Você está na página 1de 4

AO JUIZO DA 4ª VARA CÍVEL DE ITAPERUNA \ RJ.

Processo nº 6002/2011

Distribuição por dependência

José Afonso, nacionalidade, solteiro, engenheiro, portador da cédula de identidade RG


nº .... e inscrito no CPF/MF sob nº ..., endereço eletrônico , residente e domiciliado na
Rua Central, nº 123, bairro Funcionários, Mucurici/ES, por seu Advogado e procurador,
conforme instrumento de mandato em anexo (doc. ...), endereço eletrônico , com
escritório profissional (endereço completo), onde recebe correspondências e intimações
para os atos processuais, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência,
apresentar

EMBARGOS DE TERCEIRO

com fulcro nos art 674 e seguintes, todos do Código de Processo Civil, a ser distribuído
por dependência aos autos da Ação de Execução de Título Extrajudicial nº 6002/2011,
contra Carlos Batista , nacionalidade, solteiro , estado civil, contador, portador da cédula
de identidade RG nº .... , e inscrito no CPF/MF sob nº ..., endereço eletrônico ,residente
e domiciliado na Rua Rio Branco, 600, Itaperuna/RJ, pelas razões de fato e direito a
seguir expostas:

DA TEMPESTIVIDADE

Inicialmente , considerando que a presente ação tem por fundamento desconstituir ato
constitutivo judicial (penhora), decorrente de ação de execução por titulo extrajudicial
nos termos do art 675 caput , do CPC , ainda não houve o transito em julgado da
ação em apreço , portanto , tempestiva a presente ação .

LEGITIMIDADE ATIVA

Conforme passará a demonstrar e provas que junta em anexo, o Embargante é possuidor


direto do bem alvo de pretensão de constrição judicial

Demonstrado, portanto, a legitimidade do Autor para defender a posse do bem em


espécie, nos termos do Art. 674 do CPC, o que não sofre nenhuma resistência nos
Tribunais:
Trata-se, ainda, nos termos do Art. 114 do CPC de listisconsórcio necessário, pela
natureza da relação jurídica controvertida, a eficácia da sentença depende da citação de
todos que devam ser litisconsortes

Assim, considerando que o objeto da ação atingirá diretamente o embargante, pois , faz-
se necessária a inclusão do mesmo no polo passivo da demanda junto com à
Embargada, eis que a decisão judicial originária deste processo os atingirá diretamente
(CPC, art. 47). Nesse sentido:

Evidenciado, portanto, a legitimidade do Embargante nos presentes Embargos de


Terceiro devendo ser manejados, em face das partes que estão em litígio no processo
principal, para processamento e total provimento.

DOS FATOS

José Afonso adquiriu de Lúcia Maria, enfermeira, solteira, residente na Avenida dos
Bandeirantes, 555, São Paulo/SP, por R$100.000,00 (cem mil reais), uma casa para sua
moradia, na cidade de Mucurici/ES, à Rua Central, nº 123, bairro Funcionários.

O Instrumento Particular de Compromisso de Compra e Venda, sem cláusula de


arrependimento, foi assinado pelas partes em 02/05/2011 (doc. ...). O valor ajustado foi
quitado por meio de depósito bancário em uma única parcela (doc. ...).

Dez meses após a aquisição do imóvel onde passou a residir, ao fazer o levantamento de
certidões necessárias à lavratura da Escritura Pública de Compra e Venda e respectivo
registro, José Afonso é surpreendido pela existência de uma penhora sobre o imóvel
(doc. ...), determinada este R. Juízo, nos autos da execução supra, ajuizada por Carlos
Batista, já qualificado, em face de Lúcia Maria, já qualificada, visando receber valor
representado por cheque emitido e vencido quatro meses após a venda do imóvel.

A determinação de penhora do imóvel ocorreu em razão de expresso requerimento


formulado na inicial da EXECUÇÃO por Carlos batista ...(fls) , tendo o credor
desprezado a existência de outros imóveis livres e desimpedidos de titularidade de Lucia
Maria , cidadã de posses na cidade onde reside. Vale destacar , o embargante não é parte
naquele feito .

DO CABIMENTO

Quanto ao cabimento do presente remédio processual, o Código de processo Civil


dispõe:

Art. 675. Os embargos podem ser opostos a qualquer tempo no processo de


conhecimento enquanto não transitada em julgado a sentença e, no cumprimento de
sentença ou no processo de execução, até 5 (cinco) dias depois da adjudicação, da
alienação por iniciativa particular ou da arrematação, mas sempre antes da assinatura da
respectiva carta.

Ainda, apesar de o autor não possuir o registro do referido imóvel, a possibilidade de


apresentação dos presentes embargos encontra assentamento na Súmula 84 do Superior
Tribunal de Justiça cujo teor segue abaixo:

Súmula nº 84 STJ.

"É admissível a oposição de embargos de terceiro fundados em alegação de posse


advinda de compromisso de compra e venda de imóvel, ainda que desprovido do
registro."

Desta forma, tendo em vista que os presentes embargos encontram assentamento tanto
na legislação brasileira quanto na Súmula emanada pela mais alta corte, requer-se seja
recebido, reconhecido e provido pelas razões de fato e direito explanadas.

DOS FUNDAMENTOS

Pelo discorrido, evidencia-se que o imóvel fora adquirido mediante compromisso de


compra e venda ( conforme se comprova com a inclusa copia do contrato ) ,
anteriormente À existência da divida objeto da execução . O embargante já está na
posse do imóvel, a qual se vê turbada pela penhora efetivada . A executada é pessoa de
posses , proprietária de outros bens livres e desimpedidos , os quais serviram para
garantir a divida.

A legitimidade passiva de Carlos Batista decorre da aplicação do principio da


causalidade , eis que a penhora do imóvel de propriedade de Jose Afonso foi formulada
após o requerimento do credor que desprezou a existência de outros bens em nome de
Lucia Maria .

DO DIREITO

CABIMENTO

STJ Súmula nº 84 -18/06/1993

EMBARGOS DE TERCEIRO-ALEGAÇÃO DE POSSE-COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA-


REGISTRO

É inadmissível a oposição de embargos de terceiros fundados em alegação de posse advinda de


compromisso de compra e venda de imóvel, ainda que desprovido do registro .
A determinação de penhora do imóvel ocorreu em razão de expresso requerimento
formulado na inicial da Execução por Carlos Batista (fls....), tendo o credor desprezado
a existência de outros imóveis livres e desimpedidos de titularidade de Lúcia Maria,
cidadã de posses na cidade onde reside. Vale destacar, o Embargante não é parte naquele
feito.

O embargante adquiriu um imóvel, localizado em , mediante Instrumento Particular de


Compromisso de Compra e Venda, sem cláusula de arrependimento, em . O valor foi
totalmente pago em , momento em que deveria ser transmitia a propriedade ao
Embargante. No entanto, ao iniciar o trâmite de transmissão da propriedade, o
Embargante tomou conhecimento da existência de uma penhora sobre o imóvel,
determinada por este Juízo, nos autos da ação de execução supracitado.

Em razão dos fatos acima narrados, evidencia-se que o embargante está sofrendo lesão
grave em seu direito de posse, haja vista que este adquiriu o imóvel através de contrato
de compra e venda em época anterior à da existência da aludida dívida, estando,
portanto, amparado pela legislação mencionada, em especial o disposto no artigo 674
do CPC, que preceitua:

Art. 674 Quem, não sendo parte no processo, sofrer constrição


ou ameaça de constrição sobre bens que possua ou sobre os
quais tenha direito incompatível com o ato constritivo, poderá
requerer seu desfazimento ou sua inibição por meio de
embargos de terceiro.

Igualmente, deve-se considerar o disposto no artigo 678 do Código de Processo Civil,


com o objetivo de afastar a restrição invasiva imposta sobre o imóvel do embargante:

Art. 678 A decisão que reconhecer suficientemente provado o


domínio ou a posse determinará a suspensão das medidas
constritivas sobre os bens litigiosos objeto dos embargos, bem
como a manutenção ou a reintegração provisória da posse, se o
embargante a houver requerido.

Há que se observar, também, que Lúcia Maria, conforme mencionado, é proprietária de


outros imóveis livres e desimpedidos, os quais fornecem perfeitamente garantia para a
dívida que tem para com o credor.