Você está na página 1de 17

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA – BELÉM

GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM REDES DE COMPUTADORES

“Site Survey – Uso e Aplicação”

YWANDEY DE SENA
CLAUDENIR
ARAÚJO
CHRISTIAN
JUNIOR

Belém

Mar / 2018
YWANDEY DE SENA
CLAUDENIR
ARAÚJO
CHRISTIAN
JUNIOR

“Site Survey – Uso e Aplicação”

As redes sem fio estão cada vez mais presentes


em nosso cotidiano. Portanto é primordial que
saibamos identificar os cenários e equipamentos,
para que seja possível uma melhor utilização dos
ativos presentes e aplicação de suas funções.

Belém

Mar / 2018
Sumário

Introdução ...................................................................................................................................4
1 – Site Survey............................................................................................................................5
1.1 – Definição .................................................................................................................................... 5
1.2 – Vantagens e Benefícios .............................................................................................................. 5
1.3 – Métodos Utilizados .................................................................................................................... 6
1.4 – Segurança ................................................................................................................................... 6
2 - Case de Negócio ...................................................................................................................7
2.1- O Cliente ...................................................................................................................................... 7
2.2 – Cenário ....................................................................................................................................... 7
2.3 – Dificuldades Encontradas ........................................................................................................... 9
2.4 – Proposta Comercial .................................................................................................................... 9
2.5 – Garantias .................................................................................................................................. 10
3 – Implantação ....................................................................................................................... 10
3.1 – Equipamentos e Descrição ....................................................................................................... 10
3.2 – Testes e Avaliação da Rede ...................................................................................................... 12
3.3 – Entrega de Resultados .............................................................................................................. 13
3.4 – Feedback do Cliente ................................................................................................................. 14
Conclusão ................................................................................................................................ 15
Referências Bibliográficas ....................................................................................................... 16
Introdução

Com a evolução da computação, o homem se deparou com uma necessidade de tornar


mais fácil e fluido o compartilhamento de informação, recursos e comunicação entre os
equipamentos presentes em uma organização, ou até mesmo em sua residência. Tendo este
advento em vista, várias formas de compartilhamento de funcionalidades foram criadas, dando
a origem à computação sem fio.

Estas conexões são um avanço nas redes de telecomunicações e em muitos lugares é o


único meio de acesso a internet e telefonia possível. Em outros casos é uma opção para
implementação de rede rápida e de baixo custo.

Existem muitos equipamentos, tecnologias e formas de se implementar essas redes e é


justamente esse ponto que causa várias dúvidas no momento de criar um projeto de rede sem
fio estruturado, especialmente entre os técnicos que ainda não estão tão familiarizados com esse
trabalho.

No limiar desse trabalho vamos explicar detalhadamente um método chamado de Site


Survey, muito utilizado atualmente para projetar, gerir ou até mesmo organizar uma rede já
existente, assim como materializar um case de negócio, esboçando todos os pontos contidos até
chegarmos à proposta de serviço.
1 – Site Survey

1.1 – Definição

O site survey é um método indispensável para detectar e ultrapassar problemas de


desempenho após a implantação de uma nova infraestrutura ou ampliação de uma rede. Em
qualquer um dos casos dos casos, o site survey pode ser utilizado para estabelecer métodos que
permitam o remanejamento dos pontos de rede existentes pelo simples reposicionamento ou
reconfiguração.

Ou ainda para a ampliação do número de pontos existentes e/ou aumento da cobertura


da rede, adicionando-se novos Pontos de Acesso (no caso de redes wireless), cuja localização
será obtida a partir dos resultados do levantamento da planta, das medidas de propagação em
campo e das especificações de desempenho esperadas.

Durante a inspeção devem ser levantadas todas as condições técnicas do local da


instalação, que inclui verificar a existência ou não de obstáculos que possam dificultar o
lançamento do cabeamento ou o posicionamento de antenas, facilidades de pontos de energia,
aterramento, ventilação, segurança, entre outros.

No caso específico das redes wireless, a inspeção deve contemplar ainda a análise de
possíveis interferências de RF, níveis e condições de propagação do sinal, servindo como fonte
adicional de informação para o projeto de localização dos Pontos de Acesso (AP’s).

1.2 – Vantagens e Benefícios

Além de termos uma maior assertividade no planejamento de projetos de implantação,


contamos também com a garantia de que os equipamentos são instalados de acordo com as
especificações, minimizando pendências na implantação ou riscos para a sua operação e
manutenção.

Devemos também nos atentar quanto à otimização de equipamentos e recursos, podendo


utilizar o equipamento de maneira mais confiável, diminuindo também inclusive seu tempo de
implantação.
1.3 – Métodos Utilizados

Foi escolhido o método Site Survey Outdoor, também conhecido como Método
Profissional, onde foi usado o analisador de rede sem fio móvel Wi-fi Analyser e um
emissor de sinal access point roteador. A figura 1.3.1 mostra um analisador de sinal do
frabicante . A figura 1.3.2 mostra o access point Roteador Intelbras WRN 240, 150 Mbps
100mW 20dBm 5dBi.

Site Survey Indoor – Realizadas para identificar a localização e o número de estações


base necessárias (cobertura e tráfego previsto). Os equipamentos utilizados são basicamente
um notebook ou handheld e um Access Point.

Site Survey Outdoor – Além da identificação e localização dos pontos de rede, consiste
em verificar se existe visada direta com o(s) Ponto(s) de Acesso Remoto(s) ou se há algum tipo
de obstáculo, além de medições de prumada e coleta de outras informações relevantes ao
projeto.

1.4 - Segurança

Tratando-se de segurança em redes sem fio temos várias formas de criptografar os


dados que transitam em nossa rede, nos protegendo de espiões e dos acessos não autorizados.
No entanto, falaremos de duas formas mais utilizadas e eficazes atualmente, WPA e WPA2.
WPA (Wi-Fi Protected Access): Se trata de um protocolo de comunicação via rádio. Podemos
fazer uma analogia a um WEP “melhorado”. Foi conhecido em sua concepção como WEP2,
mas acabou se transformando em WPA pelo WEP já estar queimado junto ao mercado.

Trabalha com um sistema chamado TKIP (Temporal Key Integrity Protocol ), um


algoritmo de criptografia baseado em “chaves” que vão sendo alteradas a cada novo envio de
pacote. A sua principal característica é a mudança frequente dessas “chaves” garantindo mais
segurança. A senha é modificada por padrão a cada 10.000 pacotes enviados e recebidos por
nossa placa de rede.

WPA2 (Wi-Fi Protected Access Version 2): Se trata de um “upgrade” na tecnologia WPA. Foi
criado com um intuito de fazer um novo certificado para redes sem fio, mais confiável do que
os anteriores.

Trabalha com um sistema chamado AES (Advanced Encryption Standard), também


conhecida como uma cifra de bloco, esse padrão de criptografia é altamente confiável. No
entanto exige bastante processamento dos ativos. O seu uso é extremamente recomendado para
aqueles usuários que necessitam de um alto padrão de proteção e criptografia. Porém, devemos
considerar que equipamentos mais antigos podem não ter compatibilidade com o WPA2, logo,
sua utilização antes de ser definida deve ser testada.
2 - Case de Negócio
Para ilustrarmos melhor o que é um projeto de Site Survey, desenvolvemos um case de
negócio fictício, abordando o projeto, as etapas de implementação, medição e entrega da
proposta comercial, assim como a explicitação dos resultados obtidos.

2.1- O Cliente
O cliente Paperged LTDA é uma gráfica e copiadora rápida, que tem no seu portfólio
de serviço os seguintes: Impressão de Banners / Impressões de Outdoors / Impressão de
Busdoors / Impressões em Geral.

Para assegurar uma qualidade e compromisso com o cliente, a Paperged garante a


entrega do trabalho em até 48horas, independente do tipo de trabalho a ser realizado. Tendo em
vista esse SLA mais justo, sua infraestrutura deve ser bem planejada e implementada, com o
mínimo de perda possível.

2.2 – Cenário
As instalações do cliente consistem em 3 (três) andares de um prédio comercial,
disponibilizado da seguinte forma:

Fonte: Projeto Próprio da Empresa


Fonte: Projeto Próprio da Empresa

Fonte: Projeto Próprio da Empresa


2.3 – Dificuldades Encontradas

Um levantamento prévio de infraestrutura foi feito, com o intuito de captar os ativos que
funcionarão com essa tecnologia. Logo, foram levantados alguns tópicos que devem ser
abordados, tratados e sanados, sendo eles:

- Segurança da Informação: O cliente preza bastante por tráfego seguro de suas informações,
tendo em vista o grau sigiloso de seus serviços.

- Compatibilidade: O cliente possui hoje um maquinário específico para gráficas, compatível


apenas com o padrão G e é inviável a troca desse maquinário, devido o seu alto custo e
disponibilidade no mercado. Logo o projeto deverá contemplar os padrões G e N.

- Disponibilidade: O cliente preza pelo acesso em toda a empresa de maneira uniforme, se


possível, com poucas perdas e atenuações.

2.4 – Proposta Comercial

Levando em consideração todos os aspectos físicos, lógicos e contratuais abordados até


agora, foi elaborada a seguinte proposta comercial:

Mão de Obra

Item Nº Serviço Prestado Valor Hora Quantidade Valor Total Garantia

CONSULTORIA,
01 ELABORAÇAO DE R$ 1.000,00 ----------------- R$ 1.000,00 10 dias
PROJETO E COTAÇÃO
DE PREÇOS.

INFRA-ESTRUTURA
02 DE REDE/ R$ 250,00 24 horas R$ 6.000,00 180 dias
CABEAMENTO
ESTRUTURADO

INSTALAÇAO E
03 CONFIGURAÇAO DOS R$ 100,00 16 horas R$ 1.600,00 180 dias
HOSTS A SEREM
UTILIZADOS
2.5 – Garantias

Garantia revogada perante aos seguintes:

 Interferência externa de terceiros no serviço realizado dentro ou fora do prazo


estipulado;

 Desastres ou Ocorrências de cunho natural; ( Raios, Enchentes, Incêndio, etc. )

 Caso o cliente opte pela não contratação do suporte extensivo, após o prazo de garantia
estipulado neste documento, o mesmo estará DESCOBERTO, tendo que efetuar uma
solicitação de visita técnica para a averiguação e resolução do problema.

 A responsabilidade de armazenamento de dados, integridade dos equipamentos e


periféricos é INTEIRAMENTE DO CONTRATANTE, excluindo o contratado de
qualquer responsabilidade de alguma avaria, posterior à implantação.

 O Contrato de manutenção será avaliado, gerido e assinado após a implantação, NÃO


CONSTANDO NOS AUTOS ACIMA.

3 - Implantação

3.1 – Equipamentos e Descrição

Router Core: Equipamento que será o servidor da rede , em cada porta será ligado um
adaptador POE saindo um cabo de rede ligado ao AP, serão nove pontos de acesso conforme
projeto do site survey .

Ligado a este Router Core teremos um servidor de DHCP que alimentará todas as
maquina clientes da rede, sendo que autenticação será através do serviço de HOTSPOT onde é
utilizado um usuário e senha para navegação. ( Servidor já disponível no cliente )

Fonte: forum.microtik.com
Este dispositivo é referência no quisito desempenho em rack de 1U, contando com um
processador dual core, que pode chegar a até um milhão de pacotes por segundo.

Contém 13 portas individuais Gigabit Ethernet, e inclui a possibilidade de derivação.


2GB de RAM SODIMM estão incluídos, há um slot para cartão microSD, um sinal sonoro e
porta serial.

Access Points: Todos os UniFi têm a mesma quantidade de memória RAM (64 MB)
e flash (8 MB), e clock de processador, 400MHz. Recomendamos 45 a 50 clientes
simultaneamente a cada AP, configurável nos padrões B, G e N.

Fonte: forum.microtik.com

Cabo UTP : Cabos UTP CAT.6

Fonte: www.nexans.com.br
3.2 – Testes e Avaliação da Rede

Para efetuarmos os testes avaliativos de sinal, utilizamos um notebook


convencional com o programa Ekahau Heatmapper instalado. O Ekahau HeatMapper é
muito simples de usar.

No painel esquerdo mostra as conexões disponíveis, que podem ser ordenadas por
potência de sinal, segurança, endereço físico ou canal. A diversão começa quando você
começa a caminhar com o notebook.

Fonte: Programa Ekahau Heatmapper

Conforme você avança e clica no mapa, o Ekahau HeatMapper traça rotas e as


conexões "se desenham" automaticamente. Mesmo com algumas limitações, o Ekahau
HeatMapper é uma das melhores opções de medição para se fazer um Site Survey seguro
e confiável.
3.3 – Entrega de Resultados

1º Andar: Foram instalados 2 AP’s padrão G e 1 AP padrão N. Os Ap’s padrão G


estão localizados bem próximos a área de impressão de banners, onde ficam situadas as
3 impressoras que utilizam exclusivamente este padrão para se comunicar.

Fonte: Programa Ekahau Heatmapper


Lembrando que o último AP está configurado como “mixed” podendo funcionar
tanto no padrão G ou N.

2º Andar: Foram instalados 2 AP’s no pré-configurados no padrão N e 1 Ap no


padrão G.
O AP de padrão G foi instalado próximo à sala de finalização e impressão de busdoor,
onde se encontra uma impressora que não é mais comercializada e funciona apenas com
este padrão.

Fonte: Programa Ekahau Heatmapper


3º Andar: Foram instalados 2 AP’s pré-configurados no padrão N, n oentanto,
também funcionam como “mixed”, atuando nos 2 padrões implementados, G e N.

Fonte: Programa Ekahau Heatmapper

3.4 – Feedback do Cliente

Depoimento do cliente:

“Estamos plenamente satisfeitos com o trabalho prestado por esta equipe. O projeto correu
dentro do prazo estipulado, o que foi surpreendente se tratando de T.I. O cronograma foi
cumprido à risca, nos assegurando o cumprimento de nossa SLA com nossos clientes. Foi
possível concatenar gastos com qualidade, assim não tivemos surpresa no fim do projeto, pois
tudo foi calculado minuciosamente. Estamos felizes por essa nova empreitada e com certeza
indicaremos a empresa aos nossos amigos e clientes. Bons negócios!”

- José Honofre Soares– Diretor de T.I. Paperged LTDA


Conclusão

Com o final deste projeto pudemos concluir que o Site Survey é uma excelente forma
de se assegurar a qualidade na entrega de serviços de redes sem fio. Encontramos diversas
ferramentas presentes no mercado para auxiliar nessa medição de qualidade, e percebemos que
esse mercado está em grande ascensão. No quesito projeto, é primordial que se cumpra prazos
e metas estabelecidas dentro do SLA acordado com o cliente. Assim conseguimos concatenar
qualidade, preço e rapidez na prestação de serviço, entregando assim valor ao cliente.
Referências Bibliográficas

 Clancy, John, Site Surveying and Levelling, 2ª Ed., Butterworth – Heineman

 Muskett, John, Site Surveying, 2º Ed. , John Wiley Professio

 Site: http://www.projetoderedes.com.br

 Site: http://www.juliobatisti.com.br