Você está na página 1de 33

Alimentação viva o que é?

Com beleza e sabor!

Com a visão ampliada daquilo que nos mantém, a “Alimentação Viva” é aquela que
valoriza a VITALIDADE de todos os “alimentos”, sejam eles vindos dos elementos da
natureza ou do estilo de vida como fontes de energia (de organização da bioeletricidade
corporal, como prefere Cousens G.). A vitalidade é a expressão da “Energia Vital” que
está contida em todos os seres. O alimento proveniente da terra com maior vitalidade é
o vegetal no início de seu crescimento e, por isso, as sementes germinadas e brotos
constituem as bases da Culinária Viva.
Os alimentos baseados na vitalidade foram classificados por Edmond Székeli, como:
Biogênicos (que geram a vida): sementes germinadas e brotos.
Bioativos (ativam a vida, por ainda manterem a vitalidade): frutas, legumes, verduras
frescas e cruas.
Bioestáticos (mantém a vida): alimentos cozidos, congelados e refinados.
Biocídicos (consomem a vida): alimentos com produtos químicos ou radiações,
conservantes e aromatizantes.
As informações básicas e fundamentais sobre a Alimentação Viva são encontradas nos
trabalhos da Dra Ann Wigmore, que escreveu vários livros sobre o assunto na década
de 80 na Califórnia – EUA. Embora o conhecimento sobre os benefícios remonte à
Hipócrates (Dieta Hipocrática), a autora tem o mérito de organizar e popularizar o
conhecimento que hoje se constitui num movimento ecológico baseado no “Estilo de
Vida da Alimentação Viva”.
O programa culinário proposto por Ann Wigmore se baseia no consumo de sementes
em processo de germinação e de brotação, acompanhado de verduras, legumes e frutas
cruas, in natura, além dos alimentos fermentados e desidratados. Segundo ela, as
sementes quando germinadas produzem grande quantidades de enzimas digestivas que
facilitam o processo digestivo de todos os alimentos, além de potencializarem a energia
vital em seu interior. Também os Sucos e os Alimentos Fermentados são fontes de
enzimas digestivas e carregados de energia vital.
A culinária viva é então, um conjunto de alimentos elaborados de forma que facilitem a
digestão, sem processamento pelo fogo e pelo resfriamento.
A Alimentação Viva considera o ato de comer como uma forma de cuidar do corpo e
também um ato social. Isso difere dos hábitos culturais, que são primeiramente atos
sociais, orientados pelo prazer, isto é, condicionamentos influenciados pelo ambiente
em torno, pela forma como foram introduzidos, carregados de afetos, situações
econômicas, facilidade de acesso etc. Por isso, a Alimentação Viva tem sido chamada

1
também de “Alimentação Consciente”.
Acompanha essa dieta o entendimento da saúde como um estado de harmonia com o
meio ambiente e propõe-se a “desintoxicação” através de alimentos e outros
procedimentos como práticas de Higiene Natural como busca desta vitalização.
No Rio de Janeiro, os trabalhos sobre Alimentação Viva foram sendo adaptados
inicialmente pela professora Ana Branco – Dep. de artes e design da PUC - Rio, que tem
o mérito de associar a arte com a saúde, através do laboratório de pesquisas do Biochip
e ampliado posteriormente pelo grupo Terrapia, constituindo uma parceria para
fortalecer o caminho da Promoção da Saúde no Centro de Saúde Escola Germano Sinval
Faria (CSE) da Escola Nacional de Saúde Pública-FIOCRUZ.
No Brasil, além da diferença climática, cultural e social, contamos com uma imensa
variedade de alimentos, o que exigiu de nós a releitura dos trabalhos de Ann Wigmore e
outros, gerando uma culinária viva brasileira. Assim podemos hoje afirmar que no Rio
de Janeiro nós temos um jeito próprio de criar receitas vivas.
OBS: Higiene Natural ou Higiene Vital é o nome dado a uma corrente de pensamento
relacionada à saúde e à vida. Higiene é uma palavra que tem origem em Higéia ou
Higiéia, a deusa grega que velava pela saúde de todos.

Para além da Alimentação Viva

Podemos aumentar nossa “energia vital” através do contato com o ambiente e os


elementos da natureza. Quanto melhor a qualidade do nosso habitat, melhor a captação
de energia. Essa é a razão fundamental para que todos nós estejamos empenhados na
preservação do AR que respiramos, da ÁGUA que consumimos, do solo de onde vem a
comida e dos raios solares (FOGO principal) que recebemos. Essa preservação é
determinada por nossos hábitos diários de consumo, seja vivendo na zona urbana ou
rural.
Assim, além da escolha alimentar, inclui-se neste estilo de vida a reflexão sobre a ética
do consumo e os impactos ambientais em cada ação cotidiana, desde o momento que
acordamos pela manhã! Como observadores atentos, passamos a viver a vida baseada
em cuidados, o “estar-no-mundo-com-os-outros”, como diz L. Boff. Assim acontece
também com o cuidado diário com o nosso corpo, nossa expressão, onde procuramos
escutar a natureza em seu interior e ser o nosso próprio médico, recuperando antigos e
profundos conhecimentos de uma espécie que vive há milênios neste planeta!
Contrariando a tecnociência, a escuta e as indicações da intuição ganham importância
neste caminho, reforçando um modo de conhecer comum à espécie.

2
Brotos de Alfafa

Brotos de Alfafa NOME: ALFAFA: (Medicago sativa L.)

(Inglês: Lucerne ou Alfafa)

FAMILIA: Leguminosae – Papilonoideae

ORIGEM: Originária da Rússia, ao chegar aos países árabes ficou conhecida entre os
criadores de cavalos, porque os animais ganhavam vitalidade em contato com a planta.

HISTÓRIA: Vem sendo cultivada há 2500 anos, chegou a Europa através da Espanha.
Por ser extremamente resistente ao frio e pela criação de espécies híbridas, pode ser
cultivada em todos os climas e em quase todas as regiões agrícolas do planeta.
Considerada a "rainha das forrageiras" por seu elevado valor nutritivo (quatro vezes
mais proteínas do que o milho), vem sendo plantada principalmente para a produção de
feno. A planta vive em torno de 6 a 8 anos e se tornou conhecida como alimento
humano muito tempo depois de ser cultivado para animais. Hoje é um dos brotos mais
conhecidos, apreciados e estudados, especialmente valorizado pela sua capacidade de
reter a clorofila!

CURIOSIDADES: Na língua inglesa, francesa, alemã, italiana e mesmo no português a


Alfafa é chamada de Luzerna (Lucerne) que significa “Grande luz ou Clarão”! No árabe é
chamada de “Alfacha-facha” de onde se origina o nome Alfafa.

Os brotos de Alfafa, assim como todos os outros brotos nos convidam para um
alinhamento entre o céu e a terra. As forças do céu chamam o caule e folhas e as da
terra chamam as raízes! Sempre penso nisso quando como os brotos pois eles podem
também nos auxiliar nesse alinhamento!!!

COMPRAS: As sementes que adquirimos para germinação caseira geralmente são


importadas da Austrália. Algumas casas especializadas em sementes vendem, mas o
mais certo é adquirir direto com o importador.

GERMINAÇÃO: Importante observar que estas minúsculas sementes (menor que a da


mostarda) são especialmente indicadas para a produção de brotos. Evita-se o consumo

3
como sementes germinadas por ter alto teor de substancias tóxicas (antinutrientes) no
inicio de seu processo de crescimento.

Podem ser cultivados no ar ou na terra.

Colocam-se poucas sementes num vidro (1 colher de sopa em um vidro de 1 quilo),


para que tenham espaço para crescer , ficar arejada , facilitar a limpeza e lavagem.
Precisam de muita água para o crescimento. Não podem ser “esquecidas” senão as
pequenas raízes secam com facilidade! Ideal lavar de 2 a 4 vezes ao dia, com jatos de
água suave! Ficam prontas para consumo entre 4 e 5 dias, numa temperatura amena.
Por isso, no verão, é difícil de cultivar no Rio de Janeiro.

DICAS DE PREPARO: Os brotos de Alfafa são de paladar muito suave e por isso é de
fácil aceitação ótimo para a transição alimentar e para crianças.

Salada com brotos

1 xícara de brotos de Alfafa (previamente lavados e retirados as casquinhas)

½ abacate cortado em cubos

1 tomate

8 folhas de alface (ou rúcula) rasgadas

Pimenta fresca a gosto

Shoyu, limão, azeite

Amêndoas germinadas

Amendoa germinada

NOME: AMÊNDOA (Amygdalus Communis L. ou Prunus dulcis) (Inglês: Almond )

FAMILIA: Rosaceas

ORIGEM: Originária da Ásia, a forma selvagem foi domesticada na região do


Mediterrâneo, África e Mesopotâmia vêm sendo cultivadas há 3500 anos.

HISTÓRIA: Acredita-se que a amendoeira foi uma das primeiras árvores frutíferas a
serem domesticadas pela possibilidade de ser reproduzida a partir de suas sementes,
facilmente. Mesmo porque, esta planta não se propaga facilmente, não fosse pela

4
domesticação. . São chamadas de frutas do inverno na Europa. Existem duas espécies
de plantas sendo cultivadas: de flores brancas, produzem as amêndoas doces e as de
flores cor de rosa com sementes amargas, semelhante as selvagens, usadas então para
a extração do óleo. No Brasil é mais encontrada nos estados do sul.

CURIOSIDADES: O nome deriva da forma ovalada como uma amigdala (grego) Um


exemplo arqueológico bem conhecido é a semente de amêndoa encontrada no túmulo
de Tutankamon, no Egito em 1350 aC. As árvores foram mencionadas várias vezes na
bíblia como uma das melhores frutas. Os galhos da árvore também serviram de símbolo
do nascimento do Menino Jesus, no cristianismo.

Chamada de “hazel”, que significa Luz, em alguns idiomas, a amêndoa no antigo Israel,
foi o símbolo de cautela e promessa devido a sua floração precoce, simbolizando a
súbita e rápida salvação do povo, após o inverno rigoroso. Em hebreu o nome da
semente significa “vigilante”. Sua floração coincide com a festa da árvore entre os
judeus. Na Índia é conhecida como alimento bom para o cérebro e na China como
símbolo de resistência a tristeza e também da beleza feminina. Na cultura asiática
foram associados grandes benefícios medicinais.

COMPRAS: No comércio em geral encontramos as importadas do Chile o ano todo. No


entanto estarão mais frescas e, portanto melhor para consumo, no final e início do ano.

GERMINAÇÃO: As sementes descascadas (só com a pele) germinam dentro da água e


podemos ver o pólo germinativo branquinho saindo através da pele dourada em 48
horas. Já com a casca dura, o tempo será maior, 72 horas no mínimo.

DICAS DE PREPARO: As receitas feitas com amêndoas são sempre deliciosas, sejam
doces ou salgadas!

CREME DE AMÊNDOAS COM LIMÃO 2 xícaras de amêndoas germinadas 1 limão (caldo e


casca sem sementes) 2 colheres de mel Processe no liquidificador e acompanhe com
salada de frutas picadas. Excelente!

Brotos de Feijão Moyashi

Feijão moyashi

NOME: FEIJÃO MOYASHI ou MUNGO (Vigna radiata, Phaseolus aureus ou Phaseolus


radiatus)

(Inglês: mung bean)

FAMILIA: Fabaceae

5
ORIGEM: O Feijão Moyashi ou feijão mungo é originário da China e principalmente
cultivado em Bangladesh.

HISTÓRIA: Trata-se de uma planta tropical, gosta de temperaturas altas (30 a 35º C) e
foi trazido pelos chineses para o ocidente. Hoje é bastante popular, sendo o broto
comestível mais conhecido no Brasil. No Rio Grande do Sul e Minas Gerais vem sendo
cultivado biologicamente e começa a aparecer nas feiras livres das cidades.

CURIOSIDADES: A colheita é bianual (novembro e março), o que facilita encontrar a


semente fresca e com bom índice de germinação o ano todo.

COMPRAS: As sementes ainda são difíceis de encontrar no comercio em geral. Você


pode encontrar em algumas lojas especializadas em sementes, no comercio de
alimentação oriental ou lojas de produtos naturais. No entanto o broto cultivado está
em quase todos os supermercados nas grandes cidades. GERMINAÇÃO: Como a maioria
dos feijões, no inicio de seu desenvolvimento possuem substâncias tóxicas que
impedem o seu consumo germinadas. Porém um pouco mais desenvolvidas, sob a
forma de brotos, podem ser consumidos crus.

Os brotos de produção doméstica passam por um processo especial para que os talos
possam se desenvolver, sem ficarem fibrosos. Estas sementes gostam de muita água e
lugar escuro para produzir um broto claro e tenro. Colocamos as sementes na água por
8 horas. Depois lavamos bem e deixamos numa vasilha escura com um peso sobre elas.
Por exemplo: um vidro com água (peso) em cima das sementes!

Depois lavamos 3 vezes ao dia pelo menos. Mantemos as sementes prensadas nos 3
primeiros dias. No 4º dia retire o peso e termine o processo como todas as sementes
cultivadas no Ar, com filó e elástico, porém envolvendo o vidro num plástico de cor
preta para fazer um ambiente escuro para elas.

DICAS DE PREPARO:

Os brotos deliciosos, acompanham saladas e várias preparações da culinária chinesa e


indiana.

BROTOS DE FEIJÃO MOYASHI COM CENOURA

2 xícaras de brotos

1 xícara de cenoura cortada em palitos

¼ de abacate amassado

Gengibre ralado, cebolinha picada

Shoyu,limão e azeite a gosto

6
Brotos de Girassol

Brotos de Girassol

Cultivados na terra os girassóis ficam lindos como nesta foto!


Interessante germinar primeiro e depois, com o narizinho apontando, colocar e cobrir
com terra. Depois de crescido, colha e faça uma preparação interessante:

DICAS DE PREPARO:

MACARRÃONADA DE GIRASSOL
Brotos previamente lavados e escorridos com o seguinte molho:
1 tomate, 1/2 pimentão vermelho pequeno,1/4 cebola, gotas de limão,
pouco sal marinho,manjericão fresco e azeite extra virgem.
No processador sem água, faça o molho pastoso.
Coloque sobre os fios de brotos e por cima espalhe:
Castanha da Amazônia germinada ralada e temperada com alho e sal.
Uma preparação bem deliciosa para o verão

Coco germinado

Coco germinado

NOME: COCO (Cocos nucifera L.)

(Inglês: coconut)

FAMILIA: Palmáceas

ORIGEM: É uma palmeira perene originária do Sudeste Asiático e foi introduzida no


Brasil em 1553 pelos portugueses, embora alguns autores defendam que a origem é
desconhecida.

HISTÓRIA: A planta é muito conhecida entre nós, pois o coqueiro é utilizado como
planta paisagística para embelezar praças públicas, chácaras e fazendas. Existe

7
atualmente no mercado a planta modificada geneticamente, chamada de “cultivar” da
variedade anã (Cocos nucifera 'nana'). Foi desenvolvida (EMBRAPA) por produzir mais
rápido, é baixinha e, portanto fácil de colher, produz maior quantidade de frutos, água
mais doce e de menor de tamanho. Podem ser encontradas nas cores amarela, verde e
avermelhada. Mas ainda em regiões pouco exploradas conseguimos conhecer as
espécies nativas. Portanto fiquem atentos: de olho nas nativas! O fruto apresenta uma
parte bastante fibrosa com uma grande semente em seu interior. A semente é de casca
dura e com isso pode boiar ao cair dentro da água, descer rios e germinar mais adiante.

CURIOSIDADES: Uma teoria que tenta explicar a forma como esta palmeira teria se
espalhado no planeta, diz que os cocos teriam flutuado de um continente para o outro
por meio das correntes oceânicas. Isso explicaria porque tem mais coco na região
litorânea entre a Bahia e o Rio Grande do Norte, pois as correntes levaram as sementes
de forma natural.

COMPRAS: Para saber se o coco está em condições de consumo, uma dica: bata com
uma moeda na casca, se o som for estridente o coco está fresco, se o som for oco
indica que a semente não está boa para o consumo.

GERMINAÇÃO: Uma semente se torna madura em condição de germinar após um ano,


quando tem pouca água e as fibras em volta estão secas. A germinação é espontânea,
mas podemos acelerar imergindo-as em água por 15 dias, trocando a água diariamente.
Se escolhemos a semente bem madura ( 12 meses), ao final deste tempo muitas vezes
observamos o crescimento do germe que fica situado em um dos três “olhinhos” da
semente, quando for quebrar para consumir. Por isso evite retirar a água através deste
orifício. Quebre o coco ao meio para retirar a água e experimente o sabor depois desse
período e perceba como fica mais leve e digestivo pela redução de gorduras através da
germinação.

DICAS DE PREPARO:

As receitas já são bastante conhecidas em nossa cultura sejam doces ou salgadas.

FAROFA DE COCO

1xícara de coco germinado ralado

1xícara de farinha de aipim desidratada no sol

1 maçã em cubos

Alho, salsa e cebolinha picados

Sal a gosto, azeite e gotas de limão. Perfeita!!!!

8
Feijão Azuki germinado

Feijão Azuki germinado

NOME: FEIJÃO AZUKI (Phaeseolus angularis)

(Inglês: Adzuki bean)

FAMILIA: Leguminosae - Fabaceae

ORIGEM: Vinda também do oriente!

HISTÓRIA: Há milhares e anos (9.000), o feijão AZUKI vem sendo cultivado no Japão,
Coréia, Manchúria e China. É conhecido no Japão como uma delicatesse, eles produzem
brotos ou farinhas finas. Plantas de baixa produtividade no cultivo, por isso é
comercializado mais caro. O Azuki é um feijão pequeno e vermelho com o hilo branco
alongado que foi introduzido no Brasil pelos imigrantes no início do século XX. Nosso
hábito brasileiro de consumir feijão, encontra nesta semente uma forma de continuar
com as receitas tão apreciadas, atendendo nosso paladar afetivo e cultural!

CURIOSIDADES: Na Grécia, o feijão Azuki participou das festas mensais do FEIJÃO e no


Egito antigo se pensava que, após a morte, a alma humana se transformava em
feijão.Por esta razão os sacerdotes não podiam comê-los. Os feijões eram dedicados
aos mortos inclusive durante o funeral, quando os enterravam junto com as sementes.

COMPRAS: Aprendemos recentemente que existem duas espécies sendo


comercializadas: o feijão longo e fino e outro mais arredondado. A dica para diferenciar
do feijão vermelho é o “olho” (hilo) branco! Em caso de dúvidas procure comprar as
sementes embaladas com rótulo escrito feijão azuki.

GERMINAÇÃO: Germinam no AR e como uma mágica modificam completamente sua


forma depois que ingerem água! As sementes que não absorvem água permanecem na
forma original, duras e precisam ser separadas para não machucar nossos dentes.

DICAS DE PREPARO: Além das receitas salgadas,assim como os japoneses, utilizamos


também para a preparação de doces com frutas.

Uma preparação que todos que nos visitam gostam muito:

Farofa de feijão tropeiro

1 xícara de feijão azuki germinado escolhido previamente,

Cebola, tomate, pimentão, salsa, cebolinha, coentro bem picados,

Sal marinho e limão.

9
1 xícara de farinha de mandioca desidratada no sol (veja receita no site).

Misture os ingredientes e coloque azeite a gosto.

Muito bom!

Linhaça Germinada

Linhaça

NOME: LINHAÇA (Linum usitatissimum)

(Inglês:Linseed)

FAMILIA: Linaceae

ORIGEM: Existem indícios de sua utilização desde 5.000 a.C. na Mesopotâmia. Dali se
espalhou através da Europa, África, Ásia e finalmente para as Américas.

HISTÓRIA: A humanidade tem consumido a semente de linhaça desde a Antigüidade e a


evidência de seu valor como alimento além das propriedades medicinais é sempre
referida. A semente de linhaça é originária da planta do linho que é cultivada
principalmente pelo uso de sua semente e de sua fibra, da qual se produz linho. Da
semente extrai-se o óleo de linhaça, usado há séculos como verniz.

CURIOSIDADES: É uma semente que está em moda devido aos seus altos teores de
ácidos graxos ômega 3 muito divulgado na midia. E que o uso contínuo pode
proporcionar aumento da defesa do organismo e a redução do ritmo de envelhecimento
celular. Além disso, é também muito conhecida como reguladora das funções
intestinais. Você pode fazer a sua experiência e comprovar!

COMPRAS: São encontradas no comércio a semente de linhaça dourada e a


marrom.Faça o teste da germinação antes de comprar em quantidades maiores. Nem
sempre germinam, pois ficam em estoque nas lojas por muito tempo. Prefira os
supermercados ou lojas de grande venda para ter acesso as sementes frescas.

GERMINAÇÃO: A semente de linhaça germinada produz uma goma durante o molho e


por isso recomendamos sua germinação em peneiras que facilitem a limpeza. Há
controvérsias sobre o consumo desta água gomosa. Preferimos não utilizar pelo fato do
primeiro molho estar cheio de hormônios anti-crescimento que é liberado pela semente
antes de iniciar seu crescimento.

As sementes de linhaça também podem ser cultivadas na terra e seu broto tenro é
delicioso. Uma dica: coloque a semente seca bem espalhada na terra e depois faça a
irrigação. Assim você evita que a goma liberada pela semente cole uma sobre a outra.

DICAS DE PREPARO:

Melhor utilizar moída nas preparações culinárias, em função de sua casca ser

10
escorregadia, difícil de mastigar e digerir. Esta textura, no entanto, permite o
desenvolvimento de preparações onde a consistência gelatinosa é necessária.

CREME DE MANGA COM LINHAÇA

2 colheres de sopa de linhaça germinada

1 manga grande

Gotas de limão a gosto

Processe bem no liquidificador sem adição de água, até formar uma mousse fina.

Decore com morangos por cima!

Lentilha germinada

Lentilha germinada

NOME: LENTILHA (Lens esculenta)

(Inglês: Lentil)

FAMILIA: Faboideae

ORIGEM: A Lentilha vem de outro lado do planeta! Originária do Oriente é uma


das plantas cultivadas mais antigas (9500 a.C).

HISTÓRIA: Muito conhecida pelos egípcios, persas e depois foram cultivadas pelos
romanos na Europa. Citada no antigo Testamento apresenta várias cores, formas e
sabores diferentes (marrom, amarela, preta, verde e rosa/laranjada). A Lentilha cresce
de 20 a 50 centímetros de altura, é uma planta originária de clima temperado quente e
tolerante à seca . É cultivada em todas as regiões agrícolas do planeta e, entre os
plantadores, as sementes simbolizam a fertilidade e as oportunidades que aparecerão
durante o próximo ano. No Brasil, o cultivo ocorre nos estados da região sul e além de
alimento humano serve também como adubo verde e alimento para animais.

CURIOSIDADES: Pelo seu formato foi associada a moedas e carrega o mito da “semente
da fortuna” e está presente ainda hoje, em diversos rituais humanos. Segundo a
Gênesis, primeiro livro da Bíblia, Esaú cedeu a Jacó seu direito de primogênito em troca
de um prato de lentilhas, obtendo assim a sorte de tornar-se um homem rico. Comer
lentilha durante a ceia de Natal e na passagem de ano é ainda um hábito comum em
países como o Brasil, o Chile e a Venezuela. Acredita-se que atraem boa sorte com
dinheiro!

11
COMPRAS: Fácil de ser encontrada no comércio em geral. Como esperam muito tempo
para nascer, em geral germinam mesmo passado o prazo de validade dos pacotes.

Brotos de lentilha

GERMINAÇÃO: A germinação no Ar é muito fácil. Pode também ser cultivada na terra


para fazer brotos. Recomendamos aqueles que começam na alimentação viva, iniciem
germinando a Lentilha. Não tem erro!

DICAS DE PREPARO:

As preparações culinárias com a lentilha também são todas deliciosas, sejam nos sucos,
sopas, cremes, saladas ou misturadas com outras sementes.

LENTILHA COM MAÇÃ E AIPO

1 xícara de lentilha germinada e descascada

1 xícara de maçã picada em cubos

1 xícara de aipo picadinho

1 xícara de abacate em cubos

Tempere com limão, missô e cebolinha

Decore com flores de Maria sem-vergonha!

12
Como Geminar

Sementes

Para começar o aprendizado com o alimento vivo esta é a etapa fundamental! Por isso a
senha de participação nas atividades do Terrapia é a semente germinada na mão!

Este material tem o objetivo de estimular a sua pesquisa pessoal. Investigue e divida
seu conhecimento no Terrapia!

Nem todas as sementes podem ser consumidas germinadas ou brotadas, portanto


conheça a lista selecionada abaixo:

Lista de Sementes Comestíveis Através da Germinação ou Brotação

Como germinar as sementes?

As sementes podem ser germinadas de três modos diferentes: no AR, na ÁGUA e na


TERRA.

O material necessário é simples: semente de boa qualidade, vidro de boca larga, tule e
elástico para o processo no ar, bandeja com terra ou uma vasilha com água. Com o
material na mão vamos lá!

* 1ª ETAPA COMUM A TODAS AS SEMENTES: lavar bem a semente e deixar de molho


dentro de água por 8h.

Girassol germinado"Germinação no ar"

* 2ª ETAPA: Escorrer a água e lavar bem a semente por 5 vezes;


* 3ª ETAPA: Colocar o vidro com a semente úmida num local inclinado (45º) de
maneira que possa pegar ar, escorrer o excesso de água e ficar na sombra;
* 4ª ETAPA: Lavar bem (5 vezes) pela manhã e a noite, retornando ao local
inclinado;
* COLHEITA: estão prontas para comer quando estiverem com o “narizinho para
fora” (em torno de 24h).

13
Feijão moyashi“Cultivos de brotos no ar”

Algumas sementes devem ser consumidas sob a forma de “Brotos”, devido à


presença de substâncias tóxicas no início do processo de germinação. Por isso continua-
se o processo no Ar até aparecerem as duas primeiras folhinhas, quando ficam prontas
para o consumo.Consulte a lista acima.

Amêndoa germinada"Germinação na água"

* 2ª ETAPA: Após a primeira etapa comum, as sementes que germinam na água


continuarão imersas, com o cuidado de trocar a água 2 vezes por dia.
* COLHEITA: estão prontas para comer quando estão com o “narizinho para fora”
Isso pode durar horas ou dias dependendo se possuem cascas finas ou grossas.

Brotos de Girassol " Brotos na terra"

* 2ª ETAPA: Após a primeira etapa comum, as sementes irão inicialmente germinar no


AR. Com isso garantimos a germinação de todas as sementes o que acelera o processo
de cultivo;
* 3ª ETAPA: Com o “narizinho para fora” as sementes serão espalhadas numa
bandeja com furos embaixo e com 3 cm terra. Cubra as sementes com pouca terra
peneirada e regue. Coloque num local sombreado no inicio e depois de crescidas, no
sol. Regue regularmente sem encharcar;

* COLHEITA: os Brotos estão prontos para comer quando aparecem as duas


primeiras folhas ou no caso das gramas, com 15cm de comprimento.

Compreendendo a germinação:

Segundo Aurélio, “semente é a estrutura que conduz o embrião. Provém do óvulo


fecundado e está incluída nos frutos. No sentido figurativo, é o germe, causa, origem,
sêmen”. Ou seja,reúne a potencialidade total daquele ser vivo que aguarda o momento
de vir a ser. Enquanto aguarda, utiliza sua força para esperar mantendo-se no
metabolismo mínimo (basal) e depois, ao encontrar as condições que precisa (água e
luz), inverte o rumo dessa força para crescer numa grande explosão e mostrar ao
mundo para que veio. Cada semente então, terá sua particularidade: o tempo que
demora para germinar, o tamanho, a textura, o tempo que conserva a capacidade de
germinar, época em que foi colhida, a graciosidade, o sabor e o saber.

14
O que está acontecendo no interior da semente quando ela germina?

É difícil detectar a vida no interior da SEMENTE, quando em dormência. Mas ela


respira... O embrião espera pela água, luz, temperatura ideal, estação do ano...
Durante tempos variados. A maçã espera duas semanas e a planta de Lótus mais de
2000 anos, por exemplo.

Segundo os biólogos, a ÁGUA desperta a semente! Aspirada pela MICRÓPILA (boca), a


água penetra e logo desativa os “inibidores de crescimento”, responsáveis pela
dormência. Começa a inversão metabólica e os “hormônios de crescimento” entram em
ação! Este hormônio se espalha e chega ao NUCELO, próximo à casca da semente, onde
vai ativar o “Sistema de Mensagem” do código genético da planta (DNA). Aqui certos
genes são ativados para dar as “instruções hereditárias” necessárias à construção de
toda a planta e as informações como se comportar diante das chuvas, ventos, calor,
frio. Os genes ativados começam a “Transcrição” da informação do DNA. Essa
informação será transportada pelo “RNA mensageiro” para todas as áreas necessárias
da semente. Com isso o RNA vai desencadear o processo de produção de proteínas
específicas, seguindo a seqüência do código genético. As primeiras são as PROTEASES e
AMILASES, que vão digerir as “Reservas Nutritivas” guardadas no interior da semente
destinada a alimentá-las no início da germinação. Tudo acontece muito rapidamente!!!
Com o alimento necessário, na forma que possa ser usada para o crescimento, o “pólo
germinativo” entra em ação: a “Radícula” cresce e sai da casca através da Micrópila
procurando a terra para formar a raiz e a “Plúmula” rompe a casca para formar o caule
e as folhas, orientadas para o Céu.

E assim começa uma nova história, numa grande explosão vital!...

Brotário

Observações importantes:

Ao germiná-las é preciso que preste bastante atenção a esse ser vivo que se
desenvolverá diante de seus olhos. Cada semente irá apresentar um desenvolvimento
próprio e se tiver passado do seu tempo de germinar, será visitada por fungos e entrará
em processo de decomposição, sem condições de ser consumida.

Ao comprar procure sempre observar se a data da embalagem da semente é recente e


se apresenta sinal de envelhecimento. Se comprar no varejo, experimente a germinação
antes de levar grande quantidade. Algumas sementes somente encontraremos em lojas
especializadas ou através de fornecedores.

15
Algumas sementes sem germe (descascadas) não irão germinar, mas ao colocá-las na
água desencadearão seu "potencial germinativo", como o caso da aveia e da cevadinha.

O molho pode variar de algumas horas (lentilha rosa) ou até dias (24, 48 h ou até dias,
trocando a água diariamente) como as castanhas, coco, nozes, aveia e avelãs.

Dicas da Culinária Viva

Salada dos seminários

A culinária da Alimentação Viva é bastante variada exatamente na proporção da


variedade de frutas, legumes, verduras e sementes comestíveis pelo ser humano que se
apresentam na natureza! Ampliando nosso conhecimento sobre os vegetais, seus
aromas, sabores, cores e texturas, entramos num universo incontável de experiências
possíveis! Nosso objetivo aqui é apresentar as "Dicas culinárias" que fomos aprendendo
durante as oficinas. Confiram!

TEMPEROS:
Dizem que o segredo de uma boa comida é o tempero, mas com isso nos afastamos do
paladar original dos vegetais, tão variado e interessante!
Mas decidimos que em nossos encontros pesquisaremos uma culinária que se
assemelhe aquela conhecida por todos para facilitar o processo de mudança. Com isso
atendemos a nossa "memória afetiva" tão importante quanto todo o resto desta
história! Mas se você já não faz uso de temperos, permaneça como está, pois essa é a
nossa meta!

Sal grosso moído (marinho): prefira aquele com menor adição de produtos químicos
no processo de refinação e use em poucas quantidades.

Missô e Shoyu: sob a forma de pasta ou como liquido esses alimentos fermentados
naturalmente estão "vivos" pela presença de lactobacilos que modificaram as sementes
de milho, soja e arroz.

Azeite: escolha o prensado a frio (extra-virgem) que ainda carrega a vitalidade da oliva

Limão: o limão está fresco e carregado de energia vital substituindo o vinagre.

Ervas aromáticas: é sempre muito interessante agregar as ervas em nossa pesquisa


de paladares! Explore a salvia, alecrim, manjerona, basilicão, salsa, cebolinha, coentro,
manjericão e muitas outras...

16
CONSERVAÇÃO DOS ALIMENTOS:

Se as verduras estão recém colhidas, mantenha-as com os talos dentro de água, pois
manterão a vitalidade. Por isso suas compras não devem ser grandes. Compre
diariamente ao invés de estocar! Você vai descobrir como é interessante acompanhar de
perto o envelhecimento dos alimentos e as mudanças de paladar além de romper com a
"vida prática" que somos empurrados, para sobrar mais tempo para o consumo!!!
Depois de preparada, as comidas vivas não devem ser guardadas! Procure consumir
imediatamente. Por isso procure calcular o que vai consumir. A geladeira está em
desuso no Terrapia, pois se trata de um armário de alimentos de baixa vitalidade.

A velha máquina de moer

UTENSÍLIOS:

Liquidificador e processador: Embora o trabalho com as mãos ofereçam a maior


oportunidade de contato com a energia vital dos alimentos, esses aparelhos são de
grande utilidade na culinária viva! Com eles conseguimos processar as sementes e obter
as receitas “convencionais” atendendo o paladar afetivo. Mas eles não substituem uma
boa faca, que é imprescindível! No mercado brasileiro existem aparelhos “dois em um”,
ou seja, a mesma base (motor) acompanha os dois copos: liquidificador e o processador
que corta sem adição de líquidos.

Panela de barro

Panelas: Escolha as panelas que não liberam substâncias tóxicas aos alimentos como
as de barro, pedra, ágata, aço inoxidável e vidro.

Vasilhames: Evite os de alumínio e de plásticos especialmente os coloridos! Se você


vai comprar dê preferência a louça sem desenhos privilegiando a beleza dos vegetais!

Fogão: Embora não seja fundamental na culinária viva, não jogue fora o seu fogão,
pois pode servir para “amornar” suas preparações! Mas se preferir pode utilizar um
aquecedor elétrico e eliminar mais um grande objeto em seu espaço de cozinha!

17
A COMBINAÇÃO DOS ALIMENTOS

Com o objetivo de facilitar a digestão, a combinação dos alimentos vem se tornado uma
prática mais e mais aceita como uma necessidade. Se a mistura de alimentos estiver
bem combinada, o organismo não vai gastar energia para digeri-los e no final da
refeição nos sentiremos mais leves e com ganho de energia.
São inúmeros estudos sobre o assunto, ainda inconclusivos e muitas vezes
contraditórios. O assunto parece ainda em construção. Assim, sugerimos que cada um
observe seu processo digestivo, considerando a combinação dos alimentos que vem
usando.
De uma maneira geral os estudos concordam que as frutas não devem ser consumidas
com as refeições salgadas. Isso porque a digestão de açúcares exige um determinado
grau de acidez diferente das hortaliças em geral.
Temos acompanhado os estudos de Ann Wigmore sobre o assunto, com algumas
adaptações, devido a diversidade de hortaliças e frutas em nosso país. Segundo ela, os
grupos de alimentos são divididos em:

Sementes Germinadas e Brotos


Combinam com todos os alimentos. Com o processo da germinação as sementes
tornam-se neutras. Dê preferência a combinação de sementes oleaginosas com as
frutas, pois podem facilitar a digestão.

Hortaliças
Combinam-se entre si as verduras, legumes, raízes, flores e ervas.
Obs.: Abacate, maçã e limão são as únicas frutas que acompanham bem as hortaliças.

Frutas Doces
Combinam-se entre si a banana, caqui, figo, jaca, tâmara, uva moscatel, fruta do conde
e frutas secas em geral.

Frutas Cítricas e Sub-cítricas


Combinam entre si a maçã, uva, pêra, ameixa, abacaxi, tangerina, laranja, manga,
graviola, maracujá, goiaba e kiwis.

Frutas Neutras
Combinam com todas as outras frutas o abacate, mamão e limão.

Melão e Melancia
Devem ser consumidos sozinhos.

Variedade na mesa

18
UMA SUGESTÃO DE CARDÁPIO

DESJEJUM:Suco de clorofila

ALMOÇO:Salada verde variada com FOLHAS NEUTRAS (ALFACES),FOLHAS PICANTES


(RÚCULA, AGRIÃO), FOLHAS AMARGAS: (CHICÓRIAS) e BROTOS (de TERRA ou AR).

Acompanha as seguintes opções:


Sementes de sustentação: PASTAS,CREMES,ROCAMBOLE,EMPADÃO,TORTAS SALGADAS
Amornados:CREMES, SOUFLÊS, SOPAS,
Desidratados:FAROFAS,PÃES, PASTÉIS, PIZZAS, QUICHES
Pastas fermentadas:SEMENTES PROCESSADAS COM REJUVELAC

JANTAR: Mandalas de frutas com SEMENTES e FRUTAS FRESCAS

Opções de REFEIÇÕES DOCES:

Sucos com SEMENTES e FRUTAS FRESCAS


Torta de SEMENTES, FRUTAS FRESCAS e SECAS
Docinhos ou compotas de FRUTAS FRESCAS e MEL

Observação: Utilizar o Rejuvelac (bebida fermentada) na preparação das receitas ou


ingerir puro, diariamente.

(Sementes de sustentação: trigo, centeio, grão de bico, nozes, coco, aveia, girassol e
amendoim)

Projeto Terrapia - Alimentação Viva na Promoção da Saúde

Flores comestíveis

salada de flores

19
FLORES COMESTÍVEIS NA SALADA

flor de abóbora

ABÓBORA Curcubita pepo Duchesne

Aguapé

AGUAPÉ Eichhornia crassipes

AMOR PERFEITO colorido Viola tricolor L.

flor de araçá

ARAÇÁ Psidium

flor de almeirão

ALMEIRÃO Cichorium intybus

20
ANETO ou ENDRO Anethum graveolens

flor de trevo

AZEDINHA ou TREVO Oxalis acetosella L.

BEGÔNIA Begônia feastii

Bom dia

BOM DIA Ipomoea purpurea (L) Roth

Boa noite

BOA NOITE Ipomoea alba L.

CAMOMILA Matricaria chamomilla L./ C. recutita L

21
Capuchinha

CAPUCHINHA (ou Chaguinha) Tropaeolum majus L.

CARAMBOLA Averrhoa carambola


CEBOLINHA Allium fistulosum e A.schoenoprasum
CHICORIA Chicorium intybus
CRAVO e CRAVINA Dianthus cayophyllus L.,D.chinensis

L. cravo de defunto

CRAVO de DEFUNTO ou DA-ÍNDIA Tagetes erecta L. e T. patula alta p.l.

DENTE DE LEÃO Taraxacum officinale


FUNCHO Foeniculum vulgare
GERÂNIOS Pelargonium Capitatum

Girassol

GIRASSOL Helianthus annuus

HIBISCUS Hibiscus sabdariffa L.


IPÊ-ROSA Tabebuia heptapyla
IPÊ-ROXO Tabebuia impetiginosa

22
LARANJEIRA Citrus sinensis
LAVANDA Lavandula angustifolia

Lírio

LÍRIO de SÃO JOSÉ (amarelo e vermelho) Hemerocallis flava L.

LIRIO do BREJO Hedychium coronarium


MÃO DE DEUS ou MARIA GOMES Portulaca mucronata
MARACUJÁ Passiflora alata

Margarida

MARGARIDA Bellis perennis L.

Maria sem vergonha

MARIA SEM-VERGONHA Impatiens balsamina L.

MOSTARDA Brassica nigra L.


MURTA Myrtus communis
PATA DE VACA cor de rosa Bauhinia purpúrea

23
PETÚNIA ou „TOBACCO‟(Tupi-Guarani) Petunia hybrida.

rosa

ROSAS Rosa spp

SALVIA Salvia splendens

sapatinho de judia

SAPATINHO DE JUDIA Thumbergia mysoriensis

VIOLETA verdadeira (folha é lisa; não é a africana da floricultura) Viola odorata

Indicação de consulta:
Gil Fellipe, " Do jardim à horta: as flores que vão para a mesa", Ed Senac, São
Paulo,2003.

Harry Lorenzi, coleção do Instituto Plantarum de Estudos da flora Ltda, São Paulo.

Pio Corrêa, "Dicionário das Plantas Úteis do Brasil"

24
Plantas não cultivadas e flores comestíveis

ALGUMAS FOLHAS COMESTÍVEIS NÃO CULTIVADAS

Nome popular ALMEIRÃO do CAMPO (Fam. Compositae)

Nome cientifico Hypochoeris brasiliensis (Less.) Griseb.

Trevo comum

AZEDINHA ou TREVO (Fam. Oxalidaceae) Oxalis corniculata L.


Oxalis corymbosa DC
Oxalis Latifólia Kunth

Beldroega

BELDROEGA (Fam Portulacaceae) Portulaca oleracea L.

CAPIÇOBA (Compositae) Erechtites valerianaefolia (Wolf)DC.


CAPIM COLONIÃO (Fam. Gramineae) Panicum maximum Jacq

Capim gordura

CAPIM GORDURA (Fam. Gramineae) Melinis minutiflora P.Beauv.

25
Capuchinha

CAPUCHINHA (Fam. Tropaeolaceae) Tropaeolum majus L.

CARURU (Fam.Amaranthaceae). Amaranthus deflexus L.


Amaranthus hibridus var. paniculatus
Amaranthus hibridus var. patulus
Amaranthus lividus L.
Amaranthus retroflexus L.
Amaranthus viridis L.

Centela asiática

CENTELLA (Fam. Umbelliferae) Centella asiatica (L.) URB

CHICÓRIA do CAMPO (Fam. Compositae) Hipochoeris radicata L.


DENTE de LEÃO (Fam. Compositae) Taraxacum officinale Weber
Sonchus asper (L.) Hill
ESPARGUTA (Fam. Caryophillaceae) Stellaria media (L.) Vill

folha de abóbora

FOLHA DE ABÓBORA (Fam. Curcubitaceae) Curcubita pepo L.

26
Folha de batata doce

FOLHA DE BATATA DOCE (Fam. Convolvulaceae) Ipomoea batatas (L.) Lam

FOLHA DE CANA DE AÇUCAR Saccharum officinarum L.

Folha de milho

FOLHA DE MILHO (Fam. Gramineae) Zea mays L.

Folha de chuchu

FOLHAS DE CHUCHU (Fam. Curcubitaceae) Sechium edule (Jacq) Sw

Hortelã

HORTELÃ DE FOLHA GRAÚDA (Fam. Labiatae) Plectranthus amboinicus

27
Língua de vaca

LINGUA de VACA graúda (Fam.Polygonaceae) Rumex obtusifolius L.

LINGUA de VACA miúda (Fam. Compositae) Chaptalia nutans (L.) Pol


Chaptalia integérrima (Vell) Burkart
LOSNA (Fam. Compositae) Artemisia absinthium L.
MÃO DE DEUS,bredo,caruru ou Maria gorda ( Fam. Portulacaceae) Talinus patens (L.)
Willd.

Ora-pro-nobis

ORA-PRO-NOBIS ou Groselha dos bábaros

(Fam. Cactaceae) Pereskia aculeata Mill

Picão branco

PICÃO BRANCO (Fam.) Compositae) Galinasoga quadriradiata Ruiz& Pav.

28
Picão preto

PICÃO PRETO (Compositae) Bidens alba (L.)DC


Bidens pilosa L.

QUEBRA PEDRA (Fam. Euphorbiaceae) Phyllanthus ninuri L.


Phyllanthus tenellus Rxb

Rami

RAMI (Fam Urticaceae) Boehmeria nívea (L.) Gaudion.ch

Serralha

29
SERRALHA (Fam. Compositae) Emilia son chifolia (L.) DC
Sonchus oleraceus L.

Tanchagem

TANCHAGEM (Fam. Plantaginaceae Plantago tomentosa Lam.

Tiririca

TIRIRICA (Fam. Cyperaceae)


Varias espécies possuem este mesmo nome Cyperus distans L.f.
Cyperus esculentus L.
Cyperus ferax Rich
Cyperus Meyenianus Kunth
Cyperus Rotundus

Trapoeraba

TRAPOERABA (Fam. Commelinaceae) Commelina benghalensis L.


C. diffusa Burn.f.
C.erecta L.
C.tripogandra diurética (Mart)

Trevo branco

30
TREVO BRANCO (Fam. Papilionoideae) Trifolium repens L.

Umbaúba

UMBAÚBA, EMBAÚBA (Fam. Cecropiaceae) Cecropia pachystachya Tréwl

Urtiga mansa

URTIGA MANSA (Fam. Urticaceae) Urtica dióica L.

VINAGREIRA (Fam. Malvaceae) Hibiscus sabariff L.

Plantas aromáticas interessantes no suco (em pouca quantidade)

alecrim

ALECRIM (Fam. Labiatae) Rosmarinus officinalis L.

alfavacão

ALFAVACÃO ou ALFAVACA CRAVO(Fam.Labitae) Ocimum gratissimum L.

31
Basilicão

BASILICÃO (Fam. Labiatae) Ocimum basilicum

CAPIM LIMÃO (Fam. Gramineae) Cymbopogon citratus L. (DC) Stapf

Erva cidreira

CIDREIRA (Fam. Laminaceae) Melissa officinalis L.

CIDREIRA de arbusto ou brava (Fam. Verbenaceae) Lippia alba (Mill) N.E.Br.

Erva doce

ERVA DOCE (Fam. Umbelliferae) (Apiaceae) Foeniculum vulgare

ESTEVIA (Fam. Asteracea) Stevia rebaudiana (Bertoni) Bertoni


FOLHA DE EUCALIPTO (Fam. Myrtaceae) Eucalyptus globulus Labill

FOLHA DE LIMÃO (Fam.Rutaceae) Citrus limon (L.) Burmf

HORTELÃ (Fam. Labiatae) Mentha arvensis pulegium L.


Mentha x villosa Huds
HORTELÃ PIMENTA (Fam. Laminacea) Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng

32
Manjericão

MANJERICÃO (Fam. Labiatae) Ocimum selloi Benth

MANJERONA (Fam. Labiatae) Origanum vulgare L.


ORÉGANO (Fam. Laminaceae)

Salsa

SALSA (Fam. Umbelliferae) Petroselinum crispum (Mill.) A.W. Hill

Salvia

SALVIA (Fam. Labiatae) Salvia officinalis L.

Tomilho

TOMILHO (Fam. Labiatae) Thymus vulgaris L.

33