contrato Especiais de Trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

ESTÁGIO

Os direitos e obrigações dos estagiários e das empresas que contratam esse tipo de mão
de obra estão previstos na Lei nº 11.788/2008.

O estágio (obrigatório ou não obrigatório) não gera vínculo empregatício, desde que
observados os requisitos abaixo:

 Matrícula e frequência regular em curso superior, profissionalizante ou ensino médio;

 Celebração de Termo de Compromisso entre o estudante, a entidade concedente


(empresa, por exemplo) e a instituição de ensino; e

 Compatibilidade entre as atividades desenvolvidas no estágio e aquelas previstas no


Termo de Compromisso de Estágio.

É considerada uma atividade EDUCACIONAL!


Contrato Especiais de Trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

TRABALHADORES TEMPORÁRIOS

O trabalho temporário é disciplinado pela Lei nº 6.019/1974 e regulamentado pelo


Decreto 73.841/1974.

É aquele prestado por pessoa física a empregador pessoa jurídica, para atender a uma
necessidade transitória de suplementação de seu pessoal regular e permanente ou para
atender a um acréscimo extraordinário de serviços.

Pode envolver 3 entes:


- O próprio trabalhador temporário;
- A empresa que agencia a mão de obra de trabalhadores temporários; e
- A empresa que contrata a mão de obra temporária.

O Contrato de Trabalho temporário entre empresa e empregado não pode exceder os


três meses, salvo se autorizado pelo órgão local do Ministério do Trabalho.

O trabalhador temporário tem os mesmos direitos trabalhistas que os trabalhadores


contratados a prazo determinado.
Contrato Especiais de Trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

MENOR APRENDIZ ou APRENDIZ LEGAL


Lei nº 10.097/2000 – Lei da Aprendizagem
Aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, recebendo, ao mesmo tempo, formação na
profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não
concluiu o Ensino Fundamental) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino
técnico profissional conveniada com a empresa.
A Lei de Aprendizagem determina que todas as empresas de médio e grande porte
contratem um número de aprendizes equivalentes a - no mínimo - 5% e no máximo 15%
do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional.
QUEM PODE SER APRENDIZ?
Jovens de 14 a 24 anos incompletos que estejam cursando o ensino fundamental ou o
ensino médio. A idade máxima prevista não se aplica a aprendizes com deficiência. A
comprovação da escolaridade de aprendiz com deficiência mental deve considerar,
sobretudo, as habilidades e competências relacionadas com a profissionalização.
JORNADA DE TRABALHO
A jornada do Aprendiz é de no máximo 6 horas diárias, ficando vedada a prorrogação e a
compensação de jornada, podendo chegar ao limite de 8 horas diárias desde que o
aprendiz tenha completado o ensino fundamental, e se nelas forem computadas as horas
destinadas à aprendizagem teórica.
12
3. Suspensão e interrupção do contrato de
trabalho
Suspensão e interrupção do contrato de trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

SUSPENSÃO DO CONTRATO DE TRABALHO (art. 471 da CLT)


Ocorre quando, embora não se verificando a extinção do contrato de trabalho, o
mesmo deixa de produzir efeitos jurídicos, ou seja, o empregado não presta
serviços e o empregador não lhe paga salários. Portanto, nenhuma
consequência flui do contrato enquanto perdure a causa suspensiva.

Exemplo:
- Afastamento por doença a partir do 16º dia do afastamento;
- Período de licença sem remuneração concedida a empregado;
- Faltas injustificadas;
- Greve;
- Participação em curso de qualificação oferecido pelo empregador; e
- Aposentadoria por invalidez.

O vínculo empregatício persiste!


Suspensão e interrupção do contrato de trabalho
Legislação e Rotinas Trabalhistas

INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO (art. 471 da CLT)


É caracterizada pela não prestação pessoal de serviços, acarretando,
entretanto, ônus ao empregador, mediante pagamento de salário ou
cumprimento de qualquer obrigação decorrente do contrato de trabalho, como
o depósito do FGTS.

Exemplo:
- Prestação do serviço militar;
- Afastamento por acidente de trabalho;
- Afastamento por doença até o 15º dia;
Ao empregado afastado do
- Licença remunerada;
emprego, são asseguradas, por
- Férias; ocasião de sua volta, todas as
- Licença gestante; vantagens que, em sua
- Faltas justificadas; ausência, tenham sido
- Falta de serviço por culpa da empresa; atribuídas à categoria a que
- Descanso semanal remunerado e feriado. pertencia na empresa.

06/04/2018 15
REFERÊNCIAS

SILVA, Marilene Luzia da. Administração de departamento de


pessoal. 8ª ed. São Paulo: Érica, 2009. 228p.

FIDELIS, Gilson José. Gestão de pessoas: rotinas trabalhistas e


dinâmicas do departamento de pessoal. 2ª ed. São Paulo: Érica,
2008. 220p. 5 reimp. 2011.

GARCIA, Roni Genicolo. Manual de rotinas trabalhistas: problemas


práticos na atuação diária. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2003. 427p.

OLIVEIRA, Aristeu de. Manual de prática trabalhista. 41ª ed. São


Paulo: Atlas, 2007. 767p.
Inspire-se e bons estudos!