Você está na página 1de 5

1

(NEO)Constitucionalismo

1. De que forma a soberania popular se manifesta?

2. (TRF 3.ª Região — Juiz Federal/XI Concurso) A soberania popular será exercida pelo voto direto
e secreto, com valor igual para todos, e nos termos da lei, por:
a) plebiscito, referendo e iniciativa popular.
b) plebiscito e iniciativa popular.
c) plebiscito, referendo, iniciativa popular e comícios político-partidários.
d) plebiscito e referendo.
3. (Procurador DF — 2004) O exercício do poder não pelo seu titular, mas por órgãos de soberania
que atuam no interesse do povo constitui o sentido essencial do:
a) princípio da dignidade da pessoa humana.
b) princípio do sufrágio.
c) princípio do pluralismo político.
d) princípio da representação.
e) princípio da soberania popular.
4. (DP/SP 2006 — FCC) O que assegura aos cidadãos o exercício dos seus direitos, a divisão dos po-
deres e, segundo um dos seus grandes teóricos, a limitação do governo pelo direito é:
a) o constitucionalismo.
b) a separação de poderes.
c) o princípio da legalidade.
d) o federalismo.
e) o Estado Democrático de Direito.
5. (Procurador MP do TCE/MG — FCC/2007) No sentido de alcançar-se um ponto de equilíbrio
entre as concepções extraídas do constitucionalismo moderno e os excessos do constitucionalis-
mo contemporâneo, considere: I. Solidariedade; II. Participação; III. Descontinuidade; IV. Integra-
ção; V. Normas programáticas; VI. Universalização; VII. Consenso.
Segundo Dromi, deverão marcar o constitucionalismo do futuro APENAS os valores indicados em:
a) I, II, IV, VI e VII.
b) I, II, III, VI e VII.
c) I, IV, V, VI e VII.
d) II, III, IV, V e VI.
e) II, IV, V, VI e VII.
6. (MP/RN — CESPE/UnB/2009) Acerca do constitucionalismo, assinale a opção incorreta:
a) A origem do constitucionalismo remonta à antiguidade clássica, especificamente ao povo
hebreu, do qual partiram as primeiras manifestações desse movimento constitucional em
busca de uma organização política fundada na limitação do poder absoluto.
b) O neoconstitucionalismo é caracterizado por um conjunto de transformações no Estado e
no direito constitucional, entre as quais se destaca a prevalência do positivismo jurídico, com
a clara separação entre direito e valores substantivos, como ética, moral e justiça.
c) O constitucionalismo moderno representa uma técnica específica de limitação do poder
com fins garantidores.
2 Direito Constitucional Esquematizado ® Pedro Lenza

d) O neoconstitucionalismo caracteriza-se pela mudança de paradigma, de Estado Legislativo


de Direito para Estado Constitucional de Direito, em que a Constituição passa a ocupar o
centro de todo o sistema jurídico.
e) As constituições do pós-guerra promoveram inovações por meio da incorporação explícita,
em seus textos, de anseios políticos, como a redução de desigualdades sociais, e de valores
como a promoção da dignidade humana e dos direitos fundamentais.
7. (Defensoria Pública/ES — FCC/2016) Em relação ao fenômeno da “constitucionalização” do Di-
reito, impactando as diversas disciplinas jurídicas, como, por exemplo, o Direito Civil, o Direito
Processual Civil, o Direito Penal etc., e a força normativa da Constituição, considere:
I. A nova ordem constitucional inaugurada em 1988 tratou de consolidar a força normativa e
a supremacia da Constituição, muito embora mantida a centralidade normativo-axiológica
do Código Civil no ordenamento jurídico brasileiro.
II. Em que pese parte da doutrina atribuir força normativa à Constituição, ainda predomina,
sobretudo na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, o entendimento de que a norma
constitucional possui natureza apenas programática.
III. No âmbito do Direito Privado, a eficácia entre particulares (ou vertical) dos direitos funda-
mentais é um exemplo significativo da força normativa da Constituição e da “constituciona-
lização” do Direito Civil.
IV. Não obstante a força normativa da Constituição e o novo rol de direitos fundamentais con-
sagrado pela Constituição Federal de 1988, o ordenamento jurídico brasileiro ainda se en-
contra assentado normativamente em um paradigma ou tradição liberal-individualista.
V. A “despatrimonialização” do Direito Civil, conforme sustentada por parte da doutrina, é
reflexo da centralidade que o princípio da dignidade da pessoa humana e os direitos funda-
mentais passam a ocupar no âmbito do Direito Privado, notadamente após a Constituição
Federal de 1988.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) V.
b) I e III.
c) III, IV e V.
d) II e III.
e) III e V.

8. (Defensoria Pública — MP/FUMARC/2009) Constituiu-se no cerne do constitucionalismo social:


a) O juiz, como boca da lei.
b) Os interesses difusos.
c) O voto censitário.
d) O intervencionismo diversificado.
e) Os direitos individuais.
9. (Atividades Notariais/Registro/TJ — MG — Vunesp/2009) Assinale a alternativa que contém
uma afirmativa correta a respeito do constitucionalismo.
a) O constitucionalismo teve seu marco inicial com a promulgação, em 1215, da Magna Carta
inglesa.
b) O constitucionalismo surge formalmente, em 1948, com a edição da Declaração Universal
dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas.
c) A doutrina do Direito Constitucional é uníssona no entendimento de que o constitucionalis-
mo surgiu com a revolução norte-americana resultando, em 1787, na Constituição dos Esta-
dos Unidos da América.
d) É possível identificar traços do constitucionalismo mesmo na antiguidade clássica e na Idade
Média.
e) O constitucionalismo brasileiro inspirou-se fortemente no modelo constitucional do Estado
da Inglaterra.
10. (MP/GO — 2010) 46. Segundo J. J. Gomes Canotilho, o constitucionalismo é uma “... teoria (ou
ideologia) que ergue o princípio do governo limitado indispensável à garantia dos direitos em
dimensão estruturante da organização político-social de uma comunidade. Neste sentido, o cons-
titucionalismo moderno representará uma técnica específica de limitação do poder com fins ga-
rantísticos. O conceito de constitucionalismo transporta, assim, um claro juízo de valor. É, no
1 (Neo)Constitucionalismo 3

fundo, uma teoria normativa política, tal como a teoria da democracia ou a teoria do liberalismo”.
A partir dessa visão conceitual, assinale a alternativa incorreta:
a) As constituições norte-americana, de 1787, e a francesa, de 1791, são os marcos históricos e
formais do constitucionalismo moderno.
b) O constitucionalismo garante aos cidadãos o exercício dos seus direitos, mesmo que tenha
que limitar o poder do governo.
c) A concepção de constituição dirigente é antagônica ao conceito de constitucionalismo.
d) O neoconstitucionalismo busca ultrapassar a ideia de limitação do poder político para repre-
sentar a busca de eficácia da Constituição, particularmente na efetivação dos direitos fun-
damentais.
11. (ANATEL — Analista Administrativo — Direito — CESPE/UnB/2006) O constitucionalismo pode ser
corretamente definido como um movimento que visa limitar o poder e estabelecer um rol de direitos
e garantias individuais, o que cria a necessidade de se instituir uma carta, em regra escrita, que possa
juridicizar essa relação entre Estado e cidadão, de forma a se gerar mais segurança jurídica.

12. (PGE/PE — CESPE/UnB/2009) Tendo o texto abaixo como motivação, assinale a opção correta
a respeito do constitucionalismo e do neoconstitucionalismo:
Chega de ação. Queremos promessas. Assim protestava o grafite, ainda em tinta fresca, inscrito
no muro de uma cidade, no coração do mundo ocidental. A espirituosa inversão da lógica natural
dá conta de uma das marcas dessa geração: a velocidade da transformação, a profusão de ideias,
a multiplicação das novidades. Vivemos a perplexidade e a angústia da aceleração da vida. Os
tempos não andam propícios para doutrinas, mas para mensagens de consumo rápido. Para jin-
gles, e não para sinfonias. O direito vive uma grave crise existencial. Não consegue entregar os
dois produtos que fizeram sua reputação ao longo dos séculos. De fato, a injustiça passeia pelas
ruas com passos firmes e a insegurança é a característica da nossa era.
Na aflição dessa hora, imerso nos acontecimentos, não pode o intérprete beneficiar-se do distan-
ciamento crítico em relação ao fenômeno que lhe cabe analisar. Ao contrário, precisa operar em
meio à fumaça e à espuma. Talvez esta seja uma boa explicação para o recurso recorrente aos
prefixos pós e neo: pós-modernidade, pós-positivismo, neoliberalismo, neoconstitucionalismo.
Sabe-se que veio depois e que tem a pretensão de ser novo. Mas ainda não se sabe bem o que é.
Tudo é ainda incerto. Pode ser avanço. Pode ser uma volta ao passado. Pode ser apenas um movi-
mento circular, uma dessas guinadas de 360 graus.
L. R. Barroso. Neoconstitucionalismo e constitucionalização do direito. O triunfo tardio do direito
constitucional no Brasil. In: Internet: <jus2.uol.com.br> (com adaptações).
a) O neoconstitucionalismo tem como marco filosófico o pós-positivismo, com a centralidade
dos direitos fundamentais, no entanto, não permite uma aproximação entre direito e ética.
b) A democracia, como vontade da maioria, é essencial na moderna teoria constitucional, de
forma que as decisões judiciais devem ter o respaldo da maioria da população, sem o qual
não possuem legitimidade.
c) No neoconstitucionalismo, a Constituição é vista como um documento essencialmente polí-
tico, um convite à atuação dos poderes públicos, ressaltando que a concretização de suas
propostas fica condicionada à liberdade de conformação do legislador ou à discricionarieda-
de do administrador.
d) O constitucionalismo pode ser definido como uma teoria (ou ideologia) que ergue o princípio
do governo limitado indispensável à garantia dos direitos em dimensão estruturante da orga-
nização político-social de uma comunidade. Nesse sentido, o constitucionalismo moderno
representa uma técnica de limitação do poder com fins garantísticos.
e) O neoconstitucionalismo não autoriza a participação ativa do magistrado na condução das
políticas públicas, sob pena de violação do princípio da separação dos poderes.
13. (TJ/CE — Titular de Serviços de Notas e de Registros — IESES/2011) Leia atentamente as pro-
posições abaixo e assinale a que se apresentar correta:
a) O poder constituinte inicial, por romper completamente com a ordem jurídica anterior, é
ilimitado, absoluto e arbitrário.
b) Acerca da história do constitucionalismo, é correto afirmar que Karl Loewenstein identificou
indícios do seu surgimento entre os hebreus durante a Antiguidade, por ter lá encontrado
certas limitações ao poder político, mormente aquelas que asseguravam aos profetas a legi-
timidade para fiscalizar os atos governamentais que extrapolassem os limites bíblicos.
4 Direito Constitucional Esquematizado ® Pedro Lenza

c) A elaboração da Lei Orgânica, pelo Município, pode ser considerada verdadeira manifestação
do poder constituinte decorrente, também conferido aos Estados-Membros da Federação.
d) O sistema constitucional vigente criou a figura do poder constituinte derivado revisor, cuja
manifestação, prevista no art. 3.º do ADCT, deve ocorrer a cada dez anos, visando manter
atual o texto da Constituição.
14. (Delegado de Polícia — PC/GO — UEG/2013) O Constitucionalismo contemporâneo apresenta
movimentos teóricos importantes, dentre os quais destacam-se o Neoconstitucionalismo, cuja
característica é a presença hegemônica dos princípios como critério de interpretação, como fator
de onipresença da Constituição Federal, e o Novo Constitucionalismo Democrático Latino-Ameri-
cano, fundado nas novas perspectivas trazidas pelas Constituições da América Latina. Esses mo-
vimentos distinguem-se entre si, pois:
a) o Neoconstitucionalismo valoriza a dimensão jurídica da Constituição Federal, enquanto
para o Novo Constitucionalismo Democrático Latino-Americano a busca da legitimidade
democrática se dá pela maior e mais efetiva participação popular.
b) o Novo Constitucionalismo Democrático Latino-Americano reconhece e incorpora os princí-
pios do estado moderno, servindo-se dos modelos de freios e contrapesos, enquanto o Neo­
constitucionalismo nega tal modelo.
c) o Novo Constitucionalismo Democrático Latino-Americano reconhece o pluralismo jurídico
pautado na jurisdição estatal única, enquanto o Neoconstitucionalismo funda-se em uma
jurisdição constitucional separada.
d) o Neoconstitucionalismo inaugura um modelo de valorização da diversidade e do plurina-
cionalismo, enquanto o Novo Constitucionalismo Democrático Latino-Americano assume e
garante a associação da ideia Estado-nação.
15. (Rioprevidência — Especialista em Previdência Social — Gestão de Tecnologia da Informação
— CEPERJ/2014) A expressão constitucionalismo, como apontam os juristas, é de origem recente
e traduz o resultado dos movimentos contrários a determinados modelos de governo que foram
predominantes em denominada quadra histórica. Nessa trilha, o constitucionalismo traduz:
a) centralização de governo.
b) limitação do poder.
c) vitória do proletariado.
d) democracia socialista.
e) governo das elites.

JJ GABARITO 

1. A soberania popular é exercida por sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor
igual para todos, nos termos da Lei n. 9.709, de 18.11.1998, e das normas constitucionais perti-
nentes, mediante: plebiscito, referendo e iniciativa popular.
2. “a”. Art. 14, I, II e III, da CF/88.
3. “d”. Art. 1.º, parágrafo único, da CF/88.
4. “a”.
5. “a”. “III. Descontinuidade” — está errado, pois o valor sugerido por Dromi é justamente o
contrário, qual seja, a continuidade, a ideia de manter nos textos futuros os avanços; “V. Normas
programáticas” — não reflete o sentido proposto por Dromi, já que violaria a verdade. Como se
verificou na parte teórica, a Constituição não pode gerar falsas expectativas. Assim, a Constitui-
ção do “por vir” (futuro) deve estabelecer normas possíveis e eficazes, deixando de lado as
normas que prometem situações inalcançáveis.
6. “b”. Vide parte teórica.
7. “a”.
8. “d”.
1 (Neo)Constitucionalismo 5

9. “d”. Vide parte teórica.


10. “c”. Vide parte teórica.
11. “certa”. Vide parte teórica.
12. “d”.
13. “b”, conforme a parte teórica, item 1.2.2.1. A letra “a” está errada, pois, como estudaremos no
capítulo 4, não se pode falar que o poder constituinte originário seja absoluto e arbitrário, ape-
sar de ilimitado juridicamente. A letra “c” está errada consoante explicaremos no item 4.5.3.2. A
letra “d” está errada, pois o poder de revisão se manifestaria a partir de 5 anos da promulgação
do texto e uma única vez, estando, assim, o art. 3.º do ADCT, na medida em que já se manifes-
tou, com a sua eficácia exaurida e aplicabilidade esgotada (cf. item 4.5.4).
14. “a”.
15. “b”.