Você está na página 1de 10

NORMA ABNT NBR

BRASILEIRA 7007

Terceira edição
14.09.2016

Aço-carbono e aço microligado para barras e


perfis laminados a quente para uso estrutural —
Requisitos
Carbon steel and high-strenght low-alloy steel for strutural use —
Requirements
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

ICS 77.080.20 ISBN 978-85-07-06533-3

Número de referência
ABNT NBR 7007:2016
6 páginas

© ABNT 2016
ABNT NBR 7007:2016
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

© ABNT 2016
Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser
reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por
escrito da ABNT.

ABNT
Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar
20031-901 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: + 55 21 3974-2300
Fax: + 55 21 3974-2346
abnt@abnt.org.br
www.abnt.org.br

ii © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 7007:2016

Sumário Página

Prefácio................................................................................................................................................iv
1 Escopo.................................................................................................................................1
2 Referências normativas......................................................................................................1
3 Termos e definições............................................................................................................1
4 Requisitos gerais ...............................................................................................................1
4.1 Grau do aço ........................................................................................................................1
4.2 Soldabilidade ......................................................................................................................2
5 Composição química .........................................................................................................2
6 Propriedades mecânicas ...................................................................................................3
7 Requisitos adicionais ........................................................................................................3
8 Aceitação ou rejeição ........................................................................................................5
Anexo A (normativo) Amostragem para determinação da composição química............................6

Figura
Figura A.1 – Localização das amostras para análise química.........................................................6

Tabelas
Tabela 1 – Composição química – Análise química de panela (valores em percentuais)d...........2
Tabela 2 – Variação admissível na análise de produto.....................................................................3
Tabela 3 – Propriedades mecânicas...................................................................................................4
Tabela 4 – Ajustes no requisito de alongamento..............................................................................4
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados iii


ABNT NBR 7007:2016

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas


Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos
de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são
elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas pelas partes interessadas no tema objeto da
normalização.

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da Diretiva ABNT, Parte 2.

A ABNT chama a atenção para que, apesar de ter sido solicitada manifestação sobre eventuais direitos
de patentes durante a Consulta Nacional, estes podem ocorrer e devem ser comunicados à ABNT a
qualquer momento (Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996).

Ressalta-se que Normas Brasileiras podem ser objeto de citação em Regulamentos Técnicos. Nestes
casos, os Órgãos responsáveis pelos Regulamentos Técnicos podem determinar outras datas para
exigência dos requisitos desta Norma.

A ABNT NBR 7007 foi elaborada no Comitê Brasileiro de Siderurgia (ABNT/CB-028), pela Comissão
de Estudo de Produtos Longos de Aço (CE-028:002.004). O Projeto circulou em Consulta Nacional
conforme Edital nº 08, de 02.08.2016 a 08.09.2016.

Esta terceira edição cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR 7007:2011), a qual foi tecnica-
mente revisada.

O Escopo em inglês desta Norma Brasileira é o seguinte:

Scope
This Standard establishes the requirements for carbon and high-strength low-alloy steel bars and
shapes for structural purposes.
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

iv © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 7007:2016

Aço-carbono e aço microligado para barras e perfis laminados a quente


para uso estrutural — Requisitos

1 Escopo
Esta Norma estabelece os requisitos para as barras e os perfis estruturais laminados a quente,
de aço-carbono ou de aço microligado, empregados em estruturas de aço.

2 Referências normativas
Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para refe-
rências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se
as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR 6215, Produtos siderúrgicos – Terminologia

ABNT NBR ISO 6892-1, Materiais metálicos – Ensaio de tração – Parte 1: Ensaio de tração à
temperatura ambiente

3 Termos e definições
Para os efeitos deste documento, aplicam-se os termos e definições da ABNT NBR 6215 e os seguintes.

3.1
análise de produto
análise efetuada, caso necessário, no produto, em seu estado de entrega, com o objetivo de determinar
se a composição química se encontra dentro dos limites estabelecidos nesta Norma

3.2
corrida
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

quantidade de aço que é obtida em cada operação de vazamento do forno na aciaria

NOTA Designa-se também com esse mesmo nome a quantidade de aço que provém de cada uma
das panelas que recebe o aço do forno, quando este é vazado em duas ou mais panelas.

3.3
lote
produtos de mesmas medidas nominais, de mesmo grau de aço, formados por corridas identificadas

4 Requisitos gerais
4.1 Grau do aço

Os aços considerados nesta Norma se classificam, segundo as suas propriedades mecânicas, em:
BR 190, MR 250, AR 350, AR 415 e AR 350 COR, onde BR significa baixa resistência, MR significa
média resistência, AR significa alta resistência e COR significa maior resistência frente à corrosão
atmosférica.

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 1


ABNT NBR 7007:2016

4.2 Soldabilidade

4.2.1 Os aços desta Norma são considerados soldáveis por métodos normais de fusão, quando
o carbono equivalente da análise de corrida for menor ou igual a 0,55 %, calculado segundo a seguinte
equação:

%Mn (%Cr + %Mo + %V ) (%Ni + %Cu)


Carbono equivalente (Ceq , %) = %C + + +
6 5 15

4.2.2 Deve-se observar que a soldabilidade dos aços não depende somente da composição química
do material, mas também das medidas, da forma, do projeto da obra e das condições de realização
da soldagem.

5 Composição química
5.1 A composição química do aço, em análise efetuada na corrida, deve ter os teores indicados
na Tabela 1.

Tabela 1 – Composição química – Análise química de panela (valores em percentuais)d


Grau C Mn b Si P S Cu V Nb Cr Ni Mo Ti

BR 0,35 0,40 0,040 0,050 0,35


-c -c -c -c -c -c -c
190 máx máx máx máx máx

MR 0,23 0,40 0,040 0,050 0,35 0,35 0,35 0,05


-c -c -c -c
250 máx máx máx máx máx máx máx máx
0,50 0,10
AR 0,23 0,040 0,050 0,35 0,15 0,050 0,35 0,35 0,05 0,04
a a
350a máx máx máx máx máx máx máx máx máx máx
1,35 0,40

AR 0,50 0,15 0,25 0,40


0,20 0,040 0,050 0,15 0,050 0,50 0,10 0,04
350 a a a a
máx máx máx máx máx máx máx máx
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

CORa 1,35 0,55 0,50 0,70


0,50 0,10
AR 0,26 0,040 0,050 0,35 0,15 0,050 0,35 0,35 0,05 0,04
a a
415a máx máx máx máx máx máx máx máx máx máx
1,35 0,40
a Nb + V + Ti ≥ 0,010 %.
b Para cada redução de 0,01 % no teor máximo de carbono especificado, um aumento de 0,06 % no teor de manganês
acima do máximo especificado é permitido até o limite máximo de 1,50 %.
c Não especificado.
d Aços efervescentes não são aceitos para qualquer grau de aço acima descrito.

5.2 A tolerância admissível na análise química de produto com relação ao especificado na Tabela 1
é indicada na Tabela 2.

2 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 7007:2016

Tabela 2 – Variação admissível na análise de produto

Tolerância abaixo do limite Tolerância acima do limite


Elementos mínimo especificado máximo especificado
% %

C -a 0,03
Mn 0,06 0,10
Si 0,02 0,05
P -a 0,010
S -a 0,010
Nb -a 0,010
V -a 0,010
Ti -a 0,010
Cu 0,03 0,03
Cr 0,04 0,04
Ni -a 0,03
Mo -a 0,01
Nb + V + Ti 0,000 0,010
a Não especificado.

6 Propriedades mecânicas
6.1 As propriedades mecânicas do aço no estado de entrega, determinadas conforme a
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

ABNT NBR ISO 6892-1, devem atender ao indicado na Tabela 3.

6.2 No caso de perfis, exceto cantoneiras (cujo corpo de prova será sempre retirado de uma das
abas), o corpo de prova deve ser retirado da alma do produto quando a largura da mesa for menor
que 150 mm. Em perfis cuja largura da mesa seja igual ou maior que 150 mm, o corpo de prova deve
ser retirado da própria mesa, em concordância com a Figura A.1. No caso de barras, o corpo de prova
deve ser retirado da metade do raio, exceto para aquelas bitolas cujas dimensões sejam menores
do que 40 mm. Nestes casos, o corpo de prova deve coincidir com o centro da seção.

6.3 A amostragem para realização do ensaio de tração deve ser de no mínimo uma amostra por
corrida por bitola do produto.

7 Requisitos adicionais
Requisitos adicionais, como ensaio de impacto, limite máximo de resistência à ruptura, ensaio
de dobramento, exame por ultrassom, medida de tamanho de grão e outros, podem ser aceitos, desde
que previamente acordados entre o fabricante e o comprador.

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 3


ABNT NBR 7007:2016

Tabela 3 – Propriedades mecânicas


Resistência ao Resistência Alongamento mínimo
Grau do aço escoamento mínima à ruptura após ruptura % a
MPa MPa L0 = 200 mm b
BR 190 190 mín 330 22,0
MR 250 250 400-560 20,0
AR 350 350 mín 450 18,0
AR 350 COR 350 mín 485 18,0
AR 415 415 mín 520 16,0
a Quando é utilizado corpo de prova retangular, reduções no valor especificado de alongamento são
permitidas conforme a Tabela 4, devido ao efeito da geometria.
b L0 é o comprimento da base de medida para determinação do alongamento.

Tabela 4 – Ajustes no requisito de alongamento


Espessura nominal do Dedução do
corpo de prova alongamento mínimo
mm %
7,60 – 7,89 0,5
7,30 – 7,59 1,0
7,00 – 7,29 1,5
6,60 – 6,99 2,0
6,20 – 6,59 2,5
5,90 – 6,19 3,0
5,50 – 5,89 3,5
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

5,20 – 5,49 4,0


4,90 – 5,19 4,5
4,60 – 4,89 5,0
4,20 – 4,59 5,5
3,90 – 4,19 6,0
3,60 – 3,89 6,5
3,20 – 3,59 7,0
2,90 – 3,19 7,5

4 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados


ABNT NBR 7007:2016

8 Aceitação ou rejeição
8.1 Se os resultados de composição química e propriedades mecânicas atenderem ao especificado
nas Tabelas 1 a 3, considera-se aceito o lote da corrida.

8.2 Caso os resultados dos ensaios de tração e análise química não atendam ao estabelecido nesta
Norma, deve-se realizar um novo ensaio, em dois outros corpos de prova para cada um daqueles que
não atenderam aos resultados estabelecidos. Aceita-se o lote ou corrida, se todos os resultados dos
novos ensaios atenderem ao estabelecido nesta Norma.
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

© ABNT 2016 - Todos os direitos reservados 5


ABNT NBR 7007:2016

Anexo A
(normativo)

Amostragem para determinação da composição química

A amostra deve ser retirada da aba, de um ponto distando da extremidade livre, a 1/3 da distância
entre esta extremidade e o plano médio da alma do perfil, conforme a Figura A.1.

1/3 2/3 1
1/3 2/3

2/3 1/3

Perfil W e HP Perfil L 1 Perfil l

1 1 2 2

1/3 2/3 1/3 2/3

1/3 1/3
2/3 2/3

Perfil U Perfil T Barra hexagonal Barra redonda

2 2 2
Exemplar para uso exclusivo - (Pedido 0 Impresso: 10/04/2018)

1/3
2/3

Barra chata Barra quadrada Barra triangular Perfil tipo estrela

Legenda
1 Localização da amostra de perfis

2 O corpo de prova das barras (hexagonal, redonda, quadrada, triangular e estrela) deve ser retirado
a 1 do raio. No caso das barras chatas, a camada superficial descarbonetada deve ser removida
3
mecanicamente antes da realização da análise química

Figura A.1 – Localização das amostras para análise química

6 © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados