Você está na página 1de 3

CAPÍTULO 10

Lei de Lenz e Faraday


10.1 Objetivos
Estudo de correntes induzidas e transformadores utilizando os fenômenos descritos por
Lenz e Farady.
10.2 Introdução
A lei de indução de Faraday diz que se variarmos o fluxo magnético “Φ” em um circuito
fechado haverá uma FEM “ξ” induzida sobre o mesmo que é proporcional a taxa de variação do
fluxo magnético com respeito ao tempo. Desta forma, em termos matemáticos, a lei de Faraday
pode ser escrita como a equação 01. A lei de Lenz está relacionada ao sentido da corrente induzida
e diz que tal sentido é aquele que produz um fluxo de indução magnética que se opõe à variação de
fluxo magnético que lhe deu origem. Havendo diminuição do fluxo magnético, a corrente criada
gerará um campo magnético de mesmo sentido do fluxo magnético da fonte. Havendo aumento, a
corrente criada gerará um campo magnético oposto ao sentido do fluxo magnético da fonte. Na
figura 01, tem-se uma espira em movimento em direção ao ímã ou se afastando dele. No primeiro
caso (A), a espira está se aproximando, variando o fluxo magnético de tal forma a induzir uma
corrente elétrica “i0” no sentido anti-horário. Esse sentido da corrente gera um campo induzido
contrário ao campo gerado pelo ímã. Na representação de (B), quando a espira está se afastando, a
corrente elétrica induzida “i0” flui no sentido horário, também gerando um campo induzido
contrário ao sentido do campo magnético do ímã. Caso o sistema esteja parado a corrente induzida
cessa.
dispersão do fluxo. Aplicando a lei de
Faraday nas bobinas primaria e secundária
têm-se que:

d p d s
V1   N1 e V2   N 2
dt dt

como Φp = Φs, já que todas as linhas de


campo magnético permanecem dentro do
núcleo, então:
N2
V2  V1
N1

Os transformadores consistem de onde “V2” é a tensão de saída do


duas bobinas com “N1” e “N2” espiras transformador.
enroladas ao redor de um núcleo magnético.
Aplica-se uma tensão (AC) “V1” na bobina
primaria e obtém-se uma tensão “V2” na
secundária (Figura 02). O núcleo magnético
incrementa e concentra o fluxo magnético
através das bobinas. As correntes de Foucault
são reduzidas usando lâminas do material
magnético. O núcleo é fabricado com
material magnético mole de alta
permeabilidade magnética para minimizar a
1
Experimento – Lei de Lenz e Faraday
Turma:_____

Aluno:___________________________________________________________
Aluno:___________________________________________________________
Aluno:___________________________________________________________
Aluno:___________________________________________________________
Aluno:___________________________________________________________

10.3 Materiais Utilizados

• Fonte de tensão
• Multímetro
• Conectores
• Ímã permanente
• Bobina
• Núcleo magnético

10.4 Procedimento Experimental

1. Conecte a bobina com “N” espiras ao amperímetro na escala de 2 mA (DC). O terminal 1


deve estar conectado no terminal COM do amperímetro. A bobina deve estar posicionada
com os fios conectores para cima. Lentamente, aproxime e afaste o ímã da bobina seguindo
a linha reta do seu eixo de comprimento e observe o sinal “+” ou “–“ na leitura da corrente
elétrica na tabela 01. Essas respostas elétricas devem ser anotadas para aproximação e
afastamento de ambos os pólos magnéticos.

2. Montar o circuito da figura 4. Utilize as bobinas (N1 e N2) com números de espiras
conhecidos e determine qual é a bobina primária e a secundária. Calcule a tensão “VS” da
bobina secundária quando a primária tem aplicada uma ddp de 20 V (AC). Da mesma
forma, qual seria a voltagem “VP” se a bobina secundária sofresse essa mesma diferença de
potencial gerada pela fonte de tensão AC?

2
3. Baseado na atividade teórica anterior, usando o mesmo circuito da figura 04, Os bornes da
bobina primária devem ser conectados à saída de 20 V (AC), localizada na parte traseira da
fonte de tensão. Ligar a chave S (Ligar a chave S por um intervalo de tempo menor que
10 segundos!) e anotar o valor da tensão medida nos bornes da bobina secundária.
Analogamente meça a tensão na bobina primária quando a mesma tensão de 20 V (AC) é
aplicada na bobina secundária.

4. Comparar os valores teóricos com os experimentais das atividades anteriores. Se há alguma


diferença mencionar quais poderiam ser as causas.

5. Caso a tensão utilizada na primária fosse contínua (não alternada), qual seria a tensão
obtida na secundária? Utilizar a equação 01 para justificar sua resposta.

6. Se retirarmos a barra reta do núcleo magnético e aplicarmos uma tensão de 20 V (AC) na


bobina primária, a tensão na secundária será maior, menor ou igual ao valor obtido na
atividade do item 3?

7. Uma bobina quadrada de lado 18 cm tem 200 espiras e resistência de 4,0 Ω. Aplica-se um
campo magnético uniforme e perpendicular ao plano da bobina. O campo varia linearmente
desde 0 até 0,5 T em 0,8 s. Quais são os valores da FEM e da corrente induzidas na
bobina? OBS: 1 Volt = 1 Tm2/s.

10.5 Conclusões