Você está na página 1de 7

Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

Faculdade de Direito
Disciplina: História do Direito (2018.1)
Professor: Ricardo Sontag

Programa da matéria:

1. Balizas metodológicas: contra o cronocentrismo.

2. Direito na Idade Média.

2.1 Alta Idade Média: oficina da práxis.

2.2 Baixa Idade Média: laboratório sapiencial.

3. Direito na Idade Moderna: lei estatal e outras fontes do direito.

4. Direito na Idade Contemporânea: legalismo, codificação e declarações de


direitos.

Bibliografia (as leituras obrigatórias e complementares para cada parte da


matéria estão indicadas no cronograma):

ANZOATEGUI, Victor Tau. Casuismo y sistema. Indagación histórica sobre el


espíritu del Derecho Indiano. Buenos Aires: Instituto de Investigaciones de
Historia del Derecho, 1992.

ANZOATEGUI, Victor Tau. El Jurista en el Nuevo Mundo. Frankfurt: Max


Planck Institute for European Legal History, 2016. Disponível em:
http://www.rg.mpg.de/gplh_volume_7_pdf Acesso em: 20/09/2016.

BARBOSA, Samuel Rodrigues. Complexidade e meios textuais de difusão e


seleção do direito civil brasileiro pré-codificação. In: FONSECA, Ricardo
Marcelo; SEELAENDER, Airton Cerqueira Leite. História do direito em
perspectiva: do antigo regime à modernidade. p. 361-374.

BELLOMO, Manlio. The common legal past of Europe (1110-1800).


Translated by Lydia G. Cochrane. The Catholic University Press of America,
1995.

BIROCCHI, Italo. Alla ricerca dell'ordine. Fonti e cultura giuridica nell'età


moderna. Torino: Giappichelli, 2002.

CAPPELLINI, Paolo; SORDI, Bernardo (a cura di). Codici: una riflessione di


fine millennio. Milano: Giuffrè, 2002. Disponível em:
http://www.centropgm.unifi.it/biblioteca/061/index.htm Acesso em:
11/08/2015.
CAPPELLINI, Paolo. Dal diritto romano al diritto privato moderno. In:
SCHIAVONE, Aldo (a cura di). Diritto privato romano: profilo storico.
Torino: Einaudi, 2003.

CAPPELLINI, Paolo. Direito comum. Tradução de Ricardo Sontag. Espaço


Jurídico, vol. 9, n. 1, 2008. p. 79 - 82 Disponível em:
http://editora.unoesc.edu.br/index.php/espacojuridico/article/view/1907/975
Acesso em: 27/05/2015.

CAPPELLINI, Paolo. Storie di concetti giuridici. Torino: Giappichelli, 2010.

CARBASSE, Jean-Marie. Introduction historique au droit. Paris: PUF, 1998.

CARONI, Pio. Lecciones de historia de la codificacion. Madrid:


Universidad Carlos III de Madrid, 2013. p. 27-89 Disponível em: http://e-
archivo.uc3m.es/bitstream/handle/10016/17310/lecciones_caroni_2013.pdf?
sequence=5 Acesso em: 28/05/2015.

CAVANNA, Adriano. Storia del diritto moderno in Europa. Vol. 1. Milano:


Giuffrè, 1982.

CAVANNA, Adriano. Storia del diritto moderno in Europa. Vol. 2. Milano:


Giuffrè, 2005.

CLAVERO, Bartolomé. Institución histórica del derecho. Madrid: Marcial


Pons, 1992.

COSTA, Pietro. I “padroni della legge”. Legge, interpretazione, libertà


nell'illuminismo giuridico. Rivista di diritto costituzionale, 2001. p. 14-39

COSTA, Pietro. L'antico regime: tradizione e rinnovamento. Enciclopedia del


Diritto. Il contributo italiano alla storia del pensiero (Diritto). 2012.
Disponível em: http://www.treccani.it/enciclopedia/l-antico-regime-tradizione-
e-rinnovamento_(Il-Contributo-italiano-alla-storia-del-Pensiero:-Diritto)/ Acesso
em: 28/05/2015.

COSTA, Pietro. O princípio de legalidade: um campo de tensão na


modernidade penal. In: DAL RI JÚNIOR, Arno; SONTAG, Ricardo (org.).
História do direito penal entre medievo e modernidade. Belo Horizonte:
Del Rey, 2011.

COSTA, Pietro. Soberania, representação e democracia. Ensaios de


história do direito. Curitiba: Juruá, 2010.

COSTA, Pietro; ZOLO, Danilo (orgs.). O Estado de Direito. História, teoria,


crítica. Tradução de Carlo Alberto Dastoli. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

COSTA, Pietro. Dai diritti naturali ai diritti umani: episodi di retorica


universalistica. In: MECCARELLI, Massimo; PALCHETTI, Paolo; SOTIS, Carlo
(a cura di). Il lato oscuro dei diritti umani: esigenze emancipatorie e
logiche di dominio nella tutela giuridica dell'individuo. Madrid: Universidad
Carlos II de Madrid, 2014.

DILCHER, Gerhard; BADER, Karl Siegfried (hrgs.). Deutsche


Rechtsgeschichte. Berlin: Springer, 1999.

FIORAVANTI, Maurizio (a cura di). Lo Stato moderno in Europa: istituzioni


e diritto. Roma-Bari: Laterza, 2002. Tradução espanhola: FIORAVANTI,
Maurizio (ed.). El Estado moderno en Europa. Madrid: Trotta, 2004.

FONSECA, Ricardo Marcelo. A cultura jurídica brasileira e a questão da


codificação civil no século XIX. Revista da Faculdade de Direito UFPR, vol.
44, 2006. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/direito/article/view/9415/6507
Acesso em: 27/07/2016. p. 61-76

GILISSEN, John. Introdução histórica ao direito. Tradução de A. M.


Hespanha. 7. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013.

GORDLEY, James. The jurists: a critical history. Oxford: Oxford University


Press, 2013.

GROSSI, Paolo (a cura di). Storia sociale e dimensione giuridica. Milano:


Giuffrè, 1986.

GROSSI, Paolo. A ordem jurídica medieval. São Paulo: Martins Fontes,


2014.

GROSSI, Paolo. Absolutismo jurídico (ou: da riqueza e da liberdade do


historiador do direito). Revista Direito GV, vol. 1, n. 2, jun-dez 2005.
Disponível em:
http://direitosp.fgv.br/sites/direitosp.fgv.br/files/rdgv_02_p191_200.pdf Acesso
em: 07/07/2015.

GROSSI, Paolo. Da sociedade de sociedades à insularidade do Estado. In: DAL


RI JÚNIOR, Arno; SONTAG, Ricardo (org.). História do direito penal entre
medievo e modernidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2011.

GROSSI, Paolo. História da propriedade e outros ensaios. Rio de Janeiro:


Renovar, 2006.

GROSSI, Paolo. L'Europa del diritto. Roma-Bari: Laterza, 2007. Traduções:


GROSSI, Paolo. Europa y el derecho. Traducción de L. Giuliani. Barcelona:
Critica, 2007.; GROSSI, Paolo. A history of european law. Translated by
Laurence Hooper. Oxford: Blackwell, 2010.; GROSSI, Paolo. L'Europe du
droit. Traduit par Sylvie Taussig. Paris: Seuil, 2011.

GROSSI, Paolo. Mitologias jurídicas da modernidade. Tradução de Arno


Dal Ri Júnior. 2. ed. Florianópolis: Boiteux, 2007.

GROSSI, Paolo. O ponto e a linha. História do direito e direito positivo na


formação do jurista. Sequência, vol. 26, n. 51, 2005. Disponível em:
https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/15170/13796
Acesso em: 14/07/2015.

GROSSI, Paolo. O sistema jurídico medieval e a civilização medieval. In:


______. O direito entre poder e ordenamento. Tradução de Arno Dal Ri
Júnior. Belo Horizonte: Del Rey, 2010.

HATTENHAUER, Hans. Europäische Rechtsgeschichte. 4. ed. Heidelberg:


C. F. Müller, 2004.

HERZOG, Tamar. A Short History of European Law. The Last Two and a
Half Millennia. Harvard: Harvard University Press, 2018.

HESPANHA, António Manuel. Como os juristas viam o mundo. 1550-1750:


direitos, estados, coisas, contratos, ações e crimes. Middletown: CreateSpace
Independent Publishing Platform, 2015.

HESPANHA, António Manuel. Cultura jurídica europeia: síntese de um


milênio. Coimbra: Almedina, 2012.

HESPANHA, António Manuel. Direito comum e direito colonial: porque é que


existe e em que é que consiste um direito colonial brasileiro. Quaderni
Fiorentini per la Storia del Pensiero Giuridico Moderno, n. 35, T. I, 2006.
p. 59-68 Disponível em:
http://www.centropgm.unifi.it/cache/quaderni/35/0060.pdf Acesso em:
28/05/2015.

HESPANHA, António Manuel. Justiça e litigiosidade: história e prospectiva.


Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993.

HESPANHA, António Manuel. Modalidades e limites do imperialismo jurídico


na colonização portuguesa. Quaderni fiorentini per la storia del pensiero
giuridico moderno, n. XLI, 2012, p. 101-135.

HESPANHA, António Manuel. O Direito dos letrados no império


português. Florianópolis: Boiteux, 2006.

HESPANHA, António Manuel. Os juristas como couteiros. A ordem na Europa


ocidental dos inícios da idade moderna. Análise Social, vol. 36, n. 161, 2001.
p. 1183-1208.

HORTA, José Luiz Borges. História do Estado de Direito. São Paulo:


Alameda, 2011.

LOPES, José Reinaldo de Lima; QUEIROZ, Rafael Mafei Rabelo; ACCA, Thiago
dos Santos. Curso de história do direito. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo:
Método, 2009.

LOPES, José Reinaldo de Lima. O direito na história: lições introdutórias. 4.


ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTYN, G.; MUSSON, A.; PIHLAJAMAKI, H. (eds.). From the Judge's


Arbitrium to the Legality Principle. Berlin: Duncker & Humblot, 2013.

MEDER, Stephan. Rechtsgeschichte, Eine Einführung. 4. ed. Köln: Böhlau,


2011.

NEVES, Marcelo. Ideas in Another Place? Liberal Constitution and the


Codification of Private Law at the Turn of the 19th Century in Brazil. In:
POLOTTO, María Rosario; KEISER, Thorsten; DUVE, Thomas (eds.). Derecho
Privado y modernización. América Latina y Europa en la primera mitad del
siglo XX. Frankfurt: Max Planck Institute for European Legal History, 2015. p.
47-81. Disponível em: https://www.rg.mpg.de/gplh_volume_2 Acesso em:
03/08/2016.

OESTMANN, Peter; JANSEN, Nils (hrgs.). Gewohnheit, Gebot, Gesetz:


Normativität in Geschichte und Gegenwart: eine Einführung. Tübingen: Mohr
Siebeck, 2011.

PADOA-SCHIOPPA, Antonio. História do direito na Europa. Tradução de


Marcos Marcionilo e Silvana Cobucci. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

ROBERTO, Giordano Bruno Soares. Introdução à História do Direito


Privado e da Codificação. 3. ed. Belo Horizonte: Initia Via, 2011.

SALGADO, Karine. O Direito Tardo Medieval: Entre o Ius Commune e o Ius


Proprium. Revista da Faculdade de Direito da Universidade Federal de
Minas Gerais, v. 56, p. 243-261, 2011.

SEELAENDER, Airton L. C. L. . A Polícia e o Rei-Legislador: notas sobre


algumas tendências da legislação portuguesa no Antigo Regime. In: BITTAR,
Eduardo C. B. (org.). História do Direito Brasileiro. Leituras da Ordem
Jurídica Nacional. São Paulo: Atlas, 2008. p. 91-108

SLEMIAN, Andrea. Seriam todos cidadãos? Os impasses na construção da


cidadania nos primórdios do constitucionalismo no Brasil (1823-1824). In:
JANCSÓ, István (org.). Independência: história e historiografia. São Paulo:
HUCITEC, 2005. p. 829-847

SIMON, Thomas. Da validade “usual” para a validade formal: a mudança dos


pressupostos de validade da lei até o século XIX. In: FONSECA, Ricardo
Marcelo; SEELAENDER, Airton Cerqueira Leite (org.). História do direito
em perspectiva: do antigo regime à modernidade. Curitiba: Juruá, 2008.

SOLIMANO, Stefano. O direito codificado entre projeto e aplicação. Histórias


de iluministas, de códigos e de magistrados (1786 – 1791). In: DAL RI
JÚNIOR, Arno (org.). Ordenamentos jurídicos e a dimensão da justiça na
experiência jurídica moderna e contemporânea: diálogos entre história,
direito e criminologia. Anais Encontros de História do Direito da UFSC.
Florianópolis: Boiteux, 2010.

STEIN, Peter. Roman Law in European History. Cambridge: Cambridge


University Press, 1999.
STOLLEIS, Michael (hrgs.). Juristen: ein biographisches Lexikon, von der
Antike bis zum 20-jahrhundert. München: C. H. Beck, 1995.

TARELLO, Giovanni. Ideologias setecentistas da codificação e estrutura dos


códigos. Meritum, vol. 3, n. 2, jul-dez 2008. Disponível em:
http://www.fumec.br/revistas/meritum/article/view/857/641 Acesso em:
07/07/2015.

TOMÁS Y VALIENTE, Francisco. Manual de historia del derecho español.


4. ed. Madrid: Tecnos, 1983.

VARELA, Laura Beck. Das sesmarias à propriedade moderna: um estudo


de história do direito brasileiro. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

WEHLING, Arno. Consciência crítica [entrevista]. Revista de História da


Biblioteca Nacional, n. 80, maio de 2012. p. 50-55.

WEHLING, Arno; WEHLING, Maria José. Direito e Justiça no Brasil


Colonial. O Tribunal da Relação do Rio de Janeiro (1751 – 1808). Rio de
Janeiro: Renovar, 2004.

WOLKMER, Antonio Carlos (org.). Fundamentos de história do direito. 7.


ed., rev. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2012.

WOLKMER, Antonio Carlos. História do direito no Brasil. 5. ed., rev. com


alterações. Rio de Janeiro: Forense, 2009.

WIEACKER, Franz. História do direito privado moderno. 3. ed. Tradução


de A. M. Hespanha. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

Vídeos:

Instituições de Antigo Regime (Portugal): 01 Os juristas na sociedade moderna


(A. M. Hespanha). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?
v=A21qfnUCcp0 Acesso em: 07/07/2015. Aprox. 15 min.

Instituições de Antigo Regime (Portugal): 04 O direito comum continental (A.


M. Hespanha). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?
v=Onr0dsePZHM Acesso em: 07/07/2015. Aprox. 15 min.

Instituições de Antigo Regime (Portugal): 05 O jusracionalismo (A. M.


Hespanha). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Jid1jkNv7T0
Acesso em: 07/07/2015. Aprox. 15 min.

Instituições de Antigo Regime (Portugal): 06 Absolutismo e limites


constitucionais (A. M. Hespanha). Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=OGQvTydvJrQ Acesso em: 07/07/2015.
Aprox. 15 min.

Instituições de Antigo Regime (Portugal): 07 Justiça e graça (A. M. Hespanha).


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=OGQvTydvJrQ Acesso em:
07/07/2015. Aprox. 15 min.

Avaliações:

Avaliação n. 1 – Resenha do texto “A soberania na cultura político-jurídica


medieval: imagens e teorias”, publicado em “Soberania, representação e
democracia: ensaios de história do pensamento jurídico” (Curitiba, Juruá,
2010) - 40 pontos – entrega em 04/05/2018.

Avaliação n. 2 – Prova escrita sobre toda a matéria da disciplina – 40 pontos –


22/6/2018.

Avaliação n. 3 - Participação (intervenções orais em sala de aula + assiduidade


+ leitura dos textos indicados + atividades) – 20 pontos – ao longo de todo o
semestre e presença obrigatória para finalização em 29/6/2018.

Exame especial – Prova escrita sobre toda a matéria da disciplina –


09/07/2018.

Obs.: o cronograma poderá sofrer variações de acordo com o andamento da


disciplina.

Dropbox da disciplina (com textos e outros materiais):

https://www.dropbox.com/sh/x4cynhddol1qhhm/AADFxnrsLtkhflWOBJO_RPdg
a?dl=0

E-mails para contato:

Professor: Ricardo Sontag - ricardosontag@yahoo.com.br

Estagiários de docência: Régis João Nodari – nodari.regis@gmail.com ; Arthur


Barretto de Almeida Costa - arthurbarretto@oi.com.br

Monitores: Eugênio Corassa; Álvaro Monteiro Mariz Fonseca; Maria Laura


Tolentino M. G. Couto – monitoresdehd@gmail.com