Você está na página 1de 19

Módulo de Estudos Apostilado

ESCALAS E
MODOS GREGOS

ESTUDOS TEÓRICOS E PRÁTICOS


ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

ESCALAS
Escala nada mais é que uma sequencia de notas sucessivas, separadas por
tons e semitons. Dependendo da forma que estão organizados estes intervalos,
obteremos um modo maior ou menor.

Em geral precisamos das escalas para fazer um solo enquanto alguém em


outro violão ou teclado ou qualquer instrumento harmônico faz ao mesmo
tempo uma base, a harmonia. É possível ainda solar fazendo junto à harmonia,
o que dificulta um pouco mais a execução. É possível também solar e sugerir a
harmonia apenas através do solo o que já é bem mais avançado.

Existem duas questões básicas neste estudo que são:

1) A execução da escala, ou seja, saber o desenho dos dedos no braço do


violão (que é um exercício físico, exige muita repetição).

2) O uso da escala, ou seja saber em que casos ou circunstâncias aquela


escala deve ser usada (que é um exercício mental, precisa ser decifrado pelo
menos uma vez).

Depois de termos uma pequena noção dos intervalos, fica fácil entender como
se formam as escalas. Para tanto, basta saber uma pequena fórmula que
chamada de fórmula da escala maior.

A fórmula consiste em um conjunto de oito intervalos que são os seguintes.

12345678

Esses números representam cada nota da escala e eles são lidos como
intervalo de primeira ou tônica, segunda, terça, quarta, oitava. Mas para
podermos ver realmente a cara da escala maior temos que ver a fórmula em
sua totalidade. Entre cada número daqueles existe uma distância (intervalo)
seja ela de um tom ou meio tom. A fórmula é apresentada a seguir:

Veremos agora como achar qualquer escala maior sabendo apenas o tom da
escala.

2
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Vamos supor que a escala que queremos achar é a escala de A (Lá) maior,
portanto o tom da escala é A maior então a primeira nota da escala será o
próprio A maior, pois ele é que é a tônica. Em seguida vamos analisar a
fórmula da escala. A primeira nota nós já sabemos, é o A, para encontrarmos a
segunda vamos ver o que a fórmula pede. A fórmula diz que a segunda está
um tom acima da primeira, portanto vamos ver qual nota esta a um tom inteiro
da nota A.

A nota que está um tom acima da nota A é a nota B. Após acharmos a segunda
vamos achar a terceira nota, ou intervalo. A fórmula me diz que a terça está um
tom acima da primeira, portanto vamos ver que nota está um tom acima de B.
A nota é C#.

Agora que já achamos a tônica, segunda e terça vamos achar a próxima nota
que é a quarta da escala. A fórmula me diz que a quarta esta 1/2 (meio) tom
acima da terça, portanto a nota é D. Após isso vamos para a próxima que é a
quinta. A fórmula me diz que a quinta esta um tom acima da quarta, portanto a
nota que está um tom acima da nota D é a nota E. Vamos agora achar a sexta.
A fórmula diz que a sexta está um tom acima da quinta, portanto a nota que
está um tom acima da nota E é a nota F#.

Vamos agora achar a sétima. A fórmula diz que a sétima está um tom acima da
sexta, portanto a nota que está um tom acima da nota F# é a nota G#. Vamos
para a última que é a oitava. A fórmula diz que a oitava está 1/2 (meio) tom
acima da sétima, portanto a nota que está meio tom acima da nota G# é a nota
A.

Dessa maneira, seguindo sistematicamente a fórmula, não há como errar.


Achar a escala maior de qualquer tom torna-se uma tarefa obsoleta, tendo com
pré requisito o conhecimento mínimo da disposição das notas musicais e a
simples tarefa de decorar a fórmula e aplicar as notas dentro dela.

Tipos de Escalas
Nesta apostila não temos o objetivo de fornecer todas as escalas que existem
até porque há infinitas combinações. Analisaremos e colocaremos as mais
famosas e utilizadas nas músicas ok? Então vamos a elas.

A Escala Maior

A Escala Maior é a mais importante de todas, pois a partir dela, obtemos todas
as outras escalas. A fórmula para obtermos essa escala é:

Tônica - 2ª - 3ª - 4ª - 5ª - 6ª - 7ª - Oitava

3
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Os intervalos são:
Tônica --1 tom--> 2ª --1 tom--> 3ª --1/2 tom--> 4ª --1 tom--> 5ª --1 tom--> 6ª --1
tom--> 7ª --1/2 tom--> 8ª

Exemplos:
1 - se a tônica for C (Dó), temos: C D E F G A B C (Escala Maior de Dó).
2 - se a tônica for A (Lá), temos: A B C# D E F# G# A (Escala Maior de Lá).

Aplicando na guitarra ou no violão:

1- Escala Maior de Dó:

e-----------------------------------------
B-----------------------------------------
G-----------2-4-5-------------------------
D-----2-3-5-------------------------------
A-3-5-------------------------------------
E------------------8-10-12-13-15-17-19-20-
1 3 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2

ou

2- Escala Maior de Lá:

e-----------------
B-----------------
G-----------------
D-------------6-7-
A-------5-7-9-----
E-5-7-9-----------
1 2 4 1 2 4 1 2

Estes são apenas alguns exemplos de possibilidade de patterns (sequencias


prontas) para a Escala Maior. Note que você pode aplicá-la em qualquer lugar
do braço, colocando a tônica em posições diferentes (ex: C no 8º traste da E
grave ou 1º traste da B).

É importante não ficar viciado em padrões "sobe-e-desce" da escala, pois isso


limita sua criatividade na hora de escrever os licks. Tente improvisar sobre a
escala de diferentes formas. Esta escala soa bem sobre os acordes maiores e
tem uma sonoridade "alegre". É muito utilizada em rock, country, jazz e fusion.

4
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

A Escala Menor
A Escala Menor é a Escala Maior com bemóis na 3ª, 6ª e 7ª. Logo, a sua
fórmula é:

Tônica - 2ª - 3ª b - 4ª - 5ª - 6ª b - 7ª b – Oitava

Os intervalos são:

Tônica --1 tom--> 2ª --1/2 tom--> 3ª b --1 tom--> 4ª --1 tom--> 5ª --1/2 tom--> 6ª
b --1 tom--> 7ª b --1 tom--> Oitava
Exemplo:

Escala Menor de Fá: F G Ab Bb C Db Eb F

Aplicando na guitarra ou violão: Fá Menor

e--------------------
B--------------------
G-------------6-8-10-
D------6-8-10--------
A-8-10---------------
E--------------------
1 3 1 2 4 1 2 4

Novamente (aliás, sempre), você pode criar quantos patterns quiser sobre a
escala: basta tocar em lugares diferentes do braço. Quanto a sonoridade, essa
escala soa mais melancólica, é muito utilizada nos mais diferentes estilos (pop,
blues, rock, fusion, country e heavy metal) e é tocada sobre acordes menores.

Uma nota importante a se fazer é o fato de toda Escala Maior ter uma relativa
Menor e vice-versa. Para descobrir qual é a relativa Menor, observe a 6ª nota
da Escala Maior (ex: relativa menor de C é A); para a relativa Maior, veja a 3ª
da Escala Menor (ex: relativa maior de D é F).

Escala Pentatônica Menor

Junto com a Pentatônica Maior, é a escala mais simples que você pode
aprender. São apenas cinco notas. Mas que soam muito bem e, pelo que me
consta, é a escala mais utilizada em toda a história da guitarra elétrica. Alguns
mestres nessa escala: Stevie Ray Vaughan, Eric Clapton, Jimmy Page e, claro,
B.B. King e Jimi Hendrix.

É uma escala fácil de tocar porque, como o número de notas é menor, a


margem de erro no improviso também é menor. A fórmula é:

Tônica - 3ª b - 4ª - 5ª - 7ª b – Oitava

5
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Exemplo: Penta Menor de E

e------------------------------------
B----------12-15b17--b17r15-12-------
G----12-14---------------------14----
D-14------------------------------14-
A------------------------------------
E------------------------------------
3 1 3 1 2 2 1 2 2

A escala é aplicável em quase todos os estilos musicais e soa bem sobre


acordes Menores, Menores com 7ª ou com 7ª Dominante.

Escala De Blues
Como o próprio nome já diz, é muito usada em blues. Trata-se de uma
Pentatônica Menor com uma 5ª Menor incluída. Logo:

Tônica - 3ª b - 4ª - 5ª b - 5ª - 7ª b – Oitava

Exemplo -- Blues em E: E G A Bb B -D E

Na guitarra ou violão, temos, em E:

e-17-15----------------------------------
B-------17-15----------------------------
G-------------16-15-14-12-14b16-14-12----
D-------------------------------------14-
A----------------------------------------
E----------------------------------------

Tocamos essa escala sobre acordes Menores, Menores com 7ª, Menores com
9ª, 7ª Dominante e 9ª Dominante.

Escala Pentatônica Maior


Essa escala é muito usada em country devido a sua sonoridade característica.
Para obtê-la, utilizamos a mesma fórmula de construção do acorde Maj6/9:

Tônica - 3ª - 5ª - 6ª - 9ª - Oitava ou, se você preferir (é a mesma coisa): Tônica


- 2ª - 3ª - 5ª - 6ª - Oitava.

Exemplo -- Penta Maior de F: F G A C D F

6
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Aplicando na guitarra, em F:

e----------------------------
B----------------------------
G----------------------------
D---------8-10b12-12---------
A-8-10-12------------12-10-8-
E----------------------------
1 2 4 1 2 4 4 2 1

É tocada sobre os acordes Maiores, Maiores com 7ª e com 7ª Dominante.

Escala Menor Harmônica

É uma escala derivada da Escala Menor Natural. Apenas adicione um


sustenido na 7ª:

Tônica - 2ª - 3ª b - 4ª - 5ª - 6ª b - 7ª - Oitava

Exemplo -- Menor Harmônica em A: A B C D E F G# A

Aplicando no braço:

e---------------------
B---------------------
G---------------------
D-----------------6-7-
A-------5-7-8-7-8-----
E-5-7-8---------------
1 2 4 1 2 4 2 4 1 2

Sua sonoridade é bem próxima a da Escala Menor Natural.

Escala Melódica Menor

Esta escala é muito diferente das outras até agora. Ela se caracteriza por ter
duas configurações diferentes, uma quando ascendendo e outra quando
descendendo. Quando ascendendo, temos uma Escala Menor Natural com
suas 6ª e 7ª sustenidas (assim, apenas a 3ª bemol a diferencia da Escala
Maior).

7
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Já descendendo, tocamos a Escala Menor Natural, sem nenhuma alteração:

Ascendendo: Tônica - 2ª - 3ª b - 4ª - 5ª - 6ª - 7ª - Oitava

Descendendo: Tônica - 2ª - 3ª b - 4ª - 5ª - 6ª b - 7ª b – Oitava

Exemplos:

Ascendendo em Melódica Menor de A: A B C D E F# G# A


Descendendo em Melódica Menor de A: A B C D E F G A

Na guitarra ou violão, em A:

e---------------------------
B---------------------------
G---------------------------
D-------------6-------------
A-------5-7-9---8-7-5-------
E-5-7-8---------------8-7-5-
1 2 4 1 2 4 1 4 2 1 4 2 1

Treine bem essa escala, pois é um pouco complicado de pegar o jeito no


começo. Depois, quando tiver prática, ela é muito legal para solos rápidos.

Escalas Exóticas
Estas são escalas não muito comuns, mas que podem aparecer no seu dia-a-
dia como músico. A maioria é "fundo de baú", as quais você não vai encontrar
tão facilmente. Vamos a elas:

1. Escala Espanhola:

Como o próprio nome diz, possui uma sonoridade hispânica e é muito legal
para algumas introduções de música. A fórmula é:

Tônica - 2ª b - 3ª - 4ª - 5ª - 6ª b - 7ª b – Oitava

Quase uma Escala Menor Natural (troca-se a 3ª bemol por uma 2ª bemol).
Para uma experiência mais prática, tente emendar, antes do riff da introdução
de "The Unforgiven" (Metallica), algum lick nessa escala. Fica bem legal!

2. Escala Pentatônica Egípcia:

Essa aqui é muito estranha quanto ao som. Só ouvindo mesmo. A fórmula é:

Tônica - 2ª - 4ª - 5ª - 7ª b - Oitava

8
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

3. Escala Napolitana Menor:

Muito parecida com a Escala Espanhola, pois a única diferença é um bemol na


3ª. Aliás, você pode combinar as duas escalas, produzindo um efeito
interessante, parecido com a Escala Melódica Menor. A fórmula:

Tônica - 2ª b - 3ª b - 4ª - 5ª - 6ª b - 7ª b – Oitava

Outras Escalas Exóticas (Só pra vocês terem uma ideia)

Menor Pentatônica

F G A# C D# F G A C

Hirojoshi

D# G G# C D D# G G# C

8 Tone Spanish

A# C C# D# E F F# G# A#

Kumoi

D# G A C D D# G B C

Persian

C C# E F F# G# B C

Enigmatic Scale

G# A# B C C# E F# G# A#

Composite II

G# B A A# E F# G G# B

9
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Exercícios de Escala

Veja se você está dominando um pouco esse assunto de escalas. Estamos


colocando abaixo algumas delas para você praticar:

Pratique uns 15 minutos cada uma diariamente, subindo e descendo.

Cada escala e modos têm seus climas próprios para serem usados em suas
músicas.

Escala de Lá pentatônica menor:

---------------------------------------5--8----------------------------
--------------------------------5--8-----------------------------------
-------------------------5--7------------------------------------------
------------------5--7-------------------------------------------------
----------5--7---------------------------------------------------------
--5--8-----------------------------------------------------------------

Escala de C maior:
----------------------------------------------------------------10-12-13--
--------------------------------------------------10-12-13----------------
--------------------------------------9-10-12-----------------------------
--------------------------9-10-12-----------------------------------------
--------------8-10-12-----------------------------------------------------
--8-10-12-----------------------------------------------------------------

Escala de Sol harmônica:

------------------------------------------2-3-----------
------------------------------------3-5-----------------
--------------------------2-3-5------------------------
--------------------4-5---------------------------------
-----------3-5-6---------------------------------------
--3-5-6------------------------------------------------

Escala de E natural

|------------------------------1012131210-------------------------|
|------------------------101213-----------131210------------------|
|------------------9-1012-----------------------12109-------------|
|------------9-1012-----------------------------------12109-------|
|------8-1012-----------------------------------------------12108-|
|8-1012-----------------------------------------------------------|

10
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Escala menor harmônica em A:

|------------------------------7-8-10-8-7------------------------------|
|------------------------6-9-10-----------109-6------------------------|
|------------------5-7-9------------------------9-7-5------------------|
|------------6-7-9------------------------------------9-7-6------------|
|------5-7-8------------------------------------------------8-7-5------|
|5-7-8------------------------------------------------------------8-7-5|

Escala menor harmônica em E:


|------------------------8-11-12-11-8--------------------------------|
|------------------8-1012-------------12108--------------------------|
|------------8-9-11-------------------------119-8--------------------|
|------7-9-10--------------------------------------109-7-------------|
|7-9-10--------------------------------------------------109-7-------|
|--------------------------------------------------------------------|

Em D:

E-------------------------------------------------10---13---10-------------------------------------------------------
B-------------------------------------------12---------------------12-------------------------------------------------
G-------------------------------10---13---------------------------------13---10-------------------------------------
D--------------------9---12---------------------------------------------------------12---9---------------------------
A--------------11------------------------------------------------------------------------------11---------------------
E---10---13------------------------------------------------------------------------------------------13---10---------

Em F:

E--------------------------------------------------13---16---13-------------------------------------------------------
B--------------------------------------------15---------------------15-------------------------------------------------
G--------------------------------13---16---------------------------------16---13-------------------------------------
D--------------------12---15---------------------------------------------------------15---12-------------------------
A--------------14---------------------------------------------------------------------------------14-------------------
E---13---16---------------------------------------------------------------------------------------------16---13-------

Em G#:

E---------------------------------------4---7---4-------------------------------------------------------------------------
B----------------------------------6-----------------6--------------------------------------------------------------------
G-------------------------4---7--------------------------7---4-----------------------------------------------------------
D----------------3---6--------------------------------------------6---3--------------------------------------------------
A-----------5--------------------------------------------------------------5----------------------------------------------
E---4---7-----------------------------------------------------------------------7---4-------------------------------------

11
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Em B:

E-------------------------------------------7---10---7--------------------------------------------------------------------
B--------------------------------------9------------------9----------------------------------------------------------------
G---------------------------7---10----------------------------10---7-----------------------------------------------------
D------------------6---9-------------------------------------------------9---6--------------------------------------------
A-------------8-------------------------------------------------------------------8----------------------------------------
E---7---10----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
10---7------------------------------

MODOS GREGOS

Os Modos Gregos são escalas derivadas da Escala Maior, que por sinal
também é um modo, chamado Jônio. Outro Modo que você já deve conhecer é
o Eólio (Escala Menor Natural). Agora, irei introduzir os restantes: Dórico,
Frígio, Lídio, Mixolídio e Lócrio. Antes, você deve tomar conhecimento do
Campo Harmônico Maior, onde estão localizados os mesmos.

Campo Harmônico Maior

I II (IX) III IV (XI) VI (XIII) VII I (Oitava)


Escala V Grau
Grau Grau Grau Grau Grau Grau Grau
A A B C# D E F# G# A
A# /
A# C D D# F G A A#
Bb
B B C# D# E F# G# A# B
C C D E F G A B C
C# /
C# D# F F# G# A# C C#
Db
D D E F# G A B C# D
D# /
D# F G G# A# C D D#
Eb
E E F# G# A B C# D# E
F F G A A# C D E F
F# /
F# G# A# B C# D# F F#
Gb
G G A B C D E F# G
G# /
G# A# C C# D# F G G#
Ab
Mixolídi
Modo Jônio Dórico Frígio Lídio Eólio Lócrio Jônio
o

12
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

A tabela deve ser interpretada da seguinte maneira: pegamos como exemplo o


Modo Dórico. Ele é o segundo grau do Campo Harmônico Maior, ou seja, D
Dórico corresponde a C Jônio (C Maior).

Analogamente, B Frígio corresponde a G Jônio e assim por diante. Dessa


forma, você consegue montar os patterns de todos os Modos, já que conhece
todas as escalas maiores. Aqui estão os exemplos em áudio para se ter uma
ideia da sonoridade de cada modo, no campo harmônico de G:

Para referência no braço, abaixo estão os patterns para todos os modos (com a
tônica na 6ª corda), no campo de G:

G Jônio (I Grau)

e-------------------------------5-7-8-
B-------------------------5-7-8-------
G-------------------4-5-7-------------
D-------------4-5-7-------------------
A-------3-5-7-------------------------
E-3-5-7-------------------------------

A Dórico (II Grau)

e--------------------------------7-8-10-
B-------------------------7-8-10--------
G-------------------5-7-9---------------
D-------------5-7-9---------------------
A-------5-7-9---------------------------
E-5-7-8---------------------------------

B Frígio (III Grau)

e-------------------------------------8-10-12-
B-----------------------------8-10-12---------
G----------------------7-9-11-----------------
D---------------7-9-10------------------------
A--------7-9-10-------------------------------
E-7-8-10--------------------------------------

C Lídio (IV Grau)

e------------------------------------------10-12-14-
B---------------------------------10-12-13----------
G-------------------------9-11-12-------------------
D-----------------9-10-12---------------------------
A---------9-10-12-----------------------------------
E-8-10-12-------------------------------------------

13
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

D Mixolídio (V Grau)

e----------------------------------------------12-14-15-
B-------------------------------------12-13-15----------
G----------------------------11-12-14-------------------
D-------------------10-12-14----------------------------
A----------10-12-14-------------------------------------
E-10-12-14----------------------------------------------

E Eólio (VI Grau)

e----------------------------------------------14-15-17-
B-------------------------------------13-15-17----------
G----------------------------12-14-16-------------------
D-------------------12-14-16----------------------------
A----------12-14-15-------------------------------------
E-12-14-15----------------------------------------------

F# Lócrio (VII Grau)

e----------------------------------------------15-17-19-
B-------------------------------------15-17-19----------
G----------------------------14-16-17-------------------
D-------------------14-16-17----------------------------
A----------14-15-17-------------------------------------
E-14-15-17----------------------------------------------

Portanto, concentre-se. Se você não entendeu o que relatamos acima, vamos


então explicar mais detalhadamente sobre os famosos modos gregos. Veja:

Modos são apenas escalas derivadas da escala maior. Já vimos que cada
escala maior tem uma relativa menor derivada a partir do VI grau. A escala de
C, por exemplo, tem a de Am como sua relativa.

Reveja abaixo.

(-----Escala de Am-----)
=>C D E F G A B C D E F G A
=>(---- Escala de C ------)

A questão é simples: assim como posso construir uma escala contendo as


mesmas notas a partir do VI grau, é possível construí-las a partir de qualquer
grau da escala maior. Há, portanto, 7 modos distintos de se tocar uma escala
diatônica, iniciando-se em qualquer ponto da mesma. Se você iniciar em E, por
exemplo, terá:

EFGABCDE

14
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Este modo, que se inicia no III grau da escala (E, no caso da escala de C) é
denominado de modo Frígio. Agora você precisa usar um pouco o ouvido e, se
possível, um amigo. Peça para que ele toque o acorde de C enquanto você
executa a escala no modo frígio, de E à E.

Ela deve soar exatamente como a escala de C. Agora peça para que ele toque
Em e repita a escala. Soa diferente? Mais alegre ou mais triste? Para entender
porque eu disse para tocar o acorde de Em você precisa entender como são
formados os acordes. Repita este mesmo procedimento iniciando em D. Toque
a escala sobre o acorde de C e depois sobre o de Dm. Que tal o efeito? Esta
escala iniciando no II grau é conhecida como modo Dórico.

A tabela abaixo resume os modos com suas principais características:

Grau Nome Tipo (Acorde) - Ver Característica Sonora


lição V
I Jônico(=Jônio Maior Imponente, majestoso,
) alegre
II Dórico Menor "Weepy" - Musica country
III Frígio Menor "Dark", "down" - "Heavy
metal"
IV Lídeo Maior Suave, doce
V Mixolídeo Maior Levemente triste - Blues e
rock
VI Eólio Menor Escala Menor Natural - Uso
geral
VII Lócrio Menor Exótico, meio oriental

O interessante agora seria que você construísse os 7 modos possíveis em


cada uma das escala e, evidentemente, tocasse em seguida cada um deles.

Observe que neste sistema utilizamos modos diferentes em um mesmo tom,


isto é, as notas componentes de cada modo eram exatamente as mesmas e,
por isto, oriundas da escala de um mesmo tom.

Acontece que é também possível construir modos diferentes mantendo o I


grau fixo e modificando o tom em cada uma delas, isto é, modos diferentes em
tons diferentes. Isto é um pouco mais complicado (por favor, só siga adiante
se você já tiver realmente entendido o que foi explicado até aqui) e exige que
se decorem algumas regras básicas, a saber:

Seria também conveniente que você escrevesse cada um dos modos para os
diferentes tons e, em seguida, tocasse cada um deles. Procure perceber as
diferenças entre eles do ponto de vista melódico.

15
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

APLICAÇÃO DAS ESCALAS

Agora iremos abordar vários assuntos relacionados às escalas, tentarei


descomplicar o estudo, você aprenderá a entender as escalas e aplica-las
baseando-se no campo harmônico. Para completo entendimento desse
assunto será necessário que os desenhos dos Modos Gregos e Pentatônicas,
estejam bem decorados, por isso, treine incansavelmente as escalas até que
elas estejam quase perfeitas.
É muito importante antes de nos aprofundarmos no assunto, esclarecermos
certos pontos relacionados as escalas. Os Modos Gregos são compostos de 5
desenhos, mas na verdade são 7 escalas, pois Lôcrio/Jônio e Frígio/Lídio na
verdade são 2 escalas "embutidas" em 1 desenho.

As escalas estão escritas no que chamamos de posição natural, onde você


estará tocando somente notas naturais, ou seja, sem “Sustenidos’ e “Bemóis”,
essa vai ser nossa área de estudo”. Cada escala corresponde a uma nota
tônica, vamos a elas:

MIXOLÍDIO: G
EÓLIA: A
LÔCRIO: B
JÔNIO: C
DÓRICO: D
FRÍGIO: E
LÍDIO: F

Veja porquê Lôcrio/Jônio e Frígio/Lídio são formados por um desenho mas na


verdade são, na teoria, escalas diferentes, Lôcrio/Jônio são correspondentes
as escalas de B/C, notas que você anda ½ tom, assim como o FrÍgio/Lídio
correspondem a E/F notas que também andam ½ tom. Agora vamos
descomplicar o pensamento em relação às escalas!

Todos os modos são formados pelas mesmas notas, sendo, por exemplo, a
escala Mixolidio formada pelas notas:

G/A/B/C/D/E/F/G/ETC

E a Eólia formada pelas notas:

A/B/C/D/E/F/G/ETC

E assim por diante, as únicas coisas que mudam de uma escala para outra
são: o desenho, e a nota de saída da escala, sendo o desenvolvimento dela
igual em todas as outras escalas. Se todas as escalas têm as mesmas notas,
elas seriam iguais então? Na teoria não, mas na prática sim.
Todas elas têm a mesma importância, em um solo todas elas podem ser
encaixadas perfeitamente, porque como vimos, em matéria de notas, não há
diferença entre elas.

16
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Note que todos os desenhos se encaixam entre si, a ideia seria; onde termina
uma escala já é o começo da outra, então elas têm uma sequencia lógica, o
que é claro, facilita o estudo de visualização.

No assunto campo harmônico foi dito que escalas e acordes estão juntos,
embutidos em uma coisa só, por exemplo, a escala Eólia começa em A, que
acorde, maior ou menor casaria com a escala?

AM ou Am, visualizando, você verá que é o Am porque não há "sustenidos"


nesse acorde, portanto a Eólia têm um desenho menor, mas isso não quer
dizer que é uma escala menor porque na Jônio por exemplo, se encaixa um
acorde de CM, então ela seria uma escala com desenho maior, mas na Eólia,
assim como na Jônio, nós temos as mesmas notas, então não há diferença em
nenhuma das duas, você poderá usar qualquer escala, em qualquer base, é
claro com certos critérios que serão citados aqui. No campo harmônico os
graus são relacionados às escalas sendo:

Primeiro grau: Jônio


Segundo grau: Dórico
Terceiro grau: Frígio
Quarto grau: Lídio
Quinto grau: Mixolidio
Sexto grau: Eólia
Sétimo grau: Lôcrio

Agora você tem que sempre pensar nas escalas como uma unidade, temos os
desenhos, mas todo o bloco é importante. O que vai acontecer muito com
escalas é a mudança de região, mas tudo é feito matematicamente, nós temos
o campo harmônico original, onde seria a área de estudo e onde você não
encontrará sustenidos, mas veja, por exemplo, o campo harmônico de G.

G é claro está no primeiro grau que é da escala Jônio, então faça a escala
Jônio sair da nota G na 6 corda, e pronto você fez a transposição correta! E as
outras escalas vão andar proporcionalmente. No campo já estarão escritas as
posições, mas você pode fazer isso usando a lógica, onde termina uma,
começa a outra e assim por diante.

As escalas não mudam de ordem, elas mudam de região, tudo


matematicamente, sempre depois de Jônio virá a Dórico e depois de Dórico,
Frígio e assim por diante! Por isso é muito importante decorar as escalas muito
bem, para ter opções, e para não "bitolarmos" em um desenho, as trilhas, por
exemplo, são nada mais nada menos que formas prontas de duas ou mais
escalas juntas e são importantes para conhecer novas formas.

As Pentatônicas são um resumo dos Modos Gregos, "Penta" significa 5, elas


são as 5 tônicas dos Modos Gregos, e cada Modo Grego têm a sua
Pentatônica correspondente, e só dar uma olhada nos desenhos, e para usa-
las é a mesma coisa, elas acompanham os Modos.

17
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

Existe um truque para solar em "Blues", que seria o seguinte: o "Blues" tem
uma sonoridade muito característica, para seguir adiante temos que entender a
sonoridade, o quê torna o "Blues" tão peculiar.

O "Blues" basicamente é construído por acordes maiores, mais


especificamente é só pegar os acordes do Primeiro/Quarto/Quinto graus, esses
graus são todos maiores, e em qualquer campo harmônico tocando essa
sequencia você terá uma "cadência Blues".

A particularidade do "Blues" vem de um efeito harmônico muito interessante, o


"Blues" então é criado basicamente por acordes maiores, o quê caracteriza se
um acorde é maior ou menor seria o intervalo de terça, e temos a terça maior
para acordes maiores e a terça menor para acordes menores, para ter um
efeito "Blues", é tocado junto com o acorde maior a terça menor desse acorde,
por exemplo, vamos pegar a tônica de um "Blues" em um campo harmônico
natural, o de estudo, a tônica do "Blues" estaria no primeiro grau, C, o acorde
de CM é formado pela terça maior que é a nota E, toque junto a nota Eb, que é
a terça menor, pronto esse é o efeito "Blues"(Blue Note). Note que na Penta
Blues a nota a mais que ela tem é exatamente o Eb.

Mas ainda não é só isso, o que os guitarristas de "Blues" fazem é mais radical;
por exemplo: um "Blues" no campo harmônico natural seria basicamente
CM/FM/GM, você de cara pode solar em Modos gregos, Pentatônicas e Penta
blues na posição original sem problemas, vai ficar bem dinâmico.

Mas para ter o efeito "Blues" realmente, pegue somente a Pentâtonica e a


Penta blues e faça elas andarem 1 tom e ½ à frente da posição original. Ai sim
você estará solando com a sonoridade "Blues"! Mas o quê foi feito na verdade?

A ideia "Blues" é você tocar em cima de acordes maiores a terça menor da


tônica do "Blues" certo? Agora vejamos, o tom do "Blues" natural é C, que
escala faz parte desse tom? A escala Jônio, que é claro uma escala com
desenho maior, andando todos os desenhos 1 tom e ½ a frente, que escala
está agora em C? Seria a Eólia que é uma escala com desenho menor. Ou
seja a ideia básica, que era tocar em cima de um acorde maior a terça menor
se estendeu para onde havia uma escala com desenho maior há agora uma
com desenho menor demais!

O quê é muito importante dizer é que quando você desloca as escalas 1 tom e
½ à frente, só use Pentas e Penta blues e esse efeito é só para "Blues"! Ou
para músicas que usem o primeiro/ quarto e quinto graus do campo harmônico.
Então veja que linha de raciocínio simples que você pode seguir agora!
Imagine um "Blues" em E.

18
ESCALAS E MODOS GREGOS
Estudos Teóricos e Práticos

A tônica de um "Blues" é sempre um acorde do primeiro grau!! ENTÃO ESTE


SERIA O CAMPO HARMÔNICO DE E. Um Blues nessa tonalidade seria
formado basicamente por, E/A/B, (primeiro grau/quarto e quinto) a tônica do
"Blues" é sempre o acorde do primeiro grau.

Você poderia usar a Jônio saindo de E, Modos gregos /Pentatônicas, e


poderia também usar a Penta da Eólia em E, o que daria o efeito "Blues"! É o
mesmo raciocínio para todos os campos! LEMBRANDO QUE, QUANDO VOCÊ
PEGA A PENTA DA EÓLIA E ANDA 1 TOM E ½ A FRENTE, TODOS OS
OUTROS DESENHOS ANDARAM PROPORCIONALMENTE! A IDEIA DE
PEGAR A EÓLIA E SÓ PARA FACILITAR O RACIOCÍNIO.

Espero que você tenha aproveitado as lições contidas neste módulo teórico
e prático. Lhe desejo bons estudos!

19