Você está na página 1de 9

Pastoral do menor em Santarém

Somos a Pastoral do Menor de Santarém, entidade pertencente às Obras Sociais da


Diocese de Santarém, temos por missão a luta e a defesa em favor das crianças e
adolescentes empobrecidos e em situação de risco.

Em 1982, respondendo aos problemas urgentes de crianças e adolescentes em situação


de risco, Dom Tiago Ryan-OFM pediu ao Ir. Ronald Hein-CSC para contactar os
menores engraxates na Praça da Matriz. Este grupo sentiu-se valorizado com esta
preocupação da Igreja para com eles e queriam manter este contato. Era a origem da
Pastoral do Menor de Santarém.

Na tradição do Beato Basílio Moreau, fundador da Congregação de Santa Cruz (CSC), a


PAMEN proporciona aos meninos e meninas uma formação integral (corpo, mente,
espírito) tornando-os capazes de assumirem suas vidas com mais responsabilidades.

A PAMEN é uma Organização Não Governamental, pertence às Obras Sociais da


Diocese de Santarém, registrada como entidade de Utilidade Pública Federal, Estadual e
Municipal e no CNAS (Conselho Nacional de Assistência Social) e COMDCA
(Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente). Sua missão é promover e
defender a vida das crianças e adolescentes empobrecidas e em situação de risco pessoal
e social.

Filosofia: Toda criança e adolescente são pessoas humanas, criadas na imagem de Deus,
com direitos fundamentais que garantem condições para uma vida digna. São nossos
irmãos e irmãs que merecem os nossos cuidados. Eles esperam aprender, através do
nosso exemplo, como cumprir com seus deveres como cidadãos, para ajudarem na
construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

Toda criança tem dons a serem desenvolvidos para sua própria felicidade e para serem
colocados a serviço da família e da comunidade; proporcionando um ambiente
educativo, toda criança e adolescente aprende logo a diferença entre o bem e o mal. A
orientação para a vida é necessária para preveni-los dos perigos do mau exemplo das
pessoas e os exageros dos meios de comunicação.
Segundo o ECA, toda criança e adolescente deve ser Prioridade Absoluta na sociedade.
O País que vive por este princípio é um País que está caminhando para ser uma
sociedade justa e fraterna.

No cumprimento de sua missão, a PAMEN não se presta a fins políticos ou ideológicos,


nem admite preconceitos de raça, cor, sexo, bairro ou religião.

Baseado nos princípios: “Promover para Integrar” e “Educar para Prevenir”, a PAMEN
acredita que atividades sócio–educativas, em um ambiente seguro, podem prevenir
situações problemáticas e melhorar a conduta pessoal dos participantes. As atividades e
cursos oferecidos podem contribuir para uma qualidade de vida melhor, promover
talentos e valores humanos e levantar a auto-estima. As famílias são esclarecidas sobre
seus deveres e direitos como cidadãos (ãs) brasileiros (as). A PAMEN procura orientar
todos para viverem como irmãos e irmãs, filhos e filhas do mesmo Pai, DEUS.

1982 - iniciam-se os trabalhos da Pastoral da Menor e sua história com as crianças e


adolescentes empobrecidas no município de Santarém. Neste ano O Bispo da Diocese
de Santarém, Dom Tiago Ryan, OFM pediu a Coordenação Diocesana de Pastoral para
fazer um contato com as crianças e adolescentes que trabalhavam nas ruas da cidade
para ver de perto a situação em que viviam. Foi a partir deste iniciativo que Irmão
Ronaldo David Hein, da Congregação de Santa Cruz, junto com alguns membros da
Associação dos Educadores Católicos (AEC) iniciaram um trabalho junto a doze (12)
crianças e adolescentes engraxates.

As primeiras reuniões aconteciam semanalmente no salão paroquial da Matriz, onde


os meninos recebiam orientação para a vida, uma refeição e uma oportunidade para
brincar.
Avanços: A organização de meninos por categoria de trabalho com uniforme doado
pelo Colégio Dom Amando, caixas novas feitas pelo SENAI e tabela de preços. Tudo
isso resultou em uma união e identidade maior entre eles e mais respeito pela sociedade.

1984 1986 - Inicia o trabalho de parceria com a FBESP (Antiga FEBEN)


acompanhando crianças e adolescentes em situação de rua. Neste ano foi notável o
consumo de drogas, aumento da violência, a decadência na convivência familiar e o
desinteresse pela escola formal. Surge outro grupo de voluntários da equipe de
Catequese Escolar. O trabalho expandiu para incluir lavadores de carro, jornaleiros,
vendedores ambulantes e pedintes, totalizando cinqüenta menores. Os Irmãos de Santa
Cruz cedem à Área Coberta do Colégio Dom Amando para atender os meninos, pois o
Salão Paroquial da Matriz não comportava mais o grupo. Enquanto isso o grupo de
voluntários reunia em uma sala da Catequese Escolar, para organizar seus trabalhos.

1987 – Com o lançamento da Campanha da Fraternidade com o tema: Fraternidade e o


Menor, e o lema, “Quem Acolhe o Menor a Mim Acolhe”, a PAMEN é reconhecida
oficialmente como uma Pastoral Diocesana.

Neste mesmo ano, a PAMEN começa a estruturar-se e receber mais voluntários.


Começa-se a traçar seu objetivo de ação: Sensibilizar a sociedade e as autoridades
competentes, especialmente a polícia, para que os menores fossem reconhecidos em
seus direitos e respeitados como pessoas humanas e filhos (as) de Deus. Desenvolve um
programa de formação de EDUCAÇÃO INTEGRAL NA FÉ (corpo, mente e espírito) e
proporciona uma experiência de vida caracterizada pelo respeito e bom relacionamento
O Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua e a PAMEN articulam um
trabalho junto ao Juizado de Menores, representado pela Juíza Dra. Maria Palheta e
FBESP. Este movimento social foi responsável por capacitar os agentes da PAMEN.

Avanços: Denúncias sobre violência contra menores por parte da Polícia e alguns
Comerciantes; Seminários de sensibilização; participação em celebrações nas Paróquias
como forma da Diocese sensibilizar a sociedade; encontros regionais e nacionais da
PAMEN.

1988 – No dia 17 de Fevereiro, sob a denominação de Pastoral do Menor Trabalhador


de Santarém é reconhecida oficialmente como entidade filantrópica e tem sua sede
localizada à Rua Afonso Pena, 48, bairro Aeroporto Velho.

Conta com a participação de 100 menores trabalhadores, com o objetivo de valorizá-


los como pessoas humanas e filhos de Deus, capazes de participarem do processo social
de integração na família e na sociedade. O trabalho consistia em recebê-los no Centro
de Apoio ao Pequeno Trabalhador para orientação, discussão dos problemas pessoais,
familiares e sociais, sobre denúncias contra a violência, organização da classe, lazer e
visitas nos pontos de trabalho e nas suas famílias.
Neste ano foram dados os primeiros passos junto a FBESP para a organização do
Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.
PAMEN, FBESP e FORUM mobilizam a sociedade para a criação do ESTATUTO
DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA) através do Ato Público e participação
na Câmara Municipal.
1989 – A PAMEN foi reconhecida juridicamente com o nome de Pastoral do Menor
Trabalhador por desenvolver um trabalho prioritário com os menores trabalhadores de
rua.

Neste ano já atendia mais de 400 meninos no Centro de Apoio do Pequeno


Trabalhador (CAPT), com 10 funcionários. Desenvolviam um programa de Educação
Integral na Fé; recebia apoio financeiro através da Diocese, contribuintes sociais,
Congregação de Santa Cruz, outras Congregações Religiosas e amigos estrangeiros.
Neste ano a PAMEN participa da mobilização nacional pelas “Diretas Já”, com
propostas para emendas na Constituição Federal com aprovação do Art. 227, (Criança e
Adolescente, Prioridade Absoluta).

1990 – Participação nas lutas pela aprovação da Lei 8.069/90, que, baseado no Art. 227,
cria o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Contratação de 06 funcionários.

O Coordenador da PAMEN visita o garimpo Cuiú-Cuiú e constata a presença de


muitas adolescentes se prostituindo. Introdução de meninas no programa da PAMEN.

1991 – A PAMEN recebe o título de Honra ao Mérito da Câmara Municipal de


Santarém.

1992 – É criado o primeiro Núcleo da PAMEN no Maicá II (“Pérola do Maicá”).

Primeiro resgate pela Policia Militar de uma menina de 14 anos da PAMEN que foi
levada para o garimpo Novo Progresso.

1993 – Participação na mobilização municipal pela aprovação da Lei nº 14.856/93, que


cria os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho
Tutelar e Fundo Municipal da Criança e do Adolescente.

1994 – O Coordenador da Pastoral do Menor participa como vice-presidente do


Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (COMDCA) e logo assume a
Presidência deste órgão.

1995 – Inicia-se parceria com a ONG (Organização não Governamental) AMIZADE,


onde universitários estrangeiros fazem amizade com os povos de outros países
financiando e construindo barracos através de projetos sociais, envolvendo as famílias
das crianças e adolescentes da PAMEN.

1996 – Representante do UNICEF visita a Pastoral do Menor e solicita dados sobre


exploração sexual infanto-juvenil, a fim de consolidar pesquisa na região.

Lançamento da “Campanha Natal sem Fome” (CNFS) com o objetivo de sensibilizar


a sociedade Santarena quanto à importância da solidariedade para com as famílias
carentes que passam fome; teve o apoio da Prefeitura e algumas empresas.
Houve Blitz na cidade, em vários locais de prostituição com a Polícia Civil e
membros do COMDCA, órgão do qual a PAMEN estava na presidência, constatando-se
a presença de adolescentes se prostituindo.
Parceria com a Gráfica Tiagão, onde adolescentes participam do Programa Menor
Aprendiz.

1997 – A prefeitura Municipal de Santarém, através da Lei nº 15.945/97, reconhece a


PAMEN como instituição de Utilidade Pública Municipal;

Ocorre a participação na 2ª gestão do COMDCA como Presidente.

1998 – Implantação do Ambulatório em parceria com a Fundação Esperança.

Semana da Criança – Participação das crianças e adolescentes na sessão da Câmara


Municipal de Santarém, no dia 13 de outubro, para denunciar o descaso das autoridades
em relação à saúde e educação, e reivindicar melhorias, com a participação de 200 C e
A.
Marcha Global com a participação de 02 meninos e 01 educador em Brasília, para
reivindicar a erradicação do trabalho infantil e fim da exploração sexual infanto-juvenil.
Entidade recebe o reconhecimento de Utilidade Pública Estadual

1999 – Criação do segundo Núcleo da PAMEN no bairro do Elcione Barbalho.

Participação na criação da Associação dos Catadores de Lixo, no Lixão do


Município, onde moram famílias da PAMEN.
Campanha de divulgação do ECA nos meios de comunicação social em parceria com
PASCOM, Radio Rural, TV Tapajós, Conselho Tutelar, Pastoral da Criança e Pastoral
Social.
A Pastoral do Menor na Coordenação do Regional Norte II.

2000 – Cancelamento da inscrição de pessoa jurídica Pastoral do Menor Trabalhador,


passando a ser um setor filiado às Obras Sociais da Diocese de Santarém e ser
denominada Pastoral do Menor.

Criação de mais Núcleos; implantação do Curso de Informática com 03 turmas;


Mobilização das Escolas Estaduais e Municipais comemorando os 10 anos do ECA,
com o objetivo de apoiar o seu valor como instrumento para garantir uma vida mais
digna para crianças e adolescentes e defender os que estão em situação de risco; também
para esclarecer as idéias distorcidas das medidas sócio-educativas;
Realização de uma BLITZ na estrada do Cucurunã no período do Sairé.

2001 – É implantado em Santarém o Programa do Governo Federal PETI (Programa de


Erradicação do Trabalho Infantil); a PAMEN participa em parceria junto com o
UNICEF e a Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social – (SEMTRAS) da
implantação do programa.

2002 – Neste ano a PAMEN participa como entidade do Conselho Municipal de


Assistência Social (C.M.A.S), representada pela Sra. Inês Pinho.

A Pastoral do Menor conta com um grande número de parceiros como: UNICEF,


SEMTRAS, SEARA, APAE, A Mão Cooperadora, COMDCA, Conselho Tutelar,
FUNCAP, SESC, SENAC, SENAI, Juizado da Infância e Juventude, Ministério
Público, Ministério do Trabalho, OAB, Fundação Esperança, IESPES, UFPA, UEPA,
FIT e APROSAN.

2003 – Acompanhamento das Associações dos Trabalhadores de Resíduos Sólidos de


Santarém – ASTRES e Associação dos Produtores de Carvão Vegetal de Santarém –
APROCAR, onde famílias da PAMEN trabalham.

2005 – A Pastoral do Menor recebe o Certificado “The World’s Children’s Prize for the
Rights of the Child”, Prêmio Crianças do Mundo, de reconhecimento internacional por
seus trabalhos junto a crianças e adolescentes.
2006 – Reorganização da equipe com a entrada de novos educadores e funcionários e
saída de alguns. Reestruturação de alguns cursos; 45 jovens no Programa Menor
Aprendiz.

2007- Matricula de 1130 C e A e mais 880 nos 10 núcleos. A comunidade de Igarapé do


Pimenta está no processo de formar um núcleo. 30 jovens no Programa Menor
Aprendiz.

Comemoração da beatificação do Pe. Basílio Moreau, fundador da Congregação de


Santa Cruz.
Foram realizadas diversas atividades onde já demonstrava o empenho para
concretização de metas estabelecidas nas reuniões pedagógicas. A participação efetiva
da sociedade, das famílias, dos educadores e crianças e adolescente foi uma prova para
nós que o caminho é esse. Tivemos ações concretas na educação, orientação espiritual,
reuniões de pais, visitas domiciliares, participação nos Conselhos Municipais, de Direito
e Tutelar, parcerias com outras organizações.
Em comemoração ao dia do livro foi realizada a primeira feira do livro com três dias
de muitas atividades, preparadas pelos próprios participantes dos cursos e turmas.
Curso de Culinária: muitos objetivos foram alcançados como, emprego para algumas
alunas - mães; algumas montando seu próprio negócio.
Teatro: temas escolhidos para trabalhar nas turmas e cursos também foram discutidos
e refletidos para despertar o senso critico dos participantes. Todos os eventos da
PAMEN contaram com apresentações especiais do grupo de teatro e as peças encenadas
eram de autoria da própria turma.
Interdisciplinaridade: os educadores passaram a trabalhar com temas específicos para
cada época e fazer intercâmbio com os demais cursos, entidades externas, convidados e
depois desta experiência, mostrar os resultados desses trabalhos para todas as turmas em
momento de confraternização, apresentações de datas comemorativas reuniões dos pais,
visita de convidados.
I Assembléia Diocesana: tendo em vista a Assembléia Nacional da PAMEN de 2008,
foi realizada no mês de outubro a I Assembléia diocesana da Pastoral do Menor de
Santarém.
Receita Federal estabelece convenio com a Pastoral do Menor, para repasse de
materiais apreendidos.

2008 – Comemoração dos 20 anos da PAMEN com a celebração eucarística presidida


pelo Dom Esmeraldo. Atendimento de 1.130 crianças e adolescentes no Centro e mais
1.000 nos 12 núcleos; 06 na periferia e 06 na colônia. Há mais do que 800 na lista de
espera.

Aprovação do Projeto para aquisição de instrumentos musicais;


Aprovação de Projeto para aquisição de novos livros para a biblioteca;
Aprovação de Projeto para aquisição de materiais didáticos e de escritório para
PAMEN Centro e Núcleos.
Culminância; continuidade do Projeto Amizade em outros núcleos da PAMEN.
O Vice-Coordenador, Gean Souza, representa a PAMEN no Encontro Nacional da
Pastoral do Menor; o mesmo foi eleito como membro do Regional Norte II.
Participação da Equipe de Fraudinha em Campeonato da Região (futebol de salão);
Campeonato Interno da PAMEN (futebol de salão) envolvendo 16 equipes de futebol.
Lançamento de um projeto de Promoção Vocacional envolvendo o corpo docente e
discente da PAMEN

2009 – A orientação social é necessária para prevenir crianças e adolescentes dos


perigos de maus exemplos da sociedade e dos veículos de comunicação.

A Pastoral estabelece parceria com o Centro de Referencia de Assistência Social do


Baixo Amazonas (CREAS BAM) proporcionando um bom atendimento psicossocial às
crianças, adolescentes e famílias da Pamen.

2010 - A Pastoral foi contemplada com a aprovação do projeto denominado Biblioteca


Móvel financiado pela UNICEF. Para atender 200 crianças e adolescentes da Pastoral
centro e núcleos, desenvolvendo atividade de leitura e produção de texto de forma
lúdica e prazerosa.

Convenio com Sociedade Bíblica do Brasil


Aprovação do Projeto “Fazendo Arte e criando vida” para aquisição de material para
o curso de Dança.
Convênio com a Sociedade Bíblica do Brasil, doa livros para Biblioteca da Pastoral
do Menor. Pastoral do Menor
Biblioteca da Pastoral do Menor recebe o nome de “Biblioteca Irmão Leonardo
Reeson” em homenagem ao Ir. Leonardo.
A Pastoral do Menor comemora a canonização do Santo Irmão Andre membro da
Congregação dos Irmãos de Santa Cruz.
2011 - A Pastoral do Menor lança a campanha “Dê oportunidade, Medidas sócio
educativas mudam vidas”. E resgata as atividades do Fórum dos Direitos da Criança e
do adolescente no município de Santarém

A Pastoral já disponibiliza onze atividades diferenciadas para aprendizagem


profissionalizante atendendo mais de 200 adolescentes e mães por ano a fim de
contribuir para o melhoramento da renda familiar.

Parceria com Ministério Público Federal para aquisição de materiais para os cursos
atendidos pela Pastoral do Menor.