Você está na página 1de 2

LOJA DE PERFEIÇÃO “TEMPLÁRIOS DO GRAAL” N° 567 DO VALE DE AURIFLAMA

PERDÃO

O perdão, como nos ensina a Maçonaria, é o estado de

ânimo em que se encontra alguém ao ser perdoado, porque quem perdoa se absolve também, se liberta do sofrimento enganado de quem não consegue observar a existência do amor onde parece não haver. A impossibilidade desse ato é falta de vivência, falta de tranqüilidade no íntimo, falta de confiança nas coisas, falta de entendimento, de visão. Quem perdoa vislumbra, ainda que por alguns instantes, o todo. Quem perdoa reconhece

em si o amor de Deus.

O perdão é superioridade intelectual e quem perdoa o faz

porque compreende plenamente a existência humana com todas as suas falhas. Entende que não está no centro, que não há apenas o branco e o preto, que as coisas e os significados estão todos entrelaçados.

Em todos os caminhos do crescimento humano, tanto o psicológico quanto o espiritual, uma ênfase especial é dada à questão da mágoa não só pelo sofrimento que ela produz, mas também pelo transtorno que provoca no relacionamento. Todas as crenças são sagradas e merecedoras de respeito, não importa qual seja a religião. O que é relevante é que as pessoas com religiosidade conseguem viver melhor, porque têm entre suas qualidades a capacidade de perdoar

Estar com a mente sã e sem mágoas é uma ótima receita de prevenção. Perdoar é um bálsamo para o espírito e para a saúde. Cultivar ressentimentos tende a se tornar um processo mórbido, pois fixa as pessoas num determinado ponto do tempo ou da vida, que limita horizontes e fecha possibilidades. Uma das características da vida é que ela só pode ser vivida no presente. O passado e o futuro, apesar de existirem na nossa cabeça, não têm existência real.

Perdoar é o reconhecimento da Sabedoria presente em nossa alma e em nosso coração. O Verdadeiro Maçom inspira-se num perpétuo anelo de concórdia, de inteligência e de boa harmonia. Supera todos os obstáculos para frustrar os desacordos; não conhece o rancor, sabe perdoar, esquecer e estender a mão sem intenções ocultas.

LOJA DE PERFEIÇÃO TEMPLARIOS DO GRAAL DO VALE DE AURIFLAMA TRABALHO DE ELEVAÇÃO MESTRE ELEITO DOS NOVE

07.10.09

Salomão, ao perdoar Johabem, mostrou que o perdão é uma virtude que somente uma profunda sapiência pode inspirar. Mas o perdão não pode ser apenas uma atitude política de recomposição da ordem violada, tem de integrar um sentimento de renúncia a qualquer vingança, no momento e para sempre. Não há perdão sem esquecimento. Do contrario, jamais seria possível perdoar um Irmão “70 vezes sete”. É feliz aquele que à noite, antes de adormecer, pode dizer que não tem mágoas e nada tem contra o próximo.

Luiz Fernando Toscano Registro Geral n° 6630

LOJA DE PERFEIÇÃO TEMPLARIOS DO GRAAL DO VALE DE AURIFLAMA TRABALHO DE ELEVAÇÃO MESTRE ELEITO DOS NOVE

07.10.09