Você está na página 1de 13

"

Casa - Arvore - Pessoa


TÉCNICA PROJETIVA DE DESENHO

- -
Pro toc olo de Interpretação

Nome: _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
__ ___,_ _ _ _ _ _ Da ta :_ !_
!_
Sexo: ( ) Masculino I ( ) Feminino
Idade:_ _ Escolaridade: _ _ _ _ _ _ __
Fonte do Encaminhamento:
~-------
--------
--------
Motivo do E nc am in ha m
en to :- -- -- -- -- -- -- -- -- --
-- --
E~?minador - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - Lápis
O Cor O
OBSERVAÇÕES GER AIS
Casa: Tempo para começar o desenho (La
tên cia ):_ Tempo para completar o des
enh o:_

Árvore: Tempo para começar o desenh


o (la tên cia ):_ Tempo para completar o des
enh o:_

Pessoa: Tempo para começar o desenh


o (La tên cia ):_ Tempo para completar o
des enh o:_

VE TO R © 2002 - Vetor Editora Psico-Pedagó


EDITORA PSICO-PEDAGÓGICA LTDA. gica Ltda.
© 1992 - Western Psychological Services
Rua Cubafão, 48 - CEP 04013-000 - SP
Tel. (11) 3146-0333 - Fax. (11) 3146-0340 É proibida a reprodução total ou parci
al desta publicação,
www.vetoradltora.com.br por qualquer meio existente e para
venda s@ve toredl tora.c om.br qualquer finalidade,
sem autorização por escrito dos edito
res.
INQUÉRITO POSTERIOR AO DESEN HO
Para encurtar o inquérito dos desenhos coloridos, você deve fazer apenas as questões
indicadas por*

CASA
1.* Quantos andares tem esta casa? {Esta casa tem um andar supe rior?
)----- --
2. De que esta casa é feita? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ _ __
3.* Esta é a sua própria casa? De quem ela é? - - - - - - - - - - - -
-----
4. Em que casa você estava pensando enquanto estava desenha ndo? _ _ _
_ _ __
5. Você gostaria que esta casa fosse sua? Por que? - - - - - - - - - -
-----
6.* Se esta casa fosse sua e você pudesse fazer nela o que quisess e, qual quarto
você escolheria
para você? Por que?
7.* Quem você gostaria que morasse nesta casa com você? Por que? _ _ _
_ _ _ __

8. Quando você olha para esta casa, ela parece estar perto ou longe?
9. Quando você olha para esta casa, você tem a impressão de que ela está acima,
abaixo ou no
mesmo nível do que você? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ __
1O. Em que esta casa faz você pensar ou lembrar?
11. Em que mais? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
-----
12. É um tipo de casa feliz, amigável? - - - - - - - - - - - - - - - -
-----
13. O que nela lhe dá essa impressão? - - - - - - - - - - - - - - -
-----
14. A maioria das casas são assim? Por que você acha isso? - - - - - - -
-----
15.*Como está o tempo neste desenho? {Período do dia e do ano; céu; tempera
tura) _ __
16. De que tipo de tempo você gosta? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ _ __
17. De quem esta casa o faz lembrar? Por que? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ _ __
18.*Do que esta casa mais precisa? Por que?
19.*Se "isto" fosse uma pessoa ao invés de {qualquer objeto desenha do separad
o da casa), quem
seria? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
----
20. A que parte da casa esta chaminé está ligada?
21. Inquérito da planta dos andares. (Desenhe uma planta dos andares com os nomes,
ex., Que cômo-
do é representado por cada janela? Quem geralmente está lá?)

ÁRVORE
22.*Que tipo de árvore é esta? - - - - - - - - - - - - - - - - - -
-----
23. Onde esta árvore realmente está localizada? - - - - - - - - - - - -
-----
24.*Mais ou menos qual a idade desta árvore? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ _ __
25.*Esta árvore está v i v a ? - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
------
·26. O que nela lhe dá a impressão de que ela está v i v a ? - - - - - - -
-------
27. O que provocou a sua morte? (se não estiver viva) - - - - - - - - -
-----
28. Ela voltará a v i v e r ? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
--- --
29. Alguma parte da árvore está morta? Qual parte? O que você acha que causou a sua -
morte? Há
quanto tempo ela está morta? - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
----
30.*Para você esta árvore parece mais um homem ou uma mulher? _ _ _ _
_ _ _ _ __
31.0 que nela lhe dá essa impressão? _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
_ _ _ __
32. Se ela fosse uma pessoa ao invés de uma árvore, para onde ela estaria virada?
_ __

3
33. Esta árvore está sozinha ou em um grupo de árvores ?
34. Quando você olha para esta árvore, você tem a impressão de que ela está acima,
abaixo ou no
mesmo nível do que v o c ê ? - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
35.*Como está o tempo neste desenh o? (Período do dia e ano; céu; temperatura) - - - - -
_ _ __
36.*Há algum vento sopran do? Mostre-me em que direção ele está soprando.
Que tipo de vento é
esse?

37. O que esta árvore faz você l e m b r a r ? - - - - - - - - - - - - -


-------
38. 0 que mais? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
------
39. Esta árvore é saudável? O que nela lhe dá essa impressão? - - - - -
------
40. Esta árvore é forte? O que nela lhe dá essa impres são? - - - - - - -
------
41. De quem esta árvore faz você lembrar? ------------~--
----
42.*Do que esta árvore mais precisa? Por q u e ? - - - - - - - - - - -
43. Alguém já machucou esta árvore? Como? ___ ___ ___ ___ ___ - ------
____
44.*Se "isto" fosse uma pessoa ao invés de (qualquer objeto desenhado separad
o da árvore), quem
ele poderia ser? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
----

PESSO A
45.*Esta pessoa é um homem ou uma mulher? (menino ou menina)? - - - -
------
46.*Quantos anos ele (a) tem? - - - - - - - - - - - - - - - - - -
------
47.*Quem é ele ( a ) ? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
------
48. Ele (a) é um parente, um amigo ou o que? - - - - - - - - - - - -
49. Em quem você estava pensan do enquanto estava desenh ando? ___ ___ - -----
____
50.*0 que ele (a) está fazendo? Onde ele (a) está fazendo isso? _ _ _ _ _
_ _ _ _ __
51.0 que ele (a) está p e n s a n d o ? - - - - - - - - - - - - - - -
-------
52.*Como ele (a) se sente? Por que? - - - - - - - - - - - - - - -
------
53.*Em que a· pessoa faz você pensar ou lembrar?
54. Em que m a i s ? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
55. Esta pessoa está bem? -------
56. O que nele (a) lhe dá essa impressão? - - - - - - - - - - - - -
------
57. Esta pessoa está f e l i z ? - - - - - - - - - - - - - - - - - -
-------
58. O que nele (a) lhe dá essa impressão? - - - - - - - - - - - - - -
59. A maioria das pessoa s é assim? Por que? ___ ___ ___ ___ ------
___ ____
60. Você acha que gostaria desta pessoa ?
61.Por que? ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___
____
62. Como está o tempo neste desenh o? (Período do dia e ano; céu; temperatura)
_ _ __
63. De quem esta pessoa o faz lembrar? Por q u e ? - - - - - - - - - -
-------
64.*Do que esta pessoa mais precisa ? P o r q u e ? - - - - - - - - -
--------
65. Alguém já machucou esta pessoa ? Como?------------~
-----
66.*Se "isto" fosse uma pessoa ao invés de (qualquer objeto desenhado separad
seria? ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ ___ o da pessoa), quem
__
67.*Que tipo de roupa esta pessoa está vestindo? ___ ___ ___ ___
___ __
68. (Peça para o cliente desenh ar um sol e uma linha de solo em cada desenh
o)
Suponha que o sol fosse uma pessoa que você conhec e - quem seria?

4
LISTA DE CONCE ITOS INTERPRETATIVOS
Verifique características incomun s que possam indicar sinais de patologi a ou petencia
l para pato-
logia quando consideradas em combinação com a história do paciente, problema
s apresentados e
respostas a eutros instrumentos de avaliação. Os conceito s interpretativos listados
não são exausti-
vos e constituem apenas linhas gerais de orientaç ão. Interpretações clínicas devem
ser baseadas na
experiência clínica e nos conhecimentos do Manual do H-T-P ou de outros materiais
publicados.

CASA ÁRVORE PESSOA


Características Normais Caracter ísticas Normais Características Normais
(circule "S" se estiver na faixa normal) (circule "S" se estiver na faixa normal) (circule "S" se estiver na faixa normal)
S/N Tempo 10-12 minutos, S/N Tempo 10-12 minutos, S/N Tempo 10-12 minutos,
latênCia < 30 segundos latência < 30 segundos latência < 30 segundos
S/N Poucas rasuras S/N Poucas rasuras S/N Poucas rasuras
S/N Simétrico S/N Simétrico S/N Simétrico
S/N Linhas não esboçadas ou S/N Linhas não esboçadas ou S/N linhas não esboçadas ou re-
reforçadas reforçada s forçadas
S/N Deficiências aceitas com S/N Deficiências aceitas com bom S/N Deficiências aceitas com bom
bom humor humor humor
S/N Próprio sexo desenhado primei-
ro e mais elaborado
S/N Características sexuais secun-
dárias incluídas (adulto)
S/N Pupilas desenhadas
S/N Nariz sem narinas
S/N Roupas e cinto indicados
S/N Pés e orelhas
S/N Apenas omissões secundárias

Observações Gerais Observaç ões Gerais Observa ções Gerais


(veja as observações da sessão na (veja as observaç ões da sessão na (veja as observações da sessão na
1ªpágina do Protocolo e do Inquéri- 1ª página do Protocolo e do 1nquéri- 1ªpágina do Protocolo e do Inquéri-
to Posterior ao Desenho) to Posterior ao Desenho) to Posterior ao Desenho)
_Atitude _Atitude _Atitude
_Capacid ade Crítica _Capacid ade Crítica _Capacid ade Crítica
_Rasura s (incerteza, conflito, in- _Rasura s (incerteza , conflito, in- _Rasura s (incerteza, conflito, in-
decisão, autocrítica, ansiedade ) decisão, autocrítica , ansiedade) decisão, autocrítica, ansiedade)
_Coment ários espontâneos _Coment ários espontâne os _Coment ários espontâneos
_Tempo, latência, pausas _Tempo , latência, pausas _Tempo , latência, pausas

Proporção Proporçã o Proporçã o


_Tamanh o da figura em relação _Taman ho da figura em relação à _Taman ho da figura em relação à
à página. Crianças normais página. Crianças normais apre- página. Crianças normais apre-
apresentam mais variabilida de sentam mais variabilida de no ta- sentam mais variabilidade no ta-
no tamanho dos desenhos do manho dos desenho s do que os manho dos desenhos do que os
que os adultos normais. adultos normais. adultos normais.
Grande: ambiente restritivo, ten- Grande: ambiente restritivo, ten- Grande: ambiente restritivo, ten-
são, compensação. são, compensa ção. são, compensação.
Pequeno: inseguran ça, retrai- Pequeno: insegura nça, retrai- Pequeno: inseguran ça, retrai-
mento, desconten tamento, re- mento, desconte ntamento , !e- mento, desconten tamento, re-
gressão gressão gressão
_Detalh e para a figura: simetria _Detalh e para a figura: simetria _Detalh e para a figura: simetria
Simetria excessiva: rigidez, fra- Simetria excessiva : rigidez, fra- Simetria excessiva: rigidez, fra-
gilidade gilidade gilidade
Distorções. Distorções. Assimetria: inadequação física,
Óbvias: psicose, organicidade, Óbvias: psicose, organicida de, confusão de gênero.
Crianças normais sob estresse Crianças normais sob estresse Distorções.
Moderadas: ansiedade Moderadas: ansiedade Óbvias: psicose, organicidade,
Outros _ _ _ _ _ _ __ Outros _ _ _ _ _ _ __
Crianças normais sob estresse
Moderadas: ansiedade
Outros _ _ _ _ _ _ __

5
CASA ÁRVORE P.ESSOA
Perspectiva Perspectiva Perspectiva
_Loca lizaçã o do desenho na pá- _Loca lizaçã o do desenho na pá- _Loca lizaçã o do desenho na pá-
gina gina gina
À esquerda: retraimento, regres- À esquerda: retraimento, regres- À esquerda: retraimento, regres-
são, organi cidade (hemis fério são, organi cidade (hemis fério são, organicidade (hemis fério
esquerdo), preocupação consi- esquerdo), preocu pação consi- esquerdo), preocupação consi-
go mesmo, fixação no passado, go mesmo, fixação no passado, go mesmo, fixação no passado,
impulsividade, necessidade de impulsividade, necessidade de impulsividade, necessidade de
gratificação imediata gratificação imediata gratificação imediata
À direita: preocu pação com o À direita: preocu pação com o À direita: preocupação com o
ambien te, antecip ação do futu- ambiente, antecip ação do futu- ambiente, antecipação do futu-
ro, estabilidade/controle, capaci- ro, estabilidade/controle, capaci- ro, estabilidade/controle, capaci-
dade de adiar a gratificação dade de adiar a gratificação dade de adiar a gratificação
Central: rigidez, Comum em crian- Central: rigidez, Comum em crian- Central: rigidez, Comum em crian-
ças pequen as. ças pequen as. ças pequenas.
Superior: esforço irrealista, sa- Superior: esforço irrealista, sa- Superior: esforço irrealista, sa-
tisfação na fantasia, frustração. tisfação na fantasia, frustração. tisfação na fantasia, frustração.
Superi or à esquer da é comum Superi or à esquer da é comum Superi or à esquerda é comum
em crianças pequenas. em crianças pequenas. em crianças pequenas.
Inferior: concretismo, depressão, Inferior: concretismo, depressão, Inferior: concretismo, depressão,
insegurança, inadequação. insegurança, inadequação. insegurança, inadequação.
_Rota ção: oposição _Rota ção: oposição _Rota ção: oposição
Queda sugerida: extrema angús- Queda sugerida: extrema angús- Queda sugerida: extrema angús-
tia tia tia
_Marg ens do Papel _Marg ens do Papel _Marg ens do Papel
Inferior: necessidade de apoio Inferior: necessidade de apoio Inferior: necessidade de apoio
Lateral: sentimento de constrição Lateral: sentimento de constrição Lateral: sentimento de constrição
Superi or: medo ou fuga doam- Superior: medo ou fuga do am- Superi or: medo ou fuga do am-
biente biente biente
Margem impedi ndo comple ta- Margem impedi ndo completa- Marge m impedindo comple ta-
mento do desenho: organicidade mento do desenho: organicidade mento do desenho: OÍ'ganicidade
_Rela ção com o observador _Rela ção com o observador _Rela ção com o observador
Vista de cima: rejeição, grandio- Vista de cima: rejeição, grandio- Vista de cima: rejeição, grandio-
sidade compensatória sidade compensatória sidade compensatória
Vista de baixo: retraimento, in- Vista de baixo: retraim ento, in- Vista de baixo: retraimento, in-
ferioridade ferioridade ferioridade
Distância: inacessibilidade, sen- Distância: retraimento Distância: retraimento
timentos de rejeição, situação no Posição/apresentação - se não Posição/apresentação - perfil
lar fora de controle está de frente: retraimento, pa- comple to ou de costas: retrai-
Posição/apresentação - dese- ranóia mento, paranóia
nhada por trás: retraimento, pa- _Linh a de solo: necessidade de Postura grotesca: psicopatologia
ranóia segurança, ansiédade severa
_Linh a de solo: necessidade de _Tran sparên cias: pobre orienta- Mistura de perfil e frente: orga-
segurança, ansiedade ção para a realidade; Não inco- nicidade, retardamento, psicose
_Tran sparên cias: pobre orienta- mum em criança s pequen as __Linha de solo: necessidade de
ção para a realidade; Não inco- _Movi mento : pressões ambientais segurança, ansiedade
mum em criança s pequenas _Outr os ___ ___ ___
__Transparências: orientação po-
_Movim ento
_Outr os ___ ___ ___ bre para a realidade; psicose se
repres entar órgãos interno s.
Não incomu m em crianças pe-
quenas
_Movi mento
_Outr os _ _ _ _ _ _ __

6
CASA ARVORE PESSOA
Detalhes Detalhes Detalhes
_Excessivos : obsessividade com- __Excessivos: obsessividade· com- __Excessivos: obsessividade com-
pulsiva, ansiedade pulsiva, ansiedade pulsiva, ansiedade
_Falta: retraimento; Comum em __Falta: retraimento; Comum em _Falta: retraimento; Comum em
crianças pequenas crianças pequenas crianças pequenas
_Bizarros: psicose; Comum em __Bizarros: psicose; Comum em _Bizarros: psicose; Comum em
crianças pequenas crianças pequenas crianças pequenas
_Detalhes Essenciais: uma pa- Detalhes Essenciais: tronco e _Detalhes Essenciais: cabeça,
rede, telhado, porta, janela, cha- pelo menos um galho tronco, braços, pernas, traços
miné Comumente omitida em _Galhos
faciais. Omissão de partes do
crianças pequenas Excessivos: compensaçã o, corpo são comuns em crianças
_Antropomó rficos: regressão, mania pequenas.
organicidade; Não incomum Muito altos: esquizoidia _Braços
em crianças Quebrados/mortos: possibili-
Ênfase: grande necessidade
_Chaminé dade de suicídio, impotência
de realização, agressão, pu-
Ênfase: preocupaçõe s se- Cobertos de algodão: culpa
nição se não for desenha-
xuais Como espelho das raízes:
da a própria pessoa
Omissão: falta de calor no lar psicose
Muito finos: dependência,
Fumaça excessiva: tensão _Copa
organicidade
intensa no lar Em forma de nuvens: fantasia
Omitidos - muito pequenos
Em ângulo reto: regressão; Rabiscada: labilidade
-ocultos: culpa, inadequa-
Não incomum em crianças Achatada: pressão do am-
ção, rejeição se não for de-
_Porta biente, negação
senhada a própria pessoa
Ausência: inacessibilida de, _Linha de solo
Em forma de asa: esquizoidia
isolamento Árvore desenhada numa
Gran?e: depend~ncia
_Cabeça
depressão da linha do solo:
Pequená: reserva, inade- Grande: regressão, grandio-
incapacidade
quação, indecisão sidade Comum em crianças
Árvore desenhada no topo de
Com dobradiça / fechadura: pequenas
uma colina: grandiosidad e,
atitude defensiva Pequena: inadequação
isolamento
Aberta: necessidade de calor Irregular ou não ligada: orga-
Buraco é!e fechadura,
_Omissões: conflito relativo à "Nigg' s": oposição, hostili- nicidade, psicose
parte omitida dade Apenas de costas: paranóia
_Telhado __ Omissões: conflito relativo à Desenhada por último: psi-
Ênfase: introversão, fantasia parte omitida copatologia severa
Apenas telhado: psicose __ Dividida: psicose, organici- _Traços faciais
Linha simples: constrição dade Omitidos ou leves: retraimento
Beiral enfatizado: descon- _Tronco Ênfase: dominação social
fiança Base larga: dependência compensatória
_Paredes Longo: regressão, inade- Perfil: paranóia
Finas ou fracas: limites do quação De animal ou bizarros: psi-
ego fracos Cicatrizes: trauma cose
Ênfase: esforço para man- Unidimensional: organicidade Sombreamento ou outra cor
ter o controle do ego Animais: regressão; Co- que não seja a cor da pele:
Ausência: contato pobre mum em crianças pequenas psicopatologia severa
com a realidade Ênfase vertical: contato com _Olhos
Perspectiva dupla: regressão a realidade pobre, preocu- Ênfase: paranóia
Não incomum em crianças pações sexuais; Comum em Pequenos - fechados -
pequenas crianças pequenas omitidos: introversão,
Transparentes: Comum em Base estreita: perda de con- voyeurismo
crianças pequenas trole Pupilas omitidas: conta-
Ênfase horizontal: pressões _Tipo to pobre com a realida-
ambientais Frutífera ou de Natal: de- de; Comum em crianças
Ênfase vertical: contato po- pendência, imaturidade; Co- pequenas
bre com a realidade, preo- mum em crianças pequenas _Orelhas
cupações sexuais; Comum Morta: distúrbios severos Ênfase excessiva: pa-
em crianças pequenas Árvore com muda: regressão ranóia, alucinações au-
ditivas

7
CASA ÁRVORE PESSOA
Detalhes (continuação) Detalhes (continuação) Detalhes (continuação)
_Janelas Vento soprando: pressões _Boca
Ênfase: ambivalência social ambientais Ênfase: dependência;
Ausência: retraimento Comum em crianças pe-
Muitas: exibicionismo quenas
Abertas: controle do ego Omitida: agressão oral,
pobre depressão
Sem vidraça: hostilidade Dentes: agressão
_Nariz
Ênfase: preocupações se-
xuais; Comum em crianças
pequenas
_Gênero
Oposto desenhado primei-
ro: conflito com a identifica-
ção do gênero
_Pernas
Omitidas, diminuídas, corta-
das: desamparo, perda de
autonomia
Posição juntas: rigidez, tensão
Posição afastadas: agressão
Posição instável: insegu-
rança, dependência
_Omissões: conflito relativo
à parte omitida
_Tronco e corpo aberto, frag-
mentado ou omitido: psicopa-
tologia severa, organicidade;
Comum em crianças peque-
nas
Seios: imaturidade
Linha mediana vertical: in-
ferioridade, dependência
Ombros quadrados ou en-
fatizados: hostilidade
Linha da cintura enfatizada:
conflito sexual; Comum em
crianças pequenas
Apertada: explosividade
_Detalhes Não Essenciais Detalhes Não Essenciais __Detalhes Não Essenciais
Ênfase nas cortinas: retraimen- Ênfase na casca da árvore: an- _Roupas
to, evasão siedade, depressão; meticulosi- ' Muita ou pouca roupa: narci-
Ênfase nas calhas: defesa, des- dade: obsessividade compulsiva sismo, desajustamento sexual
confiança Folhas soltas: falha nos meca- Ênfase em botões: imaturi-
Venezianas fechadas: retrai- nismos de superar dificuldades dade; Comum em crianças
mento Grandes: compensação pequenas
_Outros _________ Raízes omitidas: insegurança; gar- _Genitais desenhados: pato-
ras: paranóia; finas/ chão transpa- logia, a não ser para crian-
rente/ mortas: contato pobre com ças muito novas; Comum
a realidade, organicidade em estudantes de artes ou
Trepadeiras: perda de controle em adultos em psicanálise
Frutas: dependência, rejeição se _Pés
estiverem caindo; Comum em Omitidos ou cortados: de-
crianças pequenas samparo, perda de autono-
_Outros _________ mia, preocupações sexuais
Dedos dos pés em figura
vestida: agressão

8
CASA ÁRVORE PESSOA
Detalhes Não Essenciais (conti-
nuação)
_Cabelo
Enfatizado ou omitido: preo-
cupações sexuais
_Mãos/dedos
Luvas: agressividade repri-
mida
Pontiagudos: "acting ouf'
Pétalas: imaturidade
_Pescoço
Ênfase: necessidade de con-
trole
Muito fino: psicose
Omitido: impulsividade
_Outros _ _ _ _ _ _ __

_ Detalhes irrelevantes _Detalhes irrelevantes _Detalhes irrelevantes


Nuvens, sombras: ansiedade Nuvens, sombras: ansiedade Bengalas, espadas, armas:
Montanhas: defensividade Arbustos excessivos: insegu- agressão, preocupação sexual
Degraus e caminhos longos ou rança _Outros._______ __
estreitos: retraimento _Outros._______ __ _Detalhes Bizarros Comum em
Arbustos excessivos: insegurança _Detalhes Bizarros Comum em crianças pequenas
_Outros._______ __ _Dimensão do Detalhe
crianças pequenas
_Detalhes Bizarros Comum em _Dime.nsão do Detalhe _Sombreamen to do Detalhe:
crianças pequenas Unidimensional: recursos infe-rio- Excessivo: ansiedade
_Dimensão do Detalhe res para busca de satisfação _Seqüência do Detalhe: (geral-
Planta dos andares desenhada: Bidimensional não fechado: perda mente primeiro cabeça e face)
conflito severo, paranóia, orga- · de controle
nicidade _Seqüência do Detalhe:
_Sombreamen to do Detalhe Excessivo: ansiedade
Excessivo: ansiedade _Seqüência do Detalhe: normal
_Seqüência do Detalhe: normal é tronco, galho, folhas; ou parte
é telhado, paredes, porta, jane- superior, galhos, tronco
la; ou linha de solo, paredes, te-
lhado

_Qualidade da Linha _Qualidade da Linha _Qualidade da Linha


Forte: tensão. ansiedade, ener- Forte: tensão, ansiedade, ener- Forte: tensão, ansiedade, ener-
gia, organicidade gia, organicidade gia, organicidade
Leve: hesitação, medo, insegu- Leve: hesitação, medo, insegu- Leve: hesitação, medo, insegu-
rança, ego fraco rança, ego fraco rança, ego fraco
Fragmentação/dificuldade com Fragmentação/d ificuldade com Fragmentação/dificuldade com
ângulos: organicidade ângulos: organicidade ângulos: organicidade
_ Outros._______ __ _Outros. _______ __ _Outros. _______ __

Uso Convencional das Cores Uso Convencional das Cores Uso Convencional das Cores
Preto: cóntornos, fumaça, cercas; Preto: contornos; azul, azul-ver- Preto: contornos, cabelo; azul,
azul, azul-verde: fundo, céu, cor- de: fundo, céu; marrom: tronco; azul-verde: fundo, céu, olhos;
tinas; marrorrr. paredes; verde: te- verde: folhas, grama; laranja: la- marram: cabelo, roupas; verde:
lhado, grama; laranja: laranjas; ranjas; vermelho: maçãs, cerejas; suéteres, grama; laranja: suéte-
violeta: cortinas; vermelho: cha- amarelo: sol, flores; amarelo-ver- res; violeta: cachecol, roupas
miné, tijolos, maçãs, cerejas; de: paisagem, grama menores; vermelho: lábios, sué-
amarelo: sol, flores; amarelo-ver- ters, vestidos, cabelo; rosa: pele,
de: paisagem, grama roupa; amarelo: sol, cabelo;
amarelo-verde: grama

9
CASA ÁRVORE PESSOA
Uso Geral das Cores Uso Geral das Cores Uso Geral das Cores
_Escolha da cor: distúrbio geral _Escolha da cor: distúrbio geral _Escolha da cor: distúrbio geral
_Combinaçõ es Bizarras: distúrbio _Combinaçõ es Bizarras: distúrbio _Combinaçõ es Bizarras: distúrbio
sério sério sério
_Cor usada apenas para contor- _Cor usada apenas para contor- _Cor usada apenas para contor-
no: superficialidade, reserva, no: superficialid ade, reserva, no: superficialida de, reserva,
oposição oposição oposição
_Branco usado como cor: aliena- _Branco usado como cor: aliena- _Branco usado como cor: aliena-
ção ção ção
_Diferenças muito grande de ta- _Diferença s muito grande de ta- _Diferenças muito grande de ta-
manho ou qualidade em relação manho ou qualidade em relação manho ou qualidade em relação
aos desenhos acromáticos: ca- aos desenhos acromáticos: ca- aos desenhos acromáticos: ca-
pacidade para permitir afeto pacidade para permitir afeto pacidade para permitir afeto
_Cor fora dos contornos: impul- _Cor fora dos contornos: impul- _Cor fora dos contornos: impul-
sividade, imaturidade, organici- sividade, imaturidade, organici- sividade, imaturidade, organici-
dade dade dade
_Uso extremamente incomum de _Uso extremamente incomum de _Uso extremamente incomum de
cores: distúrbios gerais. Relacio- cores: distúrbios gerais. Relacio- cores: distúrbios gerais. Relacio-
nar______ _____ nar______ _____ nar______ _____
_ Outros ______ ____ _ Outros _ _ _ _ _ _ _ _ __ _Outros _ _ _ _ _ _ _ _ __

Síntese Interpretativa:

10
T
H-T-P - Gula de lnlerpretação 1 Desenhos do H-T-P .de crianças e adultos: algumas questões e comparaçõ
es
Em geral, considera-se que, à medida que o individuo se desenvolve, as hipóteses
interpretativas relacionadas a seus desenhos tomam-se mais especificas. Também, 1 Tabela1
caracteristicas do desenho vistas como normais em crianças são consideradas Características gerais dos desenhos com hipót(!ses diagnósticas
como diferenciais por grupo de idade
tendo possivelmente implicações muito sérias para os adultos e os idosos. Principal-
mente, com relação ao tamanho, desenhos muito grandes ou muito pequenos Caracterlsticas Crianças c;rtanças
são Adolesce ntes Adultos Idosos
considerados normais para crianças, mas são vistos de modo muito diferente do desenho mais novas mais velhas
quando
desenhados por um indivíduo mais velho. Outras caracterlsticas, tais como
detalhes Canto superior Comum Tendências regressivas
bizarros e distorções acentuadas, despertam apenas preocupações leves esquerdo
quando (Jolles, 1952) (Barnouw, 1969; Buck, 1969)
desenhadas por crianças, mas podem sugerir hipóteses aiagnósticas mais
graves Pressão muito Baixo nível de energia, person- Hesitação, Indecisão
quando desenhadas em grupos de idade mais velhos.
leve alidade inibida (Urban, 1963; (Dileo, 1973)
Como pode ser visto. na Tabela 3, muito menos esforços de pesquisa e observaç
ões Levy, 1958)
clínicas têm se focalizado nas interpretações diferenciais para o desenho da
árvore Desenho muito
que para os outros desenhos. Os dados de pesquisa indicam que os efeitos Comum até Tendências agréssivas e de
da inte- grande 22,86cm
ligência e do aumento da maturidade sã·o menos aparentes nos desenhos da acling out, expansividade
árvore (9") (Koppitz, (Urban, 1963)
em comparação aos da casa ou da pessoa (Fukada, 1969). Mais especifica
mente, 1968)
os desenhos de árvores não parecem ser significativamente afetados por fatores
de Desenho multo Comum Sentimento de inferioridade,
desenvolvimento além dos 7 anos de idade. Tanto para crianças, como para Comum
adultos, pequeno (Britain, inadequação (Dileo, 1973;
as árvores parecem refletir uma projeção dos, assim chamados, níveis inconscie (Britain,
ntes 1970) Mundy, 1972) 1970)
da personalidade (Buck, 1950b; Cassel, Johnson & Bums, 1958).
Linhas de esboço Autoconceito Insegurança,
Tabela 1 pobre, autocon- timidez (DiLeo,
Características gerais dos desenhos com hipóteses diagnósticas fiança baixa 1973)
diferenciais por grupo de idade (Schildkrout et Meticulosidade
ai., 1972) (Jolles, 1964)
Caracterí sticas Crianças Crianças Adolesce ntes Adultos Idosos Sombreamenlo Problemas de ajustamento Ansiedade, depressão {Buck, 1!l66; Exner, 1962;
do desenho mais novas mais velhas excessivo (Koppitz, 1964) Wolk, 1969}
Rasuras lncertec:a, Comum (Machover, 1960}
Raramente
êxcess/vss inquietação obseivado Detalhes Bizarros Personalidade seriamente des- Posslvel psicose (Buck,
1969; Mursell, 1969)
{Schildkrout, (Ogdon, 1977) organizada (Dileo, 1973)
Shenker, &
Distorções Normais sob estresse Autoconceito Posslvel psicose, deficiência
Sonnenblick,
acentuadas (Britain, 1970) pobre (Bodwin & mental e/ou organicidade
1972)

~
Ajustamento e aproveita-men- Brick, 1960} (McElhaney, 1969)
Localização Autocontrole (Levy, 1950) Autolnsatisfação to escolar pobres
central (Hammer, 1968) (Koppitz, 1966)
Comum, rigidez
1 se no centro
absoluto (Urban,
Assimetria
acentuada
Agressão manifesta, possível
organicidade (Koppltz, 1968)
Insegurança, inadequação física, organicidade
(Mundy, 1972)
1963) Transparências Comum Imaturidade, Autoconceito Contato com a realidade
1 Localização Possível neurose Tendências
(Urban, 1963) problemas de
ajustamento
(Hiler & Nesvig,
pobre e desajus.
lamento (Hiler &
pobre, possibilidade de
voyeurismo, exibicionismo
inferior na página (Dileo, 1973) depressivas Nesvig, 1965) (Schildkrout et ai., 1972)
1965)
(Mursell, 1969)
1
;j

' Nota: Crianças mais novas:~ 6 anos; crianças mais velhas: 9 - 12 anos;
adolescentes: 13 - 16; adultos: 17 - 65;
idosos: > 65 anos. Essas faixas são aproximadas e, em muitos casos, interpretaçõ
continua ... es diferenciais são apresentadas
apenas para dois desses grupos de Idade

:1 130
il 131
i
H-T-P - Guia de Interpretação Desenhos do H-T-P de crianças e adultos: algumas questões e comparações

Tabela 2 Tabela 3
Características do desenho da casa com hipóteses diagnósticas Características do desenho da ârvore com hipóteses diagnósticas
diferenciais por grupo de idade diferenciais por grupo de Idade
Caracteristlcas Crlan·ças Crianças Adolescentes Adultos Idosos Características Crianças Crianças Adolescentes Adultos Idosos
do desenho mais novas mais velhas do desenho mais novas mais velhas

Ausência de Abaixode6 A ausência de qualquer detalhe essencial sugere deterioração Detalhes essen- Até 7 anos: A ausência de qualquer detalhe essencial em pessoas de
detalhes essen- anos: comum intelectual e/ou sérios distúrbios emocionais (Beck, 1955; cíaís: tronco e um comum inteligência média acima de 7 anos sugere deterioração
e/ais (ex.: Janela, {Beck, 1955; Buck, 1946) galho (Buck, 1946) Intelectual {Buck, 1948; Jolles, 1964)
parede, telhado e Buck, 1948) Macieiras Necessidades Acima de7 Desejo infantil
chaminé) de dependên- anos: posslvel (Jolles, 1964)
Tulipas ou flores Comum (Buck, 1948; Imaturidade (Buck, 1966; Hamn\er, 1954a) ela; se as Imaturidade Deaconfiança
semelhantes a Hammer, 1954a) maçãs estive- ou regressão em mulheres
margaridas rem no chão, (Fukada, (Ma12olf &
Casas Comum Regressão (Meyer et ai., 1g55) sentimentos de 1969) !<ichner, 1972)
antropomórficas (Jolles, 1964) Baixa capacidade mental e organicldade rejeição
(Jolles, 1964) (Buck, 1966)
Chaminé em Comum Regressão, baixa
§ngulo reto com o (Jolles, 1964) capacidade Arvore muito Rebeldia à autoridade Posslvel agres-
telhado mental ou orga- grande (Landesberg, 1969) sividade {Buck,
nicidade (Jolles, 1946) Super-
1964) compensação
Paredes: pers- Comum (Jolles, 1952) Defesas regressi- ' em pensamen-
pectiva dupla com vas (Jolles, 1952) tos e ações
paredes laterais Baixa capacidade (Buck, 1950b)
(extremas) mental e/ou orga-
Árvore fálica Até B anos: comum Desajustamento: preocupação
estreitas nicidade (Jolles,
(Jolles, 1964) ou imaturidade psicossexual em
1952; Buck,
homens a partir dos 9-1 Oanos de
1950b)
Idade (Allen, 1958)
Perspecliva Até os B Manutenção
Simples (apenas anos: comum da persona
uma parede (Jolles, 1952) aceitável (Buck,
mostrada) 1950b)
Evasão s
Nota: Crianças mais novas: a anos; crianças mais velhas: 9 - 12 anos; adolescentes: 13 - 16: adultos: 17 - 65;
(Hammer, 1954) idosos: > 65 anos. Essas faixas são aproximadas e, em muitos casos, Interpretações diferenciais são apresentadas
apenas para dois desses grupos de idade.
Paredes Comum Julgamento e
transparentes (Hammer, contato com a
1956) realidade deficien-
tes, compulsivi-
dade/ ou baixa
capacidade
mental (Jolles,
1964)

s
Nota: Crianças mais novas: 8 anos; crianças mais velhas: 9 - 12 anos: adolescentes: 13 - 16; adultos: 17 - 65;
Idosos:> 65 anos. Essas faixas são aproximadas e, em muitos casos, interpretações diferenciais são apresentadas
apenas para dois desses grupos de idade.

132 133
H-T-P-Guia de lnlerprctação Desenhos do H-T-P de crianças e adultos: algumas questões e comparações

Tabela 4 Tabela 4
Características do desenho da pessoa com hipóteses diagnósticas Características do desenho da pessoa com hipóteses diagnósticas
diferenciais por grupo de idade diferenciais por grupo de Idade (continuação)
Características Crianças Crianças Adolescentes Adultos Idosos Características Crianças Crianças Adolescentes Adultos Idosos
do desenho mais novas mais velhas do desenho mais novas mais velhas
Cabeça muito Até 7anos: Agressividade e pensamento expansivo, ego inflado.
Bocas côncavas Comum (Machover, 1960) Passividade e dependência
grande comum supervalorização da inteligência, fantasia (Urban, 1963)
(Schildkrout et ai., 1972)
(Koppitz,
1968) Dentes visíveis Agressividade {comum) Tendências
{Buck, 1966; Hammer. 1965) agressivas,
Cabeça multo Problemas de ajustamento Inadequação intelectual, social ou sexual
pequena (Dileo, 1970) infantis ou
(Jolles, 1g54)
Caracteristicas
sádicas; acting
Ajustamento pobre, passivei Evasão e superficialidade (Urban, 1963)
faciais omitidas out(Buck.
obsessividade Possiveis tendências de afastamento
1966;
(Koppitz, 1966) (McElhaney, 1969)
Goldsteln &
Olhos omitidos Ajustamento pobre, pensa- Personalidade ineficaz, sem discernimento
Rawn, 19!i7)
menta obsessivo. ansiedade (G urvitz, 1951 )
e/ou depressão {Schildkrout Alucinações visuais {Jolles, 1964) Sorriso aberto Comum {Machover, 1949) Simpatia
et ai., 1972) Esquizofrenia (Hammer, 1969) forçada; afeto
Olhos fechados Distúrbio emo- Hoslilldade encoberta (Schildkrout el ai., 1972) inadequado
cional {Kop- (Machover,
pitz, 1968) 1949; Urban,
1963)
Ênfase na nariz Comum {Machover. 1960) Dificuldades sexuais e infe- Hipersensibi- Pescoço omitido Ajustamento pobre Impassividade (Mundy, 1972)
rioridade (Buck, 1966) !idade, descon- {Mundy, 1972) Passivei organicidade (Koppitz,
fiança; 1968)
defensividade e Imaturidade como nos deficientes
perda da masculi- mentais e pessoas regredidas
nidade em homens (Mundy, 1972)
mais velhos (Wolk,
~
1969) Omissão de Comum Sérios distúrbios psicológicos. talvez psicose
Nariz omitido Timidez. retraimento Sentimentos de castração partes importantes (McElhaney, (Buck, 1948; Burton & Sjoberg, 1964)
(Koppitz, 1968) (Schildkrout et ai., 1972) do corpo 1969)
Ênfase na boca Dependência normal e imatu- Autoconceito Defesas Incapacidade de Assimetria do Agressão ou lesão cerebral Possível
ridade (Urban, 1963) pobre {Bodwin regressivas, comunicação Corpo {Koppitz, 1968) personalidade
& Bruck, 1g50) oralidade (Wolk. 1969)
histérica
(Urban,
(Gilbert, 1969)
1963)
Boca omitida Passiveis obsessões e ansie- Sentimentos de culpa rela- Condições respi-
dade (Haworth, 1962) tivos à agressividade oral ralórias somáticas
limidez, síndrome (Urban, 1963) (Machover. 1949)
depressiva de retraimento Condições depressivas
(Koppltz. 1968) (Koppitz, 1968) continua...

continua...

134 135
H-T-P - Guia de Interpretação Desenhos do H-T-P de crianças e adultos: algumas questões e comparações

Tabela 4 Tabela 4
Características do desenho da pessoa com hipóteses diagnósticas Caracteristicas do desenho da pessoa com hipóteses diagnósticas
diferenciais por grupo de idade (continuação) diferenciais por grupo de idade (continuação)
Características Crianças Crianças Adolescentes Adultos Idosos Características Crianças Crianças Adolescentes Adultos Idosos
do desenho mais novas mais velhas do desenho maís novas mais velhas

Omissão do Comum em Ajustamento Roupa Comum (Machover, 1960; Voyeurismo e/ou exibicionismo
Possível organi-
tronco crianças muito pobre e baixo cidade, retardo transparente Urban, 1963) (Machover, 1949)
novas aproveitamento mental; tendên- Desordem de caráter
(Gurvitz, 1951) escolar cias "voltadas (Deabler, 1969)
(Koppilz, 1968) para dentro" e ., Condições psicóticas regredidas
hipocondriacas (McElhaney, 1969)
(McElhaney, Ênfase nos Comum Dependên- Imaturidade, dependência (Halpern,
1969) botões (Buck, 1966) eia materna 1958) Regressão (Wolk, 1969)
Unha da cintura Comum (Machover, 1960) (Jolles, 1964)
Conflito ou perturbação sexuais
forte /Enfase na Preocupação Homens acima de
agudos (Buck, 1966; Hammer,
gravata sexual (Buck, 40 anos: inade-
1954a)
Genitais pre- Agressão manifesta e patolo- Passivei preo- Psicopatologia, 1966) quação sexual
Regressão
sentes gia séria (Dileo, 1973; cupação e curio- passivei pslco- (Buck, 1966)
primitiva
Koppltz, 1968) sidade sexuais palia (Deabler, Ênfase nos Meninas Passivei impotên-
(Wolk, 1969)
sapatos púberes: co- eia (Machover,
(Urban, 1963 1969; Dileo,
1973} mum (Levine & 1949) Homens:
Braços curtos Ajustamento pobre (Koppitz, Sapolsky, 1969) passiveis tendên•
Falta de ambição, sentimentos
1968) de inadequação e dependência cias homossexuais
(Schildkrout et ai., 1972; Gilbert, (Hammer, 1968)
1969) Cowboys Comum (Urban, 1963) Possível desor- Imaturidade e
Menos de cinco Organicidade (Koppitz, 1968) Sentimentos de inadequação dem de caráter, dissimulação das
dedos (Schildkrout et ai., 1972) delinquência necessidades
Dedos sem mãos Comum (Schneidman, 1958) (Oeabler, 1969) (Hammer, 1958)
Tendências de
ataque infantis Figuras desu- Imaturidade, sentimentos de Organicldade
e agressividade manizadas, ex., despersonalização (Dlleo, (Sinal!, 1973)
(Schneidman, mecânicas ou 1973) Possível psicose
1958) monstros (McElhaney, 1969)
Mais de cinco Organlcidade Ambição, força,
dedos (Koppitz, 1968) ganância Figuras sedutoras Comum Mulheres: histe-
(Urban, 1963) (Machover, ria e narcisismo
Pernas juntas Possível distúrbio emocional Tensão, possível desajustamento 1960) (McElhaney, 1969)
pressionadas (Koppitz, 1968) sexual, temor de ataque sexual Figuras palitos Comum Tendências evasí-
uma à outra fantasiado (Machover, 1949) (Machover, vas, insegurança
Postura inclinada Possível impulsividade. agres- Insegurança e dependência relati· 1960) (Hammer, 1958)
são, organlcldade, e pobre vas a alcoolismo, epilepsia e pro- Negativismo e/ou
realização (Koppitz, 1968) blemas orgânicos (Deabler, 1969) hostilidade
(Hammer, 1958)

continua...
Nota: Crianças mais novas:!: 8 anos; crianças mais velhas: 9 - 12 anos; adolescente~: 13 - t6; adultos: 17 - 65;
Idosos: > 65 anos. Essas faixas são aproximadas e, em muitos casos, Interpretações diferenciais são apresentadas
1
Em inglês: convolutlonal. apenas para dois desses grupos de Idade.

136 137

Você também pode gostar