Você está na página 1de 16

Série Fruticultura - N.

Compostagem
produção
de
adubo
a partir
de
resíduos
orgânicos
GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ
SECRETARIA ESPECIAL DE ESTADO DE PRODUÇÃO
SECRETARIA EXECUTIVA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E
MEIO AMBIENTE
DIRETORIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Compostagem:
produção de adubo a partir
de resíduos orgânicos

BELÉM
SECTAM
2003
SIMÃO ROBINSON OLIVEIRA JATENE
Governo do Estado do Pará

FRANCISCO SÉRGIO BELICH DE SOUZA LEÃO


Secretaria Especial de Estado de Produção

MANUEL GABRIEL SIQUEIRA GUERREIRO


Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente

PROGRAMA PARAENSE DE TECNOLOGIAS APROPRIADAS


PPTA

Coordenação: Claudio Cavalcanti Ribeiro

Equipe Técnica: Aluízio Monteiro Diniz


Engel Blagitz Cichovski
Everton Luiz Canuto de Souza
Francilia da Silva Campos
Francimery Alcântara da Silva
Joseane Maria Melo de Nazaré
Josyane Brasil da Silva
Luiz Alberto Ramos Pereira Filho

Editoração e Arte da Capa: Orlando Simões Júnior

Ilustrações: Orlando Simões Júnior

Normalização Bibliográfica: Mara Georgete de C. Raiol


Ana Margarida Vianna Rodrigues

Dados Internacionais de Catalogação-na-Publicação.


(Biblioteca da SECTAM, Belém, Pará)
Pará. Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Programa Paraense
de Tecnologias Apropriadas.
Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos / Secretaria
Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Belém: SECTAM, 2003.

il. --(Série Fruticultura; n. 2)

1. Fruticultura. 2. Compostos Orgânicos - Compostagem. 3. Resíduos Orgânicos. I.


Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. II. Programa Paraense de
Tecnologias Apropriadas. III. Título. IV. Série.

CDD - 631.417
Tv. Lomas Valentinas, 2717 - Marco. Belém - Pará - Brasil. CEP 66095-770
Telefones: (91) 276-5982, 276-5100 R-234. Fax: (91) 276- 1909--
276-1909
http://www.sectam.pa.gov.br/
Sumário

Apresentação 5

1 Introdução 7

2 O que é a compostagem? 9

3 Para que serve sua aplicação 10

4 Materiais empregados no preparo do adubo 11

5 Escolha do local 12

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


5.1 Construção da pilha 12

6 Importância da temperatura, reviramento e umidade 15

7 Aplicação do adubo 16

Bibliografia 17
Apresentação

Prezado Produtor,

O Governo do Estado do Pará e a Secretaria Especial de Estado de


Produção através da Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente
- SECTAM com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e
Tecnológico - CNPq, tem a satisfação de lançar esta publicação. Este é mais um
produto do Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas - PPTA, que tem por
finalidade contribuir para promover a redução da distância existente entre o setor
produtivo e aquele que desenvolve o conhecimento científico e tecnológico,
contribuindo assim para o processo de agregação de valor ao produto paraense.

O PPTA, voltado principalmente para os micro e pequenos


empreendimentos, é um dos componentes de uma estratégia maior do governo
estadual, na qual o Governo Simão Jatene, dando prosseguimento ao projeto que
vem sendo desenvolvido no Estado ao longo dos últimos 8 anos, atua no sentido de

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


verticalizar cada vez mais a produção dentro do Estado, rompendo com o modelo
extrativista que nos foi imposto ao longo de todos estes séculos, a partir de uma
perspectiva de expansão das oportunidades de trabalho, de geração de renda e da
redução de desigualdades.

O Programa teve início em outubro de 2000, e vem atuando a partir de


critérios definidos pelo Governo do Estado e seus parceiros, nos setores de
Floricultura, Fruticultura, Jóias e Artesanato Mineral, Móveis e Artefatos de
Madeira, Oleiro-Cerâmico, contando ainda com o apoio dos setores de Informações
Tecnológicas e de Apoio ao Processo de Gestão em Comunidades.

Aproveitamos para agradecer a todos os nossos parceiros e à sociedade civil,


que nos ajudaram a chegar aos resultados que ora apresentamos através desta
publicação.

Manoel Gabriel Siqueira Guerreiro


Secretário Executivo de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente
1 Introdução

Produzir adubo na propriedade rural é uma prática fácil porque a matéria-


prima a ser usada é obtida de resíduos orgânicos como o lixo doméstico e os restos
de culturas (folhas, ramos, cascas de frutos, etc), ou seja, toda matéria que se joga
compostagem
fora (descarta). Esta atividade é denominada compostagem.

A compostagem, portanto, produz o adubo que é essencial para o solo na


melhoria de sua estrutura e fertilidade, além de proporcionar às culturas um vigor
extraordinário com aumento na sua produtividade. Isto pode ser verificado na
satisfação do produtor rural que realiza tal tarefa.

Esta cartilha visa orientar, de forma simples, os procedimentos a serem


adotados pelos produtores rurais na compostagem com a finalidade de diminuir
seus custos de produção, aumentar a produtividade, melhorar a renda e,

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


consequentemente, sua qualidade de vida.

7
2 O que é a compostagem?

É a produção do composto (adubo) orgânico formado por matéria


orgânica (Mo) humidificada, obtida a partir da transformação (decomposição
biológica) de restos orgânicos (sobras de culturas, frutas, verduras, dejetos de
animais, etc.) pela ação microbiana do solo.

No final da decomposição, o composto apresenta estrutura fofa, cheiro


agradável, temperatura ambiente, pH próximo de 7, livre de agentes patogênicos e
de sementes de ervas daninhas.

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos

9
3 Para que serve sua aplicação

! Serve para enriquecer solos pobres, melhorando a sua estrutura e permitindo


uma boa fertilidade;
! Aumenta a capacidade das plantas na absorção de nutrientes (macro e micro),
fornecendo substâncias que estimulam seu crescimento. Pode-se citar os
macronutrientes - N, P, K,Ca e Mg e os micronutrientes - Bo, Cl, Cu, Co, Na;
! Facilita a aeração do solo, retêm a água e reduz a erosão provocada pelas chuvas;
! Funciona como inoculante para o solo, acumulando os macro e microorganismos
(fungos, actinomicetos, bactérias, minhocas e protozoários) que são formadores
naturais do solo.

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


Nutrientes disponíveis para
absorção das plantas

Mo Cl
Co
K
Mg
Ca Na Absorção
Bo
Cu
P N

10
4 Materiais empregados no preparo do adubo

! Dejetos de animais (estercos de galinha, gado, porco, carneiro, etc.);


! Cascas, bagaços de frutas e caroços não comercializados;
! Resíduos de culturas (cascas de arroz, palha de milho, vagem seca de feijão,
casca seca de café);
! Folhas e ramos de mandioca, bananeira;
! Serragem;
! Restos de capim (colonião, elefante, brachiara, quicuiu, etc).

Além desses materiais, também podem ser utilizados para enriquecer o


adubo orgânico: farinha de osso, cascas de mexilhão e de caranguejo (trituradas),
cinzas e terra preta.
Arroz (cascas e ramos) Feijão (vagem seca)

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


Milho (palha e sabugo)
Restos de Frutas

Estercos Serragem

Restos de alimentos Outros

11
5 Escolha do local

A área escolhida deve apresentar: pouca declividade; proteção de vento e


insolação direta; ser de fácil acesso, permitindo o reviramento da mistura e a
passagem de veículos para transporte de material; e ter água disponível para regar
as medas (pilhas).

5.1 Construção da pilha


Deve-se preparar a área para a construção da pilha através de capina e
limpeza.

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


Após esta etapa, demarcar o local em torno da área a ser utilizada para a
construção da pilha, e fazer canaletas ao redor para protegê-la das enxurradas e
facilitar as regas.

12
A pilha deve ter de 1 a 2 metros de largura e de 1,5 a 1, 8 metro de altura.
Quanto ao comprimento, dependerá da quantidade de resíduos disponíveis.

Os materiais após serem colhidos e separados, devem ser triturados ou


cortados em pequenos pedaços, para uma melhor uniformidade e decomposição
dos mesmos.

A construção da pilha deve ser iniciada espalhando na área uma camada


de restos de culturas com material pobre em nitrogênio (milho, feijão, gramíneas)
até a altura de 20cm, e em seguida molhar a camada. Deve-se evitar o
encharcamento de modo que a umidade ideal esteja em torno de 45% a 50%.

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos

20 c
m

13
Feita a 1ª camada, espalhar sobre esta a 2ª com material rico em
nitrogênio (esterco), a uma altura de 5 cm. Molhar novamente.
Repetir esta operação, de modo que a pilha atinja a altura recomendada,
sendo a última camada com material pobre em nitrogênio.

5 cm
20 cm

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


A pilha depois de pronta, deve ser coberta com folhas de bananeira ou de
sororoca, para proteger das intemperies (chuvas, vento, insolação, etc) e reduzir a
evaporação.
Pode-se enriquecer as camadas com fosfato de rocha e calcário dolomítico
ou ainda com cascas (carapaças) moídas de caranguejo, mexilhão e ostras. Esses
produtos servem para neutralizar a massa em decomposição.
Pilha pronta:

14
6 Importância da temperatura, reviramento e umidade

A temperatura ideal para que se obtenha com sucesso o adubo orgânico,


deve ser mantida entre a 60° a 70° C (não suportável ao tato), pois se ocorrer a
variação desses limites para cima ou pra baixo, poderá ocasionar a queima ou
apodrecimento do material, perdendo com isso o seu valor nutritivo para as
plantas. O controle da temperatura é conseguida fazendo o reviramento periódico
das pilhas de 15 em 15 dias, até que a temperatura chegue ao ideal. A medida da
temperatura pode ser obtida através de um termômetro apropriado ou uma barra
de ferro de 1,5 metro, introduzida até o centro da pilha por 30 minutos. Ao retirá-
la, fazer a medição da temperatura pelo tato.
Medição da temperatura:

O tempo total de decomposição fica em torno de 90 a 120 dias. Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos
Atualmente existe no mercado especializado um produto a base de bactérias que
tem a função de acelerar o processo de decomposição, diminuindo o tempo de
preparação do adubo orgânico pela metade.

Para se ter uma boa atividade microbiana, além de controlar a


temperatura, deve-se ter cuidado na preparação das camadas quanto à umidade,
evitando o encharcamento ao molhá-las. Se isto não for evitado, provocará uma
decomposição lenta devido a falta de aeração e o empobrecimento do esterco em
substâncias nutritivas.

15
7 Aplicação do adubo

A utilização do adubo orgânico é feita através da sua incorporação no solo,


em cobertura ou em covas entre linhas da plantação. A aplicação deve ser de 15 a
20 dias antes do plantio, nas covas ou nas entrelinhas dos cultivos permanentes,
duas vezes por ano. A quantidade aplicada varia de 10 a 15 toneladas por
hectare/ano, dependendo do total de adubo preparado na propriedade.

Formas de aplicação:

Em covas

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


Entrelinhas de plantio

16
Bibliografia

CAMPBELL, Stu. Manual de compostagem para hortas e jardins: como


aproveitar bem o lixo orgânico doméstico. São Paulo: Nobel, 1999. 149p.

COSTA, Carlos Augusto Cordeiro; BRASIL, Heliana Maria Silva. Faça o


adubo para suas plantas. Belém: FCAP, 2000. 15p. (Serviço de Documentação e
Informação)

KIEHL, Edmar José. Preparo do composto na fazenda. Brasília:


EMBRAPA/SNAP, 1980. 15p.

Compostagem: produção de adubo a partir de resíduos orgânicos


PARÁ. Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Lixo:
este problema tem solução. Belém: SECTAM, 1997. (Série Saneamento
Ambiental, 1)

17