Você está na página 1de 115

Perpectivas

Sistemas de Projeção

Fonte: ARCAS; ARCAS; GONZÁLEZ, 2006.


ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Fonte: MONTENEGRO, 2008.
De que forma podemos
representar o caráter
tridimensional do que
idealizamos ou

?
percebemos
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Desenho

distinguido-pelo-real.html
http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/10/siza-vieira-distinguido
“O desenho é um processo de criação visual que tem um
propósito. [...], o desenho preenche necessidades
práticas. Um trabalho de desenho gráfico deve ser
colocado diante do olhar do público e transmitir uma
mensagem predeterminada” (WONG, 2010, p. 41).
(FRENCH; VIERCK, 2005)
Principal meio de comunicação do projetista
Desenho

http://embaixada-portugal-brasil.blogspot.com/2008/10/siza-vieira-distinguido
distinguido-pelo-real.html
Linguagem gráfica
2 métodos de descrição da forma
(FRENCH; VIERCK, 2005)
Linguagem gráfica
2 métodos de descrição da forma
(FRENCH; VIERCK, 2005)

Projeção
Fonte: MONTENEGRO, 2008. MONTENEGRO, 2007.

“processo de formação de uma


imagem mediante raios de visão
levados numa direção particular,
desde o objeto até o plano
de imagem”

Projeção
(FRENCH; VIERCK, 2005, p. 150)
Linguagem gráfica
2 métodos de descrição da forma
(FRENCH; VIERCK, 2005)

Vistas ortográficas Perspectivas


Múltiplas vistas
Vistas ortográficas

Fonte: http://www.fec.unicamp.br/~luharris/vistas/cubo2.html
Vista única, desenho pictórico
Perspectivas

Fonte: http://not2cad.tumblr.com/post/10519598869/tadao-ando-modern
modern-art-museum-of-fort-worth-see
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

Jovem levando um ramo de flores. Tebas. Túmulo de Menas.


Fonte: PARRAMÓN, 1993.
- Egito antigo, desconhecimento da perspectiva;
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

Palco de tragédia diante de um palácio. Pintura grega.


Fonte: PARRAMÓN, 1993.
- Grécia e Roma, aplicação intuitiva da perspectiva;
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

A expulsão dos diabos de Arezzo. Pintura de Giotto.


Fonte: PARRAMÓN, 1993.
- Idade média, período recessivo;

- Quattrocento,, pintor Gioto (1266-1337)


(1266 primeiro artista
a empregar a perspectiva de maneira consciente;
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

Nave da Igreja do Espírito Santo, Florença. Brunelleschi.


Fonte: PARRAMÓN, 1993.
- Renascimento, arquiteto Filippo Brunelleschi (1377-
(1377
1446), considerado o inventor da perspectiva, sistema:
desenho em planta + desenho em perfil = perspectiva
perfeita
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

Estudo para a adoração dos magos. Leonardo da Vinci.


Fonte: PARRAMÓN, 1993.
- Arquiteto Leon Baptista Alberti (1404-1472),
(1404
continuador da obra de Brunelleschi;
- Leonardo da Vinci (1452-1519),
1519), grande perito em
perspectiva;
Breve histórico da perspectiva...
(PARRAMÓN, 1993)

- Século XVIII, pintura com pleno conhecimento da


Perspectiva;

- Século XIX, perspectiva auxiliada pela fotografia;

- Século XX, perspectiva cede espaço para a arte


abstrata;

- Séculos XX e XXI, utilização do computador em


perspectiva.
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Perspectiva

?
Perspectiva
Derivada da expressão latina perspicere, que
significa “ver através de...” (MONTENEGRO, 2008)
Perspectiva
Representação gráfica do objeto como aparece
aos nossos olhos (FRENCH; VIERCK, 2005)

“[...] forma de representação que procura identificar-se


identificar
com a imagem que a observação visual do objeto
fornece” (CUNHA, 2004)
Perspectiva
3 elementos
Fonte: GIESECKE, 2002
Quem vê, o observador

O que é visto, o objeto

O anteparo transparente entre o observador e o objeto,


o quadro onde surge a perspectiva
Fonte: GIESECKE, 2002
Quem vê, o observador

O que é visto, o objeto

O anteparo transparente entre o observador e o objeto,


o quadro onde surge a perspectiva
Fonte: GIESECKE, 2002
Quem vê, o observador

O que é visto, o objeto

O anteparo transparente entre o observador e o objeto,


o quadro onde surge a...
Perspectiva

Fonte: GIESECKE, 2002


ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Perspectiva
Tipos
Perspectiva
Tipos
(PEREIRA, 1976)
Perspectiva
Tipos
(PEREIRA, 1976)

Perspectivas cônicas ou centrais

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Fonte: GIESECKE, 2002

Perspectivas cônicas ou centrais


São as que mais se aproximam da visão humana (GIESECKE, 2002)
Fonte: GIESECKE, 2002

Perspectivas cônicas ou centrais


As linhas convergem para pontos de fuga (3 tipos)
Fonte: GIESECKE, 2002

Perspectivas cônicas ou centrais


1 ponto de fuga
GIESECKE,
Fonte:
Fonte: 2002 2002
GIESECKE,

Perspectivas cônicas ou centrais


2 pontos de fuga
Fonte: GIESECKE, 2002

Perspectivas cônicas ou centrais


3 pontos de fuga

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas cônicas ou centrais
Possibilidades de aplicação

Fonte: GIESECKE, 2002


Maquete eletrônica

Perspectivas cônicas ou centrais


Possibilidades de aplicação

Fonte: GIESECKE, 2002


Fonte: GIESECKE, 2002
Design de mobiliário

Perspectivas cônicas ou centrais


Possibilidades de aplicação

Fonte: MONTENEGRO, 2008.


Fotomontagem

Perspectivas cônicas ou centrais


Possibilidades de aplicação

Fonte: MONTENEGRO, 2008.


Reflexos

Perspectivas cônicas ou centrais


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
As linhas permanecem paralelas

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Axonometria ortogonal

Oblíqua

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Axonometria ortogonal

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Objeto inclinado em relação ao plano de projeção

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Linhas paralelas, perpendiculares ao plano de projeção

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
3 tipos

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Perspectiva isométrica

Perspectiva dimétrica

Perspectiva trimétrica

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Possibilidades de aplicação

Fonte: GIESECKE, 2002


Conjunto
explodido
Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Possibilidades de aplicação

Fonte: GIESECKE, 2002


Sombras, materiais e texturas

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Possibilidades de aplicação

Fonte: GIESECKE, 2002


Cotagem

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Possibilidades de aplicação

Fonte: FRENCH; VIERCK, 2005.


Meio-corte
corte e corte em perspectiva isométrica

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


Oblíqua

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Linhas paralelas, oblíquas ao plano de projeção

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Perspectiva cavaleira

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Superfície frontal normalmente é mostrada em verdadeira grandeza

Fonte: GIESECKE, 2002


Perspectivas paralelas ou cilíndricas
Possibilidades de aplicação

Fonte: FRENCH; VIERCK, 2005.


Peça em perspectiva cavaleira (a) e cabinet (b)

Perspectivas paralelas ou cilíndricas


ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
Perspectiva
Perspectiva
Representação tridimensional em
um campo bidimensional
Perspectiva
Representação tridimensional em
um campo bidimensional

Desenho artístico I Desenho técnico


Perspectiva
Representação tridimensional em
um campo bidimensional

Desenho artístico I Desenho técnico

Proposição e análise gráfica


Perspectiva

Relevante tanto no desenvolvimento


quanto na apresentação do projeto
(PIÑÓN, 2006)

Proposição e análise gráfica


Perspectiva

Verificação do propósito/intenção pelo


técnico/desenhista/projetista

Assimilação e aceite pelo usuário


ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
PERSPECTIVA
isométrica
Perspectiva isométrica
É uma perspectiva cilíndrica axonométrica.

Nas perspectivas axonométricas, todas as linhas


do objeto são representadas paralelas a cada um
dos eixos.

As medidas reais do objeto são demarcadas nos


três eixos, na escala escolhida, ou seja, não
ocorrem distorções.
A perspectiva isométrica permite a visualização das
três principais faces do objeto.
A partir das três vistas principais de um objeto,
parte-se
se de um ponto que representa o vértice frontal
de um paralelepípedo imaginário que envolve o objeto,
120º

120º 120º

como se fosse a sua caixa – geralmente um


paralelepípedo ou um cubo – e traçam-se
os três eixos, que fazem entre si ângulos de 120º.
Em seguida, constrói-se
se o sólido envolvente,
tomando-se
se por base as maiores dimensões de
comprimento, largura e altura do objeto.
Em seguida, constrói-se
se o sólido envolvente,
tomando-se
se por base as maiores dimensões de
comprimento,, largura e altura do objeto.
Em seguida, constrói-se
se o sólido envolvente,
tomando-se
se por base as maiores dimensões de
comprimento, largura e altura do objeto.
Em seguida, constrói-se
se o sólido envolvente,
tomando-se
se por base as maiores dimensões de
comprimento, largura e altura do objeto.
Por fim, representam-se
se a disposição e os detalhes
do objeto conforme representados nas vistas principais.
Passo a passo: perspectiva isométrica
O

Em uma folha (utilizando linhas auxiliares/de


construção) faça uma linha horizontal e marque um
ponto “O” no meio da mesma.
Passo a passo: perspectiva isométrica
O

Com auxílio dos esquadros, faça duas linhas auxiliares/


de construção a 30º a partir do ponto “O” – uma para a
esquerda e outra para a direita.
Passo a passo: perspectiva isométrica
B
A
O

Na linha à esquerda do ponto “O”,


“O marque a largura do
objeto e o ponto “A”. Na linha à esquerda marque o
comprimento do objeto e o ponto “B”.
Passo a passo: perspectiva isométrica
C

B
A
O

A partir do ponto “B”,, com auxílio dos esquadros,


utilizando linhas auxiliares/de construção, faça uma
linha vertical com a altura do objeto e marque o ponto
“C”.
Passo a passo: perspectiva isométrica
D
C

B
A
O

A partir do ponto “C”,, com auxílio do esquadro,


utilizando linhas auxiliares/de construção, faça uma
linha paralela à linha AO, com a mesma dimensão
(largura do objeto) e marque o ponto “D”.
Passo a passo: perspectiva isométrica
O

Por meio de linhas paralelas às realizadas, utilizando


linhas auxiliares/de construção, desenho o restante do
paralelepípedo (caixa
caixa envolvente).
envolvente
Passo a passo: perspectiva isométrica
VISTA SUPERIOR

VISTA LATERAL VISTA FRONTAL


ESQUERDA

A partir do paralelepípedo (caixa envolvente),


envolvente com
linhas para contornos visíveis e não visíveis, desenhe
o objeto.
Passo a passo: perspectiva isométrica
A partir do paralelepípedo (caixa envolvente),
envolvente com
linhas para contornos visíveis e não visíveis, desenhe
o objeto.
Passo a passo: perspectiva isométrica
http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br/2010/06/livrinho
http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br/2010/06/livrinho-lucia-ja-vou-indo.html


ATIVIDADE TROFÉU LÚCIA JÁ-VOU-INDO – UNIDADE I
Fonte: http://ronaldo.magella.zip.net/images/pare-pense.jpg
pense.jpg
O conteúdo de
invisibilidade será
cobrado!
ATIVIDADE TROFÉU LÚCIA JÁ-VOU-INDO
JÁ – UNIDADE I

Fixar uma folha A4 na prancheta, com fita crepe.

Executar, com instrumentos (par de esquadros e régua paralela),


o paralelepípedo (caixa envolvente), com linhas auxiliares/
de construção (linhas finas).

Depois, executar, à mão livre, esboços das perspectivas


axonométricas isométricas dos objetos aqui representados
nas 3 principais vistas, respeitando as proporções.

Cada exercício deverá ser numerado (09.1, 09.2 e 09.3)

Os 3 exercícios (09.1, 09.2 e 09.3) deverão ser feitos em uma


só página.

Cada exercício deverá ser feito em 12 minutos


Atividade 09
Atividade 09.1
Atividade 09.2
Atividade 09.3
ATIVIDADE TROFÉU LÚCIA JÁ-VOU-INDO
JÁ – UNIDADE I

Em folhas A4, soltas.

Executar, à mão livre,


o paralelepípedo (caixa envolvente), com linhas auxiliares/
de construção (linhas finas).

Depois, ainda à mão livre, executar os esboços das perspectivas


axonométricas isométricas dos objetos aqui representados
nas 3 principais vistas, respeitando as proporções.

Cada exercício deverá ser numerado (10.1, 10.2,10.3,...)

Os exercícios deverão ser feitos utilizando frente e verso


das folhas.

Cada exercício deverá ser feito em 10 minutos


Atividade 10
Atividade 10.1
Atividade 10.2
Atividade 10.3
Atividade 10.4
Atividade 10.5
Atividade 10.6
Atividade 10.7
Atividade 10.8
Atividade 10.9
Atividade 10.10
Atividade 10.11
Atividade 10.12
ESTRUTURA

1. Introdução ao tema

2. O desenho
Linguagem gráfica, comunicação e descrição da forma

3. Perspectiva I
Breve histórico

4. Perspectiva II
Conceito e principais elementos

5. Perspectiva III
Tipos de perspectiva e possibilidades de aplicação

6. Considerações finais

7. Referências bibliográficas
ARCAS, Santiago; ARCAS, José Fernando; GONZÁLEZ, Isabel. Perspectiva para
principiantes. Lisboa:Könemann, 2006.

CUNHA, Luis Veiga da. Desenho técnico.. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

FRENCH, Thomas E.; VIERCK, Charles J. Desenho Técnico e tecnologia gráfica.


gráfica
São Paulo: Globo, 2005.

GIESECKE, Frederick E. Comunicação Gráfica Moderna.


Moderna Frederick E Giesecke,
Alva Mitchel, Henry Cecil Spencer, Ivan Leroy Hill, John Thomas Dygdon, James Novak e
Shawna Lockhart. Porto Alegre: Bookman, 2002.

MONTENEGRO, Gildo A. A perspectiva dos profissionais.


profissionais São Paulo: Edgard Blucher, 2008.

MONTENEGRO, Gildo A. Desenho de projetos.


projetos São Paulo: Editora Blucher, 2007.

PARRAMÓN, José M. A perspectiva na Arte.. Barcelona: Editorial Presença, 1993.

PEREIRA, Aldemar. Desenho Técnico Básico.. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves,1976.

PIÑÓN, Helio. Teoria do projeto. Porto Alegre: Livraria do arquiteto, 2006.

SCHAARWÄCHTER, Georg. Perspectiva para arquitetos.


arquitetos México D. F., 1981.

WONG, Wucius. Princípios de forma e desenho.


desenho São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.