Você está na página 1de 92

Produtos de média tensão

UniGear ZS1
Comutador de média tensão, à prova de
arco, isolado a ar até 24 kV de tensão
isolada
Índice

1. UniGear ZS1
4 Descrição
8 Classificação IEC
10 Características de design
12 Integralmente testadas em conjuntos de série
14 Segurança
18 Disjuntor de vácuo
22 Disjuntor de gás
24 Contactor de vácuo
26 Interruptor-seccionador
28 Dispositivos de serviço
30 UFES - Seccionador de ligação à terra ultra-rápido
32 Limitação de corrente de falha do limitador-Is
34 Transformadores de medida
36 Sensores de medição
40 Terminais de cabos
42 Automação da distribuição
56 Sistema de transferência automático
58 Unidades típicas
60 Dados técnicos

2. UniGear ZS1 - Sistema de Barramento Duplo


64 Descrição
66 Características
68 Unidades típicas
70 Dados técnicos

3. Aplicações Marítimas
74 Descrição
76 Características
78 Unidades típicas
80 Dados técnicos

UniGear ZS1 - Nível Duplo


82 Descrição
84 Características
86 Unidades típicas
88 Dados técnicos

3
1 UniGear ZS1
Descrição

 O UniGear ZS1 é o comutador global da linha principal da ABB até 24 kV,


4000 A, 50 kA, com produção nos seis continentes.
 Mais de 150.000 painéis produzidos e instalados em mais de 100 países
 Cada painel UniGear ZS1 é composto por uma unidade individual que pode
ser equipada com um disjuntor, contactor ou interruptor-seccionador, bem
como com todos os acessórios disponíveis para unidades de comutador
convencionais

4
 Aprovados para serem utilizados em aplicações especiais, tais como,
marítimas, sísmicas, nucleares e testadas em conjuntos de série, em
conformidade com as normas IEC, GB/DL, GOST e CSA.
 As unidades podem ser acopladas entre si directamente com os
outros produtos da família UniGear
 O comutador não requer acesso traseiro para instalação ou
manutenção, todas as operações são efectuadas a partir da parte
frontal

Características da Aplicações
UniGear ZS1
Gama Serviços e Centrais Eléctricas
Até 12-17,5 kV, …4000 A, …50 kA • Estações de produção de electricidade
Até 24 kV, …3150 A, …31,5 kA • Subestações
Norma IEC • Comutador principal e auxiliar
Versões altamente personalizadas
Indústria
Segurança
• Pasta e Papel
Equipado com bloqueio de segurança
• Cimento
Classificação de arco interno IAC AFLR
• Têxteis
Classificação LSC-2B, PM
• Alimentação
Transvasamento CB com porta fechada
• Automóvel
Flexibilidade • Exploração de pedreira
Aplicações vastas • Petroquímica
Vácuo e disjuntor SF6 • Petróleo e gás
Contactor de vácuo • Metalúrgica
Interruptor-seccionador • Laminadores
CT/VT tradicionais e sensores • Mineira
Solução de parede e autónoma

Qualidade Marítimo
Qualidade ABB • Plataformas de perfuração
Base instalada de grande dimensão • Plataformas petrolíferas no mar
Instalada num elevado número de • Navios de cruzeiro
países • Navios porta-contentores
• Cisternas
O design inclui
• Navios lança-cabos
Protecção e controlo
• Ferries
Seccionador de ligação à terra
Seccionador de ligação à terra ultra-
Transporte
rápido
• Aeroportos
Limitador IS
• Portos
Baterias de condensadores integradas
• Segmento ferroviário
Computador central
• Transporte subterrâneo

Infra-estrutura
• Centros comerciais
• Hospitais
• Grandes obras civis e de infra-estruturas

5
1 UniGear ZS1
Descrição

O UniGear ZS1 é um comutador de média tensão com um


alojamento metálico, adequado para instalações no interior.
As partições metálicas segregam os compartimentos uns dos
outros e os componentes eléctricos estão isolados a ar.
Uma vez que o comutador é de tipo altamente modular, isto faz
com que seja simples a selecção de componentes necessários
por qualquer aplicação.
As unidades funcionais do comutador têm garantia à prova de
arco em conformidade com as normas IEC 62271-200, anexo
AA, acessibilidade classe A, critérios de 1 a 5.
Toda a instalação, funcionamento e operações de manutenção
podem ser efectuadas a partir da parte frontal da unidade.
O comutador e os seccionadores de ligação à terra são
operados a partir da parte frontal com a porta fechada.
O comutador pode ser instalado contra a parede.

Aparelho Condições normais de funcionamento


A gama de aparelhos disponíveis para o comutador UniGear
As características atribuídas do comutador são garantidas
ZS1 é a mais completa do mercado, incluindo:
sob as condições de ambiente que se seguem:
disjuntores de vácuo amovíveis com actuador mecânico ou
magnético, temperatura ambiente mínima: – 5 °C
disjuntores de gás amovíveis, temperatura ambiente máxima: + 40 °C
contactores de vácuo amovíveis com fusíveis, Para diferentes níveis de temperatura, contacte o seu
versão fixa de interruptores-seccionadores. representante de vendas ABB.
Isto possibilita oferecer uma interface única do utilizador Humidade ambiente:
do comutador, com os mesmos procedimentos de - média máxima em 24 h da humidade relativa de 95% RH
funcionamento e manutenção. - média máxima em 24 h da pressão do vapor de água de 2,2
kPa
O comutador pode ser equipado com transformadores de
- média máxima mensal da humidade relativa de 90% RH
medida ou sensores para protecção e medição de corrente e
- média máxima mensal da pressão do vapor de água de 1,8
tensão e qualquer tipo de unidade de protecção e controlo. kPa
A altitude normal de funcionamento é de até 1000 m acima do
Comutador, configuração de barramento nível do mar. Para aplicações em altitudes mais elevadas,
contacte o seu representante de vendas ABB.
Na conclusão das unidades funcionais tradicionais em Presença de atmosfera normal, não corrosiva e não
disposição única de barramento de nível simples, a plataforma contaminada.
do comutador UniGear ZS1 está equipada com:
Nível duplo,
Unidades compactas equipadas com contactores com
fusíveis,
Sistemas de Barramento Duplo.
A utilização destas unidades permite o uso extremamente
eficiente do espaço. Adicionalmente, o barramento único
UniGear ZS1 pode ser combinado com outros membros da
família UniGear, tais como:
UniGear 550,
UniGear 500R,
UniGear MCC.

6
Normas Graus de protecção
O comutador e o seu aparelho principal integrado estão em Os graus de protecção do comutador estão em conformidade
conformidade com as seguintes normas: com as normas IEC 60529.
IEC 62271-1 para finalidades gerais. O comutador UniGear ZS1 é normalmente fornecido
IEC 62271-200 para o comutador. com os seguintes graus standard de protecção:
IEC 62271-102 para o seccionador de ligação à terra. IP4X para o alojamento.
IEC 62271-100 para os disjuntores. IP2X para as partições entre os compartimentos.
IEC 60071-2 para a coordenação de isolamento. Sob pedido, o compartimento externo pode ser fornecido com
IEC 60470 para os contactores.
um grau de protecção mais elevado, neste caso contacte o
IEC 60265-1 para interruptores-seccionadores.
IEC 60529 para grau de protecções. seu representante de vendas ABB.

As características eléctricas do comutador podem variar mais


Cor das superfícies externas
que as descritas na secção anterior, consoante as condições de
RAL7035 - cinzento claro (portas frontais e chapas
ambiente e também se um grau de protecção mais elevado for
laterais). Outras cores disponíveis sob pedido. utilizado.

Características eléctricas IEC da UniGear ZS1 - Sistema de Barramento Individual


Tensão atribuída kV 7,2 12 17,5 24
Tensão atribuída de isolamento kV 7,2 12 17,5 24
Tensão atribuída admissível à frequência de potência kV 1 min 20 28 38 50
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação kV 60 75 95 125
Frequência atribuída Hz 50/60 50/60 50/60 50/60
Corrente admissível de curta duração kA 3 s …50 .50 .50 .31,5
Corrente de pico kA …125 .125 .125 .80
Corrente admissível de arco interno kA 1 s .50 .50 .50 .31,5
Corrente atribuída do barramento principal A …4 000 …4 000 …4 000 …3 150
630 630 630 630

1 250 1 250 1 250 1 250


1 600 1 600 1 600 1 600
Corrente atribuída do disjuntor A
2 000 2 000 2 000 2 000
2 500 2 500 2 500 2 300

3 150 3 150 3 150 2 500


3 600 3 600 3 600 2 500
Corrente atribuída do disjuntor com ventilação forçada A
4 000 4 000 4 000 3 150
1) Para outras versões, consulte os capítulos n.º 2 (Sistema de Barramento Duplo) e n.º 3 (Aplicações Marítimas).
2) A versão GB/DL está disponível com um pedido especial no que respeita às características dieléctricas (42 kV) e corrente de
curta duração admissível (4 s).
3) Os valores indicados são válidos para os disjuntores SF6 e a vácuo.
4) Para o painel com contactor o valor de corrente atribuída é 400 A.
5) A versão CSA está disponível para 27,6 kV

7
1 UniGear ZS1
Classificação IEC

Com a saída da norma IEC 62271-200, foram introduzidas Partição Metálica - PM


novas definições e classificações de comutadores de
Relativamente ao tipo de separações ou obturadores entre
Média Tensão.
os componentes eléctricos e um compartimento aberto, é
Uma das mudanças mais significativas é a de que foi
feita uma distinção entre duas classes de partições:
abandonada a classificação dos comutadores em tipos
Classe PM (Partição feita de Metal);
cúbicos, compartimentados e com estrutura metálica. Classe PI (Partição feita de material de Isolamento).
A revisão das regras de classificação dos comutadores tem sido O UniGear ZS1 é definido com a classe de partição PM com a
baseada no ponto de vista dos utilizadores, principalmente em segregação entre compartimentos feitos de
aspectos como o serviço e a manutenção dos comutadores, em chapas/obturadores.
conformidade com os requisitos e expectativas para uma gestão
devida, desde a instalação até ao desmantelamento.
Neste contexto, a Perda de Continuidade de Serviço (LSC) foi Compartimento acessível controlado por
seleccionado como um parâmetro fundamental para o bloqueio
utilizador. Em conformidade com a norma IEC 62271-200, o A parte frontal do UniGear ZS1 é classificada como controlada
comutador UniGear ZS1 pode ser definido como se segue. por bloqueio porque o acesso dos compartimentos que contêm
componentes de alta tensão, destinados a ser abertos para
funcionamento normal e/ou manutenção normal, está controlado
Perda de continuidade de serviço - pelo design completo do comutador.

LSC-2B Compartimento acessível com uma


As várias categorias LSC descrevem a possibilidade de
manter outros compartimentos e/ou painéis alimentados ferramenta
enquanto um compartimento no circuito principal está aberto. A parte traseira do UniGear ZS1 é classificada como
As categorias definidas são: acessível com uma ferramenta porque é possível abrir o
LSC-1: Todo o comutador deverá ser colocado fora de compartimento que contém componentes de alta tensão, que
serviço para que seja aberto um compartimento de circuito podem estar abertas, mas não para funcionamento normal e
principal para funcionamento normal e/ou manutenção
manutenção, apenas utilizando uma ferramenta. São
normal ou para ter acesso a qualquer componente do
comutador. necessários procedimentos especiais.
LSC-2A: O mesmo que LSC-1, com a excepção de que o
barramento principal e as unidades adjacentes ao que está
sob manutenção podem permanecer alimentadas.
Classificação de arco interno – IAC AFLR
LSC-2B: O mesmo que LSC-2A com a excepção de que o O comutador UniGear ZS1 é classificado como IAC AFLR.
compartimento de cabos pode permanecer alimentado. Quando o comutador é especificado e instalado, alguns
O UniGear ZS1 é classificado como LSC-2B porque o pontos fundamentais deve ser tidos em consideração:
barramento, o disjuntor e os compartimentos de cabos estão Nível da corrente de falha (16…50 kA).
fisicamente e electricamente segregados. Esta é a categoria Duração da falha (0,1…1 s).
que define a possibilidade de ter acesso ao compartimento do Vias de evacuação para os gases quentes e tóxicos
disjuntor com os barramentos e cabos alimentados. Em caso produzidos por combustão de materiais.
Dimensões da divisão, com especial atenção à altura.
de utilizar uma versão fixa do interruptor-seccionador, o
painel é definido como LSC-2A, porque os compartimentos de Consulte os seus representantes ABB para informações
detalhadas.
cabos e do aparelho não estão segregados fisicamente.

8
9
1 UniGear ZS1
Características de
design
Compartimentos Seccionador de ligação à terra
Cada unidade do comutador consiste em três compartimentos O compartimento de cabos pode ser equipado com um
de energia: disjuntor [A], barramentos [B] e cabos [C]; consulte seccionador de ligação à terra para o cabo de ligação à terra.
a figura 1. O mesmo dispositivo também pode ser utilizado para ligar o
Cada unidade está equipada com um compartimento de baixa sistema de barramento à terra (medições e unidades de
tensão [D], onde todos os instrumentos auxiliares estão barramento).
guardados. Também pode ser instalado directamente no sistema de
O comutador à prova de arco está normalmente fornecido com barramento principal num compartimento específico (aplicações
uma conduta [E] para evacuação dos gases produzidos por um de barramento).
arco; estão disponíveis diferentes tipos de condutas de gás. O seccionador de ligação à terra tem a capacidade de causar
Todos os compartimentos estão acessíveis a partir da parte um curto-circuito. O controlo do seccionador de ligação à terra é
frontal e as operações de manutenção podem ser feito pela parte frontal do comutador, através de operação
efectuadas correctamente com o comutador instalado numa manual e pode também ser feito, opcionalmente, através de
parede. operação motora.
Os compartimentos estão segregados uns dos outros A posição do seccionador de ligação à terra pode ser visto
por partições metálicas. na parte frontal do comutador, através de um indicador
acoplado mecânico.
Barramentos principais
O compartimento de barramento contém o sistema de Barramento de ligação à terra
barramento principal ligado aos contactos de isolamento O barramento de ligação à terra é feito de cobre electrolítico e
superiores do disjuntor através de ligações derivadas. percorre o comutador em toda a sua extensão, garantindo assim
Os barramentos principais são feitos de cobre electrolítico. uma maior segurança pessoal e na instalação.
Para classificações até 2500 A, os barramentos são barras
planas, enquanto que para as correntes entre 3150 A e 4000
A, um barramento especial de formato-D é utilizado.
Casquilhos e obturadores isoladores
Os barramentos estão cobertos por material isolador. Os casquilhos isoladores no compartimento do disjuntor contêm
Existe um compartimento de barramento único ao longo de os contactos para ligação do disjuntor com o compartimento de
toda a extensão do comutador até 31,5 kA, que pode ser, barramento e o compartimento de cabos, respectivamente. Os
opcionalmente, dividido em compartimentos. Para 40/50 kA casquilhos isoladores são de tipo pólo único e feitos de resina
estes casquilhos são uma característica padrão. epóxida. Os obturadores são metálicos e são activados
automaticamente durante o movimento do disjuntor, desde a
posição de extracção até à posição de funcionamento e vice-
Ligações de cabo versa.
O compartimento de cabos contém o sistema de derivações
para a ligação dos cabos de alimentação aos contactos
inferiores do disjuntor.
Cabos
As ligações do alimentador são feitas de cobre electrolítico e Cabos eléctricos simples e triplos, até um máximo de doze por
são barramentos planos para toda a gama de correntes. fase, podem ser utilizados dependendo da tensão atribuída,
Para 17,5 e 24 kV estão cobertas por material isolador. das dimensões da unidade e da secção onde passam os cabos
(consulte a página 40).
O comutador pode ser instalado contra a parede, uma vez que
os cabos são de fácil acesso pela parte frontal.

10
Conduta de exaustão de gás
A conduta de exaustão de gás está posicionada acima do
comutador e percorre todo o seu comprimento.
Cada compartimento de energia está equipado com uma aba
na superfície superior. A pressão gerada pela falha fá-lo abrir,
permitindo que o gás passe pela conduta.
A evacuação da divisão dos gases quentes e partículas
incandescentes produzidas pelo arco interno deve ser
normalmente efectuada. O comutador UniGear ZS1 pode ser
equipado com uma gama completa de soluções para satisfazer
todos os requisitos, quer em caso da evacuação ser possível
directamente pela parte final do comutador, ou quando são
pedidas soluções da parte frontal ou traseira.
Algumas instalações, tais como aplicações marítimas, não
permitem a evacuação de gases para o exterior da divisão e,
por isso, uma solução específica foi desenvolvida para garantir
segurança pessoal e conformidade com as normas, tal como
chaminés de evacuação longitudinal.
Contacte o seu representante de vendas ABB para obter
mais informações.

Aplicações de barramento
Cada unidade do comutador pode ser, opcionalmente,
equipada com uma aplicação de barramento
acessória:
transformadores de tensão ou corrente para medições do
barramento.
seccionador de ligação à terra do sistema de barramento.
conduta com entrada superior ou cabos para fazer
interligações entre diferentes secções do comutador.

Compartimentos da unidade
A Compartimento do disjuntor
B Compartimento do
barramento
C Compartimento de
cabos
D Compartimento de baixa tensão
E Canal de conduta de gás compacto

Figura 1: Vista da secção de nível único UniGear ZS1

11
1 UniGear ZS1
Integralmente
testadas em
conjuntos de série
O comutador UniGear ZS1 foi submetido a todos os testes Descrição dos testes tipo IEC
necessários pelas normas internacionais (IEC) e organizações
normativas locais (por exemplo, os padrões GB/DL chineses e
Curto-circuito e pico de corrente admissível
GOST russos).
O teste mostra que a alimentação principal e os circuitos de
Além disso, os testes pedidos pelos principais registos navais
ligação à terra resistem às complicações provocadas pela
(LR, DNV, RINA, BV e GL) foram efectuados para a utilização
passagem da corrente de curto-circuito sem qualquer dano.
do comutador em instalações marítimas.
Deve ser também salientado que ambos os sistemas de
Como indicado nestas normas, os testes foram efectuados
ligação à terra dos disjuntores amovíveis e de barramento de
nas unidades do comutador consideradas mais sensíveis aos
ligação à terra do comutador são submetidos ao teste.
efeitos dos testes e, por isso, os resultados foram alargados a
As propriedades eléctricas e mecânicas do sistema de
toda a gama.
barramento principal e das ligações derivadas superiores e
Cada unidade do comutador é submetida a testes de rotina
inferiores permanecem inalteradas mesmo em caso de curto-
na fábrica antes da entrega.
circuito.
Estes testes destinam-se a fornecer uma verificação funcional
do comutador, baseada nas características específicas de cada
instalação. Aumento de temperatura
O teste de aumento da temperatura é efectuado no valor de
corrente atribuída da unidade do comutador e mostra que a
temperatura não se torna excessiva em nenhuma peça da
Testes tipo IEC unidade do comutador. Durante o teste, tanto o comutador como
Curto-circuito e pico de corrente admissível o disjuntor ou contactor com o qual pode estar equipado são
Aumento de temperatura verificados.
Capacidade do arco interno
Teste dieléctrico
Poder de realização e de corte do disjuntor e dos Capacidade do arco interno
contactores Consulte a página 14.
Capacidade de realização do seccionador de ligação à
terra
Operações mecânicas do disjuntor e do seccionador de Teste dieléctrico
ligação à terra Estes testes constatam que o comutador tem capacidade
Nível de protecção IP suficiente para resistir ao impulso de iluminação e à tensão da
frequência de potência.
Testes de fábrica de rotina IEC O teste da tensão admissível à frequência da potência é
efectuado como um teste tipo, mas é também um teste de rotina
Verificação e inspecção visual
em cada unidade de comutador fabricada.
Operações sequenciais mecânicas
Verificação cablagem
Operações sequenciais eléctricas
Tensão admissível à frequência de potência
Medição da resistência dos circuitos principais
Teste de isolamento secundário

Testes tipo especiais pedidos pelos


registos navais para aplicações
marítimas
Temperaturas ambiente elevadas (+ 45 °C)
Inclinação
Vibração

Figura 2: UniGear ZS1 durante o teste ao arco interno

12
Poder de realização e de corte do disjuntor
O disjuntor ou contactor é submetido aos testes de quebra
Testes tipo pedidos pelos registos
de corrente atribuída e corrente de curto-circuito. navais
Além disso, também é submetido à abertura e encerramento de
cargas indutivas e capacitivas, baterias de condensadores e/ou Temperatura ambiente elevada
linhas de cabos. As condições de serviço para os aparelhos eléctricos nas
instalações marítimas são geralmente mais severas do que
Capacidade de realização do seccionador de ligação à terra as das aplicações normais em terra.
O seccionador de ligação à terra do comutador UniGear ZS1 A temperatura é um factor essencial e, por esta razão, os
pode ser fechado sob curto-circuito. Embora o seccionador de regulamentos dos registos navais pedem que o comutador seja
ligação à terra esteja bloqueado para evitar ser operado em capaz de funcionar a temperaturas ambiente mais elevadas (45
circuitos que ainda estão ligados à corrente. °C ou mais) do que as indicadas nas normas IEC (40 °C).
Contudo, se isto acontecesse por qualquer razão, a segurança
pessoal estaria totalmente salvaguardada. Inclinação
O teste é efectuado ao inclinar o comutador por um tempo
Operações mecânicas definido até 25º alternadamente nos quatro lados e operando o
Os testes de resistência mecânica a todos os componentes em aparelho.
funcionamento asseguram a fiabilidade do aparelho. A O teste prova que o comutador é capaz de resistir a estas
experiência geral no sector electrotécnico mostra que falhas condições de serviço extremas e que todos os aparelhos que
mecânicas são uma das causas mais comuns de uma falha contém podem ser operados sem qualquer problema e sem
numa instalação. O disjuntor é testado ao efectuar um elevado serem danificados.
número de operações - mais elevado do que as que são
normalmente efectuadas por instalações em campo. Vibração
Além disso, os componentes do comutador são parte do A fiabilidade e a resistência do comutador UniGear ZS1 têm
programa de controlo de qualidade e são regularmente retiradas sido definitivamente provadas pelo resultado do teste de
amostras das linhas de produção e submetidas a testes de vida resistência a complicações mecânicas derivadas da vibração.
útil mecânica para verificar se a qualidade é idêntica à dos As condições de serviço nas instalações navais e plataformas
componentes submetidos aos testes tipo. marítimas necessitam que o comutador funcione em ambientes
altamente afectados por vibrações, tais como os provocados por
Nível de protecção IP motores em grandes navios de cruzeiro ou nas centrais de
O nível de protecção IP é a resistência oferecida pelo UniGear perfuração das plataformas petrolíferas.
ZS1 contra a penetração de objectos sólidos e líquidos. Este – amplitude de 1 mm na gama de frequência entre 2 e 13,2 Hz
grau de resistência é indicado pelo IP prefixo seguido de dois – amplitude de aceleração de 0,7 g na gama de frequência
caracteres (por ex. IP4X). entre 13,2 e 100 Hz (consulte a imagem da página anterior).
O primeiro número identifica o nível de protecção contra a
entrada de objectos sólidos, o segundo está relacionado com os
líquidos.

Figura 3: teste de inclinação Figura 4: teste de vibração/sísmico

13
1 UniGear ZS1
Segurança

A segurança pessoal deve ser necessariamente prioritária O teste também garante que não se formam orifícios nos
quando se desenvolve um comutador moderno de tensão componentes da caixa acessíveis externamente e,
média. É por esse motivo que o comutador UniGear ZS1 foi finalmente, que todas as ligações ao circuito de ligação à
concebido e testado para resistir a um arco interno provocado terra permanecem intactas, garantindo a segurança do
por uma corrente de curto-circuito do mesmo nível de corrente pessoal que possa aceder ao comutador após a falha.
que o nível de curta duração admissível máximo. A norma IEC 62271-200 descreve os métodos a utilizar para
Os testes mostram que a caixa de metal do comutador efectuar o teste e os critérios com os quais o comutador deve
UniGear ZS1 permite proteger o pessoal junto do comutador estar em conformidade.
em caso de uma falha que evolua ao ponto de estabelecer O comutador UniGear ZS1 está em total conformidade
um arco interno. com os cinco critérios indicados nas normas IEC.

Um arco interno é uma falha muito improvável, embora, A classificação IAC é provada pelo teste de acordo com as
teoricamente, possa ser provocada por vários factores, seguintes designações:
tais como: Geral: classificação IAC (Arco Interno Classificado)
Defeitos de isolamento derivados da deterioração da Acessibilidade: A, B ou C (comutador acessível apenas a
qualidade dos componentes. As razões podem ser pessoal autorizado (A), a todos (B), inacessível devido à
condições ambientais adversas e uma atmosfera altamente instalação (C)
poluída. F, L, R: acesso frontal (F - frontal), lateral (L - lateral), e
Sobretensões de origem atmosférica ou geradas pela traseiro (R - traseiro).
operação de um componente. Valores do teste: corrente do teste em quiloamperes (kA) e
Treino inadequado do pessoal responsável pela instalação. duração em segundos (s).
Quebra ou forçamento dos bloqueios de segurança.
Sobreaquecimento da área de contacto devido à presença Os parâmetros de cada central específica significam que a
de agentes corrosivos ou quando as ligações não estão evacuação dos gases quentes e partículas incandescentes deve
suficientemente apertadas.
ser verificada cuidadosamente de forma a assegurar e manter a
Entrada de animais pequenos para o comutador (por ex.
segurança pessoal.
através da entrada de cabos).
Material esquecido dento do comutador durante actividades
de manutenção. Sistemas limitadores de falha
A estrutura do comutador UniGear ZS1 oferece protecção
As características do comutador UniGear ZS1 reduzem
completa de tipo passivo contra os efeitos de uma falha devido
notavelmente a incidência destas causas para falhas mas,
a um arco interno durante 1 segundo até 50 kA.
algumas delas, podem não ser completamente eliminadas.
A ABB também desenvolveu sistemas de protecção activa
A energia produzida pelo arco interno provoca os seguintes
excelentes que permitem atingir objectivos muito importantes:
fenómenos:
Detecção e extinção da falha, normalmente em menos de 100
Aumento na pressão interior. ms, o que melhora a estabilidade da rede.
Aumento na temperatura. Limitação de danos no aparelho.
Efeitos visuais e acústicos. Limitação do tempo de indisponibilidade para a unidade do
Complicações mecânicas na estrutura do comutador. comutador.
Fusão, decomposição e evaporação de materiais. Para protecção activa contra o arco interno, dispositivos que
consistem em vários tipos de sensores, podem ser instalados
A não ser que esteja devidamente protegido, estes nos vários compartimentos, que detectam o accionamento
fenómenos têm sérias consequências para o pessoal, tais imediato da falha e efectuam o disparo selectivo dos disjuntores.
como feridas (devido à onda de choque, componentes Os sistemas limitadores de falha baseiam-se em sensores que
móveis e as portas abrirem) e queimaduras (devido à utilizam a pressão ou a luz gerada pela falha do arco como
emissão de gases quentes). estímulo para a desconexão da falha.
O teste do arco interno verifica se as portas do compartimento
se mantêm fechadas e se não é ejectado nenhum componente
do comutador, mesmo quando submetido a pressões muito
altas, assim como se não há penetração de nenhuma chama
ou gás incandescente, assegurando assim a segurança do
pessoal junto do comutador.

14
ITH Protecção de arco em IED
Os sensores ITH consistem em microinterruptores Os IEDs (Dispositivo Electrónico Inteligente) REF615, RET615,
posicionados no topo do comutador junto às abas de exaustão REM615 e REF610, podem ser opcionalmente equipado com
de gás dos três compartimentos de energia (barramentos, uma protecção de arco eléctrico rápida e selectiva. Oferece um
disjuntores e cabos). A onda de choque faz com que as abas sistema de protecção contra falhas no arco de dois a três
abram e operem os microinterruptores ligados ao relé de canais para supervisão do arco eléctrico do compartimento do
abertura do disjuntor. disjuntor, cabo e barramento dos painéis de comutador.
Tempo de disparo total de 75 ms (ITH 15 ms + disjuntor 60 ms). Tempo de disparo total de 72 ms (IED 12 ms +
disjuntor 60 ms).
TVOC
Este sistema consiste num dispositivo de monitorização UFES (seccionador de ligação à terra
electrónico localizado no compartimento de baixa tensão que ultra-rápido)
está ligado a sensores ópticos. Estes estão distribuídos pelos O UFES é um seccionador de ligação à terra de acção
compartimentos de energia e estão ligados ao dispositivo extremamente rápido e de design inovador, realizando todas
através de fibras ópticas. as 3 fases de ligação à terra em < 4 ms após a detecção de
Quando um determinado nível de iluminação pré-definido uma falha no arco interno.
é excedido, o dispositivo abre os disjuntores. Para mais informações, consulte o capítulo específico na
Para evitar que o sistema intervenha devido à iluminação página 30.
gerada ocasionalmente por fenómenos externos (flash de uma
câmara, reflexos de luzes externas, etc.), os transformadores de
corrente podem também ser ligados ao dispositivo de
monitorização.
O módulo de protecção apenas envia a ordem de abertura para
o disjuntor se receber o sinal de iluminação e de curto-circuito
simultaneamente.
Tempo de disparo total de 62 ms (TVOC 2 ms + disjuntor 60
ms).

REA
Este sistema oferece a mesma funcionalidade que o TVOC. O
kA2 s
sistema REA consiste na unidade principal (REA 101) e
unidades de extensão opcionais (REA 103, 105, 107) que
permitem criar soluções personalizadas com disparo selectivo.
Para mais informações, consulte o capítulo específico na página
50. Tempo de disparo total de 62,5 ms (REA 2,5 ms + disjuntor
60 ms).

Fusão
de Aço

Fusão de Cobre

Fusão de
Cabos

0 100 200 500 ms

Figura 5: Duração do arco e dano causado

15
1 UniGear ZS1
Segurança

O comutador UniGear ZS1 está equipado com todos os


bloqueios e acessórios necessários para garantir o mais
elevado nível de segurança e fiabilidade para a instalação e o
pessoal.

Bloqueios
Os bloqueios mecânicos de segurança são os padronizados
[1÷5], consulte a tabela específica na página 17.
São definidos pelas normas IEC e, por isso, necessários
para garantir a sequência de funcionamento correcta.
Os bloqueios de segurança ABB garantem o mais elevado nível
de fiabilidade, mesmo em caso de erro acidental, e permitem um
sistema de segurança do operador de bloqueios mais elevado.

Chaves
O uso de bloqueios com chave é muito importante na
compreensão da logística de bloqueio entre painéis do mesmo
comutador ou de outro comutador de tensão alta, baixa ou Figura 6: Fechadura de segurança dupla no seccionador de ligação à terra
média. A logística é compreendida através dos distribuidores ou
ao rodar as chaves. O dispositivo do aparelho [6] pode ser
bloqueado na posição de extracção e a chave de bloqueio Estes cadeados podem também ser aplicados ao
relevante pode apenas ser removida com o dispositivo nesta seccionador de ligação à terra das aplicações de
posição. barramento.
As operações de encerramento do seccionador de ligação à Os obturadores de segregação metálicos [15] entre os
terra [7] e de abertura [8] podem ser bloqueadas através de compartimentos do disjuntor, dos barramentos e dos cabos,
chaves, a logística de chaves está descrita na tabela da página podem ser bloqueados através de dois cadeados
15. independentes em ambas as posições, aberta ou fechada.
Estes bloqueios podem também ser aplicados ao Cadeados de 4 a 8 mm de diâmetro podem ser acomodados.
seccionador de ligação à terra das aplicações de
barramento.
Ímanes de bloqueio
As operações de introdução/extracção do disjuntor [9] e o
encerramento/abertura do seccionador de ligação à terra [10] Os ímanes de bloqueio permitem logística de bloqueio
podem ser evitadas através de fechaduras de segurança, que automático sem intervenção humana.
evitam a inserção das alavancas de comando relevantes. A introdução/extracção do disjuntor [16] e as operações de
A fechadura de segurança pode também ser aplicada ao encerramento/abertura do seccionador de ligação à terra [17]
seccionador de ligação à terra das aplicações de podem ser bloqueadas.
barramento. As chaves podem sempre ser removidas. Estes ímanes podem também ser aplicados ao seccionador
de ligação à terra das aplicações de barramento.
Os ímanes funcionam com logística activa e, por isso, a falta de
Cadeados tensão auxiliar deixa o sistema de bloqueio activado na
As portas do compartimento do disjuntor [11] e dos cabos [12] condição de segurança.
podem ser bloqueadas na posição de encerramento através
de cadeados. Isto pode ser aplicado a ambas as versões de
encerramento das portas -com pega central (padrão) ou
parafusos (opcional).
As operações para introdução/extracção dos aparelhos [13] e o
encerramento/abertura do seccionador de ligação à terra [14]
podem ser evitadas ao colocar os cadeados nas ranhuras de
inserção das alavancas de comando relevantes.

16
Tipos de bloqueios
Bloqueios de segurança padrão (obrigatórios)

Tipo Descrição Condição a satisfazer


A Introdução/extracção do aparelho Aparelho na posição aberta
1
B Encerramento do aparelho Posição do dispositivo definida
A Introdução do aparelho Ficha multicontacto do aparelho ligada
2
B Desligar a ficha multicontacto do aparelho Dispositivo em posição de teste
A Encerramento do seccionador de ligação à terra Dispositivo em posição de teste
3
B Introdução do aparelho Seccionador de ligação à terra na posição aberta
A Abertura da porta do compartimento do aparelho Dispositivo em posição de teste
4
B Introdução do aparelho Porta do compartimento do aparelho fechada
A Abertura da porta do compartimento do alimentador Seccionador de ligação à terra na posição ligada
5
B Abertura do seccionador de ligação à terra Porta do compartimento de cabos fechada
Nota: Aparelhos são disjuntores e contactores.

Chaves (sob pedido)

6 Bloqueio da introdução do aparelho Apenas pode ser removido com o dispositivo na posição extraída
7 Bloqueio do encerramento do seccionador de ligação Apenas pode ser removido com o seccionador de ligação à terra aberto
à terra
8 Bloqueio da abertura do seccionador de ligação à Apenas pode ser removido com o seccionador de ligação à terra
terra fechado
9 Inserção da manivela de introdução/extracção do Pode ser sempre removida
aparelho
10 Inserção da alavanca de comando do seccionador de Pode ser sempre removida
ligação à terra

Cadeados

11 Abertura da porta do compartimento do aparelho


12 Abertura da porta do compartimento de cabos
13 Inserção da manivela de introdução/extracção do aparelho
14 Inserção da alavanca de comando do seccionador de ligação à terra
15 Abertura ou encerramento de obturadores

Ímanes de bloqueio (sob pedido)

16 Introdução/extracção do aparelho Íman alimentado


17 Seccionador de ligação à terra LIGADO/DESLIGADO Íman alimentado

Dispositivos acessórios

O dispositivo bloqueia os obturadores na posição fechada quando o


aparelho é removido do compartimento. O operador não pode abrir o
20 Obturadores à prova de falhas obturador manualmente. Os obturadores apenas podem ser
operados pelo dispositivo do aparelho ou dispositivos de serviço
(consulte o capítulo específico na página 28).

A ficha multicontacto do aparelho e respectiva tomada da unidade do


Matriz de compatibilidade da unidade do comutador comutador estão equipadas com uma matriz metálica que desactiva a
21
do aparelho introdução do aparelho numa unidade do comutador com uma corrente
atribuída inadequada.
O compartimento do aparelho está equipado com um dispositivo
metálico que permite o encerramento e/ou abertura do disjuntor
directamente através dos botões de pressão da parte frontal do
22 Mecanismo de funcionamento mecânico do disjuntor
mecanismo de funcionamento, mantendo a porta fechada. Os controlos
podem ser operados com os disjuntores na posição de funcionamento e
de extracção.

17
1 UniGear ZS1
Disjuntor de vácuo

O comutador UniGear ZS1 pode ser equipado com a mais vasta de disjuntores ABB, os quais se destacam pelas suas
gama de aparelhos disponível no mercado actualmente, e o excepcionais características eléctricas e mecânicas, vida útil
disjuntor de vácuo destes ocupa agora uma posição de grande extremamente longa, baixa manutenção, compactidade e a
importância em todos os sectores de distribuição primária. utilização de técnicas de construção altamente inovadoras. A
Disjuntores de vácuo abrangem toda a gama de parâmetros do ABB desenvolve e produz uma gama completa de interruptores
comutador e, por isso, toda a gama de aplicações. para utilização em disjuntores e contactores e para todas as
Muitos anos de experiência adquiridos no desenvolvimento e aplicações de média tensão.
utilização de interruptores de vácuo reflectem-se hoje na gama

Figura 7: UniGear ZS1

18
Disjuntor VD4 O interruptor de vácuo alberga os contactos e proporciona a
câmara de interrupção.
Os interruptores do disjuntor de média tensão VD4 utilizam
Os disjuntores ABB utilizam as técnicas de quebras de vácuo
vácuo para extinguir o arco eléctrico e como material
mais avançadas: com fluxo magnético radial para disjuntores
isolante.
com classificações médias-baixas e com fluxo axial magnético
Graças às propriedades inigualáveis do vácuo e às técnicas
para aqueles com elevada poder de corte.
de ruptura utilizadas, a interrupção da corrente ocorre sem o
Ambas as técnicas garantem distribuição uniforme das raízes
corte do arco e sem sobretensões. A restauração das
do arco sobre toda a superfície dos contactos, permitindo um
propriedades dieléctricas que se seguem à interrupção é
desempenho excelente em todos os valores de corrente.
extremamente rápida.
A estrutura do interruptor de vácuo é relativamente simples. A
Os disjuntores VD4 são utilizados para protecção de cabos,
caixa é feita de um isolador de cerâmica, fechado nas
linhas suspensas, motores, transformadores, geradores e
extremidades por coberturas de aço inoxidável. Os contactos
baterias de condensadores.
são feitos de cobre puro e crómio sinterizado e estão soldados
com os terminais de cobre. Os foles metálicos permitem
Pólos movimento do grupo móvel do terminal de contacto, ao mesmo
Os disjuntores de média tensão VD4 utilizam tempo que garante que o vácuo é mantido no interruptor. Os
interruptores incorporados em pólos (1). componentes do interruptor são soldados num ambiente sob
Incorporar o interruptor nos pólos torna o disjuntor um vácuo muito forte para garantir um vácuo menor que 10 -5Pa
particularmente robusto e protege o próprio interruptor contra no interruptor.
choques, depósito de pó e humidade. Isto significa que o interruptor não tem nenhum material
ionizável. Em qualquer caso, se os contactos se separarem,
é gerado um arco eléctrico que apenas consiste no material
fundido e vaporizado do contacto.
Uma protecção metálica está integrada dentro do interruptor
para capturar os vapores metálicos soltos durante a
interrupção, assim como para controlar o campo eléctrico. Uma
forma específica dos contactos gera um campo energético que
força o arco a rodar e a envolver uma superfície muito mais
ampla do que a de um arco de contacto fixo.
Além de limitar a tensão térmica nos contactos, isto torna a
erosão de contacto insignificante e, acima de tudo, permite
que o processo de interrupção seja controlado mesmo com
correntes de curto-circuito muito elevadas.
Um arco eléctrico mantém-se suportado pela energia externa
até que a corrente passe pelo seu zero normal.
Os interruptores de vácuo ABB são interruptores de corrente
zero e estão livres de qualquer fenómeno de restabelecimento.
A rápida redução da densidade da corrente e a rápida
condensação dos vapores metálicos, que acontece no instante
em que a corrente passa por zero, permitem a máxima força
dieléctrica entre os contactos do interruptor a serem
restabelecidos dentro de alguns milissegundos. A supervisão
do nível de vácuo não é necessário, uma vez que os pólos do
disjuntor estão selados permanentemente e não necessitam
Figura 8: Disjuntor VD4 com actuador mecânico de manutenção.

(1) Disjuntores até 17,5 kV - 1250 A - 31,5 kA são feitos de pólos de


poliamida.

19
1 UniGear ZS1
Disjuntor de vácuo

Mecanismo de funcionamento Disjuntor eVD4


O disjuntor VD4 está equipado com um mecanismo de O disjuntor eVD4 é um sistema de protecção "plug and play"
funcionamento de energia armazenada mecanicamente. completo do alimentador eléctrico de média tensão. É uma
O mecanismo de disparo livre permite operações de abrir e evolução do conceito tradicional de disjuntor que, com um
fechar independentes do operador. simples dispositivo, pode efectuar as funções de corte,
O sistema de molas do mecanismo de funcionamento pode ser medição, protecção, controlo e comunicação.
recarregado manualmente ou através de um motor redutor. O O disjuntor eVD4 é derivado da série VD4 com as suas
aparelho pode ser aberto e fechado através de um botão de conceituadas características de fiabilidade e robustez.
pressão na parte frontal do mecanismo em funcionamento ou O eVD4 integra o dispositivo de protecção da série RBX615 da
através de libertações eléctricas (encerramento da derivação, família ABB Relion® com sensores de corrente e tensão
abertura da derivação ou subtensão). combinados.
Os disjuntores estão sempre equipados com um dispositivo Com a solução integrada, o MTTR – Tempo Médio para Reparo
antibombagem para eliminar a possibilidade de comandos de – do sistema gerido pelo eVD4 é muito mais baixo do que as
abertura e encerramento em simultâneo, comandos de soluções tradicionais. Isto faz do eVD4 a solução ideal para
encerramento com molas descarregadas ou com os contactos instalações onde um elevado grau de continuidade do serviço é
principais sem estarem na sua posição final de funcionamento. necessário.
O eVD4 está disponível nas versões fixa e amovível para o
comutador UniGear ZS1 e é mecanicamente permutável com
Dispositivo o disjuntor VD4.
Os pólos e o mecanismo de funcionamento estão fixos num
suporte de metal e dispositivo de manuseamento.
Os dispositivos estão fornecidos com um sistema de rodas
que torna possíveis as operações de introduzir e extrair o
aparelho da unidade do comutador com a porta fechada. O
dispositivo permite uma ligação eficiente do disjuntor à terra
através da estrutura metálica da unidade do comutador.
O dispositivo de vácuo do disjuntor pode ser operado com um
motor.
As operações extracção e introdução podem ser efectuadas
através de controlos eléctricos, quer localmente pelo operador,
quer por um sistema remoto.

Interface entre o operador e o aparelho


A parte frontal do disjuntor fornece interface ao utilizador.
Apresenta o seguinte equipamento:
Botão de pressão LIGADO.
Botão de pressão DESLIGADO.
Contador de operações.
Indicador do estado aberto e fechado do disjuntor.
Indicador do estado carregado ou descarregado das molas do
mecanismo de funcionamento.
Aparelho para recarga manual das molas do mecanismo de
funcionamento.
Selector de sobreposição da libertação de subtensão
(opcional).

Figura 9: disjuntor eVD4 com sensores integrados, protecção e unidade de controlo RBX
615.

20
Disjuntor VM1 Normas
O mecanismo de funcionamento de energia armazenada IEC 62271-100 para o disjuntor.
mecanicamente convencional utilizado nos disjuntores VD4
pode ser substituído por um mecanismo de funcionamento
com actuador magnético, criando a série de disjuntores VM1.
Todas as características dos disjuntores descritos no
capítulo mantêm-se inalteradas, excepto para o
mecanismo de funcionamento.
O mecanismo de funcionamento baseia-se num número
muito reduzido de componentes:
Actuador com ímanes permanentes. O centro do mecanismo
de funcionamento consiste no actuador magnético que efectua
as operações de encerramento e abertura e mantém os
contactos principais nas suas posições, sendo retirados após
a operação. O íman conduz o mecanismo de funcionamento
até aos interruptores através uma alavanca de transmissão
única.
Dispositivo de controlo electrónico. Todas as funções (disparo,
operação, carregamento de energia e monitorização) são
efectuadas pelo controlador electrónico integrado. O disjuntor
está equipado com um alimentador de corrente alternada e
directa de tensão múltipla.
Condensadores. A energia necessária para ligar o mecanismo
de funcionamento é fornecida por uma bateria de
condensadores incorporada. A energia armazenada garante a
sequência O-C-O completa.
Sensores de posição. A posição dos contactos do disjuntor é
determinada através de sensores de proximidade electrónicos.

Figura 10: Disjuntor VM1 com actuador magnético

21
1 UniGear ZS1
Disjuntor de gás

O comutador UniGear ZS1 pode também estar equipado com A combinação das técnicas de compressão e explosão
disjuntores de gás SF6. automática permite obter o melhor desempenho de aparelhos de
A série ABB de disjuntores de vácuo e de gás é mecanicamente alta tensão. Ambas as técnicas estão sempre presentes, mas
permutável e a mesma unidade do comutador pode, por isso, enquanto a anterior opera melhor em correntes de ligação baixa,
aceitar qualquer um dos tipos de aparelho. Apenas a ABB pode a mais recente actua com eficácia durante a operação com
oferecer aparelhos com ambas as técnicas para toda a gama de valores de corrente mais elevados.
aplicações, níveis de tensão (12-17,5-24 kV), corrente atribuída A técnica de insuflação automática permite a utilização de uma
(630…4000 A) e poder de corte (16…50 kA). quantidade mais pequena de gás do que a necessária para os
Isto torna possível especificar a melhor solução para as disjuntores baseados em outras técnicas. Pela mesma razão, a
características de instalação e os alimentadores a serem pressão de gás é também reduzida consideravelmente. A
ligados e protegidos. técnica de insuflação automática garante a tensão de
A longa experiência prática da ABB mostra que os dois tipos de resistência isolante e poder de corte até 30% do valor atribuído,
disjuntores são igualmente válidos e complementares. mesmo com pressão relativa zero. A ampla gama de
disjuntores HD4 utiliza a mesma pressão de gás para todos os
níveis de tensão atribuída (12-17,5-24 kV). A monitorização do
nível de pressão de gás SF6 não é necessária, uma vez que os
Disjuntor HD4 pólos do disjuntor são sistemas de pressão selados
Os disjuntores de média tensão HD4 utilizam gás de permanentemente e estão livres de manutenção.
hexafluoreto de enxofre (SF6) para extinguir o arco eléctrico São instalados com um dispositivo de controlo de pressão
e como material isolante. para verificar se as características não são alteradas devido
Graças às excelentes propriedades do gás SF6, a interrupção a operações incorrectas ou de transporte.
das correntes ocorre sem o corte do arco e sobretensões. Não
há fenómeno de restabelecimento após a interrupção e as
propriedades dieléctricas que se seguem à interrupção são
recuperadas com extrema rapidez.
Os disjuntores de gás estão disponíveis para aplicações de
distribuição de energia eléctrica. São especialmente
recomendados para utilização em baterias de condensadores,
motores, transformadores isolados em óleo e em instalações
onde componentes que são especialmente sensíveis a
complicações dieléctricas e dinâmicas estão instalados (por
exemplo, cabos e transformadores antigos).

Pólos
Os pólos do disjuntor HD4 utilizam o sistema de corte da
insuflação automática, combinado com as técnicas de
compressão e explosão automática numa única solução.
O sistema de corte da insuflação automática é a técnica mais
inovadora no campo dos disjuntores a gás e tem origem em
aparelhos de alta tensão.

Fig. 11: Disjuntor HD4

22
Mecanismo de funcionamento Dispositivo
O disjuntor HD4 está equipado com um mecanismo de Os pólos e o mecanismo de funcionamento estão fixos num
funcionamento de energia armazenada mecanicamente. Este é suporte de metal e dispositivo de manuseamento.
de disparo livre e, por isso, permite operações de abertura e de Os dispositivos estão fornecidos com um sistema de rodas que
encerramento independentes do operador. torna possíveis as operações de introduzir e extrair o aparelho
O sistema de molas do mecanismo de funcionamento pode ser da unidade do comutador com a porta fechada.
recarregado manualmente ou através de um motor redutor. O O dispositivo permite uma ligação eficaz do disjuntor à terra
mecanismo de funcionamento é do mesmo tipo para toda a através da estrutura metálica da unidade do comutador.
série e possui uma gama de componentes sobressalentes e
acessórios padronizados. Interface entre o operador e o aparelho
Todos os componentes podem ser facilmente substituídos
O painel frontal do disjuntor fornece interface ao
através de conectores da tomada da ficha.
utilizador. Apresenta o seguinte equipamento:
A abertura e o encerramento do aparelho pode ser realizada
Botão de pressão LIGADO.
através de botões de pressão na parte frontal do mecanismo de
Botão de pressão DESLIGADO.
funcionamento ou através de libertações eléctricas contador de operações
(encerramento da derivação, abertura da derivação ou indicador do estado aberto e fechado do disjuntor
subtensão). indicador do estado carregado e descarregado das molas do
Os disjuntores estão sempre equipados com um dispositivo mecanismo de funcionamento.
aparelho para recarga manual das molas do mecanismo de
antibombagem para eliminar a possibilidade de comandos de
funcionamento
abertura e encerramento em simultâneo, comandos de selector de sobreposição da libertação de subtensão (opcional)
encerramento com molas descarregadas ou com os contactos Indicador de pressão de gás LED (opcional)
principais sem estarem na sua posição final de funcionamento.

Disjuntor HD4-HXA para componentes


unidireccionais elevados
A gama de disjuntores HD4 é aumentada pela versão HD4- HXA.
Esta série de disjuntores mantém todas as características
descritas neste capítulo, mas é notável pela sua capacidade de
ligar cargas com componentes unidireccionais fortes.
Para capacidades de corte de 40 kA ou inferiores, os disjuntores
HD4-HXA permitem ligar cargas com componentes
unidireccionais IDC = 100%, até tensão de serviço de 13,8 kV;
a 50 KA a percentagem de componente unidireccional IDC é
reduzida para 50%. Podem ser utilizados em todas as
instalações afectadas por componentes unidireccionais fortes,
mas o seu campo natural de aplicação encontra-se nos
transformadores de protecção e comutação dos circuitos
auxiliares nas centrais eléctricas.

Normas
IEC 62271-100 para o disjuntor.
IEC 60376 para gás SF6.

Figura 12: Disjuntor HD4-HXA

23
1 UniGear ZS1
Contactor de vácuo

Os contactores de tensão média VSC Contact V são aparelhos As duas versões estão disponíveis com um mecanismo de
adequados para o funcionamento em corrente alternada e são funcionamento com bloqueio mecânico ou eléctrico.
normalmente utilizados para controlar alimentadores que Os contactores V-Contact VSC são mecanicamente
necessitam de um elevado número de operações por hora. permutáveis com o antigo contactor V-Contact V/P e com toda
São adequados para funcionamento e protecção de a série de disjuntores da ABB, por isso, a mesma unidade do
motores, transformadores e baterias de correcção do factor comutador pode aceitar os dois tipos de aparelho sem
de potência. modificação.
Equipados com fusíveis apropriados, podem ser utilizados em Uma versão dos contactores V-Contact VSC também é
circuitos com níveis de falha até 1000 MVA. utilizada no comutador compacto UniGear MCC até 400 A.
A vida eléctrica dos contactores VSC Contact V é definida
como estando na categoria AC3 com 100.000 operações
(encerramento/abertura), corrente interrompida de 400 A. Mecanismo de funcionamento
Devido ao actuador magnético, os contactores V-Contact
VSC necessitam de potência auxiliar insignificante em
todas as configurações (15W irrupção - 5W contínuos).
Contactor VSC Contact-V O V-Contact VSC está disponível em três
Os contactores consistem num monobloco de resina contendo configurações diferentes.
os seguintes componentes: • SCO (funcionamento de comando simples).
interruptores de vácuo O contactor fecha o fornecimento de tensão auxiliar para
equipamento móvel
entrada do alimentador de tensão múltipla, quando a tensão
actuador magnético
alimentadores de tensão múltipla auxiliar é cortada o contactor abre.
acessórios e contactos auxiliares. • DCO (funcionamento de comando duplo).
O contactor fecha o fornecimento de tensão auxiliar para a
Os contactores Contact-V são fornecidos nas seguintes entrada de encerramento do alimentador de tensão múltipla e
versões: abre quando a entrada da abertura é fornecida; a função
VSC7/P para tensões até 7,2 kV. antibombagem é fornecida como um padrão.
VSC7/PG para tensões até 7 kV com 32 kV de tensão • Também está disponível uma configuração DCO, sob pedido,
admissível à frequência de potência. com uma função de subtensão atrasada Esta função permite
VSC12/P para tensões até 12 kV.
a abertura automática do contactor quando o nível de tensão
VSC12/PG para tensões até 12 kV com 42 kV de tensão
admissível à frequência de potência. auxiliar cair abaixo dos níveis definidos pelo IEC.
A abertura pode ser atrasada num período entre 0 a 5
segundos (configuração do cliente através de interruptores
dip).
Todas as configurações são adequadas para 1.000.000
operações mecânicas.

Fusíveis
O contactor está equipado com fusíveis de tensão
média para proteger os alimentadores em
funcionamento.
A coordenação entre o contactor, os fusíveis e a unidade de
protecção está garantida, em conformidade com as normas IEC
60470 para aparelhos na classe C.
A moldura de suporte dos fusíveis está geralmente predefinida
para instalação de um conjunto de três fusíveis por fase com
dimensões e tipo de percutor médios, em conformidade com as
seguintes normas:
• DIN 43625.
• BS 2692.

Figura 13: Contactor VSC Contact-V

24
Podem ser aplicados os seguintes
fusíveis:
• Tipo DIN com um comprimento de 192, 292 e 442 mm
• Tipo BS com um comprimento de 235, 305, 410, 454 e 553
mm.
As molduras de suporte dos fusíveis estão equipadas com um
dispositivo de abertura automática mesmo quando apenas um
fusível fundir.
Este mesmo dispositivo não permite o encerramento do
contactor mesmo quando um único fusível está em falta.
A gama de fusíveis ABB para a protecção do transformador
chama-se CEF, enquanto que CMF é para motores e
condensadores.
Figura 14: Fusível de acordo com as normas DIN

Normas
• IEC 60470 para o contactor
• IEC 60282-1 para os fusíveis

Características eléctricas
VSC7/P VSC12/P
Tensão atribuída kV 7,2 12
Tensão atribuída de isolamento kV 7,2 12
Tensão atribuída admissível à frequência de potência kV 1min 20 (3) 28 (3)
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação kV 60 75
Frequência atribuída Hz 50/60 50/60
Corrente de curta duração admissível atribuída kA (1) ...50 .50
Corrente de pico kA ...125 .125
Corrente admissível de arco interno (2) kA 1s .50 .50
Corrente máxima atribuída do contactor A 400 400
(1) Limitada pelos fusíveis.
(2) Os valores admissíveis de arco interno são garantidos nos compartimentos no lado da alimentação dos fusíveis (barramentos e aparelhos) pela estrutura do comutador e no lado de carga
(alimentação) pelas capacidades limitativas dos fusíveis.
(3) VSC7/PG para tensão admissível à frequência de potência de 32 kV e VSC12/PG tensão admissível à frequência de potência de 42 kV estão disponíveis sob pedido num painel dedicado.

Desempenhos máximos do contactor com fusíveis


3.6 kV 7.2 kV 12 kV
Motores kW 1 000 1 800 3 000
Transformadores kVA 2 000 2 500 2 500
Condensadores kVAR 1 000 1 800 3 000

Correntes de carga máximas dos fusíveis


Alimentador Transformador Motores Condensado
es res
Tensão atribuída Fusív Carga máxima Fusív Carga máxima Fusív Carga máxima
el el el
3.6 kV 200A 160A 315A 250A 450A 360A
7.2 kV 200A 160A 315A 250A 355A 285A
12 kV 200A 160A 200A 160A 200A 160A

25
1 UniGear ZS1
Interruptor-seccionador

Os painéis UniGear podem ser equipados com Isto leva a um aumento gradual na resistência do arco
interruptores-seccionadores tipo NAL ABB. provocando a sua extinção. O movimento dos pistões é
Estas unidades são utilizadas para ligar e proteger os sincronizado com os contactos de corte de arco do interruptor-
alimentadores e transformadores ou os transformadores de seccionador -isto garante o mais elevado influxo de ar no
serviço auxiliar na subestação e central eléctrica. momento da separação dos contactos e, por isso, assegura
Os interruptores-seccionadores NAL são aparelhos isolados a uma extinção de arco fiável.
ar de tensão média que consistem num suporte fixo ao qual os A unidade pode ser equipada com barramentos isolantes
suportes isolantes são aplicados (superior e inferior), o sistema (unidade de interruptor-seccionador NAL) ou fusíveis de tensão
de contactos (fixo e móvel) e alicates de fecho (dos fusíveis ou média (unidade de interruptor-seccionador NALF com fusíveis).
barramentos de isolamento). O interruptor-seccionador NALF está equipado com um
mecanismo de libertação automático para disparo de fusíveis e
utiliza fusíveis em conformidade com as normas DIN 43625. A
Interruptor-seccionador NALF-NAL gama de fusíveis ABB para protecção de transformadores é
CEF. Cada unidade é equipada com um seccionador de
O interruptor-seccionador está equipado com dois sistemas de
ligação à terra com capacidade de realização para ligação de
lâminas de contacto móveis, o principal (através do qual a
cabos à terra.
corrente de carga passa com o interruptor na posição fechada)
O controlo de interruptor-seccionador, como o do seccionador
e o corte de arco (através do qual a corrente passa durante as
de ligação à terra, é executado manualmente a partir do
operações de abertura e fecho).
comutador do painel frontal.
Esta solução significa que os contactos principais não estão
A posição de ambos os itens do aparelho pode ser vista
sob tensão e, por isso, mantém as características eléctricas do
directamente da parte frontal do aparelho do comutador
aparelho inalteradas.
através de uma janela de inspecção.
Durante a abertura do interruptor-seccionador, o ar é
O painel do comutador pode ser equipado com um conjunto de
comprimido pelos pistões contidos nos cilindros isolantes
três transformadores de corrente ou com sensores de medição.
superiores. No momento da abertura e separação dos
A unidade de Alimentação do Interruptor (DF) consiste em
contactos, um sopro de ar comprimido é emitido através de
dois compartimentos de energia: barramentos e
tubagens especiais, por isso o arco é refrigerado e desionizado.
interruptores-seccionadores/cabos. O último contém tanto
os interruptores-seccionadores e como os terminais de
ligação dos cabos de alimentação.

Figura 15: Interruptor-seccionador NALF

26
A segregação entre os compartimentos de energia ocorre para garantir a máxima segurança para o pessoal e o
automaticamente com o encerramento do seccionador de funcionamento correcto.
ligação à terra. Um interruptor de isolamento cria separação Cada painel de comutador está equipado com um
completa entre os contactos fixos do interruptor-seccionador, compartimento auxiliar, onde os instrumentos e a cablagem
fazendo os que se encontram no topo inacessíveis aos auxiliar estão alojados.
operadores. Isto torna possível as operações de manutenção Todos os painéis de comutador são acessíveis desde a parte
nos cabos e fusíveis, mantendo o restante do comutador em frontal e as operações de serviço e manutenção podem, por
operação. isso, ser executados mesmo quando o comutador é montado
O painel UniGear ZS1 com interruptor-seccionador fixo é na parede.
classificado LSC-2A porque os compartimentos do aparelho e
cabo não estão segregados fisicamente. Normas
O interruptor-seccionador, o seccionador de ligação à terra e a IEC 60265-1 para interruptor-seccionador
porta de acesso ao compartimento dos cabos estão bloqueados IEC 60282-1 para os fusíveis
um com o outro

Características eléctricas
Tensão atribuída kV 12 17,5 24
Tensão atribuída de isolamento kV 12 17,5 24
Tensão atribuída admissível à frequência de potência (1) kV 1 min 28 38 50
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação kV 75 95 125
Frequência atribuída Hz 50/60 50/60 50/60
(1) versão GB/DL está disponível com um pedido especial no que respeita às características dieléctricas.

Unidade de interruptor-seccionador NALF com fusíveis


Corrente de curta duração admissível atribuída kA (1) …25 …25 …20
Corrente de pico kA …100 …100 …63
Corrente máxima atribuída dos fusíveis A 100 63 63
Corrente admissível de arco interno (2) kA 1 s …40 …40 …25
(1) Limitada pelos fusíveis.
(2) Os valores admissíveis de arco interno são garantidos nos compartimentos no lado da alimentação dos fusíveis (barramentos) pela estrutura do comutador e no lado de carga (cabos) pelas
capacidades limitativas dos fusíveis.

Tabela de selecção dos fusíveis para transformadores de protecção


Tensão Saída atribuída do transformador Tensão
atribuída do (kVA) atribuída do
transformador 25 50 75 100 125 160 200 250 315 400 500 630 800 1000 1250 1600 2000 fusível [kV]
[kV]
Ligação de fusíveis
CEF In [A]
3 16 25 25 40 40 50 63 80 100 125
5 10 16 25 25 25 40 40 50 63 80 100 125 3,6/7,2
6 6 16 16 25 25 25 40 40 50 63 80 100 125
10 6 10 16 16 16 20 20 25 31,5 40 50 63 80 100 125
12
12 6 6 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63 80 100 125
15 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63 80 100 125 17,5
20 6 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 31,5 40 50 63 80
24
24 6 6 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63 80
A tabela foi calculada em conformidade com as normas IEC 60787 e IEC 62271-105 (para tensões de funcionamento até 24 kV). Foram assumidas as seguintes condições de trabalho do
transformador:
Sobrecarga de longa duração máxima – 150%
Corrente de irrupção magnetizante - 12XIn durante 100 ms
Tensão de curto-circuito do transformador em conformidade com IEC 60076-5
Fusíveis em condições de trabalho em ambiente normalizado
A tabela acima apresenta detalhadamente a corrente atribuída de uma ligação de fusível específica para uma determinada tensão de linha ou classificação do transformador. Para critérios diferentes,
a selecção do fusível deve ser recalculada.
Os limites fornecidos da corrente atribuída do fusível não são obrigatórios na utilização do seccionador NALF/NAL sem sistema de disparo de fusíveis. Os valores da corrente atribuída dos fusíveis
correspondentes a estas aplicações são fornecidos pelo catálogo da ABB “FUSÍVEIS”.

27
1 UniGear ZS1
Dispositivos de serviço
A gama UniGear ZS1 está equipada com todos os Durante a fase de introdução, o dispositivo de ligação à terra
dispositivos de serviço necessários às actividades de dos cabos de alimentação apenas activa o obturador inferior e
manutenção de serviço. executa a ligação à terra dos contactos ligados às ligações de
Os dispositivos estão divididos em quatro tipos diferentes: derivação inferiores (e, por isso, aos cabos de alimentação)
Ligação à terra sem capacidade de realização através da estrutura do comutador.
Ligação à terra com capacidade de realização Estes dispositivos também podem ser utilizados na unidade de
Teste de cabo barramento. Nesse caso, ligam à terra um dos dois lados do
Isolamento
sistema de barramento principal.

Dispositivo de ligação à terra sem Dispositivo de ligação à terra com


capacidade de realização capacidade de realização
Estes dispositivos realizam a mesma função que os Estes dispositivos realizam a mesma função que os
seccionadores de ligação à terra sem capacidade de seccionadores de ligação à terra com capacidade de
realização. realização.
Por isso, estes não têm capacidade para ligar circuitos Consistem em disjuntores equipados apenas com terminais
activos à terra em condições de falha. inferiores (ligação à terra dos cabos de alimentação) superiores
(ligação à terra dos barramentos principais). Os contactos sem
São utilizados para assegurar uma ligação à terra fixa
terminais estão em curto-circuito através de uma barra de
adicional, tal como é necessário em alguns
cobre e ligados à terra através do dispositivo do aparelho.
procedimentos de manutenção e serviço de instalação,
Mantêm todas as características dos disjuntores, tais como
como uma garantia de segurança complementar para o
poder de realização e de corte em circuitos activos sob
pessoal.
condições de falha.
A utilização destes dispositivos exige a remoção do aparelho
São utilizados para assegurar uma ligação à terra
(disjuntor ou contactor) do comutador e a sua substituição pelo
extremamente eficaz em circuitos atingidos por uma falha.
dispositivo.
Eles permitem que as operações de abertura e de fecho
Os painéis de comutador predefinidos para utilização dos
sejam realizadas rapidamente com controlo remoto eléctrico.
dispositivos de ligação à terra devem ser fornecidos com
A utilização destes dispositivos exige a remoção do aparelho
uma fechadura de segurança que, quando activada, evita a
(disjuntor ou contactor) do comutador e a sua substituição pelo
sua introdução.
dispositivo.
Este dispositivo está disponível em duas versões:
Os painéis de comutador predefinidos para utilização dos
• Ligação à terra do sistema de barramento principal.
dispositivos de ligação à terra deve ser fornecidos com um
• Ligação à terra dos cabos de alimentação.
fechadura de segurança que, quando activada, evita que
Durante a fase de introdução, o dispositivo de ligação à terra
estes fiquem introduzidos.
dos barramentos principais só levanta o obturador superior e
executa a ligação à terra dos contactos ligados às ligações de
derivação superiores (e, por isso, ao sistema de barramento
principal) através da estrutura do comutador.

Figura 16: Dispositivo de serviço HD4


28
Este dispositivo está disponível em duas versões: Durante a fase de activação, o dispositivo apenas activa o
• Ligação à terra do sistema de barramento principal. obturador inferior e, através dos conectores com as quais
• Ligação à terra dos cabos de alimentação. está equipado, permite a ligação dos cabos do aparelho de
Durante a fase de introdução, o dispositivo de ligação à terra teste.
dos barramentos principais só levanta o obturador superior e Este dispositivo pode apenas ser utilizado com alimentadores
predefine os contactos ligados às ligações de derivação de entrada e saída com a porta aberta.
superiores (e, por isso, ao sistema de barramento principal)
para encerrar a ligação à terra através de um mecanismo de
Dispositivo de isolamento
operação.
O dispositivo de isolamento permite que os contactos
superiores do comutador possam ser ligados directamente
Durante a fase de introdução, o dispositivo de ligação à terra
aos inferiores. A ligação é realizada de um modo
dos cabos de alimentação apenas activa o obturador inferior e
extremamente seguro, utilizando os pólos do disjuntor para
predefine os contactos ligados às ligações de derivação
isolar os barramentos de ligação do ambiente externo. Nas
inferiores (e, por isso, aos cabos de alimentação) através de
unidades de alimentação de entrada e saída, ele liga o
um mecanismo de operação.
sistema de barramentos principal aos cabos de
Estes dispositivos também podem ser utilizados na unidade de
alimentação, enquanto que no barramento, liga aos dois
barramento. Nesse caso, ligam à terra um dos dois lados do
lados do sistema de barramentos. Este dispositivo tem a
sistema de barramento principal.
sua aplicação no comutador UniGear para realizar
alimentadores de entrada e saída sem um disjuntor nas
Dispositivo de teste do cabo de redes radiais, para realizar as ligações dos cabos entre
alimentação dois itens do comutador colocados à frente um do outro,
Estes dispositivos permitem que os testes de isolamento nos na realização de unidades de interligação e na criação da
cabos de alimentação possam ser realizados sem aceder ao configuração de elevação do barramento com duplo
compartimento de alimentação ou sem desligar os cabos do isolamento (neste caso, as duas unidades são constituídas
comutador. por barramentos, a anterior instalada com um disjuntor e a
A utilização destes dispositivos exige a remoção do aparelho última com um dispositivo de isolamento).
(disjuntor ou contactor) do comutador e a sua substituição pelo Os painéis de comutador predefinidos para a utilização dos
dispositivo. dispositivos de isolamento devem ser instalados com uma
fechadura de segurança que, quando activada, evita que estes
fiquem introduzidos.

Dispositivo de ligação à terra do Dispositivo de ligação à Dispositivo de teste do cabo.


sistema de barramento terra do cabo de
principal, sem capacidade de alimentação, sem
realização. capacidade de realização.

Dispositivo de ligação à terra Dispositivo de ligação à Dispositivo de isolamento.


do sistema de barramento terra do cabo de
principal, com capacidade de alimentação, com
realização. capacidade de realização.

29
1 UniGear ZS1
Seccionador de ligação à terra
ultra-rápido
O UFES (Seccionador de ligação à terra ultra-rápido) é um O UFES está disponível para desempenhar uma variedade de
seccionador de ligação à terra de acção extremamente aplicações no comutador UniGear ZS1:
rápido e de design inovador, realizando todas as 3 fases de • Instalação de barramento com caixa de compartimento
ligação à terra em menos de 4 ms após a detecção de uma superior
• Instalação do compartimento de cabos (versão 12/17,5 kV 50
falha no arco interno.
kA )

O tempo de operação extremamente curto do elemento de


comutação primário, em conjugação com a detecção de
Vantagens imbatíveis em caso de falha num arco
corrente de falha e luz fiável e rápida asseguram que uma
• Redução drástica dos custos de reparação: não são esperados
falha no arco interno seja extinta quase imediatamente após danos no equipamento do comutador. Não é necessário trocar
a sua formação. Desta forma, os danos mecânicos e térmicos o painel avariado.
no interior do sistema de comutador protegido são • Disponibilidade do sistema amplamente aumentada: após a
eficazmente evitados. inspecção e a eliminação da razão da falha, o comutador pode
voltar ao serviço dentro do período de tempo mais curto
possível.
• Segurança de operação amplamente aumentada em casos de
falha ou operação incorrecta por parte de humanos em
condições de manutenção.

Figura 17: Dispositivo electrónico para medição, Figura 18: Elemento de comutação primário tipo U1
lógica e disparo, tipo QRU1

Características eléctricas máximas no UniGear ZS1 IEC


Tensão de isolamento atribuída (rms) (1) kV 12 17,5 24
Tensão atribuída admissível à frequência de potência (rms) kV 28 38 50
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação (pico) kV 75 95 125
Frequência atribuída Hz 50/60 50/60 50/60
Corrente atribuída de curta duração admissível (rms) (1) kA 50 50 31,5
Corrente atribuída de fecho em curto-circuito kA 125 125 80
Duração atribuída de curto-circuito s 3 3 3
(1) versão GB/DL está disponível com um pedido especial no que respeita às características dieléctricas (42 kV) e corrente de curta duração admissível (4 s).

30
Pressão excessiva na barra
1,6

1,4
I(t)
1,2

1,0

0,8

0,6

0,4

0,2

0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120,0 0


Tempo em 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
ms
t TC
Corrente de curto- + < 4 ms Tempo em ms
n
circuito I
Componente DC
Tempo de arco eléctrico com UFES Curva de pressão com UFES (4 ms) Curva de pressão sem UFES
Purificação final da corrente de falha através do disjuntor a montante -
tTC Tempo de alcance para critérios de disparo
tTC 80 ms + timex
Tempo de alcance para critérios de disparo

Figura 19: Em casos raros, uma falha no interior do cubículo do comutador Figura 20: Evita os efeitos severos de uma falha do arco interno, tais como ...
devido, ou a um defeito ou a uma condição de serviço excepcional ou, - Aumento rápido da temperatura (até 20.000 °C)
principalmente, a uma falha ou operação incorrecta por parte de humanos, pode - Aumento rápido da pressão (ver figura)
iniciar um arco interno. Quanto mais rápida for a interrupção do arco, menor - Queima de materiais
destruição irá ocorrer no equipamento do comutador. ... através da extinção mais rápida possível.

1. 2. 3. 4. 5.

CB CB CB CB CB

CT CT CT CT CT

Ik“ Ik“ Ik“ Ik“ Ik“

UFES QRU UFES QRU UFES QRU UFES QRU UFES QRU

(Opcional)

I(t) I(t) I(t) I(t) I(t)

0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 0.0 5.0 10.0 15.0 20.0 25.0 0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120,0

Tempo em ms Tempo em Tempo em Tempo em Tempo em ms


ms ms ms

Figura 21: Descrição da sequência do evento


1. Formação do arco interno.
2. Detecção do arco através de dispositivo electrónico (luz e corrente).
3. ~ 1-2 ms após detecção: Sinal de disparo para os elementos de comutação primários UFES
4. ~ 3-4 ms após detecção: Ligação trifásica à terra fixada através dos elementos de comutação primários UFES.
→ Interrupção da tensão do arco: Extinção imediata do arco.
→ Fluxo da corrente de falha controlado através dos elementos de comutação primários UFES para o potencial de terra.
5. Purificação final da corrente de falha através do disjuntor a montante.

31
1 UniGear ZS1
Is: limitação de corrente de
Limitador-

falha
Correntes de curto-circuito demasiado elevadas?
O limitador-Is, um dispositivo de comutação com tempo de
operação extremamente curto, resolve o problema.

Diagrama
monofásico de um
T1 T2
barramento para
ln = 31,5 kA ln = 31,5 kA um sistema com ln =
31,5 kA com um
limitador - l

l l
l = l1 2+ l
lnk perm.= 31,5 kA

i
160 kA i = i 1+ i 2
sem limitador-
s
I

Corrente i = 1i + 2i
na localização da
falha

80 kA
(31,5 kA x H x √2)

i = i1 + i2
com limitador-
s
l I
1

l2

Figura 22: Diagrama de aplicação do limitador- I Figura 23: Limitador-I

Dados Técnicos
Tensão atribuída kV 12,0 17,5 24,0 36,0/40,5

Corrente atribuída A 1250/2000/2500/ 1250/2000/2500/ 1250/1600/2000/ 1250/2000/25001)


3000/40001) 3000/40001) 25001)/30001)
Interromper corrente kARMS Até 210 Até 210 Até 140 Até 140

1) com ventoinha de
refrigeração

32
Aplicações potenciais 31,5 MVA 110 kV
Um dispositivo de comutação tão rápido é adequado para uma 12%
variedade de aplicações que não podem ser realizadas por
seccionadores convencionais. Os mais importantes destes Opção
B
estão apresentados abaixo. 40 MVA
8%
Vantagens de todasS as aplicações de limitador- I:
– Redução das correntes de curto-circuito na localização da
falha
– Não há necessidade de actualizar o comutador existente.
10 kV/31,5 kA 10 kV/40 kA

Opção A, figura 24
Operação de acoplagem paralela de dois
sistemas.
Vantagens: Opção Opção
A C:
– Melhora a qualidade da potência
– Aumenta a fiabilidade do sistema
– Redução da impedância de rede
– Fluxo de carga óptimo
Figura 24: Três aplicações possíveis de limitadores-I
S
numa figura
(Opção A, B, C)
Opção B, figura 24
Limitador-Is no alimentador gerador para proteger o sistema de
alta tensão. I kT
ıı
Vantagens: = 15 kA
– O gerador pode ser ligado independente da capacidade
de curto-circuito do sistema
– O sistema de barramento existente não precisa de ser 10 kV/25 kA
alterado
– Não há necessidade de um disjuntor do gerador caro
10 kV/16 kA
I ııkG= 3 kA
Opção
Opção C, figura 24 D

Limitador-I s e o reactor ligados em paralelo.


Vantagens:
– Evita perdas de cobre do reactor
– Evita perda de tensão no reactor
– Ausência do campo electromagnético do
reactor
Figura 25: Limitador-Is no ponto de ligação com uma rede de

Opção D, figura 25 fornecimento público (Opção D)

Fornecimento de estação de serviço e rede


pública.
Vantagens:
– O alimentador gerador industrial/privado pode ser ligado à
grelha (totalmente carregado)

Disparo selectivo do limitador-Is (o limitador-Is irá operar
apenas para falhas de curto-circuito da grelha)

T1 T2 T3
Opção E, figura 26
Se, no caso de serem instalados dois limitadores-Is, for exigida IT1 IT2 IT3
uma mesa de controlo de disparo selectivo, torna-se necessária
A I S-1 B I S-2 C
a medição da corrente total.
Vantagem: O limitador-Is dispara da seguinte forma:
• Curto-circuito na secção A: Apenas o limitador-Is n.º 1 dispara.
• Curto-circuito na secção B: O limitador-Is n.º 1 e n.º 2
disparam.
• Curto-circuito na secção C: Apenas o limitador-Is n.º 2 dispara.

Figura 26: Utilização de mais do ques um limitador-I com selectividade (Opção E)


33
1 UniGear ZS1
Transformadores de medida

Transformadores de corrente de tipo de


bloco
Os transformadores de tipo de corrente de bloco são isolados a
resina epóxida e utilizados para fornecer dispositivos de
medida e instrumentos de protecção. Estes transformadores
podem ter um núcleo enrolado ou uma barra de casquilho com
um ou mais núcleos, com classes de precisão e desempenho
adequadas aos requisitos da instalação. Eles estão em
conformidade com as normas IEC 60044-1.
As suas dimensões estão de acordo com as normas de tipo
estreito DIN 42600, nas versões de tamanho longo e médio até
2500 A, onde elas são do tipo toroidal numa amplitude de
correntes desde 3150 A até 4000 A (tipo KOKS). Os
transformadores de corrente também podem ser fornecidos
com uma tomada com capacidade para ligar os dispositivos de
sinalização de tensão. Os transformadores de corrente são Figura 28: TPU 1250 A
normalmente instalados no lado de carga do compartimento do
aparelho para medição das correntes de fase da unidade do
comutador. A instalação no lado de fornecimento do
compartimento do aparelho também é possível (aplicações de
barramento) para medição de correntes de barramento ou para
libertar certos esquemas de protecção. A gama de
transformadores de corrente da ABB é designada de TPU.

Transformadores de corrente de núcleo


de anel
Os transformadores toroidais são do tipo de isolamento a resina
epóxida e utilizados para fornecer os dispositivos de protecção
e medição. Estes transformadores podem apresentar ou um
núcleo fechado ou um que se pode abrir.
Eles podem ser utilizados tanto para medição das correntes
Figura 29: TPU 2500 A
de fase, como para detecção da corrente de falha da terra.
Eles estão em conformidade com as Normas IEC 60044-1.

Figura 27: Transformador de corrente toroidal Figura 30: KOKS 3150 A


34
Transformadores de tensão
Os transformadores de tensão são do tipo de isolamento a
resina epóxida e são utilizados para fornecer os dispositivos de
protecção e medição. Eles estão disponíveis para montagens
fixas ou para instalações em dispositivos extraíveis ou
amovíveis.
Eles estão em conformidade com as Normas IEC 60044-2.
As suas dimensões estão de acordo com as normas de tipo
estreito DIN 42600.
Estes transformadores podem ter um ou dois pólos, com
classes de precisão e desempenho adequados aos
requisitos funcionais dos instrumentos a eles ligados.
Quando estão instalados em dispositivos extraíveis ou
amovíveis, eles são instalados com fusíveis de protecção de
tensão média.
Os dispositivos amovíveis também permitem a substituição Figura 32: Pólo único VTs - tipo TJC
dos fusíveis com o comutador em serviço. A extracção do
dispositivo com a porta fechada opera automaticamente o
encerramento do obturador de segregação metálico entre os
componentes eléctricos do comutador e o compartimento do
instrumento.
Os transformadores de tensão fixos podem ser instalados
directamente no sistema de barramento principal num
compartimento específico (aplicações de barramento).
A gama de transformadores de tensão da ABB é designada
de TJC, TDC, TJP.

Figura 33: VTs de polo único - tipo TDC

Figura 34: VTs de polo único com fusível - tipo TJP


Figura 31: Dispositivo VT com fusíveis

35
1 UniGear ZS1
Sensores de medição
Transformadores de medida Características dos sensores
electrónicos A construção da corrente e dos sensores de tensão é
realizada sem a utilização do núcleo ferromagnético. Este
O futuro para a medição de correntes e de tensões no UniGear
facto resulta em vários benefícios importantes para o utilizador
inteligente é um transformador de medida de baixa potência
e para a aplicação:
(em conformidade com as actuais normas IEC, pertencem ao
– o comportamento do sensor não é influenciado pela falta de
grupo de transformadores de medida electrónicos) chamado
linearidade e largura da curva de histerese, o que resulta
“sensor” para abreviar. Estes produtos substituem os
numa resposta linear e precisa ao longo da vasta amplitude
transformadores de medida convencionais de ambos os
dinâmica das quantidades medidas
núcleos de anel e bloco.
– o sensor/dispositivo único pode ser utilizado tanto com o
A funcionalidade característica dos sensores ABB
propósito de protecção como de medição (não há
avançados é o nível do sinal de saída, o qual é totalmente
necessidade de um produto/design separados)
adaptado para encaixe do novo equipamento baseado no
– não existem perdas de histerese, logo, os sensores também
microprocessador, sem haver a necessidade de potência
apresentam uma resposta de frequência excelente em
adicional.
frequências diferentes daquela que lhes foi atribuída,
O nível do sinal de saída analógico depende do princípio
fornecendo, assim, uma entrada muito precisa para as
utilizado e pode ser:
funções de protecção, permitindo uma análise da falha mais
– Na gama de mV para sensor de corrente (o valor típico é 150 precisa e uma localização mais eficiente da mesma.
mV à corrente primária atribuída).
– os sensores não possuem estados perigosos em
– Na amplitude de volts para os sensores de tensão, onde a
funcionamento (não existem problemas se mantiver a saída
relação de divisão é de 1:10000 (p. ex., saída 1/√3 V para
em curto-circuito ou a deixar aberta), resultando numa
10000/√3 kV da tensão do sistema nominal no lado de
segurança elevada para os dispositivos envolventes e para
saída/primário.
o pessoal. O sinal de saída permanece muito baixo mesmo
O UniGear ZS1 pode ser instalado com o sensor de tipo de
bloco KEVCD em situações de falha da rede.
– O KEVCD é sensor de tipo de bloco com uma forma que está – a utilização de sensores não permite a possibilidade de
em conformidade com a norma de tamanho DIN. Podem ser fenómenos de ferro-ressonância relacionados, aumentando,
seleccionadas duas versões: assim, ainda mais a segurança e a fiabilidade da rede de
uma que fornece a medição da corrente em conjunto com a alimentação; além disso, não há necessidade de
capacidade da indicação da tensão ou a segunda que, equipamento para protecção adicional, carga ou cablagem
adicionalmente a estas funcionalidades, também possibilita a especiais.
medição da tensão. Todas as medições/sensoriamentos para
cada fase são realizadas no interior de uma única estrutura,
não havendo, portanto, necessidade de dispositivos
adicionais.
Saída
secundária
Sensor ABB

Nível de saturação

Padrão CT

Corrente primária

Figura 35: Linearidade dos sensores ABB avançados e exemplificação das formas de onda do sinal de saída comparadas com CT saturada convencional

36
Os sensores ABB estão ligados aos dispositivos de
avaliação de protecção e medição através de cabos e
conectores blindados, fornecendo um maior grau de
imunidade face a perturbações electromagnéticas.
A precisão destes sensores é verificada e testada, incluindo a
cablagem, logo, é assegurada informação precisa no dispositivo
de avaliação.

Figura 36: Corrente de tipo de bloqueio KEVCD e sensor de tensão

Benefícios dos sensores


Devido à resposta linear e à vasta amplitude dinâmica, os
sensores são dispositivos muito mais padronizados
(comparado com um diferente número de concepções de CTs e
VTs). Por isso, é muito mais fácil seleccionar a concepção
adequada (simplifica o trabalho dos engenheiros) e pode
também existir uma redução dos componentes sobressalentes
do lado do utilizador.
A diminuição significativa do poder de consumo durante o
funcionamento dos sensores, devido a perdas insignificantes
introduzidas pelos sensores (não existe ferro = não existe
perdas de histerese; menor corrente de saída e enrolamento
insignificante = perdas menores no enrolamento do sensor),
resulta em enormes poupanças de energia perdida e aumento
de temperatura minimizado (melhorando, assim, as condições
da temperatura e a envelhecimento dentro da aplicação).
Também resulta em dispositivos mais leves, pesando apenas
uma fracção dos CTs ou VTs convencionais. Por isso, não são
necessárias máquinas/ferramentas especiais para os carregar
e os custos de transporte pode ser mais pequenos.
Ligação rápida dos sensores aos IEDs sem quaisquer
ferramentas e material necessário simplifica e reduz o
esforço de montagem.
37
1 UniGear ZS1
Sensores de medição

A tensão de saída é desfasada a 90º da forma de onda da


Sensor de corrente corrente primária.
O sensor de corrente é baseado no princípio da bobina
Rogowski. A bobina Rogowski trabalha do mesmo modo que os
Por isso, para obter informações em bruto e simples acerca do
transformadores deS corrente de núcleo de ferro convencionais
sinal da corrente medido, é possível utilizar voltímetros com
(CTs). A diferença principal entre
P as bobinas Rogowski e os
alta impedância de entrada. No entanto, informações mais
CTs é que os enrolamentos da bobina Rogowski são enrolados
exactas e precisas sob condições transientes, conteúdo de
à volta de núcleo não-magnético, em vez de um núcleo de ferro.
componentes de frequência diferentes ou distorções em forma
Como resultado, as bobinas Rogowski são lineares desde que o
de onda da corrente que aparecem na rede de alimentação
núcleo não magnético não possa saturar. As bobinas Rogowski
eléctrica requerem a integração do sinal de tensão emitido pela
produzem tensão de saída (U ) que é um derivado de tempo à
bobina Rogowski. Esta funcionalidade já está disponível no
escala da corrente primária medida (I ).
interior dos IEDs fornecidos pela ABB, por isso, já é possível
realizar uma medição muito precisa da corrente primária.

A tensão de saída da bobina Rogowski depende linearmente


da frequência, por isso, o valor atribuído da tensão de saída é
de 150 mV a 50 Hz e de 180 mV a 60 Hz. Logo que a
frequência atribuída seja definida no IED, o sensor fornece
informações precisas sobre o sinal de corrente primário
medido para diferentes harmónicas (não se aplicam perdas
de histerese ou saturação) e, assim, é assegurado o
desempenho correcto para todas as funções de protecção.
Em teoria, a resposta à entrada da bobina Rogowski é linear
numa amplitude dinâmica ilimitada da corrente primária medida.
As restrições na sua utilização são originárias de outras
limitações, p. ex., tamanho de aplicação, fixações, etc.. Apenas
uma bobina é suficiente para cobrir toda a gama de correntes
primárias necessárias, p. ex., a de tipo de bloqueio KEVCD
Figura 37: Princípio de trabalho da bobina Rogowski contem um condutor primário e, devido a esse facto, são
necessários apenas dois tipos para cobrir a gama de correntes
A integração do sinal de saída do sensor de corrente é primárias de 0 a 3200A.
desempenhada dentro do IED ligado de forma a obter as Estão em conformidade com as normas IEC 60044-8.
informações acerca do valor da corrente real.

Em caso de corrente primária puramente sinusoidal (Ip )


em frequência atribuída definida como:

a tensão de saída da bobina Rogowski é

Para este caso, o valor r.s.m. do sinal de saída podia ser


facilmente medido mesmo sem integrador, utilizando um
voltímetro ou um osciloscópio, observando a mudança de
fase de 90º da forma de onda da corrente primária.

38
A relação de divisão padrão utilizada na ABB é de 10000/1. Isto
Sensor de tensão assegura que o sinal de saída é suficiente e seguro para outros
O sensor de tensão está baseado num princípio do divisor de processamentos dentro do IED.
tensão resistente. Consiste em 2 elementos resistentes que
dividem o sinal de entrada para o nível onde é possível ligar a
dispositivos de medição LV padrão. Para obter informações em bruto e simples acerca do sinal
A principal diferença entre o divisor de tensão resistente e o de tensão medido, é possível a utilização de voltímetros
transformador de tensão convencional (VT) é o seu princípio com alta impedância de entrada; no entanto, a utilização dos
de trabalho. Em caso de VTs, a tensão é induzida no IEDs da ABB é recomendada, já que esta ligação foi testada
enrolamento. No caso do divisor de tensão, a tensão é e verificada.
simplesmente dividida em relação às resistências dos O divisor de tensão resistente não possui núcleo ferromagnético
elementos resistentes para que não ocorra indução. ou enrolamento. Por isso, não existe o risco de fenómenos de
ferro-ressonância, como no caso dos VTs, e não são
necessários dispositivos de amortecimento para esse propósito.
A utilização de tais divisores aumenta significativamente a
segurança e a fiabilidade da rede, assim como a segurança do
pessoal sob todas as circunstâncias. Também não existe
qualquer problema ou perigo se os terminais secundários
entrarem em curto-circuito. Além disso, o sensor pode
permanecer ligado à frequência de potência, mesmo durante os
testes de tensão do comutador.
O divisor resistente opera correctamente mesmo durante os
transientes onde o DC, assim como outros componentes de
frequência, estão presentes (a ausência de núcleo
ferromagnético no interior do divisor significa que não existe
possibilidade de saturação em frequências diferentes). Isto
permite a avaliação sem distorção dos transientes e a análise
precisa das funções de protecção. Além da possibilidade de
medição dos componentes DC durante os transientes, o divisor
de tensão resistente também permite a medição contínua e
Figura 38: Princípio de funcionamento de divisor de tensão resistivo precisa da tensão DC em estado estável.
Resistências utilizadas consistem numa haste fabricada em Devido à resposta linear e à impossibilidade de saturação, um
material de cerâmica estável, na qual o padrão de resistência único divisor é suficiente para cobrir a gama de tensões desde
não-indutiva especial é aplicado. 0 a 24 kV. No entanto, no caso da estrutura total do sensor da
O sinal de saída é uma tensão directamente proporcional à tensão, outros requisitos mecânicos ou dimensões/distâncias
tensão primária, por isso, não é necessária integração ou para diferentes níveis de tensão podem precisar de ser tidos
qualquer processamento extra. em conta.
Em caso de tensão primária puramente sinusoidal (UP) em Para esse caso, estão disponíveis duas alturas diferentes de
frequência atribuída definida como: KEVCD, de acordo com as dimensões DIN padrão. Então, a
versão de sensor seleccionada também poderia ser usada para
níveis de tensão mais baixos, nesse caso, a tensão primária
atribuída máxima.
Estão em conformidade com as normas IEC 60044-7.

a tensão de saída do divisor de tensão resistente é

Também para este caso, o valor do sinal de saída pode ser


facilmente medido utilizando um voltímetro ou um
osciloscópio
39
1 UniGear ZS1
Terminais de cabos

Terminações para cabos isolados do Aplicações e características


Dependendo da concepção do cabo, é necessária a utilização
polímero 1 – 24 kV do tipo correcto do acessório do cabo. Quando os cabos de
É fundamental que os cabos de alimentação que ligam o condutor eléctrico unipolar são concebidos apenas com uma
comutador estejam terminados adequadamente e, para esse malha de fios de cobre, é suficiente utilizar apenas um encaixe
propósito, a ABB tem desenvolvido uma excelente gama de do cabo e uma terminação que encaixe no tamanho real do
produtos fáceis de usar para preparação e terminação de cabo.
cabos. O benefício dos acessórios aplicados a frio baseia-se no
Os cabos de alimentação MV são normalmente concebidos facto de não ser necessário calor ou chama aberta para a
com um condutor de alumínio ou cobre, isolamento a instalação (excepto para os vedantes da derivação nos
material de polímero, uma malha de isolamento extrudida, cabos compostos por 3 condutores). Após a preparação do
malha de metal, armadura (opcional) e casaco exterior de cabo, a terminação simplesmente desliza sem quaisquer
polímero. ferramentas. Se for utilizado um cabo composto por três
Para permitir que uma corrente possua propriedades fiáveis e condutores ou um cabo com malha de fita de cobre ou
seguras, é necessário atingir a ligação mecânica suficiente malha de folha de alumínio ou um cabo com armadura, é
entre o condutor do cabo e o barramento. A AAB oferece necessário material adicional.
encaixes dos cabos mecânicos concebidos para encaixar o Outro facto muito importante é a preparação correcta do
condutor do cabo através do travamento do parafuso. Também cabo, e a ABB oferece excelentes ferramentas de
é essencial orientar correctamente o campo eléctrico do cabo, preparação de cabos.
e a ABB oferece terminações de aplicação a frio, feitas de
borracha, que criam uma pressão activa à volta do cabo. Além Produtos de terminação de cabos recomendados
disso, se o cabo for concebido com outro tipo de malha A terminação do cado de tipo Kabeldon SOT previamente
metálica que não os fios de cobre, devem ser utilizados kits de moldada pode ser utilizada em qualquer cabo de polímero,
ligação à terra especiais para se conseguir o tratamento independentemente da concepção ou do tamanho do
adequado de possíveis correntes de falha. A armadura do cabo condutor. O tipo SPOT 10 é concebido para cabos a 7,2 kV,
deve ter o mesmo potencial de terra que a malha do cabo, por enquanto o tipo SOT 24 cobre 12, 17,5 e 24 kV. Poucas
isso, pode ser necessário utilizar acessórios de ligação variantes de terminações encaixam numa vasta gama de
adicionais que também estão disponíveis. Informações tamanhos de cabo. Material extra, tal como os kits de
detalhadas podem ser encontradas em informações técnicas ligação à terra, os vedantes de ramificação para cabos de 3
separadas para acessórios de cabos. condutores e material de potencial de malha para a
armadura dos cabos, é também coberto pela gama de
produtos da ABB. Contacte o seu representante de vendas
ABB para obter mais informações.

40
Figura 39: Terminação do cabo Kabeldon de tipo SOT 10 Figura 40: Terminação do cabo Kabeldon de tipo SOT 24
da ABB com encaixe do cabo bimetálico de da ABB com encaixe do cabo bimetálico de
tipo SKSB tipo SKSB

Designação e tamanhos
Nível de tensão Designação Diâmetro sobre Tamanho do
Kabeldon isolamento condutor2 mm
kV mm 7,2 kV 12 kV 17.5 kV 24 kV
1 - 7.2 SOT 101 10.5 - 15 10 - 35 - - -
1 - 7,2 SOT 102 12,9 - 25.8 50 - 150 - - -
1 - 7.2 SOT 103 21,4 - 34.9 185 - 300 - - -
12 - 17.5 SOT 241 A 11 - 15 - 10 - 35 - -
12 - 17.5 SOT 241 15 - 28 - 50 - 185 50 - 150 -
12 - 17.5 SOT 242 24 - 39 - 240 - 500 185 - 300 -
24 - - - - - -
12 - 17.5 SOT 242 B 38 - 54 - 630 (**) 630 (**) -
24 SOT 241 A 11 - 15 - - - 10
24 SOT 241 15 - 28 - - - 25 - 120
24 SOT 242 24 - 39 - - - 150 - 400
24 SOT 242 B 38 - 54 - - - 500 - 630 (**)
(**) Podem ser montados nos cabos com 800 e 1000 mm2 através da utilização de fita de borracha de silicone 2342 como vedante superior.

41
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

informações reunidas pelo IED, o sistema de protecção de


Filosofia de protecção de energia da potência irá iniciar as acções correctivas para fazer com que o
ABB sistema de alimentação volte ao seu estado de funcionamento
Com IEDs de fornecimento de protecção (Dispositivos normal ou irá isolar a falha para limitar os danos no sistema
Electrónicos Inteligentes) em mais de 70 países, a ABB é de alimentação e os ferimentos para o pessoal. Isto fornece
um ambiente seguro para todos. Os sistemas de protecção de
quem melhor compreende os diversos requisitos de
potência não evitam que as falhas na rede de alimentação
protecção, como resultado de uma vasta gama de legislação
aumentem, mas serão activados apenas quando tiver ocorrido
local, requisitos de segurança e práticas de engenharia. Por
uma anormalidade no sistema de alimentação. Contudo, a
isso, a ABB tem desenvolvido uma filosofia do sistema de
correspondência cuidadosa da funcionalidade de protecção
protecção de energia que serve não apenas os requisitos e
disponível oferecida pelos IEDs da ABB para os requisitos de
as necessidades específicas de diversos sistemas de
protecção de potência específicos do sistema de alimentação
energia, mas também cria a sensação de confiança e
e dos seus componentes fornece, não só a melhor protecção
tranquilidade, tanto para os donos dos sistemas de
de potência para o sistema de alimentação, mas também
alimentação, como para os utilizadores.
melhora o desempenho e a fiabilidade do sistema de
O principal propósito do sistema de protecção de energia da
protecção de potência em si, minimizando, assim, os efeitos
ABB é reconhecer quaisquer condições anormais do sistema
das falhas da rede de alimentação e evita que as anomalias e
de alimentação ou componentes de funcionamento anormais
as perturbações se propaguem para os componentes
dentro do sistema de alimentação. Então, baseado nas
saudáveis da rede de alimentação.

42
A selectividade fiável é essencial para limitar a perda de
Vantagens do sistema de protecção alimentação para a área mais pequena possível e para
de energia completo permitir que um componente danificado ou anormal da
Velocidade de funcionamento, sensibilidade, selectividade rede de alimentação possa ser fiavelmente localizado.
e fiabilidade são elementos integrantes do sistema de As acções correctivas podem então ser direccionadas para
protecção de energia e devem ser mencionadas. Existe o componente danificado ou anormal da rede e o
uma forte correlação entre a velocidade de funcionamento fornecimento pode ser restaurado o mais rapidamente
do sistema de protecção de potência e os danos e o perigo possível.
provocados por uma falha da rede de alimentação. A O sistema de protecção de potência deve possuir um
automação da subestação fornece capacidades de elevado grau de fiabilidade. Isto também significa que, por
monitorização e controlo remoto, as quais aceleram a exemplo, se um CB (disjuntor) não conseguir funcionar, a
localização de falhas e, desse modo, a restauração da protecção de potência de segurança irá identificar a falha e
alimentação após uma falha. A operação rápida dos IEDs reagir.
de protecção de potência também minimiza os picos de A automação da subestação (SA) coloca o operador em
carga após a falha, os quais, em conjunto com as quedas controlo perfeito da subestação. Além de melhorar a
de tensão, aumentam o risco de propagação das qualidade da potência da rede de distribuição e
perturbações de potência para os componentes saudáveis transmissão de energia em operações normais, o sistema
da rede de alimentação. A sensibilidade da protecção de SA melhora especialmente a qualidade da transmissão de
potência deve ser adequada de modo a detectar curtos- alimentação e a alimentação disponível da rede de
circuitos e falhas de ligação à terra de elevada resistência distribuição numa situação de perturbação e durante a
nos componentes mais distantes da rede de alimentação. manutenção da subestação. Um sistema SA ou SCADA
(controlo de supervisão e aquisição de dados) traz todos os
benefícios da tecnologia numérica para a protecção e o
Requisito elevado controlo das redes de alimentação. Os terminais são
facilmente definidos e os parâmetros de protecção de
potência configurados para as necessidades específicas do
Alimentação pelas duas sistema de alimentação através de um acesso seguro e
extremidades
fácil a partir do local de trabalho do operador.

Alimentadores principais
de anel
Protecção de
distância
Terminais multifunções e monofunção
A ampla funcionalidade e os métodos de protecção de potência
Diagrama
Alimentadores paralelos
monofásico
correctos aumentam o desempenho do sistema de protecção de
HMI* potência.
Tipo de alimentador

Alimentadores A definição da ampla funcionalidade varia de acordo com os


Localizador de
com geração requisitos do sistema ou da rede de alimentação protegida.
falha
distribuída
Enquanto os IEDs de protecção de potência monofunção são
Característica

Monitorização suficientes para algumas aplicações da rede, sistemas e redes


Alimentadores
radiais com
da qualidade da de alimentação mais complexas necessitam de IEDs de
potência
s IED

disjuntores com protecção de potência multifuncionais avançados. Os IEDs de


rearme/secciona Comunicação protecção de energia monofunção incluem funções de
dores
protecção de potência para, por exemplo, um tipo específico de
Alimentadores Novo
aplicação do alimentador.
radiais encerramento
automático As principais vantagens destes IEDs de protecção de potência
são a redundância e o preço. Um ou mais IEDs de protecção
de potência monofunção poderiam fornecer protecção
Monofunção * Interface Homem-
Máquina suficiente na maioria das áreas de aplicação de protecção de
potência.

Requisito padrão

Figura 41: Comparação entre alimentadores de exigência padrão e elevada

43
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Protecção do alimentador
As aplicações de protecção de potência podem ser Aplicações e características
grosseiramente divididas em duas categorias, nomeadamente,
aplicações padrão (que utilizam protecção baseada em configurado de tal forma que a solução global
correntes básicas) e aplicações de elevada exigência (que pode ser encontrada por diferentes tipos de alimentadores.
utilizam protecção baseada em tensão e corrente) e, ainda, a Geralmente, a funcionalidade de protecção de energia
combinação das duas. necessária para estes tipos de alimentador difere grandemente,
O sistema ou o esquema de protecção de potência dependendo, entre outras coisas, das características da
seleccionado tem de cumprir os requisitos específicos da
aplicação, tendo em conta a sensibilidade, a selectividade e a
velocidade de funcionamento da protecção de potência.
Os requisitos de protecção de potência são principalmente
determinados pela estrutura física do sistema e da rede de Produtos recomendados:
alimentação e, na maioria dos casos, os requisitos podem ser
cumpridos com IEDs de protecção de sobreintensidade
direccional/não-direccional. da ABB. Estes IEDs têm sido desenvolvidos
Em sistemas ou redes de alimentação com uma estrutura mais após vários anos de experiência recolhida a partir de uma vasta
complexa, devem ser introduzidas funções de protecção de gama de requisitos de aplicação e de funcionalidade dos
potência mais avançadas, tais como protecção de distância ou clientes da ABB em todo o mundo. Os populares IEDs da série
protecção de linha diferencial. RE500 também desempenharam um grande papel no sucesso
O propósito do sistema de protecção de subtensão e da ABB nesta área.
sobretensão é monitorizar o nível de voltagem da rede. Se o Os produtos Relion® têm sido concebidos para implementar os
nível de tensão se desviar do valor-alvo mais do que é valores centrais da norma IEC 61850. A implementação
permitido pela margem durante um período de tempo definido, genuína da
o sistema de protecção de tensão é activado e inicia acções
para limitar a duração desta condição anormal e as
complicações resultantes provocadas no sistema de
alimentação e seus componentes. Para evitar grandes cortes
devido a perturbações de frequência, as subestações estão
geralmente equipadas com IEDs de protecção de baixa
frequência, que, por sua vez, controlam vários esquemas de
deslastre de potência. Estes são apenas alguns exemplos de
funções maiores de protecção de potência para alimentadores
de potência.

Figura 42: Controlo e protecção do alimentador REF630

44
• Controlo e protecção do alimentador REF630 fornece redes neutras isoladas quer nas redes de alimentação com
protecção principal para linhas suspensas e alimentadores de resistência ou nas neutras ligadas à terra por impedância. Além
cabo das redes de distribuição de energia. O REF 630 encaixa disso, fazendo utilização das instalações de comunicação entre
quer nas redes neutras isoladas quer nas redes de estações avançadas do IED, o REF615 também pode ser
alimentação com resistência ou nas neutras ligadas à terra por aplicado para protecção das redes de distribuição em malha ou
impedância. de tipo-anel, assim como das redes radiais.
Estão disponíveis quatro configurações predefinidas para A partir de agora, o conjunto REF615 consiste em oito
corresponder aos típicos requisitos de controlo e configurações padrão que se adaptam quer às aplicações de
protecção do alimentador. controlo e protecção do alimentador comuns, quer à corrente e
As configurações predefinidas podem ser utilizadas como tal ou aos próximos requerimentos de protecção do alimentador.
o IED pode ser facilmente modificado ou funcionalmente
alargado com funções suplementares de selecção livre para • A protecção do alimentador REF610 é primeiramente
ajudar ao seu aperfeiçoamento, de modo a cumprir mesmo os destinado para a protecção de alimentadores de saída e
requisitos de aplicação individual mais exigentes de um modo entrada em subestações de distribuição de potência de
mais exacto. sistemas de energia ligados à terra sólidos e ligados à terra por
resistência. O REF610 é adequado para aplicação em
• Controlo e protecção do alimentador REF615 é um IED ambientes marítimos e marinhos. Além de fornecer uma função
específico do alimentador, perfeitamente alinhado para a adicional de protecção de arco, o REF610 também fornece
produção, controlo, medição e supervisão dos sistemas de uma rápida protecção contra falhas no arco do barramento da
distribuição de energia industrial e pública. Fornece subestação. O REF610 também é utilizado para reservar a
principalmente a protecção para cabos suspensos, protecção dos motores, dos transformadores e dos geradores,
alimentadores de cado e sistemas de barramento de de modo a aumentar a redundância da protecção em
subestações de distribuição de energia. Encaixa quer nas aplicações críticas industriais e públicas.

Figura 43: Controlo e protecção do alimentador REF615 Figura 44: Protecção do alimentador REF610

45
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Protecção do transformador Produtos recomendados:


O transformador de alimentação é um dos componentes Os produtos recomendados para a protecção do
mais importantes, assim como uma das mais valiosas transformador fazem parte da família de produtos de IEDs
unidades individuais na rede de distribuição de energia. de protecção de potência Relion® da ABB. Estes IEDs têm
Por isso, a importância específica em evitar perturbações no sido desenvolvidos após vários anos de experiência
sistema de distribuição de energia é quase completamente recolhida a partir de uma vasta gama de requisitos de
dependente de um transformador de alimentação em aplicação e de funcionalidade dos clientes da ABB em todo
funcionamento. Embora os transformadores de alimentação de o mundo.
alta qualidade sejam altamente fiáveis, podem ocorrer Os populares IEDs da série RE500 também
ocasionalmente falhas de isolamento. Estas falhas, que podem desempenharam um grande papel no sucesso da ABB nesta
aparecer como curtos-circuitos e/ou falhas de ligação à terra, área.
causam geralmente danos severos nos enrolamentos e no
Os produtos Relion® têm sido concebidos para implementar
núcleo do transformador. O dano é proporcional ao tempo de
os valores centrais da norma IEC 61850. A implementação
remoção da falha, logo, o transformador de alimentação deve
genuína da norma de comunicação da subestação do IEC
ser desligado o mais rápido possível.
61850 cobre a comunicação entre os IEDs quer vertical,
O transformador de alimentação tem de ser transformado para
quer horizontalmente.
uma oficina para reparação, um processo que demora imenso
tempo. O funcionamento de uma rede de alimentação onde o
transformador de alimentação está fora de serviço é sempre
complexo. Por isso, a falha do transformador de alimentação
constitui uma falha do sistema de alimentação mais grave do
que uma falha de linha, que, geralmente, é rectificada mais
rapidamente. É extremamente importante que os IEDs de
protecção fiável e rápida sejam utilizados para detectar as
falhas do transformador e para iniciar o disparo.
O tamanho, o nível de tensão e a importância do transformador
de alimentação determinam a extensão e a escolha dos
dispositivos de protecção e monitorização a ser utilizados para
limitar os danos de uma possível falha. Quando comparado
com o custo total do transformador de alimentação e com os
danos provocados por uma falha nele, o custo do sistema de
protecção de alimentação é insignificante.

Figura 45: Controlo e protecção do transformador RET630

46
• Controlo e protecção do transformador RET630 • Controlo e protecção do transformador RET615 é um
é um amplo IED de gestão do transformador para protecção, amplo IED de controlo e protecção específico para
controlo, medição e supervisão de transformadores de transformadores de alimentação de dois enrolamentos,
alimentação, transformadores elevadores e de unidade, transformadores de elevadores e de unidade, incluindo
incluindo blocos de transformador-gerador em redes de blocos de transformador-gerador em sistemas de distribuição
distribuição de energia industriais e públicas. Fornece protecção de energia industrial e público.
principal para transformadores de alimentação de dois O RET615 oferece oito configurações padrão para corresponder
enrolamentos e blocos de transformadores-geradores de aos princípios de ligação à terra neutros do transformador
potência. aplicados com esquemas de protecção de falha de ligação à
Estão disponíveis duas configurações predefinidas para terra restrita por impedância numericamente baixa ou por
corresponder às especificações típicas de controlo e protecção do impedância alta. As diferenças de razão CT e as mudanças de
transformador. As configurações predefinidas podem ser fase de todos os grupos vectoriais do transformador de
utilizadas como tal ou o IED pode ser facilmente modificado ou alimentação empregados são compensados numericamente. O
funcionalmente alargado com funções suplementares de selecção RET615 também inclui controlo remoto ou local para o disjuntor
livre para ajudar ao seu aperfeiçoamento, de modo a cumprir lateral AT do transformador.
mesmo os requisitos de aplicação individual mais exigentes de
um modo mais exacto.

Figura 46: Controlo e protecção do transformador RET615

47
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Protecção do motor Produtos recomendados:


É esperado que a protecção do motor forneça protecção contra Os produtos recomendados para a protecção do motor fazem
curto-circuito, falhas de ligação de terra, desequilíbrio e parte da família de produtos dos IEDs de protecção de
sobrecorrente. Contudo, o problema fundamental para os potência Relion® da ABB. Estes IEDs têm sido desenvolvidos
motores é a protecção térmica, uma vez que o após vários anos de experiência recolhida a partir de uma
sobreaquecimento é a pior ameaça para o motor. vasta gama de requisitos de aplicação e de funcionalidade dos
Os motores precisam de ser protegidos não apenas contra clientes da ABB em todo o mundo.
falhas eléctricas, mas também contra qualquer uso impróprio. Os populares IEDs da série RE500 também desempenharam
As soluções da ABB concentram-se na protecção termal um grande papel no sucesso da ABB nesta área.
avançada que previne a utilização imprópria dos motores. A Os produtos Relion® têm sido concebidos para implementar os
protecção de sobrecarga térmica é necessária para proteger o valores centrais da norma IEC 61850. A implementação
motor contra sobrecargas, quer a curto quer a longo prazo, genuína da norma de comunicação da subestação do IEC
sendo por isso que é tão importante para o desempenho do 61850 cobre a comunicação entre os IEDs quer vertical, quer
motor. As condições de sobrecarga de curta duração ocorrem horizontalmente.
principalmente durante o arranque do motor.
A utilização imprópria de um motor em funcionamento não • Controlo e protecção do motor REM630 é um amplo
danifica necessariamente o equipamento, mas torna mais curta IED de gestão do motor para protecção, controlo, medição
a sua vida útil. Por isso, um sistema de protecção versátil e e supervisão de motores assíncronos grandes e médios em
fiável protege não apenas o motor, mas também prolonga o seu sistemas de energia industrial de tensão média.
ciclo de vida, o que contribui para melhorar o retorno no O REM630 é um membro da família de produtos Relion® da
investimento do seu propulsor do motor. ABB e uma parte das suas 630 séries de produtos
caracterizados pela configurabilidade flexível e pela
escalabilidade funcional. Também apresenta as funções de
controlo necessárias para a gestão dos painéis do
alimentador do motor industrial.

Figura 47: Controlo e protecção do motor REM630 Figura 48: Controlo e protecção do motor REM615
48
O REM630 fornece a protecção principal para motores • Relé de protecção do motor REM610 é um IED do motor
assíncronos e para os propulsores associados. O IED da para protecção, medição, e supervisão de motores BT
gestão do motor é indicado para disjuntores, contactores assíncronos de tamanho grande e médio e motores AT
controlados de tamanho médio e grandes motores assíncronos de tamanho médio e pequeno em indústrias de
assíncronos numa variedade de aplicações de propulsores, processo e fabrico.
tais como os propulsores dos motores para bombas, O IED do REM610 pode ser utilizado tanto com disjuntores
compressores, fábricas, trituradores, etc.. A configuração como com propulsores de motores controlados a contactores
predefinida pode ser utilizada como tal ou facilmente numa variedade de aplicações. Melhorado com um cartão
personalizada ou alargada de acordo com as funções suplementar opcional para sensores RTD ou elementos do
suplementares, através do qual o IED de gestão do motor termístor, o IED pode ser utilizado para a medição directa da
pode ser aperfeiçoado para satisfazer exactamente os temperatura dos itens críticos do motor, tais como chumaceiras
requisitos específicos da sua aplicação actual. e enrolamentos. Também é utilizado para a protecção dos
alimentadores do cabo e dos transformadores de distribuição,
• Controlo e Protecção do Motor REM615 é um IED beneficiando de protecção de sobrecarga termal, além da
específico do motor perfeitamente alinhado para a produção, protecção da sobrecarga da fase, da protecção da falha de
controlo, medição e supervisão de motores assíncronos em ligação à terra, e da protecção do desequilíbrio da fase.
indústrias de processo e fabrico. Normalmente, o REM615 é
utilizado com motores AT controlados por um contactor ou
disjuntor ou com motores BT de tamanho grande e médio,
controlados com um contactor numa variedade de
propulsores. O REM615 está disponível em três configurações
padrão, incluindo todas as funções de protecção do motor
básicas, funções de protecção da tensão e medições de
energia e potência. Também é facilitado o controlo de
paragem/início remoto e local do motor.

Figura 49: Protecção de motor REM610


49
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Protecção de tensão Protecção de arco


O REU615 está disponível em duas configurações de uso geral, Um curto-circuito do arco eléctrico numa instalação de um
predefinidas, denominadas A e B, orientadas para duas das comutador é normalmente provocado por um objecto estranho
mais comuns aplicações do IED. que entra no cubículo ou por uma falha num componente. O
A configuração do A do REU615 está preadaptada para arco causa um efeito de explosão e calor semelhante a uma
aplicações de protecção baseadas na frequência e na voltagem explosão geralmente causando grandes danos ao comutador e
em sistemas de distribuição e sistemas de alimentação ao pessoal operacional.
industriais e públicos, incluindo redes com geração de Um sistema de protecção do arco adequado protege a sua
alimentação distribuída. subestação contra falhas de arco através da minimização do
A configuração A do REU615 é indicada para ser utilizada em tempo de queima do arco, evitando, assim, danos e calor
sistemas de comutador de tensão média com um cubículo de excessivo. Minimiza a danificação de material e permite que a
medição de tensão separado. distribuição de energia seja segura e suavemente restaurada. O
A configuração A do REU615 fornece supervisão da sistema também pode trazer benefícios de custo mesmo antes
sobretensão e da subtensão do barramento, tensão residual da ocorrência de uma falha do arco. Uma vez que quanto mais
da rede e supervisão da frequência. velho for o comutador, mais susceptível serão a falhas de arco,
A configuração B está preadaptada para a regulação da o sistema de protecção do arco irá prolongar eficazmente o
tensão automática. As duas configurações também tempo de vida do seu comutador e fazer mais do seu
permitem controlo CB e fornecem funções de medição e investimento. Mas o que é ainda mais importante, é que este
supervisão. A configuração B do REU615 que inclui sistema pode salvar vidas.
capacidade de regulação da tensão está orientada para
regulação manual e automática da tensão dos
transformadores de alimentação equipados com um
comutador de regulação em carga accionado pelo motor.
O REU615 é um membro da família de produtos de controlo e
protecção Relion® da ABB e dos produtos da série 615. Os IEDs
da série 615 são caracterizados pela sua compactidade e pela
unidade de design amovível. Reconfigurada de cima a baixo, a
nova série 615 tem sido concebida para desencadear o
potencial total da norma IEC 61850 para comunicação e
interoperabilidade entre dispositivos de automação de
subestação.

Figura 50: Protecção de tensão REU615 Figura 51: Protecção arco REA 101 com extensões REA 103,
REA 105 e REA 107.

50
Aplicações e características Produtos recomendados:
Fontes de formação de arco podem ser falhas de isolamento, • Sistema de protecção de arco REA 101 com as suas
dispositivos danificados, uniões de cabo ou barramento unidades de extensão REA 103, REA 105 e REA 107 são
danificadas, sobretensão, corrosão, poluição, humidade, ferro- concebidas para serem utilizadas para a protecção do
ressonância (transformadores de medida) e mesmo comutador isolado a ar, de baixa e média tensão.
envelhecimento devido a problemas eléctricos. Muitas destas A unidade de tipo central REA 101 funciona
fontes de falha do arco poderiam ser evitadas através da independentemente ou em conjunto com outras unidades
devida manutenção. Contudo, apesar das precauções REA 101. O REA é o sistema de protecção de arco mais
tomadas, os erros humanos podem levar a falhas de arco. rápido do mercado, fornecendo tempos de disparo
O tempo é um factor crítico quando toca a detectar e minimizar inferiores a 2,5 ms.
os efeitos de um arco eléctrico. Uma falha de arco que dure O REA está equipado com um elemento de detecção rápida de
500 ms pode provocar danos severos na instalação. Se o arco sobrecorrente integrado e funciona independentemente de
durar menos que 100 ms, geralmente, os danos são restritos, outras unidades de protecção do alimentador.
mas se o arco for extinto em menos de, por exemplo, 4 ms, os Os IEDs de protecção do alimentador REF610 e REF615
danos são insignificantes. incluem uma função opcional de protecção de arco para o
cubículo do alimentador.
Geralmente aplicados, os IEDs de protecção não são
suficientemente rápidos para assegurar tempos de
remoção da falha seguros nas falhas de arco.
O tempo de funcionamento do IED da sobrecorrente que
controla o disjuntor de entrada pode, por exemplo, ter de ser
atrasado centenas de milissegundos por razões de
selectividade.
Este atraso pode ser evitado através da instalação do sistema
de protecção do arco. O tempo de remoção total da falha pode
ser reduzido até ao máximo de 2,5 ms mais o tempo de
deslocação de contacto do disjuntor. Além disso, nas falhas do
compartimento de cabos, as religações automáticas podem ser
eliminadas através do emprego da protecção do arco.

Accionamento

Accionamento
Luz

Figura 52: Configuração típica com REA 101 e subunidades 103

51
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Automação da estação COM600 Produto


O COM600, o dispositivo de automação de estação da A automação da estação COM600 oferece a funcionalidade de
ABB, é uma central de comunicação tudo em um, servidor web, fornecendo uma interface homem-máquina (HMI)
plataforma de automação e solução de interface do para controlo e monitorização local da subestação. A
utilizador para subestações de distribuição industriais e comunicação segura permite o acesso ao HMI da subestação
públicas. através do LAN/WAN ou da internet para qualquer utilizador
A funcionalidade da central fornece conectividade perfeita do autorizado com um navegador web e um PC padrão. Ao ligar
IEC61850 entre os IEDs de subestação, o controlo de nível de localmente o computador portátil à unidade, é obtido um HMI
rede e os sistemas de gestão. para uma funcionalidade de controlo e monitorização totais no
A plataforma de automação com o seu processador lógico nível de subestação.
faz do COM600 uma plataforma de implementação flexível A estação de automação COM600 também fornece funções para
para tarefas de automação do nível da subestação. Como mapear dados e sinais entre os sistemas de subestação e de
uma solução de interface de utilizador a COM600 fornece alto nível, tais como o SCADA e o DSC.
funcionalidades baseadas na tecnologia web dando acesso a O COM600 é concebido para uma suave interoperabilidade e
dispositivos e processos de subestações através de um integração do sistema baseado em soluções pré-
navegador web baseado num interface homem-máquina configuradas utilizando pacotes de conectividade para os
(HMI). IEDs da ABB.

Figura 53: Automação da estação COM600

52
Aplicação e características O COM600 está totalmente em conformidade com a norma
IEC 61850 para automação de distribuição. Como tal, isso
Com o seu design robusto e compacto, o COM600 está
fornece total interoperabilidade com quaisquer IEDs em
bem adaptado para ambientes rigorosos. Cumpre o grau
conformidade com o IEC 61850, ferramentas e sistemas, o que
IP4x de protecção através do alojamento e não contém
simplifica o comissionamento e a concepção do sistema.
componentes móveis sujeitos a desgaste e rompimentos. O
O comissionamento dos IEDs da ABB é realizado directamente
COM600 está baseado na tecnologia incorporada para
devido ao conceito de pacote de conectividade único da ABB,
obter durabilidade e a máxima disponibilidade. As
o que simplifica a configuração do sistema e reduz o risco de
características e as dimensões compactas do COM600
erros na integração do mesmo, minimizando os tempos de
permitem que este seja facilmente instalado nos
montagem e configuração.
compartimentos de baixa tensão da maioria dos painéis
UniGear ZS1. O COM600 é adequado tanto para
Para obter informações mais detalhadas, os guias técnicos e de
aplicações industriais como públicas.
produtos para o COM600 estão disponíveis em
O COM600 incorpora a funcionalidade do servidor OPC, a qual
http://www.abb.com/substationautomation
fornece um ponto de entrada para todas as informações da
subestação, e o suporte do IEC 61850 permite conectividade e
comunicação perfeita com o equipamento específico da
aplicação.

SISTEMA DE ACESSO
EMS/ CONTROLO REMOTO-
SCADA DISTRIBUÍDO ADMINISTRAÇ
ÃO

Servidor/Cliente OPC

WAN
Interruptor Ethernet
GPS
Protocolos de série (DNP3, IEC 60870-5-101)

LAN1

Interruptor
Ethernet
Protocolos TCP/IC Protocolos de
(IEC 61850, série (Modbus®)
DNP3, Modbus®)

REF601 REF601
REF615 REF615 REF615 REF615 Comutador de distribuição secundária

Figura 54: Aspectos gerais de um sistema que utilize a automação da estação COM600

53
1 UniGear ZS1
Automação da distribuição

Tabela de selecção de relés


REF RED
Aplicação
610 615 630 54_ 542+ 615
Protecção baseada na tensão • • •
Aplicação do alimentador (entrada e/ou saída) • • • • • •
Aplicação com alimentador de requisito elevado • • •
Aplicação do transformador • •
Aplicação do transformador de requisito elevado •
Protecção do motor • •
Protecção do motor de requisito elevado •
Protecção do motor síncrono e gerador
Protecção de distância • • •
Protecção diferencial de linha • •

Protecção de segurança • • •
Protecção de arco o o

Protocolos de comunicação
IEC61850-8-1 o • •; •* •* •

IEC60870-5-103 • • • • •

DNP 3.0 • • • • • •
SPA • • •
LON • •
Modbus • • • • •

Profibus o •* •* •* •*

Funcionalidade Adicional
Localizador de falha • • •
Novo encerramento automático 3 disparos 5 disparos 2 disparos 5 disparos 5 disparos o(5 disparos)
Controlo do comutador de regulação em carga
Registo de distúrbios • • • • •

Mecanismo de libertação amovível • • •

Diagrama monofásico HMI** • • • • •


Controlo de local • • • • • •
Controlo remoto • • • • • •

Monitorização de condição • • • • •

Monitorização da qualidade da potência •

Entradas analógicas (VT/CT) -/4 9/8 -/5


Entradas do sensor • • •
Entradas/Saídas Binárias 5/8 18/13 32/27 42/24**** 18/13
Entradas RTD***/mA 8/- 6
saídas mA o(4) o(4)

* Com conversor de protocolo do interface


** HMI - Interface Homem-Máquina
*** RTD - Detector de Temperatura Resistente
**** 27 se as saídas são saídas estáticas
1) REU615 com configuração A, para protecção baseada na frequência e na tensão
2) REU615 com configuração B, para comutador de regulação
o= opcional
s= aplicação secundária

54
REM RET REU REX REA
610 615 630 54_ 615 630 54_ 610 615 521 10_
• • • •1 •
s • •

s • • • •2

• • • • •
• •
• •

o o o •

•* • • •* • • •* o • •*
• • • • • • •
• • • • • • • •
• • • • •
•* • • •
• • • • • • • •
•* • •* •* o •* •*

5 5 disparos
• disparo

• • • • s • • •2 •
• • • • •

• • • • • • •

• • • • • • • • • •
• • • • • • • • •
• • • • • •

-/4 -/5 4/5 -/7 3/9 4/- -/3
• • •
5/8 12/10 32/27 14/13 32/27 5/8 1/3
6/- 6/2 8/- 6/2 8/- 6/22

55
1 UniGear ZS1
Sistema de transferência
automático
Os sistemas de transferência automática são utilizados para ATS
assegurar a continuidade de serviço máximo, fornecendo os
A unidade REF542plus pode ser utilizada em
utilizadores de energia ininterruptamente.
comutador de tensão média para gerir a transferência
Tudo isto é possível utilizando vários sistemas baseados
manual e automática entre dois alimentadores de
em diferentes tipos de técnicas.
entrada diferentes.
O tempo necessário para a transferência automática efectuada
Os mais comuns são mencionados abaixo, com tempos
através da unidade REF542plus é entre 200 e 300
de transferência médios relevantes:
milissegundos (incluindo o tempo de operação do disjuntor).
• Atrasado: 1500 ms
• Dependendo da tensão residual: 400-1200 ms Este tempo pode variar em relação à complexidade da logística
• Sincronizado (ATS): 200-500 ms de transferência de software, dentro do intervalo indicado.
• Alta velocidade (HSTS): 30-120 ms Os comutadores equipados com REF542plus, adequadamente
programados, são sistemas eficientes e completos capazes de
Os primeiros dois sistemas são os mais simples e gerir a transferência entre um sistema de alimentação eléctrica
também podem ser conseguidos com instrumentos e e um alternativo, ou reconfigurar a rede, passando de
logísticas convencionais. distribuição radial dupla para um sistema simples, de uma forma
Garantem o tempo de transferência média e podem, por isso, totalmente automática.
ser utilizados em instalações onde as folgas de tensão não Também é possível realizar a mesma operação
são particularmente críticas. manualmente de uma estação de controlo remoto ou da
Por outro lado, os outros dois sistemas (ATS - Sistema de parte frontal do comutador sob supervisão do utilizador.
Transferência Automática e HSTS - Sistema de Transferência Transferência manual significa fazer o paralelo de passagem:
de Alta Velocidade) necessitam de aparelhos por meio da função de controlo de sincronismo (código de
microprocessadores-base com conteúdo tecnológico elevado. verificação sincro 25) implementado do REF542plus, as linhas
Garantem tempos de transferência rápidos e a sua aplicação de fornecimento eléctricas são fechadas simultaneamente com a
é em estações onde o processo é particularmente crítico, sincronização dos vectores de tensão para depois retornarem
desta forma as transferências que não são extremamente para ser desligadas quando a transferência for executada.
rápidas causam funcionamentos incorrectos sérios ou As aplicações descritas não necessitam instrumentos
interrupção do próprio processo. adicionais.
ABB é capaz de oferecer todos os sistemas de transferência,
do mais simples ao mais complexo.

Figura 55: O diagrama monofásico do comutador UniGear ZS1 com arquitectura REF542plus aplicada é adequado para realizar
transferência manual e automática (ATS), bem como medições e protecções do comutador

56
As interrupções de fornecimento • Comparações de rede permanente
Uma característica excepcionalmente importante, que
completo ou diminuição da Tensão do distingue nitidamente o Dispositivo de Transferência de Alta
Velocidade SUE 3000 de conceitos alternativos, é que os
Dispositivo de Transferência de Alta critérios de sincronicidade estão continuamente disponíveis, p.
Velocidade SUE 3000 representam os problemas mais ex. os que são calculados online pelo SUE3000.
importantes e críticos para a qualidade de fornecimento de Por essa razão, em caso de uma iniciação, o modo de
energia, actualmente. O Dispositivo de Transferência de Alta transferência que surge sob consideração já está determinado
Velocidade SUE 3000 garante segurança optimizada de e pode ser iniciado imediatamente. Isto significa que a
fornecimento de energia. O dispositivo assegura a continuidade probabilidade de uma transferência rápida é melhorada
de fornecimento para o consumidor através da transferência consideravelmente. Os sistemas que esperam pelo momento
automática de energia para um alimentador parado e protege o da iniciação para começar a determinação do estado da rede
processo subsidiário do dispendioso tempo de paragem. Além não têm oportunidade de, quando se considera os dados
disso, através da possibilidade de transferência de energia físicos, desempenhar a transferência rápida com o mínimo
iniciada manualmente - para campos definidos, por exemplo - a tempo de interrupção.
instalação é consideravelmente simplificada.
• Tempos e modos de transferência
• Áreas de aplicação Quatro modos de transferência diferentes estão disponíveis
O Dispositivo de Transferência de Alta Velocidade SUE em pormenor: Transferência rápida, transferência coincidente
3000 pode ser implementado em aplicações em que uma na 1ª fase, transferência de tensão residual, transferência de
perturbação do fornecimento de energia eléctrica levaria a tempo-operado. A transferência rápida é o modo de
uma falha na produção e custos resultantes ou perda na transferência optimizado garantindo, em caso de falha, que
produtividade. apenas ocorra uma interrupção mínima no fornecimento de
Áreas de utilização possíveis incluem, por exemplo: tensão. No caso de transferência rápida, o tempo de
• Instalação auxiliar que serve centrais eléctricas transferência total é inferior a 100 ms, a contagem de uma
• Instalações de tecnologia ambiental falha no alimentador principal até ao alimentador parado é
• Fornecimento de tensão para processos industriais contínuos. cortada.
De modo a realizar uma disponibilidade permanente de
energia, a carga é fornecida de, pelo menos dois
alimentadores sincronizados que são independentes um do
outro e que estão equipados com o Dispositivo de
Transferência de Alta Velocidade SUE 3000.
Ao fazê-lo, o Dispositivo de Transferência de Alta ALIMENTADOR 1 ALIMENTADOR 2
Velocidade SUE 3000 tem a tarefa de garantir a PROTEC-
continuidade de operação ininterruptamente, tendo em conta ÇÃO
diferentes factores físicos, para a transferência mais rápida
possível para um alimentador parado.
Correspondendo às suas áreas multifacetadas de aplicação,
o SUE 3000 é configurado para disposições diferente de
comutador.

Figura 56: Dispositivo de Transferência de Alta Velocidade SUE 3000 Figura 57: Exemplo de comutador

57
1 UniGear ZS1
Unidades típicas

Diagrama monofásico de unidades típicas


Amovível

Amovível
IF - Alimentador de BT - Barramento R- RM - Ascendente com medições
entrada/saída Ascendente
Amovível
Amovível

Amovível

M - Medições IFD - Alimentador directo de IFDM - Alimentação directa DF - Unidade de interruptor-


entrada/saída entrada/saída com medições seccionador

58
Diagrama monofásico das aplicações de barramentos

Transformadores de corrente Transformadores de Entrada da Seccionador de ligação à


tensão conduta terra

Símbolos gráficos

Disjuntor Contactor Interruptor- Seccionador Barra de Tomada e ficha


seccionador Isolamento

Transformadores de tensão Transformadores Fusív Terra Entrada de Entrada do


de corrente el cabos barramento

Chave para os componentes Componentes padrão Acessórios Soluções Alternativas

59
1 UniGear ZS1 - Sistema de Barramento
Individual
Dados técnicos
Unidades: … 12 kV - 17,5 kV - … 31,5 kA
Largura (mm) 650 800 1000

Altura (mm) 2200/2595 (1) 2200/2595 (1) 2200/2595 (1)


4) (4)
Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 2675 < 2675 2675 (4)

Profundidade (mm) 1340 1340 ; 1390 1340 ;1390 ; 1405

Corrente atribuída (A) 630 1250 16001 2000 2500 630 1250 1600 2000 2500 3150 3600 4000 1600 2000 2500 3150 3600 4000

IF Entrada/saída (2) (2) (2)

BT Barramento

R Ascendente

RM Ascendente com medições

M Medições

IFD Entrada/saída directa

IFDM Entrada/saída directa com medições

DF Unidade de interruptor-seccionador (3)

IFC Painel contactor (2), (6)

Unidades: … 12 kV - 17,5 kV - 40 / 50 kA
Largura (mm) 650 800 1000

Altura (mm) 2200/2595 (1) 2200/2595 (1) 2200/2595 (1)

Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 2700 (4) 2700 (4) 2700 (4)

40 kA 1340 1390 1340 1390 1405


Profundidade (mm) 1390
50 kA 1390 1455 1390 1455

Corrente atribuída (A) 630 630 1250 1600 2000 2500 3150 3600 4000 2000 2500 3150 3600 4000

IF Entrada/saída

BT Barramento

R Ascendente

RM Ascendente com medições

M Medições

IFD Entrada/saída directa

IFDM Entrada/saída directa com medições

IFC Painel contactor (2), (6)

Unidades: … 24 kV - … 31,5 kA
Largura (mm) 800 1000

Altura (mm) 2325/2720 (1) 2325/2720 (1)

Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 2733 (4) 2733 (4)
(5)
Profundidade (mm) 1700 1700 (5)

Corrente atribuída (A) 630 1250 1600 2000 2500 630 1250 1600 2000 2500 3150

IF Entrada/saída

BT Barramento

R Ascendente

RM Ascendente com medições

M Medições

IFD Entrada/saída directa

IFDM Entrada/saída directa com medições

(1) A altura da unidade é uma função da altura do compartimento de baixa tensão, disponíveis nas versões 705 e 1100 mm.
(2) Para as características da unidade equipada com contactor, consulte a página 25.
(3) Para as características da unidade equipada com interruptor-seccionador, consulte a
página 26.
(4) Estão disponíveis outras funções; contacte o representante ABB.
(5) Para corrente de curta duração, de 25 kA a 1560 mm, está disponível a versão de profundidade.
(6) A corrente atribuída, corrente curta e arco interno estão limitados pelos fusíveis coordenados.

60
Altura com conduta de
exaustão de gás
Altura
Compartimentos da
unidade
A Compartimento do disjuntor
B Compartimento do barramento
C Compartimento de cabos
D Compartimento de baixa tensão
E Canal de conduta de gás

Largura Profundidade

Figura 58: Exemplo de comutador com conduta Figura 59: Exemplo de comutador com conduta Figura 60: Exemplo de UniGear ZS1 com
de gás com chaminés superiores de gás com saída (altura total do compartimento LV superior (1100 mm)
(altura total do comutador é 2530 mm comutador é de 2675 mm para 12-17,5
para 12-17,5 KV até 40 KA) kV até 40 kA)

61
AB

62
63
2 UniGear ZS1 - Sistema de Barramento
Duplo
Descrição
Quando a ABB desenvolveu o UniGear ZS1, o sistema de
barramento duplo foi incluído desde o início.
Os utilizadores do sistema de barramentos duplos UniGear
ZS1 são principalmente empresas de serviços eléctricos,
subestações principais e indústrias pesadas. Em qualquer
dos casos, a utilização deste produto é altamente
recomendada onde exista o pedido para aumentar a
continuidade do serviço.

A utilização do comutador de barramentos duplo UniGear ZS1


é necessária quando algumas das seguintes características
são pedidas:
• Deslastragem de carga de alimentadores de saída com
diferente nível de importância durante as condições de
emergência;
• Isolamento de alimentadores de saída particulares da rede
normal;
• Equilíbrio dos alimentadores de saída dos dois sistemas de
barramento durante a condição normal de funcionamento;
• Flexibilidade durante os procedimentos de manutenção e
inspecção sem interrupção da carga do comutador;
• Extensão do comutador sem paragem.
• Linha de seccionador operada a motor que permite a
comutação rápida entre os dois sistemas de barramento
durante situações de emergência (possível apenas com
barramento transversal fechado).
• Livre acesso para um sistema de barramento durante
operações de manutenção enquanto o outro está em • Teste e manutenção do disjuntor sem paragem de
funcionamento e a unidade considerada está desligada. alimentador.
• Os alimentadores de entrada e os alimentadores de saída • Menor número de componentes e menos aparelhos de
mais importantes podem ser equipados com dois disjuntores comutação.
de forma a permitir a redundância do aparelho.

< 2500 A < 2500 A < 4000 A < 4000 A < 4000 A < 2500 A

Figura 61: Exemplo de uma secção do sistema de barramento duplo UniGear ZS1
64
Os sistemas de barramento duplo UniGear ZS1 baseiam-
se em dois tipos de painéis diferentes: Tensão atribuída kV 12 17,5 24
• Dois sistemas de barramentos, dois seccionadores de Tensão de teste kV 1 min 28* 38* 50
barramento e um disjuntor (até 2500 A-12-17,5 e 2000 A- Tensão admissível de kV 75 95 125
24 kV); impulso
Frequência atribuída Hz 50/60 50/60 50/60
• Dois sistemas de barramentos, dois compartimentos de
Corrente de curta duração
disjuntores com um ou dois disjuntores, esta versão é admissível atribuída kA 3 s até 31,5 31,5 25
chamada sistema duplex (até 4000 A-12-17,5 kV e 2500
Pico de corrente admissível kA até 80 80 63
A-24 kV).
Corrente admissível de arco
Ambos os tipos fornecem redundância do sistema de kA 1 s até 31,5 31,5 25
interno
barramento completo (isolamento físico entre os sistemas Corrente atribuída dos
barramentos principais A até 4000 4000 2500
de barramento de recurso) e permitem condições de
serviço fiáveis e ininterruptas. Corrente térmica do
disjuntor atribuído A até 4000 4000 2500
Graças às numerosas unidades padrão
630 630 630
disponíveis, o comutador pode ser configurado
Corrente atribuída dos 1250 1250 1250
adequadamente para satisfazer todas os requisitos alimentadores de
seccionadores de A 1600 1600 1600
de configuração. barramento duplo 2000 2000 2000
Cada painel de comutador pode ser equipado com
2500 2500 -
disjuntores.
Todos os componentes significantes e acessórios Corrente atribuída do A 3150 3150 -
alimentador duplexdos
Corrente atribuída 3600 3600 2500
são idênticos A
alimentadores
com ventilaçãoduplex
forçada 4000 4000 -
1) Para outras versões, consulte os capítulos n.º 1 (Nível Único) e n.º
3 (Nível Duplo).
2) Os valores indicados são válidos para os disjuntores SF6 e a
vácuo.
3) Para o painel com contactor o valor de corrente atribuída é 400 A.
de barramento * 42 kV (GB/DL)

consultar

< 2500 A < 4000 A < 2500 A < 4000 A < 4000 A < 2500 A < 4000 A < 2500 A

Figura 62: Exemplo de duas secções do sistema de barramento duplo UniGear ZS1

65
2 UniGear ZS1 - Sistema de Barramento
Duplo
Características
Compartimentos Interruptores de barramento
Cada painel é constituído por quatro compartimentos de Os interruptores de barramento da unidade IF são concebidos
energia independentes: aparelhos (A), barramento 1 (B1), para actuar como dois interruptores de posição - posições
barramento 2 (B2) e cabo (C), consulte a página 69. aberta e fechada - e a operação é manual (p ex. sem
Há uma segregação metálica entre todos os compartimentos. assistência de molas).
Na sua parte da frontal/superior, o painel está equipado com um A operação de fecho e abertura do seccionador-barramento é
compartimento para receber instrumentos auxiliares (D). executada da parte frontal do painel.
A posição do seccionador-barramento é indicada na frente do
O sistema de barramento duplo UniGear ZS1 é versão à prova painel com indicadores acoplados mecânicos.
de arco e é fornecido com uma conduta para a evacuação dos
gases produzidos por um arco (E). O seccionador-barramento está nitidamente separado e os
compartimentos de barramentos relevantes estão
Cada compartimento da unidade está equipado com uma aba segregados um ao outro de forma a atingir o seguinte:
na superfície superior. A pressão gerada pelas falhas fá-lo abrir, • Deve ser possível realizar a manutenção e também estender
permitindo que o gás passe para a conduta. o comutador com unidades adicionais, mantendo um ou dois
O compartimento do aparelho está acessível da parte frontal. O sistemas de barramentos energizados
• Uma falha gerada num compartimento (por ex. descarga de
fecho da porta destes compartimentos está disponível em duas
isolação) não gera qualquer dano aos outros ou necessita da
versões, com parafusos ou alavanca central. paragem da unidade.
A remoção do aparelho do comutador (disjuntores e
contactores) e dos compartimentos relativos ocorre através de Os seccionadores de barramento são fornecidos com
um único dispositivo específico. interruptores limite para detecção da posição de operação e
podem ser operados manualmente ou, como opção, a motor.
O compartimento de cabos e o do barramento estão
acessíveis a partir da traseira do comutador por meio de Os seccionadores de barramento são fornecidos com as
painéis removíveis. instalações de bloqueio necessárias.
Todas as operações de serviço normais são efectuadas a Os bloqueios entre os dois seccionadores de linha e o
partir da frente, enquanto que as operações de arranque e disjuntor de circuito são implementados por meio ímanes de
manutenção também necessitam acesso a partir da bloqueio.
traseira do comutador.

Figura 63: Posição fechada do seccionador de barramentos Figura 64: Posição aberta do seccionador de barramentos
66
O seccionador de barramento consiste num tubo de cobre
móvel alojado no interior de um isolante epóxi. O contacto
eléctrico é garantido por duas ou quatro molas de ligação
(dependendo da potência do seccionador).
As abas de isolamento de protecção adicional são montadas
em ambos os lados do isolante, disponibilizando assim o
dispositivo com um elevado nível de fiabilidade.

1 Porta do compartimento do aparelho


2 Compartimento de baixa tensão
3 Operação de introdução/extracção (aparelho)
4 Operação do seccionador de ligação à terra
5 Seccionador de barramentos B1 aberto/fechado
6 Seccionador de barramentos B2 aberto/fechado
7 Canal de conduta de gás

Figura 65: Painel frontal com ranhuras de operação do seccionador de Figura 66: Sistema de barramentos duplo com dois seccionadores de
barramentos barramentos

Figura 67: Dois compartimentos de barramentos

67
2 UniGear ZS1 - Sistema de Barramento
Duplo
Unidades típicas
Diagrama monofásico de unidades típicas

IF - Entrada/saída Barramentos A duplex IF e IFM Barramentos B duplex IF e IFM Transv. BTT Barramento

M - Medições BTL - Barramento longitudinal RL - Ligação de RLM - Ascendente Bus Longitudinal


elevação Longitudinal com contagem

68
Aplicações de barramento

VTs com montagem superior Seccionador de ligação à terra com montagem superior Conduta com entrada superior

Chave para os componentes Componentes padrão Acessórios Soluções Alternativas

69
2 UniGear ZS1 - Sistema de Barramento
Duplo
Dados técnicos
Unidades … 12 - 17,5 kV - … 31,5 kA
Profundidade (mm) 2021 2021 2021
Altura (mm) 2200/2595 (1)
2200/2595 (1)
2200/2595 (1)
Altura com conduta de exaustão de gás 2700 (2)
2700 (2)
2700 (2)
(mm)
Largura (mm) 650 800 1000
Corrente atribuída (A) 630 1250 1600 2000 2500 1600 2000 2500 3150 3500 4000 2500 3150 3500 4000
IF Entrada/saída

IF Alimentador duplex
entrada/saída
Alimentador duplex
IFM
entrada/saída com
medições
BTT Barramento transversal
M Medições
BTL Barramento longitudinal
RL Ascendente longitudinal
Ascendente
RML
longitudinal com
medição

Unidades … 24 kV - … 25 kA
Profundidade (mm) 2570 2570
Altura (mm) 2400/2720 (1) 2400/2720 (1)
Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 3000 (2)
3000 (2)
Largura (mm) 800 1000
Corrente atribuída (A) 630 1250 1600 2000 2500 1600 2000 2500
IF Entrada/saída
IF Alimentador duplex entrada/saída
IFM Alimentador duplex entrada/saída com medições
BTT Barramento transversal
M Medições
BTL Barramento longitudinal
RL Ascendente longitudinal
RLM Ascendente longitudinal com medição

O alimentador duplex IF e IFM, M, BTL, RL e RLM estão disponíveis para ligações de sistemas de barramentos A e B.
1) A altura da unidade é uma função da altura dos compartimentos de baixa tensão, disponível nas versões 705 e 1100 mm.
2) Estão disponíveis outras funções; contacte o representante ABB.

70
Altura com conduta de
exaustão de gás

Altura

Largur Profun
a didade

Compartimentos da unidade
A Compartimento do aparelho
B Compartimento do barramento
C Compartimento de cabos
D Compartimento de baixa tensão
E Canal de conduta de gás

71
72
73
3 Aplicações marítimas
Descrição

O Mercado Marítimo está dividido em quatro segmentos diferentes:


• Navios de passageiros (navios de cruzeiro e ferries).
• Navios industriais (cisternas obturadoras, navios de
perfuração, transportadores de petróleo, navios de carga,
etc.).
• Plataformas (de perfuração e petróleo).
• Navio.
Neste tipo de aplicação os intervalos de temperatura, vibrações
e inclinação variável são condições particularmente severas
que causam impacto nos requisitos funcionais dos
componentes integrados, como o comutador.

A ABB é o fabricante líder dos comutadores isolados a ar para


aplicações marítimas, instaladas por todos os principais
estaleiros (Brasil, China, Dinamarca, Finlândia, França,
Alemanha, Japão, Coreia, Itália, Noruega, Singapura, Espanha,
Reino Unido e Estados Unidos da América).
O comutador adequado para aplicações marítimas é o
UniGear ZS1 de nível único ou duplo em disposições até 7,2-
12 kV tensão atribuída (com opção para 17,5 kV), com
necessidade para muitas características específicas e
algumas unidades típicas especiais.
Mais de 10.000 painéis ABB no mundo estão ao serviço a
bordo de todos os tipos de navios.
Registos e clientes finais (estaleiros ou operadores) Figura 68: Nível Único UniGear ZS1 para aplicação marítima
necessitam um comutador fabricado em conformidade com
os requisitos de teste de registos navais para aparelhos a
bordo.
Para este propósito, os testes têm sido efectuados em
conformidade com as principais regulamentações de registo
naval; DNV, LR, RINA, BV, GL, ABS, KR e Russas.
De forma a garantir as facilidades e conforto necessários, as
centrais da geração de elevada potência e os sistemas de
controlo devem estar concentrados em dimensões gerais
significativamente reduzidas. O UniGear ZS1 pode ser
oferecido em nível único com a possibilidade de ser acoplados
com nível duplo; oferece uma grande gama de aparelhos e
unidades de controlo para satisfazer os requisitos de
instalação marítima.
O comutador UniGear ZS1 fornece as soluções técnicas ideais
para aplicações marítimas:
• Construção à prova de arco, bloqueios de segurança
mecânicos, obturadores de segregação automática e
controlo de aparelho com porta fechada garantem a
segurança pessoal durante a instalação, funcionamento e
manutenção;
• Elevado grau de protecção (até IP43) no alojamento
externo;
• As partições metálicas entre cada compartimento e terra de
todos os componentes acessíveis ao pessoal: aparelhos,
obturadores, portas e toda a estrutura do comutador;
• Resistência elevada ao fogo graças à utilização mínima de
plástico e resinas: o equipamento auxiliar e cablagem são
altamente autoextinguíveis.
74
Ligação shore
Os navios geram emissões enquanto estão atracados no porto, através do
funcionamento dos seus motores auxiliares para criar energia eléctrica a bordo.
Em portos com tráfego de navios pesados, esta prática cria emissões e impacto
negativo para a saúde e meio ambiente às comunidades circundantes locais.
Alargando firmemente o comércio global, as emissões navais representam uma
crescente preocupação ambiental.
Actualmente, a sustentabilidade é a área principal do foco da indústria naval, em que
fortes medidas estão a ser tomadas em várias frentes de forma a reduzir
consideravelmente as emissões navais. Uma dessas medidas é o costa-navio,
fornecedor de energia eléctrica, que elimina problemas de poluição e descarga de
partículas, assim como o barulho e a vibração dos navios no porto. O painel de ligação
shore UniGear ZS1 é entregue como uma solução de caixa acabada com módulo de
controlo e energia.
Dependendo da configuração do sistema e requisitos a bordo, a caixa deve ser
fornecida com conectores de cabo localizados na parte frontal da caixa ou com
aberturas para entrada de cabo através do fundo da caixa.
Todo o equipamento é construído e testado na fábrica de acordo com as normas
internacionais e as regras de classificação da sociedade.

Condições de ambiente para classificação do aparelho integrado


• Temperatura ambiente de 0 °C a + 45 °C
• Inclinação permanente até 25°

A vibração na gama de frequência de 2 … 100 Hz na largura de movimento a seguir


• amplitude 1 mm na gama de frequência de 2…13.2 Hz
• amplitude de aceleração de 0,7 g na gama de frequência de 13.2…100 Hz

Integralmente testadas em conjuntos de série


O comutador UniGear ZS1 foi submetido a todos os testes necessários pelas
normas internacionais (IEC), além disso, os testes pedidos pelos principais
registos navais (LR, DNV, RINA, BV, GL, KR e Rússia) foram efectuados para a
utilização do comutador em instalações marítimas.
Para mais informação sobre os testes específicos, pedidos pelos principais
registos navais, consulte a página 13.

Características eléctricas IEC


Tensão atribuída kV 7,2 12
Tensão atribuída de isolamento kV 7,2 12
Tensão atribuída admissível à frequência de potência kV 1 min 20 28
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação kV 60 75
Frequência atribuída Hz 50 / 60 50 / 60
Corrente de curta duração admissível atribuída kA 3 s ...50 ...50
Corrente de pico kA ...125 ...125
kA 1 s ...40 ...40
Corrente admissível de arco interno
kA 0,5 s ...50 ...50
Corrente atribuída do barramento principal A 1250...4000 1250...4000
Corrente atribuída do disjuntor A 630...3150 630...3150
Corrente atribuída do disjuntor com ventilação forçada A 3600...4000 3600...4000
1) Os valores indicados são válidos para os disjuntores SF6 e a vácuo.
2) Para o painel com contactor o valor de corrente atribuída é 400 A.

75
3 Aplicações marítimas
Características

As características necessárias para aplicações marítimas, Portas


que não são parte do design padrão, são descritas abaixo.
A porta do compartimento do aparelho e o painel traseiro é
fornecido sempre com corrimãos.
Grau de Protecção Adicionalmente, todas as portas (baixa tensão, aparelho e
Sob pedido, o compartimento externo do UniGear ZS1 pode compartimentos de cabo) estão equipadas com uma paragem
ser fornecido com diferentes graus de protecção, a normal adequada para as fixar na posição aberta.
solicitada na aplicação marítima é IP42 ou IP43; em que:
• IP42: protecção contra corpos estranhos com diâmetro de 1 Cabos
mm e contra entrada de água a 15° inclinação máxima;
Nível Único UniGear ZS1
• IP43: protecção contra corpos estranhos com diâmetro de 1 As unidades IF e IFM de nível único normalmente são
mm e contra entrada de água a 60° inclinação máxima. fornecidas na versão de alimentação (1650-1700 mm). Este
design permitirá atingir os seguintes objectivos:
Conduta para ligações eléctricas • entrada superior e inferior do cabo;
secundárias • distância de terminais de cabos adequada (requisitos
Na parte superior do comutador e exactamente abaixo do mínimos):
compartimento de baixa tensão, como opção, pode ser - 700 mm no caso da entrada inferior;
fornecida a conduta de cablagem. - 1000 mm no caso da entrada superior.
Nesta conduta estão posicionadas placas terminais As unidades IF de profundidade padrão (1340-1390 mm)
relacionadas com o painel interno de cablagem, entre painéis. também são utilizadas como uma alternativa em caso de
problemas com espaço.
Esta versão de alimentador apenas permitirá a entrada
Conduta de gás inferior do cabo e uma distância do terminal do cabo no
O UniGear ZS1 é versão à prova de arco e é fornecido com intervalo de 440 a 535 mm, dependendo da corrente
uma conduta para a evacuação dos gases produzidos por um atribuída.
arco.
A conduta é fixa na parte superior do compartimento auxiliar. Nível duplo UniGear ZS1
Nas centrais marítimas, os gases de exaustão normalmente Todas as recomendações descritas para unidades de nível
não podem ser evacuados da divisão, por conseguinte, a único devem ser aplicadas às unidades de nível duplo.
conduta de gás deve ser sempre fechada em ambas as A distância do terminal do cabo das unidades IF é 600 mm
extremidades e equipadas com chaminés superiores. para todas as configurações seguintes:
Em casos onde é possível evacuar os gases quentes para
• Entrada inferior (ambos os alimentadores);
fora da divisão, pode ser fornecida a conduta de gás com
• Entrada superior (ambos os alimentadores);
saída.
• Entrada superior e inferior (um alimentador para cima, outro
para baixo).

1 Conduta de exaustão de gás


2 Abas
3 Chaminés superiores

Figura 69: UniGear ZS1 com conduta de gás compacta com chaminés superiores

76
Configuração mista com nível único, nível duplo e centro de controlo motor

Alimentadores Unidade de Alimentação Alimentador Barrament Ascendente Alimentador Alimentação Unidade de Alimentadores de
de saída com contagem do entrada contactor o bus contactor entrada contagem do saída com
disjuntores alimentador de fino fino alimentador de disjuntores
saída saída

Inspecção termográfica
Normalmente, a inspecção termográfica é necessária nas
terminações de cabo de alimentação e, por vezes, nos sistemas
de barramento principal. Normalmente, os clientes são muito
mais sensíveis do que antes, porque as falhas de terminação do
cabo representam uma percentagem considerável de todas as
falhas do comutador, enquanto que as falhas nos sistemas de
barramentos são muito raras.
A inspecção termográfica e a supervisão podem ser feitas de
duas formas:
• A inspecção temporária por meio de uma câmara IR através
de uma janela de inspecção adequada;
• A inspecção contínua por meio de um sensor IR localizado no
interior do comutador.

O primeiro sistema (inspecção temporária) necessita de uma


câmara IR e uma janela de inspecção em cada compartimento
para ser supervisionado.
O segundo sistema (supervisão contínua) necessita de
uma monitorização térmica contínua.
Isto é, um sistema de monitorização de temperatura não táctil
baseado em sondas de temperatura IR ligado a uma unidade
central (podem ser ligados até 8 sensores em cada unidade
central).
Devido a restrições de design do comutador, a inspecção
termográfica do barramento principal apenas pode ser
executada utilizando o sistema de monitorização térmico
contínuo.
Os cabos de alimentação podem ser supervisionados com
ambas as soluções. Em relação ao nível duplo UniGear ZS1, Figura 70: Exemplo de sensor termográfico em UniGear ZS1 de nível único

podemos apontar que devido às restrições de design do


comutador, tanto o barramento principal como a inspecção
termográfica dos cabos de alimentação apenas podem ser
executados utilizando o sistema de monitorização térmico
contínuo.

77
3 Aplicações marítimas
Unidades típicas

Para as unidades típicas usadas em aplicações marítimas Características adicionais de medição e


consulte a página 58 para UniGear ZS1 de nível único e a
página 86/87 para UniGear ZS1 de nível duplo. As unidades
unidades ascendentes
exigidas, que não fazem parte do design padrão, são Sem escolha, as unidades M e R devem ser equipadas com
descritas abaixo. transformadores de tensão fixos, em vez de TT amovíveis com
fusíveis. Nesta configuração, o "compartimento do aparelho",
onde é colocado o dispositivo TT, será utilizado como um
Unidades de transformador terra compartimento auxiliar adicional. É completamente segregado
Do ponto de vista eléctrico, as centrais marítimas são dos compartimentos de energia com partições metálicas e
baseadas em redes isoladas (ponto neutro isolado). concebido como um compartimento de baixa tensão em relação
As consequências principais são as seguintes: a regras de segurança.
• a rede pode ser operada com falha de terra monofásica; O interior da traseira e das paredes do compartimento é
• a detecção de falha de terra é muito difícil, devido à muito equipado com uma placa de grelha para fixação do
baixa corrente de falha de terra.
equipamento auxiliar.
Será equipado com uma conduta relevante do lado esquerdo
De forma a aumentá-la e permitindo assim o desbloqueio
para entrada de cablagem da parte inferior e saída para o
para operar nas falhas de terra monofásicas, podem ser
compartimento de baixa tensão com montagem superior.
utilizadas duas soluções:
• ligação de espirais secundárias do gerador à terra por meio
de uma resistência;
• instalando um transformador terra na rede.

Por esta razão, a gama UniGear ZS1 deve ser optimizada


com duas unidades típicas adicionais:
• ME: Unidade de contagem de barramento com alimentação
de transformador terra;
• RE: Ascendente com alimentação de transformador terra.
No caso do comutador com uma secção de barramento
única, o ME pode ser utilizado para este propósito, no caso
do comutador equipado com duas secções de barramento,
ambas as unidades ME e RE devem ser usadas de forma a
cobrir todos os esquemas.

78
ME – Contagem com transformador terra RE – Ascendente Bus com contagem e
transformador terra

79
3 Aplicações marítimas
Dados técnicos

7,2 - 12 kV - … 31,5 kA
Largura da unidade (mm) 650
Profundidade da unidade (mm) 1650
Corrente atribuída (A) 630 1250 1600 2000 2500
IF Alimentador duplex entrada/saída (1) (3)
IFM Alimentador duplex entrada/saída com medições (1) (3)

Largura da unidade (mm) 650


Profundidade da unidade (mm) 1340
Corrente atribuída (A) 630 1250 1600 2000 2500
IF Alimentador de entrada/saída (2) (3)
BT Barramento
R Ascendente
RE Ascendente com transformador terra
RM Ascendente com medições
M Medição
ME Medição com transformador terra

(1) Entrada superior e inferior do cabo


(2) Entrada inferior do cabo
(3) Até 50 kA com contactor de vácuo

80
7,2 - 12 kV - ... 40-50 kA
Largura da unidade (mm) 650 1000
Profundidade da unidade (mm) 1650 1700 1650 1700
Corrente atribuída (A) 400 1250 1600 2000 2500 3150 4000 630 1250 1600 2000 2500 3150 4000
IF Alimentador de entrada/saída (1) (3)
IFM Entrada/saída com medições ( ) 1
(3)

Largura da unidade (mm) 650 1000


Profundidade da unidade (mm) 1340 1390 1340 1390
Corrente atribuída (A) 400 1250 1600 2000 2500 3150 4000 630 1250 1600 2000 2500 3150 4000
IF Alimentador de entrada/saída (2) (3)
BT Barramento
R Ascendente
RE Ascendente com transformador terra
RM Ascendente com medições
M Medição
ME Medição com transformador terra
(1) Entrada superior e inferior do cabo
(2) Entrada inferior do cabo
(3) Até 50 kA com contactor de vácuo

81
3 Aplicações marítimas
UniGear ZS1 Nível Duplo
Descrição

O UniGear ZS1 também está disponível como sistema de para unidades de nível único, com possibilidade de extensão
barramento único na configuração de nível duplo. Cada painel em ambos os lados do comutador.
consiste em duas unidades sobrepostas completamente
independentes e tem funcionalidade idêntica para as duas
unidades de nível único, colocadas lado a lado.

Graças às numerosas unidades padrão disponíveis, o


comutador pode ser configurado adequadamente para satisfazer
todas os requisitos de instalação. Cada unidade pode ser
equipada com disjuntores ou contactores, bem como com todos
os acessórios disponíveis para unidades de nível único UniGear
ZS1.
Todos os componentes significantes são idênticos aos usados
para as unidades de nível único e, portanto são garantidos os
mesmos procedimentos de manutenção e serviços.
O comutador de nível duplo UniGear ZS1 é distinguido
principalmente pela sua utilização eficiente de espaço. Todas as
configurações permitem uma redução drástica no espaço
ocupado, com especial atenção com a largura do comutador
(menos 30…40% nas configurações típicas).
A sua utilização é recomendada nas instalações com um
elevado número de alimentadores, equipados com disjuntores
ou contactores.
Pode ser utilizado como centro de controlo motor para
aplicações até 12 KV.
O comutador requer acesso da parte traseira para os
Todas as características eléctricas das unidades de nível único procedimentos de manutenção e instalação, enquanto todas as
e duplo são idênticas. operações de serviço são efectuadas da parte frontal.
A corrente atribuída geral do sistema de barramento é O comutador nível duplo UniGear ZS1 pode ser utilizado em
fornecida pela soma das correntes dos dois meios- duas configurações típicas:
barramentos, superior e inferior. • Completa com nível duplo.
As unidades de nível duplo podem ser acopladas directamente • Composta com nível duplo e simples.

Figura 71: Exemplo de configuração completa de Nível duplo UniGear ZS1


82
A solução completa apenas utiliza painéis de nível duplo para máxima nas dimensões instaladas e pode ser utilizada para
libertar todas as unidades padrão: alimentadores de entrada, correntes atribuídas relativamente limitadas (1600 A corrente
barramento, ascendente, medição de barramentos e unidades máxima dos alimentadores de entrada). Normalmente, é
de saída. utilizado para construir o comutador de distribuição local, com
Em contrapartida, a solução composta, utiliza ambas as um número limite de alimentadores de saída.
soluções, de nível simples e duplo: a primeira para O campo da aplicação da solução composta destina-se ao
alimentadores de entrada, barramento e compartimentos comutador de distribuição principal com correntes atribuídas
ascendentes, a segunda para as medições de barramentos e elevadas (3150 A corrente máxima dos alimentadores de
unidades de saída. entrada) e numerosos alimentadores de saída.
A solução de nível duplo completa permite atingir a redução

Características eléctricas IEC


Tensão atribuída kV 7,2 12 17,5
Tensão atribuída de isolamento kV 7,2 12 17,5
Tensão atribuída admissível à frequência de potência kV 1 min 20 28 38
Tensão atribuída admissível a impulso de iluminação kV 60 75 95
Frequência atribuída Hz 50 / 60 50 / 60 50 / 60
Corrente de curta duração admissível atribuída kA 3 s ...50 ...50 ...40
Corrente de pico kA ...125 ...125 ...105
kA 1 s ...40 ...40 ...40
Corrente admissível de arco interno
kA 0,5 s ...50 ...50 -
Corrente atribuída do barramento principal A ...1600 ...1600 ...1600
630 630 630
1000 1000 1000
Corrente atribuída do disjuntor
1250 1250 1250
1600 1600 1600
1) A versão GB/DL está disponível com um pedido especial no que respeita às características dieléctricas (42 kV) e corrente de curta duração admissível (4 s).
2) Os valores indicados são válidos para os disjuntores SF6 e a vácuo.
3) Para o painel com contactor o valor de corrente atribuída é 400 A.

Figura 72: Exemplo de configuração de nível duplo e único UniGear ZS1

83
3 Aplicações marítimas
UniGear ZS1 Nível Duplo
Características
conduta indicada, colocada lateralmente no comutador [e].
Compartimentos Cada compartimento do painel do comutador colocado no 1º
Cada painel consiste em duas unidades sobrepostas (1.º e 2.º nível está equipado com uma aba posicionada do lado do
níveis) e cada unidade é, como tal, constituída por três comutador. A pressão gerada pelas falhas fá-lo abrir,
compartimentos de energia independentes: aparelhos (A), permitindo que o gás passe para a conduta. Esta solução
barramento (B), e cabo (C), (consulte a página 89). significa que as unidades colocadas no 2º nível não são
Há segregação metálica entre todos os compartimentos. Na afectadas por esta falha.
sua parte intermédia, o painel está equipado com um Os compartimentos dos aparelhos estão acessíveis da parte
compartimento para receber instrumentos auxiliares de ambas frontal. O fecho da porta destes compartimentos está disponível
as unidades (D). Esta solução significa qua a interface do em duas versões, com parafusos ou alavanca central. A
aparelho com o utilizador está na altura conveniente. Na parte remoção do aparelho do comutador (disjuntores, contactores e
superior do painel, está disponível um compartimento dispositivo de medição) colocado nos dois níveis e dos
adicional para incorporar qualquer instrumento adicional respectivos compartimentos ocorre por meio de um único
fornecido [d]. empilhador específico. Este dispositivo também pode ser
O comutador à prova de arco é normalmente equipado utilizado para os mesmos procedimentos das unidades de nível
com uma conduta para evacuação dos gases produzidos único.
por um arco [E]. Os compartimentos do cabo e barramento estão acessíveis a
Cada compartimento da unidade colocado no 2º nível está partir da traseira do comutador por meio de painéis removíveis.
equipado com uma aba na superfície superior. A pressão Todas as operações de serviço normais são efectuadas a partir
gerada pelas falhas fá-lo abrir, permitindo que o gás passe da frente, enquanto que as operações de arranque e
para a conduta. Os gases produzidos por falhas geradas nos manutenção também necessitam acesso a partir da traseira do
compartimentos de energia da unidade colocada no 1º nível comutador.
são evacuados, no sentido da conduta principal, por meio da

2
3

2.° Nível 4

1.° Nível 4

2
3

1 Porta do compartimento do aparelho


2 Operação de introdução/extracção do aparelho
3 Operação do seccionador de ligação à terra
4 Compartimento BT (baixa tensão)
5 Compartimento BT adicional

84
As características do sistema de barramento, ligações de As unidades de barramento podem ser equipadas com
derivação, barramento de ligação à terra, seccionador de transformadores de corrente no lado da carga do disjuntor para
ligação à terra, obturadores e casquilhos isolantes são as medição de barramento. A instalação dos transformadores de
mesmas que as das unidades de nível único. corrente no lado de fornecimento também permite libertar os
Podem ser utilizados um máximo de seis cabos eléctricos esquemas de protecção individual. O compartimento ascendente
simples ou triplos por fase, dependendo da tensão atribuída, também está disponível na versão com dispositivo de
das dimensões do painel do comutador e da secção cruzada instrumento amovível com transformadores de tensão com
dos cabos. fusíveis (RM).
A configuração mista com nível duplo e único requer ligação
Configurações entre as duas secções do comutador através da unidade de
ligação. Esta unidade realiza todas as ligações entre os dois
Os painéis de comutador típicos disponíveis permitem as
tipos de comutador (barramentos, barramento de ligação à terra,
configurações mais adequadas para os requisitos de instalação.
conduta de exaustão de gás, condutas para ligação de circuitos
O painel alimentador de entrada e saída [IF] é amplamente o
auxiliares) e podem integrar o seccionador de ligação à terra dos
mais utilizado: os dois níveis de comutador consistem em
barramentos [J] e também o dispositivo de instrumento amovível
unidades deste tipo e podem ser utilizados como
com transformadores de tensão com fusíveis[JM]. Estas
alimentadores de entrada e saída.
unidades são posicionadas no 2.º nível, enquanto as unidades
O barramento [BT] e as unidades [R]ascendentes são
de alimentação de entrada e saída são incluídas no primeiro
utilizadas para preparar a configuração do comutador
nível.
de nível duplo completa.
Estas unidades são posicionadas no 2.º nível, enquanto as
unidades de alimentação de entrada e saída são incluídas no
1.º nível.

Figura 73: Configuração mista de nível duplo e único UniGear ZS1

85
3 Aplicações marítimas
UniGear ZS1 Nível Duplo

IF BT R
Alimentador de entrada/saída Barramento Ascendente
2.° Nível
1.° Nível

IF IF IF
Alimentador de entrada/saída Alimentador de entrada/saída Alimentador de entrada/saída

86
RM J JM
Ascendente com medições Unidade de ligação Unidade de ligação com

Amovível
Amovível

IF IF IF
Alimentador de entrada/saída Alimentador de entrada/saída Alimentador de entrada/saída

Chave para os componentes Componentes padrão Acessórios Soluções alternativas Componentes padrão

87
3 Aplicações marítimas
UniGear ZS1 Nível Duplo
Dados técnicos
… 12 kV - … 50 kA
Profundidade (mm) 1976
Altura (mm) 2700 <1>
Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 2700 <1>
Largura (mm) 750 750 900 900
Corrente de curta duração atribuída (kA) ... 31,5 ... 31,5 ... 50 ... 50
Corrente atribuída (A) 630 1000 1250 1600
2.ş IF Entrada/saída (2)

1.ş IF Entrada/saída (2)

2.ş BT Barramento
1.ş IF Entrada/saída

2.ş R Ascendente
1.ş IF Entrada/saída

2.ş RM Ascendente com medições


1.ş IF Entrada/saída

2.ş J Ligação 1250 A


1.ş IF Entrada/saída (2)

2.ş JM Ligação com medições 1250 A


1.ş IF Entrada/saída (2)

…. 17,5 kV - … 40 kA
Profundidade (mm) 1976
Altura (mm) 2700 (1)
Altura com conduta de exaustão de gás (mm) 2700 (1)
Largura (mm) 750 750 900 900
Corrente de curta duração atribuída (kA) ... 31,5 ... 31,5 ... 40 ... 40
Corrente atribuída (A) 630 1000 1250 1600
2.ş IF Entrada/saída
1.ş IF Entrada/saída

2.ş BT Barramento
1.ş IF Entrada/saída

2.ş R Ascendente
1.ş IF Entrada/saída

2.ş RM Ascendente com medições


1.ş IF Entrada/saída

2.ş J Ligação 1250 A


1.ş IF Entrada/saída

2.ş JM Ligação com medições 1250 A


1.ş IF Entrada/saída

(1) A altura do comutador na configuração mista com nível duplo e único é a mesma que a da unidade de nível duplo
(2) Para as características destas unidades equipadas com contactor, consulte a página 24.

88
Altura
Largura Profundidade

Compartimentos da unidade
A Compartimento do aparelho
B Compartimento do barramento
C Compartimento de cabos
D Compartimento de baixa tensão
E Canal de conduta de gás

89
Notas

90
91
Contacte-nos

1VCP000138 - Rev. F, pt - Catálogo técnico - 2013.12 - (UniGear ZS1) (gs)


O seu contacto para vendas: www.abb.com/contacts
Mais informação sobre produtos: www.abb.com/productguide

Os dados e as ilustrações não têm carácter vinculativo. Reservamo-nos o


direito de efectuar alterações sem aviso prévio no decorrer do
desenvolvimento técnico do produto.

© Copyright 2013 ABB.


Todos os direitos reservados.