Você está na página 1de 13

Introdução

Nos dias de hoje se tem verificado um mundo amplamente desenvolvido graças aos
equipamentos electrónicos que dia a pos dia tem colocado o universo numa completa automação.
Por parte, um dos equipamentos mais impulsionadores de tal revolução são os rectificadores.
Sem eles não seria possível usar os equipamentos electrónicos, pois eles agem sobre a base da
corrente contínua. Nesta ordem de ideia, o presente trabalho destina-se a fazer a abordagem
relacionada com os rectificadores de meia onda e os rectificadores de onda completa de modo a
trazer de modo detalhado o seu funcionamento e a analise dos seus comportamentos.
Rectificadores
A energia elétrica, hoje disponível em grande quantidade graças às extensas redes de
distribuição, apresenta-se sob a forma de Corrente Alternada Senoidal, em geral de 220V ou
110V (valores eficazes) e freqüência de 50 ou 60 Hz. Esta pode ser utilizada diretamente para
acionamento de motores, aquecimento resistivo e iluminação. Outras aplicações requerem
corrente contínua como, por exemplo, os processos eletrolíticos industriais, o acionamento de
motores de alto conjugado de partida (utilizados em tração elétrica e controles industriais),
carregadores de bateria e a alimentação de praticamente todos os circuitos eletrônicos.
A obtenção de corrente contínua, a partir da corrente alternada disponível, é indispensável nos
equipamentos eletrônicos. Estes, invariavelmente, possuem um ou mais circuitos chamados
Fontes de Alimentação ou Fontes de Tensão, destinados a fornecer as polarizações necessárias
ao funcionamento dos dispositivos eletrônicos. Aos circuitos ou sistemas destinados a
transformar corrente alternada em contínua damos o nome genérico de Conversores C.A. - C.C.

Para obtenção de corrente contínua em escala industrial (acima de dezenas de quilowatts),


utilizam-se conversores constituídos de grupos motor-gerador em que o motor de corrente
alternada é acionado pela rede e move um gerador de corrente contínua, como mostrado na
figura abaixo.

Fig.1

Para obtenção de corrente contínua em pequena escala, como na alimentação de equipamentos


eletrônicos a conversão se faz por meio dos circuitos retificadores, que em muitos casos
começam a substituir os conversores eletromecânicos (motor-gerador) até para elevadas
potências, devido ao alto rendimento que apresentam, assim sendo os circuitos rectificadores
quanto ao número de fases são divididos em dois grandes grupos :
Classificação dos rectificadores quanto ao número de fase
 Rectificadores monofásicos - que são utilizados em aparelhos electrónicos;
 Rectificadores polifásicos - para uso em circuitos industriais de alta potência.

Dentro destes dois grupos, encontra-se dois tipos diversos tipos de circuitos rectificadores,
entretanto, dessas divisões, serão destacar os rectificadores de meia onda e os de onda completa.

Rectificadores monofásicos

Rectificador de meia onda

Teoricamente o retificador monofásico de meia onda é o mais simples das estruturas empregadas
em eletrônica de potência. Ele é comumente utilizado para fazer alimentação da armadura de
pequenos motores de corrente contínua, alimentação de enrolamentos de excitação de máquinas
elétricas, carregamento de baterias e alimentação de circuitos eletrônicos. Como ilustrado na
figura abaixo.

Fig. 2

As formas de ondas resultantes do circuito apresentado na figura 2 estão demonstradas na Figura


3.
Fig.3

Funcionamento do circuito
Para o ponto A positivo em relação ao ponto B o diodo está polarizado diretamente e conduz .
Com isto, a corrente circula de A até B passando pelo diodo e RL.

Para A negativo em relação a B, o diodo está polarizado inversamente e não conduz. Tem-se
corrente em RL, somente, nos semiciclos positivos de entrada. Os semiciclos positivos passam
para a saída e os semiciclos negativos ficam no diodo. A freqüência de ondulação na saída é
igual à freqüência de entrada. O retificador de meia onda tem baixa eficiência.

VCC = VP / pi ou VCC = 0,45 . Vef


Formas de onda considerando um diodo ideal VCC é o valor médio da tensão contínua em RL.

VP - é o valor de pico da tensão sendo.

Vef - é o valor eficaz ou rms da tensão alternada no secundário do transformador.

IL = VCC / RLe ID = IL
IP = VP / RL sendo IP o valor de pico da corrente
IL é o valor médio da corrente em RL e ID é o valor médio da corrente no diodo.

Tensão eficaz em RL = VP / 2 mas a tensão eficaz na entrada é PIV = -- VP sendo PIV o pico
inverso de tensão no diodo. O diodo deve suportar uma tensão inversa maior do que PIV e uma
corrente directa maior que ID.

Invertendo o diodo, a tensão de saída será negativa.

O diodo conduz, somente, durante os semiciclos negativos. Os semiciclos positivos ficam no


diodo.
Filtro a capacitor para retificador de meia onda.

No semiciclo positivo o diodo conduz e carrega o capacitor com o valor de pico (VP) da tensão.
Assim que a tensão de entrada cair a zero, o diodo pára de conduzir e o capacitor mantém-se
carregado e descarrega lentamente em RL.

Quando a tensão de entrada fica negativa (semiciclo negativo) o diodo não conduz e o capacitor
continua descarregando lentamente em RL. O capacitor recarrega 60 vezes por segundo. O
capacitor carrega de Vmin até VP e neste intervalo de tempo () o diodo conduz. O capacitor
descarregará de VP até Vmin e neste intervalo o diodo não conduzirá. A Forma de onda na saída
está mostrada abaixo.

O voltímetro de tensão contínua indica o valor médio da tensão medida.


Aumentando o capacitor, a tensão de ondulação (Vond) diminui e VCC aumenta. Aumentando a
corrente IL, a tensão de ondulação (Vond) aumenta e VCC diminui.

Se Vond tende a zero, a tensão de saída tende ao valor de pico. VCC = VP para Vond = 0V.
Desligando RL, IL será 0A, o capacitor não descarregará e tem-se Vond = 0V .

Para manter Vond com um valor baixo, ao aumentar IL, deve-se aumentar o valor do capacitor.
O retificador de meia onda com filtro a capacitor é inadequado para alimentar circuitos que
exigem um valor alto de corrente, pois além de utilizar um valor muito alto para o capacitor, o
diodo fica sobrecarregado ao conduzir toda a corrente do circuito alimentado.

O pico inverso de tensão no diodo é o dobro da tensão de pico. PIV = --2VP O capacitor aumenta
a tensão inversa no diodo devido a que o mesmo permanece carregado quando o diodo não
estiver conduzindo.
Rectificador de onda completa utilizando transformador com derivação central.

Funcionamento do circuito.
Este circuito é também denominado de retificador de onda completa convencional. Há uma
defasagem de 180º entre as tensões de saída do transformador, VA e VB. As tensões VA e VB
são medidas em relação ao ponto C (0V). Quando A for positivo, B será negativo, a corrente sai
de A passa por D1 e RL e chega ao ponto C. Quando A for negativo, B será positivo, a corrente
sai de B passa por D2 e RL e chega ao ponto C. Para qualquer polaridade de A ou de B a
corrente IL circula num único sentido em RL e por isto, a corrente em RL é contínua. Somente
os semiciclos positivos de A e de B passam para a saída. A freqüência de ondulação na saída é o
dobro da freqüência de entrada.

Formas de onda considerando diodo ideal


VCC = 2.VP / pi ou VCC = 0,9.Vef VCC é o valor médio da tensão contínua em RL. VP é o
valor de pico da tensão . Vef é o valor eficaz da tensão de entrada (Vef = VAB / 2)

IL = VCC / RLe ID = IL / 2.
IP = VP / RL onde IP é o valor de pico da corrente
IL é o valor médio da corrente em RL e ID é o valor médio da corrente nos diodos. Tensão eficaz
de saída =Tensão eficaz de entrada = VP / O PIV nos diodos é o pico negativo da tensão VAB.

Invertendo os dois diodos, a tensão de saída será negativa. Os diodos D1 e D2 conduzem os


semiciclos negativos de A e de B para a saída.

Se inverter somente um dos diodos tem-se uma sobrecarga que poderá danificar os diodos e o
transformador.

Filtro a capacitor para rectificador de onda completa


Funcionamento
A filtragem para o retificador de onda completa é mais eficiente do que para o retificador de
meia onda. Em onda completa o capacitor será recarregado 120 vezes por segundo. O capacitor
descarrega durante um tempo menor e com isto a sua tensão permanece próxima de VP até que
seja novamente recarregado. Quando a carga RL solicita uma alta corrente é necessário que o
retificador seja de onda completa.

As equações para onda completa são as mesmas utilizadas para meia onda, no entanto, a
freqüência de ondulação para onda completa é de 120 Hz.

VCC = VP – Vond / 2
VCC é o valor médio da tensão contínua na saída.

VP é o valor de pico da tensão no capacitor (desconsiderou-se a queda de tensão nos diodos).


Vef é o valor eficaz ou rms da tensão alternada na saída do transformador (VAB)

Vond = IL / ( f . C) sendo f = 120 Hz para onda completa

Vond é a tensão de ondulação ou de ripple na saída e quanto menor for Vond mais próxima de
uma tensão contínua pura será a tensão de saída. IL é a corrente em RL f é a freqüência de
ondulação na saída e é igual a 120 Hz para onda completa. C é o valor do capacitor em FARADS
( 20 µF = 20 . 10--6 F)

Se Vond tende a zero, a tensão de saída tende ao valor de pico. VCC = VP para Vond = 0V .
Sem RL, a corrente IL será 0A, o capacitor não descarregará e tem-se Vond = 0V.
Conclusão
Chegado ao fim do presente trabalho chego a conclusão de que os rectificadores de meia onda e
os rectificadores de onda completa são de extrema importância no mundo electrónico, eles tem o
forte potencial de fazer a conversão de de corrente continua para corrente alternada, sendo que os
mesmos quando associados a filtros podem fornecer nos seus terminais uma corrente muito mais
linear para o maior rendimento dos equipamentos electrónicos.
Referencias Bibliográficas
 http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAmFwAH/retificadores-monofasicos-meia-
onda-onda-completa-a-diodos?part=2
 http://www.ebah.com.br/content/ABAAABUwQAJ/circuitos-retificadores
 https://search.yahoo.com/search?ei=utf-
8&fr=tightropetb&p=rectificadores+de+meia+onda+pdf&type=71239_052317
Índice
Introdução ....................................................................................................................................... 1

Rectificadores ................................................................................................................................. 2

Classificação dos rectificadores quanto ao número de fase ............................................................ 3

Funcionamento do circuito ............................................................................................................. 4

Filtro a capacitor para retificador de meia onda. ............................................................................ 6

Rectificador de onda completa utilizando transformador com derivação central. .......................... 8

Funcionamento do circuito. ............................................................................................................ 8

Filtro a capacitor para rectificador de onda completa ..................................................................... 9

Funcionamento .............................................................................................................................. 10

Conclusão...................................................................................................................................... 11

Referencias Bibliográficas ............................................................................................................ 12