Você está na página 1de 186

Editora Poisson

Educação no Século XXI


Volume 7

1ª Edição

Belo Horizonte
Poisson
2018
Editor Chefe: Dr. Darly Fernando Andrade

Conselho Editorial
Dr. Antônio Artur de Souza – Universidade Federal de Minas Gerais
Dra. Cacilda Nacur Lorentz – Universidade do Estado de Minas Gerais
Dr. José Eduardo Ferreira Lopes – Universidade Federal de Uberlândia
Dr. Otaviano Francisco Neves – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Dr. Luiz Cláudio de Lima – Universidade FUMEC
Dr. Nelson Ferreira Filho – Faculdades Kennedy

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


E24
Educação no Século XXI – Volume 7/
Organização Editora Poisson – Belo
Horizonte - MG : Poisson, 2018
186p

Formato: PDF
ISBN: 978-85-93729-79-9
DOI: 10.5935/978-85-93729-79-9.2018B001

Modo de acesso: World Wide Web


Inclui bibliografia

1. Educação 2. Tecnologia. I. Título

CDD-370

O conteúdo dos artigos e seus dados em sua forma, correção e confiabilidade são de
responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores. Os artigos contidos nessa obra foram
originalmente apresentados no XXIII CIAED – Congresso Internacional da ABED de
Educação a Distância, Foz do Iguaçu, PR, Brasil 2017

www.poisson.com.br

contato@poisson.com.br
SUMÁRIO
Capítulo 1: O uso dos recursos tecnológicos na educação municipal de
Piripiri – PI ............................................................................................................. 7
Alex Maciel dos Santos, Maria de Lourdes Cardoso da Silva

Capítulo 2: Dispositivos móveis e gamificação nas aulas de matemática ...........20


Ilson Mendonça Soares Prazeres, Carloney Alves de Oliveira

Capítulo 3: Uso do “Baralho Animal” como recurso interativo de ensino e


aprendizagem em ciências naturais. ...................................................................25
Graça Regina Armond Matias Ferreira, Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Capítulo 4: Atividade gamificada em saúde: entendendo as viroses e seus


métodos de transmissão e prevenção como atividade lúdica no ensino de
ciencias. ...............................................................................................................32
Graça Regina Armond Matias Ferreira, Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Capítulo 5: Educação a distancia na Amazônia: desafios e possibilidades na


implantação ..........................................................................................................38
Aloir Pedruzzi Junior, Ana Cláudia Dias Ribeiro, Emi Silva de Oliveira, Raimundo Gomes da
Silva Junior, Samuel dos Santos Junio

Capítulo 6: O ensino da física através de analogias com variantes do jogo


de xadrez: potencializado com realidade aumentada .........................................45
Olga Yevseyeva, Luciana Bolan Frigo, Alexandre de Matos, Marcio José de Lemos, Deise
do Amaral Tyska

Capítulo 7: Gestão da educação a distância no IFRO .........................................52


Daiana Cavalcante Gomes., Dinalva Barbosa da Silva Fernandes., Lady Day Pereira de
Souza., Maria Beatriz Souza Pereira

Capítulo 8: Formação docente em metodologias ativas de aprendizagem na


educação de jovens e adultos a distância no SESI/SC ........................................57
Janaina Lueders, Naidi Carmen Gabriel, Rosani Aparecida Dias Favretto

Capítulo 9: A utilização gerencial do sistema de acompanhamento e


avaliação dos cursos e-tec Brasil nos polos do curso técnico em secretaria
escolar do IFRJ: um relato de experiência sob a perspectiva discente. .............63
Jorge Alberto Silva Cerdeira, Mariana Azevedo Alves, Aline Camila Luz Ferreira
SUMÁRIO
Capítulo 10: Metodologias ativas no processo criativo na educação básica ......70
Érica Ramos Rocha Silva, Marizilda Escudeiro de Oliveira, Tânia Filomena Knittel

Capítulo 11: Ensino de física no contexto da mediação tecnológica: uma


Proposta para o EMITEC-Bahia. ...........................................................................77
Neide Souza Graça Pinheiro, Káthia Marise Borges Sales

Capítulo 12: A influência dos atores e dos recursos didáticos- tecnológicos,


para a qualidade do ensino a distância no Brasil: uma abordagem
multicriterial ..........................................................................................................83
Joel Peixoto Filho, Carmen Irene Correia de Oliveira

Capítulo 13: Design de mapa interativo 2d da segunda década do Século


XIX para o ensino de história da Bahia ................................................................89
Fabricio Pereira Moreira, Josenilda Pinto Mesquita, Alfredo Eurico Rodrigues Matta

Capítulo 14: A intermediação tecnológica como instrumento de inclusão e


escolarização na zona rural do estado da Bahia .................................................96
Letícia Machado dos Santos, Helisângela Acris Borges de Araújo, Osvaldo Barreto Filho

Capítulo 15: Padrões de competências em tecnologias da UNESCO: análise


do grau de maturidade dos professores da educação básica do Tocantins ......104
Rosita Félix Delmondes, Renê Dettenborn, Telma Reijane Pinheiro da Costa, Marcelo
Lisboa, David Nadler Prata, Danielle Félix Delmondes Figueirêdo

Capítulo 16: Aplicabilidade do ensino a distância para capacitação em


softwares ..............................................................................................................112
Matheus Farone Rabelo, Adriana Luiza de Oliveira

Capítulo 17: Disciplinaridades e a aprendizagem baseada em problemas ........119


Edevaldo Rodrigues Carneiro, Eliane Maria Morriesen, Juliane Retko Urban, Pauline
Balabuch, Antonio Carlos Frasson, Antonio Carlos de Francisco

Capítulo 18: Plataforma UNIREC: espaço de possibilidades na prática


docente na modalidade EAD na rede municipal de Recife .................................125
Jeane Marta Guedes Aguiar -, Rinaldo da Silva Neres -, Sandra Dayse de Albuquerque
Ugiette -, Irenice Bezerra da Silva
SUMÁRIO
Capítulo 19: Educação profissional: utilizando cch desktop para uma
aprendizagem contextualizada ............................................................................131
Ana Patrícia Henzel Richter, Rodrigo Gobbi, Claudinei Walter Simons, Marcos Hivan Petter
Machado, Luana Priscila Wunsch

Capítulo 20: Tecnologia na educação: utilizando o google drive como


ferramenta pedagógica no ensino de robótica ....................................................135
Irenice Bezerra da Silva, Sandradayse de Albuquerque Ugiette, Adriana dos Santos
Rodrigues Cavalcanti, Maria Emilia Maciel da Silva

Capítulo 21: Uma inteligência artificial ensinando sobre inteligência artificial:


relato de experiência ............................................................................................141
Luciano Frontino de Medeiros, Armando Kolbe Junior, Alvino Moser

Capítulo 22: Validação e aplicação do jogo “Dominó Botânico” nas


modalidades EAD e híbrida como proposta de dinamizar o ensino de
ciências de forma interdisciplinar e contextualizada. ..........................................149
Graça Regina Armond Matias Ferreira, Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Capítulo 23: Estratégias e métodos promotores da aprendizagem ativa:


resignificando metodologias de ensino ................................................................157
Nádia Cataryna Nogueira e Silva, Maria da Consolação Pitanga de Sousa

Capítulo 24: Formação profissional técnica: desafios e oportunidades na


execução de um curso híbrido para o meio rural.................................................164
Marina Vianna de Souza, Maria Cristina Ferreira
Autores: ...................................................................................................................................171
Capítulo 1

Alex Maciel dos Santos


Maria de Lourdes Cardoso da Silva

Resumo: Este trabalho surgiu a partir da observação e reflexão a cerca da


importância das novas tecnologias na Educação Pública Municipal do Ensino
Fundamental – 1º ao 9º ano de Piripiri/Piauí, envolvidas no processo ensino-
aprendizagem. As escolas devem incentivar o uso das novas tecnologias como
função expressiva, complementar e intelectual no processo de ensino-
aprendizagem dos alunos contribuindo assim, para o exercício da cidadania numa
sociedade tecnológica. A escola que incorporar os meios de comunicação poderá
desenvolver uma educação ativa e criativa por meio deles. Tais soluções
possibilitam construir conhecimentos sobre a linguagem audiovisual e sua
integração como meio de ensino e de aprendizagem. Este artigo originou-se de um
estudo bibliográfico onde foram contemplados, autores como: Fagundes (1999),
Faria (2004), Niskier (1993), Rocha (2001). Tal pesquisa é de natureza qualitativa
através da qual descrevemos as experiências e resultados obtidos nas
observações feitas sobre a temática, de forma intercalada ao referencial teórico
utilizado. Os sujeitos da pesquisa foram: professores de uma escola pública de
Piripiri. A pesquisa visou identificar a importância, contribuição e desafios,
principalmente no que diz respeito à formação docente, relacionados à utilização
dos recursos tecnológicos em sala de aula. Posto isso, consideramos de extrema
relevância o trabalho e suporte da tecnologia no espaço escolar, pois através
destas é possível, desenvolver o senso-crítico do aluno, tornando-o participe e
sujeito do processo, aguçando sua curiosidade e proporcionando um espaço de
interação. Os resultados alcançados estão fundamentados nas bibliografias e
apontam para o fato de que o educador deve estar ciente e apto para que ocorra
apropriação segura de mais esta ferramenta de auxílio à educação atual.

Palavras - chave: Tecnologia, Ensino-aprendizagem, Escola, Práticas Pedagógicas


8

1. INTRODUÇÃO mudanças na maneira de se relacionar o


papel da tecnologia na educação, de
As transformações da sociedade moderna,
estabelecer a interdisciplinaridade como
com os avanços científicos e tecnológicos, o
premente nas ações educativas escolares na
fenômeno da globalização econômica e
buscar imprescindível, de uma formação
política, o desenvolvimento urbano e as
docente capaz de lidar com esta prática que
contradições resultantes do próprio processo
se faz presente e necessária.
de transformação geram novas necessidades
educacionais e apontam para além da O grande desafio do profissional da
universalização do saber ler, escrever e educação, mais do que utilizar tal ou qual
contar, amplamente discutidas no país. Diante recurso tecnológico é pautar-se em princípios
do exposto Machado (1999, p. 86) aponta que privilegiam a construção do
que: conhecimento, o aprendizado significativo,
interdisciplinar e integrador do pensamento
racional, estético, ético e humanista. A escola
Há necessidade de adaptação e de precisa deixar de ser meramente uma
constante revisão do que está agência transmissora de informação e focar
acontecendo. Então, isso gera a sua intencionalidade na aprendizagem de
necessidade de que o poder decisório fato. O foco da aprendizagem é a busca da
esteja exatamente onde à coisa acontece. informação significativa, da pesquisa, o
Porque, até que ele chegue aonde é desenvolvimento de projetos e não
necessário, já houve a mudança, as coisas predominantemente a transmissão de
estão diferentes, e aí aquela decisão já conteúdos específicos. E a tecnologia está aí
não tem mais sentido. como um instrumento de amplas
possibilidades.
Nesse contexto o uso da tecnologia no
A discussão sobre a utilização das
contexto escolar requer a formação, o
tecnologias da informação e comunicação no
envolvimento e o compromisso de todos que
espaço educacional deve centralizar-se na
atuam no processo educacional no sentido de
questão pedagógica. Pode-se verificar que
repensar o processo de ensino e
nos últimos anos surgiram de forma intensa,
aprendizagem na e para a sociedade do
inclusive nos aspectos quantitativo e
conhecimento. Desta forma os profissionais
qualitativo, grandes mudanças tecnológicas,
da educação de hoje devem mergulhar no
principalmente no campo da microeletrônica
novo modo de aprender e ensinar, onde todos
e das telecomunicações, as quais
são emissores e receptores de informação,
proporcionaram o desenvolvimento em
logo educador e educando constroem juntos
diversas áreas. Todas essas evoluções
os conhecimentos, ensinando-se
científicas foram também favorecidas pela
mutuamente.
informática, que possibilita o embasamento e
aprimoramento dos processos de produção e Tendo em vista um processo de ensino e
pesquisas. aprendizagem entendido como comunicação,
diálogo e interação, nada melhor que assumir
O interesse em estudar esse tema surgiu a
a importância e utilização dos recursos de
partir da importância do processo de
multimeios nas práticas pedagógicas.
incorporação das tecnologias na escola,
Segundo Morin (2007) os professores podem
aprendendo-se a lidar com a diversidade,
ajudar os alunos incentivando-os a saber
abrangência e a rapidez de acesso as
perguntar, a enfocar questões importantes, a
informações, bem como outras possibilidades
ter critérios na escolha de sites, de avaliação
de comunicação e interação, o que propicia
de páginas, a comparar textos com visões
novas formas de aprender, ensinar e produzir
diferentes. Os professores podem focar mais
conhecimentos inacabados.
a pesquisa do que dar respostas prontas.
Diante desta perspectiva, o objetivo deste Podem propor temas interessantes e
estudo é analisar pressupostos teóricos de caminhar dos níveis mais simples de
que os recursos tecnológicos apresentam-se investigação para os mais complexos; das
como meio potencial de espaços páginas mais coloridas e estimulantes para as
interdisciplinares e que, os professores mais abstratas; dos vídeos e narrativas
precisam identificar em suas práticas a impactantes para os contextos mais
necessidade de instaurar estes momentos e abrangentes e assim ajudar a desenvolver um
estes recursos. Estas ideias instigam pensamento arborescente, com rupturas

Educação no Século XXI - Volume 7


9

sucessivas e uma reorganização semântica ainda maior no processo ensino-


contínua. aprendizagem. Será outra revolução que os
educadores terão de enfrentar sem ter
As novas tecnologias de informação e da
assimilado totalmente o que as novas
comunicação articulam várias formas
tecnologias têm para oferecer.
eletrônicas de armazenamento, tratamento e
difusão da informação. Para Valente (2001), Diante dos desafios que se vive em uma
pesquisador e escritor sobre novas sociedade do conhecimento, na qual as
tecnologias na educação, os computadores informações são veiculadas com rapidez e
estão propiciando uma verdadeira revolução em grande abrangência, a presença das TIC
no processo ensino-aprendizagem, devido à na educação não é tardia. Se a sociedade
variedade de softwares para auxílio deste evolui, a educação também precisa avançar.
processo, assim como a sua utilização tem Essas tecnologias se apresentam como uma
provocado vários questionamentos a respeito contribuição para o espaço escolar, visto que
dos métodos de ensino utilizados. De acordo seu papel é a formação de pessoas que
com Valente, o educador deve conhecer o sejam capazes de lidar com o mundo
que cada ferramenta tecnológica tem a contemporâneo. Isso é revelado por meio de
oferecer e como pode ser explorada em documentos, os Parâmetros Curriculares
diferentes situações educacionais. Nacionais, que recomendam o uso das
tecnologias em sala de aula.
Serão abordados neste trabalho os recursos
tecnológicos de forma geral, observando seus
conceitos e seu papel histórico e social, bem
É indiscutível a necessidade crescente do
como sua importância, contribuição e
uso de computadores pelos alunos como
dificuldades no contexto educacional, como
instrumento de aprendizagem escolar,
suporte ao professor e aluno no processo de
para que possam estar atualizados em
ensino-aprendizagem. Essas questões
relação às novas tecnologias da
pretendem levar à reflexão a cerca da
informação e se instrumentalizarem para
formação do professor para lidar com esses
as demandas sociais presentes e futuras."
recursos tecnológicos em sala de aula e da
(BRASIL, 1998, p. 96) "As tecnologias da
importância destes para o desenvolvimento
comunicação e da informação e seu
de uma educação de qualidade, a
estudo devem permear o currículo e suas
fundamentação teórica pauta-se na
disciplinas" (BRASIL, 1999, p. 134).
compreensão acerca da interdisciplinaridade
e dos recursos tecnológicos que
potencializam esta prática.
Quando utilizamos o termo tecnologia
Nesta pesquisa destacam-se autores como: educacional, os educadores consideram
Viana (2004),Faria (2004), Kenski (2007), como um paradigma do futuro, mas a
Valente (2001). Tal pesquisa é de natureza tecnologia educacional está relacionada aos
qualitativa e do tipo exploratória, através do antigos instrumentos utilizados no processo
qual será descrito as experiências e ensino-aprendizagem. O pincel, a lousa, o
resultados obtidos nas observações, retroprojetor, o vídeo, a televisão, o jornal
questionários feitos aos professores sobre o impresso, um aparelho de som, um DVD, o
uso de recursos tecnológicos em sala de aula rádio, o livro e o computador são todos
como um meio facilitador da aprendizagem, elementos instrumentais componentes da
intercalando com o referencial teórico tecnologia educacional. Mas, por que tantas
utilizado. atenções voltadas para o computador?
Os demais instrumentos têm seus usos
limitados. Por exemplo, a programação de
2. CONCEITOS E REFLEXÕES SOBRE
uma aula com o uso do rádio terá sempre de
TECNOLOGIA EDUCACIONAL
ser realizada no horário do programa da
As novas Tecnologias usadas na educação, transmissora de rádio. Não há como
que já estão ficando ultrapassadas, deverão interromper um noticiário para efetuar
receber um novo incentivo com a questionamentos. O aluno é um receptor das
possibilidade de junção de diferentes mídias mensagens transmitidas, não ocorrendo a
em um só artefato: TV, Vídeo, Computador, interatividade com o rádio. A vídeo-aula
Internet. Testemunha-se o nascimento da possibilita a paralisação da apresentação,
tecnologia digital, que poderá ter um impacto conforme o interesse do professor, mas

Educação no Século XXI - Volume 7


10

também não ocorre a interatividade. No caso trazendo significativas contribuições à


do pincel, além de ter uma produção lenta e aprendizagem.
cansativa, muitos professores apresentam
Essa prática pedagógica é uma forma de
sintomas de dor no corpo; dessa forma, o
conceber educação que envolve o aluno, o
retroprojetor ganhou um imenso impulso,
professor, as tecnologias disponíveis, a
facilitando, agilizando e tornando a aula mais
escola e seu entorno e todas as interações
atrativa, mas este não apresenta
que se estabelecem nesse ambiente,
características além da projeção de imagens
denominado ambiente de aprendizagem.
num telão. O uso da televisão, também, é
Tudo isso implica um processo de
passivo, e temos de nos adequar à
investigação, representação, reflexão,
programação prevista pela emissora.
descoberta e construção do conhecimento,
O ganho do computador em relação aos no qual as mídias a utilizar são selecionadas
demais recursos tecnológicos, no âmbito segundo os objetivos da atividade. No
educacional, está relacionado à sua entanto, caso o professor não conheça as
característica de interatividade, à sua grande características, as potencialidades e as
possibilidade de ser um instrumento que limitações das tecnologias e mídias, ele
pode ser utilizado para facilitar a poderá desperdiçar a oportunidade de
aprendizagem individualizada, visto que ele favorecer um desenvolvimento mais poderoso
só executa o que lhe é ordenado; portanto, do aluno. Isso porque para questionar o
limita-se aos nossos potenciais e anseios. aluno, desafiá-lo e instigá-lo a buscar
Além disso, vários dos recursos tecnológicos construir e reconstruir conhecimento com o
citados anteriormente podem ser uso articulado de tecnologias, o professor
incorporados ao computador. precisa saber quais mídias são tratadas por
essas tecnologias e o que elas oferecem em
Já é possível acessar a Internet e ao mesmo
termos de suas principais ferramentas,
tempo ouvir rádio, a partir do "real áudio";
funções e estruturas.
pode-se inserir nas apresentações, nos
computadores, as fotos e filmagens que é Evidencia-se, portanto, a importância da
produzido com a máquina fotográfica e a atuação do professor e respectivas
filmadora; os retroprojetores tomam uma nova competências em relação à mobilização e ao
forma, passando para os "data-show"; para emprego das mídias, subsidiado por teorias
acessar a televisão pelo computador, basta educacionais que lhe permitam identificar em
ter a TV; pode-se conversar com pessoas que unidades essas mídias têm maior
distantes, utilizando o microfone do potencial e são mais adequadas. Para que o
computador. O computador funciona como professor possa desenvolver tais
um grande aglutinador das várias tecnologias competências, é preciso que ele esteja
existentes. engajado com programas de formação,
participando de comunidades de
O computador é uma máquina que possibilita
aprendizagem e produção de conhecimento.
a interatividade em tempo real. O conceito
básico de diferenciação dessa máquina em Na sociedade do conhecimento e da
relação às demais, também, se dá por conta tecnologia, torna-se necessário repensar o
do seu próprio sistema de funcionamento: papel da escola, mais especificamente as
entrada, processamento e saída de questões relacionadas ao ensino e à
informações - sistema do qual nenhuma outra aprendizagem. O ensino organizado de forma
máquina dispõe. fragmentada, que privilegia a memorização
de definições e fatos, bem como as soluções
O professor que atua nessa perspectiva tem
padronizadas, não atende as exigências
um propósito, a responsabilidade pela
deste novo paradigma.
aprendizagem de seus alunos, e esta constitui
seu projeto de atuação, elaborado com vistas O momento requer uma nova forma de pensar
a respeitar os diferentes estilos e ritmos de e agir para lidar com a rapidez e a
trabalho dos alunos, incentivar o trabalho abrangência de informações e com o
colaborativo em sala de aula no que se refere dinamismo do conhecimento. Evidencia-se
ao planejamento, escolha do tema, problema uma nova organização de tempo e espaço e
a ser investigada e registrado em termos do uma grande diversidade de situações que
processo e respectivas produções, orientar o exigem um posicionamento crítico e reflexivo
emprego de distintas tecnologias do indivíduo para fazer suas escolhas e
incorporadas aos projetos dos alunos, definir suas prioridades. Além disso, há o

Educação no Século XXI - Volume 7


11

elemento inusitado com o qual depara-se nas desenvolvimento de projetos. "As


várias situações do cotidiano, demandando o competências são construídas somente no
desenvolvimento de estratégias criativas e de confronto com verdadeiros obstáculos, em um
novas aprendizagens. processo de projeto ou resolução de
problemas" (PERRENOUD, 1999, p. 69). Sob
Nessa perspectiva, a melhor forma de ensinar
esse enfoque, o papel da tecnologia pode ser
é aquela que propicia aos alunos o
um aliado extremamente importante,
desenvolvimento de competências para lidar
justamente porque demanda novas formas de
com as características da sociedade atual,
interpretar e representar o conhecimento.
que enfatiza a autonomia do aluno para a
busca de novas compreensões, por meio da Embora a tecnologia seja um elemento da
produção de ideias e de ações criativas e cultura bastante expressivo, ela precisa ser
colaborativas. devidamente compreendida em termos das
implicações do seu uso no processo de
O envolvimento do aluno no processo de
ensino e aprendizagem. Essa compreensão é
aprendizagem é fundamental. Para isso, a
que permite ao professor integrá-la à prática
escola deve propiciar ao aluno encontrar
pedagógica. No entanto, muitas vezes essa
sentido e funcionalidade naquilo que constitui
integração é vista de forma equivocada, e a
o foco dos estudos em cada situação da sala
tecnologia acaba sendo incorporada por meio
de aula. De igual maneira, proporcionar a
de uma disciplina direcionada apenas para
observação e a interpretação dos aspectos
instrumentalizar sua utilização, ou ainda, de
da natureza, sociais e humanos, instigando a
forma agregada a uma determinada área
curiosidade do aluno para compreender as
curricular. Diferentemente dessa perspectiva,
relações entre os fatores que podem intervir
ressalta-se a importância de a tecnologia ser
nos fenômenos e no desenvolvimento
incorporada à sala de aula, à escola, à vida e
humano. Essa forma de aprender
à sociedade, tendo em vista a construção de
contextualizada é que permite ao aluno
uma cidadania democrática, participativa e
relacionar aspectos presentes da vida
responsável.
pessoal, social e cultural, mobilizando as
competências cognitivas e emocionais já Mas para isso é fundamental que o professor,
adquiridas para novas possibilidades de independentemente da sua arca de atuação,
reconstrução do conhecimento. possa conhecer as potencialidades e as
limitações pedagógicas envolvidas nas
Uma abordagem de educação que possibilite
diferentes tecnologias, seja o vídeo, a
o processo de reconstrução do conhecimento
Internet, o computador, entre outras. Importa
para a compreensão da realidade no sentido
que cada uma delas carrega suas próprias
de resolver sua problemática trata o
especificidades, que podem ser
conhecimento em sua unicidade, por meio de
complementadas entre si e/ou com outros
inter-relações entre ideias, conceitos, teorias
recursos não tecnológicos. Por sua vez, uma
e crenças, sem dicotomizar as áreas de
determinada tecnologia configura-se por uma
conhecimento entre si e tampouco valorizar
multiplicidade de recursos distintos, os quais
uma determinada área em detrimento de
devem ser considerados para que seu uso
outra. Nesse aspecto, o currículo por áreas
seja significativo para os envolvidos e
evidencia as especificidades de cada área e,
pertinentes ao contexto.
ao mesmo tempo, explicita a necessidade de
integrá-las com vistas a compreender e
transformar uma realidade. A compreensão
2.1. TECNOLOGIA NA ESCOLA: CRIAÇÃO
da realidade é fundamental para que o aluno
DE REDES DE CONHECIMENTOS
possa participar como protagonista da
história, anunciando novos caminhos para O uso da Tecnologia de Informação e
exercer sua cidadania. Comunicação (TIC) na escola carrega em si
mesmo as contradições da sociedade
Isso evidencia a necessidade de trabalhar
contemporânea. De um lado, dados do IBGE'
com o desenvolvimento de competências e
(2010) apontam 13,3% de analfabetos com
habilidades, as quais se desenvolvem por
idade de 15 ou mais anos e média de 5,7
meio de ações de vários níveis de reflexão
anos de estudos para pessoas de 10 ou mais
que congregam conceitos e estratégias,
anos de idade. Ressalta-se, ainda, a
incluindo dinâmicas de trabalho que
preocupação com os altos índices de
privilegiam a resolução de problemas
analfabetos funcionais, considerados pelo
emergentes no contexto ou o
IBGE como as pessoas que não completaram

Educação no Século XXI - Volume 7


12

as quatro primeiras séries do Ensino tornar-se mais participativo, comunicativo e


Fundamental. Por outro lado, o mundo digital criativo, libertar-se da distribuição homogênea
invade o cotidiano das pessoas e toma-se de informações e assumir a comunicação
imperioso inserindo-se na sociedade do multidirecional com vistas a tecer a própria
conhecimento. Como superar essa rede de conhecimentos.
contradição? Como participar da sociedade
As conexões dessa rede surgem sem
do conhecimento e ao mesmo tempo, ajudar
determinações precisas, incorporam o acaso,
a diminuir esses índices que nos deixam
a indeterminação, a diversidade, a
abaixo de diversos países, inclusive os da
ambiguidade e a incerteza. Trata-se de uma
América Latina?
constante abertura a novas interações, ao
Inserir-se na sociedade da informação não desafio de apreender a realidade em sua
quer dizer apenas ter acesso à Tecnologia de complexidade, em busca de compreender as
Informação e Comunicação (TIC), mas múltiplas dimensões das situações que são
principalmente saber utilizar essa tecnologia enfrentadas, estabelecer vínculos entre essas
para a busca e a seleção de informações que dimensões, conectá-las com o que já
permitam a cada pessoa resolver os conhece , representá-las, ampliá-las e
problemas do cotidiano, compreender o transformá-las tendo em vista melhorar a
mundo e atuar na transformação de seu qualidade de vida.
contexto.
Na rede, aprender é descobrir significados,
Assim, o uso da TIC com vistas à criação de elaborar novas sínteses e criar elos entre
uma rede de conhecimentos favorece a parte e todo, unidade e diversidade, razão e
democratização do acesso à informação, a emoção, individual e global, advindos da
troca de informações e experiências, a investigação sobre dúvidas temporárias, cuja
compreensão crítica da realidade e o compreensão leva ao levantamento de
desenvolvimento humano, social, cultural e certezas provisórias ou a novos
educacional. Tudo isso poderá levar à criação questionamentos (FAGUNDES, 1999)
de uma sociedade mais justa e igualitária. relacionados com a realidade.
Como criar redes de conhecimentos? O que O homem apreende a realidade por meio de
significa aprender quando se trabalha com uma rede de colaboração na qual cada ser
redes de conhecimentos? Como inserir o uso ajuda o outro a desenvolver-se, ao mesmo
de redes de conhecimentos na escola? O que tempo em que também se desenvolve. Todos
cabe ao educador nessa criação? aprendem juntos e em colaboração. "Ninguém
educa ninguém, como tampouco ninguém se
A metáfora de rede considera o conhecimento
educa a si mesmo: os homens se educam em
como uma construção decorrente das
comunhão, mediatizados pelo mundo" (Freire,
interações do homem com o meio. À medida
1993, p. 9).
que o homem interage com o contexto e com
os objetos aí existentes, ele atua sobre esses Aprender em um processo colaborativo é
objetos, retira informações que lhe são planejar; desenvolver ações; receber,
significativas, identifica esses objetos e os selecionar e enviar informações; estabelecer
incorpora à sua rede, transformando o meio e conexões; refletir sobre o processo em
sendo transformado por ele. desenvolvimento em conjunto com os pares;
desenvolver a inter-aprendizagem, a
O uso da TIC na criação de rede de
competência de resolver problemas em grupo
conhecimentos traz subjacente a
e a autonomia em relação à busca e ao fazer
provisoriedade e a transitoriedade do
por si mesmo (Silva, 2000). As informações
conhecimento, cujos conceitos articulados
são selecionadas, organizadas e
constituem os nós dessa rede, flexível e
contextualizadas segundo as necessidades e
sempre aberta a novas conexões, as quais
os interesses momentâneos do grupo,
favorecem compreender "problemas globais e
permitindo estabelecer múltiplas e mútuas
fundamentais para neles inserir os
relações e recursos, atribuindo-lhes um novo
conhecimentos parciais e locais" (MORIN,
sentido, que ultrapassa a compreensão
2000 p. 14).
individual.
Com o uso da TIC e da Internet, pode-se
Há uma crescente dificuldade de
navegar livremente pelos hipertextos de forma
comunicação entre o professor, crianças e os
não sequencial, sem uma trajetória
jovens. A forma de organizar a informação e
predefinida, estabelecer múltiplas conexões,
de transmiti-la do professor é mais

Educação no Século XXI - Volume 7


13

seqüencial, abstrata, erudita. Crianças e aspectos positivos e negativos das


jovens, que navegam intensamente pela abordagens sobre cada assunto. Fazer (re)-
Internet, vêem muita TV e participam de leituras de alguns programas em cada área
contínuos jogos eletrônicos, pensam de uma do conhecimento, partindo da visão que os
forma mais sensorial, concreta, plástica, alunos têm e ajudá-los a avançar de forma
multimídica, "linkada", coloquial. Eles se suave, sem imposições nem maniqueísmos
expressam com muita intensidade emocional (bem x mal).
e pouca riqueza verbal erudita. Há um abismo
Televisão e vídeo combinam a dimensão
que separa nas preferências, nos interesses,
espacial com a sinestésica, ritmos rápidos e
nas formas de pensar, de pesquisar, de
lentos, narrativas de impacto e de
interagir. As crianças são mais rápidas,
relaxamento. Combina a comunicação
impacientes, "multitarefas", "multitelas",
sensorial com a audiovisual, a intuição com a
sempre prontas para fazer, produzir algo
lógica, a emoção com a razão. A integração
diferente e com dificuldade de sistematizar,
começa pelo sensorial, o emocional e o
de formular novas sínteses.
intuitivo, para atingir posteriormente o
Os adultos, precisam fazer um esforço racional. Exploram o voyeurismo e mostram
enorme para agilizar sua forma de pensar, de até a exaustão planos, ângulos, replay de
integrar imagens, sons e textos, de organizar determinadas cenas, situações, pessoas,
ao menos hipertextualmente a pesquisa e grupos, enquanto ignoram a maior parte do
comunicação. Tem-se que aproximar ao que acontece no cotidiano. Mostra a exceção,
máximo a linguagem dos alunos, abordagem o inusitado, o chocante, o horripilante, mas
e suas vivências . Mas sempre haverá uma também é visto como um bebê desamparado,
diferença enorme de percepção e formas de por exemplo. Destacam os que detêm
expressão. atualmente algum poder - político, econômico
ou de identificação/projeção: artistas,
Um caminho mais imediato de comunicação é
modelos, ídolos esportivos. Quando o
focar mais a relação afetiva, gostar dos
perdem, desaparecem da tela.
alunos como eles são, chamá-los para
participar, aproveitar todo o potencial para A organização da narrativa televisiva, das
motivá-los, valorizá-los, incentivá-los, situações, das ideias e dos valores é muito
surpreendê-los. Pela interação afetiva mais flexível e contraditória do que a da
acredita-se que conseguirá encontrar um escola. As associações são feitas por
atalho de aproximação que irá superar o semelhança, por contraste, muitas vezes
abismo que separa nosso universo estéticas. As temáticas evoluem de acordo
perceptivo, racional e lingüístico. com o momento, a audiência, o impacto.
Diante dessas linguagens tão sofisticadas, a Os temas são pouco aprofundados,
escola pode partir delas, conhecê-las, ter explorando os ângulos emocionais,
materiais audiovisuais mais próximos da contraditórios, inesperados. Passam a
sensibilidade dos alunos. Gravar materiais da informação em pequenas doses (de forma
TV Escola, alguns dos canais comerciais, dos compactada), organizadas em forma de
canais da TV a cabo ou por satélite e planejar mosaico (rápidas sínteses de cada assunto) e
estratégias de inserir esses materiais e com apresentação variada (cada tema duro
atividades que sejam dinâmicas, pouco e é ilustrado).
interessantes, mobilizadoras e significativas.
A televisão estabelece uma conexão
A televisão e a Internet não são somente aparentemente lógica entre mostrar e
tecnologias de apoio às aulas, são mídias, demonstrar. Mostrar é igual a demonstrar, a
meios de comunicação. Pode-se analisá-las, provar, a comprovar. Uma situação isolada
dominar suas linguagens e produzir, divulgar converte-se em situação paradigmática,
o que se faz. Incentivar que os alunos filmem, padrão, universal. Ao mesmo tempo, o não
apresentem suas pesquisas em vídeo, em CD mostrar equivale a não existir, a não
ou em páginas WEB - páginas na Internet. E acontecer. O que não se vê, perde existência.
depois analisar as produções dos alunos e a
A televisão, o cinema e o vídeo - os meios de
partir delas ampliar a reflexão teórica.
comunicação audiovisuais - desempenham,
A escola precisa observar o que está indiretamente, um papel educacional
acontecendo nos meios de comunicação e relevante. Passam continuamente
mostrar isso na sala de aula, discutindo tudo informações, interpretadas; mostram modelos
com os alunos, ajudando-os a perceber os de comportamento, ensinam linguagens

Educação no Século XXI - Volume 7


14

coloquiais, multimídia e privilegiam alguns multidimensionais de comunicação sensorial,


valores em detrimento de outros. emocional e racional, superpondo linguagens
e mensagens que facilitam a interação, com o
A informação e a forma de ver o mundo
público. A TV fala primeiro do "sentimento" - o
predominante no Brasil provêm
que você sentiu, não o que você conheceu;
fundamentalmente da televisão. Ela alimenta e
as ideias estão embutidas na roupagem
atualiza o universo sensorial, afetivo e ético
sensorial, intuitiva e afetiva.
que crianças e jovens - e grande parte dos
adultos - levam para sala de aula. Como a TV A televisão e o vídeo partem do concreto, do
o faz de forma mais despretensiosa e visível, do imediato, próximo, que toca todos
sedutora, é muito mais difícil para o educador os sentidos. Mexem com o corpo, com a pele,
contrapor uma visão mais crítica, um universo as sensações e os sentimentos - toca e é
mais abstrato, complexo e na contramão da "tocado”, estão ao alcance por meio dos
maioria, como a escola se propõe a fazer. Ela recortes visuais, do close, do som estéreo
fala da vida, do presente, dos problemas envolvente.
afetivos, a fala da escola é muito distante e
Isso dá pistas para começar na sala de aula
intelectualizada e fala de forma impactante e
pelo sensorial, pelo afetivo, pelo que toca o
sedutora, a escola, em geral, é mais
aluno antes de falar de ideias, de conceitos,
cansativa. O que tenta-se contrapor na sala
de teorias. Partir do concreto para o abstrato,
de aula, de forma desorganizada e monótona,
do imediato para o mediato, da ação para a
aos modelos consumistas vigentes, a
reflexão, da produção para a teorização.
televisão, o cinema, as revistas de variedades
e muitas páginas da Internet o desfaz nas A eficácia de comunicação dos meios
horas seguintes. Os educadores e eletrônicos, em particular da televisão, deve-
telespectadores sentem na pele a se também à capacidade de articulação, de
esquizofrenia das visões contraditórias de superposição e de combinação de
mundo e das narrativas tão diferentes dos linguagens diferentes - imagens, falas,
meios de comunicação e da escola. música, escrita – com uma narrativa única,
uma lógica pouco delimitada, gêneros,
Na procura desesperada pela audiência
conteúdos e limites éticos pouco precisos, o
imediata, fiel e universal, os meios de
que lhe permite alto grau de entropia, de
comunicação hiperexploram as emoções,
flexibilidade, de adaptação à concorrência, a
fantasias, desejos, medos e aperfeiçoam
novas situações. Num olhar distante tudo
continuamente estratégias e fórmulas de
parece igual, tudo se repete tudo se copia; ao
sedução e dependência. Passam com incrível
olhar mais de perto, por trás da fórmula
facilidade do real para o imaginário,
conhecida, há mil nuances detalhes que
aproximando-os em fórmulas integradoras,
introduzem variantes adaptadoras e
como nas telenovelas e nos reality shows e
diferenciadoras.
semelhantes.
Diante desse panorama, educadores
costumam contrapor a diferença de funções e 3. OS RECURSOS TECNOLÓGICOS NO
da missão da televisão e da escola. A TV CONTEXTO DA EDUCAÇÃO E SUA
somente entretém, enquanto a escola educa. IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-
Justamente porque a televisão não diz que a APRENDIZAGEM
escola educa de forma mais competente. Ela
As tecnologias são tão antigas quanto o
domina os códigos de comunicação e o
homem. Na verdade foi à necessidade do
conteúdo significativo para cada grupo:
homem aliado à sua engenhosidade que
pesquisa-os, aperfeiçoa-os, atualiza-os.
fizeram surgir as mais diferenciadas
Educadores faz pequenas adaptações,
tecnologias, ou seja, a evolução social do
dando um verniz de modernidade nas aulas,
homem foi fazendo com que as tecnologias
mas fundamentalmente continua-se
gradativamente fossem desenvolvidas em
prendendo os alunos pela força e os mantém
cada época.
confinados em espaços barulhentos,
sufocantes, apertados e fazendo atividades Na atualidade, de acordo com Kenski (2007),
pouco atraentes. Quem educa quem em surgi um novo tipo de sociedade tecnológica
longo prazo? que é determinada principalmente pelos
avanços das tecnologias digitais de
0s meios de comunicação, principalmente a
comunicação e informação e pela
televisão, desenvolvem formas sofisticadas
microeletrônica. Essas novas tecnologias

Educação no Século XXI - Volume 7


15

assim consideradas em relação às promover a qualidade no ensino e, através de


tecnologias anteriormente existentes, quando suas amplas possibilidades, desenvolver
disseminadas socialmente, alteram as práticas pedagógicas que não se restrinjam
qualificações profissionais e a maneira como em transmissões, repetições e memorizações
as pessoas vivem cotidianamente, trabalham, de conteúdos.
informam-se e se comunicam com outras
Na educação, as TIC devem favorecer o
pessoas e com todo o mundo.
trabalho pedagógico no sentido de fortalecer
Diante disso, os professores necessitam de e de atender as especificidades de uma
formação para interagir com uma geração formação voltada para o mundo do
mais atualizada e mais informada, pois a conhecimento, uma realidade que aspira
sociedade tem avançado dia após dia em indivíduos agentes, ativos e criativos. Pessoas
suas vastas áreas/dimensões e com o que sejam capazes de tomar decisões, de
advento da tecnologia não poderia ser desenvolver autonomia, de buscar resoluções
diferente. A área tecnológica tem tomado uma frente a situações-problema, a lidar com
proporção grandiosíssima grande gama de conhecimentos, de se
adequar à provisoriedade do contexto, enfim,
ao longo dos anos. As escolas, no entanto,
às incertezas desta sociedade em constante
por serem parte indissociável desta
mutação.
sociedade crescente (tecnologicamente
falando) sentiu a necessidade de apropriar-se Atualmente, as informações estão cada vez
também do uso das tecnologias como um mais rápidas e as pessoas têm maior
instrumento de difusão e propagação da autonomia para buscá-las, pois é somente
educação. ligar um computador, acessar a internet, que
é possível entrar em contato com diversas
Nesse contexto cabe então questionar, o que
informações. Não é preciso ficar à espera de
são essas novas tecnologias? Segundo
conhecimentos prontos, trazidos por um
Kenski (2007, p.)
professor. Qualquer pessoa pode adentrar ao
mundo de informações rápidas, a qualquer
momento.
Ao se falar em novas tecnologias, na
atualidade, estamos nos referindo Há pouco mais de uma década, Niskier
principalmente, aos processos e produtos (1993, p. 100) apontava como principal
relacionados com os conhecimentos motivo de resistência por parte dos
provenientes da eletrônica, da professores à possibilidade de eles serem
microeletrônica e das telecomunicações. substituídos pelos recursos tecnológicos: "O
Estas tecnologias caracterizam-se por uso do computador na educação está em
serem evolutivas, ou seja, estão em plena ascensão em diversos países. O receio
permanente transformação. [...] Seu inicial de que a máquina poderia vir a
principal espaço de ação é o virtual e sua substituir o professor aos poucos está sendo
principal matéria-prima é a informação. desmistificado". Tempos depois, Carneiro
(2002, p. 23) também discute a história
recente da criação e utilização dos
Com a rapidez do desenvolvimento computadores e a sua imagem associada aos
tecnológico atual, ficou difícil estabelecer o objetivos bélicos e à automação industrial,
limite de tempo que devem considerar para a com o trabalho humano sendo substituído por
designação do termo “novas tecnologias”, enormes máquinas, gerando desemprego. O
tendo em vista o caráter evolutivo e de que pode causar certo medo ao professor
permanente transformação destas que teme ser substituído também.
tecnologias. Além disto, é necessário, refletir
O uso das tecnologias deve está presente e
sobre o meio social, econômico e cultural que
evoluindo a cada dia no ensino aprendizagem
estas tecnologias estão inseridas, pois sabe-
dos alunos como um instrumento voltado para
se que sua distribuição ainda é desigual entre
uma educação que visa ir além da
os países. O que é novo no Brasil pode não
transmissão de conhecimentos científicos e
ser novo no Japão, por exemplo.
técnicos e não como uma simples diversão ou
A incorporação das TIC no espaço escolar uma aula diferente, em meio às possibilidades
não pode ser instituída apenas como fins de uma integração das tecnologias diante das
instrumentais ou somente instrucionistas. Seu competências para criar e recriar estratégias
uso deve adequar-se ao objetivo maior que é e situações de aprendizagem que possam

Educação no Século XXI - Volume 7


16

tornar-se significativas para o aprendiz, sem pesquisa com abrangência qualitativa,


perder de vista o foco da intencionalidade bibliográfica e de campo para a
educacional. fundamentação do tema.
Os dados da pesquisa foram levantados em
uma escola da rede municipal, de ensino com
4. METODOLOGIA
a aplicação de uma entrevista contendo oito
Para investigar a importância das novas perguntas, para melhor aprofundamento do
tecnologias na Educação Pública Municipal assunto.
do Ensino Fundamental – 1º ao 9º ano de O procedimento de pesquisa bibliográfico, é
Piripiri/Piauí, envolvidas no processo ensino- feito a partir de levantamento de referência
aprendizagem onde foi realizada uma
teóricas, como livros, artigos, publicados por O questionário foi aplicado no total de cinco
meios escritos e eletrônicos como páginas professores da rede municipal de Piripiri,
de web sites, levantamentos que permitiram composto por sete perguntas descritivas,
adquirir conhecimento sobre a utilização das levando ao conhecimento dos docentes
ferramentas tecnologia no aprendizado, entrevistados que se tratava de uma pesquisa
procurando referências teóricas publicadas que fundamenta o presente trabalho e, sendo
com o objetivo de recolher informações para assim, de suma importância para o sucesso
melhor análise do uso dessas ferramentas na do mesmo.
sala de aula.
Com o intuito de analisar as concepções da
importância dos recursos tecnológicos em
5. ANÁLISE DE DADOS sala de aula, num processo de ensino e
aprendizagem nas escolas municipais do
A pesquisa de campo foi desenvolvida nas
contexto citado, para o ensino, pode-se
escolas municipais de Piripiri, com
compreender que saber utilizar as
professores, através de questionários,
ferramentas tecnológicas, a teoria de forma
levantamentos e estudos bibliográficos. Estes
conjunta, o ensino-aprendizagem não
instrumentos forneceram dados e promoveu a
consegue se dissociar, pois estão interligado,
reflexão, do quão é importante o uso dos
em meio a formação desses novos
recursos tecnológicos como ferramenta
profissionais em sua ética, consciência e na
dinamizadora no ensino aprendizagem dos
sua capacidade de unir a teoria e a prática de
alunos.
maneira coerente, a tecnologia faz parte do
A pesquisa foi qualitativa, baseada na análise cotidiano dos alunos, a fim de influenciar a
descritiva dos dados, embora em alguns vida no ensino aprendizado na atual situação
momentos recorra-se ao método quantitativo do sistema educacional globalizado.
para facilitar a organização de determinadas
Todas as aulas observadas, a professora
respostas.
inicia a aula com fixação de conteúdos, tendo
como conceito de que as ferramentas
Independentemente do método que o tecnológicas devem ser utilizadas como
professor escolha para desenvolver o ensino complemento de construção de
aprendizagem em sala de aula, é de grande conhecimento que vai auxiliar no pensamento,
valia que o professor saiba que ele está na reflexão, na melhora do ato de aprender.
formando um indivíduo para a sociedade, Tornando-se uma ferramenta necessária que
então se tem-se anseios de viver em uma os educadores e educandos tenham a visão
sociedade mais justa, com educação de organização do conhecimento em
igualitária, deve-se desenvolver junto com a interação com as tecnologias oferecidas,
aprendizagem formal esse pensamento. onde o conhecimento ou mesmo a
Segundo Rocha (2008), é importante que o aprendizagem traz um sentido pessoal de
professor saiba que está formando um aproximação sucessiva do conhecimento da
indivíduo para o mundo; é ancorando-se no realidade atual, que acaba oferecendo
papel formador que o professor vai poder maiores e melhores adaptações ás mudanças
propiciar um desenvolvimento de ensino e culturais e sociais.
aprendizagem integral para este indivíduo, Diante da problemática em questão os três
sendo este desenvolvimento linguístico, dos cinco professores entrevistados
cognitivo, afetivo e sociocultural. comungam da mesma opinião que devido às
tecnologias serem consideradas pelos

Educação no Século XXI - Volume 7


17

educandos e por muitos educadores uma desses materiais, onde acaba recorrendo a
forma de chamar atenção do aluno e outros materiais.
consequentemente ter êxito no aprendizado,
Contudo, para que seja desenvolvido com
contudo, sabe-se que esta concepção deve
êxito o ensino aprendizagem com ênfase nos
ser visto como um atributo a mais que
recursos tecnológicos, principalmente nas
contribui para uma melhor forma de
escolas públicas pesquisadas no município
conhecimento, ou seja, uma ferramenta de
de Piripiri, percebe-se que o mais importante
auxílio à prática pedagógica. Um dos sujeitos
não é ensinar e sim o desejo de que o aluno
da pesquisa relata que o trabalho acaba
aprenda, buscando soluções para possíveis
tendo um retorno eficaz. É importante, no
problemas a fim de que os alunos se tornem
entanto, que haja não apenas uma revolução
indivíduos críticos com grande poder de
tecnológica nas escolas. É necessária a
mudança.
revolução na capacitação docente, pois a
tecnologia é algo ainda a ser desmistificado Uma das maneiras de promover o
para a maioria dos professores. desenvolvimento desses recursos e
habilidades é incentivar mediante projeto de
Durante todo o decorrer da pesquisa e diante
informática junto aos docentes e discentes,
das respostas dos questionários pode-se
tornando-os bons em manuseio dos
perceber que os professores não faziam uso
computadores e os programas oferecidos na
de um único método durante o
internet. Torna-se necessário para o
desenvolvimento das suas aulas. Eles se
desenvolvimento intelectual, social, cultural e
baseavam nas aulas pré-dispostas pela
profissional do ser humano. Para melhor
matriz curricular da rede municipal de ensino,
compreensão foram tabuladas as respostas
fazia algumas alterações e acrescentavam
dos questionários feitos com os professores
atividades encontradas por eles mesmo na
quanto ao uso das tecnologias na rotina de
internet. Muitas vezes a escola não dispõe
sala de aula. Veja o gráfico 01:

Gráfico 01 : Visão do uso e do não uso das novas tecnologias em sala de aula

Com base nos questionários foi possível se torna um instrumento facilitador e com
perceber a influência que as tecnologias têm capacidade de buscar com maior rapidez
durante todo o processo de construção das subsídios na obtenção de dados, imagens,
aulas, até a operacionalização do trabalho sons entre outros efeitos especiais, tornando-
como um todo. De acordo com o analisado, o se uma ferramenta que pode ser utilizada na
uso de cada recurso facilita o processo de dinamização das aulas e melhorando ainda o
ensino e de aprendizagem com os sujeitos ensino e aprendizagem dos educandos.
participantes da pesquisa. Foi possível
No gráfico 02, conforme pesquisa realizada e
explanar os assuntos e trazer interatividade
de posse dos dados pode-se perceber ainda
na execução da aula, prendendo assim a
que um dos fatores que também é usado
atenção dos alunos e os tornando sujeitos do
como tecnologia pelos profissionais é o tempo
processo.
de atuação na educação conforme aponta o
Pensando assim, o computador torna-se gráfico abaixo onde faz-se importante
essencial em nossa sociedade, uma vez que também saber qual a metodologia mais viável

Educação no Século XXI - Volume 7


18

para a aprendizagem de cada educando, educadores percebe-se a necessidade de


levando em consideração às diferenças e o uma formação continuada com reflexos no
desenvolvimento de cada um. Após a ensino e aprendizagem.
proposição e aplicação da pesquisa junto aos

Gráfico 02: O uso das tecnologias no ambiente escolar para uma aprendizagem positiva

É evidente a satisfação dos professores em atividades de ensino usuais e que, devido à


relação ao uso dos recursos tecnológicos em sua flexibilidade e abrangência, favorece a
sala de aula, tendo como material de suma constituição de redes de conhecimento.
importância no ensino-aprendizagem dos
A informação e a forma de ver o mundo
alunos, pois as aulas modernizadas pelo uso
predominante no Brasil provêm
de recursos tecnológicos têm vida longa e
fundamentalmente da televisão. Ela alimenta e
podem ser adaptadas para vários tipos de
atualiza o universo sensorial, afetivo e ético
alunos, para diferentes faixas etárias e
que crianças e jovens - e grande parte dos
diversos níveis de aprendizado.
adultos – levam para sala de aula.
Isso dá a pista para começar na sala de aula
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS pelo sensorial, pelo afetivo, pelo o que toca o
aluno antes de falar de ideia, de conceitos, de
A escola que não inclui as novas tecnologias
teorias. Partir do concreto para o abstrato, do
na educação das novas gerações, ela está na
imediato para o mediato, da ação para
contramão da história, alheia ao espírito do
reflexão, da produção para a teorização.
tempo e, criminosamente, produzindo
Caminha-se para uma flexibilização de
exclusão social. Nas escolas municipais de
cursos, tempos, espaços, gerenciamento,
Piripiri-PI,
interação, tecnologia, avaliação. Isso obriga
ainda está faltando consciência dos experimentar pessoal e institucionalmente a
profissionais da educação, quanto ao uso das integração de tecnologias audiovisuais,
novas tecnologias como recurso pedagógico, telemáticas e impressas.
pois muitos deles, mesmo a escola dispondo
Neste contexto, este trabalho contribui para a
de equipamentos como TV, vídeo, data show
construção do conceito de aprendizado
entre outros, continuam alheias as novas
autônomo definindo o papel das relações
tecnologias.
cooperativas no mesmo. Finalmente pode-se
A tecnologia precisa integrar a prática dizer que o trabalho colabora para delinear o
pedagógica do professor e o currículo que novo conceito de educação com essas novas
será desenvolvido. Os recursos tecnológicos tecnologias como recurso pedagógico que
são ferramentas complementares às

Educação no Século XXI - Volume 7


19

poderá ser posto em prática nessa nova era aprendizagem colaborativa para que
de informação. aconteça a apropriação que vai do social
ao individual, como preconiza o ideário
Diante disto, é possível perceber a
vygotskyano.
importância da formação e da mediação do
professor no uso destes recursos
tecnológicos. Pois, segundo Faria (2004, p),
O professor, pesquisando junto com os
educandos, problematiza e desafia-os, pelo
uso da tecnologia, à qual os jovens modernos
O papel do educador está em orientar e
estão mais habituados, surgindo facilmente à
mediar às situações de aprendizagem
interatividade.
para que ocorra a comunidade de alunos e
ideias, o compartilhamento e a

REFERÊNCIAS mediação pedagógica. Campinas, SP: Papirus,


2001, p. 11-65.
[1] Brasil. Secretaria de Educação [8] Morin, E. Os sete saberes necessários à
Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília:
terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Unesco, 2000.
introdução aos parâmetros curriculares nacionais. [9] Niskier, Arnaldo. Tecnologia educacional:
Brasília: MEC/SEF, 1998. uma visão política. Petrópolis, RJ:Vozes, 1993.
[2] Carneiro, R. Informática na educação: [10] Rocha, Denise Farias. A importância do
representações sociais do cotidiano. 2. ed. São inglês no Mundo. Universidade Católica de Goiás,
Paulo: Cortez, 2002. 2001. Disponível em:
[3] Fagundes, L. C., SATO, L. S.; MAÇADA, http://www2.ucg.br/flash/artigos/AImportanciaIngle
D. L. Aprendizes do futuro: as inovações s.htm. Acesso em: 1º agosto. 2015.
começaram. Cadernos Informática para a [11] Silva, M. Sala de aula interativa. Rio de
Mudança em Educação. MEC/Seed/ Proinfo, 1999. Janeiro: Quartet, 2000.
Disponível na web: http://www.proinfo.mec.gov.br [12] Perrenuod, P. Dez novas competências
[4] Faria, E. T. O professor e as novas para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul,
tecnologias. In: ENRICONE, D. (Org.) Ser 2000.
Professor. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 57-72. [13] Valente José Armando e outros. O
[5] Freire, P. Política e educação. São Paulo: computador na sociedade do conhecimento.
Cortez, 1993. [14] Valente, J..A. Pesquisa, comunicação e
[6] Kenski, V. M. Educação e tecnologias: O aprendizagem com o computador. O papel do
novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, computador no processo ensino-aprendizagem. In:
2007. BRASIL, Ministério da Educação. Integração das
[7] Moran, J. M. Ensino e aprendizagem Tecnologias na Educação. Secretaria de Educação
inovadores com tecnologias audiovisuais e à distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed,
telemáticas. In: Moran, J. M.; MASETTO, M. T.; 2005. p. 22-31.
BEHRENS, M. A. 3. ed. Novas tecnologias e

Educação no Século XXI - Volume 7


20

Capítulo 2
Ilson Mendonça Soares Prazeres
Carloney Alves de Oliveira

Resumo: A presente pesquisa aborda as possibilidades de uso educacional de


dispositivos móveis, através da técnica de gamificação e u-learning, agregadas as aulas
de Matemática no ensino fundamental I. O ensino de Matemática na educação básica e
sua correta aprendizagem são fundamentais para todo o processo educacional
posterior, uma vez que uma base sólida de aprendizagem dos conceitos matemáticos
permite ao discente chegar ao ensino superior sem maiores dificuldades nesta área de .
Entretanto não é isso que observamos, principalmente nas escolas públicas, existe uma
defasagem entre o que é ensinado e o que deveria ser aprendido no domínio da
Matemática, alem da não assimilação da disciplina, o que faz com que discentes
passem ano após ano sem dominar o conteúdo necessário. As tecnologias, quando
utilizadas, são subaproveitadas ou apenas aproveitadas como suporte, sem conexão
direta com a disciplina. Analisar a técnica de gamificação aliada aos dispositivos móveis
como mediadores para o ensino-aprendizagem da Matemática é o principal objetivo
dessa pesquisa, ao qual buscamos ainda explorar metodologias de ensino com uso das
TDCI para a Matemática, conceituar a gamificação na prática educacional e introduzir a
gamificação como alternativa para a metodologia de ensino da Matemática. A partir
destes conceitos buscaremos respostas para o questionamento: Como a técnica de
gamificação aliada aos dispositivos móveis pode ser usada para mediar à aprendizagem
dos conceitos básicos nas aulas de Matemática com alunos da educação básica, ensino
fundamental I? O estudo busca dialogar em sua fundamentação teórica com
pesquisadores que atuam tanto na área das TDIC, aprendizagem móvel e gamificação,
quanto no campo da Matemática, assim nos apoiamos em Burke (2015), Kapp (2012),
Schlemmer (2014, 2015 e 2016), Torres e Lázaro (2015), Sainz (2015), Alves e Coutinho
(2016), Lefrançois (2016), Lorenzato (2008), Rosa Neto (1997), Oliveira e Medina (2007),
Reza (2005), Fedoce e Squirra (2011) e Santaella (2013). A escolha de metodologia de
pesquisa recaiu sobre um estudo qualitativo, através de uma abordagem indutiva e
emergente de estudo de caso, de modo a responder de forma coerente ao
questionamento inicial do projeto de pesquisa pretendida. O estudo de caso ocorrerá em
uma turma do 5° ano do ensino fundamental I, de uma escola municipal na cidade de
Maceió. Assim a pesquisa possui como principal meta a validação e possibilidades de
contribuição do uso das TDIC através da gamificação e dos dispositivos móveis como
coadjuvantes no processo de ensino-aprendizagem da Matemática na educação básica.

Palavras-Chave: Gamificação. Dispositivos móveis. Matemática. U-learning.Educação


básica.

Educação no Século XXI - Volume 7


21

1 INTRODUÇÃO Em contrapartida a tecnologia evolui a passos


cada vez mais largos, o que antes era descrito
A Matemática estar sempre presente em nossas
como nova tecnologia da informação e
vidas e faz parte do nosso mundo, a utilizamos
comunicação, hoje já não é mais nova.
até mesmo de forma inconsciente, e mesmo
Inovações e possibilidades de uso educacional
assim essa disciplina padece com a rejeição e
para as tecnologias surgem com as formas de
falta de empatia pela maioria dos discentes da
utilizar-se das mesmas.
educação básica.
A partir destas constatações buscaremos
O ensino de Matemática na educação básica e
respostas para o questionamento: Como a
sua correta aprendizagem são fundamentais
técnica de gamificação aliada aos dispositivos
para todo o processo posterior, uma vez que
móveis pode ser usada para mediar à
uma base sólida de aprendizagem dos conceitos
aprendizagem dos conceitos básicos nas aulas
matemáticos permite ao discente chegar ao
de Matemática com alunos da educação básica,
ensino superior sem maiores dificuldades.
ensino fundamental I?
Entretanto não é isso que observamos,
Analisar a técnica de gamificação aliada aos
principalmente nas escolas públicas, existe uma
dispositivos móveis como mediadores para o
defasagem entre o que é ensinado e o que
ensino-aprendizagem da Matemática é o
deveria ser aprendido no domínio da
principal objetivo dessa pesquisa, ao qual
Matemática, além da não assimilação da
buscamos ainda explorar metodologias de
disciplina, o que faz com que discentes passem
ensino com uso das TDCI para a Matemática,
de ano após ano sem dominar o conteúdo
conceituar a gamificação na prática educacional
necessário.
e introduzir a gamificação como alternativa para
Por sua vez, as TDIC, quando utilizadas, são a metodologia de ensino da Matemática.
subaproveitadas ou apenas aproveitadas como
suporte, sem conexão direta com a disciplina.

2 DISPOSITIVOS MÓVEIS E GAMIFICAÇÃO NAS pelos atores que dominam o cenário da


AULAS DE MATEMÁTICA educação.
Apesar da expansão e popularização dos Assim acontece também com as novas formas
dispositivos móveis e das redes sem fio (wi-fi), o emergentes de ensino-aprendizagem e
meio educacional, em sua maioria, ainda transmissão de conteúdos, que vem sendo
permanece refratário às possibilidades desenhadas nos últimos anos, a exemplo da
educativas apresentadas por esses dispositivos gamificação, um processo que, de acordo com
aliados às redes sem fio, o novo ainda sofre Burke (2015) inicialmente foi aplicado com
resistência, seja por desconhecimento, seja por sucesso no meio executivo e empresarial, e que
acomodação na zona de conforto apresentada mostrou-se também bastante promissor na área

Educação no Século XXI - Volume 7


22

da educação, conforme estudos de Kapp (2012), coisa "em jogo" que transcende as necessidades
Schlemmer (2014, 2015 e 2016), Torres e Lázaro imediatas da vida e confere um sentido à ação.
(2015), Sainz (2015) e Alves e Coutinho (2016). Todo jogo significa alguma coisa. (HUIZINGA, p.
4, 2014)
São estudos recentes que apontam novos
caminhos, alguns inclusive direcionados Podemos apontar variadas razões para o uso da
diretamente a aprendizagem da Matemática, tal gamificação na educação, dentre elas podemos
como Torres e Lárazo (2015) e Sainz (2015), que destacar a criação de uma aprendizagem
aplicaram a gamificação como estratégia de interativa, motivar os discentes, favorecer uma
aprendizagem de conteúdos do ensino da mudança de comportamento, além de
Matemática, ambas obtendo sucesso em suas proporcionar um meio com características
propostas de intervenção. similares ao mundo real onde os discentes
podem praticar suas habilidades, atitudes e
Gamificação em nosso idioma é a apropriação
reflexões constantemente, servindo de
da palavra inglesa “gamification” (como já
aprendizagem para vida real.
aconteceu com outros tantos vernáculos,
escanear, printar, surfar, por exemplo). As práticas gamificadas, ao contrário das
aulas expositivas convencionais, não colocam
Burke (2015) descreve a definição dada pela
o aluno em posição passiva na aquisição de
Gartner inc. sobre gamificação como sendo o
conhecimentos e em seus processos de
uso de design de experiências digitais e
aprendizagem. Pelo contrário, a gamificação
mecânicas de jogos para motivar e engajar as
da aula preza pela participação ativa do
pessoas para que elas atinjam seus objetivos.
aluno. (ALVES e COUTINHO, p. 222, 2016)
Ramirez (2014, apud TORRES e LÁZARO, 2015)
Assim é perceptível que a prática de gamificação
define o conceito de gamificação com sendo a
pode oferecer muitas vantagens ao processo de
aplicação de estratégias (pensamentos e
ensino-aprendizagem dos discentes, e isso em
mecânicas) de jogos em contextos de não-jogos,
qualquer faixa etária e em qualquer nível de
com a finalidade de que as pessoas adotem
aprendizagem, uma vez que a gamificação é
certos comportamentos (tradução nossa) 1.
moldada segundo o seu público alvo.
Para Kapp (p. 10, 2012) Gamificação é usar
Por sua vez, os dispositivos móveis veem sendo
pensamento de jogo, estética e mecanismos
alvo de direcionamentos educacionais há mais
baseados em jogos, para engajar pessoas,
tempo, é uma discussão mais antiga, conforme
motivar ações, promover aprendizado e resolver
observa Oliveira e Medina (2007), desde este
problemas. (tradução nossa)2
período o desenvolvimento de objetos de
Para uma multiplicidade de seres humanos, o aprendizagem para os dispositivos móveis e sua
elemento lúdico, ou seja, o jogo, incluindo utilização no chamado m-learning3 (mobile
também os jogos digitais, é um elemento learning) vem sendo planejados e
intrínseco do cotidiano, e, em suas implementados, principalmente visando a
aprendizagens, não é diferente. O jogo está educação à distância (EaD).
presente em nossas vidas de tantas formas, que
às vezes jogamos sem ao menos temos
consciência do jogo em si.
O jogo é mais do que um fenômeno fisiológico ou
um reflexo psicológico. Ultrapassa os limites da
atividade puramente física ou biológica. É uma
função significante, isto é, encerra um
determinado sentido. No jogo existe alguma

1
“la aplicación de estrategias (pensamientos y
mecánicas) de juegos en contextos ajenos a los
juegos, con el fin de que las personas adopten ciertos
3
comportamientos”. Ramirez (2014, apud TORRES e Modalidade que permite aos docentes e discentes
LÁZARO, p. 2015) aproveitar as vantagens dos recursos oferecidos pelas
2
“Gamification is using game-based mechanics, tecnologias móveis, possibilitando a capacidade de
aesthetics and game thinking to engage people, acesso e prover conteúdo e sua a visualização,
motivate action, promote learning, and solve independentemente da hora e, principalmente, do
problems”. Kapp (p. 10, 2012) lugar.

Educação no Século XXI - Volume 7


23

Entretanto ainda pouco utilizados no ensino uma escola da rede pública municipal de
presencial e menos ainda na educação básica, Maceió-Al e os instrumentos utilizados para
que conforme apontam Squirra e Fedoce (2011), embasar essa pesquisa serão a observação, o
apresenta potenciais de aplicação na educação, questionário, a entrevista semiestruturada e a
e ainda conforme Santaella (2013), esses pesquisa bibliográfica, de modo a criar subsídios
mesmos dispositivos móveis permitem o para o estudo do problema apresentado.
fenômeno da ubiquidade4 para a educação de
uma forma geral (não somente a formal)
4 RESULTADOS
Esperamos que os resultados obtidos pela
pesquisa em andamento possam subsidiar, de
modo a buscar minimizar a dificuldade de
ensino-aprendizagem presente na disciplina de
Matemática, e que a utilização da gamificação
aplicada à educação, aliada as tecnologias
móveis e digitais podem ser integradas ao ensino
da disciplina, de tal forma que possa encontrar
um equilíbrio no tocante a atuar como
facilitadores na interlocução docente/discente
para contribuir, de fato, ao aprendizado
prazeroso e motivador desta ciência tão
importante.

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
A gamificação e o u-learning ainda são poucos
difundidos em nosso meio educacional,
principalmente na educação básica pública,
3 CAMINHO METODOLÓGICO assim como o uso das TDIC para o
desenvolvimento da educação e como forma de
Perpassando pelos questionamentos naturais maximizar a relação ensino-aprendizagem vem
acerca da metodologia, a escolha recaiu sobre o sendo pesquisado em uma constante crescente,
estudo qualitativo, através de uma abordagem entretanto sua apropriação e uso na e para
indutiva e emergente de estudo de caso, de educação ainda ocorre de forma um tanto quanto
modo a responder de forma coerente ao limitada, principalmente na educação básica.
questionamento inicial desse projeto de
pesquisa. Assim o escopo da pesquisa nos induz Como forma de contribuir para a pesquisa,
a opção da pesquisa de cunho qualitativo pelas afirmação, difusão e utilização da gamificação
características da mesma, como apresentadas em parceria das TDIC e dos dispositivos móveis,
por Creswell (2010), assim sendo, o ambiente como mediadores para aprendizagem da
natural, o pesquisador como instrumento Matemática utilizamo-nos deste projeto para
fundamental, múltiplas fontes de dados, análise aferir tais possibilidades de aplicação prática
de dados indutiva, projeto emergente, dos mesmos em sala de aula para o ensino
interpretativo e relato holístico. fundamental I.

A pesquisa apresentará o seu lócus em uma sala


de aula do 5ª ano do ensino fundamental I, de

4
Ubiquidade significa estar presente ao mesmo tempo em
todos os lugares. É a propriedade ou estado do que é
ubíquo, que é a capacidade de estar ao mesmo tempo em
diversos lugares. As redes de transmissão de dados e as
tecnologias de informação e comunicação podem ser
consideradas ubíquas. Hoje em dia, os sinais de internet,
televisão e comunicações móveis estão disseminados por
toda a parte e se encontram disponíveis em todo momento.

Educação no Século XXI - Volume 7


24

REFERÊNCIAS mobilidade) por alunos de graduação: uma pesquisa


survey. In: EnANPAD, XXXVIII, 2013, Rio de Janeiro.
[1] Alves, Lynn. Coutinho, Isa de Jesus. (orgs). Anais do encontro ANPAD. Rio de Janeiro: ANPAD,
Jogos digitais e aprendizagem: Fundamentos para 2013.
uma prática baseada em evidências.1. ed. Campinas: [14] Neto, Ernesto Rosa. Didática da matemática.
Papirus Editora, 2016. 9. ed. São Paulo: Editora Ática, 1997.
[2] Alves, Lynn. Jogos eletrônicos e screenagens: [15] Oliver, Nuria. La Tecnología: elemento clave
possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem. para la necesaria transformación de la educación.
In: Seminário Jogos Eletrônicos, Educação e Revista TELOS, Madrid, p. 1-4, fev/mai 2015.
Comunicação -construindo novas trilhas, I, 2005, [16] Reza, B’Far. Mobile computing: principles
Salvador. designing and developing Mobile applications with uml
[3] Disponível em and xml. 1. ed. New York: Cambridge University Press,
<http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/novastrilhas 2005.
/textos/lynnalves.pdf>. Acesso em: 21 jun. 2016. [17] Ribeiro, Ana Elisa. Tecnologia digital.
[4] Barbosa, Alexandre F. (org). TIC Domicílios Glossário Ceale. Disponível em
2014: Pesquisa sobre o uso das tecnologias da <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/v
informação e comunicação nos domicílios brasileiros. erbetes/tecnologia-digital>. Acesso em: 02 ago. 2016.
São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2015. [18] Saccol, Amarolinda. SCHLEMMER, Eliane.
[5] Burke, Brian. Gamificar: como a gamificação BARBOSA, Jorge. M learning e u learning: novas
motiva as pessoas a fazerem coisas extraordinárias. 1. perspectivas da aprendizagem móvel e ubíqua. 1. Ed.
ed. São Paulo: DVS editora, 2015. São Paulo: Pearson Education, 2011.
[6] Fedoce, Rosangela Spagnol. SQUIRRA, [19] Sainz, Carmem Iturriaga. Matemáticas através
Sebastião Carlos. A tecnologia móvel e os potenciais del juego (gamificación). Logroño: Universidad de La
da comunicação na educação. Logos. Rio de Janeiro. Rioja, 2015.
V. 18, n. 2, p. 267-278, 2. Semestre, 2011. [20] Santaella, Lucia. Desafios da ubiquidade para
[7] Huizinga, Johan. Homo Ludens: o jogo como a educação. Revista Ensino Superior Unicamp.
elemento da cultura. 8. ed. São Paulo: Perspectiva, Campinas, n. 9, p. 19-28, abr/jun 2013.
2014. [21] Schlemmer, Eliane. et al. A gamificação como
[8] Kapp, Karl. The gamification of learning and estratégia de capacitação e o estado de flow: um
instruction: game-based methods and strategies for estudo de caso em uma empresa da área de
training and education. 1. ed. San Francisco: Pfeiffer, tecnologia da informação (TI) da região sul do brasil.
2012. In: Simpósio brasileiro de jogos e entretenimento
[9] FARDO, Marcelo Luis. A gamificação aplicada digital, XIV, 2015, Teresina. Anais do Simpósio
em ambientes de aprendizagem. Renote, Porto Alegre, brasileiro de jogos e entretenimento digital.
V. 11, N. 1, 2013. [22] Disponível em
[10] Lefrançois, Guy R. Teorias da aprendizagem: <http://www.sbgames.org/sbgames2015/#/anais>.
o que o professor disse. 2. ed. São Paulo: Cengage Acesso em: 10 mai. 2016.
Learning, 2016. [23] Schlemmer, Eliane. Gamificação em espaços
[11] Lorenzato, Sergio. Para aprender Matemática. de convivência híbridos e multimodais: design e
coleção formação de professores. 2. ed. São Paulo: cognição em discussão. Revista da FAEEBA,
Autores Associados, 2008. Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n.
[12] MARTINS, Cristina. GIRAFFA, Lucia Maria 42, p. 73-89, jul/dez 2014.
Martins. Gamificação nas práticas pedagógicas em [24] Schlemmer, Eliane. Games e gamificação:
tempos de cibercultura: proposta de elementos de uma alternativa aos modelos de EaD. RIED, Revista
jogos digitais em atividades gamificadas. In: Seminário Iberoamericana de Educación a Distancia, 19(2), p.
SJEEC, jogos eletrônicos, educação, comunicação, XI, 107-124, 2016. Doi:
2015, Salvador. Anais do seminário de jogos http://dx.doi.org/10.5944/ried.19.2.15731
eletrônicos, educação e comunicação. Salvador: [25] Torres, Ana Isabel Jiménez. Lázaro, Desiré
UNEB, 2015. Garcia. El proceso de gamificación em El aula: las
[13] MOSCARDINI, Ticiana Nunes. MONTICELLI, matemáticas em educación infantil. 1. ed. Madrid:
Jefferson Marlon. VELLOSO, Márcia. Nível de Grin, 2015.
utilização do m-learning (aprendizagem com

Educação no Século XXI - Volume 7


25

Capítulo 3

Graça Regina Armond Matias Ferreira


Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Resumo - Este artigo refere-se a um relato de experiência que teve como objetivo
demonstrar o papel lúdico dos jogos educativos na dinamização do ensino de ciências e
biologia, analisando a aprendizagem e perspectivas dos alunos frente à utilização de um
jogo educativo intitulado Baralho Animal. A metodologia utilizada foi a de coleta de
relatos e de questionamentos/entrevistas com os alunos/jogadores após a realização
desta atividade. Inicialmente foram apresentados os fundamentos teóricos de
tecnologias na educação para a utilização dos jogos e a concepção didática
fundamentada nos Parâmetros Curriculares Nacionais, para a formação de professores.
Em seguida, foi priorizada uma discussão sobre o levantamento de algumas
experiências utilizando o jogo como narrativas na educação básica. Após, foram
relatados os resultados da aplicação do jogo Baralho Animal para os alunos
participantes da atividade bem como das expectativas e possibilidades do uso dessa
ferramenta também na Intermediação Tecnológica. Conclui-se que, o jogo Baralho
Animal é uma poderosa ferramenta de auxílio ao aprendizado significativo de uma forma
lúdica, desde que seja realizado um planejamento prévio e cuidadoso e proporcione
condições para a realização do trabalho com base teórica e compreensão que suscita
riquezas de possibilidades de descobertas para dinamização da disciplina.

Palavras-chave: Educação a Distância, Jogos Pedagógicos, Narrativas, Formação de


professores, Educação Básica.

Educação no Século XXI - Volume 7


26

1. INTRODUÇÃO É particularmente interessante propor o uso de


jogos digitais educativos como fonte de geração
A presença massiva das tecnologias e a
de situações significativas para a aprendizagem
integração das mídias em nossas vidas vêm
de Biologia, porque na maioria das vezes, esse
alertando, enquanto educadores, para a sua
conteúdo é trabalhado de uma forma muito
importância na transmissão de conhecimentos,
abstrata, sem qualquer correspondência com
valores, conceitos e culturas. Apesar das
situações concretas. A sugestão é a utilização
gerações contemporâneas vivenciarem
desta ferramenta com um propósito pré-definido
ambientes que proporcionam uma constante
e uma aula planejada e não apenas o uso do
interação com tecnologias e recursos de várias
jogo como um fator motivacional.
linguagens, em muitas situações escolares, os
conhecimentos chegam através do discurso de Os jogos propõem algo que cada vez mais é
significado vazio dos professores e livros, reconhecidamente importante em pesquisas
organizados de forma racional, linear e sobre aprendizagem: colaboração e
descontextualizada. compartilhamento de estratégias; bem como os
jogos podem ser ferramentas eficientes, pois eles
Nessa situação, muitos espaços escolares em
divertem enquanto motivam, facilitam o
seu tradicional, ou na modalidade EaD,
aprendizado e aumentam a capacidade de
continuam reticentes para integrar em seu
retenção do que é ensinado, exercitando as
contexto as tecnologias digitais e temáticas
funções mentais e intelectuais do jogador
aplicadas à educação, reproduzindo situações
(TAROUCO, 2004).
de inquietude e de perplexidade frente às
mudanças da sociedade contemporânea, Baseado nesta concepção, esta investigação
cercadas de mudanças culturais e intelectuais. defende que, por meio da interação é possível
aprender conteúdos de ciências e biologia,
O processo de ensino e aprendizagem
utilizando para isso, os jogos, não somente os
contemporâneo para ser significativo precisa
classificados como educativos (games sérios),
conter estratégias dinâmicas e versáteis,
mas os games interativos. Estes são mais
trazendo conteúdos possíveis de ser
utilizados pelos alunos, em outros espaços de
contextualizados e aplicados na comunidade
aprendizagem e podem proporcionar
escolar em que o aluno está inserido. A
significação, desde que a narrativa e
integração das mídias e tecnologias com
jogabilidade façam parte integrante do processo
práticas inovadoras em ambientes educativos,
educativo, tratando de experiências
nesse processo é urgente, no sentido de uma
metodológicas de realidade do professor e
busca contínua de atração do jovem/adolescente
aluno.
do ensino médio, que muitas vezes utilizam
dessas tecnologias somente para diversão e Todavia, é primordialmente necessário formar
desconhece seu uso no âmbito educacional. professores para que possam participar
ativamente destas ações; através de oficinas e
Em se tratando de educação formal, seja na
envolvimento de caso, levantando as
metodologia à distância ou presencial, mediada
possibilidades que envolvem essa dinâmica.
por um ambiente de aprendizagem ou não,
Entretanto, é preciso arriscar e investir na difusão
também não é diferente; se as tecnologias estão
do conhecimento científico destes instrumentos
presentes na sociedade contemporânea, é
na aprendizagem contínua, interativa e dinâmico
preciso também envolver e incentivar o uso
do aluno contemporâneo atrelado a currículo
destas nas diferentes espaços de aprendizagem
inovador para a educação básica.
(AARSETH, 2003), voltado à inclusão dos alunos
às tecnologias digitais de informação e
comunicação aplicadas à educação, que devem
2. OBJETIVOS
ser utilizadas com coerência e contexto com a
realidade local, pois segundo Moran 2005, as O objetivo maior deste relato de experiência foi
tecnologias permitem um novo encantamento na demostrar a possibilidade da utilização das
escola, ao abrir suas paredes e possibilitar que tecnologias contemporâneas nos espaços
os alunos conversem e pesquisem com outros escolares, através do uso do recurso lúdico
alunos da mesma cidade, país ou do exterior, no “Baralho Animal”, para fortalecer a aprendizagem
seu próprio ritmo. no ensino de Ciências e Biologia, em diferentes
contextos educativos.

Educação no Século XXI - Volume 7


27

O trabalho também proporcionou um Ciências e Biologia, utilizando este recurso na


levantamento das possibilidades e dificuldades diversidade da Educação Básica na rede pública
na integração dos jogos de tabuleiro, pelos de ensino.
professores da educação básica (presencial e a
distância), através de uma investigação do uso e
aproveitamento desses jogos nas aulas de
Este trabalho foi desenvolvido no contexto da
Educação a distância, aos alunos do Ensino
3. REFERENCIAL TEÓRICO
Médio com Intermediação Tecnológica –
A tecnologia móvel amplia os recursos e permeia EMITEC/BA em 2015 a 2017, durante as
as gerações mais novas, assim como a máquina discussões nas narrativas sobre a temática
de escrever, os jogos de tabuleiro e os primeiros “Reino Animal - Vertebrados”.
jogos eletrônicos influenciaram as nossas
Para fins de validação e adequação ao ensino de
gerações (TEIXEIRA, 2003). A diferença entre
Ciências, este recurso também foi aplicado no
esses mundos, da máquina de escrever ao
Colégio Municipal de Educação Gregório Pinto
computador apresenta-se na sala de aula, seja
de Almeida no ano 2017 aos alunos do 7ª ano e
virtual ou presencial, onde as dinâmicas
EJA IV, permitindo uma narrativa diferenciada
propostas ainda passam pelo conceito
para a Educação Básica e auxiliando no
ultrapassado de ensino focado em tempo e
processo de Formação de Professores,
espaço, além de técnicas repetidas
permitindo assim uma diversidade de
incansavelmente durante os anos. Desta forma,
aprendizagem voltados aos processos de
percebe-se a necessidade de compreensão
educação e ludicidade no ensino de Ciências e
deste novo tempo, onde novas características
Biologia.
tornam-se pertinentes para o processo
educacional, utilizando como ferramenta as
tecnologias móveis.
4. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
Nesta análise, o campo de utilização dos jogos
É particularmente interessante propor o uso
de tabuleiro em ambientes de aprendizagem é
práticas pedagógicas como fonte de geração de
um espaço aberto para discussões e emprego
situações significativas para a aprendizagem de
de experimentações envolvendo o uso integrado
Ciências e Biologia, porque na maioria das
das tecnologias e conteúdos midiáticos atrelados
vezes, esse conteúdo é trabalhado de uma forma
ao currículo, promovendo a união entre
muito abstrata, sem qualquer correspondência
aprendizagem com inovação e conteúdo.
com situações concretas. O que valoriza a sua
Gee (2004) faz uma importante aproximação aplicação, criando estratégias e corroborando
entre os professores e a responsabilidade dos com novas estratégias de aprendizagem para a
pais quando ressalta a importância na diversidade na educação básica, preconizado
transformação do conhecimento quando os pais pelos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN’s
ajudam a transformar um jogo eletrônico em uma (BRASIL,1999) e pelos PCN’s+ (2002).
‘ilha de expertise’, quando o liga a livros, sites,
A abordagem metodológica é a de pesquisa-
museus e notícias, por exemplo, fazendo com
ação, buscando atingir os objetivos propostos
que a linguagem, o conteúdo e as conexões
baseada na escolha, planejamento, execução e
funcionem como preparação para o aprendizado
acompanhamento avaliativo das atividades de
futuro mais complexo e profundo.
experimentação durante as aulas do EMITEC e
Segundo Alves (2009), os espaços de formação no ensino de Ciências, de forma presencial. As
podem ser efetivados através de políticas práticas pedagógicas tiveram um propósito pré-
públicas que viabilização recursos para definido, através de aplicações em aulas
estruturar e consolidar no Brasil o planejadas, tendo como premissa: proporcionar,
desenvolvimento de jogos eletrônicos, baseados através da interatividade e do entretenimento, um
na Lei nº 10.176 (Lei da Informática), que treinamento lúdico e participativo, levando à
estabelece regras de incentivo fiscais às maior absorção e retenção das informações,
instituições de ensino e pesquisa, a fim de construção de conhecimento e estímulo de
oportunizar a criação e desenvolvimento de trabalho em equipe.
tecnologias, inclusive jogos e outras mídias
A narrativa utilizada neste trabalho foi a temática
digitais com conteúdos que enfatizem e
de Biologia dos Vertebrados, dentro do conteúdo
valorizem a cultura nacional (BRASIL, 20002).
sobre Reino Animal, onde foram feitas pesquisas

Educação no Século XXI - Volume 7


28

de referenciais teóricos sobre atividades lúdicas várias cópias, uma por grupo, para permitir uma
e um levantamento de ideias sobre a temática do maior integração entre os participantes.
jogo.
Na educação a distância, foram disponibilizadas
O jogo foi aplicado após 6 aulas de estudo dos cópias do jogo no AVA para que os alunos
Vertebrados, onde em cada aula foi abordado tivessem em mãos no dia da aula. Como
uma Classe dos Vertebrados: Peixes, Anfíbios, culminância foi realizada a aplicação da
Répteis, Aves e Mamíferos. Após as aulas ferramenta Baralho Animal nas aulas de Biologia
expositivas, como estratégia de revisão foi do EMITEC aos alunos do 2º ano de 2015 a 2017.
aplicado o jogo “Baralho Animal” no intuito de Os resultados e participações puderam ser
fortalecer os conceitos e características discutidos nos momentos de Produção e
principais de cada grupo trabalhado dentro Interação das aulas e serão apresentados nos
desta temática, onde os alunos tiveram resultados.
oportunidade de resgatar e apreender os
conceitos.
5. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS
Na Educação formal e ensino de Ciências, foi
RESULTADOS
aplicado em sala de aula, como momentos de
revisão da unidade no ensino dos vertebrados, A realização dessa atividade permitiu uma
onde os alunos puderam de forma lúdica imersão no conteúdo das características dos
trabalhar com os conceitos e ter contato com as vertebrados, após estudar cada um dos grupos
imagens e interagir com as características de separadamente durante a exposição das aulas
cada grupo estudado. Foram disponibilizadas (Figura 01).

Figura 01. Momento de Exposição do Conteúdo e Explicação do Jogo “Baralho Anima"l


(Fonte: Arquivo Pessoal, 2016).

O objetivo de cada aula foi o de apresentar as Educação a Distância e na Educação formal


principais características de cada grupo dos (Figura 02).
Vertebrados, facilitando assim a compreensão e
o uso do jogo Baralho Animal (ROSSI, 2010),
como um jogo de tabuleiro dentro do universo da

Educação no Século XXI - Volume 7


29

Figura 02. Imagem e modelo das cartas do Jogo “Baralho Animal”.

(Fonte: Arquivo Pessoal, 2016).

A aula expositiva ministrada e as discussões o recurso foram bem esclarecedoras, fazendo


com os vídeos relacionados a temática do jogo com que o mesmo não se tornasse apenas uma
aplicados antes de proporcionar a interação com simples brincadeira (Figuras 03 e 04).

Figuras 03 e 04. Momento lúdico, utilizando o Jogo “Baralho Animal”

(Fonte: Arquivo Pessoal, 2016).

Educação no Século XXI - Volume 7


30

Os resultados permitiram uma integração maior de uma forma interdisciplinar e multidisciplinar,


no chat, segundo os relatos dos mediadores com diferentes contextos e narrativas,
participantes e dos alunos da Educação Básica favorecendo a diversidade (FERREIRA, 2010,
nos diferentes contextos de investigação que 2012).
vivenciaram. Os depoimentos revelam que os
Sendo os jogos digitais considerados uma
alunos tiveram grande interesse nas
ferramenta positiva para utilização em sala de
características estudadas, pois foram motivadas
aula, citada tanto pelo corpo docente quanto
pelo recurso utilizado agora como uma
discente, é preciso modificar a postura dos
ferramenta de aprendizagem no ensino de
espaços de aprendizagem para envolver a
biologia e ciências.
utilização destas tecnologias no cotidiano das
aulas, de acordo com a realidade vivenciada
pela comunidade escolar, mas que envolva os
CONSIDERAÇÕES FINAIS
alunos e professores nesta imersão de diferentes
Com a realização deste trabalho, percebe-se que metodologias aplicadas à educação com auxílio
é possível o trabalho com jogos de tabuleiro em das tecnologias.
espaços de aprendizagem, inclusive com
Conclui-se que é preciso adaptar o recurso nas
interesse tanto docentes quanto dos discente.
diferentes modalidades de ensino, sendo na
Segundo Pontes 2000, no que envolve as
Educação a distância, mais fácil a sua aplicação
Tecnologias de Informação e Comunicação, em
no intuito de disponibilizar ao professor
se tratando do uso deste recurso observa-se que
ferramentas para que possa ser utilizada nos
a aplicabilidade dessa ferramenta é real,
espaços de aprendizagem dentro e fora do
conforme apresentado na teoria e emergente do
ambiente escolar. No ensino formal, a ferramenta
ponto de vista de trazer dinamismo e evidenciar
pode ser mais explorada pelo professor,
questões contextualizadas, referentes ao ensino
permitindo uma maior imersão no universo dos
de biologia, onde o aluno pode aprender na
jogos, permitindo uma aprendizagem que reforça
prática o que é visto na teoria.
a aplicação dos conceitos em sala, através do
Para tanto, é preciso incentivo na criação e uso lúdico, podendo ser a linguagem apropriado
dos jogos em espaços de aprendizagem, para o contexto em questão, permitindo uso de
pautados nesta justificativa de favorecimento ao diferentes narrativas como pressupostos para o
aprendizado significativo, tanto de biologia ensino de ciências e biologia também dentro de
quanto de outras disciplinas, principalmente se outros conteúdos na formação de professores na
trabalhadas em forma de projetos pedagógicos Educação Básica.

REFERÊNCIAS Curriculares Nacionais: Ciências da Natureza e suas


Tecnologias. MEC-SEMTEC, Brasília, 2002.
[1] Aarseth, Espen. Jogo da investigação:
Abordagens metodológicas à análise de jogos. In: [6] Ferreira, Graça Regina Armond Matias.
TEIXEIRA, Luis Felipe B. (org.). Cultura dos jogos - Utilização de jogos eletrônicos no ensino de biologia
Revista de comunicação e cultura Caleidoscópio. para Alunos da rede estadual de ensino: um estudo de
Lisboa, Edições universitárias Lusófonas, 2º Semestre caso no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira
2003, nº 4, p. 9-23. (Monografia de Especialização). Programa de
Formação Continuada em Mídias na Educação,
[2] Alves, Lynn Rosalina Gama. Game over: jogos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória
eletrônicos e violência. São Paulo: Futura. 2005. da Conquista, 2010. Ferreira, Graça Regina; LIMA,
[3] Alves, Lynn. Games: desenvolvimento e Mônica Moreau; JESUS, Rosana Sales. Uso de
pesquisa no brasil. In: HETKOWSKI, T. M. (Org.); Paródias no Ensino e Aprendizagem em Biologia. [51 -
Nascimento, A.D. (Org.). Educação e 63] Capítulo de Livro. In: SANTOS, Letícia Machado
Contemporaneidade: pesquisas científicas e dos (Org.) Educação Básica com Intermediação
tecnológicas. Salvador: EDUFBA, v. 2. p. 373-394, Tecnológica: tendências e práticas. Volume 01.
2009. Prefácio. 2012.

[4] Brasil Ministério da Educação e do Desporto. [7] Gee, James P. What vídeo game have to
Conselho Nacional de Educação. Câmara de yeach us about learning and literacy. Palgrave
Educação Básica. Parecer CEB n. 4/98. Diretrizes Macmillan, 2003.
Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, [8] Moran, José Manuel. Atividades &
DF: MEC/CNE, 1999. Experiências: As múltiplas formas de aprender. In:
[5] Brasil. PCN+ Ensino Médio: Orientações Tecnologia na Educação: ensinando e aprendendo
Educacionais Complementares aos Parâmetros

Educação no Século XXI - Volume 7


31

com as TIC’s. pg. 170 -173. Brasília: Ministério da Uberlândia. S.D. Disponível on line em: Acesso em:
Educação. 2005 20/05/2010.
[9] Pontes, João Pedro. Tecnologias de [11] Tarouco, L. M. R., Roland, L. C., Fabre , M. C.
informação e comunicação na formação de J. M., Konrath, M. L. P. Jogos educacionais, Renote -
professores: que desafios? Revista Ibero-americana Novas Tecnologias na Educação , v. 2, n. 1. 2004.
de Educação. Número 24. Setembro-Dezembro de
[12] Teixeira, Luis Felipe B. (org.). Cultura dos
2000.
jogos - Revista de comunicação e cultura
[10] Rossi, Diego Henrique; SOUZA, Aline Alcalá Caleidoscópio. Lisboa, Edições universitárias
de; PAULA, Sandro Mayrink; FARIA, Talita Martins. Lusófonas, 2º Semestre 2003, nº 4, p. 9-23.
Jogo Baralho Animal–Universidade Federal de

Educação no Século XXI - Volume 7


32

Capítulo 4

Graça Regina Armond Matias Ferreira


Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Resumo – Este relato de experiência objetiva demonstrar o uso de uma atividade


moderna e motivadora como estratégia de ensino de ciências, através da temática no
eixo de Saúde, com o uso da gamificação, na educação básica. Neste trabalho, a
gamificação é compreendida como um gênero de jogo que usa e compartilha das
técnicas do design e da mecânica dos games em contextos de ”não jogo” para engajar
as pessoas em uma experiência lúdica e divertida. A aprendizagem baseada na
gamificação funciona por três razões: o envolvimento, o processo interativo de
aprendizagem e a maneira como os dois interagem. Quando pensamos na estética que
iremos aplicar, devemos transformar um determinado contexto ou situação em uma
espécie de jogo, acrescentando a elas os elementos que tornam os games experiências
agradáveis e prazerosas. É pensar em resolver o problema a partir do ponto de vista do
game designer. Na educação, a finalidade da gamificação é aumentar o envolvimento e
motivação dos alunos através da introdução de elementos do jogo, como placares,
emblemas e níveis. A aplicação metodológica deste trabalho se deu através da imersão
desta estratégia na temática de Vírus e Viroses, dentro do Eixo de Saúde, com alunos do
Ensino Fundamental II e também no Ensino Médio da rede pública de ensino. Após a
aplicação do jogo, os alunos responderam a um questionário e também registraram
alguns relatos da experiência, reafirmando que a gamificação na educação é válida e
possível. Os resultados encontrados, conclui-se que permitiram realizar alguns ajustes
na estratégia, mas permitiu que os alunos experimentassem essa abordagem e
sugerissem melhorias, tornando a ensino de ciência mais atrativo e contextualizado.

Palavras-chave: Educação a Distância, Gamificação, Ensino de Ciências, Estratégias


Pedagógicas, Educação para Saúde.

Educação no Século XXI - Volume 7


33

1. INTRODUÇÃO Quando pensamos na estética que iremos


aplicar, devemos transformar um determinado
O uso de estratégias inovadoras amplia os
contexto ou situação em uma espécie de jogo,
recursos e permeia as gerações mais novas,
acrescentando a ela os elementos que tornam os
assim como a máquina de escrever, os jogos de
games experiências agradáveis e prazerosas.
tabuleiro e os primeiros jogos eletrônicos
Resumindo, é pensar em resolver um problema a
influenciaram as nossas gerações. A diferença
partir do ponto de vista de um game designer.
entre esses mundos, da máquina de escrever ao
computador apresenta-se na sala de aula, seja Sabemos que os jogos ainda não são bem vistos
virtual ou presencial, onde as dinâmicas no contexto escolar, mas pensando que os
propostas ainda passam pelo conceito mesmos poderão ser utilizados como
ultrapassado de ensino focado em tempo e ferramentas, para fins educacionais de
espaço, além de técnicas repetidas aprendizagem, observa-se que o interesse dos
incansavelmente durante os anos. Desta forma, alunos nas disciplinas pode ser aumentado,
percebe-se a necessidade de compreensão apenas pelo fato de gamificarmos o conteúdo ou
deste novo tempo, onde novas características a realização das tarefas permitindo a interação
tornam-se pertinentes para o processo do dispositivo móvel já utilizado por eles, visando
educacional, utilizando como ferramenta as a aprendizagem de forma interativa e
tecnologias móveis. motivadora.
A utilização de métodos alternativos de melhoria Papert [PAPERT,1980] discute como as crianças
do ensino público tem sido um assunto de podem melhorar seu aprendizado por meio da
grande interesse tanto por parte da academia assimilação de atividades lúdicas aplicadas a
quanto por órgãos que desejam melhorar os problemas do dia-a-dia. O autor baseia-se em
índices de aprendizado. A introdução de experiências associativas e o conceito de que o
técnicas como a utilização de ferramentas para usuário possa desenvolver uma afeição ao objeto
melhoria do aprendizado foi proposta e para desenvolver sua teoria do obstrucionismo.
experimentada por alguns pesquisadores em Papert observa que os usuários que
outros países como Melo (MELO,2009). desenvolvem maior conhecimento sobre um
assunto específico são aqueles que conseguem,
O processo de ensino e aprendizagem
de alguma forma, associar os conceitos à
contemporâneo para ser significativo precisa
alguma elemento que tenha significado
conter estratégias dinâmicas e versáteis,
sentimental ou afetivo.
trazendo conteúdos possíveis de ser
contextualizados e aplicados na comunidade Baseado nesta concepção, este relato busca
escolar em que o aluno está inserido. A descrever uma experiência de gamificação com
integração das mídias e tecnologias com alunos do ensino fundamental II e com os alunos
práticas inovadoras no ambiente escolar, nesse do ensino médio, com a temática de Saúde, cujo
processo é urgente, no sentido de uma busca tema foi “Vírus e viroses”. No que tange esta
contínua de atração do jovem adolescente do investigação, defendemos que por meio da
ensino médio, que muitas vezes utilizam dessas interação e da interdisciplinaridade é possível
tecnologias somente para diversão e aprender conteúdos de ciências naturais,
desconhece seu uso no âmbito educacional. utilizando para isso, uma nova estratégia,
desenvolvida e aplicada na educação pública da
Segundo Karl Kapp (2012), gamificação é “o uso
rede básica de ensino (modalidade a distância,
de mecânicas, estéticas e pensamentos dos
educação híbrida e modalidade presencial), no
games para envolver pessoas, motivar a ação,
ano de 2017, como estratégia piloto para serem
promover a aprendizagem e resolver problemas”.
desenvolvidas novos temas, dentro desse
Como mecânicas de um game estão inclusos
contexto.
seus elementos mais básicos, como as regras, a
saída quantificável, o feedback, os níveis, as
recompensas, o sistema de pontuação, entre
2. OBJETIVOS
outros. Entretanto, as mecânicas, sozinhas, são
apenas uma parte da gamificação, e não o seu Este relato de experiência teve como objetivo
todo. Entender a gamificação como a simples relatar a experiência do planejamento, execução
adição dessas mecânicas em uma atividade é e avaliação de uma estratégia gamificação na
atribuir um significado bastante superficial a ela, educação como ferramenta motivadora de
uma vez que sua proposta é muito mais aprendizagem e ensino de ciências, através da
abrangente. experimentação científica, utilizando elementos

Educação no Século XXI - Volume 7


34

de games, no intuito de fortalecer a Além disso, o momento parece ser bastante


aprendizagem no ensino de Ciências. oportuno para a construção de bases
acadêmicas sobre a gamificação. Além de ser
O trabalho também proporcionou um
possível verificar um número cada vez maior de
levantamento das possibilidades e dificuldades
notícias, publicações e discussões sobre a
na integração desta atividade gamificada, pelos
utilização de games, e da gamificação, em
professores da educação de ciências naturais,
ambientes de aprendizagem, a última edição do
através de uma investigação do uso e
relatório Horizon (JOHNSON et al., 2012) do New
aproveitamento dessa estratégia nas aulas de
Media Consortium (NMC), uma publicação que
Ciências, utilizando este recurso na diversidade
existe há dez anos em nível mundial cuja
da Educação Básica na rede pública de ensino,
finalidade é identificar tecnologias que poderão
bem como na integração para o ensino híbrido e
impactar na educação ao redor do mundo,
Educação a distância, permitindo ampliar para
acaba de ganhar sua primeira versão nacional. O
outras temáticas, adaptáveis aos conteúdos a
foco dessa edição é nas tecnologias emergentes
serem trabalhados.
no Brasil, no Ensino Fundamental e Médio, para o
período de 2012 a 2017. Nela, especialistas em
tecnologias na educação identificaram as
3. REFERENCIAL TEÓRICO
tendências tecnológicas e o respectivo horizonte
Dentre os muitos pesquisadores que estudam as de tempo para sua adoção. Curiosamente, a
possíveis interações entre games, ensino e aprendizagem baseada em jogos aparece, no
aprendizagem, tanto nas ciências cognitivas Brasil, com um horizonte de adoção de um ano,
como em outras áreas do conhecimento, enquanto que no resto do mundo esse espaço
destacam-se Marc Prensky e James Paul Gee. O de tempo é maior.
primeiro cunhou a metáfora dos “nativos digitais”
Segundo os autores,
(PRENSKY, 2001a, 2001b), a qual foi muito
utilizada pela comunidade acadêmica para Enquanto ambos os conselhos globais (K12 e
designar a geração de jovens que nasceram em Ibero- americano) concordaram que a
meio às tecnologias digitais e que já as tecnologia “Aprendizagem Baseada em
incorporaram de modo natural em suas práticas Jogos” estava na estrada já cerca de dois a
diárias e modos de agir no mundo, e o segundo três anos, o conselho de especialistas
explora associações diretas entre a brasileiro; foi o primeiro conselho do Horizon
aprendizagem que ocorre nos games e a que Project a ver os jogos no horizonte de curto
ocorre fora deles, inclusive nas escolas, prazo. Para este conselho, jogos são uma
ressaltando os princípios de aprendizagem que ponte natural entre alunos e informação.
os bons games ensinam (GEE, 2003). Incorporar características dos jogos no
aprendizado provou melhorar a lógica, o
Acredito que, se for possível capturar, através da
raciocínio e outras habilidades importantes.
gamificação, um pouco dessa essência que os
Enquanto ainda não existem muitos exemplos
games possuem, fazendo com que professores e
proeminentes de jogos educacionais no
educadores envolvidos com ambientes de
Brasil, há um número crescente de
aprendizagem pensem um pouco a partir do
organizações e grupos que estão explorando
ponto de vista de um game designer, essas
as oportunidades para desenvolver jogos
áreas podem ser potencializadas de forma
específicos para escolas (Ibid., p. 4).
bastante positiva, já que “game design é também
design de uma boa aprendizagem, uma vez que
bons games são, no fundo, experiências de
Embora haja certa confusão no uso dos termos
aprendizagem e resolução de problemas” (GEE,
(primeiro falam em “incorporar características de
2008, p. 23).
jogos”, o que remete à gamificação, e depois
Assim, esses profissionais terão mais uma falam em “jogos educacionais”, o que pressupõe
alternativa para pensar e conduzir esses pensar em games educativos), entende-se que
ambientes de um modo mais significativo e “Aprendizagem Baseada em Jogos” seja uma
atraente para os jovens de hoje que, inseridos grande área que contemple tanto a gamificação
nesse contexto dos games, das tecnologias como os games educacionais, também
digitais e da cultura digital, parecem não denominados de sérios games (MATTAR, 2009),
manifestar na escola o mesmo entusiasmo que bem como qualquer outra atividade relacionada
comumente manifestam em suas interações com com a utilização de jogos em ambientes de
os games e com as tecnologias digitais. aprendizagem. Embora o foco deste trabalho

Educação no Século XXI - Volume 7


35

seja a gamificação, entender sobre games, desencadear o processo de desenvolvimento, na


aprendizagem baseada em jogos eletrônicos, e medida em que provoca novos comportamentos
sobre game design, contribui para uma melhor que substituem os antigos, considerados inatos.
compreensão sobre a gamificação, pois ela
A terceira posição tenta combinar as duas
possui relação direta com esses fenômenos.
primeiras ao postular que aprendizagem e
A execução de processos de gamificação das desenvolvimento continuam sendo processos
aulas de Ciências segundo Papert [PAPERT, diferentes, porém que existe interação entre eles
1980] permite o estímulo do desenvolvimento dos no sentido que “cada um influencia o outro – de
conhecimentos cognitivos e lógicos de forma um lado a maturação, que depende diretamente
eficiente, beneficiando assim o entendimento das do sistema nervoso; de outro o aprendizado, que
áreas como matemática e física [MELO 2009]. é, em si mesmo, também um processo de
desenvolvimento” (Ibid., p. 107). Essa é a
A partir desse pressuposto, pode-se encontrar
primeira posição que, ao unir as duas outras em
uma explicação para o surgimento da
um movimento de interação, sugere que elas não
gamificação e também uma justificativa para a
eram essencialmente opostas e nem
sua utilização como norteadora de uma
mutualmente excludentes, e que aprendizagem e
estratégia pedagógica voltada para os indivíduos
maturação acabam por influenciar uma a outra
inseridos na cultura digital.
enquanto acontecem.
Vygotsky postulava que não há como resolver
corretamente os problemas do ensino sem antes
investigar mais a fundo as relações entre a 4.PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
aprendizagem e o desenvolvimento humano.
A abordagem metodológica é baseada na
Conforme já mencionado, a demanda da
vertente sócio interacionista, através de uma
aprendizagem é o ensino, e não o contrário. O
pesquisa-ação, buscando atingir os objetivos
conceito de ZDP negava as três posições
propostos neste trabalho de construir esta
teóricas distintas que vigoravam na época: a
pesquisa para que ela sirva como base para
primeira pressupunha que os processos de
investigações futuras sobre a gamificação, tanto
desenvolvimento são independentes da
teóricas quanto empíricas. Nessas
aprendizagem, a segunda que a aprendizagem é
circunstâncias, a pesquisa qualitativa se
o próprio desenvolvimento e a terceira tentava
apresenta como uma melhor opção, pois nela
superá-las através de uma combinação das duas
não se pretende “testar hipóteses para
primeiras.
comprová-las ou refutá-las ao final da pesquisa;
A primeira teoria se resume no fato de que “o a intenção é a compreensão” (MORAES, 2003).
aprendizado forma uma superestrutura sobre o
Nesse primeiro momento, se faz necessário
desenvolvimento, deixando esse último
melhor compreender o fenômeno em questão a
essencialmente inalterado” (VYGOTSKY, 1998, p.
partir de teorias estabelecidas academicamente
105). Isso implica que existem níveis de
a fim de, em trabalhos futuros, existirem bases
maturação no desenvolvimento biológico do ser
teóricas e epistemológicas mais sólidas, para
humano e que a aprendizagem não consegue
então serem realizados estudos empíricos em
ultrapassá-los. Ou seja, se um determinado
algum ambiente de aprendizagem selecionado.
conhecimento for ensinado a uma criança antes
de ela ter condições, em nível de Na perspectiva de comprovar a aprendizagem
desenvolvimento biológico, de aprendê-lo, esse através da gamificação, foi realizada uma
conhecimento não encontrará condições de ser atividade gamificada, com alunos do 7º ano do
desenvolvido, e nem outros que forem Colégio Municipal Gregório Pinto de Almeida, em
considerados inadequados àquele nível de Lauro de Freitas, região Metropolitana de
desenvolvimento. Salvador, em Maio de 2017. O planejamento do
jogo se deu de forma coletiva, através de
A segunda posição é a que postula que
estudos do conteúdo “Vírus e viroses”, onde os
“aprendizado e desenvolvimento coincidem em
alunos/jogadores tiveram contato com os
todos os pontos, da mesma maneira que duas
elementos: narrativa, missão, estratégia,
figuras geométricas idênticas coincidem quando
personagens, cenários, dentre outros, no intuito
superpostas” (Ibid., p. 106). De fato, isso implica
de entender os métodos de transmissão de
que a aprendizagem passa a ser a incorporação
algumas doenças causadas por vírus, bem
de novos hábitos e respostas que vêm para
compreender algumas medidas preventivas e
substituir aqueles que eram inatos à criança.
resposta do corpo às doenças.
Dessa forma, somente a aprendizagem pode

Educação no Século XXI - Volume 7


36

Trata-se de um trabalho piloto, envolvendo a relatos gravados pelos alunos, permitem apurar
gamificação para o aprendizado em educação que a atividade precisou de alguns ajustes, mas
no eixo saúde tratando desse tema. Vale que quando reaplicado em outra turma,
ressaltar que, através da validação deste pudemos observar a melhora na compreensão e
trabalho, também na educação híbrida e no no divertimento dos alunos, que saíram da
ensino a distância por intermédio da tecnologia; escola, com um aprendizado inesquecível e
esta atividade poderá ser adaptada para outros também com o conteúdo bem trabalhado
contextos, tais como bacterioses, protozooses, permitindo uma aplicação prática ao que foi
parasitoses, ou mesmo uma mistura dessas aprendido.
doenças e atrela-las aos agentes causadores.
Além disso, pode-se observar melhoras também
Sendo assim, este estudo demonstra que os nas posturas de comportamentos, atitudes e
elementos dos games podem ser utilizados com entendimento de valores, para com os alunos, os
sucesso para aumentar o envolvimento dos professores e a escola, valorizando o seu meio
alunos e motiva-los a participar ativamente de ambiente no seu ser social e ambiental, segundo
atividades que não eram formalmente uma os relatos dos professores da escola e dos
avaliação. A pesquisa conduzida pode ter alunos da Educação Básica nos diferentes
implicações mais amplas para a implementação contextos de investigação que vivenciaram.
da gamificação na educação. Vale ressaltar que
havia limitações desta pesquisa, incluindo a
amostra muito específicas utilizada, o tamanho 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
relativamente pequeno e método de auto-relato
Com a realização desta atividade, percebe-se
utilizado. Como os participantes do estudo eram
que é possível o trabalho com atividades
estudantes e as atividades foram experienciais,
gamificada em espaços de aprendizagem,
isso pode ter influenciado nos níveis de
inclusive com interesse tanto dos docentes
participação.
quanto discente. Assim, no que envolve as TIC’s,
em se tratando do uso desta abordagem
observa-se que a aplicabilidade desta
5. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS
ferramenta é real, conforme apresentado na
RESULTADOS
teoria e emergente do ponto de vista de trazer
Os estudantes foram convidados para uma um dinamismo e evidenciar questões
missão: “Você está sendo atacado pelos vírus e contextualizadas, referentes ao ensino de
sua missão é se proteger da melhor forma ciências, onde o aluno pode aprender na prática
possível! Busque os personagens e as cartas o que é visto na teoria.
escondidas nos arredores da escola para buscar
Os depoimentos revelam que os alunos tiveram
as informações necessárias para os próximos
grande interesse nas características estudadas,
passos bem como para sua sobrevivência. Boa
pois foram motivadas pelo recurso utilizado
Sorte!”.
agora como uma ferramenta de aprendizagem
A partir do convite aceito, foi explicado as regras no ensino de ciências.
do jogo, ai cada grupo, foi desenvolvendo a
Para tanto, é preciso incentivo na criação e mais
atividade conforme as instruções e as cartas
ferramentas em espaços de aprendizagem,
encontradas, que determinavam as ações e
pautados nesta justificativa de favorecimento ao
tarefas de perguntas e respostas para os
aprendizado significativo, tanto de biologia
membros da equipe responderem ou procurem
quanto de outras disciplinas, principalmente se
as respostas nos cenários do jogo, que foi
trabalhadas em forma de projetos pedagógicos
desenvolvido na quadra de esportes do colégio.
de uma forma interdisciplinar e multidisciplinar,
O objetivo foi o alcançar o maior número de
com diferentes contextos e narrativas,
pontos (cartas bônus) bem como “sobreviver” o
favorecendo a diversidade. Outro ponto é de que
maior número de pessoas da equipe. A cada 3
é preciso a capacitação e aperfeiçoamento dos
idas ao médico, sem o devido tratamento, o
professores, visando uma interação entre as
jogador não terá mais vidas, simulando a morte
tecnologias e capacitação docente relativo a
do paciente. Ganha a equipe que tiver o maior
promoção de jogos digitais como uma forma de
número de jogadores “saudáveis” e com maior
dinamizar o seu uso nesta área tão importante e
número de pontos possíveis.
na valorização dos jovens e adolescentes.
O jogo foi planejado e executado e como
resultado dos questionários bem como dos

Educação no Século XXI - Volume 7


37

REFERÊNCIAS [10] MATTAR, João. Games em educação: como


os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson
[1] Borin, J. (2007). Jogos e resolução de Prentice Hall, 2010.
problemas uma estratégia para as aulas de [11] Melo, Mário Marcelino Luís de. Robótica e
matemática. São Paulo, CAEM-IME/USP. resolução de problemas: uma experiência com o
[2] Enem, Governo Federal, Mec, Inep, 2009 sistema Lego Mindstorms no 12º ano. Lisboa, 2009.
http://www.enem.inep.gov.br [12] Moraes, Roque. Uma tempestade de luz: a
[3] Floyd, R. G., Evans, J. J. and Mcgrew, K. S. compreensão possibilitada pela análise textual
(2003), Relations between measures of Cattell-Horn- discursiva. Ciência & Educação. Bauru. vol.9, no.2,
Carroll (CHC) cognitive abilities and mathematics p.191-211, 2003. Disponível em:
achievement across the school-age years. Psychol. <http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n2/04.pdf>. Acesso
Schs., 40: 155–171. em: 10 out. 2014.
[4] Gee, James P. What video games have to [13] Papert, S. Mindstorms - Children, Computers
teach us about learning and literacy. Palgrave and Powerful Ideas. Basic Books, New York 1980;
Macmillan, 2003. Logo: Computadores e Educação (trad. J.A.Valente et
[5] Johnson, Larry et al. Perspectivas al.). Editora Brasiliense, São Paulo 1985.
tecnológicas para o ensino fundamental e [14] Prensky, Marc. Digital Natives, Digital
[6] Médio Brasileiro de 2012 a 2017: Uma análise Immigrants. In: PRENSKY, Marc. On the Horizon. NCB
regional por NMC Horizon Project. Austin, Texas: The University Press, Vol. 9 No. 5, Outubro 2001a.
New Media Consortium, Estados Unidos, 2012. Disponível em:
Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-
<http://zerohora.clicrbs.com.br/pdf/14441735.pdf>. %20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-
Acesso em: 10 out. 2014. %20Part1.pdf>. Acesso em: 10 mai. 2014.
[7] Lakatos, Eva M.; Marconi, Marina de A. [15] Vigotski, Liev S. Psicologia Pedagógica.
Metodologia do trabalho científico: procedimentos Tradução Claudia Schilling. Porto Alegre: Artmed,
básicos, pesquisa bibliográfica, projetos e relatórios, 2003.
publicações e trabalhos científicos. 7ª ed. São Paulo: [16] Vygotsky, Lev S. A Formação Social da
Atlas, 2009. Mente: O Desenvolvimento dos Processos
[8] Lima, Telma C. S. de; Mioto, Regina C. T. Psicológicos Superiores. Org. por Michel Cole et al.
Procedimentos metodológicos na construção do Tradução José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna
conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Barreto, Solange Castro Afeche. 6ª Ed. São Paulo:
Revista Katál. Florianópolis, v. 10, p. 37-45, 2007. Martins Fontes, 1998.
Disponível em: [17] ______, Lev S. Aprendizagem e
<http://www.scielo.br/pdf/rk/v10nspe/a0410spe.pdf>. Desenvolvimento Intelectual na Idade Escolar. In:
Acesso em: 10 out. 2014. VYGOTSKY, Lev.; Luria, Alexander e Leontiev, Alexis
[9] Macedo, Lino de, Petty, Ana Lúcia Sicoli, N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem.
PASSOS, Norimar Christe. Aprender com jogos e Tradução Maria da Penha Villalobos. 9ª ed. São Paulo:
situações problema. Porto Alegre: Artmed, 2000. Ícone, 2001.

Educação no Século XXI - Volume 7


38

Capítulo 5

Aloir Pedruzzi Junior


Ana Cláudia Dias Ribeiro
Emi Silva de Oliveira
Raimundo Gomes da Silva Junior
Samuel dos Santos Junio

Resumo: Este artigo traz relatos de experiências e tem como objetivo apresentar o
processo de implantação do Curso Técnico em Cooperativismo concomitante ao
Ensino Médio modalidade a distância do Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia de Rondônia, Campus Porto Velho Zona Norte, na região Amazônica,
uma das formas do Poder Público de investir em Políticas Públicas de
desenvolvimento educacional do Estado de Rondônia. Abordaremos as políticas
públicas educacionais, apresentaremos uma visão geral do Estado de Rondônia e
do Instituto Federal e por fim, o relato da experiência do curso por intermédio da
pesquisa do tipo exploratório-descritiva qualitativa com análise de documentos e o
estudo de caso.

Palavras-chave: Políticas públicas, Amazônia Ocidental, Curso Técnico em


Cooperativismo.

Educação no Século XXI - Volume 7


39

1. INTRODUÇÃO 2. REFERENCIAL TEÓRICO


Vários são os desafios para se levar a 2.1 POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS
educação aos mais longínquos lugares do
Com as transformações econômicas, sociais,
Brasil. Na região norte não é diferente. Temas
políticas, culturais e políticas da sociedade se
como qualidade da educação, acesso a
desenvolvem as políticas públicas
educação, formação de professores,
educacionais. A política pública, geralmente,
formação técnica e outros são recorrentes nos
tem o condão de facilitar o trabalho dos
debates acerca das políticas
gestores educacionais. Possibilitar qualidade
educacionais.Assim, surge na Amazônia a
educacional ou qualidade de vida aos
educação à distância. Referenciada na Lei de
cidadãos são suas características fortes.
Diretrizes e Bases da Educação Nacional
Pode-se, 2 então resumir política pública
(LDBEN) no artigo 80, regulamentada pelo
como o campo do conhecimento que busca
Decreto nº 5.154/2004 e Decreto nº
ao mesmo tempo, colocar o “governo em
5.622/2005. Por ser uma educação que
ação” e/ou analisar essa ação (variável
ocorre em espaços e tempos diversos, as
independente) e , quando necessário, propor
tecnologias da informação e da comunicação
mudanças no rumo ou curso dessas ações
são muito necessárias, pois, no ensino a
(variável dependente). A formulação de
distância a interação com o professor é
políticas públicas constitui-se no estágio em
indireta e tem de ser mediatizada por diversos
que governos democráticos traduzem seus
meios tecnológicos (BELLONI, 2008).
propósitos e plataformas eleitorais em
O curso Técnico em Cooperativismo programas e ações, que produzirão
concomitante ao Ensino Médio na modalidade resultados e mudanças no mundo real.
EaD faz parte da área de Gestão de (SOUZA 2007, p.69).
Negócios, do Catálogo Nacional de Cursos
A educação a distância como política pública
Técnicos, visa promover a formação técnica
está sendo utilizada como uma das formas de
profissional para o desenvolvimento de
expansão da educação no Brasil. Assim, o
cooperativas, visando formar um profissional
Instituto Federal de Educação, Ciência e
que planeja e executa processos
Tecnologia de Rondônia apresenta-se como
cooperativos em suas diversas modalidades
instituição de ensino que oferta cursos em
ocasionando assim a expansão nesse setor
EaD nos termos do art. 2°, IV, do Decreto n°
bem como, a movimentação da economia.
5.622/2005 e para efetivar um processo
Percebe-se que os caminhos e experiências educativo que atenda aos ditames legais,
vivenciadas na implantação do curso são adota a Educação a Distância como conceito
pouco discutidos e apresentados a e prática.
sociedade. Uma problemática que merece
atenção, pois a educação à distância tem
nuances que devem ser observadas. Será 2.2 RONDÔNIA: UM PEDAÇO DA
que somente ensinar é suficiente? Será que AMAZÔNICA
esses adolescentes que estão recebendo
Trata-se de um Estado novo com grandes
estão motivados a aprender? Assim, a partir
possibilidades em todas as áreas (ambiental,
desta contextualização buscou-se refletir e
social, educacional, entre outras). Segundo
socializar as principais experiências práticas.
Silveira (2008), o Estado de Rondônia
Diante disto buscamos apresentar o processo
movimenta de 20 a 30% do Produto Interno
de implantação do Curso Técnico em
Bruto – PIB/RO e cerca de 10% da população
Cooperativismo concomitante ao Ensino
rondoniense é ligada a uma cooperativa ou
Médio ? modalidade a distância do Instituto
associação. O número da adesão de sócios
Federal de Rondônia, Campus Porto Velho
cooperados à atividade econômica inspirada
Zona Norte, na região Amazônica, uma das
pelo cooperativismo cresceu em uma taxa
formas do Poder Público de investir em
média de 0,91% em quantidades de
Políticas Públicas de desenvolvimento
Cooperativas, 3,98% em número de
educacional do Estado de Rondônia.
associados e 14,90% em número de
empregados, demonstrando o bom momento
para o desenvolvimento do cooperativismo no
Estado, contudo, muito aquém em
comparação a Estados mais antigos.

Educação no Século XXI - Volume 7


40

A educação em áreas rurais do Estado de instituição a Escola Técnica Federal de


Rondônia é historicamente marcada pela Rondônia e a Escola Agrotécnica Federal de
ausência de políticas educacionais que Colorado do Oeste. 2009: início das aulas e
garantam o acesso ao ensino com qualidade. dos processos de expansão da rede do IFRO.
A maioria dos municípios rondonienses tem 2010: Início das atividades dos Campi
sua economia alicerçada em atividades Ariquemes, Cacoal, Porto Velho Calama e
tipicamente rurais, compreendendo os Vilhena; 2011: Implantação de Polos de
espaços da floresta, agropecuária, Educação a Distância e dos primeiros cursos
ribeirinhos, pesqueiros, extrativistas e da modalidade no IFRO; 2012: Implantação
quilombolas. do Campus Porto Velho Zona Norte, temático,
para gestão da EaD; 2013: Início das
construções do Campus Guajará-Mirim e
2.3 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, processo de implantação da Unidade de
CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA – Educação Profissional de Jaru (UEP),
IFRO vinculada ao Campus Ji-Paraná; 2013:
Instalação de 12 polos EaD; 2014: Expansão
O Instituto Federal de Educação, Ciência e
de 12 polos EaD, passando para 24
Tecnologia de Rondônia (IFRO), autarquia
unidades. 2015: início das atividades do
federal, vinculada ao Ministério da Educação
Campus Guajará-Mirim.
(MEC), foi criado por meio da Lei nº
11.892/2008, que reorganizou a rede federal O Instituto Federal de Rondônia está fazendo
de educação profissional, científica e investimentos substanciais na ampliação de
tecnológica composta pelas escolas técnicas, seus Campi e de sua rede. Atualmente, a
agrotécnicas e Centros Federais de configuração está assim apresentada: uma
Educação Tecnológica (CEFETs), Reitoria; oito Campi implantados (Porto Velho
transformando-os em trinta e oito Institutos Calama, Porto Velho Zona Norte, Ariquemes,
Federais 3 de Educação, Ciência e Ji-Paraná, Cacoal, Vilhena, Colorado do Oeste
Tecnologia distribuídos em todo o território e Guajará-Mirim) e um Campus avançado em
nacional. Jaru, além da ampliação do número de Polos
de Educação a Distância no interior do
O IFRO é detentor de autonomia
Estado.
administrativa, patrimonial, financeira,
didáticopedagógica e disciplinar, equiparado O Campus Porto Velho Zona Norte teve seu
às universidades federais. É uma instituição funcionamento autorizado como Campus
de educação superior, básica e profissional, Avançado pela Portaria 1.366, de 6 de
pluricurricular e multiCampus. Especializa-se dezembro de 2010. Com uma estrutura
em oferta de educação profissional e voltada à Educação à Distância, o Campus
tecnológica nas diferentes modalidades de Porto Velho Zona Norte, por sua conversão de
ensino para os diversos setores da economia, Campus Avançado para Campus Regular,
na realização de pesquisa e no assume, por transferência da Pró-Reitoria de
desenvolvimento de novos produtos e Ensino, toda a gestão administrativa e
serviços, com estreita articulação com os pedagógica voltada à EaD nos Campus e
setores produtivos e com a sociedade, Polos Regionais do IFRO.
dispondo mecanismos para educação
Primeiramente, passou a oferecer, cursos em
continuada.
parceria com o Instituto Federal do Paraná,
Marcos Históricos do Instituto Federal de nos eixos tecnológicos Ambiente, Saúde e
Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia: Segurança e Controle e Processos Industriais,
1993: Criação da Escola Agrotécnica Federal além dos cursos do Programa Profuncionário.
de Colorado do Oeste e das Escolas Técnicas Com início das atividades próprias em 2013,
Federais de Porto Velho e Rolim de Moura por passaram a ofertar os cursos Técnicos em
meio da Lei 8.670/1993. Apenas a Escola Informática para Internet e em Finanças, além
Agrotécnica foi implantada, porém; 2007: do Superior de Tecnologia em Gestão
Conversão da Escola Técnica Federal de Pública, todos presenciais. Além disso, com a
Porto Velho em Escola Técnica Federal de instalação dos estúdios de produção de
Rondônia por meio da Lei 11.534/2007; 2008: educação à distância, abre os primeiros
criação do Instituto Federal de Educação, cursos nesta modalidade: Técnico em
Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), por Informática para Internet e Técnico em
meio do artigo 5º, inciso XXXII, da Lei Finanças.
11.892/2008, que integrou em uma única

Educação no Século XXI - Volume 7


41

Ao longo do período de implantação da EAD http://www.diariodaamazonia.com.br/mediaca


no IFRO, foram desenvolvidas ações de otecnologica-nao-e-negociavel/ Ainda:
planejamento e aquisição de equipamentos Rondônia: ensino médio “on line” Novamente,
para instalação de um estúdio de produção pretende-se melhorar a qualidade da
de áudio, vídeo e outras mídias, bem como educação através de atalhos. Mas não há
para instalação de uma antena com sinal de atalhos para a boa educação.
satélite próprio. Com equipe própria de https://avaliacaoeducacional.com/2016/01/24/
professores e técnicos, e um Ambiente Virtual rondonia-ensinomedio-on-line/ Continuando:
de Aprendizagem (AVA) construído para esta Mediação Tecnológica é criticada em
finalidade. audiência pública na ALE: O Projeto de
Mediação Tecnológica que começou a ser
A proposta para o desenvolvimento das
implantado pela Seduc em Rondônia recebeu
ações de Educação a Distância do IFRO está
duras críticas durante audiência pública
estruturada em cinco eixos: investimento em
realizada nesta quinta-feira, dia 23/06, na
alta tecnologia; desenvolvimento de recursos
Assembleia Legislativa de Rondônia, em Porto
pedagógicos; treinamento de pessoal técnico
Velho. (...) O Sintero e os movimentos sociais
e docente; realização de convênios com
não concordam. Alguns dos discursos
instituições e organismos de fomento; e apoio
afirmaram que a mediação tecnológica
a projetos de interesse da administração
passou de excessão a regra, e estava sendo
pública.
implantada indiscriminadamente em locais
que poderiam ter professores. Também
recebeu muitas críticas o modelo adotado
2.4 EXPERIÊNCIA DO CURSO TÉCNICO
pela Seduc.
CONCOMITANTE AO ENSINO MÉDIO EAD
http://www.sintero.org.br/noticia/2016/06/23/m
NO IFRO
ediacao-tecnologica-e-criticada-emaudiencia-
Para falar da experiência é necessário publica-na-ale.html
apresentar o cenário social à época da
Observa-se que o curso Técnico em
implantação. No Estado de Rondônia a
Cooperativismo concomitante ao Ensino
educação presencial é a que prevalece,
Médio na modalidade EaD surgiu em meio a
sendo o ensino à distância a exceção.
um grande debate acerca da aceitação ou
Partindo da premissa que o novo sempre
não da modalidade no Estado de Rondônia.
assusta com a chegada da tecnologia no
Agora que já conhecemos esta realidade,
Estado de Rondônia não foi diferente.
vamos avançar.
Em 2015 o Estado de Rondônia por
Antes da implantação do curso o IFRO
intermédio da Secretaria Estadual de
buscou identificar, por meio de uma pesquisa
Educação firmou convênio com a União
de demanda, quais os ramos de atividades
através do Instituto Federal de Rondônia –
que os estudantes mais almejavam em Porto
IFRO. Assim, no primeiro semestre de 2016, o
Velho. Os questionários foram distribuídos a
Estado de Rondônia passou a utilizar a
2700 alunos do 1º ao 3º ano do ensino médio
tecnologia para levar o ensino com qualidade
de 08 escolas públicas. A pesquisa
em comunidades distantes e na área urbana,
demonstrou quais eixos tecnológicos
quando necessário, transmitindo em tempo
comportavam os cursos de interesse da
real, por satélite, aulas ministradas em
comunidade escolar pesquisada. Assim, os
estúdio. Assim, foram as recepções dos
cursos do eixo tecnológico Gestão e
contrários ao projeto, conforme exposto pela
Negócios foram considerados como
mídia:
instrumento de base para a estruturação de
Mediação Tecnológica não é negociável: O cursos técnicos e tecnológicos que melhor se
Diário procurar a Coordenadoria Regional de ajustassem ao perfil da região, além desse
5 Ensino (CRE), de Ji-Paraná, para saber qual indicador, somou-se também a solicitação da
o procedimento a ser adotado com relação rede pública estadual de educação de alinhar
aos alunos do 9° ano da Escola Jorge os objetivos de promoção da educação, de
Teixeira, situada no Distrito de Nova Londrina, qualificação do homem do campo e de
que estão tendo dificuldades para aceitar a melhoria na organização produtiva do Estado
transição do ensino tradicional para o de Rondônia. Após a decisão foi nomeada a
mediado tecnologicamente, que deve ocorrer Comissão de Elaboração do Projeto
quando eles passarem a fazer parte do Pedagógico do Curso por intermédio da
Ensino Médio, no início de 2017. Portaria 141/15 que apresentou o histórico da

Educação no Século XXI - Volume 7


42

instituição, apresentação do curso, diversos Coordenadores da Secretaria


metodologia, equipe de professores, Estadual de Educação.
requisitos de formação, apoio pedagógico e
O Curso é realizado com encontros
técnico-administrativo, ambientes
presenciais semanalmente, para cumprimento
educacionais e recursos didáticos e de
da carga horária de cada componente
suporte, coordenação EaD – demandante:
curricular. As atividades avaliativas são
polos EaD e unidades 6 de ensino, sistemas
obrigatórias, podendo acarretar a reprovação
de atendimento, planejamento de ensino,
do aluno. O encontro semanal presencial é
embasamento legal, referências.
composto por 3 momentos: exposição do
Dados gerais do curso segundo o PPC: Nome conteúdo, atividade em sala e interação. As
do Curso: Técnico em Cooperativismo aulas contam com o acompanhamento de um
Concomitante ao Ensino Médio Modalidade professor presencial de qualquer área de
de oferta: Educação a Distância; Eixo responsabilidade da Secretaria Estadual de
Tecnológico: Gestão e Negócios; Habilitação: Educação. O suporte a esse professor
Técnico em Cooperativismo; Carga Horária: presencial é realizado por meio da
900 horas; Requisito de Acesso: matriculados coordenação de curso e equipe pedagógica,
no Ensino Médio EAD; Distribuição de Vagas: sempre por intermédio da Coordenação
2000 vagas; Turno: vespertino; Regime de Estadual responsável. O curso está
Matrícula semestral. estruturado em 7 módulos curriculares. Assim,
a Matriz Curricular compõe-se por esta
O Curso Técnico de Cooperativismo
divisão: cada disciplina tem 20% da carga
Concomitante ao Ensino Médio corresponde a
horária executada de forma presencial e os
uma modalidade de formação técnica com
demais 80% ofertados a distância.
matrícula dupla para cada aluno, uma relativa
ao ensino médio regular e outra à formação Na metade do curso o aluno ainda realizará a
profissional específica. A Coordenação de prática profissional supervisionada que visa
Registros Acadêmicos do IFRO é responsável proporcionar ao estudante a construção de
pela efetivação da matrícula, bem como pela conhecimentos, o desenvolvimento de
organização de toda a documentação desses habilidades e competências relacionadas ao
alunos em pastas individuais, organização de campo de atuação profissional orientada para
notas em boletim, dentre outras atividades a organização de cooperativas e de outros
pertinentes. empreendimentos da economia solidária e
popular, com base nos princípios filosóficos e
A operacionalização consiste na previsão da
legais do cooperativismo. Contemplando no
oferta do Curso Técnico de Cooperativismo
mínimo 100 horas de duração e consiste em
pelo Campus Porto Velho Zona Norte/IFRO,
requisito para obtenção de diploma.
responsável pela formação profissional
específica, em articulação com as unidades No corrente ano está sendo realizado o I Ciclo
da rede estadual de ensino - SEDUC, que de Palestras do Curso técnico em
oferece o Ensino Médio em sua grande Cooperativismo composto de três etapas:
maioria em locais de difícil acesso. Para fins sendo a primeira direcionada aos alunos
de tramitação dos instrumentais pedagógicos composta por uma palestra que visou
que subsidiam as aulas EaD é utilizada a sensibilizar e conscientizar os participantes
estrutura do ambiente virtual de para a importância de desenvolver a
aprendizagem em consonância com e-mails liderança no setor cooperativismo, bem como
institucionais criados pela Secretaria Estadual os meios de busca de desenvolvimento nos
de Educação. Os conteúdos audiovisuais são ramos escolhidos, e ainda uma mesa redonda
produzidos nos estúdios de geração e que objetivou apresentar experiências de
produção audiovisual. técnicos em cooperativas no mercado de
trabalho, além de proprietários de
No tocante a gestão administrativa e
cooperativas de sucesso. As outras palestras
pedagógica há uma coordenação de curso
ainda serão desenvolvidas com os
que planeja, executa, monitora, controla e
Coordenadores Estaduais, Professores
avalia as ações educacionais. Além disso, é
Presenciais e Professores à distância toda
responsável pela gerência dos aspectos
visando à prática profissional supervisionada.
pedagógicos, bem como por coordenar,
acompanhar e avaliar as atividades Está em andamento também o Projeto de
acadêmicas do curso. Esta atua junto a Ensino conhecendo o meu lugar e as minhas
raízes educacionais, que objetiva motivar os

Educação no Século XXI - Volume 7


43

alunos a pesquisar informações, entre essas categorias) e relatórios (verbais


acontecimentos e dados referentes à sua ou escritos).
comunidade escolar com base no contexto
sociocultural em que está inserido, a fim de
registro e desenho de sua identidade por 4. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS
meio do trabalho de produção textual RESULTADOS:
culminando com a escrita de um livro.
A proposta de concomitância da realização
No departamento de extensão foi protocolado do ensino médio com o profissionalizante na
o Projeto “Visita Técnica a Cooperativa da modalidade a distância vem sendo
minha região” que objetiva aproximar o desenvolvida, há praticamente dois
alunado das características do curso. semestres, levando o curso técnico
profissional em lugares que a educação
Por fim, ressalta-se o protocolo do Projeto
chegava precária.
Integrador nos setores da pesquisa, do
ensino e da extensão que visa orientar os O alunado tem se mostrado empolgado com
professores ministrantes das aulas no a possibilidade da conclusão do ensino
desenvolvimento das atividades da Prática médio técnico, inclusive, tem participado das
Profissional Supervisionada. Sendo que ao atividades desenvolvidas, tais como:
final objetiva-se agregar à formação dos palestras, atividades de percurso, mesas
alunos os saberes e conhecimentos redondas, avaliações e interações no chat.No
necessários para a formação técnica, humana desenvolvimento tem se observado que o
e social de forma interdisciplinar com vistas órgão parceiro não tem alcançado êxito em
ao preparo para o trabalho e a vida em alocar acesso a internet para todas
sociedade. localidades que a educação técnica tem
chegado. Esse fator tem dificultado o
desenvolvimento dos trabalhos, vez que o
3. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: discente, em sua grande maioria, não
consegue interagir com o professor
Os procedimentos metodológicos adotados
conteudista (que ministra as aulas).
foram, revisão bibliográfica e pesquisa
qualitativa através de relatos de experiências O contato do alunado com o professor
dos envolvidos no processo de implantação conteudista tem sido realizado por intermédio
do curso. O proceder metodológico trata da do professor presencial, apesar de todos os
natureza de uma pesquisa está relacionada alunos possuírem computadores, contudo, os
com seus objetivos gerais, sendo professores presenciais têm contribuído
classicamente rotulada como exploratórias, grandemente com a promoção do ensino,
descritivas ou explicativas (GIL, 1999). Selltiz insistindo e permanecendo junto aos
et al. (1975) afirmam que as pesquisas ambientes interativos.
exploratórias visam elucidar conceitos e
Os resultados já observados, embora ainda
propor novas pesquisas, bem como envolvem
não tendo nenhuma turma concluída, é que 9
levantamentos bibliográficos, entrevistas com
ao apresentar a metodologia de ensino, o
pessoas que tiveram experiências práticas
IFRO em parceria com o Estado de Rondônia
com o problema pesquisado e análise de
está abrindo campos e estes estão aderindo a
exemplos que estimulem a compreensão. A
um projeto sério e comprometido com a
pesquisa descritiva busca detalhar as
formação e exercício profissional de
características de determinada população ou
excelência, inclusive, com previsão de
fenômeno (GIL, 1999).
atender no segundo semestre mais dois mil e
Quanto aos métodos, foi adotada a pesquisa setecentos alunos. Vale ressaltar, que a
qualitativa, que segundo Strauss e Corbin educação profissional, desta forma, inaugura
(2008), é composta por três componentes um novo momento, uma vez que há
básicos, usados em um processo não resistência quanto a modalidade a distância
matemático de interpretação: dados de ensino, mas acreditamos que a proposta e
(advindos de fontes como entrevistas, futuramente os resultados obtidos através do
observações e documentos), procedimentos desenvolvimento da implantação irá inovar
(que abrigam redução dos dados, elaboração nesta perspectiva.
de categorias e definição do relacionamento

Educação no Século XXI - Volume 7


44

REFERÊNCIAS: [5] Ibge. Pib Municípios (2005-2009).


Disponível em . Acesso em: 25 de abril de 2017.
[1] Belloni, Maria Luiza. Educação a [6] Resolução N° 10/CEPEX/IFRO, DE 21 DE
Distância. 5. ed. Campinas, SP: Autores NOVEMBRO DE 2016.
Associados, 2008. BRASIL. Presidência da [7] Silveira, Francisco Emanoel
República. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Cooperativismo no Estado de Rondônia: Principais
Disponível em . Acesso em: 25 de abril de 2017. Ramos de Atividades./ Francisco Emanoel Silveira.
[2] ______.Presidência da República. Decreto – Porto Velho, RO: UNIR, 2008.
5.154, de 23 de julho de 2004. Disponível em . [8] souza. Celina. Estado da Arte da Pesquisa
Acesso em: 25 de abril de 2017. em Políticas Públicas. In: Políticas Públicas no
[3] ______. Ministério da Educação. Decreto Brasil. / organizado por Gilberto Hochman, Marta
5.622, de 19 de dezembro de 2005. Disponível em Arretche e Eduardo Marques – Rio de Janeiro:
. Acesso em: 25 de abril de 2017. Editora Fiocruz, 2007.
[4] Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa [9] Selltiz, C.; Jahoda, M.; deutsch, M.; Cook,
social. São Paulo: Atlas. 1999. S. Métodos de Pesquisa nas Relações

Educação no Século XXI - Volume 7


45

Capítulo 6

Olga Yevseyeva
Luciana Bolan Frigo
Alexandre de Matos
Marcio José de Lemos
Deise do Amaral Tyska

Resumo: Este artigo apresenta o desenvolvimento de um produto educacional,


onde são utilizadas variantes do jogo de xadrez como ferramenta para o ensino de
conceitos físicos atrés de analogias, abordando os conceitos de gravidade,
conceito de energia e o conceito de entropia. Ensinar é uma tarefa complexa e a
utilização de jogos desenvolve a capacidade cognitiva o que pode ser ampliado
com o auxílio de técnicas pedagógicas e uso dos recursos tecnológicos móveis e
das TIC na educação. Foram desenvolvidos dois jogos: “xadrez conservação de
energia” e “xadrez entropia”. Também foi feito um manual descritivo, para cada
jogo, com recursos computacionais de Realidade Aumentada (RA) em 3D para
smartphones e tablets, compatível com as plataformas móveis IOS e Android. O
produto educacional possibilita ao professor e aos estudantes a visualização dos
jogos através de animações em 3D e RA na tela dos dispositivos móveis com o
auxílio de marcadores QR code ou link. A ferramenta foi testada com estudantes e
professores do ensino médio. Foram utilizados questionários com os alunos e
entrevistas com professores para a avaliação.

Palavras-chave: Realidade Aumentada, Jogos de Xadrez, Ensino de Física,


Conservação da Energia, Entropia.

Educação no Século XXI - Volume 7


46

AGRADECIMENTOS cor oposta às que se encontravam. O


jogador pode libertar seu rei de um xeque
Os autores gostariam de agradecer a
realizando um lance randômico, desde que
Sociedade Brasileira de Física pela
respeite todas as regras anteriores. Existe
disponibilização da bolsa de estudos.
uma regra própria para o jogo xadrez
entropia: se o jogador da vez cometer uma
1.INTRODUÇÃO irregularidade referente ao movimento
randômico, o lance deverá ser corrigido
Diante dos novos desafios impostos pela
quando solicitado pelo oponente ou pela sua
contemporaneidade, a escola precisa se
própria iniciativa. Esta correção deve ser
modernizar e adaptar o seu fazer
realizada antes que o movimento do
pedagógico para a nova realidade dos seus
adversário seja feito, caso contrário segue-se
estudantes. O acesso às informações por
a partida normalmente e qualquer
meio das Tecnologias da Informação e
reclamação posterior perde o direito de ser
comunicação (TIC), como por exemplo,
realizada.
através da Internet e dos dispositivos móveis,
No xadrez conservação de energia aplicam-
vem democratizando o conhecimento. O
se as regras da Federação Internacional de
estudante precisa estar motivado para querer
Xadrez (FIDE) para xadrez tradicional e
aprender, e a escola tem por obrigação
também algumas regras próprias para o
oferecer um ensino de qualidade através de
xadrez conservação de energia. A primeira
ações pedagógicas qualificadas e atuais. O
regra orienta que todas as peças capturadas
ensino com o uso de jogos potencializa o
devem ser recolocadas no mesmo lance,
desenvolvimento cognitivo e estimula a vida
mas com cores opostas. A segunda regra
social dos estudantes. Ademais, o emprego
regula as casas em que se pode colocar uma
de técnicas pedagógicas em um produto
peça capturada: todas as peças capturadas
educacional feito a partir de conceitos de
podem ser colocadas em qualquer posição
game maximiza o ensino e o aprendizado,
exceto o peão, que não pode ser colocado
melhorando a construção do conhecimento.
na oitava linha do tabuleiro ou na primeira
Os jogos estimulam a vontade de vencer e
linha. Além disso, o peão não pode ser
colaboram para a superação dos jogadores.
colocado na posição anterior do peão que o
Neste artigo serão apresentadas as formas
capturou. Já a terceira regra instrui sobre a
de como o jogo de xadrez modificado com
promoção do peão, ou seja, quando um peão
uso de realidade aumentada pode ser usado
chega na oitava casa ele deve ser promovido
para elaboração de um produto educacional
a bispo, cavalo ou dama. Caso seja
para o ensino de física.
impossível a promoção de peça por troca de
posição ou cor, e o adversário não possuir
2.METODOLOGIA E RECURSOS mais cavalo, bispo ou dama, o peão volta
UTILIZADOS para a casa inicial. Para tanto, sugere-se
jogar com apenas metade das peças de
2.1.MODIFICAÇÕES DO JOGO DE XADREZ
cada lado do tabuleiro do xadrez, ficando as
O xadrez é um jogo clássico de estratégia outras para troca quando necessário.
inventado na Índia há mais de 1.500 anos. A O objetivo do jogo “xadrez conservação de
lenda diz que o soberano da Índia pediu aos energia” é buscar a compreensão da energia
sábios que concebessem um modo de tornar não gasta, pois é algo que existe numa certa
as crianças da família Real melhores quantidade, que pode ser transferida de um
pensadores e melhores generais no campo sistema para outro ou transformada dentro do
de batalha. O xadrez foi o resultado desse próprio sistema. A lei da Conservação de
pedido e, nos séculos que se seguiram à sua Energia é exata até onde se sabe. Existe
invenção, o jogo se espalhou por todos os “algo” numa certa quantidade, e a esse
países no mundo. (FILGUTH, 2007, p. 34). “algo” chamamos de energia. E não
O xadrez entropia foi criado por João Pedro importam as sucessivas transformações que
Neto e Claude Chaunier em 1996 com ocorrem na natureza, esta quantidade de
algumas regras do jogo alteradas através de “algo” permanece matematicamente a
movimentos randômicos. Das 5 (cinco) mesma. (FEYNMAN, 2001, p. 115).
regras básicas existentes 3 (três) foram As variantes do jogo de xadrez têm sido há
alteradas, e acrescentou-se mais uma muito tempo realizadas nas esferas dos
específica para o jogo de xadrez entropia. O meios enxadrísticos, e a facilidade que a
movimento randômico passou a ser internet trouxe para o dia-dia impulsionou a
obrigatório e não opcional; os bispos, se criação destas para o ambiente da rede
movidos, podem ser colocados em casas de através dos clubes online espalhados pelo
Educação no Século XXI - Volume 7
47

mundo. Os clubes, como por exemplo, de um conjunto de regras, aprendendo a


buho21.com e chessvariant.org, fazem tomar deliberações difíceis e a resolver
variantes dos jogos de xadrez tradicional e problemas de maneira criativa.
ainda promovem campeonatos constantes. (DAUVERGNE, 2007, p. 12).
Define-se variante como um jogo de xadrez
derivado ou similar ao xadrez tradicional. As
2.3.USO DOS RECURSOS DA REALIDADE
diferenças podem incluir um tabuleiro
AUMENTADA
diferente, peças não ortodoxas e regras
diferentes. Neste estudo foi utilizada uma A Realidade Aumentada é freqüentemente
ferramenta educacional com xadrez definida como uma sobreposição de objetos
implementado em realidade aumentada com virtuais, gerados por computador e
tecnologia em 3D, usando regras próprias concebidos em três dimensões, em um
em dispositivos móveis. ambiente em tempo real. Ela permite uma
melhor visualização, bem como um aumento
da visão do usuário. Com o implemento da
2.2.USO DO JOGO DE XADREZ NO ENSINO
Realidade Aumentada nos jogos cria-se uma
Os jogos sempre proporcionaram muito interação mais autêntica entre os mundo
fascínio aos indivíduos e são muito usados virtual e o mundo real, além de ser possível
para o lazer e o desenvolvimento cognitivo maximizar o seu poder em dispositivos
humano. O jogo de xadrez é considerado móveis, com uso em conjunto de câmera
pelos estudiosos como um importante fotográfica digital, acesso à internet e Global
instrumento pedagógico que pode ajudar Positioning System (GPS), recursos estes que
bastante no desenvolvimento da relação todos os smartphones oferecem por um
ensino-aprendizagem nas escolas. O xadrez preço cada vez mais acessível. Embora a
pode melhorar a concentração e a paciência, Realidade Aumentada não seja uma
assim como também ampliar a criatividade, a tecnologia muito nova, ela pode ser usada de
percepção e a memória e, mais importante, a forma estratégica na educação.
capacidade para ponderar e deduzir a partir

Figura 1: Arquivo de xadrez gravidade sendo criado em 3D no software Cinema 4D Studio.

Fonte: os autores.

Figura 2: Arquivos postado na plataforma de realidade aumentada online Augmented xadrez


gravidade.

Fonte: os autores.

O produto educacional criado permite o uso ideia é utilizar os recursos da Realidade


de recursos de Realidade Aumentada para o Aumentada para facilitar o entendimento das
ensino de Física através de jogos de xadrez regras dos jogos de xadrez modificado.
entropia e xadrez conservação de energia. A Foram elaborados vários modelos de
Educação no Século XXI - Volume 7
48

movimento das peças no tabuleiro que augment.com. Para o xadrez energia foram
podem ser acessados utilizando os produzidos 20 arquivos, e para o xadrez
dispositivos móveis. Esses modelos podem entropia 21 arquivos de Realidade
ser utilizados como ferramenta auxiliar para Aumentada em 3D. Diferente dos modelos de
melhorar o entendimento das regras do jogo xadrez desenvolvidos por Raryel Costa
e, ao mesmo tempo, permite que os alunos Souza e Claudio Kirner (2010) com
revisem as regras de forma autônoma. Os marcadores específicos em papel,
arquivos em 3D de Realidade Aumentada desenvolveu-se marcadores digitais
foram publicados através da Plataforma compatível com a rede social Facebook.
online de Realidade Aumentada

Figura 3: Os arquivos de Realidade Aumentada podem ser compartilhados através de redes


sociais como Facebook, twitter, também existe a possibilidade de usar o email, botão em html em
site, endereço através de link ou por leitor QR code impresso ou digital.

Fonte: os autores.

Através do aplicativo da Augmented Reality é física abordados neste estudo. A Realidade


possível interagir com o xadrez energia e Aumentada propicia maior oportunidade para
entropia. Entende-se que a forma mais lúdica a realização de experiências e permite ao
é a Realidade Aumentada em conjunto com educando a possibilidade de
jogos, proporcionando uma melhora na desenvolvimento de seu conhecimento no
autonomia do processo de aprendizado do seu próprio ritmo (Cleberson E. Forte e
estudante no que se refere aos conceitos de Cláudio Kirner, 2009).

Figura 4: Arquivos 3D com Realidade Aumentada em um Smartphone Samsung J7 Prime xadrez


gravidade.

Fonte: os autores.

Educação no Século XXI - Volume 7


49

3. APLICAÇÃO DE PRODUTO E e sobrecarregadas de impressões do senso


RESULTADOS comum.
Dentro desse grupo de respostas,
3.1 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
classificou-se como respostas satisfatórias as
A pesquisa realizada foi de caráter das categorias A e B, enquanto as respostas
qualitativo, e os dados foram obtidos através das categorias C e D, foram classificadas
da coleta de informações aplicando o como insatisfatórias.
produto educacional desenvolvido em três
momentos distintos. Trata-se também de uma
3.2 LOCAIS DE APLICAÇÃO
pesquisa de ação, pois seu objetivo é
produzir novas informações que possam O produto elaborado foi aplicado em
contribuir para o desenvolvimento de práticas diferentes locais e para diferentes públicos:
pedagógicas, e assim promover condições
para ações e transformações de situações 1. Cenário 1: Escola Normélio Cunha, onde o
dentro da escola. O método de investigação produto foi aplicado para uma turma do
será baseado na pesquisa-ação, pois o primeiro ano e outra do segundo ano,
projeto trabalhará com a investigação ambas do ensino médio. Duas turmas do
participante, o qual tem o propósito de ação ensino médio.
planejada sobre os problemas detectados. A 2. Cenário 2: Curso de treinamento de
pesquisa-ação favorece as discussões e a professores que foi realizado para dois
produção de conhecimentos coletivos sobre estudantes do Curso de Licenciatura em
a realidade vivida, de acordo com Thiollent Física, que em seguida aplicaram o
(2003, p.21-22). produto educacional em forma de oficina
A avaliação da pesquisa sobre o crescimento numa escola pública, dentro de outro
conceitual dos alunos em relação aos projeto de extensão do PIBID (Programa
fenômenos físicos, e seu ânimo em aprendê- Institucional de Bolsa de Iniciação à
los, foram feitos de forma qualitativa. O Docência) chamado “Novos peões”.
método utilizado para obter dados foi a 3. Cenário 3: Workshop realizado durante
aplicação de questionários e entrevistas, Simpósio Latino Americano de Jogos, que
onde os alunos puderam avaliar a qualidade ocorreu na Universidade Federal de Santa
do produto. Os dados foram coletados em Catarina no período de 13 a 15 de outubro
um grupo de 25 (vinte e cinco) estudantes do de 2016, onde apresentou-se o produto
nível médio e fundamental, onde a qualidade educacional a professores, alunos e
do teor das respostas foi o que configurou o interessados.
aspecto mais importante desta pesquisa.
A organização da pesquisa foi feita utilizando
a análise de conteúdo. Segundo BARDIN 3.2.1 CENÁRIO 1
(2010), “a análise da fala de quem emite No caso 1.a, depois da aplicação dos
opinião e a situação na qual este se encontra questionários, antes e depois de realização
possibilita inferir conhecimentos sobre a das atividades com o produto desenvolvido,
problemática estudada”. percebeu-se que a qualidade das respostas
Para avaliar os dados decidiu-se criar quatro melhorou bastante do teste inicial para o
categorias hierárquicas baseadas nas final. Mas, ocorreu ainda uma resistência
concepções alternativas dos alunos, e nos grande por parte dos alunos em aceitar a
dados obtidos durante a pesquisa em função gravidade como algo relacionado à massa
do nível de elaboração das respostas da Terra, preferindo explicar sua existência a
apresentadas pelos estudantes. Categoria A: algo externo. Porém, melhorou a
respostas boas, mais elaboradas, que se compreensão dos alunos na forma da terra,
apropriam de conceitos físicos dando-lhes no sentido da gravidade e principalmente na
sentido mais correto em suas justificativas. existência de uma força gravitacional entre
Categoria B: respostas médias, menos todos os corpos, onde 100% responderam
elaboradas, que se apropriam corretamente corretamente. E, finalmente, observamos uma
dos conceitos físicos, mas ainda de forma pequena evolução na questão relacionada à
direta e com pouca justificativa. Categoria C: rapidez com que os corpos caem, onde a
respostas intermediárias, que apresentam maioria entendeu que ela depende da
indícios de apropriação dos conceitos, mas resistência do ar e não de sua massa.
que ainda demonstram imprecisão quanto a Já no caso 1.b, os alunos perceberam que a
sua aplicação e sentido, devido as suas variação de energia de um sistema está
justificativas. Categoria D: respostas fracas, associada à variação de energia do outro
incoerentes de modo geral, sem justificativas sistema, e a soma total é sempre constante.
Educação no Século XXI - Volume 7
50

A conservação da energia só pode ser categoria A, onde o salto foi de 0% para 48%
compreendida se apresentarmos um método de respostas satisfatórias. As respostas
que atenda todas as suas formas, sendo o insatisfatórias caíram de 95% para 12%,
método matemático o mais usado pela Física sendo na categoria D que observou-se uma
para explicar o fenômeno da conservação da diminuição maior de 75% para 12%.
energia. As respostas no teste final Fazendo uma análise geral de todas as
demonstraram que 88% ficaram entre as amostras da aplicação do produto nos
categorias A e B consideradas satisfatórias, cenários 1 e 2, pode-se concluir que houve
sendo que as respostas na categoria B foram progresso na qualidade das respostas,
de 48% e as da categoria A 40%. O restante porque o percentual de respostas
de 12% se concentrou em respostas satisfatórias na categoria A e B superaram
insatisfatórias na categoria D, enquanto a 80% nas três amostras. Analisando somente
categoria C ficou com 0%. a categoria A, o percentual ficou abaixo de
32%, o que demonstra a dificuldade que os
alunos encontraram na elaboração de
3.2.2 CENÁRIO 2
respostas mais articuladas se apropriando
No caso 2 a avaliação ocorreu inicialmente dos conceitos físicos abordados. Mas,
através de entrevista com os dois observou-se também que as respostas na
professores graduandos em licenciatura em categoria D diminuíram de 75% para menos
Física. Em suas respostas, ambos de 10% depois da aplicação do produto, o
declararam que gostaram da experiência em que demonstra evolução.
trabalhar com o ensino de Física usando as
variantes do jogo de xadrez, e destacaram
3.2.3 CENÁRIO 3
que a didática oferecida foi funcional para os
alunos mais avançados. No entanto, Foram ao todo 18 participantes no workshop,
encontraram dificuldade para os demais, já entre os quais alguns eram professores do
que aplicaram o produto na forma de oficina ensino médio e outros estudantes de várias
para diferentes séries, tendo que adaptar áreas da graduação da universidade Federal
algumas partes do curso. de Santa Catarina. Apenas cinco dos
Em relação ao uso da Realidade Aumentada, participantes responderam o questionário
os professores gostaram, acharam fácil seu online, mas o resultado da pesquisa foi
uso, e conseguiram tirar algumas dúvidas positivo, e no ambiente do workshop as
durante o curso, já que, apenas lendo, não dinâmicas funcionaram sem muitas
acharam tão fácil assim entender como se dificuldades para os presentes.
joga a variante. Porém, também não puderam Alguns professores em particular se
aplicar na oficina com os alunos, pois “não mostraram mais interessados, e viram nesse
tínhamos conexão livre de internet e, além projeto potencial para ser usado com
disso, a maioria dos alunos do município é crianças do Fundamental I, bem como
pobre, e não possui um aparelho adequado buscaram obter mais informações no final do
ainda para isso”, disseram os professores. WorkShop. Como o objetivo principal era
Na avaliação do curso pelos alunos, todos apresentar um produto educacional diferente
declararam ter gostado do curso. Alguns e despertar o interesse de profissionais e
destacaram que o jogo os ajudou a se estudantes, considerou-se que o objetivo
concentrar mais, e que seria bom se todas as aqui também foi alcançado.
aulas de física fossem desse tipo, o que os
faria gostar mais da disciplina.
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Depois da aplicação do produto com alunos,
e avaliando suas respostas nas atividades Pode-se afirmar que um produto educacional
propostas, sentiu-se que os alunos que combina os jogos de xadrez modificados
perceberam que é difícil que o jogo volte e recursos de realidade aumentada pode ser
para trás de forma natural. Mesmo aquele utilizado no ensino de Física e tornar o
que não concordou de imediato, destacou processo de aprendizagem mais agradável,
que a probabilidade é muito pequena. A inovador e de fácil assimilação para
maioria aceitou a irreversibilidade e a professores e alunos. A metodologia
degradação como conceitos físicos. Dessa desenvolvida se mostrou adequada para o
forma, o objetivo foi alcançado ensino escolar no qual fosse possível ensinar
percentualmente. Os resultados mostraram alguns conceitos da Física através de
um salto de 5% para 88% das respostas analogias com variantes do jogo de xadrez. É
consideradas satisfatórias somando as importante ressaltar que o uso de jogo de
categoria A e B. A evolução maior ficou na xadrez, nesse caso, não tem como objetivo
Educação no Século XXI - Volume 7
51

produzir jogadores com técnica para exigido para realizar um experimento em


competição, como geralmente ocorre em laboratório. A preparação é necessária para
clubes ou projetos de fundações esportivas. levar uma dinâmica saudável e competente
É verdade que o jogo de xadrez possui aos seus alunos e minimizar as chances de
virtudes que vão muito além de metas que algo dar errado.
possam ser estipuladas dentro de uma sala Vale a pena destacar que a aplicação do
de aula. Nessa pesquisa, as variantes do produto depende da infraestrutura disponível
xadrez apresentadas enfatizaram seu como espaço físico, acesso a Internet e aos
benefício lúdico e educativo que dispositivos móveis para utilização dos
demonstraram ter boas possibilidades de recursos da Realidade Aumentada, levando
apoio a aprendizagem no que diz respeito a em consideração a situação deficitária das
melhoria nas condições do pleno exercício escolas, o produto foi elaborado de forma
de uma educação vantajosa, inventiva, que ele possa ser aplicado tanto com uso
reflexiva e participativa. É necessário dos recursos de Realidade Aumentada
enfatizar que o(a) professor(a) que deseje quanto sem. De forma geral, pode-se afirmar
trabalhar com xadrez, deverá se preparar que aplicação do produto desenvolvido
anteriormente, a fim de poder sanar a maioria trouxe resultados positivos. Porém, estudos
das dúvidas que possam surgir em seus mais profundos são necessários para se
alunos. O preparo exigido para uso desse chegar a afirmações mais conclusivas.
produto educacional é similar ao preparo

REFERÊNCIAS Unisanta - Universidade Santa Cecília. Disponivel


em. Acesso em: 09/01/2-17 Janeiro 2016.
[1] Bardin, L. Análise de Conteúdo. [5] Revista Brasileira de Computação
Lisboa/Portugal: Edições 70, 2010. Aplicada, Passo Fundo, v. 2, p. 2-16, Setembro
[2] Dauvergne, P. O caso do xadrez como 2010. ISSN 2
ferramenta para desenvolver as mentes de nossas [6] Souza, R. C.; Kirner, C. Livro Interativo de
crianças. In: FILGHT, R. A importância do xadrez. Xadrez Potencializado com Realidade Aumentada.
Porto Alegre: Artmed, 2007. p.11-17. BDBComp - biblioteca digital brasileira da
[3] Filguth, R. A Importância do Xadrez. Porto computação. Disponivel em:Acesso em: 9 Janeiro
Alegre: Artmed, 2007. 200 p. 2017.
[4] Forte, C. E.; Kirner, C. Usando Realidade [7] Thiollent, Michel. Metodologia da
Aumentada no Desenvolvimento de Ferramenta Pesquisa-ação. 12.ed. São Paulo: Cortez, 2003.
para Aprendizagem de Física e Matemática.

Educação no Século XXI - Volume 7


52

Capítulo 7
Daiana Cavalcante Gomes
Dinalva Barbosa da Silva Fernandes
Lady Day Pereira de Souza
Maria Beatriz Souza Pereira

Resumo: Este texto busca demostrar a gestão educacional na modalidade a


distância ofertada pelo Instituto Federal de Rondônia – IFRO - Campus Porto Velho
Zona Norte, financiados pelo FNDE, que, atualmente, coordena 17 polos e fornece
gestão acadêmica para 6 Polos vinculados a outros Campi do IFRO. Por meio de
entrevistas, acesso a documentos institucionais e ainda com base na experiência
diária de quem estuda e/ou trabalha na instituição, identificamos que para a
gestão do ensino nos polos, são firmadas parcerias junto às prefeituras locais,
e/ou convenio com secretaria de estado, e para desenvolver os trabalhos nos
Polos, coordenadores e tutores, bolsistas, com financiamento do FNDE, fazem o
trabalho administrativo, a gestão acadêmica e demais atendimentos ao estudante.
Assim, observamos que o processo da gestão acadêmica é extenso e depende
de muitos atores e atividades e, deste modo, o Instituto Federal de Rondônia
promove a expansão educacional, rompendo as barreiras espaciais,
socioeconômica e política, prezando pela qualidade.

Palavras-Chave: Gestão. Educação a Distância. Instituto Federal de Rondônia.

Educação no Século XXI - Volume 7


53

1 INTRODUÇÃO Nestes termos a EaD é um conjunto de


ferramentas tecnológicas capaz de promover
A história da EaD no Brasil, embora tenha
o crescimento profissional e pessoal para
enfrentado algumas fases de paralisação por
quem, sem ela, teria negado o direito à
falta de estruturas e políticas públicas para a
educação de qualidade pregada pela Lei de
área (ALVES, 2007, p. 09), evidencia um
Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A
longo percurso de sucesso e tem como
flexibilidade proporcionada aos alunos desta
marco de surgimento da EAD no Brasil a
modalidade promove o acesso a novas
instalação das Escolas Internacionais, em
oportunidades para aqueles que encontram
1904, consolidando a instalação da filial norte
dificuldades de assiduidade em cursos
americana, presente até hoje no Brasil e em
presenciais.
alguns países.
Cientes da importância da EaD para o
O Brasil é um dos maiores países do mundo,
desenvolvimento do Estado e de que esta,
segundo (IBGE 2016), com extensão de
desde o seu surgimento, foi alvo de críticas
8.515.767,049 km2, possui proporções
não por seu objetivo, mas por problemas de
continentais de forma que não consegue
gestão, entendemos ser relevante refletir
alcançar a totalidade da população com
sobre o assunto para que a partir dos
escolas físicas. A Educação a Distância tem
problemas observados, possamos sugerir e
adentrado esse universo e conseguido
implementar mudanças necessárias.
democratizar a educação, sendo
Este texto não é nossa primeira iniciativa. Ele
regulamentada pela Lei de Diretrizes e Bases
é uma extensão, parte do resultado da
da Educação Nacional - LDB Nº 9.394, de 20
pesquisa realizada em 2015 intitulada:
de dezembro de 1996, no Art. nº 80 onde
“Estudo sobre Evasão nos cursos a distância
menciona que “o Poder Público incentivará o
e presencial do IFRO- Campus Porto Velho
desenvolvimento e a veiculação de
Zona Norte”, e nele objetivamos refletir sobre
programas de ensino a distância, em todos
a gestão da Educação a Distância realizada
os níveis e modalidades de ensino, e de
no IFRO para fomentar a melhoria na
educação continuada.”
qualidade do ensino. Como resultado dessa
Conforme Documento orientador para a
pesquisa, foi ainda realizado um estudo
superação da evasão e retenção na Rede
sobre a evasão escolar no Instituto
Federal (2014, p. 10), a partir do ano de 2006
Politécnico de Bragança, em Portugal, por
iniciou-se um processo de expansão e de
meio Programa de Internacionalização da
interiorização da educação profissional
Pesquisa e Extensão do IFRO – PIPEX,
pública federal, intensificado no ano de 2008
realizada no segundo semestre do ano de
com a instituição da Rede Federal e criação
2015.
dos Institutos Federais.
Para o assunto discutido neste texto, foram
Neste contexto, o ensino à distância foi
realizadas pesquisas bibliográficas em
capaz de romper barreiras educacionais,
documentos institucionais, em artigos e
permitindo a inclusão das pessoas afastadas
periódicos, leis e decretos no Portal do
do processo de educação por falta de
Governo, documentos oficiais sobre a
oportunidades, recursos financeiros, ou por
Educação Federal e Tecnológica. Além
morarem em localidades distantes de
destes, foi realizada análise documental dos
universidades, impossibilitando o acesso ao
arquivos disponibilizados pela Direção Geral
ensino superior.
do Campus e entrevistas com servidores que
Em conformidade com a Lei nº. 11.892/2008
trabalham diretamente com a Educação a
foi criado o Instituto Federal de Educação,
Distância na instituição, como, por exemplo,
Ciência e Tecnologia de Rondônia - IFRO, no
as informações levantadas com a utilização
ano de 2009, possibilitando a oferta de EaD
de entrevistas subjetivas com a Coordenação
pública pelo Campus Porto Velho Zona Norte
da Rede e-Tec em Rondônia.
aos demais Campi, e a polos criados em
parceria com os municípios. Segundo a
Portaria Normativa n.º 2, de 10 de janeiro de 2. CAMINHOS DA EAD NO IFRO
2007, Art. 2°, § 1, o Polo de apoio presencial
O Instituto Federal de Rondônia foi pioneiro
é a unidade operacional para o
no Estado a ofertar ensino à distância público
desenvolvimento descentralizado de
de qualidade por meio do curso técnico
atividades pedagógicas e administrativas
subsequente ao ensino médio na modalidade
relativas aos cursos e programas ofertados a
a distância. Os cursos de Técnicos em
distância, conforme dispõe o art. 12, X, c, do
Finanças e em Informática para internet,
Decreto n o 5.622, de 2005.
financiados com recursos do Fundo Nacional
de Desenvolvimento da Educação – FNDE
Educação no Século XXI - Volume 7
54

foram iniciados em abril de 2013, e plano de aula, atividades de sala e do AVA,


alcançaram até 23 municípios e distritos slides da teleaula, avaliações escritas
longínquos da capital Porto Velho além de regulares, de segunda chamada,
outros 7 polos no Estado do Acre. A partir recuperação e exames finais e os gabaritos,
desta experiência o IFRO tem contribuído carta de navegação que tem a finalidade de
para a formação e qualificação de cidadãos orientar no estudo on-line. Além destes, ainda
capazes e atuantes nos diversos setores da há outros instrumentais ocasionais, que
economia, enfatizando o desenvolvimento dependem da necessidade, como: formulário
local e regional. O IFRO - Campus Porto para disponibilização de URL e/ou de arquivo
Velho Zona Norte tem sido referência nessa e formulário para solicitação de Externa.
modalidade de ensino, apresentando modelo Após a postagem do material pelo professor
específico, conforme descrevemos nos no fórum, os instrumentais são revisados pela
próximos parágrafos. Coordenação de Curso, esta faz um papel de
A produção das vídeo-aulas é realizada num revisor técnico, pois a coordenação é
estúdio dentro do próprio Campus e exercida por um profissional da área. Em
transmitida em tempo real aos polos de seguida, encaminha-se os instrumentais para
dentro e fora do Estado. O Estado do Acre, a revisão da supervisão pedagógica, equipe
por exemplo, pelo convênio firmado no ano composta por profissionais formados em
de 2014 com o Instituto Federal de Rondônia, pedagogia ou licenciaturas, para realizar a
recebe as teleaulas ao vivo, e todo material revisão pedagógica do material. Por esta
pedagógico produzido, e segue o mesmo equipe são verificados os objetivos, os
calendário acadêmico, sendo responsável conteúdos, as datas e metodologia e, se não
pela gestão acadêmica, como por exemplo, há divergências entre, conteúdo, objetivos,
processo seletivo dos alunos, matrícula e nível e modalidade, além da preocupação
certificação. Outros Estados já têm realizado com a quantidade de conteúdo e o tempo
visitas técnicas com o objetivo de conhecer a estipulado para cada aula.
estrutura e demonstrado interesse em Após a postagem do professor, a revisão da
parcerias. Coordenação de Curso e da Supervisão
O Campus Porto Velho Zona Norte oferece Pedagógica, os materiais são direcionados
duas modalidades de oferta de ensino, EaD e para o Departamento de Produção de
presencial, a saber: curso superior em Educação a Distância - DEPEAD, para a
tecnologia - presencial, cursos técnicos realização da revisão textual e a
subsequente ao ensino médio EaD e diagramação. Por fim, os materiais são
presencial, cursos técnicos concomitante ao alocados em seus locais específicos no
ensino médio, apenas na modalidade EaD. Ambiente Virtual, enviados aos Polos,
As ofertas na modalidade EaD são possíveis encaminhados para utilização em estúdio e
por meio de trabalho sincronizado entre ainda devolvidos ao professor para utilização
professores, coordenadores de cursos, do material finalizado na aula.
equipe nos polos e no Campus para a Na data prevista em calendário, a aula é
produção de material e gestão acadêmica. ministrada pelo professor no estúdio que a
A produção do material pedagógico utilizada transmite em tempo real aos polos. Para uma
nas aulas é iniciada pelos professores e é melhor qualidade da aula, o professor conta
postada direto no “fórum da disciplina”, com o apoio de um professor assistente que
sendo este um espaço interativo o auxilia com comentários, no gerenciamento
disponibilizado no Ambiente Virtual de dos slides e com a comunicação em tempo
Aprendizagem Moodle para toda equipe real com os professores no polo utilizando o
pedagógica. Neste fórum cada setor sabe chat do AVA. Já nos polos, a transmissão
quando é a sua vez de revisar, pois, desde a ocorre numa sala de aula numa TV com, no
primeira postagem, todos os envolvidos têm mínimo, 50’. A comunicação é operada pelo
acesso ao processo de revisão do material. professor presencial/tutor por meio do chat.
O material é composto por vários As dúvidas e colaborações são enviadas ao
instrumentais que devem ser disponibilizados professor assistente em tempo real.
com, no mínimo, um mês de antecedência da Após a transmissão, a teleaula fica
data inicial de cada Disciplina. armazenada em nuvem e disponibilizada aos
Os instrumentais são documentos estudantes e a comunidade geral no canal
necessários para a produção das teleaulas e do IFRO no Youtube. Esse canal possibilita
das atividades que serão disponibilizadas no acesso rápido e sem limites ao conteúdo das
Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), aulas, permitindo ao estudante e à
incluindo as avaliações escritas. São os comunidade acesso às aulas em qualquer
instrumentais básicos: o plano de ensino,
Educação no Século XXI - Volume 7
55

local onde tenha internet, possibilitando problemas, mantendo contato constante


ainda a democratização da educação. com as Coordenações de Polo e os setores
administrativo do Campus; a Coordenação
de tutoria a distância que organiza e
3. REFLEXÃO SOBRE A GESTÃO DA
acompanha o atendimento dos professores-
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO IFRO
tutores a distancia. Assim dinamizam o fluxo
O ensino a distância ofertado pelo IFRO tem de atendimento na gestão administrativa
promovido na formação de vários necessária para a realização da Educação a
profissionais atuantes no mercado de distância.
trabalho, e, isso só é possível por meio de No ano de 2015 foi estabelecida a parceria
parcerias firmadas com as prefeituras e do IFRO com a Secretaria de Educação do
outros entes para a criação de novos polos. Estado de Rondônia - SEDUC para a
Neste caso, a abertura de um novo polo realização do curso Técnico em
ocorre com termo assinado entre IFRO e Cooperativismo concomitante ao ensino
prefeitura, firmando uma parceria com médio modalidade EaD, com início das aulas
vigência de dois anos. Nesta parceria o no ano de 2016 nas escolas estaduais. Nesta
instituto disponibiliza os equipamentos parceria alguns fluxos foram aprimorados,
tecnológicos como computadores, antena apontando para o início da institucionalização
para a transmissão do sinal de internet, e, da EaD no IFRO. A criação de novos polos e
Televisor 50’ para a transmissão das aulas, as novas parcerias firmadas visam atender à
além da oferta dos cursos. A prefeitura se necessidade educacional de maior número
responsabiliza pelo cuidado e segurança dos de pessoas, sempre prezando a qualidade
equipamentos, fornece um local adequado do ensino ofertado. Diante disto, o IFRO
para que a aula seja transmitida, e, assegura mantém contato direto com os
fornecimento de água e banheiros e demais coordenadores dos polos mediante a
infraestruturas aos estudantes. A escolha do Coordenação de Gestão de Polos, e, realiza
coordenador do polo é feita por indicação da reuniões periódicas com os tutores e
prefeitura que apresenta currículos de três coordenadores de polos, Seminário anual
candidatos, e o IFRO seleciona o profissional com fomento de projetos de pesquisa e
mais adequado. A seleção dos tutores é feita outras produções na área da EaD. Exemplo
por meio de edital público. disso é o seminário EaD promovido
Os coordenadores dos polos são anualmente pelo Grupo de Pesquisa em
responsáveis pela gestão local dos cursos Educação a Distância- GPED.
oferecidos, concentrando sua atenção nas Os polos contam com uma gestão dinâmica,
questões administrativas, e na afetividade focada em uma coordenação capaz de
constituída na relação de convivência com os identificar problemas e solucioná-los. Para
estudantes. Os alunos dessa modalidade que isso ocorra é necessária uma
contam com dois tipos de professor-tutor, um comunicação constante entre os polos e o
presencial e outro a distância. A função do Campus por meio de e-mails, reuniões
tutor presencial é recepcionar os alunos nos periódicas. Quando não há possibilidade de
dias letivos, controlar a frequência, enviar as deslocamentos para reuniões presenciais,
dúvidas dos alunos pelo chat ao professor estas são realizadas e transmitidas em tempo
assistente durante a transmissão da aula, e, real aos polos com a utilização dos recursos
acompanhar o estudante em seu tecnológicos do estúdio, e mantém desta
desempenho e nas possíveis dificuldades forma, a integração das equipes nos polos
que venham ter no percurso do ensino. O com a gestão geral no Campus Porto Velho
tutor a distância possui formação na área do Zona Norte.
curso, corrige as atividades dos alunos no No contexto deste modelo educacional,
AVA, tira dúvidas relacionadas às atividades evidencia-se que a gestão de qualidade da
avaliativas, por meio do fórum de dúvidas modalidade EaD acontece somente quando
numa comunicação assíncrona e no chat há o envolvimento dos vários profissionais
numa comunicação síncrona com hora atuantes no Campus e nos polos, sendo
marcada e divulgada aos estudantes possível afirmar que quando um desses
antecipadamente. atores falha em suas atividades há também
Outras funções ainda apresentam prejuízo no processo de formação do
importância marcante no gerenciamento das estudante. Daí a necessidade da interação
informações e coordenação das atividades constante entre os setores responsáveis por
sendo eles: a Coordenação de Gestão de cada atividade, com foco na resolução das
Polos, que se localiza no Campus e coordena dificuldades e aprimoramento do modelo.
as informações e fluxo de resoluções de
Educação no Século XXI - Volume 7
56

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS por meio da prática de uma educação de


qualidade capaz de romper as distâncias,
Diante dos avanços tecnológicos, a EaD é
gerando o desenvolvimento regional
uma ferramenta capaz de promover a
necessário.
educação em várias localidades e permitir o
A partir da reflexão que fizemos sobre a
crescimento profissional e pessoal para
gestão da educação a distância no IFRO,
quem, sem ela, teria negado o direito à
observamos que o processo de
educação gratuita de qualidade prevista na
operacionalização das atividades para
Lei de Diretrizes e Bases da Educação
concretizar o Ensino a distância é longo, e
Nacional. A flexibilidade e mobilidade
necessita da participação de todos os atores
proporcionada aos estudantes desta
envolvidos, além de ser necessária uma
modalidade promove o acesso a novas
prática sincronizada na realização de todas
oportunidades para aqueles que encontram
as atividades, visando o atendimento dos
dificuldades de assiduidade em cursos
prazos e adequação da qualidade do
presenciais, e principalmente para os que
material no processo de realização da
moram em localidades de difícil acesso.
Educação a distancia. Observamos ainda
Por fim, vale ressaltar aqui, a missão do IFRO
que há potencial marcante para a
como instituição inovadora na educação. Em
consolidação da educação à distância no
seu Plano de Desenvolvimento Institucional, o
Instituto Federal de Rondônia como
Instituto expressa a missão de promover uma
modalidade na qual é possível de
educação científica e tecnológica de
desenvolver a educação científica,
excelência tendo o foco na formação de
profissional e tecnológica no âmbito regional
cidadãos comprometidos com o
e nacional. Assim, a importância da
desenvolvimento humano, ao realizar ações
consolidação da EaD no IFRO perpassar
inovadoras de ensino, pesquisa e extensão.
pela sua significativa contribuição para a
E, diante da exposição da trajetória da EaD
ampliar as condições de acesso da
no IFRO, percebe-se que na instituição há o
população à educação profissional de
cumprimento da missão apresentada.
qualidade no Estado de Rondônia e região.
Portanto, o Campus Porto Velho Zona Norte
objetiva formar profissionais de excelência

REFERÊNCIAS Institucional - PDI. 2009. Disponível em:


<http://www.ifro.edu.br/site/wp-
[1] Alves, J. R. M. A história da EaD no Brasil. content/uploads/2009/04/PDI-IFRO.pdf>. Acesso
Educação a Distância o Estado da Arte. Editora em: agosto de 2016.
Pearson Education. 2009. São Paulo. Brasil. [6] Brasil. Presidência da República. Casa
[2] Brasil. Diário Oficial. Ministério da Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei de
Educação. Portaria Normativa n.º 2. Disponível em: Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB.
<http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legisla Disponível em:
cao/portaria2.pdf>. Acesso em: agosto de 2016. <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.ht
[3] Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e m>. Acesso em: agosto de 2016.
Estatística - IBGE. Área Territorial Brasileira. [7] Brasil. Presidência da República. Casa
Disponível em: Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei Nº
<http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/cartogr 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a
afia/default_territ_area.shtm>. Acesso em: agosto Rede Federal de Educação Profissional, Científica
de 2016. e Tecnológica, cria os Institutos Federais de
[4] Brasil. Ministério da Educação. Secretaria Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras
de Educação Profissional e Tecnológica. providências. Disponível em:
Documento Orientador para a Superação da <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-
Evasão e Retenção na Rede Federal de Educação 2010/2008/lei/l11892.htm>. Acesso em: agosto de
Profissional, Científica e Tecnológica. 2014. 2008.
Disponível em: [8] Canal IFRO Porto Velho Zona Norte.
<http://www.ifro.edu.br/portal/docs/proen/doc_orie Youtube. Disponível em:
ntador_evasao_retencao_setec.pdf>. Acesso em: <https://www.youtube.com/user/ifroeadzonanorte>
agosto de 2016. . Acesso em: agosto de 2016.
[5] Brasil. Ministério da Educação. Secretaria [9] Severino, Antônio Joaquim. Metodologia
de Educação Profissional e Tecnológica. Instituto do Trabalho Científico. Editora Cortez. 23ª Edição.
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasil. 2015.
Rondônia. IFRO. Plano de Desenvolvimento

Educação no Século XXI - Volume 7


57

Capítulo 8

Janaina Lueders
Naidi Carmen Gabriel
Rosani Aparecida Dias Favretto

Resumo: Em 27 de janeiro de 2016 o CNE através do Parecer CNE/CEB nº1/2016


aprovou a proposta de desenvolvimento de experiência pedagógica para oferta
de programa nacional de Educação de Jovens e Adultos (EJA), nos níveis do
Ensino Fundamental e do Ensino Médio, em escolas do SESI. A implantação do
novo projeto teve início em 2017 com a formação continuada durante o ano
corrente de toda equipe pedagógica da instituição. Este artigo visa compartilhar
esta proposta de formação continuada dos docentes da Educação de Jovens e
Adultos do SESI/SC nas metodologias ativas de aprendizagem e também na
metodologia de reconhecimento de saberes (MRS). A formação será ofertada aos
docentes da EJA na modalidade “blended learning” (híbrido, com momentos
presenciais e a distância), pois acredita-se que vivenciar essa modalidade
representa um importante passo para a formação dos professores que dela
participaram e acontecerá em momentos realizados apenas na unidade e em
outros a nível estadual com a possibilidade de compartilhamento de
conhecimentos e aprendizagens. Esta experiência é inédita no país e a única com
autorização para funcionamento.

Palavras-chave: Educação de Jovens e adultos, Formação Docente, Metodologias


ativas, Educação à distância.

Educação no Século XXI - Volume 7


58

1. INTRODUÇÃO: 2. REFERENCIAL TEÓRICO


A organização pedagógica proposta da Nova A Educação de Jovens e Adultos a distância
EJA, que será ofertada pelo SESI SC (EJA EaD) do SESI/SC enquanto modalidade
contempla a oferta de cursos de EJA, nas da educação básica têm como objetivo
formas presencial para os anos iniciais do contribuir na formação dos cidadãos que não
ensino fundamental e a distância para os tiveram a oportunidade de concluir a
anos finais do ensino fundamental e ensino educação básica na idade certa além disso
médio, com a possibilidade de oportuniza o acesso ou a continuidade dos
reconhecimento de saberes adquiridos pelos estudos, através de cursos na modalidade a
alunos em suas experiências de vida e distância.
trabalho. A base legal para esta proposta está
Para tanto, a EJA EaD, não se limita a um auto
ancorada nos arts. 36-B e 36-C
estudo, oferece possibilidades diferenciadas
(especialmente o inciso I do art. 36-B e o
de ensino-aprendizagem, devido às suas
inciso II do art. 36-C), bem como no art. 37
características próprias. tais como:
(especialmente o seu § 3º) da LDB, que
flexibilidade de organização do tempo/espaço
tratam, respectivamente, da educação
dentro do calendário e planejamento das
profissional articulada com o ensino médio e
áreas de conhecimento; recursos
da educação de jovens e adultos. Para que
metodológicos próprios para esta
esta oferta seja exitosa é necessário a
modalidade; recursos tecnológicos que dão
capacitação inicial e continuada da equipe
base e suporte para o processo de ensino
docente que atua nesta modalidade de
aprendizagem; interatividade com e entre
ensino.
alunos e professores; acompanhamento do
O Projeto Pedagógico Institucional do processo ensino-aprendizagem através dos
Programa de Educação de Jovens e Adultos momentos presenciais e dos momentos a
do SESI/SC na metodologia EaD orienta a distância; e momentos presenciais
capacitação do corpo docente visando obrigatórios, para atividades planejadas e
prepará-lo para o exercício da docência nesta momentos de avaliação da aprendizagem.
nova proposição.
Esta forma de organização da EJA EaD
O curso de capacitação docente será pressupõe o desenvolvimento de
ofertado aos professores da EJA na competências docentes diferenciadas, afinal,
modalidade “blended learning” (híbrido, com trabalhar com um público adulto, trabalhador
momentos presenciais e a distância), pois da indústria, com conhecimento de vida muito
acredita-se que vivenciar essa modalidade rico e com vivências específicas da idade
representa um importante passo para a requer um planejamento docente que atenda
formação dos professores que dela as especificidades dessa realidade e que
participaram. Valente[5] destaca que se deve possa ser alterado em função desta dinâmica.
criar condições para que o professor saiba
Durante séculos a escola foi concebida
recontextualizar a aprendizagem e a
levando em consideração o papel do
experiência vivida durante a sua formação
professor como sendo central, o único
para a realidade de sala de aula,
detentor do conhecimento, para Meirieu
compatibilizando as necessidades dos alunos
(1989; 1990) apud Perrenoud, foi necessário
e os objetivos pedagógicos que se dispõe a
um século para se questionar esse modelo,
alcançar.
opondo-lhe um modelo mais centrado nos
aprendizes, suas representações, sua
atividade, as situações concretas na quais
Objetivo: O presente trabalho tem como
são mergulhados e seus efeitos didáticos.
objetivo principal refletir sobre o planejamento
da formação continuada docente em É necessário desta forma pensar numa escola
metodologias ativas de aprendizagem na mais eficaz para todos, conforme Perrenoud
Educação de Jovens e Adultos a distância (2000, p.25) ...organizar e dirigir situações de
(EJA EaD) do SESI de Santa Catarina, visando aprendizagem deixou de ser uma maneira ao
a qualificação contínua da formação mesmo tempo banal e complicada de
continuada em serviço dos docentes da designar o que fazem espontaneamente
instituição bem como do processo de ensino todos os professores.
aprendizagem discente.
Organizar e dirigir situações de
aprendizagem é desprender energia e tempo

Educação no Século XXI - Volume 7


59

e dispor das competências profissionais marcas e aos valores dessa sociedade. Só


necessárias para imaginar e criar outros tipos assim, é que pode funcionar o processo
de situações de aprendizagem, que as educativo, ora como força estabilizadora,
didáticas como situações amplas, abertas, ora como fator de mudança. Às vezes,
carregadas de sentido e de regulação, as preservando determinadas formas de
quais requerem um método de pesquisa, de cultura. Outras, interferindo no processo
identificação e de resolução de problemas histórico instrumental”. FREIRE, 1986, p. 23
conforme Perrenoud (2000).
Para Fernanda Schneider (2015) a partir da
Nesse sentido, a atuação do professor é de
elaboração dos Planos Curriculares Nacionais
suma importância já que ele exerce o papel
em 1998, e posteriormente, com os
de mediador da aprendizagem do aluno.
Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino
Certamente é muito importante para o aluno a
Médio em 2000, os professores tiveram a
qualidade da mediação exercida pelo
oportunidade de refletir sobre a necessidade
professor, pois desse processo dependerão
de um ensino que valorize o pensamento
os avanços e as conquistas do aluno em
crítico, desenvolvido a partir da interação
relação à aprendizagem na escola. A
entre os alunos, permitindo-lhes o contato
organização de uma prática escolar,
com diferentes formas de pensar e ampliando
considerando os pressupostos do diálogo, da
sua auto percepção como cidadãos no
dinamicidade, da inter-relação é sem dúvida,
contexto em que estão inseridos.
conceber o aluno como um sujeito em
O mundo vive em constantes mudanças, as constante construção e transformação que a
novas metodologias de aprendizagem partir das interações tornar-se capaz de agir e
centradas no estudante vem se fortalecendo intervir no mundo, conferindo novos
no âmbito educacional de escolas mais significados para a história dos homens.
inovadoras, significando mais o processo de
ensino aprendizagem e a participação do
estudante no seu processo educacional, 3. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:
desta forma precisa-se repensar a formação
A formação docente é um processo contínuo,
do docente que está atuando em sala hoje.
o ser humano nunca se percebe completo na
Para Moran (2014) não há uma única forma ou sua constituição e o olhar para a formação
único modelo para se realizar um bom continuada é extremamente importante para o
trabalho profissional. Isso depende muito de sucesso da prática.
personalidade, competência, facilidade de
Conforme Moran (2014, p.73) o importante
aproximar e gerenciar pessoas e situações. O
como educadores, é acreditarmos no
educador deve se perceber como aprendiz e
potencial de aprendizagem pessoal, na
tornar a estar atento ao que acontece ao seu
capacidade de evoluir, de integrar sempre
redor, ser sensível às informações do
novas experiências e dimensões do cotidiano,
ambiente, dos outros.
ao mesmo tempo que compreendemos e
As metodologias ativas, segundo Moran aceitamos nossos limites, nosso jeito de ser,
(2017) são caminhos para avançar para um nossa história pessoal.
currículo mais flexível, mais centrado no
Novos métodos, novas concepções de
aluno, nas suas necessidades e expectativas.
educação trazem desconforto ao docente,
As organizações educacionais que nos
que na sua formação inicial normalmente tem
mostram novos caminhos estão
o processo tradicional como norte. Nesse
experimentando currículos mais flexíveis, mais
sentido, é importante perceber que embora
centrados em que os alunos aprendam a
os conceitos de modos de ensino e modos de
integrar conhecimentos amplos, valores,
aprendizagem estejam sempre associados,
projeto de vida através de problemas reais,
deve ser claro para cada docente que a sua
desafios relevantes, jogos, atividades e
atividade depende das estratégias de ensino
leituras individuais e em grupo; presenciais e
que defina a sua ação educativa. A
digitais.
estratégia orientadora da ação do professor
De acordo com Freire (1986): tem consequências diretas no que a aluno
aprende e na ação que este desenvolve para
“Todo planejamento educacional, para
aprender. Cada docente deve estar
qualquer sociedade, tem de responder às
permanentemente preocupado com a
resposta a dar à questão: “quais são os

Educação no Século XXI - Volume 7


60

modos de ensino que devo utilizar ou definir interessantes


para que cada aluno aprenda ao máximo e  Construção de textos colaborativos sobre
com o máximo de prazer? ”. os temas dos encontros presenciais.
 Blog com postagens das metodologias
Assim, o exercício de reflexão no intuito de
ativas ocorrendo na prática tornando-se
qualificar o processo de ensino aprendizagem
fonte de pesquisa para os docentes.
da educação de jovens e adultos a distância
 Webconferências para alinhamentos
do SESI/SC objeto deste trabalho está sendo
metodológicos e sugestões.
organizada a partir da formação continuada
 Vídeos: Possibilidade de disponibilizar
em serviço de todos os docentes que atuam
no estado em metodologias ativas de vídeos de autoria própria ou links com
aprendizagem. entrevistas de pessoas reconhecidas no
meio educacional sobre as temáticas
O quadro docente da EJA SESI/SC possui discutidas.
previsão de formação continuada em serviço
apontada no PPP (Projeto Político
Pedagógico) que se estrutura através da 4. PLANO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO
utilização de sua própria metodologia DOS RECURSOS HUMANOS
utilizando se a dialogicidade, no modelo
“blended learning”, modelo misto, com parte PERÍODO 2016 E 2017
da carga horária presencial e parte a Para a implantação do novo modelo –
distância, despertando a curiosidade dos Metodologia de Reconhecimento de Saberes
pares e favorecendo o estabelecimento de e da Matriz de Referência Curricular para os
um diálogo, num processo de formação cursos do ensino fundamental – anos iniciais
mútua entre eles, numa relação horizontal, e finais e ensino médio, o SESI/SC irá realizar
fundamentada pelo respeito mútuo, onde os diversas capacitações com todos os
alunos e professores e supervisores formam envolvidos a partir de oficinas, palestras e
comunidades virtuais de aprendizagem, por atividades presenciais e a distância. As
meio do compartilhamento de seus diferentes atividades a distância serão realizadas no
saberes. novo LMS – Time to know, com o objetivo de
Nesse sentido, sintetizamos a proposta de possibilitar a utilização desta plataforma pelos
formação continuada dos docentes envolvidos.
desenvolvida no âmbito da Eja sendo que A seguir apresentamos uma tabela que
além da formação presencial os docentes demonstra de forma mais detalhada como
possuem um ambiente virtual de ocorrerá a etapa de formação de todos os
aprendizagem com atividades, leituras e polos de apoio presenciais tendo como foco o
também com a possibilidade de interação novo modelo de EJA do SESI em 2016 e 2017
entre pares e formador conforme descrito a
seguir: As ações de formação: Semanas
Pedagógicas; Reuniões Pedagógicas e
Encontros Presenciais: Formação continuada dos supervisores
 Reuniões Pedagógicas mensais: de março escolares são ações semestrais e anuais
a novembro; uma vez ao mês, com (esta última) no SESI/SC. Os temas das
duração de 4 (quatro) horas. Totalizando formações são planejados e estruturados pela
32 horas anuais. sede em parceria com os polos de apoio
presenciais (supervisores escolares e
 Semanas Pedagógicas: nos meses de
professores).
fevereiro e julho; com duração de 12
(doze) horas por semestre. Totalizando 24 A cada ano são selecionados vários temas
(vinte e quatro) horas anuais. que deverão ter ações planejadas para os
Encontros EaD: momentos das formações. As principais
temáticas já vislumbradas até 2021 deverão
 Fóruns de Discussões sobre temáticas
ter relação com a educação a distância,
pedagógicas à exemplo, comunidades
avaliação da aprendizagem, mediação em
virtuais de aprendizagem, Recursos
ambientes virtuais de aprendizagem,
Educacionais Abertos, Avaliação da
comunidades virtuais, ensino e aprendizagem
Aprendizagem na Ead…
por competência, interdisciplinaridade,
 Chats de dúvidas por área de
Metodologia de reconhecimento de saberes,
conhecimento.
recursos educacionais abertos;
 Enquetes de assuntos presenciais mais
potencialidades das interfaces de interação e

Educação no Século XXI - Volume 7


61

comunicação no AVA, feedback e avaliação


da aprendizagem etc.

Nome do curso/Horas Objetivos Público-alvo Período


Metodologia de Apresentar os conceitos, Professores Junho de
reconhecimento de saberes premissas e concepções do Supervisores escolares 2016
Nova Matriz de Referência novo modelo do SESI. Coordenadores de
curricular Apresentar a metodologia de Educação
70 horas implantação do novo modelo.
Formação para implantação Apresentar e formar os Professores de todos os Novembro
do novo LMS – Time to Know. professores, supervisores polos de apoio de 2016
20 horas (presencial e a escolares e secretários presenciais
distância) escolares para a utilização do Supervisores escolares
novo LMS – Time to Know a Secretários escolares
partir de fevereiro de 2017. Mobilizadores
Formação para implantação Discutir a implantação do Supervisores escolares Primeiro
do novo modelo e MRS. Ensino Fundamental – anos Coordenadores de semestre de
60 horas (presencial e a finais e ensino médio por área Educação 2017
distância) do conhecimento. Secretários escolares
Especialistas por área
Compreender a de conhecimento do
operacionalização da SESI/SC
Metodologia de Mobilizadores
Reconhecimento de Saberes. Secretários Escolares
Capacitação para utilização Apresentar e capacitar grupo Secretários Escolares Novembro
do Sistema de Gestão escolar de secretários escolares para Coordenadores de 2016 – 80h
– SGE. a utilização/disseminação do Educação (02
240 horas (presenciais) novo Sistema de Gestão semanas)
Escolar – SGE a partir de Fevereiro
fevereiro de 2017. 2017 – 160h
(04
semanas)
Semanas pedagógicas Oportunizar a formação Professores de todos os Meses de
24 horas continuada de todos os polos de apoio fevereiro e
docentes do SESI/SC com presencias. julho (anual)
base no funcionamento da Mobilizadores
nova metodologia EJA por Secretários Escolares
área do conhecimento e MRS
– Metodologia de
Reconhecimento de Saberes
Reuniões pedagógicas Orientar e capacitar teórica, Professores de todos os Todos os
36 horas metodológica e polos de apoio meses, com
administrativamente toda a presencias exceção de
equipe docente, visando à fevereiro e
formação continuada em julho
serviço, e avaliar a eficiência,
eficácia e efetividade do novo
serviço educacional oferecido
Formação continuada dos Proporcionar estudos Supervisores Escolares Setembro
supervisores escolares relacionados aos Coordenadores de 2017
pressupostos teórico- Educação
metodológicos que embasam
a proposta pedagógica por
área do conhecimento e da
Metodologia do
Reconhecimento de Saberes

Educação no Século XXI - Volume 7


62

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS: É preciso pensar no docente com novas


competências para o século XXI,
No atual cenário de globalização,
competências voltadas a inclusão da
competividade e convergência digital, os
tecnologia e também ao perfil do estudante,
sistemas de ensino precisam estruturar-se
que não é mais passivo no processo de
para atender às novas exigências legais da
aprendizagem. A formação docente deve ir
Educação de Jovens e Adultos e ao novo
ao encontro do desenvolvimento de
perfil profissional do professor. Entre outras
atividades que despertem o senso crítico do
medidas, faz-se necessário, prioritariamente,
aluno, que o auxiliem a interpretar de forma
a formação dos professores para a utilização
competente o mundo que o cerca e que
das tecnologias da informação e
possa interferir de forma positiva para
comunicação para atuar na Nova EJA EaD
melhorar a sociedade.
com a Metodologia de Reconhecimento de
Saberes. Para desenvolver essas competências no
educando é necessário que o docente tenha
O resultado para a formação continuada dos
formação constante, seja em novas
323 professores será constatado no bom
metodologias, seja em tecnologias e também
desempenho do professor na modalidade da
nas competências necessárias para o
EJA-EaD, bem como na exploração dos
desempenho do trabalho com o público
recursos do novo AVA enquanto estratégias
adulto.
de aprendizagem. Neste novo cenário,
reconfigura-se a mediação pedagógica para As possibilidades pedagógicas propiciadas
incorporar as tecnologias e disponibilizam-se na capacitação para a metodologia da Nova
outras formas de interação entre professores EJA têm aplicação real e inovadora na EJA
e alunos, configurando possibilidades de Ead. A concretização dos conhecimentos
novos contextos de ensino e aprendizagem. apropriados e socializados é refletida no
processo de ensino e aprendizagem uma vez
Além do reconhecimento de saberes a
que contribuem no desenvolvimento das
formação em metodologias ativas da
competências necessárias para planejar
aprendizagem, onde o professor passa a
atividades de aprendizagem significativas
exercer papel de facilitador, mediador do
utilizando o AVA como estratégia a estas
processo de aprendizagem é de suma
aprendizagens.
importância para as mudanças propostas
pela instituição.

REFERÊNCIAS: [8] Serviço Social da Industria. Departamento


Nacional. Metodologia de Implantação de Cursos
[1] Bacich, Lilian, NETO, AdolfoTanzi, para Educação de Jovens e Adultos em regime de
TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino Híbrido. experiência pedagógica no SESI / Serviço Social
Porto Alegre: Penso, 2015. da Industria. – Brasília: SESI/DN, 2016.
[2] Brasil. Lei de Diretrizes e Bases da [9] Serviço Social da indústria. Departamento
Educação Nacional, nº 9.394/1996. Estabelece as Nacional. Metodologia de reconhecimento de
diretrizes e bases da educação nacional. 1996. saberes - MRS: identificação, validação e
[3] Freire, Paulo, SHOR, Ira. Medo e ousadia: o certificação de competências para a educação de
cotidiano do professor. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz jovens e adultos SESI. / Serviço Social da
e Terra, 1986. indústria. – Brasília: SESI/DN, 2016.
[4] Moran, José Manuel. Educação inovadora [10] Serviço Social da Indústria. Departamento
presencial e a distância, In SILVA, Marco (org.). Nacional. Metodologia de reconhecimento de
Educação online. São Paulo, Loyola, 2003. saberes - MRS: identificação, validação e
[5] Perrenoud, Philippe. As competências certificação de competências: matriz de referência
para ensinar no século XXI: a formação dos curricular: documento complementar I / Serviço
professores e o desafio da avaliação. Porto Social da Indústria. – Brasília: SESI/DN, 2016.
Alegre: Artmed Editora, 2002. [11] Serviço social da Indústria. Departamento
[6] Perrenoud, Philippe. Desenvolver nacional.
Metodologia de reconhecimento de
Competências ou Ensinar Saberes? A escola que saberes - MRS: identificação, validação e
prepara para a vida. Porto Alegre: Penso, 2013. certificação de competências: documento
[7] Serviço Social da Indústria. Departamento complementar II: processos e instrumentos /
Nacional.
Projeto Pedagógico SESI Para serviço social da Indústria. – Brasília: SESI/DN,
Educação de Jovens e Adultos. Serviço Social da 2016.

Indústria. – Brasília: SESI/DN, 2014. 164 p.

Educação no Século XXI - Volume 7


63

Capítulo 9

Jorge Alberto Silva Cerdeira


Mariana Azevedo Alves
Aline Camila Luz Ferreira

Resumo:O acompanhamento das considerações apontadas pelos estudantes é


uma ferramenta relevante para a gestão de Cursos Técnicos/Profissionalizantes no
que tange ao alcance dos objetivos gerais e específicos das ofertas. O objetivo do
presente trabalho é analisar os resultados obtidos e verificar como eles podem ser
utilizados enquanto ferramentas de gestão, a partir de avaliações institucionais
através do Sistema de Acompanhamento e Avaliação dos Cursos e-Tec Brasil
(SAAS), um sistema desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina
(UFSC) e utilizado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio
de Janeiro (IFRJ) como processo de avaliação, através da aplicação de
questionários endereçados à estudantes dos Cursos Técnico em Secretaria
Escolar. Foram utilizadas as coletas de 2016/2 considerando pontos relevantes do
processo avaliativo com foco Polo. Os pontos presentes nos questionários
aplicados, pertinentes à pesquisa, giravam em torno das dimensões Infraestrutura e
Pessoas. Na primeira, analisou-se Instalações Físicas - Salas de aula informatizada
e Instalações como um todo - e Recursos Tecnológicos - Velocidade da Internet e
Quantidade de Computadores com Internet. Na segunda dimensão analisada
considerou-se apenas Recursos Humanos/Coordenador de Polo. Com o intuito de
contribuir para a melhora nas ofertas desse curso, este levantamento procura gerar
uma discussão sobre a importância do acompanhamento dos resultados como uma
ação institucionalizada através de um trabalho integrado com participação
democrática dos atores envolvidos no processo de formação. Concluiu-se, então,
que os resultados expostos no SAAS podem direcionar, efetivamente, os esforços
da Gestão no sentido de reparar problemas e agir de forma preventiva para que os
mesmos não sejam diagnosticados em novos polos e futuras avaliações dos polos
já existentes. Também é possível verificar que, atualmente, já são tomadas medidas
dentro do IFRJ a partir dos resultados verificados.

Palavras-chave: Educação a Distância, Polo, SAAS, Avaliação

Educação no Século XXI - Volume 7


64

1. INTRODUÇÃO análise de dados.


Os avanços tecnológicos, como se mostram
atualmente no cenário mundial, constituem-
2.REFERENCIAL TEÓRICO
se nas maiores possibilidades de
desenvolvimento da Educação à Distância 2.1 A EAD NO BRASIL: CURSOS TÉCNICOS
(EaD), de forma que se verifica o crescente
No Brasil especificamente, a EaD teve sua
aumento de iniciativas em muitos países, em
evolução de forma difícil e
diversos continentes. Há países, como
vagarosa,demonstrando a problemática que
Suécia, Inglaterra, França, além de Canadá,
atinge a construção, implementação e
EUA e, mais recentemente, o Brasil, que são
manutenção de um complexo educacional
considerados grandes propulsores da
que supra as demandas nacionais neste
metodologia da educação a distância
campo, além da carência de fundamentos
(GUIMARÃES, ET al, 2013 apud MUGOL,
teóricos que a sustentem. Importante
2009).
ressaltar, contudo, que a denominação EaD
O Instituto Federal de Educação, Ciência e utilizada neste artigo versa especificamente
Tecnologia do Rio de Janeiro – IFRJ, no sobre o método de educação em que há a
campus Pinheiral oferece, desde o ano de mediação por meio das Tecnologias da
2009, Cursos Técnicos na modalidade a Informação e Comunicação (TIC) e que tem
Distância, levando educação pública, gratuita como foco o estudante. Aqui, portanto, existe
e de qualidade a cidadãos que dificilmente um conjunto maior de atores envolvidos para
teriam a oportunidade de acesso a essa que o processo se encaminhe
formação técnica nos locais onde vivem. satisfatoriamente. O Ministério da Educação
Ressalta-se que a Instituição foi pioneira na (MEC), por meio da Rede e-Tec Brasil é quem
implantação dessa modalidade no estado do normatiza e acompanha as iniciativas de
Rio de Janeiro a partir da criação do Núcleo cursos técnicos nacionais de EaD – foco a ser
de Educação a Distância (NEaD) que analisado neste breve estudo, verificando as
funciona através do convênio que existe entre instituições, cursos e infraestrutura, com
o IFRJ e a Rede e-Tec para a oferta de cursos vistas a garantir a qualidade no processo e os
técnicos na modalidade a distância tendo em resultados esperados.
vista que a verba para esses cursos é
recebida através dessa parceria.
Lançado em 2007, o sistema Rede e-Tec
Sendo assim, o presente trabalho busca
Brasil visa à oferta de educação
analisar as avaliações realizadas pelos
profissional e tecnológica a distância e tem
estudantes do Curso Técnico em Secretaria
o propósito de ampliar e democratizar o
Escolar, objetivando mostrar quais são os
acesso a cursos técnicos de nível médio,
possíveis encaminhamentos que podem ser
públicos e gratuitos, em regime de
direcionados pela gestão do curso estudado
colaboração entre União, estados, Distrito
a partir dos resultados das mesmas. O curso
Federal e municípios. [...] O MEC é
é ofertado pelo IFRJ e aprovado pela
responsável pela assistência financeira na
resolução nº 30 de 30 de junho de 2014,
elaboração dos cursos. A estados, Distrito
contando com os polos de apoio presencial
Federal e municípios cabe providenciar
em que estudam, distribuídos em 14
estrutura, equipamentos, recursos
municípios do estado do Rio de Janeiro:
humanos, manutenção das atividades e
Resende, Porto Real, Barra Mansa, Volta
demais itens necessários para a instituição
Redonda, Pinheiral, Piraí, Rio Claro, Rio das
dos cursos. (MEC, 2017)
Flores, Engº Paulo de Frontin, Guapimirim,
Arraial do Cabo, Belford Roxo, Niterói e São
João de Meriti. Os dados coletados têm
O MEC estabelece ainda normativas que
origem no Sistema de acompanhamento e
regulam a EaD, dispondo sobre
avaliação de cursos para suporte à Gestão e
competências e atribuições, assim como a
Docência na Rede e-Tec (SAAS), abrangendo
supervisão, avaliação e referenciais de
os 11 primeiros polos adotados acima
qualidade para a EaD. Ademais, observa-se a
descritos, visto que os demais iniciaram a
possibilidade de aproximação no processo de
oferta de curso no ano corrente, e a amostra
avaliação com o modelo presencial, uma vez
refere-se ao segundo semestre de 2016. O
que se entende que o objeto avaliado – a
estudo em pauta, exploratória, desenvolve-se
proposta de educação – é uma só, tendo
a partir de técnicas qualitativas de coleta e

Educação no Século XXI - Volume 7


65

como diferencial o sistema em que o de Educação a Distância (EaD) que decorra


processo educacional se desenvolve, sendo em uma prática pedagógica inovadora, de
indicado ir além dos instrumentos legais viabilidade acadêmica, depende de
apresentados pelo MEC, e estabelecer uma competência técnica e decisão da gestão
gestão que propicie a melhoria da qualidade acadêmica em programar. (SILVA, 2009)
do ensino ofertado (GUIMARÃES, ET al,
Por esta razão, é importante observar
2013).
algumas particularidades da infraestrutura
material, tanto na sede como nos polos, que
devem localizar-se estrategicamente com fácil
2.2 GESTÃO DA EAD
acesso e estrutura mínima que proporcione
O processo de gerir abrange uma união de apoio pedagógico e administrativo às
subsídios e esforços, visando a excelência atividades de ensino. Devem ser organizados
no andamento dos cursos ofertados, com com toda infraestrutura de apoio humano e
foco na missão de uma dada instituição de material necessários para facilitar os estudos
ensino. Autores como Libâneo, et al (2007, p. e manter o aluno em contato com o professor
318) entendem a gestão como “uma atividade permanentemente. A partir desse enfoque, a
pela qual são mobilizados dos meios e utilização de uma ferramenta para avaliação
procedimentos para atingir os objetivos da vem contribuir com a gestão na oferta de
organização, envolvendo, basicamente, os EaD, comprometida com o processo
aspectos gerenciais e técnico- pedagógico e melhores práticas para a
administrativos”. Tratando especificamente da gestão.
EaD, Cataplan, et al (2015, p. 5) sublinha:

2.3 SAAS COMO FERRAMENTA DE


A Educação a Distância, no Brasil, é uma AVALIAÇÃO E GESTÃO
modalidade de ensino que tem caráter de
Inicialmente é preciso apresentar o SAAS,
inovação, expansão e inclusão, ao mesmo
que é delimitado por Cataplan, et al (2015, p.
tempo; por isso, requer que seja
21):
acompanhada de pesquisa e avaliação
continuamente.
O Sistema de Acompanhamento e
Avaliação dos Cursos e-Tec Brasil (SAAS)
Logo, a gestão precisa dar conta de planejar,
objetiva levantar potencialidades e
organizar, dirigir e avaliar, considerando
fragilidades dos cursos no processo de
esses aspectos. Assim, na EaD, a gestão é
ensino-aprendizagem. Os resultados
compreendida como um ambiente que exige
devem fornecer informações para
acompanhamento contínuo com flexibilidade
subsidiar a coordenação geral da Rede e-
dos processos, postura de escuta,
Tec Brasil na condução das questões
valorização do outro e a potenciação do
envolvendo políticas e alocação de
crescimento do capital intelectual, alicerce
recursos técnicos e financeiros, que
mais importante da instituição (POLAK, et AL,
também deve apoiar a gestão dos cursos
2008).
nas instituições ofertantes para a busca de
Neste sentido, a EaD atinge as regiões mais melhoria contínua. Esses resultados
distantes facilitando o acesso ao nível técnico também permitem que as instituições
profissionalizante e superior viabilizando a tenham uma visão prévia da sua situação
democratização da Educação no Brasil, o que diante dos critérios adotados pelas
exige, para a sua implementação, que as avaliações regulatórias, os quais
instituições disponibilizem polos onde serão determinam os requisitos para a abertura e
realizadas as atividades presenciais, nas mais manutenção de polos e aprovam a
diversas regiões do país. A decisão de reedição de cursos e respectivos
oferecer cursos à distância exige muito orçamentos. Há, entretanto, a
investimento em preparação de pessoal, preocupação de que o processo avaliativo
infraestrutura e materiais didáticos, tenha agilidade para que eventuais
comunicação, monitoramento e gestão, em problemas sejam identificados e
implantação de polos descentralizados, em enfrentados o mais precocemente
logística de manutenção de distribuição de possível.
produtos, entre outros. Um sistema de gestão

Educação no Século XXI - Volume 7


66

Conforme exposto, o SAAS é um Sistema


elaborado pela Universidade Federal de
Em consonância com as diretrizes de
Santa Catarina (UFSC) que tem como
expansão e de oferta de educação pública
principais pressupostos: levantar
e visando atender às demandas sociais, a
potencialidades e fragilidades dos cursos e
SETEC tem promovido diversas
do processo de ensino aprendizagem; ser
intervenções na rede e-Tec como:
contínua (a avaliação); ter agilidade para
capacitação de professores, validação de
enfrentar eventuais problemas o mais
material didático, pesquisa e avaliação.
precocemente possível; abranger um grande
Desde o início do programa, a UFSC tem
conjunto de instituições e cursos EaD; permitir
acompanhado e contribuído com as
a participação de todos os atores envolvidos
principais ações de implementação da
no curso: coordenadores, professores,
educação profissional a distância.
tutores e estudantes; possibilitar o acesso aos
resultados avaliativos por todos os atores;
fornecer informações para subsidiar a
Essas intervenções dependem, como
coordenação geral para apoiar a gestão dos
descrito, de avaliação contínua e, quando
cursos para a busca de melhorias contínuas;
possível prévia, para que os problemas
fornecer informações para que as instituições
identificados possam ser tratados o mais
tenham uma visão prévia da sua situação
brevemente possível. No foco polo, o recorte
frente aos critérios adotados nas avaliações
que será tratado neste estudo, temos as
regulatórias de cursos.
dimensões e tópicos particulares a serem
Cataplan, et al (2015, p. 5) ainda acrescentam avaliadas pelo SAAS, conforme quadro
que: abaixo.

Quadro 1: Dimensões e tópicos avaliados no foco polo

Fonte: Cataplan (2015, p. 23): Relatório SAAS 2014/1 – 2014/2 (parte)

Ressalta-se ainda a relevância dos atores na 1. METODOLOGIA


avaliação, que analisam a infraestrutura como
A pesquisa em questão, exploratória, é
um todo (focos, dimensões e tópicos). Porém,
relacionada a investigações de pesquisa
quando se trata do foco polo temos no
empírica cujo objetivo é a formulação de
estudante papel primordial. Ele [estudante] é
questões ou de um problema, com tripla
quem irá identificar e apontar os entraves
finalidade: desenvolver hipóteses, aumentar a
encontrados para a utilização do polo, acesso
familiaridade do pesquisador com um
a materiais, o atendimento e apoio oferecido
ambiente, fato ou fenômeno, para a realização
para que possa concluir com sucesso suas
de uma pesquisa futura mais precisa ou
disciplinas e curso. Evidente que existe
modificar e clarificar conceitos (MARCONI;
contribuição da equipe que atua em contato
LAKATOS, 2003). Ela tem características
com o polo, porém secundariamente.
teórico-empíricas e se desenvolve a partir de
técnicas qualitativas de coleta e análise de
dados. A coleta de dados foi realizada por

Educação no Século XXI - Volume 7


67

meio de pesquisa documental que, resultado que demandam atenção e


diferentemente das técnicas de coletas de intervenção da gestão. Os resultados são
dados primárias, é uma técnica em que os disponibilizados através do acesso remoto ao
dados são obtidos de maneira indireta, que Sistema por parte da coordenação, a qual
tomam a forma de documentos (GIL, 2009). O possui perfil com acesso individual a esse
questionário foi aplicado a 274 estudantes, resultado.
regularmente matriculados, entretanto
A técnica de análise de dados adotada foi a
apenas 54 responderam à avaliação. A coleta
Análise de Conteúdo que, enquanto método
foi feita em 2016/2, com foco no Polo, sendo o
torna-se um conjunto de técnicas de análise
estudante o avaliador, em 4 dimensões:
das comunicações que utiliza procedimentos
Infraestrutura, Biblioteca, Laboratórios e
sistemáticos e objetivos de descrição do
Pessoas. Julgou-se pertinente a utilização dos
conteúdo das mensagens (BARDIN, 2009).
tópicos da dimensão Infraestrutura
“Instalações Físicas do Polo”, subdividindo-se
em: Salas de aula informatizada; e Instalações
2. RESULTADOS E DISCUSSÕES
como um todo. Outro tópico considerado foi
“Recursos Tecnológicos”, este último nos Na dimensão Infraestrutura, as questões
eixos: Velocidade da Internet e Quantidade relacionadas às instalações físicas do polo
de Computadores com internet; e na tinham como respostas possíveis: Plenamente
dimensão Pessoas, considerou-se apenas o Adequado; Necessita Melhorias; Inadequado;
tópico “Coordenador de Polo”. A amostra da Não existe no polo; Não sei; Sem resposta.
coleta foi baseada nos itens que tiveram

O primeiro gráfico acima demonstra que boa Considerando que o foco principal do polo é
parte dos estudantes (46%) indica que o polo o atendimento ao estudante e que o cenário
necessita de melhorias em relação às salas apresentado no gráfico acima/direita foi
de aula informatizadas. Também é possível definido pelo mesmo, deve-se entender como
destacar que para 22% dos avaliadores, as prioridade a adequação do espaço
salas de aula estavam inadequadas neste disponibilizado, a ser discutida no âmbito da
quesito.Ao tratarmos da EAD, este tipo de parceria instaurada entre a Instituição
problema requer especial atenção, uma vez ofertante do Curso e a Instituição
que é uma das principais ferramentas de demandante. Ainda na dimensão
auxílio aos alunos para acesso ao conteúdo Infraestrutura, as questões relacionadas aos
disponibilizado no ambiente virtual. além da Recursos Tecnológicos foram mensuradas a
dinâmica de todo o processo previamente partir da seguinte perspectiva: se atendem ou
planejado pela Gestão. Em linhas gerais, é não às necessidades dos estudantes no polo,
possível inferir que todas as instalações dos sendo possíveis as respostas "Sim"; "Em
polos precisam de ajustes, segundo a visão parte"; "Não"; "Não sei", "Sem resposta".
da grande maioria dos participantes (59%).

Educação no Século XXI - Volume 7


68

O primeiro gráfico revela que a maioria dos Relacionando esse resultado com aquele
respondentes considera que a velocidade da apresentado no gráfico adjacente, é possível
internet disponível nos polos não atende em destacar que, essencialmente, para uma
parte (39%) ou completamente (31%) as oferta na modalidade a distância, situações
necessidades dos mesmos, somando 70%. que envolvam problemas com internet podem
Esse resultado demonstra que a qualidade da apontar, consequentemente, desmotivação,
oferta é preocupante, já que a velocidade da descontentamento, baixos rendimentos nas
internet que é disponibilizada no polo está disciplinas do Curso, entre outros. e merecem
aquém da necessidade dos estudantes, a promoção de ações efetivas que, ao menos,
gerando dificuldades na execução das minimizem as complicações evitando o
atividades propostas publicadas no ambiente comprometimento do andamento do processo
virtual de aprendizagem. O gráfico de ensino aprendizagem. A segunda
acima/direita indica que a maior parte dos dimensão a ser analisada na pesquisa refere-
avaliadores considera que a quantidade de se à Avaliação de Pessoas envolvidas
computadores com internet disponível nos diretamente com o Polo de Apoio Presencial,
polos não atende em parte (43%) ou mais especificamente a figura do
completamente (28%) as necessidades dos coordenador de polo.
mesmos, perfazendo um total de 71%.

Apesar do resultado ser majoritariamente curso, ele representa também o contato do


positivo, o item acima foi considerado como IFRJ com seus alunos e os orienta
foco de atenção, uma vez que 1,9% dos presencialmente em todas as atividades
estudantes responderam que não existe pertinentes. Sem a pretensão de definir qual
coordenador no polo, função sine qua non seria o cenário ideal para as ofertas, vale
para o funcionamento do polo. Não é destacar que, para este item, esperava-se
possívelco nceber qualquer processo que os discentes percebessem com total
educacional sem que haja contato entre clareza a presença e atuaçãao do
pessoas, nesse sentido, a figura do coordenador no polo.
coordenador de polo é peça fundamental
Considerando os dados expostos, à luz do
para o sucesso da oferta. Além de ser o
manual organizado por Cataplan, as
profissional responsável por dirimir os
dificuldades apresentadas pelos polo, na
possíveis entraves enfrentados no decorrer do

Educação no Século XXI - Volume 7


69

visão dos estudantes, devem ser utilizadas atentar a todos sobre o papel de cada um
como insumos para redirecionamento da para o desenvolvimento do trabalho nos
Coordenação e-Tec na geraçao de propostas polos. Assim, os indicadores apresentados
envolvendo políticas e alocação de recursos apontam para uma preocupação, pois a
para a melhoria da infraestrutura, em parceria maior parte dos cursistas dependem desta
com os municípios demandantes, assim como boa infraestrutura para realizar suas
intervenções relacionadas aos recursos atividades no ambiente virtual de ensino e
humanos que atuam no polo, fornecendo aprendizagem.
capacitações e orientações que possam
A partir dos resultados demonstrados nas
tornar os coordenadores de polo e
avaliações do SAAS e dos quais trata o
professores mediadores presenciais mais
presente trabalho, a Gestão identifica as
eficazes no atendimento das necessidades
principais intercorrências relativas ao polo,
preementes dos estudantes. Entende-se que
local de apoio e atendimento aos estudantes
a falta de sincronicidade no acompanhamento
que são os atores principais do processo
dos resultados do sistema de avaliação é um
educacional. Desse modo, é possível a
dificultador para a solução precoce dos
definição das prioridades e o planejamento
problemas identificados, uma vez que as
estratégico de ações que contribuam, em
avaliações somente são verificadas ao final
da coleta (semestral).
conjunto com as prefeituras municipais
mantenedoras do espaço físico onde o polo
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
está inserido, para o aprimoramento das
Ao firmar a parceria dos municípios com o ofertas de cursos técnicos e
IFRJ para a oferta dos cursos nesta profissionalizantes no IFRJ no âmbito da
modalidade, existem atribuições de ambas as modalidade a distância.
partes. Dentre as atribuições dos polos de
Por se tratar de um estudo em andamento,
apoio presenciais (municípios) temos a
deixa-se como sugestão para futuras
infraestrutura com os laboratórios de
pesquisas que tratem de questões
informática e com internet adequada.
relacionadas aos alunos de outros cursos
Dentre as ações pretendidas e outras ofertados na modalidade a distância, além de
realizadas em relação às dificuldades outros focos que não apenas o polo.
apresentadas, destaca-se as visitas
sistemáticas às prefeituras com o objetivo de

REFERÊNCIAS Paulo: Atlas, 2003.


[6] Martins, Gleison Hidalgo, Sonia Ferreira
[1] Bardin, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Martins, and Renata Lincy Ferreira. "Aplicabilidade
Portugal; Edições 70, LDA, 2009. da metodologia de análise de soluções de
[2] Catapan, Araci Hack; Nassar, Silvia problemas MASP através do ciclo PDCA no setor
Modesto; Cislaghi, Renato (Orgs). SAAS: um de embalagens: estudo de caso na" indústria de
Sistema de Acompanhamento e Avaliação de embalagens" no Brasil." Journal of Lean Systems
Cursos para Suporte à Gestão e Docência na Rede 1.4 (2016): 02-22.
e-Tec Brasil. Florianópolis: NUP/CED/UFSC, 2015. [7] Ministério Da Educação e Cultura. Rede e-
124 p. TEC Brasil – Apresentação. Disponível em:
[3] Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa http://portal.mec.gov.br/rede-e-tec-brasil .
social. São Paulo: Atlas, 2009. Acessado em 05/05/17.
[8] Polak, Y.. De Souza; Duarte, E. C D de V.
[4] Guimarães, Ana Paula; CARDOSO, G.; Assis, E. M. . Construindo do novo
Rosimeiri Darc; JACOBSEN, Alessandra de [9] conceito da Gestão de sistemas de
Linhares. PROPOSTA DE FERRAMENTA PARA educação a distância. 2008. p.1-10. Disponível em:
GESTÃO DE PÓLOS DE EDUCAÇÃO A http://abed.org.br/congresso2008. Acesso em:
DISTÂNCIA. 2013. 20/02/17.
[5] Marconi, M. de A.; Lakatos, E. M.
Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São

Educação no Século XXI - Volume 7


70

Capítulo 10
Érica Ramos Rocha Silva
Marizilda Escudeiro de Oliveira
Tânia Filomena Knittel

Resumo: Este trabalho explora a aplicação do uso de metodologias ativas no


processo de criação e autorregulação da aprendizagem utilizando o Peer Review
(revisão por pares) nas disciplinas de Audiovisual na 1ª série e de Redação na 3ª
série, ambas do Ensino Médio. Trata-se de um recorte de uma pesquisa em
andamento na qual o estudo de caso qualitativo investiga a atividade de revisão
por pares e o quanto essa estratégia metodológica auxilia no processo de
autorregulação da aprendizagem em uma escola da Zona Sul da cidade de São
Paulo. As técnicas para coleta de dados envolveram questionários e observação
participante e trazem a análise e interpretação dos dados baseados no cruzamento
das diferentes fontes. A pesquisa propõe trabalhos futuros similares na escola com
outras disciplinas e diferentes séries/anos.

Palavras chave: metodologias ativas, revisão por pares, autorregulação

Educação no Século XXI - Volume 7


71

1. INTRODUÇÃO Para Benevides e Aquino (2007),


“Metodologias ativas” tem sido um termo
muito utilizado hoje em dia por tratar de
A conceituação de criatividade permite
resgatar nos alunos o protagonismo da sua
diversas interpretações porque envolve
aprendizagem, porém o mais apropriado é
processos de pensamento, formas e
utilizarmos a expressão “aprendizagem ativa”,
modalidades de produção, características
na qual o aluno deixa ser um mero receptor
do desenvolvimento infantil e a influência
de informação que necessita de intervenções
dos fatores socioculturais – sejam estes
aparentemente mais “passivas” do professor.
fatores analisados de forma individual ou
Segundo Moran (2015), este termo refere-se
agrupados.
às mudanças do cotidiano da escola a partir
da forma de ensinar, trocando as aulas
expositivas para metodologias ativas como
Esperamos, a partir desta revisão, observar a
situações problemas, desafios, descobertas,
sensação dos alunos e constatar as
até mesmo nos jogos.
contribuições dessa estratégia metodológica
As metodologias ativas procuram explorar a para o desenvolvimento da autorregulação da
aprendizagem e habilidades individuais dos aprendizagem, envolvendo processos
alunos, construindo novos conhecimentos de criativos.
forma significativa, prazerosa e instigante,
abrindo caminhos para a criação e o interesse
de novos conceitos. 1 OBJETIVO GERAL:
Fundamentada nos conhecimentos da Analisar as contribuições da revisão aos
neurociência e das teorias construtivistas e pares nos estudantes da educação básica na
mediada por tecnologias digitais, a aprendizagem reflexiva, criativa e
aprendizagem ativa requer um educador que autorreguladora.
oriente o processo de construção dos
Objetivos específicos:
conceitos, habilidades e atitudes de forma
processual, atendendo à necessidade do 1.1. Comparar as estratégias de revisão
aprendiz, tornando-se um observador aos pares em duas atividades que
apurado, um pesquisador atualizado e uma envolvem processos criativos
referência viva para o aluno de como o individualizados, considerando as
processo de aprendizagem acontece. sensações dos alunos nas
devolutivas ao e do colega de turma.
Considerando essas diferentes estruturas e
estratégias em que se encontra o contexto 1.2. Analisar as intenções pedagógicas
educacional - sempre em evolução - dos professores e suas ações
percebemos que o processo avaliativo tem mediadoras, além das contribuições
que ser também diferente, por isso da revisão aos pares a partir da
apresentamos essa pesquisa que aborda a concepção dos alunos.
revisão por pares, realizada em uma escola
da zona sul de São Paulo, nas disciplinas de
Audiovisual e Redação no Ensino Médio, que 2 REFERENCIAL TEÓRICO
exigem a criatividade do aluno no
Nas teorias psicogenéticas, tendo como
desenvolvimento das atividades. Foram
referência Piaget e Vygotsky, o sujeito da
elencadas rubricas pelos professores,
aprendizagem é o aluno quando é
deixando claro os aspectos que os alunos
considerado ativo, autônomo, motivado a
deveriam observar e pontuar no trabalho do
construir o conhecimento a partir de sua
colega.
própria experiência. O processo de
Vygotsky conceituou criatividade ou atividade aprendizagem não se efetiva se os alunos
criadora como sendo “toda realização apenas obedecerem e repetirem o que o
humana criadora de algo novo, quer se trate instrutor lhes diz para fazer. A construção do
de reflexos de algum objeto do mundo conhecimento é um processo relacional,
exterior, quer de determinadas construções portanto o estudante precisa de outros alunos
do cérebro ou do sentimento, que vivem e se
manifestam somente no próprio ser humano”
(1982, p. 7).

Educação no Século XXI - Volume 7


72

para criar conceitos, procedimentos e professor, porém mais próximos do ponto de


atitudes. A interação é fundamental, tanto aos vista de seus pares.
pares ou por intermédio de novas tecnologias.
Para Kern et al (2003), algumas
Na perspectiva das teorias consequências da aplicação do Peer review
socioconstrutivistas, as metodologias ativas na aprendizagem, em termos de mudanças
representam possibilidades reais da conceituais, são que o núcleo da abordagem
construção do conhecimento e a Peer review da aprendizagem pelos pares é a mudança
uma forma eficiente de realizá-la. do receptor passivo e inquestionável de
informação, a um membro ativo e crítico de
uma comunidade que constrói o
2.1 REVISÃO POR PARES conhecimento.
Encontramos na literatura, no ponto de vista
conceitual, vários significados para revisão
3 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
por pares; como nos processos de artigos
científicos, é o sistema de avaliação usado A pesquisa foi qualitativa e exploratória com a
pelos fóruns científicos - periódicos e finalidade de entender a reação de alunos e
conferências - com o intuito de promover a professores quanto à proposta de revisão aos
alta qualidade dos artigos aceitos para pares. Foram utilizados questionários com
publicação. Funciona como um sistema de questões abertas e fechadas, respondidos
controle de qualidade de artigos a partir da por alguns estudantes e observação
avaliação destes pelos pares de seus pares participante como técnicas para a coleta de
(KERN e SARAIVA, 1999). dados.
Outra forma de revisão por pares encontrada Para a análise foram tabuladas as respostas
na literatura seria na avaliação de docentes do questionário e criados gráficos de colunas
em uma mesma instituição, onde colegas para garantir a melhor visualização dos
assistem às aulas uns dos outros a fim de mesmos numa abordagem estatística. Já as
pontuar determinadas características. anotações das observações foram
codificadas. A interpretação dos dados
utilizou-se da comparação entre questionários
A avaliação dos pares tem sido apontada e observações.
como um bom indicador do futuro
desempenho profissional, sendo
considerada consistente e confiável, 3.1 ESTUDO DE CASO
fornecendo informações que não poderiam
As atividades para o estudo de caso foram
ser medidas pelos métodos tradicionais
elaboradas a partir dos planejamentos
(DOMINGUES, 2007).
bimestrais dos componentes curriculares,
envolvendo os alunos das referidas séries.
No entanto, há poucos trabalhos que Os dois componentes curriculares escolhidos
discutem e avaliam a revisão aos pares na para o estudo têm em comum o estímulo à
educação básica, daí a relevância da criatividade e autoria. Em Audiovisual, os
presente pesquisa, que pretende analisar a alunos desenvolvem habilidades e
avaliação entre os discentes como estratégia competências de um designer gráfico
diferenciada de aprendizagem. explorando os recursos digitais e em
Redação, ampliam o repertório sociocultural e
Essa técnica possibilita uma evolução cultural
a leitura de mundo a partir da interação com
e social como um processo de aprendizagem
diferentes textos - verbais e não verbais - que
intensificando a inteligência coletiva mediante
circulam socialmente e aprimoram
aprendizagem cooperativa (KERN e
competências e habilidades analíticas,
SARAIVA, 1999).
críticas e argumentativas fundamentadas,
Dar ao aluno a função de revisar a atividade estabelecendo relações e inferências
feita por um colega traz novas formas de se interdisciplinares complexas.
perceber a atividade tanto para quem revisa,
A atividade de Audiovisual selecionada tinha
quanto para quem recebe as considerações
como objetivo entender o conceito de Portfólio
da revisão, pois inclui aspectos do ponto de
e elaborar as considerações sobre a
vista do aluno, nem sempre os mesmos do
aprendizagem onde serão registradas todas

Educação no Século XXI - Volume 7


73

as atividades desenvolvidas no bimestre. Para entre ideias, repetição de palavras, repetição


a revisão aos pares dos alunos foram de ideias, inadequação vocabular;
elencados os seguintes critérios elaborados
pelo professor, sendo avaliados como1 (se
 Tipologia textual: progressão lógica
estivesse ruim) até 5 (se estivesse bom):
de argumentação, argumentação
inconsistente e/ou superficial, relação
entre os argumentos, articulação
 Organização e aparência;
entre os parágrafos, ausência de
 Qualidade dos textos, imagens, áudio
proposta de intervenção, proposta de
e vídeos;
intervenção insuficiente ou sem
 Lista de produções durante o curso e articulação com o desenvolvimento
reflexão sobre as realizações durante o curso de texto, senso-comum, redundância,
e se ilustra aprendizagem e crescimento; digressão, ambiguidade, contradição
 Referências confiáveis e formatadas e falta de criatividade.
adequadamente;
 Justificativa das considerações para
que os colegas pudessem avançar no Após correção prévia da professora e
processo de aprendizagem. menção aos problemas encontrados no texto,
a revisão aos pares foi realizada com
A atividade de Redação selecionada tinha indicação dos erros no texto do colega e
como objetivo desenvolver técnicas de leitura apresentação de comentários.
e escrita em diferentes tipos de textos, 4 Análise e discussão
observando suas características e aplicando
as informações coletadas em produções As atividades foram aplicadas a 14 alunos da
próprias, a fim de reconhecer posições 1ª série e 36 alunos da 3ª série, ambas do
críticas aos usos sociais que são feitos das ensino médio. No entanto, sentiram-se à
linguagens, demonstrando domínio da vontade em participar da pesquisa 6 alunos
modalidade escrita formal da língua da 1ª série e 24 da 3ª série, que responderam
portuguesa. Para a revisão aos pares foram a um questionário cujo objetivo era investigar
elencados os seguintes critérios: suas expectativas em relação ao trabalho em
duplas, com um colega revisando sua
atividade, tanto no portfólio quanto na
 Apresentação: legibilidade, respeito redação.
às margens, recuo dos parágrafos, limpeza
do texto, título criativo;
 Linguagem: ortografia, acentuação, 4.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS
pontuação, concordância nominal e verbal, Em relação à familiaridade com a Peer review,
colocação pronominal, regência nominal e foi perguntado ao aluno se já tinham realizado
verbal, separação de sílabas e emprego de a revisão de colegas em outras situações e
letras maiúsculas; disciplinas; podemos observar que a maioria
 Estrutura: construção dos parágrafos já havia participado de uma atividade de
(introdução, desenvolvimento, conclusão), revisão aos pares, sendo essa uma prática
estrutura das sentenças, falta de clareza nos comum no cotidiano escolar, como pode-se
períodos, extensão dos parágrafos, ligação comprovar no gráfico 1:

Educação no Século XXI - Volume 7


74

Gráfico 1. Familiaridade com a atividade de revisão aos pares.

120,00%
95,83%
100,00% 83,33%
80,00%
60,00% sim
40,00% não
16,67%
20,00% 4,17%
0,00%
1a série EM 3a série EM

Fonte: Autores

4.2 USO DE CRITÉRIOS PARA A REVISÃO “O portfólio apresenta todas as informações


DAS ATIVIDADES necessárias de um jeito organizado e
diferente. Adorei a ideia de que podemos
Todos os alunos responderam que estavam
'clicar' em uma área e então somos
claros os critérios apresentados pelos
direcionados para os trabalhos (prezi por
professores e, a partir da observação e das
exemplo). Poderia mudar a imagem inicial
justificativas dadas, podemos concluir que
para ficar mais pessoal (1ª série EM)”.
estavam confortáveis e tranquilos em relação
à atividade, como mostram as respostas A autorregulação da aprendizagem também
abaixo. foi constatada:
Resposta 1: “Achei muito tranquilo, já que Resposta 4: “A reação que eu tive foi a de
havia orientações prévias (1ª série - EM)”. que foi justo, pois não dei tudo de mim. (1ª
série – EM).
Resposta 2:“Eu fiquei tranquila, pois
acreditava que o trabalho estava muito bom. Resposta 5: “Achei bastante interessante,
Quando ela avaliou meu trabalho, ela disse tendo em vista que meu colega pode me
que realmente estava bom! Senti que havia ajudar a consertar meus erros e ele estará
feito meu melhor, e fiquei feliz pois os outros aprendendo com eles, ou seja, essa atividade
reconheceram meu esforço (1ª série - EM)”. ajuda ambos a melhorarem suas próximas
produções (3ª série - EM)”.
Resposta 3: “Eu achei que foi bem
complicado, pois eu não imaginava o quão Resposta 5: Este tipo de atividade faz com
difícil é corrigir redações (3ª série - EM). que o aluno seja mais crítico, possibilitando
uma melhor performance em seus próprios
Nas respostas selecionadas, podemos
textos (3ª série – EM).
considerar que há um ganho considerável na
aplicação da revisão por pares referente ao No gráfico 4, podemos verificar que os alunos
processo de aprendizagem e criação, pois os da 1ª série do EM sentiram-se preparados em
alunos estão ativos, autônomos e estimulados revisar a atividade do colega representado no
a assumir uma nova atitude, como podemos gráfico 2, o que não aconteceu com os alunos
exemplificar a partir de algumas sugestões e da 3ª série do EM em redação, representado
justificativas feitas por eles durante a revisão: no gráfico 3:

Educação no Século XXI - Volume 7


75

A sensação de revisar a produção de seus Os alunos mostraram-se muito tranquilos com


pares tornou-os responsáveis e preocupados o retorno da revisão, como vemos nos
com a atividade: gráficos 4 e 5.

Resposta 6: “Fiquei tranquila pela atividade, mas fiquei com medo de corrigir alguma coisa errada” (3ª
série EM).:

A consciência crítica e autorregulação Podemos verificar que eles entendem o


também podem ser percebidos no seguinte quanto a atividade foi eficaz para que
trecho: “Ser avaliado por outra pessoa abre avançassem na aprendizagem:
os olhos para defeitos que não poderiam ser
Resposta 7: “Contribui muito, pois eu
percebidos antes individualmente; apesar de
consegui ver onde preciso melhorar e o que
sermos amigos, uma visão crítica foi aplicada
está muito bom. Em geral, não cometi muitos
então podemos perceber as coisas”. Como
erros, mas já sei o que não repetir (ou mudar)
destacado por Leki (1990 apud Spinassé e
da próxima vez! (1ª série- EM).
Bolzan, 2016), através da revisão por pares
os aprendizes são forçados a exercitar sua Resposta 8 “Através desta atividade,
habilidade de reflexão, construindo um senso consegui visualizar alguns erros na produção
crítico necessário para analisar e revisar sua do outro que eu também cometi, conseguindo
própria produção. assim, melhorar a elaboração do meu próprio
texto (3ª série - EM)”.

Educação no Século XXI - Volume 7


76

Hadji (2001) sinaliza que no processo de possam alterar seu portfólio” (Professora de
ensino/aprendizagem, apostar na Audiovisual),
autorregulação seria a forma racional, se não
Professora 2: “A troca de informações e as
mesmo a única forma racional, que os
discussões sobre os erros cometidos
professores deviam investir em suas
contribuíram muito, pois não é o professor
atividades.
"julgando" a produção do aluno, mas sim um
Perguntas abertas foram feitas às duas colega participando da construção do texto,
professoras, que também se sentiram apontando problemas e discutindo - juntos -
tranquilas na realização dessa estratégia possíveis soluções” (Professora de Redação).
metodológica, como podemos ver nas
respostas:
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Professora 1: Foi a primeira vez em que havia
aplicado esse tipo de atividade, estava O presente trabalho demonstrou que a
tranquila, pois tinha certeza de que os utilização da revisão por pares traz avanços
critérios estavam claros e assim que importantes tanto na qualidade como no
iniciaram, percebi que os alunos se processo de criação, levando os estudantes a
concentraram entrando em um estado de um avanço na aprendizagem.
fluxo, que não precisaram da minha
A partir dos resultados, podemos perceber
intervenção (Professora de Audiovisual).
que os alunos demonstraram coerência, foco
Professora 2: “Sim, já tinha utilizado a revisão e criatividade; aconteceram momentos
por pares como uma estratégia metodológica durante as atividades em que eles entraram
que possibilitasse aos alunos a participação um estado de fluxo e concentração com
no processo de avaliação e construção do comprometimento, mostrando autonomia.
texto a partir da observação de produções Como esperamos em atividades que utilizam
próprias e do outro (Professora de Redação). as metodologias ativas, o aluno torna-se
protagonista do conhecimento.
Em relação ao avanço na aprendizagem, as
respostas das duas professoras foram Em continuidade à pesquisa, pretendemos
coerentes com as dos alunos: observar os avanços na aprendizagem dos
discentes a partir de trabalhos futuros, onde
Professora 1: “Percebi que ao revisar o
os alunos continuarão com a revisão aos
portfólio do colega, eles repensaram o
pares a partir de rubricas com critérios claros
próprio, pensando em alterações que ao
em comparação às próprias atividades,
realizar não haviam percebido. Foram
percebendo a autorregulação.
objetivos e justos, apontaram os erros e
deram várias sugestões para que os colegas

REFERÊNCIAS [6] Hadji, C. Avaliação desmistificada. Porto


Alegre, Artmed, 2001.
[1] Benevide, Vanderlice; AQUINO, Olga Ribeiro [7] Kern, V. M.; Pernigotti, J. M.; Calegaro, M. M.;
de. Criatividade e aprendizagem: um olhar Bento, M. Peer review in engineering
voltado ao processo ludcriativo da criança. - education: speeding up learning, looking for a
[2] http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere paradigm shift, 5 p., Cdrom Proceedings of the
2007/anaisEvento/trabalhos3.htm INTERTECH ’2002 - International Conference
[3] Spinassé, Karen Pupp; BOLZAN, Daniele Blos. on Engineering and Technology Education.
A percepção de jovens aprendizes de Santos, Brazil, March 17- 20, 2002.
segunda língua em relação à prática de [8] Moran, José Manuel. Mudando a educação
revisão por pares em produção escrita. Ilha do com metodologias ativas. Coleção Mídias
Desterro A Journal of English Language, Contemporâneas. Convergências Midiáticas,
Literatures in English and Cultural Studies, v. Educação e Cidadania: aproximações jovens.
69, n. 1, p. 095-110, 2016. Vol. II] Carlos Alberto de Souza e Ofelia Elisa
[4] Domingues, R.C.L; AMARAL,E.; ZEFERINO; Torres Morales (orgs.). PG: Foca Foto-
BICUDO, A.M. Auto-avaliação e avaliação por PROEX/UEPG, 2015.
pares: estratégias para o desenvolvimento [9] Vygotsky, Lev Semenovich. La imaginacion y
profissional do médico, 2007 el arte en la infancia (ensayo psicológico).
[5] Disponível: Madrid: Akal,1982
http://site.ufvjm.edu.br/fammuc/files/2016/05/A
maral_E_auto_aval__pares.pdf Acesso em
12.04.2017.

Educação no Século XXI - Volume 7


77

Capítulo 11

Neide Souza Graça Pinheiro


Káthia Marise Borges Sales

Resumo:Este trabalho propõe a descrição de uma pesquisa em andamento do


Programa de Mestrado Profissional da Universidade do Estado da Bahia - o
GESTEC- que investiga propostas metodológicas para o ensino de Física no ensino
médio, com potencial para aplicação no ensino mediado por tecnologia, no
EMITEC-Ba. Assim serão apresentados os objetivos da pesquisa, a questão da
pesquisa, e também discussões e análises considerando as categorias: Ensino de
Física, Mediação Tecnológica e Sequência didática. Na categoria Ensino de Física
o diálogo ocorre com autores como Laburú, Millar, Fensham e outros. Para
contemplar a discussão sobre Mediação Tecnológica busca-se dialogar com Lévy,
Vygotsky, Castells e outros. A sequência didática será abordada a partir do diálogo
com Dalben, Zabala e Brousseau. A motivação para essa busca surge a partir do
pioneirismo da experiência do EMITEC, aliada a dificuldades encontradas no
ensino de física, como demonstram autores como Xavier e Bonadiman, e de
inquietações próprias da pesquisadora como docente de Física, atuando no
contexto da mediação tecnológica no lócus da pesquisa. A pesquisa será realizada
pela análise dos elementos teóricos descritos e da aplicação de uma sequência
didática definida durante a pesquisa.

Palavras-chave: Ensino de Física. Mediação Tecnológica. Sequência Didática.

Educação no Século XXI - Volume 7


78

1. INTRODUÇÃO Médio com Intermediação Tecnológica- se


constitui em uma modalidade de ensino, que
Esse texto apresenta projeto de pesquisa em
alia todo o aparato tecnológico da EaD-
andamento5, sobre as possibilidades para o
Educação a Distância, para realizar aulas
ensino de Física mediado por tecnologia, no
presenciais, intermediadas pelo IPTV, que
caso específico, utilizando o IPTV- Internet
possibilita, segundo Santos e Barreto (2015),
Protocol Television- como meio. Objetiva com
aos educandos de diversas localidades do
a socialização da pesquisa, articular diálogos
estado da Bahia , a construção da
entre pesquisadores e Instituições,
aprendizagem através de teleaulas de forma
ressaltando o caráter inovador da mesma e
síncrona, orientadas presencialmente, por um
relevância do tema para futuras aplicações
mediador, que potencializa o processo de
nos diversos níveis de ensino, quando for
interação entre estudantes e professores
utilizada esta forma de mediação tecnológica.
especialistas dos componentes curriculares,
O decorrer do texto contempla os elementos
através da ferramenta de chat disponível no
fundamentais do Projeto, como o objeto de
IPTV. Assim, pode-se dizer que o ensino
estudo, o lócus da pesquisa, relevância do
através do EMITEC, ocorre através de
tema, referencial teórico utilizado,
multimeios ( SANTOS E BARRETO, 2015), e
metodologia a ser aplicada, fases da
dessa forma torna-se ainda mais necessário
pesquisa, e, por ser um mestrado profissional,
estimular nos estudantes, um trabalho
a proposta de um produto e conclusões finais.
cooperativo, onde haja, cada vez mais, a
interação para que a aprendizagem seja
potencializada.
1.1 A PESQUISA E SUAS FASES
Surge então a questão da pesquisa: Qual
A pesquisa sobre o ensino de Física mediado
desenho metodológico pode contribuir para
por IPTV está em pleno desenvolvimento e, no
potencializar a aprendizagem dos conteúdos
atual momento, em fase de coleta de dados
de Física no ensino médio, em contexto de
para análise e futura construção da proposta
mediação tecnológica com uso de IPTV? E
pedagógica a ser apresentada como produto
nesse momento são repensadas as práticas
final. O trabalho surge inicialmente, de
atuais na composição das aulas, que,
inquietações de uma das autoras, enquanto
utilizando como meio de interação a
professora de Física do CEMITEC- Centro de
transmissão de imagem e som através de
Referência em Ensino com Intermediação
videostreaming, ou seja, toda a ação do
Tecnológica- no Estado da Bahia, em relação
professor, no estúdio é transmitida ao vivo,
a dificuldades relatadas pelos estudantes
para as diversas localidades, em torno de 440
quanto à aprendizagem de conteúdos do
em 2016 (Sistema de Gestão Escolar, Bahia,
componente curricular. Posteriormente,
2016), deve procurar intensificar a interação
durante a busca de referências para a
com os estudantes.
pesquisa, elenca autores como Ziman (2000),
que traz a importância de “reexaminar os A pesquisa tem como objetivo geral :
propósitos da ciência escolar”, sair da zona Identificar propostas metodológicas para o
de conforto estabelecida e buscar analisar o ensino de Física no ensino médio que
impacto das ciências na vida das pessoas. potencializem o aprendizado no contexto da
Ou ainda Fensham (2006) quando propõe mediação tecnológica com uso de IPTV,
que a ciência escolar busque uma sinergia propondo um desenho metodológico para a
com o estudante, para que ele possa promoção desse aprendizado.
compreender onde e como essa ciência que
Sendo delineada através dos seguintes
ele estuda é importante para a sua vida,
objetivos específicos:
gerando disposição e responsabilidade em
aprender.
O CEMITEC, uma iniciativa da esfera estadual
de ensino no estado da Bahia, que também é
conhecido pelo nome do programa que deu
início a sua estrutura atual, EMTEC- Ensino

5
No programa de Mestrado Profissional da
Universidade do Estado da Bahia, o GESTEC-
Gestão e Tecnologias aplicadas à Educação

Educação no Século XXI - Volume 7


79

 Investigar bases teóricas Fensham (2006) propõe que a ciência escolar


metodológicas aplicadas ao ensino de busque uma sinergia com o estudante, que
Física em diversos contextos ele possa compreender onde e como essa
educacionais, e seus potenciais para a ciência que ele estuda é importante para a
construção de uma proposta no sua vida, gerando disposição e
contexto da mediação tecnológica responsabilidade em aprender.
com uso de IPTV.
Nessa busca por encontrar o caminho ideal
 Discutir as concepções de educação à para conduzir o ensino de ciências, e no
distância e mediação tecnológica e nosso caso específico, de Física, diversos
seu potencial para a ampliação da autores descrevem suas trajetórias a partir da
oferta da educação básica. descrição das metodologias aplicadas no
sentido de potencializar a produção de
 Identificar, nas narrativas dos sujeitos
conhecimento científico. Feyerabend (1989)
envolvidos no processo, metodologias
defende uma metodologia pluralista, intitulada
mais adequadas à aprendizagem de
de anarquismo epistemológico, pois em uma
Física no contexto da mediação
sala de aula, são múltiplos os caminhos que
tecnológica com uso de IPTV.
levam à aprendizagem e, portanto, não se
 Propor um caminho metodológico para deve pensar em uma metodologia única,
a composição das aulas de Física, no dotada de regras que devam ser
contexto da mediação tecnológica por universalizadas e aplicadas a qualquer
IPTV. contexto escolar, pois os atores mudam a
cada espaço e, com eles mudam as regras
 Estes objetivos servem de base para para aprendizagem. Para Maia e Scheibel
composição dos capítulos teóricos e (2006; p.8) o grande desafio enfrentado na
definição do produto final da pesquisa, busca do ensino-aprendizagem eficiente é
que será desenvolvida a partir das que esse perpasse por procedimentos,
discussões teóricas apresentadas a metodologias que tenham significado e
seguir. sentido para os estudantes e que venham a
ser determinantes na sua atuação enquanto
sujeito que busca a transformação do seu
2. REFERENCIAL TEÓRICO contexto social.
O ensino de Ciências, segundo Rosa (2005), Seguindo nessa trajetória, convém destacar
teria adquirido espaço maior na educação que, nos diversos exemplos de metodologias
formal a partir do século XIX, como aplicadas ao ensino da Física é comum
consequência do desenvolvimento encontrarmos estratégias direcionadas para o
proporcionado por invenções e mudanças de ensino na modalidade presencial como a
práticas sociais. O desenvolvimento social e prática experimental em laboratórios, o uso de
industrial proporcionado pelos avanços nas TIC, a aplicação de práticas teatrais e outras,
pesquisas e invenções decorrentes de mas no contexto do ensino mediado por
estudos nas ciências foi fundamental para tecnologia com uso de IPTV, a literatura é
que o ensino de Física, Química e Biologia escassa, pra não dizer, inexistente. Busca-se
ganhasse espaço no cenário educacional. então, através desse trabalho, formas de unir
Inicialmente a ideia que prevalecia era a da as metodologias aplicadas ao ensino da
formação de cientistas, o que deu ao ensino Física no contexto presencial, às
de ciências atual, esse caráter formal, em que especificidades do ensino à distância
se prima pelo ensino de definições, deduções mediado por IPTV. Busca-se assim, abordar
e equações que o conduzem a um essas diversas metodologias e seu potencial
distanciamento da realidade do estudante, para o ensino mediado por IPTV.
fugindo de fenômenos vivenciados em seu
dia-a-dia. Concebe-se que, a cada dia, a A busca pelo encantamento e pelo despertar
ciência tem se mostrado importante em no estudante das possibilidades advindas do
diversos aspectos como questões sociais, conhecimento dos fenômenos físicos passa,
éticas e econômicas, e isso sugere, segundo segundo Bonadiman(2005), pela valorização
Ziman (2000), que é preciso “reexaminar os do docente, pela formação desse docente
propósitos da ciência escolar”, sair da zona para que ele desenvolva os conteúdos de
de conforto estabelecida e buscar analisar o forma criativa e estimulante, também
impacto das ciências na vida das pessoas. converge para a atenção em relação ao
excesso do enfoque no tratamento

Educação no Século XXI - Volume 7


80

matemático em detrimento da interpretação pedagógica real, no momento em que os


dos fenômenos.Não se pode perder de vista, estudantes deixarem de ser meros
no entanto, as condições físicas das escolas repositórios de informações e passarem a ser
e também o caráter pessoal da aprendizagem atuantes na construção do conhecimento.
de cada estudante que, segundo Laburú,
A experimentação, a dramatização e a
Arruda e Nardi(2003) variam em suas
hipermídia constituem caminhos para a busca
motivações e preferências e ainda nas suas
de um ensino-aprendizagem relevante para
habilidades mentais para aprender
quem ensina e para quem aprende.
determinados conteúdos. Considerando tudo
trataremos agora de outro método que tem se
que já foi listado percebe-se a necessidade
destacado como caminho para a promoção
de buscar sempre novas estratégias e
da aprendizagem nas mais diversas áreas de
metodologias para o desenvolvimento de
conhecimento, que é o de Estudo por
aulas, pois na medida em que variam os
Resolução de Problemas.A organização do
contextos, variam as abordagens dentro do
ensino por meio da resolução de problemas
universo de cada componente curricular e é
faz parte do rol das pedagogias ativas já
por isso que Feyerabend (1989) defende a
defendidas por Dewey, pedagogo renomado
pluralidade metodológica como o caminho
do século XX, quando dizia que os
possível para alcançar a aprendizagem, pois
professores não deveriam impor ideias ou
cada metodologia tem seus prós e seus
formar hábitos nas crianças, eles deveriam
contras.
conduzi-las a caminhos que as possibilitasse
reagir e tomar decisões. Dessa forma, as
metodologias ativas segundo Berbel (2011),
2.1 METODOLOGIAS APLICADAS AO
expressam formas de desenvolver o processo
ENSINO DE FÍSICA
de aprender, em que são utilizadas situações
As estratégias metodológicas para a reais ou não, em contextos diferentes, com o
condução das aulas de Física no intuito de intuito de buscar soluções para as mesmas.
torná-las melhores e mais agradáveis aos Mitre et al. (2008) reforçam que as
estudantes, segundo Bonadiman (2007) são metodologias ativas buscam na
fundamentais para despertar o gostar de problematização uma estratégia de ensino-
aprender Física. Muitos autores, dentre eles. aprendizagem, para assim, através dela,
Fresnnam, Bonadiman e Millar, trazem em alcançar o estudante e motivá-lo na busca de
seus trabalhos uma variedade de soluções, visto que estes promovem a
metodologias que despertam o estudante reflexão sobre o tema e a sua
para o que ele estude e potencializam a contextualização.
aprendizagem, iremos então fazer um passeio
por algumas dessas metodologias propostas
e aplicadas ao ensino de Física no ensino 2.2 A MEDIAÇÃO TECNOLÓGICA
médio. POSSIBILITANDO UM ALCANCE MAIOR AO
CONHECIMENTO.
Dentre os métodos utilizados no ensino de
Física, a experimentação normalmente é a Mill(2013) destaca que é preciso avaliar a
primeira ideia que o docente de Física tem ao utilização das tecnologias na educação, pois
pensar em despertar o interesse do estudante não se pode esquecer que o processo de
pelas aulas e conteúdos e, para Reis (2013) o ensino está diretamente relacionado à
uso de experimentos no ambiente escolar aprendizagem e que o processo educacional
constitui um método que, além de despertar o é composto por quatro elementos: a gestão, o
espírito investigativo do estudante, também ensino, a aprendizagem e a mediação tecno-
possibilita a sua interação com o seu grupo pedagógica, sendo o descaso em relação a
social na escola, fortalecendo o diálogo e a qualquer um desses elementos provocador
troca de informações com seus pares e, de incompletude ao processo educacional.
consequentemente, colaborar para o Mill ainda lembra que, não podemos perder
entendimento dos fenômenos estudados. de vista os fins da educação proporcionada
através da EaD, trazendo ainda a Pedagogia
Metodologias baseadas em outros métodos
da Libertação de Paulo Freire, ou seja, atingir
de ensino podem ser aliadas à atividade
o maior quantitativo de pessoas,
prática, despertando o estudante para a
proporcionando a elas o contato com o
importância do conhecimento científico, como
conhecimento, preparando-as para o
por exemplo, o uso da dramatização. Valente
exercício da cidadania( Mill,2013),
(1999) sugere que, só existirá mudança

Educação no Século XXI - Volume 7


81

oportunizando-lhes poder de escolha em construção da proposta metodológica ao final


relação aos caminhos que deseje seguir. O do processo.
importante é que as pessoas que constituem
a sociedade contemporânea possam ter livre
arbítrio em relação às suas escolhas, e isso 3. METODOLOGIA
só é possível através da educação, por isso a
CARACTERIZAÇÃO DA PESQUISA
LDB 9394/96 traz em seu artigo 2º que :
Pesquisar é um ato de buscar conhecer o
desconhecido, segundo Gatti(2010), busca-
Art. 2º A educação, dever da Família e do se através da pesquisa ir além do óbvio,
Estado, inspirada nos princípios de estruturar um conhecimento em torno de algo
liberdade e nos ideais da pessoa humana, que, inicialmente o mundo nos apresenta de
tem por finalidade o pleno forma turva. A presente pesquisa apresenta
desenvolvimento do educando, seu uma abordagem qualitativa no sentido em
preparo para o exercício da cidadania e que, segundo Moresi(2003), busca
sua qualificação para o trabalho. (BRASIL, caracterizar a relação entre os sujeitos
1996) envolvidos e uma situação real que é o ensino
mediado por tecnologia. No contexto da
presente pesquisa, pesquisadora e
O uso de recursos tecnológicos no contexto pesquisados são atores do processo e a
da EaD é imprescindível para a efetivação da análise de dados se fará a partir da aplicação
proposta pedagógica. Outro ponto analisado de alguns instrumentos previamente
por Masuetto (2013) é a questão da mediação estabelecidos, como questionário e, entrevista
pedagógica nesse cenário, como o professor orientada. A pesquisa em questão
deve atuar frente às novas situações didáticas caracteriza-se como um estudo de caso. Para
proporcionadas pelo uso da tecnologia no Goode e Hatt(1979), o estudo de caso se
processo pedagógico. Assim cabe nesse estabelece como um método de pesquisa em
momento compreender os processos de que o caráter singular do sujeito é
mediação tecnológica existentes e a atuação preservado, e a análise é feita de modo a
docente nesses processos. buscar relacionar ou induzir os resultados
obtidos para esse sujeito,a outros sujeitos ou
A Mediação por IPTV é um contexto
contextos que guardem as mesmas
tecnológico ainda pouco utilizado e estudado
características, dando mais importância ao
no país. Uma realidade de encontros
processo e ao seu significado, pois o
presenciais, síncronos, mas com mediação
fenômeno em estudo não é passível de
tecnológica, nos quais o docente e os
manipulação.
discentes encontram-se em locais diferentes,
a ação pedagógica é compartilhada com os A partir dos elementos analíticos tratados nos
monitores que se encontram em cada pressupostos teóricos e dos elementos
sala/turma, e a comunicação do docente com metodológicos evidenciados na proposta de
os discentes é feita concomitantemente para sequência didática, serão desenvolvidas as
todas as turmas. fases da pesquisa, que propõe:
Grande parte dos estudos realizados no país 1. A construção de uma sequência
sobre a mediação tecnológica focam em dois didática voltada para o ensino de
contextos: 1) curso à distância, com utilização Física em torno de um determinado
de material didático e orientação instrucional conteúdo, em busca da apropriação
para atividades síncronas mas na maior parte conceitual do citado conteúdo pelos
assíncronas, com tecnologias digitais, e em alunos no contexto da mediação
sua maior parte, em rede web. 2) Tecnologias tecnológica.
como suporte à ação pedagógica presencial, 2. A aplicação desta sequência no
que o docente desenvolve com sua turma de contexto real do ensino por mediação
discentes. O desafio de articular as pesquisas tecnológica, com conteúdos de Física.
e estudos já postos nesses dois contextos, 3. A partir desta intervenção, analisar o
para a realidade da mediação por IPTV, em processo vivenciado, buscando
encontros presenciais síncronos, é foco identificar otimizações e lacunas a
também da investigação deste Projeto de serem tratadas no desenvolvimento da
Pesquisa, e se constitui elemento essencial à citada sequência didática.

Educação no Século XXI - Volume 7


82

4. Após a avaliação da ação interventiva, citados, geram dificuldade de aprendizagem,


propor uma modelagem de aplicação e a busca por novos caminhos metodológicos
de sequências didáticas no âmbito do pode contribuir para o desenvolvimento e a
ensino mediado por tecnologia, com expansão do ensino de ciências no país,
uso de IPTV, para o ensino de Física. contribuindo ainda para a sua popularização
e utilização efetiva como caminho para o
desenvolvimento local.
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Registre-se ainda que se trata de pesquisa
Em fase ainda de desenvolvimento, pode-se
inovadora, posto que as discussões sobre
concluir que a presente pesquisa tem tema
mediação tecnológica produzidas pela
relevante e oportuno, por tratar de
academia, não tratam deste contexto de
proposições e análises para uma modalidade
mediação, constituindo uma lacuna a ser
de ensino que tende a expandir-se pelo seu
preenchida na produção de conhecimento da
valor social, considerando que o ensino
área.
mediado por tecnologia pode trazer
esperança de formação para populações que
se encontram distantes dos centros urbanos,
portanto, com grandes dificuldades em
frequentar a escola na modalidade presencial
constituída nos moldes da educação
tradicional. Além disso, o ensino de ciências é
sempre um desafio, por apresentar muitas leis
e teorias, que, por conta de diversos fatores já

REFERÊNCIAS
[1] Berbel,N.A.S. As metodologias ativas e a Org(s). Educação a distância: desafios
promoção da autonomia de estudantes, semina: contemporâneos. Edufscar, São Carlos, 2013.
ciências sociais e humanas, londrina, v. 32, n. 1, p. [9] Millar, R The Role of practical work in the
25-40, jan./jun. 2011. teaching and learning of science.national academy
[2] Bonadiman, H. A aprendizagem é uma of sciences, washington, dc. 3-4 june 2004.
conquista pessoal do aluno. O aluno como [10] Rosa, w.c; rosa, b.a. Ensino de física:
mediador, oferece condições favoráveis e objetivos e imposições no ensino médio.revista
necessárias para esta caminhada. Unijuì – eletrónica de enseñanza de las ciencias. Vol.4.,
universidade regional do noroeste do estado do rio nº1.,2005.
grande do sul, 2005. [11] Sales, kathia marise b. Cognição em
[3] Bonadiman,h. E Nonenmacher, s. E. B. O ambientes com mediação telemática: uma
gostar e o aprender no ensino de física: uma proposta metodológica para análise cognitiva e da
proposta metodológica.cad. Bras. Ens. De física, difusão social do conhecimento. Tese de
vol 24, nº2, p 194-223, 2007. doutorado. Orientador: dante augusto galeffi,
[4] Fensham, P. Student Interest in Science: universidade federal da bahia, salvador, 2013.
the problem, possible solutions and constraints. [12] Santos, l. M.; barreto filho,o. Estratégias
Goodrum, d. Acer conference papers 2006. comuns às áreas do conhecimento. In: santos, l.m.
[5] Gatti, B. A. A construção da pesquisa em (org) educação básica com intermediação
educação no brasil. Brasília: liber livro, 3ª edição, tecnológica: tendências e práticas. Salvador:fast
2010. design, 2015. Pags 19 a 34.
[6] Laburú, C.E. Arruda. S.m., Nardi. R., [13] Valente, J.A. O papel da Interação e as
Pluralismo Metodológico no Ensino de Diferentes Abordagens Pedagógicas de Educação
Ciências.Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 247- a Distância. In: Mill. D. ; Pimentel, N.M. Org(s).
260, 2003. Educação a distância: desafios contemporâneos.
[7] Lévy, P. Cibercultura. São paulo: ed. 34, Edufscar, são carlos, 2013. Pags 25-41.
1999. [14] Yin r. Estudo de caso: planejamento e
[8] Mill.d. Das Inovações Pedagógicas: métodos. 2a ed. Porto alegre: bookman; 2001.
Considerações sobre o uso de Tecnologias na [15] Ziman, J. Real science: what it is and what
Educação a distância. In: mill. D. ; Pimentel, N.M. it means. Cambridge: cambridge university press,
2000.

Educação no Século XXI - Volume 7


83

Capítulo 12

Joel Peixoto Filho


Carmen Irene Correia de Oliveira

Resumo: Nas últimas décadas, a modalidade de ensino a distância no Brasil


passou por uma forte expansão. Nesse período, a quantidade de cursos e de
matrículas cresceu de forma substancial. Passada esta etapa de expansão, agora,
um grande desafio a ser enfrentado é a qualidade. Quais seriam os aspectos mais
importantes a serem avaliados, no trabalho dos professores e dos tutores, que
influenciam na qualidade do processo de ensino aprendizagem? Quais seriam os
recursos didáticos que mais contribuem para o aprendizado dos alunos? Quais
seriam os recursos tecnológicos mais eficazes? E, por último, qual seria a estrutura
física ideal, em um polo de apoio presencial, para o suporte adequado aos alunos?
Para investir em qualidade, primeiramente, é necessário entender quais são os
fatores que o influenciam. O objetivo deste trabalho é a realização de uma pesquisa
detalhada sobre a contribuição e o peso, de cada um dos atores e dos recursos
típicos da modalidade a distância, para a qualidade geral do ensino. Nesta
pesquisa, o ponto de vista de todos os atores serão confrontados visando a
identificação de possíveis convergências. Os aspectos metodológicos serão
apoiados em técnicas de auxílio multicritério à decisão, mais especificamente o
método AHP (Analytic Hierarchy. Process). O resultado esperado para esta pesquisa é o
desenvolvimento de uma ferramenta de avaliação, composta por um conjunto de
critérios, que devem ser levados em consideração para a avaliação e o
acompanhamento da qualidade dos cursos na modalidade a distância no Brasil.

Palavras-chave: Educação a Distância; Qualidade; EaD; Multicritério à Decisão;


Método AHP.

Educação no Século XXI - Volume 7


84

1. INTRODUÇÃO As tecnologias de informação e comunicação


propiciaram a criação de um ambiente
Os avanços tecnológicos na área de
favorável para o surgimento de iniciativas
Tecnologias da Informação e Comunicação
governamentais visando, sobretudo,
(TIC) vêm possibilitando novas formas de
incentivar a expansão da modalidade a
interação entre as pessoas, facilitando,
distância no Brasil. Um exemplo, foi o decreto
inclusive, a educação. As TIC redimensionam
n° 5.800/2006, que instituiu o Sistema
as relações que, tradicionalmente, se
Universidade Aberta do Brasil - UAB. A
estabeleciam na sala de aula, pois esta
criação da UAB objetivou o desenvolvimento
técnica amplia o conceito de espaço e tempo
da modalidade de educação a distância no
de ensino. Nesse sentido, as TIC podem ser
País, a expansão e interiorização da oferta de
utilizadas para a transformação do ambiente
cursos e programas de educação superior
formal de ensino, possibilitando criar um
(BRASIL, 2006)
espaço em que a produção do conhecimento
aconteça de forma criativa, prazerosa e Dados do Censo da Educação Superior,
colaborativa (MORAN, 2000). pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de
Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio
Segundo Alves (2011) atualmente podem ser
Teixeira - INEP, que compreendeu o período
consideradas as seguintes modalidades de
de 2005 a 2015, apontam um aumento
ensino: presencial e a distância. A primeira é
crescente no número de matrículas em cursos
a comumente utilizada nos cursos regulares,
superiores na modalidade EaD. No último ano
onde professores e alunos encontram-se
da pesquisa, em 2015, os cursos EaD já
sempre em um mesmo local físico. Essa
detinham uma participação de 17,4%,
modalidade é caracterizada com ênfase no
conforme Figura 1, (INEP, 2016).
papel das TICs em seu processo de
mediação, como modo de garantir todos os Após este forte processo de expansão e
processos que envolvem a aprendizagem. consolidação dos cursos EaD no Brasil, um
Destaca-se, também, nessa definição legal, o dos mais importantes desafios a serem
papel de uma equipe de profissionais e a enfrentados pelos gestores das instituições
ideia de aprendizagem em rede (BRASIL, públicas e privadas ofertantes e pelos órgãos
2016). reguladores, é a avaliação e o
acompanhamento da qualidade do ensino. É
Com o aumento na utilização das TIC e da
necessário um maior esforço e investimento
internet, a Educação a Distância (EaD), ou
para a construção de metodologias e
electronic learning (e-learning) na língua
ferramentas didáticas necessárias para a
inglesa, se tornou uma modalidade de ensino
garantia da qualidade nos cursos a distância.
possível e viável tecnicamente. Este modelo
Apesar da já existir uma regulamentação do
de ensino, agora na era digital, passou a ser
Ministério da Educação - MEC para a oferta
gerido eletronicamente (LIMA et al., 2003). De
de cursos superiores a distância, como a
acordo com Painho et al. (2002), o
necessidade de haver uma infraestrutura de
crescimento da EaD está relacionado ao fácil
polo, um corpo docente adequado e um
acesso a computadores, internet e serviços
projeto pedagógico, por outro lado, ainda é
de telecomunicações. Além disso, as
necessária uma maior regulamentação
gerações atuais são mais familiarizadas com
direcionada à oferta de cursos de nível
estas tecnologias e abrem novas
médio/técnico.
possibilidades para a formação dos cidadãos.

Educação no Século XXI - Volume 7


85

Figura 1 - Evolução das matrículas de educação superior de graduação, por modalidade de ensino -
Brasil 2005 - 2015.

Fonte: Inep/Censo da Educação Superior.

Em 2007, a Secretaria de Educação a Para um melhor entendimento sobre


Distância, órgão vinculado ao MEC, lançou o todos estes ou fatores que podem interferir na
documento intitulado "Referenciais da qualidade do ensino a distância no Brasil,
Qualidade para a Educação Superior a propõe-se nesta pesquisa o desenvolvimento
Distância". Este documento, apesar de não ter de uma ferramenta de acompanhamento e
força de lei, é uma importante contribuição avaliação da qualidade na modalidade a
para o direcionamento das ações do poder distância no Brasil, tendo como base o Auxílio
público no que se refere aos processos Multicritério à Decisão (AMD), mais
específicos de regulação, supervisão e especificamente o método AHP (Analytic
avaliação da modalidade citada (MEC, 2007). Hierarchy. Process). Com isso, pretende-se
Importante mencionar quem em 2016 o discutir, redimensionar e colaborar com as
Ministério da Educação, ciente da importância discussões em torno da qualidade das ações
deste documento nos processos de em EaD, por considerarmos fundamental para
credenciamento, renovação, oferta, estruturar a expansão do sistema. Finalmente,
autorização e reconhecimento de cursos EaD, o que trazemos para esse evento é o desenho
instituiu um Grupo de Trabalho (GT) para a desse modelo calcado no AMD, procurando
revisão dos referenciais, cujo resultado evidenciar sua aplicabilidade na EaD.
poderá ser submetido à consulta pública.
(BRASIL, 2016).
2. APRESENTANDO O AUXÍLIO
Apesar desta importante contribuição do
MULTICRITÉRIO À DECISÃO E O MÉTODO
poder público na busca por um melhor
AHP
direcionamento em suas ações, ainda se faz
necessária a realização de pesquisas e a Uma Metodologia Multicritério de Apoio à
construção de ferramentas didáticas Decisão consiste em um conjunto de métodos
necessárias para um melhor entendimento e técnicas para auxiliar ou apoiar pessoas e
sobre a qualidade do ensino nos cursos a organizações a tomarem decisões, sob a
distância. Em primeiro lugar, deve-se influência da multiplicidade de critérios. A
conhecer quais são os aspectos que aplicação de qualquer método de análise
realmente influenciam na qualidade, na visão multicritério pressupõe a necessidade de
dos gestores e dos alunos. É necessário especificação anterior, dos objetivos
entender qual é a real influência dos pretendidos pelo decisor, quando da
professores, tutores, dos gestores, dos comparação de alternativas (BANA; COSTA,
recursos didáticos e tecnológicos para a 1992).
qualidade dos cursos.
A análise das características deste trabalho,
indicam que as técnicas de auxílio

Educação no Século XXI - Volume 7


86

multicritério à decisão, mais especificamente cursos superiores na modalidade a distância


o método AHP, são apropriadas para definir no Brasil, existe uma carência de sistemas de
uma solução robusta neste processo avaliação para o acompanhamento da
decisório. Para Malczewki (1999) apud qualidade. O desenvolvimento de um sistema
Gomes (2002) os problemas multicritério de avaliação da qualidade de ensino,
envolvem seis componentes: justifica-se para subsidiar o poder público
com dados e informações necessários para o
1) Objetivo; fortalecimento dos procedimentos de
2) Decisor(es); regulamentação e para dar maior
transparência sobre a real qualidade dos
3) Conjunto de critérios de decisão; cursos a distância para toda a sociedade.
4) Conjunto de alternativas; A proposta metodológica deste trabalho é
elaborar um modelo de avaliação, composto
5) Conjunto de estados de natureza; por uma matriz ampla de critérios, que
6) Consequências das decisões; ofereça um conjunto de informações para
subsidiar o poder público e as instituições de
ensino, sobre os diversos aspectos que
O objetivo do AHP, método aplicado a este devem ser aprimorados, visando a qualidade
estudo, é a seleção de uma alternativa com dos cursos ofertados.
base em diferentes critérios de avaliação. O Para o desenvolvimento de um modelo de
Método AHP foi proposto por Prof. Thomas L. avaliação e acompanhamento da qualidade
Saaty, no início dos anos 70, sendo dos cursos na modalidade a distância, este
considerado como um dos métodos mais trabalho será apoiado nas técnicas de AMD,
utilizados de AMD. O método se fundamenta mas especificamente no método AHP. Um
na construção de hierarquias e nos dos resultados esperados durante o
julgamentos paritários. Os elementos-chave desenvolvimento desta pesquisa é a
de uma hierarquia para o tratamento de proposição de uma matriz hierárquica que
problemas de decisão são: foco principal - contemple todos os elementos necessários
objetivo geral em estudo; conjunto de para a elaboração desta modelagem (Foco
alternativas viáveis - definição de quais serão Principal, Critérios, Subcritérios e
as opções que serão analisadas à luz dos Alternativas).
critérios definidos; critérios e subcritérios –
universo de atributos, quesitos (GARUTI; Os critérios e subcritérios que compõem esta
SANDOVAL, 2006) que serão avaliados em estrutura hierárquica serão incorporados a
pares de alternativas; construção da este modelo, conforme resultados alcançados
hierarquia - após a definição do problema, é por meio da pesquisa que será realizada
construída a hierarquia que representará toda (Item 3). A figura 2 a seguir, é a proposta
a estruturação do problema. inicial de como será a estrutura hierárquica,
no entanto, é importante ressaltar que esta
poderá ser aprimorada ao longo da pesquisa,
3. APLICANDO O MÉTODO: UMA PROPOSTA uma vez que uma das características
principais do método AHP é a sua
Apesar da existência de um instrumento de flexibilidade.
avaliação para o credenciamento de
instituições de ensino, voltadas à oferta de

Educação no Século XXI - Volume 7


87

Figura 2 - Proposta de Estrutura hierárquica da modelagem.

Fonte: Elaborado pelo autor.

3.1. LEVANTAMENTO DE DADOS 3.1.3 LOGÍSTICA DE COLETA DE DADOS


3.1.1 POPULAÇÃO Os dados serão coletados através da
aplicação de questionários online, com o
A população elegível para o desenvolvimento
auxílio de ferramentas gratuitas tipo "survey".
deste estudo serão os alunos matriculados
Os questionários aplicados serão elaborados
em cursos técnicos e superiores, na
tendo em vista a mensuração do grau de
modalidade EaD, ofertados por instituições de
importância dos aspectos que afetam a
ensino em parceria com a Rede e-Tec Brasil
qualidade de ensino nos cursos EaD, na visão
ou com o Consórcio Cederj, além dos
dos diversos atores e recursos
gestores, professores e tutores. A motivo para
didáticos/tecnológicos que caracterizam a
que esta pesquisa seja implementada com
modalidade a distância. A escala proposta
diferentes populações é a realização de um
para a utilização neste questionário será : 1 -
cruzamento dos dados, visando a obtenção
Importante, 2 - Importante mas não essencial,
de possíveis pontos de convergência sobre
3 - Essencial, 4 - Não sei.
os diversos aspectos que serão levantados
sobre a qualidade no ensino.
3.1.4 ANÁLISE DOS DADOS
3.1.2 AMOSTRA Os dados coletados serão tabulados com o
auxílio do programa Microsoft Excel. O
O tamanho da amostra será calculado
cruzamento e análise dos dados serão
posteriormente, uma vez que será necessário
realizados com o auxílio de um software
a realização de um levantamento sobre o
estatístico a ser escolhido.
quantitativo de alunos matriculados nos
cursos técnicos e superiores, na modalidade
EaD, ofertados por instituições de ensino em
4. PROJEÇÕES
parceria com a Rede e-Tec Brasil e com o
Consórcio Cederj. A expansão da oferta de cursos a distância
no Brasil foi uma importante conquista da
sociedade. Regiões historicamente
prejudicadas pela falta de acesso à

Educação no Século XXI - Volume 7


88

qualificação técnica e ao ensino superior, ferramentas didáticas para a avaliação e o


hoje, são atendidas por uma grande rede de acompanhamento da qualidade dos cursos
polos de apoio presenciais, geridas por EaD. É importante entender quais são os
instituições públicas ou privadas, que ofertam fatores influenciadores da qualidade na visão
uma quantidade considerável de cursos a dos gestores, dos docentes e dos discentes.
distância. Em que medida a estrutura dos polos, os
diversos recursos didáticos e tecnológicos
No entanto, ainda hoje, os cursos a distância
influenciam na qualidade do ensino.
de maneira geral são vistos com um certo
descrédito por uma parcela da sociedade. De Nesse sentido, o desenvolvimento desta
forma equivocada, estes cursos são rotulados pesquisa será uma importante contribuição
como "fáceis", pobre em recursos didáticos e para o fortalecimento da modalidade a
com baixo índice de aprendizado. Parte deste distância no Brasil. Espera-se, que os
preconceito é decorrente do crescimento resultados a serem alcançados no decorrer
acelerado da modalidade a distância nos deste estudo sejam satisfatórios e
últimos anos, sem que ferramentas eficazes determinantes para a construção de uma
para o controle e da qualidade fossem metodologia eficiente para o monitoramento
desenvolvidos e implementados. da qualidade de ensino, tanto em instituições
públicas como privadas.
Para alterar este cenário, é essencial o
desenvolvimento de metodologias e

REFERÊNCIAS 2006/2006/decreto/d5800.htm>. Acesso em: 15 de


abril de 2017.
[1] Alves, Lucineia. Educação a distância: [7] Garuti, C., Sandoval, M. The AHP: A
conceitos e história no Brasil e no Multicriteria Decision Making Methodology for
mundo. Revista Brasileira de Educação a Shiftword Prioritizing. Journal of Systems Science
Distância. V. 10, Ano 2011. and Systems Engineering, vol. 15, n.2, pp. 189-200,
[2] Bana E Costa, C.A. Structuration, 2006.
Construction et Exploitation dún Modèle Multicritère [8] Gomes, L. F. A. M.; Gomes, C. F. S.;
dAide à la Decision, Tese de Doutorado, Almeida, A. T. Tomada de Decisão Gerencial:
Universidade Téc. Lisboa, Portugal, 1992. Enfoque Multicritério. São Paulo: Atlas, 2002.
[3] Brasil. Mec. Resolução CNE/CES n° [9] Inep. Instituto Nacional de Estudos e
1/2016. Disponível em: Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse
<http://portal.mec.gov.br/despesas/323- Estatística da Educação Superior 2015. [online].
secretarias-112877938/orgaos-vinculados- Brasília: Inep, 2016. Disponível em:
82187207/34891-resolucoes-cne-ces-2016>. <http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-
Acesso em: 18 de abril de 2017. sinopse-sinopse>.Acesso em 20 mar. 2017.
[4] Brasil/Mec. Portaria n° 173/2016. [10] Lima, J.R. (2003) e Capitão, Z. (2003). E-
Disponível em: learning e e-conteúdos: Aplicações das teorias
<https://www.capes.gov.br/images/stories/downloa tradicionais e modernas de ensino e aprendizagem
d/legislacao/542016-PORTARIA-N-173-DE-4-DE- à organização e estruturação de e-cursos. Centro
ABRIL-DE-2016.pdf>. Acesso em: 18 de abril de Atlântico. Lisboa.
2017. [11] Malczewki , J. GIS and multicriteria
[5] Brasil/Mec/Seed. Referenciais de decision analysis. New York: John Wiley, 1999.
Qualidade para a Educação Superior a Distância. [12] Moran, J. M. Ensino e aprendizagem
2007. Disponível em: inovadores com tecnologias audiovisuais e
http://portal.mec.gov.br/secretaria-de-educacao-a- telemáticas. In: Moran, J. M; MASETTO, M. M. T.;
distancia-sp-2090341739/legislacao/193- BEHRENS, M.A. Novas Tecnologias em edição
secretarias-112877938/seed-educacao-a- pedagógica. 8ª Ed. Campinas, SP: Papirus, 2000.
distancia-96734370/12777-referenciais-de- [13] Painho M., CABRAL P., PEIXOTO M. and
qualidade-para-ead. Acesso em: 30 ago. 2016. PIRES P., E-teaching and GIS: ISEGI-UNL learning
[6] Brasil. Decreto n° 5.800 de 8 de Junho de experience, EUGISES 2002: Third EuropeanGIS
2006. Disponível em:< Education Seminar, 12-15 Setembro 2002, Girona,
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004- Espanha, 2002.

Educação no Século XXI - Volume 7


89

Capítulo 13
Fabricio Pereira Moreira
Josenilda Pinto Mesquita
Alfredo Eurico Rodrigues Matta

Resumo: O presente artigo relata uma experiência de projeto de pesquisa em


andamento para ensino de história a distância por meio dos jogos de simulação. Esta
experiência é realizada em meio ao componente curricular História da Bahia, com a
temática Independência da Bahia e tem público-alvo os estudantes de duas escolas
públicas da cidade de Salvador-Bahia. A proposta nasceu devido a necessidade de
construção de um mapa digital interativo em 2D, que possibilitasse a participação
ativa/interativa dos estudantes no componente curricular história. O mapa funcionando
em rede apresenta-se como interface digital que será utilizado como referencia
expondo a cidade de Salvador-Bahia durante o século XIX. Utilizamos como base
epistemológica Matta (2013), Mattoso (1978), dentre outros para construção do
contexto independência da Bahia; Cabalero e Matta (2008) para as discussões de
questões fundamentais sobre sociedade em rede e tecnologias da informação e
comunicação (TIC), Jogos Digitais e RPG. Vygotsky (2010), Martineau (1997), para
centrar na proposta pedagógica sócio construtivista, o modo de pensar histórico e suas
características de trabalho cognitivo com o objetivo de construir uma forma sócio
construtivista de trabalho em EaD através dos jogos de simulação. Como proposta
metodológica utilizamos a Design Based Research (DBR), ou metodologia por
“proposta” como melhor seria entendida em português de tradução livre.

Palavras-chave: Mapa; Jogo RPG; Tecnologia; Educação

Educação no Século XXI - Volume 7


90

1. INTRODUÇÃO em 2D para uso em jogos de simulação que


possibilite o ensino-aprendizagem sobre
Sabemos a necessidade de utilização de
Independência da Bahia.
outros meios didáticos para o ensino de
história nas escolas públicas de Salvador- Bahia. Objetivos Específicos: 1) Compreender a história
Desta forma, utilizamos um modelo de jogo Role- da independência da Bahia; 2) Construir um
Playing Game (RPG) que adaptado ao sistema design pedagógico para ensino de história; 3)
online, e tendo base à metodologia sócio Estruturar um modelo de mapa que,
construtivista o estudante tem a possibilidade de funcionando em jogo digital possibilite o
interação com outros estudantes independente ensino do processo de independência da
da localização geográfica. Bahia;
A comunicação educativa entre pessoas
fisicamente distantes possui sua origem no
3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA CONCEITUAL
intercâmbio de mensagens escritas desde a
antiguidade. No Brasil os anos 1990, com a Para fins didáticos, estruturamos o referencial
proliferação da informática e da rede de teórico a partir de três questões norteadoras, a
computadores, e a proliferação da internet, deu saber: 1) Como interpretar o processo
nova dimensão à EaD, tendo em vista tornar histórico de independência da Bahia? 2) Como
possível formar mais pessoas, se entende o ensino/aprendizagem de História
independentemente da reunião física ou para o século XIX, e em meio digital, e em
temporal dos sujeitos potencialmente participes particular de História da Bahia? 3) Que modelo
dos processos de ensino-aprendizagem. de mapa funcionando em jogo RPG poderá
corresponder às definições das questões
Nesta perspectiva em decorrência do
anteriores?
desenvolvimento de um projeto de pesquisa
voltado para a modelagem de um jogo Role- A necessidade de responder as questões vem
Playing Game Digital (RPG) e suas da montagem do contexto histórico da
características de trabalho cognitivo para o independência da Bahia segundo o modelo
ensino de história, chegaram-se a experiências metodológico adotado e os princípios de
que pretendem a construção de ambientes construção dialéticos, que permeiam a proposta
interativos que possam contribuir com o de pesquisa. Além disso, esta primeira questão
trabalho colaborativo, através das diversas alimentará o enredo do jogo e a montagem do
mídias, fugindo assim da individualidade que o mapa digital que será modelado.
ensino tradicional tende a direcionar os sujeitos.
Sabemos que para compreender a
Sendo assim, apresentaremos neste artigo os independência da Bahia, precisamos
resultados iniciais de um projeto em inicialmente nos reportar as relações que foram
andamento e as reflexões que nos levaram a construídas ao longo dos séculos de
construção de um mapa interativo 2D que será colonização, e algo sobre o entendimento dos
utilizado em jogo RPG Digital, que esta em povos e da diversidade cultural de nossos
vias de aplicação próxima, para o ensino da ancestrais. Nossa gente é resultado da junção
independência da Bahia, tema prático pouco de culturas ancestrais fortíssimas, que
explorado também entre os conceitos fundamentaram a formação da população
trabalhados na educação básica do estado da brasileira, e em particular a baiana. Destas
Bahia. Para tal, apresentaremos os objetivos da relações sociais, dinâmicas e em movimento há
pesquisa, referencial teórico, etapas séculos, Mattoso (1978) destaca que Salvador
metodológicas e resultados iniciais. no século XIX apresenta-se com uma
sociedade escravista e hierarquizada com 90%
da população vivendo no limiar da pobreza.
2. OBJETIVOS Neste contexto, destacamos que historicamente
o processo de independência da Bahia veio
Os objetivos traçados foram fundamentados a
antes da independência Brasileira e teve
partir da necessidade de construção de um
grande relevância na consolidação do processo
mapa digital interativo em 2D que possibilite a
de independência do Brasil.
simulação cartográfica da da cidade de
Salvador - Bahia na segunda década do século Os primeiros conflitos, que se iniciaram em
XIX. fevereiro de 1822, nas proximidades do Forte
de São Pedro em pouco tempo se alastraram
Objetivo Geral: Desenvolver um mapa digital
para outras imediações da cidade de Salvador:

Educação no Século XXI - Volume 7


91

Mercês, Praça da Piedade e Campo da Pólvora. partir do universo sócio histórico dos sujeitos,
As forças pró-independência se articularam no estes são agentes no processo de
interior e na cidade de Salvador, e uma série aprendizagem, pois pensam sobre o que fazem,
de batalhas foram travadas em torno do ano de sobre o que acreditam, sobre o que os outros
1822 entre independentes e metropolitanos fazem e este conhecimento empírico é utilizado
tendo um fim em 2 de julho de 1823 quando como mediador no processo de aprendizagem.
as tropas lusitanas foram embora de vez da Porém testaremos os princípios do modo de
capital baiana. Nestes conflitos as tropas pensar histórico, bem como outros princípios
lusitanas enfrentaram ibéricos, negros e pedagógicos sócio construtivo na
indígenas. Compreender a importância das aplicabilidade do Jogo RPG Digital para ensino
batalhas travadas em Salvador e no interior da Independência da Bahia. A análise do
faz-se necessário não só para compreensão ensino de história não será completa, sem que
histórica do fato, mas para o fortalecimento das pensemos que o projeto pretende ser aplicado
relações de pertencimento e engajamento dos em escolas públicas baianas. Sendo assim, a
sujeitos para compreensão da história como terceira pergunta complementa a segunda,
parte integrante do universo sócio histórico de pois esta relacionada aos princípios
todos os sujeitos, enquanto “sujeitos históricos”. pedagógicos construídos.
É fato que estudar a independência ainda é um A terceira questão norteadora complementa o
desafio, pois por mais que seja um tema visitado, nosso diálogo sobre as bases epistemológicas
ainda temos muita coisa a esclarecer. Além de ensino de história e independência da Bahia
disso, sua importância se renova na medida da a partir da construção de mapa digital interativo
atualização dos interesses. A Bahia, em 2D que colabore para o ensino através de
possuidora de pluralidade étnica, com sua utilização como tabuleiro para jogo RPG.
heranças africanas, ibéricas e indígenas, tem
Para isso, as Tecnologias da Informação e
no diálogo sobre a independência a
Comunicação (TIC) demonstra-se como campo
oportunidade do trabalho de conscientização
fértil para produção e difusão de conhecimento.
dos sujeitos sobre nossa construção histórica, e
A proliferação de redes para o
da formação de uma cidadania plural, à qual
compartilhamento de conhecimento e a
somos cada vez mais herdeiros. Uma vez
emergência de ambientes informatizados,
entendendo a parte de levantamento
contribuiu para a criação de uma modalidade
historiográfico da pesquisa, podemos pensar
de educação, a educação online, atendendo
na segunda questão.
aos anseios de um sistema que demandava
A segunda questão nos traz referencial teórico uma sociedade versátil, criativa e flexível,
acerca dos princípios de design pedagógico capaz de conciliar diversas atividades no seu
que serão utilizados no mapa para entender o dia-a-dia com o apoio das Tecnologias. Matta
ensino de história, visto que, a disciplina história (2008) chama a atenção para a funcionalidade
vem se destacando nas escolas públicas de dessas comunidades no processo de
Salvador- Bahia com maior índice de aprendizagem ressaltando sua importância para
reprovação, reflexo da pouca relação existente estimular o raciocínio lógico e o
entre o ensino de história e a realidade prática desenvolvimento de habilidades cognitivas.
do sujeito aprendiz, mesmo com os diversos Pensando estas habilidades propomos a
projetos e leis que buscam uma reestruturação inserção de uma interface lúdica que possa
do currículo e das práticas de ensino. Busca-se contribuir no processo de construção de
com o jogo a possibilidade de um ensino de conhecimento.
história engajado que fortaleça os conceitos
A Construção de um mapa digital que colabore
apreendidos por estudantes da educação
para o desenvolvimento e experimentação de
básica e em especial fortaleça o ensino da
um Jogo RPG, utilizado como ambiente virtual
história da Bahia, entre os estudantes baianos.
de aprendizagem se dará para atender a
Neste caso, o método de raciocínio histórico necessidade de simulação da cidade de
aportado em Martineau (1997) nos parece Salvador na segunda década do século XIX,
adequado para o ensino da história, pois o suas ruas, personalidades, profissões e casa
raciocínio histórico é a questão central da comerciais, entendendo sua relevância como
aprendizagem da história, e da própria mediador da aprendizagem colaborativa. O
natureza do conhecimento histórico. Autores Mapa Digital deverá atender aos princípios das
como Vygotsky (2009) e Matta (2006) questões anteriores (Contexto histórico e
destacam que o conhecimento é construído a princípios pedagógicos), o que resultou na

Educação no Século XXI - Volume 7


92

construção de um mapa interativo em 2D esta uma proposta de pesquisa aplicada, para a


como interface para o ensino de história. qual a DBR foi criada e vem ganhando
notoriedade. Em conformidade com os princípios
Neste contexto o mapa irá auxiliar o Jogo RPG
de aplicação desta proposta metodológica
demonstrando-se como uma interface concreta
dividimos a pesquisa em duas etapas: 1) a
para realização de diálogos acerca de temática
primeira etapa, conforme a DBR, é a
sobre história. O Role-Playing Game (RPG) tem
construção de contexto e fundamentação para
sido objeto de estudo de pesquisas voltadas
a elaboração de uma intervenção prática de
para estabelecer sua funcionalidade como
mapa que será utilizado em Jogo digital RPG;
ferramenta educacional e de construção do
conhecimento. Autores como Cabalero (2008), 2) a segunda consiste na elaboração do mapa
Matta (2008) e Schmidt (2008), através das digital de Salvador da segunda década do
suas pesquisas, buscam associar o potencial século XIX e séries de aplicações
do RPG, e sua variedade de recursos de sistematicamente acompanhadas, com
entretenimento, às questões ligadas a finalidade de desenvolvimento e inovação
educação. “Um role-playing game é um jogo prática social.
situado num mundo imaginário. Os jogadores
Sendo assim, na primeira etapa, desenvolvemos
são livres para escolher como explorar o mundo
uma pesquisa que buscou resposta às questões
do jogo, em termos do caminho escolhido
norteadoras já enunciadas e o amadurecimento
através do mundo, e podem revisitar áreas
do contexto através de pesquisas exploratórias
previamente exploradas.” (CABALERO; MATTA,
a diversas fontes, levantamento documental e
2008. p.7), Ou seja, apresenta-se como uma
historiográfico, entrevistas, validações de
potencialidade para revisitar locais e momentos
modelo, e outras formas a elaborar, que se
históricos, dando oportunidade ao sujeito
refiram às temáticas de independência da
participante de escolher que ações irão tomar
Bahia, ensino de história, mapa digital interativo
diante das aventuras do jogo.
em 2D para jogo RPG, que compõem o estudo.
Desta forma, associaremos o lúdico, da Estas pesquisas tiveram a intenção de atender
interpretação de papeis do jogo ao ensino da aos objetivos já expostos, implicando no
história, oportunizando aos estudantes desenvolvimento dos seguintes resultados
sentirem-se em meio às batalhas da iniciais: 1) Uma interpretação do processo
independência na Bahia, criando estratégias histórico de independência da Bahia; 2) Uma
possíveis para a sobrevivência no jogo ao construção de proposta didático-pedagógica
mesmo tempo em que aprendem acerca do para o ensino de história; 3) Uma proposta de
processo de independência da Bahia, mapa digital para jogo RPG construída a partir
organização geográfica da cidade na das pesquisas desenvolvidas acima;
segunda década do século XIX e o cotidiano
O resultado desta primeira fase foi um conjunto
econômico e social desta época. Desta forma,
de informações e construções capazes de nos
propomos a criação de um modelo de mapa
fazer desenvolver o mapa interativo digital 2D
que possa conduzir os sujeitos participantes da
proposto para a criação do jogo de RPG sobre
pesquisa ao estudo da história da
Independência da Bahia.
independência a partir de elementos práticos e
concretos participantes da história. A segunda fase consiste no desenvolvimento do
mapa digital, para tal utilizamos inicialmente
dois mapas, o primeiro consiste em um mapa
4. METODOLOGIA E RESULTADOS INICIAIS topográfico do ano 1850 produzido por WELL
e GLOCKER (1850), e o segundo um mapa
Diante do exposto acima com relação ao
desenvolvido pelo engenheiro, urbanista e
desenvolvimento da metodologia, apresentamos
historiador, Adolfo Morales de Los Rios em
uma proposta atual e inovadora, que vem
1894, visto que, desconhecemos a existência
sendo utilizada em pesquisas aplicadas com
de um mapa especifico do período de 1820 a
tecnologias da informação e comunicação.
1822. Desta forma foi necessária a realização de
Para a investigação sobre construção de mapa
um design da estrutura de um mapa da cidade
digital para Jogo RPG, utilizaremos a
de Salvador no período da independência da
metodologia Design-Based Research (DBR), ou
Bahia, através do levantamento de mapas de
Metodologia por "Proposta" como melhor seria
outros períodos, somados a documentos da
entendida em português em tradução livre.
época e revisão literatura construída na
Esta proposição metodológica nos parece a
primeira etapa da pesquisa.
mais adequada ao estudo em função de ser

Educação no Século XXI - Volume 7


93

O levantamento do contexto histórico da o objetivo de aproximar o


independência da Bahia possibilitou a georreferenciamento da época. Portando de
identificação das ruas, das atividades informações sobre a cidade, começamos a fazer
comerciais, de profissões, dos pontos onde o trabalho técnico – migrar o mapa do formato
ficavam os negros de ganhos, que existiam no digitalizado para o digital, após o mapa ser
período da Independência. Considerando que a escaneado usando a configuração de 300dpi
cidade de Salvador, de 1822 a 1850 (ano do no formato de joint photographics experts
mapa inicial) passou por mudanças em seu group (jpeg), foi exportado para o Corel Draw
espaço geográfico, visto que, nem todos os X8 e convertido em bitmap a 600dpi (a
lugares encontrados no mapa topográfico 1850 conversão auxiliou na aproximação das
existiam em 1822, foi necessário retirar do edificações sem a total distorção da imagem).
mapa de referencia algumas edificações com

Figura 1 - Mapa da cidade de Salvador - Ba séc. XIX

Fonte: MOREIRA, 2017

Desfrutando do mapa digitalizado, iniciamos o usamos a ferramenta “linha de dois pontos”,


processo de migração para o formato digital – espessura da linha 0,200 mm e as trilhas,
utilizando a ferramenta “mão livre”, espessura caminhos e estradas, ferramenta “linha de
da linha de 0,200 mm no Corel Draw X8, dois pontos” ou “Bézier” espessura da linha
contornamos todo o limite do mapa, os objetos 0,75 mm. o resultado desse trabalho podemos
como: casas, igrejas, fortes, entre outros – identificar na figura 1.

Figura 2 - Ícones do mapa

Educação no Século XXI - Volume 7


94

Figura 3 - Legendas

Fonte: MOREIRA, 2017

O desenvolvimento da migração do mapa para já que o mapa associado ao jogo RPG serve
o digital foi realizado de forma manual, cada como simulação da História e pode reproduzir
objeto foi desenhado individualmente, tendo o situações de discussão e diálogo historiográfico;
mapa topográfico de 1850 como referência 2) Promover ensino-aprendizagem de História
base. Concluída essa primeira etapa de relativa à História da Bahia, em particular da
design do mapa, começamos a nomear as Independência da Bahia, e de forma apropriada
ruas, casas comercias, igrejas, praças, a nossas escolas públicas estaduais; 3)
hospitais, fortificações e feiras da época Contribuir para o desenvolvimento da cidadania
conforme está representado na figura 2. Nem pluricultural baiana, em acordo com a lei
todos os lugares foram nomeados para evitar 10.639/2003 e 11645/08, uma característica de
uma poluição visual, a solução para isso será nossa terra e que pode ser trabalhada por este
respondida na terceira etapa com o auxílio Rios tipo de jogo e organização da aprendizagem
(1894) e as outras fontes supracitadas que
descrevem a cidade no período. A terceira
etapa foi a construção dos ícones que 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS
representam as atividades comerciais tais
Uma pesquisa aplicada é sempre desafiadora,
como: sapataria, alfaiataria, chapelaria, lojas
pois apresenta-se como algo que ainda esta
de roupas, livros, entre outros. Os signos
em teste, pode ou não no popular “dar
criados colaboram para a identificação visual
certo”, e que caso não ocorra como
no mapa já no formato digital. Cada signo
organizada metodologicamente será explicado
possui uma legenda conforme podemos
os porquês e seus detalhes. Neste momento
identificar na figura 3. A quarta etapa será de
estamos em análise dos resultados iniciais da
identificar as dez freguesias da cidade de
pesquisa e construção do mapa digital interativo
Salvador e sua área. Essas freguesias serão
em 2D, visto que este artigo reflete a
identificadas no mapa através um desenho
experiência de um projeto em andamento de
contornando sua região e com cor diferente da
construção de um mapa de jogo que
área do mapa. Esse processo desencadeara
funcionando em rede possibilite a construção e
na construção de um mapa para o cenário de
ampliação de habilidades cognitivas dos sujeitos
jogo em RPG sobre o processo de
participantes da pesquisa. A escolha da
independência da Bahia.
abordagem metodológica que irá acompanhar o
Nosso próximo momento consiste em, tendo experimento acaba sendo um divisor de águas
desenvolvido o mapa, inseri-lo no jogo RPGD quando os primeiros resultados desenharem-se
e proceder na elaboração de uma série de na pesquisa. Inicialmente conseguimos construir
aplicações, nas quais variáveis dependentes e uma interpretação histórica sobre a
independentes serão acompanhadas e o mapa independência da Bahia, visto que, alguns
investigado quando à sua capacidade de: 1) elementos são primordiais: o enredo, o roteiro, a
Prover a historiografia de mais uma linguagem história, os personagens e o cenário, este último
de estudo e avanço de conhecimento histórico, está representado através de um mapa digital

Educação no Século XXI - Volume 7


95

que obedeça ao espaço geográfico existente sempre uma “caixa de surpresas”.


naquela época, colaborando também para a
De posse destes elementos evidencia-se que
modelagem do enredo e das campanhas do
a proposta gerou frutos tanto para os
jogo.
pesquisadores, quanto para os sujeitos
Neste estudo utilizamos a praxiologia como participantes da pesquisa e esperamos que
metodologia e esta nos conduziu a realização tenham desdobramentos, pois pretendemos a
das adaptações necessárias, seu registro e realização de adaptações no mapa digital
consequências, tendo o cuidado de identificar e através de novas pesquisas, na intenção de
apresentar o passo a passo da experiência, as contribuir para o ensino da história e para a
dificuldades, estratégias e avanços necessários historiografia.
para a execução do projeto, pois a pesquisa é

REFERÊNCIAS [4] Martineau, Robert. L’Echec de l’apprentissage


de la pensée historique á l’école secondaile.
[1] Cabalero, Sueli da Silva Xavier. RPG By Contribuition á l’elaboration de fondaments
Moodle. SEC_Bahia. Salvador, 2008. CABALERO, didatiques pour enseigner l’Historie. Laval: Quebec,
Sueli da Silva Xavier e MATTA, Alfredo Eurico 1997.
Rodrigues. O jogo RPG [5] Mattoso, Kátia M. de Queirós. Bahia: A
[2] Digital na mediação da aprendizagem da cidade do Salvador e seu mercado no século XIX. São
escrita nas séries iniciais. UNEB: SENAI CIMATEC, Paulo: Hucitec, 1978.
Salvador, Maio, 2008. [6] Matta, Alfredo Eurico Rodrigues. Tecnologias
[3] Guerra Filho, Sérgio Armando Diniz. O Povo e de Aprendizagem em Rede e Ensino de História –
a Guerra: participação das camadas populares nas utilizando comunidades de aprendizagem e
lutas pela independência da Bahia. hipercomposição. Brasília: Líber, 2006.
2004.(Dissertação de Mestrado em História) [7] Vygotsky, Lev Semenovich. A construção do
Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins
2004. Fontes, 2009.

Educação no Século XXI - Volume 7


96

Capítulo 14

Letícia Machado dos Santos


Helisângela Acris Borges de Araújo
Osvaldo Barreto Filho

Resumo O Programa Estruturante Ensino Médio com Intermediação Tecnológica


(EMITec) apresenta relevância acadêmica e de impacto para o contexto social e
científico principalmente por atuar na etapa final da educação básica e pelas inúmeras
dificuldades dos estados de grande territorialidade, a exemplo da Bahia para suprir
carências de Unidades Escolares, além de déficit de profissionais com formação
especifica para atuarem nas diversas áreas de ensino. Assim, este capítulo tem como
objetivo geral apresentar o Programa EMITec, seus pressupostos tecnológicos,
metodológicos e pedagógicos e seus resultados. O mesmo foi implantado na Rede
Estadual de Educação do Estado da Bahia, pela Secretaria Estadual da Educação.
Desta forma, a estratégia adotada pelo EMITec, para além da perspectiva de transpor a
barreira da distância à educação, propicia também a inclusão digital a profissionais e a
estudantes da zona rural do Estado da Bahia. Através desta iniciativa, a Secretaria da
Educação do Estado da Bahia garante a democratização do acesso, inclusão,
permanência e a conclusão dos estudos por jovens e adultos de municípios do Estado
que não ofereciam a etapa final da Educação Básica. Assim, assegura-se a estes
cidadãos o direito à Educação pública e gratuita, como predita a Constituição Brasileira
(Brasil, 1988) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN Nº 9394/96).
Constata-se que o docente vinculado a esse Programa deve ter uma prática
transformadora, não se limitando a fornecer apenas informações. A ele cabe o papel de
mediador das diversas interações ocorridas entre docentes-alunos-computador. Conclui-
se que o EMITec, cujo foco de atenção está nas necessidades, expectativas e desejos
dos estudantes, impacta na melhoria de vida da população, constituindo-se numa
alternativa viável de conclusão da educação básica.

Palavras-Chave: Educação Básica. Ensino Médio. Intermediação Tecnológica.


Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

Educação no Século XXI - Volume 7


97

1. INTRODUÇÃO certificada como tecnologia social inovadora,


permite que, em diferentes espaços, estudantes
A Bahia tem a maior população rural do país,
e professores interajam em tempo real, com
concentrando mais de 3,7 milhões de habitantes
aulas ao vivo diariamente, construindo
(26,1%). Com o Ensino Médio com Intermediação
conhecimentos e elucidando dúvidas em cada
Tecnológica (EMITec), a Secretaria da Educação
um dos componentes curriculares que compõem
do Estado assegura o acesso ao Ensino Médio a
o currículo do ensino médio.
estudantes da zona rural e de áreas remotas.
Desta forma, a estratégia adotada pelo EMITec,
O EMITec, foi criado em 2010 no Estado da
para além da perspectiva de transpor a barreira
Bahia, por meio da Secretaria da Educação, para
da distância, propicia também a inclusão digital
atender a três vertentes desafiadoras da
a profissionais e a estudantes de localidades
educação baiana: a extensão territorial (417
carentes do Estado da Bahia. Através desta
municípios), a carência de docentes habilitados
iniciativa, a Secretaria da Educação do Estado
para atuarem em toda a extensão territorial desse
da Bahia garante a democratização do acesso,
grande estado brasileiro, e atenuar as
inclusão, permanência, e a conclusão dos
desigualdades socioculturais no Estado, com o
estudos por jovens e adultos de municípios do
intuito de auxiliar na construção da cidadania.
Estado que não ofereciam a etapa final da
Desta forma, o EMITec tem como objetivo
Educação Básica. Assim, assegura-se a estes
principal promover o ensino médio de qualidade
cidadãos o direito à Educação pública e gratuita,
a estudantes pertencentes a localidades
como predita a Constituição Brasileira (BRASIL,
longínquas de todo o estado da Bahia atendendo
1988) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação
assim comunidades quilombolas e indígenas,
Nacional (LDBEN Nº 9394/96), fazendo uso das
população presidiária e da zona rural.
Tecnologias de Informação e Comunicação
O EMITec aqui apresentado, encontra-se em (TIC).
coerência com os objetivos da Política Nacional
Segundo Rabelo (2006, p. 75), a utilização das
de Desenvolvimento Regional (PNDR). Para isso
Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)
busca atenuar as desigualdades regionais
possibilita: “[...] não só o atendimento a grandes
valorizando os recursos naturais, as
contingentes de alunos, dispersos
especificidades culturais, sociais, econômicas e
geograficamente, mas também a igualdade de
ambientais. Procurando criar condições mais
oportunidades educativas e, consequentemente,
justas, promovendo acesso à educação pública
a inclusão social.”. Assim, com uso dos recursos
de qualidade em todo o território da zona rural
tecnológicos voltados para a educação, os
baiana, reduzindo dessa forma as desigualdades
sistemas educativos podem atingir um de seus
de oportunidades vinculadas ao local de
objetivos sociais, que é reduzir a vulnerabilidade
nascimento e moradia, a partir do aumento do
social dos jovens, a fim de romper o círculo da
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) destas
pobreza e da exclusão. Desta forma, o EMITec,
localidades.
que tem como propósito ir até onde o aluno está,
busca dinamizar e garantir o processo de
formação e conclusão da etapa final da
2. CONHECENDO O ENSINO MÉDIO COM
educação básica, de forma a atender as
INTERMEDIAÇÃO TECNOLÓGICA COMO
demandas da sociedade. Diante do exposto,
FERRAMENTA INOVADORA NA EDUCAÇÃO
convidamos você para conhecer um pouco mais
BÁSICA
do funcionamento, estrutura e legislação que
O EMITec se constitui em uma alternativa ampara esta modalidade educativa ao longo
pedagógica inovadora para atender há três deste capítulo.
vertentes desafiadoras da educação baiana: a
extensão territorial do Estado, constituído por 417
municípios, a carência de docentes habilitados 3. PRESSUPOSTOS TECNOLÓGICOS,
em diferentes componentes curriculares, METODOLÓGICOS E PEDAGÓGICOS
sobretudo em localidades longínquas, e a
As estratégias inovadoras implementadas pelo
necessidade de articular o que acontece no
corpo pedagógico do EMITec têm exigido maior
mundo com os acontecimentos regionais e locais
comprometimento e autonomia dos discentes,
desses espaços. Acreditamos que tais desafios
além do uso consciente e eficiente de estratégias
podem ter, na educação com intermediação
que lhes permitam a utilização de recursos
tecnológica, um meio auxiliar de indiscutível
tecnológicos. Para que essa prática educativa
eficácia. Dessa forma, essa solução tecnológica,
possa ser vivenciada, tanto pelo educador

Educação no Século XXI - Volume 7


98

quanto pelo educando, torna-se necessário um teleaulas, potencializando os espaços


conhecimento maior do uso da intermediação presenciais existentes na zona rural e áreas
tecnológica no processo educacional e, portanto, remotas do interior baiano, a partir de uma
o desenvolvimento de habilidades para o uso linguagem digital, que inclui recursos como
competente do computador. videoconferência. As teleaulas são presenciais,
transmitidas, via satélite, em tempo real, a partir
Do ponto de vista do uso dos recursos
de três estúdios instalados no Instituto Anísio
tecnológicos na educação, esse vem realizando
Teixeira (IAT/SEC/BA). Dessa forma, essa
o que já é defendido por diversos autores, a
solução tecnológica permite que, em diferentes
exemplo de Santos (2008), que, em sua
espaços, estudantes e professores interajam em
Dissertação de Mestrado, manifesta-se em favor
tempo real, possibilitando a construção do
das inúmeras possibilidades de uso positivo dos
conhecimento e a elucidação de dúvidas em
recursos tecnológicos na educação, não apenas
cada uma das teleaulas dos diferentes
como oportunidade de acesso ao Ensino
componentes disciplinares que compõem o
Superior, mas como auxiliar dos sistemas
currículo do ensino médio. Cada sala de aula
educativos para atingir um de seus objetivos
presencial conta com a presença de um
sociais, que é reduzir a vulnerabilidade social
professor mediador que motiva e acompanha o
dos jovens, a fim de romper o círculo da pobreza
desenvolvimento das atividades, além da
e da exclusão.
frequência, e estimula os estudantes para que
Na sequência apresentamos alguns dos sejam sujeitos conscientes e com autonomia
pressupostos tecnológicos, metodológicos e social.
pedagógicos que reguem esta modalidade
Para que as teleaulas sejam recebidas em tempo
educacional.
real, as salas associadas ao EMITec devem ser
equipadas com Antena VSAT bidirecional,
roteador-receptor de satélite, cabeamento
4. PRESSUPOSTOS TECNOLÓGICOS
estruturado (LAN), microcomputador, webcam
O EMITec é uma alternativa pedagógica com uso com microfone embutido, TV LCD 40 polegadas,
da intermediação tecnológica por meio do no mínimo ou datashow, impressora a laser, no-
software IPTV (Internet Protocol Television) break e acesso à Internet em banda larga via
possibilitando a interatividade dos estudantes satélite.
com professores especialistas durante as

Figura 1. Esquema de transmissão de videoaulas

Fonte: Autoria própria, 2017

Educação no Século XXI - Volume 7


99

Outro recurso tecnológico usado nesta e outros de interesse geral – didático e formação
modalidade de educação é a Plataforma Moodle, de professores, além de produções discentes.
que constitui o Ambiente Virtual de
Aprendizagem (AVA), de fácil manuseio,
5. PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS E
destinado a oferecer suporte teórico e
PEDAGÓGICOS
metodológico aos professores mediadores, bem
como para socializar as produções educativas Metodologicamente, o EMITec ocorre através da
dos estudantes. Sua estrutura é composta de utilização de multimeios: os professores
diretórios de acesso, nos quais são postadas as especialistas, presentes em uma sala/estúdio,
videoaulas após serem transmitidas ao vivo, localizada em Salvador, desenvolvem suas
informações administrativas e pedagógicas, atividades pedagógicas no preparo e exibição
legislação educacional, material de ensino – das aulas ao vivo diariamente, além das
vídeo, áudio, slides, textos, livros, revistas, jornais orientações para os professores mediadores.

Figura 2. Transmissão da teleaula em uma sala/estúdio

Fonte: Autoria própria, 2017

Os educandos, em salas de aula/espaços de especialista, posicionando-se diante de uma


construção da aprendizagem, localizadas em câmera nas respectivas salas de aula, com
suas comunidades nos vários municípios transmissão de imagem, voz e dados, resultando
baianos, assistem as teleaulas e são orientados em um diálogo efetivo, que garante a completa
por um mediador ou tutor. Assim, conectados comunicação em tempo real entre educandos,
com o estúdio, podem interagir com o professor professores especialistas e mediadores no
processo de ensino e aprendizagem.

Educação no Século XXI - Volume 7


100

Figura 3. Estudantes em salas de aula assistindo a transmissão das aulas em tempo real

Fonte: Autoria própria, 2017.

Tal metodologia estimula a construção do mais positivas, [...] leva a um grau elevado de
conhecimento, mediante o trabalho investigativo, realização, [...] desempenha um papel
cooperativo e de integração de grupos, criando fundamental no aprendizado, na retenção e
um ambiente propício e incentivador da nas percepções gerais do aluno em relação à
criatividade e aprendizagem. Nesse processo, a eficácia do curso e do professor e que
(re)significação de conceitos e a consequente ambientes interativos são propícios para a
construção do conhecimento poderá ocorrer de aprendizagem e satisfação do aluno.
forma interativa, promovendo o que Ausubel
(1978) considera de aprendizagem significativa
que é aquela que "[...] acontece quando uma Para que esta interação possa ocorrer os
informação nova é adquirida mediante um espaços educativos são munidos de no mínimo
esforço deliberado por parte do aprendiz em um computador, compondo um ambiente
ligar a informação nova com conceitos ou interativo, capaz de operar em chats públicos e
proposições relevantes preexistentes em sua privados, blogs, fóruns, acesso a programas em
estrutura cognitiva [...].” (AUSUBEL et al., 1978, rede e do tipo Wiki e Twiki, e-mails, além da
p. 159). possibilidade de rever aulas, permitindo a
interação dos educandos entre si, dos
Essa metodologia exigirá do professor
educandos e mediadores, e dos mediadores
especialista uma prática docente diferenciada,
com os especialistas, tanto para esclarecimentos
compatível com o uso contínuo dos diversos
de dúvidas como para organização de projetos e
recursos tecnológicos a seu dispor, uma vez que
divulgação de atividades decorrentes do
se instaura uma nova situação escolar,
processo pedagógico nos espaços educativos.
caracterizada pelo distanciamento físico entre
professores especialistas e estudantes, mas que Os momentos destinados aos exercícios
possibilita a interação em tempo real. Segundo propostos pelos professores especialistas são
Mattar (2012, p. 49) no processo de ensino e orientados pelos mediadores, que têm a função
aprendizagem a interação: de mediar às atividades desenvolvidas pelos
estudantes na construção do conhecimento,
criando condições para que esses participem de
[...] é o elemento-chave na educação, que um estratégias facilitadoras da aprendizagem.
nível elevado de interação resulta em atitudes

Educação no Século XXI - Volume 7


101

A carga horária total dos três anos do ensino quando os professores adquirirem a confiança e
médio proposta por esta modalidade de conhecimento quanto ao uso de aulas de
educação em estudo é de 3.000 horas/aula videostreaming ao vivo irá fazer uma diferença
distribuídas nas três séries do curso. O horário significativa neste domínio por explorar o poder
das aulas encontra-se estruturado em tempos de de streaming de vídeo no cenário educacional.
aprendizagem que compreendem o período em
Assim, a exposição do conteúdo é realizada
que os educandos estão efetivamente nos
através do professor especialista com recepção
espaços educativos, com aulas presenciais
de dúvidas com uso do chat, pelo professor
diárias e durante toda a semana, organizados em
assistente que faz uma seleção e as encaminha
três tempos de aulas, divididos em três
ao professor de vídeo. Estas dúvidas são
momentos: exposição, produção e interatividade.
direcionadas pelo mediador em atendimento as
Por todas essas características é classificado
solicitações dos estudantes durante as teleaulas
como ensino médio regular, presencial com
em tempo real. Após a exposição de conteúdo o
intermediação tecnológica.
professor especialista apresenta uma atividade
de produção para ser realizada pelo estudante
com a condução do mediador, presencialmente.
6. O PROCESSO DE PREPARAÇÃO DA
TELEAULA Após o momento de exposição e produção,
ocorre outro momento de interação em tempo
A preparação da teleaula perpassa por uma
real entre os estudantes e o professor
intensa pesquisa entre os coordenadores
especialista através do uso da webcam,
pedagógicos e equipe de professores durante os
microfone e o IPTV instalados em todas as salas.
encontros pedagógicos quinzenais para
planejamento das teleaulas e atividades
disciplinares e interdisciplinares. Neste momento
8. ELABORAÇÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DO
ocorre a seleção e produção de recursos
MATERIAL DE APOIO AO MEDIADOR E
audiovisuais para uso durante as teleaulas, e
ESTUDANTES
posterior construção da sequência didática
destas aulas. Toda teleaula deve, A construção do material de suporte ao trabalho
obrigatoriamente, apresentar: um recurso do mediador é realizada de forma disciplinar e
audiovisual, uma questão contextualizada no por unidade letiva, sendo composto por: plano
modelo das questões do Exame Nacional do de unidade, plano de aula para o mediador
Ensino Médio (ENEM), retomada da aula anterior acompanhar as atividades realizadas, material
como momento de revisão e uma atividade de de apoio (módulo), lista de exercícios, a
produção para o aluno. sequencia de slides de cada aula/disciplina e
roteiro de atividade teórico/práticas por unidade
As teleaulas interdisciplinares requerem a
letiva. Todo este material é disponibilizado no
reunião dos docentes envolvidos no tema
Ambiente Virtual do EMITec.
transversal da unidade letiva. Este último é
definido através de reunião pedagógica entre os O material de apoio do aluno é enviado por meio
coordenadores pedagógicos e professores, impresso para que os mesmos possam
antes de iniciar o ano letivo e após pesquisa acompanhar as teleaulas, porém isto não
realizada entre os mediadores e estudantes. inviabiliza a utilização do livro didático que
também é recebido pelos alunos.
Todas as produções realizadas pelos estudantes
7. O PROCESSO DE TRANSMISSÃO DA
durante o desenvolvimento das atividades
TELEAULA EM STREAMING DE VÍDEO
dirigidas de cada unidade são disponibilizadas
O streaming de vídeo ou videostreaming ao vivo por meio de blogs das turmas, assim como no
consiste em um meio interativo e eficaz, que vem Ambiente Virtual do EMITec.
demonstrando um impacto maior sobre os alunos
do que a forma tradicional de produção de
9.RESULTADOS PARCIAIS DO EMITEC
conhecimento. Seu uso permite com que toda
ação do professor seja socializada em tempo Segundo Levy (2001) é de suma importância
real, pressupondo a interação e a troca do considerar que o desenvolvimento das
conhecimento como processo do aprendizado, tecnologias digitais e a profusão das redes
superando as dificuldades do aluno com o interativas colocam a humanidade diante de um
conteúdo ministrado (SILVA; SANTOS; caminho sem volta: já não somos como antes. As
MACHADO, 2010). Segundo Lipman (2009), práticas, atitudes, modos de pensamento e

Educação no Século XXI - Volume 7


102

valores estão, cada vez mais, sendo aprender, fazendo uso da intermediação
condicionados pelo novo espaço de tecnológica.
comunicação que surge da interconexão mundial
Pode-se considerar que o objetivo do EMITec foi
dos computadores: o ciberespaço. Com este
alcançado, principalmente, ao verificar o
panorama e as estratégias de ensino e
quantitativo de alunos matriculados entre os anos
aprendizagem adotadas pelo EMITec possibilita-
de 2011 e 2015, que passou de 13.756 para
nos afirmar que os estudantes da zona rural do
19.098. Nestes mesmos anos, o número de
Estado da Bahia adaptou-se e teve boa
concluintes do Ensino Médio passou de 3.581
recepção desta nova forma de se ensinar e
para 4.992 alunos.

Figura 4. Distribuição do EMITec no Estado da Bahia

Fonte: EMITEC/SEC/BA, 2017.

Os resultados também são explicitados por meio BA, que conquistou o segundo lugar da
dos depoimentos e relatos de satisfação dos Olimpíada Brasileira de Física e o segundo lugar
estudantes: “Acho que o ensino na escola da Olimpíada Estadual de Física. Sendo motivo
avançou muito com essa tecnologia. Na sala de de orgulho para o EMITec e toda comunidade.
aula, a gente tem os computadores e os
Mais uma conquista, muito importante, do
mediadores que ficam para tirar as nossas
EMITec foi a inclusão dos detentos do Conjunto
dúvidas. Isso ajuda a aprender. Tudo melhorou e
Penal de Serrinha, localizado à 191 quilômetros
ficou muito mais motivante.” (Romário Lima, 15
de Salvador, que hoje estão cursando o Ensino
anos, estudante do 1º ano do Colégio Estadual
Médio com Intermediação Tecnológica. A
Joaquim Inácio de Carvalho, em Irará-BA).
iniciativa, que visa contribuir com a formação
Ainda no fluxo dos resultados, já é possível educacional e ressocialização do interno, é uma
observar os frutos da iniciativa na vida dos parceria da Secretaria da Educação com a
estudantes ao identificar na localidade rural de direção da instituição, a coordenação
Parateca – Malhada/BA, a estudante Luzimar pedagógica da Reviver, Administração Prisional
Almeida Pessoa, concluinte da turma de 2011, a Privada e a prefeitura de Serrinha.
qual constitui a prova concreta, dentre outras, da
efetivação do Ensino Médio com Intermediação
Tecnológica ao ser aprovada no vestibular 2012 10. CONSIDERAÇÕES FINAIS
da Universidade Estadual da Bahia (UNEB).
Os dados aqui apresentados permite-nos afirmar
Outro excelente exemplo a ser citado é o aluno que o Ensino Médio com Intermediação
Felipe Ferreira da Silva, que mora na localidade Tecnológica (EMITec) desenvolve uma práxis
de Barreiras do município de Itaguaçu da Bahia- progressista e dispõe-se a contribuir, enquanto

Educação no Século XXI - Volume 7


103

agente de transformação social, de forma Concluímos que o EMITec se constitui em uma


concreta na intervenção da realidade destes política pública estadual voltada para a
estudantes atendidos na zona rural do estado da educação que impacta na melhoria de vida da
Bahia. É uma ação social de elevado custo população, constituindo-se numa alternativa
tecnológico e importância, tendo como finalidade viável de formação para aqueles que encontram
erradicar a falta de oportunidade de acesso ao nessa modalidade um ensino voltado a suas
ensino médio, uma vez que considerável parte necessidades, expectativas e desejos. Desse
da população da zona rural baiana ainda não modo, o EMITec apresenta vem proporcionando
tem escola desse nível de ensino. Ao entender maior desenvolvimento humano regional,
que o computador e a internet são instrumentos consequentemente, melhor qualidade de vida à
culturais que estabelecem relação dialética entre população menos favorecida do interior do
os sujeitos, proporcionando aprendizagem, o Estado da Bahia, podendo ser utilizado como
EMITec possibilita que tais avanços façam parte modelo de educação de qualidade pela
do ambiente educacional, levando todos os Secretaria de Educação de outros estados do
membros envolvidos no processo, sejam eles território brasileiro.
extra ou intraescolares, a se envolverem para
promover uma educação em conformidade com
seu tempo.

REFERENCIAS [8] Mattar, João. Tutoria e interação em


Educação a Distância. São Paulo: Cengage Learning,
[1] Ausubel. D. P.; Novak, J. D.; Hanesian, H. 2012.
Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Editora [9] Rabelo, Patrícia Fraga Rocha. Panorama atual
Interamerica, 1978. da educação superior a distância no Brasil. In: Rocha,
[2] Bahia. Secretaria de Educação do Estado da Nívea Maria Fraga (Org.). Educação, desenvolvimento
Bahia. IP.TV - Estúdio 1 ,2 e 3, Salvador, 2011. humano e responsabilidade social: fazendo recortes
[3] Brasil. Conselho Nacional de Educação. na multidisciplinaridade. Salvador: Os autores, 2006.
Câmara de Educação Básica. Resolução nº 4, de 13 p. 57-80.
de julho de 2010. Define diretrizes curriculares [10] Santos, Letícia Machado dos. Licenciatura em
nacionais gerais para a educação básica. Brasília, Biologia: impactos de um curso a distância para os
2010. estudantes nos planos pessoal e profissional. 2008.
[4] ______. Constituição da República Federativa 160 f. Dissertação (Mestrado Profissional
do Brasil. Brasília, 1988b. Multidisciplinar em Desenvolvimento Humano e
[5] ______. Ministério da Educação. Secretaria de Responsabilidade Social) – Centro de Pós-Graduação
Educação Básica. Dados do censo escolar de 2007. e Pesquisa Visconde de Cairu, Fundação Visconde de
Brasília, 2007. Disponível em: . Acesso em: 28 maio Cairu, 2008.
2011. [11] ______. Educação Básica com Intermediação
[6] ______. Presidência da República. Casa Civil. Tecnológica: tendências e práticas. Salvador: Fast
Lei n° 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Design, 2012, Vol. I.
Estabelece as diretrizes e bases da educação [12] Silva, Cezar Roberto Sarly. SANTOS, Letícia
nacional. Brasília, 1996. Disponível em: . Acesso em: M. Machado, Patrícia Matos. O papel do professor em
18 maio 2011. Educação a Distância: uma abordagem centrada no
[7] Lipman, Steve. Streaming de Vídeo: Seu uso das aulas de videostreaming. In: SANTOS, Letícia
Impacto No Sistema Educacional. M. dos (Org). Estratégias de Ensino e Aprendizagem
http://www.artigonal.com/marketing-artigos/streaming- em EAD: tendências e práticas atuais. Salvador: Fast
de-video-seu-impacto-no-sistema-educacional- Design, 2010, Vol. I.
1467602.html, 2009. Acesso em jun. 2014.

Educação no Século XXI - Volume 7


104

Capítulo 15

Rosita Félix Delmondes


Renê Dettenborn
Telma Reijane Pinheiro da Costa
Marcelo Lisboa
David Nadler Prata
Danielle Félix Delmondes Figueirêdo

Resumo: Maturidade de competências de professores é algo muito discutido no


meio acadêmico e educacional. Mas, quando se pensa na maturidade de
competências na área de tecnologias educacionais, a necessidade de discutir o
tema se torna ainda mais imprescindível. Apesar das tecnologias terem avançado,
o seu uso na educação, se configura como tema que precisa ser estudado para
obtenção de estratégias que promovam a sua utilização pedagogicamente, bem
como, para a formação continuada dos professores. Este trabalho tem como
objetivo investigar o grau de maturidade de professores da educação básica nas
competências em tecnologias aplicadas à educação segundo diretrizes da
UNESCO, considerando as mudanças quanto às novas metodologias nas
modalidades de ensino presencial e a distância nas seguintes abordagens: 1-
Alfabetização tecnológica; 2-Aprofundamento do conhecimento e 3-Criação do
conhecimento. Os dados foram colhidos por meio de formulário eletrônico
disponibilizado no Sistema de Gerenciamento escolar da Secretaria de Estado da
Educação, Juventude e Esportes do Tocantins. Esses dados foram analisados por
meio de um software de análise, com o intuito de mensurar o grau de maturidade
de professores da educação básica do Tocantins em relação a competências em
tecnologias. Constatou-se, com os resultados obtidos, que em todas as
abordagens existem lacunas de conhecimento, ainda observou-se que, para que
os professores possam ter competências para estudar e atuar na modalidade EAD,
é necessário desenvolverem competências da abordagem 1, requisitos para
alunos, da abordagem 2, requisitos para tutor, da abordagem 3, requisitos para
professor conteudista ou designer instrucional. Assim sendo, o resultado dessa
pesquisa poderá ser uma base para criação de estratégias para suprir essas
lacunas.

Palavras-chave: padrões de competências, TIC, professores, UNESCO

Educação no Século XXI - Volume 7


105

1 INTRODUÇÃO cursos mudou consideravelmente, tanto em


instituições públicas quanto em privadas, no
A evolução tecnológica tem dado suporte
que se refere à modalidade.
considerável para o avanço nas diferentes
fases da história da humanidade. Em cada No contexto dessas mudanças que ocorrem
período desse processo evolutivo, a no modo como as pessoas buscam o
tecnologia tem interferido e contribuído na aperfeiçoamento profissional, é que o novo
socialização de saberes da humanidade, para decreto 9.057 de maio de 2017 que
o desenvolvimento da educação e da saúde, regulamenta a Educação a Distância no
da indústria e do comércio, bem como, para Brasil, surge buscando desburocratizar o
uma melhor convivência em sociedade e, processo de credenciamento e
consequentemente, tornou-se um facilitador recredenciamento para oferta de cursos na
para a realização das atividades do dia a dia. modalidade educacional EAD, dando mais
autonomia às instituições. Estas por sua vez,
No contexto educacional, em especial para os
atentas às transformações pelas quais a
professores, percebe-se que, em razão das
sociedade passa, procuram alterar o seu
rápidas mudanças pelas quais o mundo tem
modelo curricular, ora mantendo um trabalho
passado no âmbito da Tecnologia da
de forma disciplinar, inserindo algumas
Informação e Comunicação (TIC), é
metodologias que o aluno é protagonista.
necessário conhecimentos específicos,
Dentro dessa conjuntura, a UNESCO elaborou
habilidades e competências que, em geral,
diretrizes para fomentar discussões a respeito
esses profissionais não possuem. Segundo os
da formação de professores quanto ao uso
Padrões de Competências em TIC para
das novas tecnologias em sala de aula, sendo
professores, definidos pela UNESCO (2009):
esse o objetivo principal do projeto Padrões
Para viver, aprender e trabalhar bem em uma de Competência em TIC para Professores,
sociedade cada vez mais complexa, rica em cuja versão em português foi elaborada em
informação e baseada em conhecimento, os parceria com a Microsoft Brasil. Segundo a
alunos e professores devem usar a tecnologia UNESCO (2009):
de forma efetiva, pois em um ambiente
educacional qualificado, a tecnologia pode
permitir que os alunos se tornem: usuários O objetivo geral do projeto não se restringe
qualificados das tecnologias da informação; a melhorar a prática docente, mas também
pessoas que buscam, analisam e avaliam a fazê-lo de forma a contribuir para um
informação; solucionadores de problemas e sistema de ensino de maior qualidade que
tomadores de decisões; usuários criativos e possa, por sua vez, produzir cidadãos
efetivos de ferramentas de produtividade; mais informados e uma força de trabalho
comunicadores, colaboradores, editores e altamente qualificada, assim
produtores; cidadãos informados, impulsionando o desenvolvimento
responsáveis e que oferecem contribuições. econômico e social do país.
(UNESCO, 2009).
Para a UNESCO, a sociedade atual exige
As diretrizes da UNESCO foram criadas com
profissionais com um novo perfil, que
foco em três abordagens que sinteticamente
consigam potencializar as tecnologias em
são: 1- alfabetização tecnológica, 2 -
benefício de uma educação que forme
aprofundamento do conhecimento e 3 -
cidadãos competentes e qualificados,
criação do conhecimento; as quais trazem
capazes de ir além de uma reprodução de
uma relação explícita entre o uso das
conhecimentos. Nesse novo cenário, o ensino
tecnologias, desenvolvimento educacional e o
a distância foi ganhando espaço devido ao
crescimento econômico do país. Nesta
surgimento da Internet e dos avanços das TIC
perspectiva, foi proposta esta pesquisa
e, ainda, por oportunizar o acesso a cursos
baseada nos Padrões de Competência em
(capacitação, formação continuada,
TIC da UNESCO, considerando as mudanças
graduação, pós-graduação), em grande
em relação às novas metodologias em
escala, para profissionais que já atuam na
modalidades de ensino presencial e a
educação e em outras áreas que precisam
distância, para investigar e analisar o nível de
desenvolver competências para essa nova
conhecimento tecnológico e o grau de
configuração de saberes e metodologias
maturidade dos Professores da Educação
necessárias no contexto contemporâneo.
Básica do Tocantins nas competências em
Assim, entende-se que a forma de ofertar
TIC aplicadas à educação. A pesquisa é

Educação no Século XXI - Volume 7


106

importante para fortalecer o processo de qual não basta criar condições de acesso
implantação da Educação a Distância (EaD) à informação. Hoje para poder extrair
na Secretaria de Estado da Educação, informações úteis na internet, exige-se um
Juventude e Esportes do Tocantins (SEDUC), conhecimento básico do tema investigado,
uma vez que trará informações sobre o perfil assim como estratégias e referenciais que
tecnológico dos professores que atuam nas permitam identificar quais fontes são
escolas da Rede Estadual de Ensino, visto confiáveis. Por outro lado, não devemos
que foi proposto no Plano Estadual de esquecer que, para transformar a
Educação uma política de formação informação em conhecimento, exige-se –
continuada para os profissionais da educação mais que qualquer outra coisa –
e para alunos da rede pública estadual na Pensamento lógico, raciocínio e juízo
modalidade EAD (semipresencial e online). crítico. (TEDESCO 2004, p.97)
O artigo está organizado da seguinte forma:
nesta parte afigura-se a apresentação das
No processo formativo, é necessária a
diretrizes da UNESCO, seguida da discussão
mediação por parte do professor para que os
teórica acerca do tema, procedimentos
alunos possam desenvolver o senso crítico e
metodológicos, apresentação dos resultados
a capacidade de análise e seleção do que
e considerações finais.
pode ser útil para o aprendizado, pois,
segundo Squirra (2006, p. 15-16) "a
sociedade do conhecimento (ou da
2 REFERENCIAL TEÓRICO
informação) só foi possível e é fortemente
A sociedade desse novo milênio continua sedimentada na tecnologia, sobretudo a da
com vários conflitos e desafios, sendo estes, comunicação".
em alguns casos, gerados a partir da rede
Percebe-se que a educação está numa fase
informacional. Convive-se ainda com uma
de adaptação a esse novo fazer, embora,
séria mudança nos valores, seja na vida
muito timidamente diante da extrema
emocional, escolar ou profissional.
complexidade e da necessidade crescente
Compreender a vida social, no atual contexto, da inserção das TIC - Tecnologias da
requer pessoas com conhecimento para, Informação e Comunicação no fazer
diante da complexidade, ter condições de pedagógico do professor. Castells (1996, p.
estabelecer estratégias e fazer parte do 397) sinaliza que "localidades ficam
processo. despojadas de seu sentido cultural, histórico
e geográfico e reintegram-se em redes[...],
Profissionais da medicina, da agricultura, da
ocasionando um espaço de fluxos que
comunicação e outras áreas utilizam os meios
substitui o espaço de lugares". Santos (2005,
tecnológicos no desenvolvimento dos seus
p. 63) destaca que "embora os
trabalhos, mas para isso, foi necessário fazer
espaços/lugares não tenham acabado e
investimentos em pesquisa e na formação
continuem cumprindo sua função social, as
desses profissionais. Na educação, as
redes digitais permitem que estejamos
tecnologias trazem grandes contribuições,
simultaneamente em vários espaços,
porque, através das redes de comunicação
partilhando sentidos". Desse modo, o
em ambientes virtuais de aprendizagem, as
pensamento dos autores retrata bem o
pessoas podem estudar em universidades de
contexto da EAD, por acontecer de forma a
cidades distantes sem sair de casa, essa é
desconsiderar o espaço físico que o usuário
uma das vantagens que a Rede oferece.
se encontra, mas apenas se este tem acesso
Embora, a necessidade não é somente de
à rede de internet e competências para
criar condições de acesso, mas, saber filtrar
manusear as ferramentas dos ambientes
as informações e transformá-las em
virtuais de aprendizagem. Ou seja, nesse
conhecimento, Tedesco revela que:
contexto exige-se novas competências dos
profissionais que atuam como professores,
tendo em vista que, tanto na modalidade EAD
quanto na presencial, utiliza-se de novas
metodologias e ferramentas tecnológicas.
O professor da educação básica na
modalidade presencial também precisa
desenvolver novas competências diante

Educação no Século XXI - Volume 7


107

dessa complexidade do mundo moderno, A presente pesquisa teve a coleta de dados


precisa reconhecer a necessidade de feita em 2013 com base nos Padrões de
aprender continuamente, atualizar seus competência em TIC da UNESCO que trazem
conhecimentos e suas práticas. Lévy (2010, as diretrizes em três abordagens descritas no
p. 157) destaca que "pela primeira vez na Quadro 1.
história da humanidade, a maioria das
Os dados analisados foram coletados a partir
competências adquiridas por uma pessoa no
de uma pesquisa interna, realizada na
início de seu percurso profissional estarão
Secretaria de Estado da Educação,
obsoletas no fim de sua carreira".
Juventude e Esportes do Tocantins, por meio
Corrobora com a concepção dos autores, do software do Sistema de Gerenciamento
Prado (2003, p. 165) quando afirma que "o Escolar que foi implantado na referida
momento requer uma nova forma de pensar e instituição em (2010/2011), com o objetivo de
agir para lidar com a rapidez e a abrangência facilitar a inserção e o acesso, em tempo
de informações e com o dinamismo do hábil, aos dados e informações que são
conhecimento". Nessa perspectiva, Silva inerentes a todos os setores da escola. O
(2003) afirma que: formulário desta pesquisa foi colocado à
disposição dos Professores da Educação
Básica por meio desse sistema, pois ele é
O professor pode deixar de ser um acessado por todos os professores do
transmissor de saberes para converter-se estado. Esta pesquisa usou como base as
em um formulador de problemas, diretrizes da UNESCO, o questionário da
provocador de interrogações, coordenador pesquisa foi disponibilizado para os 12.370
de equipes de trabalho, sistematizador de professores da rede estadual, no ano de
experiências e memória viva de uma 2013, a pesquisa ficou disponível por um
educação que, em lugar de prender-se à período de 40 dias, e todos os professores
transmissão, valoriza e possibilita o diálogo eram capazes de responder, embora não
e a colaboração. (SILVA 2003, p. 100). fosse obrigatório. Ao todo, foi pesquisado
uma amostra com 1.553 registros para
análise. Os dados foram pré-processados
As considerações de Silva apontam para o (reorganizados) utilizando a linguagem de
surgimento de novas demandas programação Python e, posteriormente,
educacionais, pois exige um novo perfil do processados por meio do RStudio, que é um
profissional da educação, uma vez que fica software utilizado para estatística e análise de
evidente que houve mudanças nas formas de dados. As perguntas feitas aos pesquisados
lidar com as informações e o conhecimento. podem ser encontradas no dicionário de
dados deste trabalho (REPOSITÓRIO, 2017).
3 METODOLOGIA
Quadro 1 - Comparativo entre os níveis de abordagens
Abordagem 1 Abordagem 2 Abordagem 2
Nível de
Básico Médio Avançado
avaliação
Total de
20 22 13
questões
Foco da Alfabetização Aprofundamento do
Criação do Conhecimento
abordagem em Tecnologia Conhecimento
Aumentar a habilidade da força
Força de
d e trabalho para agregar valor
trabalho capaz
ao resultado econômico Aumentar a produtividade criando
de adotar
aplicando o conhecimento das uma força de trabalho
novas
disciplinas escolares para permanentemente envolvida com a
Meta tecnologias
solucionar problemas criação de conhecimento e
para apoiar a
complexos que são encontrados inovação, beneficiando-se dela.
produtividade.
em situações de trabalho e de (UNESCO 2009).
(UNESCO
vida no mundo real. (UNESCO
2009).
2009).
Fonte: Os autores.

Educação no Século XXI - Volume 7


108

4 APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS professor é boa ou ruim, mas fornecer um


RESULTADOS olhar sobre o assunto que será útil para
formuladores de políticas públicas
A partir das diretrizes da UNESCO, utilizou-se
educacionais ou outros observadores.
as três abordagens: 1) alfabetização
tecnológica, 2) aprofundamento do As regras do quadro 2 foram utilizadas para
conhecimento e 3) criação do conhecimento, mensurar o grau de maturidade dos
as quais permitiram se chegar ao resultado professores em cada abordagem
desta pesquisa. Aqui, o objetivo não foi apresentada no Quadro 1.
chegar a um resultado se a atuação do

Quadro 2 - Regras para avaliação do desempenho medido conforme respostas

Avaliação do Conhecimento Regra da avaliação (pontuação)

básico menor que 60

médio maior ou igual a 60 ou menor que 80

avançado maior ou igual a 80

Fonte: Os autores.
5 CLASSIFICAÇÃO POR ABORDAGEM avançados em relação aos questionamentos
apontados (Figura 1). Lembrando que esta
As abordagens foram divididas em três níveis
abordagem trata de tarefas básicas, como
conforme o foco de cada questionamento
criar conta de e-mail e usá-la. Dentre as
aplicado (Quadro 1).
questões que os professores responderam
não ter competências estão: utilizar ambientes
virtuais de aprendizagem, baixar recursos
5.1 DESEMPENHO DOS PESQUISADOS NA
pedagógicos do portal do MEC e da TV
ABORDAGEM 1 - ALFABETIZAÇÃO EM
Escola, utilizar as ferramentas de
TECNOLOGIA
produtividade do sistema operacional
Na abordagem 1 - alfabetização em GNU/Linux, dentre outras.
tecnologia, mais da metade dos pesquisados
consideram que têm conhecimentos
Figura 1 - Abordagem 1: Alfabetização em Tecnologia

Fonte: Os autores.

Educação no Século XXI - Volume 7


109

5.2 DESEMPENHO DOS PESQUISADOS NA slideshare, realizar uma webconferência para


ABORDAGEM 2 - APROFUNDAMENTO DO fazer reuniões, fazer upload de objetos de
CONHECIMENTO aprendizagem, não conhecer embeds e não
saber também trabalhar com tutoriais para
Na abordagem 2 - Aprofundamento de
criação de um blog, estão entre as questões
conhecimento, 71% dos pesquisados
que mais professores responderam que não
consideram que têm conhecimento básico em
possuem as competências necessárias para
relação aos questionamentos apontados
executá-las.
(Figura 2). Nessa abordagem, editar vídeos
no celular, fazer upload de apresentações do

Figura 2 - Abordagem 2 Aprofundamento do conhecimento

Fonte: Os autores.
5.3 DESEMPENHO DOS PESQUISADOS NA Tic para professores da UNESCO. Segundo
ABORDAGEM 3 - CRIAÇÃO DO dados da pesquisa TALIS, (OECD, 2014) "O
CONHECIMENTO percentual de professores em 5 países que
afirmam ter alta necessidade de
Na abordagem 3 - criação de conhecimento,
desenvolvimento profissional na área de TIC:
85,7% dos pesquisados se consideram que
Inglaterra: 7,7%, Portugal: 9,2%, México: 21%,
têm conhecimento básico em relação aos
Brasil: 27,5%, Itália: 35,9%, Média TALIS:
questionamentos apontados (Figura 3). Esse
18,9%". Essa pesquisa demonstra a
resultado traz um panorama que se apresenta
necessidade de formação que professores da
com uma diminuição no número de
educação básica têm em relação ao uso de
professores que se sente qualificado de
tecnologias.
acordo com cada abordagem nos níveis
médio e avançado dentro de cada
abordagem dos padrões de competência em

Figura 3 - Abordagem 3 Criação do conhecimento

Fonte: Os autores.

Educação no Século XXI - Volume 7


110

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS de produtividade, fazer download e upload de


materiais.
O estudo permitiu reconhecer que o
desenvolvimento de competências em TIC se Abordagem 2 - aprofundamento de
configura em uma necessidade na sociedade conhecimento, 71% dos pesquisados
contemporânea. Possibilitou, ainda, consideram que têm conhecimento básico
compreender que as competências mudaram (grau de maturidade baixo) em relação aos
em função do desenvolvimento tecnológico e questionamentos apontados, 15,19%
dos novos meios de comunicação e de suas consideram ter conhecimento no nível médio
possibilidades de interface, de (grau de maturidade médio) e 13,58% em
instantaneidade e de mobilidade. Ou seja, nível avançado (grau de maturidade alto).
que o atual contexto exige o desenvolvimento Nesta abordagem, as competências exigidas
de novas competências a cada dia, sendo podem fazer parte do perfil de profissionais
que na educação é necessário que os que atuam como tutor, uma vez que, nesta
professores busquem constantemente função já se exigem um melhor manuseio das
aperfeiçoamento profissional, devido à ferramentas tecnológicas.
criação de novas linguagens e novos
Abordagem 3 - criação de conhecimento,
conceitos.
85,7% dos pesquisados consideram que têm
De acordo com os dados para essa pesquisa, conhecimento básico (grau de maturidade
constatou-se o grau de maturidade de baixo) em relação aos questionamentos
conhecimento dos professores da educação apontados, 8,11% consideram ter nível médio
básica do Tocantins quanto à: (grau de maturidade médio) e 6,17% que
estão em nível avançado (grau de maturidade
Abordagem 1 - alfabetização em tecnologia,
alta). As competências desta abordagem
mais da metade dos pesquisados consideram
podem ser requeridas como requisitos para
que têm conhecimentos avançados (grau de
atuar como professor conteudista e designer
maturidade alta) em relação aos
instrucional, considerando que o profissional
questionamentos apontados. É importante
que se encontra nesta abordagem já tem um
considerar também que, mesmo sendo na
perfil de criação de conhecimento.
abordagem de Alfabetização, quase a
metade dos professores pesquisados não Portanto, pode-se constatar que de acordo
possuem as competências necessárias para com o nível de dificuldade da abordagem, vai
realizar atividades básicas. Dentro dessa aumentando o número de professores que se
abordagem, 54,41% dos professores consideram em nível básico de conhecimento
consideram que estão no nível avançado com relação ao uso de tecnologias
(grau de maturidade alta), 20,21% no nível educacionais. Entende-se, que, para suprir
médio (grau de maturidade médio) e 25,37% essa lacuna de conhecimento, é primordial a
ainda se consideram em nível básico (grau de participação em cursos para desenvolver
maturidade baixo). conhecimentos e competências necessárias
para o uso das tecnologias da informação e
As competências apresentadas nesta
comunicação, com uma atenção especial aos
abordagem são primordiais para que os
ambientes virtuais de aprendizagem tanto
professores possam realizar cursos na
para os usuários como alunos, quanto para
modalidade EAD, uma vez que necessitam
atuar como tutores, conteudista ou designer
desenvolver atividades utilizando ferramentas
instrucional.

REFERÊNCIAS [4] Prado, Maria Elizabete B. Brito Prado.


Educação a distância via Internet. São Paulo, SP:
[1] Castells, M. A Sociedade em Rede. São Ed. Avercamp, 2003.
Paulo: Editora Paz e Terra, 1996.
[5] Repositório GitHub. Dicionário de dados
[2] Lévy, Pierre. Cibercultura. São Paulo: deste artigo. Disponível em:
Editora 34, 2010 https://github.com/renedet/mestradouft/tree/master/
[3] Oecd. Organisation for Economic Co- artigo01. Acessado em 05 de Junho de 2017.
operation and Development. TALIS 2013 Results: [6] Santos, Edméia Oliveira dos. Educação
an international perspective on teaching and online: cibercultura e pesquisa-formação na prática
learning. Paris: OECD, 2014. Disponível em: docente. 2005. 351 f. Tese (Doutorado) - Curso de
http://www.oecd.org/edu/school/talis-2013- Programa de Pós-graduação em Educação,
results.htm. Acesso em: 20 maio 2017. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

Educação no Século XXI - Volume 7


111

[7] Silva, M. Sala de aula interativa. [S.I.]: [9] Tedesco, Juan Carlos; Berliner, C.
Editora Quartet, 2003. Educação e novas tecnologias: esperança ou
incerteza? São Paulo: Cortez, 2004.
[8] Squirra, Sebastião Carlos de Morais.
Sociedade do conhecimento. São Bernardo do [10] Unesco. Padrões de Competência em TIC
Campo, SP, 2006. Disponível em: para Professores. Tradução: Cláudia Bentes David.
https://www.metodista.br/revistas/revistas- Versão 1.0. Paris: Unesco, 2009. Disponível em:
ims/index.php/CSO/article/view/3795. Acesso em: http://unesdoc.unesco.org/images/0015/001562/15
20 maio 2017. 6209por.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

Educação no Século XXI - Volume 7


112

Capítulo 16

Matheus Farone Rabelo


Adriana Luiza de Oliveira

Resumo: Este artigo tem como intuito fazer uma análise - sobre a aplicabilidade do
ensino a distância como ferramenta educacional - para capacitar pessoas a
manusear, da melhor forma, um software de gestão e suas funcionalidades. Por
meio do estudo sobre o case de uma empresa, que apresenta treinamentos
remotos voltados à capacitação de clientes e colaboradores, acerca do sistema
WinThor, sendo este líder na cadeia de abastecimento do Brasil.

Palavras-chave: Educação a distância, fábrica de software, treinamento.

Educação no Século XXI - Volume 7


113

1. INTRODUÇÃO decreto n°. 5.622, que a caracteriza como


uma modalidade educacional na qual a
Este artigo tem como objetivo específico fazer
mediação didático-pedagógica nos
uma análise sobre a efetividade do ensino a
processos de ensino e aprendizagem ocorre
distância para capacitação no manuseio e
com a utilização de meios e tecnologias de
melhor performance de resultados em
informação e comunicação, com estudantes e
software de gestão. O projeto se deu através
professores desenvolvendo atividades
da metodologia qualitativa, pois o foco
educativas em lugares ou tempos diversos
principal não são as estatísticas, mas as
(Art. 1º).
análises e interpretações de aspectos mais
profundos, tentando fazer uma abordagem Pierre Lévy também explica um dos motivos
mais sensorial do comportamento humano de pelo qual a educação permanece em uma
estudo. Os métodos usados foram de cunho constante metamorfose:
racional, aqueles que fazem parte da
Toda e qualquer reflexão séria sobre o devir
estrutura do raciocínio. O raciocínio é a coleta
dos sistemas de educação e formação na
de elementos relativos da mente humana.
cybercultura deve apoiar-se numa análise
Esses elementos se processam por meio de
prévia da mutação contemporânea da relação
instrumentos indutivos (análise) e dedutivos
com o saber." (PIERRE,1999,p.170)
(síntese), processos fundamentais para a
compreensão de fatos por meio da ciência. Manter-se competitivo no mercado
No âmbito desse método, usamos a técnica educacional é sempre um desafio. É preciso
do estudo de caso que consiste no estudo sempre surpreender, acompanhar as
detalhado de objetos que puderam contribuir mudanças e tecnologias e procurar trazer
para a obtenção de ideias. O objeto de abordagens inovadoras. A população mundial
estudo foi a empresa PC Sistemas by Totvs, está cada vez mais conectada, crítica e
sendo esta corporação líder na cadeia de cansada do famoso "mais do mesmo". As
abastecimento do país. didáticas das décadas passadas não
possuem mais o mesmo espaço na
sociedade atual.
2. CONTEXTUALIZAÇÃO
Entender o público-alvo é um dos principais
Manter-se competitivo no mercado no fatores a ser observado em qualquer ramo do
transcorrer dos tempos se transformou em um mercado para obter a satisfação do usuário.
grande desafio. Tecnologias que são Esse foi um dos motivos que levou o Centro
facilmente substituídas, uma nova geração de Ensino, departamento responsável pelas
que possui uma enorme quantidade de entregas de treinamento da empresa em
informações disponíveis a qualquer hora e estudo, PC Sistemas by Totvs, a alterar
lugar com uma urgência nunca vivida antes, constantemente a forma de entrega de
vem mudando várias áreas de atuação, conteúdo.
inclusive, também interferem nas formas de
Com a grande demanda de treinamentos,
entrega no ensino. Desta maneira,
para a capacitação de clientes e
adaptações rápidas, bem como as
colaboradores sobre o sistema WinThor, carro
diversificações e modulações de forma quase
chefe da empresa em diversos pontos do
que personalizadas se fazem mais presentes.
Brasil, e também com a crescente aceitação
Conforme Pierre Lévy:
da modalidade de ensino a distância como
"[...] A demanda por formação não só está difusor de conhecimento, a corporação viu na
passando por um enorme crescimento educação a distância - EAD uma grande
quantitativo, como também está sofrendo uma oportunidade de replicar as informações de
profunda mutação qualitativa, no sentido de maneira rápida e simultânea para vários
uma crescente necessidade de diversificação lugares do país com melhor custo-benefício.
e personalização." (PIERRE,1999, p.180)
Uma dessas variações trouxe à tona a
3. HISTÓRICO DO ENSINO NA EMPRESA
modalidade do ensino a distância nos moldes
atuais, pois considerando demais formatos, é A PC Sistemas by Totvs é uma empresa
uma prática relativamente antiga. Há muito, consolidada no mercado com mais de 30
esta já acontecia por meio de revistas, anos, entregando soluções de gestão para
correios, livros, fitas K7, apostilas e DVD's, pequenas, médias e grandes empresas de
porém em 2005 ganhou sua definição, pelo cadeia de abastecimento. Está presente em

Educação no Século XXI - Volume 7


114

todo o território brasileiro para atender da Em 2014 foi criado um canal no Youtube,
melhor maneira seus clientes, hoje está Canal PCTV, onde são postados vídeos de
integrada ao grupo Totvs alcançando conteúdos nos quais os clientes possuem
mercado internacional. mais dúvidas. A partir deste marco e demais
necessidades do mercado os cursos
Em agosto de 2009, o departamento Centro
passaram a ser produzidos com uma
de Ensino foi criado oficialmente e tornou-se
padronização e assim ganharam velocidade
responsável por gerenciar e produzir todos os
na produção sem a necessidade de novas
treinamentos, tanto presencial quanto a
contratações ou de terceirizações de
distância. Porém a empresa começou a
demandas.
capacitar seus clientes e colaboradores muito
antes disso, por meio de e-mails, apostilas, Em 2016 foram incrementados os vídeos,
pen drives e vídeos tutoriais enviados em seguindo as tendências que foram
DVD's para seus remetentes, e assim apresentadas no Congresso ABED em 2015.
funcionou até meados de 2011. No mesmo Trouxe também como novidade na
ano, por meio de pesquisa de mercado, foi modalidade síncrona de educação os
contratado o serviço de uma plataforma LMS - Webinars, que são videoconferências ao vivo
Learning Management Software, ou seja, uma com o intuito de mostrar as novas
plataforma especializada para entregas de funcionalidades, quando há mudança de
EAD pela primeira vez. Veja um exemplo de versão do software e também para tirar
curso na imagem 1. dúvidas dos alunos. Esta forma que a tutoria
passou a utilizar torna o relacionamento com
Em 2012 iniciou a produção em massa de
o aluno mais intimista e o dá a sensação real
cursos, para isso a demanda foi dividida entre
de estar sendo acompanhado, este modelo é
os designers instrucionais, colaboradores
o praticado até os dias atuais.
especializados da PC e terceirizaram parte
dessa demanda para uma fábrica de
conteúdos e-learning para que se ganhasse
4. METODOLOGIA
volume em um curto espaço de tempo. Nesta
mesma época os cursos começaram a ter Para descobrir se um produto é funcional,
animações diversas e personagens para o precisamos analisar a sociedade e definir o
desenvolvimento de narrativas, que tornavam público que deve ser atingido. No sistema de
a assimilação do conteúdo ao cotidiano do ensino não é diferente. Quando analisamos
aluno, além das simulações sistemáticas que quem são os alunos da empresa estudada,
já eram feitas anteriormente. Veja a imagem 2. percebe-se que há uma variação de perfil
exorbitante. "Cada indivíduo aprende de
Neste ano, houve na equipe pela primeira
modo pessoal e único, seu comportamento
vez, a figura de um tutor com certificação pela
durante o aprendizado revela muito sobre si"
ANATED - Associação Nacional dos Tutores
(apud. ALVES, 2009: 3). Antônia ainda diz:
de Ensino a Distância. Entrou também em
vigor o Passaporte EAD, que é um serviço O conceito de estilos de aprendizagem
onde o cliente tem acesso a todos os cursos destaca, portanto, os distintos
online durante um determinado período, comportamentais que uma pessoa utiliza para
(divididos em três, seis ou doze meses) que aprender. Alongo e Gallego (2002) com base
até nos dias atuais são os pacotes mais nos estudos de Keefe (1998) definem como
populares entre os clientes e colaboradores. rasgos cognitivos, afetivos e fisiológicos, que
Em 2013 o Centro de Ensino começou a servem como indicadores relativamente
aplicar educação a distância de modo estáveis de como os alunos percebem,
síncrono, por meio de chat online onde o tutor interagem e respondem a seus ambientes de
e outros especialistas sanavam dúvidas sobre aprendizagem. (apud. ALVES, 2009: 1)
determinado assunto. Também foi o primeiro
Milton Sobreiro fez uma pesquisa com 100
contato em congressos da ABED -
acadêmicos na modalidade EAD e obteve o
Associação Brasileira de Educação a
seguinte resultado:
Distância - onde observou-se tendências e
novas diretrizes, já que antes o conhecimento "A maioria absoluta de estudantes que tem
sobre EAD era obtido através de pesquisa de em sua estrutura cognitiva uma ênfase
similares no mercado, por artigos e livros, que significativa para o estilo de aprendizagem
também foram usados para argumento neste cinestésico (68%), seguido pelo visual (25%),
presente projeto. visual-cinestésico (4%), auditivo (2%), visual-

Educação no Século XXI - Volume 7


115

auditivo (1%) e nulidade de auditivos- Com o tempo o departamento percebeu que


cinestésicos." (EAD-I, 2009) quanto mais direto os cursos, melhor era o
retorno dos alunos. Assim como a simulação,
Com essa direção de público, como produzir
os cursos com vídeos tiveram grande
EAD para pessoas em sua maioria
aceitação e feedbacks dizendo que a didática
cinestésica? "Paloff e Pratt sugerem algumas
ajudou bastante na memorização e
técnicas instrucionais, tais como: simulações,
aprendizagem do conteúdo técnico. Prova
laboratórios virtuais, pesquisa de campo,
disso são estes comentários de alguns
apresentação e discussão de projetos. (apud.
alunos:
ALVES, 2009: 1)
"Gostaria que fosse mais direto como nos
Os autores Paloff e Pratt ainda questionam se
vídeos, sem a "história" , é muito para iniciante
essas técnicas se aplicam a qualquer tipo de
que não trabalha com o módulo em qualquer
curso a distância, o que correlaciona com
empresa".
esse artigo que escrevo.
“O curso EAD da PC Sistemas foi de suma
Pierre também indaga a eficácia da técnica
importância para o nosso aprendizado,
de simulação para a aprendizagem:
linguagem clara e objetiva e a metodologia de
"As técnicas de simulação, em particular as ensino super válida, levando em
que envolvem imagens interativas, não consideração o custo benefício conseguimos
substituem os raciocínios humanos, mas implantar módulos complexos com
prolongam e transformam as capacidades de facilidade.”
imaginação e pensamento. Com efeito, nossa
É possível notar que a empresa em estudo
memória de longo prazo tem a capacidade
sempre está atenta aos feedbacks dos
para armazenar uma quantidade muito
alunos, provocando mudanças e alterando a
grande de informações e
forma de entrega dos seus cursos, o que
conhecimentos."(Pierre,1999, p.178)
pode ser constato em outro indicador que é o
Simulação é uma das técnicas usadas pela índice de satisfação alcançado nestes
empresa em estudo, e obteve grande treinamentos que chega a 8,8,
satisfação dos clientes. "O conteúdo na forma acompanhando a necessidade dos usuários e
tela a tela, facilita assimilar e compreender o mercado.
melhor a rotina.", comentário relatado em
feedback de um aluno. Outra técnica usada e
que tem um resultado positivo é o conteúdo 5.CONSIDERAÇÕES FINAIS
exposto de forma audiovisual. "Este formato é
Com o caminhar da tecnologia e sociedade, a
mais fácil, pois exemplifica a rotina em si.",
educação a distância e presencial perderão
sendo este outro feedback registrado por um
as barreiras e cada vez mais estarão juntos
aluno a respeito de um curso de vídeo.
com o intuito de transmitir conhecimento.
A força da linguagem audiovisual está em que
"Os especialistas da área reconhecem que a
consegue dizer muito mais do que captamos,
distinção entre ensino «em presencial» e
chegar simultaneamente por muito mais
ensino «à distância» será cada vez menos
caminhos do que conscientemente
pertinente, pois o uso das redes de
percebemos, e encontra dentro de nós uma
telecomunicação e dos suportes multimídia
repercussão em imagens básicas, centrais,
interativos está integrando-se
simbólicas, arquetípicas, com as quais nos
progressivamente às formas de ensino mais
identificamos, ou que se relacionam conosco
clássicas" (Pierre,1997, 08)
de alguma forma (Gutierrez,1978)
Alguns cursos com vídeo apresentam
legendas, já que os alunos estudam em Cenário que já acontece na PC Sistemas by
diversos ambientes que podem conter Totvs, quando um cliente vai para a sala de
barulho que possa atrapalhar o aprendizado. treinamento já inteirado do assunto, uma vez
O público-alvo abrange desde uma pessoa que o aluno já fez o EAD. Ou quando o aluno
com curso superior até uma pessoa com replica, para sua equipe, o conhecimento que
apenas o ensino fundamental, logo a adquiriu na sala de aula presencial, com
linguagem abordada pelos especialistas deve auxílio do conteúdo online.
atender a todos. Por isso o conteúdo é
Comodidade e conforto em aprender a hora
exposto de maneira simples e objetiva,
que desejar, sem sair de casa ou do trabalho
facilitando o entendimento de todos.

Educação no Século XXI - Volume 7


116

contribui para as pessoas optarem cada vez Dizer que as técnicas cabem para qualquer
mais pelo ensino a distância, logo o interesse perfil a distância é um erro, pois as novidades
faz com que qualquer tipo de conteúdo seja hoje estarão defasadas amanha. "[...] tornou-
aprendido, basta o aluno ter disciplina e perfil se necessário doravante preferir a imagem de
para a modalidade. Por outro lado as fábricas espaços de conhecimentos emergentes,
de conteúdos online devem produzir cursos abertos, contínuos, em fluxos, não-lineares,
modernos e interativos que se encaixem para que se reorganizam conforme os objetivos ou
com seu público-alvo para terem sucesso e contextos e nos quais cada um ocupa uma
evitarem grandes taxas de evasão. posição singular e
A maneira como os estudantes consomem os evolutiva." (Pierre, 1999, p.171).
conteúdos influencia diretamente no processo
Portanto, é possível utilizar de forma
de satisfação e assiduidades destes.
satisfatória a EAD como ferramenta de ensino
Números que corroboram para que isto seja
para conteúdos de softwares, desde que
possível é a quantidade expressiva que a PC
entendam o perfil do aluno que pretendem
Sistemas vem alcançando com seus alunos e
alcançar e estejam correspondentes às
colaboradores, com mais de dezessete mil
necessidades do mercado com novidades e
(17.000) certificados obtidos até aqui.
aplicabilidade de tendências.

REFERÊNCIAS Virtual de Rena M. Palloff e Keith Pratt. 05 de maio


de 2009
[1] Pierre, Lévy. Educação e Cybercultura. [3] Gutierrez, Francisco. Linguagem total:
Odile Jacob. 1997. uma pedagogia dos meios de comunicação. São
[2] Alves, Antônia. Resenha sobre o III Paulo, Summus, 1978.
Capítulo: Estilos de Aprendizagem do livro O Aluno

Educação no Século XXI - Volume 7


117

IMAGEM 1:Tela do curso Comodato, um dos primeiros cursos para LMS (2011).

IMAGEM 2:Tela do curso de Parametrização feito em 2012.

Educação no Século XXI - Volume 7


118

IMAGEM 3:Tela do canal no YouTube.

IMAGEM 4:Tela do curso Receber Mercadoria feito em 2016

Educação no Século XXI - Volume 7


119

Capítulo 17
Edevaldo Rodrigues Carneiro
Eliane Maria Morriesen
Juliane Retko Urban
Pauline Balabuch
Antonio Carlos Frasson
Antonio Carlos de Francisco

Resumo: O objetivo deste artigo foi verificar a relação teórica entre disciplinaridades e
metodologias ativas, com ênfase na aprendizagem baseada em problemas. Onde as
disciplinaridades são formas de organização e difusão do conhecimento, bem como
contingentes por serem criações históricas e culturais; sendo sua progressão elencada
em quatro níveis: multi, pluri, inter e trans. as metodologias ativas dizem respeito ao novo
paradigma dos atores educacionais, dentre as quais elencou-se a aprendizagem
baseada em problemas, que trata da formulação, resolução e discussão de um assunto.
a metodologia utilizada foi a pesquisa descritiva, análise bibliográfica e qualitativa.
Conclui-se que as metodologias ativas poderão favorecer que os processos de ensino e
da aprendizagem ocorram de forma efetiva nos diversos níveis disciplinares.

Palavras-chave: Disciplinaridades. Metodologias ativas. Aprendizagem baseada em


problemas.

Educação no Século XXI - Volume 7


120

1.INTRODUÇÃO sociedade moderna quando da constituição


de liceus, institutos, faculdades e
O conhecimento tem sua origem enquanto
universidades. Ambientes estes criados para
áreas, no séc. VI a.C., com os Sofistas, por
o desenvolvimento da Ciência, a qual previa
meio da astronomia, geometria, retórica,
a investigação sistemática, exigindo uma
ética, política. Mas é no séc. XVI, com a
concentração especializada e racional de
Revolução Científica, onde René descartes
partes específicas do conhecimento que não
desenvolveu o Método Cartesiano, que
se comunicavam entre si. Essa ênfase no
surge a fragmentação do conhecimento como
estudo da parte parecia ser mais eficaz e
modus operanti para a pesquisa e ciência,
produtiva do que quando se ocupava do
partindo do particular para o todo. No séc.
todo (FLORENTINO, 2015). Assim, a
XIX, surge o sistema de disciplinas, o qual
disciplinaridade do conhecimento propiciou
passa a trabalhar o conhecimento
a produção diversificada do saber, a qual
compartimentado de forma estanque e
tornou-se a nova moeda de troca de poder.
individualizado, sem permitir assim o
entendimento da realidade e sua
complexidade. E no século atual, XXI, vive-
2.1 MULTIDISCIPLINARIDADE
se o mundo de crises de compreensão e
transformação, as quais impactam A integração de duas ou mais disciplinas,
diretamente nas questões curriculares, no objetivando a otimização do processo
papel da escola e na pedagogia moderna. ensino/aprendizagem, pode ser considerada
As Disciplinaridades, portanto, são formas uma das formas mais simples de exercer a
de organização e difusão do conhecimento, multidisciplinaridade, além de permitir uma
bem como contingentes por serem criações articulação entre disciplinas e a ascensão do
históricas e culturais; sendo sua progressão conhecimento geral. A Multidisciplinaridade
elencada em quatro níveis: consiste na conexão de diversos conteúdos,
Multidisciplinaridade, Pluridisciplinaridade, sem se preocupar se os temas são comuns
Interdisciplinaridade e Transdiciplina. entre si. Nogueira (2001, p. 140) apresenta
que “não existe nenhuma relação entre as
Com relação às Metodologias Ativas, o
disciplinas, assim como todas estariam no
entendimento é que os atores educacionais
mesmo nível sem a prática de um trabalho
– professor, aluno e conteúdo, são vistos em
cooperativo”. Almeida, (1997, p. 86) enfatiza
novas funções, onde o aluno passa a ser o
que “Poder-se-ia dizer que na
principal responsável por sua
Multidisciplinaridade as pessoas, no caso as
aprendizagem, ficando a cargo do
disciplinas do currículo escolar, estudam
professor direcionar, orientar, supervisionar
perto, mas não juntas. A ideia aqui é de
e facilitar, por meio de conteúdos de forma
justaposição”.
mais dinâmica, o processo de
oportunização, construção e desenvolvimento A Multidisciplinaridade busca o
do conhecimento (BARROS, 2015). Destarte, conhecimento de diferentes disciplinas para
o objetivo que guiou o presente artigo foi analisar um determinado assunto, sem a
verificar a relação teórica entre necessidade de se preocupar se há
Disciplinaridades e Metodologias Ativas, conexão dos temas envolvidos, cada
com ênfase na Aprendizagem Baseada em disciplina oferece subsídios relacionados à
Problemas. Sendo assim, a escolha vem da sua área de abrangência, mesmo que não
necessidade de se praticar, teorizar e haja relação entre as mesmas. Em se tratando
vivenciar as Disciplinaridades e as de ciência, salienta-se a necessidade de
Metodologias Ativas a partir da formação buscar novas metodologias de ensino que
inicial dos professores, para possibilitar a contemple o todo em detrimento das partes,
apropriação de conceitos e utiliza-los em que procure compreender algo presente na
sua prática pedagógica. vida do ser humano e que interaja de forma
interdisciplinar com o sujeito. A divisão do
conhecimento em disciplinas fechadas
2. DISCIPLINARIDADES atrapalha o cumprimento das
recomendações estabelecidas pela
A palavra disciplina tem origem latina, com
legislação, bem como os Parâmetros
significado de sujeição e ordenação, quando
Curriculares Nacionais (PCN e PCN+) ao
trata de questões comportamentais; e de
assegurar que o ensino consiste em
instrução e ensino, quando trata de matéria e
apresentar conteúdos que exploram a relação
método científico. Este último apresentado na

Educação no Século XXI - Volume 7


121

entre as diversas disciplinas, de modos que precisa durante a mediação de estudo do


possam gerar contextualizações com dia-a- objeto ligar a outras disciplinas, a outros
dia do estudante. (BRASIL, 2002). A conteúdos formativo. Como tudo está
multidisciplinaridade ajuda o aluno a perceber interligado os professores deverão expor
o todo inter- relacionando as partes e aos alunos os conteúdos de modo global,
fazendo a ligação entre duas ou mais onde a compreensão do todo pelos alunos
disciplinas essenciais para a melhoria do será mais relevante. Esse método é
processo ensino/aprendizagem, contribuindo chamado de interdisciplinaridade, que é a
para o desenvolvimento da própria cooperação entre as disciplinas, que pode
identidade. ser duas ou mais ou outros ramos do
conhecimento,e está ligada diretamente no
conceito de disciplina, e é desenvolvida
2.2 PLURIDISCIPLINARIDADE pela a base, os professores, os quais, em
parceria devem interagir para estabelecer ao
O termo pluridisciplinaridade trata de um
aluno o melhor aprendizado. Mello (2014)
nível de pouca colaboração disciplinar.
corrobora escrevendo que “a
Caracteriza-se pela justaposição de
interdisciplinaridade é a articuladora do
diversas disciplinas, havendo certo grau de
processo de formação do homem total, de
cooperação entre elas, embora cada
sua inserção na realidade e agente de
disciplina mantenha objetivos distintos.
mudança no contexto em que atua”. Ao
Nesse caso, as disciplinas que fornecem
trabalhar de maneira interdisciplinar o
informação atuam como colaboradoras a
professor haverá de romper com alguns
outra disciplina, sem que haja inter-relação
preconceitos da sua formação, pois os
direta, estabelecendo uma relaçãode
mesmos estão acostumados a reproduzir
dependência ou subordinação. No
um saber já existente e apresentam
entendimento de pluridisciplinaridade
dificuldades na construção de novos
Japiassu (1976) considera também como a
saberes, para a melhor construção desses
justaposição de diversas disciplinas, porém o
novos saberes deverão aprender a escutar e
que a difere do multidisciplinar é que existe
a compartilhar suas produções com os
cooperação, continuando ainda sem uma
colegas de profissão para que possa surgir
organização, realizando apenas uma
maior colaboração entre os profissionais da
aproximação entre disciplinas correlatas em
educação e assim poder desenvolver dentro
áreas de conhecimento. É frequente
do tema proposto os conhecimentos
ouvirmos docentes arguir que realizaram
necessários para o aprendizado do aluno.
um projeto ou estudo multidisciplinar com
seus alunos, querendo significar que
desenvolvem um trabalho integrado. Na visão
2.4 TRANSDISCIPLINARIDADE
de Japiassu (1976), o multidisciplinar implica
fragmentação, compartimentação, As primeiras discussões sobre o tema
isolacionismo, independência. Pluridisciplinar datam de 1970, quando Gusdorf apresentou
supõe também especialização e àUNESCO um projeto de pesquisa
fragmentação, mas implica algum nível – interdisciplinar para ciências humanas, no
tênue que seja – de articulação e qual reuniu pesquisadores e universidade de
colaboração entre as disciplinas ou áreas de áreas diversas do conhecimento, bem como
conhecimento. Há um grande avanço na de diferentes países. Neste mesmo ano,
pluridisciplinaridade, quando se discorre Piaget apresentou-se como criador da
que todas as disciplinas estão ali alocadas expressão transdisciplinar, no primeiro
porque são relevantes num currículo de seminário internacional sobre o tema, na
ensino. Universidade de Nice (SANTOS, 2008).
Segundo Coll (2002), “o olhar transdisciplinar
nos remete a um todo significativo que
2.3 INTERDISCIPLINARIDADE emerge de um diálogo constante entre a
parte e o todo, busca encontrar os
Para o aprendizado acontecer deve existir
princípios convergentes” e auxiliar o
um objeto de conhecimento e o professor,
pensamento reflexivo. Para a
que é o mediador e facilitador entre o
contextualização, a transdisciplinaridade faz
aluno e o objeto, deverá expor sobre o
uso de imagens, mobilização de conceitos e
objeto estudado. Mas, atualmente como
de dimensões tanto mentais, como
tudo está ligado e interligado o professor
emocionais e corporais, criando uma rede

Educação no Século XXI - Volume 7


122

horizontal e vertical entre teoria e prática, o 3.1 APRENDIZAGEM BASEADA EM


que propicia uma significância para a PROBLEMAS
resolução de problemas (COLL, 2002;
O método da Aprendizagem Baseada em
SANTOS, 2008). E, portanto, é por meio da
Problemas – ABP foi criado e estruturado pelo
transdisciplinaridade que o paradigma da
professor Barrows para a Universidade
fragmentação do saber perde força, dando
MacMaster, em Ontário no Canadá, nos
espaço para o aprender significativo,
anos 60, para romper com modelos
contextualizado e prazeroso. Também
ultrapassados. A proposta é solucionar um
resgata a orientação dinâmica dos currículos
problema real ou simulado partindo do
e projetos pedagógicos, refletindo a vida
contexto do aluno, tendo a interação como
vivida na sociedade no ambiente de
foco do processo. Já no Brasil, este método
aprendizagem, tornando saber e viver
teve início nos anos 90, nas Faculdades de
processos conexos com o são na realidade
Medicina de Londrina e Marília, as quais
(SANTOS, 2008; SOPELSA, 2015). No Brasil é
adotaram esta nova proposta curricular
possível verificar esta tentativa de resgate
tendo a ABP como base (SOUZA, 2015).
nos PCNs, que recomendam temas
Quanto as etapas, estas são quatro,
transversais para a articulação dos saberes
começando pela elaboração do cenário e
nas diferentes disciplinas. Bem como
escolha do problema que tenha ligação com o
enfatizam temas sociais que favorecem a
cotidiano do aluno; seguida pela
visão significativa do conhecimento,
apresentação contextualizada das questões-
procurando resgatar a relação entre saberes
problema por parte do professor. A terceira
e vida (SANTOS, 2008).
etapa diz respeito à resolução dos
problemas, com a discussão em grupo do
problema em conjunto com o planejamento
3. METODOLOGIAS ATIVAS
da investigação para solucioná-lo. Mais
O processo de ensino-aprendizagem uma vez o professor surge com facilitador
encontra-se em um momento sem quando disponibiliza ferramentas úteis para a
precedentes, uma vez que é possível resolução da problemática, bem como
aprender das mais diferenciadas formas. orienta a sistematização da solução, por
Pode-se buscar conhecimento sozinho, na meio da síntese das discussões e reflexões.
rede, intercâmbios, em grupos diversos, Finalizando com a apresentação do resultado
além da escola e universidade. Desse e auto avaliação (BOROCHOVICIUS, 2014;
modo, a mudança de paradigma educacional SOUZA, 2015).
foge do espaço e do tempo, constituindo-se
As vantagens desta metodologia giram ao
por fonte ilimitadas de informações, as
redor do desenvolvimento de competências
quais necessitam de tratamento para virem
como a motivação, integração do
a se tornar conhecimento. Para tanto, este
conhecimento, o pensamento crítico e
novo cenário educativo carece de novas
relacionamento interpessoal. Já as
metodologias, surgindo assim as
desvantagens dizem respeito a insegurança,
Metodologias Ativas ou Inovadoras.
tempo, inadequação do currículo, limitação
Diferentemente da metodologia tradicional,
de recursos financeiros, avaliação e falta de
a ativa apresenta o professor como
habilidade do professor (SOUZA, 2015).
facilitador da aprendizagem e o aluno como
Além de modificar o paradigma educacional
participante ativo do processo, bem como há
dando ênfase ao aluno, a ABP também
uma interação maior entre aluno-aluno, o que
proporciona o aprimoramento da prática
facilita a conjunção entre teoria e prática.
docente, uma vez que o professor
Logo, a aprendizagem ativa ocorre quando o
acompanha, orienta e sustenta o processo
aluno ouve, fala, pergunta, discute, faz e
de resolução do problema proposto.
ensina (ROCHA, 2014; BARROS, 2015).
Destarte, este método retira o docente de
Também se tem a Sala de Aula Invertida, o
sua zona de conforto, pois ele necessita
Aprendizado por colegas, a Gamificação da
pesquisar e dominar diferentes práticas
Sala de Aula e a Aprendizagem Baseada em
diante das novas formas de aprendizagem,
Problemas. Sendo esta última o foco nesta
fato este que contribui para sua formação
revisão.
continuada (BOROCHOVICIUS, 2014;
SOUZA, 2015).

Educação no Século XXI - Volume 7


123

4. METODOLOGIA árduo e diariamente nessa profissão e exige-


se um exercício contínuo de compreender o
O presente artigo pode ser classificado como
mundo, a sociedade, os avanços
pesquisa descritiva, uma vez que buscou- se
tecnológicos, os novos problemas de uma
descrever as Disciplinaridades e
forma para além da disciplinaridade, mas a
Metodologias Ativas, bem como conceitos
partir do momento em que o educador tem o
adjacentes. Sendo que a estratégia de
domínio das metodologias propostas o
análise utilizada foi a bibliográfica e a
trabalho passa a provocar a aprendizagem
qualitativa, haja visto que o conhecimento foi
nos educandos e o educador passa a ser
construído por meio de livro e artigos, estes
visto como motivador, que incentiva a
últimos foram marcados como relevantes na
descoberta, a análise e a crítica.
base indexadora SciELO, levando-se em
conta a qualidade e pertinência dos mesmos.
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
5. INTERAÇÃO ENTRE DISCIPLINARIDADES Ao se deparar com novos conceitos e
E METODOLOGIAS ATIVAS metodologias, o professor tem a obrigação
de buscar compreende-los. Contudo, a
interação entre as disciplinaridades e as
herança educacional faz com que atitudes
metodologias ativas poderão contribuir para o
simplistas, como o conformismo, criem
aprendizado dos alunos, considerando o
obstáculos a tal busca. Isto é reflexo da
avanço em termos de conhecimentos
formação, treinamento e funcionamento
disciplinares e as suas aplicações na
mental de suas atitudes. Sendo que a
sociedade. A formulação de um problema
integração já seria um bom início para sair
para a aplicação em sala de aula pode ser
da zona de conforto, bem como para a
originada a partir dos desafios desenvolvidos
superação da fragmentação imposta a
pelos professores das mais diversas
formação integral tanto de alunos como de
disciplinas com enfoques em contextos
professores. O presente artigo propôs a
sociais e tecnológicos atuais. Pois objetiva-se
verificação da relação teórica entre
que o estudante não permaneça somente no
Disciplinaridades e Metodologias Ativas,
nível de conhecimento básico, do senso
com ênfase na Aprendizagem Baseada em
comum, mas que a aprendizagem
Problemas, a qual foi atingida uma vez que
significativa aconteça, por mediação do
as metodologias poderão favorecer que os
docente, entre o aluno e o objeto estudado.
processos de ensino e da aprendizagem
Com a autonomia desenvolvida poderão ser ocorram de forma efetiva, onde o professor
capazes de se adaptarem aos mais variados atua como mediador da aprendizagem e não
ambientes de trabalho ou estudo, bem como, somente como transmissor de conteúdos e os
poderão contribuir para o ambiente no qual alunos são os protagonistas da aquisição de
estão inseridos. Esta interação na seu conhecimento, além de que fortalecem
modalidade de atuação científica e suas relações interpessoais, onde a
profissional exige, de todo profissional uma cooperação, o respeito, a tolerância e a
abertura para superar um paradigma até sensibilidade são aprimoradas, sendo de
agora profundamente enraizado nos total valor no decorrer da vida, tanto
professores, que é o modelo atual acadêmica como profissional.
disciplinar de aprendizagem.Trabalha-se

REFERÊNCIAS transdisciplinaridade II – coordenação executiva


do CETRANS. São Paulo: TRIOM, 2002.
[1] Almeida Filho, N. Transdisciplinaridade e [5] Florentino, J. A.; Rodrigues, L. P.
saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva. II (1-2), Disciplinaridade, interdisciplinaridade e
1997. complexidade na educação: desafios à formação
[2] Barros, M. Metodologias ativas no ensino docente. Educação Por Escrito. v. 6, n. 1, p. 54-67,
de Biologia. UFPE: Centro de Educação, 2015. jan.-jun. 2015.
[3] Borochovicius, E.; Tortella, J. C. B. [6] Japiassu, H. Interdisciplinaridade e
Aprendizagem Baseada em Problemas: um patologias do Saber. Rio de Janeiro-RJ: IMAGO,
método de ensino-aprendizagem e suas práticas 1976.
educativas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas [7] Mello, L. S.; Rojas, J. Interdisciplinaridade
em Educação. v. 22, n. 83, p. 263-294, June na educação: ação dos grupos de pesquisa
2014 . construindo conhecimento em parceria. Currículo
[4] Coll, A. N.; et al. Educação e sem fronteiras, v. 14, n. 1, p. 226-242, 2014.

Educação no Século XXI - Volume 7


124

[8] Nogueira, N. R. Pedagogia dos projetos: [11] Sopelsa, O.; Trevisol, M. G.; Mello, R. O.
uma jornada interdisciplinar rumo ao Transdisciplinaridade como base para
desenvolvimento das múltiplas inteligências. São reconstrução dos saberes docentes no ensino
Paulo: Érica, 2001. fundamental com vistas à qualidade da
[9] Rocha, E. F. Metodologias Ativas: um educação. Revista Educação PUC-Campinas.
desafio além das quatro paredes da sala de aula. v.20, n.2, p.95-106, maio/ago., 2015.
ABED, 2014. [12] Souza, S. C.; Dourado, L. Aprendizagem
[10] e transdisciplinaridade em educação: baseada em problemas (ABP): um método de
cinco princípios para resgatar o elo perdido. aprendizagem inovador para o ensino educativo.
Revista Brasileira de Educação. v.13 n.37 jan./abr. HOLOS. ano 31, v.5, p.182-200, 2015
2008.

Educação no Século XXI - Volume 7


125

Capítulo 18

Jeane Marta Guedes Aguiar -


Rinaldo da Silva Neres -
Sandra Dayse de Albuquerque Ugiette -
Irenice Bezerra da Silva

Resumo:O presente artigo trata-se de um relato de experiência cujo objetivo é


descrever a importância e os impactos positivos da Plataforma UniRec utilizada
em projetos pedagógicos inovadores na rede de ensino do Recife por meio de
cursos semipresenciais e nas oficinas pedagógicas e tecnológicas a distância
promovida pela Diretoria Executiva de Tecnologia na Educação, Gerência de
Anos finais e Rede TEIAS/EFER. Os resultados evidenciaram que essa modalidade
pode ser utilizada em toda rede apontando novas possibilidades de espaços
formativos. O modelo hibrido utilizado como estratégia de ensino-aprendizagem
permitiu aos docentes uma maior reflexão sobre os impactos dessa modalidade
em atividades fazendo uso das tecnologias na educação. A experiência tem
apontado a importância da articulação entre a EaD e a formação continuada em
serviço, mudanças de autoconhecimento, inovação das metodologias que
fomentam nos docentes a construção de projetos de aula que utilizam os recursos
da tecnologia.

Palavras-chave: Plataforma UniRec, tecnologias, formação continuada

Educação no Século XXI - Volume 7


126

AGRADECIMENTOS em apropriação de saberes e metodologias


inovadoras em sala de aula. Afinal, vivemos
Agradecemos aos professores da rede de
em um mundo digital e não temos como
ensino do Recife que acreditaram na
não abordar ou mesmo deixar de explorar a
plataforma UniRec participando ativamente
aplicação dessas tecnologias no cotidiano
com entusiamo dos cursos ofertados e
escolar. Segundo ALMEIDA (2007):
contribuindo com sugestões para a melhoria
da qualidade dos nossos serviços. A tecnologia na escola e no processo
educacional precisa ser vista como parceira
do educador, auxiliando-o no aprendizado
1. INTRODUÇÃO com os alunos, na tentativa de criar
coisas novas, nas pesquisas, cursos, e na
No âmbito da Secretaria de Educação, por
relação entre a teoria e prática como
meio da Diretoria Executiva de Tecnologia na
componentes da tarefa docente.
Educação da Prefeitura do Recife- DETEC,
o fortalecimento da política de formação Em 2016 os cursos ofertados por meio da
continuada nos processos educacionais, nas plataforma UniRec em parceria com setores
modalidades presencial e semipresencial, da Divisão de Inovações Pedagógicas em
EAD, vem trazer contribuições na formação Tecnologia, a Escola de Formação de
de pessoas, desenvolvendo habilidades e Professores -EFAER e a Gerência de Anos
competências para reelaboração e produção Finais foram: Robótica para Campeonatos,
de novos conhecimentos, visando também à Tecnologia Assistiva e Inclusão para os
consolidação do uso e integração das Professores AEE, Rádio e Música na Escola
tecnologias na educação. Esse processo de para Multiplicadores, Cinema na Escola
apropriação das linguagens tecnológicas para Coordenadores Pedagógicos,
acontece por meio de formações que são Animação digital para Professores e
realizadas em duas modalidades: Multiplicadores, Formação em EAD e Tutoria
presencial/semipresencial e a distância. Na Online e o curso Preparatório para exames
modalidade a distância, a UniRec congrega e seletivos. Dessa forma, o presente relato
coordena as ações de formação no âmbito da procura descrever o papel da Plataforma
Prefeitura do Recife, sua estrutura de ensino UniRec utilizada nos projetos inovadores na
consta com apoio pedagógico, tecnológico rede de ensino do Recife por meio de
e administrativo às atividades de ensino e cursos semipresenciais e nas oficinas
aprendizagem dos cursos e programas de pedagógicas e tecnológicas à distância
EaD de responsabilidade da Secretaria de realizadas em 2016.
Educação em parceria com órgãos da
Prefeitura do Recife e com instituições
públicas e privadas de ensino. 2. REFERENCIAL TEÓRICO
A política de ensino da rede municipal no A educação a distância (EAD) está cada vez
eixo a tecnologia na educação, apresenta mais tomando espaço. O objetivo é suprir
constante utilização de ações fazendo uso parte das deficiências existentes hoje na
das tecnologias. A DETEC com o objetivo de educação. Todos os recursos tecnológicos
desenvolver a educação do Recife por meio disponíveis, hoje, diminuem as dificuldades
das tecnologias, e tendo como visão ser existentes pela distância física entre alunos e
excelência e referência em educação e professores. A tecnologia permite que alunos
inovação tecnológica, atuando no tempo e professores sintam-se próximos,
presente para a construção da escola do contribuindo para o aprendizado colaborativo
futuro. e possibilitando o armazenamento, a
distribuição e o acesso às informações
Nesse contexto, a Unidade Virtual de Cursos
independentemente do local em que estejam.
a Distância da Secretaria de Educação da
Prefeitura do Recife- UniRec, vinculada à
DETEC, vem fortalecendo os espaços
3. REFLEXÕES ACERCA DO USO DAS
formativos de multiplicação de saberes e
TECNOLOGIAS POR MEIO DA FORMAÇÃO
da utilização das tecnologias na escola por
EM EAD
meio da formação na modalidade EAD.
Visando melhor compreender os aspectos
O uso das tecnologias em espaços
envolvidos neste relato procuramos aqui
pedagógicos vem despontando cada vez
especificar uma síntese de cada curso.
mais o interesse e necessidade do docente

Educação no Século XXI - Volume 7


127

O curso Robótica para Campeonatos foi prática. As mesmas passaram pelo torneio da
direcionado aos estudantes e professores Olimpíada Brasileira de Robótica tanto
multiplicadores da RMER que atuam na regional quanto nacional. Os professores
DETEC, visando a preparação de equipes multiplicadores atuaram na mediação dos
das unidades escolares de anos finais da trabalhos com robótica nas escolas e Torneios
Secretaria de Educação do Recife para de Robótica em cada unidade escolar em
competição em robótica, principalmente OBR 2017.

Figura 1 Cursos/plataforma UniRec

O curso Tecnologia Assistiva e Inclusão das atividades propostas, atentando para as


para os Professores AEE tinha como objetivo datas de envio.
refletir acerca das concepções da
A proposta do curso buscou também
Educação Inclusiva, a teoria, a prática e o
mecanismos tecnológicos para qualificar o
uso das Tecnologias Assistivas no contexto
acesso, a permanência e a aquisição do
social e escolar, a qualificação dos
conhecimento dos estudantes com
processos de ensinoaprendizagem e a
deficiência, Transtorno do Espectro Autista e
melhoria da qualidade de vida dos
Altas Habilidades/Superdotação;
estudantes da Rede Municipal de Ensino do
Identificando as tecnologias assistivas
Recife.
existentes na escola e a sua utilização no
O mesmo foi estruturado em momentos fazer pedagógico cotidiano, apoiando os
presenciais e a distância, perfazendo uma professores do AEE na sensibilização, no uso
carga horária total de 160 horas. Os e na socialização de atividades envolvendo
encontros presenciais foram realizados em tecnologias assistivas. O curso também
datas e locais definidos pela coordenação fomentou ações para uma escola inclusiva
do curso e os momentos a distância utilizando as tecnologias assistivas, a
ficaram disponíveis para que cada cursista mediação do professor do AEE e os demais
distribuísse seu tempo da forma que lhe foi atores que compõem a comunidade escolar.
mais conveniente durante o desenvolvimento

Educação no Século XXI - Volume 7


128

Outro curso ofertado por meio da Plataforma Claymation); animação digital utilizando o
UniRec foi o de Rádio e Música na Escola Pivot e etapas de pré-produção, roteiro e
para Multiplicadores visando fomentar a fotografia.
implantação da Rádio Escolar nas unidades
Um dos cursos promovidos pela Rede
de ensino da RMER. Este tinha como norte os
TEIASEFER por meio da UniRec foi o de
seguintes objetivos:
Formação em EAD e Tutoria Online
Compreender a composição do Conselho direcionado para professores, visando
Geral da Rádio Escola nas unidades ampliar o quadro de tutores de cursos nesta
educacionais; modalidade. O programa procurou trabalhar
os conceitos básicos de Educação a
Implantar junto à direção e coordenação
Distância (EaD), principais funcionalidades
das escolas o Rádio de pátio e Web Rádio;
da Plataforma MOODLE, conceitos que
Promover o acesso a materiais de pesquisa fundamentam a especificidade do trabalho da
que contextualize o rádio, a música e a Tutoria na EaD e Mediação pedagógica
história local, nacional e internacional; em espaços virtuais. Além de conhecer e
praticar bastante os recursos pedagógicos e
Fazer a ponte entre as escolas, as UTECS e a
técnicos do MOODLE.
Equipe do Rádio Escola Recife no
acompanhamento do funcionamento dessas O Preparatório para Exames Seletivos foi
rádios e na divulgação de informações ofertado em parceria com Gerência de
relevantes para a concretização de projetos educação integral e anos finais, seu público
dentro da escola. alvo foram os estudantes de Anos Finais da
Rede Municipal de Ensino do Recife. No
Cinema na Escola para coordenadores
AVA/UniRec, os estudantes encontraram
Pedagógicos teve como objetivo propiciar
semanalmente vários simulados com
um aprofundamento teórico sobre o trabalho
questões de matemática e língua portuguesa
com cinema na educação, articulado com o
em preparação para exames seletivos do
Projeto Político Pedagógico da Escola, de
IFPE e de outras instituições de ensino.
modo a favorecer a percepção do profissional
Nesse espaço interativo, os participantes
sobre os impactos que este recurso pode
puderam conversar com os professores e
causar no ensino-aprendizagem. O curso
tirar dúvidas em relação aos conteúdos
visava contribuir com ideias que favoreçam o
abordados no curso. Os mesmos receberam
uso da ferramenta pedagógica “cinema na
acompanhamento tanto virtual quanto
escola como instrumento de aprendizagem
presencial dos professores colaboradores. O
lúdico e prazeroso, contribuindo para a
sucesso do curso com o resultado das
formação de cidadãos críticos, reflexivos e
avaliações, no final de 2016, levou a
atuantes.
proposta a ser ampliada pela referida
Neste curso foi abordado o cinema como gerência.
arte, sua história e principais técnicas de
Observamos aqui, o relato de alguns
produção de vídeos. Estes temas são
professores que utilizaram a plataforma
importantes para que se tenha um
UniRec para desenvolver seus cursos, estes
panorama geral de como é feito o cinema.
narram a importância de um Ambiente
Também enfatizou uso pedagógico do
Virtual de Aprendizagem:
cinema com projetos de formação, produção,
exibição, socialização e acervo que já estão
ocorrendo na Rede Municipal de Ensino do
Adilza Gomes, professora do curso de
Recife, cujo trabalho de cinema na escola já
Tecnologias Assistivas, disponibilizado na
regulamentado em lei municipal.
plataforma UniRec.
O curso de Animação digital para
“Muitas vezes eles (alunos) não podem
Professores e Multiplicadores tinha como
estar presentes por terem que estar
finalidade abordar a história da animação,
fazendo outras coisas.E a educação a
bem como incentivar a produção de vídeos
distância permite que você faça no teu
animados que foi fruto do trabalho com os
horário, em qualquer tempo”.
estudantes da rede. Visava também conhecer
diferentes tipos de animação digital: Márcia Nogueira, professora do curso
animação quadro a quadro; animação de Formação em EAD e Tutoria Online,
quadro chave; animações bidimensionais ou disponibilizado na plataforma UniRec.
2D; animação 3D (Animação com Pixilation e

Educação no Século XXI - Volume 7


129

“É muito importante porque o cursista A carga horária dos cursos variava de acordo
independentemente de onde mora, pode com o projeto didático do mesmo, que era
fazer o curso no conforto de sua casa entre 20 até 160 horas. Alguns cursos
caso tenha computador com acesso à foram estruturados com encontros
internet”. presenciais como espaços de
aprofundamento de temáticas já abordadas
Adriana Cavalcanti, professora do curso
no curso. As demais horas foram compostas
de Planilhas Eletrônicas.
por atividades individuais e coletivas
realizadas a distância, com o uso intenso do
ambiente virtual de aprendizagem UniRec.
Como pode ser observado nos depoimentos
dos professores acima o elemento A organização da sala de aula virtual
flexibilização na EAD parece ser apontado procurou seguir o planejamento de acordo
como aspecto positivo no oferecimento de com a definição do público que desejavam
formação nessa modalidade. atingir com seu conteúdo específico. Após
está fase, o professor conteudista juntamente
com responsável pelo curso, especificavam
4. PERCURSO METODOLÓGICO o cenário no qual ocorreria a aprendizagem,
incluindo elementos como título do curso e
Há uma diversidade de discursos sobre
cada unidade, autor responsável pela oferta,
trabalhar as tecnologias na escola, e muitos
abordagem pedagógica, objetivos de
desses envolve a formação do professor e
aprendizagem, papéis, conteúdos,
como a política de ensino da rede vem
atividades, mídias e ferramentas e outros
trabalhando esse grupo. A Secretaria de
requisitos específicos do contexto nesta
Educação do Recife, por meio da Diretoria
modalidade. Lembramos que a plataforma
Executiva de Tecnologia na Educação,
UniRec foi construída para os educadores
possui diversos projetos de cursos na área
da RMER que pretendem ampliar
de tecnologia. Tendo em vista a dificuldade
possibilidades de aprendizagem.
do professor em cumprir a carga horária letiva
e estar em permanente atualização, A metodologia utilizada para elaboração do
principalmente no tocante às tecnologias que relato foi um levantamento dos dados obtidos
vem em constante expansão, a UniRec na própria plataforma, bem como, os
possibilita oportunidades de oferta de resultados apresentados no relatório final da
diversos cursos aos professores da Rede UniRec em 2016 e alguns relatos de
Municipal de Ensino do Recife, estudantes e professores conteudistas. A maior parte das
comunidade em geral e vem contribuindo informações se limitaram à experiência
para o processo de formação continuada com o acompanhamento e participação
docente, propiciando o acesso ao em algumas formações na modalidade EAD
conhecimento nas diversas temáticas na no uso da Plataforma UniRec.
modalidade semipresencial e a distância,
haja vista, um dos elementos para EAD
acontecer é não haver limites de espaço 5. RESULTADOS E DISCUSSÕES
geográfico/tempo.
Ressaltamos que os resultados dessas
Em 2016 foram proporcionados pela DETEC, formações em EAD promovem ações por
por meio da Plataforma UniRec, 7 cursos meio de projetos que impactam diretamente
para os docentes com o objetivo de os estudantes nas escolas, pois a
multiplicar as práticas educativas na tecnologia aliada ao processo de
qualificação dos processos de aprendizagem, proporcionando
ensino/aprendizagem e na melhoria metodologias produtivas e proveitosas;
contínua da qualidade de vida dos motiva o estudante a assumir seu
estudantes da Rede Municipal de Ensino do protagonismo. A prova disso é observada no
Recife fazendo uso das tecnologias em acompanhamento realizado diretamente pela
diferentes contextos, pois as mesmas coordenação da DETEC e registrados em
parecem impactar diretamente na instrumentos específicos de avaliação das
aprendizagem dos discentes. ações realizadas nas escolas. Na UniRec
analisamos por meio de relatórios ao final
Até o 2º semestre de 2016, participaram da
de cada curso, como também semestral e
formação cerca de 800 professores, oriundos
anual.
das diferentes escolas da RMER.

Educação no Século XXI - Volume 7


130

Observamos também que a flexibilização do conteúdos e as atividades planejadas e


tempoespaço para estudo destaca-se como propostas para serem implementadas no
importante na formação nessa modalidade, planejamento dos projetos nas escolas.
conforme mencionado pelos professores.
Nesse sentido, este relato teve como objetivo
Consideramos também como resultado das descrever o papel da Plataforma UniRec
formações a ampliação de projetos como; utilizada nos projetos inovadores na rede
Cinema na Escola, Rádio Escola, criação de ensino do Recife por meio de cursos
de curta e animação digital, Técnicas de semipresenciais e nas oficinas pedagógicas
animação digital, orientações para o uso de e tecnológicas a distância. Para nortear o
tecnologias assitivas como livox e tablets, e mesmo foi realizado um levantamento no
outros. banco de dados da Plataforma, assim como
análise de relatórios que justificassem a
importância do uso da Plataforma UniRec no
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS contexto da EAD nas formações promovidas
pela RMER. Os resultados evidenciaram que
Promover formação sobre projetos
essa modalidade pode ser utilizada em toda
inovadores nas escolas na modalidade EAD
rede apontando novas possibilidades de
é um grande desafio, pois é preciso
espaços formativos.
entender que a proposta didática de um
curso nessa modalidade não possui a A experiência aponta para a importância,
mesma configuração da formação cada vez mais crescente, da articulação
totalmente presencial. As oficinas e entre a EaD e a formação continuada,
formações em EAD devem ser mudanças de autoconhecimento, inovação
especificamente elaboradas objetivando os das metodologias que fomentam nos
sujeitos do contexto que se deseja atingir, docentes a construção de projetos de aula
com orientações dialógicas, visando que utilizam os recursos da tecnologia.
continuamente integralizar o docente aos

REFERÊNCIAS [3] Manual de Formação, DETEC (2016)-


Prefeitura do Recife – Secretaria Executiva de
[1] Almeida, M. E. B. Tecnologias na Escola: Tecnologia
a perspectiva dos gestores sujeitos de uma [4] Mec, Brasil. (2007). Referenciais para
formação. VIII Congresso da Rede Íbero elaboração de material didático para EAD no
Americana de Informática na Educação. Costa Ensino Profissional e Tecnológico, p.03-06-16.
Rica, 2006. Trabalho completo publicado em CD- Disponível em:.Acesso em março de 2014.
ROM e na Internet: http:// [5] Política de ensino: tecnologia na
www.una.ac.cr/ribieFaria, M; Silva, R. EAD: O educação/organização: Jacira Maria L’Amour
Professor e a Inovação Tecnológica- Revista Barreto de Barros, Élia de Fatima Lopes Maçaira,
Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, Katia Marcelina de Souza- Recife:Secretaria de
São Paulo, Dez. 2007. Educação, 2015.( vol.05).
[2] Litto, F. (2010). Aprendizagem a distância
São Paulo: Imprensa oficial.

Educação no Século XXI - Volume 7


131

Capítulo 19

Ana Patrícia Henzel Richter


Rodrigo Gobbi
Claudinei Walter Simons
Marcos Hivan Petter Machado
Luana Priscila Wunsch

Resumo: O presente artigo, de cunho qualitativo, é fruto de uma pesquisa entre os


alunos e os professores do Curso Técnico em Informática nos laboratórios de um
colégio da rede pública de ensino em Palmeira das Missões, Rio Grande do Sul.
Visa descrever o desenvolvido e a implantação de um software em linguagem
Object Pascal, ambiente Delphi, e banco de dados Firebird, para o controle de
carga horária dos professores, cuja grade curricular é organizada por
competências. O sistema baseou-se, principalmente, em tabelas oriundas do
Microsoft Excel, as quais eram preenchidas de forma manual pelo coordenador
pedagógico, obedecendo aos critérios do Plano de Curso e formatação do horário
semestral, dada a carga horária estabelecida para cada professor e seu respectivo
curso. Durante a pesquisa, percebeu-se que o programa agilizou o controle
realizado pelo coordenador, suprimindo, inclusive, possíveis erros e/ou
inconsistências que normalmente aconteciam, sobretudo quando o preenchimento
das tabelas era manual. Além disso, o sistema oportunizou uma reflexão sobre as
práticas efetivas realizadas em sala de aula, bem como a aproximação da
comunicação e da interação entre alunos e professores através de ambientes para
além de computacionais.

Palavras-chave: “Educação Profissional”; “Competências do século XXI”; “Banco de


Dados”; “Linguagem de Programação”; “Ambientes Computacionais”.

Educação no Século XXI - Volume 7


132

1 INTRODUÇÃO Os cursos técnicos, nomeadamente, eram:


Administração, Contabilidade, Informática e
Não somente na produção industrial, mas no
Saúde Bucal.
setor de serviços, o crescimento do conteúdo
informativo no trabalho, a variedade de Nesse contexto, os professores se
ferramentas que tratam a informação e as conectaram aos seguintes assuntos:
grandes redes de informação e comunicação educação profissional, globalização da
tendem a fazer desaparecer as fronteiras economia, necessidades contemporâneas da
entre os empregos da administração e os intelectualização dos trabalhadores,
outros setores. Em outras palavras, isso pedagogia por competências e contexto
favorece a mobilidade e a flexibilização entre educacional do colégio. De forma sucinta,
os empregos, que, até pouco tempo atrás, também abordam a aplicabilidade do sistema,
apresentavam-se como categorias isoladas. destacando como objetivos dessa pesquisa:
(1) modelar um sistema a partir de tabelas de
Nesse sentido, as abordagens das escolas
controle de horários dos cursos técnicos da
técnicas profissionais precisam ser
escola pesquisada; (2) desenvolver um
revisitadas, especialmente quanto à formação
sistema em ambiente Delphi, cuja linguagem
de um profissional conectado com essa
de programação seja o Object Pascal, a partir
realidade, que deve ser capaz de se adaptar
da modelagem; (3) criar/gerenciar um banco
às inúmeras contingências operacionais,
de dados FireBird a partir do sistema em
contribuindo significativamente para a
Delphi; (4) implantar/utilizar o sistema para
melhoria da sociedade em que faz parte.
controle de carga horária na escola em
Com efeito, não se trata mais de uma questão; (5) ambientar/treinar os usuários
qualificação formal/qualificação para utilização do sistema de controle de
prescrita/qualificação profissional para carga horária; (6) desenvolver, a partir da
desenvolver tarefas específicas de um posto utilização, uma nova versão (versão 2.0) que
de trabalho, estabelecidas pela empresa, à contemple os dispositivos móveis e a
guisa de grades salariais, ou, ainda, pelos computação em nuvem, viabilizando a
sistemas de formação para certificação ou comunicação instantânea entre professores e
diplomação, onde as tarefas estavam alunos; (7) ambientar os alunos para as
descritas e podiam ser visualizadas. Agora, práticas efetivas, cujos conteúdos sejam
corresponde à qualificação real do trabalhados em sala de aula, aproximando
trabalhador, compreendida em um conjunto alunos, professores e colégio.
de saberes oriundos de instâncias como
“conhecimento científico”, “formação
profissional” ou “conhecimento técnico”, e 2 A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TÉCNICA
experiência de trabalho social ou BASEADA EM APRENDIZAGEM POR
“qualificações tácitas” (FERRETTI, 2004). COMPETÊNCIAS
O relato a seguir é fruto de uma pesquisa Ao longo do tempo, ocorreram mudanças
realizada com alunos e professores do Curso significativas nos modos de produção, no
Técnico em Informática de um colégio público mercado nacional e internacional, nas
de Palmeira das Missões/RS, a partir de relações de trabalho e na educação. Sob
atividades realizadas nos laboratórios. O essa perspectiva, baseando-se na
resultado foi o desenvolvimento de um escolarização dos jovens, as empresas usam
programa de computador com linguagem de e adaptam formações escolares individuais,
programação Object Pascal, no ambiente em função dessas exigências. A
Delphi, além da implementação de um banco aprendizagem é orientada para a ação e a
de dados Firebird, intitulado “Sistema para avaliação das competências se baseia em
Controle de Competências na Educação resultados observáveis (MANFREDI, 2016).
Profissional” (CCH Desktop – Versão 1.0),
A partir desse cenário, destaca-se que a
passível de ser instalado em plataformas
“pedagogia das competências” ganhou forma
Windows ou Linux.
nos anos 1980, na Europa e na França, sendo
A ideia do software surgiu a partir de tabelas implementada na Charte des Programme, de
geradas no Microsoft Excel, sob a 1992. Assim, são enunciados os princípios
responsabilidade do coordenador diretivos dos programas de ensino para todos
pedagógico, o qual compilava a carga horária os ciclos da educação geral. Esse documento
dos demais professores que atuavam nos pode ser considerado a passagem de um
quatro cursos técnicos disponíveis no colégio. ensino centrado nos saberes disciplinares

Educação no Século XXI - Volume 7


133

para um ensino que produz competências contabilizam-se mais de 100 pessoas) e de


verificáveis em situações específicas número de estudantes (cerca de 1.300
(DELUIZ, 1996). alunos) é a maior da 20ª Coordenadoria de
Educação do Rio Grande do Sul.
Nesse caso, a pedagogia das competências
é voltada para objetivos de referência (na O uso de aplicativos para a geração de
educação geral), referenciais (educação planilhas eletrônicas, como o Microsoft Excel,
profissional) e referenciais de atividade (nas facilita e organiza diversas atividades, sendo
empresas). A educação técnica e profissional elas domésticas, profissionais ou de
é, então, orientada para objetivos definidos, a pesquisa. No entanto, dentro desse contexto
partir de competências terminais a serem escolar, na medida em que os anos foram
adquiridas no final do curso, do ano, da passando, manter/alimentar/controlar a carga
formação (ou do módulo/etapa, no caso dos horária dos cursos técnicos tornou-se uma
Cursos Técnicos do colégio em questão), as tarefa difícil e complexa. Além disso, era
quais são detalhadas e descritas em termos amplamente suscetível a falhas humanas, já
de saberes e ações. que colunas e linhas estão intimamente
relacionadas e a exclusão equivocada de
Tais competências são avaliadas por meio de
alguns desses itens poderia comprometer a
critérios de desempenho. Assim, a
confiabilidade dos dados levantados. Ou seja,
identificação das competências requeridas
distrações, erros de digitação, equívocos em
pelos empregos é operada por referenciais
fórmulas, supressão de linhas e colunas, etc.,
construídos na mesma lógica e utilizadas no
poderiam gerar planilhas corrompidas e/ou
ensino técnico e profissional.
incorretas.
Diante dessas constatações, o
3 APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS desenvolvimento e a aplicabilidade de um
RESULTADOS software se tornou viável, possível e altamente
desafiante aos alunos e professores do
A educação profissional do colégio
técnico.
pesquisado optou por estruturar a sua grade
curricular a partir do ensino por Portanto, devido à complexidade do processo
competências, conforme aponta o seu manual, convencionou-se que a modelagem e
Regimento Escolar, o desenvolvimento de um sistema em Delphi,
com banco de dados FireBird, contribuiriam
a educação profissional integrada às
para que os resultados dessa conferência
diferentes formas de educação, ao trabalho, à
fossem mais efetivos/confiáveis/estáveis.
ciência e à tecnologia, conduzindo ao
Destaca-se, então, os inúmeros ganhos,
permanente desenvolvimento de aptidões
desde a consistência do que está sendo
para a vida produtiva e ao exercício da
analisado até a credibilidade das
cidadania, tem como finalidade a formação de
informações, assim como a aplicação de
profissionais com competências para atuar no
tecnologias presentes no colégio e que
mundo do trabalho (CETM Regimento Escolar,
poderiam ser utilizadas para o
2008).
aperfeiçoamento/aprimoramento de tarefas
Cabe observar que o colégio oferta quatro pedagógicas.
cursos técnicos, a saber: Curso Técnico em
Por meio das ferramentas de desenvolvimento
Administração, Curso Técnico em
citadas, foi criado o “Sistema para Controle de
Contabilidade, Curso Técnico em Informática
Competências na Educação Profissional”
e Curso Técnico em Saúde Bucal. Entretanto,
(CCH Desktop – versão 1.0) para desktop
o Curso Técnico em Contabilidade foi o
(instalação local), abrangendo as plataformas
primeiro a funcionar e está em atividade
Windows e Linux, cujo uso foi destinado à
desde 2003, sendo que, na época, o seu
coordenação pedagógica, sob orientação dos
currículo era organizado por disciplinas. Em
desenvolvedores. Posteriormente, o grupo
2007, o mesmo migrou para competências.
expandiu o sistema, tornando-o uma
Os quatro cursos técnicos descritos acima ferramenta multiplataforma (Windows, Linux e
são responsáveis pela formação técnica de, Android) ao alcance da internet, do
aproximadamente, 300 alunos/ano, o que armazenamento em nuvem e dos dispositivos
corresponde a 23,07% do universo discente móveis. Sua denominação passou a ser
da escola, cuja estrutura física, de recursos “Sistema para Controle de Competências On-
humanos (entre professores e funcionários line” (CCH On-line – versão 2.0), sob a origem

Educação no Século XXI - Volume 7


134

de novas ferramentas, como linguagem de especializou a organização da grade de


programação e banco de dados específicos horários definidas pelo colégio, pela
para web. coordenação pedagógica dos cursos
técnicos, para os professores, em
favorecimento das necessidades discentes.
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS
Cabe também destacar que o mesmo
Sob o cenário descrito, materializou-se o propiciou a realização de atividades práticas
controle da carga horária, perante uma grade efetivas entre alunos, professores e ambientes
curricular, onde as competências foram as computacionais.
bases do trabalho. Com isso, o
Por fim, a implantação do CCH Desktop
desenvolvimento de planilhas acabou por
melhorou o acompanhamento, criação e
delinear um sistema, intitulado “Sistema para
organização dos horários dos cursos
Controle de Competências na Educação
técnicos, facilitando o trabalho pedagógico e
Profissional”, ou CCH Desktop (versão 1.0),
de coordenação, e favorecendo a criação de
destinado a ambientes Windows e Linux. O
uma segunda versão, o CCH On-line (versão
sistema foi capaz de reduzir/suprimir falhas
2.0), essencial para novas plataformas
humanas, ao mesmo tempo em que
operacionais, dentro do contexto da internet.

REFERÊNCIAS
[1]. CETM – Colégio Estadual Três sobre a apropriação das noções de
Mártires. Regimento Escolar: qualificação profissional pelos
Educação Profissional. Palmeira das estudos a respeito das relações entre
Missões, 2008. trabalho e educação. Educação e
Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 87,
[2]. DELUIZ, Neise. O modelo das
p. 401-422, maio/ago 2004.
competências profissionais no mundo
do trabalho e na educação: [5]. MANFREDI, Silvia Maria. Educação
implicações para o currículo. Boletim Profissional no Brasil: atores e
Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. cenários ao longo da história. Jundiaí:
27, n. 3, p.12-25, maio/ago 2001. Paco Editorial, 2016.
[3]. ______. A globalização econômica e [6]. TARTUCE, Gisela. Algumas reflexões
os desafios à formação profissional. sobre a qualificação do trabalho a
Boletim Técnico do SENAC, Rio de partir da sociologia francesa do pós-
Janeiro, v. 22, n. 2, p.15-21, maio/ago guerra. Educação e Sociedade,
1996. Campinas, v. 25, n. 87, maio/ago
2004.
[4]. FERRETTI, Celso. Considerações

Educação no Século XXI - Volume 7


135

Capítulo 20

Irenice Bezerra da Silva


Sandradayse de Albuquerque Ugiette
Adriana dos Santos Rodrigues Cavalcanti
Maria Emilia Maciel da Silva

Resumo: Este relato de experiência se propôs a mostrar como os estudantes dos


cursos de informática básica, oferecidos pelas Unidades de Tecnologia da
Prefeitura do Recife (UTEC), especificamente pela Utec Cristiano Donato,
aprenderam sobre a importância da robótica na sociedade e ao mesmo tempo
desenvolveram habilidades através do uso das ferramentas do Google Drive.
As atividades foram desenvolvidas numa sequência de 12 aulas com duração
de 4 horas cada no período de agosto a setembro de 2015. Os estudantes
tiveram a oportunidade de realizar pesquisas, debater em sala com os colegas,
assistir vídeos, realizar visita à Secretaria Executiva de Tecnologia na Educação -
SETE para participar de uma apresentação sobre os tipos de robótica, criar
relatórios. Ao final da experiência vivenciada, através de seminários,
apresentaram os resultados de suas aprendizagens no Google Drive, bem como,
podemos perceber que o uso das ferramentas tecnológicas contribuiu para a
apropriação de um novo conceito de robótica e sua importância para a sociedade
atual.

Palavras-chave: Editor de texto; Google Drive; Robótica.

Educação no Século XXI - Volume 7


136

1 INTRODUÇÃO: conhecimento. Nosso Objetivo foi promover


a compreensão dos estudantes sobre
A Secretaria de Educação do Recife
conceitos de robótica bem como sua
evidencia na sua Política de Ensino no eixo
importância para a sociedade de um modo
Tecnologia na Educação uma política de
geral utilizando as ferramentas do Google
inclusão no uso das ferramentas
Drive. Buscamos, ainda, desenvolver
tecnológicas para a comunidade recifense de
habilidades no que se refere a criar,
um modo geral e, especificamente, nas
digitar, editar e formatar textos e
camadas mais populares. Nessa
apresentações nos documentos do Google;
perspectiva, as Unidades de Tecnologia na
refletir sobre a importância da robótica na
Educação – UTEC por meio da Secretaria
sociedade; Instigar a criatividade dos
Executiva de Tecnologia – SETE (nota de
estudantes na realização e apresentação de
rodapé à época), dentre os cursos
trabalhos sobre o tema estudado com
oferecidos, destacaremos “Informática
espontaneidade e autonomia, interagindo
Básica de Editor de Texto e Apresentação”.
com seus pares.
Esses cursos são oferecidos partindo-se de
uma temática, pois o objetivo não é oferecer
a informática pela informática, e sim,
2 REFERENCIAL TEORICO:
trabalhar a informática contextualizada com
situações/temas de interesse dos cursistas. A construção da política de tecnologia da
RMER iniciou no final da década de 1980
Assim sendo, no segundo semestre de 2015 a
com a formulação da proposta pedagógica
equipe da UTEC Cristiano Donato resolveu
da rede em que, à época, a educação
oferecer o curso de uma forma diferente,
tecnológica permeava em todas as áreas
utilizando o Google Drive e não os editores
do conhecimento, como afirma
de texto e apresentação, como de praxe
(NASCIMENTO, 1986-1988).
(Word/Power point), em momentos
presenciais e a distância. A temática A partir desse momento, houve uma
escolhida para se trabalhar com os alunos crescente evolução na RMER utilizando a
foi “a robótica na sociedade”, tendo em Tecnologia da Informação e Comunicação -
vista a disseminação do tema na mídia, o TICs em sintonia com as ações do MEC em
projeto desenvolvido na Rede Municipal de nível nacional, conforme citação abaixo.
Ensino do Recife – RMER sobre robótica e,
A introdução das tecnologias na Rede
sobretudo o interesse dos meus alunos em
Municipal de Ensino do Recife acompanhou
explorar esse assunto, por perceberem que a
as ações desenvolvidas no cenário
robótica está em todo lugar e as
nacional, influenciadas pelas inovações
possibilidades que a mesma oferece,
tecnológicas ocorridas ao longo das últimas
inclusive na prestação de serviços para a
décadas, assumindo um papel de vanguarda
sociedade em geral.
no campo da Tecnologia na Educação.
Dessa forma, surgiu o projeto utilizando o (RECIFE, 2015 p. 25)
Google Drive como ferramenta pedagógica
A política de ensino da RMER no eixo
no ensino de robótica e as possibilidades
Tecnologia da Educação faz um resgate
que as ferramentas tecnológicas promove
histórico sobre as ações desenvolvidas pela
além dos muros das escolas. Essa
Secretaria de Educação ao longo dos anos
experiência foi muito rica e desafiadora
(RECIFE, 2015). Contudo, faz-se necessário
haja vista o momento que a Rede Municipal
mencionar essa evolução para chegarmos à
de Ensino do Recife – RMER estava
atualidade sobre a transposição da política
vivenciando com a implantação da Unidade
tecnológica para as escolas,
Virtual de Cursos a Distância – UNIREC.
consequentemente, nas ações desenvolvidas
Nesse sentido, o artigo “Tecnologia na com os estudantes.
educação: Utilizando o Google Drive como
Nesse sentido, a sua inserção no processo
ferramenta pedagógica no ensino de
educacional torna-se imprescindível para
robótica”, discorrerá acerca dessa
qualquer política de desenvolvimento social.
experiência focando em dois eixos: 1. a
Para tanto, a Prefeitura do Recife, por meio da
inovação da oferta desse curso para a
Secretaria de Educação, vem
comunidade recifense; 2. O uso da
desenvolvendo políticas de tecnologias na
tecnologia na educação, como ferramenta
educação que visam inserir e integrar a
pedagógica para a construção do
escola municipal nesse processo, uma vez

Educação no Século XXI - Volume 7


137

que o acesso às tecnologias, na RMER, não consideráveis para a aprendizagem dos(as)


é mais o principal desafio. O maior desafio estudantes, desde a creche até o 9º ano do
é instrumentalizar e preparar a escola, os Ensino Fundamental. (RECIFE, 2015 p. 43).
(as) professores (as) e os (as) estudantes
No item seguinte, explicitaremos nos
para utilizarem essas tecnologias e não
procedimentos metodológicos como
apenas para melhorar o que já se fazia, ou
trabalhamos o tema com os estudantes.
simplesmente “fazer parte” do ciberespaço,
mas utilizá-las de forma a desenvolver na
escola capacidades para trabalhar em
3 PROCEDIMENTOS METODOLOGICOS:
grupo, para a colaboração, a autoria, e
para a socialização e o compartilhamento de Antes de nos debruçarmos sobre esse
saberes e conhecimentos (RECIFE, 2015 p. assunto se faz necessário discutirmos um
32). pouco sobre o conceito de robótica
começando pela definição de robô a partir
Nessa perspectiva, as ferramentas
da seguinte pergunta: Afinal, o que é um
tecnológicas devem estar a serviço desses
robô? De acordo com J. A. M. Felippe de
estudantes, nativos digitais, interagindo e
Souza, a p u d R.I.A., 'Robôics Institute of
construindo o conhecimento no processo de
America' (Instituto Americano de Robótica)
ensino aprendizagem e, mais ainda, sendo
robô é:
protagonista do saber.
Um manipulador reprogramável e
O (a) estudante do século XXI não é mais
multifuncional projetado para mover materiais,
um ser passivo. Ele(a) passa a ser um(a)
partes, ferramentas ou dispositivos
colaborador(a) do processo de ensino e
especializados através de movimentos
de aprendizagem, e os(as) professores(as)
variáveis programados para desempenhar
assumem o importante papel de estimular
uma variedade de tarefas.
esses(as) estudantes a buscarem
informações e conteúdos adequados ao Outra definição trazida por Souza (2005),
currículo e às disciplinas escolares, numa “Um robô é uma máquina projectada para
construção coletiva, participativa e imitar algumas acções humanas. Não
colaborativa. Para que esse (a) estudante precisa se parecer com o ser humano, mas
esteja apto(a) a ser, fazer, conhecer, tem que executar as tarefas
conviver e trabalhar, atuando ativamente no automaticamente”. Desta forma a definição
novo contexto cultural, social e político, a de robô que podemos utilizar, tem como
escola se prepara para essa nova premissa a robótica como uma ciência
concepção do que é importante e multidisciplinar que reúne várias outras
interessante para o(a) estudante aprender ciências como a Física, a matemática, a
(conteúdos), de como aprender (mediado economia, a mecânica, a eletrônica, dentre
por novas metodologias), com o que outras.
ensinar e aprender (novos recursos
Ao observarmos sobre a existência dos robôs
didáticos) e o que desenvolver nos(as)
iremos perceber que eles estão em todos os
estudantes (novas habilidades). (RECIFE,
lugares, na indústria; dentro dos nossos
2015 p.37).
lares para uso doméstico; nos hospitais.
Assim sendo, diante das inquietações dos Tudo isso nos leva a refletir sobre o impacto
meus estudantes sobre “Robótica na que a robótica vem causando na sociedade.
Sociedade” e considerando a introdução da Na educação, as coisas não são diferentes.
robótica na RMER com o Programa Robótica Nossos alunos não podem ficar a mercê
e Inovação Tecnológica, inaugurado por desse conhecimento, precisamos trazer a
meio do Decreto Municipal nº 27.699/2014, robótica para dentro da sala de aula, pois
conforme citação abaixo. segundo Morelato, Nascimento, Abreu e
Borges (2010), o estudante será capaz de
O ano de 2014 foi um marco no que se
desenvolver várias habilidades como
refere à introdução da robótica nas escolas
solucionar problemas lógico matemático e
municipais. Utilizando-se das mais
aprender conceitos ligados a física e a
avançadas propostas pedagógicas, a
matemática além de levar os a l u n o s a
expectativa foi a de que o investimento
refletir e fazer questionamentos sobre
realizado - estrutura física, equipamentos,
assuntos discutidos em sala de aula. Nessa
formação de professores(as) e de
perspectiva Fiorio, Esperandim, Silva, Varela,
estudantes - possa trazer resultados
Leite, Reinaldo (2014) nos dizem o seguinte:

Educação no Século XXI - Volume 7


138

A robótica educativa visa levar o aluno a como seria o curso, os alunos criaram o seu
questionar, pensar e procurar soluções, e-mail do Gmail com a ajuda da professora
saindo da teoria para a prática usando para ter acesso ao Google Drive e explorar
ensinamentos obtidos em sala de aula, na suas ferramentas.
vivência cotidiana, nos relacionamentos, nos
As demais aulas foram organizadas da
conceitos e valores.
seguinte forma:
O projeto foi vivenciado em 12 aulas com
Na 3ª aula discutimos sobre robótica e os
duração de 4h cada no segundo semestre de
alunos foram organizados em duplas para
2015. O intuito era levar o aluno a conhecer e
realizar uma pesquisa na internet sobre:
fazer uso das ferramentas do google Drive na
“O que é robótica” e exploraram algumas
elaboração de textos e apresentações a partir
ferramentas do Google Drive como copiar,
do ensino da robótica.
colar textos e imagens. Na 4ª aula realizaram
As duas primeiras aulas foram para que os uma visita ao Centro de Tecnologia na
alunos aprendessem alguns conceitos sobre Educação e Cidadania (C E T E C ) para
hardware e software e conhecer a nova apreciação de uma apresentação de robótica
proposta do curso. Após compreenderem com a professora.

Na 5ª aula os alunos discutiram, em grupo, pesquisas e atividades no Google Drive para


assuntos relacionados a robótica ensinados serem compartilhadas com a professora e os
na Rede municipal de Ensino do Recife colgas da sala, criaram relatórios, dentre
(humanoide, encaixe e livre) e fizeram outras atividades.
comparações do que pesquisaram com o
Da 9ª até a 11ª foi o momento de
que ouviram e viram na palestra que
sistematização dos trabalhos a serem
participaram no CETEC
entregues e apresentados como culminância
O 6º encontro foi uma aula expositiva para do projeto.
exploração dos recursos do Google Drive
Como produto final,os alunos realizaram dois
dentre eles a criação de slides. Após a
trabalhos em grupos e compartilharam no
exposição da aula, os alunos criaram slides
Google Drive com a professora da turma e
com imagens sobre robótica pesquisadas na
com os colegas de sala. O primeiro trabalho
internet e fotos tiradas no encontro do
foi um relatório sobre a experiência
CETEC, essa atividade foi a primeira parte do
vivenciada com relação a Robótica e as
trabalho em grupo que seria apresentado.
ferramentas do Google Drive; o segundo
A partir da 6ª aula até a 8ª, os alunos trabalho foi uma exposição oral desse
discutiram sobre a temática; assistiram relatório para a direção da UTEC, os colegas
vídeos sobre o assunto; participaram de aulas de sala e alguns convidados do CETEC.
expositivas e dialogadas; realizaram

Educação no Século XXI - Volume 7


139

Figura 2 (Apresentação em grupo dos trabalhos dos cursistas)

4 APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS:


RESULTADOS:
Oferecer um curso básico de informática no
O projeto foi vivenciado com duas turmas ambiente do Google Drive para alunos que
diferentes, uma nas terças e quintas e a outra não tinham conhecimento nenhum em
nas quartas e sextas. Apesar das informática foi um verdadeiro desafio. Isso
dificuldades que surgiram conseguimos porque o aluno precisa acessar
alcançar nossos objetivos. As aulas no constantemente a internet, tarefa que não
ambiente do Google Drive levaram o aluno a acontece no curso básico “tradicional”. Mas
refletir sobre a importância e a riqueza de o curso foi ganhando força e simpatia
poder criar, elaborar seus trabalhos sem a dos alunos pela temática que foi
preocupação de salvar em um pen drive ou desenvolvida e dessa forma, o Google
no próprio computador já que os mesmos Drive tornou-se apenas uma ferramenta de
estarão guardados nas nuvens e poderão aprendizagem pois o conteúdo principal foi a
ser acessados em qualquer computador em robótica na sociedade.
lugar desde que o mesmo tenha acesso a
No início foi um pouco difícil pois o curso
internet. Os alunos aprenderam a criar,
iniciou justamente no período que a utec
formatar e compartilhar documentos do
ficou sem estagiário para dar apoio durante
Google Drive. Além de aprenderem sobre
as aulas. No entanto, apesar das
esse recurso maravilhoso, tiveram a
dificuldades, os alunos alcançaram os
oportunidade de conhecer um pouco sobre
objetivos propostos, aliás, foram além do
robótica.
esperado e isso é bastante gratificante. No
final, mesmo com suas limitações, todos os
cursistas estavam satisfeitos com o término
do curso.

REFERÊNCIAS:
[1]. Fiorio, R., Esperandim, R. J., Silva, F. [4]. MEC, Brasil. (2007). Referenciais
A., Varela, P. J., Leite, M. D., & para elaboração de material
Reinaldo, F. A. F. (2014). Uma didático para EAD no Ensino
experiência prática da inserção da Profissional e Tecnológico, p.03-06-
robótica e seus benefícios como 16. Disponível em:.Acesso em
ferramenta educativa em escolas março de 2014.
públicas. Simpósio Brasileiro de
[5]. MORELATO, L. A., BORGES, M. A. F.
Informática na Educação, 25.
Avaliando Diferentes Possibilidades
[2]. Litto, F. (2010). Aprendizagem a De Uso Da Robótica Na Educação
distância São Paulo: Imprensa oficial. Robotics In Education: Evaluation Of
Possible Uses - Revista pós cruzeiro
[3]. Manual de Formação, DETEC
do Sul - REnCiMa, v. 1, n. 2, p. 80-96,
(2016)- Prefeitura do Recife –
jul/dez 2010
Secretaria Executiva de Tecnologia

Educação no Século XXI - Volume 7


140

[6]. NASCIMENTO, E. A. Governo Jarbas [8]. RECIFE (PE) Prefeitura.


(1986-1988) O ciclo de alfabetização Acompanhamento e avaliação
e o conformismo c i e n t í f i c o - educacionais: uma nova
tecnológico d a s m a s s a s . 1995. possibilidade de organização.
Dissertação ( Mestrado e m Cadernos da Educação Municipal,
Educação) -Centro de Educação, Recife, v.1, 2008.
Universidade Federal de
[9]. . Proposta pedagógica da rede
Pernambuco. Recife, 1995.
municipal de ensino do Recife:
[7]. Política de ensino: tecnologia na construindo competências: versão
educação/organização: Jacira Maria preliminar. Recife, 2002.
L’Amour Barreto de Barros, Élia de Mimeografado.
Fatima Lopes Maçaira, Katia
[10]. . Plano municipal de
Marcelina de Souza-
educação: retrospectiva: bases
Recife:Secretaria de Educação,
legais. Recife, 2005.
2015.( vol.05).

Educação no Século XXI - Volume 7


141

Capítulo 21

Luciano Frontino de Medeiros


Armando Kolbe Junior
Alvino Moser

Resumo: O presente artigo refere-se a um relato de experiência sobre o uso do


assistente cognitivo THOTH (sigla para Training by Highly Ontology-oriented
Tutoring Host – Aprendizagem por Servidor de Tutoria com Alta Orientação a
Ontologias). THOTH consiste num sistema capaz de perfazer a tutoria de conteúdo
relativo a uma área de conhecimento específica. O desenvolvimento teve como
premissas teóricas a aprendizagem adaptativa, a teoria da postura intencional de
Daniel Dennett, tendo menções à taxonomia de objetivos de Bloom e elementos de
microaprendizagem. O conhecimento é armazenado em uma ontologia composta
de objetos com alta granularidade, no formato de triplas objeto-atributo-valor,
tornando possível a recuperação de conteúdo via linguagem natural em uma
interface ergonômica, simulando um chatterbot. Além do conhecimento
propriamente dito, THOTH permite ao aluno a autogestão do aprendizado, gráficos
de acompanhamento e apresentação de exercícios com feedback orientado aos
objetos. O contexto de aplicação se deu em um curso superior de tecnologia em
Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na disciplina de Inteligência Artificial
Aplicada. A metodologia do estudo contemplou uma pesquisa de percepção da
ferramenta com questões em escala Likert, após o uso inicial de THOTH pelos
alunos. Os resultados foram ordenados de forma qualitativa em duas categorias:
intencionalidade e interatividade. De forma preliminar, houve uma boa aceitação da
ferramenta por parte dos alunos, sendo constatado um melhor desempenho nos
aspectos da interatividade da ferramenta e indicando pontos de melhoria para os
de intencionalidade. De forma geral, THOTH demonstrou potencial para utilização
em processos de tutoria de conteúdo, sendo relevante de menção um aluno com
necessidades educacionais especiais, apresentando quadro de paraplegia;
manifestando-se positivamente quanto ao uso da ferramenta..

Palavras-chave: assistente cognitivo; tutor inteligente; ontologias; aprendizagem


adaptativa; intencionalidade.

Educação no Século XXI - Volume 7


142

1. INTRODUÇÃO
A segunda década deste século tem se 2. PRESSUPOSTOS TEÓRICOS
notabilizado pelo avanço vertiginoso das
A aprendizagem adaptativa sempre foi
tecnologias educacionais, potencializado pelo
associada à possibilidade de uso de
uso da Inteligência Artificial e permitindo
tecnologias da Inteligência Artificial para
novas abordagens com relação à
transpor o aspecto estático de ferramentas
aprendizagem adaptativa. Sistemas robustos
tais como os ambientes virtuais de
de perguntas e respostas (Q&A– question and
aprendizagem, que adequam-se apenas a um
answer systems), tendo como o ápice deste
modelo de aluno. Tecnologias tais como a
desenvolvimento o IBM Watson, estão
geração de linguagem natural e Inteligência
demonstrado alto potencial para contemplar
Artificial não simbólica já foram visualizadas
tarefas relativas à prospecção de
contendo potencial para ferramentas que
conhecimento na Internet, tarefas de Big Data,
possam se adaptar às características
uso de linguagem natural e buscas
individuais dos alunos (BRUSILOVSKY, 2001;
semânticas (BHATTACHARYYA, 2013). Aliado
PALAZZO et al., 2003).
a isto, a necessidade de transpor a linha
divisória das metodologias estáticas em Entretanto, a eficácia das interações de um
educação por artefatos que possam lidar de usuário com um chatterbot está relacionada
forma dinâmica com as necessidades do com a possibilidade de o usuário perceber
aluno demonstra o potencial do uso deste tipo uma "mente" no outro lado da interface, de
de ferramenta, particularmente em acordo com a postura intencional de Daniel
modalidades de educação a distância. Dennett (DENNETT, 2006). A estratégia
básica de uma postura intencional trata a
Aliado a este fato, o uso de tutores
entidade que é a contraparte da conversação
inteligentes é uma boa tendência para
como um agente capaz de prever e até
reforçar as necessidades crescentes na área
mesmo explicar suas ações e movimentos.
de educação para a melhoria da
Envolve um gesto de interpretar o
interatividade de ferramentas. As tecnologias
comportamento do outro como sendo
que oferecem interfaces com a linguagem
racional, tendo crenças e desejos que regem
natural são uma boa opção para obter
por sua vez as escolhas e decisões.
melhores interações pelo uso de agentes de
interface conversacional incorporados Desta forma, um assistente cognitivo deve ter
(PREECE; ROGERS; SHARP, 2011) os embutido em seu modelo funcionalidades
conhecidos chatterbots (MAULDIN, 1994). além daquelas oferecidas por um sistema Q &
A, tendo em mente o objetivo de tornar uma
Este trabalho apresenta THOTH (sigla para
conversa crível manifesta em linguagem
Training by Highly Ontology-oriented Tutoring
natural. Esse tipo de sistema tem condições
Host – Aprendizagem por Servidor de Tutoria
de oferecer o conhecimento para
com Alta Orientação a Ontologias), um
proporcionar a compreensão de conteúdos,
sistema concebido para atuar como um
devidamente organizados em uma ontologia
assistente cognitivo para tarefas de tutoria de
construída de forma a recuperar esses
conteúdo. THOTH é desenvolvido de forma a
conteúdos sob demanda. No entanto, para
oferecer uma interface de acesso via Web,
superar a abordagem simples de um
rodando em um servidor capaz de atender a
processo de "busca" em direção a conversas
vários alunos online, conectados ao mesmo
críveis, a interação deve ser permeada por
tempo. Seu modelo de conhecimento é
outro modo de fala, mudando para uma
implementado utilizando ontologias de
conversa mais "humana". Seguindo esta linha,
domínio, sendo implementada de forma a
THOTH é concebido como um assistente
proporcionar ao usuário a recuperação de
cognitivo ou de aprendizagem com o objetivo
conteúdos a partir de perguntas feitas na
de prover conhecimento de um domínio
interface.
específico, armazenado e estruturado em
O artigo está estruturado de forma a ontologias, utilizando uma interface de
apresentar a estrutura geral da ferramenta linguagem natural que se adapta às questões
THOTH, pressupostos teóricos, a metodologia formuladas pelo aluno.
referente ao relato da experiência
A utilização de THOTH no contexto de um
contemplando uma pesquisa de percepção, a
processo de ensino e aprendizagem justifica-
discussão de alguns pontos relevantes e as
se como uma ferramenta complementar,
considerações finais.
tendo os dois objetivos cognitivos básicos

Educação no Século XXI - Volume 7


143

fundamentados na taxonomia Bloom: pares de perguntas-respostas relativas à


“lembrar” e “compreender” (BRITTO; USMAN, gestão do aprendizado (manipuladas pelo
2015). No nível “lembrar”, estão incluídos os Agente de Resposta Determinística).
comportamentos que dão ênfase ao registro
Agente de Conversação: interage com os
das unidades de informação susceptíveis de
Agentes de Busca Probabilística, Perguntas e
serem assimiladas. Com relação ao nível
Respostas e o agente “Self”, para
“compreender”, há uma expectativa sobre a
proporcionar as respostas de cunho
compreensão dos conteúdos transmitidos aos
probabilístico ao aluno.
alunos e, portanto, podem fazer uso das
ideias e conceitos retidos. Agente de Resposta Determinística: interage
com os Agentes de Busca Determinística,
Outro aspecto explorado pela ferramenta
Agente de Perguntas e Respostas e o Agente
refere-se ao uso de elementos de
Self, para proporcionar respostas
microaprendizagem. A microaprendizagem
determinísticas ao aluno.
lida com unidades de aprendizagem curtas, a
serem aprendidas em curto prazo. Enquanto Agente Self: contém informações de THOTH
que o termo "microaprendizagem" pode se referente à sua autodescrição, utilizadas na
aplicar a conteúdos, processos, tecnologias, apresentação inicial da ferramenta ao aluno
competências ou grupos de aprendizes, o (ou quando demandado).
significado subjacente afirma que o processo
Agente de Eventos: conectado diretamente
de aprendizagem precisa ocorrer em minutos,
com a BC, responsável pelo envio periódico
em vez de horas ou dias (HUG; FRIESEN,
de fragmentos de conteúdos (triplas OAV),
2009; HUG; MARTIN; BRUCK, 2006; SOUZA;
“empacotadas” como pequenas mensagens e
AMARAL, S. F. Do, 2014). A organização da
enviadas para os alunos cadastrados com
ontologia na forma de triplas OAV (objeto-
uma conta no Twitter, explorando o aspecto
atributo-valor) permite que aspectos
de microaprendizagem.
relacionados com a microaprendizagem
possam ser explorados por THOTH, tal como Com relação à descrição da BC, a ontologia
o envio periódico de mensagens curtas ao de domínio constitui-se numa representação
aluno por meio de uma rede social. de alto nível de granularidade dos objetos
relativos a uma área de conhecimento,
contendo atributos e valores associados a
3. ESTRUTURA E FUNCIONALIDADES estes atributos, perfazendo triplas de
representação OAV. A ontologia utilizada para
THOTH foi modelado de forma a conter dois
a aplicação de THOTH foi construída para
módulos principais: a Base de Conhecimento
suprir os conhecimentos relativos à disciplina
(BC) e a Interface de Linguagem Natural
de Inteligência Artificial Aplicada de um curso
(ILN), conforme a figura 1. A ILN é dividida,
de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. A
por sua vez, em sete agentes:
ideia chave foi definir uma hierarquia de
Agente de Busca Determinística: processa as conteúdos e cada objeto refere-se a uma
buscas quando o objeto e o atributo extraídos parte de conteúdo. Para um objeto podem
da sentença informada pelo aluno estão bem existir vários atributos na forma de definição,
definidos. conceito, exemplos, links, imagens, relação
com outro objeto, comentários, autores,
Agente de Busca Probabilística: processa as
vídeos, etc. Na última versão de THOTH, a
buscas quando o objeto e o atributo extraídos
ontologia para a disciplina de IAA continha 86
da sentença informada não estão bem
objetos, 65 atributos e 265 valores diferentes,
definidos, sendo disparada uma métrica de
constituindo um total de 278 triplas OAV
proximidade de palavras para identificação
(Figura 2). Também estavam implementados
dos elementos (objetos ou atributos)
65 tipos diferentes de atributos possíveis para
envolvidos.
um objeto.
Agente de Perguntas e Respostas: contém

Educação no Século XXI - Volume 7


144

Figura 1 – Diagrama Esquemático de THOTH.

Exemplificando, um aluno pode fazer uma do padrão de resposta <objeto> é <valor>,


pergunta a THOTH tal como: “O que são ou “O conceito de <objeto> é <valor>”. No
redes neurais?”. O Agente de Busca caso de uma subsentença que não seja
Determinística irá procurar um objeto na encontrada na base de Perguntas e
ontologia a partir da divisão e parsing de Respostas, o Agente de Conversação entra
possíveis objetos dentro da sentença pelo em cena e perfaz a busca aproximada, em
Agente de Resposta Determinística; A busca conjunto com o Agente de Busca
será bem sucedida, retornando o objeto Probabilística.
“redes neurais”. A seguir, o Agente de Busca
Com o objeto e o atributo recuperados, a
Determinística divide novamente a sentença
ontologia retorna um ou mais valores que
em um vetor com várias subsentenças
estão associados ao par objeto-atributo
possíveis, procedendo a busca na base de
informado. O objeto e o valor são colocados
Perguntas e Respostas. Como resultado, será
no padrão de resposta retornado e o Agente
recuperada a subsentença “o que é”,
de Resposta (ou o Agente de Conversação)
combinando com o atributo “conceito”, além
retorna a resposta na para o aluno.

Educação no Século XXI - Volume 7


145

Figura 2 – Imagem aumentada de uma parte da ontologia implementada em THOTH para a


disciplina de Inteligência Artificial Aplicada.

THOTH possui um sistema de avaliação que respostas erradas, THOTH redirecionará para
permite ao aluno a qualquer momento verificar o objeto específico sem, no entanto, fornecer
quantos conceitos foram estudados em a resposta correta. Como as questões estão
relação ao total, assim como os conceitos que associadas aos objetos, THOTH pode
ainda faltam estudar. O feedback é dado na fornecer também um relatório detalhado por
forma de texto e com gráficos responsivos. objetos das respostas corretas obtidas em
Para praticar os conceitos estudados, THOTH relação ao total de respostas, indicando quais
fornece um módulo de exercícios contendo os objetos que o aluno deve concentrar
um conjunto de questões objetivas, esforços. Na figura 3, é mostrado um exemplo
selecionadas de forma aleatória ponderada de conversação de THOTH com um usuário
pela dificuldade. No caso do aluno fornecer fictício.

Figura 3 – Exemplo de uma conversação.


(conectando...)
[Thoth]: Como vai, Usuário! Tudo bem?
[Thoth]: Seja bem-vindo! Fique à vontade para perguntar.
[Thoth]: Na última vez, sua pergunta foi 'quem era john mccarthy'...
[Thoth]: O último objeto pesquisado foi 'John McCarthy'...
[Usuário]: O que é rede neural
[Thoth]: (Pesquisando sobre: conceito)
[Thoth]: conforme Haykin (2004), rede neural refere-se a processador maciçamente e
paralelamente distribuído, constituído de unidades de processamento simples, que tem a
propensão natural para armazenar conhecimento experimental e torná-lo disponível para o uso
[Usuário]: Qual o meu aproveitamento geral?
[Thoth]: (Pesquisando sobre: ajuda, aproveitamento geral)
[Thoth]: Sua performance global nos exercícios é de 70.30%
[Usuário]: Que conteúdos eu preciso reforçar?

Educação no Século XXI - Volume 7


146

[Thoth]: (Pesquisando sobre: ajuda, reforço de objetos)


[Thoth]: Os objetos que precisam de reforço são: fato (50%), agir racionalmente (50%), regra (50%),
pensar racionalmente (52%) e linhas de pesquisa (55%)
[Usuário]: Você tem link sobre rede neural
[Thoth]: (Pesquisando sobre: rede neural, link)
[Thoth]: de autoria de Cérebro e Mente, tem o seguinte link: O que são Redes Neurais Artificiais
(http://www.cerebromente.org.br/n05/tecnologia/rna.htm)
[Thoth]: Quer abrir este site?
[Usuário]: Sim
[Thoth]: O link está disponível
[Thoth]: Acessando...

4. RELATO DE EXPERIÊNCIA o grau de aprendizagem e compreensão teve


4.62, o potencial para explicação de
THOTH foi introduzido em uma aula específica
conceitos obteve 4.25 e o grau de
de uma turma de Inteligência Artificial
“humanidade” alcançou 4.46, significando
Aplicada, modalidade presencial, com 19
assim um grau aceitável do desempenho de
alunos. Após uma apresentação de THOTH e
THOTH. As subcategorias relacionadas à
suas funcionalidades, os estudantes
intencionalidade obtiveram notas
começaram a interagir com THOTH por
relativamente menores, sendo relevante a
aproximadamente uma hora e meia. A
percepção da “inteligência” subjacente com
interface de THOTH foi programada para,
3.83 e a sensação de se falar com uma
após 100 interações com o estudante,
pessoa com 3.75. Um resultado interessante
habilitar o preenchimento de um formulário
foi a preferência da interação humana ao
com 12 questões com 5 graus em escala
sistema ter obtido 2.33. Entretanto, com
Likert, fundamentadas em duas categorias
relação à presença de uma personalidade, a
chave para avaliar a percepção:
nota média obtida foi de 2.75.
“intencionalidade”, visando mensurar os
aspectos da postura intencional de Dennett; e Uma análise qualitativa demonstrou algumas
“interatividade”, baseada nas características respostas, na questão aberta a comentários,
de usabilidade e comunicabilidade. Enquanto demonstrando um grau positivo com relação
a categoria “interatividade” buscava mensurar às questões de intencionalidade, enquanto
aspectos objetivos, a “intencionalidade” que as opiniões mais críticas ficaram com o
buscava os aspectos mais subjetivos no aspecto da interatividade. Por exemplo, “Eu
mapeamento da percepção da ferramenta. achei interessante e divertido” ou “É muito
importante o conhecimento (de THOTH) para
Com relação à interatividade, foram
os alunos”. Uma opinião colocou “Eu achei
mapeados as seguintes subcategorias: i)
fácil de compreender e utilizar. A noção de
potencial para explicação de conceitos; ii)
um assistente falando com você é uma ideia
grau de aprendizagem e compreensão; iii)
legal e eu vejo isto sendo implantado no
lista de questões predefinidas; iv) grau de
futuro, ajudando as pessoas em muitas
“humanidade” da conversação”. V)
coisas”. Outra opinião interessante foi “O
atratividade do diálogo; e vi) uso de THOTH
sistema pareceu para mim muito confiável e
como ferramenta de apoio. Relativo à
fácil de usar. As questões estavam bem
intencionalidade, as questões tratavam de
formuladas e as respostas estavam bem
mapear as subcategorias: i) percepção de
fundamentadas, expandindo nosso
uma “inteligência” subjacente; ii) sensação de
conhecimento”.
se falar com uma pessoa; iii) presença de
uma “personalidade”; iv) preferência da Algumas questões ressaltaram ao tempo
interação humana ao sistema. gasto na utilização de ambientes virtuais de
aprendizagem: “No caso deste sistema estar
De maneira geral, a categoria “interação” teve
presente no início do AVA, as interações
boa avaliação por parte dos alunos.
poderiam ser mais atrativas”. Uma resposta
Considerando na escala Likert a nota 1 como
ressaltando a postura intencional de Dennett:
a mais desfavorável e 5 como mais favorável,

Educação no Século XXI - Volume 7


147

“Acredito que quando o sistema responde a para responder: “O tempo de resposta


questão com alguns erros (de grafia) e retorna deveria ser menor”. Em suma, pode-se
a resposta correta ou questiona alguma coisa verificar que a categoria “intencionalidade” foi
dizendo que não compreendeu o que foi avaliada de forma mais positiva que a
perguntado, mostra na minha opinião que ele “interatividade”.
está pensando como um ser humano, sendo
fácil de enganar uma pessoa normal em um
chat”. É interessante ressaltar que esta 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS
resposta foi dada por um aluno com
A avaliação da percepção de THOTH pelos
necessidades especiais, com quadro de
alunos forneceu diversos subsídios para
paraplegia e movimentos restritos nos
melhorar o desenvolvimento da interface,
membros superiores, tendo apenas o
mostrando o potencial de utilização da
movimento do seu braço esquerdo para
ferramenta em processos de ensino e
operar um teclado e touchpad no seu
aprendizagem de forma complementar. No
notebook.
próximo passo, a ideia é testar THOTH de
Respostas mais críticas, ainda que em tom forma mais intensiva em uma turma durante o
construtivo, estiveram relacionadas mais ao desenvolvimento de um semestre. Também
design da interface. Algumas impressões está sendo planejada a aplicação com alunos
colocaram: “Eu fiquei um pouco perdido da modalidade de ensino a distância.
quanto aos boxes das opções” ou “Eu acho
Em termos metodológicos, o uso de duas
que o box dos objetos deveria aparecer
categorias de avaliação, “intencionalidade” e
antes”. Como o procedimento padrão de
“interatividade”, permitiram uma série de
THOTH no primeiro acesso é explicar um
insights relativos a diversos aspectos de
tutorial do seu uso, uma opinião manifestou
THOTH. Para a próxima avaliação, planeja-se
preocupação quanto ao tempo utilizado para
fazer uma correlação das conversações
explicar o tutorial: “Deveria ser possível
pontuais dos alunos com a avaliação de
cancelar o primeiro tutorial” ou “O help inicial
percepção da ferramenta.
segura a interação por muito tempo”. Como
os exercícios eram mostrados em uma janela Uma característica interessante de THOTH
popup, alguns browsers estavam bloqueados: reside na construção da ontologia. Em termos
“Não pude abrir o módulo de exercícios”. da inserção do conhecimento na ferramenta,
Uma opinião interessante estava relacionada pode-se pensar no papel do professor sendo
com a caracterização de uma personalidade ampliado para tal tarefa. Outra consideração
para THOTH: “Se dermos uma personalidade se relaciona com o papel de suporte da
além do que já tem, poderia resultar em um ferramenta quanto à mediação do conteúdo.
desconforto para alguém. É melhor deixar A ferramenta não substituiria o professor, mas
inalterado”. Outras manifestações estavam potencializaria seu tempo para enriquecer os
relacionadas ao tempo que THOTH levava processos de ensino e aprendizagem.

REFERÊNCIAS
[1].
[2]. BHATTACHARYYA, P. A survey on [6]. HUG, T.; FRIESEN, N. Outline of a
question answering system. 2013. Disponível em: microlearning agenda. Elearning papers, 2009. v.
<http://www.cfilt.iitb.ac.in/resources/surveys/Questi 16, n. September, p. 1–13. Disponível em:
on Answering Survey-biplab.pdf>. <http://books.google.com/books?hl=en&lr=&id=E5
hUxZjy4JAC&oi=fnd&pg=PA15&dq=Outline+of+a+
[3]. BRITTO, R.; USMAN, M. Bloom’s taxonomy
Microlearning+Agenda&ots=QxdSLENNV7&sig=5Z
in software engineering education: a systematic
2zW6-WsRE0yKEV-OIBZVTsrkI>.
mapping study. [S.l.]: IEEE, 2015. p. 1–8.
Disponível em: [7]. ______; MARTIN, L.; BRUCK, P. A.
<http://ieeexplore.ieee.org/document/7344084/>. Microlearning : emerging concepts , practices and
technologies after e-learning. 1st. ed. Innsbruck:
[4]. BRUSILOVSKY, P. Adaptive hypermedia.
Innsbruck University Press, 2006.
User modeling and user-adapted interaction, 2001.
v. 11, n. 1–2, p. 87–110. [8]. MAULDIN, M. Chatterbots, tinymuds, and
the turing test: entering the loebner prize
[5]. DENNETT, D. C. Brainstorms: escritos
competition. Aaai, 1994. p. 16–21. Disponível em:
filosóficos sobre a mente e a psicologia. São Paulo:
<http://www.aaai.org/Papers/AAAI/1994/AAAI94-
UNESP, 2006.
003.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2014.

Educação no Século XXI - Volume 7


148

[9]. PALAZZO, J. et al. Adaptweb: a teaching- [11]. SOUZA, M. I. F.; AMARAL, S. F. Do.
learning environment adaptable in web. 2003. p. Educational microcontent for mobile learning virtual
175–197. Disponível em: environments. Creative education, 2014. v. 5, n. 9,
<http://www.scielo.br/pdf/er/nspe_/nspea09.pdf>. p. 672–681. Disponível em:
Acesso em: 10 maio 2017. <http://www.scirp.org/journal/PaperInformation.asp
x?PaperID=46252>.
[10]. PREECE, J.; ROGERS, Y.; SHARP, H.
Interaction design: beyond human-computer
interaction. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2011.

Educação no Século XXI - Volume 7


149

Capítulo 22

Graça Regina Armond Matias Ferreira


Sandra Lucia Pita de Oliveira Pereira

Resumo O objetivo deste artigo é relatar o papel lúdico dos jogos educativos na
dinamização do ensino de ciências e biologia, analisando a aprendizagem e
perspectivas dos alunos frente à utilização de um jogo educativo intitulado Dominó
Botânico, tendo sido adaptado, aplicado e validado no ensino EAD e também
híbrido, por intermédio da tecnologia. Como proposta metodológica, foi utilizado as
aulas expositivas, de forma interdisciplinar, adaptação e aplicação do jogo, a coleta
dos relatos dos alunos e mediadores após a realização desta atividade. Como
reflexão inicial foram apresentados os fundamentos teóricos de tecnologias na
educação para a utilização dos jogos e a concepção didática fundamentada nos
Parâmetros Curriculares Nacionais, para a formação de professores. Na sequência,
foi priorizada uma discussão sobre o levantamento de algumas experiências
utilizando o jogo como narrativas na educação básica. Após, foram relatados os
resultados da aplicação do jogo Dominó Botânico para os alunos participantes da
atividade bem como das expectativas e validação do uso dessa ferramenta, de
forma interdisciplinar e contextualizada, na Intermediação Tecnológica. Conclui-se
que, o jogo Dominó Botânico pode ser uma forte ferramenta de auxílio ao
aprendizado significativo de uma forma lúdica, desde que seja realizado um
planejamento prévio e cuidadoso e proporcione condições para a realização do
trabalho de forma interdisciplinar valorizando assim a contextualização no ensino
de ciências, tornando-o mais atrativo.

Palavras-chave: Educação a Distância, Jogos Pedagógicos, Ensino de Ciências,


Formação de professores, Ensino Interdisciplinar.

Educação no Século XXI - Volume 7


150

1 INTRODUÇÃO forma contextualizada e interdisciplinar


através do uso do recurso lúdico “Dominó
O processo de ensino e aprendizagem
Botânico” para fortalecer a aprendizagem no
contemporâneo para ser significativo precisa
ensino de Ciências.
conter estratégias dinâmicas e versáteis,
trazendo conteúdos possíveis de ser O trabalho também proporcionou um
contextualizados e aplicados na comunidade levantamento das possibilidades e
escolar em que o aluno está inserido. A dificuldades na integração dos jogos de
integração das mídias e tecnologias com tabuleiro, pelos professores da educação de
práticas inovadoras no ambiente escolar, ciências naturais, através de uma
nesse processo é urgente, no sentido de uma investigação do uso e aproveitamento desses
busca contínua de atração do jovem jogos nas aulas de Ciências, utilizando este
adolescente do ensino médio, que muitas recurso na diversidade da Educação Básica
vezes utilizam dessas tecnologias somente na rede pública de ensino, bem como na
para diversão e desconhece seu uso no integração para o ensino híbrido.
âmbito educacional.
Baseado nesta concepção, esta investigação
3 REFERENCIAL TEÓRICO
defende que, por meio da interação e da
interdisciplinaridade é possível aprender Nessa situação, muitos espaços escolares em
conteúdos de ciências naturais, utilizando seu tradicional, ou na modalidade EaD,
para isso, os jogos, não somente os continuam reticentes para integrar em seu
classificados como educativos (games contexto as tecnologias digitais e temáticas
sérios), mas os games interativos. Estes são aplicadas à educação, reproduzindo
mais utilizados pelos alunos, em outros situações de inquietude e de perplexidade
espaços de aprendizagem e podem frente às mudanças da sociedade
proporcionar significação, desde que a contemporânea, cercadas de mudanças
narrativa e jogabilidade façam parte culturais e intelectuais.
integrante do processo educativo, tratando de
Em se tratando de educação EAD não é
experiências metodológicas de realidade do
diferente, se as tecnologias estão presentes
professor e aluno.
na sociedade contemporânea, é preciso
Todavia, é primordialmente necessário formar também envolver e incentivar o uso destas
professores para que possam participar nas salas de aula [Pontes, 2000],
ativamente destas ações; através de oficinas principalmente em se tratando de escolas
e envolvimento de caso, levantando as públicas, devido a fornecer um ensino voltado
possibilidades que envolvem essa dinâmica. à inclusão dos alunos às tecnologias digitais
Entretanto, é preciso arriscar e investir na de informação e comunicação aplicadas à
difusão do conhecimento científico destes educação formativa, que devem ser utilizadas
instrumentos na aprendizagem contínua, com coerência e contexto com a realidade
interativa e dinâmico do aluno contemporâneo local, pois segundo Moran [2005], “as
atrelado a currículo inovador para a educação tecnologias permitem um novo encantamento
básica. na escola, ao abrir suas paredes e possibilitar
que os alunos conversem e pesquisem com
Este trabalho foi desenvolvido no contexto da
outros alunos da mesma cidade, país ou do
Educação a distância e no ensino híbrido, aos
exterior, no seu próprio ritmo”.
alunos do Ensino Médio com Intermediação
Tecnológica – EMITEC/BA em 2017, durante Em concordância com o autor, é preciso
as discussões nas narrativas sobre a temática basear as aulas voltadas ao conhecimento
“Botânica” bem como de forma interdisciplinar científico e à formação de posicionamentos
na temática “Economia Solidária”, também em que possam interferir diretamente nas suas
2017. condições de vida, através de um sólido
aprendizado formal aplicados em diferentes
situações da vida de forma colaborativa e
2 OBJETIVOS propondo metodologias interativas [Ferreira,
2010; Alves, 2009; Tavares, 2006; Lima,
O objetivo maior deste relato de experiência
2003].
foi relatar a validação e aplicação de uma
ferramenta educativa, demostrando a O jogo, segundo Piaget [1997], exerce o
possibilidade da utilização das tecnologias papel de regulador da aprendizagem,
contemporâneas nos espaços escolares, de estimula a imaginação, auxilia no processo de

Educação no Século XXI - Volume 7


151

interesse, libera a emoção, facilita a 4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS


construção do conhecimento e promove a
A abordagem metodológica é baseada na
auto-estima, visto que possibilita ao educando
vertente sócio interacionista, através de uma
a construção de suas hipóteses, realização de
pesquisa-ação, buscando atingir os objetivos
inferências, soluções de problemas,
propostos nete trabalho em resposta a uma
constatações e descartes. Contudo, a ênfase
atividade interdisciplinar na área de ciências
dada ao papel da interação social começou a
da natureza, desde o planejamento, execução
influenciar a área de jogos em meados dos
e acompanhamento avaliativo das atividades
anos 1990.
de experimentação durante as aulas do
Os jogos propõem algo que cada vez mais é EMITEC e no ensino híbrido envolvendo a
reconhecidamente importante em pesquisas experimentação em Ciências. As práticas
sobre aprendizagem: colaboração e pedagógicas tiveram um propósito pré-
compartilhamento de estratégias Arnseth, definido, através de aplicações em aulas
[2006]. Este fato é confirmado por Tarouco et. planejadas, tendo como premissa:
al. [2004] quando comenta que: “os jogos proporcionar, através da interatividade e do
podem ser ferramentas eficientes, pois eles entretenimento, um treinamento lúdico e
divertem enquanto motivam, facilitam o participativo, levando à maior absorção e
aprendizado e aumentam a capacidade de retenção das informações, construção de
retenção do que é ensinado, exercitando as conhecimento e estímulo de trabalho em
funções mentais e intelectuais do jogador”. equipe.
Nesta análise, o campo de utilização dos A narrativa utilizada neste trabalho foi a
jogos de tabuleiro em ambientes de temática de Botânica dentre do conteúdo
aprendizagem é um espaço aberto para curricular de Biologia na 2ª série do Ensino
discussões e emprego de experimentações Médio, bem como de forma Interdisciplinar
envolvendo o uso integrado das tecnologias e com diferentes disciplinas e áreas, pautadas
conteúdos midiáticos atrelados ao currículo, na temática de “Economia Solidária” nas 3
promovendo a união entre aprendizagem com séries do Ensino Médio, de forma a
inovação e conteúdo. contextualizar com o tema transversal da 1ª
Unidade de 2017.
Segundo Alves (2009), os espaços de
formação podem ser efetivados através de Foram feitas pesquisas de referenciais
políticas públicas que viabilização recursos teóricos sobre atividades lúdicas e um
para estruturar e consolidar no Brasil o levantamento de ideias sobre a temática do
desenvolvimento de jogos eletrônicos, jogo. O jogo foi aplicado após 4 aulas de
baseados na Lei nº 10.176 (Lei da estudo das principais Classes do Reino das
Informática), que estabelece regras de Plantas, bem como a caracterização do Reino
incentivo fiscais às instituições de ensino e e sua importância ecológica, ambiental, social
pesquisa, a fim de oportunizar a criação e e alimentar. Após as aulas expositivas, como
desenvolvimento de tecnologias, inclusive estratégia de revisão foi aplicado o jogo
jogos e outras mídias digitais com conteúdos “Dominó Botânico” no intuito de fortalecer os
que enfatizem e valorizem a cultura nacional conceitos e características principais de cada
(BRASIL, 2002). grupo trabalhado dentro desta temática, onde
os alunos tiveram oportunidade de resgatar e
É particularmente interessante propor o uso
apreender os conceitos.
práticas pedagógicas como fonte de geração
de situações significativas para a Além disso, durante as aulas da 1ª Unidade,
aprendizagem de Ciências e Biologia, porque foi trabalhado o tema transversal envolvendo
na maioria das vezes, esse conteúdo é a Economia Solidária como forma de
trabalhado de uma forma muito abstrata, sem empreendedorismo social. Nestas aulas, além
qualquer correspondência com situações de trabalhar o tema nas disciplinas foram
concretas. O que valoriza a sua aplicação, planejadas aulas interdisciplinares, onde
criando estratégias e corroborando com houve a participação de convidados externos
novas estratégias de aprendizagem para a para discutir a temática e apresentar novos
diversidade na educação básica, preconizado contextos voltados, por exemplo a
pelos Parâmetros Curriculares Nacionais - manutenção de cooperativas agrícolas, onde
PCN’s (BRASIL,1999) e pelos PCN’s+ (2002). as escolas, por se tratar de uma educação
onde os alunos vivem em zonas rurais, e
muitas vezes utilizam-se desse tipo de

Educação no Século XXI - Volume 7


152

trabalho em sua comunidade. ano de 2017. Os resultados e participações


puderam ser discutidos nos momentos de
Outro ponto positivo foi o de apresentação de
Produção e Interação