Você está na página 1de 166

Análise Cefalométrica de

Jarabak

Prof. Dr. Pedro César


Padrão de Crescimento

Conceitos
Características
Objetivos
Características Morfológicas da
Mandíbula e Crescimento
Rotacional
• “ Sínfises espessas estão
associadas ao
Ricketts crescimento rotacional
anterior(Anti-horário)”.
» Ricketts, 1960
Características Morfológicas da
Mandíbula e Crescimento
Rotacional
• “ Sínfises espessas estão
associadas ao
crescimento rotacional
anterior(Anti-horário)”.
» Ricketts, 1960
Crescimento Mandibular Anterior

• Rotação Anti-horária
• Padrão
Braquicefálico
• Tendência à Classe
III
• Tendência à
Sobremordida
Profunda
Crescimento Mandibular Posterior

• Rotação horária
• Padrão
Dolicocefálico
• Tendência à Classe
II
• Tendência à
Mordida Aberta
Esquelética
Padrão Rotacional X Côndilo

• Björk, 1969
– “ A inclinação anterior da
cabeça do côndilo
determina a rotação Classe III

anterior da mandíbula” .
– “ A inclinação posterior
da cabeça do côndilo
determina a rotação
posterior da mandíbula” .

Classe II
Padrão Rotacional X Côndilo

• Björk, 1969
– “ A inclinação
anterior da
cabeça do
côndilo
determina a
rotação anterior
da mandíbula” .
Padrão Rotacional X Côndilo

• Björk, 1969
– “ A inclinação
posterior da
cabeça do
côndilo
determina a
rotação
posterior da
mandíbula”.
Padrão Rotacional X Base Craniana

• Björk, 1969
–“A base craniana
determina as
características
rotacionais Classe III

mandibulares”
•Ângulo fechado
–Classe III
Padrão Rotacional X Base Craniana

• Björk, 1969
–“A base craniana
determina as
características
rotacionais
mandibulares”
•Ângulo fechado
–Classe III
Padrão Rotacional X Base Craniana

• Björk, 1969
–“A base craniana
determina as
características
rotacionais Class II

mandibulares”
•Ângulo Aberto
–Classe II
Padrão Rotacional X Base Craniana

• Björk, 1969
–“A base craniana
determina as
características
rotacionais
mandibulares”
•Ângulo Aberto
–Classe II
Características do Côndilo e
Morfologia Facial
• A inclinação da
cabeça do côndilo
• O espaço superior
articular
–correlacionados às
características
morfológicas faciais.

Gail Burke et al.,1998


Características do Côndilo e
Morfologia Facial
• morfologia facial
vertical
–Dólico-facial
• Menor espaço
superior articular
• côndilos angulados
posteriormente
Gail Burke et al.,1998
Características do Côndilo e
Morfologia Facial
• Morfologia facial
anterior
–Braqui-facial
• Espaço articular
superior
aumentado
• côndilos angulados
anteriormente
Gail Burke et al.,1998
Análise Cefalométrica de
Jarabak
• Dr. J. R. Jarabak (1901-1989)

Influência dos estudos de Arne Björk


Desenho Anatômico
1.Osso Esfenóide
2.Osso Occipital
3.Sutura Fronto-
Nasal
4.Maxila
5.Corpo da
Mandíbula
6.Ramo da
Mandíbula
O Desenho Anatômico
• Contorno do osso esfenóide e occipital
• Perfil da Glabela e dos ossos próprios do
Nariz
• Contorno das faces superior e inferior do
palato ósseo
• Contorno da espinha nasal anterior e
região subespinhal
• Contorno do incisivo central superior
O Desenho Anatômico
• Contorno da região supramentoniana
• Contorno da borda inferior da mandíbula
• Contorno da borda posterior da mandíbula
• Contorno do incisivo central inferior
• Contorno do primeiro molar superior
• Contorno do primeiro molar inferior
• Contorno das Órbitas
• Contorno do perfil tegumentar facial
Desenho Anatômico
•Contorno do
osso esfenóide e
occipital
•Perfil da Glabela
e dos ossos
próprios do Nariz
•Contorno das
faces superior e
inferior do palato
ósseo
Desenho Anatômico
•Contorno da
espinha nasal
anterior e
região
subespinhal
•Contorno do
incisivo central
superior
Desenho Anatômico
•Contorno da região
supramentoniana
•Contorno da borda
inferior da mandíbula
•Contorno da borda
posterior da
mandíbula
•Contorno do incisivo
central inferior
Desenho Anatômico
•Contorno do
primeiro molar
superior
•Contorno do
primeiro molar
inferior
•Contorno das
Órbitas
•Contorno do perfil
tegumentar facial
Desenho Anatômico
Desenho Anatômico
pontos cefalométricos
Pontos Cefalométricos
• 1-Ponto S
• 2-Ponto N
• 3-Ponto Me
• 4-Ponto Ar
• 5-Ponto Goc
1-Ponto S(Sela)
Ponto
localizado
no centro do
maior diâmetro
da Sela Turca
S
.
2-Ponto N(Násio)

N
.
N
.
É o ponto
mais anterior da
sutura
frontonasal
3-Ponto Me(Mentoniano)

•Ponto mais
inferior do
contorno da
sínfise.
•Ponto mais
anterior do
corpo
mandibular
4-Ponto Ar(Articular)
•Ponto Virtual de
intersecção da
imagem do contorno
posterior do côndilo
mandibular com a
imagem do contorno
externo do terço
médio da base do
crânio
• corresponde o
osso occipital. Ar .
5-Ponto Goc(Gônio Cefalométrico
Construído)
•Ponto localizado na
intersecção da linha
que, partindo do
ponto articular,
tangencia a borda
posterior do ramo
mandibular e a linha
que, partindo do
ponto mentoniano Ar
tangencia a borda
inferior do ângulo da .
mandíbula.
Ponto Goc(Gônio Cefalométrico
Construído)
•Ponto localizado na
intersecção da linha
que, partindo do
ponto articular,
tangencia a borda
posterior do ramo
mandibular e a linha
que, partindo do
ponto mentoniano, Ar
tangencia a borda
inferior do ângulo da .
mandíbula.
Traçados de Orientação
Linhas Cefalométricas
• 1-Base Anterior do
Crânio- S-N
• 2-Altura Facial 1

Anterior- N-Me
5 4
• 3-Altura Facial 2
Posterior- S-Goc 3

• 4-Profundidade Facial-
N-Goc
• 5-Base Posterior do
Crânio- S-Ar
Linhas Cefalométricas
• 1-Base Anterior do
Crânio- S-N
Linhas Cefalométricas
• 2-Altura Facial
Anterior
– N-Me
• Pode ser medida
em milímetros(mm)
• Sofre influência da
posição da
mandíbula, no
plano vertical
2-Altura Facial Anterior- N-Me

• Deslocamento da
Maxila para frente e
para baixo
– 0,7mm/ano
• Crescimento Dento-
alveolar superior
– 1,0mm/ano
• Crescimento dento-
alveolar inferior
– 0,7mm/ano
Planos Cefalométricos
• 3-Plano do
Ramo da
Mandíbula-
Ar-Go

• 4-Plano
Mandibular
Me-Go
Planos Cefalométricos
• 3-Plano do
Ramo da
Mandíbula-
Ar-Go
3-Plano do Ramo da Mandíbula-
Ar-Go
• Plano que, passando
pelo ponto
Ar(articular)tangencia
Ar
a borda posterior do .
ramo ascendente da
mandíbula, no seu
contorno mais
saliente.
Planos Cefalométricos
• 3-Plano do Ramo
da Mandíbula-
Ar-Go
4- Plano Mandibular
Me-Goc

• É o plano que
passando pelo
ponto Me
tangencia a borda
inferior da
mandíbula, na
região goníaca
Planos Cefalométricos
• 4-Plano
Mandibular
Me-Go
Grandezas Cefalométricas
• Ângulo Sela
– Ar. S.N
• Ângulo
Articular
• Ângulo
Goníaco
– Superior
– Inferior
Ângulo Sela
• Formado pela união da linha
S-N (sela-násio) com a linha
S-Ar(sela articular).
• Björk define a flexão entre
base anterior e posterior do
crânio e descreve a fossa
mandibular.
• Tem influência determinante
no crescimento mandibular
• Não sofre influência ortopédica
N .
Ângulo Sela(S-N.S-Ar)

S .

.
Ar
Flexão Craniana
SN.SBa
• É também medido por meio
das linhas S-N. S-Ba
• Devido a possível influência
das olivas do cefalostato
dentro do poro acústisco
externo, podendo deslocar o
côndilo anteriormente, é
muito útil utilizarmos essa
grandeza.
• Diferenças entre OC e RC
também comprometem a
medida S-Ar
Relação Base Craniana Posterior e
Fossa Mandibular
• A fossa mandibular é
formada pela base posterior
do crânio
– especificamente pela
sincondrose esfeno-occipital; e
– pelas partes laterais do osso
temporal.
• O Côndilo Mandibular se
ajusta dentro da fossa
mandibular
– sofre deslocamentos no caso
de alterações da fossa
mandibular.
– Desloca a mandíbula
Relação Base Craniana Posterior e
Fossa Mandibular
• O deslocamento
posterior da fossa
foi quase duas
vezes maior que o
crescimento
posterior do
côndilo.
Buschang and Santos-Pinto, 1998
Relação Base Craniana Posterior e
Fossa Mandibular
• Crescimento do
Côndilo:
–Vertical
1
• 9 X maior
–Posterior

Buschang and Santos-Pinto, 1998


Relação Base Craniana Posterior e
Fossa Mandibular
• Crescimento
vertical condilar; e
• Deslocamento
inferior da fossa
–maior em meninos
adolescentes que
em meninas.
Buschang and Santos-Pinto, 1998
Relação Base Craniana Posterior e
Fossa Mandibular
• O ponto Articular(Ar)
– sistematicamente
superestimou o
deslocamento inferior da
fossa.
– Subestimou o
crescimento condilar para
cima; e
– Superestimou o
crescimento mandibular
posterior.
Buschang and Santos-Pinto, 1998
Base Craniana X Crescimento
Facial
Base Craniana X Crescimento
Facial
• A atividade das
sincondroses
basicranianas parece
ter grande
responsabilidade sobre
o aspecto dimensional
anteroposterior das
fossas endocranianas.
Base Craniana X Crescimento
Facial
• É importante o
conhecimento sobre
a atividade destas na
previsão da
influência da base do
crânio sobre o
complexo facial.
Base Craniana X Crescimento
Facial
Possui uma grande
determinação
genética e um
término precoce do
crescimento e
desenvolvimento
em relação às
outras regiões
faciais
Base Craniana X Crescimento
Facial
Deve ser
considerada como
uma importante
fonte de
informações para o
diagnóstico,
prognóstico e
planejamento dos
casos
Ângulo Sela
•O valor médio é
de 123o± 6
Ângulo Sela Aberto
• O aumento
do ângulo
significa que
a porção
occipital do
clivo
deslocou-se
para trás e
para cima.
Ângulo Sela Aberto
• A fossa
mandibular
acompanha
o
movimento
para trás e
para cima
Ângulo Sela Aberto
• Ocorre a
redução da
altura facial
posterior
Ângulo Sela Aberto
• Desloca a
sínfise para
baixo e para
trás.
• Desloca o
lábio inferior
para baixo e
para trás
Ângulo Sela Aberto
• Aumento da
Altura facial
Anterior
• Quando a
maxila não
acompanha a
mandíbula,
ocorre mordida
aberta
esquelética
anterior, com
respiração
bucal.
Ângulo Sela Aberto
• Rotação Horária da mandíbula
• Aumento da AFAi
Ângulo Sela Aberto
• Mau
prognóstico
em casos de
Classe II com
retrusão
mandibular
Ângulo Sela Aberto
• Bom
prognóstico
em casos de
Classe III
com
prognatismo
mandibular
Ângulo Sela Aberto
• Tendência a
retrusão
mandibular
• Má Oclusão
de Classe II
Ângulo Sela Aberto
• Tendência a
retrusão
mandibular
• Má Oclusão
de Classe II
Ângulo Sela Fechado

• A fossa
mandibular
se desloca
para frente
e para
baixo
Ângulo Sela Fechado

• Aumento
da Altura
facial
posterior
Ângulo Sela Fechado
• Projeção da
sínfise
mentoniana
para frente
e para cima
Ângulo Sela Fechado
• Diminuição
da Altura
facial
anterior
Ângulo Sela Fechado
• Tendência a
sobremordida
profunda
• Mudança no
contorno da
sínfise
mentoniana
Ângulo Sela Fechado

• Ângulo < 117 o

–Indivíduos
com
prognatismo
mandibular
Ângulo Sela Fechado

• Ângulo < 117 o

–Indivíduos
com
prognatismo
mandibular
Class III
Ângulo Sela Fechado
• Tendência a
sobremordida
profunda
• Mudança no
contorno da
sínfise
mentoniana
Ângulo Sela Fechado
• Bom
prognóstico
em casos de
Classe II com
retrusão
mandibular
Ângulo Sela Fechado
• Bom
prognóstico
em casos de
Classe II com
retrusão
mandibular
Ângulo Sela Fechado
• Mau
prognóstico
em casos de
Classe III
com
protrusão
mandibular
Ângulo Sela Fechado
• Mau
prognóstico
em casos de
Classe III
com
protrusão
mandibular

Class III
Ângulo Sela Fechado
• Rotação Anti-Horária da mandíbula
• Diminuição da AFAi
Ângulo Articular
O valor médio
• Formado pela base
posterior do crânio (S-Ar) e é de 143º±5
pelo bordo posterior do
ramo da mandíbula(Ar-
Goc).
• Reflete:
– O tipo facial do indivíduo
– O crescimento dento-
alveolar
– O padrão muscular do
indivíduo
Ângulo Articular
• Bom indicador
para a resposta
vertical
promovida pelo
tratamento
ortodôntico ou
ortopédico!
Ângulo Articular
• Bom indicador
para a resposta
vertical
promovida pelo
tratamento
ortodôntico ou
ortopédico!
Cinta Ptérigo-Masseterina
• Formada pelos
músculos:
–Masseter; e
–Músculo
pterigóideo
medial.
Cinta Ptérigo-Masseterina
• Cintas largas
– Ângulo Articular
fechado
• Padrão braquice-
fálico
• Musculatura mais
potente
Cinta Ptérigo-Masseterina
• Cintas
estreitas
–Ângulo
Articular Aberto
–Padrão Dólico-
cefálico
–Musculatura
menos potente
Ângulo Articular Aberto
• Ramo mais estreito
• Crescimento mais
vertical do Ramo
da Mandíbula
• Pouca projeção da
sínfise mentoniana
• Pouca resistência
às mecânicas
extrusivas
Ângulo Articular Aberto
• Ramo mais estreito
• Crescimento mais
vertical do Ramo
da Mandíbula
• Pouca projeção da
sínfise mentoniana
• Pouca resistência
às mecânicas
extrusivas
Ângulo Articular Aberto
• Rotação posterior da
mandíbula
• Fator de Classe II
esquelética
• Fator de mordida
Aberta esquelética
• Crescimento da
maxila e do processo
dento-alveolar em
excesso
Ângulo Articular Aberto
• Rotação
posterior da
mandíbula
• Fator de
Classe II
esquelética.
Ângulo Articular Aberto
• Fator de mordida
Aberta
esquelética.
• Crescimento da
maxila e do
processo dento-
alveolar em
excesso.
Ângulo Articular Aberto
• Grande
possibilidade de
saída do côndilo
na fossa articular
• Deve-se evitar
mecânicas
extrusivas
• Deve-se evitar:
– fios rígidos
– Elásticos de
Classe II
Ângulo Articular Fechado

• Tendência a
sobremordida
profunda
• Rotação anti-
horária da
mandíbula
Ângulo Articular Fechado
• Tendência à
sobremordida
profunda
• Padrão
Braquifacial
• Ótimo para
Classe II
Ângulo Articular Fechado
• Tendência à
sobremordida
profunda
• Padrão
Braquifacial
• Ótimo para
Classe II
Ângulo Articular Fechado
• Difícil estipular
condutas que
modifiquem o
padrão
braquicefálico ou
deslocamento
anterior do
côndilo.
Ângulo Goníaco
• Formado pelo
– plano do Ramo
Mandibular (plano
Ar-Go) com
– plano do corpo
mandibular (Go-
Me)
Ângulo Goníaco
• Valor de
normalidade
segundo Björk
• 130 ± 7
Ângulo Goníaco
• Valor de
normalidade
segundo Björk
• 130º ± 7
Ângulo Goníaco Fechado
• Tendência a
sobremordida
profunda
• Ótimo
prognóstico
para má
oclusão de
Classe II
Ângulo Goníaco Fechado
• Tendência a
sobremordida
profunda
•  Ótimo
prognóstico
para má
oclusão de
Classe II
Ângulo Goníaco Aberto
• Tendência a
mordida aberta
esquelética com
retrusão
mandibular
•  Má Oclusão
de Classe II
•  Dólicofacial
Ângulo Goníaco Aberto
•  Tendência a
mordida aberta
esquelética com
retrusão
mandibular
•  Má Oclusão
de Classe II
•  Dólicofacial
Ângulo Goníaco Superior
Ângulo Goníaco Inferior
• Dividido pela linha
da profundidade
facial
– Jarabak, 1972.

• Linha Go-N
Ângulo Goníaco Superior
Ângulo Goníaco Inferior
• Dividido pela linha
da profundidade
facial
– Jarabak, 1972.
• Linha Go-N
Ângulo Goníaco Superior
• Determina a
trajetória de
crescimento do
ramo ascendente
da mandíbula
• Ar-Go. Go-N
Ângulo Goníaco Superior
• Direção de
Crescimento
Remanescente
• Norma:
– 52º a 55º
Ângulo Goníaco Superior
Aumentado > 55o
•  Tendência ao
prognatismo
mandibular
•  Para OFM em
má oclusão de
Classe II tem
excelente
prognóstico
Ângulo Goníaco Superior
Aumentado
•  Tendência a
Classe III
•  Prognatismo
Mandibular
•  Excelente
prognóstico para
pacientes Classe
II
Ângulo Goníaco Superior
Diminuído < 55o
• Tendência à má
oclusão de
Classe II
• Rotação posterior
da mandíbula
• Mordida aberta
esquelética
Ângulo Goníaco Inferior
• Pode determinar
o crescimento
rotacional da
mandíbula no
sentido horário
ou anti-horário
Ângulo Goníaco Inferior
• Determina o
padrão de
crescimento do
corpo da
mandíbula
• Valor médio:
– 70º a 75º
Ângulo Goníaco Inferior
Aumentado
• Tendência a
Mordida Aberta
esquelética
•  Tendência a
Classe II
•  Péssimo para
Classe II
• Pode ser bom
para Classe III
Ângulo Goníaco Superior +
Ângulo Goníaco Inferior
• Ângulo Goníaco
Superior
Aumentado
• Ângulo Goníaco
Inferior Diminuído
Ângulo Goníaco Inferior Diminuído
• Tendência a
sobremordida
profunda
•  Tendência a
prognatismo da
mandíbula
•  Bom para
Classe II
•  Mau para
Classe III
Ângulo Goníaco Superior
Ângulo Goníaco Inferior
• Ângulo Goníaco
Superior
Diminuído
• Ângulo Goníaco
Inferior
Aumentado
Relação entre as Medidas
Angulares
• Soma Total dos
Ângulos
– Ângulo Sela
– Ângulo Articular
– Ângulo Goníaco

– Valor Médio=
• 396o ± 6o
Soma Total
• Os ângulos se
interrelacionam
porque tem
lados em
comum.
• Potencializam
ou reduzem os
efeitos na
direção de
crescimento
Soma Total
Soma Total
• Padrão Normal
• 396 ± 6
• O crescimento
facial normal
acontece para
baixo e para
frente
Soma Total
• Classe III e
sobremordida
profunda
• Valor menor
que 390o
Soma Total
• Classe II e
mordida
Aberta
Esquelética
• Valor
superior a
402o
Soma Total
Soma Total
Medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Base Posterior do Crânio (S-Ar)
• Altura do Ramo (Ar-Go)
• Comprimento do Corpo Mandibular (Go-
Me)
• Altura Facial Posterior (S-Go)
• Altura Facial Anterior (S-Me)
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

1:1
1-Base Anterior do Crânio- S-N

• Aos 11 anos, deve ser


do tamanho do corpo
mandibular
• Aumenta dos 11 aos
16 anos
– 2,6mm-meninas
– 5,0mm-meninos
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

1:2
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

1:2
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

1:2
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

1:2
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

2:1
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

2:1
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

2:1
Relação entre as medidas Lineares
• Base Anterior do Crânio (S-N)
• Corpo Mandibular (Go-Me)

2:1
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)

Proporção
de 3:4
normalidade
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)
Ramo
Mandibular
Curto favorece a
Caracterização
de mordidas
3:3
abertas
esqueléticas ou
má oclusão de
Classe II
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)

3:3
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)
Altura diminuída
do Ramo
Fator de Classe II
e mordida Aberta
Grande
3:3
possibilidade de
deslocamento
Mandibular
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)

3:5
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)
Ramo
Mandibular
Longo pode
caracterizar
Sobremordidas
profundas 3:5
e/ou má oclusão
de Classe
III
Relação entre a Base Posterior
do Crânio(S-Ar) e a Altura do
Ramo Mandibular(Ar-Go)
Pequena
Possibilidade
de
deslocamento
do 3:5
Côndilo na
Fossa
mandibular
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Altura Facial Posterior X 100 = %
Altura Facial Anterior
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Neutro
• 59% a 63%
• Crescimento
Normal
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Sentido Horário
• 54% a 58%
• Crescimento Rotacional Posterior
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Neutro
• 59% a 63%
• Crescimento
Normal
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Sentido
Horário
• 54% a 58%
• Crescimento
Rotacional
Posterior
Relação entre a Altura Facial
Posterior(S-Go) e a Altura
Facial Anterior(N-Me)
• Sentido Anti-
Horário
• 64% a 80%
• Crescimento
Rotacional
Anterior
Esferas Direcionais de Jarabak
Esferas Direcionais de Jarabak
• Zona Cinza= 59% a 61%
– Crescimento Neutro
– Tendência à musculatura fraca e sentido
horário
• Zona Cinza= 61 a 63%
– Crescimento Neutro
– Tendência à musculatura forte e sentido anti-
horário
Predição de Crescimento
Remanescente
• Magnitude
• Relação:
– Base Anterior do Crânio(BAC) =1
Comprimento do Corpo da mandíbula(CCM) 1

CCM <BAC= Baixo Potencial de Crescimento Mandibular

CCM >BAC= Alto Potencial de Crescimento Mandibular


Predição de Crescimento
Remanescente
• Magnitude
• Relação:
– Base Posterior do Crânio(BPC) =3
Altura do Ramo Mandibular(CCM) 4

3/5= Alto Potencial de Crescimento Mandibular

3/3= Baixo Potencial de Crescimento Mandibular


Predição de Crescimento
Remanescente
• Direção
– Crescimento Horizontal:
• Ângulo Sela Diminuído▼
• Ângulo Articular Diminuído▼
• Ângulo Goníaco Superior Aumentado▲
Predição de Crescimento
Remanescente
• Direção
– Crescimento Vertical:
• Ângulo Sela Aumentado ▲
• Ângulo Articular Aumentado▲
• Ângulo Goníaco Inferior Aumentado▲
Predição de Crescimento
Remanescente
• Direção e Magnitude
• Relação:
– Altura Facial Posterior (AFP) = 59 a 63%
Altura Facial Anterior (AFA)
Considerações Finais
• Padrão de Crescimento e rotacional
mandibular deve ser determinando
durante o diagnóstico.
• Devemos estimular crescimento rotacional
anterior
• Devemos evitar mecânicas extrusivas no
crescimento posterior
• A Análise Cefalométrica de Jarabak deve
ser usada quando queremos usar
aparelhos de avanço mandibular!