Você está na página 1de 7

Projeto de Catecismo Mais Curto de Westminster

Um Comentário

sobre o

Catecismo Menor,

de

Alexander Whyte

Q. 2. O que é Deus?

A. Deus é um Espírito, infinito, eterno e imutável, em seu ser, sabedoria, poder, santidade,
justiça, bondade e verdade.

Os compiladores do Catecismo tomaram as palavras de nosso Senhor para a mulher de Samaria


como a base de sua resposta à mais elevada de todas as questões, e preencheram a definição
com uma enumeração dos atributos divinos cuidadosamente coletados das Sagradas Escrituras.
construindo uma declaração sobre este grande assunto do qual o Dr. Hodge diz que é
"provavelmente a melhor definição jamais escrita pelo homem". A tradição que conectou esta
resposta a uma oração de George Gillespie na Assembléia de Westminster, está agora
desacreditada por nossas melhores autoridades.

Deus - "A velha palavra saxão Deus é idêntica ao bem . Deus é o Bem, bondade personificada.
Não há nessa derivação um mero jogo de palavras - existe uma verdade profunda" (Frederick
Robertson). Mas Webster diz: "Como esta palavra e o bem são escritos exatamente iguais em
anglo-saxões, infere-se que Deus foi nomeado por Sua bondade. Mas esta é provavelmente uma
idéia muito distante das concepções rudes dos homens em eras iniciais. a exceção da palavra
Jeová [ver Q. 44], o nome do Ser Supremo parece usualmente referir-se a Sua supremacia ou
poder, e ser equivalente a senhor ou governante.No presente caso há alguma evidência de que
isto é o sentido desta palavra, pois em persa Goddsignifica senhor, mestre, príncipe ou
governante ". E Skeat, nossa mais recente e melhor autoridade em questões etimológicas, diz:"
Deus, o Ser Supremo. . . . O nome é de origem desconhecida; bastante distinto e separado do
bem , com o qual tem sido conjecturalmente conectado. "(Cf. também Palestras de Max Muller ,
sv )

Deus é um Espírito , ou melhor, tanto na gramática quanto na teologia, "Deus é Espírito". "Deus
é puro Espírito , talvez melhor não ' um Espírito', já que é Sua essência, não Sua personalidade,
da qual se fala aqui" (Alford). Compare as duas outras definições encontradas em I João - "Deus
é luz" e "Deus é amor" - com as quais essa definição atual deve, nas palavras de Westcott,
"comparar e combinar".

Essa palavra Espírito - "a mais profunda palavra da linguagem humana" (Stier) -, conforme
empregado nas Escrituras e na teologia, assim como grande parte de seu vocabulário, tem um
sentido figurativo ou metafórico. O crescimento da palavra é algo assim. Primeiro significa ar, o
ar que é a atmosfera da terra e a respiração de todas as suas criaturas vivas. A partir disso, é um
passo curto e fácil tornar-se expressivo da vida do homem e da vida de sua alma, como no grito:
"Em tuas mãos entrego meu espírito". E a partir desse mais elevado uso terrestre, a palavra foi
retomada e consagrada para descrever para nós a maneira da própria vida de Deus. "Deus é
Espírito". E essa expressão única de uma vez faz esse grande serviço para nós, que remove a
natureza de Deus longe de qualquer associação com organização material e corporal. Para, como
nosso Senhor disse: "Um espírito não tem carne e ossos, como vós me vedes tem." Deus, então,
é Espírito, tal e tal como as Escrituras e o Catecismo nos ensinam a respeito Dele. "Resolvido
sobre a questão, Deus algum corpo, ou é Ele para ser visto com olhos corporais? Deus é um
Espírito, invisível, sem corpo ou partes do corpo, não como um homem ou qualquer outra
criatura ORDENADA - Q. você diz que Deus não pode ser visto, como você sabe que existe um
Deus? - A. Eu tenho certeza que existe um Deus, porque as coisas que estão na palavra não
poderiam ter seu ser nem sua preservação, nem ser ordenadas como elas são. são sem Deus
"( ou ele deve ser visto com olhos corporais? Deus é um Espírito invisível, sem corpo ou partes
corporais, não como um homem ou qualquer outra criatura ORDENADA - Q. Já que você diz que
Deus não pode ser visto, como você sabe que existe um Deus? Eu tenho certeza que existe um
Deus, porque as coisas que estão na palavra não poderiam ter seu ser nem sua preservação,
nem serem ordenadas como são, sem Deus "( ou ele deve ser visto com olhos corporais? Deus é
um Espírito invisível, sem corpo ou partes do corpo, não como um homem ou qualquer outra
criatura ORDENADA - Q. Já que você diz que Deus não pode ser visto, como você sabe que existe
um Deus? Eu tenho certeza que existe um Deus, porque as coisas que estão na palavra não
poderiam ter seu ser nem sua preservação, nem serem ordenadas como são, sem Deus "(Ata da
Assembléia de Westminster , 754, 22 de setembro de 1646, terça-feira de manhã).

infinito- Sem limite ou limite. Não podemos cruzar uma linha e dizer: "Agora aqui Deus não está;
aqui está um limite que Ele não passou e não pode passar". "Trismegisto disse que Deus era um
círculo, cujo centro está em toda parte, mas a circunferência dele não é onde." Essa palavra é
usada aqui, como sempre nas Escrituras, de um modo teológico e religioso, e não filosófico e
especulativo. Este atributo de Deus é apresentado na Escritura e no Catecismo menos para a
satisfação do intelecto do que para o exercício das afeições, imaginações e consciências dos
homens. E assim as Escrituras trazem a terrível doutrina da infinitude divina sobre nós de
maneira mais afetiva e prática. "Eu sou um Deus à mão, diz o Senhor, e não um Deus distante?
Pode alguém se esconder em lugares secretos que eu não o verei? Diz o Senhor. Eu não encho o
céu e a terra? Saitb o Senhor. "E este atributo, com razão e religiosamente refletido, sempre
despertará adoração e temor divino da seguinte maneira:" Senhor, tu me perscrutou e me
conheceu. . . . Tu me assaltaste por trás e antes, e pôs a tua mão sobre mim. Para onde devo ir
do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se eu subir ao céu, Tu estás aí; se eu fizer
minha cama no inferno, eis que tu estás aí. Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é
alto, não posso alcançá-lo. "Dessa forma, aqueles para quem o Catecismo é projetado podem ser
proveitosa e impressionantemente ensinados aquilo que as maiores mentes não podem
compreender." sábio e prudente, e revelaste-as aos bebês. " E este atributo, corretamente e
religiosamente refletido, sempre despertará a adoração e o temor piedoso desta maneira: "Ó
Senhor, tu me perscrutou e me conheceu. ... Tu me assaltou por trás e antes, e pôs a Tua mão
sobre mim. Para onde devo ir de Teu Espírito, ou para onde fugirei da Tua presença? Se eu
ascendo ao céu, Tu estás lá, se eu fizer a minha cama no inferno, eis aí está Tu. Tal conhecimento
é maravilhoso demais para mim: é alto, não posso alcançá-lo ". Dessa maneira, aqueles para
quem o Catecismo é projetado podem ser proveitosa e impressionantemente ensinados o que
as maiores mentes não podem compreender. "Escondeste estas coisas dos sábios e prudentes, e
as revelaste aos meninos." E este atributo, corretamente e religiosamente refletido, sempre
despertará a adoração e o temor piedoso desta maneira: "Ó Senhor, tu me perscrutou e me
conheceu. ... Tu me assaltou por trás e antes, e pôs a Tua mão sobre mim. Para onde devo ir de
Teu Espírito, ou para onde fugirei da Tua presença? Se eu ascendo ao céu, Tu estás lá, se eu fizer
a minha cama no inferno, eis aí está Tu. Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é
alto, não posso alcançá-lo ". Dessa maneira, aqueles para quem o Catecismo é projetado podem
ser proveitosa e impressionantemente ensinados o que as maiores mentes não podem
compreender. "Escondeste estas coisas dos sábios e prudentes, e as revelaste aos meninos." Tu
me revistou e me conheceu. . . . Tu me assaltaste por trás e antes, e pôs a tua mão sobre mim.
Para onde devo ir do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se eu subir ao céu, Tu
estás aí; se eu fizer minha cama no inferno, eis que tu estás aí. Tal conhecimento é maravilhoso
demais para mim: é alto, não posso alcançá-lo. "Dessa forma, aqueles para quem o Catecismo é
projetado podem ser proveitosa e impressionantemente ensinados aquilo que as maiores
mentes não podem compreender." sábio e prudente, e revelaste-as aos bebês. " Tu me revistou
e me conheceu. . . . Tu me assaltaste por trás e antes, e pôs a tua mão sobre mim. Para onde
devo ir do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se eu subir ao céu, Tu estás aí; se
eu fizer minha cama no inferno, eis que tu estás aí. Tal conhecimento é maravilhoso demais para
mim: é alto, não posso alcançá-lo. "Dessa forma, aqueles para quem o Catecismo é projetado
podem ser proveitosa e impressionantemente ensinados aquilo que as maiores mentes não
podem compreender." sábio e prudente, e revelaste-as aos bebês. " Tu estás aí. Tal
conhecimento é maravilhoso demais para mim: é alto, não posso alcançá-lo. "Dessa forma,
aqueles para quem o Catecismo é projetado podem ser proveitosa e impressionantemente
ensinados aquilo que as maiores mentes não podem compreender." sábio e prudente, e
revelaste-as aos bebês. " Tu estás aí. Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é alto,
não posso alcançá-lo. "Dessa forma, aqueles para quem o Catecismo é projetado podem ser
proveitosa e impressionantemente ensinados aquilo que as maiores mentes não podem
compreender." sábio e prudente, e revelaste-as aos bebês. "

eterno- Como associamos a infinitude a um espaço ilimitado, somos obrigados a pensar na


eternidade como tempo não inflexível e interminável. Porque, assim como a substância de Deus
é infinita e não tem nenhum tipo de limitação, assim também Sua continuação é de eternidade a
eternidade, e não conhece nem princípio nem fim ... Dessa coletânea, só Deus tem verdadeira
imortalidade ou fim. a eternidade, isto é, a continuação em que não há diferença por adição de
agora em diante, ao passo que o mais nobre e mais perfeito de todos os seres, além de ter
continuado continuamente o tempo de continuação anterior, se alongou. continuou tanto tempo
como agora, nem agora, desde que daqui em diante "(Hooker). O nome divino O ETERNO, está
ligado com o grande nome JEOVÁ, EU SOU, Aquele que é, Aquele que sozinho verdadeiramente
e eternamente é, o auto-existente, o Eterno. "Os hebreus atribuíam um significado mais elevado
e solene à existência eterna do que à energia criativa. Em Apocalipse 1: 8, Deus é chamado de
Alfa e Ômega, o começo e o fim, Aquele que foi e é e está por vir, três epítetos que significam a
eternidade, que são seguidos por um só - o Todo-Poderoso, indicando poder ". (Veja o Apêndice
a Ewald,História de Israel , ii) A versão árabe de Êxodo 3:14 tem "O Eterno que nunca passa",
onde o Inglês tem "EU SOU O QUE EU SOU". "Na minha imaginação solitária e aposentada
lembro-me de que não estou sozinho e, portanto, esqueço de não contemplar a Ele e Seus
atributos, que estão sempre comigo, especialmente aqueles dois poderosos, Sua sabedoria e
eternidade. Com o que eu recriar, e com o outro confundoi meu entendimento: na eternidade
não há distinção de tempos, pois para Sua eternidade, que é indivisível e todos juntos, a última
trombeta já está soada, o réprobo está na chama e o abençoado no seio de Abraão " (Religio
Medici). Sobre o profundo significado teológico e religioso das palavras do profeta "habitar a
eternidade", ver Goodwin, Das Criaturas , Livro 1. cap. 3 imutável - isso também é falado apenas
porque tem fé e confiança. Ele é "o Pai das luzes, com quem não há mudança nem sombra de
mudança". E quando se diz que Ele muda, se arrepende e retoma para o bem ou para o mal
aquilo que Ele falou, tudo isso novamente é apenas uma aplicação mais completa do princípio
da condescendência sobre o qual todas as revelações divinas são feitas; Deus falando ao homem
de maneiras que o homem possa entender.

em seu ser - As palavras precedentes - infinitas, eternas e imutáveis - caracterizam e descrevem


o ser, a sabedoria, o poder, a santidade, a justiça, a bondade e a verdade de Deus. Ele é infinito,
eterno e imutável em cada um desses atributos. Ser expressa a realidade da existência em
contraste com a não-existência. Assim Jeová, EU SOU, significa SER; originalidade, eternidade,
imutabilidade e fecundidade do ser. O EU SOU, portanto, torna-se conhecido como o Eterno (ver
Ewald, ii. 440). "O verdadeiro nome do Ser é próprio de Deus; as criaturas são em si mesmas,
mas sombras e aparências de seres. Só Deus é " (Goodwin).

sabedoria - "Conhecendo todas as coisas, mais sábias" (Catecismo Maior). Quando falada como
um atributo do homem, a sabedoria, embora compreenda certas qualidades intelectuais, dá
muito mais importância à moral. Tomando sua ascensão necessariamente na mente, a sabedoria
alcança sua plenitude somente na profundidade e pureza do coração. (Veja Sir Henry Taylor, Of
Wisdom.) Não há, de fato, sabedoria onde não há conhecimento; mas pode haver grandes
reservas de aprendizado e conhecimento onde há uma ausência total de sabedoria. O
conhecimento freqüentemente se inflige; a sabedoria sempre se fortalece. E é a sabedoria em
seu sentido humano mais puro e nobre que é aqui aplicado a Deus. No Antigo Testamento,
especialmente nos livros posteriores e que são chamados de livros sapienciais, a Sabedoria
Divina atinge uma proeminência, vivacidade e distinção entre os outros atributos de Deus que
preparam o caminho para o advento daquela Pessoa Divina que é depois anunciada. como a
sabedoria e a palavra de deus. Mas aqui novamente os aspectos graciosos, religiosos e práticos
da verdade governam e subordinam as idéias filosóficas e especulativas. Veja a paráfrase de
Cowper de Prov. 8: 22-36:

"Ere Deus construiu as montanhas."


poder —Infinito no poder. Por isso, muitas vezes, Deus é mencionado nas Escrituras como o
Todo-Poderoso ou o Onipotente. "A palavra Todo-Poderoso transmite três idéias - que Deus é
onipotente, Seu domínio universal e Sua essência infinita." "O poder de Deus é limitado apenas
pelo funcionamento de Sua vontade. Ele não trabalha todas as coisas para que Ele possa
trabalhar." A Ti ", diz Cristo," todas as coisas são possíveis. Deus não se mostra onipotente
fazendo tudo o que Ele pode fazer, mas tudo o que Ele faz mostra um poder todo poderoso nele
"(Goodwin).

santidade - "Esta palavra não é nada além de hool inglês médio (agora escrito inteiro). O sentido
original é perfeito ou excelente "(Skeat). A santidade, portanto, etimologicamente, tanto quanto
teológica e religiosamente, é saúde interior ou integridade espiritual." É instrutivo notar como o
salmista habita sobre o santo nome de Deus, como se Sua santidade era mais querida para ele,
ou talvez porque a santidade ou totalidade de Deus era para ele a maior motivação para render-
lhe as homenagens de sua natureza em sua integridade. Os bebês podem louvar a bondade
divina, mas os pais em graça magnificam Sua santidade "(Spurgeon)." A santidade é a beleza
intelectual. A santidade divina é a mais perfeita e a medida de todas as outras. . . . A santidade
divina é a pulcritude mais perfeita, 'a pulsibilidade inefável e imortal, que não pode ser
declarada por palavras ou vista com olhos' - eles são um pagão ' s expressão sobre isso. Isto
pode, portanto, ser denominado um atributo transcendental, que, por assim dizer, corre através
do resto, e lança uma glória sobre cada um. É um atributo de atributos. Essas são predicações
próprias, poder santo, verdade santa, amor santo. E assim é o próprio brilho e glória de Suas
outras perfeições, Ele é 'glorioso em santidade' "(Howe).

justiça - Integridade e retidão como de um verdadeiro juiz com quem não se respeita pessoas. As
Escrituras revelam a lei divina como fundamento de todas as relações de Deus com os homens.
Qualquer outra coisa em Deus é manifestada ao homem, Sua justiça nunca é anulada ou
esquecida. Mesmo justificando o ímpio, a justiça de Deus é ampliada. "Nada é mais
precisamente de acordo com a verdade das coisas do que a justiça divina; ele pesa as coisas em
um equilíbrio equilibrado; ele vê e estima as coisas não senão elas estão verdadeiramente em
suas próprias naturezas" (Jonathan Edwards). E o maior mestre de moral fora da dispensação
hebraica, ensinou que "injustiça toda virtude é sumariamente compreendida".

"Nem estrela nem estrela da manhã tão justa."

Veja Hooker,. Sermão 3; Templo Vivo de Howe , 2.7; A dissertação de Owen sobre a justiça divina
; Diário de Jonathan Edwards .

bondade - "A bondade é o gênero que compreende a misericórdia, a graça, o sofrimento, a


bondade, a verdade, etc. etc. nela; essas são as ramificações daquilo como raiz" (Goodwin em
Êxodo 33:19). "Desde o início do mundo até agora, todos os eflúvios que vieram de Deus não
foram nada além de emanações de Sua bondade, revestidas de várias circunstâncias. Ele fez o
homem sem nenhum outro design a não ser que o homem fosse feliz e recebendo derivações de
Sua fonte de misericórdia, poderia refletir glória a Ele. ... E a graça é o tesouro da bondade
divina, o grande e admirável efluxo da beneficência eterna, "as riquezas de Sua bondade", que
todo aquele que despreza, despreza-se e os grandes interesses de sua própria felicidade, ele
deve morrer em sua impenitência, e perecer em sua loucura "

"Mas Tu tens prometido de nós dois uma raça Para encher a terra, que nos exaltará a tua
bondade infinita, tanto quando acordarmos E quando procurarmos, como agora, a tua dádiva do
sono" - MILTON.

"Pois ele é bom." Não é esta a versão do Antigo Testamento de "Deus é amor"? (AA Bonar).

e verdade. É claro que a verdade como um atributo de Deus deve significar algo muito mais
nobre do que fato ou informação, um uso comum da palavra no discurso comum da
humanidade. Tampouco a verdade deve ser tomada aqui meramente em oposição ao erro,
falsidade e engano. Quando nosso Senhor, dirigindo-se a Seu Pai, disse: "Tua palavra é verdade",
Ele tinha algo muito maior em Sua mente do que meramente que a palavra de Deus é verdadeira
e confiável. A verdade no texto e em nosso Pai Nosso abrange toda a revelação de Deus que foi,
em qualquer momento, ou de qualquer maneira, feita ao homem; tudo o que é a glória de Deus
para revelar, e a bem-aventurança do homem para acreditar e desfrutar. A verdade, a verdade
mais elevada e mais certa, é que Deus é verdadeiro e que Jesus Cristo é a Sua verdade. "Eu sou o
caminho, a verdade e a vida." "vestido com uma promessa e apresentado em exercício "(Bengel).

"Agora existem outros espíritos além de Deus: e estes são os anjos e as almas dos homens. Mas
a diferença entre Deus e eles reside aqui, que Deus é um Espírito infinito, eterno e imutável, e
eles não são assim. Os atributos de Deus, como perfeições de Sua natureza divina, são de dois
tipos, incomunicáveis e comunicáveis Seus atributos incomunicáveis, dos quais não há vestígio
na criação, são Sua infinitude, eternidade e imutabilidade Seus atributos comunicáveis de novo,
dos quais existem alguns escassos nas criaturas, são o seu ser, sabedoria, remador, santidade,
justiça, bondade e verdade.A diferença entre essas perfeições como elas são em Deus e como
elas estão em Suas criaturas, reside aqui, que elas são todas infinitas, eternas, e imutável em
Deus, mas em Suas criaturas não é assim "(Boston).

Usar.

Com esta pergunta, estamos entrando na divisão doutrinária do Catecismo. Agora, foi o
ensinamento de nosso Senhor em Sua conversa com a mulher de Samaria, que toda adoração
aceitável e proveitosa depende mais da doutrina fundamental tão plenamente estabelecida
nesta Resposta. Nosso Senhor coloca a mais profunda de todas as doutrinas exatamente onde o
Catecismo, seguindo Seu exemplo, coloca, como um dos primeiros princípios de fé e adoração. E
não há uma palavra na declaração diante de nós que não ajude sensatamente uma mente
inteligente e devota na adoração a Deus. Corretamente utilizados, os credos e catecismos da
Igreja são guias realmente devocionais. As doutrinas do Apocalipse são brasas do fogo celestial
no altar do coração religioso. "A fórmula, que incorpora um dogma para o teólogo, sugere
prontamente um objeto para o adorador. . A teologia pode permanecer como uma ciência
substantiva sem a vida da religião, mas a religião não pode manter sua base sem a teologia
"(Newman).

QUESTÕES.

1. Explique a metáfora com a qual esta Resposta se abre e trace seu crescimento em Cruden.
Webster fornece exemplos de quinze sentidos que a palavra traz em inglês.

2. É uma nota do comentarista sobre Jeremias 23:24, O Deus Imenso: derivar e explicar.

3. Deus é um Espírito mais puro, sem corpo, partes ou paixões (Confissão, II.1). Reconcilie isto
com aquelas passagens da Escritura que falam das mãos e pés de Deus; Seus olhos, ouvidos,
semblante e cabeça; Seu amor, inveja, tristeza, pena e arrependimento. Dê o nome teológico
apropriado para esse modo de falar das escrituras; e conecte todo o assunto com a encarnação.

4. Dê as principais passagens das Escrituras que ilustrem a identidade etimológica da saúde e


santidade; também as passagens que ilustram a identidade da doença e do pecado.