Você está na página 1de 12

Carla Vieira Chaves

ORGANIZANDO O COLORIDO:
UMA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO DA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL DA
BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL JOSUÉ GUIMARÃES

Porto Alegre
2009
Carla Vieira Chaves

ORGANIZANDO O COLORIDO:
UMA PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO DA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL DA
BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL JOSUÉ GUIMARÃES

Projeto de pesquisa realizado como pré-requisito


para avaliação da disciplina a BIB 3060 –
Metodologia da Pesquisa aplicada à Ciência da
Informação, do curso de Biblioteconomia da
Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Orientadora: Profa. Ana Maria Dalla Zen


Porto Alegre
2009
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO / 4
1.1 Definição do problema / 5
1.2 Objetivos / 5

2 REFERENCIAL TEÓRICO / 6
2.1 A importância da Biblioteca Infanto-Juvenil / 6
2.2 A classificação como agente facilitador da Literatura Infantil / 8

3 METODOLOGIA
3.1 Universos e sujeitos da pesquisa / 9
3.2 Instrumentos de coleta de dados / 9
3.3 Plano de análise dos dados / 10
3.4 Estudo-piloto / 10
3.5 Cronograma /10
REFERENCIAS / 11
1 INTRODUÇÃO

A equipe da Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães (BPMJG),


localizada no Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues, em seu processo de
informatização e com a preocupação voltada para o usuário, começou a questionar-
se sobre a classificação do acervo de literatura infantil e juvenil, sendo como foco
central a relação entre a organização do acervo e a facilitação desse acesso à
Informação

As bibliotecas públicas infanto-juvenis são indispensáveis e insubstituíveis


para formar e educar os cidadãos, independente de suas idades. Grande parte dos
usuários desse tipo de acervo na BPMJG é constituído por crianças que residem
nos arredores do Centro de Cultura, provindas de uma comunidade carente, utilizam
a biblioteca para suprir suas necessidades recreativas, educativas e informativas. A
BPMJG oferece para essas crianças a oportunidade para desenvolver habilidades
básicas de leitura e escrita, por meio de sala infantil com brinquedos, DVD's, livros,
gibis, etc. Tais recursos ajudam a enriquecer as suas personalidades e ajudam a
estabelecer as suas preferências literárias.

Foi constatado pelos funcionários do serviço de referência, que muitas vezes


elas dirigem-se direto ao acervo para que sozinhas, procurem a leitura específica
que desejam ou o livro que mais chamou-lhes a atenção, evitando a busca pelo
catálogo informatizado. Contudo, quando não encontram o que desejam vão ao
atendimento para serem auxiliados, faz parte do papel da biblioteca facilitar o
encontro do usuário com as fontes de conhecimento, para isso é preciso um bom
planejamento para seu armazenamento.

A questão que norteará o percurso investigativo desse trabalho será com


base no tipo de classificação adotada na Biblioteca Pública Municipal Josué
Guimarães.
1.1 Definição do problema

Conforme referencial teórico, e de acordo com dificuldades dos usuários para a


localização de leituras no acervo infanto-juvenil, qual a classificação indicada para
ser adotada nesse tipo de acervo da BPMJG?

1.2 Objetivos

Para a realização da pesquisa, foram delineados os objetivos abaixo


relacionados:
a) Identificar a importância das Bibliotecas Infanto-Juvenis em relação ao seu
público-alvo;
b) Consultar especialistas com experiência em bibliotecas infanto-juvenis para que
se manifestem a respeito do assunto;
c) Propor alternativas para a BPMJG de acordo com as fontes consultadas e com o
acervo disponível.

Através de tais objetivos, este trabalho pretende auxiliar o acesso à


informação do usuário ao acervo infanto-juvenil da BPMJG, tendo em vista uma
classificação facilitadora para tais usuários, tanto para maiores alternativas de
escolhas desse público específico como para um bom desenvolvimento de coleção
e organização do acervo da própria biblioteca.
2 REFERÊNCIAL TEÓRICO

Neste capítulo, serão discutidos os principais vínculos do objeto com a teoria.


O primeiro aspecto é uma breve apresentação sobre biblioteca infanto-juvenil, afim
de situar classificações possíveis para a área

2.1 A importância da Biblioteca Infanto-Juvenil

A forma indispensável para o homem assumir sua maioridade cultural é


através da leitura, portanto, o hábito voluntário de utilizar bibliotecas e seus serviços,
além de serem adquiridos mais facilmente nos primeiros anos de vida, são de
extrema importância para a formação intelectual e cultural dos cidadãos. Diante
disso, as funções da Biblioteca Infanto-Juvenil são: recreativa, educativa, informativa
e cultural.

A função recreativa nesse tipo na Biblioteca Infantil é de extrema importância,


para atrair seus usuários em potencial. A leitura recreativa, de acordo com Sobrino
(1972, p. 75), é aquela que:

[ . . . ] o leitor intenta distrair-se de suas ocupações e preocupações diárias


e evadir-se do mundo real que o rodeia, que não lhe agrada plenamente,
para lançar-se, através da imaginação, uma vezes como espectador, outras
identificando-se com o protagonista, por um mundo irreal em busca da
satisfação de anelos íntimos e de tensões emotivas libertadoras produzidas
pelo horror, pela angústia, intriga, sentimentalismo, erotismo, etc.

É preciso que tanto as Bibliotecas sejam convidativas a esses usuários em


potencial, para que os mesmos, tornem-se leitores. Os livros devem ser adequados
às idades dos destinatários, além disso, é preciso que as crianças tenham liberdade
na escolha desses livros, pois assim o interesse pela leitura aumentará
gradativamente.

De acordo com Panet (1988, p. 26) a função informativa dá apoio à educação


formal, mediante os diversos tipos de documentos que oferece, como por exemplo:
jornais, revistas, jogos, etc. Já a função cultural, conforme Andrade, (apud Panet,
1988, p. 26), possui diversas facetas: “Uma delas refere-se à captação, preservação
e divulgação dos bens culturais da comunidade, incluindo quaisquer formas de
manifestação cultural e não somente aquelas consideradas eruditas”.

A leitura infantil traz inúmeras vantagens: ela tem efeitos claros sobre a
própria linguagem, seja ela falada ou escrita, também é a fonte de incremento do
vocabulário. É importante ressaltar a função social exercida pela leitura, pois o
hábito da leitura pode formar cidadãos mais abertos ao mundo, voltados para o
futuro e mais capazes de se adaptarem às mudanças sociais e culturais.

Ao compor o acervo da Biblioteca Infanto-juvenil é necessário que o


bibliotecário leve em consideração características especiais de sua população-alvo.
Essa seleção deve começar com o estudo da comunidade, bem como os serviços
que a Biblioteca pretende prestar. É de fundamental importância que os objetivos da
biblioteca estejam claros, pois eles serão requisitos básicos para a seleção do
material.

O bibliotecário deve selecionar os livros, nunca no sentido de restringir e sim


de valorizar e enriquecer o acervo. Portanto, a partir desse entendimento sobre
Bibliotecas Infanto-Juvenis e sua importância para crianças e jovens, algumas ideias
sobre classificação serão expostas e abordadas ao longo desse trabalho
2.2 A classificação como agente facilitador da Literatura Infantil

A biblioteca, como toda instituição da informação evolui constantemente, seus


espaços tornam-se mais ocupados e a cada situação e época ela está cada vez
mais diferenciada, porém continua com seus objetivos. Baseando-se conforme os
princípios de Ranganathan: “A biblioteca é um organismo em constante
desenvolvimento”.

A partir disso, é visto um dos princípios do problema em questão, que é o


crescimento de determinado acervo, e a forma de recuperá-lo. Como as técnicas
biblioteconômicas aliadas a esta literatura auxiliará ao acesso à informação para
este grupo tão específico? Como incentivá-los à leitura, sendo que o modo de
localizar e procurar livros na estante não facilita?

De acordo com Simão; Schercher e Neves (1993) , facilitar o encontro ou o


confronto do usuário com as fontes do conhecimento é compromisso da Biblioteca.
Para isso, devem ser planejadas formas de armazenamento das obras. Estas se
dividem por localização fixa – ordenadas por número de registro – ou localização
relativa – de acordo com seu assunto principal – esse segundo tipo de localização
pode ser utilizado de diversas formas, .

A atual classificação da BPMJG é composta apenas por uma divisão entre


Literatura Infantil e Infanto-Juvenil, dentro disso é utilizado a Tabela de Cutter para
localização, cada acervo possui em torno de 2 mil livros, o que torna a busca meio
exaustiva para as crianças, que geralmente não utilizam o catálogo informatizado -
apesar das orientações do pessoal da Biblioteca – preferindo ir direto ao acervo
para a procura, sem o catálogo torna-se difícil a localização de dados contido no
acervo, porém muitas vezes o catálogo não satisfaz a necessidade informacional de
forma eficaz.. É complicado tanto para as crianças e jovens encontrarem o que
procuram, quanto para funcionários organizarem esse acervo de maneira correta.
Portanto, ao perceber a importância da leitura e das bibliotecas no
desenvolvimento das crianças e dos jovens, além da relevância como instituição de
elevado significado na formação intelectual, moral e social desses usuários, neste
trabalho buscar-se-á relacionar às expectativas dos sujeitos com o referencial
teórico até então apresentado.
3 METODOLOGIA

A abordagem a ser utilizada no presente trabalho será de cunho qualitativo,


por ter proposto em seus objetivos uma pesquisa pontual e aprofundada dos
sujeitos, não se buscando, portanto, resultados numéricos ou quantificáveis.

3.1 Universo e sujeitos da pesquisa

Essa pesquisa será abordada em usuários infantis e juvenis da BPMJG,


assim como outros usuários que utilizem com frequência o acervo em questão, e
profissionais especializados no assunto. Esse universo foi escolhido devido ao grau
de dificuldade de crianças e jovens para a localização de livros literários da área.
Os sujeitos serão convidados para realizar a pesquisa. Para os que aceitarem
o questionário poderá ser respondido em papel, no próprio ambiente biblioteca.
Quanto aos profissionais da área, será agendado um encontro para que, em
conjunto, conheçam o acervo e debatam a respeito da futura classificação.

3.2 Instrumento de coleta de dados

A coleta de dados será feita através de roteiro aberto, onde se terá


depoimentos livres dos sujeitos. Será um questionário entregue no suporte papel
para escreverem a respeito do assunto.
3.3 Plano de análise e apresentação dos dados

Os dados obtidos nesta pesquisa através do depoimento dos sujeitos, serão


analisados e comparados com a literatura, buscando identificar relações entre a
teoria e os depoimentos adquiridos dos sujeitos. Assim obtidos, os resultados serão
apresentados textualmente.

3.4 Estudo-piloto

O questionário será submetido à avaliação de três especialistas na área de


Linguagem de Indexação, para avaliar a pertinência das perguntas aplicadas aos
objetivos do trabalho.

3.5 Cronograma

JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO

Revisão do xxxx
projeto
Pesquisa xxxxxxxxxxx Xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx
bibliográfic
x
a
Coleta dos Xxxxxx
dados
Elaboraçã Xxxxxx xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxx
o do
relatório
Defesa
x
REFERÊNCIAS
PANET, Carmen de Farias. Implantação e funcionamento de bibliotecas infanto-
juvenis. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1988. 69 p.

SIMÃO, Maria Antonieta Rodrigues; SCHERCHER, Eroni Kern; NEVES, Iara


Conceição Bitencourt. Ativando a biblioteca escolar. Porto Alegre: Luzzatto, 1993.
67 p.

SOBRINO, Hipólito Escobar. El lector, la lectur e, la comunicacíon. Madrid,


Associacion Nacional de Bibliotecários, 1972.

Você também pode gostar