Você está na página 1de 81

Saúde da

Mulher
SEST - Serviço Social do Transporte
SENAT - Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte

Qualquer parte dessa obra poderá ser reproduzida,


desde que citada a fonte.

Fale Conosco
0800 728 2891

ead.sestsenat.org.br
Sumário
Apresentação 6

Unidade 1 | O Que é Ter Saúde? 7

1. O Que é Ter Saúde? 8

Glossário 9

Atividades 10

Referências 11

Unidade 2 | Principais Cuidados com a Saúde Feminina 12

1. Principais Cuidados com a Saúde Feminina 13

Glossário 15

Atividades 16

Referências 17

Unidade 3 | Saúde Íntima 18

1. Saúde Íntima 19

Glossário 21

Atividades 22

Referências 23

Unidade 4 | Menstruação, Síndrome da Tensão Pré-Menstrual (TPM) e Menopausa 24

1. Menstruação, TPM e Menopausa 25

Glossário 28

Atividades 29

Referências 30

Unidade 5 | Anticoncepcionais 31

1. Anticoncepcionais 32

1.1. Preservativo Masculino (Camisinha) 32

1.2. Preservativo Feminino (Camisinha Feminina) 33

1.3. Diafragma 33

1.4. DIU (Dispositivo Intrauterino) 34

3
1.5. Pílula Anticoncepcional 34

1.6. Pílula Anticoncepcional de Emergência (“Pílula do Dia Seguinte”) 35

1.7. Injeção Anticoncepcional 35

1.8. Implante 35

1.9. Sistema Intrauterino (SIU) 36

1.10. Anel Vaginal 36

1.11. Adesivo 37

1.12. Laqueadura 37

1.13. Vasectomia 37

1.14. Tabelinha ou Método do Calendário 38

1.15. Coito Interrompido 38

Glossário 40

Atividades 41

Referências 42

Unidade 6 | Infecção Urinária 43

1. Infecção Urinária 44

Atividades 46

Referências 47

Unidade 7 | Prevenindo o Câncer de Mama 48

1. Prevenindo o Câncer de Mama 49

Glossário 50

Atividades 51

Referências 52

Unidade 8 | Prevenção de Câncer de Colo do Útero 53

1. Prevenção de Câncer de Colo do Útero 54

Atividades 56

Referências 57

Unidade 9 | Sexualidade e Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTs 58

4
1. Sexualidade e Prevenção de DSTs 59

Glossário 61

Atividades 62

Referências 63

Unidade 10 | Acompanhamento Médico 64

1. Acompanhamento Médico 65

Glossário 67

Atividades 68

Referências 69

Unidade 11 | Maternidade Responsável 70

1. Maternidade Responsável 71

Glossário 73

Atividades 74

Referências 75

5
Apresentação

Prezado aluno,

Seja bem-vindo ao Curso Saúde da Mulher!

Neste curso você encontrará conceitos, situações extraídas do cotidiano e, ao final de


cada unidade, atividades para a fixação do conteúdo. No decorrer dos seus estudos
você verá ícones que tem a finalidade de orientar seus estudos, estruturar o texto e
ajudar na compreensão do conteúdo.

O curso possui carga horária total de 10h e foi organizado em 11 unidades, conforme
a tabela a seguir:

Unidade Carga horária


1 - O Que É Ter Saúde? 1/2 horas
2 - Principais Cuidados com a Saúde Feminina 1 horas
3 - Saúde Íntima 1 horas
4 - Menstruação, Síndrome da Tensão Pré-Menstrual (TPM) e
1 horas
Menopausa
5 - Anticoncepcionais 1 hora
6 - Infecção Urinária 1/2 horas
7 - Prevenindo o Câncer de Mama 1 hora
8 - Prevenção do Câncer de Colo de Útero 1 hora
9 - Sexualidade e Prevenção de Doenças Sexualmente
1 hora
Transmissíveis (DSTs)
10 - Acompanhamento Médico 1 hora
11 - Maternidade Responsável 1 hora

Fique atento! Para concluir o curso, você precisa:

a) navegar pelos conteúdos e realizar as atividades previstas nas “Aulas Interativas”;

b) responder à “Avaliação final” e obter nota mínima igual ou superior a 60;

c) responder à “Avaliação de Reação”;

d) acessar o “Ambiente do Aluno” e emitir o seu certificado.

6
Este curso é autoinstrucional, ou seja, sem acompanhamento de tutor. Em caso de
dúvidas entre em contato com a suporteead@sestsenat.org.br (0800 7282891).

Bons estudos!

7
UNIDADE 1 | O QUE É TER
SAÚDE?

8
1 O Que é Ter Saúde?
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), “saúde
é um estado de completo bem-estar físico, mental e
social, e não consiste apenas na ausência de doença ou
de enfermidade”. (OMS, 1946).

Há vários conceitos sobre a saúde da mulher. Há


concepções mais restritas, que abordam apenas aspectos
da biologia e anatomia do corpo feminino, e outras mais
amplas, que interagem com dimensões dos direitos
humanos e questões relacionadas à cidadania. (BRASIL,
2004).

As estatísticas comprovam que as mulheres vivem mais do que os homens. Mas será
que isso é fator tão positivo quando comparamos os papéis sociais que homens e
mulheres desempenham? É fato que as mulheres vivem mais, porém também adoecem
com maior frequência. Em muitos momentos, os problemas de saúde femininos são
agravados por cargas de trabalho desproporcionais, por situações de discriminação
nas relações de trabalho, pelas responsabilidades domésticas. São fatores que pesam
contra a saúde da mulher e que, muitas vezes, são ignorados nas relações sociais e
profissionais. Se pensarmos por esse caminho, veremos que a saúde da mulher é uma
questão que ultrapassa os limites da família.

Globalmente, o suicídio está entre as principais causas de óbito

ee
em mulheres entre 20 e 59 anos de idade (...). Mundialmente,
o comportamento suicida é um problema de saúde pública
significativo para meninas e mulheres. Os problemas de saúde
mental, particularmente a depressão, são causas importantes
de incapacidades em mulheres de todas as idades. Embora
esses problemas possam variar de um indivíduo a outro, o
baixo status social das mulheres, a elevada carga laboral e
a violência são fatores que contribuem para sua ocorrência
nesta população. (OMS, 2009, p. 13.).

9
Agora é com Você!

Ter saúde é uma somatória de fatores. Um deles passa por uma


alimentação saudável. Como anda a sua alimentação? Faça um teste para
avaliar se você está sabendo equilibrar os alimentos para ter saúde. Seja
sincero(a) nas respostas.

Acesse o link a seguir e faça o teste. São apenas 14 perguntas.

http://tinyurl.com/zm3v25q

Ótimo, você acaba de finalizar sua Unidade e está apto a testar seus
conhecimentos nas questões referentes a ela. Prossiga em seus estudos
para concluir o restante de seu curso.

Glossário

Carga laboral: carga de trabalho.

Interagem: do verbo interagir; relacionam.

Óbito: morte.

Status: posição que se ocupa na sociedade; consideração, prestígio.

10
Atividades

1) Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), qual é a

dd
definição de saúde:

( ) É a ausência de doença ou de enfermidade.

( ) É um estado de completo bem-estar físico, mental e


social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de
enfermidade.

( ) Saúde aborda apenas aspectos da anatomia.

( ) É a pessoa estar satisfeita com o próprio corpo.

2) São fatores que contribuem significativamente para a


ocorrência do suicídio de mulheres, exceto:

( ) O elevado número de filhos.

( ) A elevada carga laboral.

( ) A violência sofrida no cotidiano.

( ) Baixo status social.

3) Qual fator abaixo não é positivo em relação à saúde?

( ) O consumo frequente de doces e outras sobremesas


após as refeições.

( ) Alimentação balanceada.

( ) Boas condições de trabalho.

( ) Renda compatível com as necessidades.

11
Referências

OMS/UNICEF. Declaração de Alma-Ata. Conferência internacional sobre cuidados


primários de saúde. Alma-Ata: Cazaquistão, URSS, 1978.

SCLIAR, M. História do conceito de saúde. Physis: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro,
v. 17, n. 1, p. 29-41, 2007.

12
UNIDADE 2 | PRINCIPAIS
CUIDADOS COM A SAÚDE
FEMININA

13
1.Principais Cuidados com a Saúde Feminina
As mulheres são mais afetadas por
problemas de saúde associados ao
exercício da sexualidade do que os
homens (contaminação por DST, por
exemplo). Por isso é importante praticar
sexo seguro (usando camisinha), visitar
ginecologista regularmente, fazer
exames preventivos e ficar atenta
a qualquer alteração no organismo.
Veremos mais sobre isso nas próximas
unidades.

Entre as principais causas de morte da população feminina estão as doenças


cardiovasculares, destacando-se o infarto agudo do miocárdio e o acidente vascular
cerebral (AVC); as neoplasias, principalmente o câncer de mama, de pulmão e de colo do
útero; as doenças do aparelho respiratório, predominantemente as pneumonias (que
podem encobrir casos de Aids não diagnosticados); doenças endócrinas, nutricionais
e metabólicas, com destaque para o diabetes. (BRASIL, 2004, p. 25-26).

ee
As neoplasias representaram a segunda maior proporção de óbitos em
mulheres em 2010, no total de 18,3%. Dentro das neoplasias, o câncer de
mama tem o maior índice (2,8%), depois o câncer de pulmão (1,8%) e o
câncer de colo do útero (1,1%).

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de colo do


útero, por ano, faz uma média de 4,8 mil vítimas fatais e apresenta 18,5 mil
novos casos, com risco estimado de 18 casos a cada cem mil mulheres.

No entanto, o País avançou na capacidade de realizar o diagnóstico precoce


deste tipo de câncer: na década de 1990, 70% dos casos analisados eram da
doença em estágio mais agressivo.

Atualmente, segundo o INCA, 44% dos casos de câncer de colo do útero


são de lesão precursora (e localizada) do tumor, chamada in situ, passível de
prevenção por meio do exame preventivo – conhecido como Papanicolau.
Mulheres diagnosticadas precocemente e tratadas de forma adequada têm
praticamente 100% de chance de cura. (BRASIL, 2012).

14
Cuidar da saúde é, antes de tudo, manter o organismo em equilíbrio, ter hábitos
saudáveis e fazer escolhas seguras, prevenindo-se, assim, de doenças.

Como manter esse equilíbrio? Tendo uma alimentação saudável e balanceada,


praticando atividades físicas (sim, é preciso espantar a preguiça e mexer o corpo), ir ao
ginecologista para fazer exames preventivos (veja mais sobre isso na Unidade 8), e uma
série de outros cuidados que serão vistos ao longo deste curso.

Outro hábito fundamental para ter boa saúde é não fumar, não beber, não usar drogas
e fazer acompanhamento médico regular para checar como estão a pressão, os níveis
de glicose no sangue, entre outros exames para checar como está o organismo de
forma geral.

Sabemos que, para muitas pessoas, não é fácil dar a devida atenção a todos esses
aspectos. Especialmente no setor de transportes, que costuma contar com uma rotina
de trabalho de muitas horas seguidas, essa tarefa pode não ser simples. Mas, ainda
assim, é uma tarefa que requer (e merece!) sua atenção. Por isso, mesmo que não
consiga implementar todos esses cuidados de uma só vez, não abra mão de investir em
sua saúde. Seu corpo agradece!

Agora é com Você!

Há muitas informações na internet sobre como manter a saúde,


como melhorar a qualidade de vida. Fazendo uma rápida busca, veem-
se centenas de sites. Assim, escolhemos um deles. Leia o que diz a
especialista acessando o link a seguir e verifique se você concorda com
ela. Se não concordar, faça uma busca e veja se encontra algo que esteja
mais em sintonia com o que você pensa.

“5 cuidados básicos com a saúde para ter uma vida plena”

http://tinyurl.com/jlw5qdn .

15
Você acaba de concluir o conteúdo desta Unidade. Agora, você pode
prosseguir para testar o que aprendeu até este momento e, na
sequência, avançar em seus estudos até finalizar os tópicos deste curso.
Mãos à obra!

Glossário

Doenças cardiovasculares: relativas ao coração e ao sistema vascular (circulatório).

Doenças endócrinas: relativas às glândulas produtoras de hormônios.

DSTs: doenças sexualmente transmissíveis.

In situ: que está restrito ao local.

Metabólicas: relativas ao metabolismo, conjunto de processos que mantém o


organismo funcionando.

Miocárdio: músculo do coração que possui funcionamento autônomo e involuntário,


assegurando a circulação sanguínea.

Neoplasia: processo patológico decorrente da multiplicação rápida e desordenada de


células que resulta no desenvolvimento de um neoplasma; tumor.

Precoce: prematuro, antecipado.

16
Atividades

1) Estão entre as principais causas de morte na população

dd
feminina, exceto:

( ) Doenças cardiovasculares

( ) Neoplasias

( ) Doenças do aparelho respiratório

( ) Dengue

2) As mulheres são mais afetadas por problemas de saúde


associados ao exercício da sexualidade do que os homens.
Por isso, é importante que ela tenha uma atenção especial
com sua saúde. Qual dos métodos abaixo não é eficaz para
cuidar da sua saúde?

( ) Praticar sexo seguro.

( ) Tomar várias doses de anticoncepcional.

( ) Visitar o ginecologista regularmente.

( ) Fazer os exames preventivos.

3) Sobre doenças cardiovasculares, assinale a opção correta.

( ) Não afetam expressivamente a população.

( ) Estão relacionadas ao fígado.

( ) Estão entre as principais causas de morte da população


feminina.

( ) Dentre elas, destacam-se a gripe e a pneumonia.

17
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Mulheres e saúde. Evidências de hoje, agenda


de amanhã. 2009. Disponível em: <http://www.who.int/ageing/mulheres_saude.pdf>.
Acesso em: 21 de agosto de 2016.

18
UNIDADE 3 | SAÚDE ÍNTIMA

19
1 Saúde Íntima
O corpo feminino expele secreção
vaginal naturalmente, o que varia é
a intensidade desse fluxo, de mulher
para mulher, de acordo com a higiene e
a fase da vida. Jovens antes da primeira
menstruação e mulheres na menopausa
tendem a ter menor fluxo por conta
dos menores níveis de hormônio
no organismo. A secreção se torna
mais intensa e perceptível durante
a ovulação, na gestação e antes do
período menstrual. Também ocorrem
variações por conta do uso de métodos anticoncepcionais hormonais (pílulas, injeções,
adesivos, entre outros).

A secreção pode apresentar algum odor, mas nada que incomode. E a coloração tende
a variar de acordo com a fase do ciclo menstrual. Especialistas alertam que muitas
mulheres tendem a utilizar produtos para “camuflar” o cheiro característico, como
desodorantes íntimos. Tais produtos, no entanto, podem causar irritação e alergias.

A higiene diária íntima é muito importante, pois ajuda na prevenção de doenças


infecciosas. O ideal é usar sabonetes próprios, que não irritam a parte genital feminina,
e usar calcinhas de algodão.

aa
A anatomia feminina é mais propícia a contaminações. Por
isso, desde pequenas, as mulheres devem ser orientadas a se
limparem de frente para trás após as necessidades fisiológicas,
o que impede que bactérias do ânus passem para a vagina.
(MENDES, 2015).

A vagina possui uma flora bacteriana natural, composta por bactérias que fazem
sua defesa. Quando essa flora diminui, a capacidade de o organismo se defender fica
reduzida. Dessa forma, bactérias nocivas, fungos e outros microrganismos, que antes

20
eram mantidos sob controle, passam a se proliferar, causando infecções vaginais. Os
sinais de infecção são secreções anormais (corrimentos mais intensos, com coloração
diferente) e odor forte e desagradável. Se não forem tratadas, essas infecções
provocam complicações para a saúde da mulher.

As principais infecções vaginais que afetam as mulheres são:

Vaginose bacteriana – causada por bactérias, entre elas a Gardnerella vaginalis.


Desencadeia desequilíbrio da flora vaginal, fazendo com que a concentração de
bactérias aumente. É a causa mais comum do corrimento genital e a segunda causa da
candidíase.

Candidíase – também conhecida por monilíase vaginal, é uma infecção causada por um
fungo, o Candida albicans, que causa corrimento espesso, grumoso e esbranquiçado,
acompanhado geralmente de irritação e coceira local.

Tricomoníase – é provocada pelo parasita Trichomonas vaginalis, que costuma viver na


vagina ou na uretra, mas pode também ser encontrado em outras partes dos sistemas
genital e urinário. Por viver principalmente na parte interna da vagina, essa doença
causa microlesões e dores, e pode até levar ao desenvolvimento de outras DSTs.
(GINECO, 2015, com adaptações).

Agora é com Você!


Você sabe como é o tratamento das infecções vaginais causadas por
fungos também conhecidas por infecções fúngicas?

Acesse o link abaixo e assista a um vídeo que explica, de maneira muito


clara e objetiva com o auxílio de imagens, as causas, os sintomas e o
tratamento dessas infecções.

https://www.youtube.com/watch?v=KIPtqlZtvxE

21
Muito bem, você concluiu o conteúdo desta Unidade. Agora, você está
apto a testar seus conhecimentos na bateria de questões sobre esta
unidade de seu curso. Ao finalizar esta etapa, prossiga seus estudos.

Glossário

Camuflar: disfarçar, tornar imperceptível.

Flora bacteriana: conjunto das bactérias presentes em um organismo.

Grumoso: que apresenta grumos, granuloso.

Secreção: substância secretada por células e órgãos; líquido.

22
Atividades

1) Sobre produtos de higiene íntima diária, é correto

dd
afirmar que:

( ) Você pode usar qualquer sabonete na hora da


higienização.

( ) Irritações e alergias podem aparecer se você usar um


sabonete barato.

( ) O ideal é usar sabonetes próprios, que não irritam a


parte genital feminina.

( ) Quanto mais caro o sabonete for, melhor ele será.

2) Em relação à saúde íntima, assinale a alternativa falsa.

( ) O corpo feminino não expele secreção vaginal


naturalmente.

( ) A anatomia feminina é mais propícia a contaminações.

( ) A vagina possui uma flora bacteriana natural, composta


por bactérias que fazem sua defesa.

( ) Se não forem tratadas, as infecções vaginais podem


provocar complicações na saúde da mulher.

3) Quais são as principais infecções vaginais que afetam as


mulheres?

( ) Tricomoníase, candidíase e gastrite.

( ) Gastrite, hepatite e tricomaníase.

( ) Vaginose bacteriana, hepatite e candidíase.

( ) Tricomaníase, candidíase e vaginose bacteriana.

23
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

VARELLA, Dráuzio. Higiene íntima feminina. Portal da internet Dráuzio, 2012


Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/mulher-2/higiene-intima-da-mulher/>.
Acesso em: 21 de agosto de 2016.

24
UNIDADE 4 | MENSTRUAÇÃO,
TPM E MENOPAUSA

25
1 Menstruação, TPM e Menopausa
Toda menina, ao nascer, traz em seus
ovários os óvulos que serão liberados
para serem fecundados ao longo de sua
vida. Essa liberação de óvulos começa a
ocorrer quando o sistema reprodutor
da menina amadurece, o que ocorre
entre os 10 e os 14 anos. É aí que ocorre
o primeiro ciclo menstrual e a primeira
menstruação, que recebe o nome de
menarca. A partir da menarca, a menina
já é capaz de engravidar.

O corpo feminino se prepara para a gravidez todo mês,

ee
tornando as paredes internas do útero (endométrio) espessas,
além de outras alterações. Quando a gravidez não ocorre,
o endométrio se desprende e é eliminado pelo organismo.
Desse modo, menstruação é essa descamação e eliminação do
endométrio espessado através da vagina. Essa descamação
faz parte do ciclo reprodutivo da mulher e acontece todo mês
em que não houver gravidez. (GINECO, 2015).

Útero Ovários

Vagina Endométrio

Fonte: www. thinkstockphotos.com

26
A menstruação é composta por sangue
e tecido da parte interna do útero
(endométrio). Ao contrário do que muita
gente pensa, não é o útero que está se
desmanchando.

A cada menstruação, são eliminados


aproximadamente 150ml de sangue (pode
variar de mulher para mulher). O uso de
absorventes descartáveis é a forma mais
higiênica para conter o fluxo. Eles podem
ser externos (fixados na calcinha) ou internos, também conhecidos como tampões.

bb
Atualmente, o coletor menstrual (conhecido como “copinho”)
é considerado uma alternativa ecológica aos absorventes. Seu
formato é o mesmo de um copo e deve ser inserido no canal
vaginal, podendo permanecer por até 10 horas, a coletar o
sangue da menstruação. Após cada uso, deve ser lavado com
água e sabão e pode ser reutilizado inúmeras vezes. É feito
com silicone e sua vida útil pode chegar a dez anos. É difícil
encontrá-lo em farmácias, mas é vendido pela internet.

Para saber mais sobre o coletor, onde pode ser encontrado


e como usá-lo, veja a reportagem “14 perguntas e respostas
sobre o coletor menstrual: usar ou não?” através do link a
seguir.

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-
e-saude/2015/03/02/interna_ciencia_saude,473623/uso-do-
coletor-menstrual-provoca-polemica-recomendavel-ou-nao.
shtml

Durante o ciclo menstrual, muitas mulheres sofrem de uma síndrome, a Síndrome (ou
Tensão) Pré-Menstrual, mais conhecida como TPM.

27
A TPM antecede a menstruação. A mulher pode apresentar

hh
sintomas físicos e psicológicos que geralmente desaparecem
no fim do período menstrual.

A principal causa da TPM é a alteração hormonal que ocorre durante o período


menstrual, logo após a ovulação. Essa alteração interfere no sistema nervoso central,
provocando reações emocionais e físicas.

Foram listados mais de duzentos sintomas da TPM, entre eles dor de cabeça e nos
seios, ansiedade, irritabilidade e tensão nervosa, cansaço, insônia, esquecimento e
confusão, inchaço no corpo, aumento de apetite e ganho de peso, entre outros.

Outro período referente à menstruação é a menopausa, que ocorre quando já


aconteceu a última menstruação da vida da mulher. Ela sinaliza que sua fertilidade
terminou. A fase de transição é conhecida como climatério e ocorre aproximadamente
aos 50 anos de idade (varia de mulher para mulher).

“Climatério é a fase de transição entre o período reprodutivo

hh
e o não reprodutivo da vida da mulher, podendo se estender
até os 65 anos de idade. Menopausa é um marco dessa fase,
correspondendo ao último período menstrual, somente
reconhecida após passados 12 meses da sua ocorrência. (...) O
climatério/menopausa não é uma doença e sim uma fase da vida
da mulher. A maioria das mulheres passa por ela sem apresentar
queixas e sem necessitar de medicamentos. Outras apresentam
sintomas de intensidade variável e que são, geralmente,
transitórios.” (BRASIL, 2004, p. 42).

28
Agora é com Você!

Você sabe quais são os impactos da menopausa na vida de uma mulher e


como é possível lidar com seus efeitos?

Assista ao vídeo a seguir e relembre o que é menopausa, veja os sintomas


e saiba como diminuir os incômodos que ela pode causar.

https://www.youtube.com/watch?v=miodNlR7tQo

Ótimo, você acaba de finalizar esta Unidade e está apto a testar seus
conhecimentos nas questões referentes a ela. Prossiga em seus estudos
para concluir o restante de seu curso.

Glossário

Descamação: ato de descamar, sair em camadas.

Espessas: grossas, densas.

Neurotransmissor: molécula responsável pela transmissão do impulso nervoso entre


um neurônio (célula nervosa) e outro.

29
Atividades

1) Sobre a menstruação, é correto afirmar que ela

dd
normalmente:

( ) Acontece uma vez por semana.

( ) Acontece a cada mês.

( ) Acontece a cada três meses.

( ) Acontece a cada seis meses.

2) O que a menopausa sinaliza?

( ) Que a mulher está grávida.

( ) Que a mulher começou a menstruar.

( ) Que a fertilidade da mulher terminou.

( ) Que a mulher está doente.

3) Sobre o uso de absorventes, assinale a alternativa


correta.

( ) O uso de absorventes descartáveis não é uma maneira


higiênica de conter o fluxo.

( ) Eles podem ser internos ou externos.

( ) O coletor menstrual é uma alternativa mais higiênica,


mas é mais agressivo ao meio ambiente.

( ) O coletor menstrual não pode ser reutilizado.

30
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Mulheres e saúde. Evidências de hoje, agenda


de amanhã. 2009. Disponível em: <http://www.who.int/ageing/mulheres_saude.pdf>.
Acesso em: 21 de agosto de 2016.

31
UNIDADE 5 |
ANTICONCEPCIONAIS

32
1 Anticoncepcionais
Os métodos anticoncepcionais mais utilizados são:

TIPO CATEGORIA
Não hormonais ou de barreira – são
Preservativo/camisinha masculina
métodos que colocam obstáculos
e feminina; diafragma; e dispositivo
para impedir que os espermatozoides
intrauterino (DIU).
encontrem o óvulo.
Pílula anticoncepcional; pílula
anticoncepcional de emergência Hormonais ou químicos – são métodos
(“pílula do dia seguinte”); injeção que utilizam compostos hormonais que
anticoncepcional; implante; Sistema inibem a ovulação.
Intrauterino – SIU; anel vaginal; e adesivo.
Cirúrgicos – são métodos permanentes
Laqueadura; e vasectomia. de esterilização de mulheres e de homens,
respectivamente.
Comportamentais – são métodos
para prevenir a gravidez por meio de
Tabelinha ou método do calendário; coito
mudanças na forma de relação sexual
interrompido; e teste do muco.
entre os parceiros, durante o período
fértil da mulher.

Tabela 1: Métodos anticoncepcionais

1.1. Preservativo Masculino (Camisinha)

É um tipo de capa feita de látex que se coloca no pênis


quando está ereto. Funciona como uma barreira que não
permite que o sêmen com os espermatozoides entre na
vagina. Além disso, é a forma mais eficaz para impedir
que infecções sejam compartilhadas pelos parceiros e
transmitam doenças.

33
1.2 Preservativo Feminino (Camisinha Feminina)

É uma espécie de tubo feito de uma película


plástica fina, transparente e macia, que se
insere dentro da vagina da mulher.

Do mesmo modo que a camisinha


masculina, também funciona como uma
barreira, impedindo que o sêmen com
os espermatozoides entre na vagina,
além de impedir que infecções sejam
compartilhadas pelos parceiros e
transmitam doenças.

1.3 Diafragma

Parece uma cuia feita de látex macio que cobre o colo do útero, formando uma barreira
que impede a entrada de sêmen com espermatozoides no útero. É geralmente usado
junto com um creme espermicida para aumentar a eficácia.

aa
Espermicidas são substâncias que deixam os espermatozoides
mais lentos, ou provocam uma ruptura na membrana de suas
células, tornando-os inativos.

Devem ser colocados no interior da vagina antes do sexo


e são encontrados em forma de geleia, creme, espuma ou
supositórios.

34
1.4 DIU (Dispositivo Intrauterino)

O DIU é uma pequena estrutura de plástico e cobre com a forma das letras T ou Y. É
inserido no útero da mulher através da vagina, num procedimento que deve ser realizado
por um médico ou profissional da saúde habilitado. Ele provoca uma alteração química
(por causa do cobre) que danifica o esperma e o óvulo antes que eles se encontrem.

aa
O DIU não provoca câncer, não torna a mulher estéril e não se
desloca dentro do corpo.

1.5. Pílula Anticoncepcional

A pílula contém hormônios artificiais semelhantes à


progesterona e ao estrógeno, hormônios que existem
naturalmente no corpo feminino. Tais substâncias inibem
a ovulação (liberação de óvulos pelos ovários).

35
1.6 Pílula Anticoncepcional de Emergência (“Pílula do Dia
Seguinte”)

Essa pílula é feita com alta concentração de hormônios e ajuda a prevenir a gravidez,
desde que tomada até 5 dias depois de uma relação sexual desprotegida. Quanto antes
for tomada, melhor sua eficácia. Ela evita ou retarda a ovulação e não tem efeito caso
a mulher já esteja grávida.

Por possuir uma quantidade muito alta de hormônios, não deve ser usada como
substituta de outros métodos, pois pode prejudicar a saúde da mulher.

As pílulas anticoncepcionais de emergência não provocam

ee
aborto e não causam defeitos de nascença. Também não
tornam a mulher estéril.

1.7 Injeção Anticoncepcional

As injeções anticoncepcionais contêm hormônios semelhantes aos hormônios naturais


femininos (progesterona e estrógeno). São aplicadas uma vez por mês e também agem
impedindo a ovulação.

1.8 Implante

O implante é uma pequena cápsula que libera um hormônio semelhante à progesterona,


existente naturalmente no corpo da mulher, que interrompe o ciclo menstrual e impede
a ovulação. É colocado por um médico, que o insere sob a pele do braço da mulher. Por
não conter estrógeno, o implante pode ser utilizado durante a amamentação.

36
Alguns tipos de implante chegam a durar até 5 anos.

ee
• É um dos métodos mais eficazes de contracepção.

• Os hormônios contidos no implante não permanecem no corpo da


mulher depois que ele é retirado.

• O uso do implante não torna as mulheres estéreis definitivamente.

• O implante não se desloca para outras partes do corpo.

1.9 Sistema Intrauterino (SIU)

Também chamado de DIU hormonal, trata-se de um dispositivo de plástico com


um hormônio (o mesmo utilizado em implantes e pílulas anticoncepcionais orais,
semelhante ao estrógeno). Assim como o DIU, tem forma de T ou Y e é colocado no
útero da mulher através de sua vagina.

Sua ação impede a ovulação e suprime o crescimento do endométrio, por causa do


hormônio que é liberado em pequenas quantidades por dia. É também considerado um
dos métodos mais eficazes e de longa duração.

1.10 Anel Vaginal

É um anel flexível que, inserido na vagina, libera continuamente hormônios semelhantes


aos do corpo feminino. Esses hormônios são absorvidos pela parede vaginal e vão para
a corrente sanguínea. Sua ação é a mesma dos demais métodos hormonais.

37
1.11 Adesivo

O adesivo é feito de um plástico fino e flexível que, em contato com o corpo, libera
continuamente hormônios similares à progesterona e ao estrógeno, existentes no
corpo da mulher. Absorvidos pela pele, esses hormônios entram na corrente sanguínea
e agem da mesma forma que os demais métodos hormonais, ou seja, impedem a
ovulação.

1.12 Laqueadura

Também conhecida como “ligadura tubária” ou “ligadura de trompas”, é um método de


contracepção definitivo para mulheres.

Nele, as tubas uterinas são cortadas ou bloqueadas. Dessa forma, o óvulo liberado pelo
ovário não chega até o útero. Devido ao bloqueio, os espermatozoides não conseguem
subir pelas trompas e, consequentemente, não encontram o óvulo. Dessa forma, não
há fecundação.

É um dos métodos contraceptivos mais eficazes.

1.13 Vasectomia

É o método contraceptivo definitivo para homens. É feito por um médico, muitas vezes
no próprio consultório, com anestesia local.

É feita uma pequena incisão no escroto e o médico localiza cada um dos canais por
onde o esperma é transportado até o pênis. Esses canais são cortados e bloqueados,
fazendo com que os espermatozoides produzidos nos testículos não consigam
se juntar ao restante do líquido seminal. Dessa forma, o sêmen é ejaculado sem os
espermatozoides, evitando a gravidez.

38
Também é um dos métodos contraceptivos mais eficazes.

ee
A vasectomia é mais simples, mais segura, mais fácil e menos
dispendiosa que a esterilização feminina.

1.14 Tabelinha ou Método do Calendário

Para que esse método seja minimamente eficaz, é necessário que a mulher tenha um
ciclo menstrual regular (ter entre 26 e 32 dias).

Ele consiste na abstinência de sexo (ou no uso combinado de métodos de barreira)


durante o período fértil feminino, que vai geralmente do 11º ao 16º dia antes do início
da menstruação.

O cálculo do período fértil da mulher é feito analisando seu padrão menstrual nos
últimos 6-12 meses. Ou seja, a mulher que quiser usar este método deve, antes de
utilizá-lo, registrar o primeiro dia de cada menstruação, durante o período de 6 meses
a um ano, para poder avaliar se seu ciclo é regular ou não.

1.15 Coito Interrompido

Neste método, o homem deve retirar o pênis da vagina da mulher antes da ejaculação,
tomando também o cuidado de não permitir que seu sêmen entre em contato com a
genitália da mulher. O risco de gravidez aumenta caso o homem não tenha controle de
sua ejaculação e não consiga retirar o pênis a tempo.

Entretanto, antes da ejaculação, o pênis costuma expelir gotas de líquido (para


lubrificar o canal) que costuma possuir alguma quantidade de espermatozoide, o que
pode ser o suficiente para resultar em gravidez.

39
Este é um método considerado pouco eficaz, mas pode ser melhorado quando é
combinado com outros métodos (a camisinha, por exemplo).

Agora é com Você!

Entre os métodos anticoncepcionais mais populares, as pílulas são as


mais conhecidas. No entanto, muitas mulheres ficam receosas por conta
de seus efeitos colaterais e desconhecem que existem diferentes tipos
de pílulas.

Assista ao vídeo no link a seguir para conhecer os diferentes tipos de


pílulas e saiba quais são suas vantagens e desvantagens.

http://tinyurl.com/zmbzoxe Depois de assistir, reflita o que seria mais


arriscado para a mulher: usar a pílula ou encarar uma gravidez sem desejar
ou planejar?

Você acaba de concluir o conteúdo desta Unidade. Agora, você pode


prosseguir para testar o que já aprendeu até este momento de seu
curso e, na sequência, avançar em seus estudos até finalizar os tópicos
deste curso. Mãos à obra!

40
Glossário

Anticoncepcional: contraceptivo, que impede a concepção.

Contraceptivo: anticoncepcional.

Escroto: bolsa que contêm os testículos.

Estéril: incapaz de gerar vida.

Látex: tipo de borracha com a qual se faz preservativo.

Sêmen: esperma.

41
Atividades

1) Qual dos métodos anticoncepcionais abaixo é cirúrgico?

dd (

(
) Camisinha

) Pílula anticoncepcional

) Laqueadura

( ) Tabelinha

2) Sobre a pílula anticoncepcional, é correto afirmar que:

( ) Impede a transmissão de doenças.

( ) É um método pouco eficaz.

( ) Estimula a ovulação.

( ) Contém doses de progesterona e estrógeno.

3) Em qual classificação dos métodos anticonceptivos a


camisinha feminina se encontra?

( ) Hormonal ou químico

( ) Comportamental

( ) Não hormonal ou de barreira

( ) Cirúrgico

42
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

GINECO. Métodos contraceptivos. Portal da internet Gineco, 2015. Disponível em:


<http://www.gineco.com.br/saude-feminina/metodos-contraceptivos/planejamento-
familiar/>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

43
UNIDADE 6 | INFECÇÃO
URINÁRIA

44
1 Infecção Urinária
Quando ocorre o aumento anormal de microrganismos em algum órgão do sistema
urinário, tem-se a infecção urinária.

As principais causas de infecção urinária são a relação sexual e a migração das bactérias
do trato gastrointestinal para a bexiga.

Rim
Bexiga

Ureter
Uretra

Essa doença possui dois tipos: a cistite e a pielonefrite. Quando a infecção afeta a
bexiga, tem-se a cistite. Quando afeta o rim, tem-se a pielonefrite. Esta última possui
sintomas mais severos.

A doença possui incidência de 80% a 90% em mulheres, porque a uretra delas é mais
curta e facilita a subida de microrganismos pela via urinária. É mais comum na idade
reprodutiva e nas mulheres que estão na menopausa, devido à queda do estrogênio e
de microrganismos que protegem a região íntima. (GINECO, 2015).

Os sintomas são:

• Ardor e/ou dor ao urinar;

• Aumento da frequência urinária diurna (mais de sete vezes);

• Aumento da frequência urinária noturna (mais de uma vez);

• Sensação de continuar com a bexiga cheia, mesmo depois de ter urinado;

45
• Dor na região pubiana;

• Dor na região lombar;

• Sangue na urina;

• Alteração da cor da urina (escura, com aparência turva);

• Odor forte.

O tratamento das infecções urinárias é feito com antibióticos e aumento da ingestão


de líquidos.

Agora é com Você!

Você sabe como prevenir as infecções urinárias? Acesse o link abaixo e


veja o que se pode fazer para evitar esse problema.

http://www.gineco.com.br/saude-feminina/doencas-femininas/infeccao-
urinaria/#preveno

Muito bem, você concluiu o conteúdo desta Unidade. Agora, você está
apto para testar seus conhecimentos na bateria de questões sobre o
conteúdo aprendido. Ao finalizar esta etapa, prossiga em seus estudos.

Glossário
Trato gastrointestinal: (inferior) é composto pelos intestinos, reto e ânus.

Turva: escura.

46
1) São sintomas da infecção urinária, exceto:

dd
(

(
) Dor na região pubiana

) Diarreia

) Aumento da frequência urinária

( ) Sangue na urina

2) As principais causas da infecção urinária são:

( ) A falta de exercícios físicos e a baixa ingestão de líquidos.

( ) O excesso de comidas industrializadas e noites mal


dormidas.

( ) Cansaço e estresse.

( ) A relação sexual e a migração das bactérias do trato


gastrintestinal para a bexiga.

3) O tratamento das infecções urinárias devem ser feitos


com:

( ) Apenas com antibióticos.

( ) Exercícios físicos e boa higiene, apenas.

( ) Com antibióticos e aumento da ingestão de líquidos.

( ) Não precisa se tratar, pois esse é um tipo de doença que


o corpo cura sozinho.

47
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

VARELLA, Dráuzio. Higiene íntima feminina. Portal da internet Dráuzio, 2012


Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/mulher-2/higiene-intima-da-mulher/>.
Acesso em: 21 de agosto de 2016.

48
UNIDADE 7 | PREVENINDO O
CÂNCER DE MAMA

49
1 Prevenindo o Câncer de Mama
De acordo com o Instituto Nacional do
Câncer (INCA), o câncer de mama é o que
mais causa mortes e é o mais comum nas
mulheres brasileiras.

Trata-se de um tumor maligno, formado


pelo desenvolvimento de células de
maneira desordenada, criando um ou mais
nódulos na mama.

É influenciado por uma série de fatores, Fonte: www. thinkstockphotos.com


entre eles: idade avançada, sedentarismo,
exposição prolongada a tratamentos com hormônios femininos, consumo de álcool,
tabagismo, excesso de peso, amamentação anterior, antecedentes familiares, etc.

O primeiro sinal da doença, geralmente, costuma ser a presença de um nódulo


(não doloroso e endurecido) na mama. Há outros sintomas que também devem ser
considerados, como uma deformidade ou um aumento da mama, alteração da superfície
ou retração da pele ou do mamilo, gânglios axilares aumentados, vermelhidão, edema,
dor e saída de líquido dos mamilos.

Por isso, é importante fazer exames periodicamente. A mamografia, por exemplo,


consegue detectar precocemente a presença de nódulos nas mamas. Há também o
exame clínico (feito por um profissional da área da saúde); o autoexame (feito pela
própria paciente); e ainda outros exames de imagem e laboratório que também
auxiliam a montar um diagnóstico mais preciso.

Atualmente, a estratégia mais eficaz para a detecção do câncer de mama precoce é a


mamografia a partir dos 35 anos de idade, além do autoexame das mamas, realizado pela
paciente em casa, mensalmente, entre o 7º e o 10º dias após o início da menstruação.

50
Apesar de a maioria dos nódulos de mama ter características

ee
benignas, costuma-se solicitar uma biópsia para definir se
a lesão é maligna ou não e assim afastar qualquer erro de
diagnóstico.

Agora é com Você!

Sabe qual é a maneira correta de fazer o autoexame das mamas e quando


fazê-lo? Acesse o link a seguir, assista ao vídeo e aprenda a fazer o
autoexame.

https://www.youtube.com/watch?v=cxEsjixyRE0

Ótimo, você acaba de finalizar sua Unidade e está apto a testar seus
conhecimentos nas questões referentes a ela. Prossiga em seus estudos
para concluir o restante de seu curso.

Glossário

Mamografia: raio X das mamas.

Nódulo: caroço.

51
Atividades

1) Qual dos fatores abaixo não aumenta as chances de

dd
aparecimento do câncer de mama?

( ) Tabagismo

( ) Juventude

( ) Alcoolismo

( ) Exposição prolongada a tratamentos com hormônios


femininos

2) Sobre o câncer de mama, é correto afirmar que:

( ) O primeiro sinal da doença costuma ser a presença de


um nódulo (não doloroso e endurecido) na mama.

( ) Não atinge significativamente a população.

( ) O autoexame não é importante na detecção, pois só um


médico pode fazer exames de detecção.

( ) Atinge principalmente crianças e adolescentes.

3) Câncer de mama pode ser definido como:

( ) Uma doença não tumoral, mas que cria nódulos na


mama.

( ) Qualquer doença que afete a região dos seios.

( ) Um tumor maligno, formado pelo desenvolvimento de


células de maneira desordenada, criando um ou mais nódulos
na mama.

( ) Um tumor maligno, mas que não cria nódulos.

52
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

GINECO. Câncer de Mama. Portal da internet Gineco, 2015. Disponível em: <http://
www.gineco.com.br/saude-feminina/doencas-femininas/cancer-de-mama/>. Acesso
em: 21 de agosto de 2016.

53
UNIDADE 8 | PREVENÇÃO DE
CÂNCER DE COLO DO ÚTERO

54
1 Prevenção de Câncer de Colo do Útero
O câncer cervical, também conhecido por câncer de colo do útero, é uma doença de
evolução lenta que afeta, principalmente, mulheres acima dos 25 anos. Seu principal
causador é o HPV – Papiloma Vírus Humano.

O tumor leva anos para se tornar maligno e passa por uma fase inicial de pré-
malignidade, denominada neoplasia intraepitelial cervical (NIC), que pode ser
classificada em graus (I, II, III e IV) de acordo com a gravidade do caso (o grau IV é o
mais severo).

Quando diagnosticado logo no início (grau I), ou seja, quando a lesão ainda está restrita
ao colo do útero e não desenvolveu características de malignidade, a doença pode ser
curada na quase totalidade dos casos. (VARELLA, 2012).

A incidência desse câncer está diminuindo, mas ele ainda faz parte das enfermidades
que mais matam mulheres no Brasil.

O exame que faz o diagnóstico de alterações no colo do útero é o Papanicolau.

Colo do Útero
ou Cérvex

O Papanicolau é um exame simples, feito a partir da análise


de material retirado do colo do útero e da parede vaginal
durante a consulta com ginecologista. Ele permite estudar as
características celulares do colo uterino e fazer o rastreamento
de doenças malignas nessa região.

55
Mulheres com vida sexual ativa devem fazer o Papanicolau uma vez por ano. Caso
apresentem alguma alteração no colo do útero, esse tempo deve ser reduzido (a cada
seis meses ou menos, dependendo do caso).

Juntamente ao exame periódico e ao uso de preservativos, existem vacinas, aplicadas


em meninas entre 10 e 14 anos de idade, que auxiliam na prevenção contra o HPV. Essa
vacinação é recomendada em três doses, antes de as meninas iniciarem a vida sexual.

Agora é com Você!

Além do HPV, existem outros fatores que causam o câncer de colo do


útero, como o tabagismo. Sabe quais são os outros?

Assista a uma entrevista com a doutora Walquíria Primo e veja quais são
as causas, o tratamento e outras informações importantes sobre esse
tipo de câncer.

https://www.youtube.com/watch?v=2965ZFSRiH0

Você acaba de concluir o conteúdo desta Unidade. Agora, você pode


prosseguir para testar o que já aprendeu até este momento e, na
sequência, avançar em seus estudos até finalizar os tópicos deste curso.
Mãos à obra!

Glossário
Maligno: que não é benigno, que causa malefício; no caso de tumor, indica que é
cancerígeno.

Pré-malignidade: fase anterior à malignidade.

56
Atividades

1) O câncer de colo do útero também é conhecido como:

dd (

(
) HIV

) HPV

) Câncer ilíaco

( ) Câncer cervical

2) Sobre os tumores do câncer de colo do útero, é correto


afirmar que:

( ) O tumor fica maligno pouco tempo após aparecer.

( ) Eles passam por uma fase de pré-malignidade.

( ) Eles podem ser classificados em graus (I, II,III,IV, V e VI).

( ) Os de grau I são os mais severos.

3) O Papanicolau é um exame que deve ser feito de quanto


em quanto tempo?

( ) Mensalmente

( ) Semestralmente

( ) Anualmente

( ) Bienalmente

57
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

GINECO. Câncer do Colo do Útero. Portal da internet Gineco, 2015. Disponível em:
<http://www.gineco.com.br/saude-feminina/doencas-femininas/cancer-do-colo-do-
utero/>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

58
UNIDADE 9 | SEXUALIDADE E
PREVENÇÃO DE DSTS

59
1 Sexualidade e Prevenção de DSTs
As Doenças Sexualmente Transmissíveis
(DSTs) estão entre os problemas de saúde
pública mais comuns em todo o mundo.
Estimativas recentes apontam para a
ocorrência de mais de 10 milhões de
novas infecções de transmissão sexual que
podem evoluir para doenças sintomáticas,
como uretrites, cervicites, úlceras e
verrugas genitais. (BRASIL, 2004, p. 34)

Isso significa que as pessoas não estão


usando métodos seguros (mais especificamente a camisinha) para se relacionarem
sexualmente.

Veja aqui algumas das doenças sexualmente transmissíveis mais conhecidas:

Clamídia – DST que pode ser contraída na vida intrauterina ou por contato sexual.
No primeiro caso, pode aparecer em qualquer fase da vida. É a DST mais presente no
mundo de hoje. Um corrimento é o seu principal sintoma.

Herpes genital – É um tipo de DST causado por vírus. Aparece na forma de bolhas
dolorosas que se rompem e cicatrizam sozinhas. Os pontos de contágio sexual são o
pênis, a vagina e a boca.

Gonorreia – É uma infecção provocada por uma bactéria. A forma como ela se apresenta
varia muito, incluindo odores fortes na vagina, corrimentos amarelados ou, até mesmo,
praticamente sem apresentar sintomas.

Sífilis – Também provocada por uma bactéria, a sífilis é uma doença que pode trazer
consequências graves sem tratamento adequado. Ela se manifesta por feridas
(ulcerações) que aparecem 20 a 30 dias após a relação sexual. Se não for tratada, a
sífilis pode progredir até afetar o sistema nervoso central. Em mulheres grávidas, pode
ser transmitida para o feto.

Cancro mole ou bubão – Feridas nos órgãos genitais são o principal sintoma desse
tipo de DST. A secreção dessas feridas é contagiosa, mesmo que não tenha ocorrido
contato sexual.

60
Condiloma acuminado (crista de galo) – É um tipo de DST que precisa ser tratado em
conjunto pelo casal. O condiloma surge na forma de uma pequena verruga nos órgãos
genitais masculino e feminino. O HPV é o causador desta DST, da mesma forma que
está ligado ao câncer de colo de útero e do pênis.

Além dessas doenças, as infecções vaginais candidíase e tricomoníase (vistas na


Unidade 3) também podem ser transmitidas sexualmente.

UM ALERTA PARA TODAS AS MULHERES

A saúde das mulheres durante os anos férteis ou reprodutivos (entre 15 e 49 anos)


é relevante não apenas para as mulheres em si, mas pelo impacto na saúde e no
desenvolvimento da próxima geração. Muitos dos desafios de saúde encontrados
nessa faixa etária, apenas as meninas e mulheres jovens enfrentam. Por exemplo, as
complicações de gravidez e parto representam a principal causa de óbito em mulheres
jovens com idade entre 15 e 19 anos nos países em desenvolvimento.

Globalmente, a principal causa de óbito entre as mulheres em idade reprodutiva é


HIV/AIDS. Meninas e mulheres são particularmente vulneráveis à infecção pelo vírus
HIV devido à combinação de fatores biológicos com as desigualdades de gênero,
particularmente em culturas que limitam os conhecimentos sobre o HIV e a capacidade
de se proteger e de negociar uma relação sexual mais segura. (OMS, 2009, p. 12)

Agora é com Você!


Sabe qual é a diferença entre grupo de risco e comportamento de risco?

Assista ao vídeo em que o Dr. Dráuzio Varella explica a diferença entre os


dois termos e dá informações valiosas sobre como evitar o contágio.

Comportamentos de risco para AIDS | Dr. Dráuzio Varella

https://www.youtube.com/watch?v=ELBkTy63PDc

61
Muito bem, você concluiu o conteúdo da Unidade. Agora, você está apto
para testar seus conhecimentos na bateria de questões. Ao finalizar
esta etapa, prossiga em seus estudos.

Glossário

Cervicite: inflamação do cérvix (colo do útero).

Doença sintomática: doença que apresenta pelo menos algum sintoma.

Uretrite: inflamação da uretra, isto é, do canal da urina.

62
Atividades

1) As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) estão entre os

dd
problemas de saúde pública mais comuns em todo o mundo. Qual
das doenças abaixo não é uma DST?

( ) Gonorreia

( ) Tricomoníase

( ) Pneumonia

( ) Sífilis

2) Sobre o HIV, é correto afirmar que:

( ) É um vírus responsável por grande mortalidade no mundo.

( ) Embora seja um vírus, ele não afeta muito a vida dos


portadores.

( ) Em culturas em que a sociedade não limita os conhecimentos


sobre o HIV, os índices de transmissão são menores.

( ) Mulheres são particularmente vulneráveis à infecção pelo HIV


devido à combinação de fatores biológicos com as desigualdades de
gênero.

3) A saúde das mulheres durante os anos reprodutivos impacta


na saúde e no desenvolvimento dela e da próxima geração. Sobre
esse assunto, assinale a alternativa falsa.

( ) As complicações de gravidez e parto representam a principal


causa de óbito em mulheres jovens nos países em desenvolvimento.

A principal causa de óbito entre as mulheres em idade reprodutiva


é HIV/AIDS.

( ) Desigualdades de gênero afetam a saúde da mulher, pois há


varias culturas onde o acesso delas à saúde e à informação.

( ) As dificuldades encontradas por mulheres na fase reprodutiva


são as mesmas que a dos homens.

63
Referências

BRASIL. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. O que são IST. Portal da
internet, 2016. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pagina/o-que-sao-dst>. Acesso
em: 21 de agosto de 2016.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST,


Aids e Hepatites Virais. Prevenção das DST, HIV e Aids. Adolescentes e jovens para
a educação entre pares. Saúde e prevenção nas escolas. Brasília: 2010. (Série Manuais
n. 69). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/prevencao_dst_hiv_aids.
pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

64
UNIDADE 10 |
ACOMPANHAMENTO MÉDICO

65
1 Acompanhamento Médico
Ao longo deste curso, foi possível perceber
a importância do uso de preservativos nas
relações sexuais e do uso de métodos
seguros de contracepção.

Também foi possível perceber que a


prevenção de doenças e seu diagnóstico
precoce são fundamentais para o êxito do
tratamento.

Tudo isso reitera a necessidade de procurar Fonte: www. thinkstockphotos.com


sempre um profissional da área da saúde
para obter orientação, acompanhamento e tratamento. Ir ao médico regularmente
para fazer exames preventivos é uma ação que deveria ser comum e praticada por
todas as pessoas.

E, quando se fala em gravidez, esses cuidados devem ser redobrados, pois são duas
vidas que precisam de cuidados e atenção.

A mulher, pelo menos três meses antes de engravidar, deve procurar um médico para
fazer exames e avaliar sua condição orgânica. Isso poderá evitar muitos problemas
durante a gravidez. E, depois de engravidar, deve fazer uma série de exames, chamada
de pré-natal, que nada mais é que uma avaliação do médico obstetra, em que se
observam o desenvolvimento do feto e a saúde da mãe. Esse acompanhamento envolve
o diagnóstico de eventuais enfermidades e a orientação correta à gestante, no aspecto
tanto gestacional quanto nutricional. É recomendável que seja feito mensalmente. No
entanto, nos últimos meses da gestação, o médico poderá solicitar que a gestante
volte às consultas num intervalo menor de tempo.

66
Os problemas mais frequentes que podem surgir ao longo

hh
da gravidez são o diabetes gestacional (elevação da taxa de
açúcar no sangue da gestante); a pré-eclâmpsia (aumento da
pressão arterial da gestante); infecções urinárias; anemia; e
distúrbios da tireoide.

Se a gestante fizer o acompanhamento médico desde antes da


gravidez e seguir as orientações do médico, as chances de ter
problemas cai significativamente. (HOSPITAL..., 2012).

Adicionalmente, lembramos que a saúde do feto também é


importante e objeto de cuidados e atenção nas consultas do
pré-natal.

Agora é com Você!

Os primeiros meses de gravidez inspiram muitos cuidados.

Saiba quais são esses cuidados e quando a gestante deve recorrer ao


médico assistindo ao vídeo no link a seguir. O ginecologista e obstetra,
Dr. Mauro Carvalho, explica quais sintomas podem ser sinal de alguma
alteração e o que fazer se algum deles se manifestar. Confira!

https://www.youtube.com/watch?v=ZXBHWl4l_oA

Ótimo, você acaba de finalizar sua Unidade e está apto a testar seus
conhecimentos nas questões referentes a ela. Prossiga em seus estudos
para concluir o restante de seu curso.

67
Glossário

Anemia: deficiência de ferro no sangue.

Pré-natal: antes do nascimento.

Tireoide: glândula hormonal.

68
Atividades

1) São as complicações de saúde mais comuns durante a

dd
gravidez, exceto:

( ) Meningite

( ) Diabetes gestacional

( ) Pré-eclâmpsia

( ) Anemia

2) Sobre o acompanhamento da saúde, é correto afirmar


que:

( ) Não é necessário ir sempre ao médico. Só precisamos ir


quando ficamos doentes.

( ) Os cuidados de uma mulher grávida devem ser os


mesmos das outras pessoas.

( ) O diagnóstico precoce de doenças é fundamental para o


êxito do tratamento.

( ) Prevenção não é importante, pois temos remédios bem


eficientes para a cura das doenças.

3) Para orientação, acompanhamento e tratamento de


doenças, a quem você deve se dirigir?

( ) Parentes mais velhos

( ) Profissionais da área da saúde

( ) Colegas de trabalho

( ) Professores

69
Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde,
2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 26). Disponível em: <bvsms.saude.gov.br/bvs/
publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

ECOS – Comunicação em Sexualidade. Sexualidade e saúde reprodutiva. Rio de


Janeiro: Instituto Promundo, s/d. (Série Trabalhando com homens jovens.). Disponível
em: <http://promundo.org.br/wp-content/uploads/sites/2/2014/12/Programa-H-
Trabalhando-com-Homens-Jovens.pdf>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

70
UNIDADE 11 | MATERNIDADE
RESPONSÁVEL

71
1 Maternidade Responsável
Algumas mulheres decidem ter filhos
sozinhas, fazendo uma “produção
independente”. Outras acabam ficando
sozinhas porque os parceiros simplesmente
“desaparecem” e não assumem os filhos.

A responsabilidade pelos filhos é tanto


da mãe quanto do pai. Ela se inicia na
concepção e vai até o momento em
que os filhos não necessitem mais de
acompanhamento, ou seja, quando
atingem a maioridade (respondem por
seus atos), se tornam autônomos e independentes.

A Constituição Brasileira e a Lei de Planejamento Familiar asseguram aos cidadãos


(homens e mulheres) o direito de decidirem se querem ter filhos ou não. Asseguram
também o acesso à orientação e a métodos contraceptivos, caso não desejem ser pais.

Da mesma forma, a lei garante os direitos das crianças que forem geradas. Ou seja,
pais que não cumprirem com suas responsabilidades e obrigações irão responder
legalmente por isso. É importante que homens e mulheres tenham responsabilidade
e usem os métodos anticoncepcionais se não quiserem ter filhos. Qualquer ação que
ponha em risco ou ameace intencionalmente uma vida gerada é considerada crime.

É fato que alguns homens acabam delegando o compromisso de usar métodos


contraceptivos para as mulheres, sobrecarregando-as com a responsabilidade caso
haja alguma falha na anticoncepção e ocorra uma gravidez. Nesses casos, embora
não seja o ideal, já que a prevenção à gravidez é de responsabilidade do casal, acaba
ficando sob o encargo feminino a tarefa de procurar informações e obter recursos e
métodos eficazes para evitar uma gravidez não planejada.

E, no caso de ocorrer uma gravidez, mesmo que o homem e a mulher decidam não ficar
juntos, a lei garante à gestante o direito de receber apoio financeiro do pai da criança,
antes de o bebê nascer. É a Lei de Alimentos Gravídicos.

72
A Lei de Alimentos Gravídicos, que entrou em vigor em 2008,

ee
prevê que o futuro pai deve arcar com as despesas adicionais
do período de gravidez, decorrentes da gestação, desde a
concepção até o parto, incluindo despesas com alimentação
especial, assistência médica e psicológica, exames, internações,
parto, medicamentos e outras prescrições que os médicos
fizerem por conta da gestação.

Depois do nascimento da criança, sendo comprovada a


paternidade, os alimentos gravídicos são convertidos em
pensão alimentícia. (BRASIL, 2008).

Agora é com Você!

A Lei de Alimentos Gravídicos ainda não é muito conhecida e várias


mulheres que tentaram obtê-la enfrentaram dificuldades. Outras, por
falta de orientação, não sabiam a quem recorrer.

Assista ao vídeo através do link a seguir, em que a defensora pública do


estado do Tocantins, Irisneide Ferreira dos Santos, explica o que é a lei,
como funciona e o que a gestante deve fazer para obtê-la.

http://tinyurl.com/hu7v796

Depois, reflita sobre o seguinte: homens e mulheres poderiam evitar


muitos problemas e desgastes se fossem mais criteriosos e evitassem a
gravidez no lugar de fugir das responsabilidades que ela acarreta.

Parabéns! Você concluiu todo o conteúdo do curso. Você está pronto


para finalizar seus estudos testando seus conhecimentos na bateria
final de questões. Siga em frente!

73
Glossário

Concepção: ação ou efeito de gerar (ou ser gerado) um ser vivo, em consequência da
fusão do espermatozoide com o óvulo; fecundação, geração.

Delegando: incumbir; fazer uma transmissão de; conceder poderes ou obrigações

Anticoncepção: prevenção da gravidez.

74
Atividades

1) A Constituição Brasileira e a Lei de planejamento familiar

dd
asseguram aos cidadãos o direito de decidirem se querem
ter filhos ou não. Sobre a responsabilidade na concepção da
criança, ela depende de quem?

( ) Apenas do pai, pois ele é quem deve sustentar a casa.

( ) Dos avós, pois eles deveriam ter educado melhor os


filhos.

( ) Apenas da mãe, pois ela é quem fica grávida.

( ) Do pai e da mãe, pois ambos contribuíram biologicamente


para essa concepção.

2) Sobre a maternidade, é correto afirmar que:

( ) Algumas mulheres decidem ter filhos sozinhas.

( ) A responsabilidade dos pais começa na concepção e


termina quando a criança entra na escola.

( ) O uso de métodos de contracepção, como a pílula do dia


seguinte, é considerado crime.

( ) Os avós têm o direito de tomar a guarda das crianças,


pois eles são mais velhos e experientes.

3) São direitos básicos da criança, exceto:

( ) Saúde

( ) Brinquedos

( ) Alimentação

( ) Educação

75
Referências

GINECO. Métodos contraceptivos. Portal da internet Gineco, 2015. Disponível em:


<http://www.gineco.com.br/saude-feminina/metodos-contraceptivos/planejamento-
familiar/>. Acesso em: 21 de agosto de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portal Brasil. Planejamento familiar. 2011. Disponível


em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2011/09/planejamento-familiar>. Acesso em: 21
de agosto de 2016.

PORTAL EDUCAÇÃO. Maternidade e paternidade responsável. Portal da internet


Portal Educação, 2013. Disponível em: <http://www.portaleducacao.com.br/direito/
artigos/32249/maternidade-e-paternidade-responsavel#ixzz45Frn4dyd>. Acesso em:
21 de agosto de 2016.

76
Gabarito
Unidade 1
1. Resposta: É um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste
apenas na ausência de doença ou de enfermidade.

2. Resposta: O elevado número de filhos.

3. Resposta: O consumo frequente de sobremesas bem doces após as refeições.

Unidade 2
1. Resposta: Dengue

2. Resposta: Tomar várias doses de anticoncepcional.

3. Resposta: Estão entre as principais causas de morte da população feminina.

Unidade 3
1. Resposta: O ideal é usar sabonetes próprios, que não irritam a parte genital feminina.

2. Resposta: O corpo feminino não expele secreção vaginal naturalmente.

3. Resposta: Tricomaníase, candidíase e vaginose bacteriana.

Unidade 4
1. Resposta: Acontece a cada mês.

2. Resposta: Que a fertilidade da mulher terminou.

3. Resposta: Eles podem ser internos ou externos.

Unidade 5
1. Resposta: Laqueadura

2. Resposta: Contém doses de progesterona e estrógeno.

3. Resposta: Não hormonal ou de barreira

77
Unidade 6
1. Resposta: Diarreia

2. Resposta: A relação sexual e a migração das bactérias do trato gastrintestinal para


a bexiga.

3. Resposta: Com antibióticos e aumento da ingestão de líquidos.

Unidade 7
1. Resposta: Juventude

2. Resposta: O primeiro sinal da doença costuma ser a presença de um nódulo (não


doloroso e endurecido) na mama.

3. Resposta: Um tumor maligno, formado pelo desenvolvimento de células de maneira


desordenada, criando um ou mais nódulos na mama.

Unidade 8
1. Resposta: Câncer cervical

2. Resposta: Eles passam por uma fase de pé-malignidade.

3. Resposta: Anualmente

Unidade 9
1. Resposta: Pneumonia

2. Resposta: É um vírus responsável por grande mortalidade no mundo.

3. Resposta: As dificuldades encontradas por mulheres na fase reprodutiva são as


mesmas que a dos homens.

Unidade 10
1. Resposta: Meningite

2. Resposta: O diagnóstico precoce de doenças é fundamental para o êxito do


tratamento.

3. Resposta: Profissionais da área da saúde.

78
Unidade 11
1. Resposta: Do pai e da mãe, pois ambos contribuíram biologicamente para essa
concepção.

2. Resposta: Algumas mulheres decidem ter filhos sozinhas.

3. Resposta: Brinquedos

79
Unidade 11
1. Resposta:

2. Resposta:

3. Resposta:

80