Você está na página 1de 60

Neuropsicologia Forense

Prof. Dr. Antonio de Pádua Serafim

Coordenador do Programa de Psiquiatria e Psicologia Forense


Instituto de Psiquiatria – HCFMUSP
Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Comportamento -
IPUSP
ASPECTOS GERAIS DO COMPORTAMENTO

• A ação humana deriva de um contexto biológico, ambiental e psíquico.

• A expressão da atitude humana implica em aprovações, reprovações,


reforços, aceitação do outro e da sociedade.

• Este padrão de ações e atitudes caracterizam o comportamento

• Este comportamento caracterizará o grau da relação deste indivíduo com


o meio
Físico e Social
– Compreender os fatores eliciadores, reforçadores e mantenedores
deste comportamento implica em:
Identificar - causa e efeito
Neuropsicologia na Prática Forense

• O aumento da violência urbana


• Afastamento de trabalho por doenças
incapacitantes
• Ações indenizatórias por consequências de
intoxicações (chumbo, mercúrio, monóxido de
carbono),
• Tem exigido cada vez mais a participação do
psicólogo no esclarecer dos fatos
Neuropsicologia na Prática Forense

• A utilização da avaliação neuropsicológica, é


capaz de colaborar para a compreensão da
conduta humana, seja ela delituosa ou não, no
escopo da participação das instâncias
biológica, psíquica, social e cultural como
moduladores da expressão do comportamento.
Justificativa

• É uma área específica da Psicologia que enfoca,


principalmente, o estudo do comportamento humano baseado no
funcionamento do cérebro.

• Sua criação se deu entre duas vertentes: a psicologia científica,


que estuda o comportamento humano, as estruturas
funcionais responsáveis pelas atividades mentais superiores, o
movimento e a ação;

• E a neurologia, que estuda as alterações comportamentais


causadas por lesões cerebrais.
SISTEMAS DE LURIA

• I Unidade
• Regular tônus cortical ou vigília
(estado de consciência).

• II Unidade
• Obter, processar e armazenar
informações.

• III Unidade
• Programar, regular e verificar a
atividade cerebral.
O funcionamento cerebral é um sistema integrado
Justificativa

• A Neuropsicologia é uma ciência que propõe novos métodos


para investigar o papel de sistemas cerebrais individuais,
em formas complexas de atividade mental.

• Assim, consegue-se um diagnóstico mais exato e precoce


das lesões cerebrais locais...,

• Bem como, utiliza-se de técnicas para elaborar


intervenções em casos de lesões cerebrais com
comprometimento do comportamento e da cognição
(Reabilitação neuropsicológica).
Psicologia e Lei
 “através da compreensão psicológica do caso,
responder a uma questão Legal expressa pelo juiz ou
por outro agente (jurídico ou participante do caso),
fundamentada nos quesitos elaborados pelo agente
solicitante, cabendo ao Psicólogo investigar uma ampla faixa
do funcionamento mental do indivíduo submetido investigação
psicológica que engloba:
 Cognição (inteligência)
 Os estados afetivos
 Personalidade
ÁREAS DE ATUAÇÃO

Vara Vara
Criminal Cível

Vara Vara de
Trabalhista Execução Penal

Varas:
Família
Psicologia Investigativa
Perfil Criminal
Infância
Dpto de Polícia Juventude
Ciências Forenses
 Intersecção entre diversas ciências e o Direito
 Ciência afeta o Direito
 Direito afeta a Ciência

 Áreas do conhecimento subsidiando:


 Execução das leis
 Elaboração das leis

 Multiplicação do conhecimento – necessidade


de peritos
Ciências Forenses

Medicina Legal e
Psiquiatria Direito
Forense

Psicologia
Saúde mental e justiça

Medicina Direito

Psicologia
Saúde mental e justiça
 Direito pressupõe:
 Livre arbítrio
 Racionalidade

 Determinação da racionalidade:
 Ausência de loucura
 Capacidade de entendimento
 Capacidade de autodeterminação

 Campo da Psiquiatria e Psicologia


Saúde mental e justiça

 Área de intersecção
 Psiquiatria/Psicologia auxiliando Direito
 Direito auxiliando Psicologia/Psiquiatria

 Leis – padronizar os comportamentos


 Atuam sobre a razão
 Baseada em modelos teóricos
Saúde mental e justiça

Comportamento

Leis
Saúde mental e justiça

Comportamento

Leis Cérebro
(psiquismo)
Modificação de comportamento......

.....é o que queremos entender.


Lembrando que comportamento

É Resposta....
 ...algo ou alguma situação o
provocou
Entendendo o Comportamento

Situação  Organismo Pensamento = Resposta


 Organismo – estrutura biopsicossocial
 Pensamento – processo cognitivo/emocional
 Resposta  comportamento
 Comportamento Nível cognitivo
Nível emocional
Respostas autonômicas
Respostas motoras
comportamento
Indicações para a Investigação Neuropsicológica

 As principais manifestações comportamentais que


sugerem a necessidade de uma avaliação
neuropsicológica podem ser organizadas em três
grupos distintos.
I – Pessoas com lesão cerebral conhecida

 Doenças cerebrovasculares
 Traumatismos Crânio-encefálicos
 Hidrocefalia
 Doença de Alzheimer
 Doença de Parkinson
 Esclerose Múltipla
II – Pessoas com fator de risco para lesão ou disfunção
cerebral

 Os quais mudanças de comportamento pode ser o


resultado dessa doença.
 Endocrinopatias
 Alterações metabólicas
 Doenças renais
 Entre outras
III – Suspeita-se de doença ou traumatismo
cerebral

 Baseando-se na observação de uma mudança de


comportamento da pessoa sem uma etiologia
identificável
 A pessoa não tem fatores de riscos conhecidos de
lesão cerebral
 O diagnóstico é considerado a partir da exclusão de
outros diagnósticos.
 São pessoas em geral, sem histórico neurológico ou
psiquiátrico.
Sinalizadores neuropsicológicos

 Aspectos Cognitivos:

 comprometimento, em grau variado, de funções


corticais superiores: atenção, motora, praxias,
compreensão, fala e linguagem, memória,
orientação temporal e espacial, cálculo e
julgamento.
Não cognitivos

 Afeto e Humor

 Este pode ser alterado por doenças clínicas,


medicamentos e doenças neurológicas.

 Outras condições como AVC de cerebral média


direita têm alto risco de desenvolver depressão
e mania, outras, como doenças da tireoide.
Alteração da personalidade
 qualquer agressão traumática ou doença do sistema nervoso
central (SNC), altera a personalidade. Em seus aspectos
caracterológicos. As lesões na região orbital do lobo frontal
podem causar:

 desinibição em graus variados - de irritabilidade leve à


agressão manifesta; comportam-se de modo
inapropriado; mau controle de impulsos
 falta de motivação (que os faz confundir com deprimidos =
pseudodepressão).

 Ou em seus aspectos dinâmicos o comportamento atual


apenas tipifica (ou amplifica) o padrão que teve durante toda
a vida.
Alterações psíquicas

 Ansiedade
 Alteraçãodo pensamento
 Alucinação
 Impulsividade
 Humor
 Psicoses: esquizofrenias, psicoses orgânicas e senis.

 Retardos mentais (oligofrênia).

 Transtornos de Personalidade (Borderline, Explosivas,


Dependentes,Psicopatias, transtorno de Personalidade
antissocial).

 Dependentes químicos e suas complicações.

 Epilepsias e suas complicações.

 Transtornos dos Impulsos (compulsões, piromania, jogo).

 Parafilias ou Desvios sexuais.


Transtornos do COMPORTAMENTO SEXUAL

• Violação Sexual – Estupro • Frotteurismo


• Coação Sexual • Pedofilia
• Assédio Sexual • Masoquismo
• Abuso Sexual • Sadismo
• Exploração Sexual • Fetichismo
• Exibicionismo • Fetichismo Travéstico
• Voyeurismo
Psicopatologia e implicações forenses
Neuropsicologia da Depressão
 Alteração no desempenho cognitivo, principalmente
em provas de atenção e memória.
 Velocidade lenta de processamento cognitivo.
 Alteração da estruturação de estratégias de
planejamento.
 Dificuldade para tomar decisões
 Falha nos processos inibitórios
Neuropsicologia do TAB

 É marcada a alteração de atenção sustentada


 Controle inibitório
Neuropsicologia da Esquizofrenia

 Desatenção
 Provas de memória alteradas
 Alterações cognitivas quando comparadas ao desempenho
anterior (pode ser verificado através da história)
 Falta de flexibilidade mental
 Impulsividade
 Alteração de julgamento e senso-percepção
Neuropsicologia da Dependência Química

 Atenção, memória, flexibilidade mental:


 Variação de resultados – do comprometimento (em geral
relacionado à impulsividade) ao bom resultado

 Usuários de cocaína:
 Comprometimento de memória em provas que exigem
mais tempo e maior elaboração

 Usuários de Crack
 Alteração em todas as funções.
 Ansiedade como traço peculiar da personalidade
Espectro Forense

 Baterias devem englobar investigação:


Cognitiva
Afetiva
Personalidade
Qual a problemática comportamental?

Problemas de orientação • Distúrbios do pensamento,


- psicoses
- Distúrbios de atenção e
concentração - Distúrbios do sono e do
- Distúrbios de percepção apetite
- Falta de incitativa
viso-espacial
- Letargia
- Distúrbios de memória
- Impulsividade
- Distúrbios de linguagem
- Agressividade
- Lentidão no processamento
- Depressão, ansiedade e
de informações manias
- Dificuldades de raciocínio - Comportamento social
lógico, de planejamento e de inadequado
julgamento - Isolamento e afastamento
- social
 Em todas essas áreas de atuação, há a
necessidade do atuar psicológico em
um contexto de perícia.
O que caracteriza então a perícia?

 “através da compreensão psicológica e


neuropsicológica do caso, responder a uma
questão Legal expressa pelo juiz ou por outro
agente (jurídico ou participante do caso),
fundamentada nos quesitos elaborados pelo agente
solicitante, cabendo ao Psicólogo Perito investigar
uma ampla faixa do funcionamento mental do
indivíduo submetido à perícia (o periciando)”.
Perícia

 Perícia: do latin “peritia”


 Significado
 Destreza

 Habilidade

 capacidade
De uma maneira geral,

 A palavra “perícia” vem do latim perior que quer


dizer experimentar, saber por experiência.

 Consiste num aporte especializado que pressupõe


um conhecimento técnico/científico específico que
contribua no sentido de esclarecer algum ponto
considerado imprescindível para o procedimento
processual.
Pericia Psicologica e Neuropsicologica

• É a aplicação dos métodos e técnicas da


investigação psicológica e neuropsicológica
com a finalidade de subsidiar ação judicial,
seja esta de que natureza for, toda vez que
dúvidas relativas à “saúde” psicológica
do periciando, se instalarem.
A Prática Pericial

 caracterizar a insanidade
 capacidades mentais, capacidade para
exercer determinadas funções
 avaliar capacidade de autodeterminação,
 incapacidade ou alterações psicopatológicas.
 Autópsia Psicológica ou Avaliação Retrospectiva
 Avaliação da condição funcional
Classificação das perícias
 Judicial – é determinada pela justiça de ofício ou a pedido das partes
envolvidas;

 Extrajudicial – é feita a pedido das partes, particularmente.

 Necessária (ou obrigatória) – imposta por lei ou natureza do fato, quando


a materialidade do fato se prova pela perícia. Se não for feita, o processo é
passível de nulidade.

 Oficial – determinada pelo juiz;

 Contemporânea ao processo – feita no decorrer do processo;

 Cautelar – realizada na fase preparatória da ação, quando realizada antes


do processo (ad perpetuam rei memorian)
O que é Perícia em saúde mental? Quem pode requisitá-
la e em qual fase do Processo isto pode ser feito?

 A perícia médica e / ou psicológica ocorre quando a matéria


da perícia é sobre questão médica / psicológica, tendo a
necessidade de um perito médico / psicólogo ou ambos.

 São requisitadas pelas autoridades competentes (juiz), salvo


se a mesma se faz necessária na fase de inquérito, quando
será solicitada pela autoridade policial.

 Pode ser requisitada em qualquer fase do processo,


independente da Vara da Judicial.
Psicologia no Brasil - Lei 4.119 de 27-08-62

– Dispõe sobre os cursos de formação em Psicologia e regulamenta


a profissão de Psicólogo
• 1º- Constitui função privativa do Psicólogo a utilização de
métodos e técnicas psicológicas
– com os seguintes objetivos:
– diagnóstico psicológico;
– orientação e seleção profissional;
– orientação psicopedagógica;
– solução de problemas de ajustamento.

• 2º- É da competência do Psicólogo a colaboração em assuntos


psicológicos ligados a outras ciências.
DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964

– Regulamenta a Lei nº 4.119, de agosto de 1962, que


dispõe sobre a Profissão de Psicólogo.

– Art. 4º- São funções do psicólogo:


• 1) Utilizar métodos e técnicas psicológicas com o
objetivo de:

• Realizar perícias e emitir pareceres sobre a


matéria de Psicologia.
Quem é o Perito?
 Perito se configura como um auxiliar da Justiça, pessoa
hábil que tenha conhecimento em determinada área
técnica ou científica que, sendo nomeada por autoridade
competente, deverá esclarecer um fato de natureza
duradoura ou permanente.

 O perito em saúde mental é a pessoa formada nas áreas de


medicina com especialização em psiquiatria e psicologia,
que está a serviço da Justiça e isento do sigilo profissional.
Como atuar

 Ser notificado
 Ciência do caso
 Consulta à equipe
 Ter competência para tal
 Formação da equipe
 Notificação do aceite ao agente solicitante
Aplicação da Avaliação
Neuropsicológica de acordo com a
Vara Judicial
Vara Cível
• Objetivo: Ações de interdição, anulações de atos jurídicos, avaliação
da capacidade de testar (fazer testamento), anulações de casamentos
e separações judiciais litigiosas, modificação de guarda de filhos,
regulamentação de visita, adoção, avaliação de transtornos mentais
em ações de indenização.

• O que se avalia: interdição, danos psíquicos, neurofuncionais,


psicológicos e simulação.

• Funções avaliadas: atenção, praxia, linguagem, memória, funções


executivas, flexibilidade mental, compreensão de regras, normas e
valores sociais, planejamento, coeficiente intelectual e
personalidade.
Vara Criminal

• Objetivos: Incidente de farmacodependência, dúvidas da veracidade


das informações colhidas, incidente de insanidade mental e
solicitação de progressão de pena e exame suspensão de medida de
segurança.

• O que se avalia: verificação da capacidade de imputação,


verificação da eficácia do processo reeducativo (reinserção social;
probabilidade de reincidência), cessação de periculosidade.

• Funções avaliadas: funções executivas, flexibilidade mental,


compreensão de regras, normas e valores sociais, planejamento.
Avaliação de personalidade.
Vara trabalhista

• O que se avalia: Verificação da capacidade laborativa (médico-


legal), relação nexo-causal (relação entre o fato e o dano físico ou
psíquico), verificação das condições mentais, de acordo com a
legislação vigente para fins de aposentadoria por doença mental,
bem como para o desempenho de cargos.

• Funções avaliadas: atenção, concentração, funções motoras


praxia, linguagem, memória, processos de aprendizagem, funções
executivas, planejamento, coeficiente intelectual e personalidade.
Alcances e Limites

• O procedimento da perícia deve ser fundamentado nos quesitos


elaborados pelo agente jurídico (juiz, promotor, procurador,
delegado, advogado).

• Cabe ao perito investigar uma ampla faixa o funcionamento


mental do indivíduo envolvido em ação judicial de qualquer
natureza (civil, trabalhista, criminal, etc), através do exame de
sua personalidade e das funções cognitivas.
Alcances e Limites

• No contexto forense a avaliação neuropsicológica se apresenta


como imprescindível recurso para a perícia.

• Se constitui de um processo complexo, visto que, impõe ao


profissional além de amplo conhecimento e domínio em psicologia
clínica e em psicometria.

• Também necessita de uma formação estrita quanto ao sistema


nervoso (central e autônomo), suas patologias e consequências.

• E noções gerais de Direito


Alcances e limites

• A avaliação neuropsicológica forense se fundamenta por alguns


aspectos distintos da área clínica:

– o solicitante é uma terceira parte,

– a comunicação dos resultados se dá entre o perito e o


solicitante,

– a avaliação deve ser restrita aos quesitos elaborados capaz


de responder a questão legal.
Alcances e Limites

• Qualificação e competência do perito


• Conhecimento das normas jurídicas
• Adequada seleção e utilização de instrumentos psicológicos e
neuropsicológicos.
• Psicólogos Clínicos são frequentemente chamados a depor em
tribunais referentes a questões relativas à saúde mental, em casos
civis ou criminais.
• Quando isto acontece o risco de contestações pelo uso
inadequado de técnicas e testes psicológicos são frequentes.
Obrigado!
Obrigado!

a.serafim@hc.fm.usp.br